Você está na página 1de 50
C
C

ARCO - 2008

Argumento: Márcia Macedo d´Haese Texto teatral: Márcia Macedo d´Haese e Ismael Scheffler Texto narração da Meg: Márcia Macedo d´Haese Músicas: Ana Luiza de Geus

Dados internacionais para Catalogação na Publicação (CIP)

PROCURA-SE O NATAL - d´Haese, Márcia Macedo; Scheffler, Ismael; Geus, Ana Luiza; ilustrações d´Haese, Márcia Macedo. Curitiba: Arco - Arte e Comunicação, 2008. Inclui CD.

ISBN 85 86638 84-8

1. Cantata

I. título

II. d´Haese, Márcia Macedo

III.

Scheffler, Ismael

IV. Geus, Ana Luiza

V. Arco, Arte e

Comunicação Ltda.

CDD-781.5

Índices para catálogo sistemático:

1. Cantata

781.5

1 a Edição - 2008 - 5000 exemplares

C
C

Copyright 2008 ARCO - Arte e Comunicação Ltda.

Esta obra foi criada e composta por seus autores, Márcia Macedo d´Haese, Ismael Scheffler e Ana Luiza de Geus. Os direitos editoriais (de publicação) são reservados à Editora ARCO Arte e Comunicação Ltda. Assim, a Editora ARCO permite a reprodução de ilustrações e letras para ensaios e decoração de ambientes. No entanto, a reprodução desta obra, ou de parte dela, para qualquer finalidade comercial, ou vinculada a valores monetários quaisquer, estará desrespeitando o trabalho de seus autores e editores. Adquira o seu musical original através da Editora ARCO ou de seus representantes e comunique-se com a Editora ARCO quando houver interesse em utilizar este material vinculado a qualquer tipo de movimentação financeira.

ÍNDICE

Pág.

Faixa

Faixa

CD

Playback

Apresentação e sugestões

4

Música 1 - Cadê? (Introdução)

7

1

12 e 23

Texto teatro - Cena I

8

Narração Meg - parte I

12

2

13

Música 2 - Novidade

13

3

14 e 24

Texto teatro - Cena II

14

Narração Meg - parte II

18

4

15

Música 3 - Farol

19

5

16 e 25

Texto teatro - Cena III

20

Narração Meg - parte III

22

6

17

Música 4 - Papai Noel

23

7

18 e 26

Texto teatro - Cena IV

24

Narração Meg - parte IV

28

8

19

Música 5 - Procura-se o Natal

29

9

20 e 27

Texto teatro - Cena V

30

Narração Meg - parte V

32

10

21

Música 6 - Mensagem do Natal

33

11

22 e 28

Partituras Música 1 - Cadê? (Introdução)

35

Música 2 - Novidade

36

Música 3 - Farol

38

Música 4 - Papai Noel

40

Música 5 - Procura-se o Natal

41

Música 6 - Mensagem do Natal

42

APRESENTAÇÃO

Em 1981, Márcia d´Haese criou uma história teatral para apresentar no Natal com os adolescentes de sua igreja. Entre idas e vindas, finalmente em 2008 esta história ganhou forma para circular mundo a fora e abrilhantar outros Natais. Para trabalhar na versão desta publicação, a ARCO convidou Ana Luiza de Geus e Ismael Scheffler. Esta dupla, já parceira em outros musicais, abraçou esta linda e engraçada história: Ana compôs as músicas e Ismael ampliou e desenvolveu o texto teatral, trazendo mais algumas sugestões

para a encenação. E o resultado está aí: uma proposta que pretende a excelência artística

e que busca refletir nossa realidade brasileira, instigando a criatividade e propondo uma mensagem de revigoramento a todas as pessoas, convidando a um caminhar com Cristo.

Esta proposta traz a já consagrada versão para narrador e coral, mas também oferece algo a mais em relação às cantatas anteriores: a realização de uma peça de teatro intercalada com apresentações de coral. São duas possibilidades: teatro + coral ou narrador + coral. Como em outras cantatas, esta vem acompanhada por um CD com narração, coral e playback, e uma apresentação digital com as letras das canções, para projetar em telão. Analise sua agenda, aceite o desafio. Recrute seu pessoal, convide novas pessoas para participar da apresentação. Devido à extensão do texto, sugerimos que o teatro seja apresentado por jovens e adultos e que as músicas sejam preparadas por um coral de

crianças

ou um coral misto, por que não? Esta apresentação de

Natal pode ser uma excelente oportunidade para o encontro e a comunhão de diferentes grupos e faixas etárias da comunidade. A celebração não ocorre apenas em uma noite, mas também no processo dos ensaios e no palco, partilhando a conquista de realizar um belo e dedicado espetáculo. Para Deus, nosso Senhor, o melhor!

ou coral de adultos

PROCuRA-SE O NATAl

A peça é dividida em cinco cenas que representam cinco momentos diferentes da apresentação. Cada cena do teatro está intercalada por uma música que enfatiza, reflete e amplia as questões abordadas pelos personagens. Uma sugestão é que o coral fique colocado ao lado do palco, permitindo que os cantores vejam confortavelmente a encenação e já estejam bem posicionados para cantar. Enquanto

o coral canta, os atores podem sair do palco, pois as músicas também correspondem a

passagens de tempo. Para que a representação dos personagens seja mais convincente e expressiva, os atores devem decorar muito bem suas falas e se preocupar bastante com a

expressão. Decorar as falas é apenas a metade do trabalho. Só depois de o texto decorado

é que vem a parte boa: contracenar e interpretar. Neste sentido, é preciso que os atores

estejam bem comprometidos e que se dediquem bastante a vários ensaios. Quanto mais ensaios, mais dinâmica e divertida ficará a apresentação. O mesmo acontece com o coral. Os ensaios do coral e do teatro podem acontecer separados, juntando-se apenas nos últimos ensaios antes das apresentações.

4

Personagens:

Além das características abaixo, o ator pode desenvolver e ampliar seu jeito de interpretar,

dando seu carisma ao personagem.

1. Buzz (pernilongo) - irônico, mal-humorado, quando tem medo faz de tudo para não

demonstrar, é “antenado” na Jô Aninha.

2. Mosaica (mosca) - muito deslumbrada com tudo, ingênua, vaidosa.

3. Araci (aranha) – “parece” um ser malvado, mas é divertida, amiga, extravagante e um

pouco caipira.

4. Jô Aninha (joaninha) - de iniciativa, otimista, se acha inteligente mas não é arrogante.

Usa falar “Táá´???”

5. Spot (vaga-lume) - líder, animado e encorajador, tem boas idéias. Gosta de falar bom

português e palavras difíceis.

6. Pulguino Saltino (pulga) – espertalhão, divertido e medroso. Fala depressa.

7. Apresentador (ser humano) - narrador da história, simpático, meio misterioso. Muito

expressivo.

Sugestão de figurinos:

Como a peça é uma comédia leve e divertida, que tal brincar com a aparência dos animaizinhos e estilizar características? Um figurino que tente copiar o visual dos animaizinhos é uma opção, mas a estilização também pode ser uma forma de “comédia”.

A mosca Mosaica pode usar óculos bem grandes, ser redondinha (é possível dar a forma

com enchimentos na roupa) e usar uma roupa elegante e colorida porém fora de moda (que tal anos 80?), mantendo uma certa ingenuidade na personagem. Seu cabelo pode ter laços e fitas.

Buzz, o mosquito, pode usar óculos do tipo aviador (ou mergulho) e que tal um nariz exageradamente grande e pontudo? Ele pode ser feito de cartolina e preso como se fosse uma máscara com elástico.

A Jô Aninha pode usar um vestido preto estampado com bolas grandes vermelhas.

