Você está na página 1de 58

UFCD 7846 - Informática - noções básicas

MANUAL
UFCD – 7846 : Informática – Noções Básicas
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Objetivos
Identificar as diferentes fases da evolução da microinformática.

Identificar, caracterizar e distinguir as diferentes componentes da microinformática.

Utilizar, a nível elementar, as principais ferramentas informáticas na ótica do utilizador.

Conteúdos
Microinformática – evolução histórica

Principais ferramentas informáticas na ótica do utilizador

Hardware – Introdução básica

Software – Identificação e caracterização

Técnicas de processamento de texto

Técnicas de processamento de folhas de cálculo

Técnicas de criação e apresentação de diapositivos

Fundamentos de armazenamento de dados

Utilização da internet

Utilização de correio eletrónico

Impressoras - manuseamento

Tipos de impressoras
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Introdução

Consiste no tratamento automático da informação através da utilização de técnicas,


procedimentos e equipamentos adequados.
A microinformática é a informática em ponto pequeno.

Geração de Computadores

Desde há muito tempo que o homem se vê confrontado com a necessidade de analisar e


combinar de forma rápida e fiável vários tipos de dados. Assim, durante o decorrer dos séculos
foram desenvolvidas máquinas ou dispositivos mecânicos que permitissem ao homem uma
forma mais rápida e fácil de processar os dados.

Ábaco
As primeiras necessidades de tratamento de dados foram a realização de cálculos
aritméticos. O mais antigo instrumento para realizar cálculos aritméticos simples é o ÁBACO, um
antigo instrumento de cálculo, formado por uma moldura com bastões ou arames paralelos,
dispostos no sentido vertical.

Teve origem provavelmente na Mesopotâmia, há mais de 5.500 anos. O ábaco pode ser
considerado como uma extensão do acto natural de se contar nos dedos.
Ainda hoje é utilizado em remotas regiões do Oriente e de África, com bastante eficiência no
cálculo das quatro operações básicas da aritmética:
Soma
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Subtracção
Multiplicação
Divisão

Modelo de Von Newman

Von Newman propôs que a memória do computador deveria desenvolver-se de forma a


armazenar um programa, constituido por um conjunto de instruções codificadas. Em 1948,
surgiu o primeiro computador a funcionar com um programa armazenado de acordo com o
modelo de Von Newman, o Manchester Mark1.

1ª Geração (1946-1958)

1951, UNIVAC I – Primeiro computador comercial

1953, IBM 701


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

1954, IBM 650

1955, UNIVAC II e IBM 705 – Introdução da memória de fita magnética.

Características: baseados na utilização de válvulas eletrónicas, de grandes dimensões, com


grandes consumos de energia e funcionando a baixa velocidade.

2ª Geração (1958-1964)

Características: recorre-se já à utilização de transístores em vez de válvulas eletrónicas, de


núcleos magnéticos (memória central) em vez dos relés de dimensões menores, com um peso
muito inferior, um custo mais baixo, menor necessidade de arrefecimento, menor dispêndio de
energia, maior duração e velocidades muito superiores.

3ª Geração (1964-1970)

IBM 1130

IBM 360

CDC 6000/7000 – série de computadores de grande porte para aplicações científicas

UNIVAC 9000 – filosofia semelhante à série 360

UNIVAC 1000/1100 – computadores universais de médio e grande porte

Características: corresponde à introdução dos circuitos integrados e dos sistemas em regime de


tempo partilhado, ao aparecimento dos minicomptadores e ao desenvolvimento do dominio
das técnicas de programação (software), acompanhando a evolução da estrutura eletrónica.

4ª Geração (1970-...)
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Está associada ao aparecimento do microprocessador, em consequência do desenvolvimento


das tecnologias de integração de circuitos eletrónicos, nomeadamente o VLSI –Very Large Scale
Integration, à micro-miniaturização dos circuitos eletrónicos digitais e à micro-programação
orientada para as necessidades do utilizador.

Principais Ferramentas Informáticas Na Ótica Do Utilizador

Operação de meios informáticos (hardware e software) para realização de tarefas de


tratamento de informação para fins diversificados: elaboração de documentos, comunicação,
desenho assistido por computador, etc

Programas de apoio às tarefas:


Processador de texto, Folha de cálculo, apresentação de diapositivos, bases de dados,
Publicações, Correio eletrónico, entre outros.

Programas de apoio às tarefas:


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Processador de texto
Cria e edita documentos com aspeto profissional, como cartas e relatórios.

Folha de cálculo
Executa cálculos, analisa informações por tabelas e visualiza dados por gráficos

Apresentação de diapositivos

Cria e edita apresentações com diapositivos para reuniões, apresentações em público e para
páginas web.

Bases de dados

Cria bases de dados e programas para controlar e gerir informações.


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Publicações

Cria publicações e materiais de marketing, tais como boletins e brochuras.

Correio eletrónico

Envia e recebe correio eletrónico, gere a agenda, os contactos e as tarefas para registar a
atividade.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Entre outros…

Fazer formulários;

Partilhar documentos;

Recolher, organizar e localizar informações.

Identificação dos conceitos e componentes básicos de um sistema informático

Nos últimos anos, a Informática e os Computadores tomaram-se uma realidade inerente à vida
de todos nós. Das grandes multinacionais às pequenas empresas, das instituições públicas ao
ensino privado e na nossa própria casa, o Computador surgiu como um instrumento
fundamental de trabalho.

No entanto, a multiplicidade de conceitos, equipamentos e programas para as mais


diversas funções, podem tornar a Informática em algo de "assustador" para quem nela se inicia.

Tomou-se actualmente uma ideia generalizada que a Informação é um dos principais


recursos que uma organização possui para fazer face às contínuas exigências do mercado e, em
última análise, ao seu próprio sucesso.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

O rápido evoluir dos mercados, a forte pressão da concorrência e as crescentes


exigências dos consumidores, traz consigo a necessidade de se desenvolverem constantemente
novos processos de maximizar este "poder da informação", ao serviço de uma maior qualidade,
produtividade, rapidez e rentabilidade na empresa, sendo neste contexto que surgem as
chamadas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

O que são as TIC?

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) são talvez a ferramenta mais


importante para a transformação social e económica desde o advento da escrita impressa de
Gutenberg. Mas não podemos esquecer que foi necessário percorrer um longo caminho até que
as pessoas tivessem acesso aos livros em larga escala. E o mesmo sucede com o acesso às TIC. O
acesso às tecnologias de informação pode ajudar à criação de pequenas empresas e grupos de
artesãos nos locais mais pobres e remotos do mundo, permitindo-lhes a entrada nos mercados
nacionais ou mesmo globais. As tecnologias de informação permitem superar infra-estruturas
deficientes, fazendo com que a distância em relação aos mercados deixe de constituir um
obstáculo e os canais de distribuição medíocres sejam coisa do passado.

As TIC possibilitam uma oferta mais eficiente de serviços básicos de saúde e educação, na
medida em que as pessoas podem a eles aceder a partir das suas próprias casas ou
comunidades.

As TIC podem ajudar no sector da agricultura, permitindo aos agricultores e às


comunidades um rápido acesso a informações meteorológicas, a novas técnicas de produção e a
novos mercados, tudo contribuindo para aumentar a produtividade. Também os comerciantes e
empresários podem beneficiar das tecnologias de informação, que constituem uma
oportunidade para promover os seus negócios a nível nacional, regional e global. AS TIC podem
ainda ser extremamente eficazes para melhorar a acção governativa. Dão voz a todas as pessoas
que, nos países em desenvolvimento, têm estado isoladas, invisíveis e silenciosas, dando-lhes
voz, independentemente do seu sexo ou do local onde habitam. Mas o acesso às TIC é ainda
desigual.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

A utilização das tecnologias e o acesso às mesmas varia consideravelmente conforme os


países, e mesmo dentro de cada país, entre zonas urbanas e rurais, entre ricos e pobres, entre
pessoas com formação e pessoas iletradas, entre homens e mulheres.

