Você está na página 1de 16

capítulo 1

Conceitos básicos
Eletricidade é uma forma de energia. Em grande parte, o estudo da eletricidade se ocupa
em aprender formas de se controlar a energia elétrica. Quando controlada corretamente, a
eletricidade pode fazer muito do trabalho exigido para manter nossa sociedade em pleno
funcionamento. Porém, quando não controlada, como no caso dos raios, a energia elétrica
pode ser muito destrutiva.
Ela é parte tão inseparável de nossas vidas diárias que frequentemente pensamos nela
como um recurso infinito e inesgotável. Ainda, sem ela, nossa vida seria bem diferente
e muito mais difícil do que realmente é no cotidiano. A energia elétrica ilumina nossos
lares e indústrias, faz funcionar computadores, rádios, telefones celulares, salas de TV, e
fornece a potência necessária aos motores de máquinas de lavar, secadores de roupas,
aspiradores de pó, e assim por diante. É um exercício difícil imaginar um lar que não
utilize energia elétrica para o seu funcionamento diário.

OBJETIVOS
Após o estudo deste capítulo, você deverá ser capaz de:
Utilizar as unidades básicas para especificar e calcular energia e trabalho.
Compreender a conversão de energia e a eficiência percentual.
Listar e explicar as características principais das partículas mais conhecidas que
constituem um átomo.
Explicar a natureza da carga elétrica.
Examinar algumas aplicações industriais da eletricidade estática.

Fowler_01.indd 1 01/08/12 10:25


que você usa diariamente. Por exemplo, uma torradeira elé-
Trabalho e energia trica usa aproximadamente 100.000 joules de energia para
ENERGIA e TRABALHO são conceitos muito próximos. Eles são preparar duas torradas de pão. É necessário 360.000 joules
simbolizados por E (energia) e W (trabalho) e usam a mesma para operar por 1 hora uma pequena lâmpada de luminária
unidade de medida, mas não são conceitos intercambiáveis. de mesa.
Cada qual é definido e utilizado de um modo diferente. O trabalho – ou a energia – envolvido em um sistema mecâ-
Trabalho é uma medida da energia transferida por um sis- nico (tal como puxar um barco) pode ser determinado pela
tema a um corpo, é o resultado da aplicação de uma força seguinte relação:
pelo deslocamento de um objeto. Energia é a capacidade de TRABALHO ⴝ FORÇA ⴛ DESLOCAMENTO
realizar trabalho de um sistema. Em outras palavras é neces-
sária energia para realizar trabalho. Por exemplo, é preciso No sistema métrico de medidas (ou Sistema Internacional) a
energia para puxar um barco para fora d’água em direção a unidade básica de força é o NEWTON. A unidade básica de des-
uma praia e realiza-se trabalho ao puxar o barco para fora locamento é o METRO e, assim, a unidade básica de trabalho
d’água e movê-lo pelas areias da praia. (energia) é o joule. Assim, um joule é igual a um newton mul-
tiplicado por um metro, o que é uma unidade conveniente
A energia requerida para puxar o barco para fora d’água vem de medição da energia mecânica.
do corpo humano. Uma força é exigida ao puxar o barco
contra a areia da praia. Uma força também é necessária para
vencer a atração gravitacional de levantar o barco da super- EXEMPLO 11
fície d’água. Então, o trabalho consiste da força exigida para
Se uma força constante de 150 newtons é necessária para
mover o barco a uma distância assim que ele é içado d’água
puxar um barco, quanto trabalho é realizado para puxá-lo
em direção à praia. por 8 metros?
Às vezes, usa-se o mesmo símbolo em itálico W tanto para
Dados: Força ⫽ 150 newtons
o trabalho quanto para a energia. O mesmo símbolo é uti-
Deslocamento ⫽ 8 metros
lizado para trabalho e energia porque os dois conceitos são
Encontrar: Trabalho
muitos próximos. Entretanto, vamos diferenciá-los sempre
em termos simbólicos. Energia existe com ou sem trabalho Conhecidos: Trabalho (W) ⫽ Força ⫻ Deslocamento
1 newton·metro ⫽ 1 joule (J)
sendo realizado, ou seja, energia é independente do traba-
lho. Trabalho, porém, requer energia para existir. Solução: Trabalho ⫽ 150 newtons ⫻ 8 metros
⫽ 1200 newtons·metros
Resposta: Trabalho ⫽ 1200 joules
W ⫽ 1200J
Unidade de energia
UNIDADES BÁSICAS de medida são utilizadas para quantificar ou Observe a sistemática utilizada na solução do problema do
especificar alguma grandeza. O JOULE é a unidade de medida Exemplo 1-1. Primeiro, a informação dada (as grandezas
de energia e trabalho. A letra J (maiúscula) é utilizada para declaradas) no problema é listada. Em seguida, a grandeza
Corrente contínua e magnetismo

simbolizar o joule. Especificar energia em joules é a mesma que você deve encontrar é registrada. Finalmente, a relação
coisa que especificar manteiga em gramas e dinheiro em (fórmula) entre os dois valores é explicitada. Para problemas
reais. Todas elas são unidades que especificam uma grande- simples esta sistemática pode parecer desnecessária, mas
za. Unidades elétricas básicas são importantes porque todas para resolver problemas mais complexos será mais fácil se
as relações envolvendo grandezas elétricas podem ser ex- você seguir esta receita.
pressas em termos delas.
Encontramos no Exemplo 1-1 que o trabalho realizado para
Um joule de energia (ou trabalho) é uma quantidade muito puxar o barco foi 1200 joules (J). A quantidade de energia
pequena quando comparada a uma quantidade de energia necessária para mover o barco também é 1200J. Trabalho e

