Você está na página 1de 7

Biologia

01 04
a) Impedindo a síntese de peptideoglicanos, as a) É correto afirmar que existe outra verminose
cefalosporinas afetam a parede celular das onde as larvas podem penetrar pela pele,
bactérias. Não há risco da cefalosporina como é o caso da ancilostomose ou amarelão,
apresentar o mesmo mecanismo de ação causada pela penetração de larvas de
contra uma célula humana, porque os Ancylostoma duodenale ou Necator
peptideoglicanos são polissacarídeos americanus, vermes nematelmintos, ao andar
presentes apenas na parede celular de descalço em solos contaminados.
procariotos e humanos possuem célula animal,
isto é, sem parede celular. b) O ciclo de vida do Ascaris lumbricoides
compreende um único hospedeiro, o ser
b) A resistência pode ser adquirida via: humano, e não há hospedeiros intermediários.
transformação, conjugação, transdução e
mutação. 05
Por exemplo, na conjugação, segmentos de
DNA, que podem conter o gene da β- a) A tirinha se aproxima mais de uma
lactamase, passam de uma bactéria doadora interpretação lamarckista do processo
para uma receptora através de tubos proteicos evolutivo, pois considera que a modificação no
chamados pili. indivíduo foi induzida pelo seu comportamento,
e que essa modificação será transmitida aos
02 descendentes (lei da transmissão dos
caracteres adquiridos).
a) A célula 4 se encontra na fase de anáfase da
mitose, caracterizada pela divisão dos b) Teoria Sintética da Evolução ou
centrômeros e separação das cromátides Neodarwinismo.
irmãs para polos opostos da célula devido ao
encurtamento das fibras do fuso. A célula 5 se
encontra na fase de telófase da mitose,
caracterizada pela desespiralização dos
cromossomos, reconstrução da membrana
nuclear e nucléolo e, principalmente pela
citocinese centrífuga, onde vesículas do
complexo de golgi dão origem ao fragmoplasto
que se forma do centro em direção a periferia
da célula.

b) A célula que se aproximaria da célula 4 é um


espermatócito II que estaria em anáfase II da
meiose.

03
a) O Mandacaru pertence ao grupo das
Angiospermas. O termo “Fulora” na primeira
estrofe evidencia esse fato, pois se refere a
floração do Mandacaru. Flores e frutos são
dois órgãos exclusivos desse grupo vegetal.

b) A caatinga é o bioma predominante no sertão


nordestino. Algumas características de plantas
desse ambiente (xeromórficas) são as folhas
caducas, raízes profundas, folhas pequenas ou
modificadas em espinhos e presença de
parênquima aquífero. Por exemplo, folhas
reduzidas reduzem a superfície foliar exposta a
radiação solar e diminuem a perda de água,
importante para sobrevivência em clima
semiárido.

1
Química

06 07
a) Equação química da decomposição térmica do a) O betacaroteno é uma molécula com caráter
carbonato de cálcio: apolar acentuado. Portanto, quanto mais
apolar for o caráter do solvente, mais indicado

CaCO3(s)   CaO(s) + CO2(g) ele será dentre os citados, o com caráter mais
apolar será o hexano.
b) A partir da tabela fornecida nota-se que o
sulfato de cálcio é termicamente estável a b) A molécula de betacaroteno não apresenta
o
1000 C e, portanto, não sofre decomposição. isomeria óptica, pois não possui nenhum
Entretanto, o carbonato de cálcio é carbono com quatro ligantes diferentes
termicamente instável e, portanto, sofre (carbono quiral). Entretanto, nota-se que o
decomposição, produzindo óxido de cálcio e pigmento apresenta isomeria geométrica.
gás carbônico, conforme a seguinte equação
química:


CaCO3(s)   CaO(s) + CO2(g)

Cálculo da massa, em gramas, do gás


carbônico liberado na reação:

mCO2 = (15,0 – 11,7)g = 3,3 g

Assim, tem-se:

1 mol CO2 ------------------- 44g CO2

x ------------------------------ 3,3g CO2

x = 0,075 mol de CO2

Logo, a partir da estequiometria da reação


tem-se:

1 mol CaCO3 ------------------ 1 mol CO2

y -------------------------------- 0,075 mol CO2

y = 0,075 mol de CaCO3

Assim,
1 mol CaCO3 ------------------- 100g CaCO3

0,075 mol CaCO3 -------------- w

w = 7,5g de CaCO3

Portanto, a porcentagem de carbonato de


cálcio na amostra é:

mCCO3 7,5 g
%CaCO3 =  100%   100% = 50%
mtotal 15 g

Então, a porcentagem de sulfato de cálcio na


amostra é de 50%.

