Você está na página 1de 76

Proficy Machine Edition

PROFICY
MACHINE EDITION
Confi gur ação - Prog ramação
Manutenção

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 1


Proficy Machine Edition

ÍNDICE
CAPÍTULO 1 – INICIANDO UM PROJETO..........................................................................4
1.1 Definindo o Ambiente de Trabalho.........................................................................4
1.2 Criando um Novo Projeto Vazio .............................................................................5
1.3 Configuração de Hardware do PLC........................................................................7
1.3.1 Para alterar um rack........................................................................................8
1.3.2 Para alterar uma fonte de alimentação ...........................................................8
1.3.3 Para alterar uma CPU .....................................................................................9
1.3.4 Para Configurar a CPU .................................................................................10
1.3.5 Para adicionar um módulo ............................................................................11
1.4 Criando um Novo Projeto com Tamplate .............................................................11
CAPÍTULO 2 - INTERAGINDO COM O PLC......................................................................13
2.1 Conexão de Comunicação Serial.........................................................................14
2.2 Conexão de Comunicação Ethernet.....................................................................15
2.3 Conexão Ethernet com IP temporário – (somente para PACSystems e ENIU
VersaMax).......................................................................................................................16
2.4 Configuração de IP Permanente para PACSystems............................................17
2.5 Comandos Offline – Online: modo Monitor e modo Programador........................17

CAPÍTULO 3 - DESENVOLVENDO LÓGICAS DE PROGRAMA.......................................19


3.1 Para abrir um bloco para edição ..........................................................................19
3.2 Para inserir e editar um comentário de linha (rung) .............................................19
3.3 Para inserir uma instrução LD (método Toolbar):.................................................20
3.4 Para inserir uma instrução LD (método Toolchest): .............................................20
3.5 Para inserir instruções de bobina:........................................................................21
3.6 Endereçando variáveis às instruções LD .............................................................22
3.7 Completando Endereçamento e Informação de Comprimento - LD.....................22
3.8 Para visualizar o endereçamento de referência no editor LD:..............................23
3.9 Para inserir instruções LD (método Quick Edit): ..................................................24
3.10 Para duplicar uma seleção de lógica LD..............................................................24
CAPÍTULO 4 - TRABALHANDO COM VARIÁVEIS ...........................................................26
4.1 Para visualizar a lista de variáveis no modo planilha (spread sheet) ...................27
4.2 Para customizar a visualização da planilha..........................................................27
4.3 Para mapear variáveis de memória do PLC na planilha (spread sheet) ..............28
4.4 Para assinalar um valor no Inspector ...................................................................29
4.5 Para inserir um valor inicial no Data Watch..........................................................30
4.6 Para inserir um valor na planilha de visualização (spreed sheet) ........................30
CAPÍTULO 5 - INTERAGINDO COM O PLC – Download/Load.........................................32
5.1 Para validar, construir e descarregar um projeto. ................................................32
5.2 Para iniciar o PLC ................................................................................................33

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 2


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 6 - INTERAGINDO COM O PLC - ONLINE .....................................................34


6.1 Para estar online com um PLC ............................................................................34
6.2 Para configurar a taxa de atualização..................................................................35
6.3 Para monitorar o valor de uma variável selecionada............................................35
6.4 Para criar uma lista Data Watch:..........................................................................36
6.5 Para criar e configurar uma tabela de referência (Reference View Table):..........37
6.6 Para visualizar a tabela de faltas (Fault table): ....................................................38
6.7 Para editar lógica LD em online mode: ................................................................39
6.8 Para usar a utilidade Data Monitor:......................................................................39
6.9 Para mostrar o status do PLC ..............................................................................40
6.10 Para ajustar o horário e a data no PLC................................................................42
CAPÍTULO 7 – INSTRUÇÕES DE PROGRAMAÇÃO LADDER ........................................43
7.1 CONTATOS - CONTACTS ..................................................................................43
7.2 Bobinas - COILS ..................................................................................................44
7.3 Blocos Temporizados - TIMERS ..........................................................................45
7.3.1 - Bloco TMR – On-Delay Timer ..........................................................................45
7.3.2 - Bloco OFDT – Off-Delay Timer ........................................................................47
7.3.3 - Bloco ONDTR – Retentive On-Delay Timer .....................................................49
7.4 BLOCOS CONTADORES - COUNTERS.............................................................51
7.4.1 – Bloco UPCTR – Up Counter -.........................................................................51
7.4.2 – Bloco DNCTR – Down Counter -....................................................................52
7.5 BLOCOS MATEMÁTICOS BÁSICOS - MATHS...................................................54
7.5.1 – Blocos ADD – SUB – MUL – DIV - MOD.........................................................55
7.6 BLOCOS COMPARADORES - RELATIONAL .....................................................57
7.6.1 – Blocos EQ – NE – GT – GE – LT – LE............................................................57
7.6.2 – Bloco RANGE - Range ....................................................................................59
CAPÍTULO 8 – PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA – SUBROTINA .................................61
8.1 Aplicação de blocos de subrotinas.......................................................................61
8.2 Definição de subrotinas........................................................................................62
8.3 Instrução CALL ....................................................................................................62
CAPÍTULO 9 – IMPORTANDO PROJETOS DO LM90 E VERSAPRO..............................63
APÊNDICE A – EXERCÍCIOS............................................................................................67
A.1 Intertravamento de Esteiras Automáticas.............................................................67
A.2 Controlador em Automático/Manual .....................................................................69
A.3 Controle de Reversão ..........................................................................................71
A.4 Controle de Armazenamento de Peças................................................................73
A.5 Controle de Temperatura .....................................................................................75

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 3


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 1 – INICIA NDO UM PROJETO


1.1 Defin ind o o Amb iente de Trabalho
O Proficy Machine Edition - PME é uma poderosa ferramenta de configuração e
programação de equipamentos GE Fanuc de controle e visualização de processos
industriais. Ele é a plataforma padrão para toda linha de controladores (PLCs) da Série 90,
Versamax
Fanuc paraeMotion
PACSystems,
Control. dos painéis de operação Control e View Station e da linha GE
Durante a instalação é necessário definir quais os pacotes serão instalados, de
acordo com o hardware que se pretende trabalhar.Caso tenha sido instalado os pacotes
para Motion Control e IHMs, além do pacote de programação e configuração para PLCs
será necessário definir o ambiente de trabalho como Logic Developer PLC, conforme
figura abaixo.

As aplicações que desenvolveremos nesse curso são para controladores PLCs,


assim a opção escolhida deverá ser: Log oc Developer PLC.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 4


Proficy Machine Edition

1.2 Criando um Novo Projeto Vazio


O passo seguinte será criar um novo projeto – New Projec – onde será definido o
hardware utilizado e desenvolvida a lógica de controle da aplicação.
No menu File selecione New Pro ject . A janela abaixo será aberta. Um novo projeto
pode ser iniciado de duas formas:
• Empty project: cria um projeto vazio onde todo o hardware e lógica de controle
deverão ser configurados e elaborados passo a passo.

• Machine Edition template: permite utilizar um modelo padrão – template –


como base para iniciar um projeto. Nesse caso é possível selecionar a família
de PLC que se pretende trabalhar ou um exemplo de aplicação que pode ser
adaptado às suas necessidades.

Selecione essa
opção para criar
projeto vazio.

Selecione essa
opção para criar
Selecione essa projetos a partir de
opção para abrir exemplos.
projetos existentes.

Selecione essa
opção para obter a Selecione essa
lista de projetos opção para obter a
recentes. lista de todos os
projetos existentes.

A seguir, selecione a opção Empty project. Isso permitirá verificarmos todos os


passos de construção de um projeto.
A próxima janela possui um campo para determinação do nome do projeto e um
campo, (habilitado somente quando selecionamos Machine Edition tamplete) onde
definimos a família de hardware que utilizaremos. Essa família pode ser definida como
padrão para todos os novos projetos a através do botão Set as d efault .

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 5


Proficy Machine Edition

A janela seguinte é a janela principal de trabalho do CME. Nela verificamos


diversas janelas abertas simultaneamente na área de trabalho. Essas janelas serão
abordadas ao longo do curso e das atividades propostas.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 6


Proficy Machine Edition

Localizada na lateral esquerda está a janela do Navigator . Ela possui diversas


abas inferiores que serão estudadas a seu tempo. Na aba Manager podemos verificar e
acessar todos os projetos criados e os exemplos pré-definidos. No momento, é importante
verificarmos a aba Project , onde iniciaremos a estruturação de nossa aplicação. A janela
Navigator pode ser aberta ou fechada através do botão localizado na barra de botões

1.3 Confi gur ação de Hardw are do PLC


Após nomear o projeto, o passo seguinte é conjfigurar todos os componentes de
hardware. É necessário definir um hardware alvo – Target . O target representa a família
de hardware que será utilizada e é determinado clicando-se o botão direito do mouse
sobre o nome do projeto. Escolha Add Target e em seguida o PLC desejado.
Automaticamente uma estrutura em árvore é criada, possuindo todos os elementos
padrões para a aplicação.

Nome do projeto
Nome do CLP

Tabela de visualisação de variáveis

Configuração de hardware

Link de programação (LD – IL – C)

Tabelas de visualização
de referências do PLC

Documentação adicional

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 7


Proficy Machine Edition

Agora, você precisará definir a configuração e adicionar à ela todo o hardware


necessário em seu target especificado. Os passos a seguir, mostram como configurar o
rack principal, a fonte de alimentação e a CPU para um PLC Serie 90-30. Se o hardware
coincidir com os parâmetros padrões, você não é preciso fazer nada. Porém, se o
hardware for diferente do padrão, deve-se considerar os seguintes procedimentos para
parametrizar seu projeto.
1.3.1 Para alterar um rack

1. Na tabela Project do Navigator, expanda a Configuração de Hardware, clicando


sobre o sinal + à sua esquerda. A árvore se expandirá para mostrar os parâmetros
padrões dos racks. Cada rack possui seu número de modelo mostrado a sua
direita.