Fowler_01.indd 2 01/08/12 10:25


energia têm a mesma unidade básica de medida. Eles são ba-
sicamente a mesma coisa. Trabalho envolve o uso de energia
Conversão de energia
para realizar alguma tarefa. Por exemplo, a bateria de um car- Uma das leis fundamentais da física clássica afirma que, sob
ro possui energia interna armazenada. Quando a ignição do condições normais, a energia não pode ser criada nem des-
carro é acionada, a energia da bateria é utilizada para realizar truída. A energia disponível no Universo existe em várias for-
trabalho de partida do motor do carro, o que tira o carro da mas, como, por exemplo, o calor, a luz e a energia elétrica.
condição de inércia absoluta. O trabalho realizado e a energia Quando dizemos que “utilizamos” energia elétrica, não que-
gasta são duas formas de se dizer a mesma coisa. remos dizer que destruímos a energia. Pelo contrário, dize-
mos que CONVERTEMOS a energia elétrica disponível em outra
forma de energia mais útil. Por exemplo, quando acendemos
EXEMPLO 12
uma lâmpada incandescente, convertemos a energia elétrica
Se 500 joules de energia e 100 newtons de força são em energia luminosa e em energia calorífica. Assim, utiliza-
necessários para mover um objeto de um ponto A até um mos energia elétrica numa forma em que ela não existe mais
ponto B, qual é a distância (ou o deslocamento) entre os (como energia elétrica), mas não destruímos ou desaparece-
dois pontos A e B? mos com ela, ela ainda existe em duas outras formas, calorí-
Dados: Energia ⫽ 500 joules fica e luminosa.
Força ⫽ 100 newtons O estudo da eletricidade ocupa-se dos problemas relaciona-
Encontrar: Deslocamento (distância) dos à conversão de energia elétrica de uma forma para outra.
Conhecidos: W ⫽ Força ⫻ Deslocamento ou, rearranjando A própria energia elétrica é gerada através da conversão de
os termos,

1 newton·metro ⫽ 1 joule (J)


500 newton·metros
Solução:

Resposta: Deslocamento (distância) ⫽ 5 metros

Até o momento, o cálculo de quantidades específicas de


trabalho ou energia tem se limitado a exemplos de sistemas
mecânicos. Assim que aprender novas grandezas elétricas,
como tensão, corrente e potência, você será capaz de resolver
problemas envolvendo energia elétrica.

Teste seus conhecimentos


Conceitos básicos
Responda às seguintes questões.

1. Defina trabalho e energia.


2. O que é uma unidade básica de medida?
3. Qual é a unidade básica de medida de energia?
4. Que energia é necessária para deslocar um carro por 120 me-
tros quando se aplica uma força constante de 360 newtons?
capítulo 1

Técnico verificando uma máquina de fax.

Fowler_01.indd 3 01/08/12 10:25


Descargas atmosféricas (raios) – uma forma de energia elétrica não controlada Energia elétrica é convertida para
pelo homem. outras formas em nossos lares.

outras formas de energia para a forma elétrica. Baterias con- disponível na antena em energia sonora e energia luminosa
vertem energia química em energia elétrica, células solares (o que vemos como imagens).
convertem a energia luminosa em energia elétrica e gera-
dores elétricos convertem energia mecânica (rotacional) em
energia elétrica.
Eficiência
Raramente utilizamos diretamente energia na forma de
energia elétrica. Mesmo assim, ter energia disponível na for- Nenhum processo de conversão de energia é 100% eficien-
ma elétrica é muito desejável, pois é muito fácil transmiti-la te. Isto é, nem toda energia disponível para um dispositi-
a longas distâncias. A energia elétrica produzida por uma vo, equipamento ou sistema é convertida para a forma de
usina geradora a milhares de quilômetros de nossas casas energia desejada. Quando 1000 joules de energia elétrica
pode facilmente ser transferida para os nossos lares, lá ela é são fornecidos para uma lâmpada incandescente, cerca de
convertida para outras formas mais úteis. 200 joules dessa energia são de fato convertidos em energia
luminosa. Os 800 joules restantes são convertidos em ener-
Já comentamos que a lâmpada incandescente converte ener- gia calorífica. Neste sentido dizemos que a EFICIÊNCIA de uma
gia elétrica em energia luminosa e calorífica. Outra forma de lâmpada incandescente é baixa.
conversão de energia que nos é familiar é o fogão elétrico, o
qual converte energia elétrica em calor para preparo de alimen- A eficiência de um sistema é expressa tipicamente em por-
tos. A conversão de energia elétrica em energia rotacional de centagem. Ela é calculada pela fórmula:
Corrente contínua e magnetismo

um motor elétrico é outra forma de conversão muito comum.


Embora o processo envolvido seja um tanto complexo, rádios
receptores convertem energia elétrica em energia sonora. Abreviando a eficiência percentual por % ef. e utilizando-se
Um sinal muito fraco que viaja pelo ar transportando energia o símbolo E para energia, podemos reescrever esta formula
eletromagnética é recebido pelo receptor e é então conver- como:
tido para energia elétrica. O restante da energia dentro do
Econvertida
receptor vem de uma bateria ou de uma tomada elétrica. O
Etotal disponível
estágio de saída do rádio converte energia elétrica em ener-
gia sonora pelos alto-falantes. De um modo semelhante, Vamos usar esta relação para determinar a eficiência da lâm-
receptores de televisão convertem energia eletromagnética pada incandescente mencionada anteriormente.

Fowler_01.indd 4 01/08/12 10:25


EXEMPLO 13

Qual é a eficiência de uma lâmpada incandescente que


recebe 1000 joules da rede elétrica para produzir 200 joules
de energia luminosa?

