Você está na página 1de 73

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM

NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E
DA HIGIENE DO PACIENTE

BRUNA DO NASCIMENTO MAGALHÃES


ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

Os hábitos relacionados ao banho, como frequência,


horário e temperatura da água, variam de pessoa
para pessoa. Sua finalidade é a higiene e limpeza da
pele, momento em que são removidas células
mortas, sujidades e microrganismos aderidos à
pele. Os movimentos e a fricção exercidos durante o
banho estimulam as terminações nervosas
periféricas e a circulação sanguínea.

FLORA
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

O autocuidado deve ser sempre incentivado


Assim, deve-se avaliar se o paciente tem
condições de se lavar sozinho. Caso seja
possível, todo o material necessário à higiene
oral e banho deve ser colocado na mesa de
cabeceira ou carrinho móvel do lado da cama, da
forma que for mais funcional para o paciente. A
enfermagem deve dar apoio, auxiliando e
orientando no que for necessário.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE
Para os pacientes acamados, o banho é realizado
no leito pela equipe de enfermagem. Convém
ressaltar que a grande maioria deles considera
essa situação bastante constrangedora, pois a
incapacidade de realizar os próprios cuidados
desperta sentimentos de impotência e vergonha,
sobretudo porque a intimidade é invadida.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

A prestação de uma assistência humanizada


ajuda a minimizar o constrangimento. Atitudes
como colocar biombos, manter o paciente
coberto durante o banho, expor apenas o
segmento do corpo que está sendo lavado, são
inegavelmente mais valiosas do que muitas
palavras proferidas.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE
O banho no leito, como qualquer outro
procedimento, requer prévio planejamento e
organização dos materiais e roupas da unidade.

 Inicialmente, retirar o cobertor do leito do


paciente, dobrá-lo e inseri-lo entre os lençóis
limpos, devidamente organizados na ordem de
utilização.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

 Tradicionalmente, costuma-se lavar primeiro o


rosto, braços, região ventral, membros
inferiores, dorso e genitais, contudo é
importante que o profissional de enfermagem
avalie o estado geral do paciente e estabeleça
a melhor maneira de prestar o cuidado
 A higiene deve ser realizada da região mais
limpa para a mais suja, evitando-se levar
sujidade e contaminação às áreas limpas.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

 Durante o procedimento, expor somente um segmento


do corpo que está sendo realizada a higiene. Seguir a
sequência: lavar, enxaguar e secar. Esse processo
deve ser repetido para cada segmento do corpo.
 A secagem deve ser criteriosa, principalmente nas
pregas cutâneas, espaços interdigitais e genitais,
base dos seios e do abdome em obesos evitando a
umidade da pele, que propicia proliferação de
microrganismos e pode provocar assaduras.
 Procurando estimular a circulação, os movimentos de
fricção da pele devem preferencialmente ser
direcionados no sentido do retorno venoso.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

 Na higiene íntima do sexo feminino, a limpeza


deve ser realizada no sentido ântero-posterior;

 No masculino, o prepúcio deve ser tracionado,


favorecendo a limpeza do meato urinário para
a base da glande, removendo sujidades (pêlos,
esmegma, urina, suor) e inibindo a proliferação
de microrganismos. A seguir, recobrir a glande
com o prepúcio.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

 Durante todo o banho o profissional de enfermagem


deve observar as condições da pele, mucosas,
cabelos e unhas do paciente, cuidando para mantê-lo
saudável.
 Ao término do banho, deixar o paciente na posição em
que se sinta mais confortável, desde que não haja
contra-indicação.
 Avaliar as possibilidades de colocá-lo sentado na
poltrona. Providenciar o registro das condições do
paciente e de suas reações.
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
NA PROMOÇÃO DO CONFORTO E DA HIGIENE

 Após um banho morno, é comum a pessoa se


sentir confortável e relaxada. A higiene corporal
pode ser realizada sob aspersão (chuveiro),
imersão (banheira) ou banho de leito (com
jarro )
HIGIENE
Objetivos:

 Limpeza da pele e conforto do paciente;

 Estímulo a circulação e prevenção de úlceras de


pressão.
TIPOS DE BANHO
 Aspersão - banho de chuveiro;

 Imersão - banho na banheira;

 Banho de leito - usado para pacientes acamados,


utiliza-se jogar pequenas porções de água sobre o
corpo.
CUIDADOS IMPORTANTES

 Retirar todo sabão ao enxaguar e enxugar


corretamente para evitar irritação da pele
(principalmente da região genital).

 Sempre que possível, orientar e estimular à


higiene.

