Você está na página 1de 10
305
305

Questão 01

305 Questão 01 Pensando em Casa Pensando em Casa Gabarito e Resoluções no final A velocidade

Pensando em Casa Pensando em Casa

Gabarito e Resoluções no final

A velocidade de propagação de uma onda transversal numa corda depende da tração T na corda, do comprimento L da corda e da massa m dela. Sendo k uma constante adimensional, poderíamos concluir que a velocidade da onda teria a forma:

T  L k a) m Questão 02
T
L
k
a)
m
Questão 02

b)

T  m k L
T
m
k
L

c) k

m

T L
T
L

d) k

L

T m
T
m

e)

k

m  L T
m
L
T

Pela lei de Coulomb, a força elétrica entre duas cargas elétricas Q e q, a uma distância D, uma da outra, é dada pela expressão:

F =

K.Q.q

d

2

onde K é a chamada Constante Eletrostática. No sistema internacional, a unidade dessa constante é:

a)

N.m 2 . C 2

b)

N.m 3 . C 1

c)

N.m 3 . C 1

d)

N 3 .m 2 . C 1

e)

N 2 .m 3 . C 1

Questão 03

Para uma certa faixa de valores de velocidade, a força F que se opõe ao movimento de um corpo tem

intensidade proporcional à velocidade, ou seja, F = k.v. constante k pode ser expressa em:

a) kg

b) kg/m

c) kg . m

d) kg/m.s

e) kg/s

No Sistema Internacional de unidades, a

Questão 04

Suponha que, no lugar de comprimento, massa e tempo, as grandezas fundamentais no Sistema Internacional fossem: comprimento [L], massa [M] e velocidade [V]. Assim, a unidade de medida de força seria

a) M.V 2 / L

b) M.V / L 2

c) M.V / L

d) M 2 .V / L

e) M 2 .V 2 / L

Questão 05

Determine quantos algarismos significativos tem cada uma das seguintes medidas:

a) 0,030 m/s

b) 4,01 o C

c) 0,025 N

d) 0,00501 mm

e) 0,2040 J

m/s b) 4,01 o C c) 0,025 N d) 0,00501 mm e) 0,2040 J Aulão de
306
306

Questão 06

Corrija o resultado de cada operação abaixo para o número correto de algarismos significativos:

a) P = m.g = (4,302 kg) . (9,8 m/s 2 ) = 42,1596 N

b) V = Vo + at

c) m = dV = (0,30 g/cm 3 ) . (2,504 cm 3 ) = 0,7512 g

=

0,25 m/s

+ (4 m/s 2 ).(3,00 s) = 12,25 m/s

d)

Ecin

m

2 v

2

(2,52kg) 2 (0,6)

2

0,081648J

Questão 07

Medidas em física devem ser expressas com observância ao uso correto de algarismos significativos.

Assim, se a densidade de um corpo é dada por 0,405 kg/L e seu volume é 0,06 m 3 , a forma correta de expressar sua massa, em kg, é:

a) 0,02

b) 0,024.

c) 0,0243.

d) 0,03

Questão 08

Na expressão literal abaixo, sendo V uma velocidade, t uma medida de tempo, o prof. Renato Brito pede que você determine as unidades físicas das grandezas b, c, d e j, no SI.

Questão 09

V

b

t

c

t

1

d sen

j

t

2

Na expressão literal abaixo, sendo a uma aceleração, m uma massa, um comprimento de onda e t uma medida de tempo, as unidades físicas das grandezas b, c, d, e e j, no SI, o prof. Renato Brito pede que você determine as unidades físicas das grandezas b, c, d, e e j, no SI.

Questão 10

a

b

t Log

 

c t

2

 

d m

1

e cos

j

t

2

Um evento está sendo realizado em uma praia cuja faixa de areia tem cerca de 3 km de extensão e 100 m de largura. A ordem de grandeza do maior número possível de adultos que podem assistir a esse evento sentados na areia é de:

a) 10

b) 10

c) 10 6

d) 10 8

2

4

Questão 11 (UF Juiz de Fora-MG)

Supondo-se que um grão de feijão ocupe o espaço equivalente a um paralelepípedo de arestas 0,5 cm 0,5 cm e . 1,0 cm, qual das alternativas abaixo melhor estima à ordem de grandeza do número de feijões contido no volume de um litro?

a) 10.

b) 10 2.

c) 10

d) 10

e) 10

3.

