Você está na página 1de 6

Instalações Hidráulicas ll

Desenvolvimento Sustentável e Educação Ambiental


8º TERMO A

Anne Caroline Vedor................................... R.A:1849919

Prof. José Ernesto Tonon


Desenvolvimento Sustentável

 O Usos dos recursos naturais

Os recursos naturais são os materiais que vem da natureza, como florestas,


solo, água, minerais e a vida selvagem. Para garantir a sobrevivência do
planeta e, consequentemente, a nossa sobrevivência, é nossa obrigação conservar
os recursos naturais. Uma maneira bem interessante de fazer isso é seguindo o
termo sustentabilidade, Transformando os resíduos orgânicos do lixo em adubo já
é uma boa alternativa a ser adotada. Outra pequena atitude que tem grandes
consequências é apagar as luzes ao sair dos cômodos, o que evita o gasto
desnecessário de energia elétrica. Usar as torneiras apenas quando for necessário
e deixar o chuveiro sempre na opção verão em dias de muito calor são também
são alternativas fáceis de serem praticadas que ajudam muito na preservação
ambiental.

 Desenvolvimento Ambientalmente Sustentável

A produção em grande escala, devido ao aumento populacional e as práticas


consumistas, levaram à grande exploração, na maioria das vezes sem controle, da
natureza, causando uma grande depreciação da mesma, a qual se encontra
atualmente em crise ecológica. E, a produção sustentável surgiu para criar
alternativas que aliem o avanço tecnológico, capaz de produzir quantidades
maiores de bens e serviços com impactos negativos cada vez menores sobre o
meio ambiente e, também, através dessas alternativas, diminuir a dependência da
humanidade em relação aos recursos naturais. O avanço tecnológico, ocorrido
durante o tempo trouxe muitos benefícios às sociedades, como facilidade de
comunicação, transporte, industrialização, fabricação em grande escala, enfim
proporcionou certa “comodidade” às pessoas e organizações. Mas, para que isso
pudesse acontecer, o meio ambiente foi, e ainda é, explorado demasiadamente,
causando sérios prejuízos à natureza, com seus efeitos refletidos diretamente na
população, causando desastres ambientais, mudanças climáticas, poluição das
águas, terra e ar, extinção de diversas espécies de animais, escassez de matérias-
primas, dentre outros pontos negativos. Com isso, surgiu uma considerável
preocupação com as questões ambientais.
 Desenvolvimento Socialmente Sustentável

Podemos afirmar que o desenvolvimento socialmente sustentável está centrado


nas: industrias, pessoas, cidades, produções e lideranças.
A questão principal que surge é como criar instituições democráticas capazes de
induzir um processo de desenvolvimento socialmente equitativo e ecologicamente
sustentável e ao mesmo tempo manter o controle e definir os limites políticos que
estabelecem relações de mercado desiguais e dez estabilizantes.
Uma melhor compreensão e implementação de tais políticas e princípios exige
uma abordagem teórica cuja finalidade vai além da separação analítica dos
aspectos técnicos ou ambientais de seus conceitos histórico e sociocultural, em
cada sociedade e em escala global.
A qualidade de sustentabilidade reside nas formas sociais de apropriação e uso de
todo o meio-ambiente - não apenas dos recursos naturais. Muitas formas
socioculturais de apropriação não capitalistas do meio ambiente se tornam
"insustentáveis" quando são invadidas e "desenvolvidas" pelas práticas capital-
intensivas dominantes. A busca da sustentabilidade, portanto, leva a tensões e
conflitos sociais.
A sustentabilidade não pode ser derivada apenas de um melhor equilíbrio e
harmonia com o meio ambiente natural. Suas raízes estão localizadas em um
relacionamento interno à sociedade, de natureza econômica e politicamente
equilibrada e equitativa.

 Características dos Ecossistemas Urbanos

O sistema urbano, apesar de construído artificialmente pelo ser humano, pode ser
observado como um organismo, uma vez que está repleto de relações e interações
a serem estudadas, sejam elas a nível ecológico, social, cultural ou histórico,
sendo possíveis observá-las em diferentes escalas e contextos (JACOBI, 2011).
Segundo Jacobi (2011), a produtividade, diversidade e a complexidade dos
ecossistemas dependem da obtenção de energia, onde, em ambientes naturais
essa fonte energética é representada pelo sol e a produtividade pela vegetação. Já
nos ecossistemas urbanos, se faz necessário a importação, uma vez que o
sistema urbano não se faz autossustentável
Desse modo, para uma cidade se estabelecer e promover sua manutenção, é
imprescindível que mantenha a importação de uma série de recursos, uma vez que
não é capaz de produzi-la por si só. Assim, se faz necessário a busca por água,
energia, matéria-prima, informação e outros recursos para a garantia da sua
sobrevivência, em contrapartida, ela exporta produtos, tecnologia e elimina os
resíduos provenientes dessa conversão.

Educação Ambiental

 A Função Social da Educação Ambiental

Este artigo desenvolve uma reflexão crítica sobre as práticas socioambientais


educativas de caráter coletivo e colaborativo, com dinâmicas abertas e vivenciais,
que têm se revelado como processos importantes na produção de uma cultura de
diálogo, de participação, de mobilização e de potência de ação. Enfatizam-se as
abordagens integradoras das relações entre as dimensões subjetivas e
intersubjetivas e a possibilidade de estimularem a constituição de identidades
coletivas e de comunidades em espaços de convivência. Isso abre caminhos para
incrementar o potencial educativo de espaços dentro e fora da escola que podem
se tornar contextos possíveis de diálogos democráticos, mediando experiências de
diferentes sujeitos, protagonistas locais na construção de projetos de intervenção
coletivos.
 Sistema Pedagógico

A educação ambiental é uma forma abarcante de educação, através de um


processo pedagógico participativo que procura infiltrar no aluno uma consciência
crítica sobre os problemas do ambiente e auxiliá-lo a criar ter uma educação
preocupada não somente com o bem estar individual, mas um bem estar que
procure pensar em ideologias que se empenhem na transformação moral da
sociedade, os novos rumos da educação pretende formar alunos com
responsabilidade ambiental, mas que isso, uma responsabilidade social, pois
cuidar do meio em que se vive é pensar na sociedade.
Desta forma, justifica-se como tema deste trabalho, na situação de que se
desenvolvessem ações sobre questões e problemas ambientais, onde os alunos
possam construir os conhecimentos necessários para a conscientização e
modificação de atitudes e comportamentos que poderão resultar na preservação e
recuperação do meio ambiente de forma mais eficaz.
A ação direta do professor na sala de aula é uma das formas de levar a Educação
Ambiental à comunidade, pois um dos elementos fundamentais no processo de
conscientização da sociedade dos problemas ambientais é o educador. Este tem o
poder de desenvolver, em seus alunos, hábitos e atitudes sadias de conservação
ambiental e respeito à natureza, transformando-os em cidadãos conscientes e
comprometidos com o futuro do país.

 Valores Éticos propostos pela Educação


Ambiental

A Ética Ambiental conduz o Homem pelo caminho da harmonia e do respeito com


a Terra e os seres vivos, fazendo com que ele se reconcilie com a natureza, afetiva
e espiritualmente, mantendo uma visão holística e integrada do mundo. Todas as
decisões e práticas humanas que afetem ou venham a afetar futuramente o Meio
Ambiente, devem ser feitas com fundamento na Ética Ambiental. Até mesmo um
Juiz de Direito, para decidir determinado litígio que envolva um dano ambiental,
deve pautar sua decisão nos princípios desta Ética, sob pena de legitimar, no
Judiciário, as ações degradadoras.
Entretanto, ao contrário do que parece, a Ética Ambiental é bastante antiga e dela
se originaram outras correntes éticas, como a ecologia profunda, o eco feminismo,
a bioética.