Você está na página 1de 66

Ano XXV - N. 5.

851
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município - DOM 7/9/2019
l) busca ativa da gestante ou puérpera e) manutenção do programa de f) formação e fortalecimento de
que não iniciar ou que abandonar as consultas de videomonitoramento da cidade, em vias públicas e parcerias com as organizações sociais e associações
pré-natal e de pós-parto, bem como possibilidade de próprios públicos, como forma de levar ao cidadão de moradores instaladas nas comunidades
GABINETE DO PREFEITO acesso integral aos serviços de pré-natal humanizado uma percepção de melhoria na qualidade da economicamente mais vulneráveis;
para essas mulheres; segurança; g) promoção de política de locação social
m) promoção da saúde integral da f) desenvolvimento de políticas que para famílias de baixa renda;
LEI Nº 11.190, população negra, priorizando a redução das visem ao enfrentamento à violência e à redução dos h) promoção da criação e do
desigualdades étnico-raciais e o enfrentamento ao homicídios em territórios de maior vulnerabilidade fortalecimento de centralidades urbanas em rede
DE 6 DE SETEMBRO DE 2019. racismo e à discriminação nas instituições e nos juvenil; com processos de planejamento metropolitano,
serviços de saúde municipal; g) atuação com base em pesquisas, envolvendo instrumentos inovadores de gestão, e
Dispõe sobre as diretrizes para a n) promoção de ações de formação e estudos e diagnósticos em áreas de interesse da a reestruturação territorial metropolitana e de suas
elaboração da Lei do Orçamento Anual de 2020 e dá educação permanente para trabalhadores da Saúde, segurança pública; políticas integradas;
outras providências. visando à promoção da equidade em saúde da h) produção e análise de dados i) articulação do Município de Belo
população negra e ao enfrentamento ao racismo estratégicos para as ações da segurança pública; Horizonte com a região metropolitana, promovendo
O Povo do Município de Belo Horizonte, institucional; i) capacitação de gestores e guardas participação efetiva no processo de aprovação do
por seus representantes, decreta e eu sanciono a o) ações de prevenção e combate a municipais para produção e análise de dados sobre Planejamento Metropolitano;
seguinte Lei: doenças endêmicas, bem como investimento nas dinâmicas de violência e vitimização; j) promoção da urbanização de vilas,
ações de fiscalização para eliminação dos vetores de j) promoção de ações que visem ao favelas e ocupações, definidas como áreas especiais
CAPÍTULO I transmissão; combate a qualquer forma de violência contra a de interesse social, cujos Planos de Intervenção
DISPOSIÇÃO PRELIMINAR p) promoção de ações informativas mulher; Integrada estiverem concluídos;
dos locais de atendimento de saúde relacionadas IV - Área de Resultado Mobilidade k) melhoria da eficiência da iluminação
Art. 1º - Ficam estabelecidas, em à complexidade de cada caso, com vistas a reduzir Urbana: pública;
cumprimento ao disposto no art. 131 da Lei Orgânica a procura de atendimentos de baixa complexidade a) garantia da mobilidade sustentável e da l) ações efetivas de fiscalização para
do Município de Belo Horizonte - LOMBH, na Lei em unidades de pronto atendimento – UPAs – e acessibilidade no espaço urbano; impedir novas ocupações ou a ampliação daquelas já
Federal nº 4.320, de 17 de março de 1964, e na Lei hospitais; b) integração do sistema de transportes existentes, buscando soluções dignas para as famílias
Complementar Federal nº 101, de 4 de maio de 2000, q) promoção de ações para a implantação não motorizados aos sistemas convencionais em situação irregular;
as diretrizes para a elaboração do orçamento do e a expansão do Protocolo de Humanização no municipal e metropolitano; VI - Área de Resultado Desenvolvimento
Município para o exercício de 2020, compreendendo: Atendimento às Vítimas de Violência Sexual; c) priorização e melhoria da qualidade e Econômico e Turismo:
I - prioridades e metas da administração r) aprimoramento das políticas inclusivas do conforto do transporte público coletivo; a) fortalecimento das políticas de
pública municipal; para as pessoas com deficiência, ampliando as formas d) melhoria da circulação e da segurança estímulo ao desenvolvimento econômico do
II - organização e estrutura dos de acessibilidade aos serviços de saúde; do transporte público coletivo; Município, com desburocratização, simplificação,
orçamentos; II - Área de Resultado Educação: e) ampliação do sistema de linhas de melhoria do ambiente de negócios e incentivo ao
III - diretrizes para elaboração e para a) promoção do acesso à educação transporte público em vilas, favelas e ocupações do micro e pequeno empresário, visando ao fomento do
execução dos orçamentos do Município e suas básica, melhoria da qualidade do ensino e da Município; empreendedorismo e da economia popular solidária;
alterações; aprendizagem nos níveis de Educação Infantil e f) melhoria do sistema de trânsito, com b) estudos e prospecção de setores de
IV - disposições relativas às despesas do Ensino Fundamental; intervenções em vias urbanas qualificadas; geração de emprego e renda;
Município com pessoal e com encargos sociais; b) garantia da educação inclusiva e g) aprimoramento da política de logística c) ampliação e investimento nos cursos
V - disposições sobre alterações da equitativa, com acessibilidade arquitetônica e urbana de Belo Horizonte por meio do incentivo de qualificação;
legislação tributária do Município; melhor distribuição das salas de Atendimento ao uso de tecnologias menos poluentes, de modos d) fortalecimento do segmento de turismo
VI - disposições finais. Educacional Especializado - AEE - nas escolas, com sustentáveis de transporte com baixas emissões e de lazer, negócios, eventos e congressos, com
objetivo de promover sistematicamente uma política da integração da discussão e da busca por soluções qualificação dos profissionais e dos gestores do setor
CAPÍTULO II que considere as diversidades étnico-raciais e as que englobem a relação direta entre mobilidade de turismo;
DAS PRIORIDADES E METAS DA condições de equidade na promoção da cidadania nos urbana, mudanças climáticas, gases de efeito estufa e) ampliação do apoio ao microcrédito
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL ambientes de convivência escolar e na erradicação de e poluição local, visando à promoção de maior produtivo, divulgação de oportunidades de
todas as formas de discriminação; acessibilidade física e econômica no espaço urbano; investimentos e fomento à permanência de empresas,
Art. 2º - As prioridades e metas da c) suporte à execução das metas h) realização de campanhas educativas especialmente de base tecnológica;
administração pública municipal para o exercício de constantes no Plano Municipal de Educação - PME, para a mobilidade urbana ativa; f) viabilização de ações de apoio a grupos
2020, conforme o art. 127 da LOMBH, respeitadas as com ênfase na divulgação, com transparência e i) incentivo à mobilidade ativa, também de economia solidária, como meio de geração de
disposições constitucionais e legais, correspondem, publicidade, dos resultados das avaliações periódicas conhecida como não motorizada, em detrimento trabalho e renda e de incentivo à economia criativa
para o Poder Executivo, às metas relativas ao relativas ao alcance das metas previstas e proposição do transporte individual motorizado, por meio de e à agricultura urbana, de modo a fortalecer os
exercício de 2020 definidas e constantes no Plano de políticas públicas para assegurar a implementação adoção de medidas sistêmicas para a priorização da empreendimentos com formação profissional e
Plurianual de Ação Governamental - PPAG - 2018- das estratégias e cumprimento das metas; bicicleta em toda a cidade; assessoria técnica, estimulando a comercialização e
2021, cujo projeto de revisão será enviado ao Poder d) promoção das ações do programa j) pacificação da circulação, com o o apoio financeiro;
Legislativo até 30 de setembro do corrente exercício, Escola Integrada, com ênfase no aumento do objetivo de erradicar as mortes e os acidentes no g) criação de políticas integradas de
e serão adequadas às condições de implementação atendimento e garantia da infraestrutura adequada; trânsito; elevação de escolaridade, formação profissional e
e gerenciamento dos projetos estratégicos, que e) valorização, aperfeiçoamento e k) garantia de acessibilidade no transporte colocação no mercado de trabalho para jovens em
terão precedência na alocação de recursos na Lei do qualificação de professores e diretores de escolas público, nas estações do Move e nos passeios situação de vulnerabilidade social;
Orçamento Anual - LOA - de 2020, bem como na municipais; públicos, com melhoria das calçadas e travessias que h) preservação e requalificação dos
sua execução, não se constituindo, entretanto, em f) incentivo à participação da comunidade aumentem a qualidade na mobilidade a pé; pontos com potenciais turísticos, especialmente o
limite à programação de despesas, observando-se as e das famílias no processo educativo e intensificação l) promoção da transparência, da conjunto arquitetônico da Pampulha;
seguintes diretrizes gerais, destacadas por Área de das ações conjuntas entre as outras políticas sociais participação e do controle social na mobilidade i) estudos e prospecção de setores de
Resultado: do Município; urbana; violência, para mudança social dos espaços, visando
I - Área de Resultado Saúde: g) ampliação do uso de novas tecnologias m) garantia da modicidade tarifária e à geração de emprego e renda;
a) aprimoramento dos investimentos e que permitam o acompanhamento da aprendizagem e da prioridade do transporte público em relação aos VII - Área de Resultado Cultura:
da prestação de serviços de atendimento à saúde, o desenvolvimento integral do estudante; demais modos de transporte do município; a) garantia dos direitos culturais e
com humanização dos serviços, qualificação e h) incentivo ao processo de construção de n) incentivo à pesquisa para melhoria da fortalecimento da cultura de Belo Horizonte em suas
capacitação dos profissionais atendentes e suporte à uma cultura de paz nas unidades escolares; mobilidade urbana; dimensões simbólica, econômica e cidadã;
implementação do Plano Municipal de Saúde; i) oferta de vagas na Educação Infantil o) manutenção permanente da b) suporte à execução das metas
b) adoção de estratégias de combate à da Rede Municipal de Educação para crianças de 0 infraestrutura cicloviária existente e ampliação constantes no Plano Municipal de Cultura;
mortalidade materna, neonatal e infantil; (zero) a 5 (cinco) anos de idade em turno parcial e das ciclovias, garantida a execução de obras de c) viabilização e fortalecimento das
c) melhoria do atendimento da atenção integral, priorizando a atualização de estudos para infraestrutura, com ênfase na integração com o instâncias de participação e controle social para a
básica, da atenção especializada, ambulatorial, identificar a demanda por educação infantil em Belo sistema de transporte convencional municipal e formulação, a implementação, o monitoramento e o
hospitalar e psicossocial; Horizonte; metropolitano; acompanhamento das políticas públicas de cultura;
d) desenvolvimento de ações j) melhoria e ampliação do atendimento à p) aperfeiçoamento dos instrumentos d) promoção, apoio e incentivo à
estruturantes de prevenção, tratamento e reinserção Educação de Jovens e Adultos nos diversos turnos, em de fiscalização das empresas concessionárias do formação cultural e ao acesso da população aos bens
social das pessoas com necessidades decorrentes do parceria com instituições da sociedade civil, acompanhadas transporte público municipal, com medidas que e atividades culturais do Município;
uso de álcool e outras drogas; da mensuração da demanda ativa por vagas; inibam possíveis fraudes e ilegalidades, para garantir e) estímulo à apropriação do espaço
e) aprimoramento da vigilância sanitária, k) participação, estudo, análise e os direitos do usuário e a adequação do serviço; público urbano, como praças e parques, para
com a reestruturação do processo de licenciamento e divulgação dos resultados em avaliações externas, q) efetivação de espaços de discussão atividades culturais e artísticas;
inspeção sanitária com base no risco, com prevenção como instrumentos para a elaboração de políticas e divulgação de propostas da sociedade civil f) viabilização da expansão e da
de zoonoses endêmicas, inclusive com realização de públicas de ensino e redirecionamento das metas das organizada que ofereçam alternativas aos modelos descentralização regional das manifestações culturais
campanhas educativas; unidades escolares; existentes de transporte público urbano; e artísticas e das manifestações da cultura popular;
f) atendimento com atenção especial aos l) qualificação de professores para o V - Área de Resultado Habitação, g) capilarização da política pública de
idosos, crianças, adolescentes, mulheres, jovens e atendimento inclusivo das pessoas com deficiência; Urbanização, Regulação e Ambiente Urbano: cultura nas regiões da cidade, com promoção das
pessoas com deficiência; m) desenvolvimento de políticas voltadas a) fortalecimento da política habitacional políticas setoriais, democratizando e garantindo
g) promoção do acesso da população, para a acessibilidade das pessoas com deficiência aos de interesse social, assegurando à população de o acesso amplo da população à arte e à cultura, de
especialmente dos diabéticos e hipertensos, aos serviços escolares; baixa renda e, em especial, aos moradores de vilas forma integrada às outras políticas do Município;
medicamentos e insumos necessários ao controle III - Área de Resultado Segurança: e favelas e de outras áreas e zonas de interesse h) fomento do pleno funcionamento dos
médico e aos tratamentos de saúde; a) desenvolvimento de ações de social, a moradia digna, por meio de intervenções centros culturais;
h) promoção do acesso a ações e serviços prevenção primária à violência que objetivem urbanas sustentáveis, com regularização fundiária, i) promoção de iniciativas culturais que
para efetivação, proteção e recuperação da saúde da enfrentar, de pronto, os fatores de vulnerabilidade assistência técnica e produção de novas moradias valorizem a diversidade étnico-racial do Município;
criança e do adolescente, inclusive daqueles com presentes no dia a dia dos cidadãos; com qualidade; j) fomento e promoção das linguagens
deficiência, que necessitem de tratamento, habilitação b) patrulhamento preventivo; b) eliminação das áreas e edificações de artísticas, garantindo as condições de criação,
ou reabilitação, conforme sua necessidade específica; c) melhoria das condições de segurança risco geológico alto e muito alto; produção, circulação, formação e pesquisa por parte
i) estabelecimento de políticas, planos, pública no Município, em suas unidades próprias e c) desenvolvimento urbano ordenado, de artistas, técnicos e produtores, projetando a cultura
programas e serviços que atendam especificamente nas vias públicas, assegurando um ambiente pacífico controle urbano, revitalização de espaços urbanos, de Belo Horizonte no estado, no País e no mundo;
a primeira infância, visando ao seu desenvolvimento e seguro na cidade, priorizando ações de prevenção conservação de vias e garantia dos serviços de k) divulgação e promoção descentralizada
integral; à violência para crianças, adolescentes e jovens em manutenção necessários aos espaços públicos da da Lei Municipal de Incentivo à Cultura;
j) aprimoramento dos investimentos situação de risco e as zonas de especial interesse cidade; l) valorização da formação cultural
no atendimento de urgência e emergência, com social da cidade; d) readequação e nova destinação de de indivíduos, grupos, técnicos, agentes públicos
implementação de novos suportes e recursos para o d) garantir à segurança pública uma imóveis abandonados para habitação social; municipais e comunidades;
Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - Samu; perspectiva sistêmica de prevenção e enfrentamento e) melhoria das condições urbanísticas m) preservação e valorização do
k) promoção de ações para o combate da violência, expressa na integração permanente da cidade por meio da regularização urbanística e patrimônio cultural material e imaterial, do
ao suicídio, inclusive com realização de campanhas entre órgãos públicos e sociedade civil e construída ambiental e das estatísticas de violência geradas patrimônio arquitetônico, da história e da memória
educativas e palestras com a participação de de forma participativa; pelos órgãos próprios de segurança pública; do Município;
instituições que realizem trabalhos para esse fim;

CYBELE MARIA DE Assinado de forma digital por CYBELE


MARIA DE SOUZA:36977276649
SOUZA:36977276649 Dados: 2019.09.06 19:56:51 -03'00'
Dom5851.indd 1 06/09/2019 19:47:35
BELO HORIZONTE
2 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

VIII - Área de Resultado Sustentabilidade das ações promovidas pelo Centro de Referencia de das empresas estatais controladas e dependentes, o exercício de 2020 serão assegurados mediante a
Ambiental: Juventude - CRJ; compreendidas as entidades das quais o Município, realização de audiências públicas convocadas pela
a) promoção de uma política ambiental X - Área de Resultado Atendimento ao direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital Comissão de Orçamento e Finanças Públicas da
integrada, com utilização do potencial ecoturístico Cidadão e Melhoria da Gestão: social com direito a voto, devendo a correspondente CMBH, com ampla divulgação nos sítios eletrônicos da
dos parques e apoio a programas de educação a) melhoria do acesso aos serviços execução orçamentária e financeira, da receita e da CMBH, da Prefeitura de Belo Horizonte e em outros
ambiental; públicos e à informação, elevando a qualidade despesa dos orçamentos Fiscal e da Seguridade Social meios, com no mínimo cinco dias úteis de antecedência
b) melhoria da qualidade ambiental e da do atendimento ao cidadão e aperfeiçoando o nas empresas dependentes ser registrada no Sistema da realização da audiência.
infraestrutura dos parques; relacionamento com a população; Orçamentário e Financeiro - SOF.
c) preservação e ampliação das b) garantia da transparência, da Parágrafo único - A utilização do SOF Art. 9º - Fica proibida a fixação de despesa
áreas verdes públicas e dos parques municipais, produção e da disseminação de informações que pelas empresas estatais dependentes dar-se-á de forma sem que esteja definida a origem da fonte de recurso
estimulando o envolvimento das comunidades locais amparem o processo participativo de formulação, integrada e concomitante com os sistemas de controle correspondente e legalmente instituída a unidade
em ações de educação ambiental e eventos com implementação, monitoramento e avaliação das das receitas e despesas empresariais geridos pelas executora.
plantios de árvores da flora nativa; políticas públicas do Poder Executivo; referidas entidades, em cumprimento ao parágrafo
d) elaboração de plano de manejo c) desburocratização e digitalização de único do art. 4º da Portaria da Secretaria do Tesouro Art. 10 - O montante de recursos
para os parques municipais, respeitando as suas serviços; Nacional nº 589, de 27 de dezembro de 2001. consignados no PLOA para custeio e investimentos
características e particularidades; d) descentralização do atendimento ao da CMBH obedecerá ao disposto no art. 29-A da
e) promoção de serviços de limpeza cidadão e da tomada de decisões, como forma de Art. 5º - Os orçamentos Fiscal e da Constituição da República.
urbana e coleta dos resíduos sólidos em todo o reduzir a burocracia e agilizar o atendimento; Seguridade Social discriminarão a despesa, no mínimo,
Município, de forma regionalizada, prestados e) valorização e aprimoramento por: Art. 11 - Além de observar as demais
diretamente ou por contratação de terceiros, inclusive do desempenho profissional dos servidores e I - órgão e unidade orçamentária; diretrizes estabelecidas nesta lei, a alocação de recursos
associações ou cooperativas reconhecidas pelo empregados públicos municipais, por meio da II - função; na LOA e em seus créditos adicionais será feita de
poder público, formadas por catadores de materiais melhoria nas condições de trabalho, da capacitação III - subfunção; forma a propiciar o controle dos custos de ações e a
recicláveis e de manejo da destinação de resíduos, e da qualificação; IV - programa; avaliação dos resultados de programas de governo.
com expansão da área de cobertura dos serviços de f) incentivo à intersetorialidade dos V - ação: atividade, projeto e operação Parágrafo único - O controle de custos de
coleta seletiva; órgãos públicos, para propiciar o intercâmbio de especial; que trata o caput será orientado para o estabelecimento
f) fiscalização e monitoramento atendimento e informações ao cidadão; VI - categoria econômica; da relação entre a despesa pública e o resultado obtido,
ambiental informatizado das diferentes variáveis g) ampliação e aperfeiçoamento da VII - grupo de natureza de despesa; de forma a priorizar a análise da eficiência na alocação
ambientais (ar, água, solo, arborização urbana e participação da sociedade civil na gestão da cidade, VIII - modalidade de aplicação; dos recursos, permitindo o acompanhamento das
poluição sonora), com sistemas de alerta antecipado melhorando a articulação das instâncias participativas IX - esfera orçamentária; gestões orçamentária, financeira e patrimonial.
de risco de inundações; e integrando, aos instrumentos de planejamento e X - aplicação programada de recursos e
g) investimento em obras de contenção e gestão, as diretrizes para a formulação de políticas origem das fontes de recursos. Art. 12 - A avaliação dos programas
prevenção de enchentes; públicas definidas pela sociedade. municipais definidos na LOA será realizada
h) incentivo aos programas de cooperação Art. 6º - As operações intraorçamentárias periodicamente por meio do comparativo das metas
à gestão integrada de recursos hídricos, em parceria CAPÍTULO III entre órgãos, fundos e entidades integrantes dos físicas e financeiras planejadas e executadas, com base
com outras cidades da Região Metropolitana de Belo DA ORGANIZAÇÃO E DA ESTRUTURA DOS orçamentos Fiscal e da Seguridade Social serão nos principais indicadores de políticas públicas.
Horizonte; ORÇAMENTOS executadas por meio de empenho, liquidação e Parágrafo único - O resultado da avaliação
i) preservação ambiental, por meio de pagamento, nos termos da Lei Federal nº 4.320/64, de que trata o caput será disponibilizado em meio
ações que não canalizem os cursos d’água; Art. 3º - Para os efeitos desta lei, entende- utilizando-se a modalidade de aplicação 91. eletrônico, inclusive em banco de dados.
j) valorização e proteção da fauna urbana se por:
e silvestre, por meio da gestão intersetorial da I - programa: o instrumento de Art. 7º - O Projeto de Lei do Orçamento Art. 13 - Os recursos para investimentos
política municipal de proteção animal; organização da ação governamental visando à Anual - PLOA, a ser encaminhado pelo Poder dos órgãos da administração pública municipal direta e
k) planejamento ambiental para orientar concretização dos objetivos pretendidos, mensurado Executivo à Câmara Municipal de Belo Horizonte - indireta serão consignados nas unidades orçamentárias
as intervenções antrópicas no sentido de reconhecer por indicadores estabelecidos no PPAG; CMBH, será constituído de: correspondentes, com base na previsão das propostas
e preservar elementos naturais, favorecendo o II - ação: o instrumento de programação I - texto da lei; orçamentárias parciais.
equilíbrio, a biodiversidade em ambiente urbano para alcançar o objetivo de um programa, II - quadros orçamentários consolidados,
e a preservação de áreas verdes em torno de evidenciando o planejamento governamental em que discriminando os recursos próprios e as transferências Art. 14 - Além da observância das
nascentes e corpos d’água, com a conservação são detalhadas as despesas orçamentárias; constitucionais e com vinculação econômica; prioridades fixadas no art. 2º, a LOA somente incluirá
da cobertura vegetal que assegure a manutenção III - subação: o desdobramento da ação, III - anexos dos orçamentos Fiscal e da novos projetos se:
de áreas permeáveis, promovendo a proteção demonstrando as metas físicas dos produtos a serem Seguridade Social, discriminando a receita e a despesa I - tiverem sido adequadamente atendidos
e a compatibilização com a atividade humana, ofertados em determinado período; dos órgãos, autarquias, fundações e empresas estatais os que estiverem em andamento;
predominando o interesse social; IV - atividade: o instrumento de dependentes na forma definida nesta lei; II - estiverem em conformidade com o
l) ampliação do mobiliário urbano programação para alcançar o objetivo de um IV - orçamento de investimento das PPAG vigente ou previstos no projeto de revisão do
destinado à coleta seletiva e sua distribuição programa, envolvendo um conjunto de operações empresas, contendo a programação de investimentos planejamento a médio prazo;
proporcional em todas as regionais; que se realizam de modo contínuo e permanente, das de cada sociedade de economia mista, de obras de III - apresentarem viabilidade técnica,
IX - Área de Resultado Proteção Social, quais resulta um produto necessário à manutenção da manutenção, de equipamentos e de material permanente econômica e financeira;
Segurança Alimentar e Esportes: ação de governo; da administração pública municipal; IV - tiverem sido contempladas as despesas
a) integração e promoção das políticas de V - projeto: o instrumento de V - objetivos e metas, nos termos do art. de conservação do patrimônio público.
inclusão social e defesa dos direitos humanos com programação para alcançar o objetivo de um 128 da LOMBH;
as diversas áreas de políticas públicas do Município; programa, envolvendo um conjunto de operações, VI - relatório consolidado de metas físicas e Art. 15 - A LOA conterá dotação para
b) promoção de ações afirmativas para a limitadas no tempo, das quais resulta um produto que financeiras dos programas municipais; Reserva de Contingência, no valor de até 0,2% (zero
inclusão de grupos sociais vulneráveis; concorre para a expansão ou para o aperfeiçoamento VII - relatório da alocação de recursos por vírgula dois por cento) e no mínimo de 0,02% (zero
c) fortalecimento do Sistema Único de da ação de governo; área de resultado e de maneira regionalizada; vírgula zero dois por cento) da Receita Corrente Líquida
Assistência Social - Suas - e do Sistema da Segurança VI - operações especiais: as despesas VIII - plano de aplicação dos fundos fixada para o exercício de 2020, a ser utilizada como
Alimentar e Nutricional - Sisan; que não contribuem para manutenção, expansão ou municipais; fonte de recursos para abertura de créditos adicionais e
d) aprimoramento das políticas de aperfeiçoamento das ações de governo, das quais não IX - tabelas explicativas, mensagem para o atendimento ao disposto no inciso III do art. 5º da
prevenção, proteção e promoção voltadas para as resulta um produto nem contraprestação direta sob a circunstanciada e quadros orçamentários determinados Lei Complementar Federal nº 101/00.
crianças, os adolescentes, as mulheres, os jovens, forma de bens ou serviços; pela Lei Federal nº 4.320/64 e pela Lei Complementar
os idosos, a população em situação de rua e as VII - órgão: a identificação orçamentária Federal nº 101/00, além de demonstrativo de despesa Art. 16 - Fica o Poder Executivo autorizado
pessoas com deficiência, ampliando a cobertura de maior nível da classificação institucional com pessoal, demonstrativo de aplicação de recursos a contribuir para o custeio de despesas de competência
dos equipamentos e serviços da assistência social, relacionada à estrutura administrativa do Município; públicos na manutenção e no desenvolvimento do de outros entes da Federação, desde que compatíveis
segurança alimentar e cidadania; VIII - unidade orçamentária: o nível ensino, no financiamento das ações e dos serviços com os programas constantes da LOA, mediante
e) fomento e garantia da inclusão intermediário da classificação institucional, públicos de Saúde, no financiamento do Legislativo convênio, ajuste ou congênere.
produtiva da população em situação de rua ou com relacionada à estrutura administrativa setorial do municipal, demonstrativo do Orçamento Criança e
trajetória de vida nas ruas e provisão de segurança Município, conjugada com o órgão; Adolescente, do Orçamento do Idoso e do Orçamento Art. 17 - É obrigatória a consignação de
alimentar e nutricional para famílias em situação de IX - unidade administrativa: o da Pessoa com Deficiência. recursos na LOA para o pagamento de contrapartida
pobreza e vulnerabilidade social; desdobramento da classificação institucional com Parágrafo único - O PLOA, seus anexos a empréstimos contratados, para os desembolsos
f) fortalecimento das ações estratégicas agrupamento de serviços de nível hierárquico setorial e suas alterações serão disponibilizados em meio de projetos executados mediante parcerias público-
de erradicação do trabalho infantil; da estrutura organizacional; eletrônico, inclusive em banco de dados, quando for o privadas, bem como para o pagamento de amortização
g) implementação da política municipal X - aplicação programada de recursos: caso. de juros, de precatórios oriundos de ações com sentença
de segurança alimentar e fomento à política de o agrupamento das informações por destinação transitada em julgado e de outros encargos da dívida
agricultura urbana agroecológica, garantindo o de recursos contido na LOA por categorias de CAPÍTULO IV pública.
atendimento da assistência alimentar na perspectiva programação; DAS DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO E
do direito humano à alimentação adequada; XI - origem das fontes de recursos: o PARA A EXECUÇÃO DOS ORÇAMENTOS DO Art. 18 - A CMBH encaminhará ao Poder
h) promoção da formação esportiva de agrupamento da origem de fontes de recursos contido MUNICÍPIO E SUAS ALTERAÇÕES Executivo sua proposta orçamentária para 2020, para
crianças, adolescentes e jovens, com prioridade na LOA por categorias de programação; inserção no PLOA, até o último dia útil do mês de julho
de atendimento às áreas de vulnerabilidade social, XII - fonte analítica: detalhamento Seção I de 2019, observado o disposto nesta lei.
contribuindo para a socialização e educação para a específico da fonte e destinação de recursos no Das Diretrizes Gerais
cidadania; Município. Seção II
i) promoção de atividades de esporte e § 1º - Cada programa identificará as ações Art. 8º - A elaboração do PLOA para Da Execução e das Alterações da
lazer para crianças, adultos, idosos e pessoas com necessárias para atingir os seus objetivos, sob a o exercício de 2020, a aprovação e a execução da Lei do Orçamento Anual
deficiência, visando à melhoria da qualidade de vida forma de atividades, projetos ou operações especiais, respectiva lei serão realizadas de modo a evidenciar
e à redução do sedentarismo; especificando os respectivos valores e metas, bem a transparência da gestão fiscal, observando-se o Art. 19 - O Poder Executivo poderá,
j) qualificação e ampliação das ações de como as unidades orçamentárias responsáveis pela princípio da publicidade, e a permitir o amplo acesso da mediante instrumento jurídico específico, fazer
esporte e lazer para a população; realização da ação. sociedade a todas as informações relativas a cada uma transferências, nos termos do disposto no art. 25 da Lei
k) fomento a projetos e parcerias que § 2º - Cada atividade, projeto e operação dessas etapas. Complementar Federal nº 101/00, observado o interesse
contribuam para a democratização do acesso a bens e especial identificará a função e a subfunção à qual Parágrafo único - A transparência da do Município.
equipamentos de esporte e lazer; se vincula. gestão fiscal e o amplo acesso da sociedade a todas
l) realização e apoio a eventos esportivos § 3º - As categorias de programação de as informações referentes à tramitação do PLOA para Art. 20 - A subvenção de recursos públicos
e de lazer que atendam aos diferentes públicos e que trata esta lei serão identificadas na LOA por
estimulem a diversidade de modalidades e atividades programas e respectivos projetos, atividades ou
físicas e recreativas; operações especiais.
m) incentivo à apropriação dos espaços
públicos urbanos, como praças, parques e vias Art. 4º - Os orçamentos Fiscal, da
públicas, para a prática de atividades físicas, Seguridade Social e de Investimento das Empresas
esportivas e de lazer; compreenderão a programação dos poderes
n) fortalecimento das politicas de Executivo e Legislativo do Município, seus órgãos,
juventude, priorizando os territórios com maior autarquias, fundações e fundos instituídos e mantidos
índice de vulnerabilidade juvenil e a potencialização pela administração pública municipal, bem como

Dom5851.indd 2 06/09/2019 19:47:35


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 3

para os setores público e privado, objetivando cobrir III - valores acrescidos ao orçamento inicial V - quanto à contribuição de melhoria, a em recurso ordinário do Tesouro Municipal para o
necessidades de pessoas físicas ou déficit de pessoas decorrentes da alteração dos créditos adicionais; finalidade de tornar exequível a sua cobrança; exercício de 2021, por meio de resolução conjunta da
jurídicas, sem prejuízo do que dispõe o art. 26 da Lei IV - valores decrescidos do orçamento VI - a instituição de novos tributos ou Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento
Complementar Federal nº 101/00, será precedida de inicial decorrentes da alteração dos créditos adicionais; a modificação dos já instituídos, em decorrência de e Gestão - SMPOG - e da Secretaria Municipal de
análise do plano de aplicação das metas de interesse V - orçamento final ajustado da dotação revisão da Constituição da República; Fazenda - SMFA.
social, e a concessão priorizará os setores da sociedade após as alterações decorrentes dos acréscimos ou VII - o aperfeiçoamento do sistema de
civil que não tenham atendimento direto de serviços decréscimos de créditos adicionais; formação, de tramitação e de julgamento dos processos Art. 40 - Até o final dos meses de maio e
municipais. VI - saldos dos limites dos créditos tributário-administrativos, visando a sua racionalização, setembro de 2020 e fevereiro de 2021, após a publicação
adicionais abertos, discriminando o total de cada simplificação e agilidade; dos relatórios e demonstrativos dispostos nos arts.
Art. 21 - O Poder Executivo elaborará decreto e a respectiva fonte de recursos. VIII - a aplicação das penalidades fiscais 52, 53 e 55 da Lei Complementar Federal nº 101/00,
e publicará, até trinta dias após a publicação da LOA como instrumento inibitório da prática de infração à o Executivo demonstrará e avaliará o cumprimento
de 2020, cronograma anual de desembolso mensal, Art. 27 - Fica o Poder Executivo, mediante legislação tributária; de metas fiscais, o resumo da execução orçamentária
nos termos do art. 8º da Lei Complementar Federal nº ato administrativo, autorizado a modificar, no SOF, IX - o aperfeiçoamento dos sistemas de e o monitoramento das metas relativas aos projetos
101/00. o crédito consignado nas especificações de unidade fiscalização, de cobrança e de arrecadação de tributos, estratégicos e transformadores do quadrimestre anterior,
administrativa, elemento de despesa, subação e fonte visando à modernização e à eficiência na arrecadação em audiência pública convocada pela Comissão de
Art. 22 - Os critérios e a forma de limitação específica do orçamento municipal de 2020, para fins equânime da carga tributária. Orçamento e Finanças Públicas da CMBH.
de empenho de que trata a alínea “b” do inciso I do de adequação da programação orçamentária, execução Parágrafo único - Nos 5 (cinco) dias úteis
art. 4º da Lei Complementar Federal nº 101/00 serão e prestação de contas ao Tribunal de Contas do Estado CAPÍTULO VII anteriores à audiência pública prevista no caput deste
processados mediante os seguintes procedimentos de Minas Gerais - TCEMG. DISPOSIÇÕES FINAIS artigo, o Executivo divulgará, no sítio eletrônico da
operacional e contábil: PBH, os relatórios técnicos previstos em lei e relatórios
I - revisão física e financeira contratual, Art. 28 - O Poder Executivo publicará Art. 32 - A LOA conterá dispositivos que comparativos de previsão e execução de metas físicas
adequando-se aos limites definidos por órgãos mensalmente em seu sítio eletrônico, de forma autorizem o Poder Executivo a: e financeiras, em formato compatível com os previstos
responsáveis pela política econômica e financeira do compilada, as seguintes informações relacionadas à I - proceder à abertura de créditos nos incisos III, VII e IX do caput do art. 7º, incluindo
Município, formalizadas pelo respectivo aditamento dívida pública fundada total do Município: suplementares, nos termos dos arts. 42, 43, 45 e 46 da suas versões simplificadas, que serão apresentados
contratual; I - cópia com inteiro teor do contrato; Lei Federal nº 4.320/64; à Comissão de Orçamento e Finanças Públicas da
II - contingenciamento do saldo da Nota de II - relatório contendo as seguintes II - proceder à abertura de créditos CMBH.
Empenho a liquidar, ajustando-se à revisão contratual informações dos contratos previstos no inciso I: suplementares para incluir a categoria econômica,
determinada no inciso I. a) credor; o grupo de natureza de despesa, a modalidade de Art. 41 - Na hipótese de ser atingido o limite
b) objeto; aplicação, a aplicação programada de recursos e prudencial de que trata o art. 22 da Lei Complementar
Art. 23 - O critério para limitação dos c) valor; a origem das fontes de recursos em cada projeto, Federal nº 101/00, a manutenção de horas extras
valores financeiros da CMBH, de que trata o § 3º do art. d) taxa de juros; atividade e operações especiais; somente poderá ocorrer nos casos de calamidade
9º da Lei Complementar Federal nº 101/00, levará em e) cronograma de desembolso; III - proceder à redistribuição de parcelas pública, na execução de programas emergenciais de
consideração as medidas contingenciadoras do Poder f) lei autorizativa; das dotações de pessoal, quando considerada saúde pública ou em situações de extrema gravidade,
Executivo constantes nesta lei. III - relatórios contendo as seguintes indispensável à movimentação administrativa interna devidamente reconhecidos por decreto do chefe do
informações da dívida prevista no caput, e por contrato de pessoal; Executivo.
Art. 24 - Ao final de um bimestre, se previsto nos incisos I e II: IV - promover as medidas necessárias para
verificado que a realização da receita poderá não a) saldo anterior; ajustar os dispêndios ao efetivo comportamento da Art. 42 - Observado o disposto nos arts.
comportar o cumprimento das metas de resultado b) amortizações e serviços no período; receita; 7º e 8º da Lei Federal nº 12.527, de 18 de novembro
primário ou nominal estabelecidas no Anexo I, será c) correções no período; V - designar órgãos centrais para de 2011, os poderes Executivo e Legislativo deste
promovida a limitação de empenho, conforme critérios d) inscrições no período; movimentar dotações comuns atribuídas às diversas Município disponibilizarão e manterão, mensalmente
a serem definidos pelo Poder Executivo, levando e) saldo final. unidades orçamentárias e unidades administrativas atualizada, nos respectivos sítios na internet, no portal
em consideração a seguinte ordem de prioridade na regionalizadas. Transparência ou equivalente, preferencialmente no
redução de gastos: CAPÍTULO V link destinado à divulgação de informações sobre
I - obras estruturantes; DAS DISPOSIÇÕES RELATIVAS ÀS DESPESAS Art. 33 - Não poderão ser apresentadas recursos humanos, em formato de dados abertos,
II - serviços de terceiros e encargos DO MUNICÍPIO COM PESSOAL E COM emendas ao PLOA que aumentem o valor de dotações tabela com remuneração ou subsídio recebido, de
administrativos; ENCARGOS SOCIAIS orçamentárias com recursos provenientes de: maneira individualizada, por detentores de mandato
III - investimentos do Orçamento I - recursos vinculados; eletivo e ocupantes de cargo ou função, incluindo
Participativo; Art. 29 - Para fins de atendimento ao disposto II - recursos próprios de entidades da auxílios, ajudas de custo e quaisquer outras vantagens
IV - obras de manutenção que objetivam nos incisos I e II do § 1º do art. 169 da Constituição da administração indireta; pecuniárias.
a recuperação de danos ocorridos no equipamento República, ficam autorizados para o exercício de 2020, III - recursos destinados a pagamento de
existente. de acordo com os limites estabelecidos na Emenda precatórios e de sentenças judiciais; Art. 43 - A CMBH, com base nos
Parágrafo único - A base contingenciável Constitucional nº 58, de 23 de setembro de 2009, e na IV - recursos destinados ao serviço da princípios de transparência e publicidade, publicará
corresponde ao total das dotações estabelecidas na Lei Complementar Federal nº 101/00: dívida, compreendendo amortização e encargos, relatórios de execução orçamentária e de gestão
LOA de 2020, com a exclusão das seguintes naturezas I - a instituição, a concessão e o aumento de aos desembolsos dos recursos relativos aos projetos fiscal de seu orçamento, conforme estabelece o art.
de despesas: qualquer vantagem pecuniária ou remuneração; executados mediante parcerias público-privadas, ao 8° desta lei.
I - obrigações constitucionais ou legais; II - a criação de cargos ou adaptações na pagamento do Pasep e às despesas com pessoal e com § 1º - A CMBH realizará, nos termos do
II - dotações destinadas ao desembolso dos estrutura de carreiras; encargos sociais; art. 48 da Lei Complementar Federal nº 101/00, sua
recursos relativos aos projetos executados mediante III - a admissão de pessoal, a qualquer V - recursos orçamentários com a prestação de contas aos cidadãos, incluindo versão
parcerias público-privadas; título, pelos órgãos, autarquias, fundações e empresas modalidade de aplicação 91 e recursos cuja origem das simplificada para manuseio popular, nas mesmas datas
III - despesas com o pagamento de dependentes da administração pública municipal. fontes de recursos seja Contribuição para Custeio dos das audiências públicas para o Executivo demonstrar
precatórios e sentenças judiciais; Parágrafo único - A remuneração dos Serviços de Iluminação Pública; e avaliar o cumprimento das metas fiscais de cada
IV - despesas com pessoal e encargos servidores públicos somente poderá ser fixada ou VI - recursos destinados aos fundos quadrimestre ou em atendimento a convocação de sua
sociais; alterada por lei específica, observada a iniciativa municipais. Comissão de Orçamento e Finanças Públicas.
V - despesas com juros e encargos da privativa de cada Poder, assegurada revisão geral anual. § 1º - As emendas ao Projeto de Lei § 2° - A versão simplificada para manuseio
dívida; do Orçamento Anual não poderão ser aprovadas, popular prevista no § 1° deste artigo será organizada
VI - despesas com amortização da dívida; Art. 30 - O disposto no § 1º do art. 18 se atingido o percentual de 30% (trinta por cento) conforme os seguintes parâmetros:
VII - despesas com auxílio-alimentação e da Lei Complementar Federal nº 101/00 aplica-se, da dedução orçamentária, excetuando-se a dotação I - subdivisão das despesas dos programas
auxílio-transporte financiados com recursos ordinários; exclusivamente, para fins de cálculo do limite da orçamentária referente à reserva de contingência. por pessoal, transferências, custeio e capital;
VIII - despesas com o Programa de despesa total com pessoal, independentemente da § 2º - As emendas ao PLOA não poderão II - apresentação, por programa, de uma
Formação do Patrimônio do Servidor Público - Pasep. legalidade ou da validade dos contratos. ser destinadas a entidades privadas. análise qualitativa da realização das despesas do
Parágrafo único - Considera-se como quadrimestre;
Art. 25 - As alterações decorrentes da substituição de servidores e empregados públicos, para Art. 34 - Os recursos decorrentes de III - apresentação de informações completas
abertura e da reabertura de créditos adicionais integrarão efeito do disposto no caput, os contratos de terceirização emendas que ficarem sem despesas correspondentes ou sobre:
os quadros de detalhamento de despesa, os quais serão relativos à execução de atividades que sejam inerentes a alterarem os valores da receita orçamentária poderão a) número de reuniões ordinárias,
modificados independentemente de nova publicação. categorias funcionais existentes, abrangidas por planos ser utilizados mediante crédito suplementar e especial, audiências públicas de comissões, reuniões especiais e
de cargos do quadro de pessoal do órgão ou da entidade, com prévia e específica autorização legislativa, nos extraordinárias;
Art. 26 - O Poder Executivo poderá, salvo expressa disposição legal em contrário. termos do § 8º do art. 166 da Constituição da República. b) número de projetos votados, indicações
mediante decreto, transpor, remanejar, transferir ou e moções aprovadas;
utilizar, total ou parcialmente, as dotações orçamentárias CAPÍTULO VI Art. 35 - Para os efeitos do § 3º do art. 16 c) despesas totais realizadas por contratos
aprovadas na LOA de 2020 e em créditos adicionais, DAS DISPOSIÇÕES SOBRE ALTERAÇÕES DA da Lei Complementar Federal nº 101/00, considera-se administrativos e de prestação de serviços;
em decorrência da extinção, da transformação, da LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO MUNICÍPIO despesa irrelevante aquela que não ultrapasse, para bens d) valores mensais disponíveis para
transferência, da incorporação ou do desmembramento e serviços, os limites dos incisos I e II do art. 24 da Lei cada gabinete parlamentar referentes ao custeio, à
de órgãos e entidades, bem como de alterações de Art. 31 - Poderão ser apresentados à CMBH Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993. contratação de veículos e servidores de recrutamento
suas competências ou atribuições, mantida a estrutura projetos de lei sobre matéria tributária pertinente, amplo;
programática, conforme definida no art. 5º, assim como visando ao seu aperfeiçoamento, à adequação a Art. 36 - Não poderão ser apresentadas e) outras atividades realizadas no respectivo
as diretrizes, os objetivos e as metas estabelecidas nesta mandamentos constitucionais e ao ajustamento a leis ao PLOA emendas com recursos insuficientes para a quadrimestre.
lei. complementares e resoluções federais, tendo como conclusão de uma etapa da obra ou para o cumprimento § 3° - A CMBH publicará no Diário Oficial
§ 1º - A transposição, o remanejamento e diretrizes a capacidade econômica do contribuinte e de parcela do contrato de entrega do bem ou do serviço. do Município e disponibilizará em seu sítio eletrônico
a transferência a que se refere o caput terão seu limite a justa distribuição de renda na perspectiva da justiça versão simplificada de sua prestação de contas, prevista
definido em lei específica e não poderão resultar em tributária, observando: Art. 37 - A Reserva de Contingência do no § 1° deste artigo, com antecedência mínima de 5
alteração dos valores das programações aprovadas I - quanto ao Imposto sobre a Propriedade Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores (cinco) dias úteis.
na LOA de 2020, podendo haver adequação das Predial e Territorial Urbana - IPTU, o objetivo Públicos do Município de Belo Horizonte - RPPS,
classificações institucional, funcional, programática e de assegurar o cumprimento da função social da incluída no Orçamento da Seguridade Social para Art. 44 - Integram esta lei, em cumprimento
econômica ao novo órgão. propriedade, a atualidade da base de cálculo do imposto, 2020, poderá ser utilizada como recurso para abertura ao disposto no art. 4º da Lei Complementar Federal nº
§ 2º - O Executivo publicará em a isonomia e a justiça fiscal; de créditos adicionais destinados exclusivamente às 101/00:
seu sítio eletrônico, na mesma época da II - quanto ao Imposto sobre Transmissão despesas previdenciárias. I - o Anexo I - Das Metas Fiscais;
divulgação do Relatório Resumido de Execução de Bens Imóveis por Ato Oneroso Inter Vivos - ITBI, a II - o Anexo II - Dos Riscos Fiscais.
Orçamentária - RREO, exigido pela Lei de adequação da legislação municipal aos comandos de lei Art. 38 - Para fins de cumprimento dos
Responsabilidade Fiscal, relatórios bimestrais complementar federal ou de resolução do Senado Federal; dispositivos do art. 130 da Lei nº 10.362, de 29 de Art. 45 - Esta lei entra em vigor na data de
contendo as alterações relacionadas aos créditos III - quanto ao Imposto sobre Serviços de dezembro de 2011, a Unidade Gestora Única do RPPS sua publicação.
adicionais ocorridas no período, compreendendo Qualquer Natureza - ISSQN, a adequação da legislação poderá processar gastos de natureza corrente e de
as seguintes informações: municipal aos comandos de lei complementar federal capital com manutenção, operação e funcionamento do Belo Horizonte, 6 de setembro de 2019.
I - unidades orçamentárias, funções, e a mecanismos que visem à modernização e à maior seu patrimônio.
subfunções, programas, ações, subações, naturezas de agilidade de sua cobrança, arrecadação e fiscalização; Alexandre Kalil
despesa, elementos de despesa e fontes que sofrerem IV - quanto às taxas cobradas em razão Art. 39 - O recurso não vinculado por lei Prefeito de Belo Horizonte
alterações; do exercício do poder de polícia ou pela utilização, específica, convênio ou ajuste que se constituir em
II - orçamento inicial previsto para a efetiva ou potencial, de serviços públicos prestados ao superávit financeiro do exercício de 2020, apurado (Originária do Projeto de Lei nº 789/19, de autoria do
dotação objeto de alteração; contribuinte, a incidência ou não do tributo; em 2021, poderá ser convertido pelo Poder Executivo Executivo)

Dom5851.indd 3 06/09/2019 19:47:35


BELO HORIZONTE
4 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

ANEXO I
DAS METAS FISCAIS

I.1 – Demonstrativo das Metas Anuais;


I.2 – Avaliação do Cumprimento das Metas Fiscais do Exercício Anterior;
I.3 – Metas Fiscais Atuais Comparadas com as Metas Fiscais Fixadas nos Três Exercícios Anteriores;
I.4 – Evolução do Patrimônio Líquido do Município de Belo Horizonte;
I.5 – Origem e Aplicação dos Recursos Obtidos com a Alienação de Ativos;
I.6 – Avaliação da Situação Financeira e Atuarial do RPPS;
I.7 – Demonstrativo da Estimativa da Renúncia de Receita;
I.8 – Demonstrativo da Estimativa da Margem de Expansão das Despesas Obrigatórias de Caráter Continuado.

ANEXO II
DOS RISCOS FISCAIS

II.1 – Demonstrativo de Riscos Fiscais e Providências.

ANEXO I
DAS METAS FISCAIS
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – 2020

I.1 – Demonstrativo das Metas Anuais e Memória de Cálculo

1 – Metas Anuais de 2020 até 2022

O Demonstrativo das Metas Anuais – Tabela 1.1 – estabelece a meta de Resultado Primário e o Resultado Nominal em valores correntes e constantes para os exercícios de 2020, 2021 e 2022, de forma
a abranger todos os órgãos da administração direta e indireta, as empresas dependentes do Tesouro Municipal e o Poder Legislativo.

Tabela 1.1
MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE METAS FISCAIS
METAS ANUAIS
2020
AMF - Demonstrativo 1 (LRF, art. 4º, § 1º) R$ 1.000,00
2020 2021 2022
Valor Valor % RCL Valor Valor % RCL Valor Valor

% RCL
ESPECIFICAÇÃO Corrente Constante (a / RCL) Corrente Constante (b / RCL) Corrente Constante (c / RCL)
(a) x 100 (b) x 100 (c)

x 100
Receita Total 12.106.581 11.640.943 111,21% 12.780.403 11.850.385 111,07% 13.401.660 11.983.060 110,18%
Receitas Primárias (I) 11.171.646 10.741.968 102,63% 11.814.626 10.954.887 102,67% 12.494.185 11.171.644 102,72%
Despesa Total 12.037.029 11.574.066 110,58% 12.739.701 11.812.645 110,71% 13.337.099 11.925.333 109,65%
Despesas Primárias (II) 11.314.964 10.879.773 103,94% 11.932.076 11.063.790 103,69% 12.470.543 11.150.504 102,52%
Resultado Primário (III) = (I – II) -143.318 -137.806 -1,32% -117.450 -108.903 -1,02% 23.642 21.140 0,00
Resultado Nominal -329.379 -316.711 -3,03% -362.878 -336.472 -3,15% -254.949 -227.962 -2,10%
Dívida Pública Consolidada 4.627.179 4.449.211 42,51% 4.936.616 4.577.383 42,90% 5.316.893 4.754.086 43,71%
Dívida Consolidada Líquida 3.151.549 3.030.335 28,95% 3.501.888 3.247.059 30,43% 3.874.141 3.464.054 31,85%
Receitas Primárias advindas de PPP
(IV)
Despesas Primárias geradas por
PPP (V) 312.741 300.713 2,87% 347.128 321.868 3,02% 360.661 322.484 2,97%
Impacto do saldo das PPP (VI) = (IV-
V) -312.741 -300.713 -2,87% -347.128 -321.868 -3,02% -360.661 -322.484 -2,97%
FONTE: Unidade Responsável SMFA/SMPOG, Data da emissão 14/05/2019

O cálculo das projeções foi realizado considerando-se o cenário macroeconômico contido no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020 do Governo Federal, encaminhado ao Congresso em
abril de 2019, cujos parâmetros encontram-se na tabela 1.2, com exceção do último parâmetro, que se trata de projeção realizada pelo Poder Executivo Municipal.

Tabela 1.2
Variáveis Selecionadas

VARIÁVEIS 2020 2021 2022


PIB Nacional 2,70% 2,60% 2,50%
Inflação Anual - IPCA 4,00% 3,70% 3,70%
Câmbio (R$/US$) 3,70 3,80 3,80
Projeção Receita Corrente Líquida (em 10.885,00 11.507,00 12.163,00
milhões)
A meta de resultado primário para 2020 é de déficit de R$143 milhões em valores correntes, devendo a receita primária situar-se em torno de R$11.172 milhões e a despesa primária em torno de
R$11.315 milhões. Quanto à previsão do resultado nominal para 2020, conforme metodologia de cálculo acima da linha constante do Manual de Demonstrativos Fiscais, 9ª edição, prevê-se um valor negativo de R$329
milhões, representando o conjunto das operações fiscais realizadas, acrescentando ao resultado primário a conta de juros.
Em relação às projeções das Parcerias Público-Privadas – PPPs – atualmente existem contratados pelo Poder Executivo projetos que correspondem à concessão administrativa para realização de obra e
prestação de serviços de unidades de educação infantil, de prestação de serviços de disposição final de resíduos sólidos, de serviços e obras de engenharia com prestação de serviços de apoio não assistencial e de serviços de
iluminação pública.

2 – Metodologia e Memória de Cálculo das Metas Anuais

As projeções das metas anuais para os exercícios de 2020 a 2022 foram estabelecidas conforme orientações do Manual de Demonstrativos Fiscais, 9ª edição, e em função das expectativas quanto ao
desempenho das atividades econômicas no País e dos indicadores macroeconômicos, bem como tendo como referência a fixação e a efetiva realização de algumas categorias de receitas e despesas nos anos anteriores.

2.1 – Metodologia e Memória de Cálculo das Metas Anuais de 2020 a 2022 para as receitas

Em cumprimento ao art. 4º da Lei Complementar Federal nº 101, de 4 de maio de 2000, a construção dos critérios metodológicos e a memória e base de cálculo para projeções das metas anuais das
receitas foram elaboradas considerando-se a conjuntura atual e o cenário macroeconômico projetado para os próximos três exercícios, bem como o comportamento histórico da arrecadação municipal e as ações que podem
gerar incremento real dos diversos componentes da receita.
Vale ressaltar que, a partir de 2018, está em vigor o novo ementário da receita pública, conforme Portaria Interministerial STN/SOF nº 5, de 25 de agosto de 2015, que altera a estrutura de códigos da
classificação da receita quanto à natureza.
Dentro desse contexto, foram feitas as projeções anuais das receitas municipais, transferências constitucionais e recursos negociados, calculadas a partir das variáveis mencionadas, conforme a tabela
1.3, para os exercícios de 2020 a 2022.

Cidade limpa não é a que mais se varre.


É a que menos se suja.

Dom5851.indd 4 06/09/2019 19:47:36


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 5

Tabela 1.3
TOTAL DAS RECEITAS

PREVISÃO - R$ milhares
ESPECIFICAÇÃO
2020 2021 2022
RECEITAS CORRENTES (I) 11.142.113 11.778.007 12.450.197
Receitas de Impostos, Taxas e Contribuições de Melhoria 4.243.760 4.462.499 4.687.141
IPTU 1.452.206 1.513.767 1.574.227
ISS 1.580.662 1.681.039 1.787.680
ITBI 373.319 388.333 402.983
IRRF 437.713 462.663 489.035
Outras Receitas Tributárias 399.861 416.696 433.216
Receita de Contribuições 400.605 420.553 441.531
Receitas Previdenciárias 256.280 270.888 286.328
Outras Receitas de Contribuições 144.325 149.665 155.203
Receita Patrimonial 213.107 218.736 224.295
Outras Receitas Patrimoniais 1.546 1.644 1.746
Aplicações Financeiras (II) 209.313 214.755 220.124
Transferências Correntes 5.782.252 6.145.994 6.528.069
Cota Parte do FPM 502.514 533.885 567.246
Cota-Parte do ICMS 928.680 987.593 1.050.243
Cota-Parte do IPVA 618.268 657.218 697.966
Convênios 26.949 28.646 30.422
Demais Transferências Correntes 3.705.842 3.938.652 4.182.192
Demais Receitas Correntes 502.389 530.225 569.161
RECEITAS PRIMÁRIAS CORRENTES (III) = (I) - (II) 10.932.800 11.563.252 12.230.073
RECEITAS DE CAPITAL (IV) 964.467 1.002.396 951.463
Operações de Crédito (V) 725.622 751.022 687.351
Alienação de Bens 109.514 113.895 118.109
Receitas de Alienação de Investimentos Temporários (VI) - - -
Outras Alienações de Bens 109.514 113.895 118.109
Transferências de Capital 129.332 137.480 146.003
Outras Receitas de Capital - - -
RECEITAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (VII) = (IV - V - VI) 238.846 251.374 264.112
RECEITA PRIMÁRIA TOTAL (VIII) = (III + VII) 11.171.646 11.814.626 12.494.185
Fonte - SMPOG/SMFA

2.1.1 – Imposto sobre Propriedade Territorial Predial e Urbana – IPTU

O Poder Executivo executa atividades rotineiras de manutenção do Cadastro Imobiliário, com atualização cadastral referente a Baixas de Construção e atualização cadastral decorrente de loteamentos,
proporcionando acréscimos dos registros cadastrais junto ao Cadastro Imobiliário e gerando um incremento do lançamento do IPTU.
A receita reestimada para 2019 foi calculada em função do total lançado em 2019, considerando a taxa de inadimplência, a taxa de expansão do cadastro de contribuintes e a taxa de inflação de 2018.
Para os exercícios seguintes, a projeção considerou a taxa de inflação prevista no ano anterior.

2.1.2 – Impostos Sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISSQN

Este imposto está diretamente correlacionado com o nível da atividade econômica, sendo que, para a sua projeção, utilizou-se a taxa de inflação dos exercícios correntes aliada à taxa de crescimento do
Produto Interno Bruto – PIB.

2.1.3 – Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis – ITBI

A estimativa deste grupo de receitas considerou a projeção do PIB no exercício corrente acrescida de uma estimativa de crescimento decorrente das ações de acompanhamento dos lançamentos de
novos empreendimentos imobiliários para atualização da base de cálculo de ITBI, tornando-a condizente com o mercado imobiliário, e de monitoramento das transações imobiliárias objeto de ITBI para acerto de base de
cálculo de futuras transações.

2.1.4 – Imposto de Renda Retido na Fonte – IRRF

A receita proveniente do Imposto de Renda Retido na Fonte decorre principalmente das retenções na fonte da folha de pessoal e de serviços prestados à administração pública e foram projetados em
função da participação relativa do IRRF sobre a folha de pagamento nos anos anteriores e tendo como referência os gastos com pessoal previstos no próximo triênio.
2.1.5 – Outras Receitas Tributárias – Taxas

A estimativa deste grupo de receitas considerou a taxa de inflação prevista no ano anterior ao ano de referência

2.1.6 – Receita de Contribuições

As receitas de contribuições previdenciárias constituem os recursos arrecadados com as contribuições patronais e o servidor, destinadas ao custeio do Regime Próprio de Previdência Social. Os valores
projetados para os anos de 2020 a 2022 tiveram como referência os gastos com pessoal previstos para o mesmo período, os quais servem como base para o cálculo das contribuições.
As outras receitas de contribuição se referem aos ingressos para o custeio do serviço de iluminação pública e foram projetadas conforme a projeção da taxa de inflação prevista no ano anterior ao ano
de referência.