Nada vaidosa, mas mantendo a delicadeza das joaninhas. Seu penteado pode ser no estilo “lambidinho”, com gel. Para Araci, a aranha, um vestido largo e escuro com enfeites brilhantes. Ela pode ter seis braços (os braços falsos podem ser feitos de espuma ou fibra, é só prendê-los no vestido, amarrá-los com nylon pelo pulso um no outro e pendurá-los no pulso da atriz. Assim, quando a atriz gesticular, todos os braços se mexem). Ela pode usar uma cabeleira bem desarrumada. Araci é uma figura emblemática: assustadora e patética ao mesmo tempo.

5

Spot, o vaga-lume, pode usar algo mais “engomadinho”: um terninho de cor clara,

será que um óculos redondinho cai bem? Ah, e por se tratar de um

vaga lume, ele pode ter algum acessório que brilhe, como uma lanterna que ele acende sempre que fala.

Para Pulguino, um cabelo todo arrepiado. Ele pode ser fortão, que tal uma malha atlética com cores exageradas e um par de botas ou coturnos?

E o Apresentador é um personagem muito animado que pode usar uma roupa alegre,

dinâmica e colorida. Ou ainda algo que lembre um apresentador de circo ou um palhaço. Outra idéia: quem sabe uma roupa antiga, com um ar medieval, como os menestréis?

Estas são apenas algumas sugestões, a principal dica é ser divertido no figurino, mantendo uma boa medida. Na hora de montar o figurino, é bom pensar no conjunto como um todo, dar uma certa harmonia no estilo geral: variar e combinar cores e formatos das roupas, porém evitar misturas, como por exemplo, fantasia de insetos para alguns personagens

e roupas estilizadas para outros, ou nos tipos de acessórios - usar adereços reais ou confeccionados/imitações.

gravata borboleta

Sugestão de cenografia:

A ação acontece num local de encontro dos animaizinhos. Pode ser um bosque ou um

jardim, mas ao invés de retratar o local de forma realista, a sugestão é que se use uma cenografia despojada, com poucos elementos. Quem sabe caixas-cubos de madeira cada uma de uma cor (equilibrando as cores no conjunto com os figurinos)? O fundo do palco pode ser neutro, desta maneira o visual dos personagens - figurinos, penteados e cores

- ficam destacados. Estas caixas podem servir tanto de banquinho para sentar, quanto de palanque para discursos ou como esconderijo. Podem ser deslocadas, reagrupadas, empilhadas, espalhadas conforme se achar necessário. Podem ter todas o mesmo tamanho ou variar. Sugestões de medidas: 30cm x 30cm x 30cm ou 60cm x 60cm x 60cm ou 30cm x 30 cm x 60 cm. Um dos lados dos cubos pode ser aberto, facilita o manuseio e fica mais leve (pinte por dentro também). Escolha um compensado que não deixe o cubo muito pesado mas lembre que deve ser resistente para suportar o peso dos atores (sentados e em pé). Muitas pessoas da comunidade podem ajudar neste trabalho – há pessoas que curtem muito realizar trabalhos em marcenaria. O coral deve ficar bem visível, mas de tal forma que os cantores possam sentar para assistir a apresentação sem sair dos lugares. É importante não deixar “tempo morto” entre o teatro e a música. Uma coisa seve ser bem seguida e articulada a outra.

6

CADÊ? (Introdução) Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim E agora??? Cadê? Perdi Achou?
CADÊ? (Introdução) Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim E agora??? Cadê? Perdi Achou?

CADÊ?

(Introdução)

Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim E agora???

Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim Ai, ai, ai, ai!!!

Esqueceu? Acho que sim E agora??? Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim Ai, ai,
7
7

Trá, lá,lá,lá

Esqueceu? Acho que sim E agora??? Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim Ai, ai,
Esqueceu? Acho que sim E agora??? Cadê? Perdi Achou? Aã! Esqueceu? Acho que sim Ai, ai,

PROCuRA-SE O NATAl

PROCuRA-SE O NATAl CENA I Apresentador : Meus senhores, minhas senhoras, minhas criancinhas! Existe um mundo

CENA I

Apresentador: Meus senhores, minhas senhoras, minhas criancinhas! Existe um mundo secreto e misterioso que ninguém conhece e nem sabe onde fica. Ninguém mesmo tem certeza de que este mundo exista. Talvez nem mesmo seja um mundo. Talvez seja um lugar muito grande e

espaçoso onde

sem tamanho, onde vão parar todas as coisas perdidas que nunca mais encontramos. Aquele nosso brinquedo preferido, aquele pé que falta no par de meia, a chave de casa, o brinco que caiu de uma orelha, a

única borracha que temos pra apagar a escrita errada, aquela memória

que não volta na cabeça

minhas crianças! Neste lugar que ninguém sabe onde fica, também ficam guardadas as idéias perdidas, as memórias esquecidas, o nome de nosso amigo, o número de telefone e o significado das palavras que não encontramos. A história que veremos hoje, nesta noite, mostrará pequenos personagens numa viagem desejosa por recuperar uma memória esquecida. Eles aceitarão o desafio de enfrentar este mundo secreto e misterioso até encontrar o que não lembram mais.

sim, meus senhores, minhas senhoras e

assim, misterioso e

tão grande e espaçoso que

Buzz:

(entra voando e zunindo pelo espaço procurando alguma coisa. Pode vir do fundo da platéia.) Ô, Mosaica! Ô, Mosaica! Eta, mosca tonta!

Mosaica: (entra voando pelo mesmo caminho que Buzz, mas mais afobada tentando alcançá-lo) Ô Buzz, tô indo, tô indo! Tô meio devagar por

Não resisto ao cheirinho

perfumado de tantos panetones e chocotones que está por toda parte.

Só de lembrar já estou com a boca cheia

que andei engordando um pouquinho, sabe

Hummmmmmmmmmm d’água de novo!!

Buzz: Ah, e você acha que eu não sei? Tem alguma coisa acontecendo por aí.

mas não consigo lembrar o que

Os humanos andam muito agitados

é Todo ano eles ficam assim

e bem nessa época de calor!

Mosaica:

É festa, vai ter festa!!!

Buzz:

Errr

eu sei que é festa, sim! Estão todos muito “alegrinhos” (irônico).

Bzzzzzzzzz! Todos humanos muito “alegrinhos”. Todos comprando

presentes

8

Mosaica:

(interrompendo, deslumbrada) Fazendo e comprando panetones!

Buzz:

(irônico) Todos enfeitando suas casas

Mosaica:

(mais empolgada) Fazendo biscoitinhos açucarados!

Buzz:

(sarcástico) E colocando árvores dentro de casa!!!

Mosaica:

(totalmente delirante, como se visse as guloseimas pelo ar) Tortinhas, fios de ovos, frutinhas, ai, ai

Buzz:

Pára, Mosaica, pára! Já tô ficando enjoado só de ouvir falar de tanto doce!

Mosaica:

(voltando a si e falando com Buzz) Ali onde eu moro, no forro da casa, dá pra escutar algumas conversas sobre presentes, festa, essas coisas e no fogão (com brilho nos olhos) formas com tortas e bolachinhas engordei, será que dá pra perceber? (fica se observando, encolhendo a barriga. De repente lembra num susto) Ontem quase morri! Aquele cheiro me enfeitiçou e resolvi ir mais perto sentir o cheirinho, como

quem não quer nada e

(grito comprido) AAAAAAAAhhhhhhhhh, que

susto!!! Levei um tapão que me jogou do outro lado da cozinha!!

Buzz:

(rindo) Bzzzzzz

Bzzzzzz

Bzzzzzz!!!

(Chega Araci, a Aranha, entrando misteriosa com cara de fome, admirando a Mosaica que está de costas. Fala pra platéia)

Araci: Hummm. Que mosquinha mais apetitosa. Acho que vai dar um

bom assado. (Chega por trás de Mosaica que ainda mede chateada as

gordurinhas da barriga

Buzz vê Araci e fica paralisado de medo).

Buzz:

(gaguejando) Bzzz

Bzzzz

Mozzzzzaica

Bzzz, bzzz

Mozzzzaica

tem alguém atrás de você.

Mosaica:

Que foi Buzz?

