Você está na página 1de 12

INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO

LICENCIATURA EM CONTABILIDADE E AUDITORIA

Sistemas de Amortização

AMELINA SANTOS MAFUIANE

Maxixe, 05 de Agosto de 2019

INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO

LICENCIATURA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

Sistemas de Amortização

Trabalho de campo de Matemática Financeira a ser entregue ao docente para efeitos de avaliação

ESTUDANTE

Amelina Santos Mafuiane

Maxixe, 5 de Agosto de 2019

DOCENTE

João Ribaué

Indice

1.

Introdução

4

2.

SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE - SAC

6

2.1. Características

6

2.2. Principais Fórmulas

7

3.

O Sistema Price

7

3.1. Características

7

3.2. Principais fórmulas

8

4.

Fundamentação pratica

9

1.

Introdução

Os sistemas de amortização são desenvolvidos basicamente para operações de empréstimos,

envolvendo pagamentos periódicos de parcelas, as quais denominamos genericamente de

prestações. As diferenças mais importantes entre os vários métodos dizem respeito à

explicitação do sistema para reembolso do principal, cálculo e pagamento dos encargos

financeiros.

A característica fundamental dos sistemas de amortização a serem abordados é a utilização

exclusiva do regime de juros compostos, salvo o Método Hamburguês. Serão abordados os

seguintes tipos de Sistemas de Amortização:

Sistema de Amortização Americano SAA com suas duas variantes; Padrão e

Bullet. Sistema de Amortização Constante SAC.

Sistema de Amortização Francês SAF também referido como Sistema PRICE.

SACRE.

Neste trabalho serão evidenciadas as características mais importantes dos sistemas de

amortização mais usuais, abolindo-se o excesso de fórmulas e equações matemáticas e dando-

se preferência à utilização de planilhas auto-explicativas. Os exemplos adotados abordarão

sempre o caso mais simples, envolvendo taxas pré-fixadas, sem despesas acessórias tais como

IOF, taxas administrativas, taxas de aval, comissões, etc.

1.2- Objectivos

1.2.1. Objectivo Geral

Mostrar o funcionamento de cada sistema de amortização,

1.2.2. Objectivos específicos

Conceituar cada sistema de amortização de capital

Esclarecer as vantagens e desvantagens de se optar por determinado método de cálculo

de juros e amortizações.

Apresentar as características de cada sistema

Solucionar os problemas propostos

Demonstrar formas de preenchimento ou construção das tabelas de SAC, Price

1.2.

Metodologia

A Pesquisa exploratória é um método de pesquisa de diversas técnicas de pesquisa, com as quais estabelece uma estrutura de investigação activa ao nível da captação da informação, sendo aplicado todos meios de colecta onde a busca de informação relevante ao tema usou se varias técnicas de colecta desde as pesquisas na internet até as consultas bibliográficas de manuais, livros e materiais em digital.

2. SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE - SAC

O conceito de amortização é o processo de extinção de uma dívida através de pagamentos

periódicos, que são realizados em função de um planejamento, de modo que cada prestação corresponde a soma do reembolso do capital ou dos juros do saldo devedor (juros sempre são calculados sobre o saldo devedor), podendo ainda ser o reembolso de ambos

No sistema de amortização constante (SAC) a parcela de amortização da dívida é calculada tomando por base o total da dívida (saldo devedor), dividido pelo prazo do financiamento, como um percentual fixo da dívida, desta forma, é considerado um sistema linear.

No SAC a prestação inicial é um pouco maior que na Tabela PRICE, pois o valor que é pago

da dívida (amortização) é maior, assim, se liquidará uma parcela mais significativa da dívida

desde o inicio do financiamento e se pagará menos juros ao longo do contrato. À medida que a dívida começa a ser amortizada, a parcela dos juros e conseqüentemente a prestação como

um todo tende a decrescer, uma vez que o próprio saldo devedor se reduz. Com isso, no SAC, o saldo devedor e a sua prestação tendem a decrescer de forma constante desde o início do financiamento e não deixam resíduos, desta forma, o devedor estará menos exposto em caso

de aumento do indexador do contrato (a TR, TJLP ou INCC) durante o financiamento.