2. Clique o botão direito sobre o Rack Principal (Main Rack) e escolha Replace Rack.
A caixa de diálogo Module Catalogue aparecerá, listando todos os racks disponíveis
para a substituição.
3. Na caixa de diálogo Module Catalogue selecione o rack que desejar e clique em
OK. A árvore da Configuração de Hardware (Hardware Configuraton) é utilizada
para mostrar a alteração. Qualquer fonte de alimentação ou CPU que existia
srcinalmente será mantida.

1.3.2 Para alterar uma fon te de aliment ação

1. Na tabela Project do Navigator expanda o rack principal ( main rack) clicando sobre
o + à sua esquerda. A árvore se expandirá para mostrar os módulos configurados
no Rack Principal (Main Rack).

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 8


Proficy Machine Edition

2. Clique o botão direito sobre a fonte de alimentação ( PWR) e escolha Replace


Module. A caixa de diálogo Module Catalogue aparecerá listando as fontes de
alimentação disponíveis.
3. Na caixa de diálogo Module Catalogue, selecione a fonte de alimentação que
desejar e clique em OK. A árvore de Configuração de Hardware (Hardware
Configuration) será utilizada para mostrar a alteração.
1.3.3 Para alterar uma CPU

1. Na tabela Project do Navigator, expanda o Rack Principal (Main Rack) clicando


sobre o + a sua esquerda. A árvore se expandirá para mostar todos os módulos
configurados no Rack (figura anterior).
2. Clique o botão direito sobre o Slot 1 e escolha Replace Module. A caixa de diálogo
Module Catologue Mostrará todas as CPUs disponíveis.
3. Na caixa de diálogo Module Catalogue, selecione a CPU desejada e clique em OK.
Neste caso foi selecionada a CPU 352. Será perguntado para confirmar a alteração.
Isso acontece pela grande quantidade de parâmetros da CPU que podem ser
alterados, e a troca de CPU fará que a nova CPU mantenha seus parâmetros
padrões.
4. Clique em OK. A árvore da Configuração de Hardware (Hardware Configuration) é
utilizada para mostrar as alterações.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 9


Proficy Machine Edition

1.3.4 Para Conf igu rar a CPU

1. Na tabela Project do Navigator clique o botão direito sobre o Slot e escolha Open
Parameter Editor. O editor de parâmetros abrirá, mostrando todos os parâmetros
editáveis para a CPU.

Nota: Para este exemplo, os valores default serão aceitos sem necessidade de alteração.

2. Clique o botão direito sobre um parâmetro e escolha Data Entry Tool. Uma pequena
caixa de diálogo aparecerá, listando os valores disponíveis para esse parâmetro (se
aplicável).
3. Selecione ou insira um novo valor para o parâmetro e clique em OK. O parâmetro
será atualizado.
Notas:

• Uma grande variedade de parâmetros está disponível para a CPU. Valores não
editáveis são mostrados em cinza e os editáveis em preto. Normalmente, os valores
default são aceitáveis.
• Para alterar a visualização do the Parameter Editor clique o botão direito sobre um
parâmetro, e então aponte para View e então escolha Multirow tabs, Single Row
Tabs ou Spreadsheet.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 10


Proficy Machine Edition

• Algumas parametrizações devem estar de acordo com as parametrizações já feitas


em outras áreas do Logic developer – PLC (Por exemplo: configuração RS232).

• Veja sua documentação de hardware para maior detalhamento de módulos


específicos.

1.3.5 Para adicio nar um módu lo

1. Na tabela Project do Navigator, expanda um rack para visualizar seus slots e os


módulos endereçados.
2. Clique o botão direito sobre um slot vazio e escolha Add Module. A caixa de diálogo
Module Catalogue aparecerá listando todos os módulos disponíveis. Essa caixa de
diálogo possui múltiplas tabelas para organizar os módulos em diferentes
categorias.

3. Selecione um módulo e clique OK (Para este exemplo, está selecionado o ACC300


Input Simulator). O Editor de Parâmetros aparecerá, mostrando as possibilidades
de configurações para o novo módulo.
4. Configure seu módulo. Como exemplo, as configurações default são aceitáveis.
Nota: Para módulos de I\O, os endereços de referência (reference address)
correspondentes aos terminais de I\O são especificados no editor de parâmetros
(Parameter Editor). Essa informação se torna muito importante durante a criação de
variáveis e desenvolvimento de lógica de programa.

1.4 Criando um Novo Projeto com Tampl ate


A criação de Projeto é simplificada por meio de uso de templates (modelos que
podem ser usados como base para novos projetos). Um template especifica o hardware
alvo (runtime target) – um PLC GE Fanuc – de um projeto com seus conteúdos (por
exemplo: um bloco Ladder vazio chamado MAIN ).
Para criar um novo projeto utilizando um tamplate:
1. Inicie o Cimplicity Machine Edition.
2. Pelo menu File, escolha New Project. A caixa de diálogo New Project aparecerá
mostrando os tipos de projetos que poderão ser criados com seus vários templates.
3. Na caixa Projec Name, insira um nome único para seu projeto.
4. Clique em OK. Um novo projeto com o nome especificado será aberto na tabela
Projec do Navigator. Ele parecerá com o template mostrado
anteriormente.
Treinamentos OnTime Automação e Proteção 11
Proficy Machine Edition

Dicas
• Os templates geralmente especificam um “target” ( o hardware/runtime destino de
seu projeto ) e um bloco lógico padrão e vazio chamado “MAIN”. Targets adicionais
e blocos lógicos podem ser adicionados a um projeto após sua criação.
• A lista de templates de projetos altera-se dependendo de quais produtos Machine
Editon há instalado.

Embora uma configuração padrão de hardware esteja inclusa quando cria-se um


projeto usando um template, é possível redefinir a configuração e adicionar a ela todo o
hardware desejado em seu target especificado, caso seja necessário. Se o hardware
desejado coincidir com os parâmetros padrões, não será necessário alterar a
configuração. Porém, se o hardware for diferente do padrão, deve-se considerar os passos
descritos nos iten 1.3.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 12


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 2 - INTERAGINDO COM O PLC


Em determinado ponto de seu desenvolvimento, é preciso transferir dados para um
PLC alvo (target). Para realizar a transferência, a conexão entre o PLC e sua estação de
desenvolvimento (computador programador) precisa estar configurada. O tipo de conexão
dependerá do tipo de porta de comunicação utilizado em seu PLC. Os seguintes tipos de
conexão podem ser configurados:

• Serial: o PLC alvo conecta-se com sua estação de trabalho por meio de uma
conexão serial dedicada (COM1 a 4). Suporte para Protocolo SNP.

Nota: Quando você configura uma conexão serial com SNP_ID indefinido, qualquer PLC
stand alone anexado ao link serial irá responder. Esse é o método padrão para conexão
com um PLC e pode ser usado para transferir os parâmetros da configuração Ethernet
para o PLC.

• Ethernet: sua estação de trabalho e seu PLC alvo residem numa rede que suporta
o protocolo TCP\IP. Ambos, PLC e a estação precisam ter um IP address
configurado.
Nota: defina o IP do PLC no editor de parâmetros (Parameter Editor) da CPU ou do
módulo de comunicação com porta Ethernet. Inicialmente, você precisará descarregar a
configuração
tiver para o PLC serialmente
sido descarregado usando uma para
conexão Serialpoderá
o PLC, com SNP. Depois
ser feita queconexão
uma o IP adress
via
Ethernet.

Modem: O PLC alvo conecta-se com sua estação de trabalho através de um


modem, que está conectado a uma porta serial dedicada (interna ou externa) em
seu computador. O PLC alvo também precisará ter um modem a ele conectado.
Suporte para protocolo SNP.

• Ethernet - IP temprário (Somente para PLC PACSystems e ENIU VersaMax) :


uma conexão ethernet pode ser estabelecida através de uma configuração de IP
momentaneamente definido. Após conectado, um novo IP definitivo pode ser
configurado e descarregado (download)na CPU.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 13


Proficy Machine Edition

2.1 Conexão de Comuni cação Serial


1. Na aba Project do Navigator, clique sobre Target1 (um PLC GE Fanuc) e escolha
Properties. O Inspector abrirá mostrando todas as propriedades configuráveis do
alvo (target).

2. No Inspector, clique em Physical Port e escolha a porta COM disponível em sue


programador/computador. As propriedades do protocolo (Protocol) serão
automaticamente atualizadas para refletir o protocolo que será usado para a
comunicação. Como exemplo, selecione, COM1 e o protocolo SNP_SERIAL.

Expanda o item Additional Configuration e certifique-se de que os parâmetros padrões


para comunicação SNP estejam conforme os valores abaixo.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 14


Proficy Machine Edition

2.2 Conexão de Comuni cação Ethernet


1. Abra a aba Project na janela Navigator presente na barra de ferramantas.
2. Cique com o botão direito do mouse sobre o ícone do target que deseja conectar e
selecione a opção Properties. É possível também abrir a janela de propriedades
clicando no botão Inspector, na barra
de botões de janelas.

Navigator Inspector

3. No campo Physical Port selecione a opção ETHERNET e entre com o IP do PLC no


campo IP Address.

