Você está na página 1de 87

MASSAGEM

TERAPÊUTICA
TIBETANA
MASSAGEM
TERAPÊUTICA
TIBETANA

Dr. Lobsang Rapgay, PhD.


Medicina e Psicologia Tibetana

Traduzido por:

Williams Ribeiro de Farias


Dra. Yeda Ribeiro de Farias

EDITORA CHAKPORI

2
Título Original: Tibetan Therapeutic Massage
© Dr. Lobsang Rapgay

1995
Direitos autorais para língua portuguesa e espanhola
adquiridos pela EDITORA CHAKPORI.

3
4
AGRADECIMENTOS À PRESENTE EDIÇÃO

Agradeço ao Sr. Lhasang Tsering, ao Venerável Dagom


Rimpoche e seu assistente Lama Tsultrim Dorge, ao Sr.
Lobsang Samten, à Srta. Nyingma Sherpa, ao Sr. Tsewang
Jigme Tsarong, Diretor do Centro Médico Tibetano em
Dharamsala, à Maria do Carmo Chagas Ribeiro e ao Sr. Sérgio
Fanelli, que ajudaram a tornar possível a edição destes livros
sobre Medicina Tibetana.

O Editor
Williams Ribeiro de Farias

5
ÍNDICE

PREFÁCIO .......................................................................................................... 8

INTRODUÇÃO ......................................................................................................... 1
CONCEITOS MÉDICOS TIBETANOS DAS TERAPIAS FÍSICAS ..................................................... 1
OS SISTEMAS ENERGÉTICO E NERVOSO ........................................................................... 5
MASSAGEM TIBETANA COMO TERAPIA EXTERNA ................................................. 8
A MASSAGEM E SUA RELAÇÃO COM OUTRAS TERAPIAS EXTERNAS: ........................................ 8
ESCLARECIMENTOS ................................................................................................... 10
COMO FUNCIONA A MASSAGEM TIBETANA....................................................................... 12
LOCALIZANDO CORRETAMENTE OS PONTOS SHIATSU ........................................................ 13
PONTOS DE MASSAGEM SHIATSU.................................................................................. 16
APLICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE MASSAGEM ........................................................ 22
TÉCNICA DE APLICAÇÃO ............................................................................................. 22
TÉCNICA DE FRICÇÃO ................................................................................................ 22
TÉCNICA DE AMASSAMENTO ........................................................................................ 23
MASSAGEM SHIATSU ................................................................................................. 24
MASSAGEM SHIATSU TRIPLA........................................................................................ 24
A TÉCNICA DE LIMPEZA .............................................................................................. 25
COMO MASSAGEAR ............................................................................................. 27
NOTAS PRELIMINARES ............................................................................................... 27
INDICAÇÕES ............................................................................................................ 28
CONTRA-INDICAÇÕES................................................................................................. 29
HORÁRIO E ESTAÇÃO ADEQUADAS PARA MASSAGEM ......................................................... 29
SINAIS INDICADORES DE EXCESSO DE MASSAGEM ............................................................. 30
ÓLEOS E LOÇÕES ................................................................................................ 32
ÓLEOS ................................................................................................................... 32
– Manteiga ..................................................................................................... 32
– Óleos vegetais ............................................................................................. 33
– Óleo de gergelim ......................................................................................... 34
– Óleo de aquilaria ......................................................................................... 34
– Óleo de sândalo ........................................................................................... 34
– Gorduras ..................................................................................................... 34
LOÇÕES.................................................................................................................. 35
– Loções que podem ser preparadas em casa .................................................. 35
– Loções farmaceuticamente preparadas ........................................................ 36
– Loção para doenças nervosas ...................................................................... 38

6
O TRATAMENTO ATRAVÉS DA MASSAGEM .......................................................... 39
O TRATAMENTO ATRAVÉS DE MASSAGEM DESTINADA AO BEM-ESTAR GERAL............................. 39
MASSAGEM TERAPÊUTICA PARA PATOLOGIAS ESPECÍFICAS ............................. 46
– Cefaléia tensional ........................................................................................ 46
– Vertigem, zumbidos, tontura ........................................................................ 49
– Histeria ....................................................................................................... 51
– Insônia......................................................................................................... 53
– Taquicardia ................................................................................................. 53
– Cansaço visual ............................................................................................ 56
– Dislalias funcionais ..................................................................................... 58
– Hemorragia nasal ........................................................................................ 60
– Dor e entorpecimento no pescoço, ombros e braços ..................................... 61
– Dor lombar e nas pernas.............................................................................. 63
– Dorsalgias ................................................................................................... 64
– Irregularidades menstruais .......................................................................... 65
– Distúrbios urinários ..................................................................................... 66
– Anorexia ...................................................................................................... 67
– Constipação................................................................................................. 68
– Soluços ........................................................................................................ 70
– Melhora das forças sexuais .......................................................................... 71
HOR MOXABUSTÃO ............................................................................................... 72
CONCLUSÃO ......................................................................................................... 73
COMPARAÇÃO DAS VÉRTEBRAS SEGUNDO OS SISTEMAS MÉDICOS TIBETANO E
OCIDENTAL .......................................................................................................... 74

7
PREFÁCIO

Os médicos tibetanos foram, provavelmente, pioneiros no


conceito de integração na medicina. Desde os primórdios do século
7, quando a medicina tibetana começou a se desenvolver, muitos
de seus esforços foram direcionados no sentido de transmitir e
compartilhar informações com médicos da Índia, China, Nepal,
Pérsia e Grécia. A literatura médica tibetana fornece muitas
evidências de como os médicos tibetanos, liderados por Yuthok
Yonten Gonpo, integraram a maioria das técnicas terapêuticas de
outros sistemas em sua prática médica de uma forma organizada e
sistematizada.
A massagem é uma das muitas formas de suporte
terapêutico e, além disso, exemplifica a combinação das técnicas
chinesas e indianas, gerando um sistema tibetano único de
massagem. Apesar das informações aqui fornecidas estarem
basicamente de acordo com os textos dos tantras médicos,
algumas informações adicionais também foram incluídas a partir de
outras seções da literatura médica, além de discussões com outros
terapêutas e médicos tibetanos que utilizam a massagem. Certos
aspectos da massagem, entretanto, foram excluídos, uma vez que
sua prática requer conhecimento adicional do sistema médico
tibetano.
Minha própria experiência mostra que aquele que deseja
estudar a medicina tibetana construtivamente, na situação atual,
deve fazê-lo com o espírito voltado ao ponto de vista de seus
fundadores. Boa vontade, mente aberta, inteligência e prontidão
para admitir as falhas e substitui-las por técnicas mais efetivas é

8
absolutamente vital, assim como a necessidade de preservar a
essência dos ensinamentos em todos os esforços realizados neste
sentido. Com este terceiro trabalho na série sobre medicina
tibetana espero enfatizar a necessidade de promover na clínica
muitas das modalidades de tratamento, como a massagem, as
quais têm sido negligenciadas, dando-se preferência à medicação
oral. Não podemos declarar nossa prática da medicina tibetana se
tudo o que fazemos é tratar e utilizar a medicação oral, negando ao
paciente os benefícios das modalidades mais refinadas de
tratamento no sistema médico tibetano.

Dr. Lobsang Rapgay

31 de outubro de 1985

9
Capítulo 1

INTRODUÇÃO

Conceitos Médicos Tibetanos das Terapias Físicas

A singularidade da medicina tibetana – infelizmente, ainda


pouco conhecida no Ocidente – é a abordagem multifacetada aos
problemas com a saúde que seus praticantes têm adotado desde
sua origem. Melhor que tratar uma doença utilizando-se uma única
forma de tratamento, tal como a acupuntura ou as ervas, o médico
tibetano prefere tratar um paciente empregando naturopatia,
medicação oral e terapias de apoio. Utilizando-se de tantas opções
quantas forem possíveis – graduadas de acordo com o modelo
médico tibetano – o médico é capaz de oferecer o tratamento mais
adequado, além de encorajar o paciente a assumir a
responsabilidade por sua própria saúde.
A medicina tibetana é um sistema integrado que incorpora
as melhores técnicas das medicinas indiana, chinesa, persa, grega
e nepalesa. Práticas como a acupuntura, massagem e moxabustão
foram integradas de maneira que pudessem ser adequadas ao
modelo médico tibetano e, ao mesmo tempo, teorias complexas,
como a dos meridianos na medicina chinesa, não foram
incorporadas. Além disso, certos conceitos, como “calor” (yan) e
“frio” (yin), foram modificados e simplicados para adaptarem-se à
teoria dos três humores.
Teoricamente, a medicina tibetana está baseada no
materialismo elementar. Entretanto, para todos os propósitos
médicos, a saúde é avaliada em termos de órgãos e sistemas
físicos principais. Como o médico tibetano conta consigo mesmo
como ferramenta no diagnóstico, ele projeta um sistema de
referência conhecido como “modelo dos três humores” para chegar
ao diagnóstico correto e tratar o paciente.
Quando o médico diagnostica uma doença de rLung (o
primeiro dos humores), está se referindo em geral a um dos
seguintes distúrbios: um desequilíbrio funcional ou orgânico do
sistema nervoso, do coração, do intestino grosso, uma doença
circulatória funcional e, frequentemente, problemas psicológicos
(distúrbios psicóticos não se incluem, pois são classificados
separadamente).
Quando o médico fala sobre um distúrbio de mKris-pa (bile),
pode estar se referindo a uma processo infeccioso ou inflamatório
em geral ou, especificamente, da vesícula biliar, do fígado, do
intestino delgado ou dos pulmões. De maneira semelhante, ao
diagnosticar um distúrbio de Bad-kan, ele está basicamente se
referindo a uma condição não-inflamatória e mais frequentemente
crônica do estômago, do baço e dos rins. É obrigação do médico
explicar isto ao paciente, mas se não o fizer é dever do paciente
perguntar ao médico. Na clínica, muito frequentemente, o médico
chega a um diagnóstico através de sua ação e o paciente assume
que ela se destina a isto. Não há qualquer comunicação e
frequentemente, muito desentendimento. A maioria dos médicos
possui boa vontade quando solicitados a explicar seu diagnóstico
mais claramente. Entretanto, se não puderem fazê-lo, significa que
ainda precisam chegar ao diagnóstico definitivo. Seguir o
tratamento recomendado nestes casos, normalmente, não envolve
riscos de um mau tratamento, pois o médico está bastante
consciente das condições gerais do paciente, com base nos três
processos humorais.
O tratamento baseia-se nos sintomas apresentados e no
quadro clínico estabelecido pelo exame da urina, do pulso, do
exame físico e do questionamento. Numerosos fatores como

