Você está na página 1de 4

Resumão sobre Harmonia

Intervalos

Intervalo é o espaço entre notas. Ou distância sonora entre as notas. O violão é um instrumento
visual onde cada casa representa ½ tom de intervalo. A cada 2 casas temos 1 tom. (na mesma
corda)

Vamos analisar no violão a escala de Dó (C). A escala de Dó começa por C e termina em C, 1


oitava acima. A primeira nota da escala é C, a segunda é D, terceira E, …. Oitava C novamente
(uma oitava acima 😉 ).

Na 2ª corda (B) a representação da escala de C é a seguinte: C, D, E, F, G, A, B, C

Observe então os intervalos:

C - 1 - D - 1 - E - ½ - F - 1 - G - 1- A - 1 - B - ½ - C

Intervalos: 1 1 ½ 1 1 1 ½.

TOM - TOM - SEMI TOM- TOM - TOM - TOM - SEMI TOM

Essa é a regra básica para o TOM de uma escala em termos de intervalos.

Importante: Na escala de C todas as notas são naturais, não há acidentes (Sustenido ou Bemol).

Para representar acidentes, usamos o símbolo # (Sustenido) ou b (Bemol). O sustenido aumenta


½ tom na nota e o bemol diminui ½ na nota.

C# = Dó sustenido

Cb = Dó bemol

Entre o C e o D na escala do violão seria a 2ª corda na 2ª casa. Podemos representar essa nota
por C# ou por Db. Estamos falando aqui de notas puras, não acordes (conjunto de notas).

Transcrição para outros tons

Considere agora a escala de D. Teríamos que ter a mesma estrutura de intervalos, ou seja:

1 1 ½ 1 1 1 ½.

D E F G A B C D

Olhando as distâncias entre as notas, observando a escala no desenho do violão acima, temos:

NOTAS INTEVALO INTERVALO NATURAL

Entre D e E 1 1
Entre E e F ½ 1
Entre F e G 1 ½
Entre G e A 1 1
Entre A e B 1 1
Entre B e C ½ 1
Entre C e D 1 ½

Observe que esse intervalo precisa de um ajuste para respeitar a regra básica de intervalos
baseados em C. Então temos que introduzir acidentes para que a escala fique natural.

NOTAS INTEVALO INTERVALO NATURAL

Entre D e E 1 1
Entre E e F# 1 1
Entre F# e G ½ ½
Entre G e A 1 1
Entre A e B 1 1
Entre B e C# 1 1
Entre C# e D ½ ½
A escala correta de D então seria:

D E F# G A B C# D

Achar os acidentes necessários para ajustar o tom é uma questão de matemática simples.

Faça exercícios para todas as escalas.

Dica: As únicas escalas onde o F não tem acidentes são as escalas de C e F. Todas as outras
terão o F#

Acordes

Acordes são um conjunto de notas tocados juntos. Não vou demonstrar como esses acordes são
formatos numa escala. Apenas considere que o acorde básico da escala harmônica para
qualquer tom seria representado pela cifra abaixo:

X7M - Xm7 - Xm7 - X7M - X7 - Xm7 - X⌀

X7M = Acorde com sétima maior

Xm7 = Acorde menor com sétima

X7 = Acorde com sétima

X⌀ = Acorde meio diminuta

Exemplo para escala de C:

C7M - Dm7 - Em7 - F7M - G7 - Am7 - B⌀

Estes acordes são acordes perfeitos, ou seja, formados por ao menos 4 notas. No violão é
normal encontrar cifras com acordes formados por tríades, o seja, 3 notas. Tipo C = Dó.

Também é comum tratar um acorde menor com sétima apenas por menor. Exemplo: Am7 = Am

Transposição de Acordes (Tom da música)

Imagine uma música em tom de D. Ela tem que respeitar as regras de intervalo e formatos de
acordes. Semelhante ao exemplo ilustrado na parte de intervalos, teremos para a escala de D os
acidentes F# e C#. Então:

D7M - Em7 - F#m7 - G7M - A7 - Bm7 - C#⌀

Faça exercícios de transposição para todas as escalas.

Como descobrir em que tom está uma música?

A maior questão de todas para todo iniciante músico é descobrir o tom de uma música.
Geralmente a primeira nota da música pode dar uma pista do tom dela, mas isso não é sempre
verdade. Para complicar, muitas músicas não respeitam exatamente a escala natural e colocam
acordes dissonantes no meio, ou mesmo trocam o tom em determinado trecho. Mas o tom
predominante pode ser observado utilizando uma comparação por padrão na formação básica
harmônica.

Existem alguns macetes para facilitar sua vida. Observe na formação que só há um acorde com
sétima (X7). Esse é a 5ª nota da sequencia harmônica. Por exemplo, no tom de C7M, a 5ª é G7.
Portanto, se você bater um olho numa música que tenha uma nota com sétima, conte 4 notas
para trás (ou 3 notas à frente, o que é mais fácil) que você encontrará o tom dela.

Exemplo: uma música que tenha D7 em algum lugar. Conte 3 notas à frente: E F G. O tom da
música deve estar em G7M ou apenas G. Então essa música deve ter as seguintes notas, caso
esteja dentro de um campo harmônico perfeito: G7M - Am7 - Bm7 - C7M - D7 - Em7 - F#⌀. As
notas devem estar em qualquer ordem dentro da música, mas se você sabe o tom dela, vai ficar
bem mais fácil de você tocá-la de ouvido.

Existem muitas variáveis e muitas sutilezas que serão observadas à medida que você for ficando
mais experiente.

Outra dica: Se uma música está em tom menor, tipo Am, Bm, considere o tom relativo maior dela.
Para achar o tom relativo maior, ande um tom e meio na escala. 1 + ½. Exemplo, se você ler que
uma música está em Am, um tom e meio acima será a nota C. Então considere que essa música
está em C. Se estiver em Bm = D.

Esse resumo omite uma série de regras importantes, mas tornaria o texto muito longo.

Bons estudos e boa música!