Buzz:

Bzzz

a Arabzzzzziii

a Arabzzzzziii

bzzzz

Mosaica:

(sorrindo, inocente e simpática) Que foi? Tá brincando de falar árabe? Aarabiziiiiiiiiiiiiiiiii! (ri) Que engraçado você falando árabe!

Araci:

(falando por trás bem no ouvido de Mosaica) Não mosca distraída. Araci. Euzinha! Sua fã! (lambe os lábios)

9

Mosaica:

(fala empolgada para platéia) Ai, eu tenho uma fã!!! Buzz, eu tenho uma fã!!! Chama-se Araci-Elzinha! Que nome fofo!

Araci:

(prepara-se para abocanhar Mosaica) Tá no papo!

Buzz: (Cria uma coragem súbita e se coloca entre Araci e Mosaica) Pode parar dona aranha Araci! Se tentar pegar minha amiga, lhe dou uma boa picada! Bzzzzz!!!

Mosaica:

Aranha Araci? ARACI??? Oh, QUERIIIIDA! Quanto tempo! Que saudades! (abraça a Araci) Por que não disse que era você?

Araci:

MOSAICA? Eu disse que era EU!

Mosaica:

Não, não, você disse que era Araci-Elzinha

Araci: Arre! Eu é que nem lhe reconheci de costas! (triste) Achei que era

Você deu uma engordadinha, né,

uma mosquinha gorducha qualquer MOSA?!

Mosaica:

Ai, Araci, você acha? É todo esse agito. Tem muito doce por aí, não posso sentir o cheiro de panetone que fico fora de controle!

Araci:

Ai, amiga, adoro panetone!!! As migalhinhas secas que ficam pelo chão é o que há de bão!

Buzz:

Hummm

e eu aqui nervoso à toa. Vocês são amigas então, é?

Araci:

(sorrindo) ARA, e MOSA, desde a Pré-escola, você não sabia?

Buzz:

(mau humorado) Bzzzz!

Mosaica:

Araci, você tem notado também algo diferente no ar?

Araci: (assustada) Lasquera! Ontem mesmo eu tava lá, na minha, bem sossegada, dentro duma caixa, puxando um ronco, até sonhando! Tava lá, deitadinha debaixo de um boneco de roupa vermelha e barba branca. De repente, um desses humanos pegou a caixa, chacoaiô pra cá, chacoaiô pra lá, e eu tontona pensando: “uai, que trem é esse?”.

Mosaica:

ai, Araci era um trem?!!!

Buzz:

Ô, mosca tonta! É jeito de dizer. Errrr

10

Araci: Então uma humana pegou o barbudo de vermelho da caixa, e eu me grudei nele, daí ela deu uma cheiradinha no barbudinho, quase me esmagou, deu umas tossidas e pôs na janela pra pegar um sol. Eu, hein, saí rapidinho dali antes que ela voltasse!

Buzz:

(ri zombando) Bzzz!! Bzzzz!!

Araci: Fiquei lá andando pela casa deles, né? Na sala tinha gente falando de presente. No quarto do menino, estavam falando de presente. Na cozinha só falando de presente e de comida. Sabe que até já mataram e temperaram um peru?

Mosaica:

Ai, coitado!!!

Buzz:

Ainda bem que sou só um mosquitinho!!! Bzzz (ri)

 

Araci:

Ai, e o cheirinho de bolachinhasssssssssss de meeeeeeeeeel derretida)

(toda

Mosaica:

(com brilho nos olhos) Bolachinhas de meeeeeeeeeellllllllll???

Araci:

Sim, bolachinhas de meeeeeeelllll !!!! (as duas suspiram se lambendo os lábios) ahhhhhh!!!

Buzz:

Não consigo lembrar que festa é essa! Ainda descubro que festa é essa

Araci:

Pois é

que festa é essa?

Mosaica:

Ai, que festa é essa

 

Buzz:

Eu vou saber. (determinado) Ah, se vou!

Mosaica:

(animada, incentivando, falando rápido) Sim! Você saberá. Eu saberei. Araci saberá. Nós saberemos. Todos saberão.

Buzz:

Precisamos montar uma equipe especial de investigação.

 

Mosaica:

OK! Eu chamo o Spot, o vaga-lume.

Araci:

Eu falo com o Pulguino Saltino, a pulga mais veloz que conheço.

Buzz:

E eu? E eu? Quem eu chamo?

11

Mosaica:

Chama a Jô Aninha!

Buzz:

(com cara de apaixonado) A Jô Aninha!! Bzzzz! Claro! Ai, ai

(Saem todos personagens. Coro: Música 2 - NOVIDADE)

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE I puxa eu tive um sonho de procurar, pesquisar

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE I

puxa

eu tive um sonho

de

procurar, pesquisar

“Por que os humanos estão felizes?” “Por que os humanos estão cozinhando essas comidas boas?” “Por que as pessoas da cidade estão enfeitando tudo ?”

No sonho, o Mig e eu estávamos naquele lugar bem grande, cheio de bichinhos falantes! Tadinhos deles! A mosquinha, fungava e falava de panetone, o vaga-lume, tontinho com tanta luzinha nos

e o Mig e eu, ali, atrás

de uma fila de cadeiras

“PROCURA-SE”

eles escreveram, com letrinhas de insetos

eles nem sabiam que o nome dessa festa é NATAL

MEG: (acordando) Uaahhhh

eram bichinhos brincando

não, não era bem isso

ahh, eram insetos falantes! E eles diziam assim:

jardins! A aranha, todo mundo limpando as teias, tirando as coisas do lugar

imagine só, “cadeiras”! E os bichinhos falantes numa reunião animada,

chamando pulgas, joaninhas, pernilongos, aranhas, vaga-lumes e mosquinhas

PROCURA-SE o motivo da FESTA dos HUMANOS

(Coro: Música 2 - NOVIDADE)

12

NOvIDADE Qual novidade está pra chegar? Um novo clima faz a turma agitar! O forno
NOvIDADE Qual novidade está pra chegar? Um novo clima faz a turma agitar! O forno

NOvIDADE

Qual novidade está pra chegar? Um novo clima faz a turma agitar! O forno esquenta, tudo são cores! Outros aromas, novos sons e sabores!!!

tudo são cores! Outros aromas, novos sons e sabores!!! Novidade transforma este lugar Luzes brilham coloridas

Novidade transforma este lugar Luzes brilham coloridas A alegria está no ar Tudo é festa e tudo é emoção Embalando a melodia que se faz nessa canção!

é emoção Embalando a melodia que se faz nessa canção! O que acontece no coração? Transforma

O que acontece no coração? Transforma vidas, semeando a união Lares contentes, cheios de amores Mais esperanças que superam temores!!!

cheios de amores Mais esperanças que superam temores!!! Novidade transforma este lugar Luzes brilham coloridas A

Novidade transforma este lugar Luzes brilham coloridas A alegria está no ar Tudo é festa e tudo é emoção Embalando a melodia que se faz nessa canção!

13

CENA II (Entram os animais conversando ansiosos, se cumprimentando, alguns preocupados com o mistério. Bastante

CENA II

(Entram os animais conversando ansiosos, se cumprimentando, alguns preocupados com o mistério. Bastante agitação. Mosaica faz a chamada)

Mosaica:

Ordem! Ordem! Amigos! Amigos! Precisamos nos organizar! Vamos

ver se todos já chegaram. (pega uma lista, conforme ela chama os personagens, eles se manisfestam mostrando que estão presentes) Sra

Araci, minha amiga do peito

Buzzinardo Insectus

Pulguino Saltino

fofinho

Spot, nosso amigo iluminado

Jô Aninha

Buzz:

Ela tá aqui! Ela tá aqui! Né, Jô

(suspira galante) Aninha!!!

Mosaica:

Mosaica! Ah, essa sou eu!!! (ri se si mesma) A discussão está aberta, e o presidente é o senhor Spot, o Vaga-lume. Por favor, senhor Spot Luzi Luzi.