2
severidade da doença, idade do paciente, estação do ano,
localização da doença, a força digestiva do paciente e a presença
de complicações também irão determinar qual tratamento está
realmente indicado. Na rotina clínica geral, o tratamento consiste
de medicação auxiliada por recomendações dietéticas e
comportamentais. Em certos casos, são utilizadas as técnicas de
acupuntura e moxabustão.
O ideal, ou seja, a melhor forma de tratamento, de acordo
com os textos médicos, é o multifacetado. Quando o paciente e o
médico possuem tempo e facilidade, o tratamento pode ser
altamente elaborado e graduado. A primeira conduta é a terapia
dietética e comportamental, a qual normalmente apóia a segunda
linha de tratamento – o medicamentoso. Há onze modalidades de
medicação oral, graduadas e utilizadas de acordo com a
informação clínica definitiva. A medicação oral é auxiliada por
terapias como oleação, eméticos, purgativos, enemas suaves,
supositórios, inalantes nasais e banhos. Quando estes métodos
não corrigem o desequilíbrio ou quando este é crônico e severo, a
terceira linha de tratamento, conhecida como terapias externas é
recomendada. A terapia externa é graduada em duas categorias,
baseando-se no quadro patológico: maior e menor. A terapia
externa menor consiste de massagens, hidroterapia e fomentação
e a maior consiste de acupuntura, moxabustão, venissecção
auxiliada pela cirurgia. Por exemplo, no caso do paciente que sofre
de um distúrbio geral de rLung, com sintomas físicos principais de
distensão e desconforto abdominal (este distúrbio é uma condição
de excesso, com problemas funcionais do sistema nervoso
simpático, resultando em uma vasta gama de sintomas difusos,
como os desconfortos abdominais e a distensão). A primeira etapa
é lidar com os sintomas, particularmente os físicos, com
medicação oral suplementada por terapia dietética e
comportamental. A estratégia é dupla – primeiramente, remover os
sintomas e depois, concentrar a atividade patológica, neste caso,

3
na região gastro-intestinal. Uma vez reduzidos os sintomas
externos, corrigidos os hábitos e a dieta e localizada a atividade
patológica na região gastro-intestinal, administra-se um enema
leve,seguido por um moderado ou severo, de forma que a atividade
patológica de rLung é eliminada do organismo. A terapia de
oleação e a massagem são recomendadas para aumentar a
circulação sanguínea e fornecer energia ao corpo. A terapia de
oleação é particularmente efetiva na melhora do sistema digestivo.
No caso em questão, se nesta fase do tratamento, o paciente ainda
queixar-se de dorsalgia, formigamento, palpitação e outros
sintomas, recomenda-se a aplicação de Hor moxabustão, uma
compressa realmente quente aplicada sobre determinados pontos
shiatsu. Compressas quentes são extremamente eficazes para
alívio instantâneo e amplamente recomendadas nos distúrbios de
rLung que apresentem dor, edema e formigamento. No caso citado,
Hor moxabustão não resolve o problema, mas recomenda-se o
moxabustão utilizando cone de artemísia.
Uma vez que os sintomas estejam completamente
controlados, o próximo passo é restaurar as funções vitais do corpo
que podem ter sido afetadas por terapias como os enemas. O
vinho medicinal e os óleos medicinais são indicados como
vitaminas para fortalecer o corpo e auxiliar no funcionamento
adequado de seus sistemas.
Infelizmente, tais tratamentos elaborados e progressivos
nem sempre estão disponíveis atualmente por que o médico
tibetano está inteiramente envolvido com a rotina clínica diária. No
processo, algumas das modalidades refinadas de tratamento e
seus usos estão sendo gradualmente ignoradas. Espero que
muitas destas modalidades tornem-se melhor conhecidas e
eventualmente suas práticas sejam revividas na clínica. Este
trabalho é em parte uma tentativa de alcançar este objetivo.

4
Os Sistemas Energético e Nervoso
O ser humano, de acordo com a filosofia médica tibetana é
constituído de unidades psicológicas (faculdades sensoriais e
mentais) e biológicas (os três humores e os sete constituintes ou
sistemas). A um nível mais grosseiro, o corpo funciona
relacionando-se com as atividades dos três humores, cujo
funcionamento normal é vital para a boa saúde. Por exemplo, a
raiva repetitiva pode causar ou auxiliar no desequilíbrio do fluxo de
energia no sistema nervoso o qual, por sua vez, resulta em
condições patológicas nos nervos propriamente ditos. Mesmo
estando o médico tibetano consciente desta relação sutil, exceto o
praticante de Tantra cuja prática está relacionada com o poder da
mente sobre o corpo, ele está principalmente envolvido com o
estudo dos três humores ou dos processos fisiológicos e a forma
como influenciam e afetam as funções dos órgãos e sistemas do
corpo.
A anatomia e a fisiologia do corpo na medicina tibetana
inclui o conhecimento não apenas dos órgãos e sistemas maiores,
mas também dos sistemas circulatórios sanguíneo e linfático. Há
onze órgãos principais, como na medicina chinesa, divididos em
positivos ou sólidos e negativos ou ocos. Cada órgão positivo
possui um relacionamento funcional com um órgão negativo. Por
exemplo, o fígado, que é um órgão positivo relacionado com a
produção do sangue, e a vesícula biliar – seu órgão auxiliar – que é
responsável pelo armazenamento de bile, um sub-produto do
sangue. Os órgãos por sua vez formam e sustentam as funções
dos sete constituintes, tais como os músculos, os tecidos
circulatório e adiposo. Desde a antiguidade, os médicos tibetanos
identificaram ligamentos, suturas, vasos linfáticos, plexos
nervosos, fáscias, tecidos adiposo e vascular, membranas
sinoviais e muco. Com o passar dos séculos, foi desenvolvido um
elaborado sistema de energia para explicar as várias atividades
fisiológicas do corpo com relação à teoria dos três humores.

5
De acordo com os textos antômicos tibetanos, há três
trajetos maiores de energia encarregados das funções dos três
humores. O caminho “negro” é aquele através do qual flui o
sangue, o caminho “do vento” é o sistema nervoso central e
periférico, e o caminho “branco” consiste do sistema linfático.
Entretanto, no Tantra Explicativo, que inclui as seções sobre
anatomia e fisiologia, estes três caminhos são frequentemente
considerados pela denominação de caminhos tântricos. Esta
referência geralmente leva à confusão e não permite que cada
médico explique a diferença entre os caminhos médico e tântrico.
Apenas em trabalhos de médicos tibetanos posteriores ao século
16, os três caminhos médicos estão dissociados dos três caminhos
tântricos (“The Cear Mirror”, um texto sobre anatomia humana
escrito por Thogwong Sonam Tashi). O texto sobre Guhyasamaja
Tantraraja, por rJe Tsong Khapa explica, na realidade, a natureza
dos caminhos tântricos como sendo distintos dos caminhos da
medicina. Os canais tântricos não são fisiológicos em um sentido
materialista mais grosseiro, pois não funcionam ativamente em
seres comuns. Apenas quando um praticante (um iogue ou uma
ioguine) adquire o Estado de Criação com seu poder psíquico
cultivado, ele é capaz de abri-los como uma estrutura real. Nos
seres comuns, eles estão latentes, e na realidade apenas sua
manifestação grosseira, que são os três caminhos da medicina,
funcionam em seu corpo.

6
O CORPO HUMANO

A medicina budista divide o corpo humano em três


estruturas: grosseira, sutil e muito sutil.
O Corpo Grosseiro
Corpo Mente
1. Os três humores: rLung, mKris-pa 1. As cinco sensações: visão,
e Bad-kan. audição, olfato, paladar e tato.
2. Os sete constituintes corporais 2. Consciência mental.
ou sistemas: quilo, sangue, tecidos
muscular, adiposo, ósseo, medula
óssea e fluido regenerativo.
3. Os três processos excretórios:
evacuação, micção e perspiração.

O Corpo Sutil
Corpo Mente
1. Os três caminhos tântricos: 1. Os três instintos: associados com
direito, central e esquerdo raiva, desejo e ignorância nos 80
sub-instintos e emoções
2. Gotas endócrinas: a essência da
linfa no corpo.
3. A essência do sangue

O Corpo Mais Sutil


Corpo Mente
1. Gota indestrutível de energia 1. A mente da clara luz.
sustentando a luz clara – a mente que
continua de uma vida para outra.

7
Capítulo 2

MASSAGEM TIBETANA COMO TERAPIA EXTERNA

A Massagem e sua Relação com Outras Terapias Externas


O tratamento é indicado dependendo da natureza do
distúrbio. A terapia externa consiste de cinco formas de tratamento,
além do tratamento final, o cirúrgico. O principal objetivo destas
terapias é utilizar externamente aplicações e intervenções para
remover os últimos indícios de uma doença, além de prevenir sua
recorrência. Cada uma das terapias externas, fomentação,
massagem, hidroterapia, moxabustão e acupuntura, e venisecção é
indicada para distúrbios específicos. A fomentação é basicamente
indicada para distúrbios primários de Bad-kan, enquanto a
massagem é utilizada basicamente para distúrbios de rLung, e
hidroterapia, para desequilíbrios de mKris-pa. Entretanto, cada um
deles pode ser utilizado para uma grande variedade de doenças,
uma vez que constituem formas bastante eficazes de tratamento.
De fato, a massagem é graduada e utilizada em associação com a
oleação, a fomentação e o moxabustão em muitas das patologias
relacionadas com rLung e Bad-kan. O tratamento por oleação é
uma forma de lubrificar partes do corpo através do uso externo ou
interno de manteiga clarificada, óleo, gorduras e medula óssea. O
tratamento não apenas proporciona a tonificação, melhora a
compleição e o vigor corporal, melhora a digestão e outras funções
corporais. O tratamento é basicamente simples, uma vez que os
ingredientes lubrificantes adequados, como a manteiga, são
ingeridos isoladamente ou combinados de preferência com os
alimentos como mingau de arroz ou cevada. A quantidade a ser
ingerida é basicamente determinada pelo poder digestivo do

8
paciente, uma vez que a quantidade correta deve ser ingerida,
sendo esta uma parte crucial do tratamento. No caso de
desequilíbrios como cefaléias tensionais, dores de garganta e
outras, quando ocorrem acima da região peitoral, o tratamento por
oleação consiste na aplicação de óleo externamente nos ouvidos e
na cabeça.
A fomentação envolve uma classe completa de tratamentos
que variam de ingredientes não refinados como minerais, banhos
frios e quentes até compressas de lama ou de ervas e banhos de
vapor. A técnica de fomentação fria é utilizada no tratamento de
distúrbios inflamatórios (doenças circulatórias e de mKris-pa) e
fomentação quente para tratar doenças não-inflamatórias e
crônicas (distúrbios de Bad-kan e linfáticos). Em todos os casos, o
tratamento por oleação deve normalmente preceder o uso da
fomentação para obter resultados máximos.
Entre as técnicas de fomentação que devem ser
suplementadas pela massagem está a técnica do Hor moxabustão.
Apesar de receber a denominação de Hor moxabustão, consiste
basicamente de uma técnica de fomentação envolvendo a
utilização de uma compressa medicinal quente sobre certos pontos
de shiatsu. Esta denominação deve-se ao fato do moxabustão ser
a principal forma de tratamento entre a população do Tibete
Setentrional, os Hors. Na verdade, o moxabustão é utilizado para
tratar virtualmente todos os tipos de doenças. A popularidade do
moxabustão no Tibete Setentrional é provavelmente consequência
do frio extremo, da ausência de ervas comuns e das condições
econômicas que tornam o moxabustão efetivo e de baixo custo.
Outra razão maior, obviamente, é a ausência de médicos tibetanos
treinados adequadamente e esta característica assume uma
importância visível no Ladakh e em outras áreas budistas nos
Himalaias onde a medicina tibetana é praticada. O Hor moxabustão
é explicado no último capítulo do livro, e foi inserido neste trabalho
por causa de seu elevado valor terapêutico. Consiste de uma

9
técnica simples que um paciente pode lançar mão como uma
terapia de auto-controle para o tratamento de uma grande
variedade de problemas relacionados ao stress.