2.1.7 – Receita Patrimonial

A Receita Patrimonial refere-se ao resultado financeiro da fruição do patrimônio, seja decorrente de bens mobiliários ou imobiliários, seja de participação societária. O principal componente deste
grupo corresponde à receita de aplicações financeiras que foi estimada considerando o saldo médio das contas, o fluxo de caixa e a taxa média de juros de curto prazo – Selic – estimados para os próximos anos.

2.1.8 – Receita de Serviços

Abrange as receitas provenientes da prestação de serviços administrativos e comerciais gerais, tais como de coleta de lixo, de fornecimento de alimentação nos restaurantes populares, de transporte e
outros serviços, cujas projeções levaram em conta o nível de atividade econômica e a inflação.

2.1.9 – Transferências Correntes

As transferências correntes são recursos recebidos de outras pessoas de direito público ou privado, independentemente de contraprestação direta de bens e serviços de forma legal ou voluntária. Elas
podem ser distribuídas em transferências da União, do Estado, as transferências multigovernamentais e as transferências de convênios.
Compõem esse grupo as seguintes receitas:
 FPM – projeção realizada em função da arrecadação histórica, levando em conta o nível da atividade econômica e a variação da inflação no exercício.
 ICMS – imposto fortemente afetado pela atividade econômica, tendo como parâmetro para a previsão da receita o nível de crescimento econômico – PIB – e a variação da inflação no
exercício.
 IPVA – projeção de receita estimada em função do nível de crescimento econômico e a variação da inflação no exercício.
 FUNDEB – previsão realizada em função da arrecadação histórica, considerando-se o comportamento da receita prevista para os impostos que compõem sua base (ICMS, IPVA, FPM,
Desoneração Lei Complementar Federal nº 87, de 13 de setembro de 1996, IPI e ITR), bem como a projeção de crescimento do número de alunos matriculados no Município, no ensino infantil e fundamental.
 Demais Transferências – As receitas de convênios foram projetadas considerando-se os projetos já formalizados e com previsão de formalização entre a Prefeitura e outros entes, tais como
governo federal, governo estadual e instituições privadas. Entre as Demais Transferências Correntes, vale destacar a receita de transferência de recursos do Sistema Único de Saúde – SUS, repasse Fundo a Fundo, para
atendimentos aos programas de atenção básica, procedimentos de alta e média complexidade e outros programas financiados por repasses regulares e automáticos. Incluem-se também repasses do Fundo Nacional de
Assistência Social e do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação. Todas essas transferências foram projetadas considerando-se o histórico da arrecadação e os parâmetros econômicos já citados.

2.1.10 – Outras Receitas Correntes

Com a instituição do novo ementário da receita, o principal componente de outras receitas correntes refere-se às receitas de multas e indenizações, sendo que o critério adotado para a estimativa
considerou a arrecadação histórica, acrescida da taxa de inflação.
2.1.11 – Receitas de Capital

Dom5851.indd 5 06/09/2019 19:47:36


BELO HORIZONTE
6 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

As receitas de capital são as provenientes da realização de recursos financeiros oriundos da conversão, em espécie de bens e direitos, os recursos de outras pessoas de direito público ou privado,
destinados a atender despesas classificáveis em despesas de capital. Compreendem as operações de crédito, alienação de bens, transferências de capital e outras.
O Poder Executivo tem mantido um volume de operações de crédito para financiamento dos investimentos, e está prevista para os próximos exercícios a continuidade dos empréstimos contratados e os
em fase de negociação, que já possuem autorização legislativa. Destacam-se as operações de crédito com a Caixa Econômica Federal para financiar os programas Avançar Cidades, Pró-Moradia, Pró-Transporte e
contrapartida do Minha Casa Minha Vida; com o BNDES, a fim de captar recursos do programa de Modernização da Administração Tributária – PMAT; com o BID, para o programa DRENURBS e o programa
MELHORSAÚDE; com o BIRD, para programas de mobilidade e inclusão urbana e para financiamento de investimentos previstos no Programa de Governo e no Orçamento Participativo.
Para as demais receitas de capital, foram consideradas as negociações de formalização de convênios para a realização de investimentos no Município, bem como a receita de alienação de bens.

2.2 – Metodologia e Memória de Cálculo das Metas Anuais de 2020 a 2022 para as despesas

As metas anuais para as despesas do Poder Executivo foram projetadas com base na sua evolução histórica, considerando os índices de variação de preços, os compromissos legais e as variações nas
políticas públicas constantes dos instrumentos de planejamento.
Os valores dos grupos de despesas previstas para o triênio estão consolidados na tabela 1.4

Tabela 1.4
TOTAL DE DESPESAS

Categoria Econômica e Grupos de Natureza de R$ milhares


Despesa 2020 2021 2022
DESPESAS CORRENTES (I) 10.462.239 11.096.091 11.797.751
Pessoal e Encargos Sociais 5.020.693 5.323.708 5.725.197
Juros e Encargos da Dívida (II) 328.360 391.426 428.239
Outras Despesas Correntes 5.113.187 5.380.958 5.644.315
DESPESAS PRIMÁRIAS CORRENTES (III)=(I)-(II) 10.133.880 10.704.665 11.369.512
DESPESAS DE CAPITAL (IV) 1.574.789 1.643.610 1.539.348
Investimentos 1.168.845 1.219.638 1.096.031
Inversões Financeiras 12.240 7.773 5.000
Amortização da Dívida (V) 393.705 416.199 438.317
DESPESAS PRIMÁRIAS CAPITAL (VI)=(IV)-(V) 1.181.085 1.227.411 1.101.031
TOTAL DESPESA (VII)=(I+IV) 12.037.029 12.739.701 13.337.099
TOTAL DESPESA PRIMÁRIA (VIII)=(III+VI) 11.314.964 11.932.076 12.470.543
Fonte - SMPOG/SMFA
2.2.1 – Despesas Correntes

Despesas correntes são aquelas que não contribuem diretamente para a formação ou aquisição de um bem de capital e são compostas pelos seguintes grupos de natureza de despesa: Pessoal e Encargos
Sociais, Juros e Encargos da Dívida, e Outras Despesas Correntes.
A projeção da despesa com Pessoal e Encargos Sociais para os anos de 2020 a 2022 foi baseada no crescimento percentual vegetativo da folha de pagamentos, além de índices de variação de preços,
tendo como limite o crescimento percentual das receitas do Tesouro Municipal elegíveis para o pagamento da folha.
A projeção da despesa com Juros e Encargos da Dívida foi baseada nos termos dos pagamentos pactuados nos contratos das operações já contratadas além da previsão das operações em negociação.
A projeção do grupo Outras Despesas Correntes teve como parâmetro os valores executados em anos anteriores, incorporando-se a projeção da inflação, levando-se também em consideração as
vinculações constitucionais e legais.

2.2.2 – Despesas de Capital

As despesas de capital são aquelas que contribuem diretamente para a formação ou aquisição de um bem de capital. São compostas pelos seguintes grupos de natureza de despesa: Investimentos,
Inversões Financeiras e Amortização da Dívida.
A projeção da despesa com Investimentos para os exercícios de 2020 a 2022 levou em consideração o cronograma das obras e outros investimentos em andamento, financiados com recursos de
operação de crédito e advindos de convênios diversos com a União e o Governo do Estado de Minas Gerais, bem como com recursos diretamente arrecadados pelo Município.
As despesas com amortização da dívida foram também baseadas nos termos dos pagamentos pactuados nos contratos das operações já contratadas além da previsão das operações em negociação.

2.3 – Metodologia e Memória de Cálculo para o Resultado Primário

O resultado primário, segundo critério determinado pela Secretaria do Tesouro Nacional, corresponde à diferença entre as receitas e despesas não financeiras, ou seja, as receitas previstas deduzidas de
rendimentos de aplicações financeiras, de operações de crédito e de alienação de investimentos temporários e despesas empenhadas deduzidas de pagamento de encargos e amortização da dívida.
A tabela 1.5 apresenta a metodologia de cálculo dos resultados primários do município de Belo Horizonte projetados para 2020 a 2022.
Tabela 1.5
META FISCAL - RESULTADO PRIMÁRIO
R$ milhares
ESPECIFICAÇÃO 2020 2021 2022
RECEITAS CORRENTES (I) 11.142.113 11.778.007 12.450.197
Aplicações Financeiras (II) 209.313 214.755 220.124
RECEITAS PRIMÁRIAS CORRENTES (III) = (I-II) 10.932.800 11.563.252 12.230.073
RECEITAS DE CAPITAL (IV) 964.467 1.002.396 951.463
Operação de Crédito (V) 725.622 751.022 687.351
Receitas de Alienação de Investimentos Temporários (VI) - - -
Outras Alienações de Bens 109.514 113.895 118.109
RECEITAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (VII) = (IV-V-VI) 238.846 251.374 264.112
RECEITAS PRIMÁRIAS (VIII)=(III+VII) 11.171.646 11.814.626 12.494.185
DESPESAS CORRENTES (IX) 10.462.239 11.096.091 11.797.751
Juros e Encargos da Dívida (X) 328.360 391.426 428.239
DESPESAS PRIMÁRIAS CORRENTES (XI)=(IX-X) 10.133.880 10.704.665 11.369.512
DESPESAS DE CAPITAL (XII) 1.574.789 1.643.610 1.539.348
Amortização da Dívida (XIII) 393.705 416.199 438.317
DESPESAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (XIV)=(XII-XIII) 1.181.085 1.227.411 1.101.031
RESERVA DE CONTINGÊNCIA (XV)
DESPESAS PRIMÁRIAS (XVI)=(XI+XIV) 11.314.964 11.932.076 12.470.543

RESULTADO PRIMÁRIO (VIII-XVI) (143.318) (117.450) 23.642


Fonte: SMFA e SMPOG

2.4 – Metodologia e Memória de Cálculo para o Resultado Nominal

O Manual de Demonstrativos Fiscais, 9ª edição, define a metodologia “acima da linha” para ser utilizada no cálculo do Resultado Nominal do exercício financeiro de 2020 e para os dois exercícios
seguintes. Essa metodologia representa o conjunto das operações fiscais realizadas pela Prefeitura, acrescentando ao resultado primário a conta de juros.
A metodologia “abaixo da linha” representa a evolução da Dívida Fiscal Líquida em um determinado período por meio da diferença entre o saldo da dívida fiscal líquida de um exercício financeiro em
relação ao período anterior.
A metodologia e a memória de cálculo do Resultado Nominal têm como referência o inciso II do § 2º do art. 4º da Lei Complementar Federal nº 101/00 e estão apresentados na tabela 1.6.

Dom5851.indd 6 06/09/2019 19:47:36


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 7

Tabela 1.6
META FISCAL - RESULTADO NOMINAL

R$ milhares
2020 2021 2022
ACIMA DA LINHA
(a) (b) (c)
RESULTADO PRIMÁRIO (I) (143.318) (117.450) 23.642
JUROS E ENCARGOS ATIVOS (II) 142.299 145.998 149.648
JUROS E ENCARGOS PASSIVOS (III) 328.360 391.426 428.239
- - -
RESULTADO NOMINAL (I)+(II)-(III) (329.379) (362.877) (254.948)
I.2 – Avaliação do Cumprimento das Metas Fiscais do Exercício Anterior

Este demonstrativo visa comparar o resultado efetivamente realizado em 2018 com as metas fixadas na Lei nº 11.070, de 26 de setembro de 2017 – Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2018.
A tabela 2.1 demonstra essa comparação e destaca as informações referentes às receitas totais e primárias, despesas totais e primárias, resultado primário, resultado nominal e dívida pública
consolidada e líquida.

Tabela 2.1

A Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2018, em seu anexo I-2, estabeleceu que a execução da Lei Orçamentária fosse compatível com a obtenção de um resultado primário negativo de R$119
milhões, segundo os parâmetros econômicos para 2018 de crescimento do PIB de 2,5% em 2018 e uma inflação de 4,5% ao ano para 2018, conforme projeções constantes do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias do
Governo Federal.
Convém esclarecer que as projeções de receita e despesa orçamentárias, bem como dos resultados nominais e primários constantes da LDO/2018, seguiram a metodologia determinada no Manual de
Demonstrativos Fiscais, 7ª edição, de 28/6/16. Exemplificando, para fins de apuração do Resultado Primário, deveriam ser computadas todas as receitas e despesas, incluindo as intraorçamentárias, e o resultado nominal foi
obtido na metodologia abaixo da linha. No fechamento do exercício de 2018, para a obtenção dos resultados primário e nominal, a metodologia utilizada foi a determinada no Manual de Demonstrativos Fiscais, 8ª edição,
de 17/6/17, excluindo as despesas e receitas intraorçamentárias.
Sendo assim, os comparativos das receitas orçamentárias e primárias e dos resultados primários e nominais ficam distorcidos.

I.3 – Metas Fiscais Atuais Comparadas com as Metas Fiscais Fixadas nos Três Exercícios Anteriores

Em atendimento ao disposto no inciso II do § 2º do art. 4º da Lei de Responsabilidade Fiscal, apresentamos o demonstrativo das metas anuais comparadas com as metas anuais fixadas nos três
exercícios anteriores, combinando a execução passada com as perspectivas futuras, visando à validação dessas últimas.
A tabela 3.1 apresenta, a preços correntes, o comparativo das metas anuais fixadas nos três exercícios anteriores (2017 a 2019), com as projetadas para o período de 2020 a 2022, bem como apresenta o
mesmo comparativo a preços constantes, utilizando como índice de correção o IPCA (base 2019=100).

Tabela 3.1
MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE METAS FISCAIS
METAS FISCAIS ATUAIS COMPARADAS COM AS FIXADAS NOS TRÊS EXERCÍCIOS ANTERIORES
2020
AMF – Demonstrativo 3 (LRF, art.4º, §2º, inciso II) R$ 1.000,00
VALORES A PREÇOS CORRENTES
ESPECIFICAÇÃO
2017 2018 % 2019 % 2020 % 2021 % 2022 %
Receita Total 10.843.898 10.668.851 -1,61% 11.698.300 9,65% 12.106.581 3,49% 12.780.403 5,57% 13.401.660 4,86%
Receitas Primárias (I) 9.811.976 9.901.339 0,91% 10.080.977 1,81% 11.171.646 10,82% 11.814.626 5,76% 12.494.185 5,75%
Despesa Total 10.262.453 10.607.921 3,37% 11.680.617 10,11% 12.037.029 3,05% 12.739.701 5,84% 13.337.099 4,69%
Despesas Primárias (II) 9.694.620 10.020.409 3,36% 10.341.879 3,21% 11.314.964 9,41% 11.932.076 5,45% 12.470.543 4,51%
Resultado Primário (III) = (I - II) 117.355 -119.070 -201,46% -260.903 119,12% -143.318 -45,07% -117.450 -18,05% 23.642 -120,13%
Resultado Nominal 723.174 134.318 -81,43% 52.317 -61,05% -329.379 -729,58% -362.878 10,17% -254.949 -29,74%
Dívida Pública Consolidada 5.383.834 4.419.800 -17,91% 4.544.421 2,82% 4.627.179 1,82% 4.936.616 6,69% 5.316.893 7,70%
Dívida Consolidada Líquida 5.166.791 3.604.321 -30,24% 3.565.639 -1,07% 3.151.549 -11,61% 3.501.888 11,12% 3.874.141 10,63%

VALORES A PREÇOS CONSTANTES


ESPECIFICAÇÃO
2017 2018 % 2019 % 2020 % 2021 % 2022 %
Receita Total 11.582.435 11.068.933 -4,43% 11.698.300 5,69% 11.640.943 -0,49% 11.850.385 1,80% 11.983.060 1,12%
Receitas Primárias (I) 10.480.233 10.272.639 -1,98% 10.080.977 -1,87% 10.741.968 6,56% 10.954.887 1,98% 11.171.644 1,98%
Despesa Total 10.961.390 11.005.718 0,40% 11.680.617 6,13% 11.574.066 -0,91% 11.812.645 2,06% 11.925.333 0,95%
Despesas Primárias (II) 10.354.884 10.396.174 0,40% 10.341.879 -0,52% 10.879.773 5,20% 11.063.790 1,69% 11.150.504 0,78%
Resultado Primário (III) = (I - II) 125.349 -123.535 -198,55% -260.903 111,20% -137.806 -47,18% -108.903 -20,97% 21.140 -119,41%
Resultado Nominal 772.427 139.354 -81,96% 52.317 -62,46% -316.711 -705,37% -336.472 6,24% -227.962 -32,25%
Dívida Pública Consolidada 5.750.507 4.585.542 -20,26% 4.544.421 -0,90% 4.449.211 -2,10% 4.577.383 2,88% 4.754.086 3,86%
Dívida Consolidada Líquida 5.518.682 3.739.483 -32,24% 3.565.639 -4,65% 3.030.335 -15,01% 3.247.059 7,15% 3.464.054 6,68%
FONTE: Sistema SOF, Unidades Responsáveis SMPOG e SMFA/SUCGM, Data da emissão 14/05/2019

I.4 – Evolução do Patrimônio Líquido do Município de Belo Horizonte

O demonstrativo do Patrimônio Líquido, Tabela 4.1, tem por finalidade evidenciar a evolução do patrimônio da Prefeitura, compreendendo a diferença entre o ativo e o passivo no exercício financeiro,
e compõe os dados de todos os órgãos da Administração Direta e Indireta e Empresas Dependentes, evidenciando o resultado consolidado e o resultado do regime previdenciário.

4
Dom5851.indd 7 06/09/2019 19:47:37
BELO HORIZONTE
8 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Tabela 4.1
MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE METAS FISCAIS
EVOLUÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2020
AMF - Demonstrativo 4 (LRF, art.4º, §2º, inciso III) R$ 1,00
CONSOLIDADO

PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2018 % 2017 % 2016 %


Patrimônio/Capital 176.958.028,81 2,18% 165.184.639,35 2,84% 159.257.026,42 2,39%
Reservas 11.928.594,75 0,15% 12.195.934,23 0,21% 13.239.325,13 0,20%
Resultado Acumulado 7.918.670.198,14 97,67% 5.638.395.682,68 96,95% 6.481.514.215,25 97,41%
TOTAL 8.107.556.821,70 100,00% 5.815.776.256,26 100,00% 6.654.010.566,80 100,00%

REGIME PREVIDENCIÁRIO
PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2018 % 2017 % 2016 %
Patrimônio 0,00 0,00 0,00
Reservas 0,00 0,00 0,00
Lucros ou Prejuízos Acumulados 259.817.587,57 100,00% 281.550.834,26 100,00% -112.295.925,30 100,00%
TOTAL 259.817.587,57 100,00% 281.550.834,26 100,00% -112.295.925,30 100,00%
Fonte: Sistema CASP-PBH, Subsecretaria de Contadoria Geral / Diretoria de Informações e Prestação de Contas Contábeis, emitido em 10/05/2019

I.5 – Origem e Aplicação dos Recursos Obtidos com a Alienação de Ativos


O demonstrativo a seguir – Tabela 5.1 – tem como finalidade demonstrar a receita de capital oriunda da alienação de ativos, bem como sua aplicação nas despesas de capital nos exercícios de 2016 a
2018, dando transparência à utilização dos recursos obtidos, uma vez que o disposto no art. 44 da Lei Complementar Federal nº 101/00 veda a aplicação dessa receita no financiamento de despesa corrente, salvo se destinada
por lei ao regime de previdência.
Tabela 5.1
MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE METAS FISCAIS
ORIGEM E APLICAÇÃO DOS RECURSOS OBTIDOS COM A ALIENAÇÃO DE ATIVOS
2020
AMF - Demonstrativo 5 (LRF, art.4º, §2º, inciso III) R$ 1,00
2018 2017 2016
RECEITAS REALIZADAS
(a) (b) (c)
RECEITAS DE CAPITAL - ALIENAÇÃO DE ATIVOS (I) 107.652.065,42 88.144.362,46 107.689.480,81
Alienação de Bens Móveis 106.181.218,72 86.378.436,88 101.851.234,60
Alienação de Bens Imóveis 1.470.846,70 1.765.925,58 5.838.246,21

2018 2017 2016


DESPESAS EXECUTADAS
(d) (e) (f)
APLICAÇÃO DOS RECURSOS DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS (II) 107.652.065,42 88.144.362,46 107.689.480,81
DESPESAS DE CAPITAL 107.652.065,42 88.144.362,46 107.689.480,81
Investimentos 107.652.065,42 88.144.362,46 107.689.480,81

2018 2017 2016


SALDO FINANCEIRO (g) = ((Ia – IId) + (h) = ((Ib – IIe) (i) = (Ic – IIf)
IIIh) + IIIi)
VALOR (III) 0,00 0,00 0,00
FONTE: Sistema SOF, Unidade Responsável SMFA/SUCGM, Data da emissão: 29/01/2019

I.6 – Avaliação da Situação Financeira e Atuarial do Regime Próprio de Previdência (alínea “a” do inciso IV do § 2º do art. 4º da Lei Complementar Federal nº 101/00)

SUMÁRIO EXECUTIVO
O presente relatório tem por finalidade apresentar os resultados da avaliação atuarial dos planos de benefícios previdenciários administrados pelo Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos
do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH –, na data focal de 31 de dezembro de 2018, à luz das disposições legais e normativas vigentes.
O RPPS-BH possuía a época um contingente de 51.557 segurados, distribuídos entre ativos, aposentados e pensionistas, sendo 11.963 do Plano Previdenciário e 39.594 do Plano Financeiro. Ademais, o Plano
Previdenciário possuía como o somatório dos bens e direitos destinados à cobertura dos benefícios previdenciários assegurados pelo Regime um montante de R$742.161.730,33, enquanto que o Plano Financeiro possuía um
montante de R$3.497.211,62. São assegurados pelo referido RPPS os benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição, idade e compulsória, aposentadoria por invalidez, pensão por morte, auxílio-doença, salário-
maternidade, auxílio-reclusão e salário-família.
Assim, considerados os benefícios garantidos, o plano de custeio vigente, as metodologias de cálculo, entre outras variáveis, com destaque às adequações das hipóteses atuariais, a avaliação atuarial com data
focal de 31 de dezembro de 2018, apurou um déficit atuarial no valor de R$53.233.557,39 no Plano Previdenciário, que deverá ser financiado pelo ente público, por meio de custeio suplementar (alíquotas de contribuição ou
aporte periódico de recursos), mantidas as alíquotas de custeio normal de 22,00% para o ente público e 11,00% para os segurados, conforme ordenamento jurídico.
Importante destacar que dentre os fatores que mais impactaram na piora dos resultados do referido plano, encontram-se: a) a alteração da hipótese de tempo médio em abono de permanência, passando de 3
anos, conforme estudos dos anos anteriores, para 1,4 anos em média (perda atuarial de aproximadamente R$94.1 milhões); b) a assunção pelo RPPS da cobertura financeira dos auxílios, até então mantidos pelo tesouro
municipal em regime de caixa (perda atuarial de aproximadamente R$85.6 milhões); c) a variação salarial dos segurados acima do estimado no exercício, haja vista implementação de novo plano de cargos e salários (perda
atuarial de aproximadamente R$50.5 milhões); e d) o ingresso de novos segurados por meio de concurso público, que ensejaram na elevação das provisões matemáticas em aproximadamente R$10,6 milhões. Outros fatores
também influenciaram em menor grau na elevação das provisões, dentre eles a variação dos benefícios acima do esperado no modelo atuarial, novos benefícios de riscos concedidos ao longo do exercício e a concentração
das despesas administrativas ao Plano Previdenciário, adequando-se o modelo atuarial à realidade operacional e legislativa do município. Em contrapartida, outros fatores colaboraram para o resultado, gerando ganho
atuarial, como a adequação da taxa de juros, como hipótese atuarial, passando de 5,10% em 2018 para 5,45% em 2019, acarretando uma redução das provisões matemáticas de R$223 milhões.
O Plano Financeiro apresentou como necessidade de custeio suplementar para cobertura da insuficiência financeira o montante de R$ 55.6 bilhões, observada a nulidade da taxa de juros para desconto dos
valores no tempo. Desta forma, também se mantém as mesmas alíquotas de custeio normal do Plano Previdenciário, além da complementação da folha de pagamentos dos benefícios a ele vinculados quando da insuficiência
de recursos financeiros, haja vista se tratar de plano estruturado em regime de repartição.

SUMÁRIO
SUMÁRIO EXECUTIVO .................................................................................................................................................................. 5
SUMÁRIO ........................................................................................................................................................................................... 5
1. INTRODUÇÃO ..................................................................................................................................................................... 6
2. BASE NORMATIVA ............................................................................................................................................................ 6
2.1. NORMAS GERAIS .................................................................................................................................................................... 6
2.1.1. Artigo 40 da Constituição Federal Brasileira ............................................................................................................................. 6
2.1.2. Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000 ...................................................................................................................... 6
2.1.3. Lei nº 10.887, de 18 de junho de 2004 ......................................................................................................................................... 6
2.1.4. Lei nº 9.796, de 05 de maio de 1999 ............................................................................................................................................ 6
2.1.5. Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998 .................................................................................................................................... 6
2.1.6. Portaria nº 464, de 19 de novembro de 2018 .............................................................................................................................. 7
2.1.7. Portaria nº 746, de 27 de dezembro de 2011 ............................................................................................................................... 7
2.1.8. Portaria nº 402, de 10 de dezembro de 2008 ............................................................................................................................... 7
2.1.9. Portaria nº 204, de 10 de julho de 2008 ...................................................................................................................................... 7
2.2. NORMAS ESPECÍFICAS .......................................................................................................................................................... 7
3. PLANO DE BENEFÍCIOS E CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE ............................................................................... 7
3.1. Descrição dos benefícios previdenciários do rpps e condições de elegibilidade .......................................................................... 7
3.1.1. Aposentadoria por tempo de contribuição, idade e compulsória ................................................................................................. 7
3.1.2. Aposentadoria por invalidez ........................................................................................................................................................ 8
3.1.3. Pensão por morte ........................................................................................................................................................................ 8
3.1.4. Auxílio-doença ............................................................................................................................................................................ 8
3.1.5. Salário-maternidade.................................................................................................................................................................... 8
5

Dom5851.indd 8 06/09/2019 19:47:37


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 9

3.1.6. Auxílio-reclusão .......................................................................................................................................................................... 8


3.1.7. Salário-família ............................................................................................................................................................................ 9
4. REGIMES FINANCEIROS E MÉTODO DE FINANCIAMENTO ................................................................................. 9
4.1. Descrição dos regimes financeiros .............................................................................................................................................. 9
4.1.1. Regime de capitalização .............................................................................................................................................................. 9
4.1.2. Repartição de capitais de cobertura ............................................................................................................................................ 9
4.1.3. Repartição simples ...................................................................................................................................................................... 9
4.2. Descrição do método de financiamento ....................................................................................................................................... 9
4.2.1. Método crédito unitário projetado .............................................................................................................................................. 9
4.3. Resumo dos regimes financeiros e métodos por benefício .......................................................................................................... 9
5. HIPÓTESES ATUARIAIS E PREMISSAS ........................................................................................................................ 9
5.1. Tábuas biométricas ...................................................................................................................................................................... 9
5.2. Alterações futuras no perfil e composição das massas............................................................................................................... 10
5.2.1. Rotatividade .............................................................................................................................................................................. 10
5.2.2. Novos entrados (geração futura) ............................................................................................................................................... 10
5.3. Estimativas de remunerações e proventos ................................................................................................................................. 10
5.3.1. Crescimento da remuneração .................................................................................................................................................... 10
5.3.2. Crescimento dos proventos........................................................................................................................................................ 10
5.4. Taxa de juros atuarial ................................................................................................................................................................ 10
5.5. Entrada em algum regime previdenciário e em aposentadoria ................................................................................................... 10
5.5.1. Idade estimada de entrada no mercado de trabalho .................................................................................................................. 10
5.5.2. Idade estimada de entrada em aposentadoria programada ....................................................................................................... 10
5.6. Composição do grupo familiar .................................................................................................................................................. 10
5.7. Compensação financeira ............................................................................................................................................................ 10
5.7.1. Compensação previdenciária a receber .................................................................................................................................... 11
5.7.2. Compensação previdenciária a pagar ....................................................................................................................................... 11
5.8. Demais premissas e hipóteses .................................................................................................................................................... 11
5.8.1. Fator de determinação das remunerações e dos proventos ....................................................................................................... 11
5.8.2. Critério para concessão de aposentadoria pela regra da média ............................................................................................... 11
5.9. Resumo das hipóteses atuariais e premissas .............................................................................................................................. 11
6. ANÁLISE DA BASE CADASTRAL ................................................................................................................................. 12
6.1. Dados fornecidos e sua descrição .............................................................................................................................................. 12
6.2. Premissas adotadas para ajuste técnico da base cadastral .......................................................................................................... 12
6.3. Recomendações ......................................................................................................................................................................... 12
7. RESULTADO ATUARIAL – PLANO PREVIDENCIÁRIO .......................................................................................... 12
7.1. Ativos garantidores e créditos a receber .................................................................................................................................... 12
7.2. Compensação financeira ............................................................................................................................................................ 12
7.3. Provisões matemáticas............................................................................................................................................................... 12
7.4. Sensibilidade à taxas de juros .................................................................................................................................................... 15
8. PLANO DE CUSTEIO ....................................................................................................................................................... 15
8.1. Alíquotas de custeio normal vigentes em lei.............................................................................................................................. 15
8.2. Alíquotas de custeio normal, calculadas por benefício e custeio administrativo ........................................................................ 15
8.3. Alíquotas de custeio normal a constarem em lei ........................................................................................................................ 16
9. EQUACIONAMENTO DO DÉFICIT ATUARIAL ......................................................................................................... 16
9.1. ALTERNATIVA 1 – Plano de amortização com alíquota suplementar constante ..................................................................... 16
9.2. ALTERNATIVA 2 – Plano de amortização - Sistema PRICE .................................................................................................. 17
10. RESULTADO ATUARIAL – PLANO FINANCEIRO .................................................................................................... 17
10.1. Ativo garantidores e créditos a receber ...................................................................................................................................... 17
10.2. Encargos, contribuições futuras e aporte complementar ............................................................................................................ 17
10.3. Plano de custeio......................................................................................................................................................................... 18
11. PARECER ATUARIAL ..................................................................................................................................................... 18
ANEXO 1 – CONCEITOS E DEFINIÇÕES .................................................................................................................................. 19
ANEXO 2 – ESTATÍSTICAS .......................................................................................................................................................... 19
2.1 Plano Previdenciário ........................................................................................................................................................................ 19
2.2. Plano Financeiro .............................................................................................................................................................................. 24
ANEXO 3 – PROVISÕES MATEMÁTICAS A CONTABILIZAR ............................................................................................. 29
4.1. Plano Previdenciário ............................................................................................................................................................... 29
4.2. Plano Financeiro ...................................................................................................................................................................... 31

1. INTRODUÇÃO

A Previdência Social no Brasil está estruturada em dois grandes pilares. O Regime Geral de Previdência Social – RGPS – destinado à seguridade previdenciária dos trabalhadores da iniciativa privada e o
Regime Próprio de Previdência Social – RPPS –, objeto deste trabalho.
A progressiva ampliação da natureza e alcance dos benefícios previdenciários sem a criação de fonte de custeio correspondente constituiu causa e denotação do desequilíbrio atuarial do modelo previdenciário
instalado até então.
Em particular, nos Estados e Municípios - na sua imensa maioria, não foi utilizado para a constituição dos regimes previdenciários nenhum tipo de estudo atuarial, sendo a estrutura técnica e gerencial definida
sem parâmetros, em especial o plano de custeio. Em consequência, as alíquotas de contribuição, na maioria dos casos, mostraram-se insuficientes para o financiamento dos planos de benefícios que contemplam em alguns
casos, serviços assistenciais e de saúde, resultando em grandes desequilíbrios financeiros e atuariais dos regimes.
Diante deste cenário e com o fito de alcançar um regime equilibrado, solvente e, principalmente, justo em relação às perspectivas das gerações - atual e futura, o Governo introduziu profundas mudanças
estruturais no sistema próprio de previdência social.
Ao estabelecer normas gerais para a organização e funcionamento dos regimes próprios de previdência social, a Lei nº. 9.717/98 propiciou, ainda, a sua necessária e desejável padronização normativa e
conceitual em relação ao RGPS.
A partir da consolidação da Emenda nº. 20/98, foi estabelecido um novo modelo previdenciário, com ênfase no caráter contributivo, na impossibilidade de conceder benefícios distintos do RGPS, não sendo
mais possível falar, com legitimidade, em RPPS sem nele abranger, no mínimo, aposentadoria e pensão por morte e, principalmente, na necessidade de equilibrá-lo financeira e atuarialmente.
Assim, de modo a garantir tal equilíbrio, a avaliação atuarial se faz um instrumento imprescindível, pois a partir dos resultados é possível indicar diretrizes para a elaboração de um plano de investimento,
financiamento e gestão na adoção de políticas de longo prazo com responsabilidade social, que visem garantir os benefícios assegurados pelo plano por meio da arrecadação dos recursos necessários.
Nesse sentido, o presente estudo realizado pela LUMENS ATUARIAL tem como objetivo reavaliar atuarialmente os Planos de Benefícios Previdenciários do Regime Próprio de Previdência Social dos
Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH, posicionado em 31 de dezembro de 2018, afim de apurar, dentre outras informações, as estatísticas referentes aos segurados vinculados do
Município, as provisões técnicas, o passivo atuarial, os custos, as contribuições necessárias dos servidores e do Ente Federativo, com destaque ao plano de equacionamento para financiar o déficit atuarial - quando houver e
os fluxos atuariais de despesas e receitas previdenciárias.
Para a realização dos cálculos e demais aspectos técnicos, foram considerados os dados cadastrais da população abrangida e suas características financeiras e demográficas, além dos regimes e métodos
financeiros, hipóteses atuariais e premissas, em consonância com às exigências legais, principalmente àquelas estabelecidas na Portaria n° 464, de 19 de novembro de 2018, que dispõe sobre as normas aplicáveis às
avaliações atuariais dos RPPS.

2. BASE NORMATIVA

2.1. NORMAS GER AIS


A presente Avaliação Atuarial foi desenvolvida em observância a todos os critérios preconizados pela legislação em vigor, bem como as instruções e demais normas emitidas pela Secretaria de Previdência –
SPREV – aplicáveis a elaboração das avaliações atuariais dos RPPS.
O demonstrativo contábil das provisões matemáticas atende a Portaria MPS nº 509, de 12 de dezembro de 2013, que estabelece a adoção do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público – PCASP –, além das
Instruções de Procedimentos Contábeis emitida pela Secretaria do Tesouro Nacional, ambos, atualizados de acordo com o exercício pertinente.
2.1.1. Artigo 40 da Constituição Federal

Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e
solidário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial e o disposto neste artigo.
Destaca-se as regras dispostas pela Emenda Constitucional nº 20, de dezembro de 1998, pela Emenda Constitucional nº 41, de dezembro de 2003, pela Emenda Constitucional nº 47, de julho de 2005 e pela
Emenda Constitucional nº 70, de março de 2012.
2.1.2. Lei Complementar Federal nº 101, de 4 de maio de 2000
Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências.
2.1.3. Lei nº 10.887, de 18 de junho de 2004
Dispõe sobre a aplicação de disposições da Emenda Constitucional n° 41, de 19 de dezembro de 2003, altera dispositivos das Leis nos 9.717, de 27 de novembro de 1998, 8.213, de 24 de julho de 1991, 9.532,
de 10 de dezembro de 1997, e dá outras providências.

2.1.4. Lei nº 9.796, de 5 de maio de 1999


Dispõe sobre a compensação financeira entre o Regime Geral de Previdência Social e os regimes de previdência dos servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, nos casos de
contagem recíproca de tempo de contribuição para efeito de aposentadoria, e dá outras providências.
2.1.5. Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998
A Lei em epígrafe dispõe sobre regras gerais para a organização e o funcionamento dos regimes próprios de previdência social dos servidores públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios, dos militares dos Estados e do Distrito Federal e dá outras providências.
6

Dom5851.indd 9 06/09/2019 19:47:38


BELO HORIZONTE
10 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Estabelece a realização de avaliação atuarial inicial e em cada balanço utilizando-se parâmetros gerais, para a organização e revisão do plano de custeio e benefícios.
Conforme disposições, as alíquotas de contribuição dos servidores ativos dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios para os respectivos regimes próprios de previdência social não serão inferiores às dos
servidores titulares de cargos efetivos da União, devendo ainda ser observadas, no caso das contribuições sobre os proventos dos inativos e sobre as pensões, as mesmas alíquotas aplicadas às remunerações dos servidores
em atividade do respectivo ente estatal.
2.1.6. Portaria nº 464, de 19 de novembro de 2018
Dispõe sobre as normas aplicáveis às avaliações atuariais dos regimes próprios de previdência social - RPPS da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios e estabelece parâmetros para a
definição do plano de custeio e o equacionamento do déficit atuarial.
2.1.7. Portaria nº 746, de 27 de dezembro de 2011
Dispõe sobre cobertura de déficit atuarial dos Regimes Próprios de Previdência Social - RPPS por aporte.
2.1.8. Portaria nº 402, de 10 de dezembro de 2008
Disciplina os parâmetros e as diretrizes gerais para organização e funcionamento dos regimes próprios de previdência social dos servidores públicos ocupantes de cargos efetivos da União, dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios, em cumprimento das Leis nº 9.717, de 1998 e nº 10.887, de 2004.
2.1.9. Portaria nº 204, de 10 de julho de 2008
Dispõe sobre a emissão do Certificado de Regularidade Previdenciária – CRP e dá outras providências.

2.2. NORMAS ESPEC ÍFIC AS


Em complemento aos normativos federais supracitados, o presente estudo do Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH também se
embasou na legislação municipal que rege a matéria, com destaque a Lei Municipal nº 10.362, de 29 de dezembro de 2011 e alterações.

3. PLANO DE BENEFÍCIOS E CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE


O Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH gere um plano de benefícios na modalidade de benefício definido, onde os benefícios
programados têm seu valor ou nível previamente definidos pelo plano de custeio determinado atuarialmente, de forma a assegurar sua concessão e manutenção, por meio da contribuição dos servidores ativos, inativos,
pensionistas e entes públicos, de acordo com os limites impostos na legislação municipal, respeitada a legislação federal.
Assim, estabelecida como alternativa ao plano de amortização, o Município de Belo Horizonte instituiu por meio da Lei Municipal n° 10.362, de 29 de dezembro de 2011, a segregação da massa no RPPS-BH,
que passou a constar com dois planos de benefícios denominados Plano Previdenciário e Plano Financeiro.
O Plano Financeiro que se refere aos servidores que ingressaram no Município, na condição de efetivo, anterior à data de corte, enquanto que no Plano Previdenciário integrarão aqueles que ingressarem a
partir desta data, qual seja 29 de dezembro de 2011.
scrição dos benefícios previdenciários do rpps e condições de elegibilidade
Na avaliação atuarial elaborada pela LUMENS ATUARIAL foram considerados todos os benefícios previdenciários assegurados pelo RPPS-BH e descritos abaixo:
QUANTO AOS SEGURADOS QUANTO AOS DEPENDENTES

 Pensão por Morte


 Auxílio Reclusão

 Aposentadoria por tempo de contribuição, idade e compulsória


 Aposentadoria por invalidez
 Auxílio Doença
 Salário Maternidade
 Salário Família

Referente os benefícios previdenciários, inicialmente cumpre informar que os proventos de aposentadoria e as pensões não poderão exceder a remuneração do respectivo servidor no cargo efetivo em que se
deu a aposentadoria ou que serviu de referência para a concessão da pensão por ocasião de sua concessão.
Ressalta-se ainda que em qualquer hipótese, é garantido um benefício inicial equivalente, pelo menos, ao salário mínimo vigente, inclusive ao conjunto de beneficiários, no caso de pensão por morte.
Salvo nos casos permitidos em Lei, é vedada a percepção de mais de uma aposentadoria, pelo mesmo segurado, por conta do RPPS.
Em sequência, estão explicitadas as principais características por benefício previdenciário, em concordância com as normas federais e a Lei Municipal n° 10.362, de 29 de dezembro de 2011.
3.1.1. Aposentadoria por tempo de contribuição, idade e compulsória
A aposentadoria por tempo de contribuição e idade consistem em um benefício mensal vitalício ao segurado, depois de satisfeitas as condições necessárias para a sua concessão, estabelecidas nas normas
pertinentes, conforme regras apresentas nas tabelas a seguir.

TABELA 1. REGRAS GERAIS DE APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

Tempo Contrib. Tempo Serv. Tempo de Tempo no Cumprimento


Regra Aposentadoria Idade (anos) Pedágio1 Ingresso Provento Reajuste
(anos) Público Carreira Cargo Requisitos

Voluntária (art. 53 homem 35 homem 30 Até


20% __ __ 5 Até 31/12/03 Integral Paridade
8º, EC 20) 48 mulher mulher 16/12/98

Voluntária (§ 53 homem 30 homem 25 Até


40% __ __ 5 Até 31/12/03 Proporcional Paridade
1º, art. 8º, EC 20) 48 mulher mulher 16/12/98
Direito
Adquirido Voluntária (a, 60 homem 35 homem 30 Até
__ 10 __ 5 Até 16/12/98 Integral Paridade
III, § 1º, art. 40, CF) 55 mulher mulher 16/12/98

Por idade (b, 65 homem Até


__ __ 10 __ 5 Até 16/12/98 Proporcional Paridade
III, § 1º, art. 40, CF) 60 mulher 16/12/98

Voluntária (art. 53 homem 35 homem 30 Até Vigência da EC Média e


20% __ __ 5 Índice
2º, EC 41) 48 mulher mulher 16/12/98 41/03 Reduzida3

Transição Voluntária (art. Id + TC2 = 95 anos homem Até Vigência da EC


__ __ 25 15 5 Integral Paridade
3º, EC 47) Id + TC2 = 85 anos mulher 16/12/98 47/05

Voluntária (art. 60 homem 35 homem 30 Até Vigência da EC


__ 20 10 5 Integral Paridade
6º, EC 41) 55 mulher mulher 31/12/03 41/03

Voluntária (a, 60 homem 35 homem 30 A partir


__ 10 __ 5 __ Média Índice
III, § 1º, art. 40, CF) 55 mulher mulher 01/01/04
Permanente

Por Idade (b, 65 homem A partir Média e


__ __ 10 __ 5 __ Índice
III, § 1º, art. 40, CF) 60 mulher 01/01/04 Proporcional

1. Pedágio é período adicional de contribuição, equivalente aos percentuais especificados acima, que o servidor terá que cumprir ao que faltaria para atingir o limite de tempo de contribuição exigido, na data de publicação
da EC/20 para completar os requisitos da aposentadoria.
2. Tempo de Contribuição – TC mínimo de 35 anos para homem e 30 anos para mulher.
3. Provento reduzido para cada ano antecipado em relação aos limites de idade estabelecidos para aposentadoria voluntária na proporção de 3,5% e 5% para aqueles que completarem as exigências para aposentadoria até
31/12/005 e até 01/01/2006, respectivamente.

7
Dom5851.indd 10 06/09/2019 19:47:38
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 11

TABELA 2. REGRAS DE APOSENTADORIA PARA PROFESSORES

Idade Tempo Contrib. Tempo Serv. Tempo de Tempo no Cumprimento


Regra Aposentadoria Pedágio Bônus1 Ingresso Provento Reajuste
(anos) (anos) Público Carreira Cargo Requisitos

Voluntária (art. 53 homem 35 homem 17% h


20% __ __ 5 Até 16/12/98 Até 31/12/03 Integral Paridade
8º, EC 20) 48 mulher 30 mulher 20% m

Direito Voluntária (§ 53 homem 30 homem 17% h


40% __ __ 5 Até 16/12/98 Até 31/12/03 Proporcional Paridade
Adquirido 1º, art. 8º, EC 20) 48 mulher 25 mulher 20% m

Voluntária (a, 55 homem 30 homem


__ __ 10 __ 5 Até 16/12/98 Até 16/12/98 Integral Paridade
III, § 1º, art. 40, CF) 50 mulher 25 mulher

Voluntária (art. 53 homem 35 homem 17% h Vigência da EC Média e


20% __ __ 5 Até 16/12/98 Índice
2º, EC 41) 48 mulher 30 mulher 20% m 41/03 Reduzida

Transição

Voluntária (art. 55 homem 30 homem Vigência da EC


__ __ 20 10 5 Até 31/12/03 Integral Paridade
6º, EC 41) 50 mulher 25 mulher 41/03

Voluntária (a, 55 homem 30 homem A partir


Permanente __ __ 10 __ 5 __ Média Índice
III, § 1º, art. 40, CF) 50 mulher 25 mulher 01/01/04
1. Bônus é o acréscimo de 17%, se homem e 20%, se mulher ao tempo de serviço exercido até 16/12/1998, antes do cálculo do pedágio e desde que se aposentem, exclusivamente, com tempo de efetivo exercício das
funções de magistério.

A definição dos destinatários das normas de transição considera os parâmetros do momento em que o servidor público ingressou no RPPS e do momento em que reuniu condições de aposentadoria.
Com o advento da EC nº 41/03, a integralidade e a paridade foram extintas do âmbito constitucional para servidores aposentados com base nas regras do art. 40, da CF, com a nova redação e com base nas
regras do art. 2º, da EC nº 41/03, assegurado o direito adquirido.
A integralidade que corresponde à totalidade da remuneração do servidor no cargo efetivo foi substituída, pela nova sistemática, de forma que os proventos e as pensões terão como base para o cálculo da média
aritmética simples as 80% maiores remunerações de todo o período contributivo desde a competência de julho de 1994 ou desde o início das contribuições realizadas.
A paridade é a revisão dos benefícios na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modifique a remuneração dos servidores em atividades. Ao contrário desses casos, os proventos serão reajustados na
forma da lei, a fim de preservar-lhes, em caráter permanente, o seu valor real.
Em relação a aposentadoria compulsória, independe da vontade do servidor, sendo aquela que, uma vez implementada a idade de 75 anos, o servidor é compelido a afastar-se do serviço, passando à inatividade,
com proventos proporcionais ao tempo de contribuição, conforme dispõe o inciso II, § 1º, art. 40, CF e reajustados na mesma data que se der o reajuste dos benefícios do RGPS.
Calculado a partir da média aritmética simples das maiores remunerações, utilizadas como base para as contribuições do servidor aos regimes de previdência a que esteve vinculado, correspondentes a 80% de
todo o período contributivo desde a competência de julho de 1994 ou desde o início das contribuições.
3.1.2. Aposentadoria por invalidez
A aposentadoria por invalidez, disposta no inciso I, § 1º, art. 40, CF é aquela decorrente do infortúnio causado ao servidor que o impeça permanentemente de exercer sua atividade funcional, bem como aquele
incapaz à readaptação, sendo em ambos os casos, constatado em exame médico pericial realizado por uma junta médica indicada pelo regime e desde que precedida de licença para tratamento de saúde, nas condições
estabelecidas pela norma. O direito ao percebimento do benefício pelo servidor será mantido enquanto permanecer à condição de inválido para a atividade laborativa.
Os proventos da aposentadoria por invalidez serão calculados pela média aritmética simples das 80% maiores remunerações de contribuição desde julho/1994, cujo resultado será proporcionalizado ao tempo
de contribuição, exceto se a invalidez for decorrente de acidente de serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei, hipótese em que o servidor fará jus à integralidade da média.
Considera-se acidente em serviço aquele ocorrido no exercício do cargo, que se relacione, direta ou indiretamente, com as atribuições deste, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a
perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. Equipara-se ao acidente em serviço, dentre outros:
a) o acidente ligado ao serviço que, embora não tenha sido a causa única, haja contribuído diretamente para a redução ou perda da sua capacidade para o trabalho, ou produzido lesão que exija atenção médica para a
sua recuperação.
b) acidente sofrido pelo segurado no local e no horário do trabalho, em consequência de:
 ato de agressão, sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou companheiro de serviço;
 ofensa física intencional, inclusive de terceiro, por motivo de disputa relacionada ao serviço;
 ato de imprudência, de negligência ou de imperícia de terceiro ou de companheiro de serviço;
 ato de pessoa privada do uso da razão; e
 desabamento, inundação, incêndio e outros casos fortuitos ou decorrentes de força maior.
c) a doença proveniente de contaminação acidental do segurado no exercício do cargo;
d) o acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de serviço:
 na execução de ordem ou na realização de serviço relacionado ao cargo;
 na prestação espontânea de qualquer serviço ao Município para lhe evitar prejuízo ou proporcionar proveito;
 em viagem a serviço, inclusive para estudo quando financiada pelo Município dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra, independentemente do meio de locomoção utilizado, inclusive
veículo de propriedade do segurado; e.
 no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado.
São também considerados no exercício do cargo, os períodos destinados a refeição ou descanso, ou por ocasião da satisfação de outras necessidades fisiológicas, no local do trabalho ou durante.
Consideram-se doenças graves, contagiosas ou incuráveis, as estabelecidas pela legislação vigente na data base do presente estudo, entre outras que a lei indicar:
a) tuberculose ativa;
b) alienação mental;
c) esclerose múltipla;
d) neoplasia maligna;
e) cegueira posterior ao ingresso no serviço público;
f) hanseníase;
g) cardiopatia grave;
h) doença de Parkinson;
i) paralisia irreversível e incapacitante;
j) espondiloartrose anquilosante;
k) nefropatia grave;
l) estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante); e
m) síndrome de imunodeficiência adquirida-Aids.
Essa modalidade de aposentadoria, não assegura a paridade e seus proventos serão reajustados na mesma data que se der o reajuste dos benefícios do RGPS.
3.1.3. Pensão por morte
A pensão por morte é o benefício previdenciário pago aos dependentes habilitados do segurado em razão de seu falecimento, seja na condição de ativo ou inativo.
No caso de pensão decorrente de falecimento de inativo, o benefício corresponderá à totalidade dos proventos até o limite do teto de benefício aplicável ao RGPS, acrescido de 70% da parcela excedente a este
limite, o que se conclui que haverá redução de 30% sobre a parcela do provento que exceder ao teto do RGPS. Sobre este excedente incidirá contribuição previdenciária prevista em lei. Situação semelhante ocorrerá quando
do falecimento do servidor ativo.
3.1.4. Auxílio-doença
O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para o seu trabalho por período superior a quinze dias consecutivos, inclusive se decorrente de acidente de trabalho, conforme estabelecido em
lei municipal.
O valor do benefício consistirá em 100% de seu último subsídio ou de sua última remuneração e será pago a partir do 16º dia do evento até o limite de 2 anos de gozo do auxílio.

3.1.5. Salário-maternidade
O salário-maternidade será devido à segurada gestante que ficar afastada do cargo, por 120 dias consecutivos, com início entre 28 dias antes do parto e a data de ocorrência deste. Em casos excepcionais, os
períodos de repouso anterior e posterior ao parto podem ser estendidos por mais duas semanas, mediante inspeção médica.
O salário-maternidade corresponderá ao último subsídio ou remuneração percebida pela segurada. Este benefício não poderá ser acumulado com o benefício por incapacidade.

3.1.6. Auxílio-reclusão
O auxílio-reclusão é o benefício devido aos dependentes do segurado de baixa renda detento ou recluso, enquanto perdurar tal situação e corresponderá ao salário de benefício calculado.
O auxílio-reclusão será concedido nas mesmas condições estabelecidas para a pensão por morte e ocorrendo a morte do segurado, será automaticamente convertido em pensão por morte.

Dom5851.indd 11 06/09/2019 19:47:39


BELO HORIZONTE
12 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

3.1.7. Salário-família
O salário-família é o benefício devido ao segurado que se enquadrar no limite máximo de renda estipulado pelo governo federal, de acordo com o número de filhos ou equiparados de qualquer condição, até 14
anos ou inválido de qualquer idade, enquanto persistir a invalidez.
Caso o pai e a mãe estejam nas categorias e faixa salarial que têm direito ao salário-família, ambos terão direito a benefício.

4. REGIMES FINANCEIROS E MÉTODO DE FINANCIAMENTO

Denomina-se regime financeiro a metodologia usada para determinar, sob o ponto de vista atuarial, como se processa o financiamento das responsabilidades de um plano de benefícios.
Desse modo, tendo em vista que o Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH instituiu a segregação da massa por meio da Lei
Municipal n° 10.362, de 29/12/2011, todos os benefícios garantidos pelo Plano Financeiro são financiados em regime de repartição simples.
Para o regime de repartição simples, ou regime de caixa, as receitas arrecadadas em um determinado período devem ser suficientes para pagar toda a despesa ocorrida neste mesmo período; ou seja, as despesas
esperadas para um exercício devem ser financiadas no mesmo exercício. Logo, não há formação de reservas matemáticas.
Contudo, dada a importância de analisar o plano no longo prazo, apesar de financiados em regime de caixa, devem ser apurados o valor presente atuarial dos encargos e das contribuições futuras para se estimar
a distribuição dos valores a serem realizados via aporte pelo ente para a cobertura das insuficiências financeiras no longo prazo, quando o plano financeiro não dispuser mais de recursos próprios. Para tanto, foram
realizados tais cálculos adotando hipoteticamente o regime de capitalização para todos os benefícios do Plano Financeiro, porém, considerando 0% de taxa de juros.
Assim, considerada a segregação da massa instituída pela Lei Municipal n° 10.362, de 29/12/2011, para fins de avaliação de longo prazo dos benefícios do Plano Financeiro, financiados em repartição simples,
foram adotados teoricamente os mesmos regimes financeiros e métodos de financiamento dos benefícios do Plano Previdenciário.
Para os benefícios do Plano Previdenciário do RPPS-BH, foram adotados os regimes financeiros e método atuarial de financiamento elencados a seguir, em conformidade com as disposições da Portaria nº
464/2018.

4.1. DESCR IÇ ÃO DOS RE GIME S FINANCE IROS


4.1.1. Regime de capitalização
O regime financeiro de capitalização possui uma estrutura técnica que consiste em determinar as contribuições necessárias e suficientes a serem arrecadadas ao longo do período laborativo do segurado para
custear a sua aposentadoria ao longo da fase de percepção de renda.
Pressupõe a formação de reservas, pois as contribuições são antecipadas no tempo em relação ao pagamento do benefício.
Não obstante, cada método de financiamento determina um nível de custeio e a velocidade com que se observará o crescimento das reservas técnicas.
4.1.2. Repartição de capitais de cobertura
Para o regime de repartição de capitais de cobertura as receitas arrecadadas em um determinado período devem ser suficientes para cobrir toda a despesa gerada no mesmo período até o fim de sua duração.
Há formação de reservas apenas quando do fato gerador do benefício, sendo, reserva para benefícios concedidos.
Para o Plano Previdenciário, não foi financiado nenhum benefício pelo regime financeiro de repartição de capitais de cobertura.
4.1.3. Repartição simples
Para o regime de repartição simples, ou regime de caixa, as receitas arrecadadas em um determinado período devem ser suficientes para pagar toda a despesa ocorrida neste mesmo período, ou seja, as despesas
esperadas para um exercício devem ser financiadas no mesmo exercício. Não há formação de reservas.
Para o Plano Previdenciário, foram financiados pelo Regime Financeiro de Repartição Simples os seguintes benefícios:
 Auxílio Doença;
 Salário Maternidade;
 Salário Família; e
 Auxílio Reclusão.

4.2. DESCR IÇ ÃO DO MÉTODO DE FINANC IAMENTO


4.2.1. Método crédito unitário projetado
No método Crédito Unitário Projetado – CUP as contribuições são crescentes ao longo da fase contributiva e a constituição da reserva garantidora se dá de forma mais acelerada quanto mais se aproxima da
data de concessão do benefício.
O custo normal é distribuído entre a data de entrada considerada como início da capitalização e a data de elegibilidade do benefício de aposentadoria programada.
A reserva matemática, que representa o passivo atuarial do plano, equivale à proporcionalidade dos encargos em relação ao tempo de contribuição já realizado em função do tempo total de contribuição.
A parcela da reserva matemática a ser integralizada nos anos seguintes até a data da elegibilidade ao benefício, por sua vez, é equivalente à proporção de tempo faltante para aposentadoria em relação ao total
do tempo de contribuição.
O cálculo do benefício considera o salário projetado para a data de aposentadoria programada.

4.3. RESUMO DOS RE GIME S F IN ANCE IROS E MÉ TODOS POR BENEFÍC IO


Conhecidos a descrição dos regimes financeiros e dos métodos de financiamento utilizados neste estudo para o Plano Previdenciário, apresenta-se abaixo o resumo por benefício.

TABELA 3. REGIMES FINANCEIROS E MÉTODOS POR BENEFÍCIO

Benefícios Responsabilidade do RPPS Regime financeiro / método

Aposentadoria por tempo de contribuição, idade e compulsória Sim CAP / CUP

Aposentadoria por invalidez Sim CAP / CUP

Pensão por porte de ativo Sim CAP / CUP

Pensão por morte de aposentado válido Sim CAP / CUP

Pensão por morte de aposentado inválido Sim CAP / CUP

Auxílio-doença Sim Repartição simples / Média dos dispêndios dos 3 últimos exercícios

Salário-maternidade Sim Repartição simples / Média dos dispêndios dos 3 últimos exercícios

Auxílio-reclusão Sim Repartição simples / Média dos dispêndios dos 3 últimos exercícios

Salário-família Sim Repartição simples / Média dos dispêndios dos 3 últimos exercícios

5. HIPÓTESES ATUARIAIS E PREMISSAS


Diante da natureza do estudo e das características da massa analisada buscou-se identificar as contingências que mais se aproximam da população. Logo, a importância em analisar as experiências do Regime
Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH no que se refere às estimativas das taxas de mortalidade segregadas por sexo e condição do segurado em cada
uma das idades, da experiência de entrada em invalidez, crescimento salarial, rotatividade, dentre outros, que seguem abaixo especificados.

