Você está na página 1de 15

COMO FAZER UMA SERRA CIRCULAR BANCÁRIA (PLANOS,

MATERIAIS E PASSOS).

A serra circular é uma máquina para serrar longitudinalmente ou transversalmente


a madeira, e também para dividi-las ou seccioná-las.
Esta máquina está equipada com um motor elétrico que gira em alta velocidade uma
lâmina de serra circular (lâmina de serra). Usando uma lâmina adequada (quanto à sua
dureza e à forma dos seus dentes), uma serra circular portátil pode cortar qualquer
pedaço de madeira.
É caracterizada por fazer cortes precisos e também permite cortar em um ângulo de até
45 graus.
Além da possibilidade de incorporar dispositivos de proteção contra poeira ou serragem
que ocorram no corte; alguns são fornecidos para conectar – se a um extrator externo.
ESTRUTURA DE SERRA CIRCULAR BANCÁRIA

Com duas folhas triplex de 18 mm e alguns parafusos, a estrutura de uma serra circular
pode ser rápida e facilmente fabricada com materiais fáceis de encontrar no mercado.
LISTA DE MATERIAIS
Para a elaboração da estrutura da serra circular, as chapas devem ser moduladas
conforme indicado nos seguintes planos de corte.

As dimensões de cada peça devem ser traçadas, tentando otimizar o espaço da folha ( 18
mm triplex ).
De acordo com os planos estabelecidos, a usinagem de cada uma das peças
que compõem a estrutura da serra circular é executada. (peças A1, A2 , B1, B2, C1, D1, E1
e G1) Todas as dimensões são dadas em milímetros.
PEÇAS QUE ACOMPANHAM O QUADRO QUE ESTÁ MONTADO NO
FUNDO DA CAPA
COBERTURA DE SERRA CIRCULAR.
BASE DA ESTRUTURA
SUPORTE MOTOR

SUPORTE MOTOR
APOIO MOTOR

peças que compõem o guia de serra


PARTE DO PROCESSO DE MONTAGEM
O próximo passo é montar e montar as peças para modular as peças com as
quaismontaremos
a estrutura da serra circular.

1. MONTAGEM DAS PEÇAS QUE COMPÕEM O GUIA DA SERRA.


Cole as peças A1, C1, D1, E1, G1, S1, S2.

2. grupos armados FAZEM PARTE SUPERIOR DA SERRA.


Montar a peça T1, peças R1, R2, R3, R4, com parafusos autoperfurantes e cola
PVA.
3. MONTAGEM DAS PEÇAS QUE COMPORTAM O APOIO DO MOTOR.
Cole as peças C1, D1 e E1 com parafusos autoperfurantes e cola PVA

4. MONTAGEM DE TODAS AS PEÇAS MODULARES QUE COMPORTAM A


ESTRUTURA DA SERRA CIRCULAR.
Com as peças B1 e B2, monte a base da serra com parafusos autoperfurantes e
cola PVA colocando a base para o motor e o mandril nas perfurações do eixo,
prendendo-o com porcas e arruelas.
MONTAGEM DO SISTEMA MECÂNICO.
O objetivo do corte é dar dimensões e características específicas às peças de
madeira, a fim de cumprir determinadas funções dentro de um projeto, para
otimizar materiais e evitar muitos processos de transformação.

LISTA DE MATERIAIS.

Uma vez elaborada a estrutura da serra, instale o motor e o mandril


Partes C1, D1 e E1.
Verifique o alinhamento das polias com o mandril e o motor, que os eixos
são paralelos e que sua localização facilita a instalação e manutenção
do disco.

Os rolamentos do mandril devem ser ajustados para evitar vibrações


no disco
A correia deve estar sempre esticada e alinhada com a polia do motor e
o mandril
Na tampa T1 instale as regras e localize o dispositivo para abertura do disco, que
pode ser feito com triplex de 18 mm, prendendo-o a tampa com parafusos e
placa de metal na parte inferior da tampa, pode ser substituído quantas vezes
forem necessárias.

Instale o parafuso rápido para a graduação da altura do disco


que as peças C1 e B1 e o volante estejam em uma altura de manipulação
adequada.
As peças (S1) uma vez montadas devem ser instaladas niveladoras para nivelar
a cobertura T1 em relação à base da serra e assim dar firmeza à cobertura.
Instale o motor de partida e verifique a tensão na qual o motor trabalha para
fazer os ajustes necessários.

Instale a tampa da serra com o disco no seu ponto mais baixo, prendendo-o
com parafusos para que fiquem encaixados na madeira.
Uma vez que a tampa está armada e presa, ligue a serra e levante o disco com o
volante que se projeta da tampa da serra a uma altura ideal de trabalho,
deixando a abertura para o disco elaborado.
VELOCIDADE DE CORTE.
Para o cálculo das variáveis que participam da definição de velocidade de corte
em chapas de aglomerado é necessário:

VD = VELOCIDADE DO DISCO.
VM = VELOCIDADE DO MOTOR.
DPM = DIÂMETRO DA POLIA DO MOTOR.
DPD = DIÂMETRO DE POLIA DE DISCO.

Em geral, a variável a ser modificada são os diâmetros da polia, que


por custo e facilidade de realização, eles facilitam a graduação de velocidade
do corte de serra.
Para cortar folhas de aglomerado, recomenda-se uma lâmina de serra
de dentes retos trapezoidais, que devem estar em carboneto de tungstênio
para melhor qualidade de corte e nitidez do disco.