Dados: Energia total disponível ⫽ 1000 joules


Energia convertida ⫽ 200 joules
Encontrar: Eficiência percentual
Conhecido: Econvertida
Etotal disponível

Solução:

Resposta: Eficiência ⫽ 20%

Na fórmula para calcular a eficiência, perceba que o numera-


dor e o denominador possuem as mesmas unidades básicas
de medida em joules. Neste caso, as unidades do numerador
e denominador cancelam-se e a resposta é um número puro
(isto é, sem unidade de medida). Este resultado numérico
pode ser expresso verbalmente de duas formas: “A eficiência
da lâmpada incandescente é 20%” ou “A lâmpada incandes-
cente é 20 por cento eficiente”.
Nem todos os dispositivos elétricos possuem eficiência tão
baixa quanto uma lâmpada incandescente. Motores elétri-
cos, como aqueles utilizados em máquinas de lavar, secado-
res de roupas e refrigeradores possuem eficiências de 50 a
75%. Isso significa que entre 50 e 75% da energia disponível
recebida pelo motor é convertida em energia mecânica rota-
cional. Os outros 25 a 50% são “perdidos”, convertidos para a
forma de calor.
Até o momento, ilustramos a eficiência da conversão da
energia elétrica para outras formas mais desejáveis. É claro
que também estamos interessados na eficiência da conver- Conceitos básicos
são reversa, ou seja, a conversão de outras formas de energia
em energia elétrica.
capítulo 1

Convertendo energia elétrica em luz e calor.

Fowler_01.indd 5 01/08/12 10:25


EXEMPLO 14 EXEMPLO 15

Qual é a energia necessária para produzir 460 joules de Qual é a eficiência de um gerador elétrico que produz 5000
energia luminosa a partir de uma lâmpada incandescente joules de energia elétrica a partir de 7000 joules de energia
cuja eficiência percentual é 25%? mecânica utilizada para fazer o gerador girar?

Dados: % ef ⫽ 25% Dados: Energia total disponível (Etot) ⫽ 7000 joules


Energia convertida (Econv) ⫽ 460 joules Energia convertida (Econv) ⫽ 5000 joules
Encontrar: Energia total disponível (Etot) Encontrar: Eficiência percentual (% ef.)
Conhecido: Conhecido:

Rearranjando a fórmula:
Solução:

Solução:
Resposta: Eficiência ⫽ 71,4%

Resposta: Energia total disponível ⫽ 1840 joules

Teste seus conhecimentos


Responda às seguintes questões. 8. Um motor elétrico requer 1760 joules de energia elétrica para
produzir 1086 joules de energia mecânica. Qual é a eficiência
5. Liste as formas de energia nas quais a energia elétrica da bate- do motor?
ria de um carro é convertida.
9. Uma bateria de flash usa 110 joules de energia química para
6. Qual é a forma de energia indesejável produzida por uma lâm- fornecer 100 joules de energia elétrica para a lâmpada de
pada incandescente e um motor elétrico? flash. Qual é a eficiência da bateria?
7. O que acontece com a temperatura de uma bateria em proces- 10. Que energia mecânica é fornecida por um motor elétrico com
so de descarga? Por quê? 70% de eficiência e que requer 1960 joules de energia elétrica?

Existem mais de 100 tipos de átomos diferentes, alguns na-


Estrutura da matéria turais, encontrados na natureza, e outros produzidos pelo
Toda matéria no Universo é composta de ÁTOMOS. Átomos homem em laboratório. Matéria composta de um único áto-
são os blocos básicos de construção da natureza. Sem apro- mo é denominada ELEMENTO. Assim, há tantos elementos na
fundar na natureza das características físicas de seus átomos, natureza quanto tipos diferentes de átomos. Alguns dos ele-
Corrente contínua e magnetismo

vidro, giz, pedra, madeira e tudo mais é composto de átomos mentos mais conhecidos são o ouro, a prata e o cobre.
(incluindo nós mesmos). Pedra é diferente da madeira por-
Há um número incontável de tipos diferentes de materiais no
que seus átomos são de tipos diferentes.
mundo, novamente alguns são naturais e muitos outros são
A menor porção de uma substância que ainda preserva as ca- artificiais. Naturalmente, a maioria dos materiais são com-
racterísticas da substância original é denominada MOLÉCULA. postos de mais de um elemento. Quando tipos diferentes de
Uma molécula consiste de dois ou mais átomos interligados átomos se combinam quimicamente formam os COMPOSTOS.
de modo particular. Se uma molécula de giz for dividida em Um exemplo simples e muito importante de composto é a
partes menores, ela deixará de ser giz. água, a qual é constituída dos elementos hidrogênio e oxigê-

