Você está na página 1de 10

Em Gênesis 20:13, por que o elohim com um verbo plural é

traduzido Deus em vez de deuses?


Gênesis 20:13 (ESV)
E quando Deus me fez vagar ...
(WLC):
‫התעו אתי אלהימ ויהי כאשר‬
Outra pergunta sobre a tradução de ‫'( אלהימ‬elohim) usando o Deus singular. As respostas
indicaram que isso é apropriado porque adjetivos e verbos anexados a ele são geralmente
singulares. Entretanto, quando um verbo plural é usado, as respostas indicam que um grupo
de deuses deve ser compreendido. No verso acima, ‫'( אלהימ‬elohim) é usado com um verbo
plural.
Esta pergunta tem um monte de subquestões:
1. É "deuses" em vez de "Deus" uma possível tradução?
2. Existe alguma coisa no texto que sugira que Deus singular é a tradução correta?
3. É possível que Abraão reconheça a existência de muitos deuses, os deuses de
Abimeleque?
A essência desta questão é que a palavra elohim aqui é seguida por palavras plurais. Enquanto
faz sentido para traduzir elohim seguido por palavras singulares como deus, elohim seguido
por palavras plural implicam que o elohim é plural, em vez de singular.

Entre os estudiosos judeus tradicionais há uma disputa sobre este versículo. Onkelos (o
tradutor aramaico do Pentateuco) traduz o verso para dizer "quando o meu povo foram
desviados após deuses I foi forçado a deixar minha casa pais" ( ‫ַו ֲהוָה כַד טָ עּו ע ְַממַ יָא בָ תַ ר עֹובָ דֵ י‬
‫)יְ דֵ יהֹון י ִָתי קָ ִריב יְ ָי לְ דַ חַ לְ תֵ ּה ִמבֵ ית אַ בָ א‬. Outros estudiosos, como Sforno, semelhante
compreender o verso a ser referindo-se ao serviço dos deuses idólatras em casa de Abraão,
que o levaram a sair.
Por outro lado, Rashi e Ibn Ezra explicam que o versículo está se referindo a Deus singular
eo plural está se referindo às múltiplas vezes em que Abraão foi forçado a se mudar de
um lugar para outro.
Finalmente, encontrei um estudioso, Samuel David Luzzatto, que explica que Abraão
estava falando nos termos que ele pensava que seria melhor compreendida por seu
público. Assim, embora Abraão pessoalmente entendesse que todos os poderes no
universo vieram de um Deus, ele usou o plural para uma audiência que de outra forma
teria sido confundida.
Todas as fontes são comentários sobre este verso.

Porque nela se considera má gramática não ter concordância sujeito-verbo.


Do texto do Pentateuco e da Torá como um todo, é claro que todas as ocorrências de
Elohim (plural) e Yahweh (singular) estão discutindo a mesma divindade. Em versos
como Deuteronômio 6: 4 , Literalmente, isto traduziria como "Ouvi e obedecei a Israel,
o Senhor, teus Deuses, são um só!" As regras do inglês e contexto ditarão que você mude
a tradução para "senhor seu Deus é um".
Além disso, o Antigo Testamento não é apenas um livro para os cristãos, mas também
um livro para os judeus. Como os judeus não acreditam na Trindade (em grande parte por
causa de Deuteronômio 6: 4), também faz mais sentido traduzir Elohim singular em todas
as ocorrências porque Deus é um.Seja qual for a convenção adotada em situações como
Deuteronômio 6: 4 e Gênesis 1, a convenção é sempre usada em todas as ocorrências em
toda a Torá por uma questão de consistência por tradutores e críticos textuais durante todo
o processo de tradução (com exceção de onde elohim se refere Um grupo de senhores
reais, reis ou deuses pagãos.)
Além disso, Aparece em 20:13 que as divindades que são o sujeito neste versículo são
Yahweh, não os deuses de Abimilech baseados no versículo 11. No versículo 11, não há
medo de "elohim" por parte de Abimilech e Abraão postula que Abimilech pode matar
sua esposa por causa de sua decepção. Claramente Abimilech temeria seu próprio
"elohim", assim isto só pode ser o "elohim" de Abraão, cujo poder é desconhecido para
Abimilech. Uma vez que 20:13 faz parte do mesmo discurso de Abraão e não houve
mudança de assunto ou menção de qualquer pagão ou pagão "elohim", é claro que o
"elohim" em v 13 é o mesmo "elohim" como em v 11 (Deus.)
Portanto, pode ser apropriado traduzir isso como "Deuses", mas nunca "deuses". Abraão
provavelmente reconhece a existência dos deuses de Abimilech e que esses deuses têm
algum poder, mas eles não são o Deus que Abraão segue ou está discutindo aqui e não é
tão poderoso Javé.

