Você está na página 1de 3

CM202 - Cálculo Diferencial e Integral II

Professora: Lilian Cordeiro Brambila


Departamento de Matemática - UFPR

Prova 1 - Gabarito

Exercício 1) Considere a curva C em R3 que resulta da interseção entre o cilindro cuja equação
é x + y = 1 e o plano y + z = 2.
2 2

a) Dê um parametrização para a curva C ;


SOLUÇÃO: Note que do fato de que y + z = 2 temos que

z = 2 − y.

Daí, tomando x(t) = cos(t) e y(t) = sin(t) temos que z(t) = 2 − sin(t), ou seja a função
denida para todo número real

α(t) = (cos(t), sin(t), 2 − sin(t))

é um parametrização para a curva C .


b) Usando a parametrização acima calcule a velocidade e a aceleração dessa curva.
SOLUÇÃO: Como a velocidade é a derivada da curva, temos que

dα(t)
v(t) = = (− sin(t), cos(t), − cos(t)).
dt

Como a aceleração é derivada da velocidade segue que


v(t)
a(t) = = (− cos(t), − sin(t), sin(t)).
t

Exercício 2) Encontro o domínio U e dê um esboço das curvas de nível das funções abaixo:

x2 y 2
a) F : U ⊆ R2 → R tal que F (x, y) = − ;
4 9
SOLUÇÃO: Domínio: U = R2 . Esboço:

1
x
b) F : U ⊆ R2 → R tal que F (x, y) = ;
y−1
SOLUÇÃO: Domínio: U = {(x, y) ∈ R2 ; y 6= 1}. Esboço:

c) F : U ⊆ R2 → R tal que F (x, y) = 1 − x2 − y 2 ;


p

SOLUÇÃO: Domínio: U = {(x, y) ∈ R2 ; x2 + y 2 ≤ 1}. Esboço:

Exercício 3) Seja f : R3 → R a função denida por



1
 

  
x 2 + y 2 + z 2−1
F (x, y, z) = e se x2 + y 2 + z 2 < 1,
se x2 + y 2 + z 2 ≥ 1.

 0

F (x, y, z)
Calcule lim
√ √ .
(x,y,z)→ 2
, 22 ,0

x2 + y2 + z2 − 1
2

SOLUÇÃO: Note que apenas precisamos analisar o caso em que x2 + y 2 + z 2 <1√, pois

no

outro caso o limite vai a zero. Fazendo u = x + y + z − 1, quando (x, y, z) → 2 , 2 , 0
2 2 2 2 2

temos que
u → 0− .
Logo, temos
1
F (x, y, z) eu
lim
√ √  2 2 2
= lim .
(x,y,z)→ 2
, 2 ,0 x + y + z − 1
2 2
u→0− u

2
Fazendo a mudança 1
u
= v e aplicando L'hospital temos que
v
lim vev = lim = 0.
v→−∞ v→−∞ e−v

Note que a expressão x2 + y 2 + z 2 ≥ 1 nos dá o limite à direita de zero, que como já vimos, vai
a zero. Portanto,
F (x, y, z)
lim
√ √  2 = 0.
(x,y,z)→ 2
, 22 ,0 x + y2 + z2 − 1
2

Exercício 4) Encontre o conjunto em que a função F : U ⊆ R2 → R dada por



2x2 y
se (x, y) 6= (0, 0),

F (x, y) = x3 + y 2

0 se (x, y) = (0, 0)
é diferenciável.
SOLUÇÃO: Vamos fazer a análise na origem, pois fora dela a nossa função se expressa como
um quociente de polinômios, que são funções diferenciáveis. Por denição temos que
F (h, 0) − F (0, 0)
Fx (0, 0) = lim ,
h→0 h
= 0
F (0, k) − F (0, 0)
Fy (0, 0) = lim .
k→0 k
= 0

Logo, o limitão se expressa da seguinte forma:


 
F (h, k) − F (0, 0) − Fx (0, 0)h − Fy (0, 0)k
L = lim √
(h,k)→(0,0) h2 + k 2
2h2 k
 
= lim √
(x,y)→(0,0) (h3 + k 2 ) h2 + k 2

Tomando α(t) = (t, t) temos então que


2t2 t
 
L = lim √
t→0 (t3 + t2 ) t2 + t2
 
2
= lim √
t→(0 |t|(t + 1) 2

e vemos que o limite acima não existe. Portanto temos que F não é diferenciável em (0, 0).
Concluímos então que F é diferenciável em R2 \ {(0, 0)}.