Você está na página 1de 144

“P.C.M.A.

T”
PROGRAMA DE CONDIÇOES DO MEIO AMBIENTE DE TRABALHO
CLT- NR18

MPG CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA.

Janeiro/2014
Caratinga / Minas Gerais
Rua: Praça Cesário Alvim, Centro, 228 Sala: 202 - Caratinga
CEP: 35300-037, Tel.: (33)33219952
E-mail: mpgconstrutora@hotmail.com
Site: www.mpgconstrutora.com.br

1
IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA:

Razão Social: MPG construtora e Incorporadora ltda.


Endereço: Praça Cesário Alvim, Centro, 228, Sala202
Município: Caratinga – MG
CEP: 35300-037
Fone: (33)33219952
CNPJ: 13.751.114/0001-15
CEI: 13.751.114/0001-15
Grau de risco: 03
Código de atividade: 4120-4
Numero estimado de funcionários: 20
Engenheiro civil: Carlos Henrique Carvalho Junior
CREA: 86260/D-MG
Prazo de execução: 02 Anos
Área a ser construída: 720,00m
Hospital a ser encaminhado em caso de acidente: Nossa Senhora Auxiliadora /
Pronto Socorro/ tel.(33)3321-6400
Tipo de obra: vertical e horizontal
Número de pavimento: 07 pavimentos com o térreo,
Tipos de sistema de escavação: Convencional, manual com auxílio de bate
estaca, empregando-se pás-carregadeiras e maquinas, para
realização de poços e sapatas.
Fundações: será feita de estaca escavada tipo broca
Estrutura: reticulada de concreto armado convencional (pilares, vigas e Lajes),
executado com sistemas de forma de madeira e metálica.
Fechamento: Alvenaria, e placas de isolante térmico composta por PVC,
alumínio e isopor e concreto.
Cobertura: A estrutura convencional metálica composta de tesouras e terças a
estrutura será fixada por meios de arrancos metálicos chumbados
na laje de cobertura com telhas de fibrocimentos onduladas, com
espessura igual a 5 mm, sem amianto. Serão utilizadas calhas em
chapa galvanizada e condutores em PVC

Responsável pela elaboração do PCMAT:

Engenheiro de segurança do trabalho

2
RESPONSABILIDADES

ADMINISTRAÇÃO, ENGENHARIA E ENCARREGADOS.

1. Coordenação e a implantação dos programas de segurança na empresa,


acompanhando seu desenvolvimento e corrigindo os desvios apresentados;
2. Apuração dos acidentes e incidentes de sua empresa;
3. Fiscalizar a execução dos serviços sob o aspecto de segurança, impedindo
sua continuidade quando forem colocados em risco pessoal, equipamentos,
ferramental ou instalações direta ou indiretamente envolvidas;
4. Gerir as atividades de segurança do Trabalho voltado para a prevenção de
acidentes eliminando antecipadamente as causas e com isso minimizando as
conseqüências;
5. Propor melhorias contínuas no programa PCMAT através de reorientação e
conscientização quanto a Segurança do Trabalho a todos os envolvidos no
trabalho, sobre os atos e condições inseguras inerentes ao seu serviço;
6. Manter um permanente relacionamento com as equipes de executantes e
supervisores, promovendo a realização de atividades e conscientização,
educação e orientação, valendo-se também das observações feitas por estas
equipes;
7. Inspeção das áreas e dos equipamentos quanto a Segurança do Trabalho;
8. Coordenar os treinamentos de Segurança do Trabalho;
9. Analisar e revisar, durante o andamento do empreendimento, os métodos e
os procedimentos de execução estabelecidos sob o aspecto de prevenção de
acidentes, com o Auxilio do setor de produção;
10. Cumprir e fazer cumprir tudo mais que seja de responsabilidade da área de
Segurança do Trabalho;
11. Executar e operacionalizar o PCMAT;
12. Seguir o cronograma de implantação e execução do PCMAT;
13. Apoiar na promoção dos programas de treinamento dos trabalhadores sobre
o PCMAT;
14. Divulgar o programa na Empresa.
15. Supervisionar os empregados para assegurar que os procedimentos corretos
de trabalho estão sendo observados;
16. Assegurar que os equipamentos e máquinas estejam em perfeito estado de
utilização;
17. Garantir a ordem e limpeza de sua área de trabalho;
18. Informar sobre riscos ambientais e procedimento de controle;
19. Manter a Gerência da Obra informados das questões de segurança e saúde
de sua área;
20. Colaborar na investigação de acidentes ou doenças e na adoção de medidas
preventivas;
21. Cumprir e apoiar todas as Normas e Recomendações de Prevenção de
Acidentes

3
P.C.M.A.T.
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO
NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
NR 18

18.1. OBJETIVOS E CAMPO DE APLICAÇÃO

18.1.1 Esta Norma Regulamentadora-NR estabelece diretrizes de ordem


administrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a
implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de
segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho
na Indústria da Construção.

18.1.2 Consideram-se atividades da Indústria da Construção as constantes do


Quadro I, Código da Atividade Específica, da NR-4-Serviços Especializados
em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho.

18.1.3 É vedado o ingresso ou a permanência de trabalhadores no canteiro de


obras, sem que estejam assegurados pelas medidas previstas nesta NR e
compatíveis com a fase da obra.

18.1.4 A observância do estabelecido nesta NR não desobriga os empregadores


do cumprimento das disposições relativas às condições e meio ambiente
de trabalho, determinadas na legislação federal, estadual e/ou municipal, e
em outras estabelecidas em negociações coletivas de trabalho.

18.3.1.2 O PCMAT deve ser mantido no estabelecimento à disposição do órgão


regional do Ministério do Trabalho – MTE.

NR- 9

“9.2.1 O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais deverá conter, no mínimo, a


seguinte estrutura:
a) planejamento anual com estabelecimento de metas, prioridades e cronograma;
b) estratégia e metodologia de ação;
c) forma do registro, manutenção e divulgação dos dados;
d) “periodicidade e forma de avaliação do desenvolvimento do PPRA.”

EMPREENDIMENTO:

Obra de construção Civil Residencial multi – familiar

OBJETIVO E JUSTIFICATIVA DA EXISTÊNCIA DO PROGRAMA DE CONDIÇÕES EMEIO


AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO:

OBJETIVO DO PCMAT

O programa visa:
- Garantir a saúde e integridade física dos trabalhadores;
- Evitar ações ou situações perigosas por falta de prevenção;
- Definir atribuições, responsabilidade e autoridade ao pessoal que administra, desempenha
e verifica atividades que influem na segurança e que intervêm no processo produtivo;
- Determinar as medidas de proteção e prevenção;
- Fazer a previsão dos riscos que derivam do processo de execução da obra;
- Aplicar técnicas de execução que reduzam ao máximo possível estes riscos.
4
ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADE

Gerência da Obra:

- Cumprir e fazer cumprir as normas regulamentadoras da portaria n.º 3214 / 78 do


Ministério do Trabalho, bem como, os procedimentos internos da Empresa quanto à
Segurança e Medicina do Trabalho (PCMAT e PCMSO);
- Apoiar moral e financeiramente os Programas de Segurança e Medicina do Trabalho da
Empresa (PCMAT e PCMSO);
- Acompanhar os resultados dos programas de Segurança do Trabalho.

Engenheiro de Obra:

Cumprir e fazer cumprir as normas regulamentadora da Portaria n.º 3214/78 do Ministério do


Trabalho, bem como, os procedimentos internos da Empresa.
Exigir de seus subordinados o uso obrigatório dos equipamentos de proteção individual.
Instruir sua equipe de trabalho sobre as normas e regulamentos de segurança para cada
serviço a ser executado.
Cumprir e fazer cumprir, rigorosamente, procedimentos de segurança estabelecidos pela
Empresa.
Providenciar correção das situações de riscos verificadas na sua área de atuação.
Comunicar a ocorrência de acidentes ou incidentes, ocorridos no canteiro de obra.
Planejar a execução das tarefas, de modo a prevenir falhas que possam causar perdas
humanas, materiais / e ou financeiras.
Divulgar este manual a todos os funcionários envolvidos direta ou indiretamente com as
diversas atividades do canteiro de obra, bem como zelar e obrigar o cumprimento das
normas estabelecidas.
Providenciar tudo o que for necessário para o cumprimento das normas estabelecidas neste
manual.
Solicitar treinamento ao Departamento de Segurança da Empresa para todos os
funcionários.

Encarregados:

Exigir de seus subordinados o uso obrigatório dos equipamentos de proteção individual.


Instruir sua equipe de trabalho sobre as Normas e procedimentos de Segurança para cada
serviço a ser executado.
Cumprir e fazer cumprir, rigorosamente, procedimentos de segurança estabelecidos pela
Empresa.
Inspecionar as instalações, equipamentos e ferramentas de serviço, providenciando
correção das situações irregulares.
Comunicar a ocorrência de acidentes e incidentes, sucedidos na sua área, ao Serviço de
Segurança do Trabalho. Investigar suas causas e propor medidas corretivas e preventivas.

Garantir o perfeito funcionamento dos dispositivos de proteção coletivos.

5
Trabalhadores:

Usar obrigatoriamente os equipamentos de proteção individual, de maneira correta, e zelar


pela sua conservação.
Executar as diversas tarefas, de maneira correta e segura, de acordo com as
recomendações da Empresa.
Zelar pela guarda e conservação adequada dos equipamentos e ferramentas de trabalho.
Eliminar situações de risco ou, na impossibilidade, comunicar ao seu chefe imediato.
Alertar seus colegas de trabalho quanto ao uso dos equipamentos de segurança e à prática
de segurança do trabalho.
Cumprir as orientações dadas durante os treinamentos.

Departamento de Segurança da Empresa:

Acompanhar e controlar os programas de prevenção de acidentes do trabalho, bem como,


avaliar os resultados.
Promover a realização de atividades de conscientização, educação e orientação dos
recursos humanos da empresa, com relação à prevenção de acidentes.
Manter cadastro de acidentes do trabalho.
Analisar os acidentes, investigando suas causas e propondo medidas corretivas.
Especificar equipamentos de proteção individual.
Analisar os riscos de acidentes e propor medidas preventivas e / ou corretivas.
Treinar os trabalhadores quanto aos riscos existentes no canteiro de obra, através da ordem
de serviço (segue modelo abaixo)

O PCMAT em consonância com o PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais


tem como objetivo assegurar a preservação da saúde dos empregados, identificando os
riscos de acidentes e da exposição aos agentes ambientais agressivos à saúde, informando
e protegendo os empregados potencialmente envolvidos em operações que apresentem
estes riscos.

Este é o objetivo do ponto de vista legal, e para que seja alcançado são estabelecidas
estratégias, definição de responsabilidade e de limitação de abrangência, pois se sabe que
nada que se faça, por melhor intenção que se tenha, logra sucesso, sem a adoção de uma
metodologia científica, ordenação de prioridades e ações objetivas para se obterem os
resultados esperados.

“O Programa de Prevenções de Riscos Ambientais – PPRA visa à preservação da saúde e


integridade dos trabalhadores através da antecipação, reconhecimento, avaliação e
conseqüente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir
no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos
recursos naturais.”

Este programa tem características essencialmente preventivas, objetivando manter em


todas as empresas que admitam trabalhadores em seus quadros, ambientes de trabalho
isentam de riscos ambientais que comprometam a saúde e integridade física dos seus
empregados.

No escopo da NR-09 - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, da Portaria n


3214/78 do MTE, consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos
existentes no ambiente de trabalho, os quais estejam em concentração ou intensidade
acima dos limites de exposição ou dos níveis de ação. Os níveis de ação representam
efetivamente o caráter preventivo da norma buscando corrigir os agentes de risco, na sua
forma ainda incipiente.

6
CAMPOS DE APLICAÇÃO

 Todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como


empregados;
 No âmbito de cada estabelecimento;
 Ação integrada entre diversas empresas trabalhando no mesmo local.
DAS RESPONSABILIDADES DO EMPREGADOR

 Estabelecer, implementar e assegurar o cumprimento do PCMAT, como atividade


permanente da empresa;
 Informar aos trabalhadores, de maneira apropriada e suficiente, sobre os riscos
ambientais que possam originar-se nos locais de trabalho, os meios disponíveis para
prevenir ou limitar tais riscos e para se proteger dos mesmos;
 Considerar o conhecimento e a percepção que os trabalhadores têm do processo de
trabalho;
 Permitir aos empregados interromperem imediatamente suas atividades, em caso de
ocorrência de riscos ambientais, que os coloquem em situação de graves e iminentes
riscos.

DOS EMPREGADOS

 Colaborar e participar na implantação e execução do PCMAT;


 Seguir as orientações recebidas nos treinamentos oferecidos pelo PCMAT;
 Informar ao seu superior hierárquico direto ocorrências que, a seu julgamento,
possam implicar em riscos à saúde e integridade física dos trabalhadores.