Notas:
• O IP address do PLC precisa ser inicialmente configurado usando a ferramenta
Hardware Configuration. Isso envolve a Configuração de um link serial e o
descarregamento da configuração de Hardware para o PLC.

• O IP address pode ser configurado na CPU (últimos modelos) ou num módulo de


rede (versões anteriores – IC693CMM321).

• Após o PLC ter seu IP address configurado, ele o reterá por tempo indeterminado.

• Você poderá alterar o IP Address de um PLC simplesmente especificando um novo


endereço no Inspector. Quando você fizer o próximo descarregamento de HWC, ele
se conectará ao PLC pelo endereço atual a então alterará o endereço para o novo
valor especificado.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 15


Proficy Machine Edition

2.3 Conexão Ethernet com IP tempor ário – (somente para


PACSyst ems e ENIU VersaMax)
1. Na abaUtilities na janela Navigator, dê um duplo clique no
ícone
A seguinte janela irá aparecer:

2. No campo MAC address digite o código de endereço MAC presente no


dispositivo/interface de conexão (CPU ou módulo de comunicação).

3. No campo IP address digite um endereço de IP temporário dentro da faixa de


0.0.0.0 à 255.255.255.255.
4. Caso seu computador tenha mais de uma placa de rede ethernet, selecione a placa
desejada para conexão clicando no caixa branca Enable interface selection.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 16


Proficy Machine Edition

5. Clique no botão Set IP. O IP temporário será configurado no PLC.


Nota: caso o PLC seja desenergizado, o IP temporário será perdido. Após conectado é
necessário configurar o IP definitivo para futuras coinexões.

2.4 Confi gur ação de IP Permanente para PACSyst ems


1. Na aba Project da janela Navigator, dê um clique com o botão direito do mouse
sobre o Target em questão e escolha Properties .
A janela de propriedades (Inspector) aparecerá.
2. Na aba Project, expanda o item Hardware Configuration e depois o main rack.
- Para PACSystems RX7i, expanda a CPU e dê um clique-duplo no subitem
Ethernet.
- Para PACSystems RX3i, dê um clique-duplo sobre o módulo Ethernet
IC695ETM001.

3. Na tabela Parameters entre com o endereço no campos IP Address, e nos campos


Subnet Mask e Gateway IP Address, de acordo com as configurações da rede que
pretende acessar.

4. Faça o Download da configuração de Hardware ao PACSystem.

2.5 Comandos O ffli ne – Online: modo M onito r e modo P rogramador


Após estabelecida a conexão física entre o programador/computador com o PLC através
de cabo serial HE693SNPCBL ou do cabo ethrnet padrão, é possível interagir com o PLC
através de três modos de operação: Offline, Online e Monitor.
Offline: não há troca de dados com o PLC sendo possível apenas ir para o modo Online
ou definir um IP temporário (para família PACSystems).

Online: esse modo permite total interação com o PLC sendo possível configurá-lo,
programá-lo e monitorá-lo.
1. Na janela Project clique com o botão direito do mouse sobre o target que pretende
conectar e escolha a opção para ativá-lo – Set as Active Target.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 17


Proficy Machine Edition

2. Clique no ícone Online/Offline na barra de botões.

3. Certifique-se que a conexão foi estabelecida verificando a barra de status localizada


no canto inferior direito do Machine Edition.

4. Clique no ícone Toggle Online Mode para passar para o modo Online.

Monitor: esse modo permite apenas a monitoração do PLC verificando as tabelas de


variáveis e referências, tabelas de falhas e status de funcionamento. Não é possível
realizar alterações no programa Ladder ou na configuração de hardware, pois os
procedimentos de download/upload ficam inativos.
A operação em modo monitor é possível clicando-se no ícone Toggle Online Mode
mostardo na figura anterior

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 18


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 3 - DESENVOLVENDO LÓGICAS DE PROGR AMA


A função principal do Logic developer – PLC é o desenvolvimento de programas
para PLCs. Sua lógica poderá estar particionada em blocos de lógica LD, IL ou, com cada
bloco funcionando a medida que sejam chamados por outros blocos. Cada alvo em seu
projeto pode conter inúmeros blocos de qualquer tipo, com restrição apenas para a
memória disponível no PLC alvo. Um bloco em cada alvo precisa chamar “_MAIN”. Esse
bloco é o primeiro a ser executado após a lógica ser descarregada no PLC.
O bloco _MAIN LD será o documento que contém a lógica LD para este projeto.

3.1 Para abrir um blo co para edição


Na tabela Project do Navigator expanda a pasta de blocos LD, clique o botão direito
sobre um bloco LD (_MAIN) e escolha Open. O bloco _MAIN abrirá no editor LD.
Para este exemplo, iremos desenvolver algumas lógicas LD, salvá-la no Toolchest
como uma fxClass, e então reutilizar a fxClass para mostrar como uma lógica pode ser
desenvolvida de modo bastante rápido.

3.2 Para ins erir e editar um com entário de lin ha (rung)


No editor LD, clique o botão direito sobre a célula superior esquerda (rung 1) e escolha
Place Instruction. Uma “smart list” aparecerá listando todas as instruções LD disponíveis.
Digite “COMMENT”e perceba como a “smart list”corre para localizar a função de acordo
com sua palavra digitada.
Pressione TAB. Uma linha de comentário é inserida.

Dê um duplo clique sobre o ícone à esquerda da linha de comentário. O controle de edição


do comentário se abrirá.
Digite “A lógica a seguir, mede um intervalo de tempo em décimos de segundos e então
conta o número desses intervalos”. Clique fora do editor de comentário quando tiver
finalizado. O comentário completo é mostrado na rung 1.
Dica
Para visualizar mais de uma linha de texto no comentário, pelo menu View selecione
Descriptions e Comments – Full.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 19


Proficy Machine Edition

3.3 Para ins erir uma ins tru ção LD (método Toolb ar):
Pelo menu Tools, vá em Toolbars e então escolha Logic Developer – PLC. Uma variedade
de barras de ferramentas será mostrada no topo de sua tela, incluindo a barra de
ferramentas de Instruções Ladder (Ladder Instructions).

Na barra de Ferramenta de Instruções Ladder, clique num contato aberto para ser
selecionado.

No editor LD, clique na primeira coluna da rung 2. Um contato normalmente aberto será
inserido.
Na barra de ferramentas de Instruções Ladder, clique no botão de conexões. Uma
conexão Horizontal\Vertical será selecionada.
No editor LD, clique na célula à direita contato NA. Uma conexão horizontal será inserida.

Na barra de ferramentas de Instruções Ladder, clique no botão de conexões. O ponteiro


será selecionado.
Notas
Uma variedade de instruções LD normalmente usadas, podem ser inseridas pela barra de
ferramentas de Instruções Ladder.
Quando estiver usando a ferramenta de conexão Horizontal \ Vertical, o ponteiro do mouse
alternará entre uma linha horizontal e uma vertical para indicar o tipo que será inserido.

O ponteiro permite que você selecione no editor LD e deve ser selecionado se você não
estiver editando com a barra de ferramentas de Instruções Ladder.
Somente contatos e linhas horizontais podem ser inseridas na primeira coluna do editor
LD.

3.4 Para ins erir uma ins tru ção LD (método Toolc hest):
Abra o Toolchest e escolha a opção PLC LD Instructions drawer.

Expanda a pasta de Temporizadores (Timers) para mostrar todos os tipos de


temporizadores disponíveis.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 20


Proficy Machine Edition

Clique em TMR_TENTHS e arraste-o para o editor LD. Solte a instrução numa célula vazia
a direita da lógica que você já havia criado, construindo uma linha contínua.

Nota: Qualquer instrução LD pode ser arrastada do PLC LD Instructions drawer do


Toolchest.

3.5 Para ins erir ins tru ções de bob ina:


Nota: Quando uma instrução de bobina é inserida, ela é automaticamente alinhada
numa coluna pré-determinada (definida pelo usuário). Inicialmente, configurada como
coluna 10. Para este exemplo, podemos usar coluna 5.
Na tabela Options do Navigator, expanda a pasta de Editores e depois a pasta de Ladder.
Clique o botão direito na página View e escolha Properties. O Inspector se abrirá
mostrando as opções View para o editor LD.

No Inspestor, clique em Coil justification column, digite “5”e então pressione ENTER. As
instruções de bobinas serão agora alinhadas na coluna 5.

No editor LD, clique na primeira célula vazia a direita de instrução TMR_TENTHS.


Digite “coil”. Uma “smart list” aparecerá quando você digitar o mnemônico COIL.
Pressione ENTER. Uma conexão horizontal e uma bobina aparecerá na rung 2. Note que
a bobina é colocada na coluna 5 e conexões horizontais serão inseridas automaticamente
para conectar a bobina com o resto da linha.
Sua lógica se parecerá com esta:

Cada instrução LD requer dados para operar. Variáveis são endereçadas aos operandos
das instruções e também mapeadas a registros de memória no PLC alvo. Isso fornecerá
uma maneira para os dados poderem ser acessados em todas as partes do projeto, editor
e runtime.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 21


Proficy Machine Edition

3.6 Endereça ndo variáveis às ins tru ções LD


No editor LD, clique o botão direito sobre o contato NA e escolha Edit. Uma “smart
list”aparecerá, mostrando todas as variáveis válidas (BOOL) que existem no alvo corrente.
Digite “Period, 1m”e pressione ENTER. Isso cria uma nova variável BOOL chamada
“Period”, endereçada ao contato NA e também mapeada no registro %M00001na memória
do PLC. Também pode-se inserir apenas o nome da variável baseado em seu endereço.

