Você está na página 1de 5

c c


 Ê

  Ê
A Ú  é outra medida de posição definida como o número que se encontra no centro de uma
série de números, estando estes dispostos segundo uma ordem. Em outras palavras, a mediana de
um conjunto de valores, ordenados segundo uma ordem de grandeza, é o valor situado de tal forma
no conjunto que separa em dois subconjuntos de mesmo número de elementos. Ê

c cc ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ Ê

÷ada uma série de valores, como, por exemplo: 5, 13, 10, 2, 18, 15, 6, 16, 9 Ê
÷e acordo com a definição de mediana, o primeiro passo a ser dado é o da ordenação (crescente ou
decrescente) dos valores: 2, 5, 6, 9, 10, 13, 15, 16, 18 Ê
Em seguida, tomamos aquele valor central que apresenta o mesmo número de elementos à direita e
à esquerda. Em nosso exemplo, esse valor é o 10, já que, nessa série, há quatro elementos acima
dele e quatro abaixo.Ê
Temos, então: Md = 10Ê
Se, porém, a série dada tiver um número par de termos, a mediana será, por definição, qualquer
dos números compreendidos entre os dois valores centrais da série. Convencionou-se utilizar
o  Ú .Ê
Assim, a série de valores: 2, 6, 7, 10, 12, 13, 18, 21 Ê
Tem para mediana a média aritmética entre  e .Ê
ÿogo: Md = (10 + 12) ÷ 2 = 11Ê
Verificamos que, estando ordenados os valores de uma série e sendo n o número de elementos da
série, o valor mediano será:Ê
- o termo de ordem (n + 1) ÷ 2, se for ímpar;Ê
- a média aritmética dos termos de ordem n ÷ 2 e (n ÷ 2) + 1, se for par.Ê
‰odemos comprovar tal fato nas séries dadas:Ê
- para n = 9, temos (9 + 1) ÷ 2 = 5. ÿogo, a mediana é o quinto termo da série, isto é: Ê
Md = 10Ê
- para n = 8, temos 8 ÷ 2 = 4 e (8 ÷ 2) + 1= 5. ÿogo, a mediana é a média aritmética do quarto e
do quinto termos da série, isto é:Ê
Md = (10 + 2) ÷ 2 = 11Ê
Ê
ÎÊ ü valor da mediana pode coincidir ou não com um elemento da série, como vimos. Quando o
número de elementos da série é ímpar, há coincidência. ü mesmo não acontece, porém,
quando esse número é par.Ê
ÎÊ A mediana e a média aritmética não têm, necessariamente, o mesmo valor. Na primeira série
apresentada, por exemplo, temos:Ê
X = 10,4 e Md = 10Ê
ÎÊ A mediana, como vimos, depende da posição e não dos valores dos elementos na série
ordenada. Essa é uma das diferenças marcantes da mediana e a média (que se deixa
influenciar, e muito, pelos valores extremos). Essa propriedade das medianas pode ser
constatada através dos exemplos a seguir:Ê
5, 7, 10, 13, 15 X = 10 e Md = 10Ê
5, 7, 10, 13, 65 X = 20 e Md = 10Ê
osto é, a média do segundo conjunto de valores é maior do que a do primeiro, por influência
dos valores extremos, ao passo que a mediana permanece a mesma.Ê
ÎÊ A mediana é designada, muitas vezes, por Ú .Ê
Ê
c cc ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ Ê
Se os dados se agrupam em uma distribuição de freqüência, o cálculo da mediana se processa de
modo muito semelhante àquele dos dados não agrupados, implicando, porém, a determinação
prévia das freqüências acumuladas. Ainda aqui, temos que determinar um valor tal que divida a
distribuição em dois grupo s que contenham o mesmo número de elementos.Ê
‰ara o caso de uma distribuição, porém, a partir de qualquer um dos extremos, é dada por:Ê
(™ f 1) ÷ 2Ê
c cc ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÚ  Ê
Neste caso, é o bastante identificar a freqüência acumulada imediatamente superior à metade da
soma das freqüências. A mediana será aquele valor da variável que corresponde a tal freqüência
acumulada:Ê
Œ !"c#Ê Ê
$ ! Ê
 Ê 'Ê
!%&Ê Ê
0Ê 2Ê 2Ê Ê
1Ê 6Ê 8Ê
2Ê 10Ê 18Ê Ê
3Ê 12Ê 30Ê Ê
4Ê 4Ê 34Ê
Ê
Ê ™ = 34Ê Ê
Ê
ÊÊ
Sendo: (™ f 1) ÷ 2 = 34 ÷ 2 = 17Ê
A menor freqüência acumulada que supera esse valor é 18, que corresponde ao valor 2 da
variável, sendo este o valor mediano. ÿogo:Ê
Md = 2 meninosÊ
Ê
ÎÊ No caso de existir uma freqüência acumulada (F1), tal que: F1 = (™ f1) ÷ 2Ê
A mediana será dada por: Md = (xi + xi + 1) ÷ 2Ê
osto é, a mediana será a média aritmética entre o valor da variável correspondente a essa
freqüência acumulada e o seguinte.Ê
î Ê
ÊÊ
Œ !"c(Ê Ê
Ê  Ê 'Ê Ê

