Você está na página 1de 81

➢Origem da vida no planeta Terra

CÁRION ou CARIOTECA
➢Origem da vida no planeta Terra
➢Planejamento

➢Planejamento
Aula prática!!!
➢Planejamento

➢SUGESTÃO
➢Uma disciplina de 60h → UM artigo e UMA apresentação
formal do artigo

➢Se houver mais de um tema por disciplina de 60h sugiro a


seguinte adaptação → seguindo exatamente as etapas do
progressivo

➢(Mantém um artigo + apresentação formal do artigo produzido) +


(uma atividade diversa à critério do professor, feita dentro da
plataforma seguindo exatamente as etapas do progressivo)
➢Sugestão
➢FASE 01 – Questionamentos:

➢Exposição iniciais de temas geradores e/ou fundadores e


explanação da organização o tema e seus objetivos

➢FASE 02 – Busca de informações: (teórica/pratica):

➢Atividade diversa como questões de múltipla escolha,


questões dissertativas, relatório de aula prática, confecção de
protocolos, confecção de atlas e demais atividades
didaticamente relevantes → GOOGLE SCHOLAR
➢Sugestão
➢FASE 03 – Expor expectativas:

➢Orientação pelo professor em sala de aula e exposições de


dúvidas dos alunos

➢FASE 04 – Propostas e ideias:

➢Exposição oral do aprendizado do tema, retomada de


conceitos importantes aprendidos
➢Sugestão
➢FASE 05 – Resultados:

➢Entrega do produto final da atividade proposta

➢FASE 06 – Reconhecimento:

➢Fechamento do tema com momento de auto-avaliação,


avaliação da disciplina, dos pontos exitosos e dos pontos à
melhorar
Dúvidas????
➢Diferenciação celular
➢As células são as unidades funcionais e estruturais dos seres
vivos.

➢Existem somente dois tipos básicos de células: as


PROCARIONTES e as EUCARIONTES.
➢Visão geral da estrutura celular
➢Visão geral da estrutura da célula EUCARIONTE
➢Visão geral da estrutura celular

➢Polo celular apical de BORDA


EM ESCOVA

➢Polo BASAL x polo APICAL


➢Visão geral da estrutura celular
➢Visão geral da estrutura celular

➢Constituídos de TUBULINA (ptn), um


dímero composto de alfa tubulina e beta
tubulina

➢Crescem em comprimento pela adição


de dímeros de tubulina. Sempre tem
uma das extremidades que sofre maiores
taxas de adição e remoção de tubulina.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Guiam as vesículas do Golgi até a


membrana

➢Constituem o CENTROSSOMO: é a
região q contém 1 par de CENTRÍOLOS
(ausentes em células vegetais) de onde
partem os microtúbulos celulares. Os
microtúbulos crescem a partir do
centrossomo (localizado próximo ao
núcleo) durante a divisão celular
➢Visão geral da estrutura celular

➢Centríolos: dentro do centrossomo tem


um par de centríolos. Cada centríolo é
composto por um arranjo de 9 conjuntos
de microtúbulos triplo arranjados em anel
e situam-se nos centros organizadores
dos microtúbulos em células que estão
se direcionando para a divisão.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Algumas células eucarióticas não tem


centrossomos ou centríolos e msm
assim organizam seus microtúbulos.

➢CÍLIOS DE FLAGELOS são constituídos


por um grupo de MICROTÚBULOS
(responsável pelo batimento) revestidos
de MP e atuam como apêndices de
locomoção.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Todos os Cílios e Flagelos de


movimento são estruturalmente
idênticos. Ambos são cilíndricos,
exteriores as células e cobertos por
membrana plasmática (flagelos
procarióticos não são recobertos de MP).
➢Visão geral da estrutura celular