Muito foi já feito no âmbito das tecnologias, mas os governos e a sociedade civil terão
de fazer muito mais para que toda a humanidade possa beneficiar das TIC. As tecnologias são
apenas o início e, de certa forma, a parte mais fácil. A parte difícil prende-se com a forma de
utilização das tecnologias nas áreas menos tangíveis da política, do negócio, da cultura e da lei.

Definição de Computador

Provavelmente há muito pouco tempo esteve em contacto com um computador, por


exemplo se fez um telefonema, um computador ajudou ao estabelecimento da chamada, se
jogou um jogo electrónico, um computador calculou as pontuações e ajudou a controlar a
acção; se viajou de avião, desde a emissão do bilhete ao respectivo Piloto existiu a ajuda de
computadores; e saiba que, até neste manual de formação, as palavras que está a ler foram
escritas com a ajuda de um computador.

Como se organiza a informação

Todos os dados que introduzimos no computador (textos, gráficos, desenhos...) são


elaborados com base em programas. No entanto o computador é incapaz de entender os
símbolos por nós utilizados, assim, tem que os traduzir e codificarpara uma linguagem própria.
Essa linguagem, composta por dois símbolos, 0e 1, é extremamente simples para o computador,
devido ao facto de ser composta por conjuntos destes dois algarismos.
A esta linguagem damos o nome de código binárioe com base nela o computador transforma e
codifica toda a informação.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Estrutura básica de um computador

O computador

Então, o que é um computador? O que pode ele fazer? É uma máquina que manuseia grandes
quantidades de informação, que trabalha a velocidades espantosas e que está preparada para
executar as seguintes tarefas:
1. Receber Informações. As informações são fornecidas ao computador sob a forma de um
conjunto de Dados ou de Valores, ou como um conjunto de instruções que Ihe indicam o que
ele tem a fazer.
2. Armazenar informação. O computador tem um dispositivo, a memória, que retém a
informação enquanto se desejar.
3. Processar informação. Isto significa que o computador pode fazer algo com a informação:
desde uma simples adição até comparar e ordenar nomes ou editar tratar imagens ou vídeo.
4. Fornecer informação processada. Em consequência das instruções que foram-lhe dadas o
computador fornece os resultados do processamento. O Computador é o resultado da
acumulação de conhecimento, de diversas ideias e experiências oriundas de diferentes épocas e
diferentes grupos de interesse. A palavra COMPUTADOR tem a sua origem do latim
COMPUTARE que significa CONTAR, CALCULAR ou AVALIAR. Em Português diz-se Computador,
em Francês Ordinateur e em Inglês Computer.
Na verdade a origem do termo Computador, melhor dizendo “Computadoras” surge durante a II
Guerra Mundial não aplicado a uma máquina mas a mulheres que trabalhavam no cálculo das
trajectórias balísticas e resolviam equações matemáticas complexas para serem aplicadas em
estratégias bélicas – e cujo trabalho inerente foi sempre considerado de segundo plano, até ao
momento em que o mesmo trabalho passa a ser desempenhado por máquinas "inteligentes"
operadas por homens que se pretendiam não menos inteligentes (Jennifer Light).
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Hardware

Hardware é a parte física de um sistema informático, ou seja, é o equipamento em si, o que é


palpável. Eis alguns componentes do hardware:
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Monitor – permite visualizar informação na forma de texto, imagens ou vídeos. Todo o trabalho
desenvolvido com o computador pode ser visualizado no monitor. No caso de o querer impresso
em papel, tem de se utilizar a impressora.
CPU (Unidade Central de Processamento) – é o “cérebro” do computador, onde toda a
informação é processada, isto é, onde se realizam as operações que tratam os dados
introduzidos de forma a se obter a informação desejada.
Teclado – é através do teclado que vai poder dar instruções ao computador, digitar texto,
introduzir valores, controlar o funcionamento de programas, etc.
Rato – é um dos componentes do computador mais utilizados, pois a sua utilização permite
interagir com o computador através de imagens gráficas apresentadas no ecrã do monitor,
facilitando a interacção entre o utilizador e o computador.
Colunas – as colunas adicionam ao sistema informático a capacidade de se ouvir os sons das
aplicações multimédia e de vídeos, músicas de CD áudio, etc.
Impressora – a função da impressora consiste em imprimir em papel o resultado do nosso
trabalho, quer seja um texto, um gráfico, uma imagem, etc. existem vários tipos de impressora
como, por exemplo, jacto de tinta e laser.
Scanner – o scanner ou digitalizador funciona da maneira oposta à de uma impressora. Ao invés
de passar a informação do computador para o papel, este aparelho capta para o computador, a
imagem, o texto, o gráfico, etc., que está no papel.

Motherboard

É uma placa de circuitos impressos, que como o próprio nome indica, ocupa o lugar central na
estrutura do computador.

Nela estão instalados o processador, as memórias (à excepção do disco rígido), diversos circuitos
integrados e componentes electrónicos, ranhuras onde poderão ser instaladas outras placas
(placa de som ou placa de rede, por exemplo) e conectores para os periféricos (rato, teclado,
monitor, etc).
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Processador
O processador é o cérebro do computador, encarregado de processar a maior parte das
informações. O processador é o componente mais complexo e frequentemente o mais caro.
Tudo começou com o 8088, lançado pela Intel em 1979 e usado no primeiro PC, lançado pela
IBM em 1981.

Memória RAM
(random access memory)
É a principal do computador. É uma memória de leitura, escrita e remoção de informação. É
uma memória volátil.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Memória ROM
(read only memory)
A memória ROM é um tipo de memória que permite apenas a leitura, as suas informações são
gravadas pelo fabricante uma única vez e depois não podem ser alteradas ou apagadas.

Placa Gráfica
Determina a parte gráfica do computador.

Placa de som
Permite a reprodução e o tratamento de sons no computador.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Placa de rede
Placa de expansão usada para conectar um computador a uma rede informática.

Memórias
É nas memórias que são armazenados, temporária ou permanentemente as instruções do
software com que o computador funciona, assim como, os dados que vão sendo introduzidos
no computador pelo utilizador.
Memória primária - cache
Consiste numa área da memória RAM. Utilizada para o armazenamento dos dados mais
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

requisitados pelo processor, evitando assim, ler ou escrever directamente na memória RAM.
O acesso à cache é bastante rápido. Contudo, a sua capacidade de armazenamento é,
normalmente, reduzida.
Modem
Dispositivo electrónico que converte os sinais enviados pelo computador em sinais áudio, que
serão enviados ao longo das linhas telefónicas.
Memórias primárias
São memórias que o processador pode endereçar diretamente sem as quais o computador não
pode funcionar.
Memórias secundárias
Memória que não pode ser endereçada directamente, a informação precisa de ser carregada
numa memória (primária) antes de ser tratada pelo processador.

Ao centro temos a CPU*, onde se encontra o processador (responsável por todas as operações
computacionais) e as memórias.

No campo dos periféricos de entrada temos o rato e o teclado, por exemplo;

Do lado da saída temos os periféricos como as colunas e o monitor.

No caso deste últimos objetos, todos eles deverão comunicar de alguma forma para que
possam interagir e formar a máquina a que chamamos Computador.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Assim, torna-se necessário que todos os dispositivos “comuniquem na mesma linguagem”.