Esclarecimentos
Entre as técnicas de massagem explicadas neste livro, o
tipo shiatsu é o mais popular e efetivo para uso doméstico.
Portanto, inclui muitos pontos de shiatsu e outras informações não
mencionadas no texto médico do “Último Tantra”. Parte da
informação foi retirada de outras seções do “Tantra Explicativo”, do
“Tantra da Instrução Oral” e de outras comunicações pessoais de
médicos tibetanos. A massagem tibetana é popularmente utilizada
pelas mulheres com benefícios em uma grande variedade de
problemas que vão de distúrbios relacionados ao stress até cólicas
e irregularidades menstruais.
Conversando com mulheres mais velhas que haviam
utilizado a auto-massagem durante toda sua vida, descobri muitos
pontos novos, não mencionados nos textos médicos, mas
utilizados por todas as mulheres questionadas, as quais
declararam sua eficácia. Muitos destes pontos foram incluídos
tanto nas seções de tratamentos específicos com massagem,
como nos gerais. Exceto por quinze deles, os demais pontos de
shiatsu mencionados neste livro são na realidade pontos de
moxabustão de acordo com os textos. Entretanto, a partir de minha
pesquisa e observação, percebi que todos os pontos de
moxabustão podem ser utilizados como pontos de shiatsu sem
qualquer dificuldade. Há numerosas razões que sustentam esta
argumentação. A medicina tibetana, em toda sua fundamentação
antiga, é uma forma altamente graduada e sistematizada de
medicina. O tratamento é gradativo em três direções e planejado
de acordo com a gravidade e a localização de uma patologia.
Oleação, fomentação, massagem, ervas e moxabustão são
tratamentos progressivos utilizados principalmente para corrigir

10
patologias de rLung e Bad-kan. No “Tantra da Instrução Oral”, o
texto sobre clínica médica, a massagem é recomendada como um
dos principais tratamentos secundários para distúrbios de rLung.
Quando a massagem não resolve, recomenda-se o moxabustão
como extensão do tratamento, em especial quando a patologia é
crônica ou severa. Além disso, os quinze pontos de shiatsu
mencionados nos textos são pontos de moxabustão e utilizados
como tal para as mesmas indicações, mesmo quando forem
destinados à aplicação de moxabustão. O uso dos outros 63
pontos de moxabustão para massagem, ainda que não
mencionados especificamente, pode ser inferido a partir destes
fatores – alguns deles são sugeridos para massagem no “Tantra da
Instrução Oral” especificamente para doenças de rLung e Bad-kan.
Uma das principais razões pelas quais os médicos tibetanos
não utilizam os outros 63 pontos para massagem deve-se
provavelmente a inibições sociais relacionadas à exposição do
corpo. Pode ser observado que os quinze pontos mencionados nos
textos são pontos de moxabustão localizados nas partes expostas
do corpo, enquanto os 63 pontos de moxabustão são
principalmente localizados nas regiões do corpo que permanecem
cobertas por roupas. O clima frio no Tibete certamente não
encorajava a massagem em todo o corpo.
Com relação às técnicas de massagem, enquanto os textos
médicos mencionam estas cinco técnicas de massagem, pulsação,
fricção, amassamentos, shiatsu e limpeza, as mesmas não são
explicadas em detalhes. Deixa-se que o massagista utilize uma
técnica padrão para cada uma delas, além dos procedimentos
básicos. A massagem geral também é distinta da massagem
shiatsu. Enquanto a massagem geral consiste de pancadas ou
pulsações através da aplicação de óleo ou loção, fricção e
amassamentos, o shiatsu envolve o uso de pontos específicos
sobre o corpo. Ambos são concluídos pela técnica de limpeza que
é parte vital da massagem. A técnica de limpeza inclui

11
basicamente o uso de um pó de grão de bico para limpar o óleo ou
a loção e evitar o acúmulo de Bad-kan (produção de muco e de
fluidos) no corpo resultante da massagem. Esta é uma tradição
tibetana recomendada após toda massagem por causa de seus
benefícios terapêuticos. Não apenas regulariza a produção de
muco e fluidos no corpo resultantes da massagem, mas também
tonifica a pele e proporciona compleição física.
Com relação ao uso da massagem conforme as estações
do ano, a seção sobre comportamento no “Tantra da Instrução
Oral” explica o uso da massagem de acordo com as mesmas. Esta
seção também enfatiza o uso da massagem geral , apesar de que,
novamente, as técnicas não estão claramente explicadas em
detalhes.

Como Funciona a Massagem Tibetana


Os caminhos de rLung são os sistemas nervosos central e
periférico. O sistema nervoso central é conhecido como o caminho
do Srog-’dzin rLung (“sustentador da vida”) e está relacionado com
todos os órgãos e partes principais do corpo. Há caminhos
nervosos conectando a epiderme, a derme e os músculos com o
sistema nervoso central. Quando um órgão interno como o
intestino grosso está funcionando precariamente, os nervos que
conectam o órgão à medula espinal levam estímulos do distúrbio
para a 15ª vértebra, de acordo com o sistema tibetano esta é a 2ª
vértebra lombar. A medula espinhal por sua vez envia um estímulo
à superfície do corpo. Como a pele é um órgão rLung por natureza,
ela registra a condição de um órgão interno, particularmente um
órgão rLung, sobre sua superfície. A pele, particularmente na
região sobre o intestino delgado e a 15ª vértebra (2ª vértebra
lombar) torna-se seca e áspera com discreta descoloração. Cada
um dos 20 pontos sobre a coluna vertebral está relacionado com
um órgão específico. Observando a região abdominal e a coluna
vertebral e estudando a pele adjacente, podem ser obtidas

12
informações sobre a natureza do distúrbio e do órgão envolvido. No
entanto, o uso deste procedimento para diagnóstico deve ser feito
em combinação com o diagnóstico médico padrão para que se
obtenha um resultado mais confiável e preciso.
Estimulando-se certas áreas da superfície corporal é
possível estimular a medula espinhal e outros nervos. Sabe-se
através de experimentações que tais estímulos iniciam atividades
motoras e sensoriais nos órgãos internos, influenciam capilares e
vasos sanguíneos e produzem alterações na secreção de
hormônios. Portanto, estimulando a região da superfície corporal
relacionada ao órgão pertinente, a disfunção neste órgão pode ser
corrigida ou melhorada.

Localizando Corretamente os Pontos Shiatsu


A primeira vértebra para massagem é a 7ª cervical, que é
protusa quando o pescoço é curvado. A segunda vértebra, ou seja,
a 1ª dorsal, está localizada medindo -se um tsun a partir do topo da
1ª vértebra, ou seja, a 7ª cervical, para baixo, medindo-se o tsun
com o polegar do paciente (é o equivalente a uma polegada e é
medida colocando-se a extremidade do polegar e medindo-se a
distância até a dobra de sua primeira falange). Para todos os
demais pontos, utiliza-se a mesma medida ou a largura dos dedos
médios.
Há numerosas técnicas para determinar áreas de
massagem que não são localizadas anatomicamente sobre o
corpo. A dor, o edema e o formigamento sobre qualquer parte do
corpo são normalmente áreas de massagem, e a maneira de
determiná-los é através do toque, da palpação e finalmente,
pressão.
Ao tocar o corpo, use ambas as mãos – dedos ou palmas –
e toque ambos os lados do corpo com igual pressão. Se não
houver nada errado com as condições do paciente, a sensação dos
dois lados do corpo será a mesma. Na verdade, ele responderá à

13
pressão e à sensação dos dois lados da mesma maneira. Se a
pele sobre os dois lados é desigual, na umidade, sensibilidade,
pode significar um mal funcionamento de um órgão interno.
Normalmente, se a pele sobre um dos lados é mais sensível que o
outro, indica uma hiperfunção em nervo sensitivo.
Depois, pressione suavemente ambos os lados do corpo
com a mesma pressão. A área afetada pode revelar-se mais
sensível ou dormente. Finalmente, palpe ou pressione a área que
foi indicativa de anormalidade para determinar a localização exata
do problema. O problema pode estar nos tecidos sob a pele, ou
mesmo profundamente, nos músculos, que podem estar tensos ou
contraídos. Pode ser benéfico checar e sentir a vértebra que
representa o órgão que pode estar alterado. Isto pode ser feito
primeiramente pela observação da textura da pele em torno da
vértebra, que pode estar seca e áspera, no caso dos distúrbios de
rLung, avermelhada ou com uma erupção no caso de distúrbios de
mKris-pa, ou pálida e fria em um desequilíbrio de Bad-kan.
A forma mais imediata de determinar uma área ou ponto de
massagem é a aplicação de pressão sobre a área de dor, edema,
dormência ou um ponto de massagem localizado por dedução
médica. Se a pressão realmente proporciona alívio ao paciente, ou
se no caso de um edema forma-se uma depressão que retorna
lentamente, ou no caso de dormência, surge uma sensação, isto
deve ser considerado que esta é uma área ou ponto adequado para
a massagem. Entretanto, o conhecimento médico básico é
necessário para evitar a aplicação de massagem em casos de
febre elevada, processo inflamatório, infecção, edema causado por
retensão de fluidos e outros.
Precauções devem ser tomadas com relação à massagem
quando a pressão e a fricção de pontos e áreas não trazem alívio,
mas sim aumentam a dor e o desconforto. Quando o paciente
queixa-se de calor ou febre, a massagem está basicamente contra-

14
indicada, mesmo que o paciente sinta dormência ou
hipersensibilidade.