Por que Elohim é traduzido como Deus em vez de deuses em


Gênesis 1: 1?
up vote 7 para baixo
Quero dizer Elohim é uma forma plural de Deus. Então a tradução correta seria
votaçãofavorito

5 deuses.
Agora, talvez a palavra elohim seja seguida por palavras singulares e, portanto, a
palavra Elohim deve significar plural.
E daí? Isso não muda o fato de que elohim é plural.
Porque não é 'Bereshit bara Elohim' (Gênesis 1: 1) traduzido como: "No princípio os
deuses criam"?
Sim, eu sei que isso significa que as palavras não correspondem ao assunto. E daí? As
palavras não correspondem ao assunto no texto original. A tradução não deve
preservar o erro gramatical?
Por que não traduzir a Bíblia tão fielmente quanto possível e deixar os leitores decidir-
se o que realmente significa.
Ou há uma tradução que traduz essas nuances exatamente como está nos textos
originais?
Vejo que mesmo a Literal Translation jovem não é literal o suficiente com isso.

Como indicado na pergunta original, o verbo ou adjetivo realmente diz ao leitor se


um substantivo deve ser entendido como singular ou plural, independentemente da
forma que a palavra realmente toma.
Assim, embora elohim seja tecnicamente a forma plural do substantivo, porque os
verbos ou adjetivos anexados a esse substantivo estão consistentemente no
singular, o substantivo deve ser entendido como referindo-se a um sujeito / objeto
singular: geralmente, Deus.
Nas ocasiões em que 'elohim está ligado a verbos que estão na forma plural,
devemos entender que, como se referindo a um grupo: deuses.
Usar substantivos no plural para assuntos e objetos singulares não é incomum na
gramática hebraica. Vários outros substantivos são encontrados na forma plural
mesmo que eles se referem a um único sujeito / objeto. Por exemplo:
 Shamayim : literalmente "céus", mas pode se referir ao "céu", eg Gênesis 1.8
 Chayim : literalmente "vive", mas pode se referir a uma única "vida", por
exemplo, Gênesis 27.46
 Panim : literalmente "faces", mas pode se referir a uma única "face", eg
Gênesis 43.31
 Behemoth : plural de behemah , mas pode se referir a um animal individual,
por exemplo, Job 40.15ff
Isto é comparável à palavra inglesa 'news'. A palavra "notícia" é a forma plural de
"novo", mas é frequentemente usado com um verbo singular. Em inglês, não
dizemos 'o que são as notícias', dizemos 'o que é a notícia'.
Em seu comentário sobre Gênesis, Kissling escreve:
A palavra para "Deus" aqui e em todo Gênesis 1: 1-2: 4 é a palavra hebraica ‫ֹלהים‬ ִ ֱ‫א‬
(' ĕ lōhîm ). Este não é um nome pessoal como Yahweh, mas a palavra hebraica
genérica para Deus. Embora a forma pareça ser plural (substantivos masculinos
em hebraico normalmente formam seus plurais, adicionando im ), geralmente é
usado com um verbo ou adjetivo singular (como ao longo deste capítulo). O plural
é provavelmente um plural de majestade ou intensificação. ... Muitas vezes na
história da interpretação cristã do substantivo'ĕlōhîm tem havido uma tentativa por
aqueles que não estão completamente familiarizados com hebraico para
argumentar que a forma plural desta palavra implica uma pluralidade na
divindade. ... Infelizmente, a forma gramatical de uma palavra em hebraico não nos
diz necessariamente nada sobre se a palavra deve ser entendida em inglês como
um singular ou um plural. 1
A tradução precisa, fiel e literal vai além da simples tradução de cada palavra
individual por sua definição sem contexto no dicionário. A tradução precisa, fiel e
literal leva em conta a gramática, o contexto e o significado.
A maioria absoluta do tempo, 'Deus' é a tradução mais precisa, fiel e literal
de (singular verb) + 'elohim, porque a gramática , o contexto e o significado
da frase completa o requerem.