Unidade Central de Processamento (Processador)


É um cicuito integrado de dimensões reduzidas, responsável por todas as operações
computacionais. É o “cérebro” do computador.
Está dividido em 3 áreas distintas:
Unidade de controlo: comanda todas as operações;
Unidade lógica e aritmética (ALU): dedicada à manipulação de dados e cálculos e operações
sobre os dados;
Registos: servem como pequenas memórias temporárias para valores utilizados nas diversas
operações;

Memórias
Uma vez que um computador se trata de uma máquina de processamento de dados
(informação), estes necessitam ser alojados temporariamente ou permanentemente.
Memórias
Ficheiros temporários - são guardados em pequenas memórias incorporadas na Unidade
Central de Processamento.
Ficheiros permanentes - ficam alojados numa memória de grandes dimensões (hoje na ordem
dos Giga Bytes): o disco rígido.

1 Byte = 8 bits 1 Kilobyte (ou KB) = 1024 bytes 1 Megabyte (ou MB) = 1024 kilobytes 1 Gigabyte
(ou GB) = 1024 megabytes 1 Terabyte (ou TB) = 1024 gigabytes 1 Petabyte (ou PB) = 1024
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

terabytes 1 Exabyte (ou EB) = 1024 petabytes 1 Zettabyte (ou ZB) = 1024 exabytes 1 Yottabyte
(ou YB) = 1024 zettabytes

Periféricos (ou dispositivos) de entrada


Estes dispositivos recebem dados do exterior ao sistema computacional para que sejam
processados. Exemplos: teclado, rato, leitor de código de barras, scanner, leitor de cds, etc.

Periféricos (ou dispositivos) de saída

Estes periféricos enviam a informação processada para o exterior.

Exemplos: monitor, impressora, colunas de som ou projector.


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Periféricos mistos (entrada e saída)

São todos os periféricos que podem ser lidos e/ou escritos.

Por exemplo, um leitor/gravador de cds ou dvds, uma máquina fotográfica digital ou até uma
pen.

Em todos estes dispositivos tanto podemos passar dados do dvd/cd, máquina fotográfica ou
pen para dentro do computador, como no sentido inverso.

Rato

Ddispositivo apontador. O utilizador poderá deslocá-lo sobre uma superfície horizontal (mesa,
secretária, etc…), permitindo-lhe controlar um ponteiro no monitor, apontando assim para os
diversos conteúdos.

Botão esquerdo: É o botão que permite o selecionar e dar a ordem de execução de


determinado comando.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Exemplo: posicionando o ponteiro sobre uma pasta e clicando uma vez neste botão, a pasta é
simplesmente selecionada. Se efetuarmos um duplo clique (Muito rápido!), selecionamos a
pasta e executamos o comando de abertura da mesma, permitindo-nos observar o seu
conteúdo.

Botão direito: botão de menu que possibilita variadas opções, dependendo do conteúdo sobre
o qual é efectuado o clique.
Roda de deslocamento (Scroll): permite o deslocamento vertical dentro de uma pasta, dentro
de um documento ou numa página de internet.

Teclado
Trata-se também de um periférico de entrada que permite ao utilizador a interação com os
conteúdos. Para além das teclas alfanuméricas (letras e números), disponibiliza também todo o
tipo de acentuação e pontuação, atalhos para algumas definições do computador (volume,
luminosidade, etc.) e também para aplicações. Algumas delas permitem também algumas
funcionalidades especiais.

Tal como no caso do rato, também no campo dos teclados existem variadíssimos modelos, uns
com mais e outros com menos teclas.

No entanto, aqui serão abordadas apenas funcionalidades que todos os teclados disponibilizam.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

TECLAS MODIFICADORAS

São teclas que pressionadas isoladamente não provocam qualquer tipo de efeito mas devem ser
pressionadas em conjunto com outras teclas para determinadas funcionalidades.

As teclas [Alt], [Ctrl], [Shift], [Alt Gr] (Esta última provoca o mesmo efeito que [Alt]+[Ctrl] em
conjunto.

TECLAS DIRECIONAIS

São as teclas apresentadas com setas verticais e horizontais, que permitem o deslocamento
dentro das aplicações.

VARIAÇÕES
Para reduzir a dimensão dos teclados, por vezes uma determinada tecla permite efectuar várias
funcionalidades. Muitas vezes acontece de uma determinada tecla numérica permitir mais duas
opções. Nestes casos temos o número como função principal, temos um símbolo por cima do
número e ainda um segundo símbolo mais à direita. Por exemplo, imaginemos que a tecla [7]
tem por cima a barra [/] e mais à direita a abertura de chaveta [{]. Para conseguirmos cada um
desses símbolos:
[7] Escrevemos o número 7;
[Shift] + [7] Escrevemos a barra [/];
[Alt Gr] + [7] Escrevemos a abertura de chaveta [{];
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Outros atalhos:
[Alt] + [F4] Encerra a aplicação/janela/programa seleccionado. Até produz esse efeito no próprio
Windows.
[Ctrl] + [C] Efectua a cópia. (Para o processo “Copiar-colar”);
[Ctrl] + [X] Efectua o corte. (Para o processo “Cortar-colar”);
[Ctrl] + [V] Executa o “colar” dos processos anteriores.
[Shift] + [letra] Escrever a letra em maiúsculas.
[Ctrl] + [Alt] + [Del] Abre o gestor de tarefas para que se possa forçar o encerramento de aplicações que
falharam, por exemplo.
[Shift] + [.] Escreve os dois pontos (:);
[Shift] + [3] Escreve o cardinal (#);
[Alt Gr] + [E] Escreve o símbolo do Euro (€);

Software
Para que o seu computador funcione, para além do hardware é necessário o software.
Numa abordagem inicial, e simplista, pode-se dizer que o software é constituído pelos
programas, e que os programas são instruções que definem como é que o computador deve
reagir a determinados comandos do utilizador.
Se quiser executar uma determinada actividade com o computador tem de instalar um
programa que receba instruções e execute operações que, no conjunto, permitam realizar essa
actividade.
Sistema Operativo
O sistema operativo é um componente importante do software, pois tem como missão
servir de intermediário entre o hardware (rato, teclado, monitor, CPU, impressora, etc.) e os
restantes programas.
Por exemplo, imagine que vamos almoçar num restaurante, pedimos frango com batatas fritas e
uma salada ao empregado de mesa. Não é o empregado de mesa que vai assar o frango, nem
fritar as batatas, nem preparar a salada. O que acontece, é que o empregado de mesa vai à
cozinha e pede à cozinheira e é ela que vai tratar de preparar a refeição. Quando tudo estiver
pronto, a cozinheira chama o empregado de mesa, dá-lhe a bandeja coma a refeição pedida.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

O empregado de mesa, nessa altura, leva a bandeja à mesa do cliente e satisfaz o seu
pedido (missão cumprida).
A relação entre os programas e o sistema operativo é semelhante à relação entre o empregado
de mesa e a cozinheira: os utilizadores dão comandos aos programas e os programas, por sua
vez, recorrem ao sistema operativo para a realização de algumas tarefas que, depois de
executadas, são devolvidas ao programa e este apresenta o resultado final ao utilizador.
Como conclusão, pode afirmar-se que o sistema operativo tem por objectivo facilitar a
exploração dos recursos de um sistema informático por parte de um utilizador. O sistema
operativo é indispensável ao funcionamento do computador. O Windows é um sistema operativo
como o Linux, MacOs, etc.

Alguns exemplos: Microsoft Windows, Microsoft Office Word, Paint, Calculadora, anti-vírus,
Windows Media Player, navegador de internet (Internet Explorer), etc.

