Você está na página 1de 9

5

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ


CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
COLEGIADO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

BRUNA DE LIMA
JOSÉ PAULO TASCA
LUANDA BORSOI
LUELY CRISTINA MOREIRA

Laudo Pericial Contábil sob a ótica do Novo Código de Processo Civil

Cascavel-PR
2018
BRUNA DE LIMA
JOSÉ PAULO TASCA
LUANDA BORSOI
LUELY CRISTINA MOREIRA

Laudo Pericial Contábil sob a ótica do Novo Código de Processo Civil

Projeto de Artigo apresentado como requisito parcial


para aprovação na disciplina de Perícia, Medição e
Arbitragem de Ciências Contábeis da Universidade
Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Campus de
Cascavel.

Orientador: Prof. Udo Strassburg

Cascavel-PR
2018
5

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................04
1.1 Contextualização e Justificativa......................................................................................04
1.2 Problema da Pesquisa.......................................................................................................05
1.3 Objetivos............................................................................................................................05
1.3.1 Objetivo Geral..................................................................................................................05
1.3.2 Objetivos Específicos.......................................................................................................05
3 METOLOGIA......................................................................................................................06

Referências...............................................................................................................................07
4

1 INTRODUÇÃO

A Perícia Contábil, conforme NBC T 13 constitui o conjunto de procedimentos


técnicos científicos destinados a levar à instância decisória elementos de provas necessários a
subsidiar a justa solução do litígio, mediante laudo pericial contábil, em conformidade com as
normas jurídicas e profissionais, e a legislação específica no que for pertinente.
Segundo SANTOS (2011), a perícia é a verificação de fatos ligados ao patrimônio
individualizado visando oferecer opinião, mediante questão proposta. Para esse trabalho
realizam-se exames, vistorias, avaliações, arbitramentos, em suma, todo e qualquer
procedimento necessário para o parecer final.
A perícia é um dos meios probatórios utilizados em ações judiciais. É a prova
técnica, consistente no exame, vitória ou avaliação realizada por profissionais especialistas no
assunto, nomeados pelo juiz e que emitem seu parecer sobre o objeto analisado, lançando suas
considerações técnicas ou científicas sobre o assunto que lhes foi submetido (FREITAS,
2016).
Apesar da sua importância como prova, o laudo não tem poder de decisão frente a
justiça. Esse relatório contábil exerce o papel técnico e científico de fornecer esclarecimento
para o Juiz, nas circunstâncias em que a prova exigir conhecimentos contábeis específicos.
Hoog (2008, p. 51) sustenta essa ideia, afirmando que “o normal e lógico é que o laudo
pericial nada decida, mas esclareça”.
O Laudo Pericial é um documento onde o Perito manifesta o resultado obtido com a
perícia realizada, quais estudos foram feitos para se chegar no resultado, critérios utilizados,
entre outras questões para se chegar no resultado final. Desse modo, a elaboração da forma
correta do laudo pericial contábil é fundamental para uma perícia de qualidade com resultados
satisfatórios.
As alterações do Código de Processo Civil modificam os procedimentos do poder
judiciário, no que compete aos seus ordenamentos e, consequentemente, à perícia contábil
judicial. Dentre as alterações, pode-se destacar: as modificações dos honorários do perito e
seus assistentes técnicos; as condições técnicas para a elaboração do laudo pericial; os prazos
para a realização do trabalho; e os esclarecimentos periciais (MELLO, 2016).
A partir das alterações impostas pelo Código de Processo Civil à realização de
Perícia Contábil, a presente pesquisa busca apresentar um comparativo de como era e como é
a realização de Perícia Contábil no âmbito judicial, visando demonstrar todas as mudanças
realizadas pela adoção do CPC.

1.1 Contextualização e Justificativa

No Brasil, a Perícia Contábil começou a ser introduzida a partir da criação do Código


de Processo Civil em 1939, onde foram estabelecidas algumas regras sobre a mesma. Mas,
somente em 1946, com a Lei nº 9295/46, que foram definidas as contribuições do contador e
institucionalizou-se de fato a Perícia Contábil no Brasil. Em 1973, a partir das modificações
trazidas pela Lei nº 5.869/73, a Perícia Contábil começou a ser mais utilizada, pois a Lei de
1973 continha uma linguagem mais clara, aplicável e ampla para a sua execução no âmbito
judicial (MAGALHÃES et al., 2004).
A partir disso, as regras da Perícia Contábil Judicial foram sofrendo algumas
atualizações ao decorrer dos anos, a mais expressiva talvez, foi a imposta pela Lei 13.105/2015,
que entrou em vigor em março de 2016. Essa nova Lei trouxe uma série de alterações, porém
manteve algumas condições expressas do texto anterior. As modificações mais notáveis foram nos
âmbitos de recebimentos de honorário dos peritos e dos assistentes técnicos, técnicas para a
elaboração do laudo pericial, os prazos para a realização do trabalho, os esclarecimentos periciais
e demais assuntos (MELLO, 2016).
5