Spot: (discursando em tom formal) Sociedade dos dípteros, sifonápteros, aracnídeos, coccinelídeos e lampirídeos! Aqui estamos para discutir algo que tem abalado, afobado, atritado não apenas nosso amigo Buzzinardo, mas as mentes e corações de todos nós.

TODOS:

SIMM!

Spot:

Algo está acontecendo a nossa volta.

TODOS:

SIMM!

Spot:

Os humanos andam se comportando com agitação. Alguém sabe o que está acontecendo?

TODOS:

NÃO!!!!

Jô Aninha: Isso já aconteceu antes, tááá? Mas não consigo lembrar por que eles ficam assim!

Pulguino: Precisamos investigar este caso. Urgentemente! Até os cachorros têm sido forçados a tomar banho! Isso é um crime! Parece que tudo tem que passar por uma limpeza geral! Não consigo me esconder nem nas frestas dos pisos de madeira. É só limpeza, limpeza e limpeza. Acho que estão esperando algo muito especial!

14

Spot:

Falta-nos as genuínas informações a respeito desta situação. O que acontece com os humanos influencia nossas vidas.

Mosaica:

Além do que, temos o direito de participar desta, desta

Jô Aninha: (falando como pequena madame) Festa! Acho que é uma festa! Só pode ser uma festa!

Araci:

Senhor presidente, eu tô a disposição como voluntária pro que der e vier, pra saí por aí e conseguir mais informações.

Buzz:

Sem querer desprezzzzzar seu espírito solidário, maninha achando que só você não vai dar conta do recado.

mas tô

Jô Aninha: Sugiro que cada um de nós, todo mundo, tááá?, procure a resposta. Se cada um for pro seu canto e ficar a espreita em algum lugar estratégico, poderá ver, ouvir, sentir e perceber o que acontece com esse povo humano de gentes e pessoas. Cada um anota, tááá? e traz pra próxima

reunião, e teremos mais informações do que temos agora

, tááá?

Pulguino:

Espero que dê certo

Mosaica:

A idéia é boa, mas todo o cuidado é pouco.

Buzz: A idéia é boa?? Corremos o risco de sermos descobertos, eliminados, e não voltarmos com as informações. Acho que vou ficar na minha, procurando um sanguinho. Aliás, prefiro sangue a chocolate.

Araci: Eita, que eu não tinha pensado nisso! Para conseguirmos esses detalhes todos, a gente vai precisá ficá muito perto dos humanos, e se eles nos descobrirem, borrifarão veneno na gente!

Buzz:

(provocando medo e se divertindo com isto) Ou virão com aqueles enormes chinelos! Ou vassouras gigantes!!! Ou pegarão você (para Pulguinho) e o espremerão com aquelas unhas impiedosas e velozes!

Pulguino:

(intimidado) E adeus, informações!

Jô aninha:

E adeus, festa!

Araci:

E adeus nós!!!

TODOS:

Adeus, nós!!! (choro, desespero coletivo) Aaaahhhhhhhhhhhh!!!!!!!!

15

Apresentador: (entra e fala com tom de suspense. Enquanto o Apresentador fala, a cena do desespero fica muda, mas a interpretação continua só que em câmera lenta e gestos bem exagerados) Vejam meus senhores, minhas senhoras e criancinhaszinhas! (com tom de suspense) O medo, o pavor e o pânico tomam conta de nossos heróis! Será que o medo os paralisará? Será que eles se fecharão em suas tocas? Ou será que enfrentarão seus medos para seguir em busca daquela lembrança esquecida, perdida no mundo secreto das coisas e memórias desaparecidas? (sai)

Spot: (todos voltando ao ritmo normal) Silêncio, Silêncio!!! Amigos, controlem- se! Recomponham-se! Anuviem-se! É só sermos cuidadosos, cautelosos, prudentes. Assim, nada nos acontecerá. De que outra forma descobriremos o que está acontecendo? Afinal, queremos ou não saber o que é esse agito humano todo?

Mosaica:

(grita empolgadíssima achando que todos vão responder no mesmo entusiasmo) Sim! Queremos! Ops! Queremos, não é?

Araci:

Queremos amiga, queremos!

Buzz:

Uff! Bzzzz! É, acho que talvez queremos

um pouquinho.

Pulquinho: Se eles festejam, nós também festejaremos!

Jô Aninha: Como é preciso ter muito cuidado, táá? vou buscar o Manual da Ordem díptera, sifonáptera, aracnídea, coccinelídea e lampirídea? (Apresentador: entra e entrega o livro a Jô Aninha que entrega a Spot.) Ah, aqui está!

Spot:

Vamos ver algumas regras de sobrevivência para a realização de nossas investigações!

Apresentador: Regra número um.

Spot:

Humanos não suportam insetos e aranhas pela cozinha nos momentos de suas refeições. Atenção: Esperem que se levantem e saiam, depois podem lambiscar os restos.

Buzz:

Restos

sempre os restos

Apresentador: Regra número dois.

Spot:

Cuidado com vassouras, sprays e fiquem longe de qualquer coisa que pareça veneno ou alguma armadinha mortal.

16

Apresentador: Regra número três: Não provocar os humanos.

Spot:

Não provocar os humanos!

Buzz:

Eles que nos provocam com coisas fedidas, ardidas, tóxicas!

A gente

tá só na nossa, tentando sobreviver e ter um certo prazer e conforto.

(rindo) Bzzzzz! Bzzzzz! (Mau humorado) Insuportáveis humanos!

Mosaica: Senhor Pulguino Saltino, em relação a esta regra, veja lá, hein? Cuide com o guarda-roupa dos humanos, frestas de lençóis e fronhas. Humanos morrem de cócegas! E têm unhas cruéis.

Pulguino:

(ri de uma maneira estranha e original) Cuidarei, mas o mais divertido

de tudo é o jeito dos humanos pularem pra se coçar conter durante as investigações.

vou tentar me

Jô Aninha: Araci, não se esconda em armários, táá? Nem nos sapatos ou no rolo de papel higiênico. Humanos usam sempre essas coisas. Prefira trilhos de cortinas e quadros em paredes, táá?

Araci:

Ai, bem sei

Jô Aninha: E você, Buzz, não pique humanos sob hipótese alguma, por favor, táá?

O que é desagradável para eles, pode ser fatal para você

táá?

Buzz:

(exibido)

Se

você

me

pede,

Jô,

é

uma

ordem

para

mim!

Ai,

bzzzzzzzzzz!!!

 

Spot:

Insetos voadores: Buzz, Mosaica, Jô Aninha, e eu

O melhor é não

voar como satélites em torno das cabeças dos humanos. Eles ouvem, enxergam e não gostam nada disso.

Mosaica:

Lembrem-se: Não se arriscar, apenas escutar, observar e tomar notas. Entenderam?

Araci:

(gritando entusiasmada, como se convocasse todos a um ataque de cavalaria) SIM! Não se arriscar, apenas escutar e anotar!

Pulguino:

SIM! Não se irritar, apenas anotar e aprontar!

 

Mosaica:

Não, não , não pode aprontar. Só anotar, SIM? Compreendeu?!!!

 

Jô aninha:

Anotar, TÁÁ?

 

Pulguino:

SIM! anote: Não apronte, só anote e aponte.

 

17

Spot:

Veja, Pulguino: Não apontar, não aprontar. Só escutar e anotar.

Pulguino:

Como não apontar? Isto não são apontamentos? (Mostra o bloquinho)

Pois então, apontar

nos apontamentos.

(Todos começam a trocar idéias sobre o que farão. Uma bagunça geral. Não dá pra entender nada do que planejam)

Spot: (Falando bem alto, mas a agitação continua) ORDEM! Pessoas!!! Já sabemos o que fazer. Nossa próxima reunião será amanhã as 7 horas. Boa investigação pra todos nós! E coragem amigos! Lembrem-se que não estão sozinhos nesta! Sejam perseverantes!