Princípios básicos de utilização do SO


Pastas e ficheiros
Para facilitar a compreensão de como um computador gere a informação e organiza os
dados, foi criada uma analogia com a realidade, mais concretamente com um escritório e a
ambiente de trabalho. O armário é então o Disco rígido, as gavetas as Pastas e, por fim, os
documentos são os Ficheiros.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Normalmente, existe em qualquer sistema operativo uma pasta denominada de


“Documentos” ou “Os Meus Documentos”, que é a pasta específica onde devem ser guardados
os ficheiros e documentos pessoais. Todas as restantes são pastas específicas referentes ao
Sistema Operativo ou ao restante Software que está instalado no Computador.
Por uma questão de organização (não obrigatório!), os documentos e ficheiros pessoais,
nos quais se incluem documentos de texto, folhas de cálculo, imagens, vídeos, entre outros,
deverão ser sempre guardados nas suas pastas respectivas, dentro das pastas “Documentos” ou
“Os Meus Documentos”.
De igual modo, a instalação de um programa pode ser efetuada em qualquer localização
(ou pasta), embora seja conveniente a instalação na localização “Computador -> Disco Local (C:)
-> Programas”.

O ambiente de trabalho
Fundo do ambiente de trabalho. Aqui poderão ser criados atalhos para qualquer pasta ou
programa. Estes atalhos são ícones que permitem o redirecionamento direto para outras
localizações sem que seja necessário explorar como exemplificado anteriormente.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Botão Iniciar. Clicando neste botão aparece o Menu Iniciar onde podemos ver as caixas 5 e 6.
Trata-se da porta de entrada para o sistema, programas e pastas através de atalhos aí já pré-
definidos.
Barra de iniciação rápida. Estes ícones permitem o acesso rápido a pastas e programas. Neste
caso temos o acesso direto ao explorador de ficheiros, ao Windows Media Player e ao Microsoft
Word, mas pode ser configurada com outros atalhos.
Atalhos para outras localizações: Computador, documentos, painel de controlo, impressoras,
etc. Se pretendermos desligar o computador é aqui que encontramos o respectivo botão.
Atalhos para programas abertos recentemente. É uma listagem dinâmica já que atualiza
automaticamente os atalhos para os últimos programas abertos.
Nota importante: o ambiente de trabalho não deixa de ser uma pasta como outra
qualquer na estrutura de um disco rígido. Ou seja, podemos colocar nesta pasta todo o tipo de
documentos, pastas, ou até instalar programas. Porém, é aconselhável não ter muitas pastas
nem instalar programas nesta localização, não só por uma questão de organização como
também para que o ambiente de trabalho não esteja muito pesado. Se tivermos muitas pastas
ou programas nele instalados, o arranque e o funcionamento do computador vão tornar-se
muito lentos. É aconselhável apenas colocar atalhos e pequenos documentos nos quais está a
trabalhar em cada momento.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

A Reciclagem
Quando eliminamos ficheiros, estes não desaparecem imediatamente do nosso
computador.
Fazendo a analogia com o nosso escritório, quando pretendemos deitar fora um dado
documento, deitamo-lo ao nosso cesto de papeis. Só posteriormente é que despejamos esse
cesto definitivamente no lixo ou então até o remexemos para recuperar qualquer documento
indevidamente eliminado.

No nosso computador o processo é rigorosamente o mesmo. Ao eliminarmos um


documento ou pasta, ela vai para uma pasta designada por “Reciclagem”, que tem também um
atalho no ambiente de trabalho e cujo ícone (normalmente) é um cesto de papéis. Só
posteriormente é que “Esvaziamos a reciclagem” e aí sim, os documentos são definitivamente
eliminados.
Entretanto, podemos pesquisar essa pasta por um determinado documento e podemos
recuperá-lo para a sua localização anterior.
Nota importante: o processo de eliminação de pastas e ficheiros não é equivalente para
os programas instalados no sistema. Os programas devem ser desinstalados de uma outra
forma. Eliminar a pasta de um programa ou até um atalho para o mesmo, não elimina o
programa do sistema e impede que ele seja aberto novamente.

Botão Iniciar e os seus atalhos


Encontra-se no canto inferior esquerdo do ambiente de trabalho e permite o acesso a
todo o sistema: programas, pastas, configurações, etc. Aqui ficam algumas das suas
funcionalidades, descritas detalhadamente.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Programas e aplicações nativas do Microsoft Windows


De origem, o próprio sistema operativo Microsoft Windows incorpora já diversas
ferramentas ou aplicações para as mais variadíssimas funções. Aqui ficam alguns exemplos.
Windows Media Player: leitor de multimédia. Permite a reprodução de ficheiros de
música ou vídeo.
Paint: pode ser utilizado para criar desenhos numa área de desenho em branco ou em
imagens existentes.
Calculadora: permite operações matemáticas. Pode ser visualizada em modo básico ou
científico.
Bloco de Notas: permite escrever e guardar pequenas notas de texto simples.
WordPad: processamento de texto.
Internet Explorer: navegador de internet.
Jogos: Xadrez, Copas, Solitário, etc. Alguns deles permitem já ligação à internet para que
possam ser jogados em tempo real com outros jogadores.
Firewall: software nativo do Windows que funciona como um “porteiro” que controla
tudo o que pretende entrar no sistema. Por exemplo, quando pretendemos instalar um
programa, por vezes a Firewall alerta para o caso e questiona se pretendemos continuar o
processo.

Técnicas de processamento de texto


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Um processador de texto é uma poderosa ferramenta de auxílio à elaboração de


documentos que veio substitui as máquinas de escrever. Por outras palavras, é um tipo de
software que serve para escrever cartas, histórias e qualquer outra espécie de texto.
Podemos definir um processador de Textos como um Software de aplicação que permite a
manipulação electrónica sobre textos no qual o utilizador tem acesso total sobre tudo o que se
pode imaginar para a edição desses textos, inclusive a inserção de objectos (figuras) no
documento criado. Resumindo é uma “Máquina de Escrever” dotada de grandes
potencialidades editoriais. Das mais recentes aplicações informáticas para processamento de
texto em ambiente Windows, podemos mencionar:
Word da Microsoft;
StarOffice Writer;
OpenOffice Writer;

De salientar que os antigos programas de processamento de texto utilizados nos anos 80


eram muito rudimentares comparados com os actuais. O utilizador poderá agora criar uma
grande variedade de documentos, recorrendo a diversas funcionalidades, nomeadamente a
tabelas, gráficos, imagens, som, vídeo, colunas de texto, hiperligações, entre outras.
Assim a lista abaixo tem a maior parte vantagens na utilização de um processador de textos:
Escrever texto – Esta é a função herdada das suas antepassadas Máquinas de Escrever
Mecânicas e Máquinas de escrever Electrónicas;
Gravar um documento – Poderá gravar os documentos para mais tarde utilizar, alterar ou copiar
para outro computador;
Formatar caracteres – esta funcionalidade permite alterar o tamanho, estilo e cor dos
caracteres escritos;
Formatar parágrafos – Com a formatação de parágrafos podemos alterar todas as estruturas
destes, nomeadamente, o espaçamento entre parágrafos, o alinhamento dos parágrafos (à
esquerda, ao centro, à direita, justificado), largura das margens entre outras funcionalidades;
Configurar páginas – Poderemos com esta funcionalidade definir uma página horizontal ou
vertical bem como definir o texto para um tamanho de papel diferente, por exemplo para A3,
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

