Você está na página 1de 37

Existe alguma relação entre

veículos motorizados, meio


ambiente e nossa saúde?
Impactos ambientais
• Introdução;
• Tipos de impacto;
• Ações de mitigação.
Introdução
• Meio ambiente de um sistema:
O conjunto de todos os objetos que não fazem parte do sistema em questão, mas
que exercem alguma influência sobre a operação do mesmo.
• Meio ambiente de um sistemas de transportes:

Constituído de atividades
desenvolvidas:
• nas residências,
• no comércio,
• nas industrias,
• Nas escolas;
• Nos setores de serviço.
Introdução
Impactos sobre o ambiente
• Ambiente natural: Poluição sonora e Poluição do Ar
• Ambiente construído: Valor e uso do solo.
Poluição Sonora
O som propaga-se com um movimento ondulatório.
As principais características do som:
• Intensidade
Relacionada com volume

• Altura (≠ 𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒)
• Agudo: Maior frequência;
• Grave: Menos frequência.
• Escala de Dó
Poluição Sonora
• Unidade padrão para medir o som:
decibel (dB)
• Pretendemos medir o nível de ruído
que é efetivamente percebido pelo
homem, devemos atribuir maiores
pesos às frequências que causam
sensações mais intensas (1.000 e
2000 Hz);
• Ajuste dessa característica humana:
escala decibel com ponderação A
(dBA)
Poluição Sonora
Ao fazermos a medição devemos ter em mente:
• O nível do ruído varia continuamente no tempo e no espaço;
• Intensidade e o espectro (amplitude) de frequência do ruído varia para cada modo de
transporte;
• O nível do ruído depende da distância entre a fonte e o observador.
A medida mais adequada para ruídos de tráfego é a escala dBA
Os índices máximos permissíveis de sons e ruídos produzidos por veículos no Brasil
(CONTRAN Resolução 448/71)

Veículos de carga, ônibus Veículos de passageiro e de uso misto (exceto ônibus)


Até 185 CV = 89 dBA Motonetas e motocicletas = 84 dBA
Acima de 185 CV = 92 dBA Buzinas = 93 dBA (2002)
Poluição Sonora
O ruído produzido por um
veículo automóvel tem as
seguintes origens:

• Ruído produzido pelo rodado


(pneus);
• Ruído produzido pelo motor;
• Ruído aerodinâmico.
Poluição Sonora
Exemplos de Atenuação acústica
Poluição do Ar
Problema: gases e as partículas lançadas na atmosfera;
• Permanecem durante muito tempo;
• Podem ser transportadas por correntes de ar;
• Efeito cumulativo.
Poluentes:
1. Monóxido de Carbono (CO);
2. Hidrocarbonetos (CH);
3. Óxido de enxofre (SO);
4. Oxidantes fotoquímicos (O3);
5. Óxidos de nitrogênio (NO);
6. Partículas (fumaça).
Monóxido de carbono
• Gás incolor, inodoro, formado pela combustão incompleta de combustíveis fósseis que
contém carbono (gasolina);
• Principais formas de Remoção do CO: Migração do gás para altas atmosferas e
metabolizado por planta e animais.
• Tempo médio de permanência CO atmosférico varia entre 1 mês a 5 anos;
• Gás mais presente;
• Tóxico: A afinidade da hemoglobina por CO
(200 vezes mais do que o Oxigênio),
quando uma pessoa fica exposta ao CO,
o oxigênio perde lugar para o CO.
Diminuindo a disponibilidade de Oxigênio no
sangue. Pode causar morte (garagem fechada).
Hidrocarbonetos, óxidos de nitrogênio, e
oxidantes fotoquímicos
• Reações químicas estão relacionadas
• Hidrocarboneto (HC) e óxido de nitrogênio (NOx) emitidos
diretamente pelo automóvel (poluentes primários);
• Oxidantes fotoquímicos: Ozônio (O3) e Peroxi-acetilnitrato (PAN) são
formados pela reação envolvendo o HC e Nox e a luz solar,
temperatura e humidade.

Oxidantes
HC fotoquímicos
SMOG FOTOQUÍMICO
Doenças respiratórias
Danificação de Plantas

𝑂3 PAN
NOx
Chumbo
• Origem: uso da gasolina com teor de chumbo;
• Objetivo aumentar a resistência de compressão da gasolina
(octanagem);
• A explosão aconteça somente com a centelha (faísca);
• O chumbo não é destruído pelo processo de combustão;
• O Brasil foi um dos primeiros países a retirar o chumbo da gasolina;
• Substituição do Chumbo pelo Álcool Anidro.
Dióxido de enxofre e material particulado
• Caracteríticas do Dióxido de enxofre (𝑆𝑂2 ): gás incolor, solúvel em
água, com odor desagradável;
• Resulta da queima de combustíveis que contêm enxofre,
especialmente o óleo diesel.
• Causa Problemas: irritação do aparelho respiratório, é toxico para
plantas e animais;
• Pode reagir com a atmosfera e gerar o ácido sulfúrico = Chuvas
ácidas;
Dióxido de enxofre e material particulado
• Material particulado: poeira ou fumaça com pequenas partículas que
ficam dispersas no ar (variando 0,002 a 500 microns).
• Formadas pela combustão do combustível;
• Problemas :câncer respiratório,
inflamação de pulmão,
agravamento de sintomas de asma,
aumento de internações hospitalares
e podem levar à morte.
Padrões de qualidade do ar
Padrões de qualidade do ar foram estabelecidos pela Resolução CONAMA nº
3/1990, sendo de acordo com esta resolução divididos em padrões primários e
secundários:
• Padrões primários de qualidade do ar: são as concentrações de poluentes que,
ultrapassadas, poderão afetar a saúde da população;
• Padrões secundários de qualidade do ar: são as concentrações de poluentes
atmosféricos abaixo das quais se prevê o mínimo efeito adverso sobre o bem
estar da população aos materiais e ao meio ambiente em geral.
Monitoramento do Ar é de responsabilidade dos Estados;
Classificação: Níveis de Atenção, Alerta e Emergência
Padrões de qualidade do ar

Máximo Aceitável
Emissão de poluentes por veículos rodoviários em
marcha
Etimativa da quantidade de emissão dos três principais poluentes: Monóxido de
Carbono (CO), Hidrocarbonetos (CH) e Óxidos de Nitrogenio em rodovias
americanas.
Veículos menos poluídores
Emissão de poluentes por veículos rodoviários em
marcha
PROCONVE (1987) – Programa de controle de poluição do ar por veículos
automotores
PROMOT (2002) - Programa de controle de poluição do ar por motociclos e
similares
Meta: fixação dos limites de emissão dos automóveis, motos, caminhão e
ônibus
Capacidade ambiental de ruas
• Capacidade da Via:
É o máximo de veículos que podem atravessar uma seção de uma via
durante um período de tempo, sob uma determinada condição de
tráfego e da via. Considera:
Largura, o tipo de veículos que trafegam, controle (limite de velocidade,
semáforos)
• Novo conceito de capacidade de vias (1963):
Incluir critérios: efeito dos ruídos, odores, danos à fauna e a flora e
sobre os seres humanos.
Impactos sobre valor e uso do solo

Desapropriações para A mudança que a implantação do


implantação da infraestrutura de transporte traz para as regiões
transporte. onde são instaladas.
Impacto de desapropriação
• Visto como um problema;
• Dificuldade de determinar o preço justo do solo;
• Após a implantação da infraestrutura, pode gerar a
segregação urbana, dividindo em partes
incomunicáveis.
• Municípios perdem arrecadação.
Valorização Imobiliária
Melhorias no serviço de transporte numa determinada área, podem
resultar na elevação do preço da terra.
• Facilidade locomoção do local valoriza o imóvel;
• Introdução de novos serviços de transporte em massa (metrô)
provoca uma valorização das propriedades localizadas em sua área de
atendimento (melhoria da Acessibilidade);
Ações mitigadoras?
Sustentabilidade no sistema de transporte
Operação Rodízio (1996)
Objetivo: medida emergencial para redução de emissões as
externalidades na área de saúde pública (melhora da qualidade
do ar).
Operação Horário de Pico (1997)
Rodízio de placas (caminhões, veículos). Monitoramento por
câmeras e agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego de
SP.
Objetivo: reduzir o congestionamentos no Minianel Viário,
redução dos gases poluentes, melhorar o tráfego nas horas pico, Minianel viário – área central
reduzir o tráfego de veículos pesados no centro.
O rodízio restringe a circulação nos períodos:
• da manhã, das 7h às 10h,
• e da tarde, das 17h às 20h.
Biocombustível
Etanol
• Emite 25% menos poluentes do que a gasolina;
• Fonte renovável;
• Rendimento energético menor;
• Necessidade de grandes extensões de terra para o plantio;
• Procura por mais terras, pode aumentar o desmatamento;
• Degradação ambiental pela aplicação de agrotóxicos;
• Necessidade de manejo de dejetos (vinhoto).
Carros elétricos
• Sem barulho e sem fumaça;
• Eletricidade é mais barata do que o combustível;
• Em função da maior eficiência, estima-se que o custo por quilômetro para
alimentar um elétrico é um terço do que se gasta com um carro a gasolina;
• Baixa autonomia (300 km e 600 km) e preço alto;
• Fabricação é mais poluente do que a veículos convencionais;
• Componentes da bateria: Lítio, as baterias utilizam minerais nobres extraídos de
terras raras, como disprósio, lantânio, neodímio e praseodimínio.
Bicicleta
• Não emite gases poluentes;
• Barata;
• Promove saúde física;
• Ocupa pouco espaço;
• Pequenas distâncias (até 3,5 km);
• Falta de ciclovias;
• Falta de paraciclos e bicicletários;
Transporte em massa
• Metrô, trem, BRT, navios e barcos;
• Capacidade de transporte;
Calçadas – andar a pé
• Regulamentação de calçada.
A missão do ITDP é promover o transporte ambientalmente
sustentável e equitativo em todo o mundo. Trabalhamos com os
governos municipais para implementar projetos de transporte e
desenvolvimento urbano que reduzam as emissões de gases de
efeito estufa e a poluição, ao mesmo tempo que impulsionam a
habitabilidade urbana e as oportunidades econômicas.

Você também pode gostar