Você está na página 1de 8

BOAS PRÁTICAS DE

LABORATÓRIO

Danielle Barros Cenachi

Elisa Helena da Rocha Ferreira


Engenheira de Alimentos
Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos / UFRRJ
Doutoranda em Processos Químicos e Bioquímicos / EQ-UFRJ

Normas de Coleta de Amostra Normas de Colheita de Amostra


1. A coleta da amostra constitui a primeira fase da análise do produto.
5. As amostras para exame microbiológico deverão ser
2. Este serviço deve estar bem integrado como laboratório devendo acondicionadas em recipientes limpos, estéreis e íntegros (sem
haver sincronismo entre a remessa e a capacidade do laboratório perfurações, rachaduras, etc) na quantidade mínima de 500g.
em executar as análises. Quando o peso unitário não atingir o mínimo estabelecido, deverão
3. As amostras para exame microbiológico deverão ser enviadas ser colhidas tantas amostras quantas necessárias para se obter
separadamente daquelas destinadas aos exames físico-químicos. aquele quantitativo. Neste caso, cuidados especiais são
necessários para que todas as unidades pertençam ao mesmo lote,
4. Sempre que possível tais amostras deverão ser enviadas em sua partida, data de fabricação etc, a fim de serem mantidas as
embalagem original para evitar modificações em suas características de homogeneidade da amostra. No caso de
características. Quando tal procedimento for inviável, em função do enlatados, remeter no mínimo 2 latas.
volume mínimo disponível, aceita-se o fracionamento desde que o
mesmo seja realizado em condições assépticas, cabendo nesse
caso, ao fracionador da amostra, toda a responsabilidade por
qualquer alteração da mesma.

Normas de Acondicionamento e Normas de Acondicionamento e


Manutenção das Amostras Manutenção das Amostras
1. As amostras deverão chegar no laboratório com cintas de
4. Após o recebimento, as amostras deverão ser estocadas
identificação no produto (protegidas para evitar danificações), e
adequadamente até o momento de análise. As refrigeradas
certificado oficial de análise devidamente preenchido com indicação
perecíveis deverão ser analisadas em um período máximo de 12
precisa do(s) tipo(s) de exame(s) a ser realizado(s).
horas; as congeladas deverão ser mantidas a -18ºC, no mínimo,
2. Em casos especiais a amostra poderá ser acompanhada de por período não superior a 7 dias. Amostras não perecíveis deverão
relatório adicional, contendo informações que possam auxiliar o ser estocadas em lugar fresco e protegidos da umidade e
analista na condução do seu trabalho. analisadas em um prazo máximo de 3 dias.
3. Depois de colhidas, as amostras deverão ser acondicionadas
adequadamente para evitar qualquer alteração até sua chegada no
laboratório.
Boas Práticas de Laboratório Disposições Gerais
Estes procedimentos representam as práticas laboratoriais
mínimas aceitáveis na rotina do laboratório De modo geral, um laboratório de Microbiologia consiste de cinco
áreas de trabalho importantes:
 Equipe de Funcionários
 Área de recepção e estocagem de amostra;
 Equipamentos
 Área de preparo de material;
 Programa de Manutenção
 Área para esterilização;
 Manuais de Equipamentos
BPL  Programa de Controle de
 Área analítica;
 Área de lavagem e descarte de material.
Laboratório
 Água
 Meios de cultura
 Reagentes químicos e sorológicos
 Controle de Temperatura

Equipamentos Operações
 Os equipamentos devem ser apropriados para as finalidades a que METODOLOGIAS: todos os métodos deves ser claramente escritos e
se propõe. Devem ser regularmente inspecionados, limpos e mantidos documentados. Manuais de laboratório e procedimentos de operações
PROGRAMA DE MANUTENÇÃO: para cada equipamento mais padrões devem estar disponíveis a todo instante na bancada de
sofisticado, uma ficha contendo seu nome, nº de série, nº do telefone trabalho. As metodologias devem originar-se a partir de:
do fabricante deve estar fixado nele. Outra ficha contendo dados • Métodos de Sociedades Científicas (AOAC, APHA, FDA etc)
como: inspeção, limpeza, tabela de manutenção, reparos não
rotineiros, calibração deve estar ao lado de cada equipamento • Métodos publicados em jornais científicos
contendo o nome da pessoa e a data de quando foi manuseado. • Métodos recebidos de outra companhias
MANUAIS DOS EQUIPAMENTOS: instruções escritas de operação • Métodos desenvolvidos internamente
dos equipamentos (normalmente fornecidas pelos fabricantes) devem
estar facilmente disponíveis. O analista deve compreender toda a
operação que necessite trabalhar.

