Você está na página 1de 3

FICHA DE TRABALHO

Biologia e Geologia – 10º ano


CORREÇÃO

Método científico – apresentação de um caso de investigação científica

Na produção agrícola, podem ser utilizados diversos inseticidas, como o Diclorvos (DDVP) e a
Deltametrina (DTM). Estas classes de inseticidas afetam o sistema nervoso, causando a paralisia dos
insetos. Os inseticidas da classe do DDVP impedem a ação de enzimas, tais como as esterases, que são
necessárias à degradação dos neurotransmissores (mensageiro químico que permite a transmissão do
impulso nervoso de um neurónio para o neurónio seguinte). Já os inseticidas da classe da DTM atuam nos
canais de sódio do axónio, retardando a repolarização do neurónio, o que dificulta a propagação do impulso
nervoso ao longo do axónio.
Com o intuito de avaliar a toxicidade de fórmulas comerciais do DDVP e da mistura deste com a DTM, foi
desenvolvido um estudo de toxicidade em peixes da espécie Danio rerio.

Métodos utilizados e resultados obtidos:


1. Foram utilizados peixes com um peso médio de 5 g.
2. Os peixes foram mantidos em água a uma temperatura de 25 °C e pH 7,0. Foi fornecido a todos os
peixes o mesmo tipo de alimento.
3. Posteriormente, os peixes foram colocados, durante 48 horas, em aquários de 3 L. Para a determinação
da toxicidade dos inseticidas, variou-se, em alguns dos aquários, a concentração de DDVP ou da
mistura de DDVP com DTM.
4. Parte dos resultados obtidos consta nas Tabelas 1 e 2.
5. Nos testes efetuados nos grupos de controlo, não se registaram mortes.

1. Enumere os factos inicialmente observados pelos investigadores e que estiveram na base desta
investigação/ estudo.
- inseticidas, como o DDVP e a DTM afetam o sistema nervoso, causando a paralisia dos insetos.
- o DDVP impede a ação de enzimas, tais como as esterases, que são necessárias à degradação dos
neurotransmissores
- a DTM atua nos canais de sódio do axónio, retardando a repolarização do neurónio, o que dificulta a
propagação do impulso nervoso ao longo do axónio.

IMP.DP.008-00 1/3
FICHA DE TRABALHO

2. Indique, com base nos factos observados, o problema que surgiu e que se pretendeu resolver com o
estudo em causa.
- Qual a toxicidade de fórmulas comerciais do DDVP e da mistura deste com a DTM?

3. Formule uma hipótese para responder ao problema apresentado.


- Talvez a mistura da DDVP com DTM sela mais tóxica do que o DDVP isolado.

4. Refira, na experiência que se realizou, a diferença das condições a que foram submetidos os grupos de
controlo, relativamente àquelas a que foram submetidos os restantes grupos (experimentais).
Os peixes do grupo de controlo não foram submetidos ao tratamento com qualquer inseticida (ou as
concentrações de DDVP e de DTM, nos grupos de controlo, eram nulas).

5. Identifique, na experiência que se realizou, as variáveis dependente e independente e os fatores que se


mantiveram constantes.
V D - a taxa de mortalidade dos peixes V.I – a concentração de inseticidas

Fatores constantes: Temp., pH, quantidade de água, espécie e tamanho de peixes; tempo de exposição aos
inseticidas

6. Os dados do estudo mostram que …


(A) ___ a DTM, relativamente ao DDVP, provoca a morte de um maior número de animais.
(B) ___ o efeito do DDVP depende da concentração em que é administrado.
(C) ___ o aumento do teor de DDVP torna mais rápida a morte dos animais.
(D) ___ a eficácia da mistura de DDVP com DTM depende das concentrações destas substâncias.

7. Com base nos resultados obtidos avalie a hipótese elaborada na questão 4.

Depende da hipótese colocada.

8. Considere os dados das Tabelas 1 e 2 e as informações seguintes:


• a utilização isolada de 0,078 μg L−1 de DTM provoca 50% de mortes em Danio rerio;
• as enzimas esterases catalisam a hidrólise da DTM;
• o DDVP impede a ação das esterases.

Explique a diferença na percentagem de mortes quando se utilizam os inseticidas isoladamente e quando


se utilizam em conjunto.
Na sua resposta, apresente os resultados que permitem confirmar a sua explicação.

• concentrações de DDVP de 0,020 µg L−1 (ou de 0,010 µg L−1) não causam a morte a nenhum
peixe, e concentrações de 0,078 µg L−1 de DTM causam a morte de 50% da amostra, enquanto a
utilização combinada de 0,005 µg L−1 de DDVP e de 0,020 µg L−1 de DTM (ou de 0,010 µg L−1 de
DDVP e de 0,040 µg L−1 de DTM) causa a morte de 100% da amostra (de todos os peixes);
OU
concentrações de DTM de 0,078 µg L−1 causam a morte de 50% da amostra e concentrações de DDVP de
0,010 µg L−1 (ou de 0,020 µg L−1) causam 0% de mortes, enquanto a utilização combinada destes
inseticidas provoca mais mortes, mesmo em concentrações menores;
OU
a utilização conjunta de 0,005 µg L−1 de DDVP e de 0,020 µg L−1 de DTM (ou de 0,010 µg L−1 de DDVP e de
0,040 µg L−1 de DTM) causa a morte de 100% da amostra, enquanto estes inseticidas utilizados
isoladamente, mesmo em maiores concentrações, provocam menos mortes;
OU
concentrações de DTM de 0,078 µg L−1 causam a morte de 50% da amostra e concentrações de 0,040 µg
L−1 de DDVP causam a morte de 100% da amostra, enquanto a utilização combinada destes inseticidas,
mesmo em concentrações menores, causa 100% de mortes;
IMP.DP.008-00 2/3
FICHA DE TRABALHO

• a inibição das esterases pelo DDVP impede a destruição da DTM.


OU
a DDVP impossibilita a hidrólise da DTM.

9. Apresente as conclusões a que os cientistas terão chegado no final desta investigação científica.

- A toxidade da mistura de inseticidas é superior à toxidade do DDVP isolado.

IMP.DP.008-00 3/3

Você também pode gostar