Apresentador: No fundo, estavam com medo. Medo de serem atacados por

vassouras, chinelos

não se encontram mais, podem causar tristeza

pequenos personagens, em busca de um sentido para toda aquela alegria? Ou euforia disfarçada?

venenos. No mundo misterioso, as coisas que

e lá iam os nossos

(Saem todos personagens. Coro: Música 3 - FAROL)

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE II é, tipo um teatro, uma igreja MEG: (telefonando)

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE II

é, tipo um teatro, uma igreja

MEG: (telefonando) Alô? Mig!! Mig, sabe o que eu sonhei? A gente tava num lugar bem grande,

é, e aí, um monte de bichinhos falantes se - é, eles chamavam a gente assim, sabe? - o

que os humanos tão comemorando nessa época. Eles nem sabiam o que é NATAL, Mig! O que?

Se tinha vagalume? Tinha! Tinha aranha também (uuui) e pernilongo, que nem aquele que te picou

daí

cheio de cadeiras

juntou! Eles queriam saber o que os HUMANOS

uma vez, lembra? Pulga também! É, pulga também

né, a gente ficou espionando atrás das cadeiras, a conversa deles! Eu não sou xereta, não Mig, era

não, não torciam pro Franja, não Mig

SONHO!

é mas você também tava lá, olhando

não sou não

ah, você que é Mig

nem vem,

nem vem

ah, mas deixa eu contar! Pobrinhos Mig, eles tavam tão curiosos

daí né, eles foram

por aí, pesquisando tudo

pessoas que usam vassouras, chinelos, venenos

chorona não, ah não

fazer parte da festa, comer panetone

perdidinhos

ajudar a fazer bolachinhas, tá? Tchau

te ligo. Fica aí, com Jesus

Que ruim, né? Ficar sozinho, não participar da festa, ficar de fora

Estavam morrendo de medo porque iam ter que procurar perto das

eu não sou

tá, mas deixa eu contar. Eles queriam tanto

eles estavam tão

peraí Mig, é, agora eu tenho que ir, Mig, a minha mãe tá me esperando pra

tá, depois eu

ah, a joaninha quase chorou, Mig

ah, pobrinhos

ah, cê que tá inventando

Ah, não fala assim, Mig

depois eu conto

bom,

ce ta sozinho agora? ahh

se aparecer um vaga lume aí, não prende ele, tá? Tchau Mig

(Coro: Música 3 - FAROL)

18

FAROl Quando sinto temor e me falta vigor, Uma escuridão insiste em vir, então penso
FAROl Quando sinto temor e me falta vigor, Uma escuridão insiste em vir, então penso

FAROl

Quando sinto temor e me falta vigor, Uma escuridão insiste em vir, então penso em desistir.

Mas me lembro de alguém, fez-se homem também, E sentiu tristeza, mas sorriu Teve medo e prosseguiu Ao destino que seu Pai lhe entregou, pois Nele confiou.

Sei que não estou só, reconheço esse farol Guia meu viver, vem revela teu querer. Sei que não estou só, reconheço esse farol Guia meu viver, Vem revela teu querer em mim.

Mas me lembro de alguém, fez-se homem também, E sentiu tristeza, mas sorriu Teve medo e prosseguiu Ao destino que seu Pai lhe entregou, pois Nele confiou.

(2X) Sei que não estou só, reconheço esse farol Guia meu viver, vem revela teu querer.

Sempre em aflição, buscarei a tua mão, Mostra a direção, tua luz eu seguirei!

a tua mão, Mostra a direção, tua luz eu seguirei! Sei que não estou só, reconheço

Sei que não estou só, reconheço esse farol Guia meu viver, Vem revela teu querer em mim.

19

CENA III Apresentador: Com muito cuidado e esperteza, cada um se dedicou a descobrir o

CENA III

Apresentador: Com muito cuidado e esperteza, cada um se dedicou a descobrir

o mááááááximo que poderia sobre o Natal. Ficaram de olhos bem

abertos, de ouvidos bem atentos. E pra memória não falhar, até anotaram em seus caderninhos suas descobertas.

(Todos vão chegando conversando agitados. Uns com máquina fotográfica no pescoço, outros com bloquinhos, outros com lupa, outros com óculos escuro disfarçados)

Mosaica:

Atenção pessoal! Atenção!! Será que todos já chegaram? (chamada, cada um se identifica ao ser chamado) Sra. Araci, minha amigona do peito!!!

Buzzinardo Insectus mosquinho ranzinha?

Pulguino Saltino

Spot

Aninha

Mosaica?

Mosaica!!! Ops, sou eu mesma!

Spot:

Está iniciada nossa reunião. (alegre) Vejo que todos chegaram sãos e salvos aqui hoje.

TODOS:

SIMM!

 

Buzz:

Bzzzzzzzzz

Quase fui atingido. Bzzzz. Ainda bem que a humana era

míope.

Pulguino:

Companheiros! Eu descobri tudo!! A festa, a festa dos humanos tem

um nome! Ela se chama

“BOAS

FESTAS”!

Mosaica:

Não, não, não!!! Boas festas? Isso é um jeito de desejar que as festas sejam boas!

Araci:

“LIQUIDAÇÃO!” PROMOÇÃO!

 

Spot:

“OFERTAS IMPERDÍVEIS!”

Mosaica:

O nome da festa é: “FÉRIAS”!

Buzz:

(bem exagerado) Há, há, há!!! Essa é boa!!! “FÉRIAS!” Há, há, há!

 

Mosaica:

Mas eu ouvi montes de crianças falando!!! (magoada)

Araci:

Fica assim não, amiga. Fica triste não.

 

20

Buzz: Fui mais esperto do que todos vcs. Voei muito, por todos os lugares, Velozzzzzzzzzzmente. Por que afinal eu sou o Buzzzzzzzzzzzzzz! E

eu não descobri o

a questão é a seguinte: (momento de suspense) nome da festa

TODOS:

(repreendendo o Buzz) êeeeerrrr!

Buzz:

Mas

mas, descobri o objetivo da festa, que é dar muitos presentes

pra todas as pessoas!

Mosaica:

Ai, então já sei o que vou querer na nossa comemoração de “PAGUE Só NO CARNAVAL”!! Vou querer um pudim de caramelo!!!

Jô Aninha: Ai, gente! Acho que não é isso não, táá? Em minha investigação encontrei outras informações!

A festa na verdade se chama “NATAL”!

Todos: HMMMM! (burburinho e agitação. Todos falam ao mesmo tempo, quase não se entende nada) Natal! Éééé! Natal! Eu vi esse nome também. Gostei do nome da festa! É, tem Natal escrito em tudo que é lugar

(pode-se usar slogans usados em veículos de mídia e propaganda da própria cidade onde a peça for apresentada)

Pulguino:

“Natal tem promoções na casa dos colchões!”

Mosaica:

“Neste Natal pague só no carnaval!”

Spot:

Presentes pra família, na loja da Marília!”

Jô Aninha: E descobri mais uma coisa, táá?: por que os humanos comemoram o

 

Natal!

Pulguino:

Diz, aí! Diz, aí!!!

Jô Aninha: É que no Natal se comemora a chegada de alguém muito importante.

Todos:

Chegada de quem?

Jô Aninha: A chegada de alguém que vem do céu! (fica olhando para cima e imaginando) O Papai Noel, táá?!! Ele vem voando num trenó lá do Pólo Norte!! Ele usa roupa vermelha tão linda e é um velhinho fofissimo!!

Araci:

É também já vi ele! Eu já vi ele! Bonitão!!!

21

Mosaica:

É um barbudinho de cabelo branco?

Araci:

É! É! Esse mesmo!

Pulguino:

Onde fica o Pólo Norte?

Jô Aninha: Num lugar li bem assim, táá?: “Natal, é uau!! Papai Noel lindinho, traz presente embrulhadinho”.

TODOS:

(animados, menos Buzz) Ah, que bonito!