A5 envelope ou outro. Podemos ainda definir a altura do cabeçalho e do rodapé bem como a
utilização de páginas par e páginas ímpar;
Correcção ortográfica – O processador de textos alerta-nos imediatamente após escrevermos
um erro ortográfico permitindo corrigi-lo manualmente ou através de uma lista de palavras
sugeridas que o próprio disponibiliza;
Correcção gramatical – Tal e qual como acontece com a correcção ortográfica o processador de
textos alerta e permite corrigir erros gramaticais;
Inserção de objectos (imagens) – Podemos com esta funcionalidade incrementar no nosso
texto imagens digitais como desenhos, logótipos ou fotografias;
Personalização de cabeçalhos e rodapés – O processador de textos com esta funcionalidade
permite a colocação de texto ou imagens nas zonas de cabeçalho e rodapé, bem como a
colocação de variáveis para numeração automatizada de número de página, de forma a sejam
utilizadas automaticamente por todas as páginas do documento;
Automatização de números de página – Permite a inserção de variáveis de número de página
actual e número total de páginas do documento. Com a colocação dessas variáveis na zona de
rodapé ou de cabeçalho o processador de texto tem a potencialidade de incrementar e mostrar
automaticamente os correctos valores das páginas;
Criação automática de índices – Como o processador de textos acaba-se o dificultoso e
trabalhoso processo de criação de um índice em documentos com algumas dezenas de páginas.
Com esta funcionalidade o processador de texto cria os índices automaticamente de acordo
com os títulos e os subtítulos existentes no documento;
Manipulação de tabelas – Praticamente idêntico ao que acontece com as janelas do sistema
operativo o processador de texto também permite colocar vários documentos de texto abertos
em simultâneo.
Aplicação de cálculos em tabelas – O processador de textos permite a colocação de fórmulas
para a realização de cálculos com base nos valores existentes nas tabelas do documento;

Importação de folhas de cálculo (Excel) – Caso pretenda inserir no documento de texto um


ficheiro de uma folha de cálculo, o processador de textos permite-o;
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Intercalação de documentos – Esta funcionalidade permite a criação de uma base de dados e a


intercalação desta com um documento de texto permitindo a emissão personalizada para uma
impressora ou novo documento digital. É usado para a impressão de etiquetas, envelopes ou
cartas mailing.
Marcadores e numeração – Quando fazemos uma enumeração de vários itens, é útil marcar
cada item com um símbolo, ou mesmo numerar os elementos da lista. No processador de textos
a numeração é feita automaticamente, de modo a actualizar-se sozinha se inserirmos um item
novo a meio da lista;
Conversão Maiúsculas / Minúsculas – Caso tenhamos um determinado texto em minúsculas,
poderemos usar esta funcionalidade para o converter automaticamente para maiúsculas, ou
vice-versa, sem ter de escrever tudo de novo;
Cópia, movimentação e eliminação de blocos de texto – Caso um determinado parágrafo não
esteja na página ou local de página correcto poderemos movê-lo para outro local sem ter de
escrevê-lo de novo. A cópia, como o próprio nome indica, criará numa outra zona do
documento uma cópia de um texto já existente. De notar que ao colocar mais texto no
documento ou retirar alguns parágrafos do documento, o processador de texto tem a
particularidade de regenerar a numeração das páginas;
Editor de HTML – Se pretender desenvolver uma página para a Internet o processador de texto
já permite gravar o seu documento no formato HTML necessário para que seja entendido pela
Internet.
Edição de formulários – Poderá também incluir objectos de formulário no documento
facilitando o preenchimento de documentos de formulário;
Automatização de notas de rodapé – Caso necessite fazer uma chamada a determinada palavra
ou expressão, o processador de texto permite criar uma nota de rodapé automatizada;
Gestor de impressão de documentos – O processador de texto disponibiliza uma caixa de
diálogo onde poderá definir por exemplo quantas e quais páginas quer imprimir;
Localização de texto – Caso precise localizar uma determinada palavra ou texto no seu
documento de várias páginas, poderá contar com esta funcionalidade;
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Substituição de Texto – Se precisar de substituir em todo o documento uma determinada


palavra, que até se poderá repetir várias vezes por todo o texto, o processador permite executar
essa funcionalidade em segundos e sem erros;
Data e hora no documento – Poderá personalizar o seu documento com a data e a hora do
momento e sempre que imprimir esse documento o processador de textos actualizará a data e
a hora em conformidade com o sistema;
Letras Capitulares – Poderá colocar uma letra capitulada no início do seu trabalho de uma
forma rápida e simples;
Desfazer, refazer acções – No caso de se enganar e necessitar de desfazer esse engano, é
possível com esta funcionalidade, podendo retroceder e avançar às acções já efectuadas;
Efeitos de animação no texto – Apenas para visualização em ecrã poderá colocar no seu
documento efeitos e animações em letras como por exemplo uma palavra cintilante ou um
letreiro luminoso;
Hifenização – A hifenização é muito útil para uma boa apresentação do seu documento. Nunca
hifenize uma palavra manualmente, o processador de texto cria uma hifenização
automaticamente, e sempre que alterar os formatos das palavras a hifenização altera-se de
imediato.
Idioma do documento – O processador de textos poderá fazer uma correcção ortográfica e
gramatical em diversos idiomas.
Etc.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

1. Menu de Controlo – Efectuando um clique sobre este botão, as opções “Restaurar”, “Mover”,
“Dimensionar”, “Minimizar”, “Maximizar” e “Fechar” aparecerão. Se for efectuado neste botão,
um duplo clique com o rato, a janela do processador de textos é encerrada automaticamente.
2. Barra de Título – Mostra o título do programa e do documento aberto. No exemplo
“Documento2” é o nome do documento e seguidamente o nome do programa em uso – o
Microsoft Word.
3. Botões de Minimizar, Maximizar e Fechar – Tal e qual como em qualquer janela o botão de
Minimizar serve para baixar a janela para a Barra de Tarefas do Windows, o Maximizar aumenta
a janela ao tamanho máximo e o Fechar fecha a janela e consequentemente fecha o Microsoft
Word.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

4. Botão de Fechar Documento – Este botão fecha o documento em uso mas não fecha o
Microsoft Word.
5. Barra de Menus – Esta barra é semelhante em todas as aplicações Microsoft, onde podemos
aceder ao menu (Ficheiro, Editar, Ver, Inserir, Ferramentas...) para diversas tarefas que serão
descritas ao longo deste manual.
6. Barra de Ferramentas Padrão – Esta barra disponibiliza botões cujas funções são atalhos às
opções padrão mais usadas como Abrir, Gravar, Copiar, etc.
7. Barra de Ferramentas de Formatação – Esta barra disponibiliza botões cujas funções são
atalhos às opções de formatação mais usadas como Alinhar à esquerda, ao centro, justificado,
tamanho e tipo de letra, etc.
8. Régua superior – Esta régua ajuda ao utilizador controlar a disposição do texto a produzir na
área de trabalho tendo como referência margens, tabulações e outras marcas que facilitam o
trabalho. Utiliza Marginadores de parágrafos.
9. Régua Lateral – Tem a quase a mesma função da Régua Superior com excepção dos
marginadores.
10. Barra de deslocamento vertical – Sempre que o conteúdo da janela não for visível na
totalidade do seu comprimento pode utilizar-se esta barra de deslocamento. Para que esta se
movimente, posiciona-se o cursor do rato sobre a barra, pressiona-se o botão esquerdo do rato
e sem o soltar, arrasta-se o rato conjuntamente com a barra de forma a visualizar o restante
conteúdo da janela.
11. Botões de Pesquisa – Permitem ir directamente para a página anterior, página seguinte ou
fazer uma pesquisa mais avançada como por exemplo localizar um determinado texto.
12. Botões de Visualização – Estes botões substituem a primeira secção do Menu “Ver” que
permite mudar a forma de visualização do documento, pela “Vista Normal,” “Vista em Esquema
Web”, “Vista em Esquema de Impressão”, em “Vista de Destaque” e ainda em “Vista de
Esquema de Leitura”.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