15
Pontos de Massagem Shiatsu

Ponto 1 topo da cabeça – tradicionalmente localizada com a


medida de vinte polpas digitais a partir da
extremidade do nariz
Ponto 2 fontanela posterior - vinte e quatro polpas digitais a
partir da extremidade do nariz
Ponto 3 fontanela anterior – doze polpas digitais a partir da
extremidade do nariz
Pontos 4-5 fontanela bilateral posterior – três dedos para as
bordas direita e esquerda da linha dos cabelos, a
partir do ponto da fontanela posterior
Pontos 6-7 fontanela bilateral anterior – um tsun ou uma
polegada a partir da extremidade da orelha em
direção à região temporal
Ponto 8 primeira vértebra tibetana, ou seja a 7ª cervical –
ponto de stress em geral ou de rLung
Ponto 9 5ª vértebra tibetana, ou a 4ª dorsal – ponto dos
pulmões
Ponto 10 6ª vértebra tibetana, ou 5ª dorsal – ponto do rLung
Sustentador da Vida ou da medula espinhal
Ponto 11 7ª vértebra tibetana, ou 6ª dorsal – ponto do
coração
Ponto 12 11ª vértebra tibetana, ou 10ª dorsal – ponto do baço
Ponto 13 12ª vértebra tibetana ou 11ª dorsal – ponto do
estômago
Ponto 14 13ª vértebra tibetana ou 12ª dorsal – ponto do
órgão regenerativo
Ponto 15 14ª vértebra tibetana ou 1ª lombar – ponto do rim
Ponto 16 16ª vértebra tibetana ou 3ª lombar – ponto do
intestino grosso
Ponto 17 18ª vértebra tibetana ou 5ª lombar – ponto da
bexiga
Ponto 18 19ª vértebra tibetana ou 1ª sacral – ponto do fluido
reprodutivo
Ponto 19 20ª vértebra tibetana ou a 2ª sacral, incluindo as 3ª,

16
4ª e 5ª vértebras sacrais –ponto do rLung
Descendente
Ponto 20 6ª vértebra cervical, não enumerada entre os 20
pontos na coluna vertebral
Ponto 21 o ponto caraka, sobre o pescoço, acima do esterno
– ponto de junção do rLung Sustentador da Vida
(medula espinhal) e coração
Ponto 22 ponto sobre o esterno, entre os mamilos – ponto do
coração, localizado esticando um fio da
extremidade do nariz ao umbigo e outro fio de um
mamilo à outro
Ponto 23 ponto triplo do processo xifóide, também conhecido
como porção superior do estômago ou ponto de
Bad-kan, localizado através ada medida de um tsun
ou uma polegada abaixo do processo xifóide
Ponto 24 pontos triplos tumorais, também denominados
ponto da porção média do estômago ou de mKris-
pa, que está um tsun ou uma polegada abaixo do
ponto do processo xifóide
Ponto 25 ponto triplo do calor digestivo, também conhecido
como ponto da porção inferior do estômago ou de
rLung, e está um tsun ou polegada abaixo do ponto
triplo tumoral
Ponto 26 ponto A do intestino grosso, localizado medindo-se
um tsun ou polegada à direita e à esquerda do
umbigo
Ponto 27 ponto B do intestino grosso, localizado pela medida
de um tsun ou polegada à direita e à esquerda dos
pontos A do intestino grosso
Ponto 28 ponto triplo da bexiga localizado pela medida de
três tsuns ou polegadas abaixo do umbigo
Ponto 29 ponto da mandíbula, localizado na depressão
abaixo do lábio inferior, conhecido como ponto
favorecedor da fala
Pontos 30-31 pontos da fronte, localizados medindo um indicador
(que á a distância entre a 2ª falange e a

17
extremidade do dedo) do meio das sombrancelhas
até a fronte
Pontos 32-33 o ponto do ombro está localizado entre a 7ª cervical
e a extremidade da bordas internas das omoplatas
– o ponto exato eastá localizado pela medida de um
indicador a partir da 7ª cervical em direção à
omoplata e depois medindo-se um indicador da
omoplata em direção à 7ª cervical, o ponto está
localizado entre estes dois
Pontos 34-35 o ponto da omoplata está localizado medindo-se 4
dedos a partir da 5ª vértebra tibetana para a direita
e para a esquerda
Pontos 36-37 ponto do lóbulo da orelha, localizado atrás dos
lóbulos, na depressão formada atrás dos lóbulos
quando a boca está aberta
Pontos 38-39 os pontos do ombro e omoplata são localizados
pedindo ao paciente que vire sua cabeça o mais
paralelo possível ao ombro. Estenda um fio da
extremidade do nariz até o ombro. O ponto onde o
fio toca o ombro é o ponto hemorrágico
Pontos 40-41 o ponto dos dedos dos pés está localizado entre as
unhas e a primeira articulação falangeana
Pontos 42-43 o ponto do calcanhar está localizado medindo-se
um dedo do calcanhar para cima
Pontos 44-45 o ponto externo da coxa é localizado pedindo ao
paciente para permanecer ereto, em pé, com suas
mãos abaixadas de modo que a extremidade dos
dedos encontrem a região externa das coxas

Foram mencionados nesta lista apenas 45 dentre os 78


pontos de massagem que estão recomendados para uso neste
livro. Os 10 pontos recomendados pelas anciãs tibetanas
demonstrados não estão identificados neste quadro, mas serão
vistos separadamente.

18
Figura 1: Os 45 pontos para massagem

19
Figura 2: Os 45 pontos para massagem

20
Figura 3: Os 45 pontos para massagem

21
Capítulo 3

APLICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE MASSAGEM

Técnica de Aplicação
Esta é a primeira parte da massagem e consiste da
aplicação de um óleo ou loção medicinal sobre o corpo utilizando
movimentos rítmicos. O óleo ou loção medicinal é cuidadosamente
friccionado em ambas as palmas das mãos e então aplicado em
movimentos suaves e leves. A pressão não deve variar e as
palmas das mãos devem estar mornas, conveniente à temperatura
da pele do paciente. Primeiramente, aplica-se óleo sobre a cabeça
e orelhas, depois, sobre as palmas e as solas das extremidades.
Então, aplica-se óleo sobre o tórax, o dorso, os braços e as pernas.
Os movimentos devem ser feitos em uma única direção. Em todos
os casos, toda a mão, incluindo dedos e palma, são utilizados na
realização dos movimentos rítmicos. A idéia principal é aplicar o
óleo e deixar o paciente acostumar-se ao toque. Com os
movimentos, a circulação é tonificada e o paciente é preparado
para o amassamento e a fricção.

Técnica de Fricção
Envolve o uso vigoroso das palmas das mãos e dos dedos
em movimentos circulares. A fricção é aplicada em qualquer parte
do corpo, exceto nas áreas sensíveis como o coração, genitais e
olhos. A fricção é eficaz para o processo circulatório, na fadiga,
melhora a flexibilidade dos músculos, fortalece os mesmos e alivia
a rigidez e as dores no dorso, nos ombros e edema nas pernas

22
causadas por fadiga. Em geral, nos casos de massagem, o uso de
óleo ou loção é a chave da terapia e sua importância supera a
técnica do simples uso da mão sobre a pele do paciente. Por esta
razão, a técnica real de massagear não está explicada em detalhes
permitindo-se que o massagista as modifique.

Técnica de Amassamento
Polegares, indicadores e dedos médios massageiam as
extremidades, enquanto as palmas e todos os dedos são utilizados
para massagear as partes musculares do corpo, como nádegas,
solas dos pés, palmas das mãos e ombros. O amassamento dos
músculos é extremamente eficaz para aliviar a tensão e o stress
desde que seja feita sobre as áreas que acumulam maior tensão.
Cerca de metade das queixas dos pacientes estão relacionadas a
problemas humanos, quer sejam resultantes de relações inter-
pessoais, o casamento, a realização profissional, medos e
ansiedades. Quando as emoções humanas não encontram meios
para expressarem-se através dos caminhos naturais, e não são
aliviadas através de trajetórias fisiológicas, elas encontram outros
meios para fazê-lo. Ao invés de aliviar a raiva contra outro
indivíduo oralmente ou confrontando-o ou mesmo discutindo o
problema com o mesmo, o paciente começa a queixar-se de
cefaléias tensionais, fadiga, vertigens e muitos outros sintomas que
caracterizam tais problemas. Grande parte da tensão é
armazenada nas regiões musculares mencionadas. O
amassamento destas partes utilizando um óleo ou loção auxilia
trazendo alívio imediato em muitos casos.
As articulações podem receber aplicações deste tipo. No
caso das artrites, o amassamento frequentemente pode
proporcionar grande alívio. Entretanto, é necessário estar certo de
que a pressão não agrava a dor ou o desconforto. Se isto ocorrer,
deve ser utilizada a técnica da fricção, ou, de preferência, não deve
ser aplicado massageamento, qualquer que seja a técnica.

23
Massagem Shiatsu
Podem ser utilizados 78 pontos shiatsu na técnica de
massagem. Dependendo da conveniência e eficácia, podem ser
usados o polegar ou os três dedos médios. O movimento deve ser
circular, sentido horário. Entretanto, não há qualquer menção sobre
o movimento exato, ou seja, o sentido anti-horário pode ser
utilizado se for efetivo. O número de rotações sobre um único ponto
pode ser três, sete ou mesmo vinte e uma vezes. Novamente, os
textos não especificam o número exato. Os mesmos são
mencionados por possuírem um significado religioso, sem
definição em termos científicos. O local exato para a massagem
sobre os 20 pontos vértebrais é a protrusão óssea e não os discos
entre os mesmos. No, entanto, mesmo entre os médicos tibetanos,
encontram-se duas versões. Um grupo afirma que a região discal é
a mais indicada para ser massageada ou aquecida, enquanto a
protrusão óssea é o sítio mais adequado para os demais
procedimentos terapêuticos. Os médicos concordam que a
protrusão óssea é particularmente o local mais efetivo para
aplicação de moxabustão. Assim, no caso de shiatsu, que não é
uma intervenção drástica como o moxabustão, o uso dos pontos
discais podem ser mais eficazes que aqueles situados sobre a
apófise espinhosa. Isto é algo que os massagistas,
individualmente, devem procurar explorar e descobrir através de
sua própria experiência.

Massagem Shiatsu Tripla


Quando massagear um ponto sobre a coluna vertebral, que
possui 20 pontos, ou sobre a região torácica e abdominal, que
possuem 22 pontos, massageie primeiramente apenas a apófise
espinhosa ou apenas a região intervertebral e investigue o que
sente o paciente. Se houver alívio ou se não houver melhora, em
quaisquer dos casos, o próximo passo é utilizar a técnica do ponto
triplo. Tal técnica é aplicada se em qualquer dos casos acima

24
mencionados o massagista estiver certo de que o shiatsu é
benéfico e que o ponto correto será massageado. O método de
localizar o ponto triplo em todas as 20 vértebras e em muitos dos
22 pontos sobre o tórax e o abdome consiste em utilizar como
medida os próprios pontos, medindo-se um tsun ou uma polegada
à direita e à esquerda do ponto central. Quando massagear,
comece pelo ponto central, que é o principal, e depois massageie à
esquerda e à direita durante um igual número de vezes. A
quantidade de rotações sobre cada ponto pode ser um total de três,
sete ou vinte e uma vezes, sendo que o massagista deve decidir o
que é melhor para seu paciente.