Pulguino:

Onde fica o Pólo Norte?

Buzz:

Ah, mas se é isso eu já sabia. Vi um anúncio que dizia tipo assim: “Papai Noel feliz, só aqui na loja do Luiz.”

TODOS:

(animados) Que bacana!

Mosaica:

Esse Luiz deve ser legal!

Pulguino:

Onde fica o Pólo Norte?

Jô Aninha:

Ah, também li uma frase assim, táá?: “Papai Noel vem sempre contente, quando traz presente para a gente.”

TODOS:

(eufóricos) Oh, que fofo!

Pulguino:

Mas onde fica o Pólo Norte?

(Saem todos personagens. Coro: Música 4 - PAPAI NOEL )

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE III foi muito incrível! Dava uma em vez disso,

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE III

foi muito incrível! Dava uma em vez disso, ficamos eu e o

vontade de ajudar os bichinhos a descobrir o que é nosso Natal

sem fazer nada. Mas bem que se o Mig resolvesse capturar

aquele vaga lume, moleque do jeito que ele é, né? Ia ser pior. É, acho que foi bom, os insetinhos pobrinhos iam se apavorar se a gente aparecesse assim, do nada. Ah, mas fiquei emocionada quando eles voltaram da pesquisa lá, voando, pulando:

“É! A festa deles é NATAL! É Papai Noel! É Presente! É ser bonzinho! É Lojinha Da Chinesinha! Compre no Natal e pague só no Carnaval! É Natal Fenomenal! Noel trenó no céu! Brincadeirinha no shopping! Comprar! Enfeitar! Comer! Beber! Cartão! Amigo Secreto!”. Tadinhos! Ficaram mais perdidinhos do que antes

Mig atrás das cadeiras

MEG: (pensando consigo mesma) Vou escrever meu sonho

espiando

(Coro: Música 4 - PAPAI NOEL)

22

PAPAI NOEl O que será uma festa de Natal? Serão presentes, compras, promoção? Acho que
PAPAI NOEl O que será uma festa de Natal? Serão presentes, compras, promoção? Acho que

PAPAI NOEl

O que será uma festa de Natal? Serão presentes, compras, promoção? Acho que é Papai Noel com seu trenó radiante no céu!

Aqui se encontra neve de algodão Encasacado nesse calorão Será que Papai Noel embrulha a felicidade em papel?

Será que Papai Noel embrulha a felicidade em papel? Quero tudo o que vejo nas vitrines,

Quero tudo o que vejo nas vitrines, na tevê Isso é Natal? Como será?

Eu pensei que todo mundo

fosse filho de Papai Noel

o que vejo nas vitrines, na tevê Isso é Natal? Como será? Eu pensei que todo

(2x)

23

CENA IV (Todos os personagens voltam ao palco) Spot: Mosaica: Muito bem, então PAPAI NOEL.

CENA IV

(Todos os personagens voltam ao palco)

Spot:

Mosaica:

Muito bem, então PAPAI NOEL.

NATAL, isso sim!

concluímos que

a festa dos humanos se chama

Spot: Então, como eu estava dizendo, finalmente chegamos a uma brilhante conclusão! Estamos em pleno NATAL, festa humana realizada por algum bom motivo.

Araci:

Por causa do humanozinho vermelho e barbudo. É um véinho simpático, ele.

Jô:

É, por causa do Papail Noel

(de repente tem uma fagulha de lembrança)

ou papai do céu

(confusa) hummmmm

Spot:

(pensativo com essa frase) Hummmm

 

Buzz:

Sim

mas

o que é a NATAL? O que significa NATAL?

Spot:

Bem

são festas

Boas festas

ou não?

Mosaica:

Doces! Bolachinhas de mel! Caldas açucaradas e carameladas!!

Pulguino:

Presentes! Presentes! Presentes

e ofertas, ofertas, ofertas!!!

Araci:

Ih, ó! Tem o pinheirinho, minha gente! Ninguém falou ainda do pinheirinho! Todo ornado de luz!

Buzz:

(mau humorado) Luzes

fico tonto com tantas luzes piscando por aí

Sempre num acende-apaga, acende-apaga

bzzzzzzzzz.

Spot: (anotando tudo que foi dito) Festa, ofertas, preços, presentes, árvores,

demonstram

que não têm certeza se é isso mesmo. No fundo sabem que tem algo

luzes, comidas

(a satisfação de todos vai se perdendo

faltando).

24

Apresentador: Pelo jeito essa turminha já descobriu bastante coisa! Viram tanto do que acontece ao redor. Viram o que nós humanos fazemos, essas coisas com as quais nos ocupamos. (um tom com um pouco de lamento)

Tudo isso que faz parte do nosso natal.

Esses dias antes do Natal

Nosso Natal? Nosso? Natal? Natal?

Araci:

(desanimada, tentando animar) Noooooooooooossa! Quanta coisa!!

Pulguino:

Que confusão!

Buzz:

Hummmm

mas não sei não

Mosaica: Acho que é isso aí! E acho que é bem legal! E acho que a gente devia

fazer igual! Um presente pra cada um

pra cada um. O Spot pode ficar piscando bastante, afinal, como vaga- lume ele tem luzinha pisca-pisca. A gente faz uma lojinha de ofertas de brincadeira pra pagar só no carnaval, o Buzz se veste de Papai Noel e

(pensativa) vários presentes

Buzz:

Chega, mosaica! Chega! Não viaja, meu!

Jô:

Tô sentido que há confusão no ar.

Spot:

Pois é

Pulguino:

No fundo, no fundo só sabemos que o nome da festa é Natal não sabemos o que é a NATAL.

mas

(Desânimo geral. Todos ficam pensativos. Vão se dispersando pelo palco tristes. De repente, o silêncio é interrompido pela Mosaica que descobre que existem vários humanos assistindo a peça.)

Mosaica:

AAAAAAHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!! (Todos se reúnem no meio do palco para ver melhor. Ficam olhando o público muito desconfiados)

Spot:

(sussurrando) Ei! Ve - vejam!!!

Mosaica:

(sussurrando nervosa) Olha lá!

Jô Aninha: (sussurrando) São humanos e

Pulguino:

(sussurrando)

eles

estão olhando pra nós!!!?

Araci:

Humanos!!!! Ah, cuidado com os movimentos rápidos deles

Buzz:

Olha, Araci, aquele lá tá pegando uma vassoura!!!

25

Araci:

(Grita) Ai! Ai! Corre! Corre! Salve-se quem puder!!!

TODOS:

Aahhhhhhhh!!!!!! (todos correm desesperados e se escondem. Algumas cabecinhas aparecendo, ou se escondem e só se vê partes tremendo)

Buzz:

(Assiste ao desespero dos outros e fica rindo muito) Hahahahaha!!! Huhuhuhuh!!! Hahahahaha! Bzzzzzzzzzzzzzzzzz!!!

Apresentador: Ei! Eles nem fizeram nada! Nem sequer saíram dali uma pegadinha do Buzz.

Isso aí é mais

Jô Aninha: (fala pro Apresentador) Mas eles estão olhando pra nós

Apresentador: (fala pra Joaninha) E vocês estão olhando pra eles

Buzz:

Estes humanos são inofensivos! Estão lá, parados que nem múmias

Araci:

Parados até pegarem um chinelão e atirarem em nós.

Pulguino:

Calma, Araci! Eu te protejo! bem paradinhos

(inseguro) mas eles têm que ficar lá,

Spot:

Acho que se fossem maus, a gente nem estaria mais aqui, vivinhos

Pulguino:

Ei, Buzz, vai lá perguntar pra eles o que é NATAL.

Buzz:

Vai você, chapa, eu fico por aqui mesmo. Quem precisa saber tudo? Acho que já tô satisfeito com nossas descobertas.

Spot:

Eu vou lá.