Na tabela Variables do Navigator, clique a variável “Period”, arraste-a para o editor LD e


solte-a na bobina final da rung 2. Quando você soltar o botão do mouse, a variável será
endereçada para a bobina.
No editor LD, dê um duplo clique ao lado do operando PV na instrução TMR_TENTHS.
Uma “smart list” aparecerá, mostrando todas as variáveis tipo BOOL disponíveis.
Digite “Ticks-1r” e então pressione ENTER. A variável Ticks é criada e mapeada para
%R00001.

3.7 Compl etando Endereça mento e Inform ação de Compr iment o - LD


No editor LD, clique o botão direito sobre a instrução TMR_TENTHS e escolha Properties.

O Inspector se abrirá, mostrando a propriedade Address da instrução.


Nota: Inúmeras instruções LD requerem configuração dos operandos de endereços
(Address) e \ ou de comprimento (Lenght). O endereço, geralmente refere-se ao primeiro
dado num bloco de comprimento pré-determinado. O Comprimento é usado para definir o
tamanho do bloco de dados que inicia-se no endereço.

No Inspector, clique em Address, digite “Mytimer”e então pressione ENTER. O Inspector


aceita essa informação e uma variável do tipo WORD lenght 3 é criada, mas ainda mostra
a propriedade Address em vermelho, indicando que a variável ainda precisa ser mapeada
para um registro do PLC.

Na tabela Variables do Navigator, clique o botão direito na variável “Mytimer” e escolha


Properties.
No Inspector, clique em Ref Address, e clique no botão que aparece. Será visto então a
Ref Address Wizard.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 22


Proficy Machine Edition

Na lista Memory Area, escolha R – Reference.


Na caixa Offset, digite 2.
Clique em OK. A matriz de variáveis Mytimer é mapeado para os endereços %R00002,
%R00003 e %R00004.

3.8 Para vi suali zar o endereça mento de referência no edi tor LD:
Clique em qualquer lugar no editor LD.
Pelo menu View, escolha Reference Address. Uma marca aparecerá ao lado do item do
menu quando a visualização estiver habilitada.
Sua lógica deveré estar como esta:

Notas:
Você pode escolher para visualizar valores de dados, endereçamento de referência
e operando no editor LD.
Comentários podem ser visualizados na forma reduzida (brief) ou na forma completa (full).

O tamanho de uma célula individual pode ser configurado no Ladder Editor – View Options
Você pode aumentar o Zoom (CTRL + - ) no editor LD.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 23


Proficy Machine Edition

3.9 Para ins erir ins tru ções LD (método Quick Edit):
Clique na primeira célula vazia à esquerda logo abaixo do rung 2.
Digite “nocon Period;upctr MyCounter,%R Counts,%R;Coil Done,%M” e pressione ENTER.
A seguinte lógica sera inserida:

A seguir, a explicação da string que foi digitada:

Notas
O método Quick pode ser usado para a inserção de linhas inteiras de lógica.
As variáveis podem ser mapeadas para o próximo mais alto endereço de memória
disponível na área de memória, inserindo os primeiros dois dígitos do endereço de
referência.
Quando as variáveis são especificadas numa string quick edit, elas são endereçadas para
o próximo operando de instrução disponível. Operandos que requeiram fluxo de potência
serão pulados.

3.10 Para dup li car uma seleção de lógic a LD


No editor LD, clique no contato NA no início da rung 2.

Clique sobre ele novamente, de forma que o contato apareça em vídeo reverso.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 24


Proficy Machine Edition

Pressione CTRL e então clique e arraste o contato para a esquerda do UPCTR na rung 3
(ao lado do operando R).

Solte o botão do mouse. Uma cópia exata da seleção srcinal (incluindo o operando)
aparecerá na nova localização.
Dê um duplo clique no contato duplicado. Uma “smart list”aparecerá solicitando que seja
inserido um nome de variável.
Digite “D”. Note que a variável Done é marcada na lista.

Pressione TAB. A variável Done é agora endereçado para o contato duplicado.


Sua lógica deverá estar como esta:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 25


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 4 - TRABA LHANDO COM VARIÁVEI S


Como mostrado nas lições anteriores, pode-se criar uma variável e mapeá-las na
memória do PLC, à medida que é editada sua lógica. A tabela de variáveis do Navigator
fornece uma organização central de todas as variáveis de seu projeto. Uma variedade de
operações está disponível quando se trabalha com a lista de variáveis, incluindo
organização e filtro de variáveis.

Cada variável que é definida, possui uma variedade de propriedades. Os valores


dessas propriedades determinam o tipo, a fonte, o valor inicial e outras características da
variável. As propriedades das variáveis podem ser vistas e editadas no Inspector. Um
conjunto típico dessas propriedades é mostrado a seguir.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 26


Proficy Machine Edition

Ao clicar o botão direito sobre uma variável e ao escolher Properties será aberta a
janela do Inspector a qual permite visualizar ou editar uma propriedade da variável.
Quando for preciso editar ou visualizar a propriedade de muitas variáveis, uma planilha
especial das variáveis está disponível.

4.1 Para vi suali zar a li sta de variáveis no mod o plani lha (spread sheet)
No Navigator, clique na tabela Variable. A lista de variáveis mostra todas as variáveis que
já foram definidas em seu projeto.
Clique no botão Spreadsheet mode no canto esquerdo superior da lista de variáveis. Note
que as colunas aparecem ao lado direito da tabela de variáveis. Cada coluna é para uma
propriedade da variável.
Clique no botão Docking mode para visualizar a planílha numa área maior.

4.2 Para cus tom izar a vis ualização da plani lha


Na planilha, clique o botão direito na coluna Property e escolha New Columm Set. A
configuração atual da coluna desaparece e a lista Add Columns à direita da planilha
visualizada.

Na lista Add Columns, dê um duplo clique em Data Type Deails.Initial Value. Uma coluna
com nome Initial Value é adicionada na planílha.
Na lista Add Columms, dê um duplo clique em Data Source Details.Ref. Address. Uma
coluna chamada Ref Address é adicionada na planilha.

Clique no botão Add Columns. A lista Add Columns se fecha-se a planilha se parecerá
com esta (você pode redimensioná-la se desejar):

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 27


Proficy Machine Edition

As variáveis endereçadas ao LD srcinalmente criado (excluindo a lógica enlaçada


com a fxClass) já estão mapeadas na memória do PLC e mostram valores na coluna Ref
Address. Quando cria-se uma lógica LD enlaçada o mesmo mapeamento aplica-se as
variáveis criadas (isto é, elementos de estrutura de variáveis). A menos que se queira
múltiplas variáveis mapeadas ao mesmo endereço de referência (não recomendado), será
preciso remapear a estrutura de variáveis.

4.3 Para mapear variáveis de memór ia do PLC na planil ha (spread


sheet)
Na planilha, expanda a estrutura de variáveis Sec para visualizar seus elementos.
Dê um duplo clique na coluna Ref Address, ao lado da variável Sec.Counts.

Digite “%R”e então pressione ENTER. O endereço “%R00009” aparece na caixa. Isso
acontece porque %R00009 é a próxima referência de memória disponível.
Clique na coluna Ref Address, ao lado da variável Sec.Done.

Digite “%M” e então pressione ENTER. O endereço “%M00003”aparece na caixa. Isso


acontece porque %M00003 é a próxima referência de memória disponível no PLC.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 28


Proficy Machine Edition

Continue mapeando as variáveis:


para Sec.MyCounter entre %R
para Sec.MyTime entre %R
para Sec.Period entre %M
para Sec.Ticks entre %R
Repita os procedimentos anteriores para as estruturas de variáveis Min e Hrs, seguindo
os mesmos procedimentos básicos da estrutura Sec. Quando estiver sido feito, todas as
suas variáveis estarão mapeadas na memória do PLC alvo.

Clique no botão Spreadsheet mode para fechar a coluna de propriedades.


Clique no botão Docking mode para retornar a visualização normal.
Notas:

Pode-se sempre inserir o endereço de referência completo de uma variável para mapeá-la
numa localização de memória específica (por exemplo, %R00054 ou 54R).
Quando estiver mapeando uma matriz de variáveis, é preciso somente endereçar uma
referência. O primeiro elemento da matriz será endereçado e os elementos sucessivos
terão os endereços incrementados.

Existe uma variedade de lugares que você pode endereçar um valor para uma variável,
seja enquanto esta desenvolvendo sua lógica ou enquanto monitora a execução do PLC
alvo.

4.4 Para assin alar um valor no Inspecto r


Na tabela Variables do Navigator, clique o botão direito sobre a variável tickse e escolha
Properties. As propriedades dessa variável aparecerão no Inspector.
No Inspector, expanda (duplo clique) o grupo de propriedades Data Type Details.

Clique em Initial Value.


Digite “1” e então pressione ENTER. O valor de ticks é jogado para 1 fazendo que o
primeiro temporizador ((TMR_TENTHS) na lógica LD marque um período de 1 décimo de
segundo.
Na tabela Variables d o Navigator, clique na variável Counts.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 29


Proficy Machine Edition

No Inspector, insira 10 para a propriedade Initial Value. O contador (UPCTR) na lógica LD


irá contar até 9, resetará e iniciará novamente. (Isto é, o contador irá contar 10 décimos de
segundos, ciclicamente).

