Você está na página 1de 3

Em engenharia de qualidade I, vinhos que o conceito de qualidade é extenso e funciona em

“termo multidirecional, não dependendo apenas de um padrão pré-estabelecido, mas de


fatores culturais, de produto e de serviços prestados. Pode também ser definido pelas
necessidades, valores e expectativas”.

A qualidade, então, é resultado de um esforço no sentido de desenvolver o produto ou serviço


de modo tal que este atenda a determinadas especificações.

Um dos primeiros conceitos da qualidade na antiguidade pode ser visto no Código de Hamurabi
(2150 a.c), considerado o primeiro sistema jurídico da humanidade, com suas 282 cláusulas
(Lima, 1983).

Até século XVII, as atividades de produção de bens eram desempenhadas por artesãos na qual
estudavam o ofício e passam por uma avalição para saber se são aptos a exercer a função para
enfim prestar um serviço de qualidade para o consumidor final.

Meados do século XVII, com o surgimento das primeiras manufaturas em que os proprietários
em geral um comerciante oferecia emprego aos artesãos em troca de salário. E assim começava
produção.

Com o surgimento da máquina a vapor criada por James Watt, a industrial passou a utilizar do
recurso prático para substituir o trabalho humano ou a tração animal. Uma das atividades a
mecanizar a produção foi a indústria têxtil. O surgimento das fábricas aonde o homem, antes
um artesão, passa a ser um operário coadjuvante da máquina. Início da Revolução Industrial, ao
longo do século XX, foram os grandes acidentes industriais e a contaminação resultante deles
que acabaram chamando a atenção da opinião pública para a gravidade do problema. Foi
identificado o despreparo dos operários e do precário desenvolvimento das técnicas
administrativas.

No século XX, Fayol e Taylor apresentam conceitos de administração moderna aonde as


empresas utilizaram seus métodos e conceitos. A partir desse momento os seus trabalhos
industriais sofreram uma profunda influência em suas organizações.

Frederick W. Taylor foi o pioneiro na Administração Cientifica aonde concluiu que a


racionalização do trabalho operário deve ser acompanhada de uma estruturação geral da
empresa para tornar coerente a aplicação de seus princípios.

Henri Fayol é o pai da Teoria Clássica da Administração, aonde caracteriza-se pela ênfase na
estrutura organizacional, pela visão do Homem Econômico e pela busca da máxima eficiência.

Fato Importante que influenciou na qualidade:

Os estudos Hawthorne tiveram início com base numa pesquisa que se realizou ente 1924 e 1927
na Western Eletric Co. Localizada em Hawthorne (Chicago) em colaboração com o Conselho
Nacional de Pesquisas dos Estados Unidos. A finalidade da pesquisa era determinar a relação
existente entre a intensidade de iluminação dos locais de trabalho e a eficiência dos
trabalhadores, medida pela produção obtida. Os Estudos Hawthorne produziram pelo menos
três descobertas que constituíram um desafio à escola clássica, cujos conceitos até então
predominavam: o nível de produção de um trabalhador é geralmente determinado por normas
sociais e não pela capacidade fisiológica ou física do trabalhador individual. Sanções e prêmios
não econômicos influenciam o comportamento do trabalhador e limitam os efeitos dos
incentivos econômicos. Os trabalhadores frequentemente agem e reagem mais como membros
de grupos do que como indivíduos.

A engenharia da qualidade é o conjunto das técnicas e procedimentos para estabelecer critérios


e medidas da qualidade de um produto, identificar produtos que não estejam conformes a tais
critérios, evitando que cheguem ao mercado, e acompanhar o processo de produção,
identificando e eliminando as causas que levaram a não-conformidades.

Ferramentas da Engenharia de qualidade

Shewhart desenvolveu os gráficos de controle de processos, construídos por um limite máximo


e mínimo, que permitiam variações comuns (dentro dos limites) das especiais (extrapolam
limites), que demandam mais atenção p elo comportamento anormal. Seu diferencial era que
tal gráfico se encontrava no chão de fábrica, com fácil entendimento. Ele desenvolveu o PDCA e
o controle estatístico CEP.

