Você está na página 1de 20

Exercícios – Mecânica dos Fluidos

SUMÁRIO
1 PROPRIEDADE DOS FLUIDOS................................................................................4
1.1 Unidades básicas e dimensões.....................................................................................4
1.2 Viscosidade................................................................................................................... 5
1.3 Tensão Superficial.........................................................................................................9
2 ESTÁTICA DOS FLUIDOS.......................................................................................14
2.1 Variação da pressão para um fluido de densidade uniforme.......................................14
2.2 Medida de pressão......................................................................................................15
2.3 Força hidrostática em superfícies submersas..............................................................18
3 FLUIDO EM MOVIMENTO.......................................................................................42
3.1 Cinemática dos fluidos................................................................................................42
3.2 Velocidade e visualização de escoamento..................................................................45
3.3 Taxa de escoamento...................................................................................................48
3.4 Volume de controle......................................................................................................53
3.5 Equação da continuidade............................................................................................53
3.6 Princípio da quantidade de movimento........................................................................56
3.7 Princípio de energia.....................................................................................................63
4 ANÁLISE DIMENSIONAL........................................................................................73
5 SEMELHANÇA DINÂMICA......................................................................................78
6 CONHECIMENTOS GERAIS...................................................................................81
7 Referências..............................................................................................................84
3

1 PROPRIEDADE DOS FLUIDOS


1.1 UNIDADES BÁSICAS E DIMENSÕES
1.1.1 Questões resolvidas
1.1.1.1 Um parâmetro físico PF é dado pela expressão PF = (Sig x Tal)/ Rou, na qual Sig é a
tensão superficial do fluido, Tal á a tensão de cisalhamento e Rou é a massa específica do
fluido. Pede-se determinar a dimensão de PF, função da dimensão Massa -"M" ( e não da
dimensão força -"F").
Solução
Dimensões das variáveis:

[ ] ML
T2
[ Sig ] =
[L][ ]
M
= 2
T

[ ]
ML
T2
[ Tal ] = 2 =
[L ]
M
LT2 [ ]
[M]
[ Rou ] =
[L3 ]
Portanto,

[ ][ ]
M
T2
M
LT 2
[ PF ] =
[ Sig ][ Tal ]
[ Rou ]
=
[M] [ ]
=
M L2
T4
[L3 ]

1.1.2 Questões propostas


1.1.2.1 Determine as dimensões (usando o parâmetro força F e não massa M) de:
a) Tensão de Cisalhamento
b) Massa Específica
c) Viscosidade Absoluta
d) Viscosidade Cinemática
e) Peso específico
f) Tensão superficial
4

1.2 VISCOSIDADE
1.2.1 Questões resolvidas
1.2.1.1 Uma placa circular de raio R é arrastada com velocidade constante, V, sobre a
superfície de um líquido de profundidade H e viscosidade absoluta Mi, como indicado na figura
abaixo. O perfil resultante do deslocamento das partículas do líquido entre a superfície sólida
z 2
estática (fundo) e a placa é do tipo parabólico: U(z) = V. ( ) , sendo z a distância medida
H
na vertical, a partir da superfície sólida – fundo (aqui, z=0). Pede-se determinar expressão para
o cálculo do valor da força Fd de arrasto da placa.

Solução
A tensão de cisalhamento é dada por:

dU
τ ( z )=Mi
dz
Logo
2
τ ( z )=Mi
d
( ( ))
dz
V
z
H

Sendo V e H constantes, resolve-se a derivada, obtendo-se:


2 Mi V z
τ ( z )= 2
H
Sabendo que Fd é aplicada no ponto z=H e que τ ( z )=F / A :
Fd
τ ( z )=
A
5

2 MiV H
Fd=τ ( z ) . A= 2
π R2
H
2 MiV π R2
Fd=
H
1.2.1.2 O perfil de velocidade em um trecho de canal de drenagem é dado na figura abaixo,
onde “Z” é a direção vertical e u (z) é a variação da velocidade na direção longitudinal do canal
em função de posição vertical, medida do fundo do canal (z = 0). De z=0 até z=H1, u(z) =
(z/H1)b. u(H1) [b = constante positiva e maior que 1]. De z=H1 até z=H2 a velocidade u(z)
varia linearmente, de u(H1) até u(H2). Conhecendo-se a viscosidade absoluta do fluido (µ),
determinar a tensão de cisalhamento em z = H1/3 e em z= (H1+H2)/2.