➢Internamente Cílios de Flagelos são


organizados em um arranjo de 9 pares de
microtúbulos periféricos de tubulina
circundando um par de microtúbulos centrais:
padrão → 9+2. Os pares externos do anel e
os 2 microtúbulos centrais (padrão → 9+2)
são mantidos unidos por ptns intercruzadas
e o movimento de caminhada das dineínas é
coordenado que ocorre em um lado do
circuito por vez.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Cílios estão presentes em maiores


quantidades, tem movimento em “remo” e
também atuam como receptores de sinais
(esses não são móveis e se encontram
sozinhos – um por célula) – chamado de
cílio primário e tem padrão de
microtúbulos → 9+0.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Flagelos estão presentes em menor


número e são mais longos e tem
movimento ondulatório. Em animais,
durante a fecundação, o corpo basal do
flagelo (região onde ele se insere na MP
composta por 9 trincas de tubulina) do
espermatozoide entra no óvulo e se torna
um centríolo.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Os CENTRÍOLOS são responsáveis pela


formação dos microtúbulos e
consequentemente dos cílios e flagelos em
eucariotos. Procariotos NÃO possuem
centríolos, sendo assim seus flagelos tem
estruturas muito distintas dos flagelos de
eucariontes.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Tanto os cílios como flagelos são


originados a partir uma região
organizadora no interior da célula
denominada CORPÚSCULO BASAL
(sintetizado pelos centríolos)
➢Visão geral da estrutura celular

➢Em animais, durante a fecundação, o


CORPÚSCULO BASAL do flagelo (região
onde o flagelo se insere na MP do sptz
composta por 9 trincas de tubulina) do
espermatozoide entra no óvulo e se torna um
centríolo.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Em cada corpúsculo basal há um conjunto


de nove trios de microtúbulos (ao invés de
duplas, como nos cílios e flagelos), dispostos
em círculo. Nesse sentido, a estrutura do
corpúsculo basal é semelhante à de um
centríolo.
➢Visão geral da estrutura celular

➢O batimento dos cílios e flagelos envolve


DINEÍNAS (ptns motoras) que ligam os pares
de microtúbulos lado a lado → ficam ligadas
ao longo de cada par de microtúbulos
externos do anel.
➢Visão geral da estrutura celular
➢Visão geral da estrutura celular
➢Visão geral da estrutura celular

➢Encontrados apenas em células animais


(organismos multicelulares). Estão
relacionados ao suporte e estrutura. É a
moldura permanente da célula e se mantêm
msm após a morte da cél. A sua função
principal é a de dar rigidez e elasticidade à
célula e também participam da ancoragem
de microfilamentos.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Constituição: são constituídos de proteínas


da msm família da QUERATINA, ptns
fibrosas super enroladas em cabos. As
queratinas participam em algumas uniões
celulares (desmossomas).

➢Envolvidos na fixação e posição das


organelas
➢Visão geral da estrutura celular

➢O núcleo fica dentro de uma rede de


filamentos intermediários fixados num local
por ramificações desses filamentos p/ o
citoplasma.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Compõe a lamina nuclear q reveste o


interior do envelope nuclear. As laminas
nucleares, para além de darem rigidez ao
núcleo, participam na regulação da
transcrição. Irregularidades na expressão
genética das proteínas dos filamentos
intermédios causam fragilidade e distrofias
celulares (como é o caso de certas
cardiomiopatias).
➢Visão geral da estrutura celular

➢Composto por filamentos de ACTINA →


organizados em duas fitas intercruzadas de
actina formando bastões sólidos. Estão
presentes em todas as céls eucarióticas e
estão relacionados ao suporte à tensão.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Microfilamentos Corticais: rede


tridimensional formada por microfilamentos
dentro da MP que sustentam o formato da
célula → região cortical da cél próxima à MP
fica mais sólida em relação ao conteúdo do
citoplasma.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Em céls intestinais, feixes de microfilamentos


ficam no interior das MICROVILOSIDADES.