4.

5.

Questão 12 - (Cesgranrio-RJ)

O fumo é comprovadamente um vício prejudicial à saúde. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, um fumante médio, ou seja, aquele que consome cerca de 10 cigarros por dia, ao chegar à meia-idade terá problemas cardiovasculares. A ordem de grandeza do número de cigarros consumidos por este fumante durante 30 anos é de:

a) 10 2 .

b) 10 3 .

c) 10 4 .

d) 10 5 .

e) 10 6 .

. b) 10 3 . c) 10 4 . d) 10 5 . e) 10 6
307
307

Questão 13 - (Unesp 2015)

Dois copos de vidro iguais, em equilíbrio térmico com a temperatura ambiente, foram guardados, um dentro do outro, conforme mostra a figura. Uma pessoa, ao tentar desencaixá-los, não obteve sucesso. Para separá-los, resolveu colocar em prática seus conhecimentos da física térmica. De acordo com a física térmica, o único procedimento capaz de separá-los é:

a) mergulhar o copo

B em água em equilíbrio térmico com cubos

A com água à temperatura ambiente.

térmico com cubos A com água à temperatura ambiente. de gelo e encher o copo b)

de gelo e encher o copo

b) colocar água quente (superior à temperatura ambiente) no copo

A.

c) mergulhar o copo

B em água gelada (inferior à temperatura

ambiente) e deixar o copo

A sem líquido.

d) encher o copo

A com água quente (superior à temperatura

ambiente) e mergulhar o copo temperatura ambiente).

B em água gelada (inferior à

e) encher o copo

A com água gelada (inferior à temperatura

B em água quente (superior à

ambiente) e mergulhar o copo temperatura ambiente).

Questão 14 - (PUC RS 2015)

Num laboratório, um grupo de alunos registrou o comprimento

sua temperatura

coeficiente de dilatação do metal é:

a)

b)

c)

d)

e)

L de uma barra metálica, à medida que

T aumentava, obtendo o gráfico abaixo. Pela análise do gráfico, o valor do

5

5

C C

 

1

1

C

1

C C

 

1 1

do    5 5 C C   1 1 C  1 C
do    5 5 C C   1 1 C  1 C
do    5 5 C C   1 1 C  1 C
do    5 5 C C   1 1 C  1 C
do    5 5 C C   1 1 C  1 C

1,05 10

1,14 10

1,18 10

1,22 10

1,25 10

5

5

5

Questão 15 - (UPE 2015)

Ao lavar pratos e copos, um cozinheiro verifica que dois copos estão encaixados firmemente, um

dentro do outro. Sendo o copo externo feito de alumínio e o interno, de vidro, sobre as formas de separá-los, utilizando os princípios básicos de dilatação térmica, analise os itens a seguir:

I. Aquecendo apenas o copo de vidro.

II. Esfriando apenas o copo de alumínio.

III. Aquecendo ambos.

IV. Esfriando ambos.

Dados: os coeficientes de dilatação térmica do alumínio e do vidro são iguais a

24

10

6

C

1

e

aAl

avidro

0,5

10

6

C

1

,

respectivamente. Está(ão) CORRETO(S) apenas

a) I e II.

b) I.

c) II.

d) III.

e) IV.

Questão 16 - (Fuvest 2014)

Uma lâmina bimetálica de bronze e ferro, na temperatura ambiente, é fixada por uma de suas extremidades, como visto na figura abaixo.

por uma de suas extremidades, como visto na figura abaixo. 1,2  1,8 10  5

1,2

1,8

10

5

10

 1 .   C  C 5  1 .
1
.
 C  C
5
1
.