Sendo assim, o presente trabalho se torna relevante em razão do número significativo


de profissionais atuando na área, mantê-los atualizados a cerca das mudanças ocorridas pela
adoção do Novo Código de Processo Civil, faz com que o profissional desenvolva sua
atividade com mais segurança, com qualidade e contribuindo para o objetivo proposto. Assim
sendo, pesquisar sobre as alterações causadas pelo Novo Código de Processo Civil é
importante para a ciência Contábil, pois é um assunto com pouca pesquisa realizada e com as
alterações ocorridas pós Código Processo Civil fizeram com o que a mediação pericia, e
arbitragem passassem a desempenhar maior papel no meio jurídico.

1.2 Problema da Pesquisa

Segundo Marconi e Lakatos (2007), o problema deve ser levantado e formulado, de


preferência em forma interrogativa e delimitando com indicações das variáveis que intervém
o estudo de possíveis relações entre si.
A partir das exigências do Novo Código de Processo Civil, publicado em 16 de
março de 2015 pelo Art. 473 da Lei 13105/15, os laudos periciais passaram a ter parâmetros
pré-definidos, como objeto da perícia, indicação do método utilizado, respostas aos quesitos
apresentados, entre outros que serão explanados no decorrer do artigo.
Dessa forma, partindo do Novo Código de Processo Civil, com a definição dos
parâmetros detalhados para elaboração do laudo pericial, o trabalho apresenta como problema
de pesquisa: Quais mudanças do Novo Código de Processo Civil impactaram os laudos
periciais contábeis?
Formulado o problema da pesquisa, foram determinados os objetivos da mesma.

1.3 Objetivos (geral e específicos)

Diante do problema do estudo, os objetivos formam o propósito para alcançar a


resolução do problema apresentado. Segundo Silva (2010), os objetivos da pesquisa são os
fins teóricos e práticos que se propõe alcançar com a pesquisa. Desta forma, abaixo foram
abordados os objetivos gerais e específicos da pesquisa.

1.3.1 Objetivo Geral

O objetivo geral deste artigo consiste identificar as mudanças do Novo Código de


Processo civil e como elas impactaram os laudos periciais contábeis.

1.3.2 Objetivos Específicos

Para alcance da resolução do problema proposto, faz-se necessário determinar os


seguintes objetivos específicos:

 Levantar o histórico de alterações no Código de Processo Civil sobre o laudo pericial


contábil;

 Relatar as modificações ocorridas no Código de Processo Civil evidenciando através de


comparativo, como era e como é a execução da Perícia Contábil no âmbito judicial.
6

3 METODOLOGIA

A metodologia é composta por método e métodos, já que se situam em níveis


diferentes no que se refere ao grau de distinção, à finalidade explicativa e à leitura nas etapas
da investigação, assim, apresentam dois níveis de métodos o de abordagem e o de
procedimento (LAKATOS; MARCONI, 2007).
Quanto aos objetivos, este estudo classifica-se como exploratória, pois buscará
apresentar um comparativo das mudanças ocorridas no Código de Processo Civil brasileiro,
no que se refere à perícia contábil.
Em relação aos procedimentos, esta pesquisa classifica-se como bibliográfica, pois
abordará uma análise comparativa entre as mudanças no Art. 473 da Lei 13105/15 (CPC), no
qual serão considerados documentos, artigos, legislação e livros, para responder ao objetivo
desta pesquisa.
Os métodos de abordagem são aqueles responsáveis pelo raciocínio que irá nortear o
desenvolvimento da pesquisa. Dentre os métodos de abordagem, destacam-se: o indutivo, o
dedutivo, o hipotético-dedutivo e o dialético (LAKATOS; MARCONI, 2007). Quanto à
abordagem do problema, será adotado o método dedutivo, que parte de ideias de outros
autores e se utiliza da legislação vigente, de livros e artigos que tratem das alterações do Art.
473 do Código de Processo Civil.

Conceitos de Pericia
Luely

Perfil do Perito Contábil

O exercício profissional da função pericial contábil, realiza-se através de duas formas


de atuação técnica, os quais os profissionais são chamados de perito contador ou assistente
técnico. O perito contador também é conhecido como perito judicial ou perito arbitral, o
mesmo deve ter nível superior em Ciências Contábeis ou o equiparado e nomeado auxilia o
juiz na tomada de decisão através da perícia. Já, o assistente técnico é indicado pela parte no
processo, sua atuação é importante para defesa da sua parte. (ORNELAS, 2011).
Segundo a NBC PP 01/2015, “o Perito é o Contador regularmente registrado em
Conselho Regional de Contabilidade (CRC), que exerce a atividade pericial de forma pessoal,
devendo ser profundo conhecedor, por suas qualidades e experiências, da matéria periciada”.
Dessa maneira, o perito contador é o profissional que possui as qualificações para representar
o contador no meio jurídico. Pois, conforme o novo CPC (2015), em seu artigo 156 revela
que “o juiz será assistido por perito quando a prova do fato depender de conhecimento técnico
ou científico”.