INTER- RELACIONAMENTO

 Com as demais Normas Regulamentadoras da Portaria 3214/78- Segurança e


Medicina do Trabalho, do MTE;
 Em particular com a NR-7, Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional –
PCMSO;
 Com as Normas Internacionais – (ACGIH, NIOSH, ISO).

METAS

Controlar os riscos ambientais existentes nos diversos ambientes


de trabalho com adoção de medidas de controle coletiva e individual;
Monitorar a exposição dos trabalhadores aos riscos ambientais existentes;
Preservar o meio ambiente e os recursos naturais;
Eliminar ou minimizar a níveis aceitáveis pela legislação a exposição de agentes
nocivos a saúde, tomando como base os limites de tolerâncias estabelecidos na NR 15;
Conscientizar todo conjunto de trabalhadores no tocante a prevenção de acidentes e
doenças do trabalho;
Atingir “Zero” acidente e doença do trabalho durante todo o período e etapas da obra

METODOLOGIA UTILIZADA PARA ELABORAÇÃO DO PCMAT

Este PCMAT foi norteado pela NR-18 e NR-9; foram levantados os riscos de acidentes (NR-
18), físicos (NR-9), químicos (NR-9), biológicos (NR-9) e ergonômicos (NR-17),
posteriormente foram levantados e descritos os EPI’s, EPC’s, procedimentos seguros e
treinamentos para o bom desempenho das atividades descritas em cada fase da obra.
7
DIVULGAÇÃO DOS DADOS.

Os resultados das medições ambientais serão colocados no quadro de aviso, visando


informar a todos os trabalhadores as condições do local de trabalho.

PERIODICIDADE, FORMA DE AVALIAÇÃO E REVISÃO DO PPRA/PCMAT.

O PPRA será revisado sempre que necessário e pelo menos uma vez ao ano com o objetivo
de avaliar o seu desenvolvimento e realizar os ajustes necessários, assim como o
monitoramento ou reavaliação para verificação da eficácia das medidas de controle
implementadas.
Salientando que o estudo desenvolvimento e implantação de medidas de proteção coletiva
deverão obedecer à seguinte hierarquia:

 Medidas que eliminam ou reduzam a utilização ou a formação de agentes


prejudiciais à saúde;
 Medidas que previnam a liberação ou disseminação desses agentes prejudiciais à
saúde; trabalho;
 Medidas que reduzam os níveis ou a concentração desses agentes no ambiente de
trabalho.

Desenvolvimento do PPRA/PCMAT

O PPRA terá as seguintes etapas:

 Antecipação e reconhecimento dos riscos ambientais (físicos químicos e biológicos).


 Estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle.
 Avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores.
 Implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia.
 Monitoramento da exposição aos riscos.
 Registro e divulgação dos dados.

O RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS DEVERÁ CONTER OS SEGUINTES


ITENS, QUANDO APLICÁVEIS:

a) a sua identificação;
b) a determinação e localização das possíveis fontes geradoras;
c) a identificação das possíveis trajetórias e dos meios de propagação dos agentes
no ambiente de trabalho;
d) a identificação das funções e determinação do número de trabalhadores
expostos;
e) a caracterização das atividades e do tipo da exposição;

f) a obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possível


comprometimento da saúde decorrente do trabalho;
g) os possíveis danos à saúde relacionados aos riscos identificados, disponíveis na
literatura técnica;
h) a descrição das medidas de controle já existentes.

8
ANTECIPAÇÃO E RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS

a) Agentes Físicos:Ruídos originados por máquinas pesadas, máquinas em geral,


serras circulares, betoneiras.
b) Agentes Químicos:Poeiras provenientes da manipulação de cimento,
preparação de concreto ou argamassa.
d) Riscos ergonômicos/análise ergonômica dos postos de trabalho: Esforço físico;
Levantamento e transporte manual de pesos; Postural;
DESCRIÇÃO DOS CARGOS (Ordem Alfabetica)

Função:
Assessora de Engenharia
Descrição das atividades:

Assessorar as atividades administrativas e operacionais da obra acompanhar na elaboração


de projetos de Engenharia Civil, coordenar a produtividade e qualidade da obra, realizar
inspeções na obra. Realizar avaliação da produção da obra diariamente; identificar e
providenciar soluções para as necessidades diárias da obra; realizar inspeções técnicas de
rotina; acompanhar relatórios; exercer supervisão, controle e acompanhamento na execução
da obra; elaborar controles com estimativas dos períodos, volumes e custos para gestão da
obra; garantir conservação e operacionalidade dos equipamentos e das instalações da obra.
Responsável por acompanhar projetos de segurança de acordo com o cronograma de
execução da obra. Manter o setor de construção civil da empresa em perfeitas condições de
controle e organização.
EPI’s obrigatórios: Capacete, calçado de segurança.
Condições Ambientais do Local de Trabalho

Inexistência de riscos ambientais específicos (quando foi realizada a inspeção técnica para a
confecção do presente documento, e em conformidade com as informações recebidas dos
responsáveis pela empresa, não foram identificados agentes nocivos de natureza química
física ou biológica, que devido a sua concentração e exposição ultrapassasse os limites
legais de tolerância).
Conclusão:
O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos
acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício da Aposentadoria
Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência Social Dec. 3.048 de
06/05/1999.

9
Função:
Encarregado de Obras

Descrição das atividades:

Gerenciar toda parte operacional e produção da obra, acompanhar as atividades a


serem realizadas nas frentes de trabalho, delegar tarefas diárias aos funcionários,
controle de produção. Realizar o controle das atividades desenvolvidas por
máquinas e equipamentos utilizados na empresa. Interpretar e implementar projetos
civis, analisar documentação técnica e controlar recursos produtivos da obra, tirar
medidas, realizar a marcação de fundações, inspeção de qualidade dos materiais e
insumos utilizados na obra, orientação sobre o fluxo e movimentação de materiais.
Controle de limpezas realizadas no canteiro de obras. Implementar e vistoriar as
medidas de segurança nas frentes de trabalho, supervisionar armazenamento de
materiais e ferramentas utilizadas. Manter o canteiro de obras em perfeitas
condições de controle e organização.

EPI’s obrigatórios: Capacete, calçado de segurança e protetor auricular.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Inexistência de riscos ambientais específicos (quando foi realizada a inspeção


técnica para a confecção do presente documento, e em conformidade com as
informações recebidas dos responsáveis pela empresa, não foram identificados
agentes nocivos de natureza química física ou biológica, que devido a sua
concentração e exposição ultrapassasse os limites legais de tolerância).

Conclusão:

O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou
biológicos acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício
da Aposentadoria Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência
Social Dec. 3.048 de 06/05/1999.

10
Função:
Pedreiro (Operador de serra manual)

Descrição das atividades:

Responsável pelo desenvolvimento das construções de edificações e estruturas metálicas,


elaborarem fundações para sapatas, erguer paredes e estruturas de alvenaria
de acordo com projetos civis da obra. Aplicar revestimentos em paredes, realizar
a instalação de contra pisos. Realizar o acabamento em estruturas de concreto e
concretar estruturas como vigas, pilares e lajes. Eventualmente operar serra
madeira manual no corte de madeiras, tábuas, eucaliptos, construir caixotes de
madeira para depósito de materiais utilizados na obra, construir e reformar
estruturas de madeira do canteiro de obras. Realizar amarração de vergalhões e
construção de armações de ferro, auxiliar na instalação de estruturas de
vergalhões em fundações de sapatas, realizarem o controle de movimentação
de entulhos nos locais determinados para o seu armazenamento. Compreender
e aplicar as instruções de acordo com o projeto da obra. Realizar a aplicação de
cerâmicas em paredes e pisos conforme a etapa da obra, eventualmente operar
serra circular manual (Makita) no corte de azulejos para acabamento de
paredes. Coordenar atividades desenvolvidas pelos serventes da obra. Manter o
controle e organização das ferramentas e materiais utilizados nas atividades
desenvolvidas no canteiro de obras.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Risco: Físico - Ruído


Fonte Geradora: Ruídos intermitentes na operação de máquinas.
Meios de Propagação: pelo ar. / Exposição: Intermitente
Possíveis danos a saúde: Efeitos extra-auditivo: irritabilidade, nervosismo.
Efeitos sobre o sistema auditivo: trauma acústico, surdez temporária, perda progressiva
da audição. Efeitos sobre a produção, rendimento e comunicação: perda da
atenção e dificuldades de comunicação.
Avaliação: Quantitativa – APARELHAGEM UTILIZADA: Foi utilizado medidor de Nível de
Pressão Sonora marca Instrutherm-DOS 500, analógico, range de 40 à 140 dB.
Foi utilizado calibrador Instrutherm, com ajuste de freqüência de 1.000 Hz para
94 e 114 dB. Os níveis de ruídos contínuos ou intermitentes foram medidos em
decibéis (dB A), com o medidor operando no circuito de compensação A e
circuito de resposta lenta (SLOW), na altura do ouvido do profissional, de acordo
com as técnicas utilizadas em Higiene do Trabalho.
Exposição: 83.3 dB (A)
Medidas de Controle: Controle no Ambiente: Optar por equipamentos menos ruidosos,
quando da sua aquisição. Manutenção preventiva de maquinas e equipamentos
com atenção a ressonância, devido a vibrações de partes metálicas. Reduzir
atritos mantendo a lubrificação dos equipamentos. Alinhar e balancear
rolamentos e eixos. Reduzir velocidade do motor elétrico quando possível.
Limitação do tempo de exposição. Controle no Trabalhador: Fiscalização
rigorosa quanto ao uso obrigatório do EPI (Protetor auricular tipo concha).
Fornecimento, registro, arquivamento de cópias do CA (Certificado de
Aprovação), treinamento e verificação das condições de conservação e

11
higienização periódica. Realização e acompanhamento de exames médicos
periódicos em conformidade com o PCMSO.
Função:

Pedreiro (Operador de serra manual)

Condições Ambientais do Local de Trabalho


Risco: Químico - Cimento
Fonte Geradora: Transporte e manuseio de cimento
Exposição: Habitual
Meios de Propagação:Contato com a derme.
Possíveis danos a saúde: Causar lesões na pele e mucosas por ação química,
Medidas de controle: Evitar o contato direto com o produto; uso obrigatório dos EPI’s (luvas
nitrílicas ou PVC, óculos de segurança e calçado de segurança).
Controle da exposição: Fornecer, treinar, registrar a entrega, fiscalizar rigorosamente o uso
dos EPI’s. Todo EPI com CA (Certificado de Aprovação) registro e arquivamentos das cópias
do CA, cronograma de treinamento, verificação das condições de conservação e
higienização periódica. Toda nota fiscal de aquisição deverá servir como evidência. Sem os
EPI’s não pode trabalhar.
Realização dos Exames médicos em conformidade com o PCMSO.
EPI’s obrigatórios: Capacete, Calçado de Segurança,capa de chuva, Óculos de segurança,
Máscara respiratória (PFF1), luvas nitrílicas ou PVC, luvas de raspa, Capacete com jugular,
quando há risco de queda acima de 2 metros de altura do piso utilizar cinto de segurança
tipo paraquedista. (Na operação de Serra madeira e serra circular uso obrigatório de protetor
auricular tipo concha).

Conclusão:
O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos
acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício da Aposentadoria
Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência Social Dec. 3.048 de
06/05/1999.

12
Função:
Servente (Operador de Betoneira)
Descrição das atividades:
Organizar e preparar os locais de armazenamento de materiais de trabalho no canteiro de
obras; auxiliar a erguer paredes e estruturas de alvenaria de acordo com projeto
civil. Realizar o transporte de materiais de construção como brita, areia, cimento
e vergalhões. Realizar o preparo de massa de concreto, distribuir a masseira
pronta em formas ou em locais específicos da obra, auxiliar no acabamento em
estruturas de concreto e concretar estruturas como vigas, pilares e lajes de
concreto. Realizar amarração de vergalhões e construção de armações de ferro,
auxiliar na instalação de estruturas de vergalhões em fundações de sapatas,
realizarem a movimentação de entulhos nos locais determinados para o seu
armazenamento. Realizar a organização e limpeza dos locais de trabalho.
Auxiliar na elaboração do relatório de controle de estoque de materiais utilizados
de acordo com cada etapa da obra. Realizar o controle das ferramentas
utilizadas nas atividades desenvolvidas na obra. Manter o canteiro de obras em
perfeitas condições de limpeza e organização. Eventualmente operar betoneira
no preparo de masseiras de concreto, adicionar os materiais na máquina como
brita areia, cimento e água de acordo com o projeto da obra, realizar a limpeza
do equipamento e conferir dispositivos de segurança da máquina. Conferir
entrega e armazenamento de materiais nos locais determinados.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Risco: Físico - Ruído


Fonte Geradora: Ruídos intermitentes na operação de máquinas.
Meios de Propagação: pelo ar. / Exposição: Intermitente
Possíveis danos a saúde: Efeitos extra-auditivo: irritabilidade, nervosismo.
Efeitos sobre o sistema auditivo: trauma acústico, surdez temporária, perda progressiva da
audição. Efeitos sobre a produção, rendimento e comunicação: perda da
atenção e dificuldades de comunicação.
Avaliação: Quantitativa – APARELHAGEM UTILIZADA: Foi utilizado medidor de Nível de
Pressão Sonora marca Instrutherm-DOS 500, analógico, range de 40 à 140 dB.
Foi utilizado calibrador Instrutherm, com ajuste de freqüência de 1.000 Hz para
94 e 114 dB. Os níveis de ruídos contínuos ou intermitentes foram medidos em
decibéis (dB A), com o medidor operando no circuito de compensação A e
circuito de resposta lenta (SLOW), na altura do ouvido do profissional, de acordo
com as técnicas utilizadas em Higiene do Trabalho.
Exposição: 83.6 dB (A)
Medidas de Controle: Controle no Ambiente: Optar por equipamentos menos ruidosos,
quanto a sua aquisição. Manutenção preventiva de maquinas e equipamentos
com atenção a ressonância, devido a vibrações de partes metálicas. Reduzir
atritos mantendo a lubrificação dos equipamentos. Alinhar e balancear
rolamentos e eixos. Reduzir velocidade do motor elétrico quando possível.
Limitação do tempo de exposição. Controle no Trabalhador: Fiscalização
rigorosa quanto ao uso obrigatório do EPI (Protetor auricular tipo concha).
Fornecimento, registro, arquivamento de cópias do CA (Certificado de
Aprovação), treinamento e verificação das condições de conservação e
higienização periódica. Realização e acompanhamento de exames médicos

13
periódicos em conformidade com o PCMSO.