Note e adote:

O

O

Após o aquecimento, a temperatura da lâmina é uniforme. Nessa situação, a lâmina está plana e horizontal. A seguir, ela é aquecida por uma chama de gás.

coeficiente de dilatação térmica linear do ferro é coeficiente de dilatação térmica linear do bronze é

é coeficiente de dilatação térmica linear do bronze é Aulão de Véspera da Saúde 10 com
308
308

Após algum tempo de aquecimento, a forma assumida pela lâmina será mais adequadamente representada pela figura:

a)

b)

c)

será mais adequadamente representada pela figura: a) b) c) d) e) Questão 17 - (PUC RS
será mais adequadamente representada pela figura: a) b) c) d) e) Questão 17 - (PUC RS
será mais adequadamente representada pela figura: a) b) c) d) e) Questão 17 - (PUC RS
d) e)
d)
e)
mais adequadamente representada pela figura: a) b) c) d) e) Questão 17 - (PUC RS 2014)

Questão 17 - (PUC RS 2014)

O piso de concreto de um corredor de ônibus é constituído de secções de 20m separadas por juntas

e que a

variação de temperatura no local pode chegar a 50°C entre o inverno e o verão. Nessas condições, a variação máxima de comprimento, em metros, de uma dessas secções, devido à dilatação térmica, é

a)

de dilatação. Sabe-se que o coeficiente de dilatação linear do concreto é

12

10

6

C

1

,

1,0

10

2

b)

1,2

10

2

c)

2,4

10

4

d)

4,8

10

4

e)

6,0

10

4

Questão 18 - (Unesp 2014)

A figura é o esquema simplificado de um disjuntor termomagnético utilizado para a proteção de

instalações elétricas residenciais. O circuito é formado por um resistor de baixa resistência R; uma lâmina bimetálica L, composta pelos metais X e Y; um eletroímã E; e um par de contatos C. Esse par de contatos tende a abrir pela ação da mola M2, mas o braço atuador A impede, com ajuda da mola M1. O eletroímã E é dimensionado para atrair a extremidade do atuador A somente em caso de corrente muito alta (curto circuito) e, nessa situação, A gira no sentido indicado, liberando a abertura do par de contatos C pela ação de M2.

a abertura do par de contatos C pela ação de M 2 . De forma similar,
a abertura do par de contatos C pela ação de M 2 . De forma similar,

De forma similar, R e L são dimensionados para que esta última não toque a extremidade de A quando o circuito é percorrido por uma corrente até o valor nominal do disjuntor. Acima desta, o aquecimento leva o bimetal a tocar o atuador A, interrompendo o circuito de forma idêntica à do eletroímã.

Na condição de uma corrente elevada percorrer o disjuntor no sentido indicado na figura, sendo

α X

e

α

Y os coeficientes de dilatação linear dos metais X e Y, para que o contato C seja desfeito, deve

valer a relação

do eixo do eletroímã apontará para a

e, nesse caso, o vetor que representa o campo magnético criado ao longo

Os termos que preenchem as lacunas estão indicados correta e respectivamente na alternativa

a)

b)

c)

d)

e)

α

α

α

α

α

X

X

X

X

X

α α

α

α α

Y Y

Y

Y Y

esquerda.

esquerda.

direita.

direita.

direita.

α Y Y Y Y Y esquerda. esquerda. direita. direita. direita. Aulão de Véspera da Saúde
309
309

Questão 19 (UFG 2014)

Uma longa ponte foi construída e instalada com blocos de concreto de 5 m de comprimento a uma temperatura de 20°C em uma região na qual a temperatura varia ao longo do ano entre 10°C e 40°C. O concreto destes blocos tem coeficiente de dilatação linear de 10 -5 °C -1 . Nessas condições, qual distância em cm deve ser resguardada entre os blocos na instalação para que, no dia mais quente do verão, a separação entre eles seja de 1 cm?

a) 1,01

b) 1,10

c) 1,20

d) 2,00

e) 2,02

Questão 20 (UPE 2014)

comprimento 2,0 m e temperatura inicial

de 25 °C está presa a uma parede por meio de um suporte de fixação S. A outra extremidade da barra B está posicionada no topo de um disco de raio R = 30 cm. Quando aumentamos lentamente a temperatura da barra até um valor final T, verificamos que o disco sofre um deslocamento angular

Uma barra de coeficiente de dilatação

5

 

10

4

C

1

,

 30

no processo. Observe a figura a seguir:

,  30  no processo. Observe a figura a seguir: Supondo que o disco rola

Supondo que o disco rola sem deslizar e desprezando os efeitos da temperatura sobre o suporte S e também sobre o disco, calcule o valor de T.

a) 50 °C

b) 75 °C

c) 125 °C

d) 300 °C

e) 325 °C

Questão 21

No gráfico a seguir, está representado o comprimento L de duas barras A e B em função da

temperatura

θ.