O conceito de trilogia da qualidade, desenvolvido por Juran, baseia-se em planejamento


(objetivo e plano de ações), controle (evita que os resultados se desviem) e melhoria
(aperfeiçoamento do desempenho). Pela interpretação da lei de Pareto, Juran concebe o
diagrama homônimo que facilita a visualização dos maiores problemas e perdas de recursos. O
diagrama de causa-efeito, uma das sete ferra mentas formuladas por Ishikawa, identifica as
causas de um problema e as organiza num diagrama. Assim ficava mais fácil visualizar a
hierarquia dos problemas para alcanças soluções.

Melhoria contínua

Define-se como uma forma sistemática das organizações resolverem os problemas partindo do
pressuposto da mutabilidade cíclica dos fatores. Melhorando o processo, a melhoria da
qualidade é natural, segundo o modelo de Shiba, Grahan e Walden. Outra ferramenta de
melhoria contínua é a seis sigma, que surgiu na década de 80 com preocupação de usar
ferramentas estatísticas seguindo o seguinte ciclo: DMAIC (Definir, medir, analisar, melhorar e
controlar – tradução literal).

Gestão da Qualidade

Juran

O Juran Management System (JMS), traduzido para o português “Sistema de Gestão Juran”,
desenvolvido no Japão, na fábrica da Toyota, foi o primeiro a utilizar a estratégia empresarial ao
controle da qualidade.

Segundo sua teoria, a alta qualidade gera elevados custos, porém implica em ausência de falhas,
ou defeitos, e por consequência, menor custo. Dizia que, um dos principais problemas da
qualidade nas empresas era a resistência a mudanças e acreditava que o fator humano é
essencial. Assim, em seu sistema, estimulava o treinamento constante dos gestores nas
empresas.
Outro método bastante utilizado e criado por Juran foi o “Método de Análise e Solução de
Problemas” (MASP). Esse método é formado por 8 etapas estruturadas e objetiva adquirir a
melhoria de um determinado bem ou serviço, a partir do apontamento e correção dos erros,
que por esse processo poderão ser corrigidos com maior eficácia.

Juran considera primordial a atenção ao consumidor e o envolvimento de todas as pessoas da


empresa no processo de produção. Torna o consumidor elemento central da empresa. Valoriza
o reconhecimento e o estímulo do profissional, e reconhece a premiação e a promoção como
fatores de valorização do trabalho.

Deming

A partir do “sistema de conhecimento profundo” criado por Deming, busca-se ter uma visão da
empresa de “fora para dentro”. A ideia é que qualquer aspecto, tanto negativo quanto positivo,
pode ser aprimorado e melhorado. Nesse sistema, busca-se criar um mapa onde se entenda
toda a organização das empresas e onde cada indivíduo está inserido nela. Utiliza diversas
variações das teorias estatísticas e psicológicas para que os gestores possam aprimorar seu
trabalho e aumentar a produtividade de seus funcionários, a partir de técnicas de estímulo e
motivação. Utiliza os 14 pontos para a gerência na indústria, escrito em sua obra “Out of the
Crisis”, com tradução para o português “Fora da crise” ou “Saindo da crise”.

Armand Feigenbaum

Qualidade é a correção dos problemas e de suas causas ao longo de toda a série de fatores
relacionados com marketing, projetos, engenharia, produção e manutenção, que exercem
influência sobre a satisfação do usuário.

Sistemas de Qualidades

Com o decorrer do tempo surgiram alguns conceitos definidos, como o TQC (Total Quality
Control), que influenciou as normas da ISO (International Organization Standardization). A
indústria asiática, então, adotou uma postura de preocupação com o objetivo de diminuir o de
sperdício e com isso dominou o mercado, o que levou os Estados Unidos à criação da ISO 9000
e 9001.

"A engenharia de qualidade é um método que objetiva garantir que as características de um


produto estejam em um nível requerido" (Montgomery, 1996).