 Manter o diálogo e respeitar a privacidade.


BANHO NO LEITO
BANHO NO LEITO
Materiais necessários
1- Luva
2- Jarro
3- Bacia
4- Sabonete
5- Roupa de cama
6- Toalha de banho
7- Hamper
8- Biombo (se necessário)
9- Compressa
BANHO NO LEITO
Procedimento
1- Lavar as mãos
2- Reunir o material e colocar sobre a mesa de
cabeceira do paciente.
3- Orientar o paciente e seu acompanhante sobre o
que será feito.
4- Favorecer a privacidade do paciente colocando o
biombo se necessário.
5- Fechar janelas e portas para evitar corrente de ar
BANHO NO LEITO
6- Colocar o paciente em decúbito dorsal.
Fique atento aos pacientes em uso de nutrição enteral

Nos pacientes em uso de nutrição enteral, a dieta deve ser


desligada antes do banho para possibilitar a colocação do
paciente em decúbito dorsal, caso o contrário corre o risco de
acontecer broncoaspiração.

7- Calçar as luvas de procedimento.


8- Retirar a roupa do cliente.
SONDA NASOGÁSRICA/NASOENTÉRICA
BANHO NO LEITO
9- Cobrir o corpo do cliente com seu próprio lençol,
deixando exposta somente a face.

10- Iniciar o banho com a limpeza ocular, com


movimentos de dentro para fora (sem utilizar nesse
momento o sabonete)

11- Em seguida lavar o rosto, ensaboando,


enxaguando e secando.

12- Lavar os cabelos e o couro cabeludo (técnica


descrita a seguir)
BANHO NO LEITO
13-Passar para os membros superiores atentando
para axilas, braços e mãos.

14- Expor a região do tórax e lavá-la.

15- Se o cliente for do sexo feminino e a condição


clínica permitir, orientar para que ela própria leve a
região do seio.

16- Molhar a compressa de banho e retirar o


sabonete do cliente.
BANHO NO LEITO
17- Secar e cobrir a região do tórax.

18- Expor a região do abdome e lavar


(lavar/enxaguar e secar) após cobrir o paciente
mantendo sua privacidade.

19- Expor os membros inferiores e


lavar(lavar/enxaguar e secar) após cobrir o
paciente mantendo sua privacidade.
BANHO NO LEITO
20- Abaixar a cabeceira deixando o paciente em
decúbito dorsal, se não houver contra indicação,
lateralizar o cliente procedendo e lavagem de sua
região dorsal (lavar/enxaguar e secar) após cobrir o
paciente mantendo sua privacidade.
 Importante: Nesse momento retiramos a roupa cama
suja , realizamos a desinfecção e colocamos a roupa
de cama limpa juntamente com a fralda quando for o
caso.
BANHO NO LEITO
21- Voltar o paciente para decúbito ventral e se não for
contra-indicado colocar a comadre e proceder a higiene
íntima e caso o cliente consiga orientar que ele mesmo
a faça (lavar/enxaguar e secar) após cobrir o cliente
mantendo sua privacidade.

22- Vestir e pentear o cliente.


HIGIENE ÍNTIMA
HOMEM MULHER
1- Tracionar o prepúcio para trás 1- Ensaboar a região pubiana de
lavando-o em seguida, com cima para baixo sem atingir o
movimentos únicos e circulares; anus.

2- Iniciar a higiene intima pelo 2 - Afastar os grandes lábios e


meato urinário, prepúcio, glande, lava-los no sentido
corpo do pênis, depois região anteroposterior, primeiro de um
escrotal e por ultimo a região lado, do outro lado;
anal;
3 - Lavar por último a região anal;
3- Reposicionar o prepúcio.
BANHO NO LEITO
22- Desprezar a compressa de banho.

21- Colocar a toalha juntamente com a roupa de cama


suja no hamper.

22- Despejar os conteúdos do jarro e da bacia no


sanitário o banheiro.

23- Encaminhar o material para o expurgo.


BANHO NO LEITO
24- Retirar e desprezar as luvas.

25- Recompor a unidade.

26- Realizar a anotação de enfermagem.