A língua hebraica tem numerosas palavras que são gramaticalmente plural, mas
entendido como singular.
Por exemplo, a palavra ‫ ( חיים‬chaim ), que significa "vida".

Mito israelita: Yahweh derrota Leviatã


O judaísmo adiantado teve o mesmo conselho dos deuses como na mitologia
de Ugaritic. (Eu escrevi mais sobre o politeísmo israelita aqui .) Yahweh é um
filho de El (também chamado Elyon) e era apenas um dos muitos no conselho
dos deuses.
Quando Elyon dividiu as nações, quando separou os filhos de Adão, estabeleceu as fronteiras das
nações de acordo com o número dos filhos dos deuses. A parte de Jeová era o seu povo, a sua
herança atribuída. (Deuteronômio 32: 8-9)

Aqui vemos Elyon, a cabeça do panteão divino, dividindo a humanidade entre


os seus filhos, dando a cada um a sua herança. A idéia de um panteão divino
com uma divindade principal, seu consorte e seus filhos (o conselho dos
deuses) era difundida através do Oriente Próximo Antigo. Elyon (abreviação de
El Elyon) é o deus principal, não apenas nos escritos judaicos, mas também na
literatura cananéia. A passagem conclui com Yahweh que recebe Israel como
sua herança.
Aprendemos mais sobre termos como " filhos dos deuses ", ampliando nosso
foco para considerar textos ugaríticos (cananitas). Ugarit foi uma cidade
cananéia destruída juntamente com grande parte do antigo Oriente Próximo
durante o colapso da Idade do Bronze em aproximadamente 1200 aC, um
período de caos generalizado naquela parte do mundo da qual a civilização
israelita parece ter crescido.
Os textos ugaríticos afirmam que El e seu consorte Asherah tiveram 70 filhos,
que podem ser a origem das 70 nações (ou 72) que vieram dos descendentes
de Noé listados em Gênesis 10.
O Antigo Testamento está cheio de pistas apontando para múltiplos
deuses. Gênesis é um bom lugar para começar.
Então [Elohim] disse: "Façamos a humanidade à nossa imagem, à nossa semelhança" (Gênesis
1:26).
Vemos também deuses plurais quando Jeová os adverte que o homem não
deve comer a árvore da vida (Gênesis 3:22) e que eles devem confundir as
línguas da humanidade para que seus projetos, como a Torre de Babel, não
sejam bem-sucedidos (Gênesis 11: 7). ).

Javé foi designado a Israel, e outros deuses no conselho receberam suas


próprias tribos para governar.
Vemos a versão bíblica do Mito de Combate em Salmos 89: 5-12. Primeiro,
Yahweh tomou seu lugar como rei do conselho dos deuses.
Os céus louvam as tuas maravilhas, Javé, a tua fidelidade também na assembléia dos santos. Pois
quem nos céus de cima pode comparar com o Senhor? Quem é como Yahweh entre os seres
celestiais? No conselho dos santos Deus é grandemente temido; Ele é mais incrível do que todos os
que o rodeiam.