4.5 Para ins erir um valor ini cial no Data Watch


No editor LD, clique o botão direito sobre o operando Sec.ticks do temporizador da rung 5
e escolha Watch. A ferramenta data watch se abrirá com a variável Sec.ticks listada.
No Data Watch, dê um duplo clique na caixa da coluna Value que está na linha Sec.ticks.
Insira o valor “10”. O temporizador na rung 5 é configurado para um período de 1 segundo
(10 decimos).
No editor LD, clique o botão direito no operando Sec.Counts do contador na rung 6 e
escolha Watch. A variável Sec.Counts é agora listada no Data Watch.

No Data Watch, dê um duplo clique na caixa da coluna Value na linha Sec.Counts.


Insira o valor “60”. O contador da rung 6 é então configurado para contar até 59 resetar e
se iniciar novamente.

4.6 Para ins erir um valor na plani lha de vis ualização (spreed sheet)
No Navigator, clique na tabela Variables.
Clique no botão Spreadsheet mode para visualizar as propriedades das colunas.

Se a coluna Initial Value não aparecer ao lado direito da lista de variaveis, percorra a lista.
Expanda a estrutura Min para rever seus elementos.

Dê um duplo clique na coluna Initial Value, ao lado da variável Min.ticks.


Insira o valor "600". O temporizador na rung 7 é configurado para um período de 1 minuto
(600 décimos de segundos).

Dê um duplo clique na coluna Initial Value, ao lado da variável Min.Countse.


Insira o valor "60". O contador na rung 8 é configurado para contar até 59 e então resetar
e iniciar novamente.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 30


Proficy Machine Edition

Expanda a estrutura Hrs para visualizar seus elementos.


Dê um duplo clique na Initial Value, ao lado da variável Hrs.Counts.
Insira o valor "24" .O contador da rung 11 é configurado para contar até 23 e entao resetar
e iniciar novamente.
Agora, está finalizada a parte de edição deste projeto exemplo. Toda a configuração de
hardware e de comunicaçao, desenvolvimento de lógica e a locação de dados foi
realizada.

 Anotações:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 31


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 5 - INTERAGINDO COM O PLC – Dow nload/Load


Com o Logic Developer - PLC pode-se interagir com o PLC de duas formas: online
ou offline. Em offiline, estará limitada a interação, mas pode-se realizar transferências do
PLC e para o PLC, caso a cornunicaçao entre o PLC e sua estação de trabalho
(programador ) estiver configurada.

5.1 Para valid ar, con str uir e descarregar um pro jeto.
Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito sobre o alvo (target) e escolha
Download PLC. Acontecerá o seguinte:
A caixa de diálogo Selections aparecerá, permitindo que seja selecionado o que se quer
descarregar (download): Hardware Configuration, Logic e/ou Initial Values. Para este
projeto, selecione todas as opções e clique em OK.
Todas as partes do projeto serão verificadas para erros de sintaxe. Se um erro for
encontrado, uma mensagem correspondente será colocada na tabela Build da FeedBack
Zone e o restante da construção e do download serão abortados. Mensagens de atenção
também poderão acontecer, mas não abortará o processo.
Se não houverem erros, todas as partes de projeto serão compiladas para um formato
capaz de ser
informarão entendido
o que pelo PLC. OMensagens
está acontecendo. na tabela
Download será feito. Build na Feedback Zone lhe
Notas:
Você pode validar seu projeto a qualquer momento durante seu desenvolvimento, sem a
operação de download. Essa é uma excelente maneira de encontrar erros de sintaxe.
Quando um erro ou uma mensagem de atenção aparecer na tabela Build, dê um duplo
clique sobre ela para localizar a fonte do erro. O editor ou ferramenta apropriados se
abrirão automaticamente e a causa do erro será destacada. Ajuda para mais erros está
disponível na janela Companion quando você clicar na mensagem na tabela Build.
Você pode fazer um download para um PLC em RUN mode, mas os valores iniciais e
estados forçados não serão transferidos. Um download em run-mode store fará a
sobreposição do programa existente no PLC ao final da varredura corrente.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 32


Proficy Machine Edition

5.2 Para inic iar o PLC


Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito sobre o alvo (target), aponte para
Offline Commands e escolha Start PLC. A caixa de diálogo Starting PLC aparecerá
rapidamente. Quando a caixa de diálogo se fechar, o PLC começará a executar o projeto.
Não existe indicação da atividade do PLC durante a operação em Offline .
Notas

Em offline, também pode-se parar o PLC, apagar sua memória, verificar igualdade entre o
projeto do PLC e o projeto atualmente aberto, e armazenar o projeto para a EEPROM ou
Flash do PLC. Todas essas operações requerem que a comunicação esteja configurada.
Você pode ler (upload) um programa do PLC para o Logic Developer - PLC. A melhor
forma de fazer isso, é abrir uma versão antiga do projeto e então executar o upload.
Assim, todos os nomes da variáveis serão mantidas .

 Anotações:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 33


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 6 - INTERAGINDO COM O PLC - ONLINE


Enquanto online com o PLC, um grande nível de interatividade estará disponível. Poderá
realizar-se operacões desde monitoramento e alteração de valores de dados até uma
revisão de uma grande área da lógica. Enquanto o programa e a configuração de
hardware do PLC não for igual as informações correntes de seu projeto, a interação com o
PLC será mais limitada.
Nota:
Você só poderá estar online com apenas um PLC por vez.

6.1 Para estar onl ine com um PLC


Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito no alvo (target) e então escolha Go
Online. Uma variedade de ações acontecerão após a conexão ter se estabelecido.
Enquanto on line:

O ícone target na tabela Project do Navigator altera-se de para . Se a lógica ou o


hardware do PLC não estiver igual ao projeto aberto o ícone Target aparecerá como . Se
uma falha de qualquer tipo existir no PLC alvo, o ícone target aparecerá como .
A barra de status abaixo na janela do Machine Edition mostra informações sobre o estado
do alvo, como mostrado na figura a seguir:

(Somente se igual) Qualquer bloco aberto no editor LD será animado para indicar o
andamento da execução da lógica. O estado (on/off) dos Contatos e Bobinas é mostrado
com uma linha de cor definida pelo usuário. Os valores de dados são mostrados em tempo
real acima das variáveis dos operandos.

(Somente se igual) Os valores de dados são disponíveis para editor IL passando-se o


ponteiro do mouse sobre o nome da variável.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 34


Proficy Machine Edition

As propriedades Sweep Time e PLC Status do target são atualizadas em tempo real no
Inspector.

(Somente se igual) Edição online (alteração word-for-word) está disponível para lógicas LD
e IL.
A caixa de diálogo Show Status torna-se disponível.

Vários dados são requeridos pelo PLC no sentido de informar as diversas funções de
monitoramento online.

6.2 Para con fig urar a taxa de atualizaçã o


Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito do mouse no target e escolha
Properties. O Inspector aparecerá mostrando as propriedades de alvo (target)
selecionado.

No Inspector, clique na propriedade Update Rate.


Entre com um valor positivo (em mseg. default = 250). Em novo dado do PLC alvo.
Nota:
No caso de "force" (overridden), as variáveis BOOLs serão atualizadas em 500 ms fixos.
O Data Watch é a ferramenta específica para uso durante trabalhos online mode. Você
pode inserir variáveis dentro do Data Watch para monitorar seus valores enquanto o PLC
executa seu programa. Você pode criar e salvar suas próprias listas de variáveis para
monitoração. No modo auto, cada variável que você clicar em qualquer ambiente do
Machine Edition será temporariamente inserida no Data Watch.
Nota:
O programa do PLC precisa ser igual ao projeto corrente para ser possível a monitoração
no Data Watch.

6.3 Para mo nit orar o valor de uma variável selecion ada


Na tabela Data Watch. clique na tabela Auto.

No editor LD ou na tabela Variables do Navigator, clique em qualquer variavel ou elemento


de variavel. A variavel aparecerá no Data Watch e seu valor sera atualizado em tempo real
a medida que a lógica do PLC é executada.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 35


Proficy Machine Edition

6.4 Para cri ar uma lis ta Data Watch :


Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito em Data Watch Lists Folder e
escolha New. Uma nova lista Watch List será adicionada à pasta e uma tabela com esse
mesmo nome será adicionada na janela Data Watch.

Na tabela Variables do Navigator, expanda a matriz de variável MyCounter, clique o botão


direito no elemento [0] e escolha Watch. MyCounter[O] será adicionada à lista Watch.

Expanda a estrutura de variável Sec e então expanda a matriz de variável


Sec.MyCountervariable.

Clique o botão direito no elemento [0] e escolha Watch. SecMyCounter[O] será adicionada
à lista Watch.
Adicione Min.MyCounter[O] e HrsMyCounter[O] à lista Watch usando o mesmo
procedimento. Seu Data Watch se parecerá com esse:

Será visto os valores dos contadores (décimos, horas, minutos, segundos) incrementados
de acordo com a lógica do PLC.
Notas:
Para formatar a visualização do Data Watch, clique o botão direito na janela e escolha
Properties. Selecione as opções as quais quer que apareçam.
Para configurar o formato de visualização do valor da variável, clique o botão direito sobre
a variável na janela Data Watch e escolha um formato da lista que aparecerá.

Para salvar a watch list para um arquivo, clique o botão direito na lista Data Watch e
escolha Save As.

Para adicionar uma Watch list já salva em seu projeto, clique o botão direito do mouse em
Data Watch Lists folder e escolha Add.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 36


Proficy Machine Edition

Para alterar um valor do dado, dê um duplo clique na janela Data Watch e insira um novo
valor.

Tabelas de Visualização de Referências (Reference View tables) fornecem um meio de


monitorar e alterar valores dos registros no PLC alvo. Pode-se definir qualquer número de
tabelas para um alvo, cada um contendo um conjunto único de registros. Acessa-se os
registros do PLC especificando seus endereços de referência. O formato do número de
uma tabela inteira ou de uma célula é selecionável.