➢Atuam na contração muscular: filamentos


de actina e miosina interagem p/ a contração
de céls musculares e também no movimento
celular amebóide. Tb podem auxiliam na
divisão celular.
➢Visão geral da estrutura celular

➢As fibras dos microfilamentos são


compostas por monômeros de actina que
estabilizam a forma celular, mas também
podem estar envolvidas com movimentos
celulares como a contração na citocinese
centrípeta das mitoses e meioses.
➢Visão geral da estrutura celular

➢Os microfilamentos e os filamentos de


miosina dirigem a ação muscular, mas as
células musculares devem ter seu
citoesqueleto adequadamente ancorado na
membrana plasmática e na matriz
extracelular, para que lesões celulares não
ocorram durante a contração.
➢Diferenciação celular
➢Durante a evolução dos metazoários, as células foram
modificando-se e especializando-se, e passaram a exercer
determinadas funções com maior rendimento →
DIFERENCIAÇÃO CELULAR.
➢Diferenciação celular
➢A diferenciação celular também é um processo importante
durante o desenvolvimento embrionário; por exemplo,
precursores da célula muscular se alongam, sintetizam
proteínas fibrilares contrateis e dão origem a uma célula adaptada
para a conversão eficiente de energia química em trabalho
mecânico.
➢Principais componentes das células
➢As células apresentam duas partes fundamentais: o
CITOPLASMA e o NÚCLEO

➢Os diversos componentes do citoplasma geralmente NÃO são


vistos nos preparados comuns corados pela hematoxilina-
eosina→ nesses preparados o citoplasma aparece róseo e o
núcleo forte mente tingido em azul-escuro.
➢Principais componentes das células
➢CITOPLASMA:

➢O componente mais externo do citoplasma é a membrana


plasmática, ou plasmalema, que é o limite entre o meio
intracelular e o ambiente extra celular.

➢No citoplasma se localizam o citoesqueleto, as ORGANELAS


e os depósitos ou inclusões, geralmente temporários, de
hidratos de carbono, proteínas, lipídios ou pigmentos.
➢Principais componentes das células
➢CITOPLASMA:

➢São exemplos de organelas as mitocôndrias, o retículo


endopiasmático, o complexo ou aparelho de Golgi, os
lisossomos e os peroxíssomos.

➢O espaço entre as organelas e os depósitos é preenchido pela


matriz citoplasmática ou citosol, de consistência gelatinosa,
contendo diversas substâncias, como aminoácidos,
proteínas, outras macro moléculas, nutrientes energéticos
e ions.
➢Principais componentes das células
➢CITOPLASMA:

➢A membrana plasmática contém proteínas denominadas


INTEGRINAS que se ligam a filamentos do citoesqueleto
localizados no citoplasma e a macromoléculas extracelulares, e
por meio dessas ligações, existe uma troca constante de
influências nos dois sentidos, entre o citoplasma e o meio
extracelular
➢Membrana plasmática
➢Uma função importante da membrana plasmática é a
manutenção da constância do meio intracelular, que é
diferente do líquido extra celular.
➢Membrana plasmática
➢A membrana plasmática tem a espessura de 7,5 a 10 nm e, ao
microscópio eletrônico, aparece como uma estrutura trilaminar,
denominada unidade de membrana, assim chamada porque
essa estrutura é comum a todas as membranas existentes nas
células

➢O aspecto trilaminar das membranas celulares é devido a


deposição de ósmio na porção hidrofílica da molécula
➢Membrana plasmática
➢Membrana plasmática
➢Membrana plasmática
➢(figuras 2,1 a 2.4),
➢Membrana plasmática
➢Os fosfolipídios em meio aquoso espontaneamente se
organizam em BICAMADA, sem gasto de energia.

➢Os lipídeos estão presentes nas membranas celulares, como


glicolipídios e colesterol
➢Membrana plasmática
➢A distribuição dos lipídios na membrana NÃO é simétrica.