5.1. TÁBUAS B IOMÉ TR IC AS


As hipóteses referentes às tábuas biométricas são utilizadas para a mensuração das ocorrências dos eventos atinentes à morte de válidos e inválidos e à entrada em invalidez. A partir das tábuas biométricas
também se obtêm as expectativas de sobrevivência daqueles que se aposentam e recebem pensão.
Ademais, as tábuas biométricas servem para a apuração dos compromissos referentes, principalmente, aos benefícios de aposentadoria, aposentadoria por invalidez e pensão por morte.
Em virtude da inexistência do histórico de óbitos, de entradas em invalidez e de óbitos de inválidos, adotou-se as tábuas biométricas correspondentes às hipóteses mínimas previstas na Portaria nº 464/2018,
quais sejam:

TABELA 4. TÁBUAS BIOMÉTRICAS

Hipóteses Plano Previdenciário Plano Financeiro

Tábua de Mortalidade de Válidos (Evento Gerador - Morte) AT-2000 B MALE (“Básica”) AT-2000 B MALE (“Básica”)

Tábua de Mortalidade de Válidos (Evento Gerador - Sobrevivência) AT-2000 B MALE (“Básica”) AT-2000 B MALE (“Básica”)

Tábua de Mortalidade de Inválidos AT-2000 B MALE (“Básica”) AT-2000 B MALE (“Básica”)

Tábua de Entrada em Invalidez ALVARO VINDAS ALVARO VINDAS

Dom5851.indd 12 06/09/2019 19:47:39


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 13

Quanto à tábua de morbidez, esta é utilizada para a mensuração dos compromissos relativos aos benefícios de auxílio-doença.
Todavia, tendo em vista se tratar de um benefício financiado pelo regime financeiro de repartição simples, apurou-se o custo do auxílio-doença a partir dos valores efetivamente despendidos pelo RPPS-BH,
equivalente à média dos gastos dos três últimos exercícios, segundo a Portaria nº 464/2018.

5.2. ALTER AÇ ÕES FUTUR AS NO PERFIL E COMPOS IÇ Ã O DAS MASSAS


5.2.1. Rotatividade
Hipótese relacionada com a saída de alguns servidores, seja por desligamento, exoneração, aposentadoria ou falecimento e a consequente entrada de outros em substituição a estes, no município.
Para o presente estudo considerou-se a hipótese de rotatividade como sendo nula e sem efeito sobre a composição da massa de segurados, qual seja, igual a 0,00%.
5.2.2. Novos entrados (geração futura)
Esta hipótese se refere a probabilidade de ingresso de novos servidores na prefeitura e, por conseguinte, o ingresso de novos segurados no RPPS.
Para a presente Avaliação Atuarial, data focal 31/12/2018, adotou-se a referida hipótese de novos entrados, considerando que para cada servidor que se aposenta, um novo servidor ingressa em seu lugar, de
acordo com as características abaixo descritas.
A idade média de ingresso no mercado de trabalho adotada para os atuais servidores públicos ativos de 26 anos, como sendo a idade de ingresso na Prefeitura dos servidores que serão admitidos, assumindo,
por conseguinte, que este será o seu primeiro vínculo empregatício.
Complementarmente, para o valor da remuneração dos servidores futuros, assumiu-se a remuneração equivalente àquela que o servidor atual recebia teoricamente quando do ingresso na Prefeitura. Este valor é
obtido pela descapitalização da remuneração atual do servidor ativo pelo número de anos de vinculação atual e considera, para tanto, o percentual equivalente adotado para a hipótese de crescimento da remuneração para
encontrar o valor teórico inicial da remuneração.
Impende salientar que a adoção da hipótese de geração futura teria influência no resultado (déficit/superávit) final de diferentes maneiras, dependendo diretamente do método atuarial utilizado no financiamento
do valor atual dos benefícios futuros. Pelos métodos atuariais teóricos que desconsideram a alíquota vigente na apuração da reserva matemática, a influência da referida hipótese será observada na elevação dos custos
normais em razão do financiamento dos compromissos das gerações futuras (uma vez que se considera o financiamento já a partir da data base da avaliação atuarial), mas se observará uma manutenção dos resultados
atuariais, dada a nulidade da reserva matemática desses segurados ainda não ingressados. Em métodos que utilizam o custeio vigente para apuração da reserva matemática, de forma prospectiva, ter-se-ia – além de uma
influência direta na redução das alíquotas necessárias ao custeio – também uma influência nos resultados do plano, com a geração de reservas matemáticas.
Além dos critérios acima estabelecidos, a utilização da hipótese de reposição de segurados ativos somente poderá impactar os valores dos compromissos e o resultado atuarial, para fins de definição do plano de
custeio de equilíbrio do RPPS, quando observados os parâmetros dispostos na Portaria nº 464/2018 e instrução normativa pertinente da Secretaria de Previdência.
Assim, considerando a condição legal acima imposta, os resultados da Avaliação Atuarial, data focal 31/12/2018, restringiu-se apenas à geração atual e, por conseguinte, a hipótese da geração futura (novos
entrados) em nada influenciou tanto o plano de custeio como as reservas matemáticas da geração atual.
Entretanto, como se faz mister a adoção desta hipótese no conjunto da Avaliação Atuarial, data focal 31/12/2018 – observada a restrição mencionada – foi apurado o resultado, apenas a título demonstrativo, em
conformidade com as especificidades do método atuarial considerado no estudo e segundo as informações técnicas abordadas anteriormente. A exceção das projeções atuariais, em que se observa a aplicação desta hipótese
na composição da evolução das receitas futuras do RPPS em questão.
Tendo em vista se tratar de plano com massa fechada, dada a impossibilidade de novos ingressos, essa hipótese foi desconsiderada no cálculo dos encargos, contribuições futuras e provisões hipotéticas do
Plano Financeiro.

5.3. ESTIM ATIVAS DE REMUNERAÇÕES E PROVENTOS


5.3.1. Crescimento da remuneração
A hipótese de crescimento da remuneração refere-se à estimativa dos futuros aumentos das remunerações dos servidores do município. Em um plano estruturado na modalidade de benefício definido, tal qual o
ora avaliado, quanto maior o crescimento real da remuneração esperado, maior será o custo do plano, pois o valor do benefício tem relação direta com o valor da remuneração na data de aposentadoria.
Portanto, cabe salientar que, no caso de serem concedidos reajustes pela gestão municipal que não estejam previstos pelo atuário responsável pela confecção da avaliação atuarial do RPPS, tais reajustes
acarretarão em déficits técnicos, uma vez que as remunerações observadas dos segurados estarão maiores do que aquelas utilizadas na mensuração dos compromissos (reservas matemáticas) da última avaliação atuarial.
A Portaria nº 464/2018 determina que a taxa real mínima de crescimento da remuneração durante a carreira será de 1,00% a cada ano da projeção atuarial.
Para definição conjunta acerca da referida hipótese foram realizados estudos retrospectivos para avaliar a evolução salarial dos servidores efetivos ao longo dos últimos 10 exercícios (2008 a 2017). De posse
destes estudos, foi possível apurar uma evolução anual média, em percentuais reais (acima da inflação). Utilizou-se o salário de contribuição de janeiro de cada exercício, especificamente aos servidores da Adm. Direta, os
quais caracterizam em amostra significativa dentre os segurados.
Como resultado calculou-se um intervalo de confiança de 95% para média, cujo limite inferior foi apurado em 2,37% e o limite superior em 2,74%. Assim, apurou-se como média de crescimento salarial real
um percentual anual de 2,44%.
Tais resultados estão dispostos no Relatório de Análise das Hipóteses, elaborado pela Lumens Atuarial e disponibilizado ao RPPS e ao Ente Federativo em setembro de 2018.
Desta forma, a gestão municipal da Prefeitura de Belo Horizonte (MG), ciente dos impactos causados pela concessão de reajustes acima do percentual adotado, deve anteriormente à referida concessão, avaliar
financeira e atuarialmente os impactos que serão causados no RPPS-BH.
Em observância às disposições da Portaria nº 464/2018, para o próximo exercício, a Unidade Gestora deverá solicitar do Ente Federativo manifestação formal quanto às expectativas relacionadas ao
crescimento salarial dos servidores efetivos, visando a adequação da hipótese às análises prospectivas.
5.3.2. Crescimento dos proventos
A hipótese de crescimento do benefício refere-se a uma garantia real dos futuros aumentos dos benefícios concedidos aos segurados e pensionistas do município. Em um plano estruturado na modalidade de
benefício definido, tal qual o ora avaliado, quanto maior o crescimento real dos benefícios esperado, maior será o custo do plano, pois a evolução do valor do benefício tem relação direta com o valor das reservas
matemáticas necessárias para custear tal benefício.
Para o presente estudo não foi utilizada a hipótese de crescimento dos benefícios, adotando-se a hipótese de que os mesmos sofrerão reajustes anuais apenas pela inflação esperada.

5.4. TAXA DE JUROS ATUAR IAL


A taxa de juros expressa o valor para a taxa de retorno esperada acima da inflação nas aplicações dos recursos do Plano Previdenciário, tratando-se da expectativa de rentabilidade real. Quanto maior a
expectativa da taxa de juros a ser alcançada, menor será o valor atual dos benefícios futuros, pois há dessa forma, a presunção de maior retorno nas aplicações dos recursos do Plano.
Conforme estabelece a Portaria nº 464/2018, a taxa máxima real de juros aceita nas projeções atuariais do plano de benefícios será o menor percentual dentre o valor esperado da rentabilidade futura dos
investimentos dos ativos garantidores do RPPS previsto na política anual de investimentos e a taxa de juros parâmetro cujo ponto da estrutura a termo de taxa de juros média seja o mais próximo à duração do passivo do
RPPS, admitidas exceções.
Para tanto, inicialmente cumpre informar a meta atuarial de IPCA + 5,45%a.a., estabelecida na Política de Investimentos, acima daquela meta estabelecida no ano anterior, cuja taxa real adotada como
referência era de 5,10% ao ano.
A partir do histórico das rentabilidades anuais auferidas pelos recursos garantidores do Plano de Benefícios do RPPS-BH, compreendido no período de 01/01/2015 a 01/12/2018, apurou-se uma rentabilidade
acumulada de 56,53%, sendo que para o mesmo período, considerando a taxa de juros aplicada no exercício anterior de 5,10%, a meta atuarial (5,10% + IPCA) acumulada montou em 53,29%. Com isso, observou-se uma
rentabilidade de 3,24% acima da meta atuarial no referido período.
Analisando apenas os 12 últimos meses, observa-se que os recursos do Plano de Benefícios alcançaram uma rentabilidade de 9,01% enquanto que a meta atuarial (5,10% + IPCA) montou em 9,04%, o que
representa que a rentabilidade obtida pelo RPPS-BH foi inferior em 0,03% comparado a meta atuarial.
De qualquer forma, conforme estudos de convergência e adequação da taxa de juros, dispostos no Relatório de Análise das Hipóteses, para que se consiga alcançar no longo prazo rentabilidades aderentes à
atual meta de 5,45% acima da inflação, será necessária uma postura ativa frente aos investimentos, com adoção de ativos com maior exposição ao risco (renda variável).
Faz-se necessário também a realização contínua de uma avaliação conjunta entre atuário, ente federativo, RPPS e gestores financeiros, para que se possa estudar a adoção de uma taxa de juros sempre adequada
aos patamares possíveis de se alcançar.
Afora as considerações acima, rentabilidades inferiores à meta estabelecida acarretará em déficits atuariais ao longo das próximas avaliações, demandando ações imediatas para instauração do necessário
equilíbrio atuarial.
Quanto ao Plano Financeiro, apesar de estar estruturado em regime financeiro de repartição simples – não havendo a formação de provisões matemáticas, para uma análise de longo prazo do referido Plano,
foram calculados os valores presentes atuariais dos benefícios e das contribuições futuras, bem como das provisões matemáticas hipotéticas com taxa de juros de 0,00% ao ano.

5.5. ENTR ADA EM ALGUM REG IME PREVIDENC IÁR IO E EM APOSENTADOR IA


5.5.1. Idade estimada de entrada no mercado de trabalho
Tendo em vista a inexistência de dados confiáveis relativos ao tempo de serviço/contribuição previdenciária anterior ao ingresso dos servidores no Município de Belo Horizonte (MG), foi mantida a hipótese de
26 anos como sendo a idade de início das atividades profissionais.
Para análise de adequação desta hipótese faz-se necessário a realização de recadastramento dos servidores efetivos, visando a realização de estudos estatísticos.
Recomenda-se que sejam realizados estudos ao longo do exercício de 2019, visando os cálculos atuariais de encerramento do mencionado exercício, haja vista a necessidade de adequação de tal hipótese, se
utilizada, às disposições da Portaria n° 464/2018. Destaca-se que o ingresso no mercado de trabalho um ano mais jovem pode acarretar em aposentadorias por tempo de contribuição mais jovens, gerando perdas atuariais
quando do ajuste do modelo.
5.5.2. Idade estimada de entrada em aposentadoria programada
Para a projeção da idade estimada de entrada em aposentadoria programada, na qual os servidores completarão todas as condições de elegibilidade, foi adotada a hipótese de acordo com as informações de cada
servidor e estimativas, quando utilizadas, calculada conforme as regras constitucionais vigentes.
Adicionalmente, com base em estudos estatísticos elaborados, adotou-se a hipótese de que, em média, os servidores se aposentarão com 1,4 anos após o cumprimento das elegibilidades, permanecendo em
abono de permanência pelo referido período. Houve adequação desta hipótese, uma vez que nos anos anteriores vinha sendo adotado como média 3 anos em abono de permanência. Identificou-se pelos estudos, que dentre
as pessoas que permanecem em abono de permanência, o período de 3 anos se mostra adequado. Porém, quando considerados aqueles servidores que se aposentam imediatamente quando cumpridas as elegibilidades, tem-se
uma redução da média para 1,4, sendo esta a hipótese mais aderente.

5.6. COMPOSIÇ ÃO DO GR UPO FAM ILIAR


A hipótese de composição familiar expressa a família padrão associada a cada idade dos servidores do município e segurados do Plano de Benefícios em epígrafe, de modo que, para um segurado de idade x, a
sua composição familiar é composta, por exemplo, de cônjuge de idade y e filhos de idades r1, r2 e r3. Com base nessas estimativas é que serão estabelecidas as anuidades atuariais para a pensão por morte.
Para a composição familiar média foram realizados estudos da população atual de segurados do Plano que indicaram que 62,45% dos segurados são casados e, portanto, possuem pelo menos um dependente
vitalício, sendo considerado o cônjuge de sexo feminino 2 anos mais jovem que o segurado titular e o cônjuge do sexo masculino 3 anos mais velho que a segurada titular, quando não informada a data de nascimento. Tais
informações foram obtidas mediante estudos estatísticos elaborados junto ao RPPS, onde se verificou histórico dos óbitos e a geração de novas pensões, além dos dados cadastrais disponibilizados para as avaliações
atuariais.

5.7. COMPENSAÇ ÃO FINANCE IR A


Regulada pela Lei nº 9.769/1999, a Compensação Previdenciária – COMPREV é um acerto de contas entre o RGPS e os RPPS, quando do pagamento dos benefícios de aposentadoria e, posteriormente, das
pensões por morte dela decorrentes, proporcional ao período e ao valor das contribuições previdenciárias vertidas a cada Regime.

10
Dom5851.indd 13 06/09/2019 19:47:39
BELO HORIZONTE
14 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

A Lei supracitada ainda conceitua que ao contrário do regime de origem que se trata do regime previdenciário ao qual o segurado ou servidor público esteve vinculado sem que dele receba aposentadoria ou
tenha gerado pensão para seus dependentes, o regime instituidor é o responsável pela concessão e pagamento de benefício de aposentadoria ou pensão dela decorrente a segurado ou servidor público ou a seus dependentes
com cômputo de tempo de contribuição no âmbito do regime de origem.
Para a estimativa do saldo de Compensação Previdenciária, a Avaliação Atuarial deverá computar tanto os valores estimados a receber como aqueles estimados a pagar para o RGPS, sendo que tais
estimativas, consequentemente, dependem da disponibilidade das informações constantes da base de dados encaminhada pela Unidade Gestora e pelo setor de Relação Humanas (RH) do Ente Federativo.
5.7.1. Compensação previdenciária a receber
Assim sendo, sob a ótica da receita do RPPS, tem-se que a estimativa da COMPREV a receber é oriunda tanto dos segurados ativos que possuem tempo de contribuição vertido a outros regimes previdenciários
– precipuamente ao INSS – como dos próprios inativos, cujos processos de entrada junto ao regime previdenciário de origem ou não foram iniciados ou ainda não foram deferidos.
5.7.2. Compensação previdenciária a pagar
Ao passo que a estimativa da COMPREV a receber parece ser mais próxima da realidade de ser estimada, já que é de conhecimento que, praticamente, todos os RPPS, possuam igualmente um passivo a título
de COMPREV a pagar.
Tal passivo pode ser discriminado em duas frentes distintas:
1. Processos de COMPREV a pagar que já tenham sido deferidos a outros regimes previdenciários, ou seja, que atualmente o RPPS já esteja arcando com o pagamento de fluxo mensal enquanto tais benefícios
subsistirem em seus respectivos regimes instituidores; e
2. Estimativa de um passivo referente a todas as pessoas que seriam passíveis de perceber, futuramente, compensação previdenciária do RPPS, por ter tido vinculação de cargo efetivo com o Ente Federativo
em questão e, por conseguinte, contribuído ao RPPS em tal período. De forma resumida, considera-se que o grupo dos servidores efetivos exonerados1 do Ente Federativo se enquadra nestas características
apontadas. Ressalta-se que se trata de uma estimativa mais complexa e passível de maior erro, tendo em vista que é provável que se desconheça a situação atual destas pessoas, como, por exemplo, se estão
vivas, se – de fato – irão um dia se aposentar e, caso positivo, com que idade e valor de benefício, etc.
Ressalva-se que na metodologia adotada para a estimativa da COMPREV a pagar, quando da análise da base de dados dos exonerados, são desconsiderados todos os casos de ex-servidores cuja idade, na data
da presente Avaliação Atuarial, seja igual ou superior a 75 anos (idade limite para vinculação como servidor efetivo em atividade no âmbito do serviço público).

5.8. DEMAIS PREM ISSAS E H IPÓTESE S


5.8.1. Fator de determinação das remunerações e dos proventos
A hipótese referente ao fator de determinação é utilizada para estimar as perdas inflacionárias decorrentes dos efeitos da inflação futura ao longo do tempo sobre as remunerações e benefícios.
Dados os referidos efeitos da inflação, ocorrem perdas do poder de compra tanto das remunerações dos segurados ativos como dos benefícios dos aposentados e pensionistas, entre o período de um reajuste e
outro. Com isso, a presente hipótese busca, desta forma, quantificar as perdas inflacionárias projetadas. A relação entre o nível de inflação e o fator de capacidade é inversamente proporcional, portanto, quanto maior o nível
de inflação, menor o fator de capacidade.

Para a hipótese do fator de determinação das remunerações e dos benefícios, adota-se uma projeção de inflação, a qual será determinada pela aplicação da seguinte formulação:
1  (1  I m )  n
FC  (1  I m )  , sendo I m  n 1  I a 1 ,
n Im
Onde,
I a : Corresponde à hipótese adotada de inflação anual;
I m : Corresponde à inflação mensal calculada com base na hipótese;
n: Corresponde a 12 meses.
Considerando que esta hipótese redunda em redução das reservas matemáticas, por conservadorismo, adotou-se na presente Avaliação Atuarial o fator de capacidade de 100,00%.
5.8.2. Critério para concessão de aposentadoria pela regra da média
Não obstante a maioria dos benefícios de aposentadoria concedidos pelos RPPS’s até o momento da realização da presente avaliação atuarial sejam pela regra da integralidade (última remuneração), já há
concessões de benefícios pela regra da média das remunerações de contribuição.
Portanto, é fato extremamente relevante para o contexto atuarial a representatividade de 98,74% dos segurados ativos com provável regra de aposentadoria pela média, o que se faz necessário um
monitoramento constante e bastante próximo desta realidade. À medida que os benefícios de aposentadoria forem sendo concedidos por meio desta regra e os dados históricos alimentados e traduzidos com significância
estatística, esta hipótese deverá ser revisada de modo a convergir para a realidade que será observada.
Para todos aqueles segurados cuja regra da concessão dos seus benefícios de aposentadoria se der pela média, será adotado um benefício equivalente a 92,00% da remuneração projetada na idade da concessão
do benefício.

5.9. RESUMO DAS HIPÓTESES ATUAR IAIS E PREM ISSAS


TABELA 5. HIPÓTESES ATUARIAIS E PREMISSAS

Hipóteses Plano Previdenciário Plano Financeiro

Tábua de mortalidade de válidos (evento gerador - morte) AT-2000 B MALE (“Básica”) AT-2000 B MALE (“Básica”)
Tábua de mortalidade de válidos (evento gerador -
AT-2000 B MALE (“Básica”) AT-2000 B MALE (“Básica”)
sobrevivência)

Tábua de mortalidade de inválidos AT-2000 B MALE (“Básica”) AT-2000 B MALE (“Básica”)

Tábua de entrada em invalidez ALVARO VINDAS ALVARO VINDAS

Tábua de morbidez Não adotada Não adotada

Rotatividade 0,00% 0,00%

1/1, observada a média de idade de ingresso como servidor efetivo dos


Novos entrados (geração futura) atuais segurados ativos, sendo assumida esta idade para o ingresso no Grupo Fechado
mercado de trabalho da geração futura.

Crescimento da remuneração 2,44% 2,44%

Crescimento dos proventos 0,00% 0,00%

Taxa de juros atuarial 5,45% 0,00%

Idade de entrada no mercado de trabalho Base Cadastral / 26 anos Base cadastral / 26 anos

Idade em que o servidor completar todas as condições de elegibilidade, Idade em que o servidor completar todas as condições de elegibilidade,
Idade de entrada em aposentadoria programada
conforme as regras constitucionais vigentes. conforme as regras constitucionais vigentes.
Hipótese de que 62,45% dos segurados ativos e inativos, ao falecer, gerarão Hipótese de que 62,45% dos segurados ativos e inativos, ao falecer, gerarão
pensão vitalícia para um dependente, sendo 3 anos mais velho, se feminino e pensão vitalícia para um dependente, sendo 2 anos mais velho, se feminino e
Composição familiar
2 anos mais novo, se masculino, quando não informada a data de -3 anos mais novo, se masculino, quando não informada a data de
nascimento. nascimento.

Compensação financeira Estimada em conformidade com as normas pertinentes. Estimada em conformidade com as normas pertinentes.

Fator de determinação da remuneração 100,00% 100,00%

Fator de determinação dos proventos 100,00% 100,00%

Critério para concessão de aposentadoria pela regra da média 92,00% da remuneração projetada 92,00% da remuneração projetada

1 O termo “exonerado” no serviço público denota – comumente – o ato de todo servidor público ocupante de cargo efetivo que tenha desocupado o seu cargo, ou que o cargo esteja em vacância após a sua saída,
independente da motivação ocorrida (óbito, aposentadoria ou desligamento do Ente público). Para a estimativa de COMPREV a pagar, a recomendação, quando da solicitação da base de dados, foi de que fossem
informados apenas os casos referentes aos ex-servidores efetivos que se desligaram do Ente após a exoneração.
11

Dom5851.indd 14 06/09/2019 19:47:40


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 15

6. ANÁLISE DA BASE CADASTRAL


Para o desenvolvimento de uma avaliação atuarial se faz necessária a disponibilização de dados e informações confiáveis e fidedignas à realidade do RPPS.
6.1. DADOS FORNEC IDOS E S UA DESCR IÇ ÃO
Todos os dados e informações, principalmente no que se refere aos dados dos segurados efetivos ativos, inativos, seus respectivos dependentes e pensionistas utilizados na elaboração da Avaliação Atuarial,
foram fornecidos no período que antecede sua realização, em arquivos digitais, via e-mail, pelo Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH,
posicionados em 31/12/2018, segundo layout desenvolvido e disponibilizado pela LUMENS ATUARIAL.
Em que pese à base cadastral estruturada para fins de cálculo, foram realizados testes de consistência que indicaram a necessidade de adequações anteriormente à realização dos estudos técnicos. Novas versões
nos foram encaminhadas sendo a última considerada razoável para o início da Avaliação Atuarial.
O RPPS-BH possuía à época um contingente de 51.557 segurados, distribuídos entre ativos, aposentados e pensionistas, sendo 11.963 do Plano Previdenciário e 39.594 do Plano Financeiro, conforme
demonstrado a seguir.

TABELA 6. ESTATÍSTICAS GERAIS DOS SEGURADOS – PLANO PREVIDENCIÁRIO


Quantidade Remuneração média (R$) Idade média
Situação da população coberta
Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 10267 1658 R$ 2.504,82 R$ 4.122,20 40,30 38,36

Aposentados por tempo de contribuição 6 0 R$ 2.136,75 R$ 0,00 51,50 -

Aposentados por idade 1 0 R$ 954,00 R$ 0,00 64,00 -

Aposentados - compulsória 0 1 R$ 0,00 R$ 954,00 0,00 74,00

Aposentados por invalidez 10 2 R$ 1.105,72 R$ 1.021,47 46,60 45,50

Pensionistas 7 11 R$ 2.332,64 R$ 1.894,70 32,43 37,55


TABELA 7. ESTATÍSTICAS GERAIS DOS SEGURADOS – PLANO FINANCEIRO
Quantidade Remuneração média (R$) Idade média
Situação da população coberta
Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 15385 6125 R$ 4.483,55 R$ 5.177,93 48,79 46,77

Aposentados por tempo de contribuição 10437 2444 R$ 4.919,32 R$ 5.603,87 65,09 72,35

Aposentados por idade 747 105 R$ 2.219,02 R$ 3.465,61 71,48 75,33

Aposentados - compulsória 99 41 R$ 2.131,19 R$ 2.590,37 79,06 79,63

Aposentados por invalidez 816 341 R$ 2.241,32 R$ 2.771,86 64,53 67,46

Pensionistas 2397 657 R$ 3.106,03 R$ 2.637,67 71,48 56,54

6.2. PREM ISSAS ADOTADAS P ARA AJUSTE TÉCN IC O D A B ASE CADASTR AL


Tendo em vista a inexistência de dados confiáveis relativos ao tempo de serviço/contribuição previdenciária anterior ao ingresso dos servidores no Município de Belo Horizonte (MG), foi mantida a hipótese de
26 anos como sendo a idade de início das atividades profissionais.
Para análise de adequação desta hipótese faz-se necessário a realização de recadastramento dos servidores efetivos, visando a realização de estudos estatísticos.
Recomenda-se que sejam realizados estudos ao longo do exercício de 2019, visando os cálculos de encerramento do mencionado exercício, haja vista a necessidade de adequação de tal hipótese, se utilizada, às
disposições da Portaria nº 464/2018. Destaca-se que o ingresso no mercado de trabalho um ano mais jovem pode acarretar em aposentadorias por tempo de contribuição mais jovens, gerando perdas atuariais quando do
ajuste do modelo.
Para a projeção da idade estimada de entrada em aposentadoria programada, na qual os servidores completarão todas as condições de elegibilidade, foi adotada a hipótese de acordo com as informações de cada
servidor e estimativas, quando utilizadas, calculada conforme as regras constitucionais vigentes.
Adicionalmente, com base em estudos estatísticos elaborados, adotou-se a hipótese de que, em média, os servidores se aposentarão com 1,4 anos após o cumprimento das elegibilidades, permanecendo em
abono de permanência pelo referido período.
Houve adequação desta hipótese, haja vista que nos anos anteriores vinha sendo adotado como média 3 anos em abono de permanência. Identificou-se, pelos estudos, que dentre as pessoas que permanecem em
abono de permanência, o período de 3 anos se mostra adequado. Porém, quando considerados aqueles servidores que se aposentam imediatamente quando cumpridas as elegibilidades, tem-se uma redução da média para 1,4,
sendo esta a hipótese mais aderente.
Quanto aos inativos, não constaram as informações relativas à composição do tempo de serviço considerado para fins de concessão dos benefícios de aposentadoria, segregadas por tempo de contribuição ao
RPPS e tempo de contribuição para outros regimes, que são de suma importância para que se possa proceder à uma estimativa mais fidedigna de compensação previdenciária (COMPREV) a receber pelo RPPS-BH.
No que se refere aos dados dos dependentes, tanto dos servidores ativos como dos aposentados, adotou-se a hipótese de composição familiar, quando não informados, incompletos e inconsistentes, conforme
explicitado anteriormente.

6.3. RECOMENDAÇÕES
Insta informar a importância da realização de um recadastramento periódico junto aos atuais servidores ativos, aposentados e pensionistas,
para que se mantenham os dados cadastrais e funcionais sempre atualizados e adequados às próximas avaliações atuariais, com ênfase as informações Art. 15 da Orientação Normativa SPS nº
relativas ao tempo de serviço anterior a Prefeitura, uma vez que a informação encaminhada estava incompleta para o desenvolvimento do presente estudo. 02/2009 diz que a Unidade gestora do RPPS:
Desta forma, a estimativa de idade de atingimento das elegibilidades à aposentadoria será mais realista, gerando, consequentemente, reservas
matemáticas mais bem estimadas e próximas da realidade. “II- procederá a recenseamento
Destaca-se também a necessidade de manter os dados dos dependentes legais dos servidores ativos e aposentados sempre atualizados, para
uma melhor estimativa dos encargos de pensão por morte. previdenciário, com periodicidade não
No tocante à base de dados dos aposentados, sugere-se que sejam levantadas as informações dos valores dos fluxos mensais de COMPREV superior a cinco anos, abrangendo todos os
dos processos já deferidos pelo INSS e repassados mensalmente para o RPPS-BH. A informação do fluxo mensal repassado pelo INSS é válida para que se aposentados e pensionistas do respectivo
possa estimar os valores das reservas matemáticas de benefícios concedidos já desconsiderando os valores repassados, uma vez que são de responsabilidade
do RGPS.
regime;”
Para aqueles aposentados que ainda não tiveram o fluxo mensal de COMPREV deferido pelo INSS, sugere-se que seja feito o levantamento da
composição do tempo de serviço utilizado para a concessão do benefício previdenciário, desmembrando-o de forma a que se tenha o número de meses (ou
dias) de vinculação ao RPPS-BH e o número de meses (ou dias) de vinculação a outros regimes de previdência (INSS e outros RPPS, caso haja), a fim de
que se possa estimar um valor mais próximo da realidade a título de COMPREV a receber.
Ressalta-se que é fundamental uma base de dados atual e confiável, caso contrário, apesar dos esforços técnicos e diligência, o plano de custeio definido poderá não refletir a realidade do RPPS-BH.

7. RESULTADO ATUARIAL – PLANO PREVIDENCIÁRIO


7.1. AT IVOS GAR ANT IDORES E CRÉDITOS A RECEBER
Conforme definições da Portaria nº 464/2018 entende-se por ativos garantidores o montante dos recursos já acumulados pelo RPPS, garantidores dos benefícios previdenciários.
Para a produção da presente avaliação atuarial foi informado o valor de R$745.598.526,86 como o somatório dos bens e direitos vinculados ao Plano Previdenciário, posicionado em 31/12/2018 e, em
consonância, com o Demonstrativo de Aplicações e Investimentos dos Recursos – DAIR –, relativo ao mês de dezembro do exercício anterior ao da realização da avaliação atuarial.
No entanto, o Plano Previdenciário possuía contabilizado, em 2018, o valor de R$3.436.796,53 a título de Fundo Administrativo, que deverá ser deduzido do valor constante do DAIR a fim de que se possa
obter o valor do ativo disponível para a finalidade previdenciária. Assim, o valor do ativo a ser considerado na presente avaliação atuarial é R$742.161.730,33.
O referido patrimônio será comparado às provisões matemáticas para se apurar o resultado técnico do Plano. Entende-se por provisão matemática o montante calculado atuarialmente, em determinada data, que
expressa, em valor presente, o total dos recursos necessários ao pagamento dos compromissos do plano de benefícios ao longo do tempo, considerando também as contribuições futuras.
7.2. COMPENSAÇ ÃO FINANCE IR A
Para o presente caso, foi estimada uma COMPREV a receber no valor total de R$ 310.966.412,82, sendo composta em sua integralidade pela reserva matemática de benefícios a conceder (RMBaC).
Enquanto a COMPREV a pagar foi estimada no valor total de R$ 1.600.041,41, sendo integralmente composta pela estimativa dos dados dos exonerados do Ente Federativo, referente aos segurados ativos
(reserva matemática de benefícios a conceder – RMBaC).
Conclusivamente, o valor do saldo final relativo à estimativa de COMPREV para a Avaliação Atuarial 2019, data focal 31/12/2018, do Plano Previdenciário é positivo em R$ 309.366.325,18, logo, há mais
COMPREV a Receber (R$ 310.966.412,82) do que COMPREV a Pagar (R$ 1.600.087,63).
7.3. PROVISÕES M ATEM ÁTIC A S
As provisões matemáticas são calculadas com base na diferença entre o Valor Atual dos Benefícios Futuros – VABF dos diferentes benefícios cobertos pelo plano e o Valor Atual das Contribuições Futuras –
VACF do ente e segurados, de acordo com as alíquotas vigentes quando da realização da avaliação atuarial.
Para cálculo atuarial do VACF, considerou-se o plano de custeio atual, disposto na Lei Municipal n° 10.362, de 29/12/2011, na qual está definida alíquota contributiva do segurado em 11,00% e do Ente
Federativo em 22,00%, calculada sobre a remuneração de contribuição dos segurados ativos.
Assim, o resultado atuarial é obtido pela diferença entre o ativo garantidor dos compromissos do plano de benefícios e a provisão matemática, que se refere ao montante atualmente necessário para fazer jus aos
benefícios futuros cobertos pelo Plano.
Com base no referido plano de custeio e nos benefícios cobertos pelo RPPS-BH, bem como nos regimes financeiros, métodos de financiamento, hipóteses atuariais e premissas adotados e ainda nas
informações cadastrais e financeiras, apurou-se os seguintes valores, posicionados na data focal da avaliação atuarial, qual seja em 31/12/2018.
12

Dom5851.indd 15 06/09/2019 19:47:40


BELO HORIZONTE
16 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

TABELA 8. PROVISÕES MATEMÁTICAS


Resultados Geração atual Geração futura Consolidado

Ativo Real Líquido do Plano (1 = a + b) R$ 742.161.730,33 R$ 0,00 R$ 742.161.730,33

Aplicações e Recursos - DAIR (a) R$ 742.161.730,33 R$ 0,00 R$ 742.161.730,33

Dívidas Reconhecidas (b) R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

Plano Previdenciário (2 = 3 - 6) R$ 795.395.287,72 -R$ 228.916.264,04 R$ 795.395.287,72

Provisões Matemáticas (3 = 4 + 5) R$ 795.395.287,72 -R$ 228.916.264,04 R$ 795.395.287,72

Benefícios Concedidos (+) (4) R$ 10.980.419,73 R$ 0,00 R$ 10.980.419,73

Benefícios a Conceder (+) (5) R$ 784.414.867,99 -R$ 228.916.264,04 R$ 784.414.867,99

Saldo de COMPREV2 (-) R$ 309.366.325,18 R$ 0,00 R$ 309.366.325,18

Plano de Amortização (6) R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

Resultado Atuarial [+/(-)] (7 = 1 - 2) -R$ 53.233.557,39 R$ 228.916.264,04 -R$ 53.233.557,39


Em sequência, de forma comparativa aos exercícios anteriores, tem-se os seguintes resultados do Plano
.
TABELA 9. ANÁLISE COMPARATIVA COM OS ÚLTIMOS EXERCÍCIOS
Resultados 2017* 2018 2019

Ativo Real Líquido do Plano (1 = a + b) R$ 381.925.555,91 R$ 533.801.012,09 R$ 742.161.730,33

Aplicações e Recursos - DAIR (a) R$ 381.925.555,91 R$ 533.801.012,09 R$ 742.161.730,33

Dívidas Reconhecidas (b) R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

Plano Previdenciário (2 = 3 - 6) R$ 376.458.769,81 R$ 501.649.336,06 R$ 795.395.287,72

Provisões Matemáticas (3 = 4 + 5) R$ 376.458.769,81 R$ 501.649.336,06 R$ 795.395.287,72

Benefícios Concedidos (+) (4) R$ 5.156.252,80 R$ 5.576.859,48 R$ 10.980.419,73

Benefícios a Conceder (+) (5) R$ 371.302.517,01 R$ 496.072.476,58 R$ 784.414.867,99

Saldo de COMPREV (-) R$ 62.268.283,53 R$ 237.416.929,12 R$ 309.366.325,18

Plano de Amortização (6) R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

Resultado Atuarial [+/(-)] (7 = 1 - 2) R$ 5.466.786,10 R$ 32.151.676,03 -R$ 53.233.557,39


Evolução do Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas IC =
101,45% 106,41% 93,31%
(a / 3)

* Dados extraídos dos respectivos DRAA cadastrados no site da SPREV.

GRÁFICO 1. EVOLUÇÃO ANUAL DO AT IVO LÍQUIDO X PROVIS ÕES MATEMÁTICAS


900,00
Milhões

800,00
700,00
600,00
500,00
400,00
300,00
200,00
100,00
0,00
2017 2018 2019

Ativo Líquido Provisão Matemática


Pela análise do Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas (ICPM) é possível aferir qual o comportamento das provisões matemáticas versus o do ativo do RPPS, identificando se o nível destas reservas está
coberto pelo ativo (aplicações e investimentos) que o RPPS possui, historicamente. Logo, quanto mais próximo de 1,00 mais próximo do equilíbrio atuarial o RPPS estará.
Conclusivamente, é sempre recomendado que a evolução do Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas (ICPM) seja, ano a ano, positiva, o que demonstraria, desta forma, que o plano de custeio aplicado
está aderente e adequado ao crescimento das reservas matemáticas, bem como que o ativo do RPPS está igualmente crescendo de acordo com as projeções realizadas anteriormente.
Assim, analisando as três últimas avaliações atuariais realizadas, depreende-se que o Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas (IC PM) deste RPPS-BH passou de 101,45% no exercício de 2016 para
106,41% no exercício de 2017 e, finalmente, para 93,31% no exercício de 2018, o que representa uma variação negativa de 8,14% neste período, haja vista a elevação do passivo atuarial, observadas as perdas atuariais
apuradas tanto pela alteração de hipóteses e modelagem atuarial quanto por alterações cadastrais, conforme melhor descrito a seguir.
Ademais, em relação a cobertura das provisões matemáticas e considerando somente o patrimônio constituído como ativo, verifica-se a cobertura integral da reserva de benefícios concedidos (inativos) e uma
cobertura de 93,21% da reserva matemática de benefícios a conceder (ativos).
No que ainda concerne ao ativo garantidor do Plano, observa-se uma elevação na ordem de aproximadamente 39,03% em relação ao ano anterior, auxiliada em grande parte pela rentabilidade da carteira de
investimentos auferida pelo Plano Previdenciário no decorrer do ano de 2018 superior à meta atuarial, bem como pela receita arrecadada das contribuições previdenciárias.
Sabe-se que o retorno financeiro sobre o patrimônio constituído é fonte extremamente relevante no contexto atuarial, razão pela qual deve-se sempre buscar atingir a meta estipulada na política de investimento
do Regime, sob pena de que haja um descolamento entre a evolução do passivo atuarial e o patrimônio do Plano, podendo redundar em uma piora do resultado atuarial apurado.
Referente à estimativa de COMPREV, o valor se manteve em um patamar próximo ao que vinha sendo estimado nas Avaliações Atuariais anteriores.
Em contrapartida, tem-se como fator negativo, a assunção dos benefícios de auxílio-doença, salário-maternidade, auxílio-reclusão e salário-família pelo RPPS, os quais eram mantidos pelo tesouro municipal
até então. Trata-se de benefícios estruturados em regime de repartição simples e que representaram um custo de 1,55%, gerando uma perda atuarial de aproximadamente R$ 85.6 milhões. A inclusão destes benefícios se
traduz em uma piora no resultado, uma vez que parte da receita oriunda das contribuições necessita ser destinada para o pagamento destes benefícios de curto prazo, fazendo com que sobrem menos recursos para serem
capitalizados e formarem a reserva matemática necessária ao Plano de Benefícios BHPREV.
A adequação do modelo atuarial à realidade operacional e legislativa do RPPS quanto à concentração das despesas administrativas do RPPS gerou ainda a elevação do percentual destinado à tais despesas,
passando de 0,4% para 0,85%, o que acarretou numa perda atuarial de aproximadamente R$ 26 milhões.
Outro aspecto de grande relevância que acarretou em elevação do passivo atuarial foi a adequação da hipótese relativa ao tempo médio de abono de permanência, passando de 3 anos para 1,4 anos em média, o
que gerou uma elevação de aproximadamente R$94 milhões no passivo.
Adicionalmente, a variação salarial dos segurados acima do estimado no exercício, em função da implementação de novo plano de cargos e salários, que implicou em uma perda atuarial de aproximadamente
R$50.5 milhões, enquanto que o ingresso de novos segurados por meio de concurso público ensejaram na elevação das provisões matemáticas em aproximadamente R$10.6 milhões.
Outros fatores também influenciaram em menor grau na elevação das provisões, dentre eles a variação dos benefícios acima do esperado no modelo atuarial (perda atuarial R$1,1 milhões) e novos benefícios de
riscos concedidos ao longo do exercício (perda atuarial de R$3,1 milhões).
Como ganho atuarial, identificou-se a adequação da taxa de juros, como hipótese atuarial, passando de 5,10% em 2018 para 5,45% em 2019, gerando uma redução das provisões matemáticas de R$223 milhões
aproximadamente.
No que se refere aos inativos e pensionistas, observou-se uma elevação na reserva matemática de benefícios concedidos (RMBC) de R$5.403.560,25, em sua grande parte, em razão da concessão de 9
benefícios de aposentadoria e 3 benefícios de pensão por morte ao longo do ano de 2018 e também do aumento no valor médio dos benefícios de aposentadoria em 16,41% e de pensão por morte em 15,08%, acarretando em
um aumento de R$17.514,26 mensais (ou 26,95%) na folha de benefícios do Plano Previdenciário.

2 COMPREV já considerada na composição das Provisões Matemáticas. A COMPREV apresentada está composta do saldo resultante entre a diferença estimada dos valores a receber e os valores a pagar,
conforme explanado no item 7.2 do presente Relatório.
14

Dom5851.indd 16 06/09/2019 19:47:40


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 17

Ante o exposto, o resultado apurado para a presente avaliação atuarial remontou a um déficit atuarial no valor de R$ 53.233.557,39, considerado as alíquotas normais de contribuição de 11,00% dos segurados e
de 22,00% do Ente Federativo, bem como o aumento do ativo garantidor, a receita decorrente das alíquotas de contribuição, o saldo de compensação financeira, as adequações procedidas às hipóteses atuariais e premissas e
as características da massa segurada.
Por fim, no que se refere à situação financeira do Plano Previdenciário, quando analisadas as despesas médias e as receitas médias oriundas apenas das contribuições normais patronal e dos servidores ativos e
inativos ao longo de 2018, depreende-se um superávit financeiro de R$12.964.563,10 frente às despesas com os benefícios. Ou seja, atualmente o nível médio de sobra da receita representa 99,52% da arrecadação total,
sendo 0,48% desta consumidos pelos benefícios dos atuais inativos (aposentados e pensionistas), conforme dados que seguem.

TABELA 10. SITUAÇÃO FINANCEIRA DO PLANO PREVIDENCIÁRIO


DESCRIção Média Mensal3

Repasse Patronal R$ 8.675.311,37

Contribuição Ativos R$ 4.351.423,67

Contribuição Inativos R$ 956,91

Receita Total R$ 13.027.691,95

Despesas Previdenciárias (benefícios) R$ 60.148,82

Sobra Financeira R$ 12.964.563,10

Destaca-se ainda que a hipótese atuarial de novos entrados (Geração Futura) foi estimada na presente avaliação atuarial e apresentou isoladamente um resultado de superávit atuarial de R$ 228.916.264,04.
Com isto, subentende-se que as receitas de contribuições geradas pelo grupo futuro serão superiores às despesas, sendo todos estes valores avaliados conforme as premissas consideradas e já explanadas anteriormente.
No entanto, cabe ressalvar novamente, que os valores da avaliação dos futuros servidores (hipótese de novos entrados) em nada influenciam os resultados e, por conseguinte, o plano de custeio da geração atual,
conforme determinado pela legislação em vigor.

7.4. SENSIB ILIDADE À TAXA S DE JUROS


Conforme mencionado no capítulo destinado às hipóteses atuariais, a taxa de juros expressa o valor para a taxa de retorno esperada acima da inflação nas aplicações dos recursos do Plano Previdenciário,
tratando-se da expectativa de rentabilidade real.
Esta hipótese é utilizada para descontar as obrigações futuras do plano de benefícios junto aos segurados. Com isso, quanto maior a expectativa da taxa de juros a ser alcançada, menor será o valor dos encargos
futuros, pois há dessa forma, a presunção de maior retorno nas aplicações dos recursos do plano.
Assim, para análise comparativa ao resultado atuarial apurado na presente avaliação, segue abaixo demonstrado os resultados obtidos se consideradas as taxas de 4,45% e 3,95% de juros ao ano.

TABELA 11. VARIAÇÃO DO RESULTADO EM FUNÇÃO DA TAXA DE JUROS

Resultados 5,45% 4,45% 3,95%

Ativo Real Líquido do Plano R$ 742.161.730,33 R$ 742.161.730,33 R$ 742.161.730,33

Provisões Matemáticas R$ 795.395.287,72 R$ 992.510.862,77 R$ 1.113.193.607,23

Benefícios Concedidos (+) R$ 10.980.419,73 R$ 12.421.652,32 R$ 13.272.826,45

Benefícios a Conceder (+) R$ 784.414.867,99 R$ 980.089.210,45 R$ 1.099.920.780,78

Plano de Amortização (-) R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

Resultado Atuarial [+/(-)] -R$ 53.233.557,39 -R$ 250.349.132,44 -R$ 371.031.876,90

Da tabela acima, depreende-se um impacto significativo nos resultados em função da variação da taxa de juros, haja vista se tratar de cálculos de longo prazo. A redução da meta atuarial eleva
significativamente o déficit técnico.
As análises demonstram o quão sensíveis são os passivos atuariais às variações na hipótese de taxa de juros.

8. PLANO DE CUSTEIO
Define-se plano de custeio as fontes de recursos necessárias para o financiamento dos benefícios oferecidos pelo plano de benefícios e taxa de administração, representadas pelas alíquotas de contribuições
previdenciárias a serem pagas pelo ente federativo, pelos servidores ativos e inativos e pelos pensionistas ao respectivo RPPS e aportes necessários ao atingimento do equilíbrio financeiro e atuarial, com detalhamento do
custo normal e suplementar.
Pelo exposto e embasado nas diretrizes da Portaria nº 464/2018, a LUMENS ATUARUAL elaborou a Avaliação Atuarial com o objetivo de apurar os encargos previdenciários para subsidiar tecnicamente o
Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH.
8.1. ALÍQUOTAS DE CUSTE IO NORMAL V IGE NTES EM LE I
Inicialmente, cumpre lembrar que o plano de custeio atual está definido na Lei Municipal n° 10.362, de 29 de dezembro de 2011, conforme demonstrado a seguir.

TABELA 12. ALÍQUOTAS DE CUSTEIO NORMAL VIGENTES EM LEI


Categorias Alíquota Vigente %

Ente Federativo 21,14%

Custeio Administrativo 0,86%

Ente Federativo – Total 22,00%

Segurados Ativos 11,00%

Aposentados 11,00%

Pensionistas 11,00%

Total 33,00%

8.2. ALÍQUOTAS DE CUSTE IO NORMAL, C ALCULADAS P OR BENEFÍC IO E CUSTE IO ADM IN ISTR AT IVO
Em sequência, tendo em vista os resultados apurados, considerando os regimes financeiros, métodos de financiamento e hipóteses atuariais e premissas adotados, informa-se abaixo as alíquotas de custeio
normal do Plano Previdenciário, calculadas por benefício e o custeio administrativo.

TABELA 13. ALÍQUOTAS DE CUSTEIO NORMAL, CALCULADAS POR BENEFÍCIO


Categorias Alíquota Calculada %

Aposentadoria Programada 24,30%

Aposentadoria por Invalidez 1,56%

Pensão por Morte de Ativo 1,43%

Reversão em Pensão de Aposentadoria Programada 3,16%

Reversão em Pensão de Aposentadoria por Invalidez 0,13%

Auxílio-Doença 0,47%

3 Média mensal considerando o último exercício.


15

Dom5851.indd 17 06/09/2019 19:47:41


BELO HORIZONTE
18 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Categorias Alíquota Calculada %

Salário-Maternidade 1,08%

Auxílio-Reclusão 0,00%

Salário-Família 0,00%

Custeio Administrativo 0,86%

Total 33,00%

8.3. ALÍQUOTAS DE CUSTE IO NORMAL A CONSTAREM E M LE I


Por fim, com relação ao plano de custeio a constar em lei, depreende-se a manutenção das alíquotas de custeio normal, conforme apresentado a seguir.

TABELA 14. ALÍQUOTAS DE CUSTEIO NORMAL A CONSTAREM EM LEI


Categorias Alíquota a Vigorar %

Ente Federativo 21,14%

Custeio Administrativo 0,86%

Ente Federativo – Total 22,00%

Segurados Ativos 11,00%

Aposentados 11,00%

Pensionistas 11,00%

Total 33,00%

No caso de o Município de Belo Horizonte (MG) optar por aplicar alíquotas normais patronais diferenciadas com base na vinculação dos servidores ao quadro geral e ao magistério, segue abaixo as alíquotas de
equivalência, considerando o método de financiamento atuarial aplicado na presente Avaliação Atuarial.

TABELA 15. ALÍQUOTAS DE CUSTEIO NORMAL PATRONAL, POR VINCULAÇÃO


Categorias Alíquota a Vigorar %

Quadro Geral 15,69%

Magistério 29,91%

9. EQUACIONAMENTO DO DÉFICIT ATUARIAL


Para a sustentação do equilíbrio financeiro e atuarial do Plano de Benefícios do Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH, faz-se
necessário que o déficit técnico atuarial apurado no Plano Previdenciário seja coberto e, por conseguinte, o plano de amortização implementado em lei, por meio de alíquotas de contribuição suplementar ou aportes
periódicos de recursos, conforme alternativas apresentadas a seguir.
Insta salientar que no caso do pagamento realizado por meio da alíquota de contribuição suplementar, o recurso correspondente será considerado como gasto de pessoal e, portanto, o Poder Executivo não
poderá ultrapassar, no exercício financeiro, o limite de 54% da receita corrente líquida apurada no mesmo período.
Situação contrária será observada no caso do pagamento realizado por meio de aporte periódico de recursos, em que a despesa não integrará o gasto de pessoal e na qual o Regime deverá observar os
parâmetros da Portaria nº. 746/2011.

9.1. ALTERNAT IVA 1 – PLANO DE AMOR TIZ AÇ ÃO COM ALÍQUOTA SUPLEME NTAR CONSTANTE
O déficit atuarial apurado poderá ser equilibrado por meio da instituição de alíquota suplementar constante de 0,58% (observar arredondamentos), conforme apresentado na tabela que segue. Nesta
metodologia, é considerada a evolução da folha salarial dos servidores ativos na exata medida da previsão adotada na hipótese de crescimento salarial anual real (acima da inflação), ou seja, é cristalino que a folha terá
anualmente um incremento, seja pelo ingresso de novos servidores em substituição aos atuais, seja pelos reajustes anuais, ou seja, pelas progressões inerentes ao plano de cargos e salários do Município de Belo Horizonte
(MG), traduzidas e contempladas na aludida hipótese atuarial. Outrossim, considerou-se o prazo máximo de 35 anos permitido por norma específica.

TABELA 16. PARÂMETROS DE CÁLCULO


Item Descrição
Folha Salarial Anual – 2018 R$ 423.170.597,72
Taxa de Crescimento Salarial anual 2,44%
Prazo de Financiamento (anos) 35

TABELA 17. PLANO DE AMORTIZAÇÃO – EVOLUÇÃO DA ALÍQUOTA CONSTANTE

Ano Saldo devedor Pagamento anual Juros Folha salarial anual Alíquota sobre a folha

2019 R$ 53.233.557,37 R$ 2.514.276,57 R$ 2.901.228,88 R$ 433.495.960,30 0,58%


2020 R$ 53.620.509,68 R$ 2.575.624,92 R$ 2.922.317,78 R$ 444.073.261,73 0,58%
2021 R$ 53.967.202,54 R$ 2.638.470,17 R$ 2.941.212,54 R$ 454.908.649,32 0,58%
2022 R$ 54.269.944,91 R$ 2.702.848,84 R$ 2.957.712,00 R$ 466.008.420,36 0,58%
2023 R$ 54.524.808,07 R$ 2.768.798,35 R$ 2.971.602,04 R$ 477.379.025,82 0,58%
2024 R$ 54.727.611,76 R$ 2.836.357,03 R$ 2.982.654,84 R$ 489.027.074,05 0,58%
2025 R$ 54.873.909,57 R$ 2.905.564,14 R$ 2.990.628,07 R$ 500.959.334,66 0,58%
2026 R$ 54.958.973,50 R$ 2.976.459,91 R$ 2.995.264,06 R$ 513.182.742,42 0,58%
2027 R$ 54.977.777,65 R$ 3.049.085,53 R$ 2.996.288,88 R$ 525.704.401,34 0,58%
2028 R$ 54.924.981,00 R$ 3.123.483,21 R$ 2.993.411,46 R$ 538.531.588,73 0,58%
2029 R$ 54.794.909,25 R$ 3.199.696,21 R$ 2.986.322,55 R$ 551.671.759,50 0,58%
2030 R$ 54.581.535,60 R$ 3.277.768,79 R$ 2.974.693,69 R$ 565.132.550,43 0,58%
2031 R$ 54.278.460,50 R$ 3.357.746,35 R$ 2.958.176,10 R$ 578.921.784,66 0,58%
2032 R$ 53.878.890,25 R$ 3.439.675,36 R$ 2.936.399,52 R$ 593.047.476,20 0,58%
2033 R$ 53.375.614,40 R$ 3.523.603,44 R$ 2.908.970,98 R$ 607.517.834,62 0,58%
2034 R$ 52.760.981,95 R$ 3.609.579,36 R$ 2.875.473,52 R$ 622.341.269,79 0,58%
2035 R$ 52.026.876,10 R$ 3.697.653,10 R$ 2.835.464,75 R$ 637.526.396,77 0,58%
2036 R$ 51.164.687,74 R$ 3.787.875,84 R$ 2.788.475,48 R$ 653.082.040,85 0,58%
2037 R$ 50.165.287,39 R$ 3.880.300,01 R$ 2.734.008,16 R$ 669.017.242,65 0,58%
2038 R$ 49.018.995,54 R$ 3.974.979,33 R$ 2.671.535,26 R$ 685.341.263,37 0,58%
2039 R$ 47.715.551,47 R$ 4.071.968,82 R$ 2.600.497,56 R$ 702.063.590,20 0,58%
2040 R$ 46.244.080,20 R$ 4.171.324,86 R$ 2.520.302,37 R$ 719.193.941,80 0,58%

16

Dom5851.indd 18 06/09/2019 19:47:41


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 19

Ano Saldo devedor Pagamento anual Juros Folha salarial anual Alíquota sobre a folha

2041 R$ 44.593.057,71 R$ 4.273.105,19 R$ 2.430.321,65 R$ 736.742.273,98 0,58%


2042 R$ 42.750.274,17 R$ 4.377.368,96 R$ 2.329.889,94 R$ 754.718.785,46 0,58%
2043 R$ 40.702.795,16 R$ 4.484.176,76 R$ 2.218.302,34 R$ 773.133.923,83 0,58%
2044 R$ 38.436.920,73 R$ 4.593.590,67 R$ 2.094.812,18 R$ 791.998.391,57 0,58%
2045 R$ 35.938.142,24 R$ 4.705.674,28 R$ 1.958.628,75 R$ 811.323.152,32 0,58%
2046 R$ 33.191.096,71 R$ 4.820.492,74 R$ 1.808.914,77 R$ 831.119.437,24 0,58%
2047 R$ 30.179.518,75 R$ 4.938.112,76 R$ 1.644.783,77 R$ 851.398.751,51 0,58%
2048 R$ 26.886.189,76 R$ 5.058.602,71 R$ 1.465.297,34 R$ 872.172.881,04 0,58%
2049 R$ 23.292.884,39 R$ 5.182.032,62 R$ 1.269.462,20 R$ 893.453.899,34 0,58%
2050 R$ 19.380.313,97 R$ 5.308.474,21 R$ 1.056.227,11 R$ 915.254.174,48 0,58%
2051 R$ 15.128.066,87 R$ 5.438.000,98 R$ 824.479,64 R$ 937.586.376,34 0,58%
2052 R$ 10.514.545,54 R$ 5.570.688,21 R$ 573.042,73 R$ 960.463.483,93 0,58%
2053 R$ 5.516.900,06 R$ 5.903.392,76 R$ 300.671,05 R$ 983.898.792,93 0,60%
2054 R$ 0,00

Denota-se que com a tabela acima e considerando a evolução da folha salarial dos servidores ativos, é possível estabelecer um padrão de medida aceitável a fim de verificar se o plano de amortização, no seu
todo, apresenta alíquotas aceitáveis, tendo em vista que os pagamentos anuais (subdivididos em parcelas mensais) estão indexados à folha salarial já considerando uma evolução plausível, o que já permite uma visualização
mais coerente se a evolução proposta é factível e possível de ser adimplida pela Administração do Município, ao longo de todo o período.

9.2. ALTERNATIVA 2 – PLANO DE AMORTIZAÇÃO - SISTEMA PRICE


Alternativamente, pode-se promover o equacionamento do déficit atuarial apurado por meio do financiamento deste valor, considerado o Sistema Francês de Amortização – PRICE, a uma taxa de juros de
5,45% ao ano, pelo prazo de 35 anos (máximo permitido pela legislação), no qual serão necessários 420 aportes mensais de R$ 279.569,62, corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC, publicado pelo
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.
Diferentes prazos podem ser adotados. Entretanto, deve-se atentar quanto à necessidade de recursos para manutenção do equilíbrio financeiro, conforme pode ser observado nas projeções atuariais constantes
do presente Relatório.

10. RESULTADO ATUARIAL – PLANO FINANCEIRO


Estabelecida como alternativa ao plano de amortização, o Município de Belo Horizonte instituiu por meio da Lei Municipal n° 10.362, de 29/12/2011, a segregação da massa no RPPS-BH, que passou a constar
com dois planos de benefícios denominados Plano Previdenciário e Plano Financeiro, sendo que este último se refere aos servidores que ingressaram no Município, na condição de efetivo, anterior à data de corte, qual seja
29/12/2011.
Conforme orientações da Secretaria de Previdência, no intuito de avaliar o plano no longo prazo, foram apurados os montantes que se deveria ter no plano hoje para, contando com as contribuições futuras,
exista recursos suficientes no futuro para cobertura dos encargos. Tais valores foram apurados considerando taxa de juros de 0% ao ano em conformidade com as normas vigentes.