Fowler_01.indd 6 01/08/12 10:25


nio. Muitos dos materiais utilizados nos circuitos elétricos e Elétrons
eletrônicos são construídos a partir de compostos.
Para se compreender bem a origem da eletricidade devemos
“dividir o átomo” em seus constituintes básicos. No estudo da
⫺ Prótons ⫺
eletricidade, apenas as partículas principais que compõem
o átomo são relevantes. As partículas mais importantes que ⫹⫹
constituem um átomo são o ELÉTRON, o PRÓTON e o NÊUTRON. Órbitas de
Uma representação pictórica de um átomo de hélio e que Nêutrons revolução
dos elétrons
mostra as três principais partículas é ilustrada na Figura 1-1. A
porção central de um átomo é denominada NÚCLEO. No núcleo
são encontrados os prótons e nêutrons. Os elétrons giram em
torno do núcleo em órbitas elípticas.* Um elétron é muito
mais leve que um próton ou nêutron (cerca de 2000 vezes Figura 1-1 Estrutura de um átomo de hélio.
mais leve). Portanto, o núcleo de um átomo concentra qua-
se toda a massa do átomo, mas os elétrons girando em volta zinhos podem compartilhar o mesmo espaço (mas não ao
do núcleo é que definem o volume ocupado pelo átomo. A mesmo tempo). Na verdade, em muitos materiais, átomos
distância entre o núcleo atômico e os primeiros elétrons em vizinhos compartilham elétrons e os espaços ao redor.
órbita é gigantesca, se comparada ao tamanho de elétron,
A Figura 1-2 representa um átomo de alumínio desenhado
próton ou nêutron. De fato, esta distância é cerca de 60.000
no plano bidimensional. Lembre-se de que cada elétron or-
vezes maior que o diâmetro convencional de um elétron.
bita ao redor do núcleo segundo sua órbita elíptica. Os dois
Faremos aqui uma analogia útil para ajudar você a visualizar elétrons mais próximos do núcleo não seguem a mesma ór-
os tamanhos relativos e os espaços entre as partículas no bita circular como sugere o modelo da Figura 1-2. O mode-
mundo atômico. O átomo mais simples encontrado na natu- lo sugere que as órbitas estão à mesma distância média do
reza é o hidrogênio, o qual contém um próton, um elétron núcleo, mas não são a mesma órbita. Dizemos que os dois
e nenhum nêutron. Imagine que o núcleo do átomo de hi- elétrons mais próximos do núcleo ocupam a primeira CAMADA
drogênio seja representado por uma bola maciça colocada ou ÓRBITA do átomo. A primeira camada do átomo pode aco-
no centro de um estádio de futebol fictício. O elétron do áto- modar somente dois elétrons. Átomos que possuem mais de
mo de hidrogênio na analogia do campo de futebol estaria dois elétrons, tal como o átomo de alumínio, devem possuir
localizado a 1610 quilômetros de distância do círculo central uma segunda, terceira, quarta – e assim por diante – cama-
onde se encontra a bola. Note que entre o elétron e o próton das ou órbitas.
existe um grande vazio (vácuo), mas que estas dimensões são
microscópicas, não sendo possível a observação por nenhum
tipo de instrumento inventado pelo homem até o momento.
⫺ ⫺
Assim, neste modelo orbital, os elétrons giram (ou orbitam)
⫺ ⫺ ⫺
ao redor do núcleo de um átomo da mesma forma que os
Conceitos básicos
planetas giram ao redor do Sol (Figura 1-1). A maioria dos ⫺ ⫺

átomos contém mais de um elétron (ou seja, todos os áto- 13⫹


14N
mos conhecidos, exceto o hidrogênio) e cada elétron possui
uma orbita própria. Com a devida estruturação, átomos vi- ⫺ ⫺

⫺ ⫺
* N. de T.: Esta representação pictórica funciona relativamente bem para ex- ⫺
capítulo 1

plicar os conceitos básicos relacionados à eletricidade. Contudo, para explicar


como o mundo a sua volta funciona ou mesmo os conceitos maios profundos Figura 1-2 Representação simplificada de um átomo de
em eletricidade, o modelo orbital para o átomo não é adequado. Se você qui- alumínio mostrando seus 13 elétrons (⫺), 13 prótons (⫹) e 14
ser saber “Por quê?”, terá de estudar Mecânica Quântica. nêutrons (N).

Fowler_01.indd 7 01/08/12 10:25


História da eletrônica
James Prescott Joule
Em homenagem póstuma a Ja-
mes Prescott Joule, o SI (Sistema
Internacional de Unidades) de-
finiu o joule (J) como a unidade
de medida de energia (1 joule é
igual a 1 volt-coulomb).

de um átomo pode conter. A terceira camada pode conter


Técnica trabalhando em um laboratório. um máximo de 18 elétrons e a quarta camada, um máximo
de 32 elétrons. Visto que o átomo de alumínio (Figura 1-2)
A segunda camada do átomo de alumínio contém 8 elétrons. possui apenas 13 elétrons, sua terceira camada tem 3 elé-
Este é o número máximo de elétrons que a segunda camada trons para fechar a distribuição eletrônica deste átomo.

Teste seus conhecimentos


Responda às seguintes questões. 14. Falso ou verdadeiro? O peso de um elétron é menor que o peso
de um próton.
11. Quais são as principais partículas que constituem um átomo?
15. Falso ou verdadeiro? Todos os elétrons da segunda camada de
12. Falso ou verdadeiro? O diâmetro de um elétron é muito menor um átomo seguem a mesma órbita ao redor do núcleo.
que sua distância ao núcleo atômico.
13. Falso ou verdadeiro? O diâmetro de um próton é maior que o
diâmetro da órbita de um elétron.

magnético). Na Figura 1-3, as linhas orientadas por setas


Carga elétrica representam os campos elétricos. Duas cargas positivas ou
duas cargas negativas repelem-se mutuamente. Duas cargas
Visite o site da IBEW (International Brotherhood of de sinais opostos atraem-se mutuamente (Figura 1-3). A for-
www Electrical Workers) para obter informações sobre ça de atração entre próton positivo e elétron negativo ajuda
carreiras em eletricidade e outros (site em inglês). a manter o elétron orbitando em volta do núcleo. O nêutron
no núcleo do átomo não possui carga elétrica (carga neutra).
Corrente contínua e magnetismo