13. Barra de deslocamento horizontal – Da mesma forma que a Barra de Deslocamento


Vertical, sempre que o conteúdo da janela não for visível, neste caso na sua largura, pode
utilizar-se esta barra de deslocamento. Para que esta se movimente, posiciona-se o cursor do
rato sobre a barra, pressiona-se o botão esquerdo do rato e sem o soltar, arrasta-se o rato
conjuntamente com a barra de forma a visualizar o restante conteúdo da janela.
14. Barra de Ferramentas de desenho – Esta barra disponibiliza botões cujas funções são
atalhos às opções de desenho mais usadas como Formas automáticas, desenhar linha, desenhar
seta, desenhar rectângulo, etc.
15. Barra de Estado – Esta barra tem muita utilidade uma vez que nos fornece informações
importantes para a boa navegação pelo documento. Informa-nos do número de páginas totais
do documento, do número da página onde o cursor se encontra pronto a receber instruções, o
idioma, etc.
16. Área de Trabalho – É este o documento de trabalho. É aqui que vamos escrever o nosso
texto. É o local onde serão aplicadas todas as instruções como formatações e configurações de
página.
Para colocar acentuação:

digite primeiro o acento

depois digite a vogal

se o acento encontra-se numa tecla com dois caracteres, para usar o caractere de cima,
pressione a tecla “Shift” ao mesmo tempo.

Exemplo:

Mão – para acentuar a palavra Mão, digita-se a letra “m” , o acento e só depois a letra “a” e “o”.

Para colocar o parágrafo na primeira linha.

Pressione a tecla TAB para o parágrafo da primeira linha.

Para alinhar o texto: selecione todo o texto. Clique no ícone para alinhamento
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Para selecionar uma parte ou uma frase do texto.

Leve o rato ao início da frase que será selecionado, até que forme a letra I maiúscula

Arraste o rato até o final da frase que será selecionado com o botão pressionado.

Para selecionar uma palavra do texto

clique duas vezes sobre a palavra com o rato

Guardar o texto no computador

clique no ícone Guardar

Escolha a sua pasta

Coloque nome no arquivo

Clicar em Guardar

Como copiar uma palavra ou uma frase:

selecione a palavra ou a frase

clique no ícone de copiar da barra de ferramenta padrão ou

clique no menu editar opção copiar ou

Pressione ao mesmo tempo Ctrl + C

escolher um lugar no texto

clique no ícone colar da barra de ferramenta padrão ou

clique no menu editar opção colar ou Pressione ao mesmo tempo Ctrl + V


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Como mudar uma palavra ou uma frase de lugar

selecione a palavra ou a frase

clique no ícone de cortar da barra de ferramenta padrão ou

clique no menu editar opção cortar ou

Pressione ao mesmo tempo Ctrl + X

escolher um lugar no texto

clique no ícone colar da barra de ferramenta padrão ou

clique no menu editar opção colar ou

tecle Ctrl + V

Ferramenta pincel: serve para copiar formatos.

Procedimentos:

Clique na frase ou palavra que deseja copiar o formato

Clique na ferramenta pincel

Leve o rato à nova palavra ou frase e clique.

Ferramenta Desfazer e Refazer: é utilizada para corrigir operações indevidas.

Caso você execute alguma formatação, alinhamento, apague algo, etc. que não deveria ser feito,
poderá usar a ferramenta desfazer ou ferramenta refazer para reverter o erro.

Ctrl+Z

Ferramenta Ortografia e gramática (menu Ferramentas) : verifica se o documento ativo possui


erros de ortografia, gramática e estilo de redação e exibe sugestões para corrigi-los.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Clique na ferramenta ou Menu Ferramentas, opção ortografia e gramática.

Aumentar o espaçamento entre linhas

Selecione o texto

Menu Formatar, opção parágrafo.

Escolher o espaçamento desejado na opção Entre Linhas

Marcas e Numeração: são usados para formar listas com itens.

Selecione o texto, clicar no ícone marcador ou numerador

poderá mudar a posição clicando no ícones diminuir recuo ou aumentar recuo

Limites e sombreados

Selecione o texto

Clicar no menu Esquema de página

Opção Limites de Página


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Cabeçalho e rodapé: são definidos uma única vez e se o seu texto tiver várias páginas, o
cabeçalho e o rodapé será automaticamente repetido nas demais páginas.

Procedimentos para colocar cabeçalho e rodapé.

Separador Inserir

Opção Cabeçalho/ Rodapé

OU duplo clique na parte superior ou inferior da página

Inserir uma imagem no texto


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Localizar/substituir uma palavra/frase


Clicar no início do texto
Clicar no menu editar, opção localizar
Digitar a palavra ou frase
Clicar no botão mais para mais detalhe para a procura
Clicar no botão localizar próxima para localizar a palavra

Inserir Formas

WordArt
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Inserir Tabela

Técnicas de Processamento de Folhas de Cálculo

Folha de cálculo que é utilizada para manipular tabelas de dados, principalmente numéricos,
possibilitando a criação de relatórios e gráficos;

Analisa e controla desde as mais simples despesas domésticas até aos mais complexos cálculos
industriais, por exemplo nas seguintes áreas:
Administrativa (folha de pagamentos, salários, contabilidade, …);

Financeira (análise de investimentos, custos, …);

Produção (controlo de produtividade, stocks, …);

Comercial (encomendas, vendas, variação de preços, …).

Folha de cálculo = área/ folha de trabalho; é a de uma enorme tabela ou folha quadriculada,
dividida em linhas e colunas;

Colunas: dispostas na vertical, são representadas por letras;

Linhas: dispostas na horizontal, são numeradas de 1 até um determinado número;


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Célula: espaço onde se introduzem dados que se trabalham; resulta da intersecção da coluna e
da linha;

Célula = linha + coluna.

Existem três componentes básicos para o Friso:


Separadores - existem sete separadores na parte superior. Cada um representa as tarefas
essenciais que executa no Excel.
Grupos - cada separador tem grupos que mostram conjuntos de itens associados.
Comandos - um comando é um botão, uma caixa para introduzir informações ou um menu.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Técnicas de criação e apresentação de diapositivos


Ferramenta de criação de apresentações;

Destina-se essencialmente à comunicação;

Tem como finalidade a criação, manipulação e “apresentação” de um texto;

Instrumento auxiliar de comunicação/apresentação;

Deve destacar só os pontos-chave mais importantes da comunicação oral;

Substitui os “velhos” acetatos.

Oferece maior interatividade, maior controlo, maior enfatização dos pontos essenciais,
melhor gestão de tempo e duração da comunicação e é muito mais atratio visualmente
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Vantagens

Controlo objetivo

Restrição de acesso não autorizado

Garantia de armazenamento contínuo e seguro

Consultas rápidas e eficazes

Garantia de backup e restauração

Utilização da Internet
Conceitos gerais sobre a Internet

Em poucas palavras, a Internet, é uma Rede Informática à escala mundial composta por
muitos milhares de computadores ligados entre si. Através da rede telefónica cada um controla
os seus computadores e a informação que pretende divulgar. INTERNET significa Interconnected
Networks.

Breve perspectiva histórica da evolução da Internet

A Internet começou como experiência do Departamento de Defesa dos Estados Unidos,


nos anos 60, para ajudar cientistas e pesquisadores de locais bem distanciados geograficamente
a trabalharem juntos compartilhando escassos e caros computadores e os seus ficheiros com
documentos. Essa meta exigia a criação de um grupo de redes interligadas que actuariam como
um todo coordenado.

A Guerra Fria gerou interesse numa rede “à prova de bomba”. Mesmo que parte da rede
fosse destruída, os dados ainda assim circulariam até ao seu destino com a ajuda das partes
remanescentes. Na resultante Internet (ou, inter - rede), a responsabilidade de traçar a rota das
mensagens foi distribuída entre toda a rede, em vez de ficar centralizada numa só localização.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Em grande parte, a Internet, já com mais de 2 décadas de existência, tem aumentado a


sua popularidade devido ao uso de visualizadores (browsers).

