Você está na página 1de 30

CURSO de

PSICANÁLISE PARAPSICOLÓGICA
MÓDULO 06
MÓDULO 06: TÉCNICA 05: SONHOTERAPIA – TEORIA e Tipos – Métodos
SONHOTERAPIA

PARTE I
I - Os Principais Métodos de Sonhoterapia

Estes métodos são úteis para realizar sonhos, não para interpretá-los. Se você tem uma metodologia,
não precisa de uma crença. Porque com um método você cria e põe a experiência em foco. Você vive
no mundo real da ação e do ser, e não no mundo ideal, do intelecto e da fantasia. Usamos nosso
intelecto e imaginação ao experimentar a luz e a escuridão, mas trazemos esta energia para o plano
da realidade concreta, onde encontramos nossa ligação à terra. Os métodos são de uso prático e
evocam a fonte da qual os sonhos parecem vir. Não podemos aprender com a experiência, a menos
que estejamos comprometidos com a realização do trabalho.

1. Sonhoterapia Individual

A sonhoterapia individual pode ser feita eficientemente por sua própria conta, sem depender de
ninguém, pelo estudo desta abordagem e uso dos métodos em seus sonhos. O essencial é manter um
diário de sonhos e comprometer-se a registrá-los e trabalhar com eles ao menos uma vez por semana.
No espaço de tempo de um ano você terá a fartura de mais de cinqüenta projetos de sonhoterapia
concluídos. Para ajudar a apoiar o processo, você poderia pedir a um amigo que sem encontrassem
regularmente, mesmo que fosse durante o almoço, para partilhar a sonhoterapia que cada um de você
fez. É melhor partilhar a sonhoterapia do que apenas sonhos, porque neste caso você mesmo faz o
trabalho de preparação para o encontro. Torne isto uma atividade regular e você progredirá no
processo. Depois que tiver alguma experiência, leia o livro novamente, tomando notas quando se
sentir inspirado por algum ponto. Desta vez, a leitura será diferente. Boa sorte! Em seguida, você
poderá desejar percorrer o trajeto de uma sonhoterapia intensiva, em algum momento de sua vida.

2. Sonhoterapia de Grupo do Sonho

A experiência de grupo de sonho é a de um grupo de pessoas que se reúne semanal ou


quinzenalmente, com ou sem um orientador experiente, por cerca de duas horas. Se todos os
membros do grupo concordarem em trabalhar com este livro, eles estarão preparados para fazer o
trabalho básico com seus sonhos. Cada membro do grupo, composto de três a oito pessoas, é
estimulado a partilhar um sonho, com tempo suficiente para trabalhar alguns sonhos. Outros formatos
para o trabalho com o grupo de sonho são: encontrar-se para passar o final de semana na casa de um
dos membros do grupo uma vez por mês ou mês sim, mês não. Esta forma de treinamento em
sonhoterapia, planejada pelo autor deste livro, exige o compromisso de um ano, com treinamento
intensivo envolvendo treinamentos de quatro a cinco dias na casa de uma das pessoas do grupo, a
ser feito a cada dois meses, mais uma sonhoterapia intensiva de verão de dez dias.

O método passo a passo

1. O grupo deve organizar a sonhoterapia e tentar conseguir, ao menos, o compromisso


de três meses com o trabalho. Períodos regulares devem ser estabelecidos. Cada membro do grupo
deve começar ou continuar um diário de sonho e registrar tantos sonhos quanto for possível. Trazer o
diário a cada sessão.

1
2. O trabalho deve começar de forma meditativa, com todos sentados num círculo formado
por cadeiras ou em almofadas, num lugar onde não sejam interrompidos. Alguns grupos acendem a
vela onírica no centro. Não se deve comer nem beber durante a sessão do grupo de sonho.
Conversem ou divirtam-se antes ou depois da sessão, de forma que durante seu funcionamento o foco
permaneça sobre o trabalho sério.
3. Ao partilhar um sonho, o grupo deve fazer revezamento e comentários. Em seguida,
outros membros do grupo podem fazer perguntas ao sonhador, para objetivar o sonho e deixar claro
como o ego onírico está agindo. O grupo não deve se concentrar, essencialmente, na vida externa das
pessoas. Fiquem com o sonho e com o que nele está acontecendo. É preciso que o grupo ajude a
desenvolver uma perspectiva e trabalhe de forma concentrada, para que haja tempo para sentir. Não
interpretem o sonho do outro. Isto não deve ser feito nem pelo orientador do grupo ou por outro
participante porque projeta problemas no sonho de outra pessoa. Transformem o “insight” numa
possibilidade, ao fazerem uma pergunta. O grupo deve também sugerir tarefas de sonho que podem
ser feitas no momento ou mais tarde. O sonho deve ser relacionado ao trabalho anterior, e o sonhador
também poderá partilhar a forma como ele trabalhou com seu sonho. Um dos membros do grupo pode
se apresentar como voluntário para marcar o tempo e avisar à pessoa quando for gora de terminar.
4. A sonhoterapia pode ser feita com alguns dos sonhos partilhados, o que leva mais
tempo, Usando este método, o sonhoterapeuta terá uma experiência fundamentada. O grupo inteiro
pode também passar a primeira parte da sonhoterapia, que demora ao menos algumas sessões,
trabalhando numa técnica para a semana. Escolham o método e façam logo uso dele; em seguida,
partilhem os resultados. Isto reinará os membros do grupo de forma que, se eles escolherem continuar
se encontrando, estarão mais habilitados no uso das técnicas.
5. Se você se tornar o orientador de um grupo, siga o mesmo procedimento, mas seja o
primeiro a fazer perguntas ao sonhador, para ajudar a trazer à tona questões-chave. Em seguida, peça
a resposta aos outros. Faça a sonhoterapia em vez de interpretação. Deixe que a sabedoria venha
através do trabalho e não de você, que é o orientador. Acompanhe o curso do tempo e do sonho.
Anote a experiência posteriormente. À esquerda você, como orientador, deve colocar o que lhe foi
evocado pessoalmente pelo processo. À direita, inclua a experiência das outras pessoas e de seus
sonhos. Este é um bom procedimento e também outra forma de aprender sonhoterapia. Cobre por seu
trabalho. Isto faz com que seu valor e o da sonhoterapia sejam reconhecidos pelo grupo. O que você
cobra é, em parte, uma média de sua auto-estima e o quanto você valoriza a sonhoterapia.

Resultados

 A experiência de grupo de sonho proporciona uma aceitação dos sonhos e apoio para
passar pelo processo de sonhoterapia. Através do relacionamento com os sonhos uns dos outros, os
membros do grupo de sonhoterapia vivenciam a riqueza do inconsciente, a jornada espiritual e a
coragem e emoção no trabalho, em conjunto ou separadamente.
 Cada sonho partilhado e elaborado se torna, em parte, o sonho de todos. Cada um de
nós ganha algo importante que vem do sonho de outra pessoa, e, conseqüentemente, nos tornamos
mais completos.
 Formamos uma ligação com os outros que é verdadeira e que tem uma base espiritual,
que é o trabalho com energias da fonte que não se originam do ego. Há muitos modos de se
relacionar na vida. Nós no tornamos aquilo que escolhemos.
 Recebemos apoio total ao fazer sonhoterapia em grupo ou de forma independente. Ter
para onde ir fortalece o compromisso. A estrutura nos habilita. Mesmo que resistamos a continuar,
numa noite em particular, ao chegar lá ganharemos alguma coisa significativa.

2
3. Manter Um Diário de Sonho

Meu Diário de
Sonhoterapia

(Peça às pessoas que não mexam em


seu diário e respeitem sua
privacidade. Se tentarem mexer nele,
diga-lhes que façam seu próprio
diário).

Data de Início e Término:

Você também poderá narrar experiências que tenham muita energia, em seu diário de sonho, e
trabalhá-las como faria com um sonho ou no lugar de um sonho.

(dê título a seu sonho e coloque a data em que (Neste canto, temas-chave para referência.)
ocorreu.)
Confidencial – não abra, por favor

Título do Sonho Data


Observações (ou comentários)

Relato do Sonho

(registre o que conseguir se lembrar de seu sonho


aqui, mesmo se for apenas um fragmento. Tome (mais sentimentos, reações, problemas,
nota de alguma coisa ou registre no papel e perguntas, “insights” e arquétipo dominante
reescreva-a aqui concisamente.) aqui).

Observações (ou comentários)


Dados da Sonhoterapia
4. Relembrando Sonhos

Relembramos nossos sonhos realizando-os. Seu compromisso básico é tornar concreto, de alguma
forma, o material que
(Anotevem
aquiàsentimentos,
tona a partir do sonho.
reações, Se você
problemas, achaaqui
(Anote quesentimentos,
não se lembra
reações,deproblemas,
nada, então
registre qualquer perguntas,
coisa em seu diário de sonhos quandoperguntas,
“insights”.) acorda,“insights”.)
enquanto ainda está na cama.
Certifique-se de que você terá tempo para fazer isto antes de dar início às suas tarefas diárias.

3
Entre os melhores métodos para relembrar sonhos está o de fazer a preparação para a Incubação do
Sonho na noite anterior. Se você quer sonhar com um assunto, pouco antes de ir para a cama escreva
o que pensa sobre aquele tema e termine com uma solicitação escrita, seja em seu diário ou num
pedaço de papel que você deverá colocar sob seu travesseiro. Inclua também, no que você escrever,
o que você gostaria de lembrar do sonho quando acordar pela manhã e também que se comprometerá
a anotar qualquer coisa – sonho ou não – que estiver em sua consciência assim que despertar.
Saiba que muitas pessoas têm posicionamentos diversos acerca de relembrar e anotar sonhos. Não
se trata de colégio, e anotá-los não é dever de casam, que precisa ser bem-feito. Escreva apenas o
que surgir e faça o trabalho que puder. A obrigação é com o possível, não com o impossível.
Relembrar coisas importantes tem muito a ver com a consciência. Observe sua motivação negativa.
Você se lembra das coisas que tem que fazer porque está ansioso em relação a elas? Relembrar
sonhos é algo que precisa ter origem numa motivação positiva. Você que saber o que sonhou à noite
porque seus sonhos são importantes e cheios de mensagens vindas de alguma parte profunda de sua
mente. Além disto, alguns sonhos são engraçados, excitantes, amedrontadores, misteriosos. Por que
não desejaríamos nos lembrar de uma parte nossa tão criativa?
Se você está bloqueando a lembrança de seus sonhos, você pode estar resistindo, temerosos de que
coisas que parecem sombrias e opressoras venham à tona. Sim o lado sombrio vem á tona nos
sonhos porque os sonhos são mais completos e mais honestos do que nós. Comprometer-se a
lembrar e anotar seus sonhos é um engajamento inicial para vivenciar e trabalhar com qualquer coisa
que a Fonte do Sonho escolha lhe revelar. Sim, seu compromisso também precisará estar voltado
para a remoção e transformação dos seus bloqueios que lhe impedem a plenitude de vida e destino.
Tente acordar todas as manhãs sem usar despertador. Assim você estará fazendo um treinamento
para acordar de forma consciente, lembrando-se que deve acordar e relembrando um sonho. Os
sonhos acontecem, geralmente, a cada hora e meia de sono, por isto acorde depois de dormir seis ou
sete horas e meia, e não as tradicionais oito horas de sono!
Coloque livros e coisas interessantes sob o travesseiro, para sonhar com eles. Funciona!
Se tudo isso falhar, acorde a cada hora e meia, com o despertador, anote qualquer coisa e beba um
copo de água. Tenha sempre um jarro de água e quatro copos à mão. Não pergunte por que, apenas
faça e veja o que acontece.
Só precisamos nos lembrar daquilo que temos tendência a esquecer. O resto é simplesmente uma
recordação natural.