Função:
Servente (Operadora Betoneira)

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Risco: Químico - Cimento


Fonte Geradora: Transporte e manuseio de cimento
Exposição: Habitual
Meios de Propagação: Contato com a derme.
Possíveis danos a saúde: Causar lesões na pele e mucosas por ação química,
Medidas de controle: Evitar o contato direto com o produto; uso obrigatório dos
EPI’s (luvas nitrílicas ou PVC, óculos de segurança e calçado de segurança).
Controle da exposição: Fornecer, treinar, registrar a entrega, fiscalizar rigorosamente
o uso dos EPI’s. Todo EPI com CA (Certificado de Aprovação) registro e
arquivamentos das cópias do CA, cronograma de treinamento, verificação das
condições de conservação e higienização periódica. Toda nota fiscal de aquisição
deverá servir como evidência. Sem os EPI’s não pode trabalhar.
Realização dos Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

EPI’sobrigatórios:Capacete, Calçado de Segurança,capa de chuva, Óculos de


segurança, Máscara respiratória (PFF1), luvas nitrílicas ou PVC, luvas de raspa,
Capacete com jugular, quando há risco de queda acima de 2 metros de altura do
piso utilizar cinto de segurança tipo paraquedista. (Na operação de Serra madeira e
serra circular uso obrigatório de protetor auricular tipo concha).

Conclusão:
O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou
biológicos acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício
da Aposentadoria Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência
Social Dec. 3.048 de 06/05/1999.

14
Função:

Servente de Pedreiro

Descrição das atividades:


Organizar e preparar os locais de armazenamento de materiais de trabalho no canteiro de
obras; auxiliar a erguer paredes e estruturas de alvenaria de acordo com projeto
civil. Realizar o transporte de materiais de construção como brita, areia, cimento
e vergalhões. Realizar o preparo de massa de concreto, distribuir a masseira
pronta em formas ou em locais específicos da obra, auxiliar no acabamento em
estruturas de concreto e concretar estruturas como vigas, pilares e lajes de
concreto. Realizar amarração de vergalhões e construção de armações de ferro,
auxiliar na instalação de estruturas de vergalhões em fundações de sapatas,
realizar a movimentação de entulhos nos locais determinados para o seu
armazenamento. Realizar a organização e limpeza dos locais de trabalho.
Auxiliar na elaboração do relatório de controle de estoque de materiais utilizados
de acordo com cada etapa da obra. Realizar o controle das ferramentas
utilizadas nas atividades desenvolvidas na obra. Manter o canteiro de obras em
perfeitas condições de limpeza e organização.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Risco: Químico - Cimento


Fonte Geradora: Transporte e manuseio de cimento
Exposição: Habitual
Meios de Propagação:Contato com a derme.
Possíveis danos a saúde: Causar lesões na pele e mucosas por ação química,
Medidas de controle: Evitar o contato direto com o produto; uso obrigatório dos EPI’s (luvas
nitrílicas ou PVC, óculos de segurança e calçado de segurança).
Controle da exposição: Fornecer, treinar, registrar a entrega, fiscalizar rigorosamente o uso
dos EPI’s. Todo EPI com CA (Certificado de Aprovação) registro e arquivamentos
das cópias do CA, cronograma de treinamento, verificação das condições de
conservação e higienização periódica. Toda nota fiscal de aquisição deverá
servir como evidência. Sem os EPI’s não pode trabalhar.
Realização dos Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

EPI’s obrigatórios: Capacete, Calçado de Segurança (Botas de PVC em trabalhos com


água), capa de chuva, Óculos de segurança, Máscara respiratória (PFF1), luvas
nitrílicas ou PVC, luvas de raspa, Capacete com jugular, quando há risco de
queda acima de 2 metros de altura do piso utilizar cinto de segurança tipo
paraquedista.

Conclusão:
O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos
acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício da
Aposentadoria Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência
15
Social Dec. 3.048 de 06/05/1999.

Função:

Supervisor de Construção Civil

Descrição das atividades:

Realizar inspeção, recebimento, organização, armazenamento e movimentação de materiais


utilizados na obra, verificar conformidades de procedimentos na entrega de mercadorias da
obra, liberar produtos e serviçostrabalhar de acordo com as normas e procedimentos
técnicos de qualidade supervisionar de perto a execução das obras e orientar a equipe de
trabalho, Fazer orçamentos e negociar os contatos com os fornecedores e prestadores de
serviço para garantir a qualidade final do produto. Realizar o controle de notas fiscais dos
produtos adquiridos pela empresa, conferir entregas de mercadorias no almoxarifado de
acordo com as notas fiscais.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Inexistência de riscos ambientais específicos (quando foi realizada a inspeção técnica para
a confecção do presente documento, e em conformidade com as informações recebidas dos
responsáveis pela empresa, não foram identificados agentes nocivos de natureza química
física ou biológica, que devido a sua concentração e exposição ultrapassasse os limites
legais de tolerância).

Conclusão:

O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos
acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício da Aposentadoria
Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência Social Dec. 3.048 de
06/05/1999.

16
Função:
Supervisor de Compras

Descrição das atividades:

Desenvolver o monitoramento das atividades financeiras da empresa, realizar a Emissão


Notas Fiscais e Faturas; realizar o controle de cobranças a serem realizadas (Contas a
receber).Realizar o controle de ordem de pagamentos de fornecedores, realizar o controle
de dívidas, parcelamentos, controle de prazos, realizar o controle de despesas diversas e
orçamentos, elaborar relatórios de controle financeiro, realizar o controle de entrada e saída
de notas fiscais, digitar documentos de controle financeiro da empresa no sistema de
informática, realizar o controle e organização de pastas e arquivos nos locais específicos,
elaborar mapa resumo, efetuar lançamentos bancários. Realizar atendimento ao público e
funcionários, conferir as atividades realizadas, elaborar relatório de controle de balanço
financeiro de acordo com as movimentações realizadas, manter documentos financeiros em
perfeitas condições de controle e organização. Prestar atendimento telefônico para dar
informações sobre liberação de pagamento. Realizar o fechamento de caixa.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Inexistência de riscos ambientais específicos (quando foi realizada a inspeção técnica para
a confecção do presente documento, e em conformidade com as informações recebidas dos
responsáveis pela empresa, não foram identificados entes nocivos de natureza química
física ou biológica, que devido a sua concentração e exposição ultrapassasse os limites
legais de tolerância).

Conclusão:

O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos
acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício da Aposentadoria
Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência Social Dec. 3.048 de
06/05/1999.

17
Função:
Técnico em Segurança no Trabalho

Descrição das atividades:

Elaborar os documentos da área da segurança do trabalho, repassar ordem de serviço para


os colaboradores, realizar treinamentos admissionais e periódicos, Preencher Check List e
vistoriar as obras, Repassar semanalmente o DDS - Dialogo Diário de Segurança aos
colaboradores. Acompanhar diariamente a rotina dos trabalhadores se estão todos utilizando
os EPI´s e EPC de maneira adequada e realizando a limpeza e organização do local da
obra, verificar a higienização do local de trabalho e EPIs, Realizar a entrega e organização
das fichas de EPI, auxiliar no agendamento de exames periódicos e verificação do ASO –
Atestados de Saúde Ocupacional.

EPI’s obrigatórios: Capacete e calçado de segurança.

Condições Ambientais do Local de Trabalho

Inexistência de riscos ambientais específicos (quando foi realizada a inspeção técnica para
a confecção do presente documento, e em conformidade com as informações recebidas dos
responsáveis pela empresa, não foram identificados agentes nocivos de natureza química
física ou biológica, que devido a sua concentração e exposição ultrapassasse os limites
legais de tolerância).

Conclusão:

O ocupante deste cargo não está exposto a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos
acima dos limites legais de tolerância. Não se enquadrando no Benefício da Aposentadoria
Especial, em conformidade com o Regulamento da Previdência Social Dec. 3.048 de
06/05/1999.

18
RECONHECEMOS E IDENTIFICAMOS OS RISCOS*.

Administração

Riscos
Fonte Geradora Medida Controle - existe EPI/EPC
Ergonômicos
Serviços Trabalhar sempre tranqüilo.
Postural Manter posturas corretas.
burocráticos
Risco de acidente Fonte geradora Medida Controle - existe EPI/EPC

Arranjo Físico Material Manter os arquivos e prateleiras arrumadas

Canteiro de obra.

Riscos Físicos Fonte Geradora Medida Controle - existe EPI / EPC


Máquinas e Uso de abafador de ruído adequado, Realização de
Ruído
equipamentos exames periódicos.
Riscos Fonte Geradora Medida Controle - existe EPI/EPC
Químicos

Contato com Uso obrigatório de EPI (botas borracha, luvas látex,


Cimento e cal
cimento capacete, calçado segurança).

Riscos
Fonte Geradora Medida Controle - existe EPI/EPC
Ergonômicos
Esforço físico Trabalhar sempre tranqüilo.
Postural
moderado. Manter posturas corretas.
Riscos de Fonte Geradora Medida Controle - existe EPI/EPC
acidentes
Máquinas e Manutenção, preventiva corretiva, habilitação, extintor
Máquinas
equipamentos de incêndio.

19
AVALIAÇÕES POR FUNÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES E ERGONÔMICOS.

Função:
Apontador de Mão de Obra

RISCOS MECÂNICOS
Acidente de transito, queda.

RISCOS ERGONOMICOS Postura incorreta, LER.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO:
Cumprimento das Normas de Trânsito quando na condução de veículos e na condição de
pedestre.
Fechar qualquer parte no piso que possa gerar risco de quedas.
Orientação e controle ergonômico da postura.
Adequação do mobiliário e equipamentos utilizados pelo colaborador.
Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

Função:
Engenheiro

RISCOS MECÂNICOS
Acidente de transito, queda.
Postura incorreta, LER: (lesões relacionadas
ao trabalho)
RISCOS ERGONOMICOS
DORT: (Doença Orteomuscular Relacionada
ao Trabalho)
MEDIDAS DE PROTEÇÃO:
Cumprimento das Normas de Trânsito quando na condução de veículos e na condição de
pedestre.
Fechar qualquer parte no piso que possa gerar risco de quedas.
Orientação e controle ergonômico da postura.
Adequação do mobiliário e equipamentos utilizados pelo colaborador.
Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

20
Função:
Operador de Betoneira

Acidente de trânsito, queda, projeção de material nos olhos, queda de


RISCOS
materiais, uso inadequado de máquinas e ferramentas, corte,
MECÂNICOS
contusão.
RISCOS Postural e outras situações causadoras de estresse físico e/ou
ERGONOMICOS psíquico.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO:
Uso obrigatório dos EPI’s
Cumprimento das Normas de Trânsito quando na condição de pedestre.
Seguir normas e procedimentos de segurança em tempo integral durante sua atividade.
Orientação e controle ergonômico da postura, pausa nas atividades que exijam sobrecarga
muscular estática ou dinâmica.
Capacitação para operação de máquinas.
Fixar proteção coletiva em partes móveis de maquinas e equipamentos.
Registrar e cumprir procedimentos de manutenção preventiva.
Uso de ferramentas adequadas as atividade realizadas.
Fechar qualquer parte no piso que possa gerar risco de quedas.
Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