Nós lemos um relato semelhante em Salmos 74, onde Yahweh é creditado com
a criação. Mas primeiro, ele derrotou o (s) monstro (s):
Foi você quem dividiu o mar [Yam] pelo seu poder; Você quebrou as cabeças do monstro nas
águas. Foi você que esmagou as cabeças do Leviatã e deu-o como alimento para as criaturas do
deserto. (Salmo 74: 13-14)
O primeiro dos Dez Mandamentos diz: "Não terás outros deuses diante de
mim" (Êxodo 20: 3). (Há dois conjuntos muito diferentes de Dez Mandamentos
em Êxodo, mas vamos ignorar isso por enquanto.)
Você já pensou muito sobre a redação deste mandamento? Por que não diz
que Jeová é o único deus? É porque esta seção da Bíblia foi escrita em
aproximadamente o século 10 aC, os primeiros dias da religião israelita,
quando ainda era politeísta. O seguinte mandamento diz: "Eu, Jeová, o seu
Deus, sou um Deus ciumento" - ciumento porque havia de fato outras opções
viáveis, e Jeová insistiu em um compromisso.

E muitos outros versículos celebram Jeová enquanto reconhecem a existência


dos outros.
Pois [Jeová] é o grande Deus e o grande Rei acima de todos os deuses (Sl 95: 3).
Todos os deuses se prostraram perante Jeová (Salmo 97: 7).
Eu sei que [Jeová] é grande, e nosso Senhor é superior a todos os deuses. (Sl 135: 5)
Em um post recente , nós vimos onde a Bíblia documenta como Yahweh
perdeu uma briga com o deus Moisés Chemosh (2 Reis 3:27).
Por que os tradutores de Gênesis escolheram as palavras em inglês que
eles fizeram? O que suas escolhas poderiam ter feito para a história de
Gênesis? Nós (dentro das limitações de um ensaio curto) gostaríamos de
examinar o que os tradutores da Bíblia inglesa fizeram ao longo dos
séculos e, mais importante, o que pensamos que poderiam e deveriam
fazer hoje - se eles devem evitar enganar aqueles que lêem Gênesis 1 em
2012.
Mas não tenha medo! Vamos olhar apenas seis palavras hebraicas - cinco
substantivos e um verbo - seis palavras que têm o poder de transformar
este relato familiar da Bíblia. Ao traduzir o Gênesis, escolhemos outras
palavras em inglês - palavras inglesas alternativas perfeitamente legítimas
- para que o relato de criação do Gênesis descreva agora o futuro-ser, não
do universo que conhecemos, mas de um mundo que é marcadamente
diferente do que está em Que atualmente vivemos. É, no entanto, o mundo
que era familiar aos antigos hebreus para quem o relato inspirado de
Gênesis foi originalmente composto.

Depois de cada uma das seis palavras abaixo está uma lista das formas em
que cada palavra hebraica foi traduzida, começando em 1530 com a
tradução de Tyndale de Gênesis.