5. Objetivação dos Sonhos

A Objetivação dos Sonhos Vê o sonho no sonho, relatado como uma coisa natural em si mesma, a ser
pesquisada como se fosse um poema, peça ou objeto de arte. A maioria das abordagens e pessoas
não se demora muito com o sonho. Ou elas pulam fora do sonho para a vida ou impõem algum
sistema de símbolo sobre ele, numa tentativa de controlar a experiência onírica. Em vez de fazer isto,
nós ficamos com o sonho, o observamos atentamente, vemos quais são suas estruturas internas, o
que o ego onírico está ou não fazendo, quais são seus símbolos e comportamentos principais e como
se relacionam ou não uns com os outros no sonho. Usamos a Lei da Semelhança e Contraste para
ajudar a reconhecer estas estruturas. Nós não interpretamos tomando por base referências externas
como a mitologia, vidas passadas, dicionários de sonho, opiniões, o que aconteceu no dia anterior e o
que está acontecendo neste momento. Uma vez que o sonho já é cheio de imagens e ação, em
ligação incomum, é fácil fazer projeções sobre ele ou tentar controlá-lo com afirmações racionais,
transformando o símbolo em conceito. Usamos a objetivação todas as vezes em que trabalhamos em
profundidade com um sonho. À medida que você ganhar prática, o processo andará muito mais rápido.
A objetivação também é ótima quando aplicada às situações de vida.

O método passo a passo

1. Use a Lei da Semelhança e Contraste. Faça uma relação de todas as coisas que são
semelhantes no sonho. Em seguida, relacione todos os contrastes que podem aparecer. Você não
está tentando explicar por que o sonho aconteceu deste jeito, apenas observando como é o sonho
verdadeiro.

4
2. Agora, faça uma lista das relações que existem entre símbolos, entre símbolos e
comportamentos, entre o ego onírico e os símbolos e comportamento no sonho. Um desempenho no
sonho é também um símbolo, da mesma forma que uma imagem. Um é estático, um está em
movimento, um é ser, um é fazer, um é potencial, um é ação.

3. Relacione o que o ego onírico está fazendo no sonho. Quão fortes são seus
relacionamentos com outros aspectos do sonho e qual é a natureza dos relacionamentos?

4. Descreva o progresso do princípio ao fim. Há uma montagem da cena, um


desenvolvimento da ação, uma constelação de problemas, uma crise ou ponto de bloqueio em
potencial em torno de uma tensão entre opostos e, finalmente, uma solução ou necessidade de
solução? Faça uma relação de cada um destes tópicos.

5. Finalmente, faça um relatório resumido das coisas principais que você descobriu.

6. A Objetivação dos Sonhos prepara o cenário para um trabalho posterior. Você pode
fazer Perguntas-Chave, relacionando todas as perguntas e problemas que quiser. O Diálogo com
Figuras do Sonho poderia vir do reconhecimento do maior problema apresentado no sonho e da
escolha do que vem a ser símbolo principal com o qual dialogar. A Reentrada no Sonho e a
Submersão no Símbolo seriam baseados no conhecimento dos símbolos e questões-chave, e a
reentrada no sonho seria feita para ativá-las e lidar com elas mais adiante. Reescrever o Sonho
também faria isto.

7. Os resultados são, essencialmente, uma nova consciência de problemas e dinâmicas


oníricos e a remoção de projeções do sonho. Você está aprendendo, através da sonhoterapia, a ver
as coisas como elas realmente são, em vez de se projetar nelas ou resistir a elas através da negação.
Deste modo, você tem que observar cuidadosamente e estar no momento oportuno.

6. Perguntas-Chave

A técnica das Perguntas-Chave é de uso fácil para fazer vir à tona os problemas que existem num
sonho. Consiste, basicamente, em você continuar a relacionar perguntas sobre seu sonho até que elas
se esgotem. No próprio processo, você deixará que seu sonho o afete mais. Não pare de escrever
respostas a perguntas, a menos que a energia seja tão intensa que você tenha que parar. No final,
você poderá assinalar perguntas-chave na relação total e escrevê-las, seja por escrita direta e
espontânea, sem pensar, ou fazendo o diálogo com uma figura do sonho e pedindo àquele ser as
perguntas e respostas escritas que você ouve com seu ouvido interior. Use este método como
preparação para o Diálogo com Figuras do Sonho, depois da Objetivação dos Sonhos e como
preparação para a Reentrada no Sonho. O resultado principal deste método é produzir uma nova
consciência.

Perguntas-Chave sobre questões levantadas por seus sonhos:

 Quais são os temas principais deste sonho?


 Por que estou fazendo o que faço neste sonho?
 Com que eu mais preciso lidar neste sonho?
 Quais as semelhanças, quais os contrastes?
 O que, neste sonho, está relacionado a temas de outros sonhos que tive?
 O que, neste sonho, está relacionado ao que acontece comigo ou em minha vida, neste
momento?
 A que eu mais resisto neste sonho?
 O que mais me inspira?
 O que me está sendo pedido por este sonho?

5
 Para que estou precisando olhar e até fazer uma escolha, para que fosse necessário ter
este sonho?
 Como posso realizar este sonho de forma que ele se torne mais verdadeiro?

7. Seguir o Ego do Sonho

Seguir o Ego do Sonho é um método através do qual você se concentra diretamente sobre o que seu
ego onírico – sua imagem no sonho – está ou não fazendo. Através desta procura, você penetra mais
fundo em direção às emoções e posicionamentos subjacentes. O exercício regular desta técnica o
tornará capaz de seguir o progresso do comportamento do ego onírico e a mudança de
posicionamento através de uma sucessão de sonhos. Você ganhará feedback direto do progresso e
mudança em sua atividade no estado onírico e na vida exterior. Segui o Ego do Sonho também
prepara a base para fazer mudanças no comportamento do ego em estado de vigília e para que estas
mudanças sejam confirmadas em novo comportamento do ego em sonhos futuros. Ao usar o ego
onírico para refletir você mesmo, você está desenvolvendo sua consciência através de uma das
formas mais eficientes que existem.

Quando usar este método

 Use-o de quatro em quatro sonhos, para manter um controle constante sobre si mesmo
nos sonhos e na vida.
 Quando você se compromete com a tarefa de descobrir quem você é como pessoa
distinta, e não como membro de um grupo, de um relacionamento ou estilo de vida.
 Use para estabelecer a base para se tornar mais ativo em seus sonhos.
 Esta técnica, junto com a Objetivação dos Sonhos, cria a base para a sonhoterapia em
profundidade, viabilizando o Diálogo com Figuras do Sonho, a Reentrada no Sonho ou a Encenação
dos Sonhos.
 Quando você precisa fazer uma sonhoterapia rápida e completa. Se todo o resto de um
sonho não é nítido, você poderá receber realimentação imediata ao responder à pergunta: o que meu
ego onírico está ou não fazendo neste sonho, e por quê?

O método passo a passo

1. Torne o sonho objetivo, ao menos resumidamente, para chegar às estruturas e ações-


chave que o sonho parece personificar.
2. Faça uma relação das principais atividades do ego onírico no sonho, o que ele fez e o
que não fez.
3. Em seguida escolha um comportamento-chave e relacione qual o posicionamento que
poderia estar motivando este comportamento. Um posicionamento é um contexto inconsciente para
fazer escolhas. Você pode ter que trabalhar neste, porque parece ser uma tarefa quase impossível
para o ego lançar dúvidas sobre si mesmo. Apenas um cego pode guiar outro cego. Posicionamentos
são quase sempre estabelecidos como regras, deveres, coisas absolutas. Por trás de uma simples
ação do ego onírico pode haver três ou quatro posicionamentos diferentes ou meios de estabelecê-los.
Você não é obrigado a saber qual é o certo. Simplesmente relacione todas. Peça ajuda a alguém que
possa ser mais capaz de ver você com clareza.
4. Já que chegou o posicionamento de duas ou três ações-chave, continue para chegar ao
sentimento. O sentimento é uma reação de energia positiva ou negativa. Quando é positiva, nos
aproximamos. Quando negativa, nos afastamos. Freqüentemente, a ação e o símbolo onírico são
descritos no relato do sonho, mas não como o ego onírico se sentiu no momento em que a ação
estava ocorrendo. Relacione quais foram os sentimentos que o ego onírico manifestou, quais os
sentimentos que você achou que ele tinha mas não exprimiu e que sentimentos você atribuiria agora
ao ego onírico. Para cada ação há, sempre, um sentimento adequado. Sentir não é percepção, mas
reação, e o sentimento leva à ação.

6
5. A percepção leva ao silêncio e distanciamento na atuação do observador. Esta é uma
relação incompleta de sentimentos típicos: gostar, desgostar, medo, entusiasmo, frustração, caloroso,
frio, desesperador, tristeza, inseguro, momentaneamente irritado, amoroso, perdido, acolhido,
magoado, essencial, tímido, alegre, horrível, pavor espanto, movido pelo significado, entediado, vazio,
maravilhoso, aterrador, criativo, inspirado. Escolha alguns sentimentos desta relação e acrescente os
seus.
6. Relacione também as emoções que o ego onírico está manifestando, está tendo mas
não manifestando, ou que seria apropriado ter e expressar. Uma emoção não é geralmente, um
sentimento, já que sua intensidade e tom passam por cima do momento e de quaisquer outros
sentimento específicos que poderiam estar aí. Emoções são de longa duração. Emoção é sentimento
reprimido ou indiferenciado. Uma tarefa do trabalho com o sonho e ávida é conseguir que a emoção
seja liberada, de forma que a pessoa possa ter sentimentos. Algumas emoções são: raiva, amor, ódio,
alegria ou depressão inflacionárias, desânimo ou desespero que dura e persiste, queixas, criticismo,
ousadia e provocação, ansiedade, distanciamento, resistência, paranóia, mortífero, desgosto,
amargura. O sofrimento não é usado como sentimento ou emoção, mas como uma função que
expressão tanto o sentimento quanto a emoção. O ego onírico pode ou não estar expressando estas
emoções, de forma que é importante fazer, também, uma relação do que ele está ou não está
expressando.
7. Uma vez relacionados alguns dos sentimentos e emoções que foram ou não
manifestados pelo ego onírico, escolha um ou dois dos importantes e analise para ver se estes
estados de energia estão produzindo os posicionamentos que motivam as ações ou não ações, ou se
os posicionamentos estão produzindo os sentimentos ou posicionamentos. Nem sempre podemos
dizer qual vem em primeiro lugar. Mas saber ajuda para induzir à mudança.
8. Nosso objetivo imediato é o de nos tornarmos bastante claros a respeito de como nosso
ego onírico age e interage e por quê. A maioria das pessoas acusa outras e as circunstâncias como
responsáveis por suas reações. O mundo exterior não é a causa determinante, mas apenas um fator
persistente. O que determina nosso comportamento é o material que fica abaixo da superfície da
consciência, as posturas e padrões que atravessam nossas vidas, manifestados através de
comportamento inconsciente compulsivo.
9. Para continuar o processo de mudança, relacione novos posicionamentos segundo os
quais o ego onírico pode viver e os novos procedimentos que ele poderia assumir na situação de
sonho baseados nestes posicionamentos mais criativos e significativos. Princípios são
posicionamentos percebidos conscientemente. Quando descobrimos uma postura inconsciente, nós a
avaliamos. Mas será que esta postura é eficiente na realidade? É realista? Funciona? Que resultados
são produzidos pela encenação? São estes resultados que desejo? Esta postura é significativa? É
coerente com a vida que escolhi?
As posturas são, freqüentemente, inconscientes porque nos foram incutidas quando éramos crianças
por nossos pais ou por outras figuras que representavam autoridade, ou são os resultados de intensas
experiências de infância, normalmente traumáticas. Para mudar as conseqüências do que nos
aconteceu na infância, devemos chegar aos posicionamentos, como também aos padrões
inconscientes criados.
10. Modifique os posicionamentos inadequados criando afirmações a partir deles. Para criar
uma afirmação, você deve reformular os posicionamentos, mantendo um pouco de sua realidade, mas
colocando algum valor ou conceito novo que os torne mais realistas e significativos.
11. Adote novos princípios para viver o mesmo sonho ou situação de vida. Os princípios
podem vir de fontes de sabedoria e dos sonhos. Pegue uma cena de sonho que você considera
criativa e reescreva as imagens mentais como se fossem um princípio ou posicionamento. Os sonhos
são a sabedoria em forma de imagens mentais. Criar princípios é um bom modo de transformar
imagem em conceito. Resuma, também, suas experiências de sonhoterapia por trazê-las à essência,
numa frase escrita como princípio ou ensinamento curto. Viva isto na vida exterior e nos sonhos.
12. Agora, depois de ter feito todo este trabalho, você está pronto para reescrever o sonho
se assim o desejar. Pegue o novo princípio ou posicionamento e, como ego onírico, viva-o na mesma
situação de sonho, mas permitindo que as imagens mentais e os sentimentos se modifiquem em
resposta ao novo comportamento,

7
13. Isto poderia trazer uma sensação de solução ao problema ou situação onírica. Os dois
outros métodos que você pode usar aqui são a Reentrada no Sonho ou a Encenação do Sonho.
14. Resuma seu processo no diário de sonho e partilhe-o com outra pessoa que tenha
algum conhecimento de sonhoterapia.
15. Para resumir este processo, pegue apenas uma interação de sonho importante feita
pelo ego onírico e passe por este procedimento passo a passo, mas sem se deter nos pontos em que
você se sente confuso. Passe por cima e continue. Comece em alguma parte. Fazer um pouco pode
ser melhor do que não fazer nada.