A Técnica de Limpeza
A técnica de limpeza é utilizada após todas as seções de
massagem para que se obtenha o máximo benefício do
procedimento terapêutico. Esta é uma técnica particular da
medicina tibetana, indicada principalmente para contra-atacar os
efeitos colaterais que podem surgir em decorrência da massagem.
Mesmo sendo a massagem, provavelmente, um dos mais
terapêuticos dos métodos de tratamento de muitas patologias
geradas pelo stress, seu uso resulta na elevação da atividade do
sistema linfático e da secreção de muco pelas membranas
mucosas do corpo. O paciente pode, com frequência, queixar-se de
sensação de peso, fadiga e vertigem. A técnica de limpeza previne
estes efeitos colaterais. Após a seção de massagem, o paciente
deve repousar durante alguns minutos, conservando-se aquecido e
envolvido por uma toalha de banho. Depois, deve-se proceder à
fricção com grãos de Cicer arietinum* em pó nas áreas de
massagem e onde o óleo ou a loção tenham sido aplicados. O pó
deve ser utilizado como um agente de limpeza e deve ser deixado

*
Grão-de-bico

25
sobre a pele durante cinco a dez minutos antes de limpar o
paciente. É aconselhável conservá-lo quente durante este período.
O pó de Cicer arietinum é recomendado em todos os tipos
de limpeza. Quando o paciente apresenta-se fisicamente muito
debilitado, nos processos de anemia, vertigens, palpitações, tensão
e stress é terapeuticamente muito benéfico utilizar Hordeum
vulgare** em pó. A aplicação de Cicer arietinum ou Hordeum
vulgare também melhora a circulação sanguínea e a compleição da
pele.

**
Cevada

26
Capítulo 4

COMO MASSAGEAR

Notas Preliminares
Antes de iniciar a massagem é aconselhável passar algum
tempo explorando e palpando o abdome e outras partes do corpo,
incluindo os pontos shiatsu, para determinar a natureza da queixa e
se a massagem é recomendável. A princípio, palpando o abdome,
o massagista pode determinar se há algum processo inflamatório
ou aumento no volume de um órgão, uma vez que em ambos os
casos a massagem não está indicada. Quando não são
observadas tais alterações, outras áreas do corpo devem ser
sentidas e pressionadas, bilateralmente. Se o paciente sentir alívio
após pressionada a área, ou mesmo se não há queixas de
desconforto e dor, a massagem é basicamente favorável. No
entanto, se na área sob pressão o paciente apresenta queixas de
aumento do desconforto e dor, e estes sintomas persistem após
um certo número de vezes, a massagem não deve ser empregada
ou deve ser utilizada com reservas, uma vez que o aumento da
dor pode indicar patologia interna de natureza grave. Este tipo de
diagnóstico deve ser realizado juntamente com outros
procedimentos básicos como a anamnese e o questionamento,
para que a avaliação seja completa.
Como já foi mencionado, a pele em particular em torno da
área afetada deve ser estudada, pois a pele com frequência
registra uma condição patológica interna. A região da pele que
circunda a área pode apresentar-se fria ou hiperêmica em
decorrência de distúrbios circulatórios e alterações de rLung, ou
pode estar seca ou enrugada, com a pele arrepiada, resultante de

27
distúrbios de rLung. Uma hiperemia ou rubor pode ser observada
no caso de alterações de mKris-pa ou processos inflamatórios.
Após sentir, palpar e estudar a pele, sinta e pressione os
pontos shiatsu. Como cada um destes pontos estão associados,
através de fibras nervosas, aos órgãos principais e aos sistemas
corporais, qualquer mal funcionamento em ambos enviará
impulsos centrípetos em direção à medula espinhal, diferentes dos
normais. Quando isto ocorre, as fibras nervosas ao nível da
vértebra que recebe o impulso em particular tornam-se
supersensibilizadas. Um leve estímulo externo sobre a pele
próxima da vértebra afetada produz dor ou dormência, sendo que
pressão semelhante em condições normais não resultaria em
qualquer desconforto.

Indicações
A massagem é geralmente indicada para distúrbios
psicológicos e relacionados ao sistema nervoso. A massagem
geral, que envolve a aplicação de fricção, amassamento e
movimentos rítmicos, é muito eficaz nas patologias resultantes de
stress, propiciando uma melhor circulação de fluidos, tonificando
músculos fatigados, melhorando a compleição da pele e elevando
as funções corporais e o calor. Mesmo sendo benéfico nas
patologias mencionadas para massagem geral, o shiatsu é
utilizado principalmente em distúrbios específicos.
Shiatsu e massagem são utilizados para patologias diversas
como neuralgias, paralisias, insônia, cardiopatias, esclerose
múltipla, ciatalgias, dorsalgias, hérnias de disco, pinçamento de
nervos, poliomielite e outros distúrbios musculares. Apresentam
também um efeito rejuvenescedor sobre o corpo e são
recomendados para os idosos. Para propósitos cosméticos, é
extremamente eficaz nas peles ressecadas, no rash cutâneo e em
outras lesões. Ambas as técnicas são benéficas como tratamento
de suporte na maioria dos distúrbios neuróticos como ansiedades,

28
tensão e depressão, nas fobias e em determinados tipos de
psicose limítrofe.

Contra-indicações
A massagem é contra-indicada nos processos inflamatórios
e infecciosos graves, na indigestão, nas condições ulcerativas, nos
distúrbios hepáticos e da vesícula biliar, como a hepatite, e graves
retenções de líquidos como a anasarca.

Horário e Estação Adequados para Massagem


O melhor horário para massagem é o final da tarde ou da
manhã, algum tempo após o almoço. Em geral, a massagem
durante a primeira parte da manhã, durante a fase quente das
tardes e à noite não está recomendada. A massagem durante o
período em que o alimento está sendo digerido deve ser evitada
pois o fluxo sanguíneo corporal está concentrado principalmente na
região abdominal. As regiões periféricas do corpo recebem menos
suprimento que as outras, o que torna a massagem menos
benéfica. Quando o alimento é digerido, e o estômago não está
cheio, o sangue começa a fluir em todas as partes do corpo e este
é o momento no qual a massagem é mais benéfica.
A melhor época do ano para as massagens é o inverno,
quando o metabolismo interno do corpo está mais ativo. De fato,
por este motivo, é absolutamente necessária a ingestão de uma
dieta nutritiva, pois a demanda do organismo por energia e calor é
imensa. Se o indivíduo não ingere nutrientes suficientes, o corpo
começará a consumir suas próprias reservas, gerando deficiências
no corpo e deixando-o aberto para a entrada de inúmeras doenças.
Portanto, a influência das estações do ano deve ser considerada
na organização de qualquer plano de saúde. A saúde total é
possível quando o indivíduo é capaz de mudar sua dieta e
comportamento de acordo com as variações das estações.

29
Durante esta estação, a baixa temperatura externa resulta
na contração dos poros da pele, impedindo a saída do calor
corporal. No processo, o calor do corpo e os níveis de energia se
elevam fazendo com que o organismo demande um certo nível de
energia de maneira a funcionar sob estas condições. Afora uma
dieta nutritiva, outras maneiras de assegurar um suprimento
constante de energia é através da fomentação e massagem. A
massagem regular durante esta estação – qualquer um, quer esteja
saudável ou não, deve ser submetido a massagem – não apenas
tonifica os músculos, incrementa a circulação mas também
proporciona a energia de que o corpo necessita para funcionar
normalmente. Além disso, a aplicação de óleo ou loção permite
que o corpo tolere a baixa temperatura corporal e previne a
alteração da temperatura interna.
Durante a primavera, como a temperatura torna-se
gradualmente mais quente, o ritmo metabólico corporal diminui
lentamente, juntamente com a necessidade de energia necessária
para fazê-lo funcionar. Entretanto, a necessidade de energia ainda
é elevada. A fomentação e a massagem são recomendadas,
apesar de não tão frequentemente quanto no inverno. Estão
indicadas três vezes por semana, nos mesmos horário do inverno.
No verão, no entanto, a temperatura externa é tão elevada que a
necessidade de energia ao corpo é consideravelmente reduzida.
De fato, a massagem para o bem-estar geral não está
recomendada durante esta estação, apesar de massagens para
propósitos médicos poderem ser aplicadas.

Sinais indicadores de excesso de massagem


Algumas vezes, a massagem pode ser excessiva e neste
caso deve ser interrompida pelo menos naquela sessão em
particular. Há numerosos sintomas que indicam que a massagem
está sendo excessiva. Se mais que dois dos sintomas seguintes
ocorrerem como resultado da massagem, esta deve ser

30
interrompida. São eles: vertigem, palpitação, tremores, fome, sede,
sensação de peso, formigamento ou entorpecimento, dor e sono.

31
Capítulo 5

ÓLEOS E LOÇÕES

Mesmo antes do atual sistema de saúde tibetano ser


instituído neste país, a população utilizava óleos saturados para
uma grande variedade de patologias. Através dos séculos, oléos
vegetais e loções farmaceuticamente preparadas eram produzidas
para serem utilizadas nas massagens terapêuticas. Os óleos são
utilizados nas massagens gerais e as loções caseiras ou
farmaceuticamente preparadas, para distúrbios específicos. A
seção sobre massagem trata de uma variedade de loções, muitas
delas utilizadas para doenças de pele e não para massagens.
Apenas aquelas loções que podem ser utilizadas nas massagens
estão incluídas neste trabalho.

Óleos
Há quatro tipos de óleos: manteiga, óleo vegetal, gorduras e
medula óssea. Cada um deles possui suas próprias propriedades
terapêuticas. Os mais utilizados comumente são os óleos vegetais
e a manteiga.

– Manteiga

A manteiga tem sido utilizada por séculos, particularmente


nos países frios, como loção para o tratamento de uma enorme
variedade de doenças. Antes do século 5, no Tibete, ela era
utilizada no tratamento de queimaduras e ulcerações com grande
eficácia. Atualmente, é um gênero alimentício, utilizado geralmente
para a massagem, isoladamente ou combinada a uma erva. As

32
propriedades terapêuticas da manteiga são enormes e
isoladamente é utilizada para massagear músculos fatigados,
tonificar a circulação, aliviar o stress e a tensão e eliminar a
ansiedade e a depressão.
A manteiga possui um sabor doce e uma qualidade
aquecedora. É empregada no stress e cansaço, nos distúrbios de
rLung, para melhorar o aspecto geral da pele, e apresenta uma
propriedade rejuvenescedora. Pode ser combinada com o pó de
Myristica fragrans (Linn.), Pimpinella anisum (Linn.)1 e cevada, mas
com frequência, quando os outros ingredientes não estão
disponíveis, a manteiga é utilizada isoladamente. Quando
armazenada é melhor para a massagem e, de fato, os textos
mencionam que a manteiga envelhecida por um ano é
extremamente eficaz para massagem e shiatsu nos casos de
neurose e mesmo psicose limítrofe. A manteiga clarificada (ghee)
por outro lado é eficaz para melhorar a memória e a inteligência.

– Óleos vegetais

Há muitos tipos de óleos vegetais que podem ser utilizados


para massagem. O óleo de gergelim é o melhor óleo utilizado em
massagem terapêutica. De fato, o óleo de gergelim pode ser usado
durante todo o ano se outros óleos não estiverem disponíveis. Os
óleos de aquilaria e de sândalo podem ser utilizados por suas
propriedades terapêuticas durante determinadas estações. No
inverno, o óleo de aquilaria é altamente recomendado por suas
qualidades aquecedoras e nutritivas, enquanto o óleo de sândalo é
recomendado no verão, por suas propriedades resfriantes. Na
Índia, o óleo de sândalo é combinado com água fria e os pés são
mergulhados nesta solução durante 20 minutos. Este procedimento
é aplicado no verão no lugar da massagem, uma vez que a
massagem durante o calor do verão pode ser prejudicial ao corpo.
1
N.do T.: Pó de noz-moscada e da semente de anis.