L de duas barras A e B em função da temperatura θ . Sabendo-se que as

Sabendo-se que as retas que representam os comprimentos da barra A e da barra B são paralelas, pode-se afirmar que a razão entre o coeficiente de dilatação linear da barra A e o da barra B é

a) 0,25.

b) 0,50.

c) 1,00.

d) 2,00.

Questão 22 (UPE 2013)

Uma esfera oca metálica tem raio interno de 10 cm e raio externo de 12 cm a 15°C. Sendo o coeficiente de dilatação linear desse metal 2,3 x 10 -5 (°C) -1 , assinale a alternativa que mais se aproxima da variação do volume da cavidade interna em cm 3 quando a temperatura sobe para 40°C. Considere π3

a) 0,2

b) 2,2

c) 5,0

d) 15

e) 15,2

Considere π  3 a) 0,2 b) 2,2 c) 5,0 d) 15 e) 15,2 Aulão de
310
310

Questão 23 (IFCE 2012)

Um bloco em forma de cubo possui volume de 400 cm 3 a 0°C e 400,6 cm 3 a 100°C. O coeficiente de dilatação linear do material que constitui o bloco, em unidades °C -1 , vale

a)

b)

c) 2x10 6 .

d) 1,5x10 5 .

e) 5x10 6 .

4x10

5 .

3x10 6 .

Questão 24 (UERN)

Duas barras de materiais diferentes A e B têm o mesmo comprimento a 20°C. Colocando-se a barra A num refrigerador e a barra B num forno, elas atingem, respectivamente as temperaturas de 10°C e 200°C, passando a apresentar uma diferença de 0,06 cm nos seus comprimentos. Sendo os coeficientes de dilatação linear dos materiais de A e B, respectivamente iguais a 2210 6 °C 1 e 310 6 °C 1 , então o comprimento inicial das barras a 20°C é

a) 30 cm.

b) 60 cm.

c) 50 cm.

d) 40 cm.

Questão 25

Um recipiente cilíndrico, de vidro, de 500 ml está completamente cheio de mercúrio, a temperatura de 22 ºC. Esse conjunto foi colocado em um freezer a 18 ºC e, após atingir o equilíbrio térmico, verificou-se um:

a) transbordamento de 3,4 ml de mercúrio.

b) transbordamento de 3,8 ml de mercúrio.

c) espaço vazio de 3,4 ml no recipiente.

d) espaço vazio de 3,8 ml no recipiente.

Dados - Constantes físicas:

Coeficiente de dilatação linear do vidro:

Coeficiente de dilatação volumétrica do mercúrio:

 

v

1,0 10

Hg

5

ºC

1

.

0,20 10

Constante da lei de Coulomb (para o vácuo):

9

K0 9,010 Nm

2

Questão 26 (Mackenzie 2010)

3

ºC

/ C

2

.

1

.

Uma placa de alumínio (coeficiente de dilatação linear do alumínio = 2.10 -5 ºC 1 ), com 2,4 m 2 de área à temperatura de 20 ºC, foi aquecido à 176 ºF. O aumento de área da placa foi de

a) 24 cm 2

b) 48 cm 2

c) 96 cm 2

d) 120 cm 2

e) 144 cm 2

Questão 27

Numa calorímetro, são colocados 100 g de água a 60 o C e 200g de gelo a 0 o C. Descreva como estará o sistema no equilíbrio térmico.

Questão 28

Numa calorímetro, são colocados 200 g de água a 50 o C e 100g de gelo a 10 o C. Descreva como estará o sistema no equilíbrio térmico.