A partir de quatro computadores, em 1969, o governo dos Estados Unidos, através do


Advanced Research Projects Agency “ARPA”, lançou uma rede de longa distância conhecida por
“Arpanet” tendo como objectivo a interligação de computadores utilizados em centros de
investigação com fins militares, continuando a crescer lentamente nos anos 70. Por razões de
segurança ainda era controlada pelos militares e inacessível aos outros sectores.

Em meados dos anos 80, com o aparecimento dos novos protocolos da comunicação a
“Arpanet” deixou de ser estritamente militar dividindo-se em “Milnet” (Rede Militar) e redes
académicas, actualmente conhecida por Internet. No final da década de 80 a Internet já
ultrapassava os cem mil utilizadores.

É só nos anos 90 que a Internet inicia a sua verdadeira expansão contando com 39 milhões
de utilizadores de correio electrónico e 26 milhões de utilizadores do conjunto de serviços da
Internet ligados a 9 milhões e meio de computadores.

As principais características da Internet


O objectivo básico da Internet é fornecer uma partilha de informação. Imagine-se,
confortavelmente sentado em sua casa:
- A observar as últimas imagens de Marte?
- A consultar os câmbios e aplicações financeiras?
- A procurar a tradução, para uma palavra ou frase, para inglês, alemão, russo ou espanhol?
- A visitar o museu de Louvre?
- A reservar bilhetes de viagem para férias ou trabalho?
- A assistir on-line a uma emissão de rádio?
- A efectuar compras de livros, medicamentos, CD's ou utilidades?
- A ler e responder as mensagens electrónicas (e-mails) recebidas dos familiares no estrangeiro?
- A fazer o download de software, jogos ou outras aplicações?
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

-A preencher um formulário para um emprego, declaração de rendimentos ou enviando o


Curriculum Vitae para determinada empresa?
- A conversar e a jogar jogos, em tempo real, com amigos na mesma cidade ou em qualquer
parte
do mundo?
- A assistir a uma aula da universidade?
- A movimentar a sua conta bancária?
Etc.
Tudo isto parece o paraíso... Não se diria tanto mas, a Internet é de facto o universo da
comunicação actual, sem o qual não seria possível evoluir, estudar ou trabalhar, num futuro
próximo. A maior parte das pessoas quando utiliza o termo “Internet” refere-se à World Wide
Web (Rede Mundial de Computadores). É na WWW que se encontram as páginas web. Para lhes
acedermos basta introduzir o endereço da página que pretendemos consultar no browser e este
envia-o para o Fornecedor de Serviços Internet (ISP) a que estamos ligados.

As vantagens da utilização da Internet


Não existem dúvidas que a Internet tem múltiplas vantagens:
Interactividade: O utilizador não é passivo da informação, pode escolher como quer vê-la e dar
uma resposta directa;
Produtividade: Há a possibilidade de realizar comércio electrónico (e-commerce), intercâmbio
de informação, uso de dispositivos e recursos remotos (sistemas de e-learning);
Actualidade: Os documentos na rede actualizam-se continuamente. É a sua especial maneira de
estarem "vivos" e, portanto, de serem realmente eficazes, úteis e rentáveis;
Economia: A informação a que se tem acesso, desde qualquer parte do mundo, está no
computador de cada um de uma forma rápida e idêntica à original, ao preço de uma chamada
local (já existem pacotes 24h/dia, com o pagamento de uma mensalidade) e com um hardware
muito económico;
Globalidade: Uma vez que se entra na rede, tem-se acesso a toda a informação e aos recursos
que lá se encontram. Na Internet, um utilizador pode ter liberdade de expressão. É o único
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

território onde as fronteiras se diluíram e onde não existem quaisquer censuras (há,
obviamente, algumas poucas excepções!). A Internet oferece vários serviços, entre os quais:

Correio electrónico (e-mail) – utilizada para enviar/receber mensagens e ficheiros (de todo o
tipo).

World Wide Web (WWW) – utilizada para consultas de páginas Web e pesquisa de qualquer
tipo de informação.

Grupos (ou fóruns) de discussão (Newsgroups) – utilizada para possibilitar a comunicação entre
pessoas com interesses comuns.

Chat (IRC, ICQ, Webchats e Messenger) – utilizado para conversação escrita em tempo real. O
Skype também permite ligações telefónicas entre dois computadores (ligação gratuita) e entre
um computador e um telefone de rede fixa ou móvel (tarifário reduzido). O Messenger permite
videoconferência e assistência remota.
File Transfer Protocol (FTP) – para procura e transferência de ficheiros (download e upload).

Emulação de terminal (Telnet) – para ligação a sistemas remotos.

Browser
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

São programas cliente, isto é, programas dos quais um computador cliente pode explorar
recursos na internet.

Foram criados com o objetivo de explorar recursos da WWW.

Hoje servem para quase tudo, permitindo aceder à generelidade dos recursos existentes na
rede.

Utilização de Correio Eletrónico

Conceito e Características do Correio Electrónico


O e-mail – ou correio electrónico – foi um dos primeiros serviços da Internet e ainda
hoje é, provavelmente, o mais utilizado. Trata-se de um serviço que permite enviar mensagens
através da rede de computadores, chegando a qualquer parte do mundo em alguns segundos.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Os carteiros do correio electrónico, que se encarregam do transporte e distribuição das


mensagens de computador através das infra-estruturas de rede, são aplicações informáticas que
podem usar diversos protocolos de correio electrónico (SMTP, POP, IMAP, X.400, etc.).
Um aspecto que não deve esquecer na utilização do correio electrónico é a segurança.
Pense sempre que existe a possibilidade da sua mensagem ser interceptada, e lida por terceiros,
no percurso até ao destinatário. Esse risco não deve ser transformado em paranóia, mas
também não deve ser ignorado. Se necessitar de enviar mensagens com conteúdo muito
sensível e confidencial deve tomar medidas que reduzam esse risco.
Existem diversos métodos para tentar proteger a confidencialidade das comunicações
através da encriptação. O mais conhecido e utilizado na Internet é o PGP - Pretty Good Privacy.
Finalmente, é de referir que o correio electrónico pode ser utilizado (por quem apenas tem
acesso ao correio electrónico) para aceder a outros serviços da Internet (FTP, Notícias da
USENET, WWW, etc.).

Para poder utilizar integralmente o correio electrónico é necessário ter:


- Acesso à rede
- Um endereço e uma caixa de correio
- Um cliente de correio electrónico
As vantagens mais evidentes do correio electrónico face ao correio tradicional são:

Rapidez – Em condições normais, a demora entre o envio e a recepção das mensagens variará
entre uma fracção de segundo e alguns minutos ou, no pior dos casos, algumas horas. A
distância geográfica entre o emissor e o receptor das mensagens, não sendo totalmente
insignificante, é menos significativa do que a qualidade e largura de banda das comunicações
entre os dois pontos;

Riqueza de conteúdo – Apesar de originalmente ter sido concebido apenas para a troca de
mensagens textuais simples, a maior parte das aplicações existentes suportam outros tipos de
conteúdos.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Hoje, graças ao MIME (Multi-purpose Internet Mail Extensions) as mensagens de


correio electrónico podem incluir texto formatado (negritos, itálicos, etc.), áudio, vídeo,
imagens, etc.
Tal como no correio normal, para que um utilizador possa receber correio necessita ter
um endereço e uma caixa de correio. No contexto do correio electrónico, as caixas de correio
são o local (um espaço no computador) onde os servidores de correio colocam as mensagens
destinadas a um determinado utilizador. Geralmente, essas caixas de correio residem em
computadores (normalmente de maior porte) onde também se situam os servidores de correio
electrónico, e não no computador pessoal do utilizador.
Uma Mensagem é, no sentido geral, o objecto da comunicação. Dependendo do contexto, o
termo pode aplicar-se, tanto ao conteúdo da informação, quanto à sua forma de apresentação.
Na Teoria da Comunicação, uma mensagem é enviada de um emissor para um receptor.