6.5 Para cri ar e con fig urar uma tabela de referência (Reference View
Table):
Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito em Reference View Tables folder e
escolha New. Uma nova tabela com um nome padrão aparecerá na pasta.
Dê um duplo clique no “nó” Reference View Table. A tabela se abrirá numa área de
edição.
Na tabela Reference View, na coluna Address (à direita), clique na primeira linha e digite.
Pressione ENTER (esse é o endereço de referência da variável MyCounler). Os valores
lidos de %R00005 até %R000l5 serão mostrados (no formato decimal) da direita para a
esquerda na primeira linha.

Insira os endereços "10R", "18R" e "26R" na coluna Address para as próximas três linhas
respectivamente. (Esses são os endereços do Sec.MyCounler, MinMyCounter e
Hrs.MyCounte.

Na quinta linha. insira o endereço %M1. Os registros Booleanos de %M0000l até


%M00064 serão mostrados no formato decimal (8 bits por célula) da direita para a
esquerda. Sua tabela se parecerá com esta:

Na primeira coluna (à esquerda da coluna Address) você verá os contadores à medida


que eles acumulam o tempo. Clique em qualquer valor para visualizar seu formato, valor
corrente e endereço de referência no topo da tabela.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 37


Proficy Machine Edition

Nota:
Você pode arrastar variáveis da tabela Variables do Navigator para a coluna Address da
tabela Reference View.

6.6 Para vi sualizar a tabela de falt as (Fault tabl e):


Embora nenhuma falha deva ter ocorrido em seu PLC, a tabela da faltas pode ser uma
valiosa ferramenta para depuração da operação do PLC.
Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito em e escolha Diagnostics. A
Tabela de visualização de faltas (Fault Table Viewer) aparecerá no lnfoViewer.
Em Fault Table, clique numa falta para visualizar informações adicionais sobre a falta.
Essa informação adicional inclui Código do erro, grupo, ação, número da falha e dados
extras da falta. O exemplo a seguir, mostra uma tabela de faltas indicando uma falha de
rack entre o PLC e o HWC atualmente aberto em seu projeto.

Notas:
O PLC não precisa ser igual ao atualmente aberto em seu projeto para ter acesso à tabela
de Faltas.

Você pode selecinar a visualização da tabela de faltas do PLC ou de I/O.


Você pode visualizar o dado extra de falta (Fault Extra Data) no formato Byte, Word ou
ASCII.
Pode-se organizar a tabela (ascendente ou descendente) em qualquer coluna.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 38


Proficy Machine Edition

6.7 Para editar lóg ica LD em onl ine mod e:


No editor LD clique o botão direito do mouse na instrução TMR_TENTHS na 2 e escolha
Replace Instruction. Uma "smart list" aparecerá solicitando o mnemônico da instrucão.
Digite ou escolha da lista, TMR_HUNDS. Quando é inserida sua seleção, a caixa de
diálogo Word for Word Change aparecerá solicitando sua confirmação para alterar o
programa do PLC.

Clique em Yes. A lógica revisada será imediatamente escrita para o PLC. Se você tiver
clicado em No, a lógica em seu projeto será alterada, mas a do PLC não, resultando numa
condição de desigualdade.
Clique o botão direito no operando ticks e escolha Watch. A variável ticks aparecerá.
No Data Watch, na mesma linha do ticks, dê um duplo clique em Value.

Insira o valor “10”. O valor do ticks no PLC será imediatamente alterado para 10. Sua
lógica revisada funcionará da mesma forma da srcinal (isso é 1 décimo de segundo = 10
centésimos de segundo ).

Notas:
Você pode fazer múltiplas edições, incluindo alterações não Word-for-word, e então
atualizar o progama do PLC clicando o botão direito do mouse no alvo (target) e
escolhendo Write Changes to PLC pelo menu Online Commands. A lógica alterada será
transferida para o PLC enquanto a lógica srcinal estiver executando e sobreporá a lógica
do PLC antes da próxima varredura se iniciar (run mode store).

Você também pode editar uma lógica IL no modo online.

6.8 Para usar a uti li dade Data Monit or:


Na tabela Utilities do Navigator, dê um duplo em Data Monitor. A tela Data Monitor
aparecerá no Info Viewer.
Na tabela Variables do Navigator, expanda a estrutura Sec para rever suas variáveis.
Expanda a variável Sec.MyCounter os elementos de sua matriz.

Clique em Sec.MyCounter [0] e arraste-o para o Info Viewer. Quando soltar-se o botão do
mouse, uma linha começará a ser desenhada indicando o valor da variável a medida que
o tempo passa.

Arraste também Min.MyCounter [0] para o Data Monitor. Depois de aproximadamente 1


minuto, sua tela se parecerá com essa:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 39


Proficy Machine Edition

Nota
Pode-se ajustar a escala de tempo e o comprimento do histórico nas propiedades do Data
Monitor dentro do Inpector.

6.9 Para mos trar o statu s do PLC


Na tabela Project do Navigator, clique o botão direito do mouse em Target, aponte para
On-line Commands e então escolha Show Status. A caixa de diálogo Show Status
aparecerá mostrando a tabela Memory. Informações gerais sobre o PLC, suas CPU e
memória utilizadas serão mostradas como visto na figura a seguir.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 40


Proficy Machine Edition

Clique na tabela Reference. Informações sobre regiões disponíveis da memória no PLC


mostradas:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 41


Proficy Machine Edition

6.10 Para ajus tar o hor ário e a data no PLC


Na tabela Project do Navegador, clique o botão direito em Target, aponte para On-line
Commands e escolha Show Status. A caixa de diálogo Show aparecerá mostrando a
tabela Memory.

Clique na tabela Date. A seguinte informação será vista.

Na caixa New Date, digite a data no formato MM/DD/AA.


Na caixa New Time, digite a hora do dia (formato 24 horas) no formato HH: MM: SS.

Clique em Apply (ou OK). O horário e a data serão transferidos para o PLC.
Dica: Clique em Synchronize CPU to Host para configurar o horário e a data do PLC para
os mesmos valores da estação de trabalho a que o PLC esteja conectado.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 42


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 7 – INSTRUÇÕE S DE PROGRAMAÇÃO L ADDER


7.1 CONTATOS - CONTACTS
Um contato é usado para representar e monitorar o estado de uma entrada física
ou de uma referência interna do PLC. Se um contato permite ou não “fluxo de potência”,
depende do estado ou situação (0/1) da referência que está sendo monitorada e do tipo de
contato usado.

CONTATO NEGADO

CONTATO NORMALMENTE ABERTO

Anotações:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 43


Proficy Machine Edition

7.2 Bob inas - COILS


Bobinas são usadas para controlar pontos físicos na área de processo ou saídas
internas no PLC. De um modo geral, lógicas condicionais podem ser usadas para controlar
o fluxo de potência para a bobina. Uma vez setada, algumas saídas podem permanecer
retidas. O tipo de bobina utilizada, depende da ação que se deseja do programa.

Bobina Normalmente Aberta: bobina padrão utilizada para representar


qualquer tipo de carga solenóide (relés, motores, bombas, buzinas, etc.).

Bobina Negada: bobina utilizada para negar (inverter) o estado (0/1 –


desligado/ligado) de qualquer tipo de carga solenóide (relés, motores,
bombas, buzinas, etc.).

Bobina de Sete: bobina utilizada para mudar seu estado para 1 (ligado) e
manter-se acionada quando receber um sinal de fluxo de potência.
Representa qualquer tipo de carga solenóide (relés, motores, bombas,
buzinas, etc.).

Bobina de Resete: bobina utilizada para mudar seu estado para 0


(desligado) e manter-se desligada quando receber um sinal de fluxo de
potência. Representa qualquer tipo de carga solenóide (relés, motores,
bombas, buzinas, etc.).

Bobina de Transição Positiva: bobina utilizada quando se deseja obter um


pulso de um scan. Ao receber um sinal (transição de 0 para 1), essa bobina
se mantém no estado 1 (ligada) durante o tempo de scan do PLC.

Bobina de Transição Negativa: bobina utilizada quando se deseja obter


um pulso de um scan. Ao retirar um sinal (transição de 1 para 0), essa
bobina se mantém no estado 1 (ligada) durante o tempo de scan do PLC.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 44


Proficy Machine Edition

7.3 Bl oco s Tempo rizados - TIMERS


FUNÇÕES TEMPORIZADORES E CONTADORES
7.3.1 - Blo co TMR – On-Delay Timer

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 45


Proficy Machine Edition

Diagrama de Tempo – TMR:

A = ENABLE vai para 1, o timer começa acumular tempo.


B = Valor corrente atinge o valor preset PV; Q vai para 1 e o
timer continua acumulando tempo.
C = ENABLE vai para 0; Q vai para 0; o timer pára de
acumular e o tempo acumulado é resetado.
D = ENABLE vai para 1; o timer começa a acumular tempo.
E = ENABLE vai para 0 antes do valor corrente atingir o valor
preset PV. Q permanece em 0; o timer pára de acumular e o
tempo acumulado vai para 0.
Exemplo:
No exemplo abaixo o TMR é usado para controlar o tempo que a bobina demorará
para ser energizada após a entrada %I00001 ser acionada. Quando o TMR (%R00001)
atingir o valor de 6 segundos a bobina %Q00001 será energizada.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 46


Proficy Machine Edition

7.3.2 - Bl oco OFDT – Off-Delay Timer

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 47


Proficy Machine Edition

Diagrama de Tempo – OFDT:

A = ENABLE e Q vão para 1; timer é resetado (CV = 0).