Operações
Programa de Controle do
PROCEDIMENTOS: os analistas devem utilizar técnicas básicas com
eficiência para promover uma exatidão dos resultados e prevenir Laboratório
contaminação das amostras e do próprio analista. Todos os envolvidos
devem praticar de boa higienização. Roupas próprias para o laboratório Os seguintes testes ou inspeções devem ser realizados a uma
devem ser usadas, como também luvas devem ser utilizadas no manuseio determinada freqüência. Os resultados devem ser anotados em um
de agentes infecciosos ou toxinas e ainda produtos tóxicos. As roupas do livro com a respectiva data de coleta dos dados:
1. ÁGUA
laboratório (jalecos, toucas, etc) não devem ser usadas fora do laboratório ou
após contaminação com material patogênico. Análise Periodicidade
• Uma manual de segurança deve ser desenvolvido ou adotado e estar pH (5,5 a 7,5) mensalmente
disponível para todas as pessoas. Contagem padrão em mensalmente
• Todos os reagentes devem ser rotulados. placas

• Pipetagem com a boca deve ser proibida quando se está trabalhando com Cloro livre mensalmente
material perigoso à saúde (Ex: toxinas e patogênicos) Traços de metais anualmente
• As mãos devem ser lavadas com sabonete anti-séptico após trabalho com (Pb, Cd, Cr, Cu, Ni, Zn)
material contaminado ou ao sair do laboratório.
Programa de Controle do Programa de Controle do
Laboratório Laboratório
2. MEIOS DE CULTURA
 Todos os meios devem ser datados quando recebidos e quando 2. REAGENTES BIOQUÍMICOS E SOROLÓGICOS
primeiramente utilizados. Descartar os meios de cultura não abertos após
expiração do prazo de validade. Meios abertos devem ser descartados após  Datar os reagentes quando recebidos e quando primeiramente
12 meses ou quando se apresentarem hidratados ou com problemas de utilizados. Descartar quando o prazo de validade expirar. Estocá-los de
funcionalidade. Os meios devem ser estocados conforme recomendações do acordo com as recomendações do fabricante.
fabricante e se estas não forem dadas devem ser mantidas a temperaturas
menores que 25ºC.
 O pH deve ser conferido em todos os meios quando
preparados. Documentar os resultados da leitura do pH. Os
meios devem ser dissolvidos antes da esterilização.
Procedimentos adequados devem ser adotados para assegurar
que o meio é o mais adequado para a finalidade a que se
destina. Placas de controle (com culturas positivas e negativas)
devem ser realizadas a cada dia para cada meio utilizado.

Programa de Controle do Programa de Controle do


Laboratório Laboratório
3. CONTROLE DE EQUIPAMENTOS
2. CONTROLE DE TEMPERATURA
AUTOCLAVE: cada autoclave deve ter o manual de instrução de
 Todas estufas, banhos-marias e geladeiras devem ser equipados com
seu uso e todas as autoclavações devem ser documentadas em
termômetros calibrados. As temperaturas devem ser checadas
relação ao tempo e temperatura. Deve ser utilizado um indicador
diariamente e os resultados registrados em livro apropriado.
de eficiência de esterilização para cada autoclavação executada
 Os termômetros utilizados devem ser calibrados anualmente por órgão (indicador biológico deve ser usado semanalmente).
competente.