10.1. ATIVO GARANTIDORES E CRÉDITOS A RECEBER


Para desenvolvimento da presente avaliação atuarial considerou-se o montante de R$3.497.211,62 como o somatório dos recursos vinculados ao Plano Financeiro, posicionado em 31 de dezembro de 2018 em
conformidade com o Demonstrativo de Aplicações e Investimentos dos Recursos (DAIR) do último bimestre do ano de 2018 enviado à Secretaria de Previdência.

10.2. ENCARGOS, CONTRIBUIÇ ÕES FUTURAS E APORTE COMPLEMENTAR


Conforme mencionado, o resultado atuarial para o Plano Financeiro é obtido pela diferença entre o ativo real líquido, que representa os recursos garantidores do plano de benefícios, e o valor atual dos encargos
futuros líquidos das contribuições futuras.
Esse resultado representa o valor presente atuarial do recurso necessário a ser aportado pelo ente federativo para suportar as despesas previdenciárias depois de esgotado o patrimônio do plano.
Para cálculo atuarial do VACF, considerou-se o plano de custeio atual, disposto na Lei Municipal n° 10.362, de 29/12/2011, na qual está definida alíquota contributiva do segurado em 11,00% e do Ente
Federativo em 22,00%, calculada sobre o salário de contribuição dos segurados ativos.
Assim, com base no referido plano de custeio e nos benefícios cobertos pelo RPPS-BH, bem como nas informações financeiras e cadastrais encaminhadas, apurou-se os seguintes valores em 31 de dezembro de
2018.

TABELA 18. RESULTADOS – PLANO FINANCEIRO


Resultados 31/12/2018

Ativo Real Líquido do Plano (1 = a + b) R$ 3.497.211,62

Aplicações e Recursos - DAIR (a) R$ 3.497.211,62

Dívidas Reconhecidas (b) R$ 0,00

Benefícios Concedidos R$ 3.497.211,62

Benefícios do Plano R$ 21.796.128.785,69

Contribuições do Ente (-) R$ 0,00

Contribuições do Inativo (-) R$ 377.897.279,70

Contribuições do Pensionista (-) R$ 37.403.001,23

Compensação Previdenciária (-) R$ 0,00

Cobertura de Insuficiência Financeira (-) * R$ 21.377.331.293,14

Benefícios a Conceder R$ 55.652.117.931,56

Benefícios do Plano R$ 43.085.894.980,39

Contribuições do Ente (-) R$ 2.780.930.012,34

Contribuições do Ativo (-) R$ 2.567.485.308,87

Compensação Previdenciária (-) R$ 3.462.693.020,76

Cobertura de Insuficiência Financeira (-) * R$ 34.274.786.638,42

* Aporte Complementar do Ente para Cobertura de Insuficiência Financeira R$ 55.652.117.931,56

Ressalta-se que não foram apuradas estimativas de valor atual de compensação previdenciária a receber de servidores inativos, tendo em vista a inexistência de dados relativos aos tempos contributivos dos
mesmos.
Desse modo, caso as hipóteses atuariais venham a se confirmar ao longo do tempo, o Ente Federativo fará contribuições complementares de R$55.652.117.931,56 em valor nominal a título de aportes para
cobertura de insuficiência financeira. A distribuição de tais aportes pode ser observada no fluxo atuarial apresentado para o referido Plano Financeiro.
Por fim, no que se refere à situação financeira do Plano Financeiro, quando analisadas as despesas médias e as receitas médias oriundas apenas das contribuições normais patronal e dos servidores ativos e
inativos ao longo de 2018, depreende-se uma insuficiência financeira de R$43.350.035,25, conforme tabela a seguir:

Dom5851.indd 19 06/09/2019 19:47:42


BELO HORIZONTE
20 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

TABELA 19. SITUAÇÃO FINANCEIRA


Descrição Média Mensal4
Repasse Patronal R$ 27.594.421,58

Contribuição Ativos R$ 13.829.791,55


Contribuição Inativos R$ 2.295.416,82

Receita Total R$ 43.719.629,95v


Despesas Previdenciárias (benefícios) R$ 87.069.665,20
Insuficiência Financeira R$ 43.350.035,25

Relação (Receita / Despesas) 45,35%

Constata-se, do ponto de vista financeiro, uma piora percentual do Plano Financeiro se comparada a de um ano atrás, tendo sido agravada em razão de que parte maior da receita é consumida pelo aumento do
número de benefícios concedidos e dos próprios reajustes anuais dos benefícios em manutenção, acarretando, por conseguinte, uma redução das receitas de contribuições e elevação da folha de benefícios.
Entretanto, esta situação é esperada em um Plano Financeiro onde não há o ingresso de novos servidores ativos, mas tão somente a concessão de benefícios desse grupo, sendo a única saída o encerramento do
benefício ou a extinção do vínculo com o RPPS-BH sem que haja beneficiário para uma eventual pensão por morte.
Assim, recomenda-se que seja constantemente monitorada a relação entre receitas e despesas do Plano Financeiro do RPPS-BH.

10.3. PLANO DE CUSTE IO


Tendo em vista a estruturação do Plano Financeiro, financiado em regime de repartição simples, e considerando o plano de custeio vigente, equivalente a 11,00% para o servidor e 22,00% para o Ente
Federativo, depreende-se a manutenção das alíquotas de custeio normal, conforme tabelas abaixo:
TABELA 20. ALÍQUOTAS DE CUSTEIO NORMAL
Categorias Alíquota Vigente %
Ente Federativo 22,00%
Segurados Ativos 11,00%
Aposentados 11,00%
Pensionistas 11,00%
Total 33,00%
TABELA 21. ALÍQUOTAS DE CUSTEIO NORMAL, CALCULADAS POR BENEFÍCIO
Categorias Alíquota Calculada %
Aposentadoria Programada 26,33%
Aposentadoria por Invalidez 0,72%
Pensão por Morte de Ativo 0,65%
Reversão em Pensão de Aposentadoria Programada 4,67%
Reversão em Pensão de Aposentadoria por Invalidez 0,13%
Auxílio-Doença 0,15%
Salário-Maternidade 0,35%
Auxílio-Reclusão 0,00%
Salário-Família 0,00%
Custeio-Administrativo 0,00%
Total 33,00%

Vale destacar que, com relação ao grupo de segurados do plano financeiro, a despesa previdenciária evoluirá gradativamente, havendo, em determinado momento, a necessidade de elevação da contribuição
complementar do Ente Federativo dado que à medida que o número de servidores ativos reduzir e o de aposentados e pensionistas aumentar, o valor da arrecadação com a contribuição normal não será suficiente para arcar
com as despesas correntes.
No entanto, após essa primeira fase de evolução das despesas, esses gastos começarão a reduzir em função dos óbitos esperados. Com isso o custo previdenciário passará a ser decrescente, reduzindo
gradativamente até a completa extinção do grupo de segurados deste plano.

11. PARECER ATUARIAL


O presente Parecer Atuarial tem como finalidade apresentar a situação financeira e atuarial dos Planos de Benefícios administrados pelo Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do
Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH, observada a data focal 31 de dezembro de 2018, no que se refere à adequação da base cadastral e bases técnicas utilizadas, bem como à apuração dos resultados, o plano de
custeio e demais medidas necessárias ao equilíbrio do sistema, em consonância com as normas pertinentes vigentes.
Por sua vez, a Portaria nº 402/2008, pondera que o equilíbrio financeiro e atuarial é critério a ser observado para emissão de Certificado de Regularidade Previdenciária – CRP do Ente Federativo, razão pela
qual se impõe que os resultados apurados e o consequente plano de custeio apontado pela avaliação atuarial oficial entregue à Secretaria de Previdência sejam cumpridos e aplicados na prática tanto pelo Ente como pelo
RPPS.
Inicialmente ressalta-se que apesar da hipótese de novos entrados – para cada servidor que se aposenta, um novo servidor ingressa em seu lugar, de acordo com as características descritas deste relatório – ter
sido adotada neste estudo, o resultado apurado foi apenas a título demonstrativo, uma vez que em nada influenciou nas reservas matemáticas da geração atual e, portanto, para fins de definição do plano de custeio de
equilíbrio do RPPS-BH.
Referente a base cadastral, foram realizados testes de consistência que indicaram a necessidade de adequações anteriormente à realização dos estudos técnicos. Entretanto, insta salientar que os resultados e
conclusões apresentados são diretamente decorrentes dessas, bem como eventuais modificações significativas na massa de segurados ou nas características da referida massa acarretarão em alterações nos resultados de
reavaliações futuras.
Os regimes financeiros e os respectivos métodos de financiamento adotados são compatíveis com os benefícios assegurados e estão em conformidade com a norma vigente. Logo, não há perspectiva de
alteração significativa do plano de custeio, salvo se houver alteração significativa da massa de segurados ou alteração das bases técnicas e hipóteses adotadas.
As hipóteses e as bases técnicas utilizadas são adequadas à massa de segurados e de seus dependentes vinculados ao Plano de Benefícios. Contudo, estudos específicos de aderência e sensibilidade devem ser
realizados com frequência afim de aperfeiçoarem cada vez mais o sistema.
Em relação a compensação previdenciária, esclarece-se que a metodologia utilizada consta da respectiva Nota Técnica Atuarial.
Quanto aos ativos garantidores evidenciados, os valores estão em consonância com o Demonstrativo de Aplicações e Investimentos dos Recursos – DAIR, relativo ao mês de dezembro do exercício anterior ao
da realização da avaliação atuarial.
A variação do VABF e do VACF se justifica pela alteração da massa segurada, com o ingresso de novos segurados ativos e as entradas em benefício de aposentadoria e pensão por morte gerados no exercício
em estudo, bem como pela variação do nível médio das respectivas folhas de remuneração e proventos e ainda pela adequação das bases técnicas, dentre outras características, conforme melhor relatado a seguir.
Elaborado o balanço de ganhos e perdas atuariais, identificou-se como fator negativo, a assunção dos benefícios de auxílio-doença, salário-maternidade, auxílio-reclusão e salário-família pelo RPPS, os quais
eram mantidos pelo tesouro municipal até então. Trata-se de benefícios estruturados em regime de repartição simples e que representaram um custo de 1,37%, gerando uma perda atuarial de aproximadamente R$85.6
milhões. A inclusão destes benefícios se traduz em uma piora no resultado, uma vez que uma parte da receita oriunda das contribuições necessita ser destinada para o pagamento destes benefícios de curto prazo, fazendo
com que sobrem menos recursos para serem capitalizados e formarem a reserva matemática necessária ao Plano de Benefícios BHPREV.
A adequação do modelo atuarial à realidade operacional e legislativa do RPPS quanto à concentração das despesas administrativas do RPPS gerou ainda a elevação do percentual destinado a tais despesas,
passando de 0,4% para 0,85%, o que acarretou numa Perda Atuarial de aproximadamente R$26 milhões.
Outro aspecto de grande relevância que acarretou em elevação do passivo atuarial foi a adequação da hipótese relativa ao tempo médio de abono de permanência, passando de 3 anos para 1,4 anos em média, o
que gerou uma elevação de aproximadamente R$94 milhões no passivo.
Adicionalmente, a variação salarial dos segurados acima do estimado no exercício, haja vista implementação de novo plano de cargos e salários, gerou uma perda atuarial de aproximadamente R$50.5 milhões,
enquanto que o ingresso de novos segurados por meio de concurso público ensejaram na elevação das provisões matemáticas em aproximadamente R$ 10.6 milhões.
Outros fatores também influenciaram em menor grau na elevação das provisões, dentre eles a variação dos benefícios acima do esperado no modelo atuarial (perda atuarial R$ 1,1 milhões), novos benefícios de
riscos concedidos ao longo do exercício (perda atuarial de 3,1 milhões).
Como ganho atuarial, identificou-se a adequação da taxa de juros, como hipótese atuarial, passando de 5,10% em 2018 para 5,45% em 2019, gerando uma redução das provisões matemáticas de R$ 223
milhões aproximadamente.
O resultado apurado para a presente avaliação atuarial remontou a um déficit atuarial no valor de R$ 53.233.557,39, considerado as alíquotas normais de contribuição de 11,00% dos segurados e de 22,00% do
Ente Federativo, bem como o aumento do ativo garantidor, a receita decorrente das alíquotas de contribuição, o saldo de compensação financeira, as adequações procedidas às bases técnicas e as características da massa
segurada.

4 Média mensal considerando o último exercício.

18

Dom5851.indd 20 06/09/2019 19:47:42


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 21

Assim, para a sustentação do equilíbrio financeiro e atuarial do Plano de Benefícios do Plano Previdenciário, depreende-se a manutenção das alíquotas de custeio normal e faz-se necessário que o déficit técnico
atuarial apurado seja coberto e, por conseguinte, o plano de amortização implementado em lei, seja por meio de alíquotas de contribuição suplementar ou aportes periódicos de recursos, conforme uma das alternativas
apresentadas no relatório de avaliação atuarial.
Ademais, é possível de se promover o equacionamento do déficit atuarial apurado além das formas já apresentadas neste relatório. Contudo, é extremamente recomendado que, no caso de se propor solução
diversa às apresentadas, tal proposta seja formalmente encaminhada para análise do atuário responsável pelo plano de benefícios, a fim de que possa ser avaliada a viabilidade técnica e, em caso negativo, seja estabelecida
nova alternativa em conjunto com este RPPS e a administração do Ente.
No que concerne as três últimas avaliações atuariais realizadas, infere-se que o Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas (ICPM) deste RPPS-BH passou de 101,45% no exercício de 2016 para 106,41%
no exercício de 2017 e, finalmente, para 93,31% no exercício de 2018, o que representa uma variação negativa de 8,14% neste período, haja vista a elevação do passivo pelas causas já destacadas.
Dentre os diversos riscos do plano de benefícios, destaca-se a eventual dificuldade em se atingir a meta atuarial estabelecida, a implementação de um plano de cargos e salários distinto da hipótese adotada, e a
ocorrência de eventos em quantidade muito superior ao estimado, em virtude de alguma intercorrência externa ou até mesmo de uma causalidade inesperada (óbitos ou entradas em invalidez de servidores ativos, etc). Em
razão disso, o acompanhamento e análise comparativa entre as avaliações atuariais devem ser realizados periodicamente, promovendo-se os ajustes necessários.
Procedida a avaliação atuarial, é o nosso parecer que o Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Belo Horizonte (MG) – RPPS-BH, data focal 31/12/2018, tem
capacidade para honrar os compromissos junto aos seus segurados, se adotadas as indicações e recomendações constantes do presente parecer e do relatório de avaliação atuarial.
Belo Horizonte (MG), 28/03/2019.

Guilherme Walter Rafael Porto de Almeida


Atuário MIBA n° 2.091 Atuário MIBA n° 1.738
LUMENS ATUARIAL – Consultoria e Assessoria LUMENS ATUARIAL – Consultoria e Assessoria

Maria Luiza Silveira Borges


Atuária – MIBA nº 1.563
LUMENS ATUARIAL – Consultoria e Assessoria

ANEXO 1 – CONCEITOS E DEFINIÇÕES


A fim de oferecer mais subsídios para o acompanhamento da leitura e compreensão do presente estudo realizado pela LUMENS ATUARIAL, a seguir estão descritos uma série de conceitos e definições
inerentes ao relatório e ao assunto ora em comento.
a) Regime Próprio de Previdência Social: modelo de previdência social dos servidores públicos de cargo efetivo da União, dos Estados, do Distrito Federal e Municípios, e dos militares dos estados e do Distrito
Federal, incluídas suas autarquias e fundações.
b) Segurados: servidores regularmente inscritos no regime que podem usufruir de seus benefícios.
c) Segurados ativos: servidores de cargo de provimento efetivo, participantes do regime, em plena atividade profissional.
d) Dependentes: beneficiários com vínculo direto com os segurados regularmente inscritos no regime como dependentes destes.
e) Segurados assistidos (inativos ou aposentados e pensionistas): segurados, participantes do regime, em gozo de algum dos benefícios.
f) Remuneração de contribuição: remuneração sobre o qual será calculada a contribuição do segurado.
g) Provento de benefício: provento sobre o qual será calculado o benefício inicial do participante.
h) Ativo real líquido: exigível atuarial; bens, direitos e reservas técnicas do regime, líquidos dos exigíveis operacionais e fundos.
i) Meta atuarial: é a rentabilidade nominal mínima que o ativo líquido deve apresentar de forma a dar consistência ao plano de benefícios e ao plano de custeio.
j) Regime de Capitalização: o regime financeiro de capitalização possui uma estrutura técnica que consiste em determinar as contribuições necessárias e suficientes a serem arrecadadas ao longo do período laborativo
do segurado para custear a sua aposentadoria futura. Pressupõe a formação de reservas, pois as contribuições são antecipadas no tempo em relação ao pagamento do benefício.
k) Regime de Repartição de Capitais de Cobertura: para o regime de repartição de capitais de cobertura as receitas arrecadadas em um determinado período devem ser suficientes para cobrir toda a despesa gerada no
mesmo período até o fim de sua duração. Há formação de reservas apenas quando do fato gerador do benefício, sendo, reserva para benefícios concedidos.
l) Regime de Repartição Simples: para o regime de repartição simples, ou regime de caixa, as receitas arrecadadas em um determinado período devem ser suficientes para arcar com toda a despesa ocorrida neste
mesmo período, assim, as despesas esperadas para um exercício devem ser financiadas no mesmo exercício. Com isso, não há formação de reservas matemáticas de benefícios a conceder ou concedidos.
m) Provisão Matemática: diferença existente entre o valor atual dos benefícios futuros e valor atual das contribuições normais futuras, de acordo com os métodos e hipóteses atuariais adotados.
n) Provisão Matemática de Benefício a Conceder: diferença, calculada atuarialmente, entre o valor atual dos benefícios futuros a conceder e o valor atual das contribuições normais futuras.
o) Provisão Matemática de Benefícios Concedidos: diferença, calculada atuarialmente, entre o valor atual dos compromissos futuros concedidos dos segurados inativos e pensionistas, e o valor atual das contribuições
futuras dos respectivos segurados.
p) Custo normal: percentual calculado atuarialmente, destinado a custear o plano de benefícios do RPPS, em conformidade com o regime financeiro e método atuarial adotado.
q) Custo suplementar ou Contribuição Especial: montante ou percentual destinado a amortizar déficits ou insuficiências apuradas e levantadas em avaliação atuarial.
r) Segregação da massa: separação dos segurados vinculados ao RPPS em grupos distintos que integrarão o Plano Financeiro e o Plano Previdenciário.
s) Plano Previdenciário: Plano de Benefícios, estruturado em Regime de Capitalização, que possui como segurados os servidores efetivos do município que ingressaram após a data de corte da segregação de massas.
t) Plano Financeiro: Plano de Benefícios, estruturado em Regime de Repartição Simples, que possui como segurados os servidores efetivos com ingresso anterior à data de corte da segregação de massas, bem como os
aposentados e pensionistas existentes na data da referida segregação.
u) Reserva de Contingência: a reserva de contingência deverá ser constituída anualmente para o Plano Previdenciário através dos eventuais superávits apurados após encerramento dos exercícios superavitários. A
reversão desta reserva deverá ocorrer, obrigatoriamente, em casos de déficit técnico, apurado atuarialmente. Esta reserva não poderá exceder a 25% (vinte e cinco por cento) das Provisões Matemáticas do RPPS,
sendo estas a Reserva Matemática de Benefícios a Conceder – RMBaC e a Reserva Matemática de Benefícios Concedidos – RMBC.
v) Reserva Para Ajustes no Plano: a reserva para ajustes no plano deverá ser constituída através do superávit que exceder o limite estabelecido para a Reserva de Contingência. A Reversão, em contrapartida, deverá
ocorrer quando indicada por atuário responsável para modificações no plano de benefícios ou em caso de déficits quando exaurida a Reserva de Contingência.
w) Reserva para Oscilações de Riscos e Riscos Não Expirados: a reserva de riscos não expirados será constituída mensalmente pela diferença, quando positiva, entre a multiplicação da Alíquota de Contribuição pela
Folha de Remuneração dos Ativos e proventos dos Aposentados e Pensionistas e os benefícios pagos, para os benefícios calculados pelo regime de Repartição Simples.
x) Reserva de Benefícios a Regularizar: é a soma dos benefícios já concedidos e devidos, porém ainda não efetivamente pagos.

ANEXO 2 – ESTATÍSTICAS
Referente as estatísticas da massa, uma vez efetuadas as revisões e correções pertinentes, a seguir serão evidenciadas as principais características analisadas pela LUMENS ATUARIAL, por meio de gráficos e
tabelas, delineando o perfil dos servidores ativos, inativos e pensionistas. As observações do comportamento desses dados serviram para auxiliar na definição dos parâmetros do trabalho.

2.1 PLANO PREVIDENCIÁR IO


O Plano Previdenciário possuía um contingente de 11.963 segurados, distribuídos entre ativos, inativos e pensionistas, conforme apresentado na Tabela a seguir.

TABELA 22. DISTRIBUIÇÃO GERAL DA POPULAÇÃO


Quantidade Remuneração média (R$) Idade média
Situação da população coberta
Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 10267 1658 R$ 2.504,82 R$ 4.122,20 40,30 38,36

Aposentados por tempo de contribuição 6 0 R$ 2.136,75 R$ 0,00 51,50 -

Aposentados por idade 1 0 R$ 954,00 R$ 0,00 64,00 -

Aposentados - compulsória 0 1 R$ 0,00 R$ 954,00 0,00 74,00

Aposentados por invalidez 10 2 R$ 1.105,72 R$ 1.021,47 46,60 45,50

Pensionistas 7 11 R$ 2.332,64 R$ 1.894,70 32,43 37,55

Dom5851.indd 21 06/09/2019 19:47:43


BELO HORIZONTE
22 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

GRÁFICO 2. DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO DE ATIVOS, POR STATUS

- ã

GRÁFICO 3. DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO DE ASSISTIDOS, POR STATUS

%
%

De acordo com os gráficos acima, verifica-se que no presente estudo há 313,82 servidores ativos para cada assistido, considerado os aposentados e os pensionistas.

GRÁFICO 4. DISTRIBUIÇÃO GERAL DA POPULAÇÃO, POR SEXO

Merece destaque as características da população do sexo feminino, uma vez que o tempo de contribuição e a idade para aposentadoria são inferiores quando comparada as do sexo masculino, além de
apresentarem uma expectativa de vida mais elevada. Desse modo, uma população que apresente um quantitativo maior de mulheres em relação aos homens, será mais oneroso ao Regime.

GRÁFICO 5. DISTRIBUIÇÃO GERAL DA POPULAÇÃO, POR FAI XA ETÁRIA

é +

Na sequência, serão demonstrados os gráficos analíticos referentes à atual população de servidores ativos, aposentados e pensionistas deste Regime.

2.1.1 ESTATÍSTICAS DOS SERVIDORES ATIVOS


Os arquivos apresentaram 11.925 registros, sendo um para cada servidor efetivo ativo do Município de Belo Horizonte. As características que indicam a regularidade da carreira do servidor em relação à idade,
à remuneração, ao tempo de contribuição, ao tempo de espera, entre outras, são evidenciadas pelas várias visões apresentadas nesse estudo.

Dom5851.indd 22 06/09/2019 19:47:43


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 23

GRÁFICO 6. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S ATIVO S, POR S E XO

GRÁFICO 7. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S ATIVO S, POR F AI XA ETÁRIA

% % % %

é +

Em relação ao gráfico acima, verifica-se que cenário mais favorável ao plano de custeio será observado quando a maior parte dos servidores ativos estiverem compreendidos nas faixas etárias até 45 anos,
indicando que a minoria dos servidores apresentará risco iminente de aposentadoria.
Situação contrária será observada quando houver grande representatividade de servidores nas faixas etárias superiores a 46 anos, indicando uma maior proximidade aos requisitos de elegibilidade para
aposentadoria e, por conseguinte, um impacto na folha de benefícios do Regime, em razão de relevantes incrementos para os próximos exercícios.

GRÁFICO 8. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S ATIVO S, POR E STADO CIVIL


%
%

%
/ ã
% á
/

No que se refere a condição do segurado, quanto maior o percentual de servidores casados/união estável, maior a necessidade de se estimar a constituição de provisão matemática para o benefício de pensão por
morte na fase ativa dos servidores e, portanto, mais onerosos aos sistemas previdenciários quando comparados aos solteiros.

GRÁFICO 9. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S ATIVO S, POR F AI XA DE REMUNE RAÇÃO DE CONTRIBUI ÇÃO

%
% %
%
%
%
%

Referente as remunerações dos servidores ativos, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer natureza, cumpre ressaltar que não poderão exceder o subsídio mensal do Prefeito.

Cidade limpa não é


a que mais se varre.
É a que menos se suja.
21

Dom5851.indd 23 06/09/2019 19:47:43


BELO HORIZONTE
24 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

GRÁFICO 10. REMUNERAÇÃO MÉDIA DO S SEGURADOS ATIVOS, POR IDADE

$ .
$ .
$ .
$ .
$ .
$ .
$

Do gráfico acima depreende-se que as remunerações dos servidores ativos tendem a ser maiores nas idades mais próximas à aposentadoria, justificada pelas vantagens adquiridas ao longo do período laborativo
do servidor.

GRÁFICO 11. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS ATIVOS, POR T EMPO DE ESPERA PARA APOSENTADORIA

% %
%
%
%

é +

A distribuição deste gráfico demonstra que quanto maior o tempo de espera para aposentadoria e, por conseguinte, a representatividade dos segurados ativos nas faixas mais elevadas, o servidor ativo terá um
período maior de contribuição, favorecendo, portanto, o plano de benefícios do Regime.

GRÁFICO 12. TEMPO MÉDIO DE CONTR IBUIÇÃO DOS SEGURADOS ATIVOS

, ,

, ,

, ,

é çã é
No que concerne ao tempo médio de contribuição dos segurados ativos, verifica-se uma diferença a menor para as seguradas do sexo feminino quando comparado com o tempo médio de contribuição dos
segurados do sexo masculino. Característica já explicitada anteriormente.
2.1.2. ESTATÍSTICAS DOS SERVIDORES INATIVOS
Os arquivos contemplaram as informações de 20 inativos vinculados ao Regime e suas características estão a seguir demonstradas.

GRÁFICO 13. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS INATIVOS, POR SE XO

15%

Feminino
Masculino

85%

GRÁFICO 14. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS INATIVOS, POR FAIXA ETÁRIA
10
9 100% 100%
95% 95%
8 80%
7
65%
6
5 45%
4
3
2
1
0
Até 50 51 a 55 56 a 60 61 a 65 66 a 70 71 a 75 75 +

22

Dom5851.indd 24 06/09/2019 19:47:44


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 25

Segundo o gráfico acima, é possível observar que segurados inativos com idade inferior a 50 anos representam as aposentadorias por invalidez, indicando, desse modo, um cenário desfavorável ao Regime, haja
vista a necessidade de custear tais benefícios por um período mais longo.

GRÁFICO 15. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS INATIVOS, POR FAIXA DE BENE FÍCIO

14
95% 95%
100%
12 90%
80%
10 70%
65%
8
6
4
2
0
Até 1000 1001 a 1501 a 2001 a 2501 a 3001 a 3500 +
1500 2000 2500 3000 3500
Em relação aos proventos, aplica-se o mesmo limite constitucional explicitado no caso dos ativos, sendo o Regime responsável por arcar com esses custos até sua extinção ou da respectiva reversão em pensão
por morte.

GRÁFICO 16. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS INATIVOS, POR TIPO DE BENEFÍCIO

.
%
- ó
%

%
%

Relativo ao tipo de benefício, o gráfico supra indica que quanto maior o percentual de servidores que se aposentaram por invalidez, maior será o custo para o Regime, corroborando com as razões já
especificadas.

2.1.3. ESTATÍSTICAS DOS PENSIONISTAS


O arquivo apresentou informações para 18 pensionistas distribuídos em grupos familiares e o resumo das informações se encontra detalhado abaixo.

GRÁFICO 17. DISTRIBUIÇÃO DE PENSIONISTA, POR SE XO

39%
Feminino
Masculino
61%

GRÁFICO 18. DISTRIBUIÇÃO DE PENSIONISTAS, POR FAIXA ETÁRIA

8
100% 100%
7
89%
6 78%
5 67%
56%
4
39%
3
2
1
0
Até 24 25 a 35 36 a 45 46 a 55 56 a 65 66 a 75 75 +
Conforme verifica-se no gráfico acima, benefícios compreendidos na primeira faixa etária representam os filhos menores em gozo de pensão temporária e, portanto, uma parcela dos benefícios concedidos, cuja
maioria dos dependentes receberão benefícios vitalícios.

Dom5851.indd 25 06/09/2019 19:47:44


BELO HORIZONTE
26 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

GRÁFICO 19. DISTRIBUIÇÃO DE PENSIONISTA, POR FAIXA DE BENEFÍCIO

6
100%
5
83%
4 67% 67%
56%
3

2 28% 28%

0
Até 1000 1001 a 1300 1301 a 1600 1601 a 1900 1901 a 2200 2201 a 2700 2700 +
Importante ressaltar que no caso das pensões podem ocorrer valores inferiores ao salário mínimo, por constar mais de um dependente na mesma hierarquia genealógica.
2.1.4. ANÁLISE COMPARATIVA
TABELA 23. ANÁLISE COMPARATIVA POR QUANTIDADE DE SEGURADOS
Quantidade

Situação da população coberta 2018 2019

Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 9181 1472 10267 1658

Aposentados por tempo de contribuição 1 0 6 1

Aposentados por idade 0 0 1 0


Aposentados - compulsória 0 1 0 1
Aposentados por invalidez 5 1 10 1
Pensionistas 6 7 7 11
TABELA 24. ANÁLISE COMPARATIVA POR IDADE
Idade média

2018 2019
População coberta

Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 39,47 37,64 40,30 38,36


Aposentados por tempo de contribuição 58,00 - 51,50 37,00
Aposentados por idade - - 64,00 -
Aposentados - compulsória - 73,00 - 74,00
Aposentados por invalidez 47,00 53,00 46,60 54,00
Pensionistas 35,83 30,43 32,43 37,55
TABELA 25. ANÁLISE COMPARATIVA POR REMUNERAÇÃO MÉDIA
Remuneração média

Situação da população coberta 2018 2019

Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos R$ 2.302,68 R$ 3.804,32 R$ 2.504,82 R$ 4.122,20


Aposentados por tempo de contribuição R$ 2.230,37 - R$ 2.136,75 R$ 954,00
Aposentados por idade - - R$ 954,00 -
Aposentados - compulsória - R$ 937,00 - R$ 954,00
Aposentados por invalidez R$ 1.061,14 R$ 1.088,93 R$ 1.105,72 R$ 1.088,93
Pensionistas R$ 1.942,99 R$ 1.667,16 R$ 2.332,64 R$ 1.894,70

2.2. PLANO FINANCEIRO


Já o Plano Financeiro possuía um contingente de 39.594 segurados, distribuídos entre ativos, inativos e pensionistas, conforme apresentado na Tabela a seguir.

TABELA 26. DISTRIBUIÇÃO GERAL DA POPULAÇÃO


Quantidade Remuneração média (R$) Idade média
Situação da população coberta
Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 15385 6125 R$ 4.483,55 R$ 5.177,93 48,79 46,77

Aposentados por tempo de contribuição 10437 2444 R$ 4.919,32 R$ 5.603,87 65,09 72,35

Aposentados por idade 747 105 R$ 2.219,02 R$ 3.465,61 71,48 75,33

Aposentados - compulsória 99 41 R$ 2.131,19 R$ 2.590,37 79,06 79,63

Aposentados por invalidez 816 341 R$ 2.241,32 R$ 2.771,86 64,53 67,46

Pensionistas 2397 657 R$ 3.106,03 R$ 2.637,67 71,48 56,54

Dom5851.indd 26 06/09/2019 19:47:45


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 27

GRÁFICO 20. DISTRIBUIÇÃO GE RAL DA POPULAÇÃO, POR STATUS

- ã
%
-
%

De acordo com o gráfico acima, verifica-se que no presente estudo há 1,19 servidores ativos para cada assistido, considerado os aposentados e os pensionistas.

GRÁFICO 21. DISTRIBUIÇÃO GE RAL DA POPULAÇÃO, POR SE XO

Merece destaque as características da população do sexo feminino, uma vez que o tempo de contribuição e a idade para aposentadoria são inferiores quando comparada as do sexo masculino, além de
apresentarem uma expectativa de vida mais elevada. Desse modo, uma população que apresente um quantitativo maior de mulheres em relação aos homens, será mais oneroso ao Regime.

GRÁFICO 22. DISTRIBUIÇÃO GE RAL DA POPULAÇÃO, POR FAI XA E TÁRIA

é +

Na sequência, serão demonstrados os gráficos analíticos referentes à atual população de servidores ativos, aposentados e pensionistas deste Regime.

2.2.1. ESTATÍSTICAS DOS SERVIDORES ATIVOS


Os arquivos apresentaram 21.510 registros, sendo um para cada servidor efetivo ativo do Município de Belo Horizonte. As características que indicam a regularidade da carreira do servidor em relação à idade,
à remuneração, ao tempo de contribuição, ao tempo de espera, entre outras, são evidenciadas pelas várias visões apresentadas nesse estudo.

GRÁFICO 23. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS ATIVOS, POR SE XO

28 %

Feminino
Masculino

72%

25

Dom5851.indd 27 06/09/2019 19:47:45


BELO HORIZONTE
28 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

GRÁFICO 24. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS ATIVOS, POR F AIXA ETÁRIA

% %
%
%

%
%

é +

Em relação ao gráfico acima, verifica-se que cenário mais favorável ao plano de custeio será observado quando a maior parte dos servidores ativos estiverem compreendidos nas faixas etárias até 45 anos,
indicando que a minoria dos servidores apresentará risco iminente de aposentadoria.
Situação contrária será observada quando houver grande representatividade de servidores nas faixas etárias superiores a 46 anos, indicando uma maior proximidade aos requisitos de elegibilidade para
aposentadoria e, por conseguinte, um impacto na folha de benefícios do Regime, em razão de relevantes incrementos para os próximos exercícios.

GRÁFICO 25. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS ATIVOS, POR E STADO CIVIL

1%

3% So lt eiro
46% Casad o / União Est ável
50 % Desq uit ado / Sep arado
Viúvo

No que se refere a condição do segurado, quanto maior o percentual de servidores casados/união estável, maior a necessidade de se estimar a constituição de provisão matemática para o benefício de pensão por
morte na fase ativa dos servidores e, portanto, mais onerosos aos sistemas previdenciários quando comparados aos solteiros.

GRÁFICO 26. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS ATIVOS, POR F AIXA DE REMUNE RAÇÃO DE CONTRIBUIÇÃO
120 0 0
10 0 %
10 0 0 0
80 0 0
52%
600 0
37%
400 0 24 %
11%
20 0 0 2%
0%
0
At é 10 0 1 a 150 1 a 20 0 1 a 250 1 a 30 0 1 a 350 0 +
10 0 0 150 0 20 0 0 250 0 30 0 0 350 0
Referente as remunerações dos servidores ativos, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer natureza, cumpre ressaltar que não poderão exceder o subsídio mensal do Prefeito.

GRÁFICO 27. REMUNERAÇÃO MÉ DIA DOS SEGURADOS AT IVOS, POR IDADE

R$10 .0 0 0
R$8.0 0 0
R$6.0 0 0
R$4 .0 0 0
R$2.0 0 0
R$0
20 23 26 29 32 35 38 4 14 4 4 7 50 53 56 59 62 65 68
Feminino Masculino
Do gráfico acima depreende-se que as remunerações dos servidores ativos tendem a ser maiores nas idades mais próximas à aposentadoria, justificada pelas vantagens adquiridas ao longo do período laborativo
do servidor.

GRÁFICO 28. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADOS ATIVOS, POR T EMPO DE ESPERA DE AP OSENTADORIA

900 0
99% 10 0 %
80 0 0 9 3%
70 0 0 84%
73%
600 0
50 0 0 58 %
400 0 40 %
30 0 0
20 0 0
10 0 0
0
At é 5 6 a 10 11 a 15 16 a 20 21 a 25 26 a 3 0 30 +
A distribuição deste gráfico demonstra que quanto maior o tempo de espera para aposentadoria e, por conseguinte, a representatividade dos segurados ativos nas faixas mais elevadas, o servidor ativo terá um
período maior de contribuição, favorecendo, portanto, o plano de benefícios do Regime.

26
Dom5851.indd 28 06/09/2019 19:47:45
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 29

GRÁFICO 29. TEMPO MÉDIO DE CONTR I BUIÇÃO DOS SEGURADO S ATIVOS

TOTA L 24 ,22 9 ,5 2

FEMININO 24 ,3 4 7,3 9

MA SCULINO 23 ,9 0 14 ,8 8

Temp o méd io d e co ntrib uição Dif eriment o méd io


No que concerne ao tempo médio de contribuição dos segurados ativos, verifica-se uma diferença a menor para as seguradas do sexo feminino quando comparado com o tempo médio de contribuição dos
segurados do sexo masculino. Característica já explicitada anteriormente.
2.2.2. ESTATÍSTICAS DOS SERVIDORES INATIVOS
Os arquivos contemplaram as informações de 15.030 inativos vinculados ao Regime e suas características estão a seguir demonstradas.

GRÁFICO 30. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S INATIVOS, PO R SE XO

GRÁFICO 31. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S INATIVOS, PO R FAI XA ETÁRI A

400 0
10 0 %
350 0
84%
30 0 0
68%
250 0
20 0 0 46%
150 0
26 %
10 0 0
10 %
50 0 1%
0
At é 50 51 a 55 56 a 60 6 1 a 6 5 6 6 a 70 71 a 75 75 +
Segundo o gráfico acima, é possível observar que segurados inativos com idade inferior a 50 anos representam as aposentadorias por invalidez, indicando, desse modo, um cenário desfavorável ao Regime, haja
vista a necessidade de custear tais benefícios por um período mais longo.

GRÁFICO 32. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S INATIVOS, PO R FAI XA DE BENEFÍCIO

900 0
10 0 %
80 0 0
70 0 0
600 0
50 0 0
39 % 4 5%
400 0
32%
30 0 0 24 %
20 0 0 14 %
10 0 0 4%
0
At é 10 0 1 a 150 1 a 20 0 1 a 250 1 a 30 0 1 a 350 0 +
10 0 0 150 0 20 0 0 250 0 30 0 0 350 0
Em relação aos proventos, aplica-se o mesmo limite constitucional explicitado no caso dos ativos, sendo o Regime responsável por arcar com esses custos até sua extinção ou da respectiva reversão em pensão
por morte.
GRÁFICO 33. DISTRIBUIÇÃO DOS SEG URADO S INATIVOS, PO R TIPO DE BENEFÍCIO

%
%
% .

- ó

Relativo ao tipo de benefício, o gráfico supra indica que quanto maior o percentual de servidores que se aposentaram por invalidez, maior será o custo para o Regime, corroborando com as razões já
especificadas.
27

Dom5851.indd 29 06/09/2019 19:47:46


BELO HORIZONTE
30 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

2.2.3. ESTATÍSTICAS DOS PENSIONISTAS


O arquivo apresentou informações para 3.054 pensionistas distribuídos em grupos familiares e o resumo das informações se encontra detalhado abaixo.

GRÁFICO 34. DISTRIBUIÇÃO DE PENSIO NISTA, PO R SE XO

22%

Feminino
Masculino

78 %

GRÁFICO 35. DISTRIBUIÇÃO DE PENS IO NISTAS, PO R FAI XA ETÁRI A

14 0 0
10 0 %
120 0
10 0 0
80 0 59 %

600
35%
400 18 %
7% 8% 10 %
20 0
0
A t é 24 25 a 35 36 a 45 4 6 a 55 56 a 65 6 6 a 75 75 +
Conforme verifica-se no gráfico acima, benefícios compreendidos na primeira faixa etária representam os filhos menores em gozo de pensão temporária e, portanto, uma parcela dos benefícios concedidos, cuja
maioria dos dependentes receberão benefícios vitalícios.

GRÁFICO 36. DISTRIBUIÇÃO DE PENS IO NISTA, POR F AI XA D E BENEFÍCIO

10 0 0
10 0 %
80 0
71%
6 2% 66%
600 54 %
44%
400
21%
20 0

0
At é 10 0 0 10 0 1 a 13 0 1 a 16 0 1 a 19 0 1 a 220 1 a 270 0 +
13 0 0 16 0 0 19 0 0 220 0 270 0
Importante ressaltar que no caso das pensões podem ocorrer valores inferiores ao salário mínimo, por constar mais de um dependente na mesma hierarquia genealógica.
2.2.4. ANÁLISE COMPARATIVA
3. ANÁLISE COMPARATIVA POR QUANTIDADE DE SEGURADOS
Quantidade

Situação da população coberta 2018 2019

Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 16577 6376 15385 6125

Aposentados por tempo de contribuição 9649 2381 10437 2444

Aposentados por idade 628 88 747 105


Aposentados - compulsória 96 42 99 41
Aposentados por invalidez 806 345 816 341
Pensionistas 2384 638 2397 657
4. ANÁLISE COMPARATIVA POR IDADE
Idade média

2018 2019
Situação da população coberta

Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos 48,31 46,17 48,79 46,77


Aposentados por tempo de contribuição 64,95 72,46 65,09 72,35
Aposentados por idade 71,43 75,48 71,48 75,33
Aposentados - compulsória 78,25 78,45 79,06 79,63
Aposentados por invalidez 63,93 67,49 64,53 67,46
Pensionistas 71,08 54,65 71,48 56,54

28

Dom5851.indd 30 06/09/2019 19:47:46


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 31

5. ANÁLISE COMPARATIVA POR REMUNERAÇÃO MÉDIA


Remuneração média

Situação da população coberta 2018 2019

Sexo feminino Sexo masculino Sexo feminino Sexo masculino

Ativos R$ 4.236,63 R$ 4.861,19 R$ 4.483,55 R$ 5.177,93


Aposentados por tempo de contribuição R$ 4.655,63 R$ 5.284,64 R$ 4.919,32 R$ 5.603,87
Aposentados por idade R$ 1.895,23 R$ 3.039,36 R$ 2.219,02 R$ 3.465,61
Aposentados - compulsória R$ 1.789,87 R$ 2.195,00 R$ 2.131,19 R$ 2.590,37
Aposentados por invalidez R$ 2.150,06 R$ 2.692,27 R$ 2.241,32 R$ 2.771,86
Pensionistas R$ 2.744,63 R$ 2.321,06 R$ 3.106,03 R$ 2.637,67

ANEXO 3 – PROVISÕES MATEMÁTICAS A CONTABILIZAR


TABELA 27. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL
CONTA TÍTULO VALOR (R$) D/C
Sem Máscara ATIVO GARANTIDOR - PLANO FINANCEIRO (1) R$ 3.497.211,62
Sem Máscara Aplicações conforme DAIR - PLANO FINANCEIRO R$ 3.497.211,62
Sem Máscara Parcelamentos - PLANO FINANCEIRO R$ 0,00
Sem Máscara ATIVO GARANTIDOR - PLANO PREVIDENCIÁRIO (2) R$ 742.161.730,33
Sem Máscara Aplicações conforme DAIR - PLANO PREVIDENCIÁRIO R$ 742.161.730,33
Sem Máscara Parcelamentos - PLANO PREVIDENCIÁRIO R$ 0,00
2.2.7.2.1.00.00 PROVISÕES MATEMÁTICAS PREVIDÊNCIÁRIAS A LONGO PRAZO - CONSOLIDAÇÃO R$ 798.892.499,34 C
2.2.7.2.1.01.00 PLANO FINANCEIRO - PROVISOES DE BENEFICIOS CONCEDIDOS (3) R$ 3.497.211,62 C
2.2.7.2.1.01.01 (+) APOSENTADORIAS/PENSÕES/OUTROS BENEFÍCIOS CONCEDIDOS PLANO FIN. R$ 21.796.128.785,69 C
2.2.7.2.1.01.02 (-) CONTRIBUIÇÕES DO ENTE PARA O PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.01.03 (-) CONTRIBUIÇÕES DO APOSENTADO PARA O PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 377.897.279,70 D
2.2.7.2.1.01.04 (-) CONTRIBUIÇÕES DO PENSIONISTA PARA O PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 37.403.001,23 D
2.2.7.2.1.01.05 (-) COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DO PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.01.07 (-) COBERTURA DE INSUFICIÊNCIA FINANCEIRA R$ 21.377.331.293,14 D
2.2.7.2.1.02.00 PLANO FINANCEIRO - PROVISOES DE BENEFICIOS A CONCEDER (4) R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.02.01 (+) APOSENTADORIAS/PENSÕES/OUTROS BENEFÍCIOS A CONCEDER PLANO FIN. R$ 43.085.894.980,39 C
2.2.7.2.1.02.02 (-) CONTRIBUIÇÕES DO ENTE PARA O PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 2.780.930.012,34 D
2.2.7.2.1.02.03 (-) CONTRIBUIÇÕES DO ATIVO PARA O PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 2.567.485.308,87 D
2.2.7.2.1.02.04 (-) COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DO PLANO FINANCEIRO DO RPPS R$ 3.462.693.020,76 D
2.2.7.2.1.02.06 (-) COBERTURA DE INSUFICIÊNCIA FINANCEIRA R$ 34.274.786.638,42 D
2.2.7.2.1.03.00 PLANO PREVIDENCIARIO - PROVISOES DE BENEFICIOS CONCEDIDOS (5) R$ 10.980.419,73 C
2.2.7.2.1.03.01 (+) APOSENTADORIAS/PENSÕES/OUTROS BENEFÍCIOS CONCEDIDOS PLANO PREV. R$ 11.026.281,49 C
2.2.7.2.1.03.02 (-) CONTRIBUIÇÕES DO ENTE PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.03.03 (-) CONTRIBUIÇÕES DO APOSENTADO PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.03.04 (-) CONTRIBUIÇÕES DO PENSIONISTA PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 45.861,76 D
2.2.7.2.1.03.05 (-) COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DO PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.03.07 (-) APORTES FINANCEIROS PARA COBERTURA DO DÉFICIT ATUARIAL - PLANO DE AMORTIZAÇÃO R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.04.00 PLANO PREVIDENCIARIO - PROVISOES DE BENEFICIOS A CONCEDER (6) R$ 784.424.867,99 C
2.2.7.2.1.04.01 (+) APOSENTADORIAS/PENSÕES/OUTROS BENEFÍCIOS A CONCEDER PLANO PREV. R$ 3.105.192.148,62 C
2.2.7.2.1.04.02 (-) CONTRIBUIÇÕES DO ENTE PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 1.292.935.618,89 D
2.2.7.2.1.04.03 (-) CONTRIBUIÇÕES DO ATIVO PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 718.475.336,56 D
2.2.7.2.1.04.04 (-) COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DO PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS R$ 309.366.325,18 D
2.2.7.2.1.04.06 (-) APORTES PARA COBERTURA DO DÉFICIT ATUARIAL - PLANO DE AMORTIZAÇÃO R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.05.00 PLANO PREVIDENCIARIO - PLANO DE AMORTIZAÇÃO (7) R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.05.98 (-) OUTROS CRÉDITOS DO PLANO DE AMORTIZAÇÃO R$ 0,00 D
2.2.7.2.1.06.00 PROVISOES ATUARIAIS PARA AJUSTES DO PLANO FINANCEIRO (8) R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.06.01 PROVISÃO ATUARIAL PARA OSCILAÇÃO DE RISCOS R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.07.00 PROVISOES ATUARIAIS PARA AJUSTES DO PLANO PREVIDENCIARIO (9) R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.07.01 AJUSTE DE RESULTADO ATUARIAL SUPERAVITÁRIO R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.07.02 PROVISÃO ATUARIAL PARA OSCILAÇÃO DE RISCOS R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.07.03 PROVISÃO ATUARIAL PARA BENEFÍCIOS A REGULARIZAR R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.07.04 PROVISÃO ATUARIAL PARA CONTINGÊNCIAS DE BENEFÍCIOS R$ 0,00 C
2.2.7.2.1.07.98 OUTRAS PROVISÕES ATUARIAIS PARA AJUSTES DO PLANO R$ 0,00 C
RESULTADO ATUARIAL (SUPERÁVITI / DÉFICIT)
Sem Máscara PLANO FINANCEIRO - EQUILÍBRIO TÉCNICO ATUARIAL (10) = (1) - (3) - (4) - (8) R$ 0,00
Sem Máscara PLANO PREVIDENCIÁRIO - EQUILÍBRIO TÉCNICO ATUARIAL (11) = (2) - (5) - (6) + (7) - (9) -R$ 53.233.557,39

ANEXO 4 – PROJEÇÕES ATUARIAIS


4.1. PLANO PREVI DENCI ÁRIO
As projeções atuariais do Plano Previdenciário são desenvolvidas para estimar o fluxo de receitas previdenciárias, com contribuições e rentabilidade e despesas com a concessão e pagamento dos benefícios
cobertos pelo plano, observando a evolução demográfica da atual população de segurados (massa fechada), de acordo com as hipóteses adotadas, sendo que se pode depreender da tabela que segue a evolução, em termos de
quantidade e de valores anuais, dos novos benefícios que estão previstos para serem concedidos.
A metodologia adotada por esta consultoria apresenta o fluxo em valor presente, sendo possível, desta forma, a análise conjunta aos resultados da Avaliação Atuarial em relação à geração atual. Trata-se, pois,
de uma apresentação dos resultados atuariais de uma forma anualizada.
A utilização da geração atual para a realização das projeções permite uma análise dos valores de receitas e despesas esperadas sem a influência de futuros ingressos de servidores, dado que se trata de uma
hipótese de difícil previsão.
Como saldo inicial considera-se o ativo garantidor posicionado na data base dos cálculos. Ao referido valor são somadas as receitas e deduzidas as despesas anualmente. Considera-se também, caso haja, o
fluxo financeiro proveniente do financiamento das dívidas já confessadas, bem como da compensação financeira. Desta forma, é importante que se busque o recebimento dos referidos recursos para que a projeção atuarial
sirva como parâmetro para as políticas financeiras do Regime.
TABELA 28. PROJEÇÃO ATUARIAL DE RECEITAS E DEPESAS PREVIDENCIÁRIAS
Novos benefícios
Novos benefícios
Exercício (qtde. Ano / Repasse patronal Repasse segurados Despesa previdenciária Resultado previdenciário Saldo financeiro
(R$)
acumulado)
2019 0/0 0,00 86.296.838,98 43.148.419,49 2.023.347,17 127.421.911,30 869.583.641,63
2020 0/0 0,00 92.866.273,67 46.433.136,84 3.254.686,52 136.044.723,99 1.005.628.365,62
2021 1/1 8.889,56 89.950.396,12 44.975.198,06 4.068.248,07 130.857.346,11 1.136.485.711,73
2022 1/2 1.381,66 87.081.983,58 43.540.991,79 4.809.922,25 125.813.053,13 1.262.298.764,86

29

Dom5851.indd 31 06/09/2019 19:47:47


BELO HORIZONTE
32 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Novos benefícios
Novos benefícios
Exercício (qtde. Ano / Repasse patronal Repasse segurados Despesa previdenciária Resultado previdenciário Saldo financeiro
(R$)
acumulado)
2023 2/4 9.081,80 84.302.467,42 42.151.233,71 5.621.874,86 120.831.826,28 1.383.130.591,13
2024 240 / 244 623.851,06 81.569.255,56 40.784.627,78 11.390.648,00 110.963.235,34 1.494.093.826,48
2025 404 / 648 1.093.848,44 77.468.121,85 38.734.060,92 20.223.804,35 95.978.378,41 1.590.072.204,89
2026 517 / 1165 1.175.039,58 72.500.226,10 36.250.113,05 28.875.427,69 79.874.911,46 1.669.947.116,35
2027 740 / 1905 1.536.503,90 67.578.570,38 33.789.285,19 39.266.096,30 62.101.759,27 1.732.048.875,62
2028 628 / 2533 1.245.740,58 62.141.808,43 31.070.904,21 46.643.020,91 46.569.691,73 1.778.618.567,35
2029 564 / 3097 1.133.637,62 57.561.109,30 28.780.554,65 52.496.398,97 33.845.264,98 1.812.463.832,33
2030 666 / 3763 1.409.537,12 53.426.114,33 26.713.057,17 59.453.429,47 20.685.742,02 1.833.149.574,36
2031 496 / 4259 1.118.259,09 48.973.959,05 24.486.979,53 63.956.875,65 9.504.062,93 1.842.653.637,28
2032 459 / 4718 1.049.638,41 45.246.613,09 22.623.306,55 67.520.569,57 349.350,06 1.843.002.987,35
2033 480 / 5198 1.125.197,05 41.815.936,76 20.907.968,38 71.053.152,67 -8.329.247,53 1.834.673.739,82
2034 459 / 5657 1.119.244,64 38.416.965,83 19.208.482,91 74.065.121,80 -16.439.673,06 1.818.234.066,76
2035 460 / 6117 1.061.389,02 35.195.361,13 17.597.680,56 76.345.004,97 -23.551.963,28 1.794.682.103,48
2036 427 / 6544 1.133.003,87 32.218.765,62 16.109.382,81 78.580.062,34 -30.251.913,90 1.764.430.189,58
2037 479 / 7023 1.311.875,69 29.282.890,31 14.641.445,15 81.310.719,65 -37.386.384,19 1.727.043.805,39
2038 461 / 7484 1.235.323,76 26.219.360,48 13.109.680,24 83.198.449,25 -43.869.408,54 1.683.174.396,85
2039 501 / 7985 1.409.686,36 23.434.724,90 11.717.362,45 85.501.709,49 -50.349.622,14 1.632.824.774,71
2040 468 / 8453 1.389.020,34 20.543.830,43 10.271.915,22 87.257.989,10 -56.442.243,46 1.576.382.531,25
2041 495 / 8948 1.477.275,81 17.841.968,88 8.920.984,44 88.989.735,79 -62.226.782,46 1.514.155.748,79
2042 484 / 9432 1.693.974,25 15.167.746,48 7.583.873,24 91.125.328,14 -68.373.708,42 1.445.782.040,37
2043 419 / 9851 1.488.246,17 12.381.139,86 6.190.569,93 91.962.999,54 -73.391.289,75 1.372.390.750,63
2044 419 / 10270 1.530.141,72 10.023.855,26 5.011.927,63 92.587.836,67 -77.552.053,77 1.294.838.696,85
2045 398 / 10668 1.458.327,99 7.758.019,03 3.879.009,51 92.596.967,47 -80.959.938,93 1.213.878.757,92
2046 279 / 10947 1.041.698,11 5.716.887,61 2.858.443,80 90.821.918,51 -82.246.587,10 1.131.632.170,82
2047 235 / 11182 897.424,14 4.294.839,61 2.147.419,81 88.415.489,54 -81.973.230,12 1.049.658.940,70
2048 166 / 11348 678.946,78 3.130.517,11 1.565.258,56 85.222.811,52 -80.527.035,85 969.131.904,86
2049 151 / 11499 624.493,40 2.284.066,73 1.142.033,36 81.864.259,41 -78.438.159,32 890.693.745,53
2050 128 / 11627 501.586,41 1.553.927,95 776.963,98 78.195.087,52 -75.864.195,59 814.829.549,94
2051 100 / 11727 392.782,29 991.887,52 495.943,76 74.308.857,72 -72.821.026,45 742.008.523,49
2052 73 / 11800 227.096,13 570.175,04 285.087,52 70.083.688,17 -69.228.425,61 672.780.097,88
2053 40 / 11840 107.806,70 333.718,12 166.859,06 65.708.851,50 -65.208.274,32 607.571.823,56
2054 41 / 11881 116.149,20 222.659,13 111.329,57 61.531.994,91 -61.198.006,22 546.373.817,34
2055 19 / 11900 71.379,85 112.264,27 56.132,14 57.426.087,75 -57.257.691,35 489.116.125,99
2056 5 / 11905 9.367,98 47.519,12 23.759,56 53.357.626,06 -53.286.347,39 435.829.778,61
2057 5 / 11910 8.513,62 37.860,64 18.930,32 49.476.907,98 -49.420.117,01 386.409.661,59
2058 9 / 11919 23.257,16 29.469,26 14.734,63 45.808.679,03 -45.764.475,14 340.645.186,46
2059 5 / 11924 11.155,40 10.201,34 5.100,67 42.286.979,27 -42.271.677,25 298.373.509,21
2060 1 / 11925 1.811,77 1.380,57 690,28 38.917.044,87 -38.914.974,02 259.458.535,19
2061 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 35.712.410,24 -35.712.410,24 223.746.124,95
2062 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 32.656.274,67 -32.656.274,67 191.089.850,28
2063 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 29.772.377,36 -29.772.377,36 161.317.472,91
2064 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 27.035.061,32 -27.035.061,32 134.282.411,59
2065 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 24.448.942,06 -24.448.942,06 109.833.469,53
2066 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 22.020.439,92 -22.020.439,92 87.813.029,61
2067 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 19.746.684,88 -19.746.684,88 68.066.344,73
2068 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 17.626.770,85 -17.626.770,85 50.439.573,88
2069 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 15.645.517,94 -15.645.517,94 34.794.055,94
2070 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 13.792.767,19 -13.792.767,19 21.001.288,74
2071 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 12.097.415,41 -12.097.415,41 8.903.873,34
2072 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 10.524.863,17 -10.524.863,17 -1.620.989,83
2073 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 9.103.215,33 -9.103.215,33 -10.724.205,16
2074 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 7.794.451,60 -7.794.451,60 -18.518.656,76
2075 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 6.609.905,08 -6.609.905,08 -25.128.561,84
2076 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 5.544.017,22 -5.544.017,22 -30.672.579,06
2077 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 4.626.553,65 -4.626.553,65 -35.299.132,71
2078 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 3.809.739,14 -3.809.739,14 -39.108.871,85
2079 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 3.095.425,20 -3.095.425,20 -42.204.297,04
2080 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 2.481.677,99 -2.481.677,99 -44.685.975,04
2081 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 1.958.520,09 -1.958.520,09 -46.644.495,12
2082 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 1.528.749,58 -1.528.749,58 -48.173.244,71
2083 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 1.172.936,00 -1.172.936,00 -49.346.180,71
2084 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 880.446,85 -880.446,85 -50.226.627,57
2085 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 646.634,05 -646.634,05 -50.873.261,62
2086 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 459.708,38 -459.708,38 -51.332.969,99
2087 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 327.660,27 -327.660,27 -51.660.630,27
2088 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 229.796,88 -229.796,88 -51.890.427,15
2089 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 160.873,38 -160.873,38 -52.051.300,53
2090 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 115.645,30 -115.645,30 -52.166.945,83
2091 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 86.390,47 -86.390,47 -52.253.336,30
2092 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 66.690,57 -66.690,57 -52.320.026,87
2093 0 / 11925 0,00 0,00 0,00 53.934,02 -53.934,02 -52.373.960,89
Ressalta-se que, assim como os cálculos atuariais, as projeções apresentadas são extremamente sensíveis às hipóteses atuariais adotadas e às informações cadastrais disponíveis. Assim, a alteração destas pode
impactar profundamente na apresentação dos resultados demonstrados. Observa-se pela Projeção Atuarial acima que, confirmando-se as hipóteses adotadas, o plano de benefícios comportará os benefícios futuros com base
nas contribuições arrecadadas, bem como na rentabilidade auferida pelo patrimônio pelos próximos 39 anos.
Para a presente projeção atuarial foram realizadas estimativas de despesas e receitas vinculadas aos benefícios de aposentadorias e pensões, desconsiderando-se auxílios e custeio administrativo, os
quais não constam dos fluxos apresentados.
Insta informar que se tratam de cálculos considerando uma massa fechada de segurados. O intuito de se realizar tais cálculos é buscar saber se o patrimônio atual, somado às contribuições futuras, será
suficiente para arcar com todos os benefícios futuros, com base nas hipóteses atuariais adotadas. Sabe-se que na prática, com o ingresso de novos servidores, o fluxo atuarial apresentará alterações ano após ano e por isso a