Função:
Pedreiro

Acidente de trânsito, queda, projeção de material nos olhos, queda de


RISCOS
materiais, ferimentos, uso inadequado de máquinas e ferramentas,
MECÂNICOS
contusão.
RISCOS Postural e outras situações causadoras de estresse físico e/ou
ERGONOMICOS psíquico.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO:
Uso obrigatório dos EPI’s
Cumprimento das Normas de Trânsito quando na condição de pedestre.
Seguir normas e procedimentos de segurança em tempo integral durante sua atividade.
Orientação e controle ergonômico da postura, pausa nas atividades que exijam sobrecarga
muscular estática ou dinâmica.
Capacitação para operação de máquinas.
Registrar e cumprir procedimentos de manutenção preventiva.
Uso de ferramentas adequadas as atividade realizadas.
Fechar qualquer parte no piso que possa gerar risco de quedas.
Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

21
Função:
Servente de Pedreiro

RISCOS Acidente de trânsito, queda, projeção de material nos olhos, queda


MECÂNICOS de materiais, ferimentos, uso inadequado de ferramentas, contusão.
RISCOS Postural e outras situações causadoras de estresse físico e/ou
ERGONOMICOS psíquico.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO:
Uso obrigatório dos EPI’s
Cumprimento das Normas de Trânsito quando na condição de pedestre.
Seguir normas e procedimentos de segurança em tempo integral durante sua atividade.
Orientação e controle ergonômico da postura, pausa nas atividades que exijam sobrecarga
muscular estática ou dinâmica.
Uso de ferramentas adequadas as atividade realizadas.
Fechar qualquer parte no piso que possa gerar risco de quedas.
Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

Função:
Mestre de Obras

RISCOS MECÂNICOS
Acidente de transito, queda.
Postura incorreta, LER: (lesões relacionadas
ao trabalho)
RISCOS ERGONOMICOS
DORT: (Doença Orteomuscular Relacionada
ao Trabalho)
MEDIDAS DE PROTEÇÃO:
Cumprimento das Normas de Trânsito quando na condução de veículos e na condição de
pedestre.
Fechar qualquer parte no piso que possa gerar risco de quedas.
Orientação e controle ergonômico da postura.
Adequação do mobiliário e equipamentos utilizados pelo colaborador.
Exames médicos em conformidade com o PCMSO.

22
AVALIAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS

- Ruídos

C – In
Identificação da função dB (A) Fund. Legal
*1
Pedreiro (Operador de Serra manual) 83.3 In NR-15 Anexo 1 e 2
Servente (Operador de Betoneira) 83.6 In NR-15 Anexo 1 e 2
* Dosimetrias anexa ao PPRA.

INSTRUMENTOS UTILIZADOS E CRITÉRIOS DE ANÁLISE

DOSIMETRO DE RUÍDO (AUDIODOSIMETRO). Especificação: Marca DOS 500, resolução


de 1% da dose, capacidade de memória 999,9% de dose e máxima indicação de tempo de
99:59 minutos. Precisão conforme especificação 51.4-1983 e I.E.C. e 52A-51.25-1978 ANSI.
CALIBRADOR DA MESMA MARCA E PROCEDÊNCIA - Mod. 887-2, 114 dB (A) 1000 Hz,
erro percentual máximo de 0,5%.
NR-15 Anexos 1 e 2.
Audiodosimetro afixado próximo ao conduto auditivo para medição durante a jornada de
trabalho.
FINALIDADE: Determinar a dose de ruído acumulado na jornada de trabalho armazenando
os dados na memória.

23
ANEXO n.º 1 DA NR-15 DA PORTARIA 3214/78

LIMITES DE TOLERÂNCIA PARA RUÍDO CONTÍNUO OU INTERMITENTE

Nível de ruído Máxima exposição diária


dB (A) PERMISSÍVEL

85 8 horas
86 7 horas
87 6 horas
88 5 horas
89 4 horas e 30 minutos
90 4 horas
91 3 horas e 30 minutos
92 3 horas
93 2 horas e 40 minutos
94 2 horas e 15 minutos
95 2 horas
96 1 hora e 45 minutos
98 1 hora e 15 minutos
100 1 hora
102 45 minutos
104 35 minutos
105 30 minutos
106 25 minutos
108 20 minutos
110 15 minutos
112 10 minutos
114 8 minutos
115 7 minutos

MEDIDAS DE CONTROLE

De um modo geral, o controle do ruído pode ser executado tomando-se as seguintes


medidas:

 Controle do ruído na fonte;


 Controle do ruído no meio de propagação;
 Controle do ruído no receptor.

A fonte é a própria causa do ruído. O meio é o elemento transmissor do ruído. O


receptor é o trabalhador. É importante esclarecermos a hierarquização dos 3 elementos
envolvidos no fenômeno : em primeiro lugar o controle na fonte, depois o controle no meio e,
por último o controle no trabalhador.

24
Controle do Ruído na Fonte

As causas mecânicas dos ruídos são devido à choques, atritos ou vibrações.


Portanto, devemos observar nas fontes causadoras de ruído, a possível substituição do
elemento nessas condições, ou então, a diminuição da intensidade desses choques, atritos
ou vibrações.

Outro fator importante que não devemos esquecer é a manutenção. Eis algumas
sugestões:

 Boa lubrificação onde há atrito;


 Abafadores e silenciadores de motores conservados;
 Motores bem balanceados.
 Alinhar e balancear rolamentos e eixos;
Controle do Ruído no Meio de Propagação

Quando não é possível o controle do ruído na fonte, ou a redução obtida foi


insuficiente, então devemos passar a considerar medidas que visem controlar o ruído na sua
trajetória de propagação.

Podemos conseguir isso de duas maneiras:

Evitando que o som se propague a partir da fonte; enclausuramento de compressor.

Evitando que o som chegue ao receptor.

Controle do Ruído no Receptor

Quando todas as medidas de controle de ruído falharam, devemos considerar a


proteção individual. Devemos sempre lembrar que recorremos ao controle individual.

O EPI (Equipamento de Proteção Individual), caracterizado pelo protetor auditivo.


Deverá ser fornecido somente se as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente
inviáveis ou não oferecerem completa proteção ao trabalhador, ou quando as medidas de
proteção coletiva estiverem sendo implantadas ou para atender situações de emergência. O
EPI deverá ser adequado ao nível de pressão sonora. O empregador deverá fornecer o EPI
ao empregado, sem ônus algum a este trabalhador, devendo providenciar sua troca imediata
quando se tornar impróprio para o uso. Sua utilização é obrigatório nos setores onde o nível
de ruído for superior ao permitido, sendo obrigação do gerente, supervisor ou encarregado a
fiscalização e promoção de sua utilização e manutenção. O trabalhador receberá um
treinamento de como utilizar, conservar e higienizar o EPI. É importante a utilização de um
controle de entrega de EPI, com um termo de responsabilidade, devidamente assinado pelo
trabalhador. Todo EPI deverá ter o C.A. (Certificado de Aprovação), emitido pelo Ministério
do Trabalho.

Os Protetores Individuais

O último dos recursos a ser considerado num problema de redução dos efeitos do
ruído são os protetores individuais. Podem ser:

De inserção (tampões) e circum-auriculares (conchas)


25
Os protetores de inserção são dispositivos colocados dentro do canal auditivo,
podendo ser descartáveis ou não-descartáveis. Os descartáveis podem ser de material
fibroso, ou de cera, ou de espuma. Os não-descartáveis, de borracha, devem ser
esterilizados todos os dias. Os de espuma (moldável), são descartáveis, perdendo sua
eficiência na primeira lavagem.

Os protetores circum-auriculares, também conhecidos como conchas, são


semelhantes aos fones de ouvido, recobrem totalmente o pavilhão auditivo, assentando-se
no osso temporal. Fornecem uma boa proteção ao ruído, ao mesmo tempo permitindo uma
boa movimentação do operário e reduzindo as precauções higiênicas ao mínimo,

Comparação entre os protetores auditivos

É importante lembrar que: Os protetores tipo concha são mais eficientes que os tampões;

Ambos os tipos são mais eficientes a altas freqüências, sendo praticamente nula a sua
proteção para sons graves;

A utilização de protetores auriculares em uma empresa deve ser precedida de um programa


de treinamento e conscientização dos funcionários.

Conchas Tampões
Eliminam ajustes complexos de colocação. Podem ser Devem ser adequados a cada
colocados perfeitamente por qualquer pessoa diâmetro e longitude do canal
auditivo externo
São grandes e não podem ser levados facilmente nos São fáceis de carregar. Mas são
bolsos das roupas. Não podem ser guardados junto fáceis de esquecer ou perder.
com as ferramentas.
Podem ser observados a grande distância, permitindo Não são vistos ou notados
tomar providências para a comunicação oral. facilmente e criam dificuldade na
comunicação oral.
Interferem com óculos pessoais ou EPIs. Não dificultam o uso de óculos ou
EPIs.
Podem ajustar-se mesmo quando se usam luvas Devem-se tirar as luvas para poder
colocá-lo.
Podem acarretar problemas de espaço em locais Não produzem problemas por
pequenos e confinados. limitação de espaço.
Podem produzir contágio somente quando usados Podem infectar ou lesar ouvidos
coletivamente. sãos.
Podem ser confortáveis em ambientes frios, mas muito Não são afetados pela temperatura
desagradáveis em ambientes quentes. ambiente.
Sua limpeza deve ser feita em locais apropriados. Devem ser esterilizados
freqüentemente.
Podem ser usados por qualquer pessoa, de ouvidos Podem ser inseridos apenas em
sãos ou enfermos. ouvidos sãos.
O custo inicial é grande, mas sua vida útil é longa. O custo inicial é baixo, mas sua
vida útil é curta.

26
.
CRONOGRAMA ANUAL DE IMPLANTAÇÃO DO PPRA.

Priorida
Metas Situação

Manter atenção a Norma Interna de Segurança no que o OK


concerne a Ordem de Serviço. Conforme NR 1. o NÃO OK
Anexar copia da Norma Interna de Segurança que relata Imediato o Em andamento
Ordem Serviço Ass. __________
E cópia do Procedimento de Integração.
Manter disponível água potável, em condições higiênicas,
fornecida por meio de copos individuais, ou
bebedouros de jato inclinado e guarda -
protetora, proibindo- o OK
se sua instalação o NÃO OK
em pias e lavatórios, Imediato o Em andamento
e o uso de copos Ass. __________
coletivos.
Imagem ilustrativa. Não condiz
necessariamente
com a realidade.
o OK
o NÃO OK
Treinar trabalhadores a combate a princípios de incêndio. 30 dias
o Em andamento
Ass. __________
Cada extintor deverá ser inspecionado visualmente a cada
o OK
mês, examinando-se o seu aspecto externo, os
o NÃO OK
lacres, os manômetros quando o extintor for do Mensal
o Em andamento
tipo pressurizado, verificando se o bico e a
Ass. __________
válvula de alívio não estão entupidos.

Manter desobstruídos os equipamentos de combate a


incêndios.
Os extintores deverão ser colocados em locais
a) de fácil visualização
o OK
b) de fácil acesso
o NÃO OK
c) onde haja menos probabilidade de fogo bloquear o seu
o Em andamento
acesso
Imediato Ass.
Os locais destinados aos extintores devem ser assinalados
_____
por um círculo vermelho ou por uma seta larga,
_____
vermelha, com bordas amarelas.
_
Deverá ser pintada de vermelho uma larga área do piso
embaixo do extintor, a qual não poderá ser
obstruída por forma nenhuma. Essa área deverá
ser no mínimo de 1,00 m (um metro) x 1,00 m
(um metro).
Cada extintor deverá ter uma etiqueta de identificação presa
ao seu bojo, com data em que foi carregado, data o OK
para recarga e número de identificação. Essa o NÃO OK
Imediato
etiqueta deverá ser protegida convenientemente o Em andamento
a fim de evitar que esses dados sejam Ass. __________
danificados.

27
.

Metas
Priorida
Situação

Manter sob responsabilidade de pessoa treinada material o OK


necessário à prestação de atendimento de o NÃO OK
primeiros socorros. Imediato o Em andamento
Ass. _________

Instalar as proteções coletivas ao que esta determinado do


procedimento interno de segurança: Proteção
Coletiva para evitar Quedas –

o OK
o NÃO OK
Imagens ilustrativas Imediato o Em andamento
Ass. __________

28
.

Prioridade /
Metas Situação
Prazo
Manter treinamento específico para função, com
emissão de Certificado de conclusão.