 Sterikon: consiste em uma ampola que contém nutriente de


crescimento, açúcar, indicador de pH e esporo de um Programa de Controle do
microrganismo não patogênico, Bacillus stearothermophilus. O
esporo é totalmente inativado após 15 minutos quando aquecido a Laboratório
121 ±0,5ºC (1 bar).

BALANÇA: as balanças e áreas ao redor devem ser mantidas


sempre limpas e a exatidão deve ser verificada mensalmente
através de pesos certificados.

60ºC/24 - 48h
Programa de Controle do Programa de Controle do
Laboratório Laboratório
CAPELA DE FLUXO LAMINAR: deve ser verificada 2 vezes por MICROSCÓPIO: recomendações do fabricante devem ser
ano a eficiência do fluxo do ar (limpeza dos filtros e pré-filtros). seguidas e manutenção periódica dos mesmos deve ser efetuada.
Placas abertas contendo Ágar Nutriente devem ser colocadas Deve ser anexado ao lado do microscópio as instruções de sua
sempre que a capela estiver ligada para se verificar a eficiência da utilização.
obtenção de um ambiente asséptico.

Programa de Controle do Programa de Controle do


Laboratório Laboratório
pHMETROS: deve ser calibrado diariamente com soluções
FORNO PASTEUR OU ESTUFAS DE ESTERILIZAÇÃO: devem
tampões de pH 4,00 e pH 7,00 antes da sua utilização. Resultados
ser checados quanto a temperatura com termômetro apropriado e
da calibração devem ser registrados em um livro. Instruções de
utilizados indicadores para monitorar a esterilização dos materiais.
sua utilização devem ser anexadas ao seu lado.
O Bacillus subtilis é considerado organismo indicador
para o controle biológico dos processos de esterilização por calor seco.

Programa de Controle do Programa de Controle do


Laboratório Laboratório
ÁREAS DE TRABALHO: toda a área deve ser descontaminada com MATERIAL CONTAMINADO DE DESCARTE: todo material de
desinfetante todos os dias, antes e após cada uso e após derramamento descarte deve ser descontaminado através de esterilização em
de material viável contaminado. A concentração e atividade do autoclave a 121ºC/30 minutos para maior segurança. Material ou
desinfetante deve ser checada a intervalos específicos. Não são equipamentos contaminados com toxinas devem ser tratados com
permitidos na área de trabalho: comer, beber, fumar, chupar chicletes e substâncias específicas para sua inativação. Ex: toxina botulínica
aplicar cosméticos. Cada laboratório deve conter uma pia para lavagem com NaOH 0,1M; aflatoxina com hipoclorito de sódio, etc)
das mãos.

DESCARTE

121º
121ºC/30min
Programa de Controle do Programa de Controle do
Laboratório Laboratório
REGISTROS:
MATERIAL DE ESTOQUE DE CULTURA: procedimentos para Amostras – as seguintes informações devem ser registradas
manutenção do estoque de culturas deve ser documentado. em todas amostras submetidas a análises: Descrição e condição
Registrar dado como origem da cultura, manuseio e transferência de chegada, origem, quantidade, número do lote, código, data.
(data, nome da pessoa etc).
Resultados/Dados – todos resultados devem ser registrados
num livro apropriado do laboratório. Qualquer informação que
poderá afetar a credibilidade dos resultados deve ser registrada,
todos resultados devem ser colocados na data de entrada.
 Retenção dos resultados – todos dados e registros devem ser
retidos por um mínimo de 6 meses passado o shelf life do produto.
Se o período de shelf life é desconhecido, reter os resultados por
um mínimo de 2 anos.

Normas de Segurança no Normas de Segurança no


Laboratório Laboratório
7. O trabalho com organismos de alto risco deve ser feito em câmara de
1. Não comer, beber ou fumar dentro do laboratório; segurança biológica adequada;
2. Não usar os refrigeradores ou estufas para conservar ou aquecer 8. Proteger a superfície de trabalho com papel ou outro material embebido
alimentos; com solução desinfetante;
3. Usar sempre jaleco de algodão; 9. Não pipetar material tóxico ou infeccioso com a boca. O trabalho de
4. As mesas ou bancadas de trabalho devem ter superfície lisa, de fácil pipetagem deverá ser realizado com o auxílio de ajudantes de pipetas
limpeza e desinfecção; mecânicos ou elétricos;