30

Dom5851.indd 32 06/09/2019 19:47:48


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 33

necessidade da realização dos cálculos atuariais anualmente. As reavaliações têm também como objetivo observar se as premissas adotadas estão adequadas ou não à realidade da massa de segurados. O Gráfico a seguir
apresenta o fluxo atuarial estimado das receitas e despesas previdenciárias do Plano Previdenciário
.
GRÁFICO 37. PROJEÇÃO ATUARI AL DA S RECEITAS E DESPESA S PREVIDENCI ÁRI AS
160.000 2.000.000.000
Milhares

140.000
1.500.000.000
120.000

100.000 1.000.000.000
80.000

60.000 500.000.000

40.000
0
20.000

0 -500.000.000
2019 2029 2039 2049 2059 2069 2079 2089

Despesa Previdenciária Contribuição Patronal


Contribuição Suplementar Patronal Contribuição Segurado
Saldo Financeiro
Uma vez que a situação de superávit financeiro (receitas mensais superiores às despesas mensais) deixar de ser observada, o processo de capitalização das reservas matemáticas ficará extremamente
comprometido; razão pela qual se impõe ações como o imediato equilíbrio do déficit atuarial apurado na presente Avaliação Atuarial, com o reconhecimento do déficit por meio da implementação do plano de amortização,
bem como uma renovação da massa de segurados, com a abertura de novos concursos, a fim de que haja uma oxigenação na composição dos servidores ativos do Município de Belo Horizonte (MG), reduzindo, por
conseguinte, a idade média dos segurados ativos.
Com o reconhecimento do déficit atuarial pela Prefeitura, se observará uma maior injeção de recursos no RPPS-BH, auxiliando no processo de capitalização das reservas matemáticas, e com a admissão de
novos servidores, preferencialmente com idade média mais baixa, auxiliará na diluição dos custos previdenciários do plano de benefícios administrado pelo RPPS.
As projeções atuariais podem também ser utilizadas pelos gestores financeiros para otimizar a alocação dos recursos do RPPS, buscando comprar os melhores títulos cujos vencimentos sejam compatíveis com
o fluxo do passivo. À técnica de compatibilização de ativos e passivos previdenciários se dá o nome de ALM (Asset Liability Management). Existem diversos modelos de ALM no mercado, desde os mais simples e
determinísticos, até os complexos sistemas estocásticos.
4.2. PLANO FINANCEI RO
As projeções atuariais do Plano Financeiro são desenvolvidas para estimar o fluxo de receitas previdenciárias, com contribuições e rentabilidade, e despesas com a concessão e pagamento dos benefícios
cobertos pelo referido plano, observando a evolução demográfica da atual população de segurados e de acordo com as hipóteses adotadas.
Em um Plano Financeiro, estruturado em regime de repartição simples, a projeção atuarial se mostra uma ferramenta importantíssima. A partir desta pode-se verificar a distribuição dos aportes que deverão ser
feitos pelo ente federativo para manutenção do equilíbrio financeiro do plano.
Os aportes necessários para manutenção do equilíbrio financeiro são apresentados separadamente em coluna específica e as análises complementares serão realizadas com base no gráfico que segue.
TABELA 29. PROJEÇÃO ATUARIAL DE RECEITAS E DEPESAS PREVIDENCIÁRIAS
Novos benefícios
Novos benefícios Contribuição complementar
Exercício (qtde. Ano / Repasse previdenciária Despesa previdenciária Resultado previdenciário Aporte financeiro Acumulado
(R$) (aporte financeiro)
acumulado)
2019 2757 / 2757 16.033.638,17 283.607.768,00 141.803.884,00 1.233.868.685,84 -808.457.033,83 -804.959.822,21
2020 3597 / 6354 20.097.234,48 310.861.293,53 155.430.646,76 1.380.737.612,70 -914.445.672,41 -1.719.405.494,62
2021 959 / 7313 4.648.744,70 242.204.668,48 121.102.334,24 1.419.101.918,27 -1.055.794.915,55 -2.775.200.410,17
2022 980 / 8293 4.785.839,88 229.322.102,18 114.661.051,09 1.458.685.369,45 -1.114.702.216,17 -3.889.902.626,35
2023 109 / 8402 427.540,12 215.373.625,91 107.686.812,95 1.446.787.448,42 -1.123.727.009,56 -5.013.629.635,90
2024 557 / 8959 2.827.988,26 217.831.406,29 108.915.703,14 1.462.689.573,66 -1.135.942.464,23 -6.149.572.100,13
2025 852 / 9811 4.080.581,40 210.702.974,64 105.351.487,32 1.493.161.261,23 -1.177.106.799,28 -7.326.678.899,41
2026 741 / 10552 3.560.125,36 198.153.872,07 99.076.936,04 1.516.648.350,08 -1.219.417.541,98 -8.546.096.441,39
2027 795 / 11347 3.678.524,41 187.167.234,91 93.583.617,45 1.540.965.586,01 -1.260.214.733,65 -9.806.311.175,03
2028 782 / 12129 3.643.425,95 175.151.282,58 87.575.641,29 1.563.928.687,90 -1.301.201.764,03 -11.107.512.939,06
2029 665 / 12794 3.143.423,29 162.758.538,21 81.379.269,10 1.579.587.070,90 -1.335.449.263,59 -12.442.962.202,65
2030 701 / 13495 2.934.186,83 151.970.379,45 75.985.189,73 1.591.432.666,03 -1.363.477.096,86 -13.806.439.299,50
2031 657 / 14152 2.735.221,88 141.615.465,59 70.807.732,79 1.599.591.026,40 -1.387.167.828,02 -15.193.607.127,52
2032 652 / 14804 2.556.506,25 131.660.632,79 65.830.316,39 1.604.055.100,15 -1.406.564.150,97 -16.600.171.278,49
2033 591 / 15395 2.271.649,25 122.081.159,53 61.040.579,76 1.603.286.131,59 -1.420.164.392,30 -18.020.335.670,79
2034 582 / 15977 2.209.005,98 113.392.348,23 56.696.174,12 1.600.244.335,17 -1.430.155.812,82 -19.450.491.483,61
2035 525 / 16502 2.165.452,10 104.611.603,24 52.305.801,62 1.595.222.356,57 -1.438.304.951,72 -20.888.796.435,33
2036 445 / 16947 1.842.751,46 95.650.026,95 47.825.013,48 1.583.964.481,54 -1.440.489.441,10 -22.329.285.876,43
2037 444 / 17391 1.905.059,86 87.927.025,45 43.963.512,72 1.571.998.481,28 -1.440.107.943,11 -23.769.393.819,54
2038 452 / 17843 1.833.502,02 79.535.064,48 39.767.532,24 1.557.444.512,96 -1.438.141.916,24 -25.207.535.735,78
2039 427 / 18270 1.705.694,75 71.196.988,50 35.598.494,25 1.539.487.008,18 -1.432.691.525,44 -26.640.227.261,22
2040 500 / 18770 2.002.842,17 63.192.696,94 31.596.348,47 1.524.365.575,80 -1.429.576.530,39 -28.069.803.791,61
2041 460 / 19230 1.812.495,76 53.253.880,93 26.626.940,47 1.504.833.733,22 -1.424.952.911,82 -29.494.756.703,43
2042 346 / 19576 1.269.171,14 44.020.146,58 22.010.073,29 1.475.833.912,45 -1.409.803.692,58 -30.904.560.396,01
2043 342 / 19918 1.291.966,33 37.523.703,55 18.761.851,78 1.445.995.122,35 -1.389.709.567,02 -32.294.269.963,03
2044 331 / 20249 1.177.288,04 30.638.899,82 15.319.449,91 1.412.828.140,39 -1.366.869.790,66 -33.661.139.753,69
2045 344 / 20593 1.101.143,64 24.218.567,50 12.109.283,75 1.377.837.628,05 -1.341.509.776,81 -35.002.649.530,50
2046 276 / 20869 924.199,95 18.004.077,98 9.002.038,99 1.339.099.582,40 -1.312.093.465,42 -36.314.742.995,92
2047 201 / 21070 702.637,82 12.635.979,97 6.317.989,98 1.296.450.427,17 -1.277.496.457,22 -37.592.239.453,14
2048 153 / 21223 453.166,18 8.441.273,20 4.220.636,60 1.248.935.860,20 -1.236.273.950,39 -38.828.513.403,53
2049 113 / 21336 351.230,65 5.671.394,45 2.835.697,23 1.199.748.541,57 -1.191.241.449,89 -40.019.754.853,42
2050 69 / 21405 208.637,59 3.465.630,12 1.732.815,06 1.148.259.303,65 -1.143.060.858,47 -41.162.815.711,89
2051 47 / 21452 152.396,68 2.121.236,36 1.060.618,18 1.095.760.636,18 -1.092.578.781,64 -42.255.394.493,53
2052 28 / 21480 80.529,33 1.113.705,95 556.852,97 1.042.785.806,99 -1.041.115.248,07 -43.296.509.741,60
2053 12 / 21492 30.223,69 568.805,11 284.402,55 988.928.508,88 -988.075.301,22 -44.284.585.042,82
2054 13 / 21505 36.345,37 360.710,33 180.355,16 936.422.766,99 -935.881.701,50 -45.220.466.744,32
2055 5 / 21510 13.830,48 101.363,70 50.681,85 884.499.674,35 -884.347.628,80 -46.104.814.373,11
2056 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 833.363.592,39 -833.363.592,39 -46.938.177.965,50
2057 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 782.796.509,80 -782.796.509,80 -47.720.974.475,30
2058 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 734.291.884,16 -734.291.884,16 -48.455.266.359,46
2059 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 686.281.044,54 -686.281.044,54 -49.141.547.404,00
2060 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 640.054.547,42 -640.054.547,42 -49.781.601.951,42
2061 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 595.339.020,67 -595.339.020,67 -50.376.940.972,09

31

Dom5851.indd 33 06/09/2019 19:47:48


BELO HORIZONTE
34 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Novos benefícios
Novos benefícios Contribuição complementar
Exercício (qtde. Ano / Repasse previdenciária Despesa previdenciária Resultado previdenciário Aporte financeiro Acumulado
(R$) (aporte financeiro)
acumulado)
2062 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 551.832.550,74 -551.832.550,74 -50.928.773.522,83
2063 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 509.846.105,61 -509.846.105,61 -51.438.619.628,44
2064 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 469.666.573,18 -469.666.573,18 -51.908.286.201,62
2065 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 431.964.730,26 -431.964.730,26 -52.340.250.931,89
2066 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 395.191.182,80 -395.191.182,80 -52.735.442.114,69
2067 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 360.700.391,89 -360.700.391,89 -53.096.142.506,57
2068 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 327.810.889,61 -327.810.889,61 -53.423.953.396,18
2069 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 296.497.405,64 -296.497.405,64 -53.720.450.801,83
2070 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 266.697.148,15 -266.697.148,15 -53.987.147.949,98
2071 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 238.938.401,26 -238.938.401,26 -54.226.086.351,24
2072 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 212.940.182,77 -212.940.182,77 -54.439.026.534,01
2073 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 188.083.796,40 -188.083.796,40 -54.627.110.330,41
2074 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 164.958.931,13 -164.958.931,13 -54.792.069.261,54
2075 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 144.090.932,73 -144.090.932,73 -54.936.160.194,27
2076 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 123.989.989,01 -123.989.989,01 -55.060.150.183,28
2077 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 105.638.707,23 -105.638.707,23 -55.165.788.890,51
2078 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 88.610.279,82 -88.610.279,82 -55.254.399.170,33
2079 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 73.505.616,02 -73.505.616,02 -55.327.904.786,35
2080 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 60.072.197,08 -60.072.197,08 -55.387.976.983,43
2081 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 48.408.191,54 -48.408.191,54 -55.436.385.174,97
2082 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 37.958.845,31 -37.958.845,31 -55.474.344.020,27
2083 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 29.610.069,97 -29.610.069,97 -55.503.954.090,24
2084 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 22.674.201,96 -22.674.201,96 -55.526.628.292,20
2085 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 17.180.613,15 -17.180.613,15 -55.543.808.905,35
2086 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 12.694.818,28 -12.694.818,28 -55.556.503.723,63
2087 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 9.935.893,71 -9.935.893,71 -55.566.439.617,34
2088 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 8.023.799,36 -8.023.799,36 -55.574.463.416,70
2089 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 6.488.303,42 -6.488.303,42 -55.580.951.720,12
2090 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 5.431.095,32 -5.431.095,32 -55.586.382.815,44
2091 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 4.621.274,95 -4.621.274,95 -55.591.004.090,39
2092 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 4.190.781,43 -4.190.781,43 -55.595.194.871,82
2093 0 / 21510 0,00 0,00 0,00 3.836.998,49 -3.836.998,49 -55.599.031.870,31

Ressalta-se que, assim como os cálculos atuariais, as projeções apresentadas são extremamente sensíveis às hipóteses atuariais adotadas e às informações cadastrais disponíveis. Com isso, a alteração destas
pode impactar profundamente na apresentação dos resultados demonstrados.
Observa-se pela Projeção Atuarial acima que, confirmando-se as hipóteses adotadas, serão necessários aportes complementares ao longo do tempo para que se possa garantir os benefícios futuros.
Quando se avalia a base cadastral encaminhada, considerando as alíquotas contributivas atuais, apura-se uma receita inferior às despesas. Dada a aposentadoria dos demais servidores, haverá um agravamento
dos resultados com o aumento das despesas e redução das receitas. Reitera-se que para os cálculos do Plano Financeiro considerou-se taxa de juros de 0% ao ano, conforme instruções da Secretaria de Previdência.
As projeções atuariais foram realizadas para aposentadorias e pensões, desconsiderando-se auxílios e custeio administrativo.
Vale ressaltar ainda que se trata de cálculos considerando uma massa fechada de segurados, tendo em vista que não há ingressos nesse plano. O gráfico a seguir demonstra a evolução das receitas e despesas
previdenciárias, bem como da contribuição complementar necessária para fazer frente aos benefícios dos inativos e pensionistas.
GRÁFICO 38. PROJEÇÃO ATUARI AL DE RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCI ÁRI AS
1.800.000 1
Milhares

1.600.000 1

1.400.000 1
1
1.200.000
1
1.000.000
1
800.000
0
600.000
0
400.000 0
200.000 0
0 0
2019 2029 2039 2049 2059 2069 2079 2089 2099

Despesa Previdenciária Contribuição Patronal


Contribuição Suplementar Patronal Contribuição Segurado
Contribuição Complementar Patronal Saldo Financeiro
O Gráfico demonstrado anteriormente apresenta o fluxo atuarial estimado de Despesas Previdenciárias, de Contribuições Normais e de Contribuições Complementares para cobertura da insuficiência
financeira.
Destaca-se novamente que, com relação ao grupo de segurados do plano financeiro, a despesa previdenciária evoluirá gradativamente, havendo a necessidade de elevação da contribuição complementar do Ente
Federativo observando-se a redução do número de servidores ativos e elevação do de aposentados e pensionistas.
No entanto, após essa primeira fase de evolução das despesas, esses gastos começarão a reduzir em função dos óbitos esperados. Com isso o custo previdenciário passará a ser decrescente, reduzindo
gradativamente até a completa extinção do grupo de segurados deste plano.
Ressalta-se que, por estar estruturado em Repartição Simples, conhecido também como Regime de Caixa, o Tesouro do município se responsabiliza pelos recursos necessários para cobertura dos benefícios
pagos pelo RPPS decorrentes das insuficiências de caixa que venham a ocorrer na referida população.

Cidade limpa não é


a que mais se varre.
É a que menos se suja.
32

Dom5851.indd 34 06/09/2019 19:47:49


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 35

Tabela 6.1
MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE METAS FISCAIS
AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL DO RPPS
2020

AMF - Demonstrativo 6 (LRF, art. 4º, § 2º, inciso IV, alínea "a")
RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES
PLANO PREVIDENCIÁRIO 1
2 2016
RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS 2017 2018 Notas
RECEITAS CORRENTES (I) 175.252.735,12 171.838.827,37 235.114.780,79
Receita de Contribuições dos Segurados 40.055.437,80 37.849.001,31 52.228.733,68
Civil 40.055.437,80 37.849.001,31 52.228.733,68
Ativo 40.047.178,62 37.839.056,92 52.217.250,78
Inativo 62,46 30,69 -
Pensionista 8.196,72 9.913,70 11.482,90
Militar - -
Ativo -
Inativo -
Pensionista -
Receita de Contribuições Patronais 127.320.845,46 76.243.601,01 104.104.004,30 3
Civil 79.590.706,79 76.243.601,01 104.104.004,30
Ativo 79.590.706,79 76.243.601,01 104.104.004,30
Inativo - - -
Pensionista - - -
Militar - - -
Ativo - - -
Inativo - - -
Pensionista - - -
Receita Patrimonial 47.730.138,67 53.450.932,67 69.646.447,54
Receitas Imobiliárias - - -
Receitas de Valores Mobiliários 47.730.138,67 53.450.932,67 69.646.447,54
Outras Receitas Patrimoniais - -
Receita de Serviços
Outras Receitas Correntes 3.938.225,93 4.295.292,38 9.135.595,27
Compensação Previdenciária do RGPS para o RPPS - - -
Aportes Periódicos para Amortização de Déficit Atuarial do RPPS -
Demais Receitas Correntes 3.938.225,93 4.295.292,38 9.135.595,27
RECEITAS DE CAPITAL (II) - - 1.546,86
Alienação de Bens, Direitos e Ativos -
Amortização de Empréstimos -
Outras Receitas de Capital 1.546,86
TOTAL DAS RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS - (IV) = (I + III - II) 175.252.735,12 171.838.827,37 235.116.327,65

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS 2016 2017 2018


ADMINISTRAÇÃO (V) 2.516.889,76 5.614.750,32 6.555.389,31
Despesas Correntes 2.516.889,76 5.614.750,32 5.395.950,14 4
Despesas de Capital - - 1.159.439,17
PREVIDÊNCIA (VI) 3.685.666,69 5.953.729,66 7.784.539,03
Benefícios - Civil 3.685.666,69 5.953.729,66 7.784.539,03
Aposentadorias 24.716,99 92.335,04 277.196,79
Pensões 295.990,62 335.964,82 480.349,48
Outros Benefícios Previdenciários 3.364.959,08 5.525.429,80 7.026.992,76
Benefícios - Militar - - -
Reformas - - -
Pensões - - -
Outros Benefícios Previdenciários - - -
Outras Despesas Previdenciárias - - -
Compensação Previdenciária do RPPS para o RGPS - - -
Demais Despesas Previdenciárias - -
TOTAL DAS DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS (VII) = (V + VI) 6.202.556 11.568.479,98 14.339.928,34

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (VIII) = (IV – VII)2 169.050.179 160.270.347,39 220.776.399,31

RECURSOS RPPS ARRECADADOS EM EXERCÍCIOS ANTERIORES 2016 2017 2018


VALOR

RESERVA ORÇAMENTÁRIA DO RPPS 2016 2017 2018


VALOR 94.206.464,00 142.692.857,00 186.157.815,00 5

APORTES DE RECURSOS PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO


2016 2017 2018
RPPS
Plano de Amortização - Contribuição Patronal Suplementar
Plano de Amortização - Aporte Periódico de Valores Predefinidos
Outros Aportes para o RPPS
Recursos para Cobertura de Déficit Financeiro

BENS E DIREITOS DO RPPS 2016 2017 2018 6


Caixa e Equivalentes de Caixa - - -
Investimentos e Aplicações 381.925.555,91 537.279.122,58 745.598.526,77
Outro Bens e Direitos 8.503.626,22 19.815.815,19 -

33
Dom5851.indd 35 06/09/2019 19:47:49
BELO HORIZONTE
36 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

PLANO FINANCEIRO 1
RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS 2 2016 2017 2018
RECEITAS CORRENTES (IX) 542.287.680,97 483.694.599,66 571.804.318,15
Receita de Contribuições dos Segurados 187.145.976,93 160.568.580,70 193.536.716,55
Civil 187.145.976,93 160.568.580,70 193.536.716,55
Ativo 166.506.880,68 139.762.806,93 165.991.714,73
Inativo 17.982.824,75 17.761.300,41 24.016.439,06
Pensionista 2.656.271,50 3.044.473,36 3.528.562,76
Militar - - -
Ativo - - -
Inativo - - -
Pensionista - - -
Receita de Contribuições Patronais 315.893.761,28 286.310.497,06 331.138.769,20 3
Civil 315.893.761,28 286.310.497,06 331.138.769,20
Ativo 315.893.761,28 286.310.497,06 331.138.769,20
Inativo - -
Pensionista - -
Militar - -
Ativo - -
Inativo - -
Pensionista - -
Receita Patrimonial 6.725.419,91 1.082.171,01 824.332,85
Receitas Imobiliárias 5.317.053,87 24.129,15 -
Receitas de Valores Mobiliários 1.408.366,04 1.058.041,86 824.332,85
Outras Receitas Patrimoniais - - -
Receita de Serviços 173.171,21 67.805,25 -
Outras Receitas Correntes 32.349.351,64 35.665.545,64 46.304.499,55
Compensação Previdenciária do RGPS para o RPPS 4.748.425,74 13.435.003,86 22.381.096,15
Demais Receitas Correntes 27.600.925,90 22.230.541,78 23.923.403,40
RECEITAS DE CAPITAL (X) - 98.782.811,64
Alienação de Bens, Direitos e Ativos - -
Amortização de Empréstimos - -
Outras Receitas de Capital - 98.782.811,64
TOTAL DAS RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS - (XI) = (IX + X) 542.287.680,97 483.694.599,66 670.587.129,79

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS 2016 2017 2018


ADMINISTRAÇÃO (XII) 14.043.809,82
Despesas Correntes 14.043.809,82 7
Despesas de Capital
PREVIDÊNCIA (XIII) 814.098.523,34 934.612.020,51 1.069.008.855,98
Benefícios - Civil 814.094.606,06 934.544.704,40 1.057.001.015,91
Aposentadorias 704.759.871,93 810.220.372,58 921.759.669,22
Pensões 101.183.930,57 110.868.253,40 123.076.313,13
Outros Benefícios Previdenciários 8.150.803,56 13.456.078,42 12.165.033,56
Benefícios - Militar -
Reformas
Pensões
Outros Benefícios Previdenciários
Outras Despesas Previdenciárias 3.917,28 67.316,11 12.007.840,07
Compensação Previdenciária do RPPS para o RGPS - - 12.007.840,07
Demais Despesas Previdenciárias 3.917,28 67.316,11 -
TOTAL DAS DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS (XIV) = (XII + XIII) 814.098.523 934.612.020,51 1.083.052.665,80

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (XV) = (XI – XIV)2 (271.810.842,37) (450.917.420,85) (412.465.536,01)

APORTES DE RECURSOS PARA O PLANO FINANCEIRO DO RRPS 2016 2017 2018


Recursos para Cobertura de Insuficiências Financeiras 321.482.617,00 398.500.000,00 461.139.071,40
Recursos para Formação de Reserva
FONTE: RREO 6º BIMESTRE - RECEITAS E DESPESAS DO RPPS

Dom5851.indd 36 06/09/2019 19:47:50


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 37

PROJEÇÃO ATUARIAL DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES

PLANO PREVIDENCIÁRIO
Saldo Financeiro do
Receitas Despesas Resultado
Exercício
Previdenciárias Previdenciárias Previdenciário
EXERCÍCIO
(d) = (d Exercício
(a) (b) (c) = (a-b)
Anterior) + ©
2017 171.839 11.568 160.270 537.279
2018 113.328 13.134 100.194 633.995
2019 106.276 313 105.963 739.958
2020 103.361 297 103.064 843.022
2021 100.504 281 100.223 943.245
2022 97.702 275 97.427 1.040.672
2023 94.949 276 94.673 1.135.345
2024 92.243 261 91.983 1.227.328
2025 89.590 3.639 85.950 1.313.278
2026 85.642 11.083 74.559 1.387.837
2027 80.109 17.938 62.172 1.450.009
2028 74.804 26.948 47.856 1.497.864
2029 68.640 33.929 34.711 1.532.575
2030 63.282 38.503 24.779 1.557.354
2031 58.895 41.650 17.246 1.574.599
2032 55.098 44.609 10.489 1.585.088
2033 51.394 47.953 3.441 1.588.529
2034 47.553 51.098 -3.546 1.584.983
2035 43.810 53.584 -9.774 1.575.209
2036 40.356 55.780 -15.424 1.559.785
2037 37.043 57.811 -20.768 1.539.017
2038 33.820 60.535 -26.715 1.512.302
2039 30.321 62.591 -32.269 1.480.033
2040 27.122 65.131 -38.009 1.442.024
2041 23.730 66.993 -43.263 1.398.761
2042 20.648 69.053 -48.405 1.350.355
2043 17.498 71.166 -53.668 1.296.687
2044 14.344 72.676 -58.332 1.238.356
2045 11.480 73.806 -62.325 1.176.030
2046 8.808 74.792 -65.983 1.110.047
2047 6.227 73.640 -67.413 1.042.633
2048 4.658 72.101 -67.443 975.190
2049 3.320 69.826 -66.506 908.684
2050 2.385 67.284 -64.899 843.785
2051 1.634 64.855 -63.221 780.564
2052 891 61.883 -60.993 719.571
2053 466 58.587 -58.121 661.450
2054 265 55.258 -54.993 606.457
2055 142 51.950 -51.808 554.649
2056 74 48.700 -48.626 506.023
2057 37 45.517 -45.480 460.543
2058 29 42.451 -42.422 418.121
2059 23 39.512 -39.488 378.633
2060 10 36.674 -36.664 341.969
2061 2 33.932 -33.930 308.039
2062 0 31.284 -31.284 276.755
2063 0 28.758 -28.758 247.997
2064 0 26.323 -26.323 221.674
2065 0 23.988 -23.988 197.686
2066 0 21.774 -21.774 175.912
2067 0 19.683 -19.683 156.229
2068 0 17.714 -17.714 138.515
2069 0 15.845 -15.845 122.670
2070 0 14.072 -14.072 108.598
2071 0 12.437 -12.437 96.161
2072 0 10.889 -10.889 85.273
2073 0 9.484 -9.484 75.789
2074 0 8.170 -8.170 67.618
2075 0 6.971 -6.971 60.647
2076 0 5.874 -5.874 54.773
2077 0 4.923 -4.923 49.851
2078 0 4.067 -4.067 45.784
2079 0 3.301 -3.301 42.483
2080 0 2.644 -2.644 39.838
2081 0 2.074 -2.074 37.764
2082 0 1.611 -1.611 36.152
2083 0 1.220 -1.220 34.933
2084 0 904 -904 34.029
2085 0 641 -641 33.388
2086 0 439 -439 32.949
2087 0 294 -294 32.655
2088 0 189 -189 32.466
2089 0 118 -118 32.349
2090 0 74 -74 32.275
2091 0 47 -47 32.228

35

Dom5851.indd 37 06/09/2019 19:47:50


BELO HORIZONTE
38 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

PLANO FINANCEIRO

Despesas Resultado Saldo Financeiro


Receitas
Previdenciárias Previdenciário do Exercício
Previdenciárias
EXERCÍCIO

(d) = (d Exercício
(a) (b) (c) = (a-b)
Anterior) + (c)
2017 483.695 934.612 -450.917 23.358
2018 428.994 1.245.788 -816.794 -793.435
2019 372.068 1.162.627 -790.560 -1.583.995
2020 379.534 1.155.435 -775.901 -2.359.896
2021 386.976 1.157.884 -770.909 -3.130.804
2022 389.761 1.169.694 -779.932 -3.910.736
2023 387.846 1.178.689 -790.843 -4.701.579
2024 386.770 1.221.904 -835.134 -5.536.713
2025 368.983 1.277.487 -908.504 -6.445.217
2026 344.372 1.328.053 -983.680 -7.428.898
2027 320.855 1.371.207 -1.050.352 -8.479.250
2028 299.597 1.413.933 -1.114.336 -9.593.586
2029 277.221 1.449.929 -1.172.707 -10.766.293
2030 256.702 1.479.241 -1.222.539 -11.988.833
2031 238.004 1.506.021 -1.268.016 -13.256.849
2032 219.204 1.532.308 -1.313.104 -14.569.953
2033 199.186 1.550.314 -1.351.128 -15.921.081
2034 181.686 1.561.756 -1.380.070 -17.301.151
2035 165.987 1.566.520 -1.400.532 -18.701.683
2036 152.238 1.567.541 -1.415.303 -20.116.986
2037 138.887 1.562.747 -1.423.860 -21.540.847
2038 126.995 1.555.872 -1.428.877 -22.969.724
2039 114.844 1.547.252 -1.432.407 -24.402.131
2040 102.204 1.532.557 -1.430.353 -25.832.483
2041 91.217 1.520.144 -1.428.928 -27.261.411
2042 77.661 1.506.365 -1.428.704 -28.690.115
2043 63.624 1.482.024 -1.418.400 -30.108.515
2044 53.855 1.455.939 -1.402.085 -31.510.599
2045 43.615 1.427.621 -1.384.005 -32.894.605
2046 33.762 1.393.944 -1.360.182 -34.254.786
2047 25.711 1.357.582 -1.331.871 -35.586.658
2048 18.029 1.317.347 -1.299.318 -36.885.976
2049 11.902 1.272.522 -1.260.620 -38.146.596
2050 7.869 1.225.698 -1.217.828 -39.364.424
2051 4.644 1.175.633 -1.170.989 -40.535.413
2052 2.866 1.125.069 -1.122.203 -41.657.616
2053 1.547 1.072.779 -1.071.233 -42.728.848
2054 781 1.020.530 -1.019.749 -43.748.598
2055 501 968.696 -968.195 -44.716.793
2056 139 916.827 -916.687 -45.633.480
2057 0 865.528 -865.528 -46.499.008
2058 0 815.568 -815.568 -47.314.576
2059 0 765.770 -765.770 -48.080.346
2060 0 717.403 -717.403 -48.797.750
2061 0 670.009 -670.009 -49.467.758
2062 0 623.295 -623.295 -50.091.054
2063 0 577.880 -577.880 -50.668.934
2064 0 534.162 -534.162 -51.203.095
2065 0 493.211 -493.211 -51.696.307
2066 0 452.751 -452.751 -52.149.057
2067 0 414.787 -414.787 -52.563.844
2068 0 378.055 -378.055 -52.941.899
2069 0 343.001 -343.001 -53.284.901
2070 0 309.165 -309.165 -53.594.066
2071 0 277.696 -277.696 -53.871.762
2072 0 248.164 -248.164 -54.119.926
2073 0 219.271 -219.271 -54.339.197
2074 0 192.587 -192.587 -54.531.785
2075 0 168.484 -168.484 -54.700.269
2076 0 144.773 -144.773 -54.845.042
2077 0 123.002 -123.002 -54.968.043
2078 0 102.774 -102.774 -55.070.817
2079 0 84.782 -84.782 -55.155.600
2080 0 68.678 -68.678 -55.224.277
2081 0 54.738 -54.738 -55.279.015
2082 0 42.160 -42.160 -55.321.176
2083 0 32.184 -32.184 -55.353.360
2084 0 24.207 -24.207 -55.377.567
2085 0 17.763 -17.763 -55.395.329
2086 0 12.584 -12.584 -55.407.914
2087 0 9.559 -9.559 -55.417.473
2088 0 7.494 -7.494 -55.424.967
2089 0 5.891 -5.891 -55.430.858
2090 0 4.859 -4.859 -55.435.717
2091 0 4.069 -4.069 -55.439.785
FONTE: RREO 6º BIMESTRE DE 2018 - PROJEÇÕES ATUARIAIS, REF. 2018, BASE: 31/12/2017.
36

Dom5851.indd 38 06/09/2019 19:47:50


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 39

Notas explicativas:
1 Preenchimento conforme Manual de Demonstrativos Fiscais da Secretaria do Tesouro Nacional - STN e MCASP.
2 Os RREO do RPPS, dos anos 2014 a 2016, trazem as receitas intraorçamentárias destacadas, diferentemente deste demonstrativo.
Preenchimento conforme Manual de Demonstrativos Fiscais da Secretaria do Tesouro Nacional - STN e MCASP.
3 Nos RREO do RPPS, em 2016, as contribuições patronais dos servidores ativos à disposição de outros órgãos, e as patronais oriundas
de sentenças judiciais, foram demonstradas no subgrupo "Outras", no grupo "Outras Receitas de Contribuição". 2016 - Plano
Previdenciário: Patronal dos ativos à disposição = 151.595,79; Plano Financeiro: Patronal dos ativos à disposição = 681.917,22, Patronal
de sentenças judiciais = 2.484.999,23. Esses valores foram realocados para os respectivos grupos de receita de contribuição patronal dos
ativos.
4 No RREO do último bimestre de 2018 as despesas com a folha dos servidores da Unidade Gestora constam como "outras despesas
previdenciárias", e aqui foram devidamente alocadas no grupo de "Despesas administrativas - Correntes", porque são pagas com os
recursos da taxa de administração, nos termos do art. 130 da Lei nº 10.362, de 2011.
5 Mesma metodologia adotada no RREO 2016 e 2017 do RPPS. Retirado do Relatório de Movimentação de Crédito com Execução, mês
6 No RREO de 2016 os dados foram extraídos dos respectivos Balanços Patrimoniais. Considerando a orientação expressa no Manual de
Demonstrativos Fiscais - 9ª Edição, pág. 201, item 7 - Quadro Bens e Direitos do RPPS, de que os valores devem ser preenchidos de
acordo com o Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, os dados deste quadro correspondem às disponibilidades no Ativo Circulante
do Balanço Patrimonial, consultado no sistema CASP, apenas para o Fundo Previdenciário, já que o mesmo quadro não consta
relacionado para o Fundo Financeiro.
7 No RREO de 2016 as despesas dos fundos foram publicadas segregadamente, sendo que, no Plano Financeiro, o valor atribuído a
despesa corrente da Administração (R$3.917,28) foi, neste demonstrativo, alocado no grupo "Demais Despesas Previdenciárias" por
referir-se a restituição de contribuição previdenciária. No RREO de 2017 o valor registrado a título de despesa administrativa do Plano
Financeiro (R$67.316,11) foi neste demonstrativo devidamente realocado para o grupo "Demais Despesas", por referir-se a restituição de
benefícios de aposentadoria. No RREO de 2018 consta como despesas correntes R$26.051.649,89 sendo que, R$ 12.007.840,07 são
referentes à compensação previdenciária alocada no respectivo grupo e R$14.043.809,82 referente a valores repassados ao Tesouro
Municipal atendendo ao disposto no Art. 151, I, Lei Nº 10.362/2011, c/c art. 6º e 7º da Lei Nº 11.104/2018.

I.7 – Demonstrativo da Estimativa e Compensação da Renúncia de Receita


Este demonstrativo atende ao disposto no art. 4º, § 2º, inciso V da Lei de Responsabilidade Fiscal e apresenta os benefícios fiscais concedidos, considerando que, conforme o art. 14, § 1º da LRF, “a
renúncia compreende anistia, remissão, subsídio, crédito presumido, concessão de isenção em caráter não geral, alteração de alíquota ou modificação de base de cálculo que implique redução discriminada de tributos ou
contribuições, e outros benefícios que correspondam a tratamento diferenciado”.
Estima-se que a renúncia de receita atinja o montante de R$62,9 milhões em 2020, compreendidas neste total as remissões, as isenções, o desconto pelo pagamento antecipado do IPTU e o incentivo à
cultura.
As remissões estão avaliadas em cerca de R$3,2 milhões. As isenções respondem por, aproximadamente, R$22,7 milhões anuais da renúncia fiscal. Os benefícios fiscais concedidos através do IPTU estão
estimados em R$2,8 milhões e através do ITBI em R$ 6,3 milhões e os incentivos à cultura poderão chegar a R$13,6 milhões. O desconto concedido pela antecipação do pagamento do IPTU está estimado em R$37,0
milhões, referentes tanto à antecipação total ou de parcelas do imposto.

Tabela 7.1

I.8 – Margem de Expansão das Despesas Obrigatórias de Caráter Continuado

(Inciso V do § 2º do art. 4º da Lei Complementar Federal nº 101/00)


O Demonstrativo da Margem de Expansão das Despesas Obrigatórias de Caráter Continuado – Tabela 8.1 – visa ao atendimento do inciso V do § 2º do art. 4º da Lei de Responsabilidade Fiscal e é um
requisito introduzido no seu art. 17, para assegurar que não haverá a criação de nova despesa permanente sem fontes consistentes de financiamento.
Considera-se como obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixe para o ente a obrigação legal de sua execução por
um período superior a dois exercícios.
Seguindo interpretação do governo federal, entende-se que a efetivação desse grupo de despesas necessita de compensação pelo aumento permanente de receita ou pela redução permanente de despesa,
em que aumento permanente de receita é aquele proveniente da elevação de alíquotas, ampliação da base de cálculo em decorrência do crescimento real da atividade econômica, majoração ou criação de tributo ou
contribuição.
Com base no entendimento do aumento da arrecadação para fins de apuração do acréscimo das despesas obrigatórias, estima-se um aumento permanente de receita de R$215,9 milhões, sendo já
parcialmente consumida no estabelecimento da meta fiscal referente à despesa, gerando uma margem líquida de expansão de R$18,6 milhões.

DENGUE PROIBIDO
RETORNAR
37

Dom5851.indd 39 06/09/2019 19:47:51


BELO HORIZONTE
40 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Tabela 8.1
MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE METAS FISCAIS
MARGEM DE EXPANSÃO DAS DESPESAS OBRIGATÓRIAS DE CARÁTER CONTINUADO
2020
AMF - Demonstrativo 8 (LRF, art. 4°, § 2°, inciso V) R$ 1.000,00
EVENTOS Valor Previsto para 2020
Aumento Permanente da Receita 215.858,00
(-) Transferências Constitucionais
(-) Transferências ao FUNDEB 11.900,00
Saldo Final do Aumento Permanente de Receita (I) 203.958,00
Redução Permanente de Despesa (II)
Margem Bruta (III) = (I+II) 203.958,00
Saldo Utilizado da Margem Bruta (IV) 185.348,00
Novas DOCC 185.348,00
Novas DOCC geradas por PPP
Margem Líquida de Expansão de DOCC (V) = (III-IV) 18.610,00
FONTE: Unidade Responsável SMFA/SMPOG, Data da emissão 14/05/2019

ANEXO II
DOS RISCOS FISCAIS
LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – 2020

II.1 – DEMONSTRATIVO DE RISCOS FISCAIS E PROVIDÊNCIAS


(§ 3º do art. 4º da Lei Complementar Federal nº 101/00)

Os riscos fiscais podem ser conceituados como a possibilidade da ocorrência de eventos que venham a impactar negativamente as contas públicas, eventos esses resultantes da realização das ações
previstas no programa de trabalho ou decorrentes das metas de resultados, correspondendo, assim, aos riscos provenientes das obrigações financeiras do governo.
Contingência passiva é uma possível obrigação presente cuja existência será confirmada somente pela ocorrência de um ou mais eventos futuros que não estão totalmente sob o controle da prefeitura,
ou é uma obrigação presente que surge em decorrência de eventos passados, mas que não é reconhecida, ou porque é improvável que a prefeitura tenha de liquidá-la, ou porque o valor da obrigação não pode ser estimado
com suficiente segurança.
Os riscos orçamentários referem-se à possibilidade de as obrigações estabelecidas por lei ou em contrato sofrerem impactos negativos devido a fatores diversos, tais como as receitas e despesas
previstas não se confirmarem, isto é, que, durante a execução orçamentária, ocorram desvios entre receitas e despesas orçadas.
Com relação aos riscos relativos à não efetivação da receita, as variáveis que influem diretamente na arrecadação são o nível da atividade econômica e o índice inflacionário. Por sua vez, as despesas
realizadas pelo governo podem apresentar desvios em relação às projeções utilizadas para a elaboração do orçamento, tanto em função do nível de atividade econômica e da inflação observada como em função de
modificações constitucionais e legais que introduzam novas obrigações para o governo. Podem-se considerar riscos orçamentários, portanto, os desvios entre os parâmetros adotados nas projeções e os observados de fato.
Os riscos de dívida são oriundos de dois tipos diferentes de eventos. O primeiro diz respeito à administração da dívida, ou seja, riscos decorrentes da variação das taxas de juros e de câmbio nos títulos
vincendos. Já o segundo tipo refere-se aos passivos contingentes do Município, isto é, dívidas cuja existência depende de fatores imprevisíveis, tais como os resultados dos julgamentos de processos judiciais que envolvem o
Município.
Os riscos fiscais advindos do estoque da dívida pública estão sob controle, não se apresentando como de exigibilidade de alocação de recursos a curto ou médio prazo.
Do ponto de vista das ações judiciais trabalhistas e fiscais, existe um passivo contingente, em decorrência de demandas em tramitação, que provocará impacto nos cofres públicos municipais de
aproximadamente R$66 milhões.

Tabela 9.1

MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE


LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS
ANEXO DE RISCOS FISCAIS
DEMONSTRATIVO DE RISCOS FISCAIS E PROVIDÊNCIAS
2020
ARF (LRF, art 4º, § 3º) R$ 1.000,00
PASSIVOS CONTINGENTES PROVIDÊNCIAS
Descrição Valor Descrição Valor
Demandas Judiciais 65.607
Dívidas em Processo de Reconhecimento Abertura de créditos adicionais a
Avais e Garantias Concedidas partir da Reserva de Contingência e
65.607
Assunção de Passivos cancelamento de despesas de
Assistências Diversas custeio e pessoal.
Outros Passivos Contingentes
SUBTOTAL 65.607 SUBTOTAL 65.607

DEMAIS RISCOS FISCAIS PASSIVOS PROVIDÊNCIAS


Descrição Valor Descrição Valor
Frustração de Arrecadação Abertura de créditos adicionais a
Restituição de Tributos a Maior partir da Reserva de Contingência e
118.109
Discrepância de Projeções: 118.109 cancelamento de despesas
Outros Riscos Fiscais discricionárias.
SUBTOTAL 118.109 SUBTOTAL 118.109
TOTAL 183.716 TOTAL 183.716
FONTE: Unidade Responsável SMPOG/SMFA/PGM, Data da emissão 14/05/2019

Disque Idoso
3277-4646 38

Dom5851.indd 40 06/09/2019 19:47:51


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 41

LEI Nº 11.191, DE 6 DE SETEMBRO DE 2019. Art. 1º - O parágrafo único do art. 41 da Lei nº 11.132, de 18 de setembro de 2018, passa a vigorar
com a seguinte redação:
Desafeta e autoriza a alienação, na forma de venda ou permuta, dos imóveis que menciona, e dá “Art. 41 - [...]
outras providências. Parágrafo único - No ato do ingresso, o servidor a que se refere o caput deste artigo será posicionado
no nivel 6 da tabela de vencimentos-base dos cargos efetivos do quadro especial da Educação, constante do
O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Anexo IV da Lei nº 7.235/96.”.
Lei:
Art. 2º - Ao servidor ocupante do cargo público efetivo de Professor para a Educação Infantil,
Art. 1º - Ficam desafetados de sua destinação original, passando a integrar o patrimônio dominial posicionado nos termos do art. 40 da Lei nº 11.132/18, será concedido um nível na tabela de vencimentos-
do Município, os imóveis relacionados no Anexo. base, constante do Anexo IV da Lei nº 7.235, de 27 de dezembro de 1996.
§ 1º - Fica o Poder Executivo autorizado a alienar os imóveis mencionados no Anexo, na forma
de venda ou permuta. Art. 3º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de
§ 2º - Quando da alienação de que trata o § 1º deste artigo, a avaliação dos referidos imóveis deve outubro de 2019.
ser atualizada.
§ 3º - O resultado financeiro da alienação prevista no § 1º deste artigo será revertido em 50% Belo Horizonte, 6 de setembro de 2019.
(cinquenta por cento) para o Orçamento Participativo da Habitação e em 50% (cinquenta por cento) para o
Orçamento Participativo do Município, buscando atender à demanda da população nas áreas e nos projetos Alexandre Kalil
mais prioritários, apontados pela própria comunidade. Prefeito de Belo Horizonte

Art. 2º - Ficam revogados os itens 1, 8 a 16, 18, 19, 22, 29 a 31, 34 a 41, 44 a 49 e 51 a 53 do Anexo (Originária do Projeto de Lei nº 773/19, de autoria do Executivo)
Único da Lei nº 10.699, de 10 de janeiro de 2014.
DECRETO Nº 17.168, de 6 de SETEMBRO de 2019.
Art. 3º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
Reconhece como Reserva Particular Ecológica área que menciona, situada no Bairro Enseada das
Belo Horizonte, 6 de setembro de 2019. Garças.

Alexandre Kalil O Prefeito de Belo Horizonte, no exercício da atribuição que lhe confere o inciso VII do art. 108
Prefeito de Belo Horizonte da Lei Orgânica, e tendo em vista o disposto nos arts. 3º e 11 da Lei nº 6.314, de 12 de janeiro de 1993, e as
informações constantes do Processo Administrativo nº 01.159.571/16-05.
(Originária do Projeto de Lei nº 742/19, de autoria do Executivo) DECRETA:

ANEXO Art. 1º – Fica reconhecida como Reserva Particular Ecológica – RPE –, pelo prazo de vinte anos,
RELAÇÃO DOS BENS IMÓVEIS A QUE SE REFERE O ART. 1º DESTA LEI por destinação do proprietário e conforme parecer favorável do Conselho Municipal do Meio Ambiente,
a área pertencente à Associação Atlética Banco do Brasil Belo Horizonte, correspondente a 27.316,84m²
Área Terreno Valor Mínimo (vinte e sete mil, trezentos e dezesseis metros quadrados e oitenta e quatro decímetros quadrados), localizada
Nº Quadra / Lote Localização Bairro na Avenida Otacílio Negrão de Lima, nº 11.840, Bairro Enseada das Garças, inserida em parte dos imóveis
(m²) (R$)
matriculados sob os números 314, 8.402, 21.117, 21.118 e 39.281 do 6º Ofício de Registro de Imóveis de Belo
1 136 132 26.527,17 Av. João Rolla Filho Diamante 16.115.255,78
Horizonte, conforme especificações constantes do Processo Administrativo nº 01-159.571/16-05.
Rua Engenheiro Senna
2 048 023A 33.832,07 São Bento 43.187.997,40
Freire Art. 2º – Em virtude do reconhecimento a que se refere o art. 1º e mediante requerimento do
3 079 001 371 Rua Doutor Sinval Santo Antônio 440.748,00 proprietário e comprovação da averbação deste instrumento e do Termo de Compromisso no Registro de
Rua Conselheiro Imóveis competente, fica concedida isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU –, proporcional
4 085 098 4.061,82 Jardim Vitória 2.332.297,04
Aloysio Costa à área da RPE, nos termos do art. 11 da Lei nº 6.314, de 12 de janeiro de 1993.
Rua Conde Santa
5 035 003 323 Cachoeirinha 319.770,00 Art. 3º – Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Marinha
6 363 012 398,32 Rua Xingu Santa Lúcia 289.976,96
Belo Horizonte, 6 de setembro de 2019.
7 363 028 339,25 Rua Roma Santa Lúcia 270.721,50
8 363 025 304,92 Rua Roma Santa Lúcia 221.981,76 Alexandre Kalil
9 363 024 298,9 Rua Roma Santa Lúcia 217.599,20 Prefeito de Belo Horizonte
10 363 022 447,31 Rua Roma Santa Lúcia 325.641,68

Denuncie a
Rua Arnaldo Bueno
11 083 020 420 Ouro Preto 270.270,00
Azevedo
Rua Arnaldo Bueno
12 083 021 360 Ouro Preto 231.660,00
Azevedo
Rua Frei Martinho

violência sexual
13 038 012 797 Paquetá 677.450,00
Burnier
14 083 014 360 Rua Osório de Morais Ouro Preto 231.660,00
15 083 016 415 Rua Osório de Morais Ouro Preto 267.052,50
Rua Sérgio Miranda
16 083 019 390 Ouro Preto 253.500,00

contra crianças e
Moreira
Rua Sérgio Miranda
17 083 017 360 Ouro Preto 234.000,00
Moreira
18 128 016 730,92 Rua Mar Vermelho Serra Verde 286.403,69
19 128 017 964,46 Rua Mar Vermelho Serra Verde 377.914,01

adolescentes
Av. Antônio Carlos/ Rua
20 002A 018 540,34 São Francisco 1.390.835,16
Viana do Castelo
Av. Antônio Carlos/ Rua
21 002A 019 352,50 São Francisco 907.335,00
Viana do Castelo
Av. Antônio Carlos/ Rua
22 008 005 486,00 São Francisco 1.250.964,00
Caldas da Rainha
23 007D 022B 363,37 Rua Leopoldina Santo Antônio 763.548,80
24 007D 021B 433,50 Rua Leopoldina Santo Antônio 988.302,00
25
26
049 044
049 043
1.380,00
530,00
Rua Eng. Senna Freire
Rua Eng. Senna Freire
São Bento
São Bento
3.312.912,42
1.677.823,92 Disque-denúncia
Nacional de Abusos
27 374A 023 500,01 Rua Kepler Santa Lúcia 514.810,30
28 374A 027 490,34 Rua Eclipse Santa Lúcia 350.593,10
29 336 003 562,50 Av. Antônio Carlos Liberdade 1.575.000,00

e Exploração Sexual
30 025 021 310,00 Rua Eurita Santa Tereza 554.520,00
31 061 029 300,00 Rua Mem de Sá Paraíso 504.900,00
32 050A 017 430,50 Rua Cristina Santo Antônio 1.390.985,80

33 020A 017 399,00


Rua Josias Vaz de
Oliveira
Heliópolis 414.760,50
contra Crianças e
Adolescentes
Rua Josias Vaz de
34 020A 018 378,00 Heliópolis 392.931,00
Oliveira
Rua Sebastião Antônio
35 147 016 1.000,00 Bandeirantes 544.500,00
Carlos
36 090W 008 232,50 Av. Petrolina Sagrada Família 442.214,12
Rod. Stael M. B. M.
37 085 002 811,97 Belvedere 1.543.392,58

Ligue 100
Magalhães
Rod. Stael M. B. M.
38 085 003 800,25 Belvedere 1.213.819,20
Magalhães
39 085 004 6.902,88 Rod. BR 356 Belvedere 10.138.950,14
40 085 005 5.587,00 Rod. BR 356 Belvedere 9.654.336,00

LEI Nº 11.192, DE 6 DE SETEMBRO DE 2019.