A NBC PP 01/2015 é a norma profissional que conceitua o perito contador,


descreve a competência técnico-profissional e a habilitação profissional, a educação
continuada e a independência do profissional, o impedimento e a suspeição, o sigilo, a ética e
o zelo profissional, a utilização do trabalho do especialista, os honorários e os modelos de
declarações, de escusa e renúncia da perícia. A seguir apresentaremos os tipos de pericia que
podem ser encontradas no âmbito judicial.

Tipos de Pericias

A perícia possui uma ótica ampla, podendo ser entendida como um trabalho de
natureza especifica que possui um rigor em sua execução. A perícia judicial pode atuar em
qualquer área cientifica ou diversas situações empíricas e pode ser classificada de várias
5

maneiras: ambiental, criminal, contábil, engenharia, médica, trabalhista, tecnológica, entre


outras. (MAGALHÃES et al, 2009).
Dentro dos tipos de perícias, segundo Palombo (2002), a perícia é classificada
conforme a sua espécie que pode ser judicial, semijudicial, extra-judicial e arbitral.
a) perícia Judicial é realizada dentro dos procedimentos processuais do poder
judiciário através de determinação, requerimento ou necessidade de seus agentes
ativos, e se processa conforme suas regras legais específicas. A perícia judicial é
dividida conforme suas finalidades no processo judicial, em meio de prova ou
arbitramento. Assim, a perícia judicial será prova quando trazer a verdade real,
demonstrável científica ou técnica, para subsidiar a formação da convicção do
julgador, ou será arbitramento, quando determinada no processo de liquidação de
sentença, tiver por objeto quantificar mediante critério técnico a obrigação de dar em
que aquela se constituir.
b) perícia Semijudicial é realizada dentro do Estado, porém fora do poder
judiciário e temo como objetivo principal ser meio de prova nos ordenamentos
institucionais usuários. A perícia semijudicial é dividida conforme o aparato estatal
que pode ser policial, parlamentar administrativo-tributária.
c) perícia Extra-judicial é realizada fora do Estado, por necessidade e escolha de
entes físicos e jurídicos particulares e privados. Esta espécie é dividida de acordo
com as finalidades intrínsecas para as quais foram designadas, em demonstrativas,
discriminativas e comprobatórias.
d) perícia Arbitral é realizada no juízo arbitral, ou seja, na instância decisória
criada pela vontade das partes. É dividida em probante e decisória, que funciona
como seu agente ativo ou como o próprio árbitro da controvérsia.
Com a apresentação dos tipos de perícias e com a definição das espécies de pericias,
para dar continuidade ao desenvolvimento do presente trabalho e visando atender seu
problema de pesquisa e alcançar seus objetivos definidos, a seguir será analisado o laudo
pericial contábil.

Laudo Pericial Contábil

Código de Processo Civil


8

REFERÊNCIAS

BRASIL. Lei nº 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil. Brasília, Diário
Oficial da União, mar. 2015. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm>. Acesso em: 16
de abril de 2018.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC). Norma Brasileira de


Contabilidade – NBC T 13. Disponível em: < http://www.cfc.org.br>. Acesso em: 16 de abril
de 2018.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. NBC PP 01 – NORMA PROFISSIONAL


DO PERITO. Disponível em: <http:// www.cfc.org.br/sisweb/sre/docs/RES_731.doc>.
Acesso em:19/05/2018

HOOG, W. A. Z; PETRENCO, S. A. Prova Pericial Contábil: Aspectos Práticos &


Fundamentais. 1. ed. Curitiba: Juruá, 2001.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A.Metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Atlas,


2007

MAGALHÃES, A. D. F. et al. Perícia contábil. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MAGALHÃES, A. D. F. et al Perícia Contábil. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MELLO, P. C. A perícia no novo código de processo civil. São Paulo: Trevisan Editora,
2016

ORNELAS, M. M. G. de. Perícia Contábil. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

PALOMBO, A. V. L. Perícia Contábil. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SANTOS, Franklyn. Pericia Contábil. 1ª Ed. Ed. Clubes de Autores, 2011.

SILVA, Antonio Carlos Ribeiro da. Metodologia da pesquisa aplicada à Contabilidade:


orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios, monografias, dissertações, teses. 3. ed.
São Paulo. Atlas, 2010.
5