Resultados

 Você se torna consciente da motivação interior e não culpa mais os fatores externos
pelo modo como se comporta.
 Você se torna consciente de como age em sonhos e na vida e do que o motiva.
 Você se torna muito mas eficiente e centrado no significado por escolher,
conscientemente, os princípios e posicionamentos segundo os quais viverá.
 Algumas vezes este método assusta, por causa do trabalho racional nele envolvido. O
pensamento usado a serviço de um processo profundo acrescenta uma dimensão consciente não
alcançada pelo sentimento. Incluímos técnicas de sentimento importantes neste livro. Agora, vamos a
um pouco de trabalho racional para equilibrar o processo.

8.Reescrever o Sonho

Ao Reescrever o Sonho, você pega seu sonho original e investiga seus problemas. Você percebe,
como seu ego onírico poderia ter agido de forma melhor, e, ao reescrever você escreve o sonho com
seu ego onírico já mais ativo e criativo, deixando o resto da energia do sonho mudar, como ela o fará
em pesquisa.

Quando usar o método

 Quando uma questão onírica precisa de solução ou quando a Reentrada no sonho


poderia parecer muito assustadora.
 Quando você precisa se exercitar para resolver seus problemas, nos sonhos e na vida,
de forma saudável.

O método passo a passo

1. Estabeleça questões-chave usando as seguintes técnicas: Objetivação dos Sonhos,


Seguir o Ego do Sonho e Perguntas-Chave.
2. Escolha uma postura ou atitude que você gostaria que seu ego onírico personificasse.
3. Pegue uma caneta e escreva o mais rapidamente possível, tendo em mente o novo
comportamento do ego onírico e deixando que o resto das imagens do sonho se desenvolva como
quiserem. Escreva até sentir que conseguiu encontrar uma solução natural para o sonho.
4. Avalie sua experiência fazendo uma comparação entre o sonho original e sonho
reescrito. Quais foram os novos posicionamentos, princípios e modos de agir que surgiram?
5. Aplique o que aprendeu a uma situação de vida semelhante, se adequada.
6. Talvez você possa partilhar os resultados que obteve com outra pessoa, para confirmar,
mas adiante, o que está fazendo.

9. Diálogos com Figuras do Sonho


Diálogo é uma conversa interior com energias oníricas personificadas em figuras do sonho. Estas
podem ser partes de nós, diferentes de nossos egos em estado de vigília. Pode haver, também,
entidades espirituais ou centros de energia que existem, mas que não se localizam, estritamente, na
mente individual. Algumas vezes, um diálogo parece transpessoal em parte, como se tivesse vindo de
uma profunda fonte de sabedoria ou da essência de alguém que morreu.
8
Se há um fator sensitivo, então o diálogo pode nos ajudar a usar aquela função para encontrar a
sabedoria de vida. Quem poderá questionar os resultados, independentemente da teoria que os
explique?

Quando usar o método

 Use-o para tornar consciente o símbolo onírico através de conversas de seu ego com
estas figuras.
 Use-o para encontrar soluções para os problemas apresentados nos sonhos. Um
diálogo que mantém a fluência consegue obter, por si próprio, novas informações para o que parece
uma solução para o problema.
 Use-o para aumentar a ligação entre partes suas simbolizadas por figuras do sonho.
Isto é relacionamento consciente, que também é um processo de abandono. Ele ajuda a integridade e
a ligar a função do ego com outras dinâmicas da mente.

O método passo a passo

1. O primeiro passo é fazer, ao menos em parte, a Objetivação dos Sonhos, seguir o ego
do sonho e perguntas-chave. Estas técnicas revelarão os problemas com os quais dialogar.
2. Para iluminar os canais, ao menos na primeira vez, estabeleça, em primeiro lugar, um
diálogo com o Censor do Diálogo. Esta dinâmica representa o Juiz, aquela parte nossa que diz: “Isto é
besteira”. Admita esta parte chegando a um acordo com ela. Pergunte quem ela é, o que esta parte
chegando a um acordo com ela. Pergunte quem ela é, o que deseja e o que será necessário tirar de
seu caminho de forma que o diálogo possa fluir livremente. Isto produzirá bons resultados, e você
saberá a quem se dirigir se os canais ficarem novamente bloqueados.
3. Formule duas ou três perguntas-chave para fazer à sua figura do sonho. Anote-as. Em
seguida, comece o diálogo. Escreva rapidamente, sem pensar ou avaliar. Se você tiver alguma
reação, deixe-a de lado e continue a se exprimir. Faça uma pergunta-chave e escreva qualquer coisa
que lhe venha à mente. Então ou você tem uma reação emocional ou faz outra pergunta. Logo você
deverá sentir a fluência, fazendo perguntas espontaneamente e tendo reações. Escreva até que o
diálogo pareça completo ou que a energia tenha se esgotado, ou no caso de sentir bloqueado ou se já
apareceu material suficiente para lidar.
4. Leia novamente o que foi escrito. Qual foi a pergunta e qual foi a resposta? De que
forma você agiu como pessoa que dialoga? Que tal o censor do diálogo? Qual foi a solução? Qual a
nova perspectiva que pode ser obtida? Quais são suas dúvidas? Que tal se você seguisse o que lhe
foi dito: De que forma sua vida seria diferente? Você apreciaria e escolheria esta mudança? Anote em
seu diário de sonho.
Resultados

 Uma nova consciência sobre você e seu sonho é produzida.


 Uma sensação de que alguma questão, induzida pelo sonho, foi solucionada, dando um
sentido de renovação do trabalho ou até de uma ruptura.
 Suas próprias relações com fontes internas se tornaram mais abertas, de forma que
você pode usufruir mais da sabedoria interior que foi feita sob medida para você como pessoa.
 Você será ajudado a se expressar mais ao se abandonar às fontes criativas.
 Você poderá ficar chocado pelo material carregado de palavrões que pode aparecer.
Não se censure, pois você não tem que partilhar esta situação com ninguém. È a sombra reprimida,
tirando vantagem de sua boa vontade em se abandonar e não se resguardar. Deixe que ela tenha sua
oportunidade de se manifestar, de forma que você também possa incluí-la e seguir em frente.

10. Tarefas do Sonho


As tarefas do sonho são projetos específicos, com os quais você se compromete baseado em seus
sonhos. Algumas vezes, até, o sonho o terá como seu ego, fazendo algo novo e criativo, como se ele
mesmo quisesse que você tentasse uma nova função.

9
Quando você está em sonhoterapia, ela leva seu significado à essência, e mais adiante, o estabelece,
trazendo mudanças específicas ao comportamento que você terá para viver os novos significados e
insights recebidos através da sonhoterapia. As tarefas podem ser simples projetos, como praticar dizer
“Não” se você normalmente diz muito “SIM”. A conseqüência das tarefas oníricas são mudanças
concretas e reais. Elas são também testes para verificar seu grau de comprometimento. Pode ser que
você seja capaz de contar uma boa história, até tenha experiências emocionais intensas, mas será
que você está se integrando e trabalhando para mudar também a vida externa?

11. Submersão no Símbolo

Na Submersão no Símbolo, pegamos um símbolo ou ação-chave de um sonho, entramos em estado


de meditação com os olhos fechados e meditamos sobre o símbolo. Para fazer isto, você deve se
concentrar em tudo que consegue ver, não importa quão vago possa parecer, e descreve o que vê
nos mínimos detalhes possíveis, tanto para si mesmo quanto para outra pessoa. Fique concentrado no
símbolo como se ele estivesse no sonho, ou como você o vê agora, e não o deixe muda. Você quer
controlar a tensão de ficar com o símbolo para vivenciá-lo como ele, o mais plenamente possível. Isto
lhe dá a experiência de não pensar nele, o que seria um caminho direto de volta à Fonte do Sonho.
Quando a tensão foi dominada por tempo suficiente, você pode deixá-la mudar. Mas não a faça
mudar. Isto não é uma visualização racional controlada pelo ego. O resultado é tornar o símbolo de
seu sonho mais vivo e atingir seus padrões inconscientes diretamente. Esta é uma boa técnica para
que fragmentos de sonho fiquem em atividade, sobretudo quando se faz uma submersão orientada no
símbolo.

12. Terapia do Corpo do Sonho

Na Terapia do Corpo do Sonho nós no concentramos numa cena ou imagem de um sonho enquanto
ficamos em estado de meditação, deitados de bruços. Depois que as imagens mentais se tornam
nítidas, desejamos trazê-las diretamente para a consciência corpórea como energia interna. Ser
golpeado num sonho pode ser recanalizado, a Terapia do Corpo do Sonho, como energia martelando
o diafragma. O corpo é, sem si, um sonho, uma entidade simbólica, como todos os seus órgãos como
centros de energia.Os corpos que não aprenderam a se soltar numa base diária são encouraçados,
tensos, bloqueados, e vivenciam sintomas como dores de cabeça. Junto com estes sintomas haverá
registros de memórias e padrões. Assim, entrando na consciência corporal pelo caminho do conteúdo
do sonho, podemos ver onde a dinâmica onírica está também afetando nossos corpos. Ao nos
concentrarmos aí, trazemos a escolha e a consciência que ajudam o bloqueio a se romper, de forma
que a energia vital pode circular livremente em nós. Prazer é quando a força da vida flui livremente.
Dor é quando a força da vida está bloqueada. A Terapia do Corpo do Sonho pode freqüentemente
levar à consciência e à liberação emocional como lágrimas, raiva, tremedeira ou vômito.
Tenha muitos lenços à mão. A liberação da tensão e de conteúdos antigos é vital para o processo de
cura. Os sonhos apresentam os problemas, mas raramente nos curam diretamente. Isto é o que
devemos ter em mente ao seguir e realizar o sonho.

13. Sonhoterapia Arquetípica

A sonhoterapia arquetípica observa qual o arquétipo básico que parece dominante num sonho em
particular ou numa sucessão de sonhos. Com freqüência, a maioria dos sonhos de uma pessoa,
durante um determinado período, terá certos arquétipos dominantes e outros arquétipos ausentes.
Para compensar esse desequilíbrio, o sonhador precisa evocar a energia arquetípica oposta, portanto
deve evocar firmeza e integridade. Por exemplo: Sonhadores com adversidade demais em seus
sonhos terão insuficiência do Heróico em sua vida onírica.

10
O método passo a passo

1. Use o modelo dos Sete Arquétipos Básicos para colocar as imagens e ações do sonho.
Você pode até fazer um desenho grande do modelo e escrever nele símbolos e temas oníricos
específicos, mostrando quais os arquétipos mais ativos em sua mente e vida ao longo do tempo.
2. Determine também quais são as dinâmicas arquetípicas que seu ego onírico
personifica. Qual poderia ser o resultado criativo se ele também expressasse características
arquetípicas opostas, diferentes de sua postura atual?
3. Para ratificar mais integridade nos sonhos e na vida, qual a energia arquetípica que
precisa estar presente em seus sonhos e vida para compensar as dinâmicas dominantes em seus
sonhos recentes? Use a técnica de Reescrever o Sonho,a da Encenação do Sonho ou da Reentrada
no Sonho, de forma que elas tanto possam evocar a energia oposta como também ampliar os
arquétipos dominantes.
4. Concentre-se, também, nas funções centralizadoras do Eu, para que a integração e a
cura possam ocorrer. Não deixe o Arquétipo Adverso de fora!