33
– Óleo de gergelim

O óleo de gergelim tem um sabor doce e uma qualidade


quente. Não apenas tonifica a pele e melhora a compleição geral,
mas também alivia o stress e o cansaço, aumenta a energia e o
vigor corporal.

– Óleo de aquilaria

O óleo de aquilaria possui um sabor amargo e é um agente


aquecedor. Não apenas nutre e fortalece o corpo mas é também
utilizado para relaxar os músculos e nervos e aumentar a
circulação.

– Óleo de sândalo

O óleo de sândalo tem um sabor adstringente e uma


qualidade resfriante sendo, portanto, um excelente óleo para ser
empregado durante o verão para relaxar os músculos do corpo e
aumentar o tônus da pele. Se o tempo estiver extremamente
quente e o calor dificultar o trabalho e o sono, mergulhe os pés
durante 20 minutos em um recipiente contendo água fria misturada
com duas ou três colheres de chá de óleo de sândalo. Este
procedimento esfriará o corpo, relaxará os músculos e induzirá ao
sono.

– Gorduras

Ainda que por séculos as gorduras animais terem sido


utilizadas para curar ferimentos e ulcerações, podem ser
empregadas também para massagem em certos tipos de doenças.
As tensões musculares, as dores nas costas, a debilidade sexual,
perda de sêmen e deficiência renal podem ser melhoradas de
forma considerável pela massagem com gorduras nas áreas

34
afetadas. A gordura de certos animais, particularmente a lontra, é
extremamente eficaz para os distúrbios acima.

Loções
Há dois tipos principais de loções, aquelas que podem ser
facilmente preparadas pelo paciente e as que são manipuladas na
farmácia.

– Loções que podem ser preparadas em casa

Há inúmeras preparações fáceis de preparar e as mais


comuns estão relacionadas abaixo:

Loção I
Misture uma colher de noz moscada em pó com uma colher
de chá de cevada em pó. Derreta uma colher e meia ou duas
colheres de chá de manteiga e adicione a mistura de cevada e noz
moscada até que se transforme em uma pasta fina. Esta loção é
recomendada nos distúrbios relacionados ao stress, como as
cefaléias tensionais, cansaço muscular, insônia, vertigem,
palpitação e histeria.

Loção II
Quando a cevada não está disponível, misture uma colher
de chá de noz moscada com uma colher de chá de manteiga
derretida até que se transforme em uma pasta fina. Pode ser
empregada para as mesmas indicações da loção I, mas é
particularmente recomendada para palpitação, ansiedade,
agitação, agitação e tensão.

Loção III
A uma colher de chá de noz moscada em pó adicione uma
colher de chá de semente de anis em pó e misture com uma colher

35
e meia de chá de manteiga derretida, até formar uma pasta fina.
Esta loção é particularmente eficaz nas ansiedades, histeria,
depressão e outros sintomas relacionadas à neurose.

Loção IV
Misture uma colher de chá de pó de semente de anis à
manteiga de she-yak (fêmea do iaque) se possível (se não
disponível, utilize a manteiga comum) até que forme uma pasta
fina. Esta loção é recomendada para olhos cansados, visão
enfraquecida pela idade e dor nos olhos. O procedimento consiste
de lavar completamente ambos os pés, depois aplicar a loção na
sola dos pés, esfregando-as e massageando-as. O pó de grão de
bico deve ser empregado para retirar a loção e após alguns
minutos, uma pedra aquecida (preferencialmente aquecida no fogo
de carvão ou madeira) deve ser aplicada na sola dos pés.

Loção V
Misture uma colher de chá de gengibre em pó a uma colher
de chá de manteiga derretida. Forme uma pasta fina e aplique nas
áreas afetadas. Esta loção é aplicada sobre os pontos dolorosos.

Loção VI
Misture uma pitada de almíscar em pó com meia colher de
chá de manteiga. Apilque sobre as áreas afetadas. É
extremamente benéfico para insônia.

– Loções farmaceuticamente preparadas

Há numerosas loções e pós a serem manipulados


destinados à massagem. Aquilaria A é provavelmente a loção mais
popular recomendada. Quando não estiver disponível o melhor
substituto é Aquiliaria B.

36
Aquilaria A
Aquilaria A é preparada a partir de 31 ingredientes, listados
abaixo:
Aquilaria agallocha
Terminalia chebula
Terminalia belerica
Myristica fragrans
Amomum sabulatum
Elettaria cardamomum
Eugenia caryophyllata
Bambusa textilis
Adhatoda vasica
Mesua ferrea
Carthamus tinctorius
Rubbus niveus
Tinospora cordifolia
Saussurea lappa
Commiphora mukul
Picrorhiza kurroa
Punica granatum
Swertia chirata
Strychnos noxvomica
Meconopsis horridula
Santalum album
e outros dez ingredientes
Aquilaria A é disponível em forma de pó e é um dos mais
potentes agentes aliviadores de stress particularmente quando a
fumaça medicinal é inalada. Quando preparada em forma de loção,
ou seja, misturando-se uma colher de chá do pó de Aquilaria A
com uma colher de chá de manteiga derretida, pode ser utilizada
em uma grande variedade de casos. Está indicada na insônia, nas
dorsalgias, ansiedade, tensão, histeria e outros sintomas
psicológicos com grandes benefícios.

37
Aquilaria B
Quando Aquilaria A não estiver disponível, Aquilaria B é um
substituto igualmente eficaz. O método de preparação em forma de
loção é exatamente o mesmo que Aquilaria A, assim como as
indicações.

– Loção para doenças nervosas

A preparação é adquirida em forma de pó e é transformada


em pasta adicionando-se óleo de gergelim. Está indicada nas
doenças dos sistemas nervoso e muscular, como a poliomielite,
paralisia, ciatalgia, esclerose múltipla e distúrbios caracterizados
por desgaste e rigidez muscular, parestesias e tremores. A loção
deve ser aplicada sobre a área afetada, esfregada e massageada
completamente antes de ser aplicada a técnica de limpeza que é
absolutamente vital em tais distúrbios.

38
Capítulo 6

O TRATAMENTO ATRAVÉS DA MASSAGEM

A massagem tibetana consiste basicamente da massagem


geral, incluindo a aplicação de amassamento, fricção e pequenos
socos no corpo, o shiatsu, que consiste basicamente do uso de
pontos localizados sobre o corpo ou aqueles que se manifestam
por dor, edema e bloqueio em tecido nervoso e muscular. A
massagem geral foi resumidamente mencionada na seção sobre
massagem, e portanto, será ligeiramente mais detalhada na seção
sobre comportamento.

Massagem destinada ao bem-estar geral


Na realidade, a massagem geral nunca foi largamente
utilizada no Tibete. Por este motivo, os médicos tibetanos nunca
exploraram os aspectos sensíveis e sensuais da massagem e
sempre que foi empregada, seu propósito foi inteiramente médico.
Estavam conscientes, obviamente, dos enormes benefícios
terapêuticos, mas as inibições sociais e religiosas, assim como o
clima, evitaram o completo desenvolvimento da massagem no
Tibete. Consequentemente, um médico tibetano raramente
aplicava massagem em seu paciente e preferia utilizar as ervas e
outras modalidades de tratamento. Por outro lado, a massagem
shiatsu é muito mais conhecida e popular entre as mulheres
tibetanas em geral.
A massagem geral é recomendada a todos basicamente
durante estações como inverno, primavera e outono. É

39
extremamente eficaz para incrementar a circulação, tonificar os
músculos e melhorar o aspecto geral da pele. O stress e a tensão,
a insônia, vertigem e a maioria dos sintomas gerais de rLung
podem ser aliviados pela massagem regular com um óleo
apropriado.
A massagem geral deve ser realizada em uma sala calma,
que não seja intensamente iluminada. O chão talvez seja o melhor
local para realizar a massagem, pois permite que o massageador
trabalhe livremente com o paciente. Uma cama baixa pode ser um
bom substitutivo. Para evitar que o colchão sobre o chão ou a
cama fique impregnado de óleo, é recomendável que um lençol de
pano ou de papel seja utilizado para cobri-lo.
A primeira etapa é observar se o paciente está relaxado. Se
não estiver, peça-lhe que faça algumas respirações profundas.
Durante a sessão de massagem, recomenda-se silêncio e a
conversação deve ser feita apenas quando absolutamente
necessária. O silêncio permite que o paciente perceba as
sensações vindas do toque e as reações do corpo. Estas possuem
não apenas valor diagnóstico, mas também pode trazer benefícios
terapêuticos, treinando o paciente a tornar-se consciente do corpo
e suas funções, como a respiração, e outras para as quais não
damos o necessário valor.
Quando utilizamos o óleo ou a loção, este não deve ser
derramado diretamente sobre o corpo. Antes, friccione o óleo entre
suas mãos e esfregue-o até senti-lo aquecido. Então, aplique o
óleo sobre as áreas de massagem. O óleo ou a loção não devem
ser aplicados sobre os olhos, o coração e as regiões genitais.
Comece aplicando óleo primeiro sobre a cabeça, com algumas
poucas gotas nos ouvidos e depois trabalhe sobre o dorso, o tórax
e as extremidades, nesta sequência. A aplicação deve ser feita de
preferência em uma direção. Depois de aplicar o óleo, comece a
friccionar as extremidades, o tórax e o dorso na porção mediana. A
fricção é feita através da execução de movimentos em ambas as

40
direções. Finalmente, a etapa principal da massagem é o
amassamento. Este deve ser realizado nos músculos, começando
pelos ombros, as nádegas, as palmas das mãos e as solas dos
pés, os bíceps e as pantorrilhas. O amassamento das grandes
articulações é também indicado para proporcionar flexibilidade.
Devem ser tomadas preucações no sentido de observar se a pele
não está sendo lesada pelo amassamento e fricção intensa. Ao
terminar a sessão de massagem, deve-se aplicar grão de bico em
pó para absorver o óleo e a transpiração. Deixe o pó permanecer
por alguns minutos antes de retirá-lo. Enquanto isto, é importante
conservar o corpo do paciente quente, envolvendo-o com uma
toalha de banho. Se o paciente desejar tomar um banho quente ou
uma sauna, é aconselhável que não o faça imediatamente após o
término da massagem. Ele deve, primeiramente respingar água
sobre o coração, genitais e olhos. Apenas depois deste
procedimento ele deve entrar no banho ou na sauna,
gradualmente. Quando a massagem geral não parecer efetiva ou
quando o paciente desejar massagem posteriormente ao
amassamento, deixe que repouse por um momento antes que o
shiatsu para o bem-estar geral seja aplicado. Há quinze pontos
gerais de massagem que podem ser utilizados para o bem-estar
geral, de acordo com os textos médicos. Além destes, há dez
pontos shiatsu, não mencionados nos textos, mas empregados
pelas mulheres tibetanas em uma grande variedade de distúrbios.
Estes dez pontos também podem ser massageados para tonificar
os músculos, proporcionando uma melhor circulação sanguínea e
fornecendo alívio ao stress e à fadiga. Os 15 pontos para
massagem geral são: os sete pontos cardinais constituídos pelos
seis pontos das fontanelas e o ponto no topo da cabeça; os quatro
pontos das palmas das mãos e das solas dos pés; a primeira
vértebra, de acordo com a enumeração tibetana (sétima vértebra
cervical), as sexta e sétima vértebras (5ª e 6ª vértebras torácicas)
e o ponto sobre o tórax localizado entre os mamilos. Os dez pontos

41
de massagem sugeridos pelas anciãs tibetanas são aqueles dois
pontos entre o pescoço e os ombros, os dois pontos sob as axilas,
os dois pontos sobre os quadris, os pontos entre os dedos de
ambas as mãos e os pontos entre os dedos de ambos os pés.