4
Química

08 09
a) As funções orgânicas fenol, álcool e amina a) As equações químicas são:
estão presentes na molécula de epinefrina,
conforme ilustrado abaixo. C(S) + O2(g)  CO2(g) fH = -394 kJmol
0 -1

1 0 -1
H2(g) + O2(g)  H2O() fH = -286 kJmol
2
1 0
2C(S) + O2(g) + 3H2(g)  C2H6O(g) fH =
2
-1
-235 kJmol

b) Combustão do etanol:

C2H6O(g) + 3O2(g)  2CO2(g) + 3H2O()


b) Para calcular a proporção mássica, basta
calcular a razão da massa entre o elemento combH = ?
0

contido na molécula pelo total, transformando


para porcentagem: Utilizando a Lei de Hess, tem-se:

mcarbono 1
%C= . 100% C2H6O(g)  2C(s) +
0
O2(g) + 3H2(g) fH =
mepinefrina 2
-1
+235 kJmol
0 -1
A fórmula molecular da epinefrina é C9H13NO3 2C(S) + 2O2(g)  2CO2(g) fH = -788 kJmol
-1
e sua massa molar corresponde a 183 g.mol . 3 0 -1
3H2(g) + O2(g)  3H2O() fH = -858 kJmol
Cálculo da porcentagem de C: 2
0
9C 108 C2H6O(g) + 3O2(g)  2CO2(g) + 3H2O() combH =
%C=   100% = 59% -1411 kJmol
-1
C9H13NO3 183

Cálculo da porcentagem de H: 10
13 H 13
%H=   100% = 7,1%
C9H13NO3 183 a) A equação que descreve a emissão é:

Cálculo da porcentagem de N: 137


Cs  01  137
Ba
55 56
N 14
%N=   100% = 7,7%
C9H13NO3 183 b) A partir das informações dadas, tem-se:
Cálculo da porcentagem de O: t t t
1 1 1
3O 48 100%  50%  25% 
2 2
12,5% 2
%O=   100% = 26,2%
C9H13NO3 183 t
1

2
6,25%

Q0 -0,046t
= Q0 . e
16

1 -0,046t -4 -0,046t -4
=e 2 =e  In2 = -0,046t
16

- 4In2 = - 0,046t  4In2 = 0,046t  2,76 =


0,046t  t = 60 dias

5
11 13
a) Desenho a) Com a chave aberta, a corrente no circuito é
zero, logo a tensão no capacitor será igual a
b) Considerando que as forças na horizontal e na força eletromotriz da fonte ε2.
vertical se anulam, temos:
𝑁 =𝑁 𝑈 = 3𝑉
𝑄 = 𝐶. 𝑈 → 𝑄 = 10.3
𝐹 +𝐹 =𝑃 𝑄 = 30 𝜇𝐶
𝜇 . 𝑁 + 𝜇 . 𝑁 = 𝑚. 𝑔
1,2. 𝑁 + 0,8𝑁 = 80.10 b) Se a chave S for ligada, ε2 atuará como gerador
2𝑁 = 800 e ε1 atuará como receptor. Calculando a
𝑁 = 400 𝑁 corrente no circuito, temos:
O montanhista deve empurrar a parede com
𝜀−𝜀 3−1
uma força mínima de 400 N 𝑖= →𝑖=
𝑅 0,2 + 0,4
12 𝑖=
2
=
10
𝐴
0,6 3
a) Considere para os pontos A e C Calculando a d.d.p. no capacitor:

𝑃 𝑉 = 𝑛𝑅𝑇 ; 𝑃 𝑉 = 𝑛𝑅𝑇 𝑈 = 𝜀 − 𝑅 .𝑖
Subtraindo as equações, temos: 0,4.10
𝑈 =3−
𝑃 𝑉 − 𝑃 𝑉 = 𝑛𝑅(𝑇 − 𝑇 ) 3
9−4 5
Multiplicando os dois lados da equação por 𝑈= = 𝑉
3/2: 3 3
Calculando a carga no capacitor, temos:
3 3
(𝑃 𝑉 − 𝑃 𝑉 ) = 𝑛𝑅∆𝑇
2 2 10.5
3 𝑄 = 𝐶. 𝑈 → 𝑄 =
∆𝑈 = (𝑃 𝑉 −𝑃 𝑉 ) 3
2 50
3 𝑄 = 𝜇𝐶
∆𝑈 = (2.10 . 4 − 5.10 . 2) 3
2 Calculando a variação da carga:
∆𝑈 = −3000 𝐽
b) O trabalho é igual a área embaixo do gráfico ∆𝑄 = 𝑄 − 𝑄
AC 50
∆𝑄 = − 30
3
𝜏 = Á𝑟𝑒𝑎 40
𝐵+𝑏 5.10 + 2.10 ∆𝑄 = − 𝜇𝐶
𝜏= .ℎ → 𝜏 = 2 3
2 2
𝜏 = 7000 𝐽
Aplicando a 1ª Lei de Termodinâmica:
𝑄 = ∆𝑈 + 𝜏
𝑄 = −3000 + 7000
𝑄 = 4000 𝐽

c) A variação da energia interna não depende do


caminho das transformações, ou seja:

∆𝑈 = ∆𝑈
∆𝑈 = −30000 𝐽

Calculando o trabalho de ABC, temos:

𝜏 = Á𝑟𝑒𝑎
𝜏 = 5.10 . 2
𝜏 = 10000 𝐽

Aplicando a 1ª Lei da Termodinâmica:


𝑄 = ∆𝑈 + 𝜏
𝑄 = −3000 + 10000
𝑄 = 7000 𝐽

4
14 15
a) Considerando que o carro deve parar antes de De acordo com a figura, temos:
bater no muro: A = 90º, i’ = 90º

𝑘𝑚 𝑚 a) Para um prisma:
𝑣 = 126 = 35
ℎ 𝑠
r = ângulo refração na primeira face
𝑣 = 𝑣 + 2𝑎∆𝑆 r’ = ângulo de incidência na segunda face
0 = 35 + 2. 𝑎. 105
35.35 𝑟 + 𝑟 = 90° → 𝑟 = 90 − 𝑟
𝑎=− = 𝑠𝑒𝑛𝑟 = 𝑠𝑒𝑛(90° − 𝑟) → 𝑠𝑒𝑛𝑟
2.105
35 = 𝑐𝑜𝑠𝑟 (𝑒𝑞𝑢𝑎çã𝑜 1)
|𝑎| = 𝑚/𝑠
6
Para a segunda refração, temos:
A força de atrito atua como resultante, logo:
𝑠𝑒𝑛𝑖 𝑠𝑒𝑛(90°)
𝐹 = 𝐹 → 𝜇. 𝑁 = 𝑚. 𝑎 𝑛 = =
𝑠𝑒𝑛𝑟 𝑠𝑒𝑛𝑟
𝜇. 𝑚. 𝑔 = 𝑚. 𝑎 1 1
𝑎 35 𝑛 = → 𝑐𝑜𝑠𝑟 = (𝑒𝑞𝑢𝑎çã𝑜 2)
𝑐𝑜𝑠𝑟 𝑛
𝜇= →𝜇=
𝑔 6.10
35 Para a primeira refração:
𝜇=
60
𝑠𝑒𝑛𝑖 𝑠𝑒𝑛𝜃
𝑛 = =
b) Para que o carro consiga fazer a curva, a força 𝑠𝑒𝑛𝑟 𝑠𝑒𝑛𝑟
de atrito deve atuar como força centrípeta, logo: 𝑠𝑒𝑛𝜃
𝑠𝑒𝑛𝑟 =
𝑛