Resultados

 Os resultados do desenvolvimento de um processo de totalidade em sua vida podem


ser animadores. A maior parte das doenças e problemas se deve à unilateralidade, criada, em parte,
pela identificação do ego com um oposto em detrimento do outro.
 Trabalhar com este método criará uma visão ampliada de como seu próprio processo
de individuação e integridade está ou não funcionando. Isto também o treinará na habilidade de
equilibrar energias na vida, de forma que você possa resolver melhor os problemas.

14. Reentrada no Sonho

A Reentrada no sonho é um dos métodos mais poderosos e curativos da sonhoterapia. Ela tem seus
antecedentes no método da imaginação dinâmica, arquitetado pro C. G. Jung. Mas a técnica, como é
praticada agora, foi modificada e desenvolvida no Instituto Junguiano-Senoi, sob a direção do autor
deste livro, desde 1978.
A reentrada no sonho é feita fechando os olhos e entrando em estado de meditação. Pede-se ao
praticante para ver novamente e descrever a cena do sonho original, e em seguida deixar a ação
começar. A preparação para a Reentrada no Sonho é completada coma Objetivação dos Sonhos,
seguir o ego do sonho e perguntas-chave. Estas técnicas ajudam o sonhador a se tornar consciente
de como e ego onírico está agindo no sonho e quais são os problemas-chave, de acordo com a forma,
como está encaixado na dinâmica do sonho. Concentre-se, especialmente, em de que forma você,
como ego do sonho, poderia agir mais criativamente na reentrada no sonho. Durante a reentrada, o
ego onírico está mais ativo, e as imagens mentais e outras dinâmicas podem mudar formas que não
foram criadas pelo ego do sonhador. A reentrada no sonho continua até que a situação ou conflito
onírico pareça resolvido, ou o processo tenha chegado a um impasse no qual o sonhador não pode ou
não quer ir adiante.

Quando usar o método

 Quando um problema ou cena do sonho precisa de solução.


 Quando você deseja apenas experimentar seu sonho mais plenamente.
 Quando você quer evocar e trabalhar material traumático refletido no sonho.
 Quando você quer explorar uma cena de sonho além da experiência original.
 A fim de treinar a si mesmo através de exercício, para se tornar criativamente ativo nos
sonhos e na vida.

11
O método passo a passo

1. Determine problemas-chave usando as seguintes técnicas: Objetivação dos Sonhos,


seguir o ego do sonho e perguntas-chave.
2. Coloque-se num estado de meditação com os olhos fechados, e veja, no presente, a
cena principal do sonho com a qual você quer lidar. Descreva para sis mesmo ou para outra pessoa
todos os detalhes no que vê. Não deixe a ação se desenvolver ainda.
3. Deixe a ação do sonho começar vagarosamente. Ao mesmo tempo, faça seu ego
onírico interagir mais criativamente do que no sonho original, sem procurar modificar nenhuma das
imagens mentais do sonho ou impedi-los de mudar.
4. Reconheça e reaja às imagens mentais do sonho, mudando à medida que eu ego
onírico interage com elas.
5. Continue interagindo com as imagens mentais do sonho até que uma solução natural
para a situação onírica pareça ter se desenvolvido. Depois, termine a Reentrada no Sonho e fique bem
acordado novamente.
6. Compare e avalie de que forma sua experiência onírica é diferente de sua experiência
de sonho original.
7. enfatize, especialmente, o que pareceu ficar resolvido na Reentrada no Sonho e no
interior do sonhador.
8. Anote a experiência em seu diário de sonho

Reentrada no sonho orientada (ser orientado permite, freqüentemente, ao sonhador soltar-se mais e
participar de novas maneiras).

1. Siga o mesmo procedimento tomado para a Reentrada no Sonho do Eu.


2. Deixe que um praticante treinado em sonhoterapia o oriente. O orientador lhe pergunta,
mais ou menos a cada meio minuto, o que está acontecendo. Isto mantém o sonhador alerta. Não
pergunte ao orientador como você está enquanto o processo estiver em andamento, porque isto torna
o sonhador muito consciente do ego em estado de vigília.
3. O orientador pode sugerir alternativas para escolha de pontos-chave de transição na
Reentrada no sonho, mas não dê apenas uma alternativa ao sonhador. O orientador não deveria
impor uma orientação sobre a experiência. Isto significa que ele não deve sugerir, usualmente, coisas
específicas a fazer, novas imagens mentais ou seguir num determinada direção. Confie na Fonte do
Sonho no que diz respeito à orientação para o processo.
4. O ego onírico pode interagir diretamente com figuras e situações do sonho e, às vezes,
também entrar num diálogo com elas ou com a situação. Continue fazendo perguntas e você
conseguirá uma resposta mais completa.
5. Passe pelo processo até o fim, enquanto você relata, continuamente, a seu orientador o
que está experimentando no sonho e no corpo.
6. Quando a solução for encontrada, saia do estado de sonho vagarosamente, abra os
olhos e olhe em torno. Trabalhe em seu diário, narrando a experiência se a energia for a indicada para
fazê-lo. O orientador também pode trabalhar sua própria experiência.
7. Aplique as mudanças na forma de ser e se posicionar frente a uma situação de vida na
qual você possa testar o que aprendeu.

Resultados

 Freqüentemente, depois de uma reentrada, o sonhador se sente diferente. Isto significa


que um padrão abaixo da consciência foi desbloqueado, de forma que nova vida e imagens mentais
podem fluir.
 Novas imagens mentais do sonho se manifestarão, geralmente de forma espontânea.
 Às vezes, o sonhador pode se sentir tonto ou sem chão. Enquanto estiver ainda em
estado de meditação, concentre a consciência no corpo de alguém. Baixe a intensidade de energia da
cabeça para as vísceras e, algumas vezes, até o chão.

12
 Sentimentos profundos podem ser evocados. Certifique-se de que a solução do conflito
onírico está acontecendo, de forma que a pessoa não termine se sentindo bloqueada.
 Às vezes, a pessoa pode chegar a um ponto perigoso ou bloqueado no sonho. Sugira
interferências quando elas forem necessárias tais como introduzir um símbolo de cura ou figura forte
que a pessoa conheça. Crie instrumentos e aliados para lidar com uma circunstância potencialmente
opressora.
 Uma sensação de cura e significado poderá acontecer depois de um tal processo.
Estimule uma partilha sensível, mas não interrompa a experiência ou o estado de ânimo. Não articule
em palavras os sentimentos profundos surgidos, a menos que a pessoa precise ou queira uma
perspectiva. Queremos que o efeito permaneça como ele é, e não transformá-lo em conceitos, mas
mantê-lo como uma sensação.
 Você pode sonhar um outro sonho que confirme seu novo comportamento onírico.
Quando isto acontecer, é como se a Fonte do sonho tivesse gostado de sua nova forma de lidar com a
questõa e a cofirmasse, como um toque ou desefio acrescentado.
 Você ganhará crescimento em sua capacidade arranjar solução para vários problemas
da vida quando começar a praticar como resolvê-los e em sua sonhoterapia.

15. Encenação do Sonho

Encenar um Sonho é pegar algum aspecto dele e representá-lo teatralmente, seja sozinho ou em
grupo. A Encenação do sonho nos ajuda a realizar as ações e potencialidades do sonho, de tal modo
que possamos senti-los e, conseqüentemente, realizar uma cura modificando padrões subjacentes
que o insight sozinho não mudaria. Algumas vezes, isto é chamado de Teatro do Sonho ou Arte
Dramática do Sonho, mas estas denominações estão reservadas a uma apresentação mais formal do
sonho. Na Encenação, pegamos a ação-chave do sonho e a representamos simbolicamente, tendo
cuidado para que no final também encontremos solução e conhecimento na experiência.

Advertência. A Encenação do sonho não é para pessoas inexperientes. Uma orientação firme deveria
ser proporcionada por um terapeuta e sonhoterapeuta bem treinados, que possam preparar bem o
processo. Não evoque o que você não está querendo incluir e transformar.

Quando usar o método

Use esta técnica para ajudar o processo de cura a ocorrer num nível emocional profundo, além do
controle consciente. Ele leva uma pessoa a sentimento e padrões arquetípicos, onde o verdadeiro
processo pode acontecer. Utilize também a técnica para conseguir o apoio do grupo na realização do
trabalho, eles adoram o envolvimento. Um sonho encenado nunca é esquecido.

O método passo a passo

1. Em primeiro lugar, interaja com as pessoas depois que elas lhe contarem o sonho,
objetivando-o e obtendo delas as questões-chave. Pergunte sobre que tema elas preferem trabalhar e
depois selecione uma cena, uma parte fundamental do sonho.
2. A maioria das encenações deveria durar de cinco a quinze minutos, de forma que haja
intervalos, ma sem que o orientador fique perdido no drama do sonho ou da vida da pessoa. O
orientador projeta uma simples cena-chave do sonho com o sonhador e lhe pede que escolha as
pessoas para desempenhar os três ou quatro papéis. O sonhador normalmente representa o ego
onírico. O orientador do grupo de sonho orienta, mas normalmente não encena.
3. Em primeiro lugar, tire da sala os quês estão envolvidos, de forma que eles possam
esclarecer suas partes obscuras e penetrar em seus sentimentos. O resto do grupo é a platéia. Você
preparou uma área como o lugar de encenação. Em seguida, o diretor volta, em primeiro lugar, e os
outros vêm quando estão prontos. Não gaste tempo demais se preparando. Não se trata de uma
performance, mas de uma realidade imperfeita.

13
4. Encene a cena onírica como ela era no sonho original. O processo aqui consiste em
ampliar as dinâmicas-chave simbólicas. Não deixe as pessoas fazerem diálogos falados, porque isto
torna as coisas conscientes demais. Queremos interações e movimento fundamentais. O orientador
ajuda a experiência total a se mover física e emocionalmente, até que , em algum momento, a
movimentação diminui.
5. Durante a encenação, o orientador aumenta os movimentos-chave que parecem
fundamentais, ampliando, conseqüentemente, elementos importantes, sem fazer com que uma coisa
específica aconteça. Se o processo parece vagaroso ou se torna bloqueado, leve os outros
encenadores a fazerem algumas coisas a mais. Você pode perguntar ao sonhador: ”O que está
acontecendo?”, estimulando assim a pessoa a se soltar. Quando a cena terminar, pare a ação e faça
perguntas ao sonhador do tipo: “O que foi que aconteceu, na sua opinião?” “O que lhe parece não
estar ainda resolvido?” “O que você gostaria de fazer de forma diferente?”.
6. Desta vez, você faz a encenação novamente, mas com uma solução curativa. Os sonho
quase sempre só apresentam problemas, e não soluções. Evocar a solução é a tarefa consciente do
ego em estado de vigília. Você foi claro com o sonhador sobre qual é seu verdadeiro problema. A
solução pode ser evocada ajudando a pessoa a exibir interação mais criativa do ego onírico na
segunda reencenação. Se necessário, estimule os outros atores do sonho a interagir de forma
diferente com o ego onírico. Às vezes, eles reagem bem ao novo comportamento por si próprios.
7. Quando a solução aparecer, pare a ação, não se alongue. Mantenha as pessoas
sentadas exatamente onde estão e fale sobre seus próprios sentimentos a respeito da experiência.
Não se concentre no sonhador, que precisa de tempo para sentir os resultados, em vez de se tornar
muito consciente e interagir. Finalmente, o sonhador pode querer dizer algumas palavras. O orientador
pode então objetivar rapidamente o que aconteceu na experiência, fazer perguntas e captar reações
daqueles que não participam dela diretamente.
8. Estimule o sonhador a escrever sua experiência e peça que ele lhe mande uma cópia,
já que você é o orientador. Isto faz com que a essência venha à tona, além de oferecer ao sonhador
uma tarefa sobre o que foi uma experiência profundamente emocional mais consciente. A pessoa se
sentirá diferente, e isto terá conseqüências diretas em sua vida cotidiana. Acompanhe, também, o
desenrolar de sonhos semelhantes no futuro para ver de que forma as mudanças continuaram a
acontecer.