B = ENABLE vai para 0; timer começa acumular tempo.
C = CV atinge PV; Q vai para 0 e o timer pára de acumular o tempo.
D = ENABLE e Q vão para 1; timer é resetado ( CV = 0).
E = ENABLE vai para 0; timer começa acumular tempo.
F = ENABLE vai para 1, timer é resetado ( CV = 0).
G = ENABLE vai para 0, timer começa acumular tempo.
H = CV atinge PV; Q vai para 0 e o timer pára de acumular tempo.
Exemplo:
No exemplo a seguir, o temporizador retentivo OFDT é usado para retardar o
desligamento da saída %Q00002. Se a entrada %I00002 for desabilitada, a saída
(%Q00002) será desenergizada 6 segundos após %I00002 ter sido desligada.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 48


Proficy Machine Edition

7.3.3 - Bloco ONDTR – Retentive On-Delay Timer

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 49


Proficy Machine Edition

Diagrama de Tempo – ONDTR:

A = ENABLE vai para 1, início de acumulação do timer.


B = Valor corrente CV atinge valor preset PV; Q vai para 1.
C = RESET vai para 1; Q vai para 0, tempo acumulado é resetado.
D = RESET vai para 0 e o ENABLE continua em 1; o timer começa a
acumular novamente.
E = ENABLE vai para 0; timer pára de acumular. Tempo acumulado
permanece o mesmo.
F = ENABLE vai a 1 novamente, o timer continua acumulando o tempo.
G = Valor corrente CV se torna igual ao valor preset PV; Q vai a 1. O
timer continua a acumular o tempo até ENABLE ir a 0, RESET ir a 1 ou
valor corrente se tornar igual ao tempo máximo.
H = ENABLE vai para 0; o timer pára de acumular tempo.

Exemplo:
No exemplo a seguir, um temporizador retentivo (ONDTR) é usado para criar um
sinal que habilitará a saída %Q00003 6 segundos após a energização de %I0003. E a
desligará quando %I00004 for acionada.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 50


Proficy Machine Edition

7.4 BLOCOS CONTADORES - COUNTERS


7.4.1 – Bl oco UPCTR – Up Counter -

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 51


Proficy Machine Edition

7.4.2 – Bl oco DNCTR – Down Counter -

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 52


Proficy Machine Edition

Exemplos:
No exemplo a seguir, todas as vezes que a entrada %I0011 transicionar de OFF
para ON, o UPCTR adicionaná 1 passo na contagem em %R0101. A bobina interna
%M0001 será energizada se 3 transições forem contadas. Quando %I0012 for energizada,
o valor acumulado no contador (%R0101) será zerado.

No exemplo a seguir, todas as vezes que a entrada %I0011 transicionar de OFF


para ON, o DNCTR subtrairá 1 passo na contagem em %R0104. A bobina interna
%M0002 será energizada se 3 transições forem contadas. Quando %I0012 for energizada,
o valor acumulado no contador (%R0104) será zerado.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 53


Proficy Machine Edition

7.5 BLOCOS MATEMÁTICOS BÁSICOS - MATHS


Tipos de dados numéricos:

TIPO NOME DESCRIÇÃO

INT Inteiro Números inteiros formados por 16 bits


Sinalizado consecutivos, sendo o bit mais significativo
usado como sinal.
Faixa: –32.768 à +32767

DINT Duplo Números inteiros formados por 32 bits (2


Inteiro registros consecutivos), sendo o bit mais
significativo usado como sinal.
Faixa: –2.147.483.648 à +2.147.483.647

BIT/BOOL Bit O bit é a menor unidade de memória.


Estado: 1 ou 0

BYTE Byte Usa 8 bits consecutivos.


Faixa: 0 à 255.

WORD Word Usa 16 bits consecutivos e não representam um


número inteiro sendo independentes um dos
outros.
Faixa: 0 à FFFF (Hexadecimal).

BCD-4 Decimal/Binário Usa 16 bits consecutivos. Cada dígito utiliza 4


de 4 Dígitos bits e podem representar números entre 0 e 9.
Faixa: 0 à 9.999

REAL Números Reais Qualquer número positivo ou negativo com


casas decimais. Para manipular esse tipo de
dado a CPUonde
sinalizados reserva
umauma conjunto
parte forma de 32 bits
o número
inteiro e os bits restantes formam as casas
decimais.
Faixa: –32.768 à +32767

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 54


Proficy Machine Edition

7.5.1 – Blocos ADD – SUB – MUL – DIV - MOD

HABILITA OK
ADD
SUB
MUL
DIV
MOD

INT
DINT
REAL

%I, %Q, %M, %T, I1 %I, %Q, %M,


%G, %R, %AI,
Q %T, %G, %R,
%AQ, CONST
%AI,%AQ
I2

FUNÇÃO OPERAÇÃO
ADD Q = I1 + I2
SUB Q = I1 − I2
MUL Q = I1 × I2
DIV Q = I1 ÷ I2
MOD Q = I1 − ( (I1 / I2) * I2)
Resto da divisão de I1 por I2

Quando habilitada a função selecionada será executada. Após ser completada com
êxito, sem um reultado que exceda o tipo de dado selecionado (overflow), haverá um fluxo
de potência (sinal 1) na saída Sucesso. O resultado da operação estará presente na saída
Q.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 55


Proficy Machine Edition

Exemplos:
No exemplo a seguir o valor inteiro contido em %R00010 será subtraído do valor
contido em %AI0002. O resultado da operação será enviado para a saída %AQ0003.
A saída %M00011 será energizada enquanto não houve “overflow” na subtração.

No exemplo a seguir, o valor contido em %R0003, resultante da divisão de


%AI0005 por 100, será automaticamente somado por 20, enquanto não houver “overflow”
no registro %R0003.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 56


Proficy Machine Edition

7.6 BLOCOS COMPARADORES - RELATIONAL


7.6.1 – Blocos EQ – NE – GT – GE – LT – LE
UNÇÕES DE COMPARAÇÃ O

FUNÇÃO OPERAÇÃO
EQ I1 = I2 : Q = 1
NE I1 ≠ I2 : Q = 1
GT I1 > I2 : Q = 1
GE I1 ≥ I2 : Q = 1
LT I1 < I2 : Q = 1
LE I1 ≤ I2 : Q = 1

A função será executada quando for habilitada, e se a relação for verdadeira haverá
um fluxo de potência (bit 1) em Q.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 57


Proficy Machine Edition

Exemplo:
No exemplo a seguir, dois valores inteiros contidos em %AI0001 e %R0002, serão
comparados se %I0001 for acionado. Se o valor contido em %AI0001 for menor ou igual
ao valor contido em %R0002, a bobina %Q0002 será energizada.

Anotações:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 58


Proficy Machine Edition

7.6.2 – Blo co RANGE - Range

L1 contém o valor inicial do range.


L2 contém o último valor do range.
IN contém o valor variável a ser comparado.
Quando habilitada, a saída Q apresentará um fluxo de potência (bit 1) quando o
valor contido em IN estiver entre L1 e L2 inclusive ( L1 IN L2 ).

Anotações:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 59


Proficy Machine Edition

Exemplo:
No exemplo a seguir a entrada %AI0001 mede um sinal de pressão entre 0 e 300
PSI. Estando %I0001 habilitada, o programa verifica se %AI0001 está num valor entre 100
e 200 PSI. Quando essa condição for verdadeira ( 100 ≤ %AI0001 ≥ 200 )., a saída
%Q0001 será habilitada (bit 1).

Anotações:

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 60


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 8 – PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA – SUBROTINA


Os Blocos de subrotinas permitem a utilização de programação estruturada nas
famílias de CLP´s Série 90, Versamax e PAC Systems. Somente os Micros PLC`s 90 não
dispõe do recurso de subrotinas.

8.1 Apli cação de bloco s de subro tinas


A utilização de subrotinas em um programa é opcional. Porém quando utilizada,
permite a estruturação do programa, dividindo-o em pequenas partes, que simplificam e
reduzem a tarefa do programador.
Para chamar um bloco de subrotina utiliza-se a instrução CALL. Quando a instrução
CALL recebe o fluxo em sua entrada, o controle do programa principal (SCAN) vai
imediatamente para a subrotina designada no bloco. Após executar a subrotina, o controle
do programa retorna para o programa principal na linha imediatamente seguinte a
instrução de chamada CALL.
O programa principal pode chamar e executar diversas subrotinas.Uma subrotina
deve ser declarada antes de uma instrução “CALL” ser utilizada para chamá-la.
A quantidade de instruções CALL e o tamanho máximo de memória de uma
subrotina são dependentes de cada série de PLC conforme tabela a seguir:

QUANTIDADE DE INCLUINDO MEMÓRIA POR


PLC
SUBROTINAS _MAIN SUBROTINA
PACSystems™ 511 (C, ST, e LD) 512 128 KB
Series 90™-70 255 (C and LD) 256 32 KB
Series 90™-30 64 (C, LD, and IL) 65 16,383 bytes
VersaMax® PLCs 64 (LD and IL) 65 18,431 bytes
VersaMax® Micro 64 (LD and IL) 65 18,431 bytes
VersaMax® Nano 8 (LD and IL) 9 16,383 bytes
Series 90™ Micro 1 (LD) 1 Conforme modelo

Considerando como exemplo um programa principal dividido em 3 subrotinas, cada


uma será chamada quando necessária. Neste caso, o programa principal pode conter uma
pequena lógica, servindo apenas para sequenciar a chamada das subrotinas. Após a
execução de cada subrotina, o controle do programa principal retorna para a linha
imediatamente seguinte
É possível tambéma instrução “CALL” deprincipal
que o programa chamadacontenha
da subrotina
umaem questão.chamada
subrotina
diversas vezes. Isto ocorre quando o programa principal necessita repetir uma mesma
lógica por diversas vezes no programa. Neste caso o tamanho do programa principal é
reduzido.
O programa principal pode também conter subrotinas dentro de subrotinas.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 61


Proficy Machine Edition

8.2 Defin ição de sub rot inas


Clique com o botão direito do mouse sobre o item Program Blocks na aba
Navigator, e escolha a opção New → LD Block para criar um bloco Ladder .
Automaticamente uma subrotina será criada com o prefixo LDBK podendo ser editada
nesse momento ou posteriormente.

