Você está na página 1de 6

Ortopedia – Tumores Aula de 16 Nov 2004

TUMORES

Classificação:
 Primitivos:
- Benignos
- Malignos
 Secundários (Metastáticos)

TUMORES PRIMITIVOS

 Raros
 Idades jovens (crianças > 5 anos, adolescentes, adultos jovens)
(20% de todos os tumores dos jovens)
 Localização (epífises “férteis”)
 Classificação histológica ou histogénica (natureza e grau de diferenciação das células
predominantes)

Tumores Benignos: Tumores Malignos:


 Não metastizam  Metástases constantes precoces
 Normalmente recidivam localmente  Recidivam
(problemática da malignidade local)  Crescimento rápido (invasivo e destrutivo)
 Crescimento gradual e não invasivo  Sem limites definidos (infiltração de tecidos)
 Capsulados  Alterações citológicas (atipias celulares)
 Sem alterações citológicas

 Frequência:
- Tumores benignos: 
- Tumores malignos: 10/milhão de habitantes/ano

-1-
Ortopedia – Tumores Aula de 16 Nov 2004

 Classificação Histológica:
Tumor Benigno Tumor Maligno
Tecido Ósseo  Osteoma osteoide  Osteosarcoma (no idoso só
na Doença de Paget)
Tecido Cartilagíneo  Osteocondroma  Condrosarcoma (não
 Encondroma aparece no individuo jovem; é

 Condroblastoma um tumor dos idosos)

Tecido Fibroso  Fibroma  Fibrosarcoma


 Tumor de Células Gigantes (degeneração maligna!!)
Tecido Hematopoiético  Plasmocitoma …..
Tecido Vascular  Hemangioma  Hemangiosarcoma
Mesênquima  Sarcoma de Ewing

 Diagnóstico:
- Sua dificuldade na identificação do tumor
- Importância do diagnóstico precoce  Estadiamento  Prognóstico

 Estadiamento:
- Determinação do grau de extensão da doença

 Contenção anatómica local do tumor


- Tumores Benignos  Grau de actividade celular

 Grau de expansão e invasão dos tecidos vizinhos (localização


compartimental ou não)
- Tumores Malignos  Grau de diferenciação histológica
 Metástases

 Diagnóstico “provável” e “definitivo”  Avaliação clínica, imagiológica,


anatomopatológica e histopatológica  (experiência pessoal em cada um destes sectores)

 Elementos de orientação no diagnóstico:

-2-
Ortopedia – Tumores Aula de 16 Nov 2004

- Idade do doente
- Sintomatologia clínica:
 Dor (espontânea ou provocada; localização; evolução rápida)
 Tumefacção (localização, data de aparecimento e evolução; sinais associados 
rede vascular; repercussão articular)
 Existência de fractura (estes tumores fragilizam o osso) e seu mecanismo
 Estado geral (nas fases iniciais pode não estar efectado, com excepção do tumor de
Ewing)
- Imagiologia:
 Radiologia simples (suspeição da lesão; sinais indicadores de benignidade e
malignidade)
 TAC (extensão e integridade ou não da cortical do osso)
 RMN (ideia de invasão dos compartimentos / limites da lesão)
 Cintigrafia (importante na localização da lesão, nomeadamente numa fase inicial;
depois faz-se TC e RM no sitio exacto)

Sinais de benignidade e malignidade no Rx simples:


- Lesão benigna:
- Integridade da cortical
- Limites nítidos
- Ausência de reacção perióstica
- Lesão maligna:
- Interrupção da cortical
- Bordos e contornos mal definidos
- Descolamento e/ou reacção perióstica

 Prognóstico:
- Tumores Benignos: Bom
(problema da malignização local  recidiva e/ou degenerescência maligna (ex:
osteocrondroma, sobretudo os multifocais))
- Tumores Malignos: Reservado ou mau