Resultados

 Como na reentrada no sonho, podem acontecer conseqüências de sentimentos


profundos, porque uma encenação bem-sucedida modifica um padrão subjacente ou bloqueio da
mente.
 Ocorre no grupo uma sensação de devoção e profundidade do significado. Deixe que os
membros sintam isto, não passando com muita rapidez para a pessoa seguinte ou falando demais
sobre a experiência.
 As mudanças de vida são feitas baseadas na experiência, porque os padrões
fundamentais da pessoa foram ampliados e, ao menos parcialmente, resolvidos.

16. As Artes do Sonho

Toda arte é a expressão simbólica das mesmas dinâmicas refletidas nos sonhos. Pintar cenas oníricas
em cores vividas faz com que seu simbolismo se projete num nível emocional. Encenar partes de um
sonho em movimento, com ou sem música, ajuda o sonhoterapeuta a sentir a energia simbólica do
corpo e da mente unidos. Não se preocupe em ser um artista ou bailarino. Muitas pessoas têm medo
de fazer arte quando chegam à idade adulta por causa de experiências críticas que sofreram na
infância. Admita estas lembranças, mas supere-as soltando seu fluxo criativo. Sua mente saberá
melhor o que fazer para incorporar uma energia do sonho do seu ego. Solte e deixe fluir. Tornar a
energia do sonho parte de sua experiência sentida o capacita a realizar melhor o potencial onírico que
existe em você e em sua vida.
Compre um caderno de desenho e alguns tubos de tinta ou lápis-cera para começar. Eles lhe darão
cores vividas e são fáceis de usar.

14
17. Incubação do Sonho

Para provocar um sonho sobre um determinado problema, concentre-se na questão antes de dormir.
Anote como você vê o problema e as possibilidades a respeito dele e como você poderia fazer
escolhas. Em seguida, crie uma pergunta chave que apreenda a essência de seu problema, escreva-a
no papel e coloque-a sob o travesseiro. Ao amanhecer, acorde e escreva, rapidamente, o que quer
que esteja em sua cabeça, seja ou não um sonho. Faça isto durante três dias caso nenhum sonho
tenha aparecido na primeira manhã. Depois compare o sonho com o problema procurando
semelhança nas imagens mentais, valores, escolhas, possíveis resultados. A Fonte do Sonho normal
mente não lhe dará nenhuma resposta, mas pode dar um sonho que aprofunde a questão. Não seria o
caso de “com que eu deveria me relacionar”, mas sim de “como me relaciono”? Esta é a espécie de
pergunta à qual a Fonte do Sonho mais bem responde. Pergunte também a si mesmo qual a pergunta
ou problema que o sonho respondeu. Objetivação dos Sonhos, Seguir o Ego do Sonho, Pesquisa do
Sonho e Perguntas-Chave são os métodos a serem usados para sintonizar com o sonho incubado. Em
seguida, faça Tarefas de Sonho, a sonhoterapia que traz o potencial incubado do sonho para a
realidade. Não pergunte se você vai recusar a ouvir a resposta. Use também este método para ajudá-
lo a lembrar-se de sonhos.

18. Pesquisa de Temas do Sonho

Você analisa um tema quando observa uma sucessão de sonhos à procura de símbolos, ações e
comportamento do ego onírico comuns, e faz comparações entre sonhos baseados nestes símbolos
repetidos. Em primeiro lugar, você categoriza as coisas específicas e, em seguida, generaliza a partir
delas. Generalizar significa fazer afirmativas gerais mas precisas sobre o conteúdo. O geral organiza o
específico e o torna significativo. O contexto surge do específico. A próxima etapa é descobrir o
mesmo tema ou padrão dentro de si mesmo e da vida e, em seguida, estabelecer mudanças que você
fará com aquele tema ou padrão, baseado no insight e no trabalho já realizado com seus sonhos.

Quando Usar o método

 Quando precisar de insight sobre um problema ou padrão importante. Siga seus


sonhos. Eles sabem melhor do que você o que está acontecendo.
 Quando estiver passando por uma revisão de sua vida, seja na ocasião de seu
aniversário ou na celebração do ano novo.
 Use o método como uma forma de auto-estudo, dividindo sua vida em segmentos de 3
meses e revendo os sonhos à procura de temas fundamentais durante cada um destes períodos. Não
podemos estar conscientes de quem somos sem refletir sobre quem fomos.

O Método Passo a Passo

1. Durante um determinado período, selecione os sonhos que têm um tema comum de


símbolo, ação ou atividade do ego onírico.
2. Faça relações dos verdadeiros símbolos, ações e atividades do ego onírico que estão
na categoria do tema que você está pesquisando. Marque a data dos registros.
3. Procure semelhança, contraste e progresso.
4. Generalize. Uma vez que o conteúdo esteja esclarecido, vá do específico ao geral. Use
afirmações funcionais onde forem adequadas. Crie afirmações necessárias e essenciais a partir de
suas generalizações.
5. Aplique as afirmações gerais e essenciais à sua personalidade e vida. Você pode ter
que usar o mesmo método de pesquisa numa área de sua vida exterior. Uma vez esclarecido sobre o
tema de sua vida onírica e também de sua vida exterior, você pode fazer comparações significativas.
6. Agora, formule mudanças em posicionamentos e comportamentos que gostaria de
fazer. Escolha o que é possível agora e comprometa-se com posicionamentos específicos que você
logo assumirá. Vá do geral para o particular.

15
7. Espere por sonhos futuros para simbolizar o progresso ou desafiá-lo sobre como você
está trabalhando com seu tema.
8. Este método pode ser usado meticulosa ou rapidamente. O modo rápido é ler cada
etapa e fazer com que você mesmo intua rapidamente tudo o que vier à sua consciência sem pensar.
Qualquer abordagem que escolher deve ser levada a cabo até o fim. A fonte do sonho está mantendo
um registro de sua vida, seguindo, como deveria, centenas de temas. Por que não ficar em harmonia
com ela?

Resultados

 Através deste trabalho, o praticante é capaz de entender as áreas importantes da vida e


encontrar nelas as próximas etapas de crescimento.
 O método o ajuda a analisar padrões inconscientes que governam suas ações. Ganhar
um tal insight lhe permite elaborar tarefas para mudar estes padrões para melhor.
 O método lhe permite passar sua vida em revista e, conseqüentemente, lhe dar um
sentido de significado e orientação. Aprendemos que somos, para onde estamos indo e o que fazer
para chegar aonde desejamos.

19. Sonhar em Grupo

Criar um sonho de grupo em conjunto estimula a mente de cada uma das pessoas do grupo. Um
sonho em grupo é produzido pelas pessoas que estão nele e que caminham juntas num estado de
meditação e abertura para a fonte do sonho. Cada pessoa se senta no circulo, dando-se as mãos e
meditando, abandonando-se a quaisquer imagens que apareçam. Quando as imagens chegam, elas
ficam estimuladas e o sonho se forma. As pessoas sentem a energia, e ainda permanecem sentadas e
capazes de assimilar as dinâmicas evocadas.

20. Sonhoterapia e Terapia

Um sentido importante de unir a sonhoterapia com a terapia é que isto permite a ambos, cliente e
terapeuta, se concentrarem diretamente numa visão mais ampla da pessoa que nem terapeuta ou
cliente sozinhos poderiam criar. A sonhoterapia é, também, um projeto específico de crescimento que
uma pessoa pode fazer em casa e que se soma aos efeitos da terapia. Aprendemos sonhoterapia
fazendo-a. Tanto o terapeuta quanto o cliente podem usar este livro para fazer sonhoterapia em
profundidade. Os sonhos ensinarão o que eles precisam saber caso se comprometam com o trabalho.
A sonhoterapia pode, também, proporcionar rupturas quando elas são necessárias ao processo
terapêutico, como também projeções e contraprojeções de espelho entre clientes e terapeuta.

21. Ampliação e Símbolo

Este método não é necessário caso a pessoa esteja no processo de sonhoterapia, embora seja um
instrumento rápido para obter insight. A Fonte do Sonho pega as imagens externas para simbolizar
dinâmicas do sonho. Para entender uma imagem ou ação como símbolo num sonho, recorde como
este símbolo funciona no mundo exterior. Um carro, por exemplo, funciona para nos levar a lugares e
nos proteger. Ele simboliza eficiência e controle do ego, entre outras coisas. Ao olhar para a função,
em vez do conceito, entendemos o símbolo como uma dinâmica energia viva. Em seguida,
observamos o símbolo dentro do contexto do sonho e olhamos para o modo específico como a fonte
do sonho usa o símbolo geral. Depois observamos a relação do ego onírico com o símbolo do sonho.
Usar o Modelo dos Sete Arquétipos Básicos também ajuda a entender como o símbolo funciona no
sonho e como ele também se refere à vida exterior. Vemos também qual é o arquétipo que parece ser
o predominante e qual seria sua energia equilibrada, aquela que poderia resolver a situação do sonho.

16
22. Submersão na Fonte

Podemos nos relacionar a energias da fonte tanto através da submersão na fonte quanto através dos
sonhos. É desnecessário esperar por um sonho para entra em contato com a fonte do sonho. Pense
neste método como sendo aquele que abre uma porta dentro de você e deixa sair tudo que lá esteja.
Você pode ter um sonho a qualquer momento de sua vida se aprender a forma de se abrir sempre que
precisar fazê-lo. Quanto estiver no meio de um problema, feche os olhos por um momento, imagine a
situação como ela é e deixe aparecerem as imagens mentais espontâneas que trazem a solução. Isto
pode indicar ação criativa, mesmo se não for o que seu ego pessoal deseja.

II - Os Principais Tipos de Sonhos

Como você deve ter observado, a grande maioria dos exemplos de sonho aqui exemplificados têm
uma classificação de tipo de sonho, com uma breve explicação. Olhar para o sonho e dizer que
espécie de sonho ele é, ou especialmente, como funciona, ajuda. Este conhecimento nos permite uma
prática mais eficiente da sonhoterapia, ao adequarmos os sonhos à vida. Fique ciente de que o
mesmo sonho pode ter mais de uma classificação. Afinal, não estamos separando galinhas de maçãs!
Quando trabalhar com um sonho, use esta relação para classificá-lo e depois dê ao sonho seu próprio
título.

Grandes Sonhos. O Grande Sonho é aquele que contém um problema importante da vida de uma
pessoa, junto com sua possível solução e novo insight, sentido a nível emocional.

Pesadelos. Sonhos que têm elementos adversos que se confrontam com o ego onírico podem se
transformar em pesadelos se o ego em estado de vigília bloqueia, devido ao medo, e acorda o ego
onírico antes que a solução da situação do sonho possa surgir.

Sonhos Amplificados. Os sonhos podem intensificar certas situações ou posicionamentos de vida para
torná-los bastante óbvias para o sonhador.

Sonhos Arquetípicos. A Fonte do Sonho pode mostrar ao sonhador quais as energias arquetípicas que
estão mais ativas nele, ou numa situação de vida, de forma que possam ficar conscientes e ele lide
com elas.

Sonhos Canalhas ou Sombra-persona. Os sonhos nos ajudam a nos desidentificarmos de nossas


personas retratando-nos num comportamento obscuro.

Sonhos Compensatórios. Os sonhos apresentarão um ponto de vista sobre um problema que é


diferente ou contrário à visão predominante do ego.

Sonhos Complementares ou Confirmatórios. Quando aparentemente fizemos uma escolha eficiente ou


significativa na vida, sempre tempos um sonho que confirma esta ação.

Sonhos Despertos. Às vezes, uma situação interior pode ser tornar tão intensa e precisar tanto de
solução que irrompe na vida exterior, criando cenas carregadas de simbolismo sobre as escolhas de
vida da pessoa.

