Você está na página 1de 4

1.

Engenheiros e suas habilidades


2. Evolução – Adam Smith (Fábrica de Alfinetes)
3. Teoria Geral da Administração (Fatos históricos)
3.1. Taylor
3.2. Fayol
3.3. Ford
4. Outras Teorias
4.1. Elton Mayo
4.2. Max Weber
4.3. Teoria Comportamental (Hawthorne)
4.4. Katz e Kahn
4.5. F. Drucker’
4.6. James D. Thompson
5. Impactos Ambientais
6. Engenharia de Qualidade (Fatos Históricos)
6.1. Walter Shewhart
6.2. Deming
6.3. Juran
6.4. Frank Bird

Engenheiros e suas habilidades

O profissional de Engenharia de Produção deve portar de qualidades para exercer a sua função
no mercado de trabalho. Sendo elas; conhecimentos objetivos, experimentação, comunicação,
ética profissional, relações humanas, trabalho em equipe e aperfeiçoamento contínuo. A palavra
e significado de administrar torna-se um aspecto indispensável na vida do profissional em
engenharia, a partir da Administração que o podemos trabalhar com e através de pessoas para
realização dos objetivos. O conceito de Administração é o processo de planejar, organizar,
Dirigir e controlar o uso de recursos a fim de alcançar um objetivo.

A evolução história de processo administrativo pode ser observado com clareza a partir do
exemplo prático descrito por Adam Smith sobre a “Fábrica de Alfinetes”, onde a divisão de
trabalho fora atribuída para maximizar a produção.

As mudanças de hábitos da força de trabalho se deram com surgimento da Revolução Industrial


entre 1760 a 1830. Em 1769, após o aperfeiçoamento da máquina a vapor por James Watt, a
intensificação do uso das máquinas industriais um novo tipo de trabalho, baseado na linha de
produção em massa aonde os trabalhadores eram apenas donos da força de trabalho que
vendiam, em situações desfavoráveis em troca de baixos salários.

O crescimento abrupto e desordenado das fábricas em busca de lucros propiciou diversos


acidentes, pois as máquinas não eram projetadas para proteção dos trabalhadores. Em virtude
aos inúmeros acidentes, contaminações e epidemias devido às precárias condições do ambiente
de trabalho em 1802 o parlamento britânico aprovou a 1ª lei de proteção dos trabalhadores.

No século XX, surgiram pensadores com desenvolvimento de ideias gerenciais, princípios de


projetos, trabalho e negócio. Ficaram conhecidos como “Administração Cientifica”, Frederick
Taylor (Trabalhador), Henry Ford (Dono) e Henri Fayol (Gerente). Cada um deles trouxeram
estudos e conceitos que são usados até hoje na gestão de operações. Sendo Frederick Taylor
conhecido por estudar as formas de aumentar a produtividade em processos operacionais, com
intenção de faze mais produtos com menos recursos, Henry Ford com o modelo de produção
em massa e Henri Fayol o criador da Teoria Clássica da Administração com seus 14 princípios de
gestão aplicadas.

A Administração Cientifica formada por Taylor, Ford e Fayol é considera da primeira abordagem
da Teoria Geral da Administração, formada por um conjunto de experiências obtidas de
trabalhos efetivos, mediante ao emprego de métodos empíricos sobre a realização do trabalho.

Entre 1864 a 1920, surgia a Teoria da Burocracia, que foi a primeira teoria a receber influência
da Sociologia. Max Weber, sociólogo alemão foi o maior expoente por desenvolver o modelo
de organização existente. Modelos de organização destinados as relações de hierarquia.

Entre 1927 a 1932, surgia a Teoria das Relações Humanas que teve início com Elton Mayo
atribuído a Psicologia na Teria da Administração. O fato marcante foi o estudo de Hawthorne na
Fábrica Western Electric.

Na medida em que a administração evoluía sugiram outras teorias que complementavam o


sistema administrativo sendo elas; Teoria Comportamental, Teoria Estruturalista, Teoria de
Sistemas, Teoria Neoclássica e Teoria de Contingência.

E outros estudos foram realizados para complementar a realidade vivenciada no ambiente


industrial como por exemplo a Pirâmide de Frank Bird, sobre a estatística de acidentes de
trabalho.

A evolução no processo administrativo evoluiu a tal ponto aonde a qualidade se tornou um fator
determinante para a sobrevivência das indústrias. O conceito de qualidade é subjetivo e está
diretamente relacionado as percepções de cada indivíduo.