27- Realizar a troca do curativos conforme POP da


instituição.
HIGIENE DOS CABELOS

A lavagem dos cabelos e do couro cabeludo visa


proporcionar higiene, conforto e estimular a
circulação do couro cabeludo. Quando o paciente
não puder ser conduzido até o chuveiro, esta
tarefa deve ser realizada no leito.
HIGIENE DOS CABELOS
O procedimento a seguir descrito é apenas uma
sugestão, considerando-se que há várias formas de
realizá-lo. Material necessário:
 01 jarros com água morna
 Sabão neutro ou xampu
 Duas bolas de algodão
 Pente
 Toalha grande de banho (duas, caso necessário)
 Bacia
 Luvas de procedimento
 Impermeável / saco plástico
HIGIENE DOS CABELOS
Antes de iniciar o procedimento, certifique-se de
que não haja contra indicações ou prescrição de
cuidados especiais, como nos casos de
pacientes graves, submetidos a cirurgias de
cabeça e pescoço ou com traumatismo
raquimedular.
HIGIENE DOS CABELOS
Previamente à lavagem, proteger os ouvidos do
paciente com bolas de algodão, visando evitar a
entrada de água. Para facilitar o procedimento e
evitar a fadiga, o paciente deve ser posto em
decúbito dorsal, com um travesseiro ou coxim sob os
ombros; a cama deve estar forrada com
impermeável e toalha, e a bacia mantida sob a
cabeça.
HIGIENE DOS CABELOS
No intuito de propiciar conforto ao paciente,
moderar, no enxágue mas cuidar para que todo o
sabão seja removido. Realizar movimentos de
fricção do couro cabeludo, para estimular a
circulação.
 Após a lavagem, retirar, com a toalha, o excesso
de água dos cabelos e providenciar a secagem.
 Manter a organização da unidade e registrar as
observações realizadas.
HIGIENE ÍNTIMA
HIGIENE INTIMA MASCULINA Esmegma –
Material sujidade acumulada
01 jarra, na região da
Pacote de gazes, glande.
Comadre,
Toalha de banho,
Sabão líquido,
Luvas para procedimento,
Hamper,
Biombo,
Forro e saco plástico.
HIGIENE ÍNTIMA MASCULINA
Técnica

1 - Lavar as mãos;
2 - Explicar o procedimento ao paciente;
3 - Reunir o material e leva-lo a unidade do paciente;
4 - Proteger a unidade com biombos;
5 - Trazer o hamper próximo ao leito;
6 - Calçar as luvas de procedimentos;
7 - Posicionar o paciente expondo somente a área
genital;
HIGIENE ÍNTIMA MASCULINA
08 - Colocar o forro com plástico sob a região glútea do
paciente;

09 - Colocar a comadre sob a região glútea em cima do


forro com a ajuda do paciente;

10 - Irrigar com a jarra com água a região genital;

11 - Dobrar e pinçar gaze;

12 - Despejar pequena porção de sabão líquido sobre os


genitais;
HIGIENE ÍNTIMA MASCULINA
13 - Ensaboar os genitais com a gaze montada,
desprezando a mesma, a cada etapa;

14 - Tracionar o prepúcio para trás , lavando-o em


seguida, com movimentos únicos e circulares;

15 - Iniciar a higiene íntima pelo meato urinário,


prepúcio, glande, corpo do pênis, depois região escrotal
e por último a região anal;
HIGIENE ÍNTIMA MASCULINA
16 - Despejar o conteúdo da jarra sobre a região
pubiana, pregas inguinais, pênis e bolsa escrotal;

17 - Tracionar o escroto, enxaguando a face inferior no


sentido escroto perineal;

18 - Retirar todo o sabão;


HIGIENE ÍNTIMA MASCULINA

19 - Retirar a comadre;

20 - Enxugar a região lavada com a toalha de banho ou


com o forro que esta sob a região glútea do paciente;

21 - Posicionar o prepúcio;

22 - Colocar a paciente em posição de conforto;


HIGIENE ÍNTIMA MASCULINA
23 - Desprezar as roupas no hamper (toalha, forro);

24 - Lavar a comadre no banheiro, juntamente com


o balde e jarra e acondiciona-los em local específico;

25 - Retirar a luva;

26 - Lavar as mãos;

27 - Anotar no prontuário.
HIGIENE ÍNTIMA
FEMININA
HIGIENE ÍNTIMA FEMININA
Material
01 jarra,
Pacote de gazes,
Comadre,
Toalha de banho,
Sabão líquido
Luvas para procedimento,
Hamper,
Biombo,
Forro e saco plástico,
HIGIENE ÍNTIMA FEMININA

Técnica

01 - Lavar as mãos;
02 - Explicar o procedimento ao paciente;
03 - Reunir o material e coloca-los sobre a mesa de
cabeceira;
04 - Calçar as luvas;
05 - Trazer o hamper próximo ao leito;
06 - Proteger a unidade com biombos;
HIGIENE ÍNTIMA FEMININA
07 - Colocar o paciente em posição ginecológica
(sempre possível... Pós/cat com presença de introdioor
é contra-indicado dobrar a perna), procurando expô-la o
mínimo possível;