Tanto elétrons quanto prótons possuem carga elétrica, mas Assim, nêutrons podem ser ignorados quando consideramos
essas cargas possuem POLARIDADES opostas. Polaridade refe- apenas os efeitos das cargas elétricas de um átomo.
re-se ao tipo de carga (negativa ou positiva). O elétron possui Um átomo em seu estado natural ou estado de equilíbrio
carga elétrica negativa (⫺) e o próton possui carga elétrica possui carga elétrica total nula; isto é, ele possui sempre a
positiva (⫹). Tais cargas elétricas criam campos invisíveis ao mesma quantidade de elétrons e de prótons. Por exemplo,
olho humano se originando nas cargas e se movendo para olhe para a representação do átomo de alumínio da Figura
o infinito ou para cargas com polaridades opostas (tal como 1-2. Ele possui 13 elétrons em órbita e no núcleo existem
em ímãs, onde campos invisíveis existem ao redor do corpo 13 prótons, além dos 14 nêutrons que não possuem carga

Fowler_01.indd 8 01/08/12 10:25


Uma das forças responsáveis por manter elétrons orbitan-
do núcleos atômicos é a força de atração entre as partículas
opostas. Quanto mais próximas estiverem duas partículas,
⫺ ⫺
mais forte é a atração entre elas. Logo, a força de atração en-
Carga Carga
tre os prótons no núcleo e os elétrons em órbita decresce na
medida em que os elétrons se afastam do núcleo. Visto que
os elétrons de valência são os elétrons mais distantes do nú-
cleo atômico, eles são atraídos para o núcleo com uma força
(a) de intensidade significativamente menor, se comparada aos
elétrons nas camadas mais internas do átomo. Dessa manei-
ra, os elétrons de camada de valência podem ser mais facil-
mente removidos do (ou adicionados ao) átomo de origem
⫹ ⫹ que os elétrons em camadas mais internas.
Carga Carga
Todos os elétrons de um átomo possuem energia. Eles pos-
suem energia porque eles têm massa, carga e porque se mo-
vem em órbitas. Logo, se os elétrons têm energia eles são capa-
zes de realizar trabalho. Os elétrons de valência possuem mais
(b) energia do que os elétrons orbitando camadas internas. Em ge-
ral, quanto mais afastado um elétron estiver do núcleo de um
átomo, maior é o seu nível energético em relação ao núcleo.

⫺ ⫹
Carga Carga
Elétrons livres
ELÉTRONS LIVRES são elétrons de valência que foram tempora-
riamente removidos de um átomo. Eles estão livres para se
moverem no espaço ao redor do átomo, pois ficaram livres
(c)
da influência atrativa ou repulsiva do átomo. Os elétrons de
Figura 1-3 Campos elétricos entre cargas. Em (a) e (b), valência são os candidatos naturais a se tornarem elétrons
cargas iguais repelem-se mutuamente. Em (c), cargas opostas livres, pois os elétrons nas camadas mais internas ao átomo
atraem-se mutuamente.
estão fortemente presos pela atração do núcleo. Um elétron
de valência emerge de um átomo para se tornar um elétron
elétrica. Na forma representada na Figura 1-2 dizemos que o livre quando fornecemos energia para o átomo ao qual per-
átomo de alumínio encontra-se no estado de equilíbrio elé- tence o elétron. Essa energia adicional dá ao elétron de va-
trico ou estado eletricamente neutro, pois para cada elétron lência graus de liberdade para fugir da atração nuclear pro-
de carga negativa orbitando o núcleo temos um próton com tônica. Como um elétron livre, o elétron possui mais energia
carga positiva no núcleo. que os seus semelhantes na camada de valência. Um modo Conceitos básicos
de se fornecer energia extra a um átomo para arrancar dele
elétrons de valência é aquecer o átomo. Outro modo é sub-
meter o átomo a um campo elétrico.
Elétrons de valência
Os elétrons orbitando na camada mais externa de um átomo
são chamados de ELÉTRONS DE VALÊNCIA. Os elétrons de valên-
Íons
capítulo 1

cia são fundamentais nas reações químicas e nas correntes


eletrônicas de circuitos, pois eles explicam como estes fenô- Quando um elétron de valência deixa um átomo para se tor-
menos ocorrem na natureza. nar um elétron livre, ele transporta consigo a sua carga nega-

Fowler_01.indd 9 01/08/12 10:25


tiva, pois é uma propriedade individual do elétron. A perda
de uma carga negativa pelo átomo original faz com que este Sobre a eletrônica
átomo fique desbalanceado com um próton a mais no nú-
cleo que elétrons nas camadas orbitais. Voltando ao exemplo Dispositivo para ver através de roupas
do átomo de alumínio e supondo que um elétron de valência Detectores de metais
tenha se transformado em elétron livre, há 13 prótons no nú- instalados em aeroportos e
cleo (cargas positivas) e 12 elétrons (cargas negativas) orbi- outros transportes públicos
tando o núcleo. Neste caso, o saldo do átomo de alumínio é usam raios-x para procurar
de um próton a mais. Átomos que possuem mais ou menos armas e drogas em passa-
elétrons em relação à sua configuração equilibrada origi- geiros. Novas técnicas de
nal são chamados ÍONS. Quando um átomo perde elétrons imagens estão melhorando
a qualidade das buscas.
ele se torna um ÍON POSITIVO. Reciprocamente, átomos que
Com estes novos dispositi-
recebem elétrons, ficam com excesso deles, possuem mais
vos, o pessoal da segurança pode ver através de suas roupas. Por
cargas negativas que positivas e se tornam ÍONS NEGATIVOS. A
exemplo, eles são capazes de ver se um passageiro está transpor-
quantidade de energia necessária para se criar um íon varia tando algum tipo de arma curta colocada nas calças ou uma faca
de elemento para elemento. No exemplo do átomo de alumí- de plástico no bolso do paletó ou, ainda, um pequeno saco de
nio desequilibrado ao retirar um elétron de valência o átomo cocaína colocado debaixo da ombreira do paletó.
torna-se um íon positivo.
A energia requerida para criar um elétron livre está relacio-
adicional necessária para se produzir um elétron livre. O áto-
nada com a quantidade de elétrons de valência contidos em
mo de prata ilustrado na Figura 1-4 possui um único elétron
um átomo. Em geral, quanto menor a quantidade de elétrons
de valência e requer relativamente menos energia para se
na camada de valência, menor é a quantidade de energia
produzir um elétron livre que o carbono, com quatro elétrons
de valência. Este requer muito mais energia para libertar um
único elétron de valência. Elementos com cinco ou seis elé-

