Você está na página 1de 1

SAÚDE MENTAL II-MEDICINA CESMAC

CAROLIINE DE O.NASCIMENTO

No início do filme, Jones consegue um emprego como marceneiro através da insistência e do


seu bom humor, que foi até capaz de convencer o dono da obra. Extremamente falante, é
chato, pegajoso, fala muito, perde o controle porque está com o humor exaltado, como por
exemplo: ele fez amizade com seu companheiro de obra e já se ofereceu para dar uma quantia
em dinheiro para que ele pudesse jantar com seus 7 filhos mostrando descontrole. O
protagonista é muito eufórico, tem habilidade extrema em realizar contas, gasta dinheiro sem
limites (oferecendo gorjetas por exemplo).

Outro episódio, marcante é quando ele anda sobre os caibros de madeira do telhado, dizendo
que quer voar, não sente medo, não mede as consequências dos seus atos, típico de um estado
de mania. Foi para o hospital cuja história clínica descrevia: agitado, delirando, e com
alucinações auditivas; o residente o diagnosticou distúrbio bipolar maníaco depressivo e foi
administrado aldol 10 mg. O transtorno bipolar em geral, funciona como ponte entre os
transtornos do espectro da esquizofrenia (psicóticos) e os transtornos
depressivos, em termos de sintomatologia, história familiar e genética, por isso que a
esquizofrenia também é uma hipótese de diagnóstico citada, mas descartada ao decorrer do
filme.
Ao invadir a orquestra e agir como se fosse o maestro e foi internado novamente; ele não
admite que esteja doente. A Drª Elizabeth inicia a terapêutica e prescreve amidantal que é um
sedativo.

A partir do momento que Jones começa a ser tratado, bem como sair Drª Elizabeth, passa pela
sua fase mais depressiva: descontrole, desespero, incapacidade de realizar as suas atividades
com prazer (despreocupa-se com a higiene e vestimentas). Ele é solitário, passou toda a vida
sendo internado em hospitais psiquiátricos sem curar-se. Sua dor é maior do que os sintomas
da doença.

Desse modo, é importante compreender que a doença bipolar, tradicionalmente designada


doença Maníaco-Depressiva, é uma doença psiquiátrica caracterizada por variações
acentuadas do humor, com crises repetidas de depressão e mania, sintomas presentes e
característicos na vida de Jones, qualquer dos dois tipos de crise pode predominar numa
mesma pessoa sendo a sua frequência bastante variável.

O que mais sensibiliza nas doenças psicossomáticas é o toque, a falta de carinho, a consciência
da dor e sua verdade ao longo da vida. O filme também funciona como uma alerta às famílias e
pessoas próximas que excluem seus doentes e os deixam marginalizados. A solidão de Jones é
consequência do abandono e da incompreensão desde quando era criança.

Você também pode gostar