Altera a Lei nº 11.132/18 e dá outras providências. (ligação gratuita)


O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte
Lei:

Dom5851.indd 41 06/09/2019 19:47:51


BELO HORIZONTE
42 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

6 / 01.077178.19.86, PATRICIA DORNELAS 8 / 01.080007.19.61, MARCIA CALIXTO DA WILMA SUELI DOS SANTOS, BM 27.338-8.
SECRETARIA MUNICIPAL DE TRINDADE, BM 84.369-9 / 01.077205.19.57, SILVA, BM 43.985-5 / 01.079700.19.37, MARIA
SMPOG SILMAR PAULO MOREIRA RATES, BM 84.452- CECILIA ALVARENGA BASTOS, BM 77.709-2 / Desaverbação de tempo de contribuição -
PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO 0 / 01.077906.19.31, VALMIR BRAZ DA SILVA, 01.045916.18.54, SOCRATES MOREIRA LEAL, serviço: 01.004315.19.54, ALISSON TARSO
E GESTÃO BM 76.969-3. BM 37.161-4. DO REGO, BM 48.353-6 / 01.057966.19.00,
JUCARA APARECIDA LARA, BM 45.815-9 /
ATOS DO SUBSECRETÁRIO DE GESTÃO DESPACHOS DA GERENTE DE Processos Indeferidos: 01.055829.19.69, ROSELY DAS GRACAS DE
PREVIDENCIÁRIA INSTRUÇÃO E CONCESSÃO DE SOUZA, BM 111.770-8 / 01.050717.19.58, SUELY
BENEFÍCIOS Averbação de tempo de contribuição - serviço MARCIA MEIRELES FRANCK, BM 34.144-
Concede aposentadoria voluntária por tempo extramunicipal para fins de aposentadoria: 8 / 01.019959.19.00, TANIA APARECIDA DE
de contribuição, nos termos do art. 3º da EC nº Processos Deferidos: 01.080852.19.82, SOCRATES MOREIRA LEAL, SOUZA, BM 84.722-8.
47/2005, aos servidores: BM 37.161-4 / 01.077388.19.29, TEREZA
- ANTONIO MOREIRA MARTINS, BM 41.263- Exclusão de tempo de contribuição - serviço: CRISTINA FIGUEIREDO, BM 82.598-4. TORNAR SEM EFEITO
9, CPF 374.188.076-00, Agente Sanitário, Nível 01.070566.19.27, TANIA MARA SILVA DE DESPACHOS DA GERENTE DE
10, da Secretaria Municipal de Saúde, a partir de FREITAS, BM 32.160-9 / 01.017217.19.78, Exclusão de tempo de contribuição - serviço: INSTRUÇÃO E CONCESSÃO DE
15/07/2019. (Processo 01.079627.19.49). TEREZINHA NELMA DE ARAUJO, BM 26.989- 01.060966.19.89, CRISTINA MARIA BENEFÍCIOS
- IDENEIA GLORIA GOMES RODRIGUES, BM 5. MARCONDES DO SACRAMENTO LOPES, BM
47.380-8, CPF 315.425.146-49, Agente de Serviços 33.414-X / 01.034356.19.10, DEBORA MARIA DOM 26/02/2019
de Saúde, Nível 09, da Secretaria Municipal Desaverbação de tempo de contribuição - serviço: PEREIRA SILVA, BM 27.083-4 / 01.071383.19.92, Torna sem efeito o indeferimento do processo
de Saúde, a partir de 13/03/2019. (Processo 01.141288.18.16, ADRIANE PITANGUI MARIA APARECIDA FIDENCIO, BM 39.123- de exclusão de tempo de contribuição – serviço:
01.030418.19.24). TERRA, BM 73.342-7 / 01.068483.19.69, ANA 2 / 01.057345.19.63, SANDRA APARECIDA 01.017217.19.78, TEREZINHA NELMA DE
- JANE NUBIA MOREIRA MOTA MAIA, CLEIDE FONSECA PACHECO, BM 46.889- COLARES, BM 70.159-2 / 01.046008.19.31, ARAUJO, BM 26.989-5.
BM 37.088-X, CPF 633.697.376-04, Agente
de Serviços de Saúde, Nível 09, da Secretaria
Municipal de Saúde, a partir de 30/05/2019.
(Processo 01.062380.19.03). PRODABEL
PRODABEL
- MARIA ELISA VALADARES DA SILVA, BM
48.991-7, CPF 400.323.026-49, Agente de Serviços
de Saúde, Nível 09, da Secretaria Municipal PORTARIA Nº 109/2019 DE 02 DE SETEMBRO DE 2019
de Saúde, a partir de 18/07/2019. (Processo
01.081099.19.15). Designação de Gestor, Fiscal e Fiscal Substituto na DAF-PB.
- MARIA SILVIA VILELA SCHIVEK, BM
100.865-8, CPF 428.622.646-87, Cirurgiã Dentista, O Diretor-Presidente e o Diretor de Administração, Finanças e Compliance, no exercício de suas atribuições legais e estatutárias, considerando o Decreto
Nível 05, da Secretaria Municipal de Saúde, a partir Municipal nº 15.185/2013, que dispõe sobre a criação das funções de Gestor e Fiscal de Contratos Administrativos no âmbito da Administração Direta e Indireta do
de 09/07/2019. (Processo 01.077120.19.04). Município de Belo Horizonte, e alterações posteriores,
- VALÉRIA APARECIDA GOMES, BM 37.053-7, RESOLVEM:
CPF 599.147.856-20, Agente de Serviços de Saúde,
Nível 07, da Secretaria Municipal de Saúde, a partir Art. 1º - Designar para a função de gestor, fiscal e fiscal substituto do contrato PDB.039.2019.5.1 – Arte Informática - os empregados abaixo relacionados:
de 17/07/2019. (Processo 01.080738.19-07).
GESTOR
FORNECEDOR Nº PDB OBJETO
Concede aposentadoria voluntária por tempo de Nome Cargo/Função Matrícula
contribuição a ROSANA GERALDA ALVES Diretor de Administração
Thiago Souza Dutra 099159-4
COSTA HESPANHA, BM 72.812-1, CPF Finanças e Compliance
489.014.076-04, Professora Municipal, Nível 20, FISCAL TITULAR
da Secretaria Municipal de Educação, nos termos
Prestação de serviços de manutenção e suporte técnico Nome Cargo/Função Matrícula
do art. 6º da EC nº 41/2003, c/c arts. 2º e 5º da operacional, com manutenção adaptativa, corretiva,
EC nº 47/2005, a partir de 15/07/2019. (Processo Analista de Gestão de
Arte Informática PDB.039.2019.5.1 preventiva, suporte técnico presencial, incluindo Júnia Marçano Pereira 3337-2
01.079277.19.39). Recursos Estratégicos
treinamento aos usuários do Sistema Integrado de
Gestão de Recursos Humanos, denominado ArteRH. FISCAL SUBSTITUTO
Concede aposentadoria voluntária por tempo Nome Cargo/Função Matrícula
de contribuição, nos termos do art. 6º da EC nº
Analista de Gestão de
41/2003, c/c arts. 2º e 5º da EC nº 47/2005 e § 5º do Alaim de Figueiredo
Recursos Estratégicos
1797-0
art. 40 da CR/1988, aos servidores:
- DIVANIR PEREIRA GONCALVES, BM 33.908- Art. 2º - Esta portaria entra em vigor na data da sua publicação.
7, CPF 709.760.666-53, Professora Municipal,
Nível 18, da Secretaria Municipal de Educação, a Leandro Moreira Garcia
partir de 14/02/2019. (Processo 01.019524.19.48). Diretor-Presidente
- MARIA DA CONCEICAO MARINHO Thiago Souza Dutra
HENRIQUES, BM 70.268-8, CPF 597.451.506- Diretor de Administração, Finanças e Compliance
49, Professora Municipal, Nível 18, da Secretaria
Municipal de Educação, a partir de 01/08/2019.
(Processo 01.086393.19.50). RATIFICAÇÃO DISPENSA DE LICITAÇÃO digital, com pacote de consultoria ilimitada por SECRETÁRIA: Magda Maria de Magalhães
- PAOLLINE COSTA MARTINS, BM 70.471-0, Nº 002/2019 meio de e-mail, chat e telefone. Barbalho
CPF 512.766.236-15, Professora Municipal, Nível Vigência: 26/08/2019 a 25/08/2020 PRESENTES: Rafael Santiago Costa, Agnes Ferraz
21, da Secretaria Municipal de Educação, a partir de Processo Administrativo nº 04-000.407/19-71 Valor: R$ 1.896,00 Akagui de Castro, Marlon Torres Campos, Mariel
12/07/2019. (Processo 01.078619.19.85). A Empresa de Informática e Data de assinatura: 26/08/2019 Orsi Gameiro, Henrique Magalhães Rodrigues da
Informação do Município de Belo Horizonte Silva e Vander Lima Fernandes.
DESPACHO DO SECRETÁRIO MUNICIPAL S/A – PRODABEL, representada por seu Belo Horizonte, 27 de agosto de 2019
DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E Diretor-Presidente, Sr. Leandro Moreira Às 16 horas iniciou-se a sessão.
GESTÃO Garcia, RATIFICA o ato de Dispensa de Amanda Luiza de Souza Lima
Licitação para contratar a Associação Gerência de Formalização e JULGAMENTOS
Processo administrativo indeferido após Profissionalizante do Menor de Belo Horizonte- Acompanhamento de Contratos
interposição de recurso pela interessada: ASSPROM para recrutamento, seleção, Recurso Voluntário nº 11.103. Processo nº
01.097012.18.03, ANIRIS RABELO, BM 38.060- contratação, capacitação, acompanhamento e EXTRATO 01.147774.16.95. Assunto: ISSQN – Revisão
5. disponibilização de 09 (nove) aprendizes para do Lançamento (TVF/AITI). Recorrente: OPEN
a PRODABEL, sendo: 5 (cinco) aprendizes EXTRATO DO 7º TERMO ADITIVO ENGENHARIA LTDA. Advogado: Dr. Gil
DESPACHOS DA DIRETORA CENTRAL de Administração e 04 (quatro) aprendizes de Contrato: PDB.028.2016.5.1 Vieira de Carvalho Neto – OAB/MG 140.334.
DE CONCESSÃO E CONTROLE DE Tecnologia da Informação, pelo período de 12 Processo: Pregão 19/2016 Relator: Dr. Carlos Manoel Miranda Monteiro.
BENEFÍCIOS (doze) meses, nos termos do seu Regulamento Nº do Processo: 04.000.668/16-02 Decisão: CONHECIDO E DESPROVIDO À
Interno de Licitações e Contratos. Instrumento Jurídico: 01.2016.0604.0028.07.00 UNANIMIDADE DE VOTOS. ASSISTIU AO
Processos Deferidos: Pelo objeto será pago o valor total Contratante: Empresa de Informática e Informação JULGAMENTO, EM NOME DA RECORRENTE,
estimado de R$ 175.859,28 (cento e setenta e cinco do Município de Belo Horizonte S/A - PRODABEL O DR. GIL VIEIRA DE CARVALHO NETO.
Averbação de tempo de contribuição - serviço mil oitocentos e cinquenta e nove reais e vinte e oito Contratado: Portal Norte Segurança Patrimonial Acórdão nº 10.839/2ª.
extramunicipal para fins de aposentadoria: centavos) previsto na dotação orçamentária Nº 060 EIRELI ME.
01.076057.19.26, ADRIANE GONZAGA DA 4.1100.19.122.085.2900.0001.339039.99.0300 Objeto: Renovação do contrato pelo período de 12 Recurso Voluntário nº 11.203. Processo nº
SILVA PEIXOTO, BM’s 92.590-3 e 77.243- meses. 11.004890.10.36 (Anexos nº 11.003389.16.84
0 / 01.083855.19.87, ALESSANDRO PINHO Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 Vigência: 27/09/2019 a 26/09/2020 e 11.015014.17.20). Assunto: IPTU –
GOMES, BM 86.458-0 / 01.068326.19.80, Valor: R$ 711.132,36 Revisão de Lançamentos. Recorrente: EMIG
ALEXANDRE DA CRUZ E SOUZA WENZEL, Leandro Moreira Garcia Data de assinatura: 05/09/2019 EMPREENDIMENTOS MINAS GERAIS LTDA.
BM 35.346-2 / 01.073805.19.82, CLEIA CRISTINA Diretor-Presidente Advogados: Dr. Raul de Araújo Filho – OAB/
DE BARROS, BM 116.582-6 / 01.080515.19.12, Ordenador de Despesa Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 MG 5.915 e outros. Relator: Dr. Vander Lima
EDINEIA DA SILVA MOREIRA, BM 118.366- Fernandes. Decisão: À UNANIMIDADE DE
2 / 01.080644.19.65, ELIANI CAETANO EXTRATO Amanda Luiza de Souza Lima VOTOS, CONHECIDO PARCIALMENTE O
DE FARIA, BM 96.648-0 / 01.070487.19.52, Gerência de Formalização e RECURSO VOLUNTÁRIO, E, NO MÉRITO,
ELKA APARECIDA DOS REIS, BM 47.129-5 / EXTRATO DE CONTRATO Acompanhamento de Contratos DESPROVIDO, NOS TERMOS DO VOTO DO
01.066356.19.70, ELSON LUIZ DE LIMA, BM Contrato: PDB.037.2019.3.1 RELATOR. EFETUOU SUSTENTAÇÃO ORAL,
44.104-3 / 01.071965.19.88, GENESIS ALMEIDA Processo: Dispensa 041/2019 EM NOME DA RECORRENTE, O DR. PEDRO
VELOSO, BM 87.253-2 / 01.079662.19.40, Nº do Processo: 04.001.001/19-42 SECRETARIA MUNICIPAL
SMFA HENRIQUE LACERDA MIRANDA COELHO –
LUCIANE CAMINHA COIMBRA, BM 115.941-9 Instrumento Jurídico: 01.2019.0604.0028.00.00 OAB/MG 141.259. Acórdão nº 10.823/2ª.
/ 01.072292.19.74, LUCIENE VIANA PACHECO, Contratante: Empresa de Informática e Informação DE FAZENDA
BM 114.180-3 / 01.076234.19.10, MARIA DAS do Município de Belo Horizonte S/A - PRODABEL Reexame Necessário nº 11.199. Processo nº
GRACAS FREITAS DA SILVA, BM 115.364- Contratado: Atualização Profissional Contábil e CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS 01.034821.17.05. Assunto: ISSQN – Revisão
X / 01.069335.19.07, MARIA RITA AMARAL Jurídica 2ª CÂMARA do Lançamento (TVF/AITI). Contribuinte:
SOARES, BM 45.323-8 / 01.079637.19.00, Objeto: Prestação de serviços e aquisição de CAPPE BRASIL ENGENHARIA LTDA.
MARILIA DE MELLO FALCAO, BM 71.301-9 assinatura, pelo período de 12 meses, de informativo ATA DA 1556ª REUNIÃO, EM 21/08/2019. Advogados: Dra. Alexandra Carolina Vieira
/ 01.083816.19.25, NILSON ALVES, BM 80.980- contábil, trabalhista, fiscal e societário no formato PRESIDENTE: Edmar Damasceno Fonseca. Miranda OAB/MG 101.795 e outros. Relator: Dr.

dom5851 B.indd 42 06/09/2019 19:49:42


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 43

Rafael Santiago Costa. Decisão: EM SEDE DE O PROVIAM. ASSISTIU AO JULGAMENTO, EM CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS enquadramento da sociedade como clínica médica
REEXAME NECESSÁRIO, POR MAIORIA, NOME DA RECORRENTE, O DR. ALEXANDRE 2ª CÂMARA e a comprovada existência de elemento de empresa
MANTIDA A DECISÃO DE 1ª INSTÂNCIA, ESPINHA OLIVEIRA – OAB/MG 98.873. Acórdão são suficientes a excluí-la do regime exceptivo.
VENCIDO O PRESIDENTE, CONSELHEIRO nº 10.830/2ª. PAUTA DA REUNIÃO DO DIA 02 DE OUTUBRO Portanto, o desenquadramento e a inaplicabilidade
EDMAR DAMASCENO FONSECA, QUE DE 2019, ÀS 16 HORAS do regime exceptivo, com a consequente incidência
A REFORMAVA PARCIALMENTE, PARA Recurso Voluntário nº 11.174. Processo nº LOCAL: RUA ESPÍRITO SANTO, Nº 605 – 8º tributária tendo por base a receita bruta de prestação
MANTER NO FEITO FISCAL A CORREÇÃO 01.039480.17.65. Assunto: ISSQN – Revisão do ANDAR de serviços, assim como determinou o Fisco, é
MONETÁRIA, NOS TERMOS DE SEU VOTO. Lançamento (TVF/AITI). Recorrente: FOCUS medida que deve prevalecer.
EFETUOU SUSTENTAÇÃO ORAL, EM NOME ARQUITETURA E ENGENHARIA LTDA. Reexame Necessário nº 11.213 e Recurso Voluntário - Quanto ao pedido de perícia, vale ressaltar que os
DA CONTRIBUINTE, A DRA. ALEXANDRA Advogados: Dr. José Humberto Souto Júnior nº 11.214 autos estão satisfatoriamente instruídos, razão pela
CAROLINA VIEIRA MIRANDA – OAB/MG – OAB/MG 103.223 e outros. Relatora: Dra. Processo nº 01.110288.18.00 qual resta afastada a necessidade de prova pericial.
101.795. Acórdão nº 10.824/2ª. Mariel Orsi Gameiro. Decisão: CONHECIDO E Assunto: ISSQN – Revisão do Lançamento (TVF/ - Por tudo que restou provado, mister o
DESPROVIDO O RECURSO VOLUNTÁRIO, AITI) desprovimento do presente Recurso Voluntário com
JULGAMENTO SUSPENSO – VISTA À UNANIMIDADE DE VOTOS. Acórdão nº Recorrente: INTERFILE SERVIÇOS DE BPO a consequente confirmação da decisão “a quo”.
REQUERIDA 10.831/2ª. LTDA.
Advogados: Dr. Andrês Dias de Abreu – OAB/MG ACÓRDÃO
Recurso Voluntário nº 11.110. Processo nº Reexame Necessário nº 11.175 e Recurso 87.433 e outros
01.028684.17.43. Assunto: ISSQN – Revisão Voluntário nº 11.176. Processo nº 01.060216.17.27. Relator: Dr. Rafael Santiago Costa. Vistos, relatados e discutidos os autos, acorda a 1ª
do Lançamento (TVF/AITI). Recorrente: PCM Assunto: ISSQN – Revisão do Lançamento (TVF/ Câmara do Conselho de Recursos Tributários, na
COMISSIONAMENTO LTDA., nova razão AITI). Recorrente: FOCUS ARQUITETURA E Belo Horizonte, 04 de setembro de 2019 reunião do dia 9 de julho de 2019, à unanimidade
social de PCM ENGENHARIA E SISTEMAS ENGENHARIA LTDA. Advogados: Dr. Guilherme de votos, em conhecer e negar provimento ao
LTDA. Advogados: Dr. Abílio Machado Neto Frederico Matos Pacheco de Andrade – OAB/ José Rogério dos Santos Mello recurso. Presidiu este julgamento o conselheiro
OAB/MG 44.068 e outros. Relatora: Dra. MG 108.448 e outros. Relatora: Dra. Mariel Conselho de Recursos Tributários Danilo Dias do Amaral, tendo também proferido
Mariel Orsi Gameiro. APÓS OS VOTOS Orsi Gameiro. Decisão: À UNANIMIDADE Secretaria Executiva do CART-BH voto os conselheiros Paulo Fernando Rodrigues
DOS CONSELHEIROS VANDER LIMA DE VOTOS, MANTIDA A DECISÃO DE Rocha, Henrique Machado Rodrigues de Azevedo
FERNANDES E AGNES FERRAZ AKAGUI PRIMEIRA INSTÂNCIA EM SEDE DE CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS e Henrique Goseling Araujo. Efetuou sustentação
DE CASTRO, PELO CONHECIMENTO E REEXAME NECESSÁRIO, E, CONHECIDO E ACÓRDÃOS oral, em nome da Recorrente, o Dr. Janir Adir
PROVIMENTO DO RECURSO VOLUNTÁRIO, DESPROVIDO O RECURSO VOLUNTÁRIO. Moreira.
ACOMPANHANDO A RELATORA, E O VOTO Acórdão nº 10.832/2ª. O Secretário Executivo do Conselho
DO CONSELHEIRO MARLON TORRES Administrativo de Recursos Tributários do (a) Danilo Dias do Amaral (Presidente)
CAMPOS, QUE DESISTIU DA VISTA, PELO JULGAMENTO SUSPENSO – Município, no exercício de suas atribuições, (a) Gabriela Cristina Figueiredo Gomes (Relatora)
CONHECIMENTO E DESPROVIMENTO CONCESSÃO DE VISTA faz publicar o(s) acórdão(s) abaixo indicado(s),
DO RECURSO, ACOMPANHANDO A informando que os prazos para a interposição de ACÓRDÃO Nº 10.801/1ª
DIVERGÊNCIA INSTAURADA PELO Reexame Necessário nº 11.156 e Recurso recursos, quando cabíveis, serão de 5 (cinco) dias
CONSELHEIRO HENRIQUE MAGALHÃES Voluntário nº 11.157. Processo nº 01.021935.18.02. para Pedido de Reconsideração e de 15 (quinze) Recurso Voluntário nº 11.169. Processo nº
RODRIGUES DA SILVA, REQUISITOU VISTA Assunto: ISSQN – Revisão do Lançamento (TVF/ dias para Recurso Especial e contar-se-ão a partir 01.041668.15.20. Recorrente: GUSTAVO
DOS AUTOS O PRESIDENTE, CONSELHEIRO AITI). Recorrente: NICHO ENGENHEIROS da presente publicação. As cópias se encontram à CORDEIRO SOARES DA SILVEIRA. Relatora:
EDMAR DAMASCENO FONSECA. ASSISTIU CONSULTORES LTDA. Advogados: Dra. Maíra disposição dos interessados na Rua Espírito Santos, Dra. Gabriela Cristina Figueiredo Gomes.
À SESSÃO, EM NOME DA RECORRENTE, Moreira Figueiredo – OAB/MG 112.579 e outros. nº 605 – 8º andar – Belo Horizonte, MG.
O DR. BRUNO TOURINO DAMATA – OAB/ Relatora: Dra. Mariel Orsi Gameiro. APÓS OS EMENTA
MG 153.902. A CONTINUIDADE DESTE VOTOS DOS CONSELHEIROS VANDER LIMA ACÓRDÃO Nº 10.800/1ª
JULGAMENTO DAR-SE-Á EM 11/09/2019. FERNANDES E RAFAEL SANTIAGO COSTA, PEDIDO DE BAIXA DE INSCRIÇÃO
QUE DESISTIU DA VISTA ANTERIORMENTE Recurso Voluntário nº 11.155. Processo nº CADASTRAL DE PROFISSIONAL AUTÔNOMO
JULGAMENTO SUSPENSO – VISTA SOLICITADA, PELA MANUTENÇÃO DA 01.116687.16.78. Recorrente: CLÍNICA DE – COMPROVAÇÃO DO EXERCÍCIO DE
CONCEDIDA DECISÃO DE PRIMEIRA INSTÂNCIA, OLHOS DR. PAULO FERRARA LTDA. – EPP. ATIVIDADES DE AUTÔNOMO APÓS A DATA
EM SEDE DE REEXAME NECESSÁRIO, E Advogados: Dr. Janir Adir Moreira e outros. ALEGADA – INDEFERIMENTO DE BAIXA
Recurso Voluntário nº 11.160. Processo nº PELO CONHECIMENTO E PROVIMENTO Relatora: Dra. Gabriela Cristina Figueiredo Gomes. RETROATIVA – RECURSO VOLUNTÁRIO
01.061260.17.54. Assunto: ISSQN – Revisão PARCIAL DO RECURSO VOLUNTÁRIO, DESPROVIDO – CONFIRMAÇÃO DA
do Lançamento (TVF/AITI). Recorrente: DF+ ACOMPANHANDO A RELATORA, OS AUTOS EMENTA DECISÃO “A QUO”. A condição basilar e
ENGENHARIA GEOTÉCNICA E RECURSOS FORAM ENTREGUES AO CONSELHEIRO legitimadora da baixa de inscrição de profissional
HÍDRICOS LTDA., atual razão social de VOGBR MARLON TORRES CAMPOS, PARA VISTA. ISSQN – REVISÃO DE LANÇAMENTO – autônomo é o inequívoco encerramento das
RECURSOS HÍDRICOS & GEOTECNIA TVF/AITI – DESCARACTERIZAÇÃO DE atividades ensejadoras da incidência tributária.
LTDA. Advogados: Dra. Isabella Guerra Naeme Às 17 horas encerrou-se a sessão. SOCIEDADE DE PROFISSIONAIS LIBERAIS - No presente caso, o Recorrente alega que é
Paiva OAB/MG 115.648 e outros. Relator: Dr. (SPL) PARA FINS DO RECOLHIMENTO DO sócio administrador da empresa Silveira e Saraiva
Vander Lima Fernandes. APÓS O VOTO DO Conselho de Recursos Tributários, 28 de IMPOSTO NA FORMA EXCEPTIVA – ARTIGO Serviços de Apoio Administrativo Ltda – ME,
CONSELHEIRO MARLON TORRES CAMPOS, agosto de 2019. 9º, §3º DO DECRETO-LEI Nº406/1968 – ARTIGO constituída em 03/04/2013 e exerce atividades
PELO CONHECIMENTO E PROVIMENTO 13 DA LEI MUNICIPAL Nº 8725/2003 – NÃO laborais para a empresa Argos Assistência Técnica
PARCIAL DO RECURSO, NOS TERMOS DE Edmar Damasceno Fonseca CUMPRIMENTO DOS REQUISITOS LEGAIS EPP desde 10/06/2013; todavia, constam dos autos
SEU VOTO, OS AUTOS FORAM ENTREGUES Presidente – LEGÍTIMA INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA que o Recorrente permanece inscrito na Ordem
À CONSELHEIRA MARIEL ORSI GAMEIRO Magda Maria de Magalhães Barbalho COM BASE NA RECEITA BRUTA – dos advogados do Brasil, além de patrocinar
PARA VISTA. O PRESIDENTE DETERMINOU Secretária MANUTENÇÃO DO LANÇAMENTO – ações ativas em que figura como único patrono da
A CONTINUIDADE DO JULGAMENTO PARA PEDIDO DE PROVA PERICIAL – INSTRUÇÃO causa. Portanto, correto o indeferimento da baixa
O DIA 11/09/2019. CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS SATISFATÓRIA – PEDIDO INDEFERIDO retroativa, uma vez que não ocorreu a interrupção
2ª CÂMARA – RECURSO VOLUNTÁRIO DESPROVIDO do efetivo exercício das atividades autônomas a
Às 18 horas e 20 minutos encerrou-se a – CONFIRMAÇÃO DA DECISÃO “A QUO”. partir de 01/01/2015, ainda que concomitantemente
sessão. PAUTA DA REUNIÃO DO DIA 18 DE A aplicação do regime de tributação de base fixa com outras atividades.
SETEMBRO DE 2019, ÀS 16 HORAS de que trata os §§ 1 e 3º do artigo 9º do Decreto- - Por tudo que restou provado, mister o
Conselho de Recursos Tributários, 21 de LOCAL: RUA ESPÍRITO SANTO, Nº 605 – 8º lei nº 406/68, regulado no município de Belo desprovimento do presente Recurso Voluntário,
agosto de 2019. ANDAR Horizonte pelo artigo 13 da Lei Municipal nº com a consequente confirmação da decisão “a quo”.
8.725/2003, qual seja, o recolhimento do imposto
Edmar Damasceno Fonseca Reexame Necessário nº 11.156 e Recurso Voluntário de maneira exceptiva e não com base na receita ACÓRDÃO
Presidente nº 11.157 bruta de prestação de serviços, para as denominadas
Magda Maria de Magalhães Barbalho Processo nº 01.021935.18.02 ‘sociedades de profissionais liberais’, é determinada Vistos, relatados e discutidos os autos, acorda a 1ª
Secretária Assunto: ISSQN – Revisão do Lançamento (TVF/ pelo inequívoco cumprimento dos requisitos e Câmara do Conselho de Recursos Tributários, na
AITI) condições estabelecidos em lei, sobretudo pela reunião do dia 9 de julho de 2019, à unanimidade de
CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS Recorrente: NICHO ENGENHEIROS comprovação da pessoalidade e consequente votos, em conhecer e negar provimento ao recurso.
2ª CÂMARA CONSULTORES LTDA. responsabilidade pessoal na prestação dos serviços Presidiu este julgamento o conselheiro Danilo
Advogados: Dra. Maíra Moreira Figueiredo e em nome da sociedade por parte dos profissionais, Dias do Amaral, tendo também proferido voto os
ATA DA 1557ª REUNIÃO, EM 28/08/2019. outros sócios ou não, e da exclusiva prestação dos conselheiros Edmar Pieri Campos, Paulo Fernando
PRESIDENTE: Edmar Damasceno Fonseca. Relatora: Dra. Mariel Orsi Gameiro serviços correspondentes aos itens elencados nos Rodrigues Rocha, Henrique Machado Rodrigues de
SECRETÁRIA: Magda Maria de Magalhães (Autos conclusos ao Cons. Edmar Damasceno dispositivos legais retro citados. Azevedo e Henrique Goseling Araujo.
Barbalho Fonseca em 04/09/2019) - No presente caso, restou comprovado nos autos
PRESENTES: Rafael Santiago Costa, Agnes Ferraz que a Sociedade não faz jus ao regime exceptivo, a (a) Danilo Dias do Amaral (Presidente)
Akagui de Castro, Marlon Torres Campos, Mariel Reexame Necessário nº 11.212 uma porque afastado o elemento da pessoalidade, o (a) Gabriela Cristina Figueiredo Gomes (Relatora)
Orsi Gameiro, Henrique Magalhães Rodrigues da Processo nº 01.117829.10.00 – Anexo: qual é característica essencial às sociedades simples
Silva, Eduardo Cotta de Almeida e Vander Lima 01.130196.10.80 para o enquadramento no regime de tributação em Belo Horizonte, 5 de setembro de 2019
Fernandes. Ausência justificada: Luciene Aparecida Assunto: ITBI - Revisão do Lançamento comento. Destarte, a prestação de serviços com a
Silva Franco. Contribuinte: MARCELO MARTINS GANDRA E utilização de mão de obra de outros profissionais, José Rogério dos Santos Mello
OUTRA como farmacêutico, técnico óptico e técnico Conselho de Recursos Tributários
Às 16 horas iniciou-se a sessão, tendo Relatora: Agnes Ferraz Akagui de Castro em optometria, implica no desenquadramento Secretaria Executiva do CART-BH
sido lida e aprovada ata da 1555ª Reunião, ocorrida do regime exceptivo de recolhimento do tributo
em 14/08/2019. Também foi lido, aprovado e Pedido de Reconsideração nº 277 e, adicionalmente, a legislação trata de forma REGISTRO CADASTRAL – SUCAF
assinado, para republicação, o acórdão nº 10.803/2ª. Processo nº 01.170920.16.86 diferenciada o serviço médico personalíssimo
Assunto: ISSQN – Revisão de Lançamento (TVF/ daquele prestado por clínica, conforme subitem Deferido: BCS COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA.,
JULGAMENTOS AITI) 4.03 da lista de serviços, o qual se mostra inerente CNPJ: 31.658.202/0001-59.
Requerente: TSA TECNOLOGIA DE SISTEMAS às atividades da Recorrente. Nos termos do Decreto
Recurso Voluntário nº 11.059. Processo nº DE AUTOMAÇÃO S/A Lei nº 406/1968, apenas os serviços prestados pelo RENOVAÇÃO DO REGISTRO
01.070740.16.80. Assunto: TFEP – Revisão Advogados: Dr. Daniel Pereira Artuzo – OAB/MG médico são considerados aptos ao gozo do regime CADASTRAL – SUCAF
de Lançamento. Recorrente: RAÍZEN 104.608 e outros exceptivo de recolhimento do ISSQN, haja vista
COMBUSTÍVEIS S.A. Advogados: Dr. Renan Assad Relatora: Dra. Mariel Orsi Gameiro que as clínicas médicas elencadas no item 2 da Deferidos: AÇÃO SOCIAL ÁGAPE, CNPJ:
de Oliveira – OAB/MG 16.086 e outros. Relator: Dr. lista não são contempladas no disposto no art. 9º do 03.262.217/0001-68; CONDOR S/A INDÚSTRIA
Eduardo Cotta de Almeida. Decisão: CONHECIDO Belo Horizonte, 04 de setembro de 2019 referido Decreto. Portanto, ainda que se mostrassem QUÍMICA, CNPJ: 30.092.431/0001-
À UNANIMIDADE DE VOTOS. NO MÉRITO, legítimos os argumentos da parte Recorrente 96; CRECHE MADRE MAZZARELLO,
POR MAIORIA, DESPROVIDO, VENCIDOS OS José Rogério dos Santos Mello no sentido de que não realiza atividade com CNPJ: 22.442.503/0001-50; HAND LIFE
CONSELHEIROS RAFAEL SANTIAGO COSTA Conselho de Recursos Tributários elemento de empresa, que não realiza internações SUPRIMENTOS MÉDICOS E FISIOTERÁPICOS
E LUCIENE APARECIDA SILVA FRANCO QUE Secretaria Executiva do CART-BH e não promove atividades hospitalares, o simples EIRELI, CNPJ: 07.590.023/0001-42; L.M. FARMA

dom5851 B.indd 43 06/09/2019 19:49:42


BELO HORIZONTE
44 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA., CNPJ: 57.532.343/0001-14; OBRAS SOCIAIS DA PAMPULHA, JESSICA SANTOS DE FIGUEIREDO
305001 002 0782 2019 RESIDENCIAL 312,71 700081531928
CNPJ: 16.888.174/0001-72; PICUÁ PRODUÇÕES ARTÍSTICAS LTDA. – EPP, CNPJ: 13.223.032/0001- LINHARES
06; QG LOG SERVIÇOS DE LOGÍSTICA LTDA., CNPJ: 14.533.664/0001-20; WILSON NATIVO DE 305001 002 1088 SERGIO VINICIO BARBOZA DE OLIVEIRA 2019 RESIDENCIAL 312,71 700067511907
JESUS 47747382634, CNPJ: 17.534.865/0001-30. 305001 002 1410 ISAQUE MATOS BARBOSA 2019 RESIDENCIAL 312,71 700067561912
305001 002 2165 LEANDRO FERREIRA CABRAL 2019 RESIDENCIAL 312,71 700080901900
Comissão Permanente de Cadastro de Fornecedores 305201 001 0388 ADRIANE ASSIS FONSECA 2019 RESIDENCIAL 313,37 700081941905
Subsecretaria de Administração e Logística 305201 001 143X GILDA SEABRA PINHEIRO 2019 RESIDENCIAL 313,37 700081841951
  305201 001 188X ANDRE LUIS SANTOS KIND 2019 RESIDENCIAL 313,37 700081481998
ABERTURA DE LICITAÇÃO 308071 075A0018 MARIA JOSE DE OLIVEIRA 2019 RESIDENCIAL 5.378,71 700010791919
PREGÃO ELETRÔNICO Nº 061/2019 NAO
308071 075A0026 MARIA JOSE DE OLIVEIRA 2019 1.774,01 700010791919
RESIDENCIAL
Processo nº 01.093262.19.00 366011 003 0025
MAGNOLIA BATISTA DE AGUILAR
2019
NAO
2.036,94 700052821964
PIGNATARIO RESIDENCIAL
Objeto: Prestação de serviço de manutenção preventiva e corretiva de equipamentos de ar condicionado, com
fornecimento parcial de peças de reposição, materiais de consumo e ferramentas. 437050 008 0011 FERNANDO DINIZ IMOVEIS LTDA 2019 RESIDENCIAL 2.012,94 700060911900

Abertura das propostas dia 20/09/19 às 08:00. Abertura da sessão de lances dia 20/09/19 às 10:00. 531034 001 1687 DIEGO STEINBERG 2019 RESIDENCIAL 312,71 700082161946

O pregão eletrônico será realizado em sessão pública por meio da INTERNET. Para participar 531062 002 0018 IONE LUCIANA NEVES DE SA 2019 RESIDENCIAL 1.511,38 700066941967
do pregão eletrônico, os interessados deverão credenciar-se junto às Agências do Banco do Brasil S/A, 617020 018 0017 MARCOS EDUARDO SILVA 2019 RESIDENCIAL 747,37 700047321983
para obtenção da senha de acesso. O edital poderá ser obtido pelos interessados através dos “sites” www. 629172 001 0429 CIRO BRAGA GONZAGA 2019 RESIDENCIAL 316,40 700081861987
licitacoes-e.com.br e www.pbh.gov.br ou poderá ser adquirido cópia impressa, no endereço abaixo, mediante 629173 001 0573 NEIDE MARIA PEREIRA DOS SANTOS 2019 RESIDENCIAL 320,36 700081701947
apresentação do recibo de depósito, no valor de R$8,19 (oito reais e dezenove centavos) recolhidos na Caixa 728014 010 0010 SILVANIA DE SOUSA MATEUS 2019 RESIDENCIAL 872,31 700079231998
Econômica Federal (Banco 104), Agência 0093-0, conta 265-4 (Operação 006). Mais informações poderão 743060 002 0015 MARIA GALDINA ALVES 2017 RESIDENCIAL 2.673,06 700075731988
ser obtidas na Gerência de Coordenação de Licitações à Rua Espírito Santo, n.º 605, 15º andar, Centro - 749008 025 0016 GERALDO DIOGO 2019 RESIDENCIAL 3.843,91 700049801915
Fones: (31) 3277-1400 e 3246-0151. 799036 017 0016 LEANDRO DE OLIVEIRA CAMPOS 2019 RESIDENCIAL 2.300,77 700073151992
807015 023 001X JOSE CONRADO DA SILVA 2019 RESIDENCIAL 1.884,67 700022371901
Emerson Duarte Menezes 807015 023 0029 JOSE CONRADO DA SILVA 2019
NAO
1.388,89 700022371901
Diretor de Compras RESIDENCIAL

  MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E


860013 015 0017 2014 RESIDENCIAL 620,63 011499591823
CAMPOS
EXTRATOS
MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E
860013 015 0017 2015 RESIDENCIAL 667,05 011499591823
CAMPOS
Extrato do Oitavo Termo Aditivo ao Contrato de locação de imóvel de uso não residencial. MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E
Processo: 01.012.151.11.27 860013 015 0017 2016 RESIDENCIAL 738,48 011499591823
CAMPOS
Instrumento Jurídico no SUCC: 01.2011.2300.0236.08.00 MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E
860013 015 0017 2017 RESIDENCIAL 787,06 011499591823
Locatário: Município de Belo Horizonte / Secretaria Municipal de Saúde CAMPOS
Locador (a): Mitra Arquidiocesana de Belo Horizonte – Paróquia Santo Afonso Ligório 860013 015 0017
MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E
2018 RESIDENCIAL 810,18 011499591823
CAMPOS
Objeto: Alteração de cláusula contratual, prorrogação do prazo de vigência do contrato de locação do imóvel
MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E
situado Praça Muqui, nº 191/199, Bairro Renascença – Belo Horizonte/MG, alteração do valor contratual 860013 015 0017
CAMPOS
2019 RESIDENCIAL 844,27 011499591823
e convalidação dos atos praticados a partir de 10 de maio de 2019 até a data de publicação do instrumento
MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E NAO
contratual. 860013 015 0025
CAMPOS
2015
RESIDENCIAL
2.934,36 011499591823
Prazo de vigência: 10/05/2019 a 09/05/2020. MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E NAO
860013 015 0025 2016 3.248,60 011499591823
Valor: R$ 46.800,00 CAMPOS RESIDENCIAL
Assinatura em: 13/08/2019. 860013 015 0025
MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E
2017
NAO
3.462,29 011499591823
CAMPOS RESIDENCIAL

Extrato do Sexto Termo Aditivo ao Contrato de locação de imóvel de uso não residencial. MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E NAO
860013 015 0025 2018 3.564,03 011499591823
CAMPOS RESIDENCIAL
Processo: 01.029.544.13.96
MARINA BEREZUSCKY DOS SANTOS E NAO
Instrumento Jurídico no SUCC: 01.2013.1400.0001.06.00 860013 015 0025
CAMPOS
2019
RESIDENCIAL
3.711,11 011499591823
Locatário: Município de Belo Horizonte / Secretaria Municipal de Saúde 917023 006 0015 ROSANGELA APARECIDA PIRES 2014 RESIDENCIAL 1.436,22 010859371910
Locador (a): Mitra Arquidiocesana de Belo Horizonte – Paróquia Santo Afonso Ligório 917023 006 0015 ROSANGELA APARECIDA PIRES 2015 RESIDENCIAL 1.535,35 010859371910
Objeto: Alteração de cláusula contratual, prorrogação do prazo de vigência do contrato de locação do imóvel 917023 006 0015 ROSANGELA APARECIDA PIRES 2016 RESIDENCIAL 1.699,76 010859371910
situado à Rua Macapá, nº 224, Bairro Renascença – Belo Horizonte/MG, alteração do valor contratual e 917023 006 0015 ROSANGELA APARECIDA PIRES 2017 RESIDENCIAL 1.811,59 010859371910
convalidação dos atos praticados a partir de 1º de maio de 2019 até a data de publicação do instrumento
917023 006 0015 ROSANGELA APARECIDA PIRES 2018 RESIDENCIAL 1.864,82 010859371910
contratual.
919198 001 1614 ISRAEL GETSMANI DIAS DE SOUZA 2019 RESIDENCIAL 312,71 700081661970
Prazo de vigência: 01/05/2019 a 30/04/2020.
FRANKLIN MARCIO RODRIGUES
Valor: R$ 17.355,60 938081 018 0425
MOREIRA
2019 RESIDENCIAL 317,28 700052791950
Assinatura em: 22/07/2019 NAO
956014 005 001X ALBERTO COSTA 2019 312,71 700057631942
RESIDENCIAL
Extrato do Quadragésimo Segundo Termo Aditivo ao Contrato de Prestação de Serviço 959126 001 2507 FILIPE DE SOUZA MARTINS 2019 RESIDENCIAL 312,71 700067351942
Processo: 01.109.898.16.63 NAO
988129 001B0017 MARIA DA SILVA SA 2018 1.918,76 010859371910
Instrumento Jurídico no SUCC: 01.2016.0803.0028.42.00 RESIDENCIAL
Contratante: Município de Belo Horizonte / Secretaria Municipal de Fazenda.
Contratada: Cooperativa de Transportes e Serviços Urbanos e Rurais Ltda. - COOPERTUR Belo Horizonte, 09 de setembro de 2019
Objeto: alteração de veículos, alteração do anexo II e alteração do valor contratado.
Prazo de vigência: 02/09/2019 a 15/08/2020. Ervio de Almeida
Valor: R$ 57.471.624,89. Diretoria de Lançamentos e Desonerações Tributárias
Assinatura em: 29/08/2019. Subsecretaria da Receita Municipal

EDITAL DE NOTIFICAÇÃO DE LANÇAMENTO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL RERRATIFICAÇÃO


URBANO E DEMAIS TRIBUTOS COM ELE COBRADOS HOMOLOGAÇÃO
PREGÃO ELETRÔNICO Nº 056/2019
Nos termos do artigo 21, inciso IV da Lei 1.310/1966, ficam os contribuintes relacionados no
arquivo digital que integra o presente Edital, notificados da imputação passiva dos lançamentos dos tributos Processo nº 01-087.726/19-86
identificados em epigrafe. Os tributos relativos aos exercícios anteriores serão atualizados monetariamente Objeto: Prestação de serviço de produção de evento Semana da Educação 2019.
nos termos do artigo 126 da Lei 5.641/1989 e com o artigo 14 da lei 8.147/2000.
O pagamento no prazo previsto neste Edital dispensa a incidência de juros de mora e multa, ONDE SE LÊ:
conforme o § 5º do artigo 8º da Lei 7.378/1997. Findo o prazo, os tributos não quitados estarão sujeitos aos Homologo a licitação relativa à prestação de segurança e vigilância patrimonial desarmada, de acordo com as
acréscimos legais, de acordo com o artigo 126 da Lei 5.641/1989 e com o artigo 8º da Lei 7.378/1997. especificações do edital, para que produza seus efeitos legais e jurídicos e determino a adjudicação do objeto
Terão os contribuintes o prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data da publicação do presente licitado à seguinte empresa:
edital, para apresentar reclamação contra o lançamento, nos termos do artigo 106, inciso II, da Lei
1.310/1966. LEIA-SE:
Homologo a licitação relativa à prestação de serviços de produção do evento semana da educação - 2019,
de acordo com as especificações do edital, para que produza seus efeitos legais e jurídicos e determino a
INDICE
TITULAR EXERCICIO ECONOMIA VALOR PROCESSO adjudicação do objeto licitado à seguinte empresa:
CADASTRA L
SPE - PARQUE ANDRADAS NAO Ficam ratificadas as demais informações contidas na referida homologação.
001001 001Y013X 2019 8.456,59 700046261936
INCORPORACAO LTDA. RESIDENCIAL
NAO
101028A036B0018 ILDEU LEITE NAVES 2017
RESIDENCIAL
585,00 010869201953 João Antônio Fleury Teixeira
101028A036B0018 ILDEU LEITE NAVES 2014 RESIDENCIAL 4.537,62 010869201953 Secretário Municipal Adjunto
101028A036B0018 ILDEU LEITE NAVES 2015 RESIDENCIAL 4.843,40 010869201953 Subsecretaria de Administração e Logística
203107 009 0014 EDUARDO BARROSO DE OLIVEIRA 2018 RESIDENCIAL 1.805,69 010859371910
DELIZETE DE OLIVEIRA ZEFERINO DE
216027 008 0015
PAULA
2019 RESIDENCIAL 2.915,06 700049231981
PBHPBH
ATIVOS
ATIVOSS.A.
216114 016A0015 MARIA CARDOSO PONGELUPE 2016 RESIDENCIAL 943,16 010859371910
216119 017 0016 NEDES CARMO PIMENTA 2016 RESIDENCIAL 855,83 010859371910
234056 022 0804 EDUARDO RANGEL DOS SANTOS 2019 RESIDENCIAL 312,71 700082051920 EXTRATOS
234056 022 1649 LILIANY APARECIDA RIBEIRO 2019 RESIDENCIAL 312,71 700080941960
253072 020 0013 ITAMAR DE SOUZA ARAUJO 2019 RESIDENCIAL 822,54 700126711946 EXTRATO DO 3º TERMO ADITIVO
NAO Processo: 03.16.376
253072 020 0030 ITAMAR DE SOUZA ARAUJO 2019 2.851,43 700126711946
RESIDENCIAL Pregão Eletrônico: 002/2016
270144 020 0010 JOSE ANTONIO DE FIGUEIREDO 2019 RESIDENCIAL 1.950,59 700027461917 Contratante: PBH Ativos S.A.
NAO Contratada: BDO RCS Auditores Independentes - SS
277117 003B0031 VANDO JOSE DIAS 2019 624,24 110124611781
RESIDENCIAL Objeto: Prorrogação da vigência contratual, bem como alteração parcial do Anexo I – Projeto Básico da
277131 001 B673 BRUNA MADEIRA GOMES 2019 RESIDENCIAL 712,12 700081831999 Prestação dos Serviços
304004 013 0042 ALBERTO VIEIRA JUNIOR 2019
NAO
317,63 700082091980 Valor total: R$166.677,17
RESIDENCIAL
Vigência: 29/08/2019 a 28/08/2020
DAFA - ADMINISTRACAO E NAO
304019 011 0024
PARTICIPACOES S/A
2019
RESIDENCIAL
312,71 700016911991 Assinatura:29/08/2019
Registro na PBH Ativos nº 066/2019
DAFA - ADMINISTRACAO E NAO
304019 011 0032
PARTICIPACOES S/A
2019
RESIDENCIAL
312,71 700016911991 Livro: 02 Folha:36

dom5851 B.indd 44 06/09/2019 19:49:43


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 45

EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DESENVOLVIMENTO E MORADA HUMANA P5 - Valdeir Teixeira Filho Lei”. Jucilene também solicitou alteração do
Objeto: Participação de dois empregados no Objeto: Formalização da relação de parceria, em parágrafo segundo do artigo nono. Natália solicitou
Curso “Formação de Auditores Líderes de regime de mútua cooperação entre o MUNICÍPIO 14 – Sábado: esclarecimento sobre tempo de guarda de
Sistemas Integrados de Gestão da Compliance e e a O.S.C., para a consecução de finalidades de VN5 - Sarah Quecia Rodrigues da Costa documentação. Conselheira Jucilene Carneiro
Antissuborno”. interesse público e recíproco, mediante a execução B1 - Marlise Ely Gonçalves Afonso Moreira da Secretaria de Assistência Social
Processo: 02.19.637 do Projeto Idoso In Foco de relevância pública e CS1 - Pedro Henrique Alves Auarek informou que os registros devem ser arquivados por
Inexigibilidade nº: 008/2019 social, definido no Plano de Trabalho. L1 - Mauricio Barbosa Brandão dez anos após o fato, porém salientou que fará
Contratante: PBH Ativos S/A Prazo: 13 (treze) meses, contados a partir da data consulta para verificação de informação. Natália
Contratada: Modelando Serviços Corporativos de sua assinatura. 15 – Domingo: salientou que o tempo de trinta dias é curto para as
Valor Global: R$7.220,00 Valor: R$ 247.706,43 (duzentos e quarenta e NE1 - Surya Noara Januário entidades, uma vez que existem trâmites legais para
sete mil, setecentos e seis reais e quarenta e três NO1 - Andréa Salustiano dos Santos serem cumpridos. Jucilene Carneiro Moreira da
Pedro Meneguetti centavos) Secretaria de Assistência Social reforçou que as
Diretor-Presidente Assinatura em: 27/08/2019 VN5 - Sarah Quécia - Rodrigues da Costa ações são de conhecimento das instituições.
PBH Ativos S.A. O1 - Flávia Cristina de Lima Leandro sugeriu proposta das instituições de longa
Extrato do Termo de Fomento permanência para o idoso que realizam oficio
Processo: 01.073.801/19-21 Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 solicitando dilação de prazo para adequação.
SECRETARIA MUNICIPAL DE I.J: 01.2019.1018.0010.00.00 Miriam Cristina Botelho da Instituição Sociedade
ASSISTÊNCIA SOCIAL,
SMASAC SEGURANÇA Município: Município de Belo Horizonte / Maíra da Cunha Pinto Colares de Amparo à Pobreza questionou se a família
ALIMENTAR E CIDADANIA Secretaria Municipal de Assistência Social, Secretária Municipal de Assistência Social, deverá repassar a prestação de contas dos 30%, de
Segurança Alimentar e Cidadania e Organização da Segurança Alimentar e Cidadania responsabilidade delas em função de curatela, para
PORTARIA SMASAC Nº 127/2019 Sociedade Civil REDE LONGEVIDADE as instituições. Artur, da instituição Caminhos de
Objeto: Formalização da relação de parceria, em RESULTADO FINAL DO CHAMAMENTO Jesus, relatou que os 30% que poderá ser destinado
Designa servidor para a função de regime de mútua cooperação entre o MUNICÍPIO PÚBLICO SMASAC Nº 02/2019 para a família em situação de curatela deverá ser
Fiscal de Contratos. e a O.S.C., para a consecução de finalidades prestada contas pela família e não ILPI. Luciana da
de interesse público e recíproco, mediante a Divulga Resultado Final do instituição Caminhos de Jesus esclareceu que a
A Secretária Municipal de Assistência execução do Projeto Plataforma de Educação Para Chamamento Público SMASAC nº 02/2019 e situação de idosos que não estão em situação de
Social, Segurança Alimentar e Cidadania, no uso a Longevidade de relevância pública e social, Convoca a OSC vencedora a apresentar o Plano curatela e quando é opção do idoso destinar os 30%
de suas atribuições, considerando o disposto no definido no Plano de Trabalho. de Trabalho. é sugerido estabelecer recibo ou declaração
Decreto Municipal n.º 15.185, de 04 de abril de Prazo: 13 (treze) meses, contados a partir da data assinado pelo idoso. A conselheira Rafaelita
2013, de sua assinatura. Processo nº 01.134.232/18-41 questiona o valor insuficiente de recursos e ausência
RESOLVE: Valor: R$ 378.662,96 (trezentos e setenta e oito mil, Objeto: Constitui objeto deste Edital de de discussão com os idosos na elaboração de leis.
seiscentos e sessenta e dois reais e noventa e seis Chamamento Público selecionar Organização da Jeromina realizou questionamentos se
Art. 1º - Designar como fiscal do centavos) Sociedade Civil – OSC, regularmente constituída, regulamentação valerá somente para o município de
contrato de aquisição de carnes bovinas, suínas, de Assinatura em: 27/08/2019 com sede ou instalações no Município de Belo Belo Horizonte e se existe comissão no conselho
aves e peixes “in natura” e processadas para atender Horizonte, para execução de uma unidade do que fiscaliza a proposta de lei. Leandro responde
à demanda dos Restaurantes Populares, gerenciados Extrato do Termo de Fomento Serviço Acolhimento Institucional na modalidade informando que a deliberação é somente para o
pela Subsecretaria de Segurança Alimentar e Processo: 01.037.431/19-40 abrigo institucional para mulheres adultas, em município, mas pondera sobre a existência de
Nutricional/SUSAN - Processo Administrativo nº I.J: 01.2019.1018.0011.00.00 situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social aparato legal no Estatuto do Idoso. Ligia Moreira
04.000640.19.36 - Pregão Eletrônico 033/2019, a Município: Município de Belo Horizonte / em processo de saída das ruas ou com vínculos Ferreira, representante do Lar Dona Paula,
servidora Livia Alvarenga de Paula Rangel - BM Secretaria Municipal de Assistência Social, familiares rompidos ou fragilizados, sem condições questionou se os cupons fiscais podem ser enviados
101.000-8 e na sua ausência ou impedimentos o Segurança Alimentar e Cidadania e Organização da de moradia e auto sustentação e sem possibilidade sem identificação dos dados do idoso. Virginia
servidor Wellemy Nogueira Gonçalves N. P. da Sociedade Civil INSTITUTO CEASAMINAS de retorno à família de origem, e que possuam esclarece que é necessário identificar em registros
Silva - BM 97.054-2. Objeto: Formalização da relação de parceria, em autonomia para realizar as atividades da vida diária, do idoso. Tabajara da Cruz, que estará como
regime de mútua cooperação entre o MUNICÍPIO no município de Belo Horizonte. conselheira na próxima gestão, solicitou
Art. 2º - Compete ao Fiscal de Contrato e a O.S.C., para a consecução de finalidades de A Comissão de Seleção do Chamamento esclarecimento sobre condutas de conselheiros
o previsto no art. 7º do Decreto nº 15.185/2013. interesse público e recíproco, mediante a execução Público, instituída pela Portaria SMASAC nº perante violação de direitos. Leandro informou que
do Projeto Distribuição de Alimentos À Pessoa 039/2018, alterada pelas Portarias SMASAC nº será realizada capacitação para novos conselheiros.
Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na Idosa - BH de relevância pública e social, definido 095/2018 e SMASAC nº 112/2019, no uso de Cristiana Ceotto Deslandes, conselheira
data de sua publicação. no Plano de Trabalho. suas atribuições, após análise da documentação representante da Secretaria Municipal de
Prazo: 23 (vinte e três) meses, contados a partir da apresentada pela Organização de Sociedade Civil Assistência a Saúde, sugeriu maior detalhamento
Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 data de sua assinatura. interessada proferiu o seguinte resultado: do que é insumo e medicamento, uma vez que
Valor: R$ 2.205.996,97 (dois milhões, duzentos Fica declarada vencedora a OSC grande parte de recursos podem e são destinados
Maíra da Cunha Pinto Colares e cinco mil, novecentos e noventa e seis reais e Agência Adventista de Desenvolvimento e pelo Sistema Único de Saúde. Lúcia solicitou
Secretária Municipal de Assistência Social, noventa e sete centavos) Recursos Assistenciais – ADRA esclarecimento do que são estes insumos, uma vez
Segurança Alimentar e Cidadania Assinatura em: 02/09/2019 Fica a Organização da Sociedade que as fraldas entram nesta categoria. Foi proposta
Civil declarada vencedora convocada, no prazo a inserção no paragrafo terceiro o texto “caso não
EXTRATOS Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 de 10 (dez) dias úteis contados dessa convocação sejam disponibilizados pelo SUS”. Marcella
a apresentar o Plano de Trabalho de acordo com Giovanna, da instituição CEMAIS, registrou a
Extrato do Termo de Fomento Juliana Santos Duarte o item 14 do Edital de Chamamento Público necessidade de buscar caminho mais efetivo em
Processo: 01.083.181.19-75 Gerente de Licitações e Contratos SMASAC 02/2019. relação à guarda e documentação de comprovação
I.J: 01.2019.1018.0007.00.00 de despesas, no contexto de necessidade de repensar
Município: Município de Belo Horizonte / CONVOCAÇÃO DE CONSELHEIROS Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 sobre a profissionalização das ILPIs. Após votação
Secretaria Municipal de Assistência Social, TUTELARES PARA O PLANTÃO a deliberação foi aprovada por 20 (vinte) votos
Segurança Alimentar e Cidadania e Organização da CENTRALIZADO Comissão de Seleção de Chamamento Público favoráveis, sem abstenção e sem votos contrários.
Sociedade Civil GRUPO CULTURAL MENINAS Leandro apresentou a proposta de deliberação da
DE SINHÁ Dispõe sobre a Escala de Plantão dos Maíra da Cunha Pinto Colares resolução do Conselho Municipal do Idoso-BH/
Objeto: Formalização da relação de parceria, em Conselhos Tutelares de Belo Horizonte. Secretária Municipal de Assistência Social, MG que regulamenta o Estatuto do Idoso, onde
regime de mútua cooperação entre o MUNICÍPIO Segurança Alimentar e Cidadania dispõe sobre a Regulamentação do artigo 48 da Lei
e a O.S.C., para a consecução de finalidades de A Secretária Municipal de Assistência nº 10.741/2003 e dá outras providências. Vilma da
interesse público e recíproco, mediante a execução Social, Segurança Alimentar e Cidadania, no uso de Conceição Dário, conselheira e segunda secretaria
do Projeto 1° Encontro Longeviver, de relevância suas atribuições legais e considerando: CMI-BH
CMI do CMI-BH/MG, realizou leitura da deliberação
pública e social, definido no Plano de Trabalho. que será inserida na sua integra anexa a esta ata.
Prazo: 07 (sete) meses, contados a partir da data de I – O disposto na Lei Municipal nº Jucilene realizou os seguintes destaques: onde
sua assinatura. 6.705/94 (art.5º/§2º); ATA DA 236ª REUNIÃO deverão ser inseridos “serviços” onde se fala em
Valor: R$ 737.040,00 (setecentos e trinta e sete mil II – O disposto no Decreto Municipal ORDINÁRIA DO CMI/BH programas e projetos. Sugere excluir demanda do
e quarenta reais) 12.537, de 23 de novembro de 2006, no Decreto DE 24 DE JULHO DE 2019 texto considerando a necessidade de cadastrar,
Assinatura em: 27/08/2019 Municipal 13.826, de 28 de dezembro de 2009 e na atualizar e organizar as informações sobre a rede de
Instrução de Serviço SMPS 002 de 21 de agosto de Ao vigésimo quarto dia do mês de Julho de dois mil atendimento de defesa e cuidado à pessoa idosa no
Extrato do Termo de Fomento 2012; e dezenove, no auditório Liberdade, à Av. Afonso município, identificando os serviços oferecidos e
Processo: 01.084.254/19-82 III – A necessidade de dar publicidade Pena 342, ocorreu a 236ª plenária ordinária do suas demandas. Sugere retirar: O Conselho
I.J: 01.2019.1018.0008.00.00 à escala do Plantão Centralizado dos Conselhos Conselho Municipal do Idoso de Belo Horizonte – Municipal do Idoso- CMI, do município de Belo
Município: Município de Belo Horizonte / Tutelares de Belo Horizonte; CMI/BH, com a seguinte pauta: 1 – Deliberação da Horizonte, reunido em sessão plenária, realizada no
Secretaria Municipal de Assistência Social, Resolução que regulamenta o artigo 35 do Estatuto dia 24 de julho, no auditório Liberdade da
Segurança Alimentar e Cidadania e Organização da Convoca os Conselheiros Tutelares, do Idoso; 2 – Deliberação da Resolução que SMASAC situada na Av Afonso Pena Nº 342,
Sociedade Civil CDM - COOPERAÇÃO PARA O abaixo relacionados, para realizar o atendimento no regulamenta o artigo 48 do Estatuto do Idoso; 3 – Centro. Cleber Jovino da Silva da instituição UNA
DESENVOLVIMENTO E MORADA HUMANA Plantão Centralizado dos Conselhos Tutelares no Matéria do Fundo - Aprovação dos Pareceres; 4 – sugere que a matéria e resolução deve ser
Objeto: Formalização da relação de parceria, em período de 09 a 15 de setembro de 2019: Aprovação da Ata Final– Gestão 2016 -2019. encaminhada novamente a Comissão para esgotar
regime de mútua cooperação entre o MUNICÍPIO Leandro Faria Campos, Presidente do Conselho discussão e seja adiada para próxima plenária.
e a O.S.C., para a consecução de finalidades de 09 – Segunda Feira: Municipal do Idoso, acolheu demais conselheiros e Jucilene também corroborou com proposta do
interesse público e recíproco, mediante a execução P4 - Maria Elísa Abreu Cruz de Moraes iniciou a plenária decorrendo sobre as pautas do conselheiro Cleber e sugere envio antecipado para
do Projeto Troca de Olhares de relevância pública e VN4 - Berenice Ferreira de Lima dia. Leandro apresentou a proposta de deliberação conselheiros. Após votação por 20 (vinte) votos
social, definido no Plano de Trabalho. da resolução do Conselho Municipal do Idoso-BH/ favoráveis, sem abstenção e sem votos contrários,
Prazo: 13 (treze) meses, contados a partir da data 10 – Terça Feira: MG que regulamenta o Estatuto do Idoso, onde foi definido que votação da resolução será realizada
de sua assinatura. B5 - Patrícia Santos de Oliveira Dispõe sobre a Regulamentação do artigo 35 da Lei em próxima plenárias. Artur do Nascimento
Valor: R$ 293.950,75 (duzentos e noventa e três CS5 - Sueli Verdiano Xavier de Oliveira nº 10.741/2003 e dá outras providências. Vilma da solicitou a fala para parabenizar a atuação do
mil, novecentos e cinquenta reais e setenta e cinco Conceição Dário, conselheira e segunda secretária Leandro Faria Campos como presidente e sugeriu
centavos) 11 – Quarta Feira: do CMI-BH/MG, realizou leitura da deliberação que seja estabelecida uma cadeira cativa para
Assinatura em: 27/08/2019 L5 - Wander Ferreira Lelis que será inserida na sua íntegra anexa a esta ata. representantes de instituições de longa permanência.
NE5 - Cristiane da Silva Borges Conselheira Jucilene Carneiro Moreira da Secretaria Foi apresentado parecer técnico por Lacydes
Extrato do Termo de Fomento de Assistência Social solicitou revisão do artigo (membro da Comissão de Fundos) referente ao
Processo: 01.082.812/19-39 12 – Quinta Feira: nono, sugerindo o seguinte texto: “A entidade projeto com OBJETO: Parecer técnico sobre a
I.J: 01.2019.1018.0009.00.00 NO5 - Rosimeire Pinto da Silva deverá manter em arquivo os registros financeiros e análise do projeto “Experimenta 60+” protocolado
Município: Município de Belo Horizonte / CS4 - Marco Antônio Barbosa relatórios de atividades e financeiro, o número de no CMI/BH que tem como objetivo oferecer
Secretaria Municipal de Assistência Social, pessoas idosas acolhidas, bem como o valor de cada atividades culturais e artísticas, por meio de
Segurança Alimentar e Cidadania e Organização da 13 – Sexta Feira: participação e despesas subsidiadas com estes oficinas, para pessoas com idade acima de 60 anos,
Sociedade Civil CDM - COOPERAÇÃO PARA O O5 - Anderson Cândido de Souza recursos, conforme preceitua o art. 54 da supracitada de modo a possibilitar, além do desenvolvimento de