Questão 29

Deseja-se obter 800g de água a 64 oC, misturando-se M1 gramas de gelo a 0 o C com M2 gramas de vapor de água a 100 oC. Determine as massa M1 e M2 que dever ser misturadas.

oC. Determine as massa M 1 e M 2 que dever ser misturadas. Aulão de Véspera
311
311

Questão 30 - UNIFOR MEDICINA - 2014.2estão 18

O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo. O Brasil ainda é um dos maiores exportadores desta rubiácea. Para saborear uma xícara desta bebida em uma cafeteria da cidade, André verificou que a xícara só estava morna. O café foi produzido a 100,00 ºC. A xícara era de porcelana cujo calor específico c x = 0,26 cal/gºC e sua temperatura antes do contato com o café era de 25,00 ºC. Considerando o calor específico do café de c c = 1,00 cal/gºC, a massa da xícara m x = 50,00 g e a massa do café m c = 150,00 g, a temperatura aproximada da xícara detectada por André, supondo já atingido o equilíbrio térmico e considerando não ter havido troca de calor com o ambiente, era:

a) 94,00 ºC

b) 84,00 ºC

c) 74,00 ºC

d) 64,00 ºC

e) 54,00 ºC

Questão 31 - UNIFOR MEDICINA - 2015.2

Um analista realizou um experimento para avaliar características térmicas de um fluido de refrigeração utilizado como equipamento de ar condicionado, obtendo o seguinte gráfico:

equipamento de ar condicionado, obtendo o seguinte gráfico: Sabendo que foram utilizados 100g da substância, quais
equipamento de ar condicionado, obtendo o seguinte gráfico: Sabendo que foram utilizados 100g da substância, quais

Sabendo que foram utilizados 100g da substância, quais foram, respectivamente, os valores das entalpias de fusão e de ebulição da substância, em cal/g, obtidos pelo analista?

a) 5 e 15.

b) 5 e 40.

c) 15 e 20.

d) 20 e 55.

e) 40 e 65.

Questão 32 - FCM JP 2015-1

Num calorímetro ideal, colocamse 1kg de água a 100ºC e 1250 gramas de gelo a 0ºC. Sabendose

que o calor latente de fusão do gelo é de Lfusão gelo = 80 cal/g e o calor específico da água 1cal/gºC, determine a temperatura de equilíbrio desse sistema. A troca de calor ocorre, apenas, entre o gelo e a água.

a) 0ºC.

b) 25ºC.

c) 10ºC.

d) 5ºC.

e) 98,75ºC.

Questão 33 - (Unichristus Medicina 2016.2 1ª Fase)

Um engenheiro, para calcular a espessura ideal do pavimento asfáltico de 5000 m 2 , transfere uma

7 kJ para esse pavimento no intervalo entre 8h e 13h, provocando uma

variação de temperatura de 24 o C. Desprezando as perdas de calor no meio, pode-se afirmar que a espessura aproximada da camada asfáltica será

Dados:

a) 0,003 m.

b) 0,5 dam.

c) 1,5 dm.

d) 21 cm.

e) 150 mm.

quantidade de calor de

4,310

asfalto 2.300 kg/ m

3

o

e casfalto 0,75 kJ/ kg C

.

 2.300 kg/ m 3 o e c asfalto  0,75 kJ/ kg C . Aulão
312
312

Questão 34 - (Unichristus Medicina 2016.2 1ª Fase)

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o local onde mais cai raios no país é no Amazonas, com 11 milhões de registros por ano, seguido pelo Pará, com 7,8 milhões, e Mato Grosso, com 6,81 milhões de casos. Para que aconteça tal descarga elétrica, a diferença de

, e a quantidade de carga

potencial entre os pontos onde ocorrem as descargas é da ordem de

transferida é de aproximadamente de 30 C. Se toda energia dessa descarga fosse utilizada para fundir gelo a 0 o C, quantas toneladas aproximadas de gelo irão fundir-se?

Dados: C gelo = 80 cal/g, 1 cal = 4,186 J e carga elementar igual a

a) 52.

b) 89.

c) 103.

d) 124.

e) 142.

10

9

V

19

C.