12Ê 1Ê 1Ê Ê
14Ê 2Ê 3Ê Ê
15Ê 1Ê 4Ê
16Ê 2Ê 6Ê Ê
17Ê 1Ê 7Ê Ê
20Ê 1Ê 8Ê
Ê
Ê ™ = 8Ê Ê
Ê
Ê
Temos: 8 ÷ 2 = 4 = F3Ê
ÿogo: Md = (15 + 16) ÷ 2 = 31 ÷ 2 = 15,5 Ê
Ê
âÊ
Complete o esquema para o cálculo da mediana das distribuições:Ê
ÊÊ
cÊ acÊ
Ê 2 4 6 8 10Ê Ê 0 1 2 3 4 5Ê
Ê 3 7 12 8 4Ê Ê 2 5 9 7 6 3Ê
Ê Ê Ê Ê
Temos:Ê Temos:Ê
Ê Ê
Ê Ê 'Ê Ê Ê 'Ê Ê
2Ê 3Ê ...Ê 0Ê 2Ê 2Ê Ê
4Ê 7Ê 10Ê Ê ....Ê ....Ê ....Ê
6Ê 12Ê ...Ê ....Ê 9Ê ....Ê Ê
Ê
8Ê 8Ê 30Ê ....Ê ....Ê ....Ê Ê
10Ê 4Ê ...Ê Ê 4Ê ....Ê ....Ê
....Ê ....Ê ....Ê Ê
Ê ™ = ...Ê Ê Ê
Ê ™ = ...Ê Ê Ê

Ê
Ê Como: ™ fi ÷ 2 = .... ÷ 2 = ....Ê
Como: ™ fi ÷ 2 = .... ÷ 2Ê Vem: Md = ....Ê
Vem: Md = ....Ê
Ê
c cc) ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ*Ú  Ê
Neste caso, o problema consiste em determinar o ponto do intervalo em que está compreendida a
mediana.Ê
‰ara tanto, temos inicialmente que determinar a classe na qual se acha a mediana ± classe
mediana. Tal classe será, evidentemente, aquela correspondente à freqüência acumulada
imediatamente superior a (™ f1) ÷ 2.Ê
Feito isto, um problema de interpolação (inserção de uma determinada quantidade de valores entre
dois números dados) resolve a questão, admitindo-se, agora, que os valores se distribuam
uniformemente em todo o intervalo de classe.Ê
Assim, considerando a distribuição da Tabela 3, acrescida das freqüências acumuladas:Ê
ÊÊ
Œ !"#Ê
!ŒŒ âÊ
Ê  Ê 'Ê

