Você está na página 1de 12

XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO

Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

ANÁLISE DE RUÍDO UTILIZANDO DOSÍMETRO


DOS 500 EM UM AMBIENTE DE ESCRITÓRIO

CARLA BEATRIZ DA LUZ PERALTA (UNIPAMPA)


carlablp@gmail.com
Fabio Rui (UNIPAMPA)
fabiorui85@yahoo.com.br
Marilia Gasparetti (UNIPAMPA)
ma_gasparettti08@hotmail.com
Mardonio dos Santos Martins (UNIPAMPA)
mardonio.msm@hotmail.com

O objetivo dessa pesquisa foi verificar os níveis de ruído e as consequências


para os trabalhadores de uma empresa de transporte coletivo. Nessa
pesquisa, foi avaliado com o equipamento apenas uma operadora em seu
devido posto de trabalho. Para a devida avaliação utilizou-se um dosímetro
calibrado e certificado.

Palavras-chave: Ruído, dosímetro, escritório


XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

1. Introdução

A exposição ao ruído pode ser prejudicial à saúde dos trabalhadores e pode igualmente
agravar o estresse e aumentar os riscos de acidentes. O ruído, na maioria dos países, é o
agente insalubre mais predominante num ambiente de trabalho. Wada (1990) define o
ambiente de trabalho como um conjunto de fatores interdependentes, que atua direta ou
indiretamente na qualidade de vida das pessoas e nos resultados de seus trabalhos. Moraes e
Regazzi (2002) relatam que nenhum dos riscos existentes no ambiente de trabalho se faz tão
presente como o ruído.

De acordo com a Agência Europeia para a Segurança e a Saúde no Trabalho, a perda de


audição induzida pelo ruído é causada, normalmente, pela exposição prolongada a níveis de
ruído elevados e seu primeiro sintoma costuma ser a incapacidade de ouvir sons agudos; a
Agência diz ainda que a audição induzida pelo ruído é a doença profissional mais comum na
Europa, representando cerca de um terço da totalidade das doenças relacionadas com o
trabalho.

O cuidado com as condições do ambiente de trabalho é normalizado e fiscalizado pelo


Ministério do Trabalho que publica as Normas Regulamentadoras (NRs). Tais normas
decretam as condições mínimas de higiene e segurança que devem ser atendidas no local de
trabalho. Aplica-se nesse caso a NR-15 que descreve as atividades e operações insalubres e
seus limites de tolerância, define as situações que demonstram insalubridade vivenciadas em
um ambiente de trabalho e também define meios para proteger os trabalhadores dessas
exposições. São consideradas atividades ou operações insalubres aquelas que (por natureza,
condições ou métodos de trabalho) exponham os trabalhadores a agentes prejudiciais à saúde,
acima do limite de tolerância, de acordo com o artigo 189 da CLT (consolidação das leis do
trabalho).

O objetivo deste trabalho é medir por meio do DOSÍMETRO DOS- 500 os ruídos em um
escritório de uma empresa de ônibus, verificar se o níveis de ruídos estão de acordo com o
permitido pela NR e, caso não estejam, sugerir medidas corretivas.

2
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

2. Revisão bibliográfica

2.1 Ruído

A vibração que um corpo produz, causa deslocamentos oscilatórios das partículas de um


meio. Quando essas oscilações chegam até os ouvidos, provocam oscilações nos tímpanos que
estimulam os nervos auditivos e esses transmitem ao cérebro uma sensação conhecida como
som. Com isso, caracterizamos o som como flutuações de pressão que se propagam em uma
faixa de frequência, capaz de sensibilizar o aparelho auditivo. Muitas fontes sonoras podem
emitir ao mesmo tempo muitas vibrações de diferentes frequências e amplitudes, quando essas
diversas vibrações se combinam e produzem um movimento consecutivo, cujas oscilações
não se dão de forma harmônica, tem-se o que é chamado de ruído.