Características do Correio Electrónico


A primeira coisa a fazer para podermos receber uma mensagem é possuir um endereço
de correio electrónico. Qualquer ligação à Internet inclui a oferta de um ou mais endereços de
correio electrónico. Um endereço pode ser de uma pessoa singular, mas pode também estar
associado a uma família, a um departamento, a uma empresa ou a uma instituição.
Caso o endereço seja particular e diga respeito a uma só pessoa pode ser do seguinte
tipo:
mariano.borges@hotmail.com ou mborges@mail.telepac.pt ou c.borges@clix.pt
Caso o endereço seja profissional e diga respeito a uma só pessoa pode ser do seguinte tipo:
mariano.borges@empresa.pt ou mborges@institutotal.gov.pt
Caso o endereço seja de um departamento pode ser do seguinte tipo:
comercial@empresa.pt ou serviços-gerais@empresa.pt
Caso o endereço seja genérico de uma empresa ser do seguinte tipo:
geral@empresa.pt ou info@institutotal.gov.pt

Como verificamos a estrutura de um e-mail é constituído em 3 partes:


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Nome da conta – É o que está à esquerda da arroba (@) e pode ser um nome seleccionado pelo
próprio. Os nomes da conta escrevem-se normalmente em minúsculas e nunca poderá
acontecer de um endereço conter espaços ou acentuação embora no futuro a acentuação irá
ser possível.
Arroba – É o famoso carácter @ que em inglês tem o significado de ‘em’ (at), ou seja, um nome
da conta reside em um servidor.

Servidor – O servidor é o nome atribuído a um computador que num dado domínio é


responsável pela gestão do correio-electrónico como por exemplo mail.telepac.pt. Iniciar e
terminar uma sessão de trabalho com uma aplicação de correio electrónico Um programa de e-
mail é um software que nos permite aceder ao servidor onde temos as nossas contas e gerir o
nosso correio electrónico, ou seja, enviar e receber mensagens electrónicas.

Os endereços de e-mail possuem sempre uma estrutura do tipo:

<nome>@<servidor-de-mail>.<domínio>

O Outlook Express é instalado quando se instala o Internet Explorer e é parte do


Windows XP. Existem vários modos de iniciar o Outlook Express, mas vamos aqui mostrar uma
forma segura de localizá-lo e iniciá-lo.
Clique no botão Iniciar.
Aponte para Todos os Programas.
Clique em Outlook Express.
Esses três passos iniciais são mostrados na figura abaixo.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Criação de e-mail
Normalmente, para criar uma conta de e-mail, tem que se recorrer a um servidor de e-
mail que pode ser comercial ou gratuito.

Exemplos de servidores de e-mail gratuitos muito utilizados são:

gMail (www.gmail.com)

Hotmail (www.hotmail.com)

Ao aceder a qualquer um dos dois, o utilizador tem que proceder ao seu registo no site,
preenchendo um formulário.

Terá que escolher um “nome” para o seu e-mail, assim como uma palavra passe para aceder
depois à sua conta.
Acesso ao e-mail usando o browser da internet (webmail)
O acesso à maioria das contas de e-mail pode ser feito também através do website do
servidor de e-mail. Isto permite que o utilizador aceda à sua conta em qualquer computador
apenas com acesso à internet e um browser. Para aceder à conta de e-mail pelo website do
servidor de e-mail basta introduzir o nome de utilizador (normalmente é o endereço de e-mail)
e a palavra passe.

Campos da mensagem de e-mail


Para: endereço do destinatário

Cc: destinatários secundários (receberão uma cópia)

Bcc: destinatários secundários escondidos (receberão uma cópia mas sem informar o
destinatário principal)

Assunto: assunto do e-mail (deve ser sempre preenchido).


UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Impressoras

Uma impressora ou dispositivo de impressão é um periférico, quando ligado a um


computador ou a uma rede de computadores, tem a função de dispositivo de saída, imprimindo
textos, gráficos ou qualquer outro resultado de uma aplicação.
As impressoras sofreram muitas alterações ao longo dos tempos desde a máquina de
escrever. Também com o evoluir da computação gráfica, as impressoras foram-se especializando
a cada uma das vertentes.
Assim, encontram-se impressoras optimizadas para desenho vectorial (cartazes e
publicidade), e outras optimizadas para texto. A tecnologia de impressão foi incluída em vários
sistemas de comunicação, como o fax.
As impressoras são tipicamente classificadas quanto à escala cromática (em cores ou em preto-
e-branco), páginas por minuto (medida de velocidade) e tipo.
Tipos
Impressoras matriciais – este tipo de impressoras funcionam através de um dispositivo que
contém um conjunto de agulhas, sendo estas que imprimem os pontos contra o papel
impregnados de tinta. São usuais para a impressão de graficos e textos pois não exigem grande
qualidade de impressão e os seus custos baixos, devido sua fita de impressão durar imenso.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

Impressoras de jactos de tinta – funcionam com base num dispositivo que projecta jactos de
tinta contra a folha de papel de forma a proporcionar a imagem requerida. Podem ser mono-
cromaticas ou a cores. São as mais usuais pois a sua relação qualidade preço é determinante no
seu sucesso, são impressoras mais rápidas e mais silenciosas que as matricias e a sua qualidade
de impressão é muito boa, existindo já impressoras com 720 dpis de resolução, sendo tambem
mais caras que as matriciais mesmo assim acessiveis à maior parte dos consumidores.

As impressoras a laser tal como o nome o indica usam a tecnologia a laser que faz o scann a
imagem para depois a transpor para o papel através de uma tinta especial (toner).
Comparando-a com as anteriores, a impressora a laser é a mais rápida e mais silenciosa das
três, sendo também a sua qualidade a melhor mas o seu preço não é para qualquer bolsa, por
isso ainda não conseguiu substituir a impressora a jacto de tinta em termos de mercado.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

A impressora térmica usa o calor, um papel especial e metodos electrosensitivos. São silenciosas
e consideradas muito caras.

As impressoras Photosetter não imprimem num papel regular mas sim num papel de fotografia
ou num microfilm, são impressoras com capacidades de resolução altissimas própias para a
impressão de fotografias, são extremamentes rapidas, mas são também extremamente caras.

As plotters são impressoras de grandes formatos muito usuais para a impressão de plantas de
construção e ilustrações técnicas, usam tinta e finas canetas presas num mecanismo
imprimindo detalhadamente sobre o papel.
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

A impressora 3D (como se fossem "escultores robotizados“; estas impressoras são


capazes de fazer modelos tridimensionais dos mais variados objetos. Os materiais utilizados
também são diversos: há impressoras que usam cera, papelão, fios de plástico, entre outros).

Manuseamento :
Utilize um pano macio humedecido com água para remover poeira, manchas de tinta e
sujeira. A parte interna das impressoras HP Deskjet não requer limpeza. Mantenha todos os
tipos de fluidos longe da parte interna da impressora. Não lubrifique a haste por onde o
compartimento do cartucho de impressão se movimenta. Se a impressora for nova, é normal
ouvir um barulho quando o compartimento se movimenta para frente e para trás. Com o uso, a
impressora torna-se mais silenciosa.

Bibliografia
UFCD 7846 - Informática - noções básicas

www.wikipedia.org

www.microsoft.com