Ú Ê
1Ê 150 lƒ 154Ê 4Ê 4Ê
2Ê 154 lƒ 158Ê 9Ê 13Ê
3Ê 158 lƒ 162Ê 11Ê 24 m classe medianaÊ
4Ê 162 lƒ 166Ê 8Ê 32Ê
5Ê 166 lƒ 170Ê 5Ê 37Ê
6Ê 170 lƒ 174Ê 3Ê 40Ê
Ê Ê ™ = 40Ê Ê
Ê
Temos: (™ f1) ÷ 2 = 40 ÷ 2 = 20Ê
Como há 24 valores incluídos nas três primeiras classes da distribuição e como pretendemos
determinar o valor que ocupa o 20º lugar, a partir do início da série, vemos que este deve estar
localizado na terceira classe (i =3), supondo que as sequências dessas classes estejam
uniformemente distribuídas.Ê
Como há 11 elementos nessa classe e o intervalo de classe é igual a 4, devemos tomar, z partir do
limite inferior, a distância:Ê
(20 ± 13) ÷ 11 x 4 = 7 ÷ 11 x 4Ê
E a mediana será dada por: Md = 158 + 7 x 11 ÷ 4 = 160,54 = 165 cmÊ
ÊÊ
Na prática, executamos os seguintes passos:Ê
ÊÊ
'+Ú a Ê
ÊÊ÷eterminamos as freqüências acumuladas.Ê
 ÊÊCalculamos (™ f1) ÷ 2.Ê
 ÊÊMarcamos a classe correspondente à freqüência acumulada imediatamente superior à (™ f1) ÷ 2
Ú  e, em seguida, empregamos a fórmula:Ê
,"Ú -./0  '
  12345 3Ê
Na qual:Ê
l* é o limite inferior da classe mediana;Ê
F* (ant) é a freqüência acumulada da classe anterior à classe mediana;Ê
f* é a freqüência simples da classe mediana;Ê
h* é a amplitude do intervalo da classe mediana.Ê
Ê
Tomando como exemplo a distribuição anterior, temos: (™ fi) ÷ 2 = 40 ÷ 2 = 20Ê
ÿogo, a classe mediana é a de ordem 3. Então: l* = 158, F(ant) = 13, f* = 11 e h* = 4Ê
Substituindo esses valores na fórmula, obtemos: Md = 158 + (20 ± 13) 4 ÷ 11 = 160,54 = 160,5
cmÊ
Ê
âÊ
1) Complete o esquema para o cálculo da mediana da distribuição de freqüência.Ê
ÊÊ
Ê 450 lƒ 550 lƒ 650 lƒ 750 lƒ 850 lƒ 950 lƒ 1.050 lƒ 1.150Ê
 Ê 8 10 11 16 13 5 1Ê
Ê
Temos:Ê
ÊÊ
Ê * Œ&
â Ê Ê 'Ê Ê

1Ê 450 Êlƒ 550Ê 8Ê 8Ê Ê


2Ê 550 Êlƒ 650Ê ....Ê 18Ê Ê
3Ê 650 Êlƒ 750Ê ....Ê ....Ê
4Ê 750 Êlƒ 850Ê ....Ê ....Ê Ê
5Ê 850 Êlƒ 950Ê ....Ê ....Ê Ê
6Ê 950 Êlƒ 1.050Ê ....Ê ....Ê
7Ê 1.050 Êlƒ 1.150Ê ....Ê ....Ê Ê

Ê Ê Ê ™ =....Ê Ê
Ê
ÊÊ
(™ fi) ÷ 2= .... ÷ 2 = ....Ê
l* = ...., F(ant) = .... e h* = ....Ê
ÿogo: Md = .... + (.... - ....) .... ÷ .... = ....Ê
osto é: Md = R$ 769,00Ê
Ê
Ê
* No caso de existir uma freqüência acumulada exatamente igual a (™ fi) ÷ 2, Ú +
Ú   .Ê
î Ê
Ê
Ê *"!Ê  Ê 'Ê Ê

1Ê 0 Êlƒ 10Ê 1Ê 1Ê Ê
2Ê 10 Êlƒ 20Ê 3Ê 4Ê Ê
3Ê 20 Êlƒ 30Ê 9Ê 13Ê
4Ê 30 Êlƒ 40Ê 7Ê 20Ê Ê
5Ê 40 Êlƒ 50Ê 4Ê 24Ê Ê
6Ê 50 Êlƒ 60Ê 2Ê 26Ê
Ê
Ê Ê ™ = 20Ê Ê
Ê
ÊÊ
(™ fi) ÷ 2 = 26 ÷ 2 = 13 ÿogo: Md = ÿ* = 30Ê
Ê
!Ú  Ê
!ÚÚÚ 6  Ê
a) desejamos obter o ponto que divide a distribuição em partes iguais; Ê
b) há valores extremos que afetam de uma maneira acentuada a média;Ê
c) a variável em estudo é salário.Ê
Ê