Araci: Mas não vá sozinho, Spot! (pensa um pouco) A Jô Aninha vai com você. (Jô Aninha olha pra Araci surpresa e assustada) É que humanos gostam de joaninhas

Mosaica:

(fala pra Araci, tomando coragem) Humrfff vou.

Se vc for, amiga, eu também

Araci:

Glup! Ir, assim, caminhando na direção deles?

Buzz:

Caminhando na direção oposta é que não é, né?

Araci:

Mas eles não gostam de aranhas.

Jô Aninha: Quer saber? Vamos todos.

26

Spot:

Isso! A Aninha tá certa. Peguem seus apontamentos. Sigamos calmamente! Sorriam e demonstrem que só querem conversar.

Pulguino:

E se eles nos atacarem?

Spot:

Não acredito que farão isso. Eles estão com umas caras simpáticas.

Jô Aninha: Vc também vai, não é Buzz?

Buzz:

Eu? Bzzzz

(meio constrangido) Sabe o que é

é que

eu tô meio

atrasado

Tá!

Jô Aninha: Ah, Buzz

Buzz:

Mas se vc me pede

viu? Pra EU proteger vc.

só que vou junto com você

é pra te proteger,

Apresentador: (Entra correndo no palco) É isso aí! Quem ficar é um covarde! Quem ficar é mulher do sapo!!. (Mais sereno, abanando para os animaizinhos) Sigam por estas estradas, meus pequenos amigos! Superem seus medos! Façam amizades! Não desistam de procurar o maior milagre

da Vida! Esta memória esquecida precisa ser lembrada

são vocês

que lembrarão ao mundo, o que o mundo tem esquecido

ajudem

as pessoas a lembrar

história que pode dar sentido à vida.

lembrar da história que mudou a História! A

(Os personagens vão até o público com perguntas, perguntam cochichando e ouvem as respostas no ouvido. Anotam as respostas nos seus bloquinhos. : “O que é NATAL? Por que os humanos festejam? O que tem a ver com presentes, Papai Noel?”. Esta parte precisa ser bem orientada e organizada. Coro: Música 5 - PROCURA-SE O NATAL)

27

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE IV MEG: (Telefone tocando) Pode deixar que eu atendo!

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE IV

MEG: (Telefone tocando) Pode deixar que eu atendo! Alô? Oi, Mig! Tudo bem? Tudo

eu tô

escrevendo o sonho!

o que procuravam, né? Mas quando todos juntaram as informações, era tudo diferente! NATAL!

Lojinha Da Chinesinha! Comprar no Natal e pagar só no

Carnaval! Natal Fenomenal! Noel trenó no céu! Brincadeirinha no shopping! Comprar! Enfeitar!

e aí, Mig, aí que deu a virada! O vaga lume

começou a brilhar muito, e viu a gente ali, atrás das cadeiras. Aí, todos se apavoraram achando

mas eles

e a joaninha sentou no

meu cabelo

ia contar Mig, eu acordei!! Isso que foi chato

Eu queria ver a carinha da joaninha, que fofa! dizendo: “é? Natal é o nascimento de JESUS? O filhinho de DEUS? É aniversário dele? Por isso tanta gente alegrinha?”.

eu queria ver a carinha deles, de achar o NATAL!

o pernilongo não me picou, mas ficou perguntando, perguntado, e quando a gente

saíram de lá, devagar, mas muito corajosos. A aranha subiu no teu boné

que você ia jogar inseticida neles! Ahh, e você ia, mas eu não deixei, né, seu malvado

Comer! Beber! Cartão! Uma confusão, um desânimo

Papai Noel! Presente! ser bonzinho! É

não, não foi assim!. Daí, eles voltaram felizes, achando que tinham achado

(Coro: Música 5 - PROCURA-SE O NATAL. Enquanto crianças vestidas de bichinhos vão até o público perguntar por que os humanos comemoram o NATAL?)

28

PROCuRA-SE O NATAl Onde foi parar todo sentido do Natal? Sempre coisas tão banais pra

PROCuRA-SE O NATAl

PROCuRA-SE O NATAl Onde foi parar todo sentido do Natal? Sempre coisas tão banais pra celebrar
PROCuRA-SE O NATAl Onde foi parar todo sentido do Natal? Sempre coisas tão banais pra celebrar

Onde foi parar todo sentido do Natal? Sempre coisas tão banais pra celebrar Mas ainda nos corações Uma esperança se faz Traz nova vida e rompe grilhões De uma alegria fugaz

se faz Traz nova vida e rompe grilhões De uma alegria fugaz é Jesus! A essência
se faz Traz nova vida e rompe grilhões De uma alegria fugaz é Jesus! A essência

é Jesus!

A essência mais pura do Natal Ë receber o presente ideal Que vem repleto de amor, de paz e de luz

fugaz é Jesus! A essência mais pura do Natal Ë receber o presente ideal Que vem

29

CENA V Pulguino: (depois de perguntar para algumas pessoas volta para o palco, enquanto a

CENA V

Pulguino: (depois de perguntar para algumas pessoas volta para o palco, enquanto a música está terminando) Pessoal! Pessoal! Corre aqui! Voa aqui!! Venham aqui!!! Eu descobri alguma coisa!

Mosaica:

Eu também descobri algo! Eu também! Eu também!! Eu lembrei! Eu lembrei!!

Spot:

Conversar com essa gente foi muito bom! Lembrei de tantas coisas que já tinha esquecido!

Jô Aninha: Então vamos fazer uma reunião e juntar todas nossas informações e todas nossas lembranças!

(Fazem um rodinha e ficam confabulando, às vezes alguém concorda, outras vezes

alguém discorda, outras vezes alguém se surpreende

Música de fundo)

Araci:

Nossa gente, então é isso!

Mosaica:

Que demais! Lembrei! Adorei! Achei tão super!

Araci:

Fico até emocionada

(começa a lacrimejar e fungar)

Pulguino:

História bonita mesmo!

Jô Aninha: E o mais legal é que não é apenas só bonita, táá? É uma história de verdade!

Spot: Sabe que eu estive pensando? Que nossa história é até parecida com a dos reis sábios que procuravam Jesus e seguiram aquela estrela andando de um lado para o outro.

Jô Aninha: Uma estrela que era um milagre de Deus! E esses sábios souberam perceber algo diferente no céu. E entenderam que era um sinal de algo especial.

Buzz:

Humm

Hoje em dia nem tem estrela assim no Natal.

Mosaica:

Isso é verdade também

(fica pensando um pouco) Mas a gente sentiu

que tinha algo diferente no ar

30

Araci:

E foi quando aquela humana ali

me disse

eles contaram pra nós sobre

a vinda de Jesus e o que isto significava, que a gente encontrou a resposta.

Como se a gente tivesse chegado até a estrebaria onde Jesus nasceu.

Mosaica:

(pensativa) Jesus

um bebezinho, né? Quem diria que Deus mandaria

um bebezinho!

Spot:

Que máximo! FANTÁSTICO! IMPRESCINDÍVEL! Um presentão!

Pulguino:

Ou presentinho

era um bebezinho tão pequeno, heheheheh!

Spot:

(ri junto com pulguino) E os anjos? Alguém lembrou dos anjos? Fico imaginando o susto dos pastores!

Jô Aninha: Deve ter sido um susto mesmo! E Deve ter sido lindo, táa? Pastores de ovelhas eram pessoas tão simples e pobres e os reis sábios tão importantes e estudados.

Mosaica:

E o bebezinho Jesus nasceu e Deus quis avisar a todos!

Spot: Por que essa notícia era pra todos! Jesus nasceu pra todos: pros famosos e pros desconhecidos, pros ricos e pros pobres, pros alegres

e pros tristes, pra quem tá perto e pra quem tá longe.

Buzz:

E isso é bem mais importante que toda essa coisa de presente, Papai Noel, comilança, corre-corre.

Jô Aninha: É Buzz, você tá certo. Ao invés de corre-corre, a gente devia de parar pra respirar fundo, ficar quietinho um pouco e lembrar deste gesto de amor, de cuidado, de atenção.