08 - Colocar o forro sobre o saco plástico, colocando-os


sobre a região glútea;

09 - Colocar a comadre sob a região glútea da paciente,


com ajuda da mesma;
HIGIENE ÍNTIMA FEMININA

10 - Irrigar monte pubiano e vulva com água, despejando-a


suavemente com o auxílio da jarra;

11 - Despejar pequena porção de sabão sobre o monte


pubiano;

12 - Ensaboar a região pubiana com a gaze, de cima para


baixo sem atingir o ânus, desprezando a gaze, após cada
movimento vulva - ânus;
HIGIENE ÍNTIMA FEMININA

13 - Afastar os grandes lábios e lavá-los no sentido


ântero-posterior, primeiro de um lado, desprezando a
gaze e depois do outro lado;

14 - Lavar por último a região anal;


HIGIENE ÍNTIMA FEMININA
15 - Despejar a água da jarra, sobre as regiões
ensaboadas;

16 - Retirar a comadre;

17 - Enxugar a região lavada com a toalha de banho ou


com o forro que esta sob a região glútea do
paciente;

18 - Colocar a paciente em posição de conforto;


HIGIENE ÍNTIMA FEMININA
19 - Desprezar as roupas (toalha, forro) no hamper;

20 - Lavar a comadre no banheiro, juntamente com


o balde e jarra e guarda-los;

21 - Retirar a luva;

22 - Lavar as mãos;

23 - Anotar no prontuário.
BANHO ASPERSÃO
BANHO DE ASPERSÃO

O banho de aspersão é aquele em que o paciente pode


ser encaminhado ao chuveiro. Quando o paciente tem
condição de tomar banho de aspersão, o pessoal da
enfermagem deve acompanhá-lo e supervisioná-lo, não
só orientando-o numa boa higienização, como também
identificando anormalidades..

A pessoa que acompanhar o paciente deve observar as


reações que ele pode apresentar durante o banho,
evitando acontecimentos desagradáveis como quedas,
ferimentos e mesmo fraturas de membros.
BANHO DE ASPERSÃO

Materiais necessários para o banho de aspersão:

1. Sabonete ;
2. Roupa pessoal(camisola ou pijama)
3. Banho de aspersão com a cadeira higiênica (se
necessário)

Procedimento
1- Avaliar as condições clínicas e físicas do cliente ;
2- Preparar o material ;
3- Lavar as mãos.
BANHO DE ASPERSÃO
4- Checar o leito e o nome do cliente ;

5- Orientar o cliente e acompanhante quanto ao


procedimento;

6- Fechar as portas e janelas;

7- Ligar o chuveiro e controlar a temperatura da água;

8- Acompanhar o cliente até o chuveiro e coloca-lo


sentado na cadeira higiênica se necessário;
BANHO DE ASPERSÃO

9- Auxiliar o cliente a despir-se, se necessário;

10- Ajudar o cliente a ensaboar-se, se necessário;

11- Remover a espuma com chuveirinho ou ducha;

12- Ajudar o cliente a vestir-se, se necessário;

13- Trocar a roupa de cama;

14- Recolher o material e colocar a roupa no hamper;


BANHO DE ASPERSÃO
15- Desprezar o material no expurgo ;

16- Lavar as mãos ;

17- Realizar as anotações necessárias;

IMPORTANTE
Sentar na cadeira embaixo do chuveiro é muito mais seguro
para os pacientes idosos ou para os pacientes que ainda
estão muito fracos, facilitando para que lavem as pernas e
pés, com menor probabilidade de QUEDA. Durante o banho
deve-se assegurar a privacidade ao paciente, mas pedir-lhe
para não trancar a porta e chamar se precisar de
assistência. Manter-se perto do local.
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Banho....