O ruído varia na sua composição naquilo que se refere à frequência, intensidade e duração.
Como definição temos que ruído é o som ou a mistura de sons não harmônicas que são
capazes de prejudicar a saúde de quem o percebe. Ou seja, ruído é um som indesejável e
desagradável, perturbante tanto na forma física como na psicológica para todo aquele que o
ouve.

A medição da intensidade do ruído é feita em decibéis (dB), sendo esta escala logarítmica, ou
seja, um aumento do nível de som em três decibéis equivale a um aumento para o dobro de
ruído. A intensidade do ruído não é a única coisa que determina sua insalubridade, a duração
da exposição também é prejudicial.

De acordo com a NR-15 (anexos I e II), os ruídos podem ser classificados conforme a
variação de nível de intensidade e a duração de exposição em:

 Contínuo: São aqueles ruídos que não cessam, isto é, aqueles cujo nível de pressão
sonora (NPS) variam em até 3 dB durante períodos maiores que 15 minutos;

 Intermitente: É aquele que sofre algumas interrupções, ou seja, é aquele cujo NPS tem
variação de até 3 dB em períodos de 0,2 segundos e 15 minutos;

 De impacto: São aqueles que apresentam picos de energia acústica de duração inferior
a um segundo e intervalos superiores a um segundo. Geralmente, esse é associado a
explosões e é considerado um dos tipos de ruído mais nocivos à saúde.

3
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

Na Tabela 1, temos os níveis de ruídos e o tempo de exposição diária permitido. A tabela


acaba em 115 dB (A) pois acima disso os ruídos podem ser extremamente prejudiciais à saúde
do trabalhador. Dessa forma só é permitido trabalhar sob tais condições com equipamentos
apropriados.

Tabela 1 – Limites de Tolerância para Ruído Contínuo ou Intermitente (Anexo 1 – NR-15)


NÍVEL DE RUÍDO MÁXIMA EXPOSIÇÃO DIÁRIA
dB (A) PERMISSÍVEL
85 8 horas
86 7 horas
87 6 horas
88 5 horas
89 4 horas e 30 minutos
90 4 horas
91 3 horas e 30 minutos
92 3 horas
93 2 horas e 40 minutos
94 2 horas e 15 minutos
95 2 horas
96 1 hora e 45 minutos
98 1 hora e 15 minutos
100 1 hora
102 45 minutos
104 35 minutos
105 30 minutos
106 25 minutos
108 20 minutos
110 15 minutos
112 10 minutos
114 8 minutos
115 7 minutos
Fonte: NR-15 (MTE)

2.1.1. NR-15 - Atividades e operações insalubres

Um ambiente insalubre é todo e qualquer tipo de ambiente que possa oferecer risco à saúde do
trabalhador. Caracterizam-se por serem ambientes expostos a agentes prejudiciais, como o
ruído, calor, frio, substâncias químicas, radiações e qualquer outro agente nocivo que possa

4
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

causar dano ao trabalhador. Com o propósito de garantir a saúde do trabalhador, algumas


normas e padronizações foram criadas a fim de definir o que é uma atividade de
insalubridade.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, são consideradas atividades ou


operações insalubres aquelas que se desenvolvem acima dos limites de tolerância (A
intensidade máxima ou mínima, relacionada com a natureza e o tempo de exposição do agente
que poderá ou não causar dano à saúde do trabalhador) previsto nos anexos 1, 2, 3, 5, 11 e 12;
Atividades específicas que estão listadas nos Anexos 6, 13 e 14; Quando o laudo técnico
comprova a existência da insalubridade.

Conforme a NR-15, a execução do trabalho em condições de insalubridade proporciona ao


trabalhador a noção de adicional sobre o salário mínimo da região, equivalente a:

 40% para insalubridade de grau máximo;

 20% para insalubridade de grau médio;

 10% para insalubridade de grau mínimo.

Na ocorrência de mais de um fator de insalubridade, é considerado o grau mais elevado, para


o acréscimo salarial, sendo vedado o recebimento cumulativo. A eliminação da insalubridade
determinará o fim do pagamento adicional respectivo.