Sonhos de Ensinamentos. Certos sonhos treinarão o ego em estado de vigília fazendo o ego onírico
passar por situações difíceis de novas formas que as solucionem e ajudem a pessoa a aprender nova
sabedoria de vida.

Sonhos de Infância. Sonhos contemporâneos podem refletir dinâmicas infantis que precisam de
solução. Sonhos da primeira infância, quando lembrados, quase sempre mostram o padrão mítico
reencenado repetidamente na jornada de vida de uma pessoa.

17
Sonhos Infantis. As crianças podem trabalhar com seus sonhos tão eficientemente quanto os adultos,
usando processos intuitivos como a arte e contar histórias.

Sonhos de Intuição. Às vezes, os sonhos dão informações sobre pessoas e situações exteriores, de
forma que possamos agir conscientemente para nos prepararmos e resolvê-las.

Sonhos Lúcidos. Sonhos nos quais o ego em estado de vigília e o ego onírico estão incorporados,
produzindo o reconhecimento consciente de que um está dormindo, pela função do ego de assumir o
papel de produtor de imagens da Fonte do Sonho.

Sonhos Místicos. Os sonhos místicos nos dão uma perspectiva importante sobre a relação do nosso
ego com as energias da fonte.

Sonhos Não-Resolvidos. Sonhos não-resolvidos são aqueles que apresentam problemas em estase
ou conflito sem solução.

Sonhos Paranormais. Nos sonhos paranormais, percebemos intuitivamente o que não poderíamos
saber de outra forma.

Sonhos Premonitórios. Os sonhos nos mostram potencialidades para novo crescimento e orientação
na vida, como também problemas com os quais devemos lidar.

Sonho de Problemas. Os sonhos podem nos pôr em contato com problemas interiores e exteriores,
de forma que possamos fazer sonhoterapia para resolvê-los.

Sonhos de Problemas do Ego. Algumas vezes os sonhos apresentarão o ego onírico e do estado de
vigília a questões de posicionamento, sentimento e comportamento que precisam de modificação.

Sonhos Proféticos. Os sonhos podem nos alertar para acontecimentos externos importantes que estão
para ocorrer.

Sonhos de Relacionamento. Alguns sonhos revelam, com precisão, as dinâmicas de um


relacionamento próximo e até o que fazer com eles.

Sonhos Reveladores. Às vezes, os sonhos revelarão que novas possibilidades de ação de insight.

Sonhos Sexuais. O Sexo no sonho pode refletir o padrão arquetípico subjacente do sexo na vida
exterior, como também ser uma experiência de unidade como outra parte de nós mesmos.

Sonhos Significativos. Somos capazes de experimentar, em sonhos, num nível de imagens mentais e
sentimentos, certos temas que não podemos experimentar na vida exterior.

III - Definições da Sonhoterapia

As definições que se seguem representam os conceitos-chave para praticar sonhoterapia. É


necessário conhecê-las através da experiência direta.

Aceitação. A escolha para se abrir às coisas como elas são.

Alma. Palavra que se refere ao relacionamento entre o ego e o centro da mente e da vida. A alma é o
aspecto pessoal do Eu.

18
Ampliação. Descobrir o significado de um símbolo ou de outra experiência através da objetivação das
características inerentes do símbolo ou de outra experiência.

Arquétipo. Um agrupamento de energia e forma inerentes à vida. Um padrão básico de expressão de


energia, que se manifesta como energia e forma, como imagem, como padrão, como funções
interiores da personalidade e exteriores na sociedade, como sentimentos e, finalmente, como
conceitos e símbolos.

Consciência. Conhecimento mais ação adequada. Ser verdadeiramente consciente é agir com base
nesta consciência.

Destino. O que fazemos com a sorte através da escolha. Podemos não escolher o que nos acontece,
mas podemos escolher como lidamos com o que acontece.

Deus. Energia de uma fonte que não é o ego, de maior poder e sabedoria que o ego pode criar.
Sinônimos: Fonte, Divindade, Sagrado, Sonho, Realidade.

Diálogo.Um método de sonhoterapia no qual você tem acesso a dinâmicas diferentes do ego em sua
mente e lhe dá voz.

Dor. A experiência de resistir à força da vida.

Ego. A função da personalidade que concentra consciência, faz escolhas, e onde se localiza a
identidade individual.

Ego do Sonho. O centro da auto-identidade do sonhador em estado onírico. Isto pode significar a
imagem do sonhador ou meramente uma presença sentida de consciência sem forma específica, ou
mesmo de consciência, mas de outra forma.

Ego Observador. O ponto individual da consciência que observa as ações e outros estados mentais e
tem auto-identidade.

Ego Participante. O ponto individual da consciência que tem auto-identidade e também se envolve
numa experiência e age.

Emoção. Um estado de energia supercarregado na mente que subverte estados de sentimentos


específicos de acordo com sua vontade.

Escolha. A orientação da energia numa direção e não em outra. Dizer sim a uma coisa enquanto se
diz não a todas que se opõem a ela.

Espiritual. A experiência de energias da fonte, diferentes do ego, que acontece com o indivíduo. A
experiência espiritual acontece apenas com pessoas, é direta e não baseada em crença e prática
coletivas.

Estado Contemplativo. Um estado mental de consciência interior no qual o ego permite que as
dinâmicas internas desabrochem.

Eu. Escrito com letra maiúscula, o Eu é o centro integrativo interior da personalidade. Ele utiliza o
arquétipo do centro no próprio universo e, assim, pode também se referir ao centro que está em todas
as coisas.

Experiência Interior. Estados físicos e mentais sentidos e percebidos como vindos do interior e
manifestados em sentimento, imagens mentais, ação e conceito.

19
Feminino. O arquétipo da abertura, fluxo e realidade abrangentes.

Fonte do Sonho. Centro que se localiza no interior da mente e que usa a função de produção de
imagens da mente para criar experiências internas de significado e necessárias ao equilíbrio
integrativo quando a pessoa está adormecida.

Força de vida. A energia, a capacidade de mover a matéria, dentro de si mesmo e da vida.

Função de Produção de Imagens. Predisposição para a ação, na mente, que pega energia afetiva e a
traduz em imagens para processamento como sonho, lembranças e outras visualizações internas.

Inconsciente. Termo usado para a parte da mente que não conhecemos conscientemente. O
inconsciente é apenas uma parte da mente total.

Individuação. Processo, que dura toda vida, de ser consciente da verdadeira natureza de alguém e
segui-la, em vez de seguir valores e atitudes coletivos. Sonhoterapia em andamento é necessária para
descobrir e seguir a natureza interior própria de alguém.

Integridade. Processo de tornar consciente e incluir todas as partes de si mesmo, inclusive o lado
sombrio, dentro de um todo que harmoniza e diferencia.

Interpretação. Afirmar o que um símbolo significa baseado na aplicação de um sistema de símbolo


externo a uma experiência original.

Intuição. A percepção direta do potencial e do caráter inerente de uma coisa ou experiência.

Jornada. A experiência de integrar o conhecimento interior e o desenvolvimento com a consciência


externa. Também pode ser uma sensação de viver uma predisposição inerente e objetivo de vida.

Masculino. O arquétipo do centro, direção e orientação de objetivo.

Mente. A totalidade do mundo interior de uma pessoa que tem o centro integrativo do Eu, as dinâmicas
do inconsciente, o ego, a persona, a sombra e outras dinâmicas, tais como as manifestações
complexas e arquetípicas da relação pai-filho.

Numinoso. O aspecto energético ou evocativo de um símbolo ou experiência sagrada.

Objetividade. Perceber a natureza inerente de uma coisa baseada na percepção de nossa própria
tendência subjetiva e experimentar diretamente o objeto de nossa consciência.

Opostos. Energias ou arquétipos fundamentais que existem em relação um com o outro através de
harmonia e oposição.

Persona. O lado positivo da personalidade, constituído de imagens de auto-identidade e posturas, que


são consideradas positivas pelo indivíduo e, possivelmente, pela cultural na qual ele vive.

Prazer. A experiência da força da vida fluindo livremente através de alguém.

Raiva. A emoção de sentimento reprimido. Quando não a manifestamos, reprimindo-a, estamos


fazendo com que a energia da vida fique represada até explodir em raiva.

Realidade. Aquilo que é por força de ser. A conseqüência da energia e matéria que superultrapassa os
sistemas de símbolo subjetivo do indivíduo.

20
Realização de Sonhos. A prática de reexperimentar sonhos e trazer seu conteúdo para a vida
cotidiana.

Reentrada no Sonho. Um método da Sonhoterapia no qual você coloca em estado de meditação em


volta ao sonho a partir do estado de vigília a fim de reexperimentá-lo com mais plenitude e,
possivelmente, resolvê-lo.

Religião. Uma crença e prática coletiva que acontece em grupos de pessoas.

Resistência. A tentativa feita pelo ego e outras partes da mente de permanecer dentro de padrões e
atitudes conhecidas frente ao novo crescimento que está sendo evocado.

Sentimento. A experiência interior de energia ou positiva (ir para) ou negativa (retrair-se) que ganha
expressão em palavra ou ação.

Sexo. A experiência da força da vida através da experiência arquetípica da unidade.

Significado. As relações inerentes entre as coisas.


Símbolo. Conjunto de imagens e energia que evoca muitos níveis de significado.

Sincronicidade. Coincidência significativa. A convergência de acontecimentos e dinâmicas


acontecendo separadamente, no interior e exterior, que juntos produzem um padrão significativo,
envolvendo a consciência específica de uma pessoa.

Sistema de Símbolo. Aglomeração livremente organizada de imagens, atitudes e conceitos que o


indivíduo e as sociedades usam como base para organizar seu comportamento e fazer escolhas.
Nenhum sistema de símbolo é realidade em sis mesmo, mas apenas uma aproximação do que
aqueles que percebem afirmam ser a realidade.

Sofrimento. A tensão entre a somática atual de uma pessoa e seu estado emocional e o novo estado
exigido por força maiores do que o ego.

Solução. A arte de evocar uma mudança num padrão conflitivo ou situação que então permite a
qualquer de suas dinâmicas entrar em harmonia ou ser destruída.

Sombra. Lado da personalidade que está escondido da persona, o lado consciente com o qual o ego
está identificado.

Sonho. Uma experiência do interior de ação, sentimento, imagens mentais e, às vezes, a fala, que é
produzida por fontes que não são do ego, isto é, a Fonte do Sonho.

Sonhoterapia. Trabalho feito com sonhos para realçar seu conteúdo, fazer vir à tona o significado que
eles têm para o sonhador e estimular e criar mudanças.

Sonhoterapia Junguiana-Senoi. Abordagem da sonhoterapia de grande alcance que combina uma


metodologia completa da sonhoterapia com uma forte perspectiva sobre a natureza da jornada
espiritual e psicológica.

Subjetivo. Os processos mentais interiores que dão colorido às percepções que temos daquilo que
está fora de nós.

Submersão no Símbolo. Técnica de estado de meditação para experimentar imagens e ações num
nível interior.

21
Verdade. Aquilo que é verdadeiro pelo conhecimento direto, seja através da experiência ou da
intuição. Percepção direta de características essenciais que estão por trás de manifestações do
concreto.

PARTE II
Sonhoterapia

Os sonhos são nosso jornal íntimo e a cada dia trazem mensagem do nosso interior.
Os sonhos são nosso guia pessoal nosso terapeuta interior, eles revelam conflitos e soluções.

Os sonhos falam pôr meio de metáforas e símbolos e compreender esta linguagem permite
estabelecer um diálogo verdadeiro com nossa essência; atingir um equilíbrio emocional trilhando
melhor nossos caminhos.