OS 25 PONTOS SHIATSU GERAIS

Os 15 pontos shiatsu especificados nos textos:

Ponto 1 Topo da cabeça – 20 dedos da ponta do nariz


Ponto 2 Fontanela posterior – 24 dedos da ponta do nariz
Ponto 3 Fontanela anterior – 12 dedos da ponta do nariz
Pontos 4 e 5 Fontanela posterior bilateral – 3 dedos à direita e à
esquerda da linha mediana, a partir do ponto da
fontanela posterior
Pontos 6 e 7 Fontanela anterior bilateral – um tsun ou uma
polegada a partir do ponto na ponta das orelhas, em
direção à têmpora
Ponto 8 Primeira vértebra tibetana ou 7ª vértebra cervical
Ponto 9 Sexta vértebra tibetana ou a 5ª vértebra torácica
Ponto 10 7ª vértebra tibetana ou a 6ª vértebra torácica
Pontos 11 e 12 Palmas das mãos
Pontos 13 e 14 Solas dos pés
Ponto 15 Ponto sobre o esterno, entre os mamilos

Os 10 pontos shiatsu utilizados pelas tibetanas

Pontos 16 e 17 Áreas sob as axilas


Pontos 18 e 19 Pontos sobre o pescoço onde este encontra os ombros
Pontos 20 e 21 Pontos sobre os quadris
Pontos 22 e 23 Áreas entre os dedos das mãos
Pontos 24 e 25 Áreas entre os dedos dos pés

42
Os 25 pontos shiatsu gerais

43
Os 25 pontos shiatsu gerais

44
Os 25 pontos shiatsu gerais

45
MASSAGEM TERAPÊUTICA PARA PATOLOGIAS
ESPECÍFICAS

A massagem geral descrita pode preceder a aplicação de


shiatsu para doenças específicas particularmente se estas forem
resultantes de stress e tensão.

– Cefaléia tensional

Em quaisquer cefaléias sem causas específicas como gripes,


neuralgia, distúrbios fisiológicos, dor de dentes, otalgia, lesões
cranianas e hemorragias, os seguintes pontos são extremamente
eficazes.
Apesar dos textos não mencionarem que deve-se amarrar
um pano ou toalha em torno da cabeça no caso das cefaléias,
muitos tibetanos o fazem, encontrando alívio. Assim, antes de
aplicar o shiatsu, amarre uma toalha em torno de toda a cabeça
durante 20 minutos, isto ajudará a eliminar a sensação de peso na
cabeça. A toalha é removida e a loção I ou II é aplicada sobre os
sete pontos sobre o crânio e o ponto 8 adicional, ou seja a sétima
vértebra cervical. Trabalhe sobre estes pontos, ordenadamente,
começando pelo ponto 1. Este ponto é o mais terapêutico entre
todos os sete pontos sobre o crânio, pois trata-se de uma região
onde se encontram os vasos sanguíneos, linfáticos e um plexo
nervoso (as trajetórias de rLung, mKris-pa e Bad-kan encontram-se
nesta área). O ponto 2 é igualmente terapêutico, uma vez que as
três trajetórias também passam por este ponto. O ponto 3 apesar
de terapêutico é menos eficaz que os anteriores, pois está no
caminho de ossos, ligamentos e vasos linfáticos. Após aplicar a
loção, utilize o polegar ou a protuberância arredondada dos três
dedos do meio para massagear cada um, na sequência, três, sete

46
ou vinte e uma vezes. Para aumentar o efeito terapêutico, os
pontos 9, 10 e 11 (7ª cervical, 5ª e 6ª torácicas) devem ser
massageados utilizando-se a técnica do ponto triplo. Após a
realização da técnica de limpeza (não aplicável aos pontos do
crânio), a toalha pode ser enrolada novamente se necessário.

Pontos utilizados na cefaléia tensional

47
Pontos utilizados na cefaléia tensional

48
– Vertigem, zumbidos, tontura

Normalmente, estes sintomas são encontrados em


inúmeros distúrbios de rLung, como debilidade nos rins, anemia,
perda de sono, stress e tensão extremos e hiponutrição. Comece a
massagem utilizando as Loções I, II ou III sobre os pontos de 1 a 7
(os sete pontos do crânio), o ponto 8 (a 7ª vértebra cervical), 9 e 10
(5ª e 6ª vértebras torácicas), 11 e 12 (o ponto acima do esterno e o
ponto sobre o esterno e entre os mamilos). No caso dos sintomas
estarem relacionados aos problemas renais ou dos músculos
dorsais inferiores, recomenda-se a massagem sobre o ponto 13
(14ª vértebra tibetana, ou a 1ª lombar). No entanto, o ponto renal
13 é o único ponto sobre a coluna vertebral no qual a técnica do
triplo ponto está proibida, pois os rins estão localizados exatamente
onde os pontos triplos estão. O ponto 13 é extremamente efetivo
nos casos de zumbido nos ouvidos. Este fato deve-se à relação
genética existente entre este órgão sensitivo e os rins.

Pontos para vertigem, zumbido e tonturas

49
Pontos para vertigem, zumbido e tonturas

50
– Histeria

A histeria é um sintoma psicológico que envolve, de acordo


com os textos médicos tibetanos, certas funções do sistema
nervoso (a trajetória do Srog-’dzin rLung2) e que pode ser
eliminado com a correção do fluxo de energia ou rLung no sistema
nervoso.
A massagem e o moxabustão são tratamentos externos
extremamente eficazes na histeria. Estão indicados os pontos 1 e 2
(fontanelas posteriores), 3, 4 e 5 (7ª cervical, 5ª e 6ª torácicas), 6 e
7 (acima do esterno e entre os mamilos). O uso da técnica dos
pontos triplos pode ser muito benéfica, e o ponto 8 ( todas ou uma
das seis primeiras vértebras cervicais). Quaisquer das 3 primeiras
loções podem ser empregadas nestes pontos. Em certos casos,
quando os pontos das vértebras são benéficos, a técnica do ponto
triplo pode ser utilizada.

Pontos utilizados nos casos de histeria

2
N. do T.: Literalmente, ”Energia da Sustentação da Vida”.

51
Pontos utilizados nos casos de histeria

52
– Insônia

À parte certas patologias de natureza orgânica e infecciosa,


a causa mais comum de insônia é o stress. A ansiedade e a tensão
nervosa com frequência dificultam que o indivíduo consiga algumas
poucas horas de sono, importantes para o organismo. Certas
posturas ao dormir, que podem causar rigidez e dor, a hipertensão
arterial e alguns distúrbios abdominais são outros fatores comuns
causadores de insônia.
Em todos os casos, a massagem pode trazer grande
benefício, e é bastante indicada antes de deitar-se. Assim, relaxe
fazendo respirações profundas durante alguns minutos. Certifique-
se que o quarto esteja aquecido e com pouca iluminação. Para a
insônia em geral, causada por ansiedade e tensão, aplique
manteiga de she-yak ou a manteiga comum, particularmente sobre
a cabeça e as extremidades. Se o tempo permitir, e se for
conveniente, aplique a manteiga sobre os 25 pontos de massagem
mencionados anteriormente. Trabalhe particularmente sobre os
pontos 1 a 7 (pontos sobre o crânio) e os pontos 8 e 9 (7ª cervical e
6ª torácica). Nas insônias causadas por febre ou qualquer patologia
inflamatória ou infecciosa, a Loção VI é a mais indicada. Quando
esta ou a manteiga de she-yak não forem disponíveis utilize a
Loção I.

– Taquicardia

Inúmeros fatores dietéticos e comportamentais podem


causar palpitações ou taquicardia, normalmente sem quaisquer
consequências sérias. Períodos prolongados de irritação, raiva ou
insegurança e stress também causam palpitações e tais crises de
repetição, particularmente durante a noite, podem gerar insônia. A
taquicardia pode ocorrer também como sintoma de patologias
como anemia e hipertensão. Em tais casos, massageie os pontos 1

53
(7ª vértebra cervical), pontos 2 e 3 (5ª e 6ª torácicas) e os pontos 4
e 5 (acima do esterno e entre os mamilos).

Pontos utilizados na insônia

54
Pontos utilizados na taquicardia

55
– Cansaço visual

Com a constante exposição dos olhos à luz forte, às telas, à


poeira e ao turbilhão de veículos em movimento, tornam-se
comuns o cansaço e a dor nos olhos. O excesso de trabalho e de
leitura atenciosa também levam ao problema. Alguns poucos
minutos de massagem com a Loção IV pode trazer grande alívio.
O paciente deve deitar-se de costas com os olhos fechados.
Comece trabalhando sobre os pontos 1 e 2 (fontanela posterior
bilateral), pontos 3 e 4 (globos oculares), pontos 5 e 6 (acima da
fronte, a um tsun de distância a partir do meio de cada
sobrancelha3), pontos 7 e 8 (sobre o pescoço, entre a porção
interna da clavícula e a 7ª vértebra cervical 4) e os pontos 9 e 10
(sobre os calcanhares5).

3
Um tsun é a medida de um dedo do paciente e consiste da
distância entre a ponta do dedo até a articulação da segunda
falange.
4
O ponto é localizado medindo-se primeiramente a distância
de um dedo indicador a partir da 7ª vértebra cervical em
direção à clavícula e depois medindo-se um dedo indicador da
extremidade interna da clavícula em direção à 7ª vértebra
cervical.
5
Localizados medindo-se meio-tsun ou meia polegada da
extremidade do calcanhar para cima.

56
Pontos utilizados nas queixas de cansaço visual

57
– Dislalias funcionais

A maioria dos casos não-congênitos de defeitos da fala são


resultantes de distúrbios funcionais – fatores psicológicos e
psicossomáticos. A massagem nos seguintes pontos pode ser
benéfica, particularmente para gagueira. Aplique a Loção II sobre o
ponto 1 (as primeiras seis vértebras cervicais) e sobre o ponto 2
(na depressão sob o lábio inferior).

Ponto utilizado nas dislalias funcionais

58
Ponto utilizado nas dislalias funcionais

59
– Hemorragia nasal

As hemorragias podem ser causadas pelo rompimento de


uma artéria ou veia na mucosa do nariz. Com frequência, o
sangramento pode ter causa desconhecida, podendo ser
abundante. A massagem nos pontos mostrados pode ser benéfico
para reduzir a ocorrência. Utilize a Loção IV para massagear os
pontos 1 e 2 (localizado na extremidade dos ombros 6) e os pontos
3 e 4 (localizados atrás das orelhas7).