Este sistema é bastante utilizado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), no Programa

Minha Casa Minha Vida. Também pelos bancos comerciais em seus financiamentos imobiliários, empréstimos através de entidades governamentais, ou seja, recursos repassados pelo BNDES e BRDE. Caso dos financiamentos de investimentos, Pronaf Agropecuário e outros. Para explicitar melhor, tomaremos um exemplo padrão para todos os sistemas, exceto

no Método Hamburguês.

2.1. Características

Utilização de parcelas decrescentes

O valor das prestações do financiamento é financiamento decrescente;

Os juros são decrescentes;

O valor da amortização é amortização é crescente.

2.2.

Principais Fórmulas

Valor da cota de capital será: = onde n números de prestações a pagar;

A Cota de amortização; C Capital

O capital pendente para amortização C s é calculado como as cotas de capital que restam a pagar; portanto se o período é de n termos e transcorreram s, restam (n-s) cotas a pagar, assim: = ( − ) ×

E o capital amortizado são as contas de capitais já pagas, dai que seja dado pela fórmula

= ×

Os juros a pagar são o capital que se deve pelo tipo de juros, assim sendo fica: = 1 ×

3. O Sistema Price

Também conhecido como sistema francês de amortização é um método amplamente utilizado para o cálculo de financiamentos cuja a principal característica é apresentar prestações (ou parcelas) com valores constantes. Este método foi apresentado em 1771 por Richard Price em sua obra "Observações sobre Pagamentos Remissivos". Inicialmente fora desenvolvido para pensões e aposentadorias porém a partir da 2ª revolução industrial a sua metodologia passou a ser empregada na amortização de empréstimos.

O Sistema Price tem como sua principal característica as prestações constantes. Importante

ressaltar também que em um país com um histórico de altas taxas de inflação, a Tabela Price necessitou ser adaptada e foram adotados indexadores para reajustar as prestações em função do aumento dos preços. "Trocando em miúdos", no Brasil as prestações de financiamentos realizados pela sistema Price perderam a sua principal característica sendo reajustadas de acordo com o indexador celebrado em contrato. A Taxa Referencial (TR) é uma das mais utilizadas.

3.1. Características

O valor das prestações’ do financiamento é constante;

Os juros são decrescentes;

O Valor da amortização3 é crescente.

3.2. Principais fórmulas

o valor da prestação, como sendo: − ×

O Sistema Sacre

(1+) ×

(1+) 1

O Sacre ou Sistema de Amortização Crescente é uma mistura do Sistema Price com o Sistema SAC. Nele as prestações sobem até um determinado ponto aonde a partir dali iniciam a sua queda. Neste tipo de sistema também existe o reajuste pela TR substituindo a correção monetária na maior parte dos contratos. Assim como no Sistema SAC, as prestações decrescentes reduzem o risco de inadimplência se comparado ao Sistema Price.

Características da Tabela Sacre

0 valor das prestações’ do financiamento sobem até um determinado período de tempo quando depois voltam a cair;

. Os juros são descrescentes durante todo o período;

. Valor da amortização é crescente.

4. Fundamentação pratica

Para o primeiro caso, suponhamos que a empresa JTC, Lda faz um empréstimo de 200.000,00 (Duzentos mil, meticais) que o Banco entrega no acto de contrato. Os juros são pagos

mensalmente a taxa de 1% a.m

A divida será paga em 4 prestações mensais de acordo com o

Sistema SAC. Determine o valor da prestação e a respectiva tabela.

Primeiro vamos calcular Valor da quota de capital será: =

=

=

Segundo vamos calcular os juros a pagar : = 1 ×

= 200000 × 0,01 = 2000

Agora vamos calcular a prestação = +

=

+

N de prest.