Solução
Para z entre 0 e H1:
z b
( )
u ( z )=
H1
u ( H 1 ) (eq 1)

e em z= H 1 :

H1 b
u ( H 1 )= ( )
H1
k

u ( H 1 )=k
Para z entre H1 e H 2 , u ( z ) é dado pela equação da reta

u ( z )=( z−H 1 )
[ H 2−H 1 ]
u ( H 2 )−u ( H 1 )
+u ( H 1 ) (eq 2)

Tensão de cisalhamento:
du
τ =µ
dz

Sabendo que:
µ γ
ν = ; ρ=
ρ g
6

µ pode ser reescrito como:


γ
µ=ν
g
Portanto,
γ du
τ =ν
g dz

H1
Em z= (dado pela eq 1):
3
b
τ =ν
γ du
g dz

γ d
g dz (( )
z
H1
u ( H1)
)
z
¿
¿
γ u ( H1)
b
τ =ν ¿
g H 1b
b−1
H1 γ b u ( H 1) H1
(
τ z=
3
=ν )
g H 1b 3 ( )
H 1+ H 2
Em z= (dado pela eq 2):
3

τ =ν
γ du
g dz

γ d
g dz (
( z−H 1) [
u ( H 2 )−u ( H 1 )
H 2−H 1 ]
+u ( H 1 )
)
τ =ν
g [
γ u ( H 2) −u ( H 1 )
H 2−H 1 ]
1.2.2 Questão proposta
7

1.2.2.1 O perfil de velocidade para o escoamento laminar desenvolvido entre placas paralelas é
2
u 2y
dado por
u max
=1− ( )
h
onde h é a distância entre as placas; a origem é colocada na linha

mediana ente as placas e y é a distância perpendicular ao plano da placa medida a partir da

origem. Considerando-se conhecidos o valor de


umax , o peso específico ( γ ) e a
viscosidade cinemática do fluido ( ν ), esboçar o perfil de velocidade, u=u ( y ) , e a
distribuição de tensão de cisalhamento entre as placas, τ =τ ( y ) .
8

1.3 TENSÃO SUPERFICIAL


1.3.1 Questões resolvidas
1.3.1.1 Em um experimento, dois tubos capilares de vidro, de seções transversais vasadas e
distintas, são parcialmente imersos em fluidos também distintos, como ilustrado na figura
abaixo. O primeiro tubo, de seção transversal retangular, de lado R, é imerso em mercúrio,
resultando num rebaixamento, de dimensão hHg, da superfície do fluido no interior do tubo, em
relação à superfície do fluido em sua parte externa. O segundo tubo, de seção transversal
circular, de raio R, é imerso em água, resultando na ascensão, de dimensão h H2O, da superfície
do fluido no interior do tubo, em relação à superfície do fluido em sua parte externa.
Considerando serem conhecidos os valores dos ângulos de contato entre o mercúrio e o ar
(Hg) e entre a água e o ar (H2O), bem como os pesos específicos do mercúrio e da água, pede-
se obter expressão para o cálculo da razão entre as tensões superficiais nas interfaces
mercúrio-ar (σHg) e água-ar (σH2O). Ou seja: σHg / (σH2O).

Solução
 Para o mercúrio

Pela figura acima, no equilíbrio:


E=F y (Hg) (3.1)
onde
E: empuxo, dado por: E=Volume deslocado . γ Hg=V deslocado . γ Hg
9

F y(Hg) =F Hg cos❑Hg
Sabendo que:
F Hg
σ Hg=
L
Onde L é o comprimento de contato
Substituindo os termos em (3.1):
V deslocado . γ Hg=L σ Hg cos❑Hg
2
R hHg γ Hg =4 R σ Hg cos❑ Hg
R hHg γ Hg
σ Hg=
4 cos❑Hg

 Para a água

De maneira semelhante ao mercúrio, no equilíbrio na direção y das forças:

E=F y (H 2 O) (3.2)
Sabendo que:
FH O
σ H O= 2

2
L
Substituindo E e FH 2 O em 3.2:
π R2 h H O γ H O=σ H O Lcos ❑H
2 2 2 2
O

R hH O γ H O
σ H O= 2 2

2
2 cos❑H 2 O
10

2 ESTÁTICA DOS FLUIDOS


2.1 VARIAÇÃO DA PRESSÃO PARA UM FLUIDO DE DENSIDADE UNIFORME

2.1.1 Questões resolvidas


2.1.1.1 Óleo com gravidade específica (γ óleo /γ água ) de 0,80 forma uma camada superior de
0,90m de profundidade em um tanque aberto, no qual o líquido na camada inferior é água a
temperatura de 10°C. A profundidade total do líquido no tanque é de 3m. Qual a pressão efetiva
(p) no fundo do tanque? (veja esquema abaixo)

A) superfície do óleo
B) interface óleo/água
C) fundo do tanque

Solução
Sistema de equações:
pA p
1) + Z A= B + Z B ⇒ pB =( Z A −Z B ) . γ 0 ; p A =p atm =0
γ0 γ0

pB pC pB
2)
γ água
+ ZB=
γ água
+ ZC ⇒ pC = ( γ água )
+ Z B . γ água ; Z C =0

Obs: γ á gua =9810 N /m³


Então:
11

pC = ( ( Z A −Z B ) . γ 0
γ água )
+Z B . γ água= ( ( 3−2,1 ) .0,8+2,1 ) .9810

pC =27664 N /m²

2.2 MEDIDA DE PRESSÃO


Considerando as informações apresentadas na figura 1 (pesos específicos γ1, γ2 e γ3;
dimensões lineares verticais H1, H2, H3, H4, H5 e H6), obter expressão para a determinação
da pressão efetiva no ponto B.

Solução
Assumindo como eixo de referência o indicado na figura, e considerando que no ponto A
coincide com a pressão atmosférica (PA = 0), tem-se:
Entre os pontos A e 1:
H
H
(¿ ¿ 4−H 3)
P1
(¿ ¿ 1−H 2 −H 3+ H 4 )= +¿
γ1
PA
+¿
γ1
H
(¿ ¿ 1−H 2 ) (1.1)
P1=γ 1 ¿
Entre os pontos 1 e 2:
12

H
P2
(¿ ¿ 4−H 3 )= +H5
γ2
P1
+¿
γ2
H
(¿ ¿ 4−H 3 −H 5) (1.2)
P2 =P1+ γ 2 ¿
Entre os pontos 2 e B:
H
(¿ ¿ 6+ H5)
P2 PB
+ H 5= +¿
γ3 γ3
PB =P2−γ 3 H 6 (1.3)
Substiuindo (1.1) em (1.2):
H H
P2 = (¿ ¿ 1−H 2 ) + (¿ ¿ 4−H 3 −H 5) (1.4)
γ 1¿ γ2 ¿
Substiuindo (1.4) em (1.3):
H
H
(¿ ¿ 4−H 3 −H 5)−γ 3 H 6
(¿ ¿ 1−H 2 )+ γ 2 ¿
P B=γ 1 ¿

2.2.1 Questão proposta


13

A Figura apresenta uma tubulação escoando água (peso específico γ) e acoplada a ela um
manômetro diferencial, cujo fluido manométrico é um óleo (peso específico γm). São
conhecidos os valores dos seguintes parâmetros: γ, γm e as dimensões lineares H1, H2 e H3,
medidas na vertical (ver figura). Pede-se obter expressão para a diferença de pressão estática
entre os pontos A e B (pA-pB), também representados na figura.
14

2.3 FORÇA HIDROSTÁTICA EM SUPERFÍCIES SUBMERSAS


2.3.1 Questões resolvidas

2.3.1.1 Utilizar o “método da integração” para obter a coordenada “Ycp” do centro das pressões
(“CP”) devido ação das pressões hidrostática do fluido de peso específico  sobre a superfície
“ABC”, indicada na Figura 1. A forma da superfície é triangular, como dado na figura. Além de ,
são ainda conhecidos: L1, L2, H1 e θ.