Araci:

E tinha tanta coisa ainda pra acontecer na vida de Jesus! O Natal foi só

o

começo.

Mosaica:

Ai, ai

(suspirando). A gente precisa lembrar mais coisas ainda.

Pulguino:

E aprender coisas que a gente também nunca soube, né?!

Spot:

E precisa comemorar! Afinal, o Natal é a festa de comemoração do nascimento do Filho de Deus. Do nosso criador, né, pessoal?

Jô Aninha: Então é uma Festa para Jesus, o presente de Deus para o mundo.

Pulguino:

Então tem que ter muita música!

31

Mosaica:

E presentes? Pode ter? Presente é um jeito de demonstrar carinho

Araci:

É. Eu ia ficar feliz de dar um presentinho pra vocês.

Buzz:

Humf

presente

(mau humorado)

Araci:

É Buzz, presente, carinho, lembrança, cuidado. E não essa doideira de ofertas, preços, prestações e tal. Só carinho.

Spot:

Então, vamos fazer uma festa pra Jesus?

TODOS:

(felizes, comemorando com saltos, pulos e gritos. Se cumprimentam uns aos outros.) Simm!! Sim! Vamos!!! Iupiii! Uhuuu!!! Eba!!! Feliz Natal! Feliz Natal pra você!!!

Apresentador: E assim, senhoras, senhores e criancinhazinhas, nossos heróis conseguiram recuperar uma lembrança esquecida. Conseguiram também aprender coisas que não sabiam. Conseguiram ficar mais amigos, mais corajosos. Cresceram em fé e na certeza do amor e cuidado de Deus. Sim! Jesus nasceu e está a espera de todos, sorrindo, de braços abertos como um bebezinho que quer abraçar. É verdade que ele ensinou muitas coisas maravilhosas. É verdade que morreu numa cruz. Mas a verdade maior é que ele ressuscitou. Está vivinho da silva e continua nos amando. Amando os pobres e os ricos, os famosos e os desconhecidos, os tristes e os alegres, os que estão perto e os que estão longe. Aproveitem este Natal e recuperem essa lembrança tantas vezes esquecida ou aprendam mais sobre isso, e se tornem mais corajosos, amigos, cheio de fé e de amor, sentindo o cuidado de Deus. Feliz Natal pra todos nós!!!!

(Coro: Música 6 - MENSAGEM DO NATAL)

TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE V MEG: (ao telefone) Pois é, Mig, por isso
TEXTO OPCIONAL: MONÓLOGO MEG - PARTE V
MEG: (ao telefone) Pois é, Mig, por isso eu resolvi escrever o sonho. Depois você lê. É
bem triste que muita gente não encontra mais Jesus, não encontra mais Natal
ainda bem que
se perderam podem procurar que vão achar, né? Daí a gente comemora junto com TODO
MUNDO!! Ah, até o Tom sim!
E até a sua professora de matemática. É sério, Mig!
daí, eu pus
uma frase assim pra terminar o sonho: “Procura-se o NATAL verdadeiro! Jesus quer nascer no
teu coração, mesmo se você for pequeno que nem um pernilongo!” Não é legal? êrr, já tá rindo
de mim de novo, né Mig!
é
eu sei que você é maior que seu cachorro. Mas isso não vem ao
caso
Jesus mora no meu também. Legal! Eu também
muitão de você!
é
tá. Feliz Natal, Mig! Beijão, viu! Gosto
(desliga o telefone. 4 ou 5 crianças vestidas de bichinhos lêem as respostas que as pessoas deram, nos
bilhetes, e apontam pra quem respondeu. As criancinhas, na frente, junto com o coral, encerram a
última música, que o público pode cantar junto.
Coro: Música 6 - MENSAGEM DE NATAL.)

32

Acho que podia tirar a parte de apontar pra quem respondeu. E a gente podia sugerir de as crianças terem algumas resposta prontas também, porque

nem sempre o público colabora

MENSAgEM DO NATAl Esta é a nova que vem do Natal Cristo nasceu para todos,
MENSAgEM DO NATAl
Esta é a nova que vem do Natal
Cristo nasceu para todos, pra mim, pra você
Oferece amor sem igual
De braços abertos pra te receber!
Não é lenda nem ilusão
É a mensagem mais linda ao coração
Pode o tempo passar e tudo transformar
Seu amor há de ficar
De braços abertos pra te receber!
Nenhum lugar
É longe demais pra Jesus estar
Vai mais além
A todos entrega sua vida também!!!
pra te receber! Nenhum lugar É longe demais pra Jesus estar Vai mais além A todos

33

Apresentação Digital para projetar as letras no telão. Para todo mundo cantar junto e celebrar o Natal!

no telão. Para todo mundo cantar junto e celebrar o Natal! O CD que acompanha este

O CD que acompanha este livro é dois em um! Além do áudio com músicas e playback, contém também um arquivo executável. Basta inserir o CD no drive do seu computador e pronto, a apresentação inicia-se automaticamente.

Ideal para ser projetado em data-show, o arquivo executável do CD traz slides coloridos e ilustrados com as letras das músicas, tornando sua apresentação mais dinâmica e convidando o público a participar!

ilustrados com as letras das músicas, tornando sua apresentação mais dinâmica e convidando o público a
ilustrados com as letras das músicas, tornando sua apresentação mais dinâmica e convidando o público a

34

CADÊ?

(Introdução)

CADÊ? (Introdução) Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br 35

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

35

N O v IDADE

N O v IDADE Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 -

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

36

N O v IDADE

(continuação)

N O v IDADE (continuação) Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

37

FARO l

FARO l Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br 38

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

38

FARO l (Continuação)

FARO l (Continuação) Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

39

PAPAI NOEl

PAPAI NOEl Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br 40

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

40

PROCuRA-SE O NATAl

PROCuRA-SE O NATAl Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

41

MENSAgEM DO NATAl

MENSAgEM DO NATAl Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

42

MENSAgEM DO NATAl (Continuação)

MENSAgEM DO NATAl (Continuação) Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 -

Copyright 2008 - ARCO Arte e Comunicação Ltda - (41) 3027-4402 - www.migmeg.com.br

43

FIChA TéCNICA

Músicas (Melodias e Letras): Ana Luiza de Geus Arranjos: Ana Luiza de Geus e Marcos Schreiber Flauta: Ana Cristina Machiavelli de Oliveira Mixagem e Masterização: Marcos Schreiber

Coro CIDADE 300:

Direção: Ana Cristina Rissette Schreiber Integrantes:Sílvia Cecconi Borges Massa Checan, Isabela Rangel da Silva, Ana Raquel Pesch Vargas, Sofia Kristhine Pesch Kruklis, Daniel Fabro

Vozes Narração:

Meg: Caroline M. de Oliveira Insetos: Mariana Ribeiro Lenartovicz

Argumento: Márcia Macedo d´Haese Texto: Márcia Macedo d´Haese e Ismael Schffler Sugestões para apresentação: Ismael Scheffler Ilustrações: Márcia Macedo d´Haese Programação visual material gráfico: Aline G. S. Scheffler Programação visual capa e apresentação digital: Damaris d´Haese Editor: Hialmar d´Haese

digital: Damaris d´Haese Editor: Hialmar d´Haese Gravação: Estúdio CIDADE 300 - Multimídia | (41)

Gravação: Estúdio CIDADE 300 - Multimídia | (41) 3356-9634 Produção: ARCO Arte e Comunicação Ltda. | (41) 3027-4402 arco@migmeg.com.br | www.migmeg.com.br

44

D EDICAT ó RIAS

A Priscila, minha sobrinha, e a Constance, sobrinha do coração. Insetinhos cheio de risos que trazem cor ao mundo. Ismael

A minha mãe, querida, muitas saudades. Ana Luiza

Aos animados e magrinhos adolescentes de 1981, os “Bandeirantes” que encenaram esta peça na Igreja de Cristianismo Decidido, hoje maiores em todos os sentidos Márcia

45