TREINAMENTO ESPECÍFICO À FUNÇÃO


Tem objetivo de transmitir principalmente ao
colaborador, digo, Pedreiro e Servente, noções de
Segurança no Trabalho visando os ensinamentos de o OK
controle dos riscos e medidas de prevenção de o NÃO OK
acidentes do trabalho necessários ao desenvolvimento 120 dias o Em andamento
da atividade. Os assuntos são: Ass. __________
Trabalho Seguro em Altura;
Trabalho Seguro de Carpintaria;
Trabalho Seguro de Armação;
Proteção Coletiva e Acessos Provisórios;
Atendimento ao Combate ao Incêndio;
Primeiros Socorros;

Notificar e penalizar os funcionários que descumprirem


as normas de segurança da seguinte forma:
a. Advertência escrita: no caso de 1ª infração, advertir por o OK
escrito (emitir em 03 vias). o NÃO OK
b. Suspensão: em caso de reincidência notificar o Quando o Em andamento
funcionário. necessário Ass.
Rescisão contratual: no caso de 3ª infração, o ______________
funcionário ficará passível de rescisão contratual por
justa causa, em conformidade com art. 482, letra h, da
CLT.

o OK
Treinamento admissional (Conforme NR 18).
o NÃO OK
Todo colaborador admitido receberá treinamento
Na admissão o Em andamento
admissional antes de iniciar suas atividades no canteiro,
Ass. __________
com uma carga horária mínima de 6 (seis) horas.

o OK
Treinar e capacitar todos trabalhadores ao uso correto
o NÃO OK
dos Equipamentos de Proteção Individual e Normas de
Na admissão o Em andamento
segurança e Saúde no Trabalho. Destacando os riscos
Ass. __________
ocupacionais a que estão expostos.

o OK
o NÃO OK
Manter comprovante de estoque de EPI’s em o Em andamento
Imediato
quantidade suficiente para atender os empregados Ass.
_____________

29
.
Prioridade
Metas Situação
/ Prazo
o OK
o NÃO OK
Zelar pela educação, conscientização controle e uso dos
o Em andamento
EPI´S na sua área de atuação, através do fornecimento Imediato
Ass.
e fiscalização dos termos de responsabilidade.
______________

o OK
Implantar e manter a CIPA (Comissão Interna de o NÃO OK
Prevenção de Acidentes) e promover a capacitação 20 Imediato o Em andamento
horas aula. Ass.
_____________

Realizar inspeção do ferramental entregue aos o OK


funcionários, mantendo os termos de responsabilidade o NÃO OK
atualizados e prontos para serem apresentados quando o Em andamento
Mensal
solicitados. Deverão conter em suas pastas todos os Ass.
recibos assinados contendo todas as trocas mensais. ______________
Obedecendo a Norma de Segurança.

o OK
Ergonomia: Noções de postura correta e transporte o NÃO OK
manual de peso. Carga horária mínima de 04 (quatro) imediato o Em andamento
horas. Ass. __________

Disponibilizar Layout da obra para PCMAT:


Localização e dimensionamento, em função do volume
da Obra, de áreas para armazenamento de materiais a
granel (areia, brita, etc.).

Localização e dimensionamento, em função do efeito


máximo previsto para a Obra, das Áreas de Vivência,
com as seguintes instalações:
o OK
Sanitários.
o NÃO OK
Vestiários.
30 dias o Em andamento
Alojamento.
Ass.
Local de Refeições.
_____________
Cozinha (quando for previsto o preparo de refeições).
Ambulatório, quando se tratar de frentes de trabalho
com 50 (cinqüenta) ou mais trabalhadores.

Localização e dimensionamento das centrais de:


Massa (betoneira).
Minicentral de concreto, quando houver.
Armação de Ferro.
Armação de forma.
Pré-montagem de Instalações.

30
.
Prioridad
Metas Situação
e / Prazo
Disponibilizar nas áreas de vivencia:

As instalações sanitárias devem:


a) ser mantidas em perfeito estado de conservação e
higiene;
b) ter portas de acesso que impeçam o devassamento e
ser construídas de modo a manter o resguardo
conveniente;
c) ter paredes de material resistente e lavável, podendo
ser de madeira;
d) ter pisos impermeáveis, laváveis e de acabamento
antiderrapante;
e) não se ligar diretamente com os locais destinados às Imediato
refeições;
f) ser independente para homens e mulheres, quando o OK
necessário; o NÃO OK
g) ter ventilação e iluminação adequadas; o Em andamento
h) ter instalações elétricas adequadamente protegidas; Ass.
i) ter pé-direito mínimo de 2,50m (dois metros e _____________
cinqüenta centímetros), ou respeitando-se o que
determina o
Código de Obras do Município da obra;
j) estar situadas em locais de fácil e seguro acesso, não
sendo permitido um deslocamento superior a 150 (cento
e cinqüenta) metros do posto de trabalho aos gabinetes
sanitários, mictórios e lavatórios.

Imagem ilustrativa.

A instalação sanitária deve ser constituída de lavatório, o OK


vaso sanitário e mictório, na proporção de 1 (um) o NÃO OK
conjunto para cada grupo de 20 (vinte) trabalhadores ou Imediato o Em andamento
fração, bem como de chuveiro, na proporção de 1 (uma) Ass.
unidade para cada grupo de 10 (dez) trabalhadores ou _____________
fração.
o OK
Os locais onde se encontrarem instalações sanitárias o NÃO OK
deverão ser submetidos a processo permanente de Diariamen o Em andamento
higienização, de sorte que sejam mantidos limpos e te Ass.
desprovidos de quaisquer odores, durante toda a ______________
jornada de trabalho.

31
.

Prioridade /
Metas Situação
Prazo
Lavatórios
Os lavatórios devem:
a) ser individual ou coletivo, tipo calha; o OK
b) possuir torneira de metal ou de plástico; o NÃO
c) ficar a uma altura de 0,90m (noventa centímetros); Imediato OK
d) ser ligados diretamente à rede de esgoto, quando houver; o Em
e) ter revestimento interno de material liso, impermeável e andamen
lavável; to
f) ter espaçamento mínimo entre as torneiras de 0,60m Ass.
(sessenta centímetros), quando coletivos; _______
g) dispor de recipiente para coleta de papéis usados.
Vasos sanitários o local destinado deve:
a) ter área mínima de 1,00m2 (um metro quadrado);
b) ser provido de porta com trinco interno e borda inferior de, o OK
no máximo, 0,15m (quinze centímetros) de altura; o NÃO
c) ter divisórias com altura mínima de 1,80m (um metro e Imediato OK
oitenta centímetros); o Em
d) ter recipiente com tampa, para depósito de papéis usados, andamen
sendo obrigatório o fornecimento de papel higiênico. to
Ass.
_______

Mictórios
Os mictórios devem:
a) ser individual ou coletivo, tipo calha; o OK
b) ter revestimento interno de material liso, impermeável e o NÃO
lavável; Imediato OK
c) ser providos de descarga provocada ou automática; o Em
d) ficar a uma altura máxima de 0,50m (cinqüenta centímetros) andamen
do piso; to
e) ser ligado diretamente à rede de esgoto ou à fossa séptica, Ass.
com interposição de sifões hidráulicos. _______
No mictório tipo calha, cada segmento de 0,60m (sessenta
centímetros) deve corresponder a um mictório tipo cuba.
Chuveiros Imediato o OK
A área mínima necessária para utilização de cada chuveiro é o NÃO
de 0,80m2 (oitenta centímetros quadrados), com altura de OK
2,10m (dois metros e dez centímetros) do piso. o Em
Os pisos dos locais onde forem instalados os chuveiros devem andamen
ter caimento que assegure o escoamento da água para a rede to
de esgoto, quando houver, e ser de material antiderrapante ou Ass.
provido de estrados de madeira. _______
Os chuveiros devem ser de metal ou plástico, individuais ou
coletivos, dispondo de água quente.
Deve haver um suporte para sabonete e cabide para toalha,
correspondente a cada chuveiro.
Os chuveiros elétricos devem ser aterrados adequadamente
Imagem ilustrativa

32
.

Prioridade /
Metas Situação
Prazo
Vestiário
Todo canteiro de obra deve possuir vestiário para troca de
roupa dos trabalhadores que não residem no local.
A localização do vestiário deve ser próxima aos alojamentos
e/ou à entrada da obra, sem ligação direta com o local
destinado às refeições.
Os vestiários devem:
a) ter paredes de alvenaria, madeira ou material equivalente;
b) ter pisos de concreto, cimentado, madeira ou material
equivalente;
c) ter cobertura que proteja contra as intempéries;
d) ter área de ventilação correspondente a 1/10 (um décimo)
de área do piso;
e) ter iluminação natural e/ou artificial;
f) ter armários individuais dotados de fechadura ou
dispositivo com cadeado; o OK
g) ter pé-direito mínimo de 2,50m (dois metros e cinqüenta o NÃO
centímetros), ou respeitando-se o que determina o OK
Código de Obras do Município, da obra; Imediato o Em
h) ser mantidos em perfeito estado de conservação, higiene andament
e limpeza; o
i) ter bancos em número suficiente para atender aos Ass.
usuários, com largura mínima de 0,30m (trinta ________
_____

Imagens ilustrativas.

33
.

Prioridade /
Metas Situação
Prazo

Local para refeições

Nos canteiros de obra é obrigatória a existência de local adequado


para refeições.
O local para refeições deve:
a) ter paredes que permitam o isolamento durante as refeições;
b) ter piso de concreto, cimentado ou de outro material lavável;
c) ter cobertura que proteja das intempéries;
d) ter capacidade para garantir o atendimento de todos os
trabalhadores no horário das refeições;
e) ter ventilação e iluminação natural e/ou artificial;
f) ter lavatório instalado em suas proximidades ou no seu interior;
g) ter mesas com tampos lisos e laváveis;
h) ter assentos em número suficiente para atender aos usuários;
i) ter depósito, com tampa, para detritos;
j) não estar situado em subsolos ou porões das edificações; o OK
k) não ter comunicação direta com as instalações sanitárias; o NÃO OK
l) ter pé-direito mínimo de 2,80m (dois metros e oitenta centímetros), o Em
Imediato
ou respeitando-se o que determina o Código andamento
de Obras do Município, da obra. Ass.
____________
Independentemente do número de trabalhadores e da existência ou
não de cozinha, em todo canteiro de obra deve haver local exclusivo
para o aquecimento de refeições, dotado de equipamento adequado
e seguro para o aquecimento.
É proibido preparar, aquecer e tomar refeições fora dos locais
estabelecidos neste subitem.
É obrigatório o fornecimento de água potável, filtrada e fresca, para
os trabalhadores, por meio de bebedouro de jato inclinado ou outro
dispositivo equivalente, sendo proibido o uso de copos coletivos.

Imagem ilustrativa.
Mensal
o OK
Ou quando
o NÃO OK
necessário
Atualização periódica do PPRA/PCMAT o Em
devido a
andamento
modificações
Ass.
das atividades
____________
ou instalações.

34
.
Prioridade /
Metas Situação
Prazo
A escada de mão deve ter seu uso restrito para acessos
provisórios e serviços de pequeno porte.
As escadas de mão poderão ter até 7,00m (sete metros) de
extensão e o espaçamento entre os degraus deve ser uniforme,
variando entre 0,25m (vinte e cinco centímetros) a 0,30m (trinta
centímetros).
É proibido colocar escada de mão:
a) nas proximidades de portas ou áreas de circulação;
b) onde houver risco de queda de objetos ou materiais;
c) nas proximidades de aberturas e vãos.

A escada de mão deve:


a) ultrapassar em 1,00m (um metro) o piso superior;
b) ser fixada nos pisos inferior e superior ou ser dotada de
dispositivo que impeça o seu escorregamento;
c) ser dotada de degraus antiderrapantes;
d) ser apoiada em piso resistente.

o OK
o NÃO OK
o Em
Imediato andamento
Ass.
____________
As escadas devem ser transportadas horizontalmente, evitando-se _
choques contra pessoas ou obstáculos. Quando transportada por
uma só pessoa, a escada deverá ter a parte da frente mantida a
uma altura superior à cabeça de uma pessoa. Escadas compridas
devem ser carregadas por duas ou mais pessoas, para garantir um
transporte mais seguro e promover melhor distribuição da carga.

35
.
Prioridade /
Metas Situação
Prazo

o OK
o NÃO OK
o Em
Imediato andamento
Ass.
___________

o OK
o NÃO OK
As madeiras a ser usada para construção de escadas rampas e
o Em
passarelas devem ser de boa qualidade, sem apresentar nós e
Imediato andamento
rachaduras que comprometam sua resistência, estar seca, sendo
Ass.
proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.
___________

36
.

Prioridade /
Metas Situação
Prazo
O canteiro de obras deve ser sinalizado com o objetivo de:
a) identificar os locais de apoio que compõem o canteiro de
obras;
b) indicar as saídas por meio de dizeres ou setas;
c) advertir contra perigo de contato ou acionamento acidental
com partes móveis das máquinas e equipamentos.
d) advertir quanto a risco de queda;
e) alertar quanto à obrigatoriedade do uso de EPI, específico
para a atividade executada, com a devida sinalização e
advertência próximas ao posto de trabalho;
f) identificar acessos, circulação de veículos e equipamentos
na obra;
g) identificar locais com substâncias tóxicas, corrosivas,
inflamáveis, explosivas e radioativas.