1,6 10

b) 89. c) 103. d) 124. e) 142. 10 9 V  19 C . 1,6
299
299

Capítulo 23 Complementos Analise Dimensional e Termologia

1)

A

2)

A

3)

E

4)

A

5)

a) 2

b) 3

c) 2

d) 3

e) 4

 

6)

a) 42

 

b) 1,210 1

 

c) 0,75

 

d) 0,08

7)

A [b] = m.s 2 , [b] = m.s 3 ,

 

8)

[c] = metro,

[d] = m/s,

[ j ] = s 2 [d] = m/s 2 ,

 

9)

[c] = m/s 2 , [c] = kgm/s 2

[ j ] = s 2

10)

C Comentário

 

A

área total disponível para que as pessoas assistam ao

evento sentadas corresponde a 300.000 m 2 . Nessa área, pode-se estimar a acomodação de, pelo menos, duas pessoas

por metro quadrado, ou seja, 2 pessoas ocupando um quadrado de dimensões 1 m x 1 m considerando-se o maior número possível de adultos. Com isso, tem-se:

 

300.000 = 3 10 5 m 2 3 x 10 5 m 2 2 (pessoas / m²) = 6 x 10 5 = 10 6 pessoas

11)

D

12)

D - vai fumar 10 5 cigarros

 

13)

E - Comentário:

 

Enchendo o copo A com água gelada ele sofre contração e mergulhando o copo B em água quente ele sofre dilatação, criando uma folga entre eles, possibilitando a separação.

14)

E

- Comentário:

 

L

 

L

 

T

  

L

801

800

 

 

0

L

0

T

800 110

100

 



1

0,125

10

4

 
 

80.000

 

15)

D

- Comentário:

 
     
 

A figura apresenta os copos A e B

 
  A figura apresenta os copos A e B  

firmemente encaixados, sendo A de vidro e B

de

alumínio.

 

As

possíveis soluções para soltá-los são:

 

-

resfriar somente o copo A para haver

contração, enchendo-o com água gelada;

 

-

aquecer somente o copo B para haver

dilatação, imergindo-o em água quente; - fazer simultaneamente os dois processos anteriores; - aquecer os dois copos, pois o copo B, de alumínio, tem maior coeficiente de dilatação.

16)

D

- Comentário:

 

O

coeficiente de dilatação linear do bronze é maior que o do

ferro, portanto a lâmina de bronze fica com comprimento maior, vergando como mostrado na alternativa [D].

17)

B

- Comentário:

 

L

 

L0

 

20

12

10

6

50

1,2

10

2

m.

 

18)

C - Comentário:

 

Para que a lâmina bimetálica vergue para a direita, empurrando o braço atuador, o metal X deve ter coeficiente de

dilatação maior que o do metal Y

X Y .

Pela regra prática da mão direita, a extremidade esquerda do eletroímã é um polo sul e extremidade direita um polo norte, portanto, o vetor indução magnética no interior do eletroímã é para a direita.

19)

B - Comentário:

Para uma melhor visualização, considere que cada bloco so dilata à direita. Considere que a extremidade esquerda de cada bloco fica parada em relação ao solo.

 

d

L

L

 

1

5

   

0

0,1

d

20

1,10 cm.

10

5

10

3

m

0,1 cm.

20)

B Comentário A dilatação L sofrida pela barra é exatamente igual ao comprimento do arco a na figura abaixo.

L

 

a

 

a

R

R

L

6

30

L

L

5

   

cm.

  30 L L 5     cm. Aplicando a expressão da dilatação

Aplicando a expressão da dilatação linear:

 

L

L

0



T

T

10

4

200

25

T

  

L

L

0

T

75 °C.

T

25

5

200

5

 

10

4

21)

D - Comentário Comparando a função Y = A.X + B com a função abaixo, fácil-mente identificamos quem fará o papel do coeficiente angular:

o (1

L

L

L

L

Y

L

o

L

  



L

)

L

o

L

o



o

L

o

(

   

o

X

 

L  L  o o o B
L
L

o
o
o
B

o

A

o

)

Assim, no gráfico da função L, o coeficiente angular A da reta será o produto Lo.. Observando o gráfico da questão, vemos que as duas retas são paralelas, o que implica que elas têm coeficientes angulares iguais. Dessa forma, podemos dizer que o produto Lo.. da barra A

produto Lo.. da barra B.

tem que ser igual ao produto o Assim, vem:

L

  L   2 

oA

A

oB



B

A B
A
B

2

  

A

B

A

  2

B

22)