➢Nas hemácias, por exemplo, existe maior abundância de


fosfatidilcolina e esfingomielina na camada externa,
enquanto fosfatidilserina e fosfatidiletanolamina concentram-
se mais na metade interna.
➢Membrana plasmática
➢Os GLICOLIPÍDIOS têm cadeias de oligossacarídios que se
projetam para fora, a partir da superfície celular, contribuindo
para acentuar a assimetria da membrana plasmática.

➢O microscópio eletrônico confirmou que as moléculas proteicas


se inserem parcial ou totalmente na membrana.
➢Membrana plasmática ➢Quando a célula é
congelada e fraturada
(CRIOFRATURA)
ocorre clivagem da
membrana e é possível
visualizar seus
componentes
➢Membrana plasmática
➢As PROTEÍNAS, que representam aproximadamente 50% do
peso da membrana plasmática (esse percentual varia muito nas
outras membranas celulares), podem ser divididas em dois
grupos.

➢As PROTEÍNAS INTEGRAIS estão diretamente incorporadas na


estrutura da membrana, enquanto as PROTEÍNAS
PERIFÉRICAS estão apenas fracamente associadas à
membrana.
➢Membrana plasmática
➢Algumas proteínas integrais, denominadas PROTEÍNAS
TRANSMEMBRANA, atravessam inteiramente a membrana,
formando saliência tanto na face intracelular (citoplasmática)
como na superfície externa da membrana.

➢Determinadas proteínas transmembrana contêm moléculas


longas e dobradas que atravessam a membrana diversas vezes
e por isso são divididas em proteínas de passagem única e
proteínas de passagem múltipla.
➢Membrana plasmática
➢Membrana plasmática
➢Membrana plasmática
➢Membrana plasmática
Moléculas
HIDROFÓBICAS
atravessam mais
facilmente, ao
contrário das
moléculas
HIDROFÍLICAS
➢Membrana plasmática
➢Membrana plasmática
➢As proteínas da
membrana são
sintetizadas no retículo
endoplasmático
granuloso/rugoso
(RER), completadas no
complexo de Golgi e
transportadas para a
superfície celular em
vesículas
➢Membrana plasmática
➢A superfície externa
da membrana é
recoberta por uma
camada mal
delimitada, rica em
hidratos de carbono,
o GLICOCÁLICE, bem
visível ao microscópio
eletrônico
➢Membrana plasmática
➢O GLICOCÁLICE é constituído pelas cadeias glicídicas das
glicoproteínas e glicolipídios da membrana e por
glicoproteínas e proteoglicanos secretados pela célula.

Não confundir PROTEOGLICANO com PEPTIDEOGLICANO!!!

➢O glicocálice participa do reconhecimento entre as células e da


união das células umas com as outras e com as moléculas
extracelulares.
➢Membrana plasmática
➢Quando consome energia, chama-se transporte ativo. Outras
vezes a transferência se realiza com a participação de proteínas
carreadoras localiza das na membrana, mas sem gasto
energético, pelo processo chainado transporte facilitado.
➢Membrana plasmática
➢A entrada de material em quantidade denomina-se
ENDOCITOSE.
➢EXOCITOSE é o processo equivalente, porém, na direção
oposta, de dentro para fora da célula.
➢Todavia, do ponto de vista molecular, a endocitose e a
exocitose são processos diversos e que dependem da
participação de proteínas diferentes.
➢Há três variedades de endocitose: pinocitose de fase fluída,
endocitose mediada por receptores e fagocitose.
➢Membrana plasmática
➢PINOCITOSE DE FASE FLUIDA:
➢Na pinocitose de fase fluida se formam pequenas
invaginações da membrana, que envolvem o fluido extra
celular e as substâncias nele contidas.

➢As vesículas de pinocitose destacam-se da membrana pela


atividade do citoesqueleto, são puxadas para a profundidade
do citoplasma e, na maioria das vezes, fundem-se com
lisossomos
➢Membrana plasmática
➢ENDOCITOSE MEDIADA POR RECEPTORES
➢Na superfície celular contém receptores para diversas
moléculas, como hormônios proteicos e lipoproteínas de baixa
densidade (LDL, low density lipoproteins).