𝑚𝑣 Elevando a equação ao quadrado temos:


𝑅 =𝐹 → = 𝜇. 𝑁
𝑅
𝑚𝑣 𝑣 𝑠𝑒𝑛 𝜃
= 𝜇. 𝑚. 𝑔 → 𝜇 = 𝑠𝑒𝑛 𝑟 =
𝑅 𝑅𝑔 𝑛
𝑠𝑒𝑛 𝜃
O raio deve ter ser no máximo igual à distância 1 − (𝑐𝑜𝑠𝑟) =
𝑛
entre o carro e o muro no início da curva, logo:
35 Substituindo com a equação 2
𝜇=
105.10
35 1
𝜇= 𝑛 −𝑛 . = 𝑠𝑒𝑛 𝜃
30 𝑛
𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 𝜃 + 1
𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 𝜃 + 1

b) Considerando que 0 ≤ 𝜃 ≤ 90°, temos que o


maior valor para senθ é igual a 1, logo:

𝑛 = √1 + 1
𝑛 = √2

5
16 18
a) A lei da função c é dada por a)

20, se 0  x  10
c(x)  
(x  10)  4  20, se x  10
20, se 0  x  10
 .
 4x  20, se x  10

Logo, o gráfico de c, para 0  x  30, é

Por construção, temos que


ˆ  360  (2  90  60)  120 e
ERD
RE  RD  a.

Aplicando a Lei dos Cossenos no triângulo


ERD, obtemos
b) Para um consumo mensal de 4 metros cúbicos ˆ 
ED2  RE2  RD2  2  RE  RD  cosERD
de gás encanado, o preço efetivamente pago
por metro cúbico é dado por  1
 ED2  a2  a2  2a2    
 2
c(4) 20  ED  a 3.
  R$ 5,00.
4 4
Portanto, como os triângulos ERD, CQB e
Para um consumo mensal de 25 metros APF são congruentes, bem como os
cúbicos de gás encanado, o preço
quadrados ABQP, CDRQ e EFPR, segue que
efetivamente pago por metro cúbico é dado por
o perímetro do hexágono ABCDEF é dado por
c(25) 4  25  20
  R$ 3,20.
25 25 3  (ED  RQ)  3  (a 3  a)  3a( 3  1).

17 b) A área do hexágono ABCDEF é dada por

(PQR)  3  [(RQCD)  (ERD)]


3  k  a1(I)
 3 a2  3  1 
a) 9 dividindo (II) por (I) temos: a    3   a2   a  a  sen120 
2 2
  k  a (II) 4  2 
2
a2 3  a2 3 
3   3   a2  
e 3 k k  2 4  4 
2
x  a2 3  3a2
3
b) f(x)  2     a2 ( 3  3).
2

0
3
f(0)  2     2
2
3
3 27
f(3)  2    
2 4

4
19
a) Se os preços de custo são iguais, então
podemos fazer PC A  PCB  PC. Além disso,
como L A  0,6  PVA e L A  PVA  PC, vem

L A  PVA  PC  0,6  PVA  PVA  PC


 PVA  2,5  PC.

Por outro lado, como PVB  1,6  PC e


PVA  PVB  450, obtemos

2,5  PC  1,6  PC  450  PC  R$ 500,00.

Então, PVA  2,5  500  R$ 1.250 e


PVB  1,6  500  R$ 800,00.

b) Fixando PVB , a taxa percentual de desconto


que será aplicada sobre PVA , para que se
torne igual a PVB , é dada por

800  1250
 100%  36%.
1250

Fixando PVA , a taxa percentual de aumento que


será aplicada sobre PVB , para que se torne igual a
1250  800
PVA , é obtida de  100%  56,25%.
800

20
a) Da relação entre os senos dos ângulos agudos
do triângulo, obtemos

ˆ  x  2  y  x  2y.
senBˆ  2 senC
5 5

Portanto, aplicando o Teorema de Pitágoras,


vem

x2  y 2  52  (2y)2  y 2  25
 5y 2  25
 y  5 m.

b) De (a), obtemos x  2 5 m. Por conseguinte, a


medida pedida é dada por

h  6  x  6  2 5  2  (3  5) m.