O banho apresenta-se não somente como um


momento de higiene, mas também de conhecimento
do outro, de espaço para ouvir e não apenas escutar,
um momento de educação, de compartilhar saberes,
um momento de intimidade, de interação, de troca,
um momento de cuidado em que seres humanos
estão juntos, cuidando e deixando-se cuidar, em uma
troca, num movimento que possa construir para o
fortalecimento do paciente com vistas a sua
recuperação.
HIGIENE ORAL
HIGIENE ORAL

A higiene oral frequente reduz a colonização


local, sendo importante para prevenir e controlar
infecções, diminuir a incidência de cáries
dentárias, manter a integridade da mucosa
bucal, evitar ou reduzir a halitose, além de
proporcionar conforto ao paciente.
HIGIENE ORAL

Importância da Higiene Oral para Pacientes


Hospitalizados

AUXILIA NA REDUÇÃO DAS


INFECÇÕES COMO EXEMPLO
AS PNEUMONIAS
HIGIENE ORAL
Halitose – mau
Material necessário: hálito.
– bandeja
– escova de dentes ou espátula com gazes
– creme dental
– copo com água (e canudo, se necessário)
– cuba-rim
– toalha de rosto
– lubrificante para os lábios, se necessário
– luvas de procedimento
HIGIENE ORAL

Avaliar a possibilidade de o paciente realizar a


própria higiene. Se isto for possível, colocar o
material ao seu alcance e auxiliá-lo no que for
necessário. Caso contrário, com o material e o
ambiente devidamente preparados, auxiliar o
paciente a posicionar-se, elevar a cabeceira da
cama se não houver contraindicação e proteger o
tórax do mesmo com a toalha, para que não se
molhe durante o procedimento.
HIGIENE ORAL
Procedimento (paciente com pouca limitação) em
posição de Fowler proteger o tórax com a toalha
de rosto;

1- Colocar a cuba-rim sob a bochecha;

2- Solicitar para que abra a boca ou abri-la com


auxílio da espátula;

3- Utilizar a escova com movimentos da raiz em


direção à extremidade dos dentes.
HIGIENE ORAL
4- Fazer cerca de 6 a 10 movimentos em cada
superfície dental, com pressão constante da escova;
repetir esse movimento na superfície vestibular e
lingual, tracionando a língua com espátula protegida
com gaze, s/n;

5- Oferecer copo com água para enxaguar a boca;

6- Utilizar canudo s/n.


HIGIENE ORAL
O paciente que faz uso de prótese dentária
(dentadura) também necessita de cuidados de
higiene para manter a integridade da mucosa
oral e conservar a prótese limpa. De acordo com
seu grau de dependência, a enfermagem deve
auxiliá-lo nesses cuidados. A higiene compreende
a escovação da prótese e limpeza das gengivas,
bochechas, língua e lábios - com a mesma
frequência indicada para as pessoas que
possuem dentes naturais.
HIGIENE ORAL
Procedimento (paciente com prótese)

1- Solicitar que retire a prótese ou fazer por ele,


utilizando a gaze;

2- Colocá-la na cuba rim;

3- Escovar a gengiva, palato e língua, se o paciente não


puder fazê-lo;

4- Oferecê-la para que o paciente coloque-a ainda


molhada
HIGIENE ORAL
Em pacientes inconscientes ou impossibilitados de
realizar a higiene bucal, compete ao profissional de
enfermagem. Com o auxílio de uma espátula
envolvida em gaze umedecida em solução dentifrícia
ou solução bicarbonatada que deve ser trocada
sempre que necessário, colocar o paciente na
posição de Fowler e prosseguir a seguinte limpeza:
1. Dentes
2. Gengivas,
3. Bochechas,
4. Língua e lábios
HIGIENE ORAL
Para a proteção do profissional, convém evitar contato
direto com as secreções, mediante o uso de luvas de
procedimento.

Após a higiene bucal, colocar o paciente em uma


posição adequada e confortável, e manter o ambiente
em ordem. Anotar, no prontuário, o procedimento,
reações e anormalidades observadas.
HIGIENE ORAL
Por sua vez, pacientes inconscientes não devem
permanecer com prótese dentária. Nesses casos, o
profissional deve acondicioná-la, identificá-la, realizando
anotação de enfermagem do seu destino e guardá-la em
local seguro ou entregá-la ao acompanhante, para evitar a
possibilidade de ocorrer danos ou extravio. A mesma
orientação é recomendada para os pacientes
encaminhados para cirurgias.
Ao manipular a prótese dentária, a equipe de enfermagem
deve sempre utilizar as luvas de procedimento.
BIBLIOGRAFIA
 1- ATKINSON, Leslie D.; MURRAY, Mary Ellen.
Fundamentos de Enfermagem : introdução ao processo
de enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
2008. 618 p

 2- CRAVEN, Ruth F.; HIRNLE, Constance J. Fundamentos


de enfermagem: saúde e função humanas. 4 ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2006

 3- POTTER, Patrícia A.; PERRY, Anne G. Grande tratado


de enfermagem prática. 3.ed. São Paulo: Santos, 1998.