Na década de 20 o estatístico Walter Shewhart, desenvolveu os conceitos básicos da moderna


engenharia de qualidade, no qual era entendia que o operário era perfeitamente capaz de
compreender, observar e controlar a sua produção e dedicou-se a desenvolver técnicas para tal.
Introduziu, então, os conceitos de controle estatístico de processos e de ciclo de melhoria
contínua, que foram aplicados, experimentalmente, na fábrica de Hawthorne.

Nos anos 50, a moderna concepção de gestão de qualidade total foi consolidada após a Segunda
Guerra mundial. Surgiram conceitos, trabalhos e desenvolvimentos dos estudiosos Armand V.
Feigenbaum, Joseph M. Juran e Winston Edwards Deming.

O Deming era físico e estatístico, discípulo de Shewhart e de Fisher. Contrariando as posições da


administração cientifica Deming diz que “o consumidor é peça mais importante da linha de
produção” e em 1982, resumiu os seus ensinamentos em 14 pontos apresentados no livro Out
of the Crisis.

O Joseph Juran era o mais conceituado consultor em gestão de qualidade de atualidade. Em


1950, aplicou princípios de Pareto aos problemas gerencias e desenvolveu inúmeros artigos e
livros sobre engenharia de qualidade sendo o Juran’s Quality Handbook, o mais utilizados até
hoje.

Em 1951, surge a abordagem sistêmica com Armand V. Feigenbaum, onde lançou o conceito
de qualidade total em seu livro Total Quality Control. Ele entende que a qualidade deve ser
projetada e embutida no produto ou no serviço e não se consegue qualidade apenas eliminando
falhas ou inspecionando.

Em 1978, o Kaoru Ishikawa deixou um legado no desenvolvimento do uso da estatística na área


de qualidade, aprimorando o modelo americano e as ferramentas de qualidades e criando a
ferramenta denominada de Diagrama de Ishikawa, conhecida como espinha de peixe.

Na década de 80, o surgimento dos métodos de gestão de produção foi determinantes para o
processo de melhoria contínua. O Just in time, 6 sigmas, 5S, 5H1W, Kanban, ABC, Espinha de
Peixe, Análises Gráficas e etc.; contribuíram para uma evolução exponencial do processo
administrativo focado na qualidade e um melhor gerenciamento de processos e projetos.

A melhoria contínua recebeu influências do ISO, denomina a International Organization for


Standardization, ou seja, Organização Internacional de Padronização. o objetivo é fornecer um
conjunto de requisitos que, bem implementados, garantem mais confiança de que a organização
é capaz de fornecer regularmente produtos e serviços que atendam às necessidades e as
expectativas de seus clientes, e que estão em conformidade com as leis e regulamentos
aplicáveis.

Com todas essas evoluções, não poderíamos esquecer dos impactos ambientais gerados no
século XX, que redesenhou o produção global em virtude dos movimentos que alinhavam os
conhecimentos fundamentais das ciências naturais e das ciências sociais necessários para a
utilização racional e a conservação dos recursos da Biosfera e para o melhoramento da relação
global entre o homem e o meio ambiente.

No ano de 1968, três encontros foram fundamentais para delinear uma estratégia para o
enfrentamento dos problemas ambientais nas décadas de 1970. Foram eles:

1.A Assembleia das Nações Unidas, nesse ano de 1968, decide pela realização, em 1972, na
cidade de Estocolmo, na Suécia, de uma Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente
Humano.

2.A UNESCO promove em Paris, no mês de setembro de 1968, uma Conferência sobre a
conservação e o uso racional dos recursos da biosfera que estabelece as bases para o
lançamento, em 1971, do Programa Homem e a Biosfera (MAB)

A partir desses movimentos foi criado os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Sendo um


deles o conceito do Triple Bottom Line e o seu uso em corporações de todo o mundo, que
refletem um conjunto de valores, objetivos e processos que uma organização deve focar para
criar valor em três dimensões: econômica, social e ambiental.
Referências:

Livro: Introdução de Engenharia de Produção – Universo


Autor: Tiago Moreira Cunha

Livro: Teoria Geral da Administração – Universo


Autor: Jonas Lobato

Livro: Engenharia da Qualidade – Universo


Autor: Prof. Alírio Gomes da S. Júnior

Site: https://blogdaqualidade.com.br/o-que-e-iso/