Para efetuar a programação dê clique duplo sobre a subrotina criada. A área de


programação será aberta permitindo a programação ou edição do Ladder. O set de
instruções e os procedimetos para programar são os mesmos utilizados na programa
principal _Main.

8.3 Instru ção CALL


Para colocar uma instrução CALL no programa, selecione o ícone na barra
de botões e clique na linha do Ladder que deseja inserir a subrotina.
no Ladder.
ParaUma
definir
lista
o nome
com as
dapossíveis
subrotina subrotinas
chamada, aparecerá.
dê clique duplo
Bastasobre
selecionar
o comando
o nome
CALL
da
subrotina desejada.
Importante: o programa principal pode ter o nome editado ou alterado, porém sempre
será necessário ter uma rotina chamada _Main, no item Program Blocks, como programa
principal.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 62


Proficy Machine Edition

CAPÍTULO 9 – IMPORTANDO PROJ ETOS DO LM90 E


VERSAPRO
Inicialize o Machine Edition. Você visuaalizará a caixa de diálogo Project Selection
dialog. Clique em Cancel para fechá-la.

Clique em File, New Project para criar um projeto vazio.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 63


Proficy Machine Edition

Na caixa de diálogo New Project, digite um nome em project name e selecione


Empty Project.

Na janela Navigator, clique o botão direito no nome do projeto e adicione um PLC


(addTarget – GE Fanuc PLC – Series 90-30 PLC por exemplo).

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 64


Proficy Machine Edition

Selecione o tema de desenvolvimento Logic Developer PLC clicando em Window |


Apply Theme.

Agora, clique o botão direito no Target e selecione Import VersaPro Folder ou


Logicmaster Folder, conforme a srcem do arquivo.

Nota: Você precisará


do nome do projeto
criado no VersaPro.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 65


Proficy Machine Edition

Navegue no projeto VersaPro e selecione-o. Você verá uma caixa de diálogo


informando-o que você está prestes a sobrepor seu projeto atual (vazio). Selecione Yes.

Note que a Feedback Zone lhe mostrará os status da importação.

Vamos dar uma olhada na Configuração de Hardware (Hardware Configuration) do


arquivo importado.

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 66


Proficy Machine Edition

APÊNDICE A – EXERCÍCIOS
A.1 Intertravamento de Esteiras Automáticas
Considere a automação de duas correias transportadoras sobrepostas TC_01 e
TC_02, conforme figura abaixo. A fim de evitar acúmulo de produto, a correia TC_02 só
poderá ser ligada se a correia TC_01 estiver em funcionamento.
O sistema deve prever um botão de acionamento e de parada para cada esteira
separadamente.

TC_02

TC_01
DEFINIÇÕES DE E/S

%I0001 START_TC01 Aciona esteira TC_01 em automático.


%I0002 START_TC02 Aciona esteira TC_02 em automático.
%Q0001 MOTOR_TC01 Motor da esteira 1.
%Q0002 MOTOR_TC02 Motor da esteira 2.
%I0003 STOP_TC01 Desliga esteira 1.
%I0004 STOP_TC02 Desliga esteira 2.

ATENÇÃO!
CONSIDERE TODAS AS CHAVES SIMULADORAS NORMALMENTE
ABERTAS DEVENDO SER USADAS COMO PUSH-BUTTONS.

CUIDADO!
Este é um progr ama pa ra fins didáticos. Nã o o utilize para colocar uma máquina em
funcionamento!

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 67


Proficy Machine Edition

Res o l u ç ão d o Ex er c íc i o :

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 68


Proficy Machine Edition

A.2 Controlador em Automático/Manual


Edite o programa anterior de forma a implementar um comando que funcione como
controlador em modo manual. O programa deve permitir que a esteira TC_01 funcione
somente enquanto um botão estiver pressionado. Com a esteira parada, ao pressionar
esse botão a TC_01 deverá funcionar momentaneamente enquanto ele estiver
pressionado, voltando a parar quando o botão for liberado.

DEFINIÇÕES DE E/S

%I0001 START_TC01 Aciona esteira TC_01 em automático.


%I0002 START_TC02 Aciona esteira TC_02 em automático.
%Q0001 MOTOR_TC01 Motor da esteira 1.
%Q0002 MOTOR_TC02 Motor da esteira 2.
%I0003 STOP_TC01 Desliga esteira 1.
%I0004 STOP_TC02 Desliga esteira 2.
%I0005 MAN_TC01 Ac ion a esteir a TC_01 em manu al.

ATENÇÃO!
CONSIDERE TODAS AS CHAVES SIMULADORAS NORMALMENTE
ABERTAS DEVENDO SER USADAS COMO PUSH-BUTTONS.

CUIDADO!
Este é um progr ama pa ra fins didáticos. Nã o o utilize para colocar uma máquina em
funcionamento!

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 69


Proficy Machine Edition

Res o l u ç ão d o Ex er c íc i o :

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 70


Proficy Machine Edition

A.3 Controle de Reversão


Desenvolva um programa que funcione como um controlador de bomba em
normal/reverso. O programa deve conter uma lógica que permita à uma bomba, funcionar
no sentido horário ou anti-horário. Projete o programa de tal forma que um botão %I0003
necessite ser pressionado a fim de parar a bomba antes de mudar o sentido de giro.
Devido a inércia do giro, incorpore um travamento de 5 segundos após o “corte da
bomba” num sentido ou no outro, a fim de garantir sua parada total.
O sentido do giro será mudado através da saída %Q0002 acionada pelo botão
%I0002. Não permita que as saídas %Q0001 e %Q0002 funcionem ao mesmo tempo.

Defin içõ es de E/S

%I0001 botão de opção NORMAL.


%I0002 botão de opção REVERSO
%I0003 botão de opção STOP.
%Q0001 saída para MOTOR_NORMAL.
%Q0002 saída para MOTOR_REVERSO.

ATENÇÃO!
CONSIDERE TODAS AS CHAVES SIMULADORAS NORMALMENTE
ABERTAS DEVENDO SER USADAS COMO PUSH-BUTTONS.

CUIDADO!
Este é um progr ama pa ra fins didáticos. Nã o o utilize para colocar uma máquina em
funcionamento!

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 71


Proficy Machine Edition

Res o l u ç ão d o Ex er c íc i o :

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 72


Proficy Machine Edition

A.4 Controle de Armazenamento de Peças


Desenvolva um programa para controlar o número de peças armazenadas em um
almoxarifado.
Para acrescentar peças, primeiramente o operador deve digitar o número de peças
no registrador %R0001 e em seguida ativar a chave SOMA do simulador.
Para retirar peças, o operador deve digitar o número de peças no mesmo
registrador %R0001 e ativar a chave REMOVE do simulador.
Utilize o registrador %R00002 para apresentar o número totalizado e atualizado de
peças armazenadas no almoxarifado.
Para digitar as quantidades de peças no registro %R00001 utilize o comando
WRITE do Software d e Progr amação.

Defin ição de E/S

%R00001 Quantidade de peças a serem acrescidas ou removidas.


%R00002 Quantidade de peças no almoxarifado.
%I0001 Chave SOMA , para acrescer itens.
%I0002 Chave REMOVE, para retirar itens.

ATENÇÃO!
CONSIDERE TODAS AS CHAVES SIMULADORAS NORMALMENTE
ABERTAS DEVENDO SER USADAS COMO PUSH-BUTTONS.

CUIDADO!
Este é um progr ama pa ra fins didáticos. Nã o o utilize para colocar uma máquina em
funcionamento!

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 73


Proficy Machine Edition

Res o l u ç ão d o Ex er c íc i o :
Controle de Armazenamento de Peças

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 74


Proficy Machine Edition

A.5 Controle de Temperatura


Desenvolva um programa para controlar a temperatura de um tanque. O sensor de
temperatura fornece um range de 4 a 20mA para temperaturas compreendidas entre 0 e
640ºC. Desenvolva o programa de tal forma que uma bomba de resfriamento seja
acionada sempre que a temperatura ultrapassar 500º C e que só seja desligada quando a
temperatura for menor ou igual a 300ºC.
Considere que as funções sejam acionadas automaticamente ao colocar o PLC em
modo RUN.
Defin içõ es de E/S

%AI0001 Sinal gerado pelo sensor.


%R0001 Temperatura do tanque.
%Q0001 Contator da Bomba de Resfriamento.

ATENÇÃO!
CONSIDERE TODAS AS CHAVES SIMULADORAS NORMALMENTE
ABERTAS DEVENDO SER USADAS COMO PUSH-BUTTONS.

CUIDADO!
Este é um progr ama pa ra fins didáticos. Nã o o utilize para colocar uma máquina em
funcionamento!

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 75


Proficy Machine Edition

Res o l u ç ão d o Ex er c íc i o :

Treinamentos OnTime Automação e Proteção 76