Você está na página 1de 4

TERÇO

Ó Virgem, Mãe de Deus, Senhora minha Mãe,


Hoje venho a teus pés, tudo te dou.
R: Recebe, Mãe querida, meus sonhos, minhas preces.
É tudo para ti, ó Mãe.
Ó Virgem, Mãe de Deus, não sei viver sem ti.
Entrego-te os meus que trago em mim.
COMUNHÃO
R: Tomo este pão e este vinho,
em memória do meu Salvador.
Tomo este pão e este vinho:
são o Corpo e Sangue do Senhor.
1. Dentro do caminho do Teu Reino,
é o Pão que me torna capaz
De fazer da minha juventude,
liberdade, amor, justiça e paz.
2. Bebendo o Teu Sangue deste Cálice,
bebo o Sangue da Nova Aliança.
Tu que o derramaste pelos homens
para remissão e esperança.
3. Tomando o Pão que é o Teu Corpo,
comungo a Igreja Transcendente
Dás Teu corpo eterno à minha alma
pela fé me salva para sempre.

(CONTINUA)
4. Comendo Teu Corpo que foi trigo
suado nas mãos do lavrador
Levo Tua força que limenta
p’ra mudar o mundo com amor.
5. Eu venho faminto a esta mesa
onde Tu estás em plenitude
Venho comungar a Esperança
a vida da minha juventude.
6. Comungar Teu Corpo que é amor
e fazer de Ti um compromisso
De gastar a vida pelos outros
assumir no reino o meu serviço.
FINAL
R: Tu és o sol num novo amanhecer
Tu és farol a vida a renascer.
Maria, Maria, és poema de amor.
És minha mãe e mãe do meu Senhor.
Teu carinho e ternura / Abraçam todo o mundo.
Teu sorriso de candura / Certeza de amor profundo.
TERÇO
Ó Virgem, Mãe de Deus, Senhora minha Mãe,
Hoje venho a teus pés, tudo te dou.
R: Recebe, Mãe querida, meus sonhos, minhas preces.
É tudo para ti, ó Mãe.
Ó Virgem, Mãe de Deus, não sei viver sem ti.
Entrego-te os meus que trago em mim.
COMUNHÃO
R: Tomo este pão e este vinho,
em memória do meu Salvador.
Tomo este pão e este vinho:
são o Corpo e Sangue do Senhor.
1. Dentro do caminho do Teu Reino,
é o Pão que me torna capaz
De fazer da minha juventude,
liberdade, amor, justiça e paz.
2. Bebendo o Teu Sangue deste Cálice,
bebo o Sangue da Nova Aliança.
Tu que o derramaste pelos homens
para remissão e esperança.
3. Tomando o Pão que é o Teu Corpo,
comungo a Igreja Transcendente
Dás Teu corpo eterno à minha alma
pela fé me salva para sempre.

(CONTINUA)
4. Comendo Teu Corpo que foi trigo
suado nas mãos do lavrador
Levo Tua força que limenta
p’ra mudar o mundo com amor.
5. Eu venho faminto a esta mesa
onde Tu estás em plenitude
Venho comungar a Esperança
a vida da minha juventude.
6. Comungar Teu Corpo que é amor
e fazer de Ti um compromisso
De gastar a vida pelos outros
assumir no reino o meu serviço.
FINAL
R: Tu és o sol num novo amanhecer
Tu és farol a vida a renascer.
Maria, Maria, és poema de amor.
És minha mãe e mãe do meu Senhor.
Teu carinho e ternura / Abraçam todo o mundo.
Teu sorriso de candura / Certeza de amor profundo.