Você está na página 1de 2

Lusitanidades

1. Canção do Mar

Am

G

F

E

Am

G

F

E

Dm

E7 Dm

E7 Am

Fui bailar no meu batel

Fm

E7

Am

Além do mar cruel

E o mar bramindo

Dm

E7

Diz que eu fui roubar

Dm

E7 Am

A luz sem par

Fm

E7

Am

Do teu olhar tão lindo

G

C

Vem saber se o mar terá razão

B

E

Vem cá ver bailar meu coração

Dm

E7

Dm E7 Am

Se eu bailar no meu batel

Fm

E7

Am

Não vou ao mar cruel

Dm

E7

E nem lhe digo aonde eu fui cantar

Dm

Sorrir,

E7 Am

bailar,

Fm

E7

Am

viver, sonhar contigo

Am

G

F

E

Am

G

F

E

2.

Popular

 

C6

G7

C6

G7

2X

C6

D7

G7

C6

4X

C6

G7

C6

G7

C6

G7

C6

2X

C6

D7

G7

C6

4X

C6

G7

C6

G7

C6

G7

C6

2X

3. CHUVA

Bb

Bb

Bb

Eb

Eb

As coisas vulgares que há na vida

Eb

Não deixam saudade

F

Só as lembranças que doem Eb Ou fazem sorrir

Bb

Há gente que fica na história Eb Da história da gente

F

E outras de quem nem o nome

Bb

Lembramos ouvir

Eb

[Refrão]

Eb

F

A chuva molhava-me o rosto Bb Gelado e cansado

Eb

F

As ruas que a cidade tinha Bb Já eu

percorrera

F

Ai

Eb

meu choro de moça perdida Bb Gritava à cidade

C

Que o fogo do amor sob a chuva

Eb

F

Há instantes

morrera

Bb

A chuva ouviu e calou Eb Meu segredo à cidade

F

Eb

E eis que ela bate no vidro Bb Trazendo a saudade

4. As Sete Mulheres Do Minho

Rosa não, que tu és flor

Ó Maria Faia

INTRO

Ó Faia Maria

 

Bb

F7

Bb

F7

Bbm

F

Bbm

Ab

C#

F

Bbm

Dmb

Ab

Dmb

F7

Bb

F7

Bb

F

Dmb

Ab

Dmb

F

Bb

F7

Bb

F

Dmb

Ab

Dmb

F

As sete mulheres do Minho Mulheres de grande valor Armadas de fuso e roca Correram com o corregedor

Essa mulher lá do Minho Que da foice fez espada Há de ter na lusa História Uma página doirada

Dmb

Ab

Dmb

Ab

Bb

F7

Bb

F7

Dmb

Ab

A

E

Bb

5. Maria Faia

D – 2 tons a baixo – Bb

Gm

D 2x

Intro

Gm

D

Eu não sei como te chamas

Gm

Ó Maria Faia

F

Nem que nome te hei-de eu pôr

Bb

D

Ó Maria Faia

Gm

Ó Faia Maria

Cravo não, que tu és rosa

Ó Maria Faia