Você está na página 1de 84

A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S • J A N E I R O D E 2 015

Ezra e Flora
Benson:
Unidos na
Obra do
Senhor, p. 32
Aprender a Ensinar Como
o Salvador Ensinou, p. 24
A Pessoa Mais Importante
de Sua Vida, p. 56
Mãos Pequenas,
Grande Diferença, p. 64
“Bom é o sal; mas, se
o sal degenerar, com
que se há de salgar?”
Lucas 14:34

À esquerda: Alvorecer hibernal


na Praia Ein Gedi, Mar Morto,
com sal ao fundo.
A Liahona, Janeiro de 2015

18

MENSAGENS 24 Que Tipo de Professores SEÇÕES


4 Mensagem da Primeira
Devemos Ser?
Presidência Geral da 8 Caderno da Conferência de
Presidência: Seguir os Profetas Outubro de 2014
Escola Dominical
Presidente Thomas S. Monson
O Salvador é Quem está mais 10 Falamos de Cristo: Uma Hora
7 Mensagem das Professoras bem capacitado a nos ensinar para Vigiar com Ele
Visitantes: Os Atributos de a ensinar o Seu evangelho. Maritza Gonzales Espejo
Jesus Cristo: Filho Obediente
28 Conselhos Proféticos 12 Nosso Lar, Nossa Família:
e Bênçãos do Templo Jornada para Tornar-­se
ARTIGOS Élder Koichi Aoyagi uma Família Eterna
Se seguirmos o profeta e fizermos Garth e Sandy Hamblin
18 O Que Escolherão? da frequência ao templo uma
14 Reflexões: Vaga-­Lumes
Élder Russell M. Nelson prioridade, receberemos grandes
Num momento de sua vida em que bênçãos em nossa vida. David Wright
há tantas escolhas, assegure-­se de
fazer as escolhas certas. 32 Flora e Eu: Parceiros Iguais 15 Servir na Igreja: Uma Batata
na Obra do Senhor para a Professora
Aaron L. West Bonny Dahlsrud
Veja como o casamento de Ezra
Taft Benson e Flora, caracte-
16 Notícias da Igreja
rizado pelo amor e pelo apoio 38 Vozes da Igreja
mútuo, ajudou o 13º Presidente
da Igreja. 80 Até Voltarmos a Nos Encontrar:
NA CAPA Como Posso Saber Se o Senhor
Primeira capa: cortesia da Biblioteca de
História da Igreja. Parte interna da primeira Me Perdoou?
capa: fotografia de Gilad Mass. Presidente Harold B. Lee

J a n e i r o d e 2 0 1 5 1
JOVENS ADULTOS JOVENS CRIANÇAS

48 Tema da Mutual de 2015


Presidência Geral dos Rapazes
e Presidência Geral das Moças
O tema da Mutual deste ano
ajuda-­nos a compreender como
servir melhor ao Pai Celestial.
50 Um Passo de Cada Vez 72
Hillary Olsen
Jovens da Itália contam como
servem a Deus de todo o coração,
poder, mente e força.
53 Servir a Deus de Todo o
Coração, Poder, Mente e Força
42 Como pôr em prática o tema
da Mutual deste ano? Aqui vão 64 Dê-­nos uma Mãozinha!
algumas ideias. Assim como essas crianças, você

42 Aconselhar-­se com Frequência: 55 Pôster: Embarque pode mostrar que se importa ao


encontrar maneiras de ajudar
Conselhos de Família para os 56 Por Que Jesus Cristo É o próximo.
Casais
Nichole Eck
Importante em Minha Vida?
Aqui estão cinco motivos pelos
66 Desafio: Estudo das Escrituras
do Novo Testamento
46 Coragem para Me Casar quais o Salvador pode ser a pessoa
mais importante em sua vida.
Essa atividade ajudará você a
ler alguns versículos do Novo
Christian Hägglund
Eu sabia que o casamento era 60 Como Alcançar Metas Eternas Testamento por semana este ano.
o passo seguinte, mas eu esperava
que o Senhor me indicasse o que
Élder Robert D. Hales 69 Usar Meu Tempo para Fazer
Essas quatro metas lhe trarão Algo de Bom
fazer. alegria à medida que você Clayton W.
cumprir sua missão nesta Terra.
70 Nossa Página
61 Como Eu Sei?: O Centro
de Minha Vida 71 Testemunha Especial: Como as
Roberto Pacheco Pretel escrituras podem ajudar-­me?
Cristo nas Américas? As missioná- Presidente Boyd K. Packer
rias devem estar enganadas.
72 A Arma Secreta
62 Direto ao Ponto Jessica Larsen
Eva era a menor menina da
63 Dar o Melhor Presente turma. Como poderia nos
Mariela Rodriguez ajudar a ganhar?
Ao seguir o conselho do profeta,
consegui dar o melhor presente 74 Hora das Escrituras:
de todos. Uma Jornada para Aprender
sobre Jesus Cristo

76 A Lista de Dez Prioridades


de Abby
Rosemary M. Wixom
Quais são as dez metas mais
importantes na sua vida?
Veja se consegue encon-
trar a Liahona oculta 77 Figuras das Escrituras do
nesta edição. Dica: Ache Novo Testamento: Jesus
Ensina no Templo
um assento no ônibus.
50 78 Oração no Ônibus
Mitzy Jiménez Ramírez
Ideias para a Noite Familiar
JANEIRO DE 2015 VOL. 68 Nº 1
A LIAHONA 12561 059
Revista Internacional em Português de A Igreja de Jesus Cristo
dos Santos dos Últimos Dias
A Primeira Presidência: Thomas S. Monson,
Henry B. Eyring e Dieter F. Uchtdorf Esta edição contém atividades e artigos que podem ser usados na noite familiar.
Quórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer,
L. Tom Perry, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks,
Seguem-­se dois exemplos.
M. Russell Ballard, Richard G. Scott, Robert D. Hales,
Jeffrey R. Holland, David A. Bednar, Quentin L. Cook,
D. Todd Christofferson e Neil L. Andersen
Editor: Craig A. Cardon
Consultores: Mervyn B. Arnold, Christoffel Golden,
Larry R. Lawrence, James B. Martino, Joseph W. Sitati
Diretor Administrativo: David T. Warner
Diretor de Apoio à Família e aos Membros:
Vincent A. Vaughn
Diretor das Revistas da Igreja: Allan R. Loyborg
Gerente de Relações Comerciais: Garff Cannon
Gerente Editorial: R. Val Johnson
Gerente Editorial Assistente: Ryan Carr
Assitente de Publicações: Lisa C. López
Equipe de Composição e Edição de Textos: Brittany Beattie,
David Dickson, David A. Edwards, Matthew D. Flitton, Lori Fuller,
Garrett H. Garff, LaRene Porter Gaunt, Mindy Anne Leavitt,
Michael R. Morris, Sally Johnson Odekirk, Joshua J. Perkey,
Jan Pinborough, Richard M. Romney, Paul VanDenBerghe,
Marissa Widdison
Diretor Administrativo de Arte: J. Scott Knudsen
Diretor de Arte: Tadd R. Peterson
Equipe de Diagramação: Jeanette Andrews, Fay P. Andrus,
Mandie M. Bentley, C. Kimball Bott, Thomas Child, Nate Gines,
Colleen Hinckley, Eric P. Johnsen, Susan Lofgren, Scott M. Mooy,
Mark W. Robison, Brad Teare, K. Nicole Walkenhorst
Coordenadora de Propriedade Intelectual: “Como Alcançar Metas Eternas”, página “Desafio: Estudo das Escrituras do
Collette Nebeker Aune
Gerente de Produção: Jane Ann Peters 60, e “A Lista de Dez Prioridades de Novo Testamento”, página 66: Avalie a
Equipe de Produção: Kevin C. Banks, Connie Bowthorpe
Bridge, Julie Burdett, Bryan W. Gygi, Denise Kirby, Ginny J. Abby”, página 76: Com o início de um possibilidade de iniciar em família o desafio
Nilson, Gayle Tate Rafferty
Pré-Impressão: Jeff L. Martin
novo ano, você e sua família podem estar de estudar o Novo Testamento. Você pode
Diretor de Impressão: Craig K. Sedgwick pensando em certas metas que esperam começar perguntando a cada pessoa da
Diretor de Distribuição: Stephen R. Christiansen
Tradução: Edson Lopes alcançar tanto individualmente quanto família qual é sua história favorita da vida
Distribuição:
Corporação do Bispado Presidente de A Igreja de Jesus Cristo
em família. Pense em ler o artigo da irmã de Jesus Cristo. Depois, com toda a família,
dos Santos dos Últimos Dias. Steinmühlstrasse 16, 61352 Bad
Homburg v.d.H., Alemanha.
Rosemary M. Wixom sobre as dez metas visite gospelart.LDS.org ou scripturestori
Para assinatura ou mudança de endereço, entre em contato mais importantes da vida e convide seus es.LDS.org para encontrar vídeos e obras
com o Serviço ao Consumidor. Ligação Gratuita: 00800 2950
2950. Telefone: +49 (0) 6172 4928 33/34. E-mail: orderseu@ filhos a criarem sua própria lista de metas. de arte que estejam relacionados a seu
ldschurch.org. Online: store.lds.org. Preço da assinatura para
um ano: € 3,75 para Portugal, € 3,00 para Açores e CVE 83,5 Seus filhos mais velhos também poderão calendário de leitura. Se preferir, faça dra-
para Cabo Verde. tirar proveito do artigo do Élder Robert D. matizações de cenas do Novo Testamento
Para assinaturas e preços fora dos Estados Unidos e do Canadá,
acesse o site store.LDS.org ou entre em contato com o Centro de Hales sobre as metas eternas e a impor- no decorrer da leitura.
Distribuição local ou o líder da ala ou do ramo.
Envie manuscritos e perguntas online para liahona.LDS.org; tância de fazer planos para alcançá-­las.
pelo correio, para: Liahona, Room 2420, 50 E. North Temple
St., Salt Lake City, UT 84150-0024, USA; ou por e-mail, para:
Incentive os membros da família a anotar
liahona@LDSchurch.org. suas metas e colocá-­las num lugar bem
A ­Liahona, termo do Livro de Mórmon que significa “bússola”
ou “guia”, é publicada em albanês, alemão, armênio, bislama, visível da casa.
búlgaro, cambojano, cebuano, chinês, chinês (simplificado),
coreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol, estoniano,
fijiano, finlandês, francês, grego, holandês, húngaro, indonésio,
inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, malgaxe,
marshallês, mongol, norueguês, polonês, português, quiribati, EM SEU IDIOMA
romeno, russo, samoano, suaíli, sueco, tagalo, tailandês,
taitiano, tcheco, tonganês, ucraniano, urdu e vietnamita.
(A periodicidade varia de um idioma para outro.)
A revista A Liahona e outros materiais da Igreja estão disponíveis em muitos
© 2015 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados. idiomas em languages.LDS.org.
Impresso nos Estados Unidos da América.
O texto e o material visual encontrados na revista A ­Liahona
podem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar,
não para uso comercial. O material visual não poderá ser TÓPICOS DESTA EDIÇÃO
copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos
constantes da obra. As perguntas sobre direitos autorais Os números representam a primeira página de cada artigo.
devem ser encaminhadas para Intellectual Property Office,
50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150, USA; e-mail:
cor-intellectualproperty@LDSchurch.org.
Amor, 15 Expiação, 10 Perdão, 80
For Readers in the United States and Canada: Arbítrio, 18 Ezra Taft Benson, 32 Profetas, 28, 32
January 2015 Vol. 68 No. 1. LIAHONA (USPS 311-480)
Portuguese (ISSN 1044-3347) is published monthly by The Arrependimento, 12, 39, 80 Família, 12, 28, 32, 42, 46 Regras de Fé, 69
Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 50 E. North Temple St.,
Salt Lake City, UT 84150. USA subscription price is $10.00 per
Bondade, 72 Jesus Cristo, 7, 10, 24, 56, Respeito, 72
year; Canada, $12.00 plus applicable taxes. Periodicals Postage Casamento, 28, 32, 42, 46 61, 74 Sacramento, 10
Paid at Salt Lake City, Utah. Sixty days’ notice required for change
of address. Include address label from a recent issue; old and Conferência geral, 8 Metas, 60, 76 Serviço, 15, 38, 41, 48,
new addresses must be included. Send USA and Canadian
Conversão, 12 Novo Testamento, 66, 68, 50, 53, 55, 64
subscriptions to Salt Lake Distribution Center at address below.
Subscription help line: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa, Decisões, 4, 6, 18 74, 77 Tentação, 14
MasterCard, American Express) may be taken by phone. (Canada
Poste Information: Publication Agreement #40017431) Discórdia, 62 Obediência, 7 Trabalho do templo,
POSTMASTER: Send all UAA to CFS (see DMM 707.4.12.5).
Educação, 18 Obra missionária, 40, 48, 12, 28
NONPOSTAL AND MILITARY FACILITIES: Send address changes
to Distribution Services, Church Magazines, P.O. Box 26368, Ensino, 24 53, 55, 63 Vida eterna, 14, 60, 76
Salt Lake City, UT 84126-0368, USA.
Escrituras, 66, 71 Oração, 78 Vida pré-­mortal, 18

J a n e i r o d e 2 0 1 5 3
MENSAGEM DA PRIMEIRA PRESIDÊNCIA

Presidente
Thomas S. Monson

SEGUIR

Profetas
OS

S
ervi na Marinha dos Estados Unidos quase no fim era menino, o Élder Harold B. Lee (1899–1973), na época
da Segunda Guerra Mundial. Eu era marinheiro, membro do Quórum dos Doze Apóstolos. Sentei-­me à
a patente mais baixa de toda a Marinha. Depois, mesa à frente dele. Contei-­lhe o quanto desejava aquela
classifiquei-­me para ser marinheiro de primeira classe e, comissão. Na realidade, mostrei a ele a carta de designação
em seguida, escrevente de terceira classe. que havia recebido.
A guerra terminou e posteriormente fui dispensado. Mas Depois de pensar no assunto por alguns instantes,
tomei a decisão de que, se um dia voltasse às forças arma- ele me disse: “Irmão Monson, você deve fazer o seguinte:
das, queria servir como oficial comissionado. Pensei: “Não escreva uma carta para o Escritório de Assuntos Navais e
vou mais ficar em cozinhas trabalhosas nem limpar o chão informe que, devido a seu chamado como membro do bis-
do navio, se eu puder evitar”. pado, não poderá aceitar essa comissão na Reserva Naval
Depois de dar baixa, integrei a Reserva Naval dos Esta- dos Estados Unidos”.
dos Unidos. Ia treinar toda segunda-­feira à noite. Estudei Senti um aperto no coração. Ele acrescentou: “Depois
muito para me qualificar academicamente. Fiz todos os escreva ao comandante do Décimo Segundo Distrito Naval
tipos de exames imagináveis: mentais, físicos e emocionais. em São Francisco, dizendo que gostaria de ser dispensado
Por fim, chegou a boa notícia: “Você foi aceito para rece- da reserva”.
ber a comissão de guarda-­marinha (aspirante a segundo-­ Repliquei: “Irmão Lee, o senhor não entende os militares.
tenente) na Reserva Naval dos Estados Unidos”. É claro que eles não me darão essa comissão se eu a recusar;
Com muita alegria, mostrei a carta a minha mulher, mas o Décimo Segundo Distrito Naval não vai permitir meu
Frances, e exclamei: “Consegui! Consegui!” Ela me abraçou desligamento. Com uma guerra à vista na Coreia, certamente
e disse: “Você se empenhou muito para conseguir isso”. convocarão oficiais não comissionados. Se voltarem a me
Mas, então, aconteceu algo inesperado. Fui chamado convocar, eu preferiria voltar como oficial comissionado, mas
para ser conselheiro no bispado de minha ala. A reunião não o serei se recusar essa comissão. O senhor tem certeza
de conselho do bispado era na mesma noite da minha de que é esse o conselho que deseja me dar?”
reunião de treinamento na Marinha. Eu sabia que havia um O Élder Lee colocou a mão em meu ombro e, de modo
enorme conflito. Eu sabia que não teria tempo para servir paternal, disse: “Irmão Monson, tenha mais fé. A vida mili-
na Reserva Naval e em meus deveres no bispado. O que tar não é para você”.
deveria fazer? Tinha que tomar uma decisão. Fui para casa. Coloquei uma comissão manchada de
Orei a respeito da questão. Depois fui conversar com lágrimas dentro do envelope juntamente com a carta de
o homem que era meu presidente de estaca quando eu recusa. Depois escrevi uma carta ao Décimo Segundo

4 A Liahona
Eu não estaria na posição que ocupo hoje na Igreja se não tivesse seguido o conselho do Élder Harold B. Lee.

Distrito Naval e solicitei a dispensa Há quem diga que a história gira Todo-­Poderoso, se quisermos ter
da Reserva Naval. em torno de pequenas dobradiças, a sensação no peito de que o Pai
Minha dispensa da reserva naval e o mesmo se dá com nossa vida. Celestial está-­nos guiando, devemos
constava do último grupo proces- As decisões determinam o destino. seguir os profetas de Deus. Quando
sado antes da eclosão da Guerra da Mas não estamos sozinhos em nossas seguimos os profetas, estamos em
Coreia. A unidade para a qual eu decisões. território seguro. ◼
fora designado foi enviada de volta Se quisermos ver a luz do céu, se NOTA
ao serviço ativo. Seis semanas depois quisermos sentir a inspiração do Deus 1. Ver I Coríntios 2:14.
de chamado para ser conselheiro no
bispado, fui chamado bispo da ala.
Eu não estaria na posição que ENSINAR USANDO ESTA MENSAGEM
ocupo hoje na Igreja se não tivesse
seguido o conselho de um profeta, se N ão são muitos os membros da Igreja que recebem conselhos pessoais
de um apóstolo, como aconteceu com o Presidente Monson. Mas mesmo
assim podemos ser abençoados ao seguirmos os ensinamentos dos profe-
não tivesse orado acerca daquela deci-
são e se não me tivesse dado conta de tas e apóstolos. Considere a possibilidade de ler os discursos do Presidente
uma importante verdade: às vezes, a Monson da última conferência geral (leia também suas palavras na abertura
e no encerramento). Identifique orientações específicas e apelos à ação. Você
sabedoria de Deus parece tolice para
pode conversar sobre o que aprendeu com as pessoas a quem visita e pensar
os homens.1 Mas a maior lição que
em maneiras de aplicar os conselhos do Presidente Monson.
ILUSTRAÇÃO: PAUL MANN

podemos aprender na mortalidade é


Para ideias sobre como ensinar esta mensagem para os jovens e as
que, quando Deus fala e Seus filhos
crianças, ver página 6.
obedecem, eles sempre estarão no
caminho certo.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 5
JOVENS

Conselhos para Escolhas Difíceis

O Presidente Henry B. Eyring,


Primeiro Conselheiro na Primeira
Presidência, falou de uma ocasião em
não nos parecia possível”. Mas,
naquela noite, eles pensaram numa
propriedade que vinham tentando
pouco tempo, eles se livraram das
dívidas (ver “Confiar em Deus e,
Então, Fazer”, A Liahona, novembro
que seguiu o conselho de um profeta. vender, sem sucesso, havia anos. “Con- de 2010, p. 70).
Numa conferência geral, o Presidente fiamos em Deus e (…) [na] mensagem Ainda que você não tenha um
Ezra Taft Benson (1899–1994) instou os de Seu servo, (…) e telefonamos para empréstimo imobiliário a quitar, os
membros a livrarem-­se das dívidas — o corretor. (…) Ouvi uma resposta que conselhos proféticos podem guiá-­lo
especificamente as ligadas ao financia- até hoje fortalece minha confiança no momento atual em meio a deci-
mento da casa própria. em Deus e em Seus servos.” Naquele sões difíceis ligadas ao trabalho, aos
O Presidente Eyring conta: “Virei mesmo dia, alguém fez uma oferta estudos, à missão e ao namoro. Discuta
para minha mulher, depois da reunião de compra para aquele imóvel do com a família ou os amigos sobre como
e perguntei: ‘Acha que existe alguma casal Eyring num valor ligeiramente você pode seguir o profeta ao precisar
maneira de fazermos isso?’ A princípio, superior ao do financiamento. Em tomar decisões difíceis.

CRIANÇAS

Encontrar o Caminho

P recisamos fazer muitas escolhas


para voltar à presença de nosso
Pai Celestial. Podemos fazer as
melhores escolhas ao seguirmos
o profeta.
Encontre o caminho no labirinto.
Quando precisar tomar uma deci-
são, olhe o conselho do profeta!

Leia as escrituras
Vá para a direita

Ore
Vá para baixo e depois
para a direita
Preste testemunho
Vá para a direita

Ajude os outros
Vá para baixo e depois
para a direita
ILUSTRAÇÃO: CASEY NELSON

Vá à igreja
Suba

6 A Liahona
MENSAGEM DA S PROFESSO R A S V ISI TA N TES

Em espírito de oração, estude este artigo e decida o que compartilhar. De que modo entender a
Fé, Família, Auxílio
vida e a missão do Salvador aumentará sua fé Nele e abençoará as pessoas sob sua responsabili-
dade como professora visitante? Acesse reliefsociety.LDS.org para mais informações.

Os Atributos Das Escrituras

de Jesus Cristo:
“Será que a força espiritual
resultante da obediência cons-

Filho Obediente tante aos mandamentos pode ser


concedida a outra pessoa?” per-
guntou o Élder David A. Bednar,
do Quórum dos Doze Apóstolos.
Esta mensagem faz parte de uma série de
Mensagens das Professoras Visitantes que “A clara resposta (…) é não.” 3
abordam atributos do Salvador.
A parábola das dez virgens

A o seguirmos o exemplo de obe-


diência de Jesus Cristo, aumenta-
remos nossa fé Nele. “Seria, pois, de
é um exemplo desse princípio.
Embora todas as dez virgens
tivessem levado suas lâmpadas
estranhar”, disse o Élder Jeffrey R. para ir “ao encontro do esposo”,
Holland, do Quórum dos Doze Após- somente cinco foram prudentes
tolos, “que Cristo escolhesse, antes de e puseram azeite nelas. As outras
tudo, definir-­Se em relação a Seu Pai
cinco foram insensatas, pois
— a Quem Ele amou e obedeceu e D. Todd Christofferson, do Quórum “não levaram azeite consigo”.
Se submeteu como o Filho leal que dos Doze Apóstolos, “desfrutamos de Foi então que veio o clamor
era? (…) A obediência é a primeira um fluxo contínuo de bênçãos pro- à meia-­noite: “Aí vem o esposo,
lei do céu”.1 metidas por Deus em Seu convênio
As escrituras ensinam que “quando saí-­lhe ao encontro”. Todas as
conosco. Tais bênçãos nos proveem
recebemos uma bênção de Deus, é virgens prepararam suas lâmpa-
dos recursos necessários para agir-
por obediência à lei na qual ela se das, mas as loucas estavam sem
mos em vez de somente sofrermos
baseia” (D&C 130:21). Crescemos azeite. E as loucas pediram às
ação nesta vida. (…) A obediência
espiritualmente quando nos aproxi- nos dá mais controle sobre nossa prudentes: “Dai-­nos do vosso
mamos de Deus por meio da obe- vida, maior capacidade de ir e vir, azeite, porque as nossas lâmpa-
diência e convidamos o poder da de trabalhar e de criar”. 2 das se apagam”.
Expiação do Salvador para nossa vida. Mas as prudentes responde-
“Ao obedecermos aos princípios Escrituras Adicionais ram: “Não seja caso que nos falte
e mandamentos do evangelho Lucas 22:41–46; Doutrina e Convênios a nós e a vós, ide (…) e comprai-­o
de Jesus Cristo”, ensinou o Élder 82:10; 93:28
para vós”. E durante a ausência
das virgens loucas, o noivo che-
gou e as prudentes foram até ele
e “fechou-­se a porta” (Mateus
25:1–13).
NOTAS
Pense Nisto 1. Jeffrey R. Holland, “The Will of the Father
in All Things”, devocional da Universidade
Brigham Young, 17 de janeiro de 1989, p. 4;
Quais são alguns exemplos de speeches.byu.edu.
obediência nas escrituras? 2. D. Todd Christofferson, “O Poder dos
Convênios”, A Liahona, maio de 2009, p. 19.
3. David A. Bednar, “Convertidos ao Senhor”,
A Liahona, novembro de 2012, p. 106.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 7
CADERNO DA CONFERÊNCIA DE OUTUBRO DE 2014
“O que eu, o Senhor, disse está dito (…) seja pela minha própria voz ou pela
voz de meus servos, é o mesmo” (D&C 1:38).

Para recordar a conferência geral de outubro de 2014, você pode usar estas páginas PROMESSA PROFÉTICA
(e os Cadernos da Conferência que vão ser publicados em edições futuras) para ajudá-lo
a estudar e a colocar em prática os mais recentes ensinamentos dos profetas e apóstolos
vivos e de outros líderes da Igreja.
D E STAQ U E S D O U T R I N Á R I O S

O Caminho
de Cristo
“Ao nos esforçarmos para colocar
Cristo no centro de nossa vida,
aprendendo Suas palavras, seguindo
Seus ensinamentos e andando em
Suas veredas, Ele prometeu com-
partilhar conosco a vida eterna pela
qual Ele morreu. Não há um fim mais
elevado do que este: decidir aceitar
Sua disciplina, tornarmo-nos Seus
discípulos e fazer Sua obra ao longo
de nossa vida. Nada mais, nenhuma

Somos Guiados por Profetas Vivos outra escolha que fazemos, pode
fazer de nós o que Ele pode.”
Presidente Thomas S. Monson, “Pondera
“No ano passado, quando o Presi- Cristo, a Quem seguimos, a Quem a Vereda de Teus Pés”, A Liahona, novembro
dente Monson atingiu a marca de adoramos e a Quem servimos, está de 2014, p. 86.

cinco anos de serviço como Presi- sempre ao leme’.” 1


dente da Igreja, ele refletiu sobre os “Presidente Monson, obrigado por
50 anos de serviço apostólico e fez essas verdades! E obrigado por sua
esta declaração: (…) ‘Asseguro-lhes vida de serviço exemplar e dedicado.
que a Igreja está em boas mãos. O (…) Nós o apoiamos, não só com a
sistema configurado para o Conselho mão levantada, mas de todo o cora-
da Primeira Presidência e do Quórum ção e empenho consagrado.”
dos Doze [Apóstolos] [nos] garante Élder Russell M. Nelson, “Apoiar os Profetas”,
A Liahona, novembro de 2014, p. 74.
que ela estará sempre em boas mãos
e que, aconteça o que acontecer, não NOTA
1. “Message from President Thomas S.
há necessidade de nos preocuparmos Monson”, Church News, fevereiro de 2013,
ou temermos. Nosso Salvador, Jesus p. 9.

8 A Liahona
TODOS SÃO generosos quanto possível em suas
ABENÇOADOS ofertas de jejum e outras contribui-
PELO JEJUM ções humanitárias, educacionais e
“Presto testemunho missionárias. Prometo que Deus será
dos milagres, tanto generoso com vocês e os que encon-
espirituais como trarem alívio por seu intermédio os
físicos, que aconte- chamarão bem-aventurados.”
cem aos que vivem a lei do jejum. (…) Élder Jeffrey R. Holland, “Não Somos Todos
Mendigos?”, A Liahona, novembro de 2014,
Valorizem esse privilégio sagrado, pelo p. 40.
menos uma vez por mês, e sejam tão
CRISTO E O JOVEM RICO, DE HEINRICH HOFMANN. CORTESIA DE C. HARRISON CONROY CO.

RESPOSTAS PARA VOCÊ


Em cada conferência, os profetas • De que forma o Pai Celestial e Christensen, “Sei Destas Coisas
e líderes dão respostas inspiradas para Jesus Cristo são um? Ver Robert por Mim Mesmo”, p. 50.
as perguntas que os membros da Igreja D. Hales, “Vida Eterna: Conhecer • O que devo fazer ao buscar
possam ter. Use sua edição de novem- a Deus, Nosso Pai Celestial, e Seu respostas para minhas perguntas?
bro de 2014 ou visite o site conference. Filho, Jesus Cristo”, p. 80. Ver M. Russell Ballard, “Fiquem
LDS.org para encontrar as respostas • O que é um testemunho e como no Barco e Segurem-se!”, p. 89.
para estas perguntas: posso obter um? Ver Craig C.

TR AÇ A R PA R A LE LOS

TEMPLOS
Às vezes, mais de um orador aborda o mesmo tema do evangelho. Veja o que
três oradores disseram a respeito dos templos:

• “Podemos receber inspiração e revelação no templo — e também forças para


lidar com as adversidades da vida.” — Irmã Linda K. Burton, “Preparadas de
uma Forma Nunca Antes Vista”, p. 111.
• “Por meio do acalentador espírito do templo, podemos aprender a realidade,
o poder e a esperança da Expiação do Salvador em nossa própria vida.”
— Irmã Neill F. Marriott, “Compartillhar Sua Luz”, p. 117.
• “Se quisermos receber todas as bênçãos que Deus oferece tão generosamente,
nosso caminho terreno deve conduzir-nos ao templo. Os templos são uma
expressão do amor de Deus.” — Irmã Jean A. Stevens, “Filhas do Convênio”,
p. 114.

Para ler, ver ou ouvir os discursos da conferência geral, visite o site conference.LDS.org.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 9
FALAMOS DE CRISTO

UMA HORA PARA VIGIAR COM ELE


Maritza Gonzales Espejo

C erto dia, eu estava preparando


um discurso para a reunião sacra-
mental. Estava estudando o artigo
instante, dei-­me conta de que pode-
ria “vigiar com Ele (…) por uma
hora” mudando minha maneira
aproximarmos do Pai Celestial e de
nosso Salvador, Jesus Cristo. Quando
voltamos nossos pensamentos ao
“A Expiação de Jesus Cristo”, do Élder de encarar a reunião sacramental Senhor, estamos, de certa forma,
Jeffrey R. Holland, do Quórum dos todos os domingos. Desde aquele acompanhando-­O no momento de
Doze Apóstolos, na edição de março momento, aprendi que essa é uma agonia que Ele suportou ao tomar
de 2008 da revista A Liahona. Em hora em que podemos orar ao Pai sobre Si nossos pecados. Esse é o
seu artigo, o Élder Holland fala de Celestial de modo mais significativo. momento de reconhecermos a dor
um sonho que o Élder Orson F. A oração é fundamental em todos os que Ele sofreu por nós.
Whitney (1855–1931) teve e no qual momentos, mas o Espírito presente A reunião sacramental significa
viu o Salvador no Jardim do Getsê- na hora do sacramento é uma opor- tudo para mim. Para mim é uma hora
mani. O Élder Whitney descreveu a tunidade para nos elevarmos e nos de infinita salvação. Tornou-­se um
dor e o sofrimento que viu o Salvador
suportar. Em seguida, escreveu:
“Naquele momento, Ele levantou-­Se
e foi até onde os apóstolos deveriam UM MOMENTO DE REFLEXÃO E REVERÊNCIA
estar ajoelhados: profundamente “[O sacramento] deve ser um momento marcante de
adormecidos! Tocou-­os gentilmente, reverência e reflexão. Deve incentivar sentimentos e
acordou-­os, e com um tom de terna impressões espirituais. E como tal não deve ser feito às
censura, sem a menor mostra de ira pressas. Não é algo a finalizar o quanto antes para dar
ou repreensão, perguntou-­lhes se não lugar ao real propósito da reunião sacramental. Ele é o
conseguiam vigiar com Ele nem por real propósito da reunião. E tudo que é dito, cantado
uma hora. (…) ou orado nessas ocasiões deve estar em harmonia
Voltando ao Seu lugar, Ele ofereceu com a grandeza dessa ordenança sagrada.”
a mesma oração como anteriormente; Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, “Fazei
Isto em Memória de Mim”, A Liahona, janeiro de 1996, p. 73.
então retornou e, de novo, os encon-
trou dormindo. Uma vez mais, Ele os
acordou, admoestou-­os e voltou ao
Seu lugar, orando como antes. Três
vezes isso ocorreu”.1
Ao ler isso, o espírito de revela-
ção penetrou-­me a mente. Naquele

10 A L i a h o n a
momento sagrado no qual recordo meus con- COMO TOMAR O SACRAMENTO PODE MUDAR
vênios de seguir o exemplo perfeito de meu MINHA VIDA?
Salvador e me comprometo em oração e espí- Na conferência geral de outubro de 2012, o Élder Don R. Clarke,
rito a honrá-­los. Sei que Ele vive e me ama. dos Setenta, ensinou: “Se nos prepararmos adequadamente para
Sei que é somente por meio de Seu sacrifício o sacramento, podemos transformar nossa vida”. Em seguida, suge-
e Seu precioso sangue vertido que podemos riu “cinco princípios que podem abençoar nossa vida ao tomarmos
todos ser salvos. Sei que isso é verdade por- o sacramento dignamente”:
que, ao empenhar-­me para “vigiar com Ele”,
1. Ter um sentimento de gratidão pela Expiação de Jesus Cristo.
minha compreensão foi iluminada, minha
2. Lembrar que estamos renovando convênios batismais.
vida foi abençoada e minha visão da vida
3. Procurar sentir que fomos perdoados de nossos pecados.
eterna em Sua presença se aprofundou. ◼ 4. Buscar inspiração para resolver nossos problemas.
A autora mora em Ica, Peru.
5. Tomar o sacramento dignamente a fim de ficarmos cheios
NOTA
1. Orson F. Whitney, citado por Jeffrey R. Holland,
do Espírito Santo.
“A Expiação de Jesus Cristo”, A Liahona, março
de 2008, p. 32. O Élder Clarke prometeu: “Sempre será uma excelente reu-
nião sacramental, se o sacramento for o ponto central de nossa
adoração”.1
NOTA
1. Don R. Clarke, “As Bênçãos do Sacramento”, A Liahona, novembro de 2012,
p. 104.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 11
NOSSO LAR, NOSSA FAMÍLIA

JORNADA PARA TORNAR-­SE


UMA FAMÍLIA ETERNA
Garth e Sandy Hamblin

Logo que se converteram, os ‘Akau‘ola traçaram a meta de ir ao templo.

C erta manhã de domingo, depois


de tomar bebidas alcoólicas e
kava com os amigos a maior parte
batizado. Após alguns instantes de
silêncio, o bispo convidou Siope para
entrar e começou a ensinar-­lhe o
da noite, Siope ‘Akau‘ola, de Tonga, evangelho de Jesus Cristo.
estava voltando para casa quando viu A princípio Liu ficou relutante, mas
uma família em seus melhores trajes acompanhou a mudança gradual do
domingueiros. Caminhando juntos, marido para melhor. Siope começou
eles conversavam e riam. Siope ficou a passar mais tempo com os filhos
curioso para saber o que os fazia e a mostrar mais amor à esposa e à
tão felizes; assim, seguiu-­os para ver família por meio de seus atos. Assim
aonde estavam indo. Liu também começou a ouvir as lições
Siope viu a família entrar numa dos missionários e em breve ambos
capela de A Igreja de Jesus Cristo foram batizados.
dos Santos dos Últimos Dias. Ficou À medida que se aproximava a data Siope e Liu ficaram desanimados.
olhando pela janela a chegada de do primeiro aniversário de batismo, a Sentaram-­se juntos na pequena sala
outras pessoas. O rosto delas irradiava família ‘Akau‘ola ansiava pelas bên- de estar da casa e oraram por um
felicidade à medida que as famílias se çãos maravilhosas do templo. Siope milagre. Ao orarem e conversarem,
sentavam juntas e entoavam cânticos disse: “Se as bênçãos do templo forem a resposta não tardou: “Veio-­me à
de adoração. ainda mais grandiosas que as recebi- mente a imagem do furgão da família
Os pensamentos de Siope se vol- das quando nos batizamos, imagine sorrindo para nós e eu soube que essa
taram para sua esposa, Liu. O amor como devem ser maravilhosas”. Ape- era a resposta a nossas orações”, conta
que os unira assim na época de seu sar do desejo da família de serem sela- Siope. Eles conseguiram vender o fur-
casamento estava murchando. Siope dos, o templo em Tonga estava em gão no dia seguinte e comprar passa-
queria reacender aquele amor. Foi às reforma. Eles precisariam esperar por gens aéreas para Fiji para a família de
pressas para casa e anunciou à esposa mais de um ano ou fazer uma dispen- cinco pessoas.
que encontrara a maneira de ajudar a diosa viagem para a Nova Zelândia ou Chegaram muito tarde a Nadi, Fiji,
família a estruturar-­se novamente: eles Fiji para ir ao templo. com três filhos cansados e um longo
precisavam filiar-­se à Igreja. A família pensou bastante e trajeto por terra pela frente até o tem-
Naquele mesmo dia, Siope foi à orou acerca do que fazer. Por fim, plo, em Suva. Liu recorda: “Aprendi
casa do bispo em sua cidadezinha. decidiram contrair um pequeno que quanto mais tentamos nos apro-
O bispo reconheceu Siope por já o empréstimo. Enquanto esperavam a ximar da casa de Deus, mais Satanás
ter visto embriagado pelas ruas. Ao aprovação, o banco que estava pro- tenta nos fazer desistir antes de rece-
conversarem, Siope percebia certa cessando a solicitação foi destruído bermos a bênção”.
incredulidade na expressão do bispo, por um incêndio. Todos os emprés- Sentados nos bancos do aeroporto,
mas estava firme e resoluto e, sem timos ficariam adiados para o ano estavam tentando decidir qual seria o
temor, disse ao bispo que queria ser seguinte. passo seguinte, quando uma mulher

12 A L i a h o n a
os ajudou a conseguir hospedagem As experiências vividas no templo Às vezes individualmente, mas quase
e transporte até Suva no dia seguinte transformaram a família. Liu relata: sempre em grupos de duas ou três,
por um valor muito inferior ao “Durante todo o período que passa- crianças começaram a bater à porta
cobrado habitualmente. Sentiram que mos em Fiji, senti o amor do Pai Celes- de Siope e Liu. E Siope e Liu as aco-
Deus enviara um anjo para ajudá-­los. tial por nós. Quando optamos por lhiam. Sua pequena casa hoje abriga
Chegaram ao templo no dia segui-­Lo, Ele cuida muito bem de nós”. 20 pessoas. Eles têm outros cinco
seguinte. “Ao entrarmos no templo, A família ‘Akau‘ola continuou filhos “adotivos” que já saíram de casa
senti paz e serenidade no coração”, a receber bênçãos maravilhosas para fazer faculdade ou servir missão.
lembra Liu. “Nunca vi tanta brancura depois de voltar para casa. Tanto Siope e Liu sabem que essas crian-
ILUSTRAÇÃO DE JAMES L. JOHNSON; FOTOGRAFIA CEDIDA GENTILMENTE PELOS AUTORES

e pureza em minha vida quanto no Siope quanto Liu ganharam bolsas ças vão crescer e florescer ao recebe-
templo. Um pensamento veio-­me à de estudo, formaram-­se em magisté- rem amor e contarem com uma sólida
mente: se o templo é uma casa feita rio e foram contratados na Escola de estrutura em sua vida. As que não
pelo homem e é tão bela, quão mara- Ensino Médio Liahona. eram da Igreja aceitaram o evangelho
vilhoso deve ser o lar que o Pai Celes- Ao lecionar, travaram contato com e agora têm um desejo cada vez maior
tial prometeu para nós!” crianças que precisavam de um lar. de servir missão. Siope e Liu chamam
todas as crianças sob seus cuidados
de seus filhos, e todas chamam Liu
e Siope de mãe e pai. Os ‘Akau‘ola
sabem que foram ricamente abençoa-
dos e estão felizes por partilhar essas
bênçãos com os outros. ◼
Os autores são do Alasca, EUA, e estão
servindo missão em Tonga.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 13
REFLEXÕES

VAGA-­LUMES
David Wright

Será que estamos com os olhos fitos nos galardões eternos ou em outras coisas?

H á vários anos, trabalhei num sítio


arqueológico chamado Aguateca,
situado numa parte bela e remota da
de minha cabeça na verdade eram
vaga-­lumes pairando em silêncio no
ar quente da noite. Por incrível que
os astros, podem parecer muito
longínquas.
Nossa miopia espiritual pode ter
Guatemala, acessível somente por pareça, o brilho das dezenas de piri- muitas consequências. Quanto mais
barco, após uma longa travessia do lampos lá no alto era quase idêntico distante parecer a recompensa, mais
Rio Petexbatún. ao das estrelas e galáxias distantes, estaremos tentados a achar que
Certa noite, eu estava voltando e as curvas e voltas do barco no rio podemos procrastinar o dia de nosso
para Aguateca com vários arqueólo- contribuíram para a confusão. arrependimento e ainda assim voltar à
gos depois de passar o dia num sítio “Como eu pude confundir um presença do Pai Celestial para reivin-
vizinho. Ao viajarmos de barco rio minúsculo vaga-­lume com uma estrela dicar nossa herança eterna (ver Alma
acima, com apenas o ruído do motor de brilho quase infinito?” pensei. A 34:33–34). Pode ser que comecemos a
e o zumbido dos insetos ao fundo, resposta era clara: não passava de duvidar do galardão eterno ou passe-
reclinei-­me na lateral do barco, des- uma questão de perspectiva. A luz mos a achar mais divertido entregar-­
frutando o passeio tranquilo e a noite relativamente tênue e fugaz dos vaga-­ nos aos impulsos do homem natural
sem luar, mas inusitadamente clara. lumes rivalizava com a das estrelas só agora, em vez de esperar as bênçãos
À medida que o barco serpenteava porque eles voavam apenas alguns que poderão vir num futuro distante.
pelas curvas do rio, tentei me orientar metros acima de mim e as estrelas Talvez receemos a luta árdua e longa
pela Estrela Polar. Às vezes ela desa- estavam muito longe. De minha pers- contra o pecado ou nos falte a fé ou a
parecia atrás das silhuetas escuras pectiva, pareciam quase idênticas. certeza de que nosso Salvador nos aju-
das árvores nas margens do rio, mas Assim como os pirilampos, as ten- dará a resistir às bofetadas de Satanás.
sempre ressurgia logo depois. tações e provações parecem grandes Vez por outra, todos nós perde-
Em certa curva do rio, perdi de porque estão perto. Enquanto isso, mos a perspectiva eterna; o desafio
vista a Estrela Polar, escondida de as bênçãos prometidas, tal como é reavê-­la o mais rápido possível.
novo atrás da folhagem das árvores. Embora o mundo venha a oferecer
Mas, assim que o barco se virou em recompensas atraentes e ilusórias,
direção ao sul, rapidamente a locali- podemos fixar o olhar em Jesus Cristo,
zei, sentindo-­me como um marinheiro ao trilharmos pelas estradas sinuosas
experiente, orgulhoso por conseguir da vida, e confiar que Ele verdadei-
manter o senso de orientação. Con- ramente “é galardoador dos que o
tudo, após um minuto de observação, buscam” (Hebreus 11:6).
ILUSTRAÇÃO: SUPANSA WONGWIRAPHAB

percebi que me enganara: não reen- Aquela viagem de barco foi há


contrara a Estrela Polar; na verdade, muitos anos; mas até hoje, ao me
estrela nenhuma! Eu estava olhando deparar com uma tentação, paro e
um vaga-­lume. lembro a mim mesmo: “Não passa
Foi só então que me dei conta de um vaga-­lume”. ◼
de que muitas das “estrelas” acima O autor mora na Flórida, EUA.

14 A L i a h o n a
SERVIR NA IGREJA

UMA BATATA PARA A PROFESSORA


Bonny Dahlsrud

Aprendi que não é preciso praticar atos grandiosos de serviço constantemente.


Um pequeno gesto de amor é igualmente bem-­vindo.

C omo professora primária há mais


de 25 anos, já ganhei muitas coi-
sas interessantes de meus aluninhos.
o desejo de servir ao próximo, mas
estava sempre esperando conseguir
uma “maçã” antes de me dispor a aju-
de perder o marido? Será que eu
poderia ter ajudado ou servido,
mesmo com o que eu tinha a oferecer
Bilhetinhos singelos, desenhos e dar. Se eu estava ocupada e não con- naquele momento: uma “batata”?
trabalhos manuais criativos são alguns seguia preparar um prato elaborado Aprendi com Emma uma exce-
dos presentes frequentes. Contudo, para oferecer ou se queria oferecer lente lição a qual estou me empe-
ganhei no ano passado, pela primeira uma flor especial, mas não tinha nhando ao máximo para pôr em
vez, uma batata. tempo de ir à floricultura, ignorava a prática. Se eu não tiver maçã, dou
“Uma batata para a professora”, voz mansa e delicada do Espírito que uma batata no lugar, e sem tardar.
disse a pequena Emma com orgulho sussurrava que alguém precisava de Não vou esperar fazer uma lasanha
ao vir até minha mesa, “porque eu meu serviço. ou minha torta de limão especial:
estava sem maçã”. Era uma batata de “Farei algo este fim de semana, posso comprar um pacote de bola-
tamanho médio, bem lavada e das quando tiver tempo”, pensava eu, chas. Não vou muito à floricultura,
mais bonitas. Agradeci à aluna e pus tentando convencer a mim mesma. mas posso fazer uma visita breve sem
a batata em minha mesa. Vi os gran- “Ninguém precisa de mim hoje.” flores. Um cartão feito à mão seria
des olhos azuis de Emma brilharem Mas… e se alguém realmente ótimo, mas um rápido telefonema
de orgulho sempre que olhava a precisasse? E se eu tivesse ignorado também. Não é preciso praticar atos
batata no decorrer do dia. a inspiração para visitar um vizinho grandiosos de serviço constante-
Depois das aulas, ao trabalhar em idoso ou a jovem viúva que acabara mente. Um pequeno gesto de amor
minha mesa, era impossível olhar a é igualmente bem-­vindo.
batata sem um sorriso de ternura. As Levei aquela batata para minha
crianças encaram as coisas com sim- casa, mas acho que nunca vou
plicidade e, com aquela prosaica comê-­la. Serve de lembrete cons-
FOTOGRAFIA: FENG YU/ISTOCK/THINKSTOCK

batata, Emma me ensinou tante para servir quando eu for


algo importante. Deixei-­a inspirada. Dou o que posso
em minha mesa por mais de agora em vez de esperar para
uma semana, pois me servia depois. Uma batata para a
de lembrete. professora foi mesmo o melhor
Como professora visitante presente. ◼
e irmã em minha ala, eu tinha A autora mora em Utah, EUA.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 15
NOTÍCIAS DA IGREJA
Acesse news.LDS.org para mais notícias e acontecimentos da Igreja.

Requisitos Incentivam os Alunos Novo Recorde no


Desafio de Indexação
do Seminário a Elevar o Nível de
Aprendizado O s participantes do Desafio Interna-
cional de Indexação bateram um
novo recorde no número de voluntários

E stão sendo implantados na Igreja


em todo o mundo novos requisitos
para a formatura no seminário que
receber créditos baseados na fre-
quência e no endosso eclesiástico
do bispo ou presidente de ramo.
online num único dia na indexação. No
total, 66.511 voluntários se conectaram
à Internet em 22 de julho de 2014
para ver imagens de registros históri-
ajudarão os alunos a “elevar o nível de A leitura das escrituras já era incen-
cos e transcrever as informações para
aprendizado”. Os requisitos, que pas- tivada no passado, mas agora é um
inclusão na base de dados de pesquisa
sam a valer no início deste ano letivo, requisito para a formatura. do FamilySearch.org. O recorde ante-
dedicado ao estudo de Doutrina e 2. Os alunos precisarão submeter-­se rior de 49.025 voluntários tinha sido
Convênios e História da Igreja, incluem a duas avaliações de aprendizado alcançado em julho de 2012, no auge
dois elementos principais: durante o ano e obter a pontuação do empenho de indexação do censo
mínima de 75%. Uma avaliação norte-­americano de 1940.
1. Os alunos do seminário precisarão será realizada no meio do ano e O desafio também produziu o
ler o volume das escrituras que a segunda, no fim do ano letivo. As segundo mais elevado total de registros
enviados (indexados ou arbitrados):
estão estudando no ano, além de avaliações aferirão essencialmente
um pouco mais de 5,7 milhões. (Cada
a compreensão da doutrina e a
registro é indexado por dois voluntários
aplicação dos princípios do evan- e depois examinado por um terceiro
Alunos do seminário na Guiana, América
gelho no cotidiano. voluntário, conhecido como árbitro,
do Sul, estudando as escrituras juntos.
a fim de garantir a qualidade e a
Os novos requisitos do seminá- exatidão.)
rio — juntamente com Pregar Meu “Nossos membros, jovens e idosos,
Evangelho: Guia para o Serviço participaram com alegria no coração”,
Missionário e o currículo dos jovens conta o Bispo Crouet, de Toulouse,
França. “Foi uma experiência linda.”
para a Escola Dominical, Vem, e
Christopher Jones, do País de Gales,
Segue-­Me — darão aos jovens a opor-
relata: “Organizamos nossa noite fami-
tunidade de tornar-­se autossuficientes liar de modo a permitir a participação
em seu testemunho, aprofundar sua de todos: os pais e sete filhos de 5 a 18
compreensão do evangelho e aumen- anos. No total, nossa família indexou
tar sua capacidade de partilhar seu mais de 900 registros!”
conhecimento ao se prepararem para Natalie Terry, de Bangcoc,
uma vida de serviço e discipulado. Tailândia, disse que adorou participar
Ao fim de cada ano, os alunos do dia mundial de indexação com
sua filha de 13 anos. E Chris Shead,
receberão um certificado de conclusão
de Chorley, Inglaterra, revela que
caso preencham os requisitos necessá-
conseguiu achar cerca de 30 novos
rios (incluindo os novos, como a leitura nomes de familiares, incluindo “uma
e as avaliações) ou um certificado de menininha que morreu logo depois
reconhecimento, que indica que cum- de ser batizada e tinha sido esquecida
priram os requisitos de frequência. ◼ nos registros do censo”. ◼

16 A L i a h o n a
O Élder David A. Bednar destacou que as redes sociais
proporcionam uma oportunidade única para partilhar
o evangelho.

Apóstolo Dá Conselhos sobre as Redes Sociais da Internet


C
“ omeçando de onde estamos
hoje, exorto-­os a varrerem
a Terra com mensagens cheias
e ativação”, indicou ele. “Estou certo
de que todos nós também reconhe-
cemos como a tecnologia acelerou
• “Nós devemos, com as nossas men-
sagens, procurar edificar e elevar
em vez de argumentar, debater,
de retidão e verdade, mensagens o trabalho de história da família e condenar ou menosprezar.”
que sejam verdadeiras, edifican- do templo, nosso estudo pessoal • “Sejam corajosos e ousados,
tes e louváveis, e que literalmente e familiar do evangelho restaurado, mas não despóticos ao apoiar
varram a Terra como um dilúvio”, e tornou possível para nós aprender- e defender nossas crenças, e evi-
disse o Élder David A. Bednar, do mos, observarmos e vivenciarmos tem a discórdia. Como discípu-
Quórum dos Doze Apóstolos, num o mundo de forma extraordinária.” los, nosso propósito deve ser o
discurso na Semana de Educação Ele mencionou iniciativas de usar os canais de mídia social
da Universidade Brigham Young em recentes nas redes sociais como como uma forma de refletir a luz
19 de agosto de 2014. o vídeo de Páscoa Graças a Ele, e a verdade do evangelho res-
“Oro para que não participemos produzido pela Igreja e visto mais taurado de Jesus Cristo.”
simplesmente de uma inundação de 5 milhões de vezes em 191 • “Muito tempo pode ser desper-
momentânea, que passa de maneira países e territórios, e a hashtag diçado, muitos relacionamentos
tão rápida quanto chega”, prosseguiu #ComFervorFizesteaPrece que deu podem ser prejudicados ou des-
ele numa mensagem sobre o poder origem a mais de 40.000 conversas truídos e preciosos padrões de
das redes sociais da Internet para sobre a necessidade de orar. retidão podem não ser seguidos
comunicar a verdade. O Élder Bednar Essas e outras iniciativas não quando a tecnologia é usada
referiu-­se a nosso tempo como uma passam de “uma pequena gota”, inapropriadamente. Não devemos
“época inigualável da história do ressaltou ele, exortando os membros deixar nem mesmo que o bom uso
mundo”, na qual somos abençoados da Igreja a “transformar essa gota em das mídias sociais domine o bom
com “progresso milagroso das ino- um dilúvio”. No tocante ao uso das uso de nosso tempo, nossa energia
vações e invenções que têm tornado redes sociais, fez ainda as seguintes e de nossos recursos.”
possível acelerarmos o trabalho de orientações: • “Não precisamos nos tornar espe-
salvação”. cialistas em mídias sociais nem
“Cerca de 40% da força missionária • “Não devemos exagerar, florear ou sermos fanáticos por elas. Também
mundial estará em breve usando dis- fingir que somos alguém ou algo não precisamos gastar horas infin-
positivos digitais como ferramentas que não somos. Nosso conteúdo dáveis para criar e disseminar men-
no trabalho de conversão, retenção deve ser confiável e edificante.” sagens elaboradas.” ◼

J a n e i r o d e 2 0 1 5 17
Que vocês escolham ser uma luz para o mundo
para ajudar a salvar os filhos de Deus; que
escolham ter alegria e, por fim, que alcancem
a bênção da vida eterna.
Élder
Russell M. Nelson
Do Quórum dos
Doze Apóstolos

O QUE

ESCOLHERÃO?
Vocês foram comissionados pelo Pai Celestial para
edificar o reino de Deus na Terra nos dias de hoje
e para preparar as pessoas para receberem o Salvador.

C
omo “jovens de nobre estirpe”,1 vocês são literalmente filhos e filhas de
Deus, nascidos especificamente nesta época da história do mundo para um
propósito extremamente sagrado. Embora os valores morais e religiosos da
sociedade pareçam estar enfraquecendo-­se no mundo inteiro, os jovens desta Igreja
devem erguer o estandarte do Senhor e ser uma luz para atrair as pessoas a Ele. Sua
identidade e seu propósito são únicos.
Qual é sua identidade? Vocês são filhos do convênio que Deus fez com o
Patriarca Abraão quando lhe foi prometido: “Na tua descendência serão bendi-
tas todas as famílias da terra” (Atos 3:25; ver também 1 Néfi 15:18; 3 Néfi 20:25).
Vocês são também a “juventude da promessa”,2 nascidos nesta época da história do
mundo em que o evangelho está sendo proclamado amplamente no mundo inteiro.
Qual é seu propósito? Vocês, irmãos, foram preordenados na vida pré-­mortal
para possuir o sacerdócio (ver Alma 13:2–3). E vocês, irmãs, foram escolhidas antes
da fundação do mundo para gerar os filhos de Deus e cuidar deles. Ao fazerem
isso, vocês glorificam a Deus (ver D&C 132:63). Vocês, irmãs, já pensaram no verda-
deiro significado de ser cocriadoras com Deus?
Cada um de vocês, rapazes e moças, foi encarregado pelo Pai Celestial de edifi-
car o reino de Deus na Terra agora e preparar as pessoas para receberem o Salva-
dor quando Ele vier governar e reinar como o Messias milenar. Seu nobre legado,
sua identidade, seu propósito e seu encargo divino os diferenciam de todas as
outras pessoas.
ILUSTRAÇÕES: BRANDON DORMAN

Mas nem seu legado, nem suas ordenações e encargos pré-­mortais podem
salvá-­los ou exaltá-­los. Isso será possível se tomarem decisões individuais corretas
e optarem por invocar o poder da Expiação do Senhor para sua vida. O grandioso
princípio eterno do arbítrio é vital para o plano de nosso Pai. E então, jovens de
nobre estirpe, o que escolherão?

J a n e i r o d e 2 0 1 5 19
Escolherão aumentar seu aprendizado? Cristo, preordenado para ser o Salvador do mundo (ver
Cabe a vocês estudar. Ninguém mais poderá fazê-­lo 1 Néfi 10:4). Do outro lado, está Satanás — um rebelde,
por vocês. Onde quer que estejam, desenvolvam um pro- um destruidor do arbítrio (ver Moisés 4:3).6
fundo desejo de aprender. Para nós, santos dos últimos O plano de Deus permite que o adversário os tente para
dias, adquirir instrução não é apenas um privilégio, mas que exerçam seu arbítrio para escolher o bem em vez do
uma responsabilidade religiosa. “A glória de Deus é inte- mal, escolher arrepender-­se, escolher vir a Jesus Cristo e
ligência” (D&C 93:36). De fato, nossa educação é para as acreditar em Seus ensinamentos e seguir Seu exemplo.
eternidades. Que imensa responsabilidade e confiança!
“Qualquer princípio de inteligência que alcançarmos Sua liberdade de agir por si mesmos é tão primordial
nesta vida, surgirá conosco na ressurreição. para seu progresso e sua felicidade eternos que o adversá-
E se nesta vida uma pessoa (…) adquirir mais conhe- rio envida esforços descomunais para miná-­la (ver 2 Néfi
cimento e inteligência do que outra, ela terá tanto mais 2:27; 10:23).
vantagem no mundo futuro” (D&C 130:18–19).
Essa perspectiva de longo prazo ajudará vocês a fazerem Vocês estabelecerão prioridades para ajudá-­los
boas escolhas sobre o aprendizado. a fazer suas escolhas?
Não tenham medo de defender suas metas — nem Suas escolhas não serão sempre entre o bem e o mal.
mesmo seus sonhos! Mas saibam que não há atalhos para Muitas serão escolhas entre duas opções boas. Nem todas
a excelência e a competência. A educação é o que permite as verdades são criadas iguais, então vocês precisarão
fazer a diferença entre meramente desejar ajudar os outros estabelecer prioridades. Em sua busca de conhecimento,
e poder fazê-­lo. saibam que a verdade mais importante que podem apren-
der provém do Senhor. Em Sua Oração Intercessória a Seu
Que tipo de vida vocês escolherão? Pai, o próprio Salvador confirmou isso. Ensinou: “E a vida
Espera-­se que seu modo de vida seja diferente do eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus
dos outros. Vocês conhecem a admoestação de Paulo ao verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” ( João 17:3).
jovem Timóteo: “Sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no Acima de todo o conhecimento que estão buscando, pro-
trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (I Timóteo curem conhecer a Deus, seu Pai Celestial, e o Filho Dele,
4:12).3 Optem por pensar e agir de maneira diferente da Jesus Cristo. Aprendam a conhecê-­Los e amá-­Los, assim
das pessoas do mundo. Optem por ter uma aparência como eu aprendi.
diferente e vejam que influência positiva vocês podem Outra escritura-­chave que me ajudou ao longo de toda
tornar-­se. Como disse certa vez Ardeth G. Kapp, ex-­ a minha vida é a seguinte: “Mas, buscai primeiro o reino de
presidente geral das Moças: “Você não pode ser salva-­ Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acres-
vidas se tiver a mesma aparência que todos os demais centadas” (Mateus 6:33).
banhistas da praia”.4 Mais do que qualquer outra coisa no mundo, vocês
Como jovens de nobre estirpe, vocês começaram a vida devem fazer escolhas que conduzam ao destino glorioso e
numa situação privilegiada, mas também têm uma respon- final da vida eterna. Essa é a glória grandiosa de Deus para
sabilidade a mais. “Porque a quem muito é dado, muito é vocês (ver D&C 14:7; Moisés 1:39). Escolham a vida eterna
exigido” (D&C 82:3; ver também Lucas 12:48). Parte dessa como sua prioridade mais elevada! Estudem as escrituras,
exigência é a de ser um recruta. Quando vocês foram bati- como as seções 76 e 88 de Doutrina e Convênios, para
zados, na verdade se realistaram no exército do Senhor.5 compreenderem mais sobre as diferentes bênçãos à espera
Na vida pré-­mortal, vocês já ficaram ao lado de Jesus Cristo dos que escolherem a vida eterna e daqueles que não o
durante a Guerra no Céu. E agora o conflito entre as forças fizerem. Escolham a vida eterna como sua prioridade mais
do bem e do mal continua aqui na Terra. É real! (Ver Apo- elevada e verão que as outras escolhas se encaixarão no
calipse 12:7–9; D&C 29:40–41.) Do lado de Deus está Jesus devido lugar.

20 A L i a h o n a
Muitas pessoas
ainda não acharam
a verdade divina
nem sabem onde
procurá-­la. Mas
vocês, jovens de
nobre estirpe,
podem resgatá-­las.

Com quem escolherão associar-­se? procurá-­la. Mas vocês, jovens de nobre estirpe, podem
Vocês conviverão com muitas pessoas boas que resgatá-­las. Em grandes números, vocês estão atendendo
também creem em Deus. Sejam judeus, católicos, pro- ao chamado do profeta de Deus por mais missionários.
testantes ou muçulmanos, os crentes sabem que existe Somos profundamente gratos a cada um de vocês!
mesmo uma verdade absoluta. Aqueles que acreditam em Ao conviverem com descrentes, tenham ciência de que
Deus têm consciência. Obedecem voluntariamente à lei talvez alguns deles não sejam bem-­intencionados (ver
civil e divina, até mesmo a leis que do contrário seriam D&C 1:16; 89:4). Assim que perceberem isso, fujam deles
inaplicáveis. o mais rápido e permanentemente possível (ver I Timóteo
Por terem assumido o compromisso de obedecer à lei 6:5–6, 11).
dos homens e de Deus, vocês param no sinal vermelho, Infelizmente, vocês conhecerão pessoas cuja busca
mesmo que não haja nenhum outro carro à vista. Como desesperada por algo que aparenta ser a felicidade as con-
filhos de Deus, vocês sabem que, mesmo que não sejam duz ao terreno escorregadio do pecado. Tenham cuidado
pegos pela polícia, é errado roubar e matar e que um dia com esse mar de lama! Qualquer prazer no pecado é ape-
prestarão contas a Deus. Vocês sabem que as consequên- nas fugaz, ao passo que a lembrança dele ficará maculada
cias da desobediência às regras não são só temporais, mas por uma culpa dolorosa e excruciante. O desvirtuamento
também eternas. pecaminoso do vínculo divinamente concebido para unir
Ao percorrerem a jornada da vida, vocês também terão marido e mulher não passa de um embuste vazio. Toda
contato com pessoas que não creem em Deus. Muitas delas experiência ilegítima é desprovida de significado profundo
ainda não acharam a verdade divina nem sabem onde e não cria lembranças agradáveis.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 21
Escolherão a liberdade ou o cativeiro? controvérsias que os desafiarão no futuro. Contra as vozes
As forças contrárias a Deus estão por toda parte. Vocês estridentes do adversário, vocês, como jovens de nobre
estão literalmente vivendo em território inimigo.7 A nefasta estirpe, escolherão defender o Senhor e Sua verdade.
praga da pornografia está-­se proliferando. Ela aprisiona a O Apóstolo Paulo profetizou sobre a situação de nossos
todos os que sucumbem a seu bote insidioso. dias (ver II Timóteo 3:1–5). A visão precisa que ele teve da
Isso foi previsto pelo Senhor, que disse: “E agora eu vos devastação espiritual de nossos dias foi seguida de uma
revelo um mistério, uma coisa que se acha em câmaras conclusão reconfortante, que nos indica como permanecer
secretas para, com o passar do tempo, causar vossa des- em segurança: “Desde a tua meninice sabes as sagradas
truição; e não o sabíeis” (D&C 38:13; ver também o versí- Escrituras, que podem fazer-­te sábio para a salvação, pela
culo 28). fé que há em Cristo Jesus” (II Timóteo 3:15).
Pensem em quantas pessoas em câmaras secretas estão A esse conselho acrescento um meu: continuem a
procurando destruir sua vida e felicidade! A tentação carnal estudar as escrituras. Continuem a fazer as coisas que
não é coisa nova. O Apóstolo Pedro fez uma advertência edificam sua fé em Jesus Cristo. E depois prestem atenção
sobre essa mesma armadilha, ao escrever: às escolhas sábias que vocês se sentirão naturalmente
“Engodam com as concupiscências da carne (…) aque- inclinados a fazer.
les que se estavam afastando dos que andam em erro, Sua fé em Jesus Cristo e em Seu evangelho lhes dará a
prometendo-­lhes liberdade, sendo eles mesmos servos coragem de casar-­se e trazer filhos a sua família enquanto
da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal são jovens e estão em condições de tê-­los. Quando chega-
faz-­se também servo” (II Pedro 2:18–19). rem a minha idade, darão muito valor a seus filhos, netos e
Não caiam nesse cativeiro, amados irmãos e irmãs. Se bisnetos, acima de qualquer fama ou fortuna que poderiam
vocês estiverem olhando pornografia atualmente, parem ter adquirido.
agora! Procurem a ajuda de seu bispo. Ninguém é capaz
de vencer o adversário sozinho depois de ter sido intoxi- Como se prepararão para sua entrevista
cado pela pornografia. Ela é tão destrutiva quanto a lepra, pessoal com o Salvador?
tão viciante quanto as anfetaminas e tão corrosiva quanto Vocês, jovens de nobre estirpe, ainda não são perfeitos.
a soda cáustica. Nenhum de nós é. Então vocês, assim como todos nós, são
muito gratos pela Expiação do Salvador, que proporciona o
Escolherão seguir o Senhor ou as filosofias pleno perdão se vocês se arrependerem verdadeiramente.
dos homens? Vocês também sabem que sua passagem pela mortalidade
Estudem cuidadosamente “A Família: Proclamação ao é relativamente breve. No devido tempo, cada um de vocês
Mundo”.8 A família está sob ataque no mundo inteiro, mas terminará esta frágil existência e seguirá para o mundo
as verdades da proclamação da família vão fortalecê-­los. vindouro.
Vocês precisam entender as consequências de grande O Dia do Juízo aguarda cada um de nós. Sei que “o
repercussão que tem a batalha hoje travada em relação à guardião da porta é o Santo de Israel; e ele ali não usa
própria definição do casamento. O debate atual envolve a servo algum” (2 Néfi 9:41). Sim, cada um de nós terá uma
questão da possibilidade de duas pessoas do mesmo sexo entrevista pessoal com Jesus Cristo.
se casarem. Se vocês tiverem dúvidas sobre a postura da Cada dia na Terra lhes proporciona tempo e oportuni-
Igreja sobre esse ou qualquer outro assunto importante, dade para prepararem-­se para essa entrevista. Saibam o
ponderem em espírito de oração e depois deem ouvido seguinte: se escolherem viver do lado do Senhor, nunca
às mensagens proféticas dos profetas vivos. Suas palavras estarão sós. Deus lhes deu acesso a Seu auxílio para vocês
inspiradas, aliadas à inspiração do Espírito Santo, trarão percorrerem a perigosa estrada da mortalidade. Ao abri-
um entendimento mais pleno e verdadeiro a sua mente.9 rem o coração para Ele em oração diária, Ele enviará Seus
O debate sobre o casamento é apenas uma das muitas anjos para ajudá-­los (ver D&C 84:88). Ele lhes concedeu

22 A L i a h o n a
Escolham pensar e
agir de modo dife-
rente do mundo.
Optem por ter uma
aparência diferente e
vejam que influência
positiva vocês podem
tornar-­se.

o Espírito Santo para estar a seu lado caso vivam digna- de Deus. Vocês são os herdeiros legítimos, para serem pro-
mente. Ele lhes deu as escrituras a fim de que vocês pos- vados e testados. Que escolham ser uma luz para o mundo
sam banquetear-­se plenamente com as palavras de Jesus para ajudar a salvar os filhos de Deus; que escolham ter
Cristo (ver 2 Néfi 9:51; 32:3). Ele lhes deixou as palavras alegria e, por fim, que alcancem a bênção da vida eterna. ◼
de profetas vivos para serem ouvidas. Do discurso do Sistema Educacional da Igreja “Youth of the Noble Birthright:
What Will You Choose?”, proferido em um devocional na Universidade
Brigham Young–Havaí em 6 de setembro de 2013. O discurso completo
Em quem depositarão sua confiança? está em cesdevotionals.LDS.org.
Vocês sabem que Deus é seu Pai. Ele os ama. Ele deseja NOTAS
que sejam felizes. Depositem sua confiança Nele (ver 1. “Constantes Qual Firmes Montanhas”, Hinos, nº 184.
2. “Juventude da Promessa”, Hinos, nº 182.
2 Néfi 4:34; 28:31). Mantenham o foco em Seu templo 3. A palavra grega anastrophe, da qual foi traduzida a palavra trato,
sagrado. Sejam dignos de receber a investidura e as orde- significa uma maneira superior de viver.
4. Ardeth Greene Kapp, I Walk by Faith, 1987, p. 97.
nanças de selamento. Permaneçam fiéis a esses convênios 5. “Somos os Soldados”, Hinos, nº 160.
e voltem ao templo com frequência. Lembrem que sua 6. Algumas pessoas se referem ao arbítrio como livre-­arbítrio, mas essa
expressão não consta das escrituras. As escrituras falam apenas de
meta mais elevada é alcançar a maior de todas as bênçãos arbítrio moral (ver D&C 101:78).
7. Ver Boyd K. Packer, “Conselho para os Jovens”, A Liahona, novembro
de Deus, a vida eterna (ver D&C 14:7). As ordenanças do de 2011, p. 16.
templo são essenciais para essa bênção (ver D&C 131:1–3). 8. Ver “A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, novembro de
2010, última contracapa.
Convido-­os a estudarem em espírito de oração a decla- 9. A inspirada proclamação da Igreja sobre a família declara: “A família foi
ração que as escrituras fazem de sua identidade, seu pro- ordenada por Deus. O casamento entre o homem e a mulher é essencial
para Seu plano eterno. Os filhos têm o direito de nascer dentro dos
pósito e suas bênçãos (ver D&C 86:8–11). Sim, vocês são laços do matrimônio e de ser criados por pai e mãe” (“A Família: Procla-
verdadeiramente jovens de nobre estirpe, criados à imagem mação ao Mundo”, A Liahona, novembro de 2010, última contracapa).

J a n e i r o d e 2 0 1 5 23
QUE
TIPO

Professores
DE

DEVEMOS
SER?

O
Se quisermos verda- Senhor ressuscitado tinha devemos ter o forte desejo no coração
deiramente tornar-­nos quase terminado Seu minis- de ensinar como Ele ensinava.
tério nas Américas. Pouco
semelhantes ao Salvador, tempo antes, descera do céu, Perguntas e Convites
precisamos ensinar da levando luz para dissipar as trevas Jesus costumava ensinar por meio
maneira que Ele ensinava. que tinham assolado as terras dos de perguntas e convites. Vejamos um
nefitas e lamanitas após Sua morte. exemplo do período que Ele passou
Ele ensinara, testificara e orara. com Seus discípulos no continente
Abençoara, esclarecera questões e americano. Certa vez, enquanto
estabelecera Sua Igreja. Agora, ao estavam orando, o Salvador apare-
preparar-­se para deixar Seus discí- ceu a eles e fez uma pergunta inicial
pulos, confiara-­lhes um encargo que com um convite: “Que desejais que
deve ter-­lhes enchido de confiança: eu vos dê?” (3 Néfi 27:2.) Como você
“Sabeis o que deveis fazer em reagiria se o Salvador lhe fizesse essa
minha igreja; pois as obras que me pergunta?
Presidência Geral da vistes fazer, essas também fareis; (…) Os discípulos responderam:
Escola Dominical
Portanto, que tipo de homens “Senhor, desejamos que nos digas
devereis ser? Em verdade vos digo o nome que devemos dar a esta
que devereis ser como eu sou” igreja, porque há controvérsias entre
(3 Néfi 27:21, 27). o povo a respeito deste assunto”
Jesus convidou-­nos a tornar-­nos (3 Néfi 27:3).
como Ele, e um de Seus grandes Cristo respondeu à pergunta deles
atributos é Sua capacidade de ensi- com outra: “Não leram as escrituras,
nar. Ele é o Mestre dos mestres. Para que dizem que deveis tomar sobre
tornar-­nos como Ele, também precisa- vós o nome de Cristo, que é o meu
mos tornar-­nos professores mais amo- nome?” (3 Néfi 27:5.) Essa pergunta
Tad R. Callister, presidente (centro);
rosos que mudam a vida das pessoas, ajudou Seus ouvintes a recordar que
John S. Tanner, primeiro conselheiro
(à esquerda); e Devin G. Durrant, não só na Igreja, mas também em deviam empenhar-­se para responder
segundo conselheiro (à direita) nosso lar. Para tornar-­nos como Ele, a suas próprias perguntas e que as

24 A L i a h o n a
respostas a muitas perguntas podiam que estavam procurando, orientando-­os
ser encontradas nas escrituras. a consultar as escrituras.
Em seguida, concluiu lembrando Por fim, fez dois convites e prome-
aos discípulos a importância de teu uma bênção maravilhosa aos que
Seu nome. Suas palavras os convi- estivessem dispostos a atender a Seus
davam a agir e lhes prometiam uma convites. O método de ensino de Cristo
bênção: “E todo aquele que tomar nessa ocasião poderia ser resumido
sobre si o meu nome e perseverar nestes cinco princípios:
até o fim, será salvo no último dia” 1. Fazer perguntas eficazes.
(3 Néfi 27:6). O Salvador perguntou: “Que dese-
jais que eu vos dê?” Essa pergunta dá
Um Modelo de Ensino margem a várias respostas diferentes.
Nesses poucos versículos, Jesus Ao fazermos perguntas desse tipo,
Cristo nos deu um modelo de ensino ajudamos os aprendizes a articularem o
divino. Ele começou com uma per- que desejam aprender e os ajudamos a
gunta instigante cujo objetivo era voltar a atenção para as coisas de maior
THREE NEPHITES, DE GARY L. KAPP

discernir as necessidades de Seus importância; nós os envolvemos num


aprendizes. Em seguida, esperou e aprendizado ativo.
ouviu as respostas deles. 2. Escutar seus alunos.
Depois que Seus ouvintes respon- Jesus Cristo escutou o pedido deles:
deram, Ele os ajudou a encontrar o “Senhor, desejamos que nos digas

J a n e i r o d e 2 0 1 5 25
o nome que devemos dar a esta analogias. Ocasionalmente, desafiava abençoou por sua fé, tamanho era
igreja”. Ao escutarmos com atenção, e até mesmo repreendia Seus detrato- Seu amor:
preparamo-­nos melhor para focalizar res. Mas sempre ensinava com amor, “Bem-­aventurados sois por causa
as necessidades de nossos alunos. mesmo por aqueles a quem censurava de vossa fé. E agora, eis que é com-
3. Usar as escrituras. (ver Apocalipse 3:19). pleta a minha alegria.
Cristo lembrou a Seus discípulos: E depois de haver proferido estas
“Não leram as escrituras, que dizem Amar os Alunos palavras, ele chorou” (3 Néfi 17:20–21).
que deveis tomar sobre vós o nome Nós também devemos sempre Um grande amor possibilita um
de Cristo, que é o meu nome?” Tanto ensinar com amor e caridade se qui- grande aprendizado. As escrituras
o professor como o aprendiz devem sermos ensinar à maneira do Salva- registram que “seu rosto sorriu-­lhes”
despender tempo sobre as escritu- dor. O amor abre o coração tanto do e “abriu-­se-­lhes o coração e com-
ras para preparar-­se para as lições. professor quanto do aluno a fim de preenderam, no coração, as palavras
O estudo das escrituras é uma parte que “ambos [sejam] edificados e juntos com que ele orou” (3 Néfi 19:25, 33).
crucial da preparação espiritual tanto se [regozijem]” (D&C 50:22).
para os professores quanto para os Pode-­se encontrar um exemplo Incentivar os Alunos a Testificar
aprendizes. eloquente do amor do Salvador em O Salvador também dava a Seus
4. Convidar os alunos a agir. 3 Néfi, no trecho em que Ele ora pelas aprendizes a oportunidade de prestar
O Senhor convidou Seus discípulos pessoas, chora com elas e as abençoa. testemunho, como no seguinte exem-
a (1) tomarem sobre si o nome Dele Ao orar a Seu Pai por eles, os nefitas plo: “E, chegando Jesus às partes de
e (2) perseverarem até o fim. Pregar sentiram Seu amor: “Ninguém pode Cesareia de Filipe, interrogou os seus
Meu Evangelho orienta: “Raramente, calcular a extraordinária alegria que discípulos, dizendo: Quem dizem os
ou nunca, você deve conversar com nos encheu a alma na ocasião em homens ser o Filho do homem?
as pessoas ou ensiná-­las sem fazer que o vimos orar por nós ao Pai” E eles disseram: Uns, João o Batista;
um convite para que façam algo que (3 Néfi 17:17). outros, Elias; e outros, Jeremias, ou
fortaleça a fé que elas têm em Cristo”.1 Ele chorou de alegria por eles e os um dos profetas.
Trata-­se de um bom conselho não só
para os missionários, mas para todos
os professores do evangelho.
5. Lembrar aos alunos as bênçãos
prometidas da obediência.
Por fim, Jesus Cristo prometeu a
Seus aprendizes que aqueles que
atenderem a Seus convites “serão sal-
vos no último dia”. Cristo sempre nos
promete Suas bênçãos mais preciosas
por nossa obediência (ver D&C 14:7).
Podemos fazer o mesmo, como pro-
fessores de Seu evangelho.
O exemplo acima ilustra vários
importantes métodos de ensino usa-
dos pelo Salvador. Além disso, às
vezes Ele ensinava por parábolas ou

26 A L i a h o n a
Disse-­lhes ele: E vós, quem dizeis Ensinava sobre o serviço, servindo. • Concentre-­se nas necessidades
que eu sou? Que lição deve ter sido para Seus dos alunos.
E Simão Pedro, respondendo, disse: discípulos ter os pés lavados por Ele! 2. Prepare-­se espiritualmente.
Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” “Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei • Viva o que ensinar.
(Mateus 16:13–16). os pés, vós deveis também lavar os • Conheça os recursos disponíveis.
Depois do testemunho de Pedro, pés uns aos outros. 3. Ensine pelo Espírito.
Cristo proferiu bênçãos maravilhosas Porque eu vos dei o exemplo, para • Ajude seus alunos a reconhecer
sobre ele: que, como eu vos fiz, façais vós tam- o Espírito.
“Bem-­aventurado és tu, Simão bém” ( João 13:14–15). • Seja um professor doutrinável.
Barjonas, porque to não revelou a Ele ensinava sobre o amor, • Crie uma atmosfera propícia
carne e o sangue, mas meu Pai, que amando. “Um novo mandamento vos ao aprendizado.
está nos céus. dou: Que vos ameis uns aos outros; 4. Descubram o evangelho juntos.
Pois também eu te digo que tu és como eu vos amei a vós, que tam- • Estabeleça expectativas elevadas.
Pedro, e sobre esta pedra edificarei a bém vós uns aos outros vos ameis” • Incentive os alunos a prestar
minha igreja, e as portas do inferno ( João 13:34). testemunho.
não prevalecerão contra ela; Ensinava sobre a oração, orando. • Faça perguntas eficazes.
E eu te darei as chaves do reino Depois de proferir orações tão ínti- • Escute seus alunos.
dos céus; e tudo o que ligares na terra mas e sublimes que não puderam ser 5. Ensine a doutrina.
será ligado nos céus, e tudo o que registradas, Ele disse: “E da mesma • Use as escrituras.
desligares na terra será desligado nos forma que orei entre vós, assim ora- • Use histórias e exemplos.
céus” (Mateus 16:17–19). reis na minha igreja (…). Eis que • Prometa bênçãos e testifique.
Ao procurarmos a excelência no eu sou a luz; eu dei-­vos o exemplo” 6. Convide os alunos a agir.
ensino, nós também faremos com (3 Néfi 18:16). • Ajude seus alunos a pôr os
frequência perguntas que levem os Jesus Cristo deixou um modelo princípios em prática.
alunos a prestar testemunho, tanto em para todos os professores do evan- • Acompanhe os convites feitos.
palavras quanto no coração. Convi- gelho que desejam ensinar à Sua
daremos nossos alunos a buscar no maneira. Embora não sejamos perfei- Ao aplicarmos esses princípios,
cotidiano experiências que fortaleçam tos como Ele, podemos empenhar-­ vamos nos tornar melhores professo-
o testemunho. Assim, se a atmosfera nos diligentemente para viver o que res, melhores alunos, melhores pais e
na sala de aula ou no lar for propícia ensinamos. Como diz a letra de uma melhores discípulos de Jesus Cristo.
ao Espírito, nossos alunos se sentirão música das crianças, os professores Afinal, Ele nos deu o mandamento de
à vontade para contar experiências devem poder dizer: “Faça o que eu “[ensinar] (…) uns aos outros” “diligen-
espirituais e prestar testemunho uns faço, siga, siga-­me!” 2 temente”, de maneira que “todos sejam
LOVEST THOU ME MORE THAN THESE?, DE DAVID LINDSLEY

aos outros. edificados por todos” (D&C 88:77, 78,


Ensinar à Maneira do Salvador 122). Que as pessoas a quem ensina-
Viver o Que Ensinar Todos os professores do evangelho mos vislumbrem em nós algo do Mestre
Jesus Cristo exortava as pessoas são convidados a adotar os seis prin- dos mestres e saiam da experiência não
a fazerem as coisas que Ele fazia cípios básicos a seguir, que refletem a só informados, mas transformados. ◼
(ver 3 Néfi 27:21) — a seguirem-­No maneira de ensinar do Salvador:
NOTAS
(ver Mateus 4:19). Ele vivia o que 1. Pregar Meu Evangelho: Guia para o Serviço
Missionário, 2004, p. 212.
ensinava e, portanto, ensinava pelo 1. Ame aqueles a quem você ensina. 2. “Faça o Que Eu Faço”, Children’s Songbook,
exemplo. • Dê atenção a cada aluno. p. 276.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 27
Élder
Koichi Aoyagi
Dos Setenta

CONSELHOS PROFÉTICOS E
Bênçãos do Templo
Q Testifico que, se orarmos pedindo orien-
uando eu era jovem, o Élder Spencer W. Kimball
(1895–1985), na época membro do Quórum dos
tação, se seguirmos os profetas vivos e se
Doze Apóstolos, visitou o Japão e discursou numa
conferência a que compareci. Ainda me lembro de seus fizermos do templo uma prioridade em
conselhos: “Os jovens devem servir missão e devem nossa vida, o Pai Celestial nos guiará e
casar-­se no templo”. nos abençoará.
Senti-­me inspirado pelo Espírito Santo e assumi a resolu-
ção de servir missão e casar-­me no templo, embora ainda eu entregava jornais todos os dias, exceto domingo, das
não existisse um templo no Japão. 3 horas às 7 horas da manhã, fazia limpeza em prédios
Naquela época, eu tinha 19 anos e estava em meu das 9 horas às 16 horas e trabalhava como cozinheiro das
segundo ano de estudos universitários. Meus pais, que não 17 horas às 19 horas e 30 minutos. Depois eu trocava de
eram santos dos últimos dias, opunham-­se fortemente à roupa e servia à noite como missionário de distrito.
minha decisão de servir missão. Todos os dias, eu orava Quando eu tinha 22 anos de idade, fui chamado para
para que me dessem sua permissão e bênção. Seis meses a Missão Extremo Oriente Norte. Durante o serviço missio-
depois, o Senhor respondeu à minha oração. nário, senti a maior alegria que jamais sentira, tive muitas
“Estamos passando por dificuldades financeiras e não oportunidades de conhecer o amor de Deus e recebi mui-
podemos mais pagar as mensalidades de sua faculdade tas bênçãos. Minha família também foi abençoada durante
nem as despesas com moradia e alimentação”, anunciaram meu serviço, quando meus pais superaram seus desafios
meus pais. “A partir de agora você vai precisar ganhar o financeiros.
próprio sustento. Também não nos importamos se você
for para a missão!” Seguir o Profeta
Como eu tinha a bênção de meus pais, deixei a facul- Quando terminei a missão, o Espírito me instou a seguir
dade, servi uma missão de construção para a Igreja e a segunda parte do conselho do Presidente Kimball: não
depois comecei a procurar um emprego para conseguir adiar o casamento no templo. Um ano antes, os membros
dinheiro para uma missão de proselitismo. Com a ajuda do da Igreja no Japão tinham começado a planejar uma cara-
Senhor, achei três empregos! No decorrer do ano seguinte, vana para o Templo de Salt Lake. Como a data de partida

J a n e i r o d e 2 0 1 5 29
era dali a três meses, orei e jejuei para ser guiado a uma de Shiroko, permitiu que nos uníssemos aos santos japone-
jovem digna que eu pudesse levar ao templo. ses que foram ao Templo de Salt Lake.
Pouco tempo depois, participei de uma atividade da Não é possível externar a alegria que sentimos ao
Igreja em minha cidade natal, Matsumoto. Enquanto sermos selados lá como casal para a eternidade. Nunca
estava lá, encontrei-­me acidentalmente com Shiroko esqueceremos aquela experiência. O que aumentou ainda
Momose, que estudara comigo no Ensino Médio na época mais nossa alegria foi o fato de termos pesquisado cinco
em que entrei para a Igreja. O Espírito me confirmou ime- gerações de nossos antepassados e preparado seus nomes
diatamente que ela era a pessoa que tinha sido preparada para o trabalho do templo. Enquanto estávamos em Salt
para mim. Lake City, fizemos as ordenanças por esses antepassados.
Pedi a Shiroko em casamento pouco depois de começar- A realização dessas ordenanças nos ajudou a sentir-­nos
mos a namorar. Fiquei feliz quando aceitou, mas surpreso mais perto deles. Sabíamos que eles estavam muito felizes
com suas palavras logo em seguida. por causa de nosso esforço.
“Estou muito feliz por saber que seu Senhor é meu Éramos recém-­casados e com poucos recursos financei-
Senhor”, disse ela. “Quando eles anunciaram a caravana ros, mas fizemos da frequência ao templo uma prioridade.
para o Templo de Salt Lake, senti muita vontade de ir. Orei Tempos depois, começamos a ir ao Templo de Laie Havaí
muitas vezes para que o Senhor me ajudasse a encontrar com a regularidade que nossas finanças permitiam.
alguém com quem eu pudesse me casar lá. Há cerca de
um ano, ao orar, o Espírito me indicou que eu devia espe- Abençoados pelo Templo
rar por você e que você me pediria em casamento quando “Precisamos do templo mais do que qualquer outra
voltasse da missão.” coisa”, disse o Profeta Joseph Smith.1
Foi uma experiência espiritual maravilhosa para nós, No plano de Salvação de Deus, o templo é essencial
que fortaleceu nossa determinação de casar-­nos no Tem- para nossa felicidade eterna, pois nele realizamos cerimô-
plo de Salt Lake. Tínhamos pouco dinheiro para fazer a nias e ordenanças sagradas. O Bible Dictionary (Dicionário
viagem, mas não nos deixamos abater. Naquela época já Bíblico) nos diz que o templo é o lugar mais sagrado de
sabíamos que, quando confiamos no Senhor e guardamos adoração na Terra e um “local que o Senhor pode visitar”.2
Seus mandamentos, Ele nos ajuda a realizar coisas que Se honrarmos nossos convênios do templo e formos até
não conseguiríamos de outra forma. lá “com o coração humilde, com pureza, honra e integri-
Invocamos o Pai Celestial em oração e envidamos todos dade”,3 sentiremos o Espírito Santo e receberemos mais
os esforços possíveis para amealhar a quantia necessária. luz e conhecimento. Ao deixarmos o templo, sairemos
Esse empenho, aliado ao auxílio financeiro de um amigo armados do poder do Senhor e com Seu nome sobre nós,
Sua glória a nosso redor e Seus anjos a nos guardar (ver
D&C 109:13, 22).
OBEDIÊNCIA: Quando regressamos ao Japão, após nosso casamento,
UM MAPA INFALÍVEL as promessas do Senhor se realizaram em minha vida
“Um Pai Celestial amoroso traçou quando procurei emprego em tempo integral.
para nós um curso e providenciou um
mapa infalível: a obediência. Recebe- O Senhor Cumpre Suas Promessas
remos um conhecimento da verdade Eu estava trabalhando apenas meio período quando
e as respostas para as nossas maiores nosso primeiro filho nasceu. Ficamos exultantes, mas
dúvidas à medida que formos obedientes aos manda- eu sabia que não conseguiríamos, sem um emprego de
mentos de Deus.” tempo integral, sustentar nossa família que estava cres-
Presidente Thomas S. Monson, “A Obediência Traz Bênçãos”, A Liahona, cendo. Começamos a orar fervorosamente pedindo ajuda
maio de 2013, p. 89.
celestial.

30 A L i a h o n a
de Mórmon, da Restauração da Igreja verdadeira de Jesus
Cristo e dos ensinamentos da Igreja.
Nenhum dos entrevistadores me interrompeu enquanto
eu falava. Alguns dias depois, a companhia me ofereceu um
emprego com um altíssimo salário. Posteriormente, quando
perguntei a meu gerente porque eles tinham me contratado,
ele respondeu: “Durante sua entrevista, tive a certeza de
que você era consciencioso, sincero e leal e de que seria
alguém que trabalharia dessa maneira para nossa empresa”.
Testifico que o Senhor cumpre Suas promessas. Durante
minha entrevista, senti o poder e o Espírito do Senhor sobre
mim, tal qual Ele promete àqueles que frequentam o tem-
plo e honram os convênios que assumem lá. Também senti
Seu Espírito a meu lado ao trabalhar para a empresa, onde
fui abençoado para fazer muitas contribuições valiosas.

Um Templo no Japão
Numa conferência regional em Tóquio, em 1975, o
Presidente Kimball anunciou a construção do Templo de
Tóquio Japão. Os santos japoneses, profundamente emo-
cionados, aplaudiram espontaneamente como demonstra-
Antes de servir missão, eu tinha vontade de trabalhar ção de alegria e gratidão.
com comércio exterior. Mas, para ser contratado por uma O Templo de Tóquio Japão foi concluído em 1980.
empresa da área, o candidato em geral precisava ser for- Durante a visitação pública e as cerimônias dedicatórias,
mado na universidade e ter determinadas certificações. Eu os santos foram abençoados com experiências espirituais
não terminara a faculdade e não tinha certificações, mas, maravilhosas e grande alegria. Essas experiências continua-
quando oramos, sentimos que o Senhor nos abençoaria e ram após a dedicação do templo quando os santos come-
prepararia um emprego para mim. çaram a receber suas ordenanças do templo e realizá-­las
Decidi inscrever-­me para os exames de recrutamento de para seus antepassados falecidos.
várias empresas comerciais, apesar de não ter diploma. Fui Hoje, quase 45 anos depois de meu casamento com
recusado pelas duas primeiras, mas tive uma experiência Shiroko, minha decisão de seguir os conselhos proféticos
curiosa quando me candidatei à terceira companhia. continua a abençoar nossa vida e a de nossos filhos. Cons-
A Igreja tinha poucos membros japoneses naquela truímos um lar maravilhoso à maneira do Senhor — sobre
época, e muitas pessoas tinham preconceito contra a Igreja. o alicerce do evangelho de Jesus Cristo, incluindo os con-
Quando três representantes da terceira empresa comercial vênios do templo.
me entrevistaram, olharam meu currículo e viram que eu Testifico que, se orarmos pedindo orientação, se seguir-
era santo dos últimos dias. Começaram a me fazer pergun- mos os profetas vivos e se fizermos do templo uma prio-
tas sobre a Igreja e pediram respostas detalhadas. Como ridade em nossa vida, o Pai Celestial nos guiará e nos
eu voltara da missão havia pouco tempo, não tinha dificul- abençoará. ◼
dade para falar da Igreja restaurada de Jesus Cristo.
NOTAS
Durante pelo menos 40 minutos, estimo eu, falei do 1. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 438.
2. Bible Dictionary, “Temple”.
evangelho e prestei testemunho da vida de Jesus Cristo, 3. Spencer W. Kimball, da oração dedicatória do Templo de Tóquio
da Apostasia, da Primeira Visão de Joseph Smith, do Livro Japão, em 2013 Church Almanac, 2013, p. 297.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 31
Flora e Eu
Parceiros Iguais na Obra do Senhor

À esquerda: Flora Amussen


e Ezra Taft Benson quando
jovens. À direita: Flora e Ezra
aproveitando um dia com os
seis filhos.
32 A L i a h o n a
Ao conhecermos a relação de parce-
ria caracterizada pelo apoio e pelo
amor que o Presidente Ezra Taft
Benson tinha com a esposa, Flora,
adquiriremos uma compreensão
mais profunda de seu ministério.

Aaron L. West
Serviços de Publicação da Igreja

S
e prestarmos bem atenção, algumas singelas palavras podem ser tão eficazes
quanto um sermão. Foi assim em 11 de novembro de 1985. E as palavras
singelas eram “Flora e eu”.
O Presidente Ezra Taft Benson (1899–1994) leu essas palavras como parte de
uma declaração preparada para a imprensa no dia em que foi designado Presidente
de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O Presidente Spencer W.
Kimball (1895–1985) morrera seis dias antes, deixando o Presidente Benson como
apóstolo sênior.
O Presidente Benson e sua esposa, Flora, estavam juntos quando receberam a
notícia do falecimento do Presidente Kimball e “ajoelharam-­se imediatamente” em
oração.1 No primeiro parágrafo dessa declaração que seria difundida mundo afora,
o Presidente Benson mais uma vez se pôs ao lado de Flora. Ele disse: “Eu esperava
que este dia nunca chegasse. Minha esposa, Flora, e eu estávamos orando conti-
nuamente para que os dias do Presidente Kimball se prolongassem na Terra e que
outro milagre se realizasse em seu favor. Agora que o Senhor Se manifestou, nós
faremos o melhor possível, sob Sua orientação, para levar adiante a obra na Terra”.2
Depois de 59 anos de casamento, a frase “Flora e eu” era algo natural para o Pre-
sidente Benson. E quando ele disse “nós faremos o melhor possível, sob Sua orien-
tação, para levar a obra adiante na Terra”, não usou o pronome nós para referir-­se a
si mesmo e às demais autoridades gerais, embora eles certamente fossem trabalhar
em conjunto. Nessa declaração, o profeta vidente e revelador da Igreja falou de sua
união com a esposa na obra do Senhor.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 33
Para ler sobre
como a vida na
fazenda moldou o
caráter de Ezra Taft
Benson, ver Ensina-
mentos dos Presi-
dentes da Igreja: Universidade Estadual de Utah). Certo dia,
Ezra Taft Benson,
páginas 2–4.
quando ele estava com alguns amigos no
campus da faculdade, uma jovem lhe chamou
a atenção. Posteriormente, ele relembrou:
“Estávamos perto de uma leiteria quando
uma jovem — muito atraente e linda —
aproximou-­se do estabelecimento em seu
carro, para comprar leite. Quando os rapazes
acenaram para ela, ela também acenou. Per-
guntei: ‘Quem é aquela jovem?’ Eles respon-
deram: ‘É Flora Amussen’.
Eu disse a eles: ‘Sabem, acabo de ter a
impressão de que vou me casar com ela’”.
Em sentido horário, a Os amigos de Ezra riram desse anúncio.
partir do alto: Ezra Taft Disseram: “Ela é sofisticada demais para um
Benson com outros rapaz da roça”. Como ele reagiu? “Isso torna
fazendeiros; Ezra, o
E por que não seria assim? Ele e Flora tudo ainda mais interessante.” 3
segundo a partir da
esquerda, com a mãe estavam unidos na obra do Senhor havia Os amigos de Ezra estavam redondamente
e os irmãos; os pais de quase seis décadas. Embora muitos aspectos enganados sobre Flora Amussen. Desde a
Ezra, George T. Benson da vida deles tivessem mudado com o passar adolescência, ela sentia certo interesse pelos
e Sarah Dunkley Benson.
dos anos, sua parceria tinha sido uma fonte homens que trabalhavam a terra. Certo dia,
constante de força para os dois. quando a mãe dela, Barbara, lhe disse que
Neste ano o programa de estudos das “ela não poderia alcançar o mais alto grau de
irmãs da Sociedade de Socorro e dos por- glória sem o casamento celestial, Flora res-
tadores do Sacerdócio de Melquisedeque pondeu, talvez com ingenuidade, mas certo
inclui a oportunidade de aprender sobre o discernimento: ‘Então quero casar-­me com um
Presidente Ezra Taft Benson. Ao estudar os homem pobre materialmente, mas rico espiri-
ensinamentos dele, é provável que você sinta tualmente, a fim de construirmos tudo juntos’.
vontade de aprender mais sobre seu caráter. Após alguns instantes de silêncio, acrescentou,
Este artigo faz algumas considerações sobre ‘Gostaria de casar-­me com um fazendeiro’”.4
sua vida e seu ministério, pela perspectiva de Flora e Ezra conheceram-­se algum tempo
sua esposa, Flora Amussen Benson. Todos depois, ainda em 1920, e a amizade logo
os números de capítulo e página no artigo se se transformou em namoro. Em Ezra Taft
referem ao manual Ensinamentos dos Presi- Benson, Flora encontrou um rapaz que
dentes da Igreja: Ezra Taft Benson. começara a acumular as riquezas espirituais
que ela tanto valorizava. E como ela espe-
“Gostaria de Casar-­me rava, as raízes dessa força espiritual tinham
com um Fazendeiro” origem no solo da fazenda da família dele.
No segundo semestre de 1920, Ezra Taft
Benson, na época com 21 anos, viajou da Trabalhar Juntos para Colocar Deus
fazenda de sua família em Whitney, Idaho, em Primeiro Lugar
EUA, para Logan, Utah, onde se matriculou na Assim que os laços de afeição entre Flora
Faculdade de Agronomia de Utah (atualmente e Ezra começaram a se fortalecer, ficaram

34 A L i a h o n a
Para ler relatos do serviço de Ezra
Taft Benson como missionário de
tempo integral, ver as páginas 9–11
e 111–113 do manual. Para ler sobre
o serviço dele na Europa logo após
a Segunda Guerra Mundial durante
sabendo que teriam de ficar longe um do seu apostolado, ver as páginas
19–23, 59–60, 75–76, 281 e 285.
outro por dois anos. Ezra recebeu o chamado
para servir na Missão Britânica. Ele e Flora
ficaram entusiasmados com essa oportuni-
dade de servir. “Ezra conversou com Flora
sobre o relacionamento deles. Eles queriam
manter a amizade, mas também reconheciam
a necessidade de Ezra ser um missionário
dedicado. ‘Antes de minha partida, Flora e eu
decidimos trocar [cartas] apenas uma vez por
mês’, disse ele. ‘Também decidimos que nos-
sas cartas deviam ser de incentivo, confiança
e notícias. E foi isso que fizemos.’” 5
Ao encararem dessa forma o chamado
missionário, exemplificaram uma verdade
que Ezra ensinaria aos santos muitos anos
Acima: O jovem Ezra Taft Benson antes de
depois: “Quando colocamos Deus em pri- receber o chamado missionário. Acima e à
meiro lugar, todas as outras coisas entram direita: Como apóstolo, ele ajudou a servir
no devido eixo ou são eliminadas de nossa às pessoas na Europa logo após a Segunda
Guerra Mundial.
vida. Nosso amor pelo Senhor governará
o objeto de nosso afeto, as demandas de acadêmico, “havia quem continuasse a ques-
nosso tempo, os interesses que buscamos tionar a decisão de Flora. Eles não com-
e a ordem de nossas prioridades”.6 preendiam por que uma jovem tão cheia de
Perto do fim da missão de Ezra, ele e Flora atributos, saudável e popular se casaria com
estavam ansiosos para se reverem. Mas [Flora] um rapaz da fazenda. Mas ela continuava
“fazia mais do que esperar pela perspectiva de dizendo que sempre ‘quisera se casar com
reencontrá-­lo. Na verdade, ela via muito além um fazendeiro’. Ezra ‘era prático, sensível e
— via o futuro e o potencial dele. (…) Ficou decidido’, dizia. E acrescentava: ‘Ele era amo-
feliz com o claro desejo de Ezra de viver na roso com os pais; e eu sabia que, se ele os
fazenda da família em Whitney, Idaho. Toda- respeitava, também me respeitaria’. Ela reco-
via, ela achava necessário que, em primeiro nhecia que ele era ‘um diamante na forma
lugar, ele concluísse seus estudos”.7 Em seu bruta’ e prometia: ‘Farei tudo a meu alcance
empenho para ajudá-­lo nisso, ela aliou-­se a para ajudá-­lo a ser conhecido e amado, não
ele para colocarem Deus em primeiro lugar. só nesta pequena comunidade, mas também
Menos de um ano depois de ele voltar da mis- no mundo inteiro’”.8
são, ela o surpreendeu com a notícia de que Com essa visão de seu marido em poten-
ela mesma ia sair em missão. Para saber mais cial, Flora sempre o acompanhava por todos
sobre a decisão dela, ver as páginas 11–12. os lugares para onde eles precisavam ir a
fim de sustentar os filhos e servir à Igreja,
Um Diamante em Estado Bruto à comunidade e à nação. Isso às vezes a
Flora e Ezra foram selados no Templo de obrigava a levar uma vida mais simples do
Salt Lake em 10 de setembro de 1926. Apesar que aquela à qual estava habituada, mas ela
da bondade inata de Ezra e de seu sucesso aceitava de bom grado o desafio.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 35
O Élder Ezra Taft
Benson foi Minis-
tro da Agricultura
dos Estados Unidos
por oito anos e,
ao mesmo tempo,
continuou a servir dele à família. Para saber mais sobre os
como apóstolo. Para
ler como ele cumpriu
primeiros anos de Flora e Ezra como casal
essas responsabilida- e como pais, ver as páginas 12–15.
des, ver as páginas
24–28 e 51–53. Dois Telefonemas Que Mudaram
Sua Vida
Em 27 de julho de 1943, Flora recebeu
um telefonema do marido. Ele estava em
Salt Lake City, Utah, preparando-­se para
voltar de uma viagem de negócios com
Reed, filho deles. Ela estava na casa deles
perto de Washington, D.C., a cerca de 3.200
quilômetros de distância. Depois de passar
uma noite em claro com orações e lágrimas,
ele telefonou para contar à esposa que na
véspera fora chamado para o Quórum dos
Acima: O Presidente Benson entre os santos. Doze Apóstolos.
À esquerda e acima: Ezra Taft Benson, Ministro A notícia não causou surpresa a Flora.
da Agricultura dos Estados Unidos.
Ela “tivera a forte impressão de que algo
No dia do casamento deles, por exemplo, de importância aconteceria na viagem [do
“a única comemoração (…) foi um desjejum marido]”.10 Ela expressou confiança em Ezra
oferecido aos familiares e amigos. Depois do e as palavras dela foram como um bálsamo
desjejum, os recém-­casados partiram imedia- para ele. Posteriormente ele relembrou: “Foi
tamente em sua caminhonete Ford, Modelo T, reconfortante conversar com ela. Ela sempre
rumo a Ames, Iowa”, onde Ezra cursaria o teve mais fé em mim do que eu mesmo”.11
mestrado em Economia Agrícola. “Ao longo Embora Flora tivesse confiança no marido,
do caminho, passaram oito noites em uma sabia que ele não conseguiria levar avante
barraca furada. Quando finalmente chegaram esse chamado sozinho, mas precisaria do
a Ames, alugaram um apartamento que ficava apoio da família e da força do céu. Numa
a um quarteirão de distância do campus uni- conferência geral, uma mensagem sussurrada
versitário. O apartamento era pequeno, e os por Flora demonstrou como ela amava o
Benson compartilhavam o espaço com uma marido e compreendia a confiança dele no
grande família de baratas; mas Ezra dizia que Senhor (ver as páginas 52–53).
‘aquela não tardou a ser a casinha mais acon- Flora recebeu em 24 de novembro de 1952
chegante que alguém poderia imaginar’.” 9 outro telefonema que iria mudar a vida deles.
À medida que Ezra ia-­se tornando Dessa vez ele estava visitando a área de
um “diamante menos bruto”, passou a Washington, D.C., e ela estava na casa deles
envolver-­se cada vez mais no serviço fora de em Salt Lake City. Dwight D. Eisenhower,
casa. Isso resultou num processo refinador que em breve iniciaria seu mandato como
para Flora também. Quando ele estava longe, presidente dos Estados Unidos, acabara de
ela às vezes sentia solidão e desânimo. Mas convidar o Élder Benson para ser o Ministro
adorava ser esposa e mãe e expressava gra- da Agricultura, cargo de alto escalão que exi-
tidão pela bondade do marido e a dedicação giria grande sacrifício e dedicação. O Élder
Benson aceitou o convite, aconselhado pelo Presidente da trabalharam lado a lado como instrumentos eficazes nas
Igreja, David O. McKay (1873–1970). mãos do Senhor.
Quando o Élder Benson contou a Flora que o Presidente Assim como o Presidente e a irmã Benson se ajoelharam
eleito Eisenhower lhe tinha oferecido um cargo público e juntos quando souberam que ele ia presidir a Igreja, tra-
que ele aceitara, ela respondeu: “Sabia que ele faria isso. balharam juntos para “levar adiante a obra na Terra”.13 Tal
E eu sabia que você ia aceitar”. Ela como ela esperara quando adoles-
reconheceu que seria difícil para a cente, eles construíram o que dese-
família, mas acrescentou: “Parece jaram — juntos.14
ser a vontade de Deus”.12 Do púlpito, o Presidente Benson
O Élder Benson foi Ministro da exortava os santos dos últimos dias
Agricultura por oito anos. Durante a inundarem a Terra e a vida deles
esse tempo, a família ficou sepa- com o Livro de Mórmon (ver os
rada por alguns períodos, e o Élder capítulos 9–10). Em casa, Flora lia
Benson teve de lidar com as críti- o Livro de Mórmon para ele todos
cas e a bajulação que costumam os dias e depois eles discutiam
acompanhar os cargos públicos. o que tinham lido.15 Do púlpito,
Os Benson receberam oportuni- o Presidente Benson exortava os
dades grandiosas. Certa vez, por santos a servirem no templo e
exemplo, o Élder Benson levou frequentarem-­no regularmente
Flora e suas filhas Beverly e (ver o capítulo 13). Longe da
Bonnie numa viagem de quatro vida pública, Flora e Ezra Benson
semanas na qual ele se empenhou para estabelecer rela- iam ao templo todas as sextas-­feiras, sempre que possí-
ções comerciais com 12 países diferentes (ver a página vel.16 Do púlpito, o Presidente Benson fazia advertências
193). O convite de um repórter propiciou uma experiência sobre o pecado e o “aplauso do mundo”.17 Mas, embora
missionária única para a família (ver a página 27). Flora tivesse conseguido ajudá-­lo “a ser conhecido (…)
no mundo inteiro”18, eles se contentavam, juntos, com o
Instrumentos Iguais nas Mãos do Senhor sereno “aplauso dos céus”. 19
Assim como todos os Presidentes da Igreja, Ezra Taft O Presidente Ezra Taft Benson proferiu centenas de dis-
Benson foi preordenado para seu chamado. Mas, sozinho, cursos como apóstolo e Presidente da Igreja. É difícil imagi-
ele não poderia ter cumprido essa preordenação ou ser- nar qualquer um desses sermões sem a influência daquele
vido com tanta força. Certamente nenhuma outra pessoa o sermão, constituído de apenas três palavras, pronunciado
influenciou tanto quanto Flora. Na Igreja e na família, eles em 11 de novembro de 1985 “Flora e eu”. ◼

NOTAS
1. Sheri L. Dew, Ezra Taft Igreja], Ensign, dezem- 7. Ensinamentos: Ezra em Ensinamentos: Ezra Benson: Adjutora de
Benson: A Biography, bro de 1985, p. 5. Taft Benson, p. 11. Taft Benson, p. 26. um Profeta, Serva do
1987, p. 479. 3. Ensinamentos dos 8. Ensinamentos: Ezra 13. Ezra Taft Benson, em Senhor”, A Liahona,
2. Ezra Taft Benson, em Presidentes da Igreja: Taft Benson, pp. 12–13. Searle, “President Ezra junho de 1987, p. 14.
Don L. Searle, “Presi- Ezra Taft Benson, 9. Ensinamentos: Ezra Taft Benson Ordained 16. Ver Dew, Ezra Taft
dent Ezra Taft Benson 2014, p. 9. Taft Benson, pp. 13–14. Thirteenth President of Benson, p. 511.
Ordained Thirteenth 4. Dew, Ezra Taft Benson, 10. Dew, Ezra Taft Benson, the Church”, p. 5. 17. Ensinamentos: Ezra
President of the pp. 74–75. p. 176. 14. Ver Flora Amussen Taft Benson, p. 245.
Church” [O Presidente 5. Ensinamentos: Ezra 11. Ezra Taft Benson, em Benson, em Dew, Ezra 18. Ensinamentos: Ezra
Ezra Taft Benson É Taft Benson, p. 9. Ensinamentos: Ezra Taft Benson, pp. 74–75. Taft Benson, p. 13.
Ordenado o Décimo 6. Ensinamentos: Ezra Taft Benson, p. 18. 15. Ver Derin Head Rodri- 19. Ensinamentos: Ezra
Terceiro Presidente da Taft Benson, pp. 44–45. 12. Flora Amussen Benson, guez, “Flora Amussen Taft Benson, p. 246.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 37
VOZES DA IGREJA

O CÍRCULO DO SERVIÇO SE FECHOU

E m meu primeiro ano de facul-


dade, eu visitava com a colega
com a qual eu dividia o apartamento
fronteiriças do Arizona, entre elas,
Nogales.
Quando minha colega voltou
Dez anos após a morte do tio Joe,
eu estava lendo o diário de minha
bisavó. Ela contava no diário que o
seu tio-­bisavô de 98 anos, que ela para sua cidade natal por um tempo, marido a abandonara sem dinheiro,
chamava carinhosamente de tio Joe. senti-­me inspirada a continuar a visitar uma dívida de 30 dólares de aluguel
Ele morava sozinho e estava sempre o tio Joe. Ele se tornou um amigo e nove bocas para alimentar.

ILUSTRAÇÕES: BRADLEY CLARK


solitário; então, tentávamos visitá-­lo querido, e visitei-­o até seu faleci- Em seguida, escreveu: “Em Bisbee
com a maior frequência possível. mento, um ano e meio depois. Fiquei [Arizona], as pessoas foram muito
Durante nossas visitas, ele nos con- triste ao perder meu amigo, mas grata bondosas conosco. Mesmo quando
tava histórias sobre a época em que pelo tempo valioso que passamos morávamos fora da cidade, ao sul de
morou no México e em várias cidades juntos. Bisbee, davam-­nos carona até nossa

O tio Joe vivia sozinho e estava


sempre solitário. Assim, minha
colega de apartamento e eu o
visitávamos com a
maior frequência
possível.

38 A L i a h o n a
SERÁ QUE EU CONSEGUIRIA
CONFESSAR?
casa [ao sairmos da igreja]. O irmão
Joseph Kleinman, que morava no
México, nos dava carona muitas vezes
A o ficar frente a frente com um
membro da presidência da estaca,
meu coração disparou. Eu já tinha sen-
Quando fui até o bispo, ele ime-
diatamente me acolheu em sua sala.
Com dificuldade, tentei articular por
e não só isso, mas [sua família] nos tido sobressaltos desde o telefonema que estava lá. Depois de esconder
levava para jantar com eles. Serviam do secretário da estaca para marcar meus pecados por tanto tempo, mal
coelho frito com tudo a que tínha- uma entrevista. Será que ele sabia que sabia por onde começar. Com amor,
mos direito. Adorávamos. Eles foram eu não era digno de servir? incentivou-­me a desabafar. Expliquei
transferidos para Nogales (…) e nos Eu decidira que alguns pecados a natureza geral de meus pecados e
deixaram seus coelhos, bem branqui- seriam mais fáceis de levar ao tribunal pedi tempo para descrever minhas
nhos, e por um bom tempo ficamos de Deus do que revelar aqui na Terra, faltas em detalhes. Ele concordou
de barriga cheia”. achando que seria egoísta revelar prontamente.
Ao ler esse relato, percebi que o coisas que causariam dor e constran- Eu ainda precisava fazer uma
Joseph Kleinman que ajudara minha gimento a minha esposa. Seria melhor confissão plena, mas era como se já
bisavó era o mesmo tio Joe! Senti o superá-­los sozinho e conviver com o tivesse tirado um enorme peso das
Espírito sussurrar que eu fora inspi- fardo. O único problema é que eu não costas. Senti também, por fim, uma
rada a continuar a visitar o tio Joe conseguiria sobrepujá-­los sozinho. esperança renovada de livrar-­me
como um pequeno agradecimento Na entrevista com o conselheiro daquele fardo.
pela bondade que ele demonstrara na presidência da estaca, recebi um Passei as semanas seguintes
a minha bisavó e sua família. chamado para servir. Ele perguntou: orando, lendo as escrituras e criando
Vibrei ao ver que eu fizera parte de “Irmão, aceitaria esse chamado?” meu inventário para apresentar tanto
uma história de amor e serviço cujo Como eu queria gritar: “Sim!” Mas ao bispo quanto ao Pai Celestial. Pri-
círculo se fechara. Sei que o Senhor na verdade, quase involuntariamente, meiro levei minha lista ao Pai Celes-
está atento a Seus filhos. Se dermos ouvi-me dizer: “Não posso, antes pre- tial, com o coração quebrantado e o
ouvidos aos sussurros do Espírito ciso resolver problemas com alguns espírito contrito, para dizer-­Lhe que
Santo, poderemos abençoar a vida pecados”. estava arrependido e desejava since-
das pessoas e, ao mesmo tempo, nós Senti simultaneamente ansiedade ramente mudar. Marquei outra entre-
mesmos seremos abençoados. ◼ e alívio ao confessar a natureza geral vista com o bispo e mostrei a lista
Krisi Church Summers, Utah, EUA do pecado. Ele perguntou se eu já inteira. Ele não franziu a testa, gritou
tinha conversado com meu bispo. nem me repreendeu, só me abraçou.
“Não.” Com minha mulher? “Não.” Ele Externou-­me o amor dele e do Sal-
apertou minha mão, sorriu, disse que vador, dizendo que agora eu estava
estava orgulhoso de minha confissão no caminho do verdadeiro arrependi-
e orientou-­me a conversar com meu mento. Eu sabia que era verdade.
bispo e minha esposa. A confissão de meus pecados, antes
Obedeci e primeiro contei a minha meu maior medo, tornou-­se uma das
esposa, eliminando assim meu maior mais belas experiências de minha
medo. Ela ainda me amava! Sim, ela vida. Foi o primeiro passo para eu
estava contrariada, e precisaríamos compreender verdadeiramente o dom
resolver algumas coisas, mas me e o poder de cura da Expiação de
amava e incentivou-­me a procurar Jesus Cristo. ◼
o bispo. Nome não divulgado

J a n e i r o d e 2 0 1 5 39
SEGUIMOS O CAMINHO

N a última área de minha missão,


meu companheiro e eu servi-
mos em duas cidadezinhas situadas
centro de São Paulo. Um homem de
idade se aproximava dela e dizia que
dois rapazes viriam para mudar sua
finalmente viu o rosto dos dois
rapazes. Ela também viu que cada
um deles levava uma plaquetinha
no interior do Estado de São Paulo, vida. Então ela via dois rapazes se preta. Momentos depois, relatou ela,
Brasil. Entre as duas, havia um atalho aproximando, mas era aí que o sonho o Élder Andrade e eu aparecemos
através da mata que nunca tínha- sempre acabava. na frente dela no atalho. Ela ficou
mos usado, pois sentíamos que era Certo dia, algumas semanas antes, tão emocionada que não conseguiu
perigoso e não achávamos provável ela estava varrendo o chão de casa conter as lágrimas.
conhecer ninguém lá. quando uma voz lhe disse que dois Hoje, ao lembrar-­me dessa expe-
Certa tarde, ao nos aproximarmos rapazes estavam se aproximando e que riência sagrada, sinto o Espírito e
do atalho, o Espírito Santo tocou-­me ela precisava ir naquele momento ao revejo na mente o rosto banhado de
o coração, dizendo que devíamos atalho da mata, onde a tínhamos visto lágrimas daquela irmã que aceitou o
entrar no bosque. Olhei para o Élder pela primeira vez. Sem compreender evangelho. Felizmente, meu compa-
Andrade e falei-­lhe da impressão que aquela inspiração, mas desejosa de nheiro e eu tivemos a sensibilidade e
acabara de receber. Ele disse que conhecer o desfecho de seu sonho, a coragem de seguir o caminho que
sentira o mesmo. largou a vassoura e andou até o atalho. o Senhor queria que tomássemos
Pouco depois de tomarmos a trilha Ao caminhar, as imagens de seu naquele dia. ◼
desconhecida, vimos uma mulher sonho lhe vieram à mente como Rut de Oliveira Marcolino, Rio Grande
caminhando em nossa direção. O num filme, que acabou quando ela do Norte, Brasil
atalho era estreito e, ao nos aproxi-
marmos, era impossível não perceber
que estava chorando. P ouco depois de tomarmos a trilha desconhecida, vimos uma mulher caminhando
em nossa direção. Era impossível não notar que ela estava chorando.
Quando ela olhou para nós,
convidou-­nos a acompanhá-­la até
a casa dela, onde conhecemos
seu marido. Começamos imedia-
tamente a ensinar o evangelho
àquele casal tão receptivo. Após
algumas semanas, nós os con-
vidamos ao batismo. Ficamos
muito entusiasmados quando
aceitaram, pois já fazia um ano
que não havia batismos na ala.
Ficamos gratos por termos seguido
a inspiração de pegar o atalho
naquele dia.
Pouco antes do batismo deles,
porém, a esposa disse que preci-
sava conversar conosco. Contou que
durante anos tivera um sonho recor-
rente. Em seu sonho, ela estava no

40 A L i a h o n a
ACEITA ESTAS FLORES?

C erto dia, após um turno parti-


cularmente difícil na unidade
pediátrica do hospital, eu estava
disse ela. “Agora sei que Ele me ama.”
Senti um aperto no coração. Como
eu tinha sido egoísta! Aquela mulher
cansada e mal-­humorada. Ao passar precisava de uma palavra de carinho,
pela recepção, vi belas flores. Quando e a princípio eu nem queria falar
comentei com a recepcionista como com ela. Eu não era um anjo.
eram bonitas e perfumadas, ela disse Ao me despedir dela, também
que eu poderia levá-­las. comecei a chorar.
Como fiquei feliz! Achei que cer- Ao voltar ao carro, meu
tamente o Pai Celestial queria que eu marido perguntou o que
ficasse com as flores para iluminar havia de errado e por que
meu dia. eu dera minhas flores para
Ao sair do hospital, vi-­me atrás de outra pessoa. Ele parecia
uma mulher numa cadeira de rodas. confuso, mas depois ficou
Fiquei impaciente, mas finalmente con- aliviado quando lhe contei
segui ultrapassá-­la ao sair do prédio. a história.
Quando passei, ela levantou a cabeça “Eu lhe mandei rosas
e exclamou: “Nossa, que flores lindas!” hoje. Senti que você estava
Agradeci a ela e corri até meu carro, precisando”, disse ele.
onde meu marido me esperava. Fiquei “Fiquei preocupado por
animada ao mostrar-­lhe minhas flores. achar que você tinha aca-
De repente, senti o Espírito Santo bado de dá-­las para outra
me dizer que aquela mulher precisava pessoa. Se aque-
mais das flores do que eu. Relutei em las não eram as
dar-­lhe as flores, mas acabei seguindo flores que lhe
o sussurro. Quando lhe perguntei se mandei, onde
as aceitava, no fundo eu esperava que estão?”
recusasse. Ficamos
“Claro!” respondeu ela. “Adoraria sabendo que a
ganhá-­las. São lindas.” floricultura se esque-
o
Entreguei-­lhe as flores, mas, ao cera de entregar as rosas, enti er
e nte, s me diz a
virar-­me para ir embora, ela começou então fomos até lá. Meu re p anto isav

D
e to S er prec .
a soluçar. Quando perguntei se estava marido entrou e logo saiu com píri
Es ulh eu
bem, contou-­me que seu marido mor- um lindo buquê. ue la m do que
a q s
que as flore
rera vários anos antes e que fazia mais Não pude conter as lágrimas de is d
ma
de um ano que ela não recebia visitas novo. O Pai Celestial pedira que eu
de nenhum filho. Relatou que vinha sacrificasse aquelas flores, sabendo
suplicando a Deus que lhe mostrasse que havia algo melhor à minha espera
um sinal de Seu amor. e também que Sua filha solitária preci-
“Você é um anjo mandado por Deus sava de um lembrete de Seu amor. ◼
para me dar minhas flores favoritas”, Cindy Almaraz Anthony, Utah, EUA

J a n e i r o d e 2 0 1 5 41
ACONSELHAR-­SE
COM FREQUÊNCIA
Conselhos de Família para os Casais
Nichole Eck

O
s conselhos na Igreja seguem conselho familiar”, disse o Presidente Aqui estão alguns princípios e
um padrão divino em todos Spencer W. Kimball (1895–1985), “é o sugestões práticas que você pode
os níveis, desde o Conselho conselho mais básico da Igreja”.1 aplicar a seus conselhos familiares
da Primeira Presidência e do Quórum O Élder M. Russell Ballard, do entre marido e mulher.
dos Doze Apóstolos até os conselhos Quórum dos Doze Apóstolos ensi-
de estaca, de ala, de ramo, de quórum nou que “os conselhos familiares são Iniciar com uma Oração
e outros conselhos de liderança. “O fóruns ideais para que se consiga uma “Quando a comunicação com o
comunicação eficaz”.2 São, explicou Pai Celestial é rompida, a comuni-
ele, uma ocasião para “[tratar] das cação entre os cônjuges também se
necessidades da família e das neces- rompe.”  4
As famílias sempre sidades de cada membro da família,
(…) resolver problemas, tomar deci-
O Senhor pode ser um partici-
pante vital em seu casamento. Em
se deparam com sões em família [e] planejar atividades sua oração, você pode agradecer ao
muitos problemas e e metas familiares tanto do dia a dia Pai Celestial por suas muitas bênçãos,
tomadas de decisão. quanto de longo prazo”.3
Se você nunca fez um conselho de
inclusive seu cônjuge, e pedir que o
Espírito permeie sua conversa. O
Os seis princípios família, pode começar hoje mesmo. Espírito pode guiar sua discussão e
a seguir sobre os Caso tenha filhos morando em casa, ajudar a promover bons sentimentos
conselhos de família pode incluí-­los. Contudo, também é e boa comunicação.

podem ser úteis. importante que os cônjuges façam um


conselho familiar em separado a fim Decidir Juntos
de poderem discutir assuntos familia- “O consenso dos membros do con-
res e pessoais em particular. selho pode ser alcançado por meio da

42 A L i a h o n a
JOVENS ADULTOS

oração e da discussão, a fim de que vista e a lembrar o cônjuge de que mostrará soluções para os problemas
se alcance a unidade, que é um pré-­ você valoriza a opinião dele. que enfrentam”.7
requisito para o auxílio do Senhor.”  5 Nos conselhos de família, precisa- Também pode ser útil decidir
Você e seu cônjuge precisam mos chegar a nossas decisões impor- de antemão um assunto a ser tra-
tomar decisões importantes, como tantes “por consenso divino, não por tado num conselho de família. Com
aceitar ou não uma proposta de concessões”.6 É possível que vocês isso vocês terão tempo para refletir
emprego, qual faculdade escolher, não cheguem a esse nível de unidade sobre o assunto a fim de que você
quando ter filhos ou como dividir em todos os assuntos imediatamente. e seu cônjuge possam sentir-­se
as tarefas domésticas. Os cônjuges Talvez seja necessário realizar vários mais preparados para externar seus
podem propor soluções possíveis conselhos e orações sinceras, tanto pensamentos.
para os problemas e discuti-­las. Ouça individualmente quanto com o côn-
com humildade a contribuição do juge, para se chegar a um consenso. Avaliar a Si Mesmo
cônjuge. Isso pode ajudar você a Mas, “caso se reúnam em conselho “E por que reparas tu no argueiro
aprender a entender outro ponto de conforme o esperado, Deus lhes que está no olho do teu irmão, e não
vês a trave que está no teu olho?”
(Mateus 7:3.)
Você tem o poder de mudar
somente uma pessoa: você mesmo.
Você pode ser tentado a usar um
conselho familiar para apresentar
uma lista de críticas ao cônjuge. Em
vez disso, vá aos conselhos com
o desejo de melhorar a si mesmo.
Pergunte ao cônjuge se há algo
problemático ou preocupante que
ele percebeu em suas palavras ou
seu comportamento. Faça metas
para o aperfeiçoamento pessoal e
peça o apoio de seu cônjuge ao
empenhar-­se para mudar. Apoie seu

J a n e i r o d e 2 0 1 5 43
cônjuge em quaisquer metas pessoais evite hostilidades ou críticas. Seja ou expressar gratidão pelos pontos
que ele traçar. humilde. Mostre amor por seu côn- fortes do cônjuge ou seus atos de
juge e lembrem um ao outro que serviço. Use os conselhos de família
Abordar as Questões Difíceis vocês estão trabalhando juntos para para “criar hábitos de comunicação
“Todas as famílias têm problemas construir um casamento e uma famí- e respeito mútuo nos quais (…)
e desafios. Mas as famílias bem-­ lia felizes e eternos. [você e o cônjuge] poderão confiar
sucedidas tentam chegar juntas às quando surgirem problemas sérios
soluções em vez de partir para críticas Manter um Clima Positivo e difíceis”.10
e contendas.”  8 Se você realizar conselhos de famí-
Constrói-­se um casamento forte lia somente “em tempos de estresse Perseverar
superando desafios, não os igno- (…) e nunca reconhecer (…) rea- “Façamos o melhor possível e
rando ou evitando. Haverá momen- lizações ou elogiar [seus familiares] procuremos melhorar a cada dia.
tos em que surgirão questões que nem mostrar amor por eles, então eles Quando nossas imperfeições apare-
precisarão ser discutidas. Pode ser passarão a detestar os conselhos de cerem, podemos continuar tentando
que vocês estejam se debatendo com família”.9 corrigi-­las. Podemos perdoar mais as
problemas ligados a pecados e arre- Nem todas as reuniões de conse- falhas em nós mesmos e nas pessoas
pendimento ou fardos financeiros, lho de família precisam estar volta- que amamos.”  11
por exemplo, mas a comunicação das para problemas ou tomadas de Por fim, lembre-­se de que trocar
aberta e honesta de um conselho decisão. Vocês podem usar a oportu- maus hábitos de comunicação por
familiar pode ajudar a abrandar nidade para falar algo positivo sobre padrões positivos requer tempo e
sentimentos intensos. Um conselho o cônjuge ou sobre as bênçãos de prática. A perspectiva de realizar
de família pode ser o fórum mais sua vida. Podem comemorar con- seu primeiro conselho de família
adequado e conveniente para tirar quistas individuais, discutir maneiras pode parecer estranha ou intimida-
dúvidas ou pedir ajuda. de fortalecer espiritualmente dora, mas, à medida que vocês
Concentre suas energias em solu- seu casamento e sua famí- se empenharem para
ções possíveis para o problema e lia, traçar metas juntos comunicar-­se um com

44 A L i a h o n a
JOVENS ADULTOS

SOBRE O QUE FALAR?

S e não souber sobre o que


falar num conselho de família,
pense em perguntas como as
seguintes:

• Como podemos dividir o


trabalho de modo que cada
pessoa fique com parte das
responsabilidades da casa e
se sinta bem em relação ao
que está fazendo?
• Que tipo de mídia vamos
permitir em casa?
• Que novas habilidades
podemos aprender em
família?
o outro e para incluir o Senhor em 3. M. Russell Ballard, “Conselhos de Família: • O que podemos fazer em
Uma Conversa com o Élder e a Irmã
suas decisões, compreenderão melhor Ballard”, A Liahona, junho de 2003, p. 12.
família para eliminar a
as bênçãos dos conselhos de família. 4. M. Russell Ballard, “Conselhos de Família”, discórdia?
A Liahona, junho de 2003, p. 12.
O Senhor deseja que tenhamos paz 5. Ronald E. Poelman, “Conselhos do Sacer-
• Que atividades vão nos
em nosso lar e em nossa comunica- dócio: Chave para Preencher Necessidades incentivar a santificar o
Temporais e Espirituais”, A Liahona, outubro
ção. Ele nos ajuda em nossos pontos de 1980, p. 150.
Dia do Senhor?
fracos e abençoa nossos esforços. 6. Ronald E. Poelman, “Conselhos do • Como podemos nos pre-
Sacerdócio”, p. 150.
Com a ajuda Dele, podemos nutrir 7. Stephen L. Richards, Conference Report,
parar para um desastre
“uma atmosfera de respeito, com- outubro de 1953, p. 86. natural?
8. Ezra Taft Benson, “Conselho aos Santos”,
preensão e harmonia” 12 que trans- A Liahona, julho de 1984, p. 8.
• Como vamos nos envol-
formará nosso lar, como prometeu o 9. When Thou Art Converted, Strengthen Thy ver mais em nossa
Brethren (guia de estudo do Sacerdócio
Presidente Thomas S. Monson, num de Melquisedeque, 1974), p. 168.
comunidade?
“pedacinho do céu aqui na Terra”.13 ◼ 10. “Family Councils: A Heavenly Pattern”, • Que novas tradições pode-
Follow Me: Relief Society Personal Study
A autora mora em Utah, EUA. Guide, 1989, p. 171. mos iniciar na família?
11. Russell M. Nelson, “Perfeição Incompleta”, • Como podemos administrar
NOTAS A Liahona, janeiro de 1996, p. 95.
1. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: 12. “Working Together in Family Councils” melhor nossas finanças?
Spencer W. Kimball, 2006, p. 235. [Trabalhar Juntos nos Conselhos de Família], • O que podemos fazer para
2. M. Russell Ballard, Counseling with Our Ensign, fevereiro de 1985, p. 31.
Councils: Learning to Minister Together in 13. Thomas S. Monson, “Garantias de um Lar fortalecer espiritualmente
the Church and in the Family, 2012, p. 165. Feliz”, A Liahona, outubro de 2001, p. 2. nosso casamento?

J a n e i r o d e 2 0 1 5 45
Coragem para
Christian Hägglund

A
o voltar para casa na Suécia,
após a missão, debati-­me por Aprendi a usar meu
um bom tempo com o passo
seguinte a tomar em minha vida: o
arbítrio em vez
casamento no templo. O Espírito de ser um mero
reafirmou que eu precisava constituir espectador quando
uma família para ser a pessoa que
eu precisava me tornar. Por dar tanta
tomei a decisão
atenção a essa decisão e considerá-­la mais importante
a mais importante de minha vida, de minha vida.
minha fé vacilou, embora sentisse
que encontrara minha companheira
eterna e que o Senhor aprovava
minha escolha. Minha namorada,
Evelina, e eu escolhemos a data para de tomar aquela decisão tão impor- vontade e realizar muita retidão.
nosso selamento no templo, reserva- tante e ainda pendente. Pois neles está o poder e nisso são
mos nossa viagem de lua de mel e seus próprios árbitros. (…)
compramos os anéis de noivado antes Arbítrio — À Maneira do Senhor Mas o que nada faz até que seja
mesmo de ficarmos oficialmente Os sussurros do Espírito Santo aca- mandado e recebe um mandamento
noivos — tudo por causa de meu medo baram por fazer a diferença quando li com o coração duvidoso e guarda-­o
de comprometer-­me com o casa- Doutrina e Convênios 58:26–29: “Pois com indolência, é condenado”.
mento. Eu queria que o Pai Celestial eis que não é conveniente que em Ao refletir sobre esses versículos,
me desse a ordem de casar-­me com todas as coisas eu mande; pois o que passei a compreender o papel do arbí-
Evelina, pois eu tinha medo de ser é compelido em todas as coisas é (…) trio no plano de nosso Pai Celestial,
responsabilizado pela decisão caso indolente (…). o que mudou meu modo de pensar e
nosso casamento não desse certo. O Os homens devem ocupar-­se zelo- me deu coragem de seguir em frente.
medo e as orações inadequadas me samente numa boa causa e fazer mui- O Élder Richard G. Scott, do Quórum
deixavam paralisado e impossibilitado tas coisas de sua livre e espontânea dos Doze Apóstolos, ensinou que, se

46 A L i a h o n a
JOVENS ADULTOS

Me Casar
recebêssemos orientação inspirada
sem esforço pessoal, perderíamos o
Mas se não estiver certo, não terás
tais sentimentos; terás, porém, um
“crescimento pessoal essencial” resul- estupor de pensamento” (D&C 9:8–9).
tante do empenho de “[aprendermos] Contudo, nem todos nós sentiremos
a ser [guiados] pelo Espírito”.1 um ardor no peito como resposta das
confirmações espirituais do Senhor.
À ESQUERDA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE GALINA PESHKOVA; À DIREITA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE OLENA KYRIAN/ISTOCK/THINKSTOCK

Pronto para Seguir Adiante Cada um de nós precisa aprender a


Foi então que resolvi exercer reconhecer nossa própria maneira
minha fé e tomar uma decisão, e o particular de receber essas confirma-
Senhor me abençoou com confiança ções. 3 Ao seguirmos esse padrão,
em minha capacidade de decidir. Per- ganharemos fé em nossa capacidade
cebi que eu devia “[ocupar-­me] zelo- de fazer escolhas.
samente (…) e fazer muitas coisas de O Pai Celestial conhecia as necessi-
[minha] livre e espontânea vontade” dades de meu coração, da minha alma
— inclusive ficar noivo. O Senhor nos e da minha mente. Ele me deu essas
incentiva a usar nosso poder como não devem determinar inteiramente as verdades, o que fez toda a diferença.
agentes para governarmos a nós mes- decisões, mas a mente e o coração, for- Evelina e eu nos casamos. Temos
mos. O uso desse poder é um aspecto talecidos pela oração, pelo jejum e por desfrutado vários anos de uma vida
central em nossa vida. muito raciocínio, darão ao casamento familiar feliz com nossos três lindos
Creio que o Senhor está mais maiores possibilidades de felicidade. filhos. Sou muito grato ao Senhor por
ansioso para ver-­nos exercer nosso Isso exige sacrifício, disposição para meu testemunho do arbítrio e de seu
arbítrio do que para ver-­nos tomar compartilhar e muita abnegação”.2 papel para nos ajudar a tomar as deci-
sempre decisões perfeitas. No entanto, Temos até instruções nas escrituras sões mais importantes da vida. ◼
Ele nos deixou as ferramentas neces- sobre como receber confirmações O autor mora em Estocolmo, Suécia.
sárias para tomarmos boas decisões, espirituais: “Deves estudá-­lo bem em
NOTAS
principalmente no que tange à decisão tua mente; depois me deves perguntar 1. Richard G. Scott, “Receber Orientação Espiri-
sobre com quem devemos nos casar. se está certo e, se estiver certo, farei tual”, A Liahona, novembro de 2009, p. 6.
2. Spencer W. Kimball, “Harmonia no Casa-
Como ensinou o Presidente Spencer W. arder dentro de ti o teu peito; por- mento”, A Liahona, outubro de 2002, p. 36.
Kimball (1895–1985): “As emoções tanto sentirás que está certo. 3. Ver também Doutrina e Convênios 8:2–3.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 47
T E M A DA M U T U A L D E 2 0 1 5
“Portanto, ó vós que embarcais no serviço de Deus, vede que o sirvais
de todo o coração, poder, mente e força, para que vos apresenteis SERVIR COM
TODA A ALMA
sem culpa perante Deus no último dia” (D&C 4:2).
Presidência Geral das Moças

C omo aprendemos no tema da


Mutual de 2015, servir a Deus é
um privilégio sagrado. Esperamos que
neste ano cada uma de nós aprenda
a servir com maior comprometimento
da maneira que o Senhor instruiu —
de todo o coração, poder, mente e
força. Como podemos fazer isso? Eis
algumas ideias.
Primeiro, servimos de todo o cora-
ção. Isso quer dizer que seu serviço
a Deus deve ser motivado por seu
amor a Ele e Seus filhos. “Nosso amor
pelo Senhor governará os anseios de
nosso afeto, as exigências de nosso
tempo, os interesses que buscamos
e nossa ordem de prioridades.” 1
Você demonstra seu amor ao Senhor
quando guarda Seus mandamentos
(ver D&C 42:29). Você serve no lar e
fortalece sua família. Magnifica seu
chamado e estende a mão para as
pessoas que precisam de uma amiga.
Encontra nomes de familiares para
levar ao templo.
Segundo, servimos com todo
o nosso poder. É preciso esforço
físico e empenho diligente. O traba-
lho missionário exige resistência e
Ó VÓS QUE GRÁFICO: THE DESIGN FARM; FUNDO: ISTOCK/THINKSTOCK

EMBARCAIS NO SERVIÇO DE DEUS

Bonnie L. Oscarson, presidente (centro); Carol F.


McConkie, primeira conselheira (à esquerda);
48 A L i a h o n a Neill F. Marriot, segunda conselheira (à direita)
JOVENS

ESTA OBRA
perseverança. Você serve com poder MARAVILHOSA Em apenas uma semana, doaram
quando atende às necessidades dos no total mais de 250 horas de serviço,
outros, “alimentando os famintos, Presidência Geral dos Rapazes realizando projetos como remover
vestindo os nus, visitando os doen-
tes e aliviando-­lhes os sofrimentos,
tanto espiritual como materialmente”
A o ouvir o verbo embarcar, o que
lhe vem à mente? Um navio zar-
pando? A adesão a uma causa gran-
uma enorme pilha de pedras, cavar
um buraco, limpar sarjetas e empilhar
madeira. E isso também transformou
(Mosias 4:26). diosa? O início de uma jornada? os rapazes.
Em seguida, servimos com toda Quando você “[embarca] no serviço Eles ficaram maravilhados com a
a nossa mente. Seus pensamentos de Deus”, está unindo-­se à jornada mais força que sentiram e as bênçãos que
devem ser limpos e puros, centra- grandiosa de todas. Está ajudando Deus receberam. Descreveram a união que
dos no Senhor. Você fez o convênio a acelerar Sua obra, e é uma experiên- sentiram no quórum e o auxílio divino
de recordá-­Lo sempre. Você busca cia grandiosa, alegre e maravilhosa. que receberam para fazer as tarefas
a orientação do Espírito Santo por Mas não precisa acreditar em nós. escolares e cuidar de suas demais
meio do estudo das escrituras e da Ano passado numa cidadezinha de responsabilidades. Agora, quando a
oração. Ao harmonizar seus pensa- Utah, os rapazes de um quórum de ala precisa de serviço, o quórum dos
mentos, suas palavras e seus atos mestres visitaram o site de atividades mestres atende com entusiasmo. Eles
com a mente e a vontade de Deus, dos jovens (LDS.org/youth/activities) não só serviram durante uma semana,
você reconhecerá as necessidades em busca de ideias para uma ati- mas tentam servir todos os dias.
das pessoas e será digna de servir vidade. Uma delas chamou-­lhes a O ato de servir e edificar o reino
e estará pronta para fazê-­lo. atenção: “Sete Dias de Serviço”. de Deus é verdadeiramente uma obra
Por fim, servimos a Deus com toda Esses rapazes decidiram fazer algo maravilhosa. Foi algo que trouxe ale-
a nossa força. Uma maneira de obter de proporções ainda maiores: prestar gria a esses rapazes e que trará alegria
força é exercer fé na Expiação do serviço todos os dias durante uma a você quando se dispuser a erguer os
Salvador. Você se arrepende e se san- semana inteira para qualquer pes- outros e ver a vida deles transformada
tifica por meio da obediência a Seus soa na ala que pedisse. Quando 19 por esforços puros e honestos. Como
mandamentos. Você sente o poder famílias se inscreveram, os rapazes observa a presidência geral das Moças
capacitador do Salvador e testemunha ficaram um pouco surpresos e talvez na página 48, servir a Deus é um
milagres ao servir na força do Senhor até um pouco assustados. Como é privilégio.
(ver Alma 26:12). que conseguiriam servir tanto num Embarque agora em seu serviço
Ao servir ao Senhor de toda a alma, tempo tão curto? Mas, como tinham a Deus “de todo o coração, poder,
Ele promete que você será purificada assumido o compromisso, decidiram mente e força” (D&C 4:2). Gostaría-
do pecado e estará preparada para servir a todas as famílias. mos de conhecer suas experiências
comparecer perante Ele e receber Sua de serviço! Faça vídeos ou tire fotos
glória eterna. ◼ de seu serviço, divulgue-­os nas redes
NOTA sociais, mostre-­os a seus familiares e
1. Ezra Taft Benson, “O Grande Mandamento
— Amar o Senhor”, A Liahona, julho de
amigos e mande-­os por e-­mail para
1988, p. 3. liahona@LDSchurch.org. Você também
pode falar deles no site de atividades
dos jovens. Não deixe de convidar
mais pessoas para unir-­se a você nesta
obra maravilhosa e veremos o quanto
podemos mudar o mundo. ◼
David L. Beck, presidente (centro); Larry M.
Gibson, primeiro conselheiro (à esquerda);
Randall L. Ridd, segundo conselheiro (à direita) J a n e i r o d e 2 0 1 5 49
UM PASSO
DE CADA VEZ
Jovens da Itália contam como
servem a Deus de todo o
coração, poder, mente e força.

Hillary Olsen

A
gora que você sabe que o tema da
Mutual este ano é o serviço, o que vai
fazer? O Senhor pediu a você que O
sirva de todo o coração, poder, mente e força
(ver D&C 4:2). É um pedido muito grande, e
pode assustar. Mas não deveria.
“É como escalar uma montanha”, compara
Marco D., de Taranto, Itália. “Pensar em escalar
uma montanha de uma vez é difícil; mas, se der-
mos um passo de cada vez, fica muito mais fácil.
Ponha um pé na frente do outro e, assim
que der um passo, pense: ‘Consegui!’
e depois dê outro passo.”
Em meio às pizzas, às massas
e à arquitetura típica da Itália, os
jovens do sul do país acharam
alguns passos úteis para guiá-­los
ao servirem de todo o coração,
poder, mente e força. ILUSTRAÇÕES: CLAYTON THOMPSON

50 A L i a h o n a
JOVENS

exercendo em suas escolhas. “Precisei
OBTER ORIENTAÇÃO achar amigos que me aceitassem pelo
ESPIRITUAL que sou e não pelo que o mundo
espera de mim.”
Receber orientação espiritual é Às vezes tropeçamos ao escalar
um passo importante para servir ao uma montanha. Quando isso aconte-
Senhor, e Davide C., de 15 anos, sabe cer, “procurem o bispo e conversem diariamente o estudo das escrituras
que isso não acontecerá sem esforço abertamente com ele”, aconselha e as orações é designar um horá-
pessoal. “Preciso ser um instrumento Marco. “O bispo é nosso irmão. Pode- rio específico para isso. “Sinto que
nas mãos de Deus”, diz ele. “Tenho mos confiar nele.” sou capaz de grandes realizações
de estar pronto para receber e seguir O empenho para ser obediente e quando reservo tempo para isso”,
os sussurros do Espírito. Para fazer permanecer puro dá a Marco oportuni- explica Miriam. “Além do mais,
isso, preciso cercar-­me constante- dades de servir a Deus agora e tam- quando dedicamos mais tempo ao
mente das coisas do Senhor.” bém o prepara para ser digno de servir Senhor, somos menos tentados, pois
Davide e sua família são conver- missão de tempo integral um dia. ficamos mais fortes.”
sos à Igreja. Antes de ser batizado,
Davide aprendeu como o estudo das ARRANJAR TEMPO SERVIR DE BOA VONTADE
escrituras é importante. Seu irmão foi
o primeiro a ser batizado, e logo em Manuel M., de 17 anos, reconhece Para Sabrina D., de 15 anos,
seguida foi a vez dos pais. Davide que nem sempre é fácil servir a Deus. servir de todo o coração, poder,
sabia que precisava de seu próprio “Somos sempre postos à prova”, mente e força significa servir com
testemunho. Ao estudar o Livro de afirma. “Às vezes preferiríamos fazer buona volontà. Isso significa fazer
Mórmon, sentiu o Espírito. Os bons outras coisas. Às vezes eu preferiria as coisas com disposição e uma
sentimentos que teve o ajudaram a dormir, ir a um jogo de futebol ou atitude alegre.
tomar a decisão de filiar-­se à Igreja. ficar com os amigos. Mas minha mãe Alessio I., de 12 anos, concorda:
Quatro anos depois, Davide ainda sempre me ensinou que devemos “Não faz sentido fazer as coisas só
confia na orientação do Espírito. escolher servir ao Senhor. Tam- porque o bispo ou os pais manda-
“Devemos ser constantes. Não pode- bém é bom fazer outras coisas, mas ram. Não devemos nos sentir obriga-
mos relaxar em nosso estudo das servir ao Senhor precisa ser nossa dos. O Senhor deseja que sirvamos
escrituras nem nas orações”, afirma. prioridade.” pelos motivos certos”.
Miriam D., de 14 anos, sabe que, Como podemos servir com mais
PERMANECER PUROS para ela, a única maneira de garantir buona volontà? “A leitura das escri-
turas me ajuda, pois nos ensina que
Marco D., de 17 anos, ressalta serviço é a atitude correta”, ressalta
a importância da obediência aos Sabrina.
mandamentos, especificamente à Estudar e compreender melhor
lei da castidade. “O adversário nos a Expiação também pode nos ajudar
tenta de todas as formas, procurando a servir de bom grado e com alegria.
induzir-­nos ao erro”, explica Marco. Elvisa D., de 17 anos, diz: “Assim
“Os amigos também podem ser como o Pai Celestial mandou Seu
uma má influência.” Há vários anos, Filho, que sacrificou tudo por nós,
Marco teve de afastar-­se dos amigos precisamos estar dispostos a dedicar
com quem convivia por reconhecer tudo o que pudermos para servir ao
a influência negativa que estavam Senhor”.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 51
partilhar o evangelho, mas não me convidei-­a para ir à igreja comigo.
CONCENTRAR-­SE NOS sentia preparada. Tinha medo. Mas, Ela aceitou! E agora ela está lendo
OUTROS quando me concentrava nas pessoas o Livro de Mórmon.”
a quem eu estava servindo, sentia-­me Samuele D., de 14 anos, procura
As irmãs Giulia, de 16 anos, e mais confiante por saber que o Senhor oportunidades para fortalecer os
Veronica D., de 14 anos, sabem que é me ajudaria”. membros de seu quórum: “Tento aju-
importante concentrar-­se nos outros. Giulia e Veronica conseguiram dar os outros rapazes de meu quórum
“O serviço nos ajuda a ter uma visão servir a sua amiga Virginia de uma incentivando-­os durante as aulas. Às
diferente das pessoas. Quando uma maneira que mudou a vida dela. vezes eles ficam tensos ou com ver-
pessoa serve a outra, ambas são Começaram a convidá-­la para ir com gonha de participar”. Samuele salienta
abençoadas”, explica Giulia. elas para as atividades da Igreja. que ajudar os outros a sentirem con-
Veronica conta: “Houve uma época Também convidaram a família de fiança é uma maneira de servirmos a
em que eu tinha muita vontade de Virginia para fazer coisas com a Deus e nos prepararmos para respon-
família delas. Em pouco tempo, a sabilidades futuras.
família de Virginia começou a ouvir
as lições dos missionários. Um ano COMEÇAR AGORA
depois, Virginia e sua irmãzinha
foram batizadas. E então, o que você vai fazer?
Agora que é membro da Igreja, Alessio I. diz: “Não preciso esperar
Virginia procura maneiras de ser- ter mais idade para fazer a diferença.
vir às pessoas a sua volta. Ela quer Devo agir agora”.
muito partilhar o evangelho com as Esses passos também o ajudarão
pessoas. Às vezes, os seus amigos a perceber que você é uma parte
na escola zombam dela por causa valiosa da obra do Senhor. Dê um
de suas novas crenças, assim ela ora passo de cada vez. Você fará uma
para saber com quem deve conver- importante diferença ao aprender
sar. Certo dia, o Espírito a instou a a dar tudo de si a serviço do
falar com uma menina que já conhe- Senhor. ◼
cia. “Dei-­lhe um Livro de Mórmon e A autora mora em Utah, EUA.

52 A L i a h o n a
MENTE
SERVIR A DEUS COM TODA A

SERVIR A DEUS DE TODO O

CORAÇÃO

SERVIR A DEUS COM TODA A SUA

FORÇA
ILUSTRAÇÕES: SCOTT GREER

PODER
SERVIR A DEUS COM TODO O
SERVIR COM TODA A MENTE SERVIR DE TODO O CORAÇÃO
“A capacidade de pensar é um dom de Deus. (…) O coração sustém a vida. “Coração” muitas vezes diz
Nossa maneira de pensar afeta muito nossas atitu- respeito ao centro ou âmago de algo e ao lugar onde
des e nosso comportamento” (Guia para Estudo das residem os desejos e as emoções. Servir a Deus de todo
Escrituras, “Pensamentos”, scriptures.LDS.org). Nossa o coração é confiar-­Lhe todos os nossos desejos, nossa
mente nos ajuda a aprender e mudar para melhor — se vontade e nosso amor. Ele pede que O amemos guar-
buscarmos coisas boas. Aqui estão algumas ideias para dando Seus mandamentos e amando o próximo.
servir com toda a mente: Eis algumas ideias para fazer isso:
• Estude as escrituras e as palavras dos profetas. • Ponha a oração, o estudo das escrituras e a
• Tenha pensamentos positivos sobre os outros e frequência à Igreja acima de seus próprios desejos.
sobre si mesmo. • Mostre compaixão e bondade por alguém da
• Busque conhecimento, principalmente de coisas sua família ou da sua escola.
inspiradoras. • Reserve um tempo para fazer algo que outra
• Escolha formas de entretenimento saudáveis pessoa deseja fazer.
e edificantes. • Tente entender como outra pessoa se sente.
• Pesquise algo que seja importante para você, como, • Faça um elogio sincero a alguém.
por exemplo, um acontecimento na história da Igreja • Converse com uma pessoa que esteja só ou
ou a vida de um antepassado. sente-­se ao lado dela.
• Volte os pensamentos para o Salvador
durante o sacramento.
• Mantenha um diário e releia-­o periodicamente.

SERVIR COM TODA A FORÇA SERVIR COM TODO O PODER


A energia com a qual servimos a Deus faz parte de Servir com todo o nosso poder pode significar
nosso empenho para dedicar-­Lhe toda a nossa força. simplesmente fazer tudo que conseguirmos, tanto
Também diz respeito à força espiritual, ao compromisso espiritual quanto temporalmente, voltando-­nos para
interior, à resiliência e à diligência para fazer o bem. os outros. Sejam quais forem nossos talentos individuais
Podemos mostrar nossa força vivendo os princípios que o (de erguer um sofá pesado a manter uma atitude positiva
próprio Salvador viveu. E então podemos receber poder em situações difíceis), podemos usá-­los para fortale-
espiritual divino. Aqui estão algumas ideias para servir cer o próximo. Aqui estão algumas ideias para servir
com toda a força: com todo o poder:
• Fique totalmente concentrado ao estudar • Pergunte a si mesmo: “Quem pode estar precisando
as escrituras. de minha ajuda hoje?” e aja.
• Trabalhe em união com os membros de sua • Realize uma tarefa para alguém, como varrer um
ala ou seu ramo. quintal, limpar um quarto ou lavar a louça.
• Permaneça firme nos padrões morais. • Use seus talentos: conserte um carro ou um compu-
• Aja de acordo com os sussurros que receber do tador, embeleze uma sala, faça um presente artesanal,
Espírito para abençoar as pessoas. escreva um poema.
• Assuma o compromisso de viver em retidão e não • Faça de tudo para ser um amigo e um bom exemplo.
o abandone quando surgirem tentações. • Ensine alguém a fazer algo que você aprendeu.
• Cuide de seu corpo por meio de alimentação
equilibrada e exercícios.
• Guarde seus convênios para ganhar maior
poder espiritual.
EMBARQUE
ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA: DAVID STOKER

“Portanto, ó vós que embarcais no serviço de Deus,


vede que o sirvais de todo o coração, poder, mente e força,
para que vos apresenteis sem culpa perante Deus no último dia.”
(D&C 4:2)

Text needs to be updated.


POR QUE
Jesus Cristo
É Importante
EM MINHA VIDA?
Quando entendemos tudo o que o
Salvador faz por nós, Ele Se torna a
pessoa mais importante em nossa vida.

DOMINICAIS
AULAS ês:
Deste M
Assunto
de
A Trinda

56 A L i a h o n a
JOVENS

Michael R. Morris
Revistas da Igreja

R
ecentemente li um blog em que que tentam sinceramente segui-­Lo
a autora discorria sobre o papel é que todos nós somos imperfeitos
crucial do Salvador em seu e precisamos do dom do arrepen-
cotidiano. Fiquei feliz ao ver que ela dimento oferecido por meio da
estava disposta a externar seus senti- Expiação.
mentos, mas triste com o comentário Quando tropeçamos e caímos,
de um leitor: “Ele não tem a menor Satanás deseja que achemos que
importância em minha vida — nunca somos incapazes de nos levantar e
teve e nunca terá”. voltar ao caminho certo. Também
Aquele leitor estava redondamente quer que esqueçamos que o evan-
enganado. Mais cedo ou mais tarde, gelho é o “evangelho do arrepen­
todos nós precisaremos do Salvador. dimento” (D&C 13:1; grifo do autor). “Obrigado, mas não quero seu pre-
Todos nós cometemos erros que não Mas sabemos que “a graça de Cristo sente”. Como você se sentiria?
podemos consertar, sofremos perdas é real, concedendo perdão e purifica- Quando não convidamos Jesus
das quais não podemos nos recuperar ção ao pecador arrependido”.2 para nos ajudar a nos purificar, é
e suportamos dores, perseguições, O poder da Expiação de Jesus como se estivéssemos rejeitando
fardos e decepções com os quais não Cristo está ao alcance de todos nós, Seu presente.
podemos lidar sozinhos. mas precisamos escolher deixar que
A boa notícia é que não precisamos ela atue em nossa vida. Imagine Jesus Ensina a Verdade
passar por tudo isso sozinhos. que você deu um presente especial Em certa ocasião, depois que mui-
“Num momento de fraqueza, pode- a um amigo: algo de que seu amigo tas pessoas se recusaram a continuar
mos exclamar: ‘Ninguém sabe o que precisa muito e que você preparou caminhando com Ele, Jesus perguntou
estou passando. Ninguém entende’. com muito sacrifício pessoal. Depois aos Doze Apóstolos: “Quereis vós
Mas o Filho de Deus sabe e entende imagine seu amigo respondendo: também retirar-­vos?” Pedro respondeu:
perfeitamente, porque Ele sentiu e
suportou os fardos de cada um de
nós”, disse o Élder David A. Bednar,
do Quórum dos Doze Apóstolos.
“E por causa de Seu infinito e eterno
sacrifício (ver Alma 34:14), Ele tem
perfeita empatia e pode estender para
nós o Seu braço de misericórdia.” 1
Jesus é importante para nós porque,
por meio de Sua Expiação, Seus ensina-
mentos, Sua esperança, Sua paz e Seu
exemplo, Ele nos ajuda a mudar nossa
vida, enfrentar nossas provações e
seguir avante com fé em nossa jornada
de volta à presença Dele e de Seu Pai.

Jesus Torna Possível


o Arrependimento
Um dos motivos pelos quais Jesus
é tão importante para as pessoas

J a n e i r o d e 2 0 1 5 57
“Senhor, para quem iremos nós? Tu na presidência geral da Primária,
tens as palavras da vida eterna” ( João conta que essa família se apegou
6:67–68). fortemente ao evangelho e a seus
Podemos achar as “palavras da vida convênios no templo depois que
eterna” do Salvador nas escrituras, o irmão Gatrell recebeu o diagnós­
nos ensinamentos dos profetas vivos tico de câncer. Isso lhes deu espe-
e nos sussurros do Espírito Santo. Elas rança nas promessas de Deus de
oferecem o alicerce para a “felicidade que eles estariam juntos de novo
nesta vida e [a] vida eterna no mundo após esta vida.
vindouro” 3 e nos guiam em segurança Nos dias difíceis que antecede-
de volta à presença do Pai Celestial e ram o falecimento do marido, a irmã
de nosso Salvador. Gatrell disse: “Eu sabia que o Senhor
Quais são algumas das verdades zelava por nós. Se confiarmos no
grandiosas ensinadas pelo Salvador? Senhor, podemos realmente vencer
O Presidente Dieter F. Uchtdorf, qualquer problema na vida”.5
Segundo Conselheiro na Primeira O dom da Expiação nos dá a espe-
Presidência, relacionou quatro num rança da vida eterna, que é algo de
discurso de uma conferência geral que precisamos quando passamos
recente: por provações ou perdemos um ente
• “Nosso Pai deu o grande plano querido.
de felicidade a Seus filhos.” “Nosso amoroso Pai Celestial nos
• “Graças à Expiação (…) pode- deu a dádiva de Seu Filho Amado,
mos viver para sempre com Jesus Cristo, como nosso Salvador”,
nossos entes queridos.” disse o Presidente Henry B. Eyring,
• “Teremos um corpo glorioso, Primeiro Conselheiro na Primeira
perfeito e imortal, livre de enfer- Presidência. “Essa grande dádiva e
midades e deficiências.” bênção que é a Expiação de Jesus
Cristo trouxe consigo uma herança
• “Nossas lágrimas de tristeza e
universal: a promessa da ressurreição
perda serão substituídas por
e a possibilidade da vida eterna para
uma abundância de felicidade
todos os que nascem.” 6
e alegria.” 4

Jesus Oferece Paz


Jesus Oferece Esperança Se você já se deparou com um
Quando enfrentamos desafios desastre natural, foi vítima de mexe-
sérios, às vezes temos dificuldade ricos cruéis, enfrentou um desafio
para confiar no Senhor. Mas o fato que transformou sua vida, teve uma
de confiar Nele nos traz a esperança decepção com um amigo ou preci-
de que precisamos para enfrentar sou defender o que é certo, sabe que
nossos desafios. necessita da paz do Senhor. “A paz
Foi isso que aconteceu com os do Salvador”, disse o Élder Neil L.
membros da família Gatrell, que Andersen, do Quórum dos Doze
mora na ala da irmã Jean A. Stevens. Apóstolos, “subjuga os redemoinhos
A irmã Stevens, primeira conselheira violentos do mundo”.7

58 A L i a h o n a
JOVENS

Durante uma conferência geral caminho para a felicidade, mas está à NOTAS
1. David A. Bednar, “Carregar Seus Fardos com
recente, o Élder Andersen contou a frente do caminho. Por meio de Sua Facilidade”, A Liahona, maio de 2014, p. 87.
história de uma Laurel que foi ridi- Expiação, Ele nos guia para amar. Por 2. D. Todd Christofferson, “A Ressurreição
de Jesus Cristo”, A Liahona, maio de 2014,
cularizada e insultada por defender meio de Seus ensinamentos, guia-­nos p. 111.
o casamento tradicional. A zombaria, para verdades eternas. Por meio de 3. “O Cristo Vivo: O Testemunho dos Apósto-
los”, A Liahona, abril de 2000, p. 2.
ela aprendeu, é o preço a se pagar Sua vida perfeita, guia-­nos no cami- 4. Dieter F. Uchtdorf, “Gratos em Quaisquer
pela “fidelidade a Deus e aos ensina- nho da obediência. Circunstâncias”, A Liahona, maio de 2014,
p. 70.
mentos de Seus profetas vivos”.8 “O maior exemplo que já andou na 5. Jean A. Stevens, “Não Temas, Porque Eu Sou
Mas para defendermos a verdade Terra é o nosso Salvador, Jesus Cristo. Contigo”, A Liahona, maio de 2014, p. 81.
6. Henry B. Eyring, “Um Legado Inestimável
não precisamos estar sozinhos. Sem- Seu ministério mortal foi repleto de de Esperança”, A Liahona, maio de 2014,
pre podemos recorrer ao Príncipe exemplos de ensino, de serviço e p. 22.
7. Neil L. Andersen, “Redemoinhos Espirituais”,
da Paz quando nos sentirmos sós ou de amor ao próximo”, disse o Élder A Liahona, maio de 2014, p. 18.
sobrecarregados, tristes ou preocupa- Richard G. Scott, do Quórum dos 8. Ver Neil L. Andersen, “Redemoinhos Espiri-
tuais”, p. 18.
dos, assustados ou desvalorizados. Doze Apóstolos. O Salvador, acres- 9. Thomas S. Monson, “Não Te Deixarei Nem
Te Desampararei”, A Liahona, novembro
Fazemos isso: centou ele, “nos convida a seguir Seu de 2013, p. 85.
• Orando ao Pai Celestial para exemplo perfeito”.10 10. Richard G. Scott, “Eu Vos Dei o Exemplo”,
A Liahona, maio de 2014, p. 32.
contarmos com a companhia Quando entendemos que o Salva-
do Espírito. dor torna possíveis o arrependimento
• Lendo as palavras do Senhor nas e a ressurreição, ensina verdades
escrituras e conforme relevadas vitais, oferece esperança e paz e dá
pelos profetas vivos. o exemplo perfeito, Ele Se torna o
• Frequentando o templo. centro de nossa vida. E com Ele como
• Estudando a vida do Salvador nosso amigo, temos a coragem de afu-
na igreja e no seminário. gentar o medo e prosseguir com fé. ◼
• Aplicando Sua Expiação ao
nos arrependermos de nossos
pecados. ENTRE NA CONVERSA
• Prestando testemunho Dele.

Quando sentimos a paz do Salvador,


Coisas a Ponderar para o Domingo
nosso coração não precisa se inquietar
ou temer (ver João 14:26–27). • Como a Expiação de Jesus Cristo já abençoou sua vida?
“Somente o Mestre conhece a • A que palavras de Jesus você recorre em busca de consolo?
profundidade de nossas provações, • Consegue lembrar-­se de uma ocasião em que você sentiu a paz do Senhor
nossas dores e nosso sofrimento”, por meio do Espírito Santo?
disse o Presidente Thomas S. Monson.
“Somente Ele nos oferece paz eterna Coisas Que Você Pode Fazer
nos momentos de adversidade. • Registre em seu diário a próxima vez em que o exemplo ou os ensinamentos
Somente Ele toca nossa alma tortu- do Salvador o ajudarem a escolher o que é certo.
rada com Suas palavras de consolo.” 9 • Estude a Expiação ao preparar-­se para tomar o sacramento.
• Externe seus sentimentos por Jesus Cristo a sua família, na Igreja ou nas
Jesus Dá o Exemplo redes sociais.
No decorrer de Seu ministério,
Jesus não aponta simplesmente o

J a n e i r o d e 2 0 1 5 59
4. Lembrar-­se de prestar ser- de tempo para realizar coisas eternas.
viço dedicado no decorrer Todos têm tempo, é verdade. Mas
da vida e sempre cuidar o mero fato de o tempo passar não
dos necessitados que significa que estamos progredindo.
Élder porventura precisarem de seu “Esta vida é o tempo para os
Robert D. Hales amor e apoio. homens prepararem-­se para encontrar
Do Quórum dos Deus; sim, eis que o dia desta vida é
Doze Apóstolos
Essas são metas para toda a vida e o dia para os homens executarem os
que exigem foco e tempo para serem seus labores” (Alma 34:32).
alcançadas. Não basta traçar essas O segredo é escolher com
metas, precisamos elaborar um sabedoria as atividades que
COMO plano para cumpri-­las.
Hoje à noite ou amanhã, reflitam
nos ajudarão a atingir nossas metas

ALCANÇAR
divinamente inspiradas e depois ter
sobre o que vocês desejam a força de caráter e a convicção de

METAS
realizar em sua vida e sobre quais ignorar o que nos desviaria
devem ser suas metas. Reservem ou impediria de alcançar nosso

ETERNAS
algum tempo para anotá-­las e destino eterno.
relê-­las no decorrer dos próximos Testifico que seu tempo na Terra
anos. Em seguida, passem algumas será suficiente para concluir sua pre-

G
ostaria de sugerir algumas das horas perguntando a si mesmos o paração e realizar os labores da mis-
metas mais importantes na vida que podem fazer para alcançar essas são de sua vida — se vocês usarem
que lhes darão alegria ao cum- metas hoje, amanhã, na semana que seu tempo com sabedoria. E
prirem sua missão nesta Terra — metas vem e nos próximos meses. não há tempo melhor para fazer isso
eternas que os ajudarão a voltar com Como vocês escolhem e definem do que agora, em sua juventude (ver
honra à presença de seu Pai Celestial. essas metas tão importantes e eter- Alma 37:35). ◼
Elas incluem: nas? E, algo igualmente crucial, como Extraído de um discurso proferido em uma ceri-
elaboram um plano para alcançá-­las? mônia de colação de grau realizada na Universi-

1. Casar-­se no templo e cul-


dade Brigham Young-­Idaho em 11 de dezembro
Lembrem-­se de que o tempo é o de 2004.
tivar relacionamentos familiares elemento essencial — e até mesmo
eternos procurando manter, em crítico — em seus cálculos. Em sua
espírito de oração, o equilíbrio situação atual, pode parecer que COMPARTILHE SUAS
entre as muitas facetas da vida, vocês têm uma quantidade indefinida EXPERIÊNCIAS
como a família, a profissão, a Conte como você escolhe metas eternas
educação contínua, os hobbies e leia as experiências de outros jovens
em youth.LDS.org.
e o entretenimento.
2. Viver sua religião com fide-
lidade e obediência e ser fiéis
a seus convênios batismais
e do templo, sempre entesou-
rando as coisas boas da
vida.
3. Apegar-­se à perspectiva
eterna, lembrando que as
coisas do reino são eternas e as
coisas do mundo são temporais
ou temporárias.

60 A L i a h o n a
COMO EU SEI?

JOVENS

O CENTRO de MINHA VIDA
Eu tinha conhecimento do ministério de Cristo pela Bíblia,
mas será que Ele poderia mesmo ter visitado as Américas?

Roberto Pacheco Pretel

Q
uando fiz 18 anos, meu pai me estejamos equivocadas. Sei que Jesus Por algum tempo, achei que as lágri-
deu permissão para batizar-­me Cristo nos ama e que esteve neste mas das irmãs tinham-­me emocio-
em qualquer igreja que eu continente e ensinou Seu evange- nado e me induzido a acreditar em
desejasse. Eu queria filiar-­me a uma lho aqui assim como o fez na Terra seu testemunho. Assim, continuei
igreja cristã, pois estudara a Bíblia em Santa”. a ler o Livro de Mórmon até pouco
várias congregações e acreditava em Elas tentaram ajudar-­me com mui- depois das 4 horas da manhã. A cada
Jesus Cristo. tas outras dúvidas e preocupações vez que eu orava, sentia com mais
JESUS ENSINA NO HEMISFÉRIO OCIDENTAL, DE JOHN SCOTT; TEXTURA DE ISTOCK/THINKSTOCK

Certo dia, meu tio convidou duas naquela primeira palestra e marcamos força a confirmação de que Cristo
missionárias para nossa casa. Elas outra visita para a semana seguinte. viera às Américas e que Ele desejava
falaram com muita convicção sobre Naquela noite comecei a folhear o que eu aprendesse mais sobre Seu
sua crença no Livro de Mórmon como Livro de Mórmon. Ao ler a página de evangelho verdadeiro.
outro testamento de Jesus Cristo, afir- rosto, uma frase me chamou a aten- Dentro de semanas, terminei de
mando que Ele visitara o continente ção: “Jesus é o Cristo, o Deus Eterno, ler o Livro de Mórmon e senti a
americano. que se manifesta a todas as nações”. necessidade de ser batizado na Igreja
Àquela altura, opinei que talvez Li também 3 Néfi 11, que narra a visita verdadeira.
elas estivessem enganadas, pois eu do Salvador às Américas, e senti ale- A leitura do Livro de Mórmon me
nunca estudara aquilo antes na vida. gria no coração. Assim, agi conforme ajudou a me aproximar de Jesus Cristo
Uma das missionárias, com lágrimas as missionárias tinham me orientado: e a torná-­Lo o centro de minha vida.
nos olhos e muita bondade, disse ajoelhei-­me e perguntei ao Pai Celes- Como agradeço ao Senhor por ter
para mim: “Irmão Roberto, o fato tial se o livro era verdadeiro. colocado as missionárias e Sua Igreja
de você não saber da veracidade do Ao terminar minha oração, senti em meu caminho. ◼
Livro de Mórmon não significa que paz e a certeza de sua veracidade. O autor mora em Arequipa, Peru.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 61
DIRETO AO PONTO
Eu era uma pessoa difícil,
mas mudei,
e quero partilhar
o evangelho. Como posso
vencer minha reputação ruim?

P rimeiro: não deixe que o medo o impeça de agir.


Se você foi tocado pelo Espírito e está tentando
arrepender-­se e mudar, isso é maravilhoso. Lembre-­se de
que essa mudança ocorre pelo poder capacitador da graça
de Jesus Cristo. Com a ajuda Dele, você pode tornar-­se
uma nova pessoa e começar a mudar sua reputação. Ele
também pode ajudá-­lo a partilhar o evangelho. Mesmo
que mudar sua reputação seja um processo demorado,
valerá a pena. Estas são algumas coisas que você pode
fazer nesse processo:
• Peça perdão às pessoas que você sabe que magoou.
• Faça de tudo para mostrar bondade às pessoas a
quem antes você não teria mostrado.
• Sempre seja sincero e genuíno.
• Se as pessoas com quem você convive são maldosas
com os outros, peça que parem ou deixe de andar
com elas. Do contrário, outros pensarão que ainda
está associado a elas.
• Estude Morôni 7 e ore para ter caridade. ◼

O Salvador disse que o espírito


sem ser desagradáveis”. evitarmos contendas:

de discórdia é do diabo
Para evitar contendas, deve- (1) “mostrar preocupação
mos avaliar nossos motivos e compaixão pelos outros”;
(ver 3 Néfi 11:29). Qual é a e desejos. As escrituras (2) “conter o impulso de

diferença entre discordar e


dizem que “da soberba só falar ou escrever de maneira
provém a contenda” (Pro- conflituosa para ganho ou
entrar em conflito? vérbios 13:10). Se sua maior glória pessoal”; e (3) “em
preocupação é “vencer uma humilde submissão, [amar]

É normal que as pessoas


tenham visões dife-
rentes, e há ocasiões em
formular nossas posições de
modo positivo e factual, sem
ficarmos zangados, amargos
discussão” ou “ter razão”,
é quase certo que haverá
espírito de discórdia.
verdadeiramente a Deus”.1
Assim poderemos ter o Espí-
rito do Senhor conosco, não
que os discípulos de Jesus e sem ofender. Então, como O Élder Russell M. o espírito de discórdia. ◼
Cristo precisam defender evitar conflitos e contendas? Nelson, do Quórum dos NOTA
1. Russell M. Nelson, “O Cancro
suas crenças diante da Você já deve ter ouvido Doze Apóstolos, ensinou da Discórdia”, A Liahona,
oposição. Mas devemos que podemos “discordar algumas maneiras de julho de 1989, p. 74.

62 A L i a h o n a
DAR O Melhor Presente

JOVENS

Dei à minha amiga o melhor presente de aniversário que ela jamais ganhara.

Mariela Rodriguez

Q
uando eu tinha 13 anos de sobre o Livro de Mórmon e a Igreja. esquecerei aquele dia, pois senti
idade, o profeta pediu aos Na segunda-­feira seguinte, uma felicidade incrível.
membros da Igreja que les- convidei-­a para a noite familiar e Um ano depois, minha família
sem o Livro de Mórmon em cinco nessa ocasião lhe apresentei os mis- mudou-­se. Foi difícil, porque Cynthia
meses, ou seja, até o fim do ano, e sionários. Eles começaram a ensinar e eu tínhamos nos tornado boas ami-
prometeu bênçãos a quem o fizesse. as lições para ela, e ela começou a gas e irmãs no evangelho.
Certo dia, ao ler no ônibus, uma ir à igreja e a todas as atividades dos Embora não moremos mais perto
menina chamada Cynthia sentou-­se jovens e demais reuniões da Igreja. uma da outra, ainda somos gran-
a meu lado e me perguntou que livro Ela decidiu ser batizada e, com a des amigas. Sempre nos falamos
era aquele. Respondi que era o Livro permissão dos pais, foi batizada em por telefone e recentemente ela me
de Mórmon e que era um livro espe- seu aniversário naquele ano. Contou ligou para contar que sua mãe estava
cial. Comentei que queria terminar que tinha sido o melhor presente ouvindo as lições dos missionários.
de lê-­lo antes do fim do ano a fim que jamais ganhara. Sua mãe e seus Isso me deixou feliz, pois antes a
de receber bênçãos. irmãos assistiram ao batismo. Ela mãe dela não queria ouvir as lições.
Ela começou a fazer mais pergun- pediu que eu cantasse “Tal Como Cynthia me revelou que um dia
tas e a convidei até minha casa um Facho” (Hinos, nº 2) e pediu a espera ir à igreja com toda a família.
para conversarmos mais. Ela aceitou meu pai que realizasse o batismo. Ela me agradeceu por apresentar-­lhe
meu convite, e passamos várias Depois que ela saiu da água, nos a Igreja. ◼
horas nos dias seguintes falando abraçamos e choramos. Nunca A autora mora no Texas, EUA.
ILUSTRAÇÃO: TAIA MORLEY

J a n e i r o d e 2 0 1 5 63
Dê-­nos uma Mãozinha!

T odos os dias, crianças


em todo o mundo
mostram que se importam
ao encontrar maneiras de
ajudar os outros!

BOLACHAS E FANTOCHES
Nossa família criou uma
“temporada de serviço”.
Meus irmãos e eu fizemos
fantoches para as crianças
de um orfanato. Também
fizemos cookies com gotas
de chocolate para um grupo
de bombeiros e recolhemos
o lixo espalhado perto de um
lago. Fiquei feliz por poder-
mos servir!
Tobin P., 9 anos, Idaho, EUA

MÚSICAS ALEGRES
Em nosso dia especial de serviço, visi-
tamos um asilo. Quando começamos MELHOR QUE O NATAL
a cantar músicas da Primária e outras Minha mãe e meu pai estavam exaustos depois de
músicas, as pessoas começaram a bater um longo dia. Lavei e guardei a louça e limpei o chão,
palmas e cantar junto. Algumas até a mesa e a pia. Depois limpei a sala de estar e o quarto
dançaram! Distribuímos abraços e dos brinquedos. Quando minha mãe e meu pai acorda-
cartões que tínhamos feito para elas. ram, disseram que era melhor que o Natal!
Distrito de Leiria, Portugal Cambrie G., 11 anos, Geórgia, EUA

64 A L i a h o n a
CRIANÇ AS

ia Arrecad
Varr a de mantime ei
nd
vara ha avó. para o bantos
min na de alime nco
A ntos.
Ben ENVIE-NOS O DESENHO
DE SUA MÃOZINHA
Quantas mãozinhas que ajudam são
necessárias para dar a volta ao mundo?
Faça uma boa ação e ajude-­nos a descobrir!

1. Faça o contorno de sua mão numa


folha de papel fino e recorte-­o.
2. Escreva a respeito de um ato de
serviço que você fez para alguém
ou um ato de serviço que alguém
fez para você. Pode ser algo grande
ou pequeno.
3. Acrescente uma foto de si mesmo.
4. Peça a seus pais ou a outro adulto
que envie seu trabalho para
liahona@LDSchurch.org ou para
o endereço que está na página 3.

Vamos recolher essas mãozinhas que


ajudam a partir de agora até outubro
de 2015.

PROJETO DA CAIXA DE MEIAS


As pessoas que não têm casa sen-
tem muito frio no inverno! Decidi-
mos arrecadar meias grossas para
os sem-­teto de nossa cidade. Os
rapazes e as moças ajudaram e, em
pouco tempo, nossa caixa de meias
estava transbordando de centenas
de meias para os moradores de rua.
Alberta, Canadá
42

Desafio:
7

Estudo das
45

43

Escrituras do
NOVO TESTAMENTO 18

J esus contou uma história sobre um pastor que


amava suas ovelhas e que foi atrás de uma que
se perdeu. Neste ano você poderá aprender mais
sobre os ensinamentos de Jesus no Novo Testa-
mento. A cada vez que você ler uma das escritu-
ras da página 68, pinte o número seguinte. 30
Se você ler todas as semanas, terminará até
o fim do ano!
Peça a um adulto que o ajude a retirar este
5
quadro da revista ou a imprimi-­lo acessando a 28
página liahona.LDS.org. ◼

26 13

19
15

17

12

24

66 A L i a h o n a
52

CRIANÇ AS

38

40

36
37
47

49
29
48

22 51
23
32

14

41 33
46

27

6
31
10

25

21
34

50
8

35

20

16
ILUSTRAÇÕES DE PAUL MANN E JARED BECKSTRAND

39 11
2

44
8

J a n e i r o d e 2 0 1 5 67
Sugestões de leitura semanal para o desafio de estudo das escrituras do Novo Testamento
(ver as páginas 66–67).
SEMANA LEITURA A Ressurreição de Jesus Cristo
26 Mateus 27:52–53; 28:1–20; Lucas 24; João 20;
João Batista Preparou o Caminho para Jesus Cristo Atos 1:3, 9–11; I Coríntios 15:5–6, 22
1
Mateus 3:1–6; Lucas 1:5–25, 57–80
Apascenta Minhas Ovelhas
27
O Nascimento de Jesus Cristo Marcos 16:15; João 21:1–17
2
Mateus 1:18–25; Lucas1:26–38; 2:1–20
O Dia de Pentecostes
28
A Infância de Jesus Cristo João 14:25–27; Atos 2:1–24, 32–33, 36–47
3
Mateus 2; Lucas 2:21–52
Pedro, o Apóstolo
O Batismo de Jesus Cristo 29 Mateus 4:18–19; 14:22–33; 16:13–17; 17:1–9;
4 Lucas 22:31–34, 54–62; Atos 3:1–9, 19–21; 4:6–20; 5:12–42
Mateus 3:13–17; João 3:5
Jesus Cristo Foi Tentado por Satanás Barnabé, Ananias e Safira; Estêvão, o Mártir
5 30
Mateus 4:1–11; Marcos 1:12–13; Lucas 4:1–13 Atos 4:32–5:10; 6; 7:54–60

Jesus Cristo Purifica o Templo Pedro e Cornélio


6 31
Mateus 21:12–14; Lucas 19:45–48; João 2:13–16 Atos 10:1–11:18

Jesus Cristo Chama Seus Apóstolos A Conversão de Saulo


32
7 Mateus 4:18–22; 16:13–19; Marcos 3:13–19; 16:15; Atos 7:57–60; 8:1–3; 9:1–30; 26:9–23
Lucas 5:1–11; 6:12–16 A Primeira Missão de Paulo
33
O Sermão da Montanha Atos 13:4–11, 14–43; 14:5–10
8
Mateus 5:1–6:4; 7:12; Lucas 6:17–36 A Segunda Missão de Paulo
34
Jesus Cristo Ensina sobre a Oração Atos 15:36–41; 16:16–34
9 Mateus 6:5–13; 7:7–11; 26:36–46; A Terceira Missão de Paulo
Lucas 9:28–29; 11:2–4, 9–13; Tiago 1:5–6 35
Atos 18:23; 19:1–7, 11–12, 20
Jesus Cristo Cura os Enfermos Jesus Cristo Voltará
10 Mateus 8:5–10, 13; 25:34–40; Marcos 1:40–45; 36
Atos 1:9–11; Joseph Smith—Mateus 1:1–4, 21–55
Lucas 4:38–40; 7:11–17; João 4:46–54; 13:34–35
A Epístola de Paulo aos Romanos
Jesus Cristo e o Dia do Senhor 37
Romanos 1:16; 8:13–18, 31–39; 12:3–21
11 Mateus 12:1–13; Marcos 2:23–28; 3:1–6;
Lucas 13:11–17; 14:1–6; João 5:2–16 A Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios
38
I Coríntios 6:19–20; 12:4–27; 13; 15:20–22, 40–42
Jesus Cristo Usou Seu Poder do Sacerdócio para Abençoar os Outros
12 A Segunda Epístola de Paulo aos Coríntios
Mateus 14:23–33; Marcos 4:35–41; 6:33–44; Lucas 9:37–43; Atos 10:38 39
II Coríntios 4:5–18; 9:6–8; 12:6–10
Jesus Cristo Realizou Milagres A Epístola de Paulo aos Gálatas
13 40
Marcos 2:1–12; 5:21–43 Gálatas 2:16–21; 5:22–23; 6:7–10
O Semeador e o Joio e o Trigo A Epístola de Paulo aos Efésios
14 41
Mateus 13:1–9, 18–30, 37–43; Marcos 4:14–20; Lucas 8:11–15 Efésios 1:3–12; 4:11–16; 6:10–18
A Ovelha Perdida, a Moeda Perdida e o Filho Pródigo A Epístola de Paulo aos Filipenses
15 42
Mateus 18:12–14; Lucas 15 Filipenses 1:2–11; 2:12–13; 4:4–13
O Bom Samaritano e a Casa Construída sobre a Rocha A Epístola de Paulo aos Colossenses
16 43
Mateus 7:24–27; 22:34–40; Lucas 6:47–49; 10:25–37 Colossenses 1:9–20; 3:1–16

Jesus Cristo Cura Dez Leprosos e Um Cego A Epístola de Paulo aos Tessalonicenses
17 44
Lucas 17:12–19; João 9 I Tessalonicenses 2:1–12; 4:1–7; II Tessalonicenses 2:1–4; 3:10–13
O Bom Pastor As Epístolas de Paulo a Timóteo
18 45
Mateus 19:13–15; Marcos 10:13–16; João 10:1–18 I Timóteo 1:12–17; 5:1–3; II Timóteo 3:1–5, 14–17
O Servo Impiedoso As Epístolas de Paulo a Tito e Filemom
19 46
Mateus 6:12, 14–15; Mateus 18:21–35 Tito 1:1–4; 2; Filemom 1:3–9
As Dez Virgens, os Talentos e a Moeda da Viúva A Epístola de Paulo aos Hebreus
20 47
Mateus 25:1–13, 14–46; Marcos 12:41–44; Lucas 21:1–4 Hebreus 1:1–6; 5:1–4; 11:1–11; 12:1–2
Jesus Cristo Levanta Lázaro dos Mortos Ensinamentos de Tiago
21 48
João 11:1–46 Tiago 1:5–6; 2:17–18; 3:2–13; 5:12

A Entrada Triunfal de Jesus Cristo e a Última Ceia Ensinamentos de Pedro


22 49
Mateus 21:1–11; Marcos 14:12–26; Lucas 19:29–38; 22:15–20 I Pedro 1:3–11; 3:18–20; 4:6; II Pedro 1:2–8

Jesus Cristo no Getsêmani Ensinamentos de João e Judas


23 50 I João 2:1–6; 3:10–18, 23; 4:7–10; 5:1–3;
Mateus 26:36–46; Lucas 22:40–46; João 3:16; 15:12–13
II João 1:4; III João 1:4; Judas 1:20–22
Jesus Cristo É Traído, Preso e Julgado
24
Mateus 26:14–16, 47–27:31; Lucas 22:47–23:25 O Apocalipse de João
51
Apocalipse 1:1–3; 2:7; 4; 12:7–9; 20:12
A Crucificação e o Sepultamento de Jesus Cristo
25 Vinde a Jesus Cristo — Ele É a Luz e a Vida do Mundo
Mateus 27:32–66; Lucas 23:26–56; João 10:17–18; 15:13; 19:13–42 52
Mateus 11:28–30; João 4:3–14; 6:35–51; 8:12; 14:6, 15
Usar Meu Tempo para

CRIANÇ AS

Fazer Algo de Bom
Clayton W., 10 anos, Missouri, EUA

À s vezes faz muito frio e neva


bastante em minha região.
De vez em quando, as aulas são
demais. Fiquei mal-­humorado por
ter de ficar dentro de casa. Come-
cei a reclamar, e minha mãe disse:
até canceladas, ficamos em casa e “Você precisa ir para seu quarto e
andamos de trenó num morro alto achar algo de bom para fazer com
aqui perto. Certo dia, quando está- seu tempo”.
vamos nos preparando para pôr os Quando cheguei a meu quarto,
casacos, os gorros e as luvas, pensei no que o Salvador gostaria
minha mãe disse que que eu fizesse. Decidi decorar as
o frio e as venta- Regras de Fé. Quando voltei para
nias estavam a sala algumas horas depois, pedi
intensos desculpas a minha mãe, meu irmão
e minhas irmãs pelo mau humor e
anunciei que tinha memorizado as
Regras de Fé. Eles ficaram surpre-
sos! Recitei cada uma delas e me
senti muito bem por aplicar bem
meu tempo.
Acho que o Salvador ficou
feliz por eu ter decidido apren-
der mais sobre Ele com o
tempo extra que eu tinha
aquela manhã. Sou muito
grato por Ele me ter dado
uma família e as escrituras
para nos ajudar a apren-
der mais sobre nosso Pai
Celestial e Seu Filho, Jesus
Cristo. ◼
ILUSTRAÇÃO: SUPANSA WONGWIRAPHAB

J a n e i r o d e 2 0 1 5 69
NOSSA PÁGINA

Meu pai é o bispo de nossa ala e me entre-


vistou antes de me batizar. Fiquei muito
feliz. Decidi convidar meu melhor amigo
da escola e sua família para o batismo.
Eles vieram! Nunca me esquecerei daquele
dia especial.
Efrain W., 8 anos, Espanha

Laura D., 8 anos, Brasil

Sei como abrir o site de história da família


e encontrar o nome de um antepassado.
Verifico se ele precisa das ordenanças do
templo. Esta é minha parte na obra do
Senhor.
Stephen S., 6 anos, Filipinas

70 A L i a h o n a
TESTEMUNHA ESPECIAL

Como

CRIANÇ AS

AS ESCRITURAS
Presidente
Boyd K. Packer
podem ajudar-­me?
Presidente do
Quórum dos
Doze Apóstolos
Os membros do
Quórum dos Doze
Apóstolos são teste-
munhas especiais
de Jesus Cristo.

AS ESCRITURAS…
• Ensinam aonde ir e o
Torne a leitura das escrituras
que fazer.
uma parte de sua rotina
regular, e as bênçãos virão.
• Dão esperança e conhecimento.
Se você aprender com as
• Ajudam a ganhar um escrituras ainda jovem,
testemunho de Jesus Cristo. conhecerá o caminho
que deve trilhar. ◼
• Dão proteção espiritual.
ILUSTRAÇÃO: ZAC RETZ

Extraído de “A Chave para a Proteção Espiritual”, A Liahona, novembro de 2013, p. 26.

71
A Arma

Jessica Larsen
Inspirado numa história verídica

“Fazendo o bem sem olhar a quem qualquer. Era a menor menina da pelas meninas. Assim, ele escolheu
mais feliz eu sou também” (Músicas classe. Ela não tinha cara de ser Eva. Ao ver Túlio escolher o menino
para Crianças, pp. 116–117). muito rápida, e a bola parecia até mais alto da classe, Artur torceu para

A
“ Eva não! Ela é menina”, cochi-
chou Bruno atrás do Artur.
Mas Artur era o capitão da equipe
maior do que ela. “Ela não deve nem
conseguir levantar a bola”, disse
Bruno quando Eva se aproximou.
ter tomado a decisão certa.
Depois de formados os times, o
treinador Garcia apitou, e as equipes
de queimada naquele dia e já fizera “Talvez ela seja nossa arma correram para os cantos opostos do
sua escolha. “Escolho a Eva”, repe- secreta”, rebateu Artur, tentando campo. O treinador Garcia entregou
tiu ele um pouco mais alto. Túlio, mostrar segurança na voz. Mas não a bola a Túlio, que deu uma olhada
o capitão da outra equipe, sorriu foi por isso que ele a escolheu. Eva na equipe de Artur antes de fixar a
com desdém. Até mesmo o treina- uma vez dissera a Artur que não atenção em Eva. Preparou o braço
dor Garcia ficou surpreso com a gostava de praticar esportes com os e atirou a bola.
segunda escolha de Artur. colegas porque era sempre a última Paf! A bola foi ao chão e quicou
ILUSTRAÇÃO: MATT SMITH

Eva também aparentou surpresa a ser escolhida. Os outros meninos sem acertar ninguém. Artur deu uma
e depois, com timidez, deu um zombavam de Eva, mas o pai e a piscadela. Eva tinha mudado de posi-
passo adiante. Bruno resmungou. mãe de Artur tinham lhe dito que ção bem a tempo. Todos em volta
Eva não era uma menina os meninos deviam mostrar respeito dele pareciam surpresos, mas Artur

72 A L i a h o n a
Secreta

CRIANÇ AS

Todos tinham subestimado a capacidade de Eva.

só sorriu. Escolher Eva talvez tivesse secreta”, concluiu Bruno. “A Eva NINGUÉM ESTÁ
sido uma boa ideia, afinal de contas. é ótima.” DESTINADO A
FRACASSAR
A partida continuou. Túlio con- “Pois é”, concordou Túlio. “Na
tinuou tentando atingir Eva, mas próxima vez, vou chamá-­la para “Toda pessoa é
ela continuou esquivando-­se e minha equipe. Tenho certeza de diferente e tem uma
contribuição diferente
safando-­se. Ninguém conseguia que vamos ganhar!” Eva sorriu ao
a fazer. Ninguém está
atingi-­la com a bola. Túlio e outros voltar para a sala de aula, cercada
destinado a fracassar.”
colegas de equipe estavam tão obce- dos companheiros de equipe.
Presidente Henry B. Eyring, Primeiro Conselheiro
cados em acertar Eva que nem se Artur não conseguia parar de na Primeira Presidência, “Ajudá-­los a Estabelecer
esforçaram muito para visar outras sorrir ao seguir o grupo. Ele tinha Metas Elevadas”, A Liahona, novembro de 2012,
p. 60.
pessoas. Artur sorriu — o tamanho sido bondoso com Eva e ajudado
de Eva na verdade era uma van- os outros meninos a respeitarem
tagem na queimada, pois como um pouco mais as meninas. A
era pequena e ágil era mais difícil maior arma secreta na verdade não
atingi-­la. tinha nada de secreta — era apenas
Por fim a equipe de Artur venceu ser bondoso. ◼
a partida. “Era mesmo uma arma A autora mora no Arizona, EUA.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 73
Uma Jornada para
HORA DAS ESCRITURAS Vamos aprender sobre o Novo Testamento juntos este ano!

Aprender sobre
Jesus Cristo

N este ano na Primária, você vai fazer uma jornada maravi-


lhosa seguindo os passos de Jesus e aprendendo sobre
a vida Dele nas páginas do Novo Testamento. Seus pais tam-
bém estudarão as mesmas escrituras.
Aqui estão algumas atividades para ajudar você e sua
família a aprenderem mais sobre o Novo Testamento juntos.

IDEIAS PARA UMA CONVERSA EM FAMÍLIA DICAS DAS ESCRITURAS


Por que é importante e empolgante estudar o Novo Testamento? Como o fato de aprendermos Se você marcar as escrituras, vai ser mais
mais sobre o Salvador nos ajuda a ficar mais fortes? Lembre-­se de dar a cada pessoa a chance fácil encontrar seus versículos favoritos
de participar. Depois vocês podem cantar hinos da Primária que falem da vida e do ministério depois!
de Jesus Cristo. Você também pode fazer cartões dos livros do Novo Testamento e colocá-­los Você pode usar lápis, caneta ou lápis
em ordem.
de cor.
Sublinhe os versículos em que Jesus fala
MÚSICA E ESCRITURA ou apenas circule o número dos versículos.
ILUSTRAÇÃO: DAVID MALAN

• “Conta-­me Histórias de Cristo” (Músicas para Crianças,


p. 36)
• Mateus 11:29

Seus pais podem adquirir um exemplar da Bíblia exclusivamente para você.

74 A L i a h o n a
S a i b a m a i s S a i b a m a i s S a i b a m a i s
Maria e José vieram aqui para ser O rei Herodes tinha inveja de Jesus, Mateus 2:23
contados pelo governo. então José e Maria trouxeram
Jesus para cá para protegê-­Lo.

S a i b a m a i s S a i b a m a i s S a i b a m a i s
Depois que Jesus nasceu, pastores e magos Mateus 2:14 José e Maria trouxeram Jesus para cá quando
vieram aqui para adorá-­Lo. era bebê e tempos depois, quando Ele tinha
12 anos. Ele ficou para trás e ensinou
os doutores do templo.

S a i b a m a i s S a i b a m a i s S a i b a m a i s
Mateus 2:1 Maria morava aqui quando o anjo Gabriel O templo foi construído por Herodes nesta
apareceu para anunciar-­lhe o nascimento de Jesus. grande cidade, que era cercada por
uma muralha.

S a i b a m a i s S a i b a m a i s S a i b a m a i s
Este país fica perto de Israel. Quando Jesus era pequeno, Lucas 2:42–49
morou aqui com Maria e José.

ONDE JESUS ANDOU


Revezem-­se na escolha de um dos cartões “Saiba Mais”. Leia
o acontecimento ou encontre e leia a escritura. Em seguida,
faça a correspondência do cartão com o local no mapa. Nazaré

Jerusalém

Belém

Egito
ILUSTRAÇÕES: SCOTT GREER
A Lista de
Dez Prioridades
Rosemary M. Wixom
de Abby
Presidente Geral da Primária

“Este é o plano de salvação para todos” sentada a meu lado. Veja a lista de
(Moisés 6:62). Abby abaixo.
Abby tinha uma visão do plano

C erta vez, ao visitar uma


classe das Moças, vi a
professora pedir às alunas que
que o Pai Celestial tem para todos
nós. Quando seu caminho está
direcionado para a meta mais
anotassem quais eram suas dez importante, que é voltar à
prioridades na vida. Depois, presença do Pai Celestial, você
orientou-­as a relatar o que conseguirá chegar lá! ◼
tinham escrito. Abby, que Extraído de “Ter Tempo
para Conversar e Ouvir”,
tinha feito 12 anos pouco A Liahona, abril de 2012,
tempo antes, estava p. 34.

e.
a cu ldad
af ora
Ir para d e c orad
1. ­me
rnar- res.

ILUSTRAÇÃO: BETHANNE ANDERSEN


o .
2. T interio a Í ndia
de ão n
miss um
az er p lo com
3. F em
no t rio.
a r sa.
as
4. C -­missio
ná m a ca ão
ex l h o se u
a a miss
o fi par
e r cinc filhos
5. T us
n d ar me e. sabe
M a d a d q ue
6. acul ovó SUA LISTA DE
eaf e u ma v
-­m
rnar scoitos
. DEZ PRIORIDADES
T o i
7. r b s. Escreva dez metas para sua vida. Em
faze u s neto do
eito a.
m e e sp seguida, ponha-­as em seu diário, na
imar r vid
8. M m ais a utar a ial. parede ou em qualquer lugar visível.
r e n de r
d esf r
Celest
p e Pa i
9. A angelho c om o
e v r
vive
o lt ar a
10. V

76
FIGU R A S DA S ESC R I TU R A S DO NOVO TESTAMEN TO

Jesus Ensina

CRIANÇ AS

C ole esta página em cartolina ou pape-
lão. Depois recorte as figuras e cole-­as

no Templo
em palitos ou sacos de papel. Guarde-­as
num envelope com a referência das escritu-
ras escrita na frente. ◼

Lucas 2:42–47
Você pode imprimir mais cópias acessando
o site liahona.LDS.org.

Maria e José
ILUSTRAÇÕES: BETH M. WHITTAKER

Jesus aos 12 anos de idade Doutores

J a n e i r o d e 2 0 1 5 77
A ORAÇÃO no
Mitzy Jiménez Ramírez
Inspirado numa história verídica

S ofia tinha quase


oito anos de idade.
Estava preparando-­se
Certo dia, Sofia e sua
mãe decidiram visitar
o pai dela no trabalho.
choro de um bebê. Um
casal tinha entrado no
ônibus com um nenê
para o batismo e apren- A viagem seria longa, que estava passando
dendo muitas coisas pois ele trabalhava em mal e chorando muito.
importantes. A oração outra cidade. Elas teriam Os pais da criança pare-
era um dos princípios de tomar um ônibus, ciam preocupados.
que aprendera. Ela depois um caminhão Sofia ficou com pena
sabia que podia orar e por fim um táxi. do bebê e também dos

ILUSTRAÇÃO: KATIE MCDEE


ao Pai Celestial a qual- Durante a viagem de pais. Foi então que teve
quer momento e em ônibus, Sofia adorme- uma ideia. Sussurrou no
qualquer lugar. ceu. Acordou com o ouvido da mãe: “Posso

78 A L i a h o n a
ÔNIBUS

CRIANÇ AS

fazer uma oração para sentir melhor e a parar Seus pais ficaram com
o Pai Celestial abençoar de chorar. a expressão menos
o bebê?” Sofia sabia que nem preocupada.
“Claro”, respondeu a sempre conseguimos o Sofia sentiu um calor-
mãe sorrindo. que pedimos. Sabia tam- zinho no peito e uma
Sofia abaixou a bém que nossas orações sensação de contenta-
cabeça e fez uma ora- nem sempre são respon- mento. Ficou feliz pelo
ção silenciosa. Orou didas de imediato. Mas bebê e pelos pais dele.
com muita fé. Pediu ao em pouco tempo o bebê Ela sabia que o Pai
Pai Celestial que aben- se acalmou. Em seguida, Celestial tinha respon-
çoasse o nenê. Pediu-­ parou de chorar. Pare- dido a sua oração. ◼
Lhe que o ajudasse a se cia sentir-­se melhor. A autora mora no México.

J a n e i r o d e 2 0 1 5 79
ATÉ VOLTA RMOS A NOS ENCON T R A R

Presidente
Harold B. Lee
(1899–1973)

COMO POSSO
SABER SE O
SENHOR ME
PERDOOU?
O que você diria a alguém que lhe Ali estava a resposta.
fizesse essa pergunta? Quando você já fez tudo a seu
alcance para arrepender-­se de seus

H á alguns anos, o Presidente


[Marion G.] Romney [1897–1988] e
eu estávamos sentados em minha sala.
pecados, seja você quem for, esteja
onde estiver, e fez todos os reparos
e as retificações da melhor maneira
A porta se abriu e um rapaz com a possível, caso seja algo que afete sua
expressão preocupada entrou e disse: posição na Igreja e você tenha pro-
“Irmãos, vou ao templo pela primeira curado seus líderes, então desejará
vez amanhã. Cometi alguns erros no uma resposta que lhe confirme o
passado e já procurei meu bispo e meu e dizendo que se enxergavam em perdão do Senhor. Dentro de si,
presidente de estaca e confessei tudo. seu estado carnal: se buscar paz e a encontrar, assim
Após um período de arrependimento “E todos clamaram a uma só voz, saberá que o Senhor aceitou seu
e a garantia de que eu não voltaria a dizendo: Oh! Tende misericórdia e arrependimento. Satanás gostaria
cometer esses pecados, eles agora me aplicai o sangue expiatório de Cristo, que você pensasse justamente o
consideraram preparado para ir ao para que recebamos o perdão de contrário; e, às vezes, tentará

O POVO DO REI BENJAMIM SE ARREPENDE, DE WALTER RANE


templo. Mas, irmãos, isso não basta. nossos pecados e nosso coração seja persuadi-­lo de que, uma vez prati-
Quero saber se o Senhor também me purificado; (…) cado um pecado, é melhor continuar
perdoou. Como posso saber?” E aconteceu que depois de have- pecando, pois não há mais volta. Isso
O que você diria a alguém que rem pronunciado essas palavras, é uma grande mentira. O milagre do
lhe fizesse essa pergunta? Ao pensar- o Espírito do Senhor desceu sobre perdão está ao alcance de todos os
mos por um momento, recordamos eles e encheram-­se de alegria, que deixarem para trás seus pecados
o discurso do rei Benjamim regis- havendo recebido a remissão e não os repetirem. ◼
trado no livro de Mosias. Havia um de seus pecados e tendo paz de Extraído de “Permanecei em Locais Sagrados”,
grupo de pessoas pedindo o batismo consciência” (Mosias 4:2–3). A Liahona, março de 1974, p. 45.

80 A L i a h o n a
PONTOS DE VISTA

Como encontrar alegria quando passamos por dificuldades na vida?

“Muito na vida depende de nossa atitude. O modo pelo qual decidimos encarar as coisas e agir com as pessoas
faz toda a diferença. Se dermos o melhor de nós e depois optarmos por ser felizes com nossas circunstâncias,
sejam quais forem, poderemos ter paz e satisfação.”

Presidente Thomas S. Monson, “Vida em Abundância”, A Liahona, janeiro de 2012, p. 4.


Também Nesta Edição
PARA OS JOVENS ADULTOS

ACONSELHAR-­SE
COM FREQUÊNCIA p. 42

Use esses seis princípios para conselhos


de família bem-­sucedidos.

PARA OS JOVENS

TEMA DA
MUTUAL DE 2015
A presidência geral das Moças e a dos
Rapazes fazem observações sobre Doutrina
p. 48 e Convênios 4:2.

PARA AS CRIANÇAS

Desafio: Estudo
das Escrituras
p. 66

do Novo Testamento
Use essa atividade de colorir ao ler esses
versículos do Novo Testamento neste ano.