A eliminação da insalubridade deverá ocorrer:

 com a adoção de medidas de ordem geral que conservem o ambiente de trabalho


dentro dos limites de tolerância;

 com a utilização de equipamento de proteção individual.

A autoridade competente em matéria de segurança e saúde do trabalhador fica encarregada de


fixar o adicional devido aos empregados expostos à insalubridade quando há impossibilidade
de sua eliminação. A eliminação ou neutralização da insalubridade ficará caracterizada
através da avaliação pericial, que comprove a inexistência de risco à saúde do trabalhador,
conforme estabelecido na NR-15.

5
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

2.2. Dosímetro DOS-500 Instrutherm

O dosímetro pessoal de ruído serve para avaliar a condição sonora do ambiente de trabalho,
medindo a exposição do mesmo. Por meio deste, a empresa pode ter um controle sobre o
ruído e, em caso de necessidade, aplicar ações de prevenção para que os trabalhadores não
sofram lesões. O nível de critério, ou seja, o limite de tolerância estabelecido pela NR-15 é de
85dB (A). O principio da medição é o %DOSE, ou seja, um parâmetro utilizado para
mensurar a exposição ao ruído em determinado período de tempo. O valor encontrado é
chamado de critério (conforme o manual).

O equipamento possui um software que permite ao operador uma coleta de dados mais
apurada, com isso a comparação e análise dos resultados podem ser feitas por meio de
gráficos e de histogramas.

3. Procedimentos metodológicos

Para fins de medições de ruído no ambiente de escritório em uma empresa de transporte


coletivo, foi apresentada uma situação na qual o trabalhador estava exposto a níveis elevados
de ruído, podendo causar lesões no operador (a).

Figura 1: Posto de trabalho.

Fonte: Autores do artigo (2015)

Neste ambiente onde se encontra o setor de tesouraria se realizam as atividades de contagem


de dinheiro, o que inclui moedas. A tarefa tem uma carga horária de aproximadamente 8
horas, sendo realizada diariamente. A imagem a seguir mostra a operação sendo realizada.

6
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

Figura 2: Operação sendo realizada.

Fonte: Autores do artigo (2015)


O equipamento foi colocado no funcionário avaliado com o microfone posicionado próximo
ao ouvido, para aproximar os resultados obtidos da real situação a qual este é exposto. O
dosímetro de ruído foi configurado na variante %DOSE, tendo em vista que o ambiente
analisado expõe seus usuários a ruído do tipo contínuo.

Figura 3. Posicionamento do dosímetro no trabalhador

Fonte: Autores do artigo (2015)

Logo, a coleta de dados foi realizada e os mesmos foram repassados para o computador onde
se encontra o software especifico do equipamento. Esses dados são transformados em gráficos
para apresentar os resultados.

4. Resultados

7
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

Os resultados obtidos com a utilização do dosímetro constam no Anexo A. Com estes, pode-
se gerar um gráfico que aponta os momentos de maior e de menor ruído no ambiente da
tesouraria, conforme segue abaixo, na Figura 4.

Figura 4 – Gráfico de ruídos ouvidos pela funcionária da tesouraria

De acordo com o gráfico, observa-se que em poucos momentos o ruído ultrapassa a faixa dos
85 dB (A). No entanto, percebe-se que na maior parte do tempo o ruído supera a casa dos 70
dB (A). Tendo em vista que o nível de ruído de 70 dB (A) é tido como o nível inicial do
desgaste do organismo, aumentando o risco de infarto, derrame cerebral, infecções,
hipertensão arterial e ouras patologias (PORTELA, 2014), conclui-se que é necessária uma
intervenção buscando melhorias no setor da tesouraria desta empresa, visando proporcionar o
bem-estar a longo prazo dos colaboradores envolvidos nesta tarefa. Tal intervenção pode ser
feita através de recipientes de armazenamento das moedas, com proteção acústica e com a
aquisição de maquinários de contagem monetária mais silenciosos.

REFERÊNCIAS

AGÊNCIA EUROPÉIA PARA A SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Ruído no Trabalho. Disponível


em: <https://osha.europa.eu/pt/topics/noise>. Acesso em: 15 abr. 2015.

IIDA, Itiro. Ergonomia: projeto e produção. São Paulo: Editora Blutcher, 2005.

INSTRUTHERM. Manual de Instruções: Dosímetro Pessoal de Ruído com RS-232 e Datalogger Modelo DOS-
500. São Paulo: 2011.

JARDIM, Carlos. O som e a fúria: efeitos da poluição sonora não causam só a perda da audição. Disponível em:
http://revistagalileu.globo.com/blogs/segundaopiniao/. Acesso em: 30 abr. 2015.

8
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

PORTELA, BRUNO SERGIO. Vibração de corpo inteiro em motoristas de ônibus: associação com variáveis
de aptidão física e dor lombar. Curitiba, 2014. Disponível em:
http://www.escavador.com/pessoas/783994#orientado. Acesso em: 11 mai. 2015

SOUSA, Millena Nóbrega Campos de; FIORINI, Ana Cláudia; GUZMAN, Michelle Barna. Incômodo causado
pelo ruído a uma população de bombeiros: Rev. soc. bras. fonoaudiol. Vol. 14 n °4. São Paulo, 2009.

ANEXOS
ANEXO A – Níveis de ruído próximo ao ouvido da funcionária da tesouraria
Hora dBA Hora dBA Hora dBA Hora dBA
09:26 70,4 09:38 67,9 09:50 67,9 10:02 73,6
09:27 67,9 09:39 67,9 09:51 67,9 10:03 67,9
09:28 72 09:40 67,9 09:52 67,9 10:04 78,3
09:29 73,5 09:41 67,9 09:53 67,9 10:05 67,9
09:30 67,9 09:42 67,9 09:54 67,9 10:06 74,4
09:31 70,3 09:43 67,9 09:55 67,9 10:07 67,9
09:32 67,9 09:44 67,9 09:56 67,9 10:08 67,9
09:33 67,9 09:45 67,9 09:57 67,9 10:09 67,9
09:34 67,9 09:46 67,9 09:58 90 10:10 67,9
09:35 67,9 09:47 71,2 09:59 67,9 10:11 67,9
09:36 67,9 09:48 75,3 10:00 67,9 10:12 67,9
09:37 67,9 09:49 67,9 10:01 73,5 10:13 67,9
Hora dBA Hora dBA Hora dBA Hora dBA
10:14 67,9 10:59 67,9 11:44 67,9 12:29 67,9
10:15 67,9 11:00 67,9 11:45 70,8 12:30 67,9
10:16 67,9 11:01 67,9 11:46 76,5 12:31 67,9
10:17 67,9 11:02 67,9 11:47 74,3 12:32 67,9
10:18 67,9 11:03 67,9 11:48 74,8 12:33 67,9
10:19 72,9 11:04 67,9 11:49 68,8 12:34 67,9
10:20 67,9 11:05 67,9 11:50 77,2 12:35 67,9
10:21 67,9 11:06 67,9 11:51 77,3 12:36 67,9
10:22 67,9 11:07 69,6 11:52 71 12:37 67,9
10:23 67,9 11:08 74,3 11:53 75,9 12:38 67,9
10:24 69,8 11:09 67,9 11:54 70,2 12:39 67,9
10:25 67,9 11:10 67,9 11:55 67,9 12:40 67,9
10:26 67,9 11:11 67,9 11:56 70,2 12:41 67,9
10:27 69,2 11:12 67,9 11:57 71,1 12:42 67,9
10:28 70,4 11:13 67,9 11:58 67,9 12:43 67,9
10:29 67,9 11:14 67,9 11:59 67,9 12:44 67,9
10:30 67,9 11:15 67,9 12:00 67,9 12:45 67,9
10:31 67,9 11:16 67,9 12:01 67,9 12:46 67,9
10:32 67,9 11:17 70,2 12:02 67,9 12:47 67,9
10:33 67,9 11:18 67,9 12:03 67,9 12:48 67,9

9
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

10:34 68 11:19 67,9 12:04 67,9 12:49 67,9


10:35 68 11:20 67,9 12:05 67,9 12:50 67,9
10:36 67,9 11:21 73,4 12:06 67,9 12:51 67,9
10:37 67,9 11:22 67,9 12:07 67,9 12:52 67,9
10:38 68,8 11:23 68,7 12:08 67,9 12:53 67,9
10:39 67,9 11:24 67,9 12:09 67,9 12:54 67,9
10:40 67,9 11:25 67,9 12:10 67,9 12:55 67,9
10:41 67,9 11:26 67,9 12:11 67,9 12:56 67,9
10:42 72,6 11:27 67,9 12:12 67,9 12:57 67,9
10:43 67,9 11:28 76,7 12:13 67,9 12:58 67,9
10:44 69,7 11:29 68,4 12:14 67,9 12:59 67,9
10:45 67,9 11:30 67,9 12:15 67,9 13:00 67,9
10:46 67,9 11:31 67,9 12:16 67,9 13:01 67,9
10:47 67,9 11:32 67,9 12:17 67,9 13:02 67,9
10:48 67,9 11:33 67,9 12:18 67,9 13:03 67,9
10:49 67,9 11:34 67,9 12:19 67,9 13:04 67,9
10:50 70,9 11:35 67,9 12:20 67,9 13:05 67,9
10:51 68,6 11:36 67,9 12:21 67,9 13:06 67,9
10:52 67,9 11:37 67,9 12:22 67,9 13:07 67,9
10:53 67,9 11:38 67,9 12:23 67,9 13:08 67,9
10:54 67,9 11:39 67,9 12:24 67,9 13:09 67,9
10:55 67,9 11:40 67,9 12:25 67,9 13:10 67,9
10:56 67,9 11:41 67,9 12:26 67,9 13:11 67,9
10:57 67,9 11:42 67,9 12:27 67,9 13:12 67,9
10:58 67,9 11:43 67,9 12:28 67,9 13:13 67,9
Hora dBA Hora dBA Hora dBA Hora dBA
13:14 67,9 14:05 71,7 14:50 67,9 15:35 67,9
13:15 67,9 14:06 67,9 14:51 67,9 15:36 67,9
13:16 67,9 14:07 67,9 14:52 68,7 15:37 71,2
13:17 67,9 14:08 72,5 14:53 67,9 15:38 67,9
13:18 67,9 14:09 69,9 14:54 67,9 15:39 68,9
13:19 67,9 14:10 67,9 14:55 67,9 15:40 69,4
13:20 67,9 14:11 67,9 14:56 73,8 15:41 67,9
13:21 67,9 14:12 75,2 14:57 67,9 15:42 67,9
13:22 67,9 14:13 67,9 14:58 74,3 15:43 67,9
13:23 67,9 14:14 67,9 14:59 67,9 15:44 67,9
13:24 67,9 14:15 67,9 15:00 67,9 15:45 67,9
13:25 67,9 14:16 68,7 15:01 81,8 15:46 67,9
13:26 67,9 14:17 67,9 15:02 73 15:47 67,9
13:27 67,9 14:18 75 15:03 67,9 15:48 67,9
13:28 67,9 14:19 67,9 15:04 67,9 15:49 67,9
13:29 67,9 14:20 67,9 15:05 67,9 15:50 67,9
13:30 67,9 14:21 67,9 15:06 67,9 15:51 67,9

10
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

13:31 67,9 14:22 67,9 15:07 67,9 15:52 67,9


13:32 67,9 14:23 67,9 15:08 67,9 15:53 67,9
13:33 67,9 14:24 67,9 15:09 67,9 15:54 67,9
13:34 67,9 14:25 67,9 15:10 67,9 15:55 67,9
13:35 67,9 14:26 67,9 15:11 67,9 15:56 67,9
13:36 67,9 14:27 67,9 15:12 69,4 15:57 67,9
13:37 67,9 14:28 67,9 15:13 67,9 15:58 67,9
13:38 67,9 14:29 67,9 15:14 67,9 15:59 69
13:39 67,9 14:30 67,9 15:15 67,9 16:00 67,9
13:40 67,9 14:31 67,9 15:16 67,9 16:01 80,6
13:41 67,9 14:32 67,9 15:17 67,9 16:02 67,9
13:42 67,9 14:33 67,9 15:18 67,9 16:03 67,9
13:43 67,9 14:34 67,9 15:19 67,9 16:04 67,9
13:44 67,9 14:35 67,9 15:20 70,3 16:05 67,9
13:45 67,9 14:36 67,9 15:21 67,9 16:06 67,9
13:46 67,9 14:37 67,9 15:22 67,9 16:07 71
13:47 67,9 14:38 67,9 15:23 67,9 16:08 67,9
13:48 67,9 14:39 67,9 15:24 67,9 16:09 83,9
13:49 69 14:40 67,9 15:25 67,9 16:10 81,9
13:56 76,2 14:41 67,9 15:26 67,9 16:11 67,9
13:57 73,8 14:42 67,9 15:27 67,9 16:12 67,9
13:58 67,9 14:43 67,9 15:28 67,9 16:13 70,2
13:59 67,9 14:44 67,9 15:29 67,9 16:14 77,7
14:00 71,6 14:45 67,9 15:30 67,9 16:15 67,9
14:01 67,9 14:46 67,9 15:31 67,9 16:16 67,9
14:02 67,9 14:47 67,9 15:32 67,9 16:17 67,9
14:03 73,6 14:48 67,9 15:33 67,9 16:18 67,9
14:04 67,9 14:49 67,9 15:34 67,9 16:19 74,7
Hora dBA Hora dBA Hora dBA Hora dBA
16:20 88 16:44 67,9 17:08 67,9 17:32 67,9
16:21 75,9 16:45 71,2 17:09 67,9 17:33 67,9
16:22 67,9 16:46 83 17:10 74,4 17:34 67,9
16:23 67,9 16:47 67,9 17:11 67,9 17:35 67,9
16:24 67,9 16:48 77,7 17:12 67,9 17:36 67,9
16:25 72,7 16:49 79,9 17:13 67,9 17:37 84,4
16:26 69,2 16:50 74,5 17:14 79,1 17:38 67,9
16:27 81,8 16:51 77,5 17:15 67,9 17:39 67,9
16:28 76,1 16:52 74,5 17:16 67,9 17:40 67,9
16:29 67,9 16:53 72 17:17 67,9 17:41 67,9
16:30 67,9 16:54 78 17:18 67,9 17:42 67,9
16:31 67,9 16:55 68,2 17:19 67,9 17:43 67,9
16:32 67,9 16:56 67,9 17:20 67,9 17:44 67,9
16:33 67,9 16:57 67,9 17:21 67,9 17:45 67,9

11
XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO
Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção

Fortaleza, CE, Brasil, 13 a 16 de outubro de 2015.

16:34 67,9 16:58 95,1 17:22 67,9 17:46 67,9


16:35 67,9 16:59 77,8 17:23 67,9 17:47 67,9
16:36 67,9 17:00 83,6 17:24 67,9 17:48 67,9
16:37 67,9 17:01 84,6 17:25 67,9 17:49 67,9
16:38 67,9 17:02 67,9 17:26 67,9 17:50 67,9
16:39 67,9 17:03 67,9 17:27 67,9 17:51 68,1
16:40 72,4 17:04 88,1 17:28 67,9 17:52 71,1
16:41 71,8 17:05 67,9 17:29 67,9 17:53 67,9
16:42 70,6 17:06 67,9 17:30 67,9 17:54 67,9
16:43 81,8 17:07 75,6 17:31 67,9 17:55 69,1

12