5. Quando da manipulação de material tóxico ou infectante, usar luvas de 10.As pipetas usadas devem ser colocadas horizontalmente em solução
proteção; desinfetante imediatamente após o uso, antes de esterilização em
autoclave;
6. Usar óculos especiais quando for realizada manipulação de culturas de
Clostridium botulinum ou toxina botulínica. Manter as mãos longe da 11.Descartar todo material contaminado em recipiente apropriado e
boca, nariz, olhos e rosto; esterilizar em autoclave;
12.Esterilizar os jalecos em autoclave antes de lavar. Não lavá-los em casa.

Normas de Segurança no Normas de Segurança no


Laboratório Laboratório
13.No caso de derramamento de algum material infeccioso, cobrir 17.Os tubos com culturas devem ser conservados sempre em suas
imediatamente a área com um desinfetante adequado e deixar de 15 a 30 respectivas estantes;
minutos antes da limpeza, se o material derramado contiver toxina 18.As culturas de fungos, quando esporuladas, apresentam risco de infecção
botulínica cobri-lo com carbonato de cálcio; respiratória ou de reação alérgica, mesmo sem formar aerossóis. Estas
14.Todas as etiquetas devem ser auto-adesivas; culturas devem ser manipuladas rapidamente e sem movimentos bruscos,
em câmaras de aspiração de ar;
15.Evitar a formação de aerossóis quando da centrifugação de materiais
infectantes ou de culturas. Não parar bruscamente a centrifuga, esperar 19.As placas de contagem de bactérias, preparadas em meio inócuo como o
que pare naturalmente uma vez concluído o ciclo. Após a parada, ágar nutritivo, não podem ser consideradas inofensivas. Muitos
esperar 10 minutos para abri-la. Após o uso, limpar a superfície interna patogênicos como Staphylococcus aureus e Salmonella desenvolvem-se
com desinfetante; bem nestes meios. As bactérias presentes em pequeno número no
alimento se reproduzem no meio de cultura podendo provocar infecção
16.Devem ser registrados os acidentes como o derramamento de culturas, por inalação;
ferimentos, etc. Os ferimentos devem ser desinfetados e cobertos com
esparadrapo. 20.Não cheirar os meios de cultura inoculados;
Normas de Segurança no Normas de Segurança no
Laboratório Laboratório
21.A expulsão rápida e violenta do conteúdo da pipeta pode produzir
aerossóis. Geralmente, no trabalho microbiológico é preferível 26.Todos os que trabalham no laboratório devem saber onde estão e
movimentação suave e tranqüila; como usar as garrafas lava-olhos, chuveiros e o extintor de incêndio.
Deve-se elaborar e colocar à disposição de todos, uma lista de perigos
22.As lâminas e lamínulas usadas devem ser colocadas em recipiente com
específicos dos produtos químicos e de microrganismos manipulados
desinfetante;
no laboratório, para que, em caso de acidentes, seja possível informar
23.Ter especial cuidado quando do uso de injetores (aparelhos e injeção) em corretamente ao médico;
relação à produção de aerossóis, quando também se efetuarem as
27.Não permitir a entrada e permanência de pessoas estranhas no
inoculações;
laboratório.
24.Lavar as mãos com frequência, usando solução desinfetante, com água
corrente e sabão, especialmente antes e após o trabalho laboratorial e
manipulação de animais de laboratório;
25.Limpar a mesa de trabalho, antes e depois de cada sessão de trabalho,
usando desinfetante;

Equipamentos e Acessórios de Equipamentos e Acessórios de


Proteção Individual Proteção Individual
1. LUVAS 2. ÓCULOS DE PROTEÇÃO
São utilizadas para evitar acidentes envolvendo
operações manuais. Protegem contra riscos
A proteção dos olhos é imprescindível em operações
biológicos, queimaduras químicas, calor ou frio
que envolva emanações de vapores ou névoas,
excessivo, cortes, etc.
espirros de produtos químicos, refluxos, riscos de
quebra de vidraria e exposição às radiações.