dom5851 B.indd 45 06/09/2019 19:49:43


BELO HORIZONTE
46 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

habilidade e competências em diversas linguagens conselho e que na próxima gestão este processo seja do Idoso foi eleita a Conselheira Fernanda Mara Geraldo José de Souza (Regional Centro-Sul),
artísticas como pintura, dança e música, a considerado com maior apreço com proposta. Carvalho de Matos por 11 (onze) votos, contra 04 Geraldo dos Santos (Regional Nordeste), Carlúcio
oportunidade de socialização, troca intergeracional, Leandro registrou e considerou toda plenitude e (quatro) votos para a conselheira Heliane Gomes da Aparecida Bernadino (Regional Noroeste),
protagonismo social e ressignificação do envelhecer. trabalho da instituição CEMAIS, porém existem de Azevedo. Para a função de Primeira Secretária Sra. Tabajara Silvana da Cruz (Regional Venda
Experimentando a arte e a cultura como espaço de amarrações em áreas de execução que devem ser do Conselho Municipal se apresentou como Nova), Marcela Giovanna Nascimento de Souza
(auto) conhecimento, no qual as diferentes gerações estabelecidos para maior segurança do conselho e única candidata a Conselheira Marcela Giovanna (CEMAIS), Kelly Cristina de Souza (SMASAC).
poderão estar juntas, numa expectativa de educação da própria instituição. Marcella considerou que foi Nascimento de Souza, e foi eleita para a função por Representantes do Governo: Luciana Maria de
social para a longevidade. IDENTIFICAÇÃO: captada e aprovada proposta previamente e que não 15 (quinze) votos favoráveis, sem abstenções e sem Oliveira Mariano (Diretoria de Políticas para
Nome da entidade: Associação Mantenedora do entende como condizentes questionamentos sobre votos contrários. Após retorno dos conselheiros a Pessoa Idosa), Cristiana Ceotto Deslandes
Museu das Minas e do Metal. Nome do Projeto: aspectos anteriormente analisado. Leandro relatou do governo recompondo a plenária, Thiago Costa (Secretaria Municipal de Saúde). Comissão de
Experimenta 60+. Período de execução do Projeto: que existem sim processos a serem melhoradas e apresentou a Conselheira Marcella Aguiar, eleita Normas e Legislação / Comissão de Inscrição de
12 meses. RELATÓRIO: O projeto se propõe será um desafio para próxima gestão. Leandro pelo governo para a função de Segunda Secretária Programas: Representantes da sociedade civil:
promover a inclusão de 960 vagas para idosos a apresentou propostas de metas para próxima gestão, e Renata Martins Costa de Moura, também eleita Fernanda Mara Carvalho de Matos (Rede Cidadã).
partir dos 60 anos, em atividades culturais e sendo elas: Publicação dos dois editais – Utilização pelo governo para a função de Vice-Presidente do Representantes do Governo: Shirley Maria
educativas gratuitas ao final dos 12 meses do de Saldo e Captação de Recursos, contemplando Conselho Municipal do Idoso, que se apresentaram Fonseca (Subsecretaria de Segurança Alimentar),
projeto, por meio das ações: Realizar a oficina Cine deliberações da V Conferência e GT Intersetorial; aos demais conselheiros presentes. Também Thiago Augusto de Carvalho Cruz (Secretaria de
60+ com abertura de 80 vagas para idosos; Realizar Estabelecer o Plano de Monitoramento das se apresentaram à plenária Marcela Giovanna Planejamento, Orçamento e Gestão), Marcella
a oficina Teatro 60+ com abertura de 440 vagas para Deliberações da V Conferência; Instituir via TAG Nascimento de Souza como primeira secretária Cristina de Aguiar (PGM). Após leitura desta ata
idosos; Realizar a oficina Coral Performático 60+ (sistema) o processo de encaminhamento e do CMI/BH e Fernanda Mara Carvalho de Matos, a mesma foi colocada em votação e aprovada por
com abertura de 440 vagas para idosos; O valor monitoramento das notificações de suspeitas de como nova Presidente do CMI/BH. Sandra Mallet 20 (vinte) votos favoráveis, sem votos contrários
para execução do projeto é de R$ 92.892,94. violação dos direitos da pessoa idosa; Efetivar realizou nova explicação sobre as atribuições e sem abstenções. Justificou ausência Maria
CONCLUSÃO: Diante da análise do Plano de junto a Prodabel o processo de emissão de DARF das Comissões do CMI/BH e importância da Aparecida Mendes, conselheira da regional
Trabalho e considerando a Política Municipal do para destinação direta ao FUMID e direcionada a participação dos conselheiros. A Presidente do Barreiro. A reunião contou com quórum de 28
Idoso e o princípio de prioridade absoluta, esta projetos apoiados; Aprimorar os processos de CMI/BH Fernanda Carvalho de Matos convidou (vinte) conselheiros votantes, entre convidados
comissão emite parecer favorável ao plano de avaliação e monitoramento dos projetos; os conselheiros a se apresentarem e participarem e colaboradores. Os conselheiros e demais
trabalho e da planilha de aplicação dos recursos Acompanhar a execução do Centro Dia do Idoso. das comissões. Após discussões foi estabelecida participantes assinaram o livro de presença nas
financeiros e sua execução. Ressalva de que este Acompanhar e apoiar a regularização dos projetos a composição das comissões da seguinte forma: folhas de número 02 a 05 (verso). Sem mais
parecer deverá ser submetido à Plenária do CMI/ de incêndio das ILPI´s. Foi realizada leitura da ata Comissão de Enfrentamento à Violência – assuntos para tratar, registro feito por Flávio
BH. Após votação o parecer foi aprovado por 20 da plenária 236ª e colocada em votação, sendo Representantes da sociedade civil – José Liberato Augusto Corrêa de Oliveira, Conselheiro do CMI/
(vinte) votos favoráveis, sem abstenção e sem votos aprovada por 18 (dezoito) votos favoráveis e sem Teles (Regional Norte), Aurimar de Jesus Reis BH. Belo Horizonte, 07 de Agosto de 2019.
contrários. Foi apresentado parecer técnico por votos contrários e abstenções. Justificaram ausência (Regional Noroeste), Maria Natividade Regional
Lacydes (membro da Comissão de Fundos) Renata Martins Costa de Moura (Diretoria de Leste), Josefina Couto Gavião (Regional Centro- RETIFICAÇÃO
referente ao projeto com OBJETO: A Terceira Idade Politicas da Pessoa Idosa) Maria Aparecida Mendes, Sul), Robson Antônio Abreu Cardoso (Providens), DELIBERAÇÃO Nº 007/2019
Faz, Conhece, Aprende e Joga. IDENTIFICAÇÃO: conselheira da regional Barreiro. A reunião contou Marcella Guimarães Assis (UFMG). Representantes
Nome da entidade: Instituto Ânima Sociesc de com quórum de 23 (vinte) conselheiros votantes, do Governo: Cristiana Ceotto Delandes (Secretaria Na Deliberação em epígrafe publicada
Inovação, Pesquisa e Cultura. Nome do Projeto: A entre convidados e colaboradores. Os conselheiros Municipal de Saúde), Celina Schmidel Nunes no Diário Oficial do Município de 11 de julho de
Terceira Idade Faz, Conhece, Aprende e Joga. e demais participantes assinaram o livro de presença (DRES-Noroeste), Paula Ferreira Chacon (DRES- 2019.
Período de execução do Projeto: 6 meses. Trata-se nas folhas de número 82 a 85 (verso). Sem mais Noroeste), Miriam Aparecida Mendes (SUDC),
de novo Termo Aditivo ao Termo de Fomento assuntos para tratar, registro feito por Flávio Maria Angélica Eleotério (SMAS), Colaboradores: Onde se lê:
referente ao projeto “A Terceira Idade Faz, Conhece, Augusto Corrêa de Oliveira, primeiro Secretário do Anedia, Anita Maria da Silva. Comissão de
Aprende e Joga – Ano 1” assinado em 9 de julho de CMI/BH. Belo Horizonte, 24 de Julho de 2019. Planejamento, Políticas Públicas, e Orçamento: I. Da Secretaria Municipal de Assistência Social,
2018 e cuja vigência se encerra em 15 de setembro Representantes da sociedade civil - Cleber Jovino Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC)
de 2019. Em virtude de ajuste de calendário de ATA DA 237ª REUNIÃO da Silva (Centro Universitário UNA/ Instituto o repasse de recursos pelo Fundo Municipal do
execução e de economias efetuadas na execução ORDINÁRIA DO CMI/BH Ânima), Josefina Couto Gavião (Regional Centro- Idoso de Belo Horizonte – CMI-BH no valor R$
das rubricas destinadas ao projeto, sem prejuízo de DE 07 DE AGOSTO DE 2019 Sul), Maria da Conceição Gonçalves (Regional 4.140.731,38 (quatro milhões, cento e quarenta
seu objeto, foi solicitada sua prorrogação até 31 de Nordeste), Luiz Domingos Reissinger (Regional mil, setecentos e trinta e um reais e trinta e oito
dezembro de 2019, com a abertura (oferta) de novas Ao sétimo dia de Agosto de dois mil e dezenove, no Oeste), Cláudia Marcia Santos Oliveira (IPPE), centavos), recurso oriundo da conta corrente nº
turmas, sem aporte adicional. A proposta é oferecer auditório Liberdade, à Av. Afonso Pena 342, ocorreu Naiane Loureiro dos Santos (Centro Universitário 0093/ 006/ 00071105-1.
740 vagas em 37 turmas de 8 cursos, assim a 237ª plenária ordinária do Conselho Municipal do UNA/ Instituto Ânima). Representantes do
distribuídas: O total deste projeto já foi realizado o Idoso de Belo Horizonte – CMI/BH, com a seguinte Governo: Sérgio Luiz Araújo Pereira (SMASAC), Leia-se:
aporte de R$ 1.238.350,30; rendimentos de pauta: 1 – Treinamento de novos Conselheiros para Renata Martins Costa de Moura (Diretoria de
aplicação financeira R$ 40.845,34; Despesas Já gestão 2019-2022; 2 – Processo eleitoral da mesa Políticas para a Pessoa Idosa), Haydée Magda I. Da Secretaria Municipal de Assistência Social,
Realizadas: R$ 645.454,40. Saldo para realizar as Diretora do Conselho Municipal do Idoso de Belo Gonçalves (Subsecretaria de Assistência Social), Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC)
oficinas propostas R$ 631.851,95. Verifica-se que a Horizonte – MG, gestão 2019-2022. Sandra Mallet, Mônica Tavares Pereira Lima (Secretaria Municipal o repasse de recursos pelo Fundo Municipal do
OSC proponente possui finalidade institucional da Secretaria executiva do Conselho Municipal do de Cultura). Comissão de Seleção: Representantes Idoso de Belo Horizonte – CMI-BH no valor R$
compatível com os interesses da política do idoso. Idoso, acolheu os novos conselheiros e iniciou a da Sociedade Civil: Maria da Conceição Gonçalves 4.140.731,38 (quatro milhões, cento e quarenta
Diante da análise do aditivo e saldo suficiente para plenária decorrendo sobre as pautas do dia. Sandra (Regional Nordeste), Heliane Gomes de Azevedo mil, setecentos e trinta e um reais e trinta e oito
novas oficinas esta comissão emite parecer Mallet convidou Thiago Costa, Subsecretario de (IPPE), Aline Seoane Resende Paulino (CEMAIS), centavos), recurso oriundo da conta corrente nº
favorável à execução do mesmo. Após votação o Direto e Cidadania que registrou as boas-vindas Flávio Augusto Correa de Oliveira (Paulo de Tarso), 0093/ 006/ 00071105-1, para implantação do
parecer foi aprovado por 20 (vinte) votos favoráveis, aos novos conselheiros e salientou sobre os Patricia Carneiro Bonfim Espinosa (Newton Paiva), Centro Dia do Idoso de Belo Horizonte.
sem abstenção e sem votos contrários. Foi desafios do conselho. Thiago também destacou a Carolina Dulce Gomes de Souza Salvo (Newton
apresentado parecer técnico por Lacydes (membro importância do papel do conselheiro sobre a ótica Paiva), Representantes do Governo: Renata Belo Horizonte, 03 de setembro de 2019
da Comissão de Fundos) referente ao projeto com da democracia e participação social, relatando a Martins Costa de Moura (Diretoria de Políticas
OBJETO: Realizar estudo contendo diagnóstico da importância das deliberações e responsabilidade de para a Pessoa Idosa). Comissão de Monitoramento Fernanda Matos
situação das mulheres idosas que frequentam e/ou cada conselheiro, reforçando o poder de decisão da e Avaliação: Representantes da sociedade civil: Presidente do CMI-BH
vivem em instituições para idosos localizadas em plenária através dos conselheiros e das tramitações
Belo Horizonte, com vistas a identificar as de Comissões temáticas do Conselho. Thiago
configurações de violações de direitos e de convidou e apresentou Renata Martins Costa de
violências domésticas, com base no gênero, que
elas vivenciam. IDENTIFICAÇÃO: Nome da
entidade: Subsecretaria de Direitos de Cidadania.
Nome do Projeto: Direito das mulheres e violências
Moura, da Diretoria de Políticas para a Pessoa
Idosa, para os demais conselheiros e explicou sobre
papel e contribuição da Diretoria de Políticas para
a Pessoa Idosa. Sandra Mallet retomou a palavra
Cidade
geracionais: diagnóstico sobre as violências e iniciou capacitação dos conselheiros relatando

limpa não é
vivenciadas pelas mulheres idosas no município de aspectos sobre a Política da Pessoa Idosa e
Belo Horizonte. Período de execução do Projeto: regimento interno do Conselho Municipal do Idoso
Doze meses. RELATÓRIO: Trata-se em realizar de Belo Horizonte, registrando as competências do
um diagnóstico da situação das mulheres idosas que Conselho e dos Conselheiros. A sua apresentação
frequentam e/ou vivem em instituições para idosos será inserida anexa a esta ata. Thiago Costa

a que mais
localizadas em Belo Horizonte, com vistas a explicou sobre a condução e tramites de processo
identificar as configurações de violações de direitos eleitoral da sociedade civil e no governo. Após
e de violências domésticas, com base no gênero, explicação Thiago convidou os conselheiros do
que elas vivenciam. A metodologia proposta será governo para se reunirem em outra sala para
em uma pesquisa que compreenderá aspectos realizar nomeações de representantes. Maria da
qualitativos e quantitativos. Serão visitados três Conceição Gonçalves questionou a separação
equipamentos em cada regional administrativa, a
saber: uma ILPI, um grupo de convivência e os
CREAS, totalizando 27 equipamentos. Serão
realizadas entrevistas individuais e grupos focais e
dos conselheiros. Thiago registrou que se trata de
processo democrático e necessário para se obter
plena lisura no processo. Thiago apresentou a ex-
conselheira Solange Librelão Carvalho Santos para
se varre.
evento para divulgar o resultado da pesquisa. O apoiar no processo eleitoral. Solange solicita aos

É a que
valor do projeto é oriundo do recurso do saldo da Conselheiros que se apresentem como candidatos
FUMID, no valor de R$200.000,00 (duzentos mil à presidência do Conselho. Candidataram-se
reais). CONCLUSÃO: A proposta do projeto as conselheiras Heliane Gomes de Azevedo,
propõe pesquisar a violência que a mulher sofreu ao conselheira representante do Instituto de Pesquisa
longo de sua trajetória de vida visando balizar e Projetos Empreendedores-IPPE e Fernanda Mara

menos se
políticas públicas para esse segmento. Nesse Carvalho de Matos, Conselheira representante da
sentido, a comissão emite parecer favorável à Rede Cidadã. Heliane se apresentou e registrou
execução do mesmo, com as seguintes ressalvas: em sua proposta de atuação, que irá realizar
Apresentação da carta de anuência dos locais de defesa da pessoa idosa e representará o Conselho
entrevistas; Aprovação no Comitê de ética. e conselheiros de forma ativa em todas as frentes
Aprovação da planilha orçamentária. Após votação de trabalho. Fernanda se apresentou registrando

suja.
o parecer foi aprovado por 20 (vinte) votos que sua candidatura representa uma aliança de
favoráveis, sem abstenção e sem votos contrários. várias instituições e que fará uma representação da
Marcella Giovanna da instituição CEMAIS voz dos conselheiros em todas as frentes. Após a
solicitou a fala e registrou insatisfação por não ser apresentação das duas candidatas foi executado o
apresentado projeto em plenária, uma vez que foi processo eleitoral com votação dos conselheiros.
realizada construção em conjunto com próprio Como nova Presidente do Conselho Municipal

dom5851 B.indd 46 06/09/2019 19:49:43


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 47

Membros dos Conselhos Tutelares de Belo Horizonte, COMUNICAR as decisões da empresa Metrópole
Soluções Governamentais e Empresariais referentes aos recursos interpostos contra a reprovação na Prova
CMDCA de Habilidade Específica por Banca Examinadora (Redação), conforme Republicação do Comunicado
CMDCA/BH nº 032/2019 no Diário Oficial do Município – DOM de 07/08/2019 (*) (**):

COMUNICADO CMDCA/BH Nº 51 DE 2019 INSCRIÇÃO DECISÃO


EDITAL CMDCA/BH Nº 005/2018 - 9º PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIROS 001 IMPROCEDENTE
TUTELARES DE BELO HORIZONTE
010 PROCEDENTE
017 IMPROCEDENTE
O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Belo Horizonte - CMDCA/
BH, no exercício de suas atribuições legais e observado o disposto nos itens 1.4, 1.4.1, 8.1.4 e 11.1 do Edital 019 IMPROCEDENTE
CMDCA/BH nº 005/2018 e nos artigos 8º, incisos I e VIII, 27 e 74 da Resolução CMDCA/BH nº 166/2018, 021 PROCEDENTE
vem, por meio da Comissão Organizadora Central do 9º Processo de Escolha dos Membros dos Conselhos 042 IMPROCEDENTE (**)
Tutelares de Belo Horizonte, COMUNICAR a retificação parcial do Comunicado CMDCA/BH nº 48/2019 046 PROCEDENTE
publicado no Diário Oficial do Município – DOM de 05/09/2019, referente ao Registro das Candidaturas 047 PROCEDENTE
Deferidas (*). 049 PROCEDENTE
052 IMPROCEDENTE
Onde se lê: 063 PROCEDENTE
066 IMPROCEDENTE
REGIONAL NORTE
069 PROCEDENTE
070 PROCEDENTE
NOME RG NÚMERO NOME DE CAMPANHA
081 PROCEDENTE
LAURINDA APARECIDA DE JESUS
MG- 3.945.605 623 LAURINDA JESUS 086 PROCEDENTE
093 PROCEDENTE
Leia-se 097 IMPROCEDENTE
104 PROCEDENTE
REGIONAL NORTE 118 PROCEDENTE
120 PROCEDENTE
NOME RG NÚMERO NOME DE CAMPANHA 140 PROCEDENTE
150 PROCEDENTE
LAURINDA APARECIDA DE JESUS MG- 3.945.609 623 LAURINDA JESUS 159 IMPROCEDENTE
161 PROCEDENTE
Onde se lê: 174 PROCEDENTE
182 IMPROCEDENTE
REGIONAL NORDESTE 183 IMPROCEDENTE
189 PROCEDENTE
NOME RG NÚMERO NOME DE CAMPANHA 192 PROCEDENTE
215 PROCEDENTE
JOSÉ GERALDO FRANCISCO DE SOUZA MG-5.449.570 413 GERALDO DA RÁDIO BRASIL FM 222 PROCEDENTE
232 PROCEDENTE
239 PROCEDENTE
JANAINA PRAGA NASCIMENTO M- 6.997.402 408 JANAINA PRAGA NASCIMENTO
253 PROCEDENTE
265 PROCEDENTE
Leia-se: 275 PROCEDENTE
291 PROCEDENTE
REGIONAL NORDESTE 345 IMPROCEDENTE
377 PROCEDENTE
423 PROCEDENTE
NOME RG NÚMERO NOME DE CAMPANHA
461 IMPROCEDENTE
479 PROCEDENTE
JOSÉ GERALDO FRANCISCO DE SOUZA MG-5.449.570
403 GERALDO DA RÁDIO BRASIL FM 490 PROCEDENTE
492 PROCEDENTE
JANAINA PRAGA NASCIMENTO M- 6.997.402 493 PROCEDENTE
408 JANAINA P. NASCIMENTO

(*) Este comunicado em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 15 de agosto de 2019,
(*) Este comunicado em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a data de 05 de setembro data da publicação do Resultado Final da Prova de Habilidade Específica por Banca Examinadora (Prova de
de 2019. Redação) – Comunicado CMDCA/BH nº 41/2019.

Belo Horizonte, 06 de setembro de 2019 (**) Considerando a publicação do presente comunicado e os termos da decisão liminar proferida pela 3ª Vara
dos Feitos da Fazenda Pública Municipal da Comarca de Belo Horizonte nos autos do Processo nº 5122078-
Nádia Sueli Costa de Paula Alves 35.2019.8.13.0024, fica o candidato Wander Ferreira Lelis, Inscrição nº 042, eliminado do 9º Processo de
Presidente do CMDCA/BH Escolha dos Membros dos Conselhos Tutelares, bem como ficam anulados tanto sua aprovação no Curso
Preparatório, conforme publicação do Comunicado CMDCA/BH nº 47/2019 no Diário Oficial no Município
COMUNICADO CMDCA/BH Nº 52 DE 2019 – DOM de 31/08/2019, quanto o deferimento de sua candidatura, conforme publicação do Comunicado
EDITAL CMDCA/BH Nº 005/2018 - 9º PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIROS CMDCA/BH nº 48/2019 no Diário Oficial no Município – DOM de 05/09/2019, para todos os fins de direito,
TUTELARES DE BELO HORIZONTE com efeitos retroativos a 15 de agosto de 2019, data da publicação do Resultado Final da Prova de Habilidade
Específica por Banca Examinadora (Prova de Redação) – Comunicado CMDCA/BH nº 41/2019.
LOCAIS, DATAS E HORÁRIOS DE REALIZAÇÃO DO CADASTRAMENTO DOS
CANDIDATOS Belo Horizonte, 06 de setembro de 2019

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Belo Horizonte - CMDCA/ Nádia Sueli Costa de Paula Alves
BH, no exercício de suas atribuições legais e observado o disposto nos itens 8.1.1, 8.6.4 e 11.1 do Edital Presidente do CMDCA/BH
CMDCA/BH nº 005/2018, bem como nos artigos 8º, I, VII e VIII, 27, 56 e 74 da Resolução CMDCA/BH nº
166/2018, vem, por meio da Comissão Organizadora Central do 9º Processo de Escolha dos Membros dos
Conselhos Tutelares de Belo Horizonte, COMUNICAR os locais, as datas e os horários de realização do SMC
cadastramento dos candidatos no Sistema Informatizado de Votação da Empresa de Informática e Informação SECRETARIA MUNICIPAL
do Município de Belo Horizonte – PRODABEL, conforme especificado abaixo: DE CULTURA
REGIONAIS DATAS HORARIOS LOCAIS Deliberações Decisórias CFCM
Auditório SMASAC – Avenida Afonso Pena, nº
Barreiro/Centro-Sul/ Leste  09/09/2019 8 h às 18 h A Câmara de Fomento à Cultura Municipal (CFCM), observado o disposto no art. 20, § 1º da Lei nº
342 – Térreo – Bairro Centro
  Auditório SMASAC – Avenida Afonso Pena, nº 11.010/2016, torna público as deliberações decisórias nº 185 a 240.
Nordeste/Noroeste/ Norte 8 h às 18 h
10/09/2019 342 – Térreo – Bairro Centro

Oeste/Pampulha/ Venda Nova


 
8 h às 18 h
PRODABEL- Avenida Presidente Carlos Luz, nº Nº da
11/09/2019 1275, Bairro Caiçaras Data da
Deliberação Nº projeto Nome do Projeto Extrato da Decisão
Reunião
Decisória
Belo Horizonte, 06 de setembro de 2019
Solicitação de prorrogação de prazo
185 10/06/2019 0148/2015 Kevin concedida até 17/10/2020, de acordo
Nádia Sueli Costa de Paula Alves
com os termos da Ata da CFCM.
Presidente do CMDCA/BH
Biblioteca Boa É
COMUNICADO CMDCA/BH Nº 53 DE 2019 Biblioteca Aberta: Homologação da Prestação de Contas,
EDITAL CMDCA/BH Nº 005/2018 - 9º PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIROS Estruturação condicionada ao cumprimento de
186 01/07/2019 1091/2014
TUTELARES DE BELO HORIZONTE E Promoção diligência, nos termos do Parecer e Ata
de Biblioteca da CFCM.
DECISÕES DOS RECURSOS INTERPOSTOS CONTRA A REPROVAÇÃO NA PROVA DE Comunitária Modelo
HABILIDADE ESPECÍFICA POR BANCA EXAMINADORA (REDAÇÃO) Readequação deferida, nos termos do
187 01/07/2019 1243/2017 1ª Mostra Córregos
Parecer e Ata da CFCM.
O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Belo Horizonte - CMDCA/ Vivos
BH, no exercício de suas atribuições legais, observado o disposto nos itens 7.1, alínea “c”, 7.2, 7.8 e 11.1 Homologação da Prestação de Contas,
do Edital CMDCA/BH nº 005/2018 e no artigo 66, inciso III, §§ 5º, 8º, VII e VIII, e 74 da Resolução 188 01/07/2019 0117/2013 Mapa Histórico nos termos do Parecer da CFCM e do
CMDCA/BH nº 166/2018, vem, por meio da Comissão Organizadora Central do 9º Processo de Escolha dos Digital de BH Parecer Técnico de Prestação de Contas.

dom5851 B.indd 47 06/09/2019 19:49:44


BELO HORIZONTE
48 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Nº da Nº da
Data da Data da
Deliberação Nº projeto Nome do Projeto Extrato da Decisão Deliberação Nº projeto Nome do Projeto Extrato da Decisão
Reunião Reunião
Decisória Decisória
Homologação da Prestação de Contas,
Homologação da Prestação de Contas,
41ª Campanha de Capoeira Um Novo nos termos do Parecer da CFCM e
nos termos do Parecer da CFCM e 211 22/07/2019 0716/2015
189 08/07/2019 0134/2013 Popularização do Gingado Na Vida do Parecer Técnico de Prestação de
do Parecer Técnico de Prestação de
Teatro e da Dança de Contas.
Contas.
MG Bibliotecas
Homologação da Prestação de Contas, Comunitárias Em
Homologação da Prestação de Contas,
Movasse e Parceiros nos termos do Parecer da CFCM e Rede: Prog. De
190 08/07/2019 0366/2014 nos termos do Parecer da CFCM e
Em Cena – Terceira do Parecer Técnico de Prestação de 212 22/07/2019 0757/2013 Dinamização Cultural
do Parecer Técnico de Prestação de
Edição Contas. e Fomento - A
Contas.
Homologação da Prestação de Contas, Prát. Autônomas e
Artes No Centro nos termos do Parecer da CFCM e Sustentáveis
191 08/07/2019 0437/2013
do Parecer Técnico de Prestação de Homologação da Prestação de Contas,
“Do Elo Ao Groove”
Contas. nos termos do Parecer da CFCM e
213 22/07/2019 0762/2013 Tiãoduá E Os Mcs
Manutenção Das do Parecer Técnico de Prestação de
Homologação da Prestação de Contas, De BH
Atividades - Contas.
nos termos do Parecer da CFCM e
192 08/07/2019 0814/2013 Observatório Da Homologação da Prestação de Contas,
do Parecer Técnico de Prestação de
Diversidade Cultural Criação - Novo nos termos do Parecer da CFCM e
Contas. 214 22/07/2019 0772/2013
- Ano 2014 Espetáculo Cia Mn do Parecer Técnico de Prestação de
Homologação da Prestação de Contas, Contas.
Centro Cultural nos termos do Parecer da CFCM e Homologação da Prestação de Contas,
193 08/07/2019 0839/2013
Casa De Candongas- do Parecer Técnico de Prestação de Yepocá Em Cena - nos termos do Parecer da CFCM e
215 22/07/2019 0879/2013
Programação 2015 Contas Circulação 2014 do Parecer Técnico de Prestação de
Homologação da Prestação de Contas, Contas.
Iluminuras 4 – nos termos do Parecer da CFCM e Homologação da Prestação de Contas,
194 08/07/2019 0860/2013
Publicação De Livro do Parecer Técnico de Prestação de Flaming Night 2012 nos termos do Parecer da CFCM e
216 22/07/2019 0756/2011
Contas (5 Anos) do Parecer Técnico de Prestação de
Homologação da Prestação de Contas, Contas.
Encontro Você No nos termos do Parecer da CFCM e Homologação da Prestação de Contas,
195 08/07/2019 0904/2013
Final do Parecer Técnico de Prestação de condicionada ao cumprimento de
217 22/07/2019 0892/2013 Baú De Histórias
Contas. diligência, nos termos do Parecer e Ata
Homologação da Prestação de Contas, da CFCM.
3 X Doroteia nos termos do Parecer da CFCM e Homologação da Prestação de Contas,
196 08/07/2019 1086/2013
do Parecer Técnico de Prestação de condicionada ao cumprimento de
218 22/07/2019 0968/2013 Chá Com Cartas
Contas. diligência, nos termos do Parecer e Ata
Homologação da Prestação de Contas, da CFCM.
Até Que Aurora Nos nos termos do Parecer da CFCM e II Festival Homologação da Prestação de Contas,
197 08/07/2019 1089/2013
Prepare – Temporada do Parecer Técnico de Prestação de Internacional De condicionada ao cumprimento de
219 22/07/2019 1179/2013
2014 Contas. Fotografia De Belo diligência, nos termos do Parecer e Ata
Homologação da Prestação de Contas, Horizonte - 2015 da CFCM.
Tupi Mundo Novo nos termos do Parecer da CFCM e Prestação de Contas não homologada,
198 08/07/2019 1120/2013
do Parecer Técnico de Prestação de Feto – Festival nos termos do Parecer da CFCM e
220 22/07/2019 0166/2015
Contas. Estudantil de Teatro do Parecer Técnico de Prestação de
Contas.
Inventário Da Homologação da Prestação de Contas, Considerados comprovados e
Biodiversidade De nos termos do Parecer da CFCM e válidos 100% do objeto do projeto,
199 08/07/2019 1154/2013 Flaming Night 2011-
Belo Horizonte – O do Parecer Técnico de Prestação de contudo deverão ser cumpridas as
221 31/07/2019 0674/2010 4 anos de Mostra
Complexo Da Serra Contas. determinações do parecer da auditoria
Cultural Independente
Do Curral contábil, nos termos do parecer e da
Homologação da Prestação de Contas, ata de reunião da CFCM.
Mimulus. Ituiutaba, nos termos do Parecer da CFCM e Considerados comprovados e
200 08/07/2019 1823/2012
325 do Parecer Técnico de Prestação de válidos 100% do objeto do projeto,
Contas. contudo deverão ser cumpridas as
222 31/07/2019 0196/2011 Pro Fim do Inverno
Homologação da Prestação de Contas, determinações do parecer da auditoria
Festival Nova Música nos termos do Parecer da CFCM e contábil, nos termos do parecer e da
201 08/07/2019 0872/2013 ata de reunião da CFCM.
Mineira do Parecer Técnico de Prestação de
Contas. Considerados comprovados e
Considerados comprovados e válidos 100% do objeto do projeto,
Passado e Presente:
válidos 95% do objeto do projeto, contudo deverão ser cumpridas as
223 31/07/2019 1024/2012 Acervo Fotográfico
3ª Semana da contudo deverão ser cumpridas determinações do parecer da auditoria
Pedro Mordente
202 08/07/2019 0568/2012 Fotografia de Belo as determinações do parecer da contábil, nos termos do parecer e da
Horizonte auditoria contábil, nos termos ata de reunião da CFCM.
do parecer e da ata de reunião da Considerados comprovados e
CFCM. válidos 100% do objeto do projeto,
Percutindo –
Considerados comprovados e contudo deverão ser cumpridas as
224 31/07/2019 0239/2013 Memórias
Criação e válidos 40% do objeto do projeto, determinações do parecer da auditoria
do Tambor Mineiro
Desenvolvimento do contudo deverão ser cumpridas contábil, nos termos do parecer e da
203 08/07/2019 1533/2012 Banco de Dados do as determinações do parecer da ata de reunião da CFCM.
Segmento da Moda auditoria contábil, nos termos Considerados comprovados e
em Belo Horizonte do parecer e da ata de reunião da Poesia em Pele de válidos 100% do objeto do projeto,
para o CRM CFCM. Propaganda – Lambes contudo deverão ser cumpridas as
225 31/07/2019 0740/2013
Homologação da Prestação de Contas, e stickers em Belo determinações do parecer da auditoria
Tropeiros condicionada ao cumprimento de Horizonte contábil, nos termos do parecer e da
204 08/07/2019 0480/2014 ata de reunião da CFCM.
diligência, nos termos do Parecer e Ata
da CFCM. Considerados comprovados e
Homologação da Prestação de Contas, válidos 100% do objeto do projeto,
Centro Cultural Casa Movimento Soul contudo deverão ser cumpridas as
nos termos do Parecer da CFCM e 226 31/07/2019 0183/2014
205 22/07/2019 1013/2012 De Candongas – Mostra BH determinações do parecer da auditoria
do Parecer Técnico de Prestação de
Programação - 2013 contábil, nos termos do parecer e da
Contas.
Homologação da Prestação de Contas, ata de reunião da CFCM.
nos termos do Parecer da CFCM e Considerados comprovados e
206 22/07/2019 0195/2013 Bh In Solos: 2ª Edição válidos 100% do objeto do projeto,
do Parecer Técnico de Prestação de Congresso Mineiro de
Contas. contudo deverão ser cumpridas as
227 31/07/2019 1338/2014 Circo – Entre práticas
Homologação da Prestação de Contas, determinações do parecer da auditoria
e reflexões
nos termos do Parecer da CFCM e contábil, nos termos do parecer e da
207 22/07/2019 0611/2014 Samy Erick - Fronteira ata de reunião da CFCM.
do Parecer Técnico de Prestação de
Contas. Considerados comprovados e
Homologação da Prestação de Contas, Mídia Tática válidos 100% do objeto do projeto,
Coleção - Leve 1 nos termos do Parecer da CFCM e Oficina de Imagens contudo deverão ser cumpridas as
208 22/07/2019 0651/2013 228 31/07/2019 1031/2014
Livro do Parecer Técnico de Prestação de – Comunicação e determinações do parecer da auditoria
Contas. Educação contábil, nos termos do parecer e da
ata de reunião da CFCM.
Homologação da Prestação de Contas,
Lição: Nessa Rua Tem nos termos do Parecer da CFCM e Homologação da Prestação de Contas,
209 22/07/2019 0693/2013 nos termos do Parecer da CFCM e
Um Rio do Parecer Técnico de Prestação de 229 31/07/2019 1558/2012 Imaginário Coletivo
Contas. do Parecer Técnico de Prestação de
Contas.
Homologação da Prestação de Contas,
Guia Montanhas Do nos termos do Parecer da CFCM e Infinitude – Festival
210 22/07/2019 0700/2013 Readequação indeferida, nos termos
Curral Del Rey do Parecer Técnico de Prestação de 230 31/07/2019 1483/2017 de Vivências para
do Parecer e Ata da CFCM.
Contas. terceira idade

dom5851 B.indd 48 06/09/2019 19:49:44


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 49

Nº da Nº da
Data da Data da
Deliberação Nº projeto Nome do Projeto Extrato da Decisão Deliberação Nº projeto Nome do Projeto Extrato da Decisão
Reunião Reunião
Decisória Decisória
Considerados comprovados e válidos 100% Considerados comprovados e
II Festival de do objeto do projeto, contudo deverão ser válidos 100% do objeto do projeto,
231 05/08/2019 1318/2014 Capoeira Mantendo às cumpridas as determinações do parecer da Grupo Tradição – CD contudo deverão ser cumpridas as
237 12/08/2019 0713/2014
Tradições auditoria contábil, nos termos do parecer e e Lançamento determinações do parecer da auditoria
da ata de reunião da CFCM. contábil, nos termos do parecer e da
Considerados comprovados e ata de reunião da CFCM.
válidos 100% do objeto do projeto, Considerados comprovados e
contudo deverão ser cumpridas as válidos 100% do objeto do projeto,
232 05/08/2019 1157/2014 Horizontes Periféricos
determinações do parecer da auditoria contudo deverão ser cumpridas
Dé Lucas Gravação do
contábil, nos termos do parecer e da 239 12/08/2019 1007/2014 as determinações do parecer da
primeiro Álbum Solo
ata de reunião da CFCM. auditoria contábil, nos termos
Residência Artística na do parecer e da ata de reunião da
Readequação deferida, nos termos do CFCM.
233 05/08/2019 0172/2017 Associação Cultural
Parecer e Ata da CFCM.
Zaratan Programação Cultural Prestação de Contas homologada,
Olhar Cultural: “A Homologação da Prestação de Contas, do NECUP - Núcleo nos termos do Parecer da CFCM e
240 12/08/2019 1285/2013 
234 05/08/2019 750/2012 visão popular através nos termos do Parecer da CFCM e do de Estudos de Cultura do Parecer Técnico de Prestação de
do Pinhole” Parecer Técnico de Prestação de Contas. Popular Contas.
Homologação da Prestação de Contas,
235 05/08/2019 1034/2012 Leitura para todos nos termos do Parecer da CFCM e do Belo Horizonte, 13 de agosto de 2019
Parecer Técnico de Prestação de Contas.
Belo Horizonte Homologação da Prestação de Contas,
Cristiane Moreira Pinto
236 05/08/2019 0723/2013 Patrimônio e nos termos do Parecer da CFCM e do
Presidente da Câmara de Fomento à Cultura Municipal
Acessibilidade Parecer Técnico de Prestação de Contas.

Fundação Municipal
de Cultura
FMC

EXTRATOS

Extrato do Contrato de Prestação de Serviços


Processo: 01.087996.19.50
Contratante: Fundação Municipal de Cultura
Contratada: Marilda Castanha
Objeto: Prestação de serviços de curadoria para elaboração da programação da 3ª Edição do Festival Literário Internacional de Belo Horizonte - FLI-BH.
Prazo: 06/09/2019 a 15/10/2019
Valor: R$ 15.000,00
Assinatura: 06/09/2019

Extrato do Contrato de Prestação de Serviços


Processo: 01.085207.19.38
Contratante: Fundação Municipal de Cultura
Contratada: Nívea Thais Sabino
Objeto: Prestação de serviços de curadoria para elaboração da programação da 3ª Edição do Festival Literário Internacional de Belo Horizonte - FLI-BH.
Prazo: 06/09/2019 a 15/10/2019
Valor: R$ 15.000,00
Assinatura: 06/09/2019

Belo Horizonte, 6 de setembro de 2019

Fabíola Moulin Mendonça


Presidente

CONCORRÊNCIA PÚBLICA - FMC 002/2019 – RESULTADO FINAL DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE OFICINAS DE GESTÃO CULTURAL E BASTIDORES DAS ARTES

Processo nº 01.026.397/19-42
O Presidente da Comissão Especial de Avaliação designado pela Portaria FMC 069/2019, publicada no Diário Oficial do Município – DOM em 08 de agosto de 2019, no uso de suas atribuições legais e em
conformidade com o disposto no item 11.2 do Edital da Concorrência Pública FMC – 002/2019, publicada no DOM em 18 de junho de 2019, torna público para conhecimento dos interessados, o resultado final da
concorrência. Conforme previsto no edital, a partir da data desta publicação, abre-se o prazo de 05 (cinco) dias úteis para interposição de recursos.

Modalidade de Inscrição Oficina Proponente Identificação Nota Situação


Gabriel Murilo Magalhaes Resende CNPJ: 20.804.973/0001-90 44 Classificado
Jansey Valdez de Lima CPF: 035.516.716.64 44 Classificado

Modalidade I: Oficinas de Introdução Leonardo Balbino Mascarenhas CPF: 058.426.886-62 43 Classificado


Introdução à Gestão e Produção Cultural
à Gestão e Produção Cultural Ana Cristina Dias CPF: 006.568.806-60 40 Classificado
Bruno Lelis de Souza Faria CPF: 055.549.686-43 30 Classificado
Camila Soares França CPF: 098.737.936-40 19 Desclassificado
Modalidade II: Oficinas de Economia
Economia da Cultura Igor Arci Gomes CPF: 086.092.996-51 33 Classificado
da Cultura

Assessoria em Gestão Cultural para Coletivos Companhia Candongas e Outras Firulas CNPJ: 02.365.486/0001-97 47 Classificado
Modalidade III: Assessoria em Gestão Artísticos – Artes Cênicas Maria Carolina Fescina Silva CPF: 321.505.948-70 33 Classificado
Cultural para Coletivos Artísticos
Assessoria em Gestão Cultural para Coletivos
Michelle de Jesus Braga CNPJ: 19.953.977/0001-51 45 Classificado
Artísticos – Música
Capacitação Técnica nos Bastidores das Artes
para Coletivos Artísticos – Clarice Rena de Souza CPF: 067.542.766-57 40 Classificado
Categoria: Artes Cênicas – Figurino e Cenário

Capacitação Técnica nos Bastidores das Artes Ana Luiza Teixeira Neves CPF: 060.279.646.69 47 Classificado
para Coletivos Artísticos – Categoria: Imagem e
Modalidade IV: Oficinas de Memória – Curadoria e Acervo Ana Luisa dos Santos CPF: 038.676.746-71 28 Classificado
Capacitação Técnica – Bastidores
das Artes para Coletivos Artísticos e Capacitação Técnica nos Bastidores das Artes
Público em Geral. Categorias: Música, para Coletivos Artísticos –Categoria: Imagem
Estúdio 43 - Artes & Projetos Ltda. CNPJ: 09.604.048/0001-83 36 Classificado
Imagem e Memória, Artes Cênicas. e Memória – A Imagem e o Espaço, Projeto
Expográfico

Capacitação Técnica nos Bastidores das Artes Ana Luisa dos Santos CPF: 038.676.746-71 46 Classificado
para Público em Geral – Categoria:
Artes Cênicas – Figurino e Clarice Rena de Souza CPF: 067.542.766-57 39 Classificado
Caracterização

Frederico Diniz Oliveira


Presidente da Comissão Especial de Avaliação

dom5851 B.indd 49 06/09/2019 19:49:44


BELO HORIZONTE
50 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

EXTRATO Titular da Concessão: Regina Célia da Conceição Processo: 01-083.300.19-62 Cemitério da Saudade – Jazigo 476 da Quadra 6
Gouvea Titular da Concessão: Ildeu Camargos
Extrato do Primeiro Termo Aditivo ao Contrato de Cemitério da Saudade – Jazigo 38 da Quadra 5A Cemitério da Saudade – Jazigo 64 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Prestação de Serviços Titular da Concessão: Sinval Mendes Pereira
Processo: 01.075819.16.15 Processo: 01-081.207.19-96 Processo: 01-083.300.19-62 Cemitério da Saudade – Jazigo 482 da Quadra 6
Nº do IJ: 01.2016.0207.0052.03.00 Titular da Concessão: Elson Geraldo da Cunha Titular da Concessão: Joaquim Sebastião
Contratante: Fundação Municipal de Cultura Cemitério da Saudade – Jazigo 562 da Quadra 5B Cemitério da Saudade – Jazigo 106 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Contratada: EGS Elevadores-Eireli-EPP Titular da Concessão: Maria Silva Câmara
Objeto: Prorrogação do prazo de vigência do Processo: 01-081.207.19-96 Processo: 01-083.300.19-62 Cemitério da Saudade – Jazigo 517 da Quadra 6
contrato. Titular da Concessão: Maria Alves Nascimento Titular da Concessão: Terezinha Guilherme da Silva
Prazo: 02/09/2019 a 01/09/2020 Cemitério da Saudade – Jazigo 22 da Quadra 5C Cemitério da Saudade – Jazigo 113 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Valor: R$ 30.000,00 Titular da Concessão: Joana Miguel de Queiroz
Assinatura: 30/08/2019 Processo: 01-081.207.19-96 Processo: 01-083.300.19-62 Cemitério da Saudade – Jazigo 529 da Quadra 6
Registro: 05/09/2019 Titular da Concessão: Sinfrônio Santiago Pinto Titular da Concessão: Izaltina Soares de Matos
Livro: 24 Cemitério da Saudade – Jazigo 25 da Quadra 5C Cemitério da Saudade – Jazigo 123 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Folha: 100 Titular da Concessão: Marta de Oliveira Guimarães
Processo: 01-081.207.19-96 Processo: 01-083.300.19-62 Cemitério da Saudade – Jazigo 532 da Quadra 6
Belo Horizonte, 5 de setembro de 2019 Titular da Concessão: Maria Alice Fernandes Titular da Concessão: José Kern
Cemitério da Saudade – Jazigo 37 da Quadra 5C Cemitério da Saudade – Jazigo 145 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Fabíola Moulin Mendonça Titular da Concessão: Albertina da Silva Vieira
Presidente Processo: 01-081.207.19-96 Processo: 01-083.591.19-07 Cemitério da Saudade – Jazigo 543 da Quadra 6
Titular da Concessão: Maria Estela Barbosa Titular da Concessão: Antônio Batista de Morais
Machado Cemitério da Saudade – Jazigo 149 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Cemitério da Saudade – Jazigo 47 da Quadra 5C Titular da Concessão: Raymundo Nonato Lopes
SECRETARIA MUNICIPAL Processo: 01-083.591.19-07 Cemitério da Saudade – Jazigo 545 da Quadra 6
DE MEIO AMBIENTE Processo: 01-081.207.19-96 Titular da Concessão: Otaviano de Jesus
Processo: 01-084.010.19-18
Titular da Concessão: Waldemar Álvares de Souza Cemitério da Saudade – Jazigo 177 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 57 da Quadra 5C Titular da Concessão: Verdiana do Couto Moreno
Fundação de Parques Municipais Processo: 01-083.591.19-07 Cemitério da Saudade – Jazigo 588 da Quadra 6
Processo: 01-081.207.19-96 Titular da Concessão: Ana Caetana da Silva
e Zoobotânica Titular da Concessão: José Lino Alves Cemitério da Saudade – Jazigo 206 da Quadra 6 Processo: 01-084.010.19-18
Cemitério da Saudade – Jazigo 60 da Quadra 5C Titular da Concessão: José Walter Nery
DESPACHOS DO PRESIDENTE Cemitério da Saudade – Jazigo 605 da Quadra 6
Processo: 01-083.591.19-07
Processos deferidos: Processo: 01-081.207.19-96 Titular da Concessão: Maria José Cisalpino Couto
Titular da Concessão: Ana Caetana da Silva Cemitério da Saudade – Jazigo 209 da Quadra 6 Processo: 01-084.005.19-88
Cemitério da Saudade – Jazigo 646 da Quadra 6 Titular da Concessão: Maria Tomazia de Souza
Processo Administrativo - Apuração do Direito ao Cemitério da Saudade – Jazigo 606 da Quadra 6
Gozo de Licença Prêmio: Processo: 01-083.591.19-07
Processo: 01-081.207.19-96 Titular da Concessão: Izabel Braga da Silva
Titular da Concessão: Luiza Balbino de Macedo Cemitério da Saudade – Jazigo 224 da Quadra 6 Processo: 01-084.005.19-88
01.098.451/19-51 – FLÁVIA CRISTINA Titular da Concessão: Alice Dolores da Silva
MANACÉS RIBEIRO, Mat. 00816-7 – Cemitério da Saudade – Jazigo 651 da Quadra 6
Processo: 01-083.591.19-07 Cemitério da Saudade – Jazigo 613 da Quadra 6
Período:19/08/2014 a 17/08/2019; e
Processo: 01-081.207.19-96 Titular da Concessão: Custódia Moreira Frade
01-098.453/19-87 – MARIA FERNANDA Processo: 01-084.005.19-88
Titular da Concessão: Benedito Vicente Pereira Cemitério da Saudade – Jazigo 235 da Quadra 6
SILVA DOS SANTOS, Mat.00806-X – Período: Titular da Concessão: Antonieta Dias
Cemitério da Saudade – Jazigo 655 da Quadra 6
31/10/2013 a 27/12/2018 Cemitério da Saudade – Jazigo 618 da Quadra 6
Processo: 01-083.591.19-07

Processo: 01-080.924.19-91 Titular da Concessão: Irene de Souza Lima
Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 Processo: 01-084.005.19-88
Titular da Concessão: Luzia Gomes dos Santos Cemitério da Saudade – Jazigo 248 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 460 da Quadra 5B Titular da Concessão: Placedina Leopoldina Jesus
Sergio Augusto Domingues Cemitério da Saudade – Jazigo 621 da Quadra 6
Processo: 01-083.591.19-07
Presidente
Processo: 01-080.924.19-91 Titular da Concessão: Ana Viana Sardinha Pinto
Titular da Concessão: Hortência Maria Rio dos Cemitério da Saudade – Jazigo 261 da Quadra 6 Processo: 01-084.005.19-88
Edital de notificação Titular da Concessão: Delba Matos Quimaud
Santos
Cemitério da Saudade Cemitério da Saudade – Jazigo 623 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 461 da Quadra 5B Processo: 01-083.591.19-07
Titular da Concessão: Lúcia Scandiani Goroni
A Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, Processo: 01-084.005.19-88
Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 263 da Quadra 6
nos termos do art. 5° da Lei Municipal 10.828/15 Titular da Concessão: Maria de Lourdes Rocha
Titular da Concessão: Josefina Fernandes
e considerando o disposto nos arts. 8° e 11 do Cemitério da Saudade – Jazigo 631 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 464 da Quadra 5B Processo: 01-083.591.19-07
Decreto Municipal 16.227/16, que dispõe sobre
Titular da Concessão: Roberto Gomes da Luz
a concessão de jazigo em cemitérios púbicos Processo: 01-084.005.19-88
Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 311 da Quadra 6
municipais e determina a caducidade da concessão Titular da Concessão: Sebastiana dos Santos
Titular da Concessão: Alice Martins Rocha
de Uso Perpetua nos casos ali previstos, NOTIFICA Quintão
Cemitério da Saudade – Jazigo 472 da Quadra 5B Processo: 01-084.013.19-06
pela 2ª vez os concessionários abaixo relacionados Cemitério da Saudade – Jazigo 632 da Quadra 6
Titular da Concessão: José Gonçalves de Oliveira
para se apresentarem junto à Administração do Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 328 da Quadra 6
Cemitério da Saudade no prazo de 30 (trinta) dias Processo: 01-084.005.19-88
Titular da Concessão: Antônio Ferreira de Morais
para regularizarem a situação do jazigo, sob pena Titular da Concessão: Ana Duarte Carvalho
Cemitério da Saudade – Jazigo 473 da Quadra 5B Processo: 01-084.013.19-06
de caducidade. Cemitério da Saudade – Jazigo 640 da Quadra 6
Titular da Concessão: Nair Jesus Oliveira Barreto
Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 351 da Quadra 6
Processo: 01-072.026.19-50 Processo: 01-084.005.19-88
Titular da Concessão: Conceição Efigênia Neves
Titular da Concessão: João Luiz Moura Souza Titular da Concessão: Olinda Soares Dias
Cemitério da Saudade – Jazigo 477 da Quadra 5B Processo: 01-084.013.19-06
Cemitério da Saudade – Jazigo 1492 da Quadra 5 Cemitério da Saudade – Jazigo 643 da Quadra 6
Titular da Concessão: Conceição de Pádua Melo
Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 362 da Quadra 6 Processo: 01-084.005.19-88
Processo: 01-072.026.19-50 Titular da Concessão: Carmen Ronda Lara
Titular da Concessão: Milton Gomes Lisboa Titular da Concessão: José Bosco Lemos Martins
Cemitério da Saudade – Jazigo 481 da Quadra 5B Processo: 01-084.013.19-06 Cemitério da Saudade – Jazigo 644 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 1530 da Quadra 5 Titular da Concessão: Elza de Oliveira
Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 368 da Quadra 6 Processo: 01-084.247.19-17
Processo: 01-072.026.19-50 Titular da Concessão: Dulce Taveira de Castro
Titular da Concessão: Milton Gomes Lisboa Titular da Concessão: Guiomarino Marial de
Cemitério da Saudade – Jazigo 500 da Quadra 5B Processo: 01-084.013.19-06 Oliveira
Cemitério da Saudade – Jazigo 1531 da Quadra 5 Titular da Concessão: José Júlio Lino Cemitério da Saudade – Jazigo 727 da Quadra 6
Processo: 01-080.924.19-91 Cemitério da Saudade – Jazigo 376 da Quadra 6 Processo: 01-084.247.19-17
Processo: 01-072.026.19-50 Titular da Concessão: Maria de Lourdes Queiroga Titular da Concessão: Antônia Maria Ferreira Assis
Titular da Concessão: Glicéria Anjos Gomes Turano Processo: 01-084.013.19-06 de Moura
Cemitério da Saudade – Jazigo 1577 da Quadra 5 Cemitério da Saudade – Jazigo 504 da Quadra 5B Titular da Concessão: Geraldo Ribeiro Leite Cemitério da Saudade – Jazigo 732 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 390 da Quadra 6
Processo: 01-072.026.19-50 Processo: 01-080.924.19-91 Processo: 01-084.247.19-17
Titular da Concessão: José Dias Titular da Concessão: Jovelina Maria Izabel Rios Processo: 01-084.013.19-06 Titular da Concessão: Rita Augusta Sardinha
Cemitério da Saudade – Jazigo 1695 da Quadra 5 Cemitério da Saudade – Jazigo 513 da Quadra 5B Titular da Concessão: Geralda dos Reis de Souza Cemitério da Saudade – Jazigo 742 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 403 da Quadra 6
Processo: 01-072.026.19-50 Processo: 01-083.300.19-62 Processo: 01-084.247.19-17
Titular da Concessão: Geni Lacerda Campos Titular da Concessão: Carmem Maria de Souza Processo: 01-084.013.19-06 Titular da Concessão: Alzira Ferreira Ramos
Cemitério da Saudade – Jazigo 5 da Quadra 5A Cemitério da Saudade – Jazigo 4 da Quadra 6 Titular da Concessão: Simião Maria Nunes Cemitério da Saudade – Jazigo 763 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 425 da Quadra 6
Processo: 01-072.026.19-50 Processo: 01-083.300.19-62 Processo: 01-084.247.19-17
Titular da Concessão: Paulo Roberto Oliveira Titular da Concessão: José Franquilino de Oliveira Processo: 01-084.013.19-06 Titular da Concessão: Domitilia Alves Diniz
Rodrigues Cemitério da Saudade – Jazigo 8 da Quadra 6 Titular da Concessão: Lauro Ribeiro da Paixão Cemitério da Saudade – Jazigo 765 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 10 da Quadra 5A Cemitério da Saudade – Jazigo 464 da Quadra 6
Processo: 01-083.300.19-62 Processo: 01-084.247.19-17
Processo: 01-072.026.19-50 Titular da Concessão: Clemência Soares da Silva Processo: 01-084.013.19-06 Titular da Concessão: Ida Barros
Titular da Concessão: Dernivaldo Alexandre da Cemitério da Saudade – Jazigo 17 da Quadra 6 Titular da Concessão: Maria Bernardina Cemitério da Saudade – Jazigo 766 da Quadra 6
Silva Cemitério da Saudade – Jazigo 468 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 29 da Quadra 5A Processo: 01-083.300.19-62 Processo: 01-084.247.19-17
Titular da Concessão: Manoel Silva Cardoso Processo: 01-084.010.19-18 Titular da Concessão: Fumio Odaguiri
Processo: 01-072.026.19-50 Cemitério da Saudade – Jazigo 30 da Quadra 6 Titular da Concessão: Maria alexandrina pereira Cemitério da Saudade – Jazigo 780 da Quadra 6
Titular da Concessão: Maria Antônia Silva Cemitério da Saudade – Jazigo 473 da Quadra 6
Cemitério da Saudade – Jazigo 32 da Quadra 5A Processo: 01-083.300.19-62 Processo: 01-084.247.19-17
Titular da Concessão: Marieta Fernandes da Silva Processo: 01-084.010.19-18 Titular da Concessão: Ary Gonçalves
Processo: 01-072.026.19-50 Cemitério da Saudade – Jazigo 48 da Quadra 6 Titular da Concessão: izídia emília Cemitério da Saudade – Jazigo 781 da Quadra 6