Quota (Q)

Saldo devedor ( C - A)

Juros (J)

 

Prestação (Q + J)

1

a

=

200 000

4

= (200 000 − 50 000)

= 150 000

J = 200 000 x 0,01

=

2 000

50

000 + 2000

=

52 000

 

= 50 000

 

2

a

50

000

150 000 50 000 = 100 000

150

000 x 0,01

50

000 +1500

   

=

1 500

=

51 500

3

a

50

000

100 000 50 000 = 50 000

100

000 x 0,01

50

000 + 1000

   

=

1000

=

51 000

4

a

50

000

50 000 50 000 = 0

50 000 x 0,01

50 000 + 500

     

= 500

 

=

50 500

= ×

(1 + ) ×

(1 + ) − 1

Nessa expressão matemática temos que:

PV = presente valor

P

= prestação

n

= número de parcelas

i

= taxa de juros na forma unitária, isto é, i / 100 (2/100 = 0,02)

= 200 000 ×

1,12

54, 69

224 000

=

54, 69

= 4 095,81

= 200 000 × (1,02) (1,02) 4 × 4 0, 1 02

A aplicação desse cálculo define exatamente o valor a ser pago mensalmente, mas

dessa forma não podemos acompanhar as amortizações e o pagamento dos juros dentro

de cada período. Para isso, devemos consultar a tabela de financiamentos junto à

instituição credora. Observe a tabela detalhada de toda a movimentação desse

financiamento:

Mês

Prestação

 

Juros

Amortização

Saldo devedor

       

200 000

 

1 095,81

4

 

4 000

95,81

199

904, 19

 

2 095,81

4

3

998,08

97,73

199

806,46

 

3 095,81

4

3

996,13

99,68

199

706,78

 

4 095,81

4

3

994,13

101,69

199

605,09

Dados

M = ?

C = 20 000

i

= 3% = 0,03 a.m

t

= 8 x 3 = 24 meses

Resolução

M

= × (1

+

i)

=

20 000 × (1 + 0,03) 24

M

= 40655,88

 

O montante será de R$ 40655,88

Conclusão

Conclui-se então depois de varias investigações bibliográficas e fundamentação pratica de exercícios propostos que este estudo contribuiu para uma melhor compreensão sobre estes sistemas, proporcionando grande entendimento, o qual será muito importante na atual sociedade capitalista em que vivemos. Contribuirá para as pessoas da sociedade em geral que necessitam de empréstimos, mas que não tem o conhecimento necessário para saber qual dos Sistemas de Amortização é o mais conveniente para determinada necessidade e condições de quitação da dívida.

Sabendo que as instituições bancárias adotam geralmente o Sistema PRICE na maioria dos financiamentos, podemos dizer que o Sistema SAC é o que acarreta menos pagamento de juros por conta de as primeiras prestações serem mais altas diminuindo assim mais rapidamente o saldo de devedor.

Mas também temos o Sistema Americano, que nada mais é que um financiamento com período de carência de todo prazo do empréstimo, onde se pode aplicar o dinheiro e deixar render juros até o final do empréstimo, podendo assim quitar grande parte da dívida só com esta aplicação. O fato é que poucas instituições adotam este tipo de financiamento.

Bibliografia

1. BOYER, C. História da matemática. São Paulo, Edgard Blücher, 2002.

2. CAVALHEIRO, Luiz A.F. Elementos de Matemática Financeira. Rio de Janeiro, Editora FGV, 11a ed., 1989.

3. FURTADO, DAIANI.Sistema de Amortização.2006

e

4. MEIRELLES,MARCOS.Sistemas

de

Amortização

de

Empréstimos

Finaciamentos.2009

5. NOGUEIRA, José Jorge Meschiatti. Tabela Price: da Prova Documental e Precisa Elucidação do seu Anatocismo, Servanda Ed., 2002.

de

6. SAMANEZ,Carlos

Patricio.Matemática

Financeira:

Aplicações

à

análise

investimentos. São Paulo, Pearson Education do Brasil, ed 3, 2002.