-3-
Ortopedia – Tumores Aula de 16 Nov 2004

(% baixa aos 5 anos de sobrevida; novas possibilidades terapêuticas e sua influência nas
taxas de sobrevida)

Osteoma osteoide:
- Tumor benigno da série óssea
- Pequeno e aparece na cortical de qualquer osso (normalmente nos membros, mas também pode
aparecer na coluna)
- Não é palpável (os mais exuberantes pouco maiores são que um bago de arroz)
- Dor persistente, habitualmente mais intensa à noite, alivia com salicilatos
- Rx: Aspecto de condensação da cortical com um nicho hipertransparente central
- Tratamento cirúrgico: ressecção da zona condensante e do nicho
- Se a ressecção não for total há perigo de recidiva

Osteocondroma:
- Exostose
- Generalizados, com várias localizações, e aí sim, as exostoses podem vir a degenerar
- Situa-se nas metáfises e aparece na fase de crescimento
- Constituído por um núcleo de tecido ósseo recoberto por cartilagem
- Células da cartilagem de conjugação que ficam…
- Achado radiológico ou por palpação
- De uma forma geral não dá dor, a não ser que comprima estruturas vizinhas
- É mais frequente ao nível do joelho (epífises férteis)
- Quando são exuberantes podem fracturar com pancada e dar dor (tirar)
- Normalmente não degeneram: é fácil de ressecar
- Passa despercebido ou pode criar algum problema de compressão

Encondroma:
- Constituído por células cartilagíneas
- Localiza-se principalmente nos pequenos ossos (ex: da mão ou pé), mas também nas metáfises dos
ossos longos
- Pode dar dores e por fragilização do osso originar fracturas com pequenos traumatismos
- Tratamento cirúrgico: esvaziar o tumor e colocar enxerto ósseo

-4-
Ortopedia – Tumores Aula de 16 Nov 2004

Tumor de células gigantes:


- Extremidade inferior/superior (?) do rádio, proximal da tíbia e distal do fémur (epífises férteis)
- Aumento de volume de todo o contorno ósseo
- Aspecto de bolas de sabão
- Cavidade preenchida por material mole
- Rx: zona de hipertransparência

Osteosarcoma:
- Tumor muito agressivo
- Dá metástases frequentes e precoces
- Ressecção com substituição articular com enxerto (cirurgia reconstrutiva) ou amputação
- Na pele: circulação, atrofia muscular

Sarcoma de Ewing:
- Diafisária e metafisária dos ossos longos
- Dos jovens e com repercussão no estado geral
- Pode fazer lembrar uma osteomielíte no início; dá febre
- Tratamento cirúrgico
- Bons resultados
- Antes era quase um atestado de óbito, mas actualmente já há algum sucesso no tratamento

TUMORES SECUNDÁRIOS (METÁSTASES)

 Frequência: 50% de todos os tumores ósseos


 Origem: Mama; Próstata; Tiroideia e Rim
(1ª manifestação da doença primitiva em 20% dos casos)
 Localização (mais no tecido ósseo esponjoso, mais vascularizado):
- Coluna, ao nível do corpo vertebral
- Extremidade proximal (?) ou distal do fémur
 Lesões osteolíticas (mais frequente: mama, tiroideia e rim) ou osteoblásticas (condensação
óssea: próstata)

-5-
Ortopedia – Tumores Aula de 16 Nov 2004

 Manifestações clínicas:
- Dor
- Fractura (patológica)
 Exames Complementares:
- Cintigrafia (1º: ver se existe alguma zona atingida, porque as metástases podem ser múltiplas)
- Radiologia simples

Rx: Fractura patológica do carcinoma da mama


- Metástase na extremidade distal do fémur (lesão osteolítica) que já chegou em fase de fractura
- Corticais muito finas e irregulares
- Mesmo assim as fracturas consolidam
- Preenchimento com cimento (?) na zona da metástase

Rx: Carcinoma da tiroideia


- É um carcinoma lento
- Metástase do íliaco

Realizado por:
Sénia Guerreiro

-6-