dom5851 B.indd 50 06/09/2019 19:49:44


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 51

Processo: 01-084.247.19-17 Processo nº 01-145.435/18-90 todos os fins, INDEFERE os pedidos carreados Data de assinatura: 03.09.2019
Titular da Concessão: Palmira Campos Rodrigues IJ: 01.2019.2700.0027 na petição de fls. 273-279, na medida em que a Registro na SMOBI: 05.09.2019 - Livro: 01 -
Cemitério da Saudade – Jazigo 800 da Quadra 6 Contratante: MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE pretensão deduzida, além de preclusa, visa tão Folha: 119.
POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE somente a rediscutir questões alcançadas pela
Processo: 01-084.247.19-17 OBRAS E INFRAESTRUTURA – SMOBI. coisa julgada material, razão pela qual mantém a EXTRATO
Titular da Concessão: Alice Fernandes Lima Contratada: PROJETA CONSULTORIA E decisão impugnada pelos seus próprios e jurídicos
Cemitério da Saudade – Jazigo 802 da Quadra 6 SERVIÇOS LTDA. fundamentos. EXTRATO DO CONTRATO DJ 051/2019 -
Objetivo: O item 6.1 da “CLÁUSULA SEXTA – Publique-se. PREGÃO ELETRÔNICO SMOBI 005/2019
Processo: 01-084.529.19-79 MEDIÇÃO E PAGAMENTO” do Contrato DJ Processo: 01-027.138/19-20
Titular da Concessão: Ana Martins dos Santos 030/2019 passa a vigorar com a seguinte redação: Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 Contratante: MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
Cemitério da Saudade – Jazigo 661 da Quadra 6 “Os serviços/materiais serão medidos POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE
mensalmente, conforme executados e de acordo Josué Costa Valadão OBRAS E INFRAESTRUTURA – SMOBI.
Processo: 01-084.529.19-79 com o Cronograma Físico-Financeiro detalhado Secretário Municipal de Obras e Infraestrutura Contratada: KALU SERVIÇOS DE ENGENHARIA
Titular da Concessão: Filomena Vieira Rodrigues entregue pela CONTRATADA. As medições serão LTDA - ME
Cemitério da Saudade – Jazigo 688 da Quadra 6 elaboradas pelo FISCAL, com a participação da EXTRATOS Objeto: Execução, pela Contratada, sob regime de
CONTRATADA, relativas aos serviços executados empreitada, a preços unitários, por medição, dos
Processo: 01-084.529.19-79 entre o primeiro e o último dia de cada mês e EXTRATO DO TERMO ADITIVO Nº 01 AO serviços comuns de engenharia para elaboração e/
Titular da Concessão: Raimunda Nuna de Jesus serão formalizadas e datadas até o 15º dia do mês CONTRATO AJ 052/2018 - SMOBI 001/2018 CC ou revisão de Projetos Paisagísticos, assim como,
Cemitério da Saudade – Jazigo 690 da Quadra 6 seguinte, podendo prorrogar-se até o primeiro dia Processo nº 01-026.744/18-83 os demais levantamentos, estudos e projetos
útil imediatamente subsequente quando a data IJ: 01.2018.2700.0054 necessários para o desenvolvimento do mesmo para
Processo: 01-084.529.19-79 coincidir com feriado, recesso, ou dia em que não Contratante: MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE 6 (seis) empreendimentos da SUDECAP, com o
Titular da Concessão: Maria do Carmo Rangel de houver expediente no Contratante.” POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE fornecimento de materiais, insumos e mão de obra.
Meireles Após a formalização deste aditamento, será OBRAS E INFRAESTRUTURA – SMOBI. Valor: O valor deste Contrato, a preços de
Cemitério da Saudade – Jazigo 711 da Quadra 6 realizada uma medição parcial, relativa aos serviços Contratada: MAUMA ENGENHARIA E agosto/2018, é de R$ 304.000,11 (trezentos e
executados no período do dia 16 ao último dia SERVIÇOS LTDA quatro mil reais e onze centavos), correspondente
Processo: 01-084.529.19-79 do mês, aplicando-se, nos meses subsequentes, Objeto: Execução dos serviços e obras de tratamento ao produto dos preços unitários propostos pela
Titular da Concessão: Maria Raimunda Fagundes o período de medição estipulado na Cláusula de fundo de vale da sub-bacia do Córrego da Rua Contratada aplicados às quantidades estimadas na
Cemitério da Saudade – Jazigo 714 da Quadra 6 Primeira. Marselhesa e seu entorno e melhoria do sistema planilha de orçamento.
Ressalvado o disposto neste instrumento, ficam viário, parte integrante das obras de Saneamento Dotação Orçamentária: As despesas decorrentes
Processo: 01-084.529.19-79 mantidos e ratificados os termos do contrato base, Integrado da Bacia do Córrego Bonsucesso – da execução deste Contrato correrão à conta de
Titular da Concessão: Lêda Silva de Almeida ora aditado. Meta II – PAC 2. Objetivo: O prazo de execução recursos orçamentários da Secretaria Municipal de
Cemitério da Saudade – Jazigo 804 da Quadra 6 Data de assinatura: 02.09.2019 do Contrato AJ 052/2018, fica prorrogado por 120 Obras e Infraestrutura – SMOBI, conforme rubrica
Registro na SMOBI: 05.09.2019 - Livro: 01 - (cento e vinte) dias corridos, passando o seu término nº 2700.4300.17.512.066.1.203.0001.449051.01.04
Processo: 01-084.529.19-79 Folha: 119. do dia 11/12/2019 para o dia 9 de abril de 2020. .00 SICOM 177 e
Titular da Concessão: Odetina Rodrigues da Silva O prazo de vigência do contrato ora aditado, fica 2700.4300.15.451.062.1.230.0001.449051.01.
Cemitério da Saudade – Jazigo 821 da Quadra 6 EXTRATO DO TERMO ADITIVO Nº 05 AO prorrogado por mais 81 (oitenta e um) dias corridos, 04.80 SICOM 190, provenientes dos Recursos
CONTRATO AJ 040/2018 - SP 10/2017 CC LOTE passando o seu término do dia 18/4/20 para o dia 8 Ordinários do Tesouro - ROT e Financiamento à
Processo: 01-084.529.19-79 V de julho de 2020. Infraestrutura e ao Saneamento - FINISA.
Titular da Concessão: Geraldo Pereira Moura Processo nº 01-080.386/18-90 Data de assinatura: 03.09.2019 Prazo: O prazo de vigência deste Contrato é de 210
Cemitério da Saudade – Jazigo 826 da Quadra 6 IJ: 01.2018.2700.0050 Registro na SMOBI: 05.09.2019 - Livro: 01 - (duzentos e dez) dias contados a partir da data de
Contratante: MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE Folha: 119. sua assinatura.
Processo: 01-084.529.19-79 POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE O prazo para a prestação completa dos serviços ora
Titular da Concessão: Maria do Rosário Ribeiro OBRAS E INFRAESTRUTURA – SMOBI. EXTRATO DO TERMO ADITIVO Nº 02 AO contratados é de 120 (cento e vinte) dias, contados
Cemitério da Saudade – Jazigo 829 da Quadra 6 Contratada: CONSERVASOLO ENGENHARIA CONTRATO AJ 052/2018 - SMOBI 001/2018 CC a partir da data de emissão da 1ª Ordem de Serviço.
DE PROJETOS E CONSULTORIA TÉCNICA Processo nº 01-026.744/18-83 Data de assinatura: 06.09.2019
Processo: 01-084.529.19-79 LTDA. IJ: 01.2018.2700.0054 Registro na SMOBI: 06.09.2019 - Livro: 01 -
Titular da Concessão: Regina de Oliveira Dias Objetivo: Retificação das datas de início e fim Contratante: MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE Folha: 120.
Cemitério da Saudade – Jazigo 835 da Quadra 6 do Termo Aditivo nº 04, publicado no DOM de POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE
18/06/2019, correspondente a renovação do AJ OBRAS E INFRAESTRUTURA – SMOBI. EXTRATO
APLICAÇÃO DE PENALIDADE 040/2018, nos seguintes termos: Contratada: MAUMA ENGENHARIA E
ADMINISTRATIVA - ADVERTÊNCIA Onde se lê: SERVIÇOS LTDA EXTRATO DO TERMO ADITIVO Nº 04
O prazo de vigência do Contrato AJ 048/2018, Objeto: Execução dos serviços e obras de tratamento AO CONTRATO AJ 078/2018 - PREGÃO
Processo de Penalidade: 01.078.992.19.09
Licitação SP 010/2017-CC-Lote V, que tem por de fundo de vale da sub-bacia do Córrego da Rua ELETRÔNICO SMOBI 009/2017
Processo Administrativo: 01.113.613.14.63 /
objeto a prestação de serviços de engenharia Marselhesa e seu entorno e melhoria do sistema Processo nº 01-093.587/17-02
01.007.360.15-91
diversos visando a manutenção corretiva e viário, parte integrante das obras de Saneamento IJ: 01.2018.2302.0393.04
Objeto: Contrato de Prestação de Serviço de
preventiva na infraestrutura urbana do Município Integrado da Bacia do Córrego Bonsucesso – Meta Contratante: MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE
Confecção de Jazigos no Cemitério Público da Paz,
de Belo Horizonte - Regional Municipal Noroeste, II – PAC 2. POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE
englobando a limpeza do interior e em torno do
fica renovado por mais 366 (trezentos e sessenta Objetivo: Readequam-se as Planilhas Orçamentárias, OBRAS E INFRAESTRUTURA – SMOBI.
jazigo, retirada de entulho e terra, fundição de lajes
e seis) dias corridos, passando o término do dia integrantes do Contrato AJ 052/2018, firmado Contratada: A.P. BRAGA ENGENHARIA E
e tampões, assentamento das pedras, serviços de
17/08/2019 para o dia 17/08/2020. em 28/08/2018, tendo como referência o mês de COMÉRCIO LTDA.
atendimento, cobrança e emissão de comprovantes
Leia-se: Março de 2017, para reprogramá-la com acréscimo Objeto: Execução remanescente do Contrato AJ
dos serviços prestados ao Munícipe.
O prazo de vigência do Contrato AJ 048/2018, de quantitativos e inclusão de itens, no valor de x 040/2017, consistente na prestação de serviços
A Diretoria de Planejamento, Gestão
Licitação SP 010/2017-CC-Lote V, que tem por correspondente a 14,38%, bem como decréscimos de reparação e manutenção predial, preventiva
e Finanças da Fundação de Parques Municipais e
objeto a prestação de serviços de engenharia de quantitativos e exclusão de itens, no valor de x e corretiva no Centro de Saúde Marco Antônio
Zoobotânica - FPMZB, no uso de suas atribuições
diversos visando a manutenção corretiva e correspondente a 1,53%, bem como acréscimo do Menezes – Lote V- Regional Municipal Leste.
legais e regulamentares, subsidiada pelas
preventiva na infraestrutura urbana do Município valor contratual. Objetivo: Readéqua-se a Planilha Contratual,
informações constantes dos processos em epígrafe,
de Belo Horizonte - Regional Municipal Noroeste, Em decorrência da readequação da Planilha integrante do Contrato AJ 078/2018, para
decide aplicar à empresa CONSTRUTORA A
fica renovado por mais 366 (trezentos e sessenta Contratual, fica acrescida ao Contrato a importância reprogramá-la com acréscimo de quantitativos,
ESPERANÇA LTDA, a sanção administrativa
e seis) dias corridos, passando o término do dia de R$ 1.016.972,77 (um milhão, dezesseis inclusão e exclusão de item, no montante de R$
de ADVERTÊNCIA, em decorrência do
descumprimento do subiten 5.19 da Cláusula 09/07/2019 para o dia 09/07/2020. mil, novecentos e setenta e dois reais e setenta 49.049,61 (quarenta e nove mil, quarenta e nove
Quinta do Contrato, amparada pelo disposto no art. Ficam mantidas e ratificadas todas as demais e sete Centavos), a preços de Março de 2017, reais e sessenta e um centavos), tendo como
87, inciso I, da Lei Federal nº 8.666/93 e no art. disposições contratuais, incluindo a planilha e correspondente a um aumento de 12,85% do valor referência o mês de março de 2018, correspondente
4º, I, alínea “a” do Decreto Municipal nº 15.113/13. cronograma que subsidiaram o aditivo de renovação originalmente consignado ao contrato. a 24,91% (vinte e quatro inteiros e noventa e
Nos termos do art. 29, do Decreto contratual, ressalvado o disposto neste instrumento. As despesas decorrentes deste aditamento correrão um centésimos por cento) do valor inicialmente
Municipal nº 15.113/13, fica concedido o prazo de Data de assinatura: 03.09.2019 à conta de recursos orçamentários da Secretaria consignado ao contrato, e decréscimos de
10 (dez) dias úteis, a contar da publicação desta no Registro na SMOBI: 05.09.2019 - Livro: 01 - Municipal de Obras e Infraestrutura – SMOBI, quantitativos nos mesmos valor e percentual, sem
Diário Oficial do Município, para interposição de Folha: 119. conforme rubrica nºs 2700.4300.17.512.066.1.307 alteração no valor contratual.
recurso. .0002.449051.04.04.30 – SICOM 137 e 2700.4300. Data de assinatura: 05.09.2019
Ficam franqueadas vistas e cópias dos DECISÃO ADMINISTRATIVA 17.512.066.1.307.0002.449051.04.04.80 – SICOM Registro na SMOBI: 06.09.2019 - Livro: 01 -
documentos constantes nos referidos processos 190. Folha: 120.
administrativo e de penalidade, exigindo-se Processo: 01.084.674/18-97

DOAR O SEU LEITE


de advogados e prepostos a comprovação dos Licitação: SMOBI-4/2018-CC
respectivos poderes mediante procuração e/ou carta Peticionária: Construtora Sinarco Ltda. - CNPJ
de preposição ou instrumentos equivalentes. 03.367.118/0001-40
Local para apresentação de recurso
administrativo: Diretoria de Planejamento, Gestão Ementa:

É UM ATO DE AMOR
e Finanças (DPGF), da Fundação de Parques Processo administrativo sancionador – apresentação
Municipais e Zoobotânica (FPMZB), localizada na de documento adulterado para demonstração da
Avenida Getúlio Vargas, número 1.245, 10º andar capacidade técnica na fase externa da licitação –
- Savassi, Belo Horizonte/MG - CEP: 30.112-024. aplicação da sanção de declaração de inidoneidade
– trânsito em julgado – petição para reexame da
Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019 decisão – ausência de elementos novos – pretensão
de rediscussão da matéria alcançada pela coisa
julgada material – manutenção integral da decisão
Posto de Coleta de Leite Humano
Wellington Geraldo da Silva Corrêa
Diretor de Planejamento Gestão e Finanças impugnada. Ambulatório do Hospital Municipal Odilon Behrens
O Secretário Municipal de Obras Rua Dr. João Carvalhaes de Paiva, 73 - bairro São Cristóvão
e Infraestrutura, no uso de suas atribuições
SECRETARIASMOBI
MUNICIPAL DE definidas pela Lei n.º 11.065/2017, regulamentada
OBRAS E INFRAESTRUTURA pelo Decreto n.º 15.185/2013, considerando

Mais informações: 156


que a peticionária não apresentou elementos
EXTRATOS novos capazes de recomendar a revisão e/ou
desconstituição da decisão de fl. 216 e que os
EXTRATO DO TERMO ADITIVO Nº 01 argumentos apresentados são refutados de maneira
AO CONTRATO DJ 030/2019 - PREGÃO cabal, nos termos do Parecer Jurídico DPCT-SD
ELETRÔNICO SMOBI 272/2018 n.º 192/2019, que integra a presente decisão para

dom5851 B.indd 51 06/09/2019 19:49:44


BELO HORIZONTE
52 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

ATA DA 1483ª SESSÃO ORDINÁRIA DA 1ª JUNTA ADMINISTRATIVA DE RECURSOS DE 2018.12170 Miller Chamone de Oliveira AE05593868 Não Provido
INFRAÇÃO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE – JARI/BH
2018.12175 Antônio Maria dos Santos AE06897559 Não Provido
Aos 27 dias do mês de agosto de 2019, à Rua dos Caetés, 466, Centro, reuniu-se em sua 1483ª Sessão 2018.12179 Getúlio João Teixeira AE05618666 Não Provido
Ordinária a 1ª Junta Administrativa de Recursos de Infração do Município de Belo Horizonte, com a presença 2018.12184 Gabriel Alberto Dias Moreira AE05607103 Não Provido
dos seguintes membros: Francisco Sebastião Souza dos Santos, Delmo Pires Queiroga e Gardênia Cury-Rad 2018.12190 Gustavo Alves Guilherme AE05608486 Não Provido
de Azevedo. 2018.12191 Ângelo Marcos Gomes AE06945791 Não Provido
A junta julgou os recursos abaixo, decidindo da seguinte forma: 2018.12200 Paulo Emilio de Souza Rocha AE06944885 Não Provido

Processo Nome AIT Decisão Francisco Sebastião Souza dos Santos


2018.10980 Márcio Geraldo da Silva AE06919749 Provido Presidente
2018.11065 Laércio Fidelis Campos AE06906603 Não Provido
2018.11192 Gustavo Santiago Mendes AE05606218 Provido SUDECAP
SUDECAP
2018.11200 Odimar José de Oliveira AK00073200 Provido
2018.11288 Leandro Lúcio Santana AK00077681 Provido
2018.11327 Ricardo Cristian Santiago AE06926308 Não Provido EXTRATO
2018.11500 Daniel Vitor da Silva AE06930140 Provido
EXTRATO DO CONTRATO DJ 024/2019 - PREGÃO ELETRÔNICO PRODABEL nº 012/2018
2018.11521 Dhyenatan Teixeira Santos AE05605125 Não Provido
Processo: 01-053.387/19-61
2018.11548 Thiago Luís Tércio AE05499008 Intempestivo IJ: 01.2019.2702.0006.00.00
2018.11641 Rogério Inácio Martins AE05578705 Não Provido Contratante: SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA CAPITAL – SUDECAP.
2018.11780 Pyter Rani Dias dos Anjos AE05598303 Não Provido Órgão Gerenciador: EMPRESA DE INFORMÁTICA E INFORMAÇÃO DO MUNICÍPIO DE BELO
2018.11783 Elder Guerra Magalhães AE06937948 Não Provido HORIZONTE S/A - PRODABEL
2018.11851 Wemerson Gomes de Souza AE05571174 Não Provido Contratada: POSITIVO TECNOLOGIA S.A.
Objeto: Aquisição de 25 (vinte e cinco) microcomputadores com microprocessador com frequência mínima de
2018.11855 Gustavo de Paiva Moreira AE05573304 Não Provido 3,0 GHz, 16 GB de RAM, HD de 1 TB, monitor de 21,5 polegadas, Sistema Operacional Windows.
2018.11859 Gustavo de Paiva Moreira AE05575770 Não Provido Valor: O valor total do Contrato é de R$ 95.086,50 (noventa e cinco mil, oitenta e seis reais e cinquenta centavos).
2018.11861 Vicente Fonseca de Oliveira AE05551653 Intempestivo Dotação Orçamentária: As despesas decorrentes da execução deste Contrato correrão à conta de recursos
2018.11864 Nilson do Carmo AE05611845 Não Provido orçamentários da Superintendência de Desenvolvimento da Capital – SUDECAP, conforme rubrica nº 2702.11
2018.11866 Nilson do Carmo AE05611868 Não Provido 00.15.122.057.2.584.0001, natureza de despesa 449052-16, fonte de recursos 04.00 e SICOM 100.
Prazo: O prazo máximo de entrega é de 20 (vinte) dias corridos contados a partir do recebimento pela
2018.11870 Evânio José Silva AK00060000 Não Provido
CONTRATADA do EMPENHO, devidamente assinado pela CONTRATANTE.
2018.11876 Eneida Maria Brazil de Vasconcelos AE06938462 Não Provido Data de assinatura: 28.08.2019
2018.11878 Glaucia Maria Moreira Siqueira Corrêa AE06934356 Não Provido Registro na SUDECAP: 05.09.2019 - Livro: 02 - Folha: 16.
2018.11884 Gilberto Massote AE05605995 Não Provido
2018.11887 Sérgio Luis de Araújo AJ00072760 Não Provido
2018.11888 Frederico Silva Ferreira AE05546620 Não Provido SLU
SLU
2018.11889 Ana Cecília Sorrenti Bahia AE06936597 Não Provido
2018.11890 Haydée Furst de Alvarenga AE06919050 Não Provido PORTARIA SLU Nº 102, DE 05 DE SETEMBRO DE 2019
2018.11891 Haydée Furst de Alvarenga AE06919049 Não Provido
2018.11895 Fabricio de Araújo Moreira AE05608561 Não Provido Designa fiscal de contrato nos termos do Decreto nº 15.185/2013.
2018.11898 Jackson Junio Pereira Guedes da Silva AE05584745 Não Provido
O Superintendente de Limpeza Urbana, no exercício das atribuições que lhe confere a Lei nº 11.065,
2018.11901 Lorisandro dos Santos Ferreira AE05600005 Não Provido
de 1º de agosto de 2017, atualizada, e considerando o disposto no Decreto nº 15.185, de 04 de abril de 2013,
2018.11904 Ronald Henrique Oliveira Lopes AK00137547 Não Provido atualizado;
2018.11905 Guilder Ferreira Siqueira AE05581258 Não Provido RESOLVE:
2018.11908 Marcos Antônio Ribeiro Mendes AE06948247 Não Provido
2018.11909 Silvania Ribeiro AE05554355 Provido Art. 1º - Designar Rosilene Viana de Freitas Souza Saldanha, matrícula 11.406-0, para a função de
2018.11910 Luiz Carlos Rodrigues Fonseca AE05565193 Não Provido fiscal do contrato SLU/DR.JUR nº 034/2019, e na sua ausência e impedimentos, Pegge Sayonara Mendes –
Mat. 10.818-4, referente ao Processo Administrativo 01-134.989/16-19, firmado com o CONSÓRCIO MULTI
2018.11911 Raphael Rodrigues da Silva AK00007470 Não Provido TIME, que tem por objeto os serviços de fornecimento, instalação, reparo, limpeza e retirada de cestos coletores
2018.11913 Ademir Batista Santos AE05598971 Não Provido de resíduos leves em logradouros públicos do Município de Belo Horizonte, bem como o acondicionamento,
2018.11915 Pedro Barbosa Martins AE06945909 Não Provido coleta e transporte dos resíduos provenientes destas atividades.
2018.11917 Arnaldo Diniz Alves da Silva AJ00391619 Não Provido
2018.11919 Cristiano Soares AE05579773 Não Provido Art. 2º- Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.
2018.11921 Léa Brandão Bastos e Moreira AE05573461 Não Provido
Belo Horizonte, 05 de setembro de 2019
2018.11923 Nayse das Graças D. Freitas Rocha AE06885268 Não Provido
2018.11925 Jonatha Assis Chaves AE05581726 Não Provido Genedempsey Bicalho Cruz
2018.11927 Daniel Fontes Otoni AE05583253 Não Provido Superintendente
2018.11929 Hérzio Geraldo Bottrel Mansur AE05555652 Não Provido
2018.11933 Teodorico Indalecio de Carvalho AE05513120 Intempestivo
2018.11939 Lucas de Castro Rocha AE05590965 Não Provido
BHTRANS
BHTRANS

2018.11943 Rosana de Oliveira Ribeiro Carvalho AK00005761 Não Provido


2018.11944 Dário Parizzi Carsalade AK00113599 Não Provido EXTRATOS
2018.11950 José Tito da Silva AE05588259 Não Provido RELATÓRIOS DE VIAGENS OFICIAIS
2018.11954 José Maria dos Santos AK00061138 Não Provido
A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte S.A. – BHTRANS torna público o resumo
2018.11957 Mírian Aparecida Alves de Souza AE06942603 Não Provido
do relatório de viagens oficiais, em cumprimento a Lei n.º 9.593, de 16 de julho de 2008, conforme:
2018.11961 Leandro Rosa da Silva AE06944195 Não Provido
2018.11964 Milton Agatha da Silva AK00099863 Não Provido I. Nome do agente público: Luciano Aparecido Chagas
2018.11969 Geraldo de Matos Braga AE05565834 Não Provido II. Cargo ocupado pelo agente público: Assessor
2018.11975 Marcelo Pimenta Miranda AE05566215 Intempestivo III. Destino da viagem: Recife - PE
2018.11980 Jeremias Farias Júnior AJ00404793 Intempestivo IV. Período da realização da viagem: 10/07 a 12/07/19.
V. Objetivo da viagem: Discussão de assuntos de interesse do Município.
2018.11983 Francismar Barbosa Dias AE06928953 Intempestivo VI. Conclusão acerca do cumprimento dos objetivos: Cumprido
2018.11987 Antônio Faustino Neto AE05604795 Provido VII. Indicação dos benefícios para o Município, resultantes da missão oficial: Qualificação da mão de obra.
2018.11991 Guilherme André do Nascimento AE05561734 Não Provido VIII. Despesas de viagem: R$ 3.437,38 (Três mil, quatrocentos e trinta e sete reais e trinta e oito centavos).
2018.11995 Paulo Henrique Souza e Silva AE05575329 Não Provido
2018.12000 Juliana Leal de Melo AE05592245 Não Provido I. Nome do agente público: Celio Freitas Bouzada
II. Cargo ocupado pelo agente público: Presidente
2018.12006 Gávea Transportes e Empreendimentos Ltda AE05584850 Não Provido
III. Destino da viagem: Goiânia - GO
2018.12075 Antônio Brandão Júnior AE06932356 Não Provido IV. Período da realização da viagem: 24/07 a 24/07/19.
2018.12082 José Ricardo de Jesus AE05592924 Não Provido V. Objetivo da viagem: Aprimoramento de mão de obra, representação do Município e discussão de
2018.12087 Magda Gonçalves de Melo AE05585441 Não Provido assuntos de interesse do Município.
2018.12091 Geraldo Andrade Ribeiro AK00072324 Não Provido VI. Conclusão acerca do cumprimento dos objetivos: Cumprido
2018.12095 Valmir de Souza Barbosa AE05592294 Não Provido VII. Indicação dos benefícios para o Município, resultantes da missão oficial: Busca de recursos técnicos ou
financeiros, alinhamento de políticas municipais junto a outros órgãos e defesa de interesse do Município.
2018.12101 Melquisedeque dos Santos Soares AE06948074 Não Provido
VIII. Despesas de viagem: 3.288,92 (Três mil, duzentos e oitenta e oito reais e noventa e dois centavos).
2018.12106 Roberto Jaguaribe de Carvalho AE06947575 Não Provido
2018.12111 Flaviano Eduardo Tavares Almada AE05569072 Não Provido Belo Horizonte, 19 de agosto de 2019
2018.12120 Eudésia de Deus e Costa AE05564451 Não Provido
2018.12124 Urca Auto Ônibus Ltda AE05606408 Não Provido Patrícia Passeli
Diretora de Finanças e Controle
2018.12129 Isabella Noria Cunha AE05627408 Não Provido
2018.12130 Isabella Noria Cunha AE05573031 Não Provido
2018.12138 João Paulo Pinto AE05582596 Provido
2018.12142 Geraldo Alves de Oliveira AE05558171 Não Provido
SECRETARIASMPU
MUNICIPAL DE
2018.12146 Nívea Kenia Pacheco AE05484963 Intempestivo POLÍTICA URBANA
2018.12150 Franciane Andrea Campos e Silva AE05586243 Não Provido
COMUNICADO
2018.12159 Márcio Gomes de Souza AE05611937 Não Provido
2018.12165 Amanda Moura Farnezi AE05564713 Não Provido A Diretoria Regional de Fiscalização Pampulha, no uso de suas atribuições legais, que lhe confere a

dom5851 B.indd 52 06/09/2019 19:49:45


Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019
BELO HORIZONTE
Diário Oficial do Município 53

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO SMSU/SMAFIS no uso das suas atribuições que lhe confere a Fechar, no alinhamento, o lote ou o conjunto Expediente de origem: 01-055967-16-50
Nº 01, de 21 de Novembro de 2011, procede as Instrução de Serviço SMSU/ SMAFIS 001 de de lotes ou o terreno não edificados, lindeiro
ratificações e/ ou retificações dos documentos fiscais 29/11/11, resolve aplicar a a logradouro público dotado de meio- fio. Rovena Nacif Martins
urbanísticos abaixo discriminados, lavrados em seu AUTO LANTERNAGEM E PINTURA Dispositivo Legal Transgredido: Lei 9725/09, Diretora Regional de Fiscalização Pampulha
trabalho rotineiro, por meio desta publicação: CARATINGA LTDA- ME Art. 10, Caput, Decreto 13842/10, Arts. 11 a 13. José Mauro Gomes
CPF/ CNPJ: 42.951.889/0001-32 Penalidades: Multa, aplicável nas reincidências Subsecretário de Fiscalização
TERMOS DE NOTIFICAÇÃO (MEIO Endereço: R. São Pedro do Avaí, 73, Sta Branca, em valores progressivamente aumentados do
AMBIENTE) BH. valor base, conforme Lei 9725/09, Arts. 74, I a 76, COMUNICADO
A penalidade de Advertência com fundamento Anexo VII, item 01, Decreto 13842/10, Art. 120 e
Belo Horizonte, 08/07/2019 no Art. 97 e Art. 99 do Decreto 5893/88 c/c com Lei 8147/00. O Subsecretário de Fiscalização, no exercício de
Notificação Nº 0074/19 a DN 01/88 por transgressão ao Art.23- Decreto suas atribuições legais, em especial as conferidas
5893/88 relativo ao Auto de Infração Nº 746613 de Infrator: ALAN PATRICK DINIZ SIQUEIRA pela Lei 11.065/17, art. 53, incisos I, II e VI, e de
O Gerente da GERÊNCIA REGIONAL DE 14/09/2015. CPF/ CNPJ Nº: 01418127612 acordo com os termos da Lei 8.616/03, art. 321,
FISCALIZAÇÃO INTEGRADA I- PAMPULHA Determino ainda: Endereço de correspondência: R. Turibaté, 131, do Decreto 14.060/10, art. 179, § 2º e § 3º, da Lei
no uso das suas atribuições que lhe confere a - Cessar imediatamente a irregularidade constatada: Asteca- São Benedito, Sta Luzia/ MG. 10.534/12, art. 59, § 3º e art. 60, da Lei 9.725/09,
Instrução de Serviço SMSU/ SMAFIS 001 de operaar fonte de poluição atmosférica sem sistema Local da Infração: R. Luiz Antônio de Morais- art. 85, do Decreto 13.842/10, art. 120, § 2º e do
29/11/11, resolve aplicar a adequado de exaustão (cabine vedada por cortina e Braúnas/ IC: 325015 022 0027. Decreto 14.906/12, torna público o(s) auto(s)
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DO BANCO DO exaustor sem filtros). Auto de Notificação Nº: 20190114351AN abaixo relacionado(s):
BRASIL - Atender normas ambientais. Valor: R$ 883,02
CPF/ CNPJ: 17.378.258/0001-29 - Adotar medidas corretivas adequando as Data: 26/06/2019 RATIFICAÇÕES DE DOCUMENTOS FISCAIS
Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 11840, instalações à legislação ambiental. Expediente de origem: 01-073590-19-18 LAVRADOS PELA DIRETORIA REGIONAL DE
Garças, Belo Horizonte- regional: PAMPULHA Observação (ões): FISCALIZAÇÃO OESTE
a penalidade de Advertência com fundamento - Local da constatação: R. São Pedro do Avaí, 73, Manter o terreno não edificado ou não utilizado, Infrator: NÃO IDENTIFICADO
no Art. 97 e Art. 99 do Decreto 5893/88 c/c com Sta Branca. roçado, limpo e drenado, providenciando CPF / CNPJ: 11111111111
a DN 01/88 por transgressão ao Art. 61- Decreto - Para o exercício da atividade de pintura em condições adequadas para escoamento das águas Endereço da irregularidade: RUA FRANÇA, N. 0 –
5893/88 relativo ao Auto de Infração Nº 744332 de veículos, a empresa deverá instalar cabina de pintura pluviais, preservando eventuais nascentes e cursos ESQUINA COM RUA CORCOVADO, 1025 – VIA
10/06/2015. totalmente vedada, sistema de com exaustão, filtros d’ água existentes. Apresentar comprovante PÚBLICA – JARDIM AMÉRICA
Determino ainda: e com duto de lançamento não direcionado para os de descarga dos resíduos da limpeza em local Infração: GUARDAR, COLOCAR, UTILIZAR
- Cessar imediatamente a irregularidade constatada: imóveis vizinhos. autorizado na sua regional. Detalhamento: O OU TRANSPORTAR CAÇAMBA NÃO
realizar supressão de árvore em área de domínio - No caso de nova autuação pela mesma infração, o produto da limpeza do lote vago não pode ser LICENCIADA EM LOGRADOURO PÚBLICO.
privado sem prévia sem prévia autorização do órgão autuado estará sujeito à penalidade de multa. queimado no local. DLT: Lei 10534/12, Arts. 21,I. Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ART. 103,
competente. - O descumprimento à determinação acima Penalidade: Multa, aplicável em dobro e em triplo, CAPUT
- Atender normas ambientais. implicará na aplicação das sanções cabíveis. no caso de 1ª e 2ª reincidências, respectivamente, Documento fiscal: 20190130102AN
- Adotar medidas corretivas adequando as César Gonçalves Rodrigues a cada 2 (dois) dias, conforme Lei 10534/12, Arts. Data: 02/09/2019
instalações à legislação ambiental. Gerência Regional de Fiscalização Integrada I- 58, I, 61 e 62, Anexo II, item 30 e Lei 8147/00. Hora: 08:00
Observação (ões): Pampulha Prazo para regularização: 0 dia(s)
- Local da constatação: Av. Otacílio Negrão de Infrator: ALAN PATRICK DINIZ SIQUEIRA Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
Lima, 11840- Garças. TERMOS DE AUTO DE INFRAÇÃO CPF/ CNPJ Nº: 01418127612 FISCALIZAÇÃO OESTE
- Para a realização de podas e supressões de árvores, Endereço de correspondência: R. Turibaté, 131, Matrícula do Fiscal: 079920-7
inclusive de suas raízes, o interessado deverá estar Asteca- São Benedito, Sta Luzia/ MG. Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311,
Deixar de roçar ou limpar terreno não edificado ou
devidamente autorizado pela PBH.As intervenções Local da Infração: R. Luiz Antônio de Morais- DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM
terreno não utilizado com frente para logradouro
só poderão ser realizadas em conformidade com a Braúnas/ IC: 325015 022 0027. 58 E LEI 8147/00
público ou deixar de realizar drenagem no terreno,
autorização concedida e, em logradouros públicos, Auto de Notificação Nº: 20190114352AN Prazo para recurso: 15 dia(s)
não providenciando condições adequadas para o
serão executadaos pela própria PBH- GERUB-P. Valor: R$ 2247,63 Expediente de origem: 137419
escoamento das águas pluviais.DLT: Lei 10534/12,
- No caso de nova autuação pela mesma infração, o Data: 26/06/2019 Ocorrência: SEM RECEBIMENTO
Art. 21, I. Penalidade: Multa aplicável em dobro
autuado estará sujeito à penalidade de multa. Expediente de origem: 01-073590-19-18
e em triplo, no caso de 1ª e 2ª reincidências,
- O descumprimento à determinação acima Infrator: ART EMPREENDIMENTOS
respectivamente, a cada 2( dois) dias, conforme Lei
implicará na aplicação das sanções cabíveis. Construir, manter e conservar em perfeito estado IMOBILIÁRIOS LTDA
10534/12, Arts. 58, I, 61 e 62, Anexo II, item 30 e
César Gonçalves Rodrigues o passeio em frente ao imóvel e no afastamento CPF / CNPJ: 23248656000123
Lei 8147/00.
Gerência Regional de Fiscalização Integrada I- frontal mínimo configurado como extensão do Endereço da irregularidade: AVE PROFESSOR
Pampulha passeio. O revestimento deverá ser de material MÁRIO WERNECK, N. 3120 – BURITIS
Infrator: TATIANA BARROS SOUSA
antiderrapante/ resistente/ capaz de garantir uma Infração: PERMITIR A EXECUÇÃO DE
CPF/CNPJ Nº: 68813716672
TERMOS DE NOTIFICAÇÃO (MEIO superfície contínua, sem ressalto/ depressão. DLT: OBRA SEM APROVAÇÃO DE PROJETO
Endereço de correspondência: R. Toronto, 37,
AMBIENTE) Lei 8616/03, Arts. 12 e 19, Decreto 14060/10, ARQUITETÔNICO E SEM ALVARÁ DE
Trevo.
Arts. 12 e 17. Penalidade: Multa aplicável a cada CONSTRUÇÃO VÁLIDO EMITIDO PELA
Local da Infração: R. Walquiria Afonso Costa-
Belo Horizonte, 09/07/2019 30(trinta) dias, em dobro na 1ª reincidência e em PREFEITURA, EM IMÓVEL DE SUA
Braúnas/ IC: 325029 011 0011. triplo nas subsequentes, para cada quinze metros PROPRIEDADE OU CUJA POSSE DETENHA.
Notificação Nº 0075/19
Auto de Infração Nº: 20190043980AI lineares de testada ou fração, conforme Lei (NOTIFICAÇÃO ACESSÓRIA)
Valor: R$ 2247,63 8616/03, Arts. 307, II e 311, Decreto 14060/10, Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ARTS. 8º,
O Gerente da GERÊNCIA REGIONAL DE
FISCALIZAÇÃO INTEGRADA I- PAMPULHA Data: 24/06/2019 Art. 166, Anexo I, item 05 e Lei 8147/00. II; 11, § 1º, I E III; 18
no uso das suas atribuições que lhe confere a Expediente de origem: 01-084561-17-10 Documento fiscal: 20190125267AN
Instrução de Serviço SMSU/ SMAFIS 001 de Infrator: ALAN PATRICK DINIZ SIQUEIRA Data: 14/08/2019
29/11/11, resolve aplicar a Ocupar, habitar ou utilizar edificação residencial CPF/ CNPJ Nº: 01418127612 Hora: 18:00
JUDAS TADEU DE SOUZA SOARES sem Certidão de Baixa de Construção concedida Endereço de correspondência: R. Turibaté, 131, Prazo para regularização: 0 dia(s)
CPF/ CNPJ: 199.670.396-04 pela Prefeitura que certifica a regularidade da Asteca- São Benedito, Sta Luzia/ MG. Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
Endereço: R. Joanita Menezes Soares, 186, edificação na forma que se apresenta nesta data. Local da Infração: R. Luiz Antônio de Morais- FISCALIZAÇÃO OESTE
Xangrilá, BH. DLT: Lei 9725/09, Art. 31, Decreto 13842/10, Braúnas/ IC: 325015 022 0027. Matrícula do Fiscal: 079920-7
Arts. 84, Caput e 89. Penalidade: Multa, aplicável Auto de Notificação Nº: 20190114353AN Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, I A 76,
a penalidade de Advertência com fundamento nas reincidências em valores progressivamente Valor: R$ 678,07 ANEXO VII, ITEM 18, DECRETO 13842/10,
no Art. 97 e Art. 99 do Decreto 5893/88 c/c com aumentados do valor base; interdição; demolição; Data: 26/06/2019 ART. 120 E LEI 8147/00
a DN 01/88 por transgressão ao Art.3º- Decreto conforme Lei 9725/09, Arts. 74 a 76, 79 e 80, Expediente de origem: 01-073590-19-18 Prazo para recurso: 15 dia(s)
5893/88 relativo ao Auto de Infração Nº 785525 de Anexo VII, item 13, Decreto 13842/10, Art. 120 e Expediente de origem: 123619
22/10/2016. Lei 8147/00. Apresentar Laudo Técnico referente às condições Ocorrência: RECUSA NA ASSINATURA
Determino ainda: de risco e estabilidade do imóvel, com ART-
- Cessar imediatamente a irregularidade constatada: Infrator: CLEITON SOARES DE SOUZA Anotação de Responsabilidade Técnica. DLT: Infrator: ART EMPREENDIMENTOS
efetuar intervenção em Área de Preservação CPF/CNPJ Nº: 05559982660 Lei 9725/09, Art. 8º, V, Decreto 13842/10, Art. IMOBILIÁRIOS LTDA
Permanente sem autorização prévia da SMMA Endereço de correspondência: R. Etervino Tibúrcio 7º. Penalidade: Multa grau gravíssimo, aplicável CPF / CNPJ: 23248656000123
(área próxima à nascente). Henriques, 200, Garças. nas reincidências em valores progressivamente Endereço da irregularidade: AVE PROFESSOR
- Atender normas ambientais. Local da Infração: R. Etervino Tibúrcio Henriques, aumentados do valor base; embargo na hipótese MÁRIO WERNECK, N. 3120 – BURITIS
- Adotar medidas corretivas adequando as 200- Garças/ IC: 303005 005 0016. de descumprimento da notificação; cassação da Infração: PERMITIR A EXECUÇÃO DE
instalações à legislação ambiental. Auto de Infração Nº: 20190039754AI Licença; interdição; demolição e suspensão de OBRA SEM APROVAÇÃO DE PROJETO
Observação (ões): Valor: R$ 3532,07 novo Licenciamento, conforme Lei 9725/09, Arts. ARQUITETÔNICO E SEM ALVARÁ DE
- Local da constatação: R. Joanita Menezes Soares, Data: 24/05/2019 74, I a 76, Anexo VII, item 03, Decreto 13842/10, CONSTRUÇÃO VÁLIDO EMITIDO PELA
186, Xangrilá. Expediente de origem: 01-055967-16-50 Art. 120 e Lei 8147/00. PREFEITURA, EM IMÓVEL DE SUA
- Para a realização de movimentação de terra, PROPRIEDADE OU CUJA POSSE DETENHA.
aterro, desaterro, podas e supressões de árvores, Deixar de depositar, lançar ou atirar resíduos Infrator: FLÁVIO HENRIQUE EVARISTO (NOTIFICAÇÃO ACESSÓRIA)
inclusive de suas raízes, o interessado deverá estar de poda de manutenção de jardim, pomar ou GOMES Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ARTS. 8º,
devidamente autorizado pela PBH. As intervenções horta, especialmente troncos, aparas, galhadas e CPF/ CNPJ Nº: 04850968627 II; 11, § 1º, I E III; 18
só poderão ser realizadas em conformidade com a assemelhados, nos locais proibidos.Dispositivo Endereço de correspondência: Ala Augusto Documento fiscal: 20190102826AE
autorização concedida. Legal Transgredido: Lei 10534/12, Arts. 4º, §2º, III, Clementino, 218, Sta Amélia. Data: 14/08/2019
- No caso de nova autuação pela mesma infração, o P e 55, I, C. Local da Infração: Ala Augusto Clementino, 218, Hora: 18:00
autuado estará sujeito à penalidade de multa. Penalidade: Multa, aplicável em dobro e em triplo, Ap. 202- Sta Amélia. Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
- O descumprimento à determinação acima no caso de 1ª e 2ª reincidências, respectivamente, a Auto de Notificação Nº: 20190116427AN FISCALIZAÇÃO OESTE
implicará na aplicação das sanções cabíveis. cada 2 (dois) dias, conforme Lei 10534/12, Arts. 58, Valor: R$ 14128,27 Matrícula do Fiscal: 079920-7
César Gonçalves Rodrigues I, 61 e 62, Anexo II, item 66 e Lei 8147/00. Data: 03/07/2019 Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, II E 77,
Gerência Regional de Fiscalização Integrada I- Expediente de origem: 01-076242-19-48 ANEXO VII, ITEM 18, DECRETO 13842/10,
Pampulha Infrator: ANA CARLA MATOS VICOPOLUS ARTS. 112, I E 114, CAPUT
CPF/ CNPJ Nº: 99731320687 Infrator: CLEITON SOARES DE SOUZA Prazo para recurso: 15 dia(s)
TERMOS DE NOTIFICAÇÃO (MEIO Endereço de correspondência: R. Jordânia, 220, Ap. CPF/ CNPJ Nº: 05559982660 Expediente de origem: 123619
AMBIENTE) 501, Ouro Preto. Endereço de correspondência: R. Etervino Ocorrência: RECUSA NA ASSINATURA
Local da Infração: Av. Augusto Veloso- Copacabana/ Tibúrcio Henriques, 200, Garças.
Belo Horizonte, 14/06/2019 IC: 308077 027B0012 (passeio). Local da Infração: R. Etervino Tibúrcio Henriques, Infrator: ALYSSON HENRIQUE BATISTA
Notificação Nº 0070/19 Auto de Notificação Nº: 20190112126AN 200- Garças/ IC: 303005 005 0016. CPF / CNPJ: 11370897685
Valor: R$ 1123,82 Auto de Notificação Nº: 20190099476AN Endereço da irregularidade: RUA XAPURI, N.
O Gerente da GERÊNCIA REGIONAL DE Data: 19/06/2019 Valor: R$ 14128,27 677 – COM BECO JARDIM AMARAL – BARÃO
FISCALIZAÇÃO INTEGRADA I- PAMPULHA Expediente de origem: 01-071851-19-29 Data: 24/05/2019 HOMEM DE MELO IV

dom5851 B.indd 53 06/09/2019 19:49:45


BELO HORIZONTE
54 Diário Oficial do Município
Poder Executivo
Sábado, 7 de setembro de 2019

Infração: PERMITIR A EXECUÇÃO DE OBRA Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE Matrícula do Fiscal: 079526-0 Matrícula do Fiscal: 048333-1
DE EDIFICAÇÃO SEM ACOMPANHAMENTO FISCALIZAÇÃO OESTE Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311, Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, I A 76,
DE RT – RESPONSÁVEL TÉCNICO – EM ZEIS. Matrícula do Fiscal: 074288-4 DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM ANEXO VII, ITEM 03, DECRETO 13842/10,
(NOTIFICAÇÃO ACESSÓRIA) Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311, 202 E LEI 8147/00 ART. 120 E LEI 8147/00
Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ART. 8º, II, DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM Prazo para recurso: 15 dia(s) Prazo para recurso: 1 dia(s)
DECRETO 13842/10, ART. 3°A 12 E LEI 8147/00 Expediente de origem: PROCESSO Expediente de origem: PROCESSO
Documento fiscal: 20190105570AE Prazo para recurso: 15 dia(s) ADMINISTRATIVO 010847551544 ADMINISTRATIVO 01 062726 19 46
Data: 26/08/2019 Expediente de origem: SACWEB 266834744 Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA
Hora: 09:00 Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM RECEBIMENTO
Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE RECEBIMENTO Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA
FISCALIZAÇÃO OESTE Infrator: JUAREZ PEREIRA DUTRA CPF / CNPJ: 60653787634
Matrícula do Fiscal: 048333-1 Infrator: JOAQUIM CORREA DE MATOS CPF / CNPJ: 19651660678 Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N.
Penalidade: LEI 9725/09 - ART. 74, II, ANEXO CPF / CNPJ: 00809438615 Endereço da irregularidade: RUA JORGE 128 – CAMARGOS
VII, ITEM 16, DECRETO 13842/10, ARTS. 112, Endereço da irregularidade: RUA LAGOA DA CARONE, N. 2 – NOVA CINTRA Infração: DEPOSITAR RESÍDUOS
I E 114 PRATA, N. 180 - SALGADO FILHO Infração: DESRESPEITO AOS TERMOS DO INSERVÍVEIS (ENTULHO) DOS SERVIÇOS
Prazo para recurso: 15 dia(s) Infração: CONSTRUIR PASSEIO, E/OU AUTO DE EMBARGO LAVRADO, CONFORME DA CONSTRUÇÃO CIVIL E CONGÊNERES NO
Expediente de origem: SACWEB 303945389 AFASTAMENTO FRONTAL MÍNIMO CONSTATADO PELA FISCALIZAÇÃO EM LOGRADOURO PÚBLICO.
Ocorrência: RECUSA NA ASSINATURA CONFIGURADO COMO EXTENSÃO DO VISTORIA AO LOCAL. (NOTIFICAÇÃO Dispositivo transgredido: LEI 10534/12 - ARTS. 4º,
PASSEIO, EM DESACORDO COM AS ACESSÓRIA) §2°, III, B, 13 E 55, I, C
Infrator: ALYSSON HENRIQUE BATISTA NORMAS. Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ART. 77, Documento fiscal: 20190122509AN
CPF / CNPJ: 11370897685 Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ARTS. §2º Data: 05/08/2019
Endereço da irregularidade: RUA XAPURI, N. 677 12A, 19 E 20, I, II E V, DECRETO 14060/10, Documento fiscal: 20190057252AI Hora: 15:30
– BARÃO HOMEM DE MELO IV ARTS. 12, 14, 17, 19 A 22 Data: 30/07/2019 Prazo para regularização: 1 dia(s)
Infração: OBSTRUÇÃO DE LOGRADOURO Documento fiscal: 20190051997AI Hora: 08:30 Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
PÚBLICO, BECO OU PASSAGEM DE Data: 06/06/2019 Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE FISCALIZAÇÃO OESTE
PEDESTRES DE USO COMUM, EM ZEIS. Hora: 08:00 FISCALIZAÇÃO OESTE Matrícula do Fiscal: 048333-1
Dispositivo transgredido: LEI 8137/00 - ART. 164 Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE Matrícula do Fiscal: 039818-0 Penalidade: LEI 10534/12 - ARTS. 58, I, 61 E 62,
Documento fiscal: 20190128844AN FISCALIZAÇÃO OESTE Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, I A 76 E 77, ANEXO II, ITEM 66 E LEI 8147/00
Data: 26/08/2019 Matrícula do Fiscal: 074288-4 §2°, ANEXO VII, ITEM 25, DECRETO 13842/10, Prazo para recurso: 15 dia(s)
Hora: 09:00 Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311, ART. 120 E LEI 8147/00 Expediente de origem: PROCESSO
Prazo para regularização: 30 dia(s) DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM Prazo para recurso: 15 dia(s) ADMINISTRATIVO 01 062726 19 46
Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE 14 E LEI 8147/00 Expediente de origem: PROCESSO Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA
FISCALIZAÇÃO OESTE Prazo para recurso: 15 dia(s) ADMINISTRATIVO 01-132646-15-10
Matrícula do Fiscal: 048333-1 Expediente de origem: SACWEB 266834744 Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA
Penalidade: LEI 8137/00 - ARTS. 176, §1°, I, IV E Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM CPF / CNPJ: 60653787634
V, 177 E 179 RECEBIMENTO Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N.
Prazo para recurso: 30 dia(s) CPF / CNPJ: 60653787634 128 – CAMARGOS
Expediente de origem: SACWEB 303945389 Infrator: CELSO BATISTA FERREIRA Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N. Infração: CONSTRUIR RAMPAMENTO DO
CPF / CNPJ: 25109626634 128 – CAMARGOS PASSEIO PARA ACESSO DE VEÍCULOS
Ocorrência: RECUSA NA ASSINATURA
Endereço da irregularidade: RUA PARREIRAS, N. Infração: PERMITIR A CONSTRUÇÃO DE ÀS EDIFICAÇÕES FORA DOS PADRÕES
126 – SALGADO FILHO MARQUISE OU DE MURO DE ARRIMO ESTABELECIDOS PELA LEGISLAÇÃO.
Infrator: JOAQUIM CORREA DE MATOS
Infração: EXECUÇÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE SEM DML – DOCUMENTO MUNICIPAL DE Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ART. 15, §
CPF / CNPJ: 00809438615
TERRAS, ENTULHO E MATERIAL ORGÂNICO LICENÇA – OU SEM ACOMPANHAMENTO DE 2º, DECRETO 14060/10, ART. 15
Endereço da irregularidade: RUA LAGOA DA
(ATERRO, DESATERRO E TERRAPLANAGEM) RT – RESPONSÁVEL TÉCNICO – EM IMÓVEL Documento fiscal: 20190122513AN
PRATA, N. 180 - SALGADO FILHO
SEM LICENÇA PRÉVIA DA PREFEITURA. DE SUA PROPRIEDADE. (NOTIFICAÇÃO Data: 05/08/2019
Infração: DEIXAR DE CONSTRUIR, MANTER
(NOTIFICAÇÃO ACESSÓRIA) ACESSÓRIA) Hora: 15:30
OU CONSERVAR EM PERFEITO ESTADO
Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ARTS. 8º, Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ART. 11, Prazo para regularização: 30 dia(s)
O PASSEIO EM FRENTE AO IMÓVEL E/
II, 11, §1°, IV E 29, DECRETO 13842/10, ART. 73 §2° Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
OU NO AFASTAMENTO FRONTAL MÍNIMO
Documento fiscal: 20190104096AE Documento fiscal: 20190057974AI FISCALIZAÇÃO OESTE
CONFIGURADO COMO EXTENSÃO DO
Data: 21/08/2019 Data: 05/08/2019 Matrícula do Fiscal: 048333-1
PASSEIO.
Hora: 09:00 Hora: 15:30 Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311,
Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ARTS. 12
Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM
E 19, DECRETO 14060/10, ARTS. 12 E 17
FISCALIZAÇÃO OESTE FISCALIZAÇÃO OESTE 10 E LEI 8147/00
Documento fiscal: 20190051993AI
Matrícula do Fiscal: 074267-1 Matrícula do Fiscal: 048333-1 Prazo para recurso: 15 dia(s)
Data: 06/06/2019
Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, II E 77, Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, I A 76, Expediente de origem: PROCESSO
Hora: 08:00
ANEXO VII, ITEM 24, DECRETO 13842/10, ANEXO VII, ITEM 02, DECRETO 13842/10, ADMINISTRATIVO 01 062726 19 46
Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE ARTS. 112, I E 114, CAPUT ART. 120 E LEI 8147/00 Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA
FISCALIZAÇÃO OESTE Prazo para recurso: 15 dia(s) Prazo para recurso: 15 dia(s)
Matrícula do Fiscal: 074288-4 Expediente de origem: 20191041 Expediente de origem: PROCESSO Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA
Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311, Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM ADMINISTRATIVO 01 062726 19 46 CPF / CNPJ: 60653787634
DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM RECEBIMENTO Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N.
05 E LEI 8147/00 128 – CAMARGOS
Prazo para recurso: 15 dia(s) Infrator: CELSO BATISTA FERREIRA Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA Infração: COLOCAR CUNHA DE TERRA,
Expediente de origem: SACWEB 266834744 CPF / CNPJ: 25109626634 CPF / CNPJ: 60653787634 CONCRETO, MADEIRA OU DE QUALQUER
Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM Endereço da irregularidade: RUA PARREIRAS, N. Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N. OUTRO MATERIAL NO LOGRADOURO
RECEBIMENTO 126 – SALGADO FILHO 128 – CAMARGOS PÚBLICO (PASSEIO E VIA PÚBLICA) PARA
Infração: PERMITIR A CONSTRUÇÃO DE Infração: EXECUÇÃO DE OBRA EM FACILITAR O ACESSO DE VEÍCULO AO
Infrator: JOAQUIM CORREA DE MATOS MARQUISE OU DE MURO DE ARRIMO CONDIÇÕES DE INSTABILIDADE, IMÓVEL.
CPF / CNPJ: 00809438615 SEM DML – DOCUMENTO MUNICIPAL DE INSEGURANÇA OU INSALUBRIDADE, Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ART. 15,
Endereço da irregularidade: RUA LAGOA DA LICENÇA – OU SEM ACOMPANHAMENTO DE CAUSANDO DANOS A TERCEIROS, A § 1º
PRATA, N. 180 - SALGADO FILHO RT – RESPONSÁVEL TÉCNICO – EM IMÓVEL EDIFICAÇÕES E PROPRIEDADES VIZINHAS, Documento fiscal: 20190122534AN
Infração: COLOCAR CUNHA DE TERRA, DE SUA PROPRIEDADE. (NOTIFICAÇÃO PASSEIOS E LOGRADOUROS PÚBLICOS. Data: 05/08/2019
CONCRETO, MADEIRA OU DE QUALQUER ACESSÓRIA) (NOTIFICAÇÃO ACESSÓRIA) Hora: 15:30
OUTRO MATERIAL NO LOGRADOURO Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ART. 11, Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ARTS. 6°, Prazo para regularização: 30 dia(s)
PÚBLICO (PASSEIO E VIA PÚBLICA) PARA §2° V E 8°, III, DECRETO 13842/10, ARTS. 3°A E 8°A Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
FACILITAR O ACESSO DE VEÍCULO AO Documento fiscal: 20190104094AE Documento fiscal: 20190057972AI FISCALIZAÇÃO OESTE
IMÓVEL. Data: 21/08/2019 Data: 05/08/2019 Matrícula do Fiscal: 048333-1
Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ART. 15, Hora: 09:00 Hora: 15:30 Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311,
§ 1º Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM
Documento fiscal: 20190051994AI FISCALIZAÇÃO OESTE FISCALIZAÇÃO OESTE 09 E LEI 8147/00
Data: 06/06/2019 Matrícula do Fiscal: 074267-1 Matrícula do Fiscal: 048333-1 Prazo para recurso: 15 dia(s)
Hora: 08:00 Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, II E 77, Penalidade: LEI 9725/09 - ARTS. 74, I A 76, Expediente de origem: PROCESSO
Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE ANEXO VII, ITEM 02, DECRETO 13842/10, ANEXO VII, ITEM 23, DECRETO 13842/10, ADMINISTRATIVO 01 062726 19 46
FISCALIZAÇÃO OESTE ARTS. 112, I E 114, CAPUT ART. 120 E LEI 8147/00 Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA
Matrícula do Fiscal: 074288-4 Prazo para recurso: 15 dia(s) Prazo para recurso: 15 dia(s)
Penalidade: LEI 8616/03 - ARTS. 307, II E 311, Expediente de origem: 20191041 Expediente de origem: PROCESSO Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA
DECRETO 14060/10, ART. 166, ANEXO I, ITEM Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM ADMINISTRATIVO 01 062726 19 46 CPF / CNPJ: 60653787634
09 E LEI 8147/00 RECEBIMENTO Ocorrência: RECEBIDO POR PESSOA DIVERSA Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N.
Prazo para recurso: 15 dia(s) 128 – CAMARGOS
Expediente de origem: SACWEB 266834744 Infrator: AURELIANO JOSE DA SILVA NETO Infrator: EDUARDO ANTÔNIO SILVA FRAGA Infração: DEIXAR DE EXECUTAR O
Ocorrência: DEIXADO NO LOCAL/SEM CPF / CNPJ: 95313737600 CPF / CNPJ: 60653787634 REVESTIMENTO DO PASSEIO, OU DO
RECEBIMENTO Endereço da irregularidade: RUA BATISTA Endereço da irregularidade: RUA ZIRCÔNIO, N. AFASTAMENTO FRONTAL MÍNIMO
CARNEIRO, N. 215 - SALGADO FILHO 128 – CAMARGOS CONFIGURADO COMO EXTENSÃO DO
Infrator: JOAQUIM CORREA DE MATOS Infração: EXERCER ATIVIDADE NÃO Infração: DEIXAR DE APRESENTAR LAUDO PASSEIO, CONFORME O TIPO PADRÃO
CPF / CNPJ: 00809438615 RESIDENCIAL SEM O ALVARÁ DE TÉCNICO REFERENTE ÀS CONDIÇÕES DE ADOTADO PELO PODER EXECUTIVO.
Endereço da irregularidade: RUA LAGOA DA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO - ALF - RISCO E ESTABILIDADE DO IMÓVEL, COM Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ARTS. 14,
PRATA, N. 180 - SALGADO FILHO OU COM O ALVARÁ VENCIDO. ART – ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE §§1º E 2º E 19, DECRETO 14060/10, ARTS. 14,
Infração: LANÇAR ÁGUAS PLUVIAIS SOBRE Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ART. 227, TÉCNICA. §§1º E 2º E 17
O PASSEIO OU SOBRE O AFASTAMENTO CAPUT E §2º, DECRETO 14060/10, ART. 137, Dispositivo transgredido: LEI 9725/09 - ART. 8º, V, Documento fiscal: 20190122535AN
FRONTAL MÍNIMO CONFIGURADO COMO CAPUT E §2º DECRETO 13842/10, ART. 7° Data: 05/08/2019
EXTENSÃO DO PASSEIO. Documento fiscal: 20190101674AN Documento fiscal: 20190122508AN Hora: 15:30
Dispositivo transgredido: LEI 8616/03 - ARTS. 16 Data: 30/05/2019 Data: 05/08/2019 Prazo para regularização: 30 dia(s)
E 19, DECRETO 14060/10, ART. 18 Hora: 10:30 Hora: 15:30 Órgão emissor: DIRETORIA REGIONAL DE
Documento fiscal: 20190051996AI Prazo para regularização: 10 dia(s) Prazo para regularização: 1 dia(s) FISCALIZA