Equipamentos e Acessórios de Equipamentos e Acessórios de


Proteção Individual Proteção Individual
3. JALECOS E AVENTAIS 4. MANTAS CONTRA FOGO
São usados para proteger as roupas
contra borrifos químicos ou biológicos e
também para fornecer proteção adicional São utilizadas em caso de incêndio onde tenha ocorrido o
ao corpo. A melhor opção é o avental puro derramamento de líquidos inflamáveis nas roupas dos
de algodão que não é reativo a muitos operadores. Devem estar localizadas em local de fácil
produtos químicos e é resistente à chama. acesso e mensalmente deve-se verificar as condições das
Tecidos de algodão e poliéster são mantas.
inflamáveis e irão derreter sobre a pele,
quando em contato com uma fonte de
calor ou algum corrosivo.
Equipamentos e Acessórios de Equipamentos e Acessórios de
Proteção Individual Proteção Individual
5. MÁSCARAS DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA 6. PIPETADORES MECÂNICOS E AUTOMÁTICOS

São necessários para se evitar riscos de


São usadas em operações que envolvam a geração de infecção e contaminação. Bactérias
vapores tóxicos. Devem ser adquiridas considerando-se os podem ser transferidas para a boca do
tipos de vapores tóxicos gerados. operador se dedos contaminados forem
colocados no bocal da pipeta. Aerossóis
podem ser inalados quando se pipeta pela
boca. Para se evitar essas exposições, é
essencial o uso de peras de borracha e de
pipetadores automáticos.

Armazenamento de Produtos Armazenamento de Produtos


Químicos e Meios de Cultura Químicos e Meios de Cultura
LOCAL DE ARMAZENAGEM E CRITÉRIOS GERAIS LOCAL DE ARMAZENAGEM E CRITÉRIOS GERAIS

Os seguintes critérios devem ser adotados na armazenagem:


Na armazenagem de produtos químicos deve-se levar em - Todos os produtos devem ser identificados.
conta que os produtos podem ser voláteis, tóxicos,
- Verificar periodicamente o prazo de validade dos produtos,
corrosivos, inflamáveis e peroxidáveis. Em função disso,
fazendo o seu descarte com o prazo vencido.
o local deve ser amplo, bem ventilado, com prateleiras
largas e seguras, preferencialmente com exaustão, com - Não armazenar vidrarias junto com reagentes.
duas saídas e instalação elétrica à prova de explosões.
- Produtos corrosivos, como ácidos e bases, inflamáveis e
explosivos, devem ficar em armários e prateleiras próximos
ao chão, preferencialmente com exaustão.

Armazenamento de Produtos Armazenamento de Produtos


Químicos e Meios de Cultura Químicos e Meios de Cultura
LOCAL DE ARMAZENAGEM E CRITÉRIOS GERAIS
PRODUTOS PEROXIDÁVEIS
- Produtos inflamáveis e explosivos devem ficar distantes
alguns metros dos produtos oxidantes.
São produtos que armazenados podem gerar peróxidos,
- Líquidos voláteis que requerem armazenagem a baixas com presença de oxigênio. A presença de peróxidos
temperaturas devem ser armazenados em refrigeradores à pode ser notada pelo surgimento de sólidos nos líquidos.
prova de explosão. São exemplos de peroxidáveis: éteres etílicos e
- Acesso restrito à pessoa credenciada. isopropílicos, tetrahidrofurano, dioxano, ciclohexano e
estireno.
- Manter, no local de armazenagem, extintor de incêndio à
base de agentes químicos.
Armazenamento de Produtos
Químicos e Meios de Cultura
PRODUTOS PEROXIDÁVEIS

As seguintes precauções devem ser tomadas com esses


produtos:
- Anotar a data do recebimento
- Manter em local escuro e fresco
- No descarte considerar a possibilidade de explosões
- Se possível utilizar todo o conteúdo ao abrir o frasco ou
anotar a data de abertura e estocar convenientemente
- Não descartar junto com outros produtos químicos