• shemayim: céu, céu, céus visíveis, céu como o reino das estrelas.
Embora shemayim é uma forma plural, o seu significado aqui é singular
(como "matemática" em Inglês) -como refletido na tradução grega
conhecida como a Septuaginta, que utiliza a forma singular ouranon . Para
Tyndale em seu tempo e lugar para traduzir shemayim como "céu" era
inteiramente apropriado, mas isso não é mais o caso. Em 1530 shemayim
significava a cúpula visível do céu em que o sol estava embutido. Aquela
cúpula girou em torno da terra que carrega o sol pelo dia ea lua e as estrelas
pela noite. Para nós, no entanto, "céu" muitas vezes significa "cosmos" ou
"universo astronômico. "Uma vez que nem o autor do Gênesis nem
nenhum outro ser humano até o tempo de Tyndale (incluindo o próprio
Tyndale) estava ciente do que queremos dizer por" universo ", parece
prudente selecionar outra palavra, da lista acima ou em outro
lugar. Proponemos "céu", uma vez que isso certamente está mais próximo
do que os antigos hebreus - aqueles que primeiro ouviram o relato de
Gênesis - representados mentalmente.
Therefure: shemayim = céu (não universo).
• 'eretz: terra (1543 vezes em KJV), terra (712 vezes), país (140 vezes),
caminho (3 vezes), terra.
Seguir Tyndale e traduzir ' eretz como "terra" é enganar o leitor do
moderno-dia para imaginar o "Planeta Terra", pois isso é o que a palavra
"terra" inevitavelmente evoca para nós no contexto de uma
cosmologia. Como antes, o que Tyndale poderia fugir (sem fazer injustiça
ao texto hebraico) já não é possível para nós. "Terra" - o equivalente em
inglês mais usado para ' eretz - é muito menos provável de induzir em
erro. Isto, no entanto, não é meramente a terra como no imobiliário, mas
também (e muitas vezes) a terra como em "terra prometida" ou "terra de
Israel" ( "Eretz Israel é agora o estado de Israel).
Portanto: ' eretz = terra (não terra).
• raqia: superfície estendida (sólida), abóbada do céu que suporta as águas
acima, firmamento, abóbada, abóbada.
Como vimos, shemayim e eretz - as palavras inglesas usadas por Tyndale (e
a maioria de seus sucessores) - passaram a significar coisas bem diferentes
ao longo do último meio milênio. O Gênesis "terra" tornou-se "Planeta
Terra"; O Gênesis "céu" tornou-se "universo". Ao traduzir raqia
enfrentamos um desafio diferente, mas igualmente difícil. O que a palavra
ainda significava quando Tyndale estava decidindo como torná-la em
inglês era uma cúpula rígida (provavelmente metálica) do céu, que nos
cercava e protegia. Ele pensou que o sol ea lua seriam incorporados no
firmamento junto com as estrelas "fixas", e que toda a assembléia girava
em torno de um eixo que apontava para a Estrela Polar. Não acreditamos
mais que seja esse o caso. Na verdade, não acreditamos que exista um
"firmamento". "Perante esta situação hoje, os tradutores têm ido em duas
direções. Um grupo, pouco disposto traduzir o hebraico enquanto lê, traduziu o
raqia como a "extensão", inteiramente ciente que o leitor médio interpretará
a "expansão" como a "extensão atmosférica" (que existe mas que o
hebraico não suporta de todo) . O outro grupo de tradutores
traduziu raqia "cúpula" ou "cofre", não se preocupando com o fato de que
a exploração espacial não encontrou nenhuma evidência de tal
entidade. "Plenamente ciente de que o leitor médio interpretará" expansão
"como" extensão atmosférica "(que existe, mas que o hebraico não suporta
em tudo). O outro grupo de tradutores traduziu raqia "cúpula" ou "cofre", não se
preocupando com o fato de que a exploração espacial não encontrou
nenhuma evidência de tal entidade. "Plenamente ciente de que o leitor
médio interpretará" expansão "como" extensão atmosférica "(que existe,
mas que o hebraico não suporta em tudo). O outro grupo de tradutores traduziu
raqia "cúpula" ou "cofre", não se preocupando com o fato de que a
exploração espacial não encontrou nenhuma evidência de tal entidade.
Portanto: raqia = abóbada (não "firmamento" e certamente não "extensão
atmosférica").
• ereb: noite, crepúsculo ; Pôr-do-sol, aproximar-se da escuridão,
significando perigo e, portanto, pavor.
Com 'ereb os problemas dos tradutores continuam. O problema surge
devido ao papel único que 'ereb desempenha no relato de Gênesis,
repetidamente associado com boqer, " amanhecer ". O KJV historicamente
dominante traduziu esta associação como simples adição: a noite mais a
manhã equivale ao "dia". No entanto, o texto hebraico Na verdade diz que
havia noite; Então quando a luz deslocou a escuridão, "dia" veio a
ser. Essa chegada de luz, porque era a primeira vez que a luz vinha, era
"um dia". Em breve haverá "um segundo", "um terceiro", etc., como
refletido em NRSV, NIV , E outras traduções recentes. Tomando nota da
explicação imediatamente anterior de que "Deus chamou a luz 'dia' e
chamou a noite de escuridão, "Uma interpretação mais apropriada do texto
como o autor a verbalizou e os hebreus antigos ouviu-se que a" escuridão
"não era um componente intrínseco do dia, mas um" não-dia
"precedente. Não mereceu a aprovação de Deus como "bom". Em outras
palavras, foi o amanhecer, não a escuridão, que inaugurou o dia; A escuridão
não era a primeira parte de cada dia, mas sim a separação entre os dias. Esta
compreensão do texto é confirmada pelo fato de que, apesar das freqüentes
alegações em contrário, o dia para os antigos hebreus começou de manhã
(ver Gênesis 19:33, 34, 19: 9, 1 Sam. 19: 11). Não foi até o período
intertestamental que um dia cada semana - o sábado - começou no pôr-do-
sol.
Portanto: ereb = recolhimento-escuridão (não apenas "noite").
• boqer: manhã, pausa do dia, alvorada, aproximação do dia, connotando
segurança e alegria.
Boqer, em contraste com 'ereb, significa não só a manhã, mas muitas vezes, na
Escritura, connotes o alívio ea alegria que acompanha a luz do dia que
conquista a escuridão.
Portanto: boqer = madrugada de boas-vindas (não simplesmente "manhã").
• wahayah: e foi, e houve, e veio a ser, e veio a ser (como em "e foi
recolhendo a escuridão e veio a ser amanhecer").

