Você está na página 1de 63

Elementos de Máquinas

Acoplamentos

Disciplina: Elementos de Máquinas


Professor: Anaí M. Santos e Paulo Boccasius
Acoplamento

• Acoplamento é um conjunto mecânico, constituído de


elementos de máquina, empregado na transmissão de
movimento de rotação entre duas árvores ou eixo-
árvores.
Funções

• Unir dois eixos


• Compensar desalinhamentos
• Absorver choques e vibrações
• Atuar como fusível
Classificação

• Os acoplamentos podem ser:


• Fixos;
• Elásticos; Móveis

• Móveis.

Fixos Elásticos
Acoplamentos fixos
Acoplamentos fixos

• Os acoplamentos fixos servem para unir árvores de tal maneira


que funcionem como se fossem uma única peça, alinhando as
árvores de forma precisa.
• Por motivo de segurança, os acoplamentos devem ser
construídos de modo que não apresentem nenhuma saliência.
Acoplamentos elásticos
Tipos de desalinhamentos
Acoplamentos elásticos

Esses elementos tornam mais suave a transmissão do movimento em


árvores que tenham movimentos bruscos, e permitem o funcionamento do
conjunto com desalinhamento paralelo, angular e axial entre as árvores.
Acoplamento elástico de pinos

Os elementos transmissores são pinos


de aço com mangas de borracha.
Acoplamento perflex

Os discos de acoplamento são unidos


perifericamente por uma ligação de
borracha apertada por anéis de pressão.
Esse acoplamento permite o jogo
longitudinal de eixos.
Compensação de desalinhamentos
Montagem
Acoplamento elástico de garras

As garras, constituídas por


tocos de borracha, encaixam-
se nas aberturas do contra
disco e transmitem o
movimento de rotação.
Acoplamento elástico Multiflex
Cestari
Acoplamento elástico Multiflex
Cestari
Acoplamento elástico de fita de aço

Consiste de dois cubos providos de flanges ranhuradas, nos


quais está montada uma grade elástica que liga os cubos. O
conjunto está alojado em duas tampas providas de junta de
encosto e de retentor elástico junto ao cubo. Todo o espaço
entre os cabos e as tampas é preenchido com graxa. Apesar
de esse acoplamento ser flexível, as árvores devem estar
bem alinhadas no ato de sua instalação para que não
provoquem vibrações excessivas em serviço.
Acoplamento de grade Falk
Acoplamento de grade Falk
Acoplamento de dentes arqueados

Os dentes possuem a forma ligeiramente curvada no sentido


axial, o que permite até 3 graus de desalinhamento angular.
O anel dentado (peça transmissora do movimento) possui duas
carreiras de dentes que são separadas por uma saliência
central.
Acoplamentos de Fole

Acoplamentos de Precisão
Alta rigidez Torsional
Ideal para aplicações de fusos de esferas, maquinas
CNC, Encoders, Taco geradores
Juntas Universais

Grande Desalinhamento
Até 45 graus
Simples,Duplas ou com eixos.
Juntas Universais
Acoplamentos flexíveis não
Elásticos

São aqueles que, apesar


de acomodar certos
desalinhamento não
possuem elasticidade
torsional, transmitindo
todos os choque e
sobrecargas.
Acoplamentos flexíveis não Elásticos
Capa em Poliamida

Acoplamento ideal para


sistemas Hidráulicos
Cubos em Aço e luva em
Poliamida
Fácil montagem
Acoplamentos móveis

São empregados para permitir o jogo longitudinal das árvores. Esses


acoplamentos transmitem força e movimento somente quando acionados,
isto é, obedecem a um comando.
Montagens de acoplamentos

• Os principais cuidados a tomar durante a montagem dos


acoplamentos:
• Colocar os flanges a quente, sempre que possível.
• Evitar a colocação dos flanges por meio de golpes: usar prensas
ou dispositivos adequados.
• O alinhamento das árvores deve ser o melhor possível mesmo
que sejam usados acoplamentos elásticos, pois durante o serviço
ocorrerão os desalinhamentos a serem compensados.
• Fazer a verificação da folga entre flanges e do alinhamento e
concentricidade do flange com a árvore.
• Certificar-se de que todos os elementos de ligação estejam bem
instalados antes de aplicar a carga.
Acoplamentos hidráulicos
Acoplamentos hidráulicos

Elemento de transmissão :
Óleo Água.
Limitação do Torque de partida do motor .
Motor sempre partira sem pico de Torque.
Aplicação :Grandes Inércias.
Partes do acoplamento

As partes principais são dois rotores aletados axialmente, em forma de


concha, sendo o rotor bomba e o rotor turbina e uma carcaça lisa que
funciona como reservatório de óleo e aloja o rotor interno, sem contato
mecânico entre eles.
Acoplamentos hidráulicos
Funcionamento

É um acoplamento hidrodinâmico cujos componentes principais são


constituídos de dois rotores de pás – o rotor da bomba e o rotor da turbina – assim
como uma carcaça envolvente. Os dois rotores estão montados relativamente um ao
outro. A transferência da força ocorre com um mínimo de desgaste, uma vez que não
há nenhum contato mecânico entre as peças que transmitem a força.
Funcionamento

O acoplamento opera com um volume No circuito operacional do acoplamento, Devido à pequena diferença de rotação
constante de fluido de trabalho, em geral óleo o fluido é acelerado com aumento da entre o rotor da bomba e o rotor da turbina
mineral. O torque transmitido pelo motor de rotação do rotor da bomba. O fluxo de desenvolve-se uma condição de fluxo
entrada é convertido em energia cinética no circulação, assim desenvolvido, incide estacionário no acoplamento. É transmitido
fluido operacional dentro do rotor da bomba sobre o rotor da turbina e, assim, a ainda apenas o torque solicitado pela
ligado a este. No rotor da turbina, esta energia coloca em movimento. A curva do máquina de trabalho.
hidrodinâmica é novamente reconvertida em torque é determinada pela curva
energia mecânica. Para as funções do característica do acoplamento e uma
acoplamento, podemos descrever três disposição adequada das câmaras de
condições de operação: compensação (câmara de retardo,
Todo o fluido de trabalho repousa carcaça da câmara anular)
estático no acoplamento. influencia a característica de partida.
Funcionamento
Como Selecionar
Como Selecionar ?

• Dados para seleção:

• 1. Potência do motor HP ou KW
• 2. Equivalência: 1 HP = 0,746 KW
• 3. Rotação do acoplamento RPM
• 4. Cálculo do Torque:
Como Selecionar ?
Fatores de serviço
Fatores de serviço
Exemplo

Aplicação: Laminador de Metais


Motor: 100 CV (=75 KW) 1750 RPM
Rolos – Ø eixo 85 mm
Fator de serviço: 2,0
Solução

• Calcular o Torque
• Torque Nm = 7.202 x 100 (CV) x 2,0 / 1750
• Torque Nm = 7.202 x Pot (CV) x F.S. / Rotação
• Torque Nm = 823 Nm

• Torque Nm = 9.550 x 75 (KW) x 2,0 / 1750


• Torque Nm = 819 Nm
• Especificar o tipo e o tamanho do acoplamento com
• base no torque calculado;
• Verificar a rotação máxima e furo máximo do acoplamento
Alinhamento de acoplamentos
Desalinhamento

• O desalinhamento pode ser definido como sendo a não


coincidência entre o eixo de simetria de dois eixos colineares.
Existem, no entanto, determinados casos em que é necessário
existir um pequeno desalinhamento para lubrificação de dentes
num acoplamento de engrenagem. No entanto, é importante ter
os eixos de máquinas acopladas a funcionar muito perto das
condições de serviço da temperatura e carga.
Vantagem do alinhamento

• Um alinhamento apropriado irá eliminar forças nos


componentes na máquina desalinhada. Eliminando
estas forças teremos:

• redução do nível de vibração e ruído


• minimizar folgas no acoplamento
• eliminar a possibilidade de falha no eixo devido a fadiga
Tipos de desalinhamento

• O desalinhamento pode ser classificado como sendo angular ou


paralelo. A figura seguinte mostra exemplos dos dois tipos de
desalinhamento. O desalinhamento angular ocorre quando o eixo
de rotação de dois eixos forma um ângulo. O desalinhamento
paralelo ocorre quando o eixo de rotação entre os dois veios é
paralelo. Na grande maioria dos casos o desalinhamento é uma
combinação do desalinhamento angular e paralelo.
Métodos de alinhamento
Régua e calibrador de folga

O alinhamento com régua e calibrador de folga deve ser


executado em equipamento de baixa rotação e com
acoplamento de grandes diâmetros e em casos que exijam
urgência de manutenção
Alinhamento radial com régua e
calibrador de folga

Suponhamos que o conjunto de acionamento com desalinhamento radial seja o


da figura acima a esquerda. O primeiro passo será colocar a régua apoiada na
metade mais alta do acoplamento (figura a direita); o segundo passo será
introduzir o calibrador no espaço entre a régua e a metade do acoplamento mais
baixa.
A medida lida corresponde à espessura dos calços no plano vertical ou o
deslocamento no plano horizontal.
Régua e calibrador de folga
Relógio comparador

• O alinhamento com relógio comparador deve ser executado em


função da precisão exigida para o equipamento, a rotação e
importância no processo.
• Para a verificação do alinhamento Paralelo e Angular devemos
posicionar o relógio com a base magnética sempre apoiada na
parte do motor.
• Já o sensor do relógio para alinhamento Paralelo, deve ser
posicionado perpendicularmente ao acoplamento da parte
acionada, enquanto que, no alinhamento Angular, o sensor deve
estar posicionado axialmente em relação ao seu eixo.
Relógio comparador

Alinhamento paralelo

Alinhamento angular
Método face e borda
Método face e borda

• O processo de alinhamento pelo método Face e Borda


consiste em girar o eixo no qual estão fixos os relógios
comparadores sendo que o outro eixo pode estar
parado (desacoplado) ou não.
Para o conjunto em questão, o motor (M) será
considerado como sendo a máquina móvel e a bomba
(B) como a máquina fixa.
Método face e borda
Método de leituras reversas
Método de leituras reversas
Método de leituras reversas
Método de alinhamento por laser

O sistema laser executa


medidas da posição
angular e paralela do
eixo através da emissão
de um laser pelo
transdutor (parte fixa)
para o prisma (parte
móvel).
Método de alinhamento por laser
Tabela de tolerâncias
Quais são os sintomas do
desalinhamento?

• Desalinhamento não é fácil de detetar nas máquinas que estão


rodando. As forças radiais transmitidas de eixo para eixo são
tipicamente forças estáticas (isto é, uni direcionais) e são difíceis
de medir externamente.
• Para nosso desapontamento, não existem analisadores ou
sensores que possam ser instalados no lado externo das
máquinas para medir o quanto de força está sendo aplicado aos
mancais, eixos e acoplamentos.
• Consequentemente o que nós atualmente vemos são efeitos
secundários dessas forças que são exibidos através dos
seguintes sintomas:
Quais são os sintomas do
desalinhamento?

• Altas temperaturas de carcaça no e próximas aos mancais ou


altas
• temperaturas de descarga do óleo.
• Vazamento excessivo de óleo nos retentores ou selos do mancal.
• Parafusos de fundação frouxos.
• Parafusos do acoplamento frouxos ou quebrados.
• Alguns projetos de acoplamentos flexíveis rodam “quentes” sob
condições de desalinhamento. Se for um tipo com elastômero,
procure por pó de borracha dentro da proteção do acoplamento.
• Peças de equipamentos similares estão vibrando menos ou
parecem ter uma maior vida em operação.