C - Comentário

Simétrico Pré-Universitário

Há 26 anos ensinando com excelência os estudantes cearenses ww.simétrico.com.br

300 T T  32 T    176  32 Calculando o volume
300
T
T
 32
T
176
 32
Calculando o volume inicial da cavidade:
C
F
C
4
4
3
T
80
C.
V
R
3
r
3
12
3
10
3
2912 cm
3
5
9
5
9
C
o
3
3
Aplicando a expressão da dilatação superficial:
Calculando V
 A
A
  
T
A
2
T
T
 
V
V
(3
 
).
0
0
C
0
o
5 
 5
3
 A
2,4
2
 
2
10
80
 
20
3
2
 
9,6
 10
m
 
V
2912 (3 2,3 10
).(40
15)
5,02 cm
 
2
 A
96
cm
.
23)
E - Comentario
27)
 
L
L
3
  
0
28)
Restam 125 g de gelo
TF = 5 o C
29)
M1 = 640g,
M2 = 160 g
1
L
400,6
400
6
10

3
L

3 400

100
0
2
2
3
 
4
10
10
0
30)
A
- Comentário
Q
Q
0
6
1
 
5
10
C
.
cafe
xicara
150
1 (x
100)
50
0,26 (x
25)
0
3,26 x
306,5
24)
C - Comentário
Note que a barra A diminui de tamanho (foi resfriada) portanto
seu LA será negativo.
A barra B aumenta de tamanho (foi aquecida) portanto seu
LB sera positivo.
x
 94,01
o C
31)
A  Comentário:
A
i
n
í c i o
B
Se você não entendeu nem a pergunta, fique tranquila, a
questão é meio estranha mesmo. Como ele disse que quer
determinar algo em cal/g ele está se referindo ao calor latente
de fusão e de ebulição.
|
 L A |
L B
A
Pelo gráfico, a temperatura de ebulição deve ser 40 o C e a de
fusão só pode ser 5 o C pois nessas temperaturas temos um
patamar constante.
f
i n a l
B
Q fusao =
m  Lfusao
d
(2000  1500)cal = 100g  Lfusao
Lfusao = 5 cal/g
Observando a figura acima, vemos que:
d 
L

L
d
L

L
 
Q ebulicao =
m  Lebulicao
A
B
0
A
A
0
B
B
d
L

  
.
(5500  4000)cal = 100g  Lebulicao
Lebulicao = 15 cal/g
0
A
A
B
B
32)
A
d
L
0
A 
  
A
B
B
33)
D
Q 
m
 
c
,
m = d
V,
vol
V =A
H
2
6
10
L
Q
0
5
6
Q 
(d
A
h)
  
c
h
22
 10
10
 
(
20)
3
10
200
20
d
A
 
c
2
6
 10
4,3 10
7 KJ
L
50 cm.
h
0,207m
20,7cm
0
kg
KJ
4
2
o
12
 10
2300
5000m
0,75
24 C
3
m
kg
 o C
25)
C - Comentário
Note que, nesse caso, temos uma situação rara na qual
recipiente > liquido. Assim, ao aquecemos o conjunto, o
recipiente vai dilatar mais do que o líquido e, portanto, não
haverá extravasamento de liquido, mas sim, um pequeno
esvaziamento do recipiente.
34)
B,
a descarga do raio elétrico é espontânea e, portanto, leva a um
decréscimo da Epot elétrica do sistema. Essa energia liberada será
convertida em calor latente. A energia liberada no processo será o
trabalho realizado pela força elétrica, dado por:
TFeletrica  q(ViVf)  qU
Vap  V0(Hg vidro )
Vap
500(0,2x10
3
3x1x10
5
)(
18
22)

3,4mL
O calor latente é dado por Q = M Lfusao
Assim, igualando, temos
q
U
30C
10
9 V
q
U
M Lfusao
M
Lfusao
(1cal)
Um aparente negativo acima implica um Vaparente negativo, o
que já era esperado uma vez que o que vai ocorrer é o contrário de
um transbordamento de liquido. O nível do líquido vai eh descer.
80
g
9 J
30C
10
26)
C - Comentário
Usando a equação de conversão de °F para °C:
C
7
6
M
8,95 10
g
89,5 10
g
89,5 toneladas
4,186J
80
g 