Você está na página 1de 7

Necessidades Nutricionais de Vacas Leiteiras

Um sistema de alimentação para vacas em lactação, para ser implementado, é


necessário considerar o nível de produção, o estágio da lactação, a idade da vaca, o consumo
esperado de matéria seca, a condição corporal, tipos e valor nutritivo dos alimentos a serem
utilizados.
O estágio da lactação afeta a produção e composição do leite, o consumo de
alimentos e mudanças no peso vivo do animal.
Período seco:
O período seco, compreendido entre a secagem e o próximo parto. Em rebanhos
bem manejados sua duração é de 60 dias.
Concentrado: O concentrado para vacas em lactação deve apresentar de 18% a 22%
de proteína bruta (PB) e acima de 70% de nutrientes digestíveis totais (NDT), fornecido na base
de 1 kg para cada 2,5 kg de leite produzidos.

Dieta completa:
A relação concentrado/volumoso é maior para vacas de maior produção de leite. De
forma mais generalizada, sugere-se, na tabela abaixo, as relações concentrado/volumoso.

Água e mistura mineral:


Para animais mantidos a pasto, o método mais prático de suplementar minerais é
deixando a mistura (comprada ou preparada na própria fazenda) disponível em cocho coberto,
à vontade. Vacas em lactação requerem uma quantidade muito grande de água, uma vez que
o leite é composto de 87% a 88% de água e 12% a 13% de sólidos. Ela deve estar à disposição
dos animais, à vontade e próxima dos cochos.

Fatores que Influenciam nas Exigências Nutricionais de Bovinos:

Espécie animal, Estado Fisiológico,


Sexo, Atividade Física,
Peso do animal, Condições Ambientais,
Nível de produção (Leite, etc...), Alimentação e Manejo.

Efeitos na Fisiologia do Animal, em relação ao Conteúdo Energético na Dieta.

Efeitos de Uma Dieta Pobre em Energia:

Crescimento Lento, Diminui o ganho de peso e produção de


Aumenta a idade para atingir a leite,
puberdade, Os animais são menos resistentes a
Fertilidade comprometida, doenças e parasitas.
Efeitos de Uma Dieta com Excesso de Energia:

Acúmulo de gordura; É prejudicada a eficiência de produção e


Desequilíbrio com os outros reprodução;
nutrientes; O acumulamento de gordura corpórea é
Problemas metabólicos; um processo metabólico mais caro.

Efeitos na fisiologia do Animal, em relação ao conteúdo Protéico na Dieta.

Efeitos de Uma Dieta Pobre em Proteína:

Abaixo de 6% PB existe uma diminuição da ingestão voluntária dos alimentos;


Redução da função ruminal;
Retardamento do crescimento, produção de leite e afeta negativamente a
reprodução.

Efeitos de Uma Dieta Com Excesso de Proteína:

Quando suficiente energia resulta em uma maior produção;


Perdas de nitrogênio na forma de amônia por meio da urina, usada como fonte de
energia;
Desequilíbrio com os outros nutrientes;
Diminuição no consumo voluntário.

Exigências nutricionais de bovinos de corte - N.R.C. - Beef Cattle, 1996.

Animais em crescimento com peso vivo de 295kg - peso ao abate de 454kg (28%
gordura corporal).

Quadro 2 - Exigência nutricional de acordo com o ganho de peso.

Ganho médio Ganho médio Ganho médio


diário 0,290kg diário 0,800 diário 1,220kg
Mat. seca ing.
7,9 8,3 8,1
(MSI) (kg/dia)
Eng. líq.
0,99 1,34 1,67
mantença (Mcal/kg)
Eng. líq.
0,44 0,77 1,06
ganho (Mcal/kg)
Proteína.
6,9 9,2 11,5
bruta (% MS)
Cálcio (%MS) 0,20 0,32 0,42
Fósforo (% MS) 0,12 0,17 0,21
Animais em engorda com peso vivo de 409 kg - peso ao abate de 545kg (28% de gordura
corporal).

Quadro 3 - Exigência nutricional de acordo com o ganho de peso.

Ganho médio Ganho médio Ganho médio


Exigência nutricional
diário 0,330 kg diário 0,910 diário 1,380kg
Mat. seca ing.
10,0 10,6 10,3
(MSI) (kg/dia)
Eng. líq. mantença
0,99 1,34 1,67
(Mcal/kg)
Eng. líq. ganho
0,44 0,77 1,06
(Mcal/kg)
Proteína. bruta
6,6 8,4 10,2
(% MS)
Cálcio (% MS) 0,19 0,28 0,37
Fósforo (% MS) 0,12 0,16 0,20

Novilhas prenhas com peso à maturidade de 533 kg, 15 meses de idade à concepção.

Quadro 4 - Exigência nutricional de acordo com os meses de gestação.