⫺ ⫺ trons de valência não liberam tão prontamente seus elétrons
⫺ de valência para se tornarem elétrons livres.
⫺ ⫺ ⫺ ⫺
⫺ ⫺ ⫺ Vimos que íons negativos são criados quando um átomo
⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺
⫺ ⫺ recebe elétrons adicionais. Por exemplo, no composto clo-
reto de sódio (também conhecido como sal de cozinha),
⫺ ⫺ ⫺ ⫺
⫹ os átomos de sódio compartilham o seu único elétron de
⫺ ⫺ valência com os átomos de cloro para formarem os cristais
47
⫺ ⫺ ⫺ ⫺
de sal. Quando o cloreto de sódio é dissolvido em água, os
⫺ ⫺ átomos de cloro e sódio são separados dos cristais de sal e
⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺ o átomo de cloro leva com ele o elétron de valência origi-
⫺ ⫺ ⫺
nalmente pertencente ao átomo de sódio. Desse modo, o
⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺
Corrente contínua e magnetismo

⫺ átomo de cloro torna-se um íon negativo. Ao mesmo tem-


⫺ ⫺
⫺ po, o átomo de sódio, que cedeu um elétron torna-se um
Este único elétron de íon positivo (Figura 1-5). O conceito de formação de íons é
valência foi removido muito importante para se compreender circuitos elétricos,
do átomo principalmente aqueles envolvendo baterias e dispositivos
Figura 1-4 Átomo de prata simplificado. preenchidos com gás.

10

Fowler_01.indd 10 01/08/12 10:25


Um elétron de valência
deixa o átomo de sódio

e é recebido pelo átomo
⫺ de cloro
⫺ ⫺ ⫺
⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺

⫹ ⫹
⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺
11 17

⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺ ⫺
⫺ ⫺
⫺ ⫺

Íon de sódio (⫹) Íon de cloro (⫺)
11 prótons e 17 prótons e
10 elétrons 18 elétrons
Figura 1-5 Criação de íons positivos (sódio) e íons negativos (cloro).

Teste seus conhecimentos


Responda às seguintes questões. 19. Falso ou verdadeiro? Um elétron livre está em um nível de
energia mais alto que um elétron de valência.
16. Qual é a polaridade associada à carga do elétron? E do próton?
20. Falso ou verdadeiro? Um átomo com sete elétrons de valência
17. Um átomo no estado natural está eletricamente carregado? precisa de menos energia que um átomo com dois elétrons de
Explique. valência para liberar elétrons livres.
18. Que nome é dado a um átomo que perdeu um elétron de va- 21. Falso ou verdadeiro? Íons podem possuir carga positiva ou car-
lência? ga negativa.

Todos os fenômenos citados no parágrafo anterior têm uma


Carga estática e eletricidade coisa em comum. Todos eles envolvem a transferência elé-
estática trons de um objeto para outro ou de um material para outro.
Eletricidade estática é um fenômeno comum que todos já Uma CARGA ESTÁTICA POSITIVA é criada quando elétrons saem
observamos. Os relâmpagos (raios) provavelmente são o de um objeto deixando-o com falta ou deficiência de elé-
exemplo mais clássico da eletricidade estática. A eletricidade trons. Uma CARGA ESTÁTICA NEGATIVA resulta em um objeto
estática é a responsável pelo choque que tomamos quando que recebe elétrons, ficando com excesso deles. Cargas es-
tocamos na maçaneta metálica da porta após caminharmos táticas podem ser criadas esfregando-se um pedaço de pano Conceitos básicos
através de um tapete grosso. Ela também é responsável por de seda contra um bastão de vidro. Alguns dos elétrons de
manter os cabelos da cabeça eriçados, embolados e grudados valência do bastão de vidro tornam-se elétrons livres e são
todas as manhãs, o que os torna difíceis de serem penteados. transferidos para o pano de seda. O pedaço de seda fica com
Também são responsáveis pelo modo como algumas roupas carga total negativa e, consequentemente, o bastão de vidro
sintéticas acumulam pelos e outros objetos indesejáveis. com carga total positiva. As cargas do bastão e do pedaço de
capítulo 1

11

Fowler_01.indd 11 01/08/12 10:25


seda tendem a permanecer estacionárias, por isso o nome
História da eletrônica
eletricidade estática.
Niels Bohr
Um objeto carregado estaticamente pode atrair outros ob- Em 1913, o físico Niels Bohr
jetos que não estejam carregados. Isso acontece porque o teorizou que os átomos de todas
objeto carregado, quando colocado próximo a um objeto as substâncias continham partí-
inicialmente descarregado, mas sem tocá-lo, é capaz de culas carregadas negativamente,
induzir carga na superfície do objeto inicialmente descar- chamadas elétrons, orbitando
regado (Figura 1-6). A CARGA INDUZIDA é denominada assim partículas carregadas positiva-
porque sua polaridade é sempre contrária à carga do objeto mente, chamadas núcleos. Bohr
carregado, e isso resulta na atração entre os dois objetos. Se atribuiu à força de atração elé-
dois objetos – por exemplo, a bola e o bastão de vidro da trica, causada pelas polaridades
opostas entre elétrons e núcleos,
Figura 1-6 – são permitidos tocar-se, parte da carga positiva
a razão pela qual os elétrons
do bastão é transferida para a bola. Então, ambos os objetos
eram mantidos ligados em órbita elíptica em volta do núcleo,
ficam com carga positiva e uma força repulsiva resulta entre sem a qual os elétrons estariam livres no espaço. (Enciclopédia da
a bola e o bastão. Neste caso, a bola e o bastão movem-se Eletrônica, Gibilisco e Sclater, McGraw-Hill, 1990)
em direções opostas, afastando-se um do outro, visto que
as cargas iguais acumuladas nos dois objetos repelem-se
mutuamente.
Vamos esclarecer o modo como as cargas são transferidas
da bola ao bastão na Figura 1-6. Quando a bola toca o bas-
Descarga eletrostática*
tão, prótons não viajam do bastão para a bola. Lembre-se DESCARGA ELETROSTÁTICA ocorre quando o campo de força elé-
de que os elétrons são as partículas carregadas do átomo trica (Figura 1-3) entre cargas positivas e negativas de dois
que possuem grau de liberdade para se moverem. Assim, objetos torna-se intenso demais para ser contido pelo ar.
quando a bola toca o bastão elétrons viajam da bola ao Nestes casos, elétrons saltam do objeto carregado negativa-
bastão. Isto deixa na bola um excesso de cargas positivas mente e viajam através do ar em direção ao objeto carregado
(prótons). Finalizado o processo de movimentação de car- positivamente. A faísca observada no processo é o resultado
gas (elétrons), a bola ainda mantém a mesma quantidade da movimentação dos elétrons através do ar que separa os
de cargas positivas no núcleo (os prótons). Em síntese, visto dois objetos inicialmente ionizados. Quando o ar é ionizado,
que a bola fica com uma resultante de cargas positivas, ou elétrons são bombeados para níveis de energia mais eleva-
seja, mais prótons do que elétrons, os dois objetos exibem dos. O quando o ar é deionizado os elétrons retornam ao es-
momentaneamente polaridades elétricas iguais e isto causa tado de energia mais baixo. A diferença entre os dois níveis
a repulsão entre eles. de energia é desprendida como energia luminosa quando os
elétrons retornam ao nível de energia mais baixo. Os relâm-
pagos são o caso típico deste efeito. Um raio é o resultado
Bastão carregado
⫹⫹ da ionização do ar causada pelos campos elétricos existen-
Bola suspensa
⫹ ⫹ ⫹⫹ ⫹ tes entre nuvem e solo, o que força elétrons a viajar entre as
por fio isolante ⫹ ⫹ ⫹
Corrente contínua e magnetismo

⫹⫹ ⫹⫹ ⫹⫹
⫹ ⫹ ⫹⫹ ⫹ ⫹ ⫹ ⫹

⫹ ⫹⫹ ⫹ ⫹ ⫹ ⫹
⫹ ⫹⫹⫹
⫹⫹ ⫺ ⫹⫹
* N. de T.: No segmento das indústrias eletroeletrônicas, todos os empre-
⫹ ⫹⫹ ⫺⫺
⫹⫺⫺ gados envolvidos na produção são obrigados a utilizar dispositivos de
⫹ ⫹⫹ ⫺ ⫺
⫺ segurança que minimizem os efeitos da descarga eletrostática nas placas
⫹⫹ ⫺ ⫺ Força de atração puxa a bola em
⫹⫹ ⫺ de circuito eletrônico montadas, fenômeno conhecido no segmento eletro-
direção ao bastão carregado
eletrônico como ESD (ElectroStatic Discharge). Os dispositivos de proteção
Figura 1-6 Induzindo carga estática. Quando a bola toca o mais conhecidos utilizados nas dependências da fábrica onde acontecem
bastão, elétrons são transferidos para o bastão. A bola fica com montagem de placas de circuito são a pulseira antiestática, a calcanheira
excesso de carga positiva. e os sapatos ESD.

12

Fowler_01.indd 12 01/08/12 10:25


Testando uma placa de circuito.

partículas de poeira podem ser removidas do ar por este mé-


todo. Na Figura 1-7, uma coluna de ar sujo de poeira é força-
da passar entre bastões carregados negativamente e placas
carregadas positivamente. Ao passarem pelos bastões, car-
gas negativas são transferidas dos bastões para as partículas
de poeira presentes na coluna de ar. Quando a coluna de ar
passa através das placas positivas, as partículas de poeira car-
regadas negativamente são atraídas e removidas da coluna
de ar. Dispositivos elétricos desta natureza são frequente-
mente chamados PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS.
Sala de controle de uma usina geradora de energia elétrica.
Cargas estáticas são usadas também nas operações de pin-
tura eletrostática. A tinta sai em névoa negativamente car-
nuvens densamente carregadas e a porção de terra de carga
regada do bico de uma pistola em direção ao objeto alvo
oposta.*
da pintura, carregado positivamente. Este processo normal-
mente tende cobrir um objeto de tinta de maneira uniforme,
evitando-se que a superfície pintada do objeto fique irregu-
Usos da eletricidade estática
A maioria das aplicações industriais da eletricidade estática
não se baseia nas descargas que ionizam o ar. Pelo contrário,
elas fazem uso da força de atração ou repulsão entre cargas
diferentes. Tais forças são utilizadas para mover partículas

Conceitos básicos
carregadas e colocá-las em posições desejadas. Por exemplo,

* N. de T.: Existem três tipos básicos de descargas atmosféricas. Raios que des-
cem das nuvens para o solo, raios que sobem do solo para as nuvens e raios
que ocorrem entre nuvens. Mais recentemente, foram descobertos dois tipos
de descarga que ocorrem de nuvem para a estratosfera carregada, denomi-
nados Red Sprite (explosão vermelha) e Blue Jet (explosão azul), ambos sem
uma tradução definitiva para o português (até o momento). Só observamos
capítulo 1

os raios porque o movimento dos elétrons aquece o ar acima dos 500°C. De


fato, a temperatura de um raio é maior que a temperatura da superfície do Sol. Placa de circuito moderna.

13

Fowler_01.indd 13 01/08/12 10:25


Partículas Placas carregadas Placas carregadas Papel de
de poeira positivamente positivamente suporte

Entrada Saída
de ar sujo de ar Partículas
carregadas
negativa- Aquecedor-secador
Bastões carregados mente
negativamente Correia transportadora

Figura 1-7 Princípio de funcionamento do precipitador de po- Figura 1-8 Princípios de fabricação de lixas. Cargas estáticas
eira. Partículas de poeira recebem carga negativa dos bastões são posicionadas em partículas abrasivas de modo que a ponta
de maneira que elas podem ser atraídas e removidas do fluxo mais cortante de cada partícula seja exposta.
de ar pelos pratos carregados positivamente.

as partículas abrasivas ficarem uniformemente distribuídas


lar. Uma vez pintada a superfície do objeto, a carga positiva no papel são aplicadas cargas iguais, tanto no papel como
é removida. Assim, a força de atração desaparece. Se ocorrer nas partículas abrasivas. As cargas iguais se repelem mutua-
excesso de tinta aplicada em parte do objeto, então essa par- mente e tentam empurrar as partículas abrasivas para fora
te pode ser polarizada negativamente para repelir o excesso do papel. Contudo, o adesivo (cola) é forte o suficiente para
de tinta e uniformizar a pintura. O excesso de tinta repelido é manter as partículas no papel, então esse processo faz com
atraído pelas partes do objeto que ainda estiverem positiva- que as partículas abrasivas fiquem de pé sobre a cola do pa-
mente carregadas. pel de modo que a ponta mais cortante de cada partícula
Muitas propriedades da eletricidade estática podem ser é exposta como a superfície de corte. O material adesivo é
utilizadas na fabricação de papel abrasivo (lixas). O lado de então aquecido para cura da cola e fixação das partículas no
suporte do papel é coberto com um adesivo (cola) que re- local. A razão de as partículas ficarem de pé na cola com as
cebe carga estática. As partículas abrasivas recebem então pontas na direção do campo é que as cargas eletrostáticas
cargas opostas ao papel com a cola aplicada. Assim, quando ficam mais concentradas nas pontas.* Assim a ponta mais
o papel passar através da bomba de partículas abrasivas, elas afiada de cada partícula abrasiva é o ponto onde houve a
são atraídas para o papel e aderem nele (Figura 1-8). Quando maior concentração de carga eletrostática.

* N. de. T.: Este efeito é conhecido como o poder das pontas.

Teste seus conhecimentos


Responda às seguintes questões. 25. Falso ou verdadeiro? Descargas eletrostáticas causam a trans-
ferência de elétrons de um objeto para outro.
22. O que é carga estática?
26. Falso ou verdadeiro? Um objeto com uma carga estática pode
23. Liste três aplicações industriais das cargas eletrostáticas.
Corrente contínua e magnetismo

atrair somente outros objetos carregados.


24. Falso ou verdadeiro? Após ser carregado positivamente, um
bastão toca em um bola suspensa por um fio isolante, a bola é
então repelida para longe do bastão.

14

Fowler_01.indd 14 01/08/12 10:25


Fórmulas relacionadas

Respostas
1. Trabalho é uma medida da aplicação de uma força para 10. Dado: Etotal⫽ 1960 joules
deslocamento de um objeto; energia é medida da capaci- % ef. ⫽ 70
dade de realização de trabalho. Encontrar: Econv
2. Uma unidade básica é um termo utilizado para especificar
Conhecido:
o valor de alguma grandeza.
3. Joule (J) Rearranjando os termos:
4. Dado: Distância ⫽ 120 metros
Força ⫽ 360 newtons
Encontrar: Trabalho Solução:
Conhecido: Trabalho ⫽ força ⫻ distância
Solução: Trabalho ⫽ 360 newtons ⫻ 120 metros Resposta: a energia mecânica de saída é 1372J
Resposta: Trabalho ⫽ 43.200 joules 11. Próton, elétron e nêutron
5. Calor (devido às ineficiências das lâmpadas e motores), luz 12. V
e energia mecânica. 13. F
6. Energia calorífica 14. V
7. Ela aumenta porque a ineficiência do sistema converte 15. F
parte energia da bateria em calor. 16. Elétron é negativo e próton é positivo
8. Dado: Econv⫽ 1086 joules 17. Não, a carga negativa dos elétrons anula a carga positiva
Etotal ⫽ 1760 joules dos prótons deixando o átomo eletricamente neutro.
Encontrar: Eficiência percentual 18. Íon positivo
19. V
Conhecido:
20. F
21. V
Solução: 22. Uma carga estática é o excesso ou a deficiência (falta) de
elétrons em um objeto.
Resposta: 61,7% 23. Remoção de partículas de poeira do ar, pintura eletrostáti-
9. Dado: Econv⫽ 100 joules ca e manufatura de lixas.
Etotal ⫽ 110 joules 24. V
Encontrar: Eficiência percentual 25. V
26. F

Conceitos básicos
Conhecido:

Solução:

Resposta: 90,9%
capítulo 1

Para resumo do capítulo, questões de revisão e


www problemas para formação de pensamento crítico, acesse
www.grupoa.com.br/tekne

15

Fowler_01.indd 15 01/08/12 10:25


Fowler_01.indd 16 01/08/12 10:25