Devem ser colocados, em lugar visível para os trabalhadores,


cartazes alusivos à prevenção de acidentes e doenças de
trabalho.

o OK
o NÃO OK
o Em
20 dias
andamento
Ass.
___________

37
.
Prioridade /
Metas Situação
Prazo

o OK
o NÃO OK
o Em
20 dias
andamento
Ass.
____________

Imagem ilustrativa

o OK
o NÃO OK
A operação de máquinas e equipamentos que exponham o
o Em
operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por Imediato
andamento
trabalhador qualificado e identificado por crachá.
Ass.
____________

o OK
As inspeções de máquinas e equipamentos devem ser
o NÃO OK
registradas em documento específico, constando às datas e
o Em
falhas observadas, as medidas corretivas adotadas e a
30 dias andamento
indicação de pessoa, técnico ou empresa habilitada que as
Ass.
realizou.
___________
(livro de ata ou formulário específico)

o OK
o NÃO OK
Manter pisos, escadas, rampas e andares acima do solo
Imediato o Em
protegidos contra queda de pessoas ou objetos.
andamento
Ass.
____________
Os materiais devem ser armazenados e estocados de modo a
não prejudicar o trânsito de pessoas e de trabalhadores, a
circulação de materiais, o acesso aos equipamentos de
combate a incêndio, não obstruir portas ou saídas de o OK
emergência e não provocar empuxos ou sobrecargas nas o NÃO OK
paredes, lajes ou estruturas de sustentação, além do previsto o Em
Imediato
em seu dimensionamento. andamento
O armazenamento deve ser feito de modo a permitir que os Ass.
materiais sejam retirados obedecendo à seqüência de ____________
utilização planejada, de forma a não prejudicar a estabilidade
das pilhas.

38
.

Metas Prioridade / Prazo Situação

As máquinas e os equipamentos devem ter dispositivo de


acionamento e parada localizado de modo que:
o OK
a) seja acionado ou desligado pelo operador na sua
o NÃO
posição de trabalho;
OK
b) não se localize na zona perigosa da máquina ou do
o Em
equipamento;
Imediato andament
c) possa ser desligado em caso de emergência por outra
o
pessoa que não seja o operador;
Ass.
d) não possa ser acionado ou desligado,
________
involuntariamente, pelo operador ou por qualquer outra
_____
forma acidental;
e) não acarrete riscos adicionais.

Inspecionar, registrando em documento comprobatório, os


dispositivos de segurança utilizados para trabalho em o OK
altura elevada (acima de 2 m). o NÃO
OK
o Em
andament
Imediato
o
Ass.
________
___

o OK
o NÃO
OK
Manter atenção e efetivar as ferramentas de gestão da
o Em
segurança implantadas pela Tradição (analise de
Imediato andament
acidentes, checklist andaimes, checklist diário de
o
ferramentas).
Ass.
________
___

o OK
o NÃO
OK
Os locais onde se encontrarem instalações sanitárias
o Em
deverão ser submetidos a processo permanente de
andament
higienização, de sorte que sejam mantidos limpos e Diariamente
o
desprovidos de quaisquer odores, durante toda a jornada
Ass.
de trabalho.
________
______

39
.

Metas Prioridade / Situação


Prazo

Andaimes
O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de
sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional
legalmente habilitado.
Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de
modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a
que estarão sujeitos.
O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa,
antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro e
resistente.
Devem ser tomadas precauções especiais, quando da
montagem, desmontagem e movimentação de andaimes
próximos às redes elétricas.
A madeira para confecção de andaimes deve ser de boa
qualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras que
comprometam a sua resistência, sendo proibido o uso de
pintura que encubra imperfeições.
É proibida a utilização de aparas de madeira na confecção
de andaimes.
Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e o OK
rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, o NÃO OK
conforme subitem 18.13.5, com exceção do lado da face de Diariamente o Em
trabalho. andamento
É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dos Ass.
andaimes ou anular sua ação. ________
É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a
utilização de escadas e outros meios para se atingirem
lugares mais altos.
O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira segura.

40
.

Metas Prioridade / Situação


Prazo

o OK
o NÃO OK
Diariamente o Em
andamento
Ass.
________

41
.

Metas Prioridade / Situação


Prazo

o OK
o NÃO OK
Diariamente o Em
andamento
Ass.
________

o OK
o NÃO OK
As montagens de andaimes dos tipos fachadeiros, o Em
suspensos e em balanço devem ser precedidas de projeto Imediato andamento
elaborado por profissional legalmente habilitado. Ass.

42
.
_________

o OK
Os elevadores tracionados a cabo, fabricados após doze o NÃO OK
meses da publicação deste item, devem ter os painéis Imediato o Em
laterais, os contra-ventos, a cabine, o guincho de tração e o andamento
freio de emergência identificados de forma indelével pelo Ass.
fabricante, importador ou locador. _________

Prioridade
Metas Situação
/ Prazo
o OK
o NÃO OK
Toda empresa usuária de equipamentos de movimentação
o Em
e transporte de materiais e ou pessoas deve possuir o seu
Imediato andamento
“Programa de Manutenção Preventiva” conforme
Ass.
recomendação do locador, importador ou fabricante.
______________

o OK
o NÃO OK
o Em
O Programa de Manutenção Preventiva deve ser mantido
Imediato andamento
junto ao Livro de Inspeção do Equipamento.
Ass.
_____________

Os equipamentos de guindar e transportar materiais e o OK


pessoas devem ser vistoriados diariamente, antes do o NÃO OK
inicio dos serviços, pelo operador, conforme orientação o Em
dada pelo responsável técnico do equipamento, atendidas Diariamente andamento
as recomendações do manual do fabricante, devendo ser Ass.
registrada a vistoria em livro de inspeção do equipamento. ______________

o OK
Deve ser instalada uma proteção resistente desde a
o NÃO OK
roldana livre até o tambor do guincho de forma a evitar o
o Em
contato acidental com suas partes, sendo a área isolada Imediato
andamento
por anteparos rígidos de modo a impedir a circulação de
Ass. __________
trabalhadores.

A torre e o guincho do elevador devem ser aterrados


o OK
eletricamente.
o NÃO OK
Em todos os acessos de entrada à torre do elevador deve
o Em
ser instalada uma barreira que tenha, no mínimo, um Imediato
andamento
metro e oitenta centímetros de altura, impedindo que
Ass. __________
pessoas exponham alguma parte de seu corpo no interior
da mesma.

43
.
As torres do elevador de material e do elevador de
passageiros devem ser equipadas com dispositivo de
o OK
segurança que impeça a abertura da barreira (cancela),
o NÃO OK
quando o elevador não estiver no nível do pavimento.
o Em
“As torres do elevador de material e do elevador de Imediato
andamento
passageiros devem ser equipadas com chaves de
Ass. __________
segurança com ruptura positiva que dificulte a burla e
impeça a abertura da barreira (cancela), quando o
elevador não estiver no nível do pavimento.

44
.

Prioridade
Metas Situação
/ Prazo
Os elevadores de materiais tracionados a cabo devem
dispor:
a) sistema de frenagem automática;
b) sistema de segurança eletromecânica instalado a dois
metros abaixo da viga superior da torre do elevador;
“sistema de segurança eletromecânica monitorado através o OK
de interface de segurança no limite superior, instalado a o NÃO OK
dois metros abaixo da viga superior da torre do elevador;” o Em
c) sistema de trava de segurança para mantê-lo parado em Imediato andamento
altura, além do freio do motor; Ass.
d) interruptor de corrente para que só se movimente com _____________
portas ou painéis fechados; “intertravamento das proteções
com o sistema elétrico, através de chaves de segurança
com ruptura positiva, que garantam que só se movimentem
quando as portas, painéis e cancelas estiverem fechadas;”
e) sistema que impeça a movimentação do equipamento
quando a carga ultrapassar a capacidade permitida.
o OK
o NÃO OK
Todo serviço executado no elevador deve ser registrado no
o Em
“Livro de Inspeção do Elevador” o qual deverá acompanhar
Imediato andamento
o equipamento e estar sobre a responsabilidade do
Ass.
contratante.
______________

O elevador de passageiros deve dispor de:


a) interruptor nos fins de curso superior e inferior,
conjugado com freio automático eletromecânico;“interruptor
nos fins de curso superior e inferior monitorado através de
interface de segurança;”
b) sistema de frenagem automática, a ser acionado em
caso de ruptura do cabo de tração ou, em outras situações
que possam gerar a queda livre da cabine;
c) sistema de segurança eletromecânico situado a dois
metros abaixo da viga superior da torre, ou outro sistema
que impeça o choque da cabine com esta viga; o OK
“sistema de segurança situado a dois metros abaixo da o NÃO OK
viga superior da torre, monitorado através de interface de o Em
Imediato
segurança, ou outro sistema com a mesma categoria de andamento
segurança que impeça o choque da cabine com esta viga;” Ass.
d) interruptor de corrente, para que se movimente apenas _____________
com as portas fechadas;
“intertravamento das proteções com o sistema elétrico,
através de chaves de segurança com ruptura positiva, que
garantam que só se movimentem quando as portas,
painéis e cancelas estiverem fechadas;”
e) cabina metálica com porta
f) freio manual situado na cabina, interligado ao interruptor
de corrente que quando acionado desligue o motor.
g) sistema que impeça a movimentação do equipamento
quando a carga ultrapassar a capacidade permitida.

45
.

Prioridade
Metas Situação
/ Prazo
o OK
Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de o NÃO OK
apoio dos andaimes suspensos devem ser precedidos de o Em
projeto elaborado e acompanhado por profissional Imediato andamento
legalmente habilitado. Ass.
_____________

o OK
o NÃO OK
Os andaimes suspensos devem possuir placa de
o Em
identificação, colocada em local visível, onde conste a
Imediato andamento
carga máxima de trabalho permitida.
Ass.
______________

Os cabos de aço utilizados nos guinchos tipo catraca dos


andaimes suspensos devem:
o OK
a) ter comprimento tal que para a posição mais baixa do
o NÃO OK
estrado restem pelo menos seis voltas sobre cada tambor;
o Em
e Imediato
andamento
b) passar livremente na roldana, devendo o respectivo
Ass.
sulco ser mantido em bom estado de limpeza e
_____________
conservação.

o OK
o NÃO OK
Os quadros dos guinchos de elevação devem ser o Em
providos de dispositivos para fixação de sistema guarda Imediato andamento
corpo e rodapé. Ass.
______________

o OK
Os usuários e o responsável pela verificação devem o NÃO OK
receber treinamento e manual de procedimentos para a Imediato o Em
rotina de verificação diária. andamento
Ass. __________

o OK
É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dos o NÃO OK
andaimes ou anular sua ação. Imediato o Em
andamento
Ass. __________

o OK
o NÃO OK
Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e
o Em
rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, Imediato
andamento
com exceção do lado da face de trabalho.
Ass. __________

46
.

PROCEDIMENTOS SEGUROS PARA MONTAGEM E TRABALHOS EM ANDAIME


TUBULAR MODULADO

ITEM CUIDADOS A SEREM SEGUIDOS:

Com madeira sem rachaduras e sem nós.


Com travas para impedir que a madeira escorregue.
Piso Não deve haver vão entre as tábuas.
Deve ser montada1.20 metros abaixo do topo da torre.
O piso do andaime deverá estar cercado por rodapé com altura de 20 cm
para evitar quedas de ferramentas e materiais quando necessário o uso
Rodapé sobre o andaime.

Travamento Todos os andaimes deverão ter barras de travamento transversais para


dar equilíbrio ao andaime.

Todos osandaimescom altura acima de 5 metros, deverão estar


amarrado em algo fixo para evitar o seu tombamento, inclusive nas fases
Amarração de montagem e desmontagem.

Cinto de Todos os trabalhadores devem usar cinto de segurança, tipo pára-


segurança quedista, acima de 2,0 (dois) metros.

Apoio do andaime Os andaimes dever estar apoiados sobre sapatas.


Quando houver desnível no piso, usar bases ajustáveis.

É rigorosamente proibido mover o andaime com pessoas ou materiais


encima do mesmo, não usar rodas em torres acima de 6 metros. Travar
Andaime móvel as rodas antes de subir no andaime.
Quedas Não é permitido lançar ou jogar materiais ou ferramenta sobre o andaime
e simpela corda.

Sujeira Não montar andaimes sujos de óleo, graxa e outros materiais, bem como
acúmulos de materiaisno piso do mesmo, que possam causar acidentes.

Isolamento Procurar isolar o locara ser montado o andaime.

Rede elétrica Não montar andaimes próximo de rede elétrica

Escada O acesso deverá ser feito através de escadas, que poderão ser móveis,
porém fixadas aos degraus do andaime, de maneira que não soltem
quando usadas.

Proibido o acesso à pessoas que tenham medo de altura e que não


Cuidados gozem de perfeita saúde.
Adicionais É proibido sobre o piso de trabalho, usode escadas, ou outros meios
para se atingir lugares mais altos.
Os parafuso ou borboletas das peças de encaixe dever sem apertado
para dar segurança ao andaime.
Este andaime está projetado para carga de 300 kg.

