Você está na página 1de 4

9 Erros que não devem ser cometidos em Reuniões de Pais e

Mestres

Este é um post não apenas com 9 erros sobre Reuniões de Pais e Mestres(os
que consideramos mais comuns), mas com as ações a serem tomadas para não
cometê-los
Não se pretende encerrar o assunto em apenas nosso ponto de vista e
ficaremos muito felizes com a colaboração dos colegas apontando seus
acertos e estratégias funcionais para este momento tão importante de
encontro entre família e escola.

Abaixo nossas considerações e ao final do post uma pergunta para a qual você
pode deixar resposta nos comentários.

Erro número 1-Enviar convites em cima da hora e sem pauta.

Ao enviar convites aos pais faça-o com uma semana de antecedência , coloque
os assuntos a serem tratados na pauta bem como horário de entrada e de
saída
Como pai, ser convocado à uma reunião em cima da hora e sem uma pauta é
de certo modo desconfortável.

Sim, os pais precisam encontrar tempo para os filhos, mas leve em


consideração que, como você eles têm outras responsabilidades e
compromissos.

Erro número 2-Elogiar um aluno na reunião ou falar do mau


comportamento de outro .

Reserve um tempo para falar com cada um dos pais em particular sobre o bom
desempenho ou mau comportamento de seu filho. É ético e humano.

Tenha e mente que elogiar o filho de um não fará o outro pai querer ser
igual e mudar de atitude dando mais atenção ao filho. Esta estratégia
muito utilizada não funciona, mesmo!

Erro número 3-Paparicar os pais nas reuniões com festa e presentes

Convocar os pais para uma reunião para tratar de assuntos referentes ao


pedagógico é uma necessidade e não uma tentativa de parecer bom aos olhos
deles.

Sorteios de brindes já foram muito utilizados para atrair os pais para a


escola. É uma estratégia pouco eficiente, na minha opinião, e tira o foco
do que é de interesse, além de render um gasto extra ,e nossos salários
não são dos melhores.

Isso não impede (caso disponha de tempo, talento e dinheiro) de você fazer
seu mimo ou dar suas lembrancinhas delicadas e carinhosas. Apenas não use
isso como estratégia para melhorar a participação dos pais.

Erro número 4-Utilizar linguagem rebuscada com termos desconhecidos

Este é um ponto que deve ser considerado principalmente se sua comunidade


é de pessoas com escolaridade baixa e de vocabulário reduzido.
Utilize termos técnicos com técnicos não com pessoas comuns que não estão
familiarizadas com sua área.
Imagine um assistente social falando a você nos termos técnicos de sua
profissão?
A ontologia teleológica por si só é insípida no enfrentamento da questão
social.
Entendeu?

A intenção da reunião é ser entendido e não admirar o público falando


bonito o que eles não entendem

Erro número 5-Enfeitar demais o ambiente e levar consigo milhares de


textos e dinâmicas
Uma reunião pedagógica não precisa ser um evento e os pais precisam de
praticidade e agilidade
Dinâmicas e textos reflexivos são bem vindos, contudo na medida certa como
quebra gelo ou ambientação.
Não prolongue uma reunião com leituras sem fim e vídeos e mais vídeos.

Sua sala pode estar aconchegante e com o ar de seriedade que pede o


tratamento de questões pedagógicas sérias. Seus textos podem ser curtos
e eficientes. Estamos falando do desempenho de nossas crianças e outros
assuntos importantes e não realizando um simpósio.

Erro número 6- Tratar os convidados com termos genéricos como PAI,


MÃE

Procure saber o nome de cada um dos pais de seus alunos ou pergunte o nome
da pessoa e fale com ela como convém.
Se for fazer com que você se sinta mais segura peça que se apresentem no
primeiro momento da reunião e digam o nome de seu(a) filho(a).

Eles não são apenas pais e mães, são pessoas...


Peça a eles o mesmo tratamento... Você não é apenas a professora do
filho deles ... É Jose, Maria, Leila, etc...

Erro número 7- Se amedrontar diante de perguntas "complicadas"

Não precisa pisar em ovos para falar com os pais de seus aluno.
Fale a eles como alguém que sabe o que está fazendo e o do que está falando.
Seja sempre firme e sensato.

Erro número 8- Deixar que as palavras passem atestado de


incompetência

Ao considerar passivamente as falas dos pais acenando com a cabeça e


concordando com cada aspecto do que fala ao interferir no seu fazer
pedagógico você pode dar a entender que não tem segurança no que está
colocando em prática na sua sala de aula.

Aprenda a dialogar concordando e divergindo sempre que necessário e de


forma educada.

Erro número 9-Esquecer que O Especialista em Educação é você

É bem comum nas reuniões os pais levarem seus antigos cadernos e


demonstrarem que o trabalho do professor poderia ser nos mesmos moldes,
afinal foi deste modo que eles aprenderam.
Observe o material, fale que irá analisá-lo e verificar o que pode ser utilizado
em sala de aula com o filho dele para uma melhor aprendizagem, contudo
fale sobre sua metodologia e os efeitos que elas têm sobre o estudante e
como elas contribuirão a sua aprendizagem.
Seus objetivos devem estar bem traçados e as explicações sobre cada ação na
ponta da língua para informar aos pais o que se faz necessária e por quais
motivos.

O especialista na área é você, e como especialista deve não apenas


fazer, mas saber fazer e explicar por que fez!

Gi Barbosa Carvalho
Qual, na sua opinião, é a maior dificuldade na reunião de pais e mestres?