Você está na página 1de 2

aborda questões relativas ao paradigma da sociedade do conhecimento e a informação como agente de profundas

transformações no ambiente organizacional pela consolidação de produtos, serviços e sistemas de informação

Assim, existe uma busca por modelos de gestão estabelecidos sobre conhecimento e informação segura,
oportuna, atual e abrangente, que possam ser utilizados em prol das estratégias de ação da organização.
O objetivo deste trabalho é examinar como a gestão do conhecimento e a gestão da informação em
organizações baseados em inteligência competitiva podem fortalecer o processo de tomada de decisão
na busca de otimização do desempenho e vantagens competitivas por meio de um modelo de gestão
integrado. Uma abordagem conceitual de GC, GI e IC é realizada para permitir discussão à luz de suas
diferenças, semelhanças e interdependências

PARADIGMAS PSICOLOGICOS
1. Psicodinâmica – psicologia profunda
Freud - psicanálise
Jung – psicologia analítica

2. Cognitiva comportamental
3. Humanistas existencialistas
4. Teoria transpessoal - 4ª força

Cada uma tem uma fissão de homem diferente

Como yung chegou a conclusão da existência do inconsciente coletivo?

TEORIA DA PERSONALIDADE

Base essencial da personalidade é afetiva. Pensar e agir são, por assim dizer , meros sintomas
da afetividade. Os elementos da vida psíquica, sentimentos ideias e sensações apresentam -se
à conscientcia sob a forma de certas unidade que, numa analogia com a quiica poderiam ser
comparadas as moléculas.

A argamassa desses complexos é um determinado afeto.


Existem acontecimentos que marcam a vida. São conhecidos os efeitos duradouros e poderosos
provocados por impressões religiosas ou experiencias muito comoventes. Os efeitos na
juventude são especialmente fortes. No fundo, a educação tem por fim implantar complexos
duradouros na criança. A durabilidade do complexo é garantida pela existência de uma
tonalidade afetiva vigorosa. Desaparecendo a tonalidade afetiva, desaparece também o
complexo.

Os efeitos do complexo não são extensivos apenas ao pensamento, mas também a ação que se
vê continuamente impelida para determinada direção. Quantas pessoas participam, sim refletir,
de ritos religiosos e outras práticas sem fundamento, embora intelectualmente já estejam muito
além delas.

A maioria dos complexos se encontra em estado de repressão, pois, geralmente, dizem respeito
a segredos íntimos, delicadamente escondidos, que a pessoa não quer ou não pode revelar.

Os impulsos corretivos ou compensações que começam a se manifestar na consciência deveriam


significar o início de um processo de cura, porque a atitude anteriormente isolada estaria em
vias de superação, mas , na realidade, isso não ocorre porque os impulsos corretivos do
inconsciente se manifestam de tal modo que a consciência não é capaz de aceitá-los.
FREUD JUNG
 Superego Inconsciente tem toda a vida psíquica, toda a
 Ego – dono da memoria personalidade. O ego é impontar, mas a
 Id totalidade é o self. O ego é o servo do self,
ICS
Ego – motorista do carro, área do self para
Ego é o centro da personalidade. controlar a motricidade.
Conflito entre superego e o Id, surge uma
doença (Neurose). Doença A energia vai se organizar por meio de
Acessar a o conteúdo e tirar a panela do fogo. complexos, como a energia circula, é
Escolha: o desejo é editado pelo topográfica e dinâmica.
inconsciente, Determinismo. O consciente é
um deposito que já existia instintos. Freud Topografia – mapa da alma
transforma o homem em um animal sexual. Dinâmica – como a energia circula
Homem trinário - Econômica – quando a energia circula

Psificação :

Automática – instinto (psicologia rudimentar) – arquétipo (quando a biologia saiu e a psicologia


assumiu), órgão da psicologia vestigial, acesso a imagem coletiva, arquétipo é o núcleo de todo.

Núcleo do pessoal com o coletivo: complexo