Wahayah é uma palavra hebraica composta que combina (1) uma terceira
pessoa singular do verbo "ser" - foi, veio a ser, houve, veio a ser - com (2)
a conjunção onipresente "e", que Poderia significar "agora" (em um
sentido lógico mais do que cronológico), ou às vezes nada mais do que o
falante está continuando (algo como um "uh" ou "um" na fala
inglesa). Neste último caso, é frequentemente deixada sem tradução.
Com wahayah chegamos à palavra que relaciona
'ereb a boqer. Embora raramente seja feito, não há nenhuma razão inerente
para que o composto wahayah não possa ser traduzido de uma maneira em
uma frase e de forma diferente na frase imediatamente seguinte se a
mudança mais claramente transmite o significado do texto
original. Assim, sugerimos que "Houve recolhimento-escuridão; Veio a
ser amanhecer, primeiro dia. "Com tal tradução o texto de Gênesis
finalmente faz sentido. Considerando que a KJV influente ", e foi a tarde
ea manhã, o primeiro dia", parece (erroneamente) para incluir "escuridão"
como parte integrante do "dia"), que, iniciando-dia todos os dias
foi precedida pela escuridão Dominando em toda parte;
Portanto: wahayah. . . Wahayah = houve. . . Veio a ser.
Assim, traduzimos Gênesis 1: 1-8:

"Para começar, Deus criou o céu e a terra. Ora, a terra estava sem forma
e sem função, a escuridão cobria a água eo Espírito de Deus pairava sobre
a superfície do abismo. Deus disse: "Que haja luz"; Luz veio a ser, e Deus
viu que a luz funcionou bem. Deus separou a luz das trevas, e chamou a
luz "dia" ea escuridão "noite". Houve recolhimento - escuridão; Veio
um amanhecer, um dia [da criação].

"Deus disse:" Que haja uma abóbada dentro da água, e separe a água ".
Deus fez a abóbada e separou a água debaixo da abóbada da água acima
da abóbada, e assim veio a ser. Deus chamou a abóbada de "céu".
Houve recolhimento - escuridão; Veio a ser amanhecer, um segundo
[Criação] -dia. " [1]
Com esta tradução, poucos leitores modernos confundem o texto com
qualquer outra coisa que não seja o que é - uma explicação por e para os
antigos hebreus. Ele fala em linguagem que os primeiros ouvintes
entenderam prontamente: sua casa, seu mundo de "céu" e "terra" tinham
nascido pela vontade de um Criador transcendente. Nós, com milhares de
anos de informação acumulada (embora não necessariamente maior
sabedoria), inevitavelmente usamos linguagem bastante diferente. Mas a
verdade inspiradora e inspiradora é a mesma: nossa casa planetária, ligada
a uma estrela não espetacular num canto de uma galáxia que chamamos
de Via Láctea, veio à existência pela vontade de um Criador
transcendente.

Além disso - e muito mais importante do que qualquer uma das nossas
modernas percepções cosmológicas - através da história subsequente dos
hebreus e especialmente através da vida, morte e ressurreição de Jesus de
Nazaré - que é para nós o Cristo, o Messias, o Ungido, A suprema
revelação da relação do Criador com a criação - sabemos que o Criador
transcendente é também amor transcendente.