Ponto utilizado nas hemorragias nasais

6
O paciente movimenta a cabeça em direção às omoplatas
direita e depois esquerda e então, localiza-se o ponto
medindo-se o ponto exato onde a linha que vem da ponta do
nariz encontra os ombros, estando o paciente com a cabeça
virada.
7
Pede-se ao paciente que abra a boca e palpa-se a depressão
que surge atrás dos lóbulos das orelhas.

60
– Dor e entorpecimento no pescoço, ombros e braços

O peso da cabeça exerce pressão sobre a vértebra cervical


e os discos intervertebrais. Esta pode causar bloqueio aos vasos
sanguíneos e nervos resultando em dor e torpor no pescoço,
ombros e braços. Eventualmente, mesmo uma leve pressão dos
dedos na área cervical resulta em dor intensa.
A massagem sobre os pontos 1 a 7 (as sete vértebras
cervicais) e depois sobre os pontos 8 e 9 (sobre a área entre a
unha e a primeira articulação falangeana dos dedos dos pés).
Aplique a Loção IV ou a loção para doenças nervosas em toda a
área afetada do pescoço, ombros e braços e massageie
friccionando e amassando. Após o término, aplique a técnica de
limpeza para obter o efeito benéfico máximo.

Pontos utilizados para aliviar dores e


parestesias em pescoço, ombros e braços

61
Pontos utilizados para aliviar dores e
parestesias em pescoço, ombros e braços

62
– Dor lombar e nas pernas

A dor lombar e a dor nas pernas podem ser causadas por


distúrbios orgânicos como patologias da coluna vertebral, diabetes
e câncer. No entanto, mais da metade dos casos são geralmente
causados pela exposição ao frio, idade, má postura ao dormir ou
sentar-se e à sobrecarga dos músculos. É extremamente eficaz
envolver a região afetada com emplastros medicinais aquecidos ou
com gordura animal, associados à aplicação de massagem.
Empregue a Loção III ou IV sobre toda a área afetada e
então friccione e amasse. Trabalhe particularmente sobre os
pontos 1 e 2 (localizados onde a ponta dos dedos médios de
ambas as mãos estendidas tocam a lateral das coxas) e depois o
ponto 3, definido como a 19ª vértebra no sistema tibetano (ou a 1ª
vértebra sacral).

Pontos utilizados para alívio das dores nas


costas e pernas

63
– Dorsalgias

As dores nas costas são tão comuns que muitas pessoas


tendem a não considerá-las seriamente chegando a negligenciar o
problema. Muitas causas físicas como lesões no dorso, processos
inflamatórios das articulações e ossos e doenças das mulheres são
responsáveis pelas dorsalgias, mas 65% delas são causadas por
rigidez muscular resultante de stress, má postura e excesso de
peso. São caracterizadas por dores pela manhã que melhoram
durante o dia com a movimentação. As compressas quentes, os
banhos de ervas e envolver a área com gordura animal são
extremamente benéficos. Massagear com a Loção III ou
simplesmente com óleo de gergelim aquecido ou mesmo manteiga
derretida pode ser igualmente benéfico. Primeiramente esfregue e
amasse a área afetada com a loção acima ou o óleo. Depois
massageie o ponto 1 (a 14ª vértebra tibetana, ou a 1ª vértebra
sacral) e o ponto 2 (19ª vértebra tibetana).

Pontos utilizados nas dorsalgias

64
– Irregularidades menstruais

As irregularidades do ciclo menstrual são queixa comum e


frequentemente não são acompanhadas de distúrbio fisiológico. A
nutrição e o comportamento inadequados, stress e ansiedade são
responsáveis pelas queixas. O relaxamento, a dieta nutritiva,
exercícios e a massagem auxiliam na produção dos hormônios que
regulam a ovulação. Comece massageando o ponto 1 (1ª vértebra
sacral), ponto 2 (5ª vértebra lombar), o ponto 3 (2ª vértebra sacral,
assim como a 3ª, 4ª e 5ª) e o ponto 4 (três tsun ou polegadas
abaixo do umbigo). Empregue a Loção II ou IV sobre estes pontos
e em toda a região lombar e ventre. Friccione e amasse antes de
aplicar a técnica de limpeza.

Pontos utilizados nas irregularidades menstruais

65
– Distúrbios urinários

As micções frequentes são resultado de inúmeras


patologias como diabetes e doenças renais. Entretanto, pode
também ser resultante de stress e ansiedade. Em tais casos, além
de massagear, é benéfico conservar a área aquecida envolvendo a
região lombar com gordura animal e aplicando um emplastro
medicinal aquecido. Massageie toda a região lombar com manteiga
aquecida e depois trabalhe o ponto 1 (5ª vértebra lombar) e o ponto
2 (três tsun ou polegadas abaixo do umbigo).

Pontos utilizados para distúrbios miccionais

66
– Anorexia

A falta de apetite é resultado de um malfuncionamento no


metabolismo causado por fatores orgânicos assim como por stress.
Gastrite, úlcera, infecção intestinal, câncer, ansiedade, hiponutrição
e fadiga são todos eles responsáveis pela inapetência. Quando as
causas são funcionais, a massagem sobre certos pontos é
terapeuticamente benéfica. Aplique a Loção III sobre a área
abdominal e depois trabalhe sobre o ponto 1 (dois tsun ou
polegadas abaixo da extremidade inferior do esterno), o ponto 2
(um tsun ou polegada abaixo do ponto 1) e sobre o ponto 3 (um
tsun ou polegada abaixo do ponto 2).

Pontos utilizados na anorexia

67
– Constipação

De acordo com a teoria médica tibetana, a constipação é


causada pelo refluxo da energia ou de rLung que flui através dos
nervos na região ano-retal 8. Inúmeras alterações físicas – como
gastrite, doenças intestinais, câncer – e fatores funcionais – como
stress, ansiedade e hiponutrição – são responsáveis pelo refluxo
da energia que causa a constipação. Comece massageando o
ponto 1 (três tsun ou polegadas abaixo da extremidade inferior do
esterno), os pontos 2 e 3 (um tsun ou polegada à direita e à
esquerda do umbigo), pontos 4 e 5 (um tsun ou polegada à direita e
à esquerda dos pontos 2 e 3 respectivamente), ponto 6 (um tsun ou
polegada abaixo do umbigo), ponto 7 (11ª vértebra tibetana ou a
10ª vértebra torácica) e o ponto 8 (12ª vértebra tibetana ou a 11ª
vértebra torácica). Recomenda-se manteiga ou óleo de gergelim
aquecidos na aplicação sobre estes pontos.

8
Denominado Thur-sel rLung, literalmente, “energia
descendente”.

68
Pontos utilizados na constipação

69
– Soluços

São frequentemente agravados pelo stress, o que pode


gerar com frequência crises prolongadas e intenso desconforto ao
paciente. Aplique as Loções I e II sobre o ponto 1 (sobre o pescoço
acima do esterno) e trabalhe sobre o mesmo durante algum tempo.
Se o paciente não responder, trabalhe sobre o ponto 2 (sobre o
esterno, entre os mamilos).

Pontos utilizados na eliminação de soluços

70
– Melhora das forças sexuais

Problemas sexuais como ejaculação precoce, ereção e


frigidez estão geralmente relacionados com distúrbios básicos
como ansiedade, debilidade constitucional, medos, falta de
informação sobre o ato sexual e a sexualidade, hábitos dietéticos
deficientes e falta de exercícios.
Aplique a gordura de lontra sobre o dorso, friccione, amasse
e massageie. Utilize então o polegar ou os dedos sobre o ponto 1
(1ª vértebra lombar), ponto 2 (1ª vértebra sacral), ponto 3 (2ª e 5ª
vértebras sacrais) e ponto 4 (três tsun ou polegadas abaixo do
umbigo).

Pontos utilizados para melhorar a função sexual

71
Hor Moxabustão

Hor moxabustão consiste de uma técnica de fomentação


quente que deve ser utilizada quando a massagem não obtém
resultados. O tratamento envolve a aplicação de uma compressa
quente sobre certos pontos do corpo. O emplastro medicinal é
preparado com uma colher de chá de semente de anis em pó,
isoladamente ou combinada, preferivelmente, com igual quantidade
de noz moscada em pó. A mistura é embrulhada em um pano fino
(um tecido que impeça a saída do pó) o qual é cuidadosamente
aquecido em um recipiente contendo manteiga derretida.
Certifique-se de que a pele não seja queimada com a aplicação do
emplastro sobre os pontos, esfriando-o por um instante antes do
uso. Aplique-o sobre os 15 pontos de massagem geral na ordem
mencionada para tratamento geral. O Hor moxabustão é indicado
para distúrbios primários de rLung.
A história do Hor moxabustão revela seu grande valor
terapêutico como auto-medicação e é altamente recomendado para
todos os distúrbios relacionados ao stress, ansiedade, tensão,
histeria, delírio, nervosismo, insônia e depressão.

72
Conclusão

Os médicos tibetanos estão conscientes dos benefícios


terapêuticos da massagem e tentaram explorá-la em todo seu
potencial. No entanto, foi necessário lidar com fatores como as
inibições sociais, o clima e a disponibilidade de numerosas
variedades de tratamento no sistema, muitos dos quais impediram
a promoção a massagem. Todavia, a massagem é considerada o
mais eficaz tratamento externo para inúmeras doenças e é
altamente recomendado.
A massagem tibetana é única em mais de um aspecto. A
ênfase não é dada à técnica de massagear, mas a maior
preocupação é com a loção ou óleo a ser utilizado adequadamente.
Por este motivo, nenhuma das técnicas como fricção,
amassamento e shiatsu foram explicadas em detalhes como em
outros sistemas de massagem. Com isso o massagista é livre para
trabalhar em seu ritmo próprio e aplicar a técnica que ele
considerar mais benéfica ao seu paciente.
Atualmente, mais de 60% dos pacientes procuram as
clínicas gerais por causa de problemas humanos causados pelo
excesso de trabalho, hábitos alimentares insalubres, padrões
comportamentais deficientes, incapacidade de enfrentar as
relações interpessoais, de lidar com a auto-estima e com sua
identidade. Os médicos podem auxiliar, mas não podem fazer o
que o paciente precisa fazer por si mesmo. O paciente pode
participar de seu próprio processo de cura, aprendendo a
reconhecer tais sintomas pelo que realmente são e tomar atitudes
e assumir posturas que ativarão os processos de compreensão e
descoberta. A massagem é uma técnica efetiva, simples e fácil de
aplicar, e quando utilizada juntamente com o tratamento
recomendado pelo médico pode, realmente, fazer maravilhas ao
paciente.

73
Comparação das Vértebras Segundo os Sistemas
Médicos Tibetano e Ocidental
Podem ser utilizadas aplicações de agulha quente ou fria,
moxabustão e massagem com óleo ou loção.

74
Enumeração das vértebras segundo o sistema médico
tibetano

75