➢Esses receptores podem estar espalhados por toda a


superfície da célula ou localizados em áreas restritas,
denominadas fossetas cobertas (coatedpits).
➢Membrana plasmática
➢ENDOCITOSE MEDIADA POR RECEPTORES
➢À molécula que tem grande afinidade para determinado
receptor é o seu ligante.

➢A união do ligante com o receptor ativa moléculas do


citoesqueleto; caso os receptores estejam afastados, eles são
movimentados na bicamada lipídica, concentrando-se cm
pequena área da membrana
➢Membrana plasmática
➢ENDOCITOSE MEDIADA POR RECEPTORES
➢À molécula que tem grande afinidade para determinado
receptor é o seu ligante.

➢A união do ligante com o receptor ativa moléculas do


citoesqueleto;

➢Caso os receptores estejam afastados, eles são


movimentados na bicamada lipídica, concentrando-se cm
pequena área da membrana, onde estão sendo requisitados
Endossomo
➢Membrana plasmática
➢ENDOCITOSE MEDIADA POR RECEPTORES
➢Os receptores separam-se de seus ligantes cm razão da
acidez do endossomo e podem retornar à superfície celular
para serem reutilizados.
➢Membrana plasmática
➢FAGOCITOSE
➢O Alguns tipos celulares, como os macrófagos e os
leucócitos, são especializados em englobar/engolfar e
eliminar bactérias, fungos, protozoários, células lesionadas

➢Essas células emitem prolongamentos laminares, chamados


PSEUDOPODOS, que se estendem sobre a bactéria e
acabam por englobá-la em um vacúolo intracelular, o
FAGOSSOMO.
➢Membrana plasmática
➢FAGOCITOSE
➢As bordas dos pseudópodos se fundem, formando o
fagossomo.

➢A fagocitose é um processo que depende da ligação da


partícula com receptores da superfície celular.

➢O ligante aderido ao receptor promove modificações na


camada citoplasmática localizada logo abaixo da membrana,
denominada camada cortical.
➢Membrana plasmática
➢EXOCITOSE
➢A exocitose é mediada por
proteínas fusogênicas devido a
carga elétrica das membranas →
tendem a se repelir

➢Quanto mais a célula passa por


exocitose, maior ela fica → as
membranas exocitadas fundem-se
à membrana
➢Membrana plasmática
➢Captação de sinais
➢Muitas células podem estabelecer junções comunicantes
que possibilitam a troca de íons e pequenas moléculas entre
células contíguas →sem atravessar o meio extra celular.

➢As moléculas sinalizadoras extra celulares participam de três


tipos de comunicação: endócrina, parácrina e autócrina
➢Membrana plasmática
➢Captação de sinais
➢Na sinalização ENDÓCRINA, as moléculas sinalizadoras são
chamadas hormônios e chegam às células-alvo transportadas
pelo sangue.

➢Na sinalização PARÁCRINA as moléculas agem apenas no


local, atuando em células que estão próximas, sendo
rapidamente inativadas
➢Membrana plasmática
➢Captação de sinais
➢Quando a secreção parácrina atua sobre o mesmo tipo
celular que a sintetizou, recebe o nome de sinalização
AUTÓCRINA.
➢Membrana plasmática
➢Captação de sinais
➢O terceiro tipo de comunicação por sinais extra celulares é a
SINALIZAÇÃO SINÁPTICA, exclusiva do tecido nervoso,
em que moléculas neurotransmissoras agem nos contatos
celulares especializados denominados SINAPSES.
➢Busca de informações (2) e exposição de expectativas (3):

➢Pesquise e discorra sobre o que são células tronco e quais os


tipos existentes e quais suas características (pluripotentes,
totipotentes etc).

➢Transporte ativo

➢Transporte passivo

➢Propostas e ideias (apresentação) 11/09/19 e resultados


(entrega de material escrito) até 13/09/19
Dúvidas????