A sonhoterapia, é um processo terapêutico, que permite entrarmos em contato com o inconsciente,


através da análise dos sonhos, decifrando e aplicando as mensagens para nossa vida.
A sonhoterapia tem suas bases na psicologia de Carl Gustav Jung, psiquiatra suíço e grande
personalidade do século XX, responsável pelo resgate do conhecimento dos símbolos e do
inconsciente coletivo da humanidade. Seus discípulos expandiram suas pesquisas e hoje podemos
utilizar esta ferramenta de autoconhecimento com segurança.
Entendemos o inconsciente como a fonte da vida, da sabedoria interior, do eu superior ou self, que se
manifesta nos sonhos, nos símbolos e na arte, O inconsciente é o lado simbólico da vida, e engloba a
nossa vida psicológica e espiritual.

A sonhoterapia demanda que você crie o seu diário de sonhos; que você se coloque à escuta dos
seus sonhos. A linguagem do inconsciente é simbólica, alegórica e poética. E preciso aprender a
interpretá-la.
Se você começar a anotar seus sonhos, perceberá que um diálogo vai se estabelecendo entre você e
a fonte dos sonhos - o seu terapeuta interior. Assim, você iniciará a viagem rumo a si mesmo. Então o
que você está esperando?

Faça o seu diário de sonhos, invista nesta aventura com determinação. Registre seus sonhos,
identifique-os com um título e anote a data. Faça sonhoterapia com eles.
Compartilhe seus sonhos, O próprio ato de contar um sonho, já é uma forma de interpretá-lo pois,
organizamos o sonho na nossa mente, e nos conectamos com a emoção que ele suscitou em nós. E
comum recordarmos diversos aspectos de um sonho, no momento que estamos relatando-o, e até
mesmo ter insights sobre a que área de nossa vida o sonho se refere.

O sono e o sonho

As pesquisas modernas sobre o cérebro afirmam a importância do sono e do sonho para o


aprendizado do homem.
Sonhar faz bem para a saúde, aumenta a criatividade, propõe soluções para a vida.
É durante o sono que assimilamos as experiências da vigília, que processamos os dados para a
memória, fixando o aprendizado. Durante o sono é que se produz o hormônio de crescimento que no
adulto promove a cicatrização e a reposição das células da pele. E durante o sono que o sistema
imunológico se refaz e recarregamos nossas baterias.
Muitas coisas afetam a qualidade do sono e dos sonhos, como por exemplo: os anti- histamínicos,
comprimidos para dormir, álcool, drogas e várias outras substâncias químicas.

22
Na terceira idade é comum o distúrbio de sono, como: sono muito leve, insônia, um sono que não
descansa e isto afetam a saúde física e emocional, podendo causar depressão.
Portanto a primeira dica da sonhoterapia é dormir bem, dormir o suficiente. Sete horas e meia é o
ideal, e seis horas é o mínimo necessário.
Os animais também sonham. Você já observou um cachorro sonhando? Tanto nos animais como no
homem, os olhos movem-se e por isso a fase do sonho foi chamada de Fase REM (Rápid Eye
Movements). Em média temos 4 a 5 ciclos de sono, que duram uma hora e meia cada um. A cada
ciclo do sono temos uma fase de sonho , portanto, temos 4 a 5 sonhos por noite. No estágio inicial do
sono os sonhos são curtos. A fase REM, vai se intensificando e pela manhã pode durar uma hora.
Em média, durante 20% do tempo do sono estamos sonhando.
Nosso corpo reage quando estamos sonhando, a temperatura e o fluxo sanguíneo aumentam o
cérebro entra em ondas alfa, predominando a atividade do hemisfério direito) há alteração da
respiração e dos batimentos cardíacos e os órgãos sexuais ficam enrijecidos.
Os sonhos revelam uma experiência real vivida no mundo imaterial, psíquico e espiritual.
É durante o sonho que integramos nossas experiências emocionais da vigília: que acessamos nosso
inconsciente pessoal, nossos complexos, nossa mitologia pessoal e arquetípica.
Os sonhos são a porta de entrada ao autoconhecimento. Por meio dos sonhos nos conectamos com a
sabedoria do self o centro da psique, eu superior, fonte dos sonhos, e recebem as orientações
profundas para nossa vida, para nosso caminho de individuação.

Dicas de sonhoterapia

Todo mundo sonha, mas nem todos se recordam.


O primeiro passo é querer aprender algo sobre si mesmo, querer acessar um novo conhecimento, a
vida psíquica e espiritual.
• Mantenha um diário de sonhos, esta é uma experiência enriquecedora. Ao deitar coloque o diário de
sonhos ou um gravador ao lado da cama para registrá-los.
• Antes de dormir sugira a si mesmo que vai lembrar-se dos sonhos, leia ou estude sobre o tema.
• Se você tem perguntas sobre determinado assunto, faça-as antes de dormir; anote a pergunta no
diário de sonhos e aguarde. Trabalhe uma pergunta de cada. Chamamos este procedimento de
incubação do sonho.
• Pratique a oração e a meditação.
• Torne-se um sonhador de fim de semana, quando sua rotina não favorecer a anotação do sonho.
• Ao acordar, permaneça na cama imóvel por alguns minutos; este é o momento em que o consciente
flagra a produção onírica.
• Escreva o sonho sem se preocupar em interpretá-lo, e relate-o no presente.
• Veja o sonho como uma encenação teatral onde há um título da peça, uma cena de abertura, uma
trama e um final. Siga este roteiro. Tente resumir o que se passa. Use generalizações e palavras-
chaves para expressar a ação do sonho.
• É comum termos mais de um sonho na noite, relate-os na seqüência pois eles têm relação entre Si.
• Escreva o sonho mesmo que seja apenas um fragmento, talvez o conteúdo integral venha à memória
durante o dia ou quando for trabalhar com ele.
• Ao ser despertado no meio da noite por um sonho, não hesite em registrá-lo, tais sonhos contêm
mensagens especiais e são normalmente esquecidos pela manhã.
• Após escrever o texto do sonho, anote seus sentimentos frente ao sonho.

• Dedique um tempo para trabalhar com o sonho durante o dia ou durante a semana. Faça
sonhoterapia com eles.
• Finalmente, compartilhe seus sonhos e ouça regularmente os sonhos de amigos e de familiares. O
próprio ato de contar um sonho já é uma forma de interpretá-lo.

23
Técnicas de interpretação

“Imaginemos um quebra-cabeça onde os sonhos e os acontecimentos da vida desperta são as peças.


Ao unirmos as peças se formará uma imagem completa de nós mesmos e do sentido de nossa
vida.”(Mark Thurston).

Para encontrarmos o lugar do sonho desta noite é preciso elucidá-lo, procurar pistas para a
interpretação.
Um dos processos de interpretação consiste em que você releia o texto do sonho no seu diário e:

1- Considere a cena de abertura do sonho perceba qual o ambiente do sonho, seu cenário.

Dedique tempo e esforço para esclarecer a cena de abertura, ela é a primeira pista sobre à que área
da nossa vida o sonho se refere. Forneça o máximo de detalhes e associações, por mais triviais que
pareçam.
Você está na natureza, no ambiente profissional ou familiar? Qual o clima interior, sol, chuva, noite,
dia?

2 - Identifique os símbolos do sonho.

O símbolo mais comum nos sonhos é a própria imagem do sonhador, ou ego onírico a nossa
consciência no estado de sonho.
As pessoas, animais ou coisas que aparecem nos sonhos devem ser interpretados como aspectos de
nossa própria personalidade, agradáveis ou não, que são projetados.
Escreva os símbolos anotando o que significam para você, só posteriormente recorra a um dicionário
de símbolos.
Faça uma lista dos personagens escrevendo suas associações.
Lembre-se que os personagens também representam partes de nossa psique como o animus/anima,
sombra, persona, self.
Quando há vários personagens é importante ver o que eles têm em comum, em que se diferenciam e como
interagem.

3- Identifique o tema do sonho, o que está acontecendo.

Depois de ter observa do onde você está e com quem você está, descreva o que você está fazendo,
suas ações no sonho. Siga o ego onírico ou a sua própria imagem no sonho.
Sublinhe os verbos isto lhe dará uma visão da ação do sonho. Resuma tudo fazendo um apanhado da
situação do sonho. Observe suas posturas e suas reações emocionais no sonho.
Preste atenção aos diálogos e às opiniões emitidas no sonho.

4- Observe a cena final do sonho.

Como termina o sonho, qual é o desfecho. Há algum caminho sugerido?

5- Revise o sonho e perceba qual a cena que suscitou mais emoção?

Sinta esta emoção no corpo. Há alguma emoção no passado que se assemelha à esta? Há alguma
relação com a experiência atual da vida? A emoção é quem nos guia para realizar a conexão com a
vida.

24
Qual o propósito do sonho, o que você acha que o sonho esta lhe dizendo?

6- Escolha um título para o seu sonho.

Procure uma frase que se ajuste à sua emoção no sonho, ou que sintetize a mensagem do sonho;
pode ser uma metáfora , um provérbio ou uma lição de vida. Use frases no gerúndio pois o sonho é
ação.

7- Reflita sobre como colocar em prática a mensagem do sonho afinal é esta a função do sonho.

Escreva as aplicações sugeridas, e as decisões necessárias

8- Os sonhos têm mais de uma interpretação correta, só o sonhador tem a resposta.

O próprio ato de compartilhar o sonho já é uma forma de interpreta-lo. Compartilhe seus sonhos,
valorize esta experiência.

9- Ao compartilhar os sonhos em grupo procure se conectar com suas próprias emoções evocadas por
um símbolo do sonho do outro.

Utilize a regra “se este sonho fosse meu” ou, “quando eu sonhei este sonho”, para emitir seus
sentimentos e comentários. Transforme uma afirmação em uma pergunta.

10- Trabalhe regularmente com seus sonhos; faça uma revisão mensal dos temas e situações
vivenciados.

Você ficará surpreso com os resultados.

Níveis de Consciência
Mundo Físico
- visão
- paladar
21 cps

Níveis de
Ação

- audição BETA Consciência


- olfato
Externa
- tato
- tempo
- espaço
Mundo Espiritual
14 cps

Sem tempo no espaço


Pensamento

ALFA
PES = percepção extra sensorial
Níveis de
Sonho

Consciência
Interna
7 cps

THETA

Inconsciência
4 cps

DELTA (Níveis de anestesia em cirurgia,


odontologia, partos, etc.)

Ritmo Cerebral 

25
Símbolos da sonhoterapia

 Cenários dos sonhos

◘ Casa: reflete nosso estado interior, nossa estrutura psicológica, nossa personalidade.

Casa em reforma ou inacabada: simboliza reformas necessárias para o crescimento pessoal.


Casa da infância: conteúdos emocionais da nossa história pessoal, é uma regressão espontânea à
infância.
Quarto: as cenas no quarto simbolizam intimidade, temas sobre nossa vida sexual e afetiva.
Sala: local do convívio social: os sonhos na sala trazem mensagens para nossos relacionamentos
familiares e sociais.
Banheiro: é o local da higiene pessoal, simboliza unificação dos pensamentos e sentimentos.
Cozinha: os sonhos na cozinha simbolizam como estamos assimilando o conhecimento (intelectual e
espiritual), a fase de preparação de novas idéias e projetos
Sonhos com alimentos: referem-se à qualidade da nossa nutrição, e contêm dicas sobre fossos
hábitos alimentares.

◘ Prédio: simboliza nossa estrutura mental e intelectual, racionalidade, idéias, crenças e valores.
Prédio em demolição: pode simbolizar a necessidade de destruir velhas crenças e padrões de
comportamento, abrir caminho para algo novo.
Prédio abandonado: projetos, valores que abandonamos, experiências do passado. Olhando do alto
de um prédio: ver as coisas de outro ponto de vista, de outra perspectiva.

◘ Natureza: os sonhos ao ar livre principalmente quando a cena é ensolarada e bonita, são sonhos
espirituais, falam da nossa natureza interior.

Subindo montanhas: pode representar nosso esforço para atingirmos nossa meta de vida, de elevação
espiritual ou de ambições na vida.
Caminho na natureza: nossa jornada de vida, nossas aptidões. Se o caminho está bloqueado:
dificuldades na realização de nosso projeto de vida.

◘ Local de trabalho: quando o ambiente evoca cenários da nossa atividade profissional, o sonho traz
mensagens para esta área da nossa vida. Observe os personagens e suas posturas frente a eles. São
sonhos que falam da persona, das máscaras.