Solução

F R=∫ df =∫ p dA
Pela figura acima:
p=γ ( H 1 + H 2 )=γ ( H 1 + y sen )
15

Pela figura acima, por semelhança de triângulos:


L1 L2
=
y w
L2
w= y
L1
Portanto,
L2
dA=w dy= y dy
L1
Logo,
L1
L2
F R=∫ p dA=∫ γ ( H 1 + y sen ) y dy
0 L1
Resolvendo a integral, obtém-se:

F R=γ L2 [ L1 H 1 L12 sen


2
+
3 ]
Coordenada Ycp:
y cp F R=∫ y dF=∫ y p dA
L1 L1
L L
y cp F R=∫ y γ ( H 1+ y sen ) y 2 dy =γ 2 ∫ ( y 2 H 1+ y3 sen ) dy
0 L1 L1 0
Substituindo Fr e rearranjando a equação, com a subsequente resolução da integral acima,
obtém-se:

y cp =
γ L2 [ L12 H 1 L13 sen
3
+
4 ]
γ L2 [ L1 H 1 L12 sen
2
+
3 ]
16

y cp =
[ L12 H 1 L13 sen
3
+
4 ]
[ L1 H 1 L12 sen
2
+
3 ]
2.3.1.2 A parede do reservatório mostrado na figura abaixo pode ser representada por Z= Zo
(x/xo)2. Sabendo-se que a largura do reservatório (normal ao plano do papel) é L, determine a
componente na direção “X” da coordenada do centro das pressões (Xcp), exercida pelo fluido
de viscosidade absoluta (µ) e viscosidade cinemática (ν). Utilizar, APENAS, o método da
integração para solucionar o problema.

Solução

Calculo da força vertical Fv



FV =∫ dF=∫ p dA
A

Onde
p=h γ
Sabendo que
17

2
x
h=z o−z o ( )
xo
e
dA=L dx

Tem-se:
xo

[ ( )]
2
x
FV =∫ γ z o−z o L dx
0
xo

xo

[ z x3
FV =γ L z o x− o2
xo 3 ❑ ] 0

2
FV = γ L z o x o
3

Calculo do Xcp:
xo

[ ( )]
2
x
x cp F V =∫ x dF=γ L∫ x z o−z o dx
0
xo

Resolvendo a integral, obtém-se:


3
x cp= x o
8
18

2.3.1.3 Na Figura apresenta-se uma representação de um reservatório com um fluido de peso


específico (γ). A superfície curva ABC forma o fundo do reservatório. A coluna de fluido acima
dos pontos A e C é igual a H. Pede-se determinar, pelo método da integração: a) a força
resultante da ação do fluido sobre o fundo curvo (AB), por unidade de comprimento de
superfície (direção perpendicular ao plano do papel); e b) ponto de atuação desta força
resultante (atuando sobre a parte curva AB).

Solução
19

Considere o reservatório dividido ao meio, para simplificação dos cálculos. Portanto, tem-se
uma resultante em cada metade, iguais em valor e com sentidos opostos.
Pela figura, no equilíbrio de forças em x:
F x =F x
1 2

Ea Fx que é a resultante total em x é nula. A resultante total em y é F y =F y + F y , onde


1 2

F y =F y =F V
1 2

A força que a superfície faz no fluido será:



FV =∫ dF=∫ p dA
A

Na seção retangular:
dA=L dx
Onde L é a profundidade (1 m), para encontrar a força por unidade de comprimento
Na seção circular:
x 2+ y 2 =R 2
20

y=√ R2−x 2
A pressão pode ser calculada por:

p=γ ( H + y )=γ ( H + √ R −x )
2 2

Portanto,
R
H dx+ ¿ γ ∫ √ R2−x 2 dx
0
❑ R
F V =∫ p dA=γ ∫ ¿
A 0

[ ]
R
FV =γ HR+∫ √ R 2−x2 dx
0

Essa é a força que a superfície faz no fluido. A força que o fluido faz na superfície será igual
com sentido oposto. Portanto
F FS=−2 F V

[ ]
R
F FS=−2 γ HR +∫ √ R2−x 2 dx
0