Características Podendo ser montadoa uma altura de 10 metros, quando ultrapassar,


técnicas montar a torre dupla, com braços de ligação eamarração.

47
.

Com dois painéis e uma diagonal, Efetuada a primeiramontagem,inicia-se a


montagem. colocado o terceiro e quarto painel.

Para um procedimento seguro, recomenda-se a colocaçãodeuma diagonal a cada 3 m.


lembrando que sua colocação deverá ser em sentido oposto a de baixo, formando um “X”
visto de cima, a fim de dar mais rigidez ao conjunto

48
.

PROCEDIMENTO PARA MONTAGEM DE ANDAIMES TUBULARES MODULADO:

Guarda Corpo

Rodapé
Piso de Trabalho

Travamento Diagonal

ACESSÓRIOS DE BASE:

01-Sapatas Fixas

02 - Rodízio com Trava

Metas Prioridad Situação


e / Prazo

49
.
o OK

o NÃO OK
Imediato
EXIGIR O CUMPRIMENTO DAS REGRAS DE SEGURANÇA OPERADORES DE o Em andamento
GUINCHO
Ass.
_____________

REGRAS DE SEGURANÇA PARA OPERADORESDE GUINCHO

Responsabilidades do Operador de guincho


O responsável pela movimentação de cargas com o guindaste é o Operador. Para cumprir
sua responsabilidade, o operador deve observar as seguintes regras:
 Não operar guindaste avariado,
 Não transportar cargas com peso superior ao indicado pelas
especificações técnicas do fabricante do guindaste,
 Não transportar carga que não esteja corretamente lingada,
 Não operar o guindaste quando o sinal dado pelo homem do piso for confuso,
 Não operar o guindaste quando houver mais de um homem no piso dandosinal ao
mesmo tempo.
Responsabilidades do homem do piso na movimentação de cargas
 O homem do piso é o responsável pela colocação da carga certa, no lugar certo e na
quantidade certa.
 O homem do piso é o responsável pela lingagem correta das cargas.
Início da operação

Verificar se há pessoas trabalhando no guindaste (lubrificadores, pintores, mecânicos,


eletricistas, etc.),
 Testar as chaves limite (giro, magnética, tambor). Tomar muito cuidado neste
momento,
 Durante o giro de 360° observar se não há obstruções (tampa do porão aberta,
descanso da lança, outros equipamentos, andaimes, etc.),
 Solicitar o isolamento da área quando se tratar de teste, ‘Somente içara carga se
estiver devídamente lingada,
 Durante o teste, só permitir o acesso na cabine ou passarela de operação às
pessoas autorizadas,
 Paralísar o funcionamento quando constatar risco iminente de acidente devido a
defeito,
 Comunicar ao seu superior, bem como ao seu sucessor, todos os defeitos e
irregularidades encontradas,
 ‘Nunca transportar cargas sobre pessoas,
 Enquanto houver cargas suspensas o operador deve ter os controles à mão,
 Serviços de manutenção somente devem ser executados quando o guindaste
estiver desenergizado,
 Serviços de manutençâo, cuja execução é impossível a partir do solo, somente
devem ser executados em plataformas de serviço (gaiola),
 O acesso a um guindaste ocupado por um operador só pode ser feito após o
consentimento do mesmo e com o guindaste parado. Isto inclui também a descida.

Final de Operação
 Colocar o peso no local determinado,

50
.
 Colocar a lança na posição de descanso ou próximo ao mesmo, de maneira a não
influir em outras operações, nem causar risco a pessoas,
 Prender o gancho no suporte,
 Desligar a chave-geral,
 Desenergizar a linha.

Regras Gerais
 Os guindastes não poderão ser operados a não ser pelas pessoas
qualificadas,
 Não deixar detritos no tubulão (papel, estopa, casacas de frutas, etc.),
 Cuidado especial se deve ter quanto a esquecimento de ferramentas
dentro do painel elétrico,
 É proibido o arrasto de cargas com o cabo inclinado,
 Nunca usar a chave limite para a parda normal do gancho,
a Usar cordas para içar ou arraiar ferramentas, vasilhames, etc.,
 Familiarizar-se com a localização e emprego dos equipamentos
decombate a incéndios,
 Não atirar objetos nem pontas de cigarros de cima dos guindastes,
 Sempre conservar limpas as janelas,
 Conservar o piso isento de materiais graxos,
 Não permitir que pessoas se façam transportar sobre as cargas,
 Cada operador deve ter uma cópia das regras de segurança

ACESSÓRIOS DE GUINDAR CABOS-CORRENTES-GANCHOS

Ganchos

Deve ser a aprete mais fraca de um equipamento de guindar, inclusive o cabo, corrente,
elos, etc.

inspeção

51
.
• Devem ser inspecionados a intervalos regulares e as pessoas que usam equipamentos de
guindar devem conhecer seu uso adequado bem como suas limitações.
•Os ganchos devem ser feitos sempre de aço forjado.
• Nunca devem ser recuperados e novamente postos em uso.
• É proibido soldar ganchos. Qualquer irregularidade deverá ser prontamente comunicada ao
supervisor da área.

Defeitos dos ganchos

Cabos

São usados para muitos tipos de serviço sob condições variadas que afetam seu uso
com segurança. A segurança de um conjunto de guindar, para uso ordinário ou especial, é
determinada particularmente pelos seguintes fatores:

Uso de cabo, corrente, corda e guarnições de resistência adequada nas cargas a serem
transportadas,

O método de prender as guarnições,


O método de içar as cargas (ângulo de tração),
Freqüência de inspeção e manutenção regular,
As formas de estocagem.

52
.

53
.

Amarração dos Cabos

Os métodos de amarrar e conectar os cabos de aço são muito variados. Grampos são
usados com muita freqüência. Eles podem soltar-se sobre a carga se estiverem frouxos e
escoriar ou esmagar o cabo se apertados em demasia, entretanto, são aplicados com
facilidade rapidez e podem ser facilmente usados.

54
.

Cordas

A corda de fibra é usada largamente na movimentação de materiais. Geralmente é feita de


cânhamo, sisal ou nylon.

Recomendações: devem ser guardadas em locais ventilados, não devem ser guardadas
onde haja ácidos ou gases ácidos, pois estes deterioram rapidamente. Os pontos de cor
marron ou preta são sinais de deterioração, uma emenda de cordas bem feita reterá
ainda0% aproximadamente de sua resistência, ao passo que o nó apenas 50%.

55
.

56
.

57
.

TRANSPORTE VERTICAL DE MATERIAIS

a) Por grua ou Guindaste

O Operador de grua ou guindaste deve ser orientado para evitar:


choques da lança, caçamba ou carga suspensa, contra estrutura, formas, torres,
plataformas de proteção, etc.

Aproximação do cabo, caçamba ou carga, a menos de 1,00 m (um metro) de redes de alta
tensão, devido ao risco de descarga elétrica por indução.
Deve ser escalado um sinaleiro, sempre que houver obstáculos que dificultem a visibilidade
do operador, tais como:

• Edificação de grande altura,


• Operador em posição afastada da fachada,
• Plataformas de proteção obstruindo sua visão,
• Pouca iluminação no percurso da carga (transporte noturno),
• Rede de alta tensão próxima ao local de carregamento ou descarga.

O sinaleiro deve ser dotado de bons reflexos e boa coordenação muscular e ser submetido
a exames periádicos, tais como: oftalmologia, auditivo, cardiológico e HAD de epilepsia.

O código de sinais recomendado para comandar transporte por guindaste ou equipamento


similar é o seguinte:

58
.

59
.

60
.

61
.

62
.

63
.

PRINCIPAIS OCORRENCIAS DE NÃO CONFORMIDADES:

64
.

65
.

66
.

67
.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DAS PRINCIPAIS PROTEÇÕES COLETIVAS QUE


SERÃO UTILIZADAS:

Guarda - corpo Proteção sólida convenientemente fixada e instalada nos lados expostos
das áreas de trabalho, andaimes, passarelas, plataformas, escadarias e
ao redor de aberturas em pisos, para impedir a queda de pessoas.
As peças de madeira que compõem os dispositivos devem ser
resistentes e solidamente fixadas no lado interno dos montantes, salvo
quando utilizados elementos metálicos soldados, rebitados ou
braçadeiras. As madeiras empregadas devem ser de primeira qualidade,
livre de nós, rachaduras, empenamentos e/ou fissuras que
comprometam a sua eficácia.
Os montantes do guarda - corpos devem ser fixados às peças principais
das superfícies de trabalho ou de circulação, espaçados no máximo de
1,00 m.
Características básicas de um guarda - corpo:
Parapeito superior deve estar compreendido entre 1,15 e 1,25m acima
das áreas de trabalho ou de circulação;
Parapeito intermediário deve estar compreendido entre 0,60 e 0,70m
acima das mesmas áreas;
Rodapé com altura de 20 cm.
Na construção do guarda-corpo de madeira, alguns detalhes são
seguidos para evitar a queda de pessoas.
A fixação do guarda-corpo é um fator muito importante para a perfeita
utilização, pois ele tem que suportar o esforço proveniente do impacto de
uma pessoa. Em muitos casos, há necessidade da colocação de mão-
francesa.
O guarda-corpo pode ser também metálico, tendo diferentes sistemas de
fixação.
Pode-se ainda combinar a madeira com uma estrutura metálica.
Utilizando-se redes, por exemplo, consegue-se uma boa aplicação em
guarda-corpo.
Madeira de primeira qualidade, espessura mínima de 0,02m ou material

68
.
com qualidade e resistência similar;
Barra de aço CA-50, 10 a25 mm com 1,40m de comprimento;.
Parapeito superior deve estar compreendido a 1,20m acima das áreas de
trabalho ou de circulação com parapeito intermediário a 0,70m acima
das mesmas áreas e Rodapé com altura de 20 cm.

PROTEÇÃO CONTRA QUEDA EM ESCAVAÇÃO E ABERTURAS

Proteção sólida convenientemente fixada e instalada nos lados expostos


das escavações, e ao redor de aberturas em pisos, para impedir a queda
de pessoas.
As peças de madeira que compõem os dispositivos devem ser
resistentes e solidamente fixadas no lado externo dos montantes, salvo
quando utilizados elementos metálicos soldados, rebitados ou
braçadeiras. As madeiras empregadas devem ser de primeira qualidade.
Características básicas:
Parapeito superior deve estar compreendido entre 1,00 e 1,25m acima
das áreas de trabalho ou de circulação;
Parapeito intermediário deve estar compreendido entre 0,60 e 0,70m
acima das mesmas áreas;
A fixação da proteção é o fator mais importante para a perfeita utilização,
pois ele tem que suportar o esforço proveniente do impacto de uma
pessoa. Este tipo de pode ser também metálica, tendo diferentes
sistemas de fixação. Pode-se ainda combinar a madeira com uma
estrutura metálica; e inclusive utilizar redes quadriculadas e com
resistência equivalente.
Isolamentos  Tela tipo tapume
Escoramentos
 Pranchas de madeira de lei, 6 cm de espessura, sem nós
de valas rachaduras ou fissuras, empenamentos que comprometam sua eficácia.
Tela tipo tapume  Tela com trama horizontal 1,20 m de altura na cor laranja.
Kit EBT –  Caixa de travamento em aço na cor vermelha nas dimensões 23
Etiquetamento, cm de comprimento, 9,5 cm de largura e 18 cm de altura; Garra de
Bloqueio e Teste travamento em aço com revestimento vinílico para isolamento, ou em
material plástico resistente.
 De acordo com cada máquina ou equipamento a ser usado
Proteção de
máquinas  Exemplo: Proteção de rebolo de lixadeira e makita elétrica contra
(diversos) projeção de partículas volantes, dispositivo liga-desliga para máquinas
localizadas em locais adequados e ao alcance do operador, outras.
Anteparos
 Usados no interior de painéis e quadros elétricos para se evitar
rígidos e contatos acidentais. Geralmente são em plástico rígido para evitar
isolantes condução de energia elétrica.
Forração dos
 Peças de pranchão de no mínimo 30 mm de espessura com no
Andaimes Maximo2, 4 m de comprimento
Protetores
 Madeira com 0,025m de espessura com ripas pregadas na parte
rígidos inferior com comprimento igual à largura do vazado, mantendo-o imóvel;
Cabo guia ou
69
.
 “Cabo de aço, com alma de fibra, 3/8”, clips de aço de 3/8”, sendo
no mínimo 2 por laçada;
corda guia  Corda de sisal, de 20 mm com duas laçadas de nó padrão
universais no ponto de fixação.

 Com montante para suportar a fixação das travessas (degraus) da


escada, capazes de suportar o esforço solicitado, com comprimento
máximo de 7 metros e espaçamento entre eles de no mínimo 0,45m e no
máximo 0,55m. As travessas da escada deverão ter espaçamento entre
si de 0,25 m mínimo e no máximo 0,30 m, de forma constante. Deverá
Escadas
suportar uma carga de no mínimo 160 kgf (kilo gramas força) em seu
Portáteis ponto mais desfavorável. As travessas deverão ser fixadas aos
montantes por meio de cavilhas ou outros meios que garantam rigidez.
Os montantes devem ser firmemente apoiados na sua base inferior com
sistema antiderrapante ou qualquer outra forma de fixação que garanta a
estabilidade da escada, tanto para piso acabado como para piso natural.

 Não possuir ressaltos, entre o piso da rampa e a superfície a ser


atingida. Sua inclinação não deve ultrapassar mais que 15 graus em
relação à projeção do plano horizontal do início da rampa. Devera ser
Rampas e usada madeira de primeira qualidade, espessura mínima de 0,025m ou
Passarelas material de qualidade e resistência similar. Deve possuir largura mínima
de 0,8 metros. Deve possuir reforço intermediário, para evitar a flexão do
piso. Devem ser provindas de guarda corpo com altura de 1,20 metros
para o travessão superior, e 0,70 metros para o travessão intermediário,
com rodapé de 0,20 metros de altura.

 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a


suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão sujeitos.

 O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa,


antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro e resistente. A
madeira para confecção de andaimes deve ser de boa qualidade, seca,
sem apresentar nós e rachaduras que comprometam a sua resistência,
sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições. É proibida a
utilização de aparas de madeira na confecção de andaimes. Os
Andaimes andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé, inclusive nas
cabeceiras, em todo o perímetro, com exceção do lado da face de
trabalho. É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dos
andaimes ou anular sua ação. É proibida, sobre o piso de trabalho de
andaimes, a utilização de escadas e outros meios para se atingirem
lugares mais altos. O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira
segura. Os montantes dos andaimes devem ser apoiados em sapatas
sobre base sólida capaz de resistir aos esforços solicitantes e às cargas
transmitidas.

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

70
.

 O ângulo de inclinação da escada é determinado pela profundidade dos degraus e


altura dos espelhos. As escadas de uso coletivo, a profundidade de cada degrau
deve situar-se entre 0,25 m e 0,30 m e a altura do espelho entre 0,15 m e 0,18 m.
 A cada 2,90 m de altura a escada deve ser dotada de um patamar intermediário.
 A dimensão da escada será considerada o fluxo de trabalhadores.
 As escadas serão protegidas com guarda-corpos de altura 1,20 m e rodapés de 0,20
m
MODELO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

71
.

 As escadas de mão poderão ter até 7,00 m de extensão e o espaçamento entre os


degraus deve ser uniforme, variando entre 0,25 m a 0,30 m.
 A escada de mão deve:
 Ultrapassar em 1,00 m o piso superior;
 Ser fixada nos pisos inferior e superior ou ser dotada de dispositivo que impeça o seu
escorregamento;
 Dotada de degraus antiderrapante;
 Apoiada em piso resistente.
MODELO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

 O ângulo de inclinação de uma rampa é de até 30o.


 As rampas e passarelas dispõem de guarda corpo de 1,20 m de altura e rodapés de 0,20 m.
 As rampas com inclinação acima de 18o são fixados travessas a cada 0,40 m.
MODELO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

72
.
 As aberturas no piso serão protegidas por sistema de guarda corpo superior de 1,20 m de altura,
intermediário de altura de 0,70 m e rodapés de 0,20 m de material resistente.
 Pode ser utilizado fechamento removível de abertura no piso, suportada por perfis metálicas ou travessas
de madeira.

MODELO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

 Características:
 Altura de 1,20 m para o travessão superior
 Altura de 0,70 m para o travessão intermediário
 Rodapé de 0,20 m de altura
 Vãos entre o travessão e o rodapé fechado com tela
 Fixação à estrutura que impeça a sua movimentação
 Construídos de metal, madeira, redes e sistemas combinados.

MODELO

Guarda corpo:

73
.
Deve se constituir de uma proteção sólida, de material rígido e resistente, convenientemente
fixada e instalada nos pontos de plataformas, áreas de trabalho e de circulação onde haja
risco de queda de pessoas e materiais.

Imagens Ilustrativas.

Tem:

74
.
·travessão superior (barrote, listão, parapeito) - compõe-se de barra, sem aspereza,
destinada a proporcionar proteção como anteparo rígido. Será instalado a uma altura de l,20
m (um metro e vinte centímetros) referida do eixo da peça ao piso de trabalho. Deve ter
resistência mínima a esforços concentrados de l50 kgf/ metro linear (cento e cinqüenta
quilogramas-força por metro linear), no centro (meio) da estrutura;

·travessão intermediário - compõe-se de elemento situado entre o rodapé e o travessão


superior, a uma altura de 0,70m (setenta centímetros) referida do eixo da peça ao piso de
trabalho de mesmas características e resistência do travessão superior;

·rodapé - compõe-se de elemento apoiado sobre o piso de trabalho que objetiva impedir a
queda de objetos. Será formado por peça plana e resistente com altura mínima de 0,20m
(vinte centímetros) de mesmas características e resistência dos travessões;

·montante - compõe-se de elemento vertical que permite ancorar o GcR à estrutura das
superfícies de trabalho ou de circulação (com aberturas ou vãos a proteger) e no qual se
fixam os travessões e rodapé de mesmas características e resistência dos travessões.

75
.

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA
 Protetor de vergalhão Jeruel, pode ser utilizado várias vezes independentes do diâmetro do aço.

MODELO

76
.
PROCEDIMENTOS SEGUROS PARA MONTAGEM E TRABALHOS EM ANDAIME
TUBULAR MODULADO:

ITEM CUIDADOS A SEREM SEGUIDOS:

Com madeira sem rachaduras e sem nós.

Piso Com travas para impedir que a madeira escorregue.

Não deve haver vão entre as tábuas.

Deve ser montada 1.20 metros abaixo do topo da torre.

O piso do andaime deverá estar cercado por rodapé com altura de 20


cm para evitar quedas de ferramentas e materiais quando necessário o
Rodapé uso sobre o andaime.

Todos os andaimes deverão ter barras de travamento transversais para


dar equilíbrio ao andaime.
Travamento

Todos os andaimes com altura acima de 5 metros, deverão estar


amarrado em algo fixo para evitar o seu tombamento, inclusive nas fases
Amarração de montagem e desmontagem.

Todos os trabalhadores devem usar cinto de segurança, tipo pára-


quedista, acima de 2,0 (dois) metros.
Cinto de segurança

Apoio do andaime Os andaimes dever estar apoiados sobre sapatas.

Quando houver desnível no piso, usar bases ajustáveis.

É rigorosamente proibido mover o andaime com pessoas ou materiais

Andaime móvel encima do mesmo, não usar rodas em torres acima de 6 metros. Travar

as rodas antes de subir no andaime.


Não é permitido lançar ou jogar materiais ou ferramenta sobre o
andaime e sim pela corda.
Quedas

Não montar andaimes sujos de óleo, graxa e outros materiais, bem


como acúmulos de materiais no piso do mesmo, que possam causar
Sujeira acidentem.

77
.

ITEM CUIDADOS A SEREM SEGUIDOS:

Isolamento Procurar isolar o locar a ser montado o andaime.

Rede elétrica Não montar andaimes próximos de rede elétrica.

Escada O acesso deverá ser feito através de escadas, que poderão ser móveis,
porém fixadas aos degraus do andaime, de maneira que não soltem
quando usadas.

Proibido o acesso à pessoas que tenham medo de altura e que não


gozem de perfeita saúde.
Cuidados Adicionais
É proibido sobre o piso de trabalho, uso de escadas, ou outros meios
para se atingir lugares mais altos.
Os parafuso ou borboletas das peças de encaixe dever sem apertado
para dar segurança ao andaime.

Este andaime está projetado para carga de 300 kg.

Características Podendo ser montado a uma altura de 10 metros, quando ultrapassar,


técnicas montarem a torre dupla, com braços de ligação e amarração.

78
.

MODELO

Extintores de Incêndio

São equipamentos portáteis utilizados no combate a princípios de incêndio. Existem


extintores específicos para o combate às diversas classes de incêndio existentes:

GÁS CARBÔNICO - CO2

Indicado para combater incêndios de classe B (líquidos inflamáveis)


e classe C (equipamentos elétricos energizados). É um agente
limpo, atóxico, inodoro e não deixa resíduo.

Principais características:

Nome comercial: CO2

Capacidade: 4, 6, 8 e 12 kg

Pó químico

79
.
Extintores de Incêndio

São equipamentos portáteis utilizados no combate a princípios de incêndio. Existem


extintores específicos para o combate às diversas classes de incêndio existentes:

PÓ QUÍMICO

Indicado para combater incêndios de classe B (líquidos


inflamáveis) e classe C (equipamentos elétricos energizados).
Deixa resíduo após a utilização.

Principais características:

Nome comercial: PQS

Capacidade: 1,2,4, 6, 8 e 12 kg

Extintores de Incêndio

São equipamentos portáteis utilizados no combate a princípios de incêndio. Existem


extintores específicos para o combate às diversas classes de incêndio existentes:

EXTINTOR DE ÁGUA PRESSURIZADA / ÁGUA-GÁS

Indicado com ótimo resultado para incêndios de classe "A".


Contra-indicado para as classes "B" e "C".
Modo de usar:
Pressurizado: Rompa o lacre e aperte o gatilho, dirigindo o jato para
a base do fogo.
Água-gás: Abra o registro da ampola de gás e dirija o jato para a base
do fogo.
O pressurizado é como o da figura ao lado. O de Água-gás possui
uma pequena ampola de ar comprimido.
Processo de extinção: Resfriamento.

Capacidade: 10 lt

MARCA: TIPO: EXTINTOR N.º:


80
.
ATIVO FIXO: LOCAL: ABNT N.º:
HISTÓRICO
Recebid Reparad Instruçã Incêndi Código e reparos
Data Inspecionado
o o o o
1. Substituição de Gatilho

2. Substituição de Difusor

3. Mangote

4. Válvula de Segurança

5. Válvula Completa

6. Válvula Cilindro Adicional

7. Pintura

8. Manômetro

9. Teste Hidrostático

10. Recarregado

11. Usado em Incêndio

12. Usado em Instrução

13. Diversos

CONTROLE DE EXTINTORES

NOME: “CONE CRC 75c CARACTERÍSTICAS: Cone prensado em PVC reciclado, corpo e
base em uma única peça, com 2 colares refletivos brancos GT ou 2 faixas brancas
pintadas, Peso: 6,3 kg, altura: 75 cm, largura da base quadrada:40,5cm”.

81
.

Fita Zebrada sem Adesivo

Filme polietileno linear, de baixa densidade, com impressão


diagonal nas cores amarela e preta sucessivamente.

Informação Adicional
Aplicações: Demarcação e limitação de acesso à áreas.

Medidas espessura

70 mm x 20m0, 05 mm

TELA MOSQUITEIRO

Telas tecidas em polietileno. Adequadas a vários tipos de aplicações,


tais como proteção de janelas (impede a entrada de insetos) e
cobertura de reservatórios.

Largura: 1 00 1,20 e 1,50 metros


Cores: branca, verde e cinza.

82
.

TELA TAPUME

Tela plástica desenvolvida para utilização em obras e áreas de risco, com a função de
sinalização, proteção de corpo e delimitação de obra.

Cores disponíveis Laranja Laranja

Modelo Pesada Extra-Pesada

Rolo (m) Rolo Rolo

Dimensões Altura 1,20 1,20

Comp. 50,00 50,00

TELA FACHADA

Telas tecidas com malha, adequadas à proteção de fachadas na construção civil. Protegem áreas
vizinhas da obra / construção contra queda de ferramentas, alvenarias e reboco. É também usada
em elevadores e balancins.
Largura: 3metros
Cores: azul e verde

83
.
1) Proteção do tipo totalmente vedada

- Deve ter, no mínimo, 1,20 m (um metro e vinte centímetros) de altura, construída de
material resistente e seguramente fixado à estrutura.

2) Proteção do tipo guarda-corpo e rodapé

- Deve ser construída com altura de 1,20 m (um metro e vinte centímetros) e ser
confeccionada com madeiras resistentes. Os vãos entre os travessões devem ser
preenchidos com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento seguro da abertura.
- O rodapé deve ter a altura de 0,20 m (vinte centímetros) de altura a partir do solo.
3) Proteção tipo plataforma principal

- Deve ter, no mínimo, 2,50 m (dois metros e cinqüenta centímetros) de proteção horizontal
da face externa da construção e um complemento de 0,80 m (oitenta centímetros) de
extensão com inclinação de 45° (quarenta e cinco graus), a partir de sua extremidade.

4) Proteção tipo plataforma secundária

- Deve ter, no mínimo, 1,40 m (um metro e quarenta centímetros) de balanço e um


complemento de 0,80 m (oitenta centímetros) de extensão 1 a partir de sua extremidade.

5) Proteção tipo cancelas


As cancelas devem ser equipadas com dispositivo de segurança que impeça a abertura das
mesmas involuntariamente.

6) Proteção tