Você está na página 1de 9

CAPACIDADE CIVIL E

RESPONSABILIDADE
Paulo Augusto
CONCEITO
A noção da responsabilidade pode ser haurida da própria
origem da palavra, que vem do latim “respondere”,
responder a alguma coisa, ou seja, a necessidade que
existe de responsabilizar alguém pelos seus atos danosos.
Essa imposição estabelecida pelo meio social regrado,
através dos integrantes da sociedade humana, de impor a
todos o dever de responder por seus atos, traduz a
própria noção de justiça existente no grupo social
estratificado. Revela-se, pois, como algo inarredável da
natureza humana.
RESPONSABILIDADE OBJETIVA E SUBJETIVA

No artigo 927 do Código Civil brasileiro, está clara a presença da


responsabilidade civil objetiva ao afirmar que independentemente
da culpa, quando a lei especificar, ou quando a atividade normal
desenvolvida pelo agente do dano causar risco a outros, existirá a
obrigação de indenização, reparação ao dano causado.

A responsabilidade subjetiva Na responsabilidade objetiva o


está associada ao ato culposo ato praticado pelo agente está
ou danoso, o qual não tem a diretamente relacionado ao
intenção de causar o dano. dano causado.
RESPONSABILIDADE CONTRATUAL E EXTRACONTRATUAL

Responsabilidade
extracontratual consiste na
reparação de dano clássica
Responsabilidade sem a existência de um
contratual, está associada à contrato prévio, como, por
existência de um contrato exemplo, um acidente
celebrado entre as partes, envolvendo a colisão de
sendo a reparação fruto do veículos.
descumprimento das
exigências legais do
contrato.
ELEMENTOS QUE CONFIGURAM A RESPONSABILIDADE

• Elemento primário é a conduta humana, comportamento voluntário do agente


Conduta materializada por meio da sua ação ou omissão.

• O resultado da ação voluntária resultante em motivação para a reparação.


Dano

• Consiste no estabelecimento da relação entre a conduta do agente e o resultado.


Nexo Assim, além da relação entre conduta e dano, esse último deve ter causado um dano
causal à outra que necessite de ser reparado via pena pecuniária.

• Apesar de não definida de modo claro em nossa legislação, consiste na ação do


Culpa agente que, mesmo inconsciente (imperícia, imprudência, negligência), cause danos
a outra pessoa.
A RESPONSABILIDADE DEVE ATENDER

Reparação Prevenção do dano Punição


• A finalidade máxima da • Todos os contratos e • Aquele que deu causa a
responsabilidade consiste relações devem se basear um dano deverá repará-
no ressarcimento do dano no princípio de não lesar a lo, sendo que a medida da
sofrido pela parte, outra parte, sendo que indenização equivale à
buscando a reconstituição cabe ao judiciário, de medida da ofensa, o que
do status quo ante. acordo com seus consiste na punição.
instrumentos e medidas,
prevenir qualquer dano
de forma prévia.
ABSOLUTAMENTE INCAPAZES

Menores de 16 anos.

Aqueles que, por enfermidade ou deficiência mental, não


possuem discernimento para a prática dos atos da vida civil.

Aqueles que mesmo por causa transitória não puderem


exprimir sua vontade (artigo 3º do Código Civil).
RELATIVAMENTE INCAPAZES

Maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.

Os ébrios habituais, os viciados em tóxicos e os que, por deficiência


mental, tenham discernimento reduzido.

Excepcionais, sem o desenvolvimento mental completo.

Pródigos (artigo 4º do Código Civil).