 Personagens nos sonhos

◘ Próprio sonhador: é a nossa consciência, o ego, no estado de sonho. É interessante observar a


maneira como estamos vestidos, nossas ações e posturas no sonho, as opiniões emitidas no sonho e
sobretudo nossas emoções e sentimentos. Compare quem você é no sonho e na sua vida desperta.

Criança: geralmente a criança simboliza pensamentos, expectativas e desejos que estão se


desenvolvendo. Simboliza também nossa criança interior, fruto das vivências e pode a parecer no
sonho como a criança ferida.
Bebê: pode representar um projeto recente na sua vida.
Sonhar com gravidez: refere-se a novas possibilidades criativas, gestar novas idéias, nova fase de vida.

26
◘ Pessoas: as pessoas nos sonhos simbolizam aspectos de nossa própria personalidade,
agradáveis ou não, que o inconsciente projeta na imagem de outros. O sonho é seu e para identificar
quem é quem nos sonhos, sublinhe os nomes, anote o tipo de relacionamento, e dê adjetivos para
elas. Por exemplo: Maria: colega de trabalho, responsável, alegre, comunicativa. Eduardo: colega da
faculdade, solteiro, farrista, fracassado.
Pessoas conhecidas: representam qualidades ou defeitos das quais você tem consciência, mas que
não aceita como seus.
Pessoas desconhecidas: qualidades ou defeitos que você não sabe que tem, que estão inconscientes.
Pessoas antipáticas personificam traços seus que você não gosta ou que não reconhece como seus.

◘ Namorado (a): os sonhos com os amores da nossa vida, vão falar sobre o relacionamento afetivo
com o sexo oposto, muitas vezes revelando dificuldades na área afetiva e sexual que remontam ao
passado do sonhador. Também os personagens do sexo oposto ao sonhador, podem estar se
referindo ao equilíbrio das qualidades masculinas e femininas da personalidade; nossa balança
energética.
As mulheres nos sonhos dos homens: simbolizam, qualidades e instintos femininos como intuição,
sentimento, sensibilidade, receptividade. Representam a anima do homem, a personalidade feminina
inconsciente.
Os homens nos sonhos das mulheres: representam qualidades como intelecto ação, agressividade,
força de vontade, objetividade. Representam o animus da mulher, a personalidade masculina
inconsciente.

◘ Imagens de sabedoria: Jesus, Maria, Imagens de sabedoria; são símbolos do seIf do sagrado e do
divino, o eu superior.

 Animais:

◘ Cachorro: simboliza a capacidade de domesticar os instintos como a sexualidade e a agressividade,


assim como a afetividade, a fidelidade e a coragem. Se feroz, representa conflito ou uma
personalidade tempera mental inconsciente.

◘ Gato: é um símbolo arquetípico do feminino, das qualidades femininas da personalidade.


Simboliza também sabedoria, espírito independente, observador e brincalhão. Em nossa cultura, o
gato simboliza ainda a sensualidade e a atração entre homem e mulher.

◘ Serpente: é um símbolo bastante freqüente nos sonhos. Para os orientais, é o símbolo da


Kundaline, representante da energia vital, símbolo de cura física e espiritual. No arquétipo cristão
simboliza sedução e traição. A serpente evoca sentimentos de medo frente ao desconhecido e ao
inconsciente. Para as mulheres primitivas foi um símbolo de fecundidade.

◘ Cavalo: é um vigoroso símbolo de força física e da energia vital e sexual. Pode representar nosso
próprio corpo e como estamos fazendo uso de nossas energias.

◘ Monstros: personificam nossos medos no sonho. A orientação da sonhoterapia é vencermos os


monstros nos sonhos.

27
 Veículos:

◘ Carro: nos sonhos pode simbolizar nosso próprio corpo, nosso ego, nossa autonomia e nosso estilo
de vida. A maneira como dirigimos, quem conduz, o tipo e a cor do carro, seu estado de
funcionamento, são dados importantes sobre nossa maneira de conduzir a vida e o nosso corpo.
Acidente de carro: conflito, confrontação (bater de frente com alguém), alerta para a maneira de estar
conduzindo uma situação, cuidados físicos.

◘ Ônibus: segue um percurso preestabelecido, representando o pensamento coletivo, as crenças e


preconceitos, a rotina.

◘ Avião: é o veículo do ar, da função pensamento; representa idéias e ideais elevados, projetos
grandiosos, agilidade de raciocínio pode também sugerir uma visão mais ampla da situação.
Aviões caindo: planos que não se concretizam, queda social ou financeira.

Problemas para decolar: dificuldade em colocar em prática os projetos em fazer decolar uma idéia.
Problemas para aterrissar: dificuldade para finalizar o pensamento ou os projetos de vida.

◘ Bicicleta: enfatiza a necessidade de manter o equilíbrio em nossa vida


Bicicleta com o pneu furado: se for o da frente, falta de direção, de objetivos na vida. Se for o pneu de
trás, falta de energia para realizar os projetos.

◘ Navios, embarcações: são os veículos das águas, das emoções, do caminho espiritual. Simbolizam
nossa jornada emocional e espiritual, nossas esperanças e sonhos.
Navio afundando: alerta de uma crise emocional, ou má condução de um projeto. O mesmo simbolismo da
“canoa furada”.
Barco a remo: avanço realizado com o próprio esforço.
Barco pequeno: limitação, solidão.

 Elementos

◘ Água: é a fonte da vida, símbolo das energias vitais, do inconsciente, e do fluxo das emoções em
geral.
Água turva: simboliza que estamos com os sentimentos confusos, pensamentos negativos.
Água clara: harmonia espiritual, emoções verdadeiras.
Tomar banho: sugere a necessidade de purificar nossos sentimentos, pensamentos e atitudes. A
água purifica e renova.
Mar: é um símbolo das profundezas do inconsciente, do infinito em nós mesmos. A condição do mar
indica o estado de nossas emoções inconscientes (águas turbulentas, ondas, marés e águas paradas).
Rios: representam o fluir dos acontecimentos da vida e do nosso caminho espiritual.
Nadar: representa a atividade espiritual, nosso esforço para aprender com as emoções, estudar e
aplicar o conhecimento.
Chuva: no sonho traz sempre alívio da tensão interior e simboliza a purificação, o perdão, as bênçãos
dos céus.

28
◘Terra: é o símbolo da materialidade, da realidade como também, da feminilidade, da fertilidade da
mente e da transformação interior. Representa a “matéria prima” da nossa vida.
Jardim: solo fértil da mente, onde são plantados e cultivados nossos pensamentos, nossos desejos e
esperanças.
Frutos: simbolizam o fruto do nosso trabalho, aquilo que plantamos e colhemos ao longo da vida.

◘ Ar: elemento da função pensamento, da intelectualidade e da racionalidade.


Vento: símbolo do espírito se movendo na matéria, do fluxo geral do pensamento e das forças
mentais.
Vento tempestuoso: revela raiva, fúria, frustração.

Voar: pode simbolizar uma tendência a se evadir da realidade “ficar voando”. Procure aterrissar em um
local interessante da próxima vez. Reavalie suas metas, ponha os pés no chão.

◘ Fogo: elemento da transformação e purificação, fogo do amor e da vida, fogo interior. Simboliza
também paixões, impulsividade, mau humor (alguém que se “queima” com facilidade).
Incêndio: excesso de intelectualismo ou atitudes passionais, dependendo do contexto do sonho.

 Ações no sonho

◘ Fazer sexo no sonho: pode ser simplesmente uma liberação da tensão sexual: pode revelar
desejos reprimidos frente a alguém. Pode simbolizar união, integração do feminino/masculino. O amor
nos sonhos nunca é demais. Se você está mantendo relações sexuais permita que elas prossigam até
o orgasmo.

◘ Brigas, conflitos e lutas: simbolizam conflitos interiores, quando nossa mente quer uma coisa e
nosso coração quer outra. Simboliza algo que estamos relutando em escolher.
Também revela atitudes agressivas inconscientes. A luta nos sonhos revela raiva reprimida e o inimigo
somos nós mesmos.,

◘ Caindo: pode simbolizar simplesmente o ato de cair no sono, devido á queda no ritmo das ondas
cerebrais, é mais uma sensação que ocorre logo no inicio da noite. Porém, quando acontece dentro de
um sonho com roteiro, pode ser um alerta para um, possível passo em falso na vida um prognóstico
negativo,

◘ Viajando: as viagens simbolizam a nossa jornada de vida o caminho do auto- conhecimento É


comum estarmos no estrangeiro que simboliza o inconsciente o desconhecido. Outras vezes, as
viagens podem sugerir a necessidade de sair da rotina, mudar os hábitos.
Viagens astrais: são expansões de consciência e é comum conhecermos lugares que já visitamos em
sonhos.

◘ Fugindo: simboliza sua postura frente a algum aspecto de sua vida que você não quer enxergar.

 Cores:

◘ Vermelho: é a cor do chacra base ou sexual revela emoções intensas,vitalidade.

◘ Laranja: a cor do chacra do umbigo; da fecundidade, da criatividade, da tolerância e da entrega.

29
◘ Amarelo: chacra do plexo solar revela energia vital força de vontade, poder pessoal, agilidade
intelectual.

◘ Verde: para o chacra do coração; do amor incondicional, perdão, compaixão em geral; vigor,
crescimento.

◘ Azul celeste: para o chacra da garganta; comunicação, expressão dos sentimentos.

◘ Azul índigo: para o chacra da sobrancelha ou terceiro olho; sabedoria espiritualidade clarividência,
percepção além da dualidade.

◘ Violeta: para o chacra da coroa; Eu Superior, consciência expandida, sabedoria, self.

◘ Dourado: cor da espiritualidade.

◘ Cor-de-rosa: cor do amor, e dos relacionamentos afetivos.

◘ Preto: sombra, desconhecido, nigredo.

Bibliografia
CHEVALIER, Jean e Ajam. Dicionário de símbolos. Ed. José Olympio.
GARFIELD, Patrícia. Sonhos criativos. Ed. Nova Fronteira.
GAMASHI, Halu. O livro dos sonhos cabalísticos Ed. Elevação.
HALL, James. Sonhos e símbolos religiosos do Inconsciente. Ed. Loyola.
JUNG, C.G. O homem e seus símbolos. Ed. Nova Fronteira.
JUNG, C.G. Memórias, sonhos, reflexões. Ed. Nova Fronteira.
JORNAL SONHOS Assinatura: Bolo Horizonte, tel.: (31) 287 2757; em Brasília, tel.: (81)347 1083.
Email: sonhos@gold.com.br lnternet,: www.gold.com.br/-sonhos
KAPLAN-WILLIAMS Strefon. Cartas dos sonhos. Ed. Bertrand Brasil
KAPLAN-WILLIAMs, Strefon. Elementos da sonhoterapia. Ed. Ediouro.
KRIPPNER, Stanley. Decifrando a linguagem dos sonhos. Ed. Cultrix.
LA BERGE, Stephen. Sonhos lúcidos. Ed. Siciliano.
LELOUP, Jean-Yves. O como e seus símbolos. Ed. Vozes.
NOVAES, Adenáuer. Sonhos mensagens da alma. Ed. Fund. Lar Harmonia.
PAUL, Patrick. Sonhos seus mistérios e revelações. Ed. Fundação Petrópolis.
PERROT, Etlenne. O caminho da transformação segundo Jung e a alquimia. Ed. Paulus.
SIGNELL, Karen. A sabedoria dos sonhos. Para desvendar o inconsciente feminino. Ed. Agora.
TANNER, Wilda. O mundo místico, mágico e maravilhoso dos sonhos. Ed. Pensamento.
THURSTON, Mark. Sonhos. Ed. Pensamento.
TRIGUEIRINHO. Nossa vida nos sonhos. Ed. Pensamento.
VAUG HAN-LEE, Llewliyn. Sonhos as janelas da alma. Ed. Gente.
WHITMONT, Edwards C. Sonhos um portal para e fonte. Ed. Sumus.

30

Você também pode gostar