Você está na página 1de 2

FICHA DE TRABALHO – REVISÕES GRAMATICAIS PARA EXAME

1. Preciso de pensar nos objetos para acreditar nos lugares.

Classifique a oração «para acreditar nos lugares»

2. Amar um livro é pedir-lhe que seja sempre nosso, assim, como um amor que se conserva para repetir
ou reaprender. Como poderemos jurar fidelidade a um texto que se desliga? É como não ter
sentimentos, descansar na morte, não permanecer vivo enquanto espera por nós. É infiel. Não o
podemos sequer perfumar e eu tenho livros que me foram oferecidos com aroma de buganvílias e
canela.

Indique o antecedente do pronome que ocorre em «Não o podemos sequer perfumar»

3. «Inês Pedrosa refere que Caeiro seria a “figura da musa” para o poeta, que aliás o descreve em
termos helénicos, louro como um deus grego.»

Classifique as palavras sublinhadas.

4. Classifique a oração iniciada por «que» em «Apesar de os estudos pessoanos terem demonstrado
que a carta não diz toda a verdade sobre a criação do heterónimo, nem dos poemas (…)»

5. Indique o valor da oração subordinada adjetiva relativa em

Ele resolveu todos os dramas entre a vida e a consciência», diz o filósofo José Gil, que rejeita a ideia
defendida por muitos estudiosos da “alma una” de Caeiro.

6. Caeiro não é um filósofo, é um sábio para quem viver e pensar não são atos separados.

Identifique a função sintática desempenhada pela expressão «viver e pensar».

7. Identifique o antecedente do pronome pessoal presente em:

Pelo contrário, no mundo árabe-muçulmano, que mantém mais viva a sabedoria dos odores, há cerca
de duzentos e cinquenta termos a ela relativos.

8. Identifique a função sintática desempenhada pela oração subordinada presente na frase «E diz que
o olfato perdeu importância em favor da visão».

9. Classifique a oração iniciada por «mesmo se» em:

Cresce todo um comércio ligado ao olfato ambiental, com aromas para as várias divisões da casa e
para o automóvel, líquidos que imitam o odor do pinheiro ou da lavanda, mesmo se os nossos estilos
de vida nos distanciam cada vez mais da natureza.

10. Classifique a oração iniciada por «que» em «É essencial que sejam geridos de modo sábio e
sustentável.»

11. (…) na época de Dürer, existiam na língua alemã mais de cento e cinquenta e oito palavras para
designar cheiros diferentes. Dessas, apenas trinta e duas hoje subsistem, e frequentemente como
formas dialetais muito localizadas.

Refira o tipo de coesão para a qual a palavra «Dessas» contribui.

12. Nas expressões «protege-nos dos riscos» e «A ciência traz-nos constantemente novos riscos»,
refira as funções sintáticas dos pronomes pessoais aí presentes.

13. Classifique a oração iniciada por «que» em:


A ciência tem hoje tantas e tão úteis aplicações nas nossas vidas que a associação mais imediata que
o cidadão comum faz hoje à ciência não pode deixar de ser a tecnologia.

14. Identifique o valor da oração subordinada adjetiva relativa presente em:

Essa associação, embora não diga o essencial sobre a ciência – que é acima de tudo a descoberta do
mundo pelo homem –, não deixa de ser adequada.

15. Refira a função sintática desempenhada pela oração subordinada presente em

É inevitável que vivamos permanentemente sob ameaças».

16. Tudo é cor neste filme, os trajes (num figurino rigoroso), os cenários, as próprias vozes dos atores
transbordam de tons ora suaves ora lúgubres, frementes de paixão, graves de dramatismo, estridentes
de caricatura.

Transcreva a palavra que constitui uma catáfora da expressão «os trajes (num figurino rigoroso), os
cenários, as próprias vozes dos atores»

17. A fidelidade do realizador ao texto começa nessas palavras, ditas por um narrador que, falando
pela voz de Eça, não pretende ser o escritor, nem imitá-lo, mas apenas contar a história por ele, assim
continuando em todo o filme, introduzindo lugares, personagens, episódios.

Identifique o valor da oração subordinada adjetiva relativa introduzida por «que».

18. Em Os Maias de João Botelho, ao contrário do que acontece com as personagens, e à parte as cenas
de interior, filmadas em ambientes da época que ainda hoje mantêm as suas características – a Casa
Veva de Lima, o Grémio Literário –, não encontramos cenários realistas, que a Lisboa de hoje não
permitiria.

Refira a função sintática desempenhada por «que».

19. As palavras multiplicaram-se e estão agora em todo o lado, digitais ou analógicas, impressas,
«pixelizadas», projetadas à nossa volta, preenchendo e saturando de significados o nosso quotidiano.

Identifique a função sintática desempenhada pela expressão sublinhada.

20. É, por isso, inteiramente lícito que nos interroguemos sobre a relação possível entre o esvaziamento
das palavras e a sua subordinação à hegemonia das imagens.

Indique o antecedente do determinante possessivo que ocorre em «a sua subordinação à hegemonia


das imagens»

21. Certas palavras, é sabido, são capazes das mais ousadas proezas, podem ferir e doer, tornam-se
imprevisíveis e indomáveis assim que abandonam a lâmpada mágica onde se encontravam abrigadas.

Classifique a oração sublinhada.

22. A banalização das palavras surge como algo novo e sem precedentes, um estado de coisas cujo
alcance estamos longe de aferir, ainda que o seu impacto se apresente inegável.

Classifique a oração «ainda que o seu impacto se apresente inegável».

23. Identifique a função sintática do pronome pessoal sublinhado em «eu tenho livros que me foram
oferecidos».

Questões adaptadas de Exames Nacionais

Interesses relacionados