3 meses 6 meses 8 meses


Exigência nutricional
após concepção após concepção após concepção
Mat. seca ing.
9,5 10,2 10,7
(MSI) ( kg/ dia)
Eng. líq. requerida
8,88 10,54 13,22
(Mcal/dia)
- Mantença 6,30 6,77 7,07
- Crescimento
2,42 2,59 2,71
(390 g/dia)
- Prenhês 0,16 1,18 3,44
Prot.metabol.
437 501 613
requerida (g/dia)
- Mantença 311 334 349
- Crescimento
119 117 113
(390 g/dia)
- Prenhês 7 50 151
Proteína bruta
652,2 747,8 915
requerida (g/dia)
Cálcio
20 20 33
requerido (g/dia)
- Mantença 11 12 13
- Crescimento
9 8 8
(390 g/dia)
- Prenhês 0 0 12
Fósforo requerido
12 10 20
(g/dia)
- Mantença 8 9 10
- Crescimento
4 3 3
(390 g/dia)
- Prenhês 0 0 7
Vacas Angus com peso vivo de 533 kg e 8 kg de leite no pico de produção

Quadro 5 - Exigência nutricional de acordo com a fase de lactação.

2 meses 6 meses 10 meses


Exigência nutricional
após nascimento após nascimento após nascimento
Mat. seca ing.
12,23 11,90 11,28
(MSI) ( kg/ dia)
Eng. líq. requerida
15,99 12,64 10,62
(Mcal/dia)
- Mantença 10,25 10,25 8,54
- Lactação 5,74 2,23 0
- Prenhês 0 0,16 2,08
Prot.metabol.
840 592 510
requerida (g/dia)
- Mantença 422 422 422
- Lactação 418 163 0
- Prenhês 0 7 88
Proteína bruta
1.253,7 883,6 761,2
requerida (g/dia)
Cálcio
36 24 28
requerido (g/dia)
- Mantença 16 16 16
- Lactação 20 8 0
- Prenhês 0 0 12
Fósforo requerido
24 17 18
(g/dia)
- Mantença 13 13 13
- Lactação 11 4 0
- Prenhês 0 0 5

EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS DOS SUÍNOS

As exigências nutricionais dos animais podem ser definidas como a quantidade de


nutrientes que um animal necessita para otimizar um ou mais fatores de produção, como o
ganho de peso, a conversão alimentar, a deposição de carne magra, etc. (Pomar & Bailleul,
1999 apud Lavandoscki, 2007).
As exigências nutricionais dos suínos variam de acordo com:
• Potencial genético;
• Idade;
• Sexo;
• Peso ;
• Fase produtiva.

Carboidratos:

 Fonte principal da energia das rações dos suínos;


 Principal fonte de gordura;
 Fonte de certas vitaminas como a riboflavina e o ácido ascórbico ;
Lípidios:

 Constituem uma forma de armazenagem e fonte de energia;


 Protegem o organismo do frio;
 São componentes estruturais do tecido nervoso;
 A falta deste nutriente pode provocar caída de pêlos, dermatite escamosa, áreas
necróticas na pele, atraso na maturação sexual, vesícula biliar pequena e uma série de
outros transtornos.

Proteínas:

 Função estrutural;
 Manutenção e reparo de tecidos;
 Formação de enzimas e hormônios;
 Fonte de energia.

Aminoácidos:

 Função estrutural;
 Manutenção e reparo de tecidos;
 Formação de enzimas e hormônios;
 Fonte de energia.

Vitaminas:

 “Aminas da vida”;
 Indispensáveis ao desenvolvimento é a manutenção da vida;
 Requeridas em pequenas quantidades e não sintetizadas pelo organismo;
 Devem ser fornecidas aos suínos, as vitaminas A, D, E, K, biotina, colina, folacina,
niacina, ácido pantotênico, riboflavina (vitamina B2), tiamina (vitamina B1), vitamina
B6 e vitamina B12.

Minerais:

 As necessidades quantitativas de minerais no organismo são pequenas, mas suas


funções são vitais;
 Para os suínos devem ser fornecidos os seguintes minerais: cálcio, fósforo, sódio,
cobre, ferro, manganês, zinco, iodo e selênio. Outros minerais como o potássio,
magnésio, cloro e enxofre estão presentes em abundância nas dietas. O cobalto é
fornecido pela suplementação de vitamina B12.

Água:

O mais importante dos nutrientes a perda de um décimo de sua água resulta em


morte. A mesma deve ser sempre fresca, pura e à vontade.
A exigência em água depende de fatores: temperatura, umidade relativa do ar,
idade, peso vivo, estágio ou ciclo reprodutivo, quantidade de ração consumida, teor de
matéria seca na dieta, composição da ração (proteína, aminoácidos, sódio e potássio) e sua
palatabilidade.
Ingestão condicionada pelas exigências do organismo: influenciadas pela qualidade e
temperatura da água, fluxo de água e tipo de bebedouros, modelo da instalação e estado de
saúde dos animais .

Limites de nutrientes para as fases de pré-inicial e inicial

Limites de nutrientes para a fase de crescimento

Limites de nutrientes para a fase de terminação

Limites de nutrientes para a as fases de reposição e gestação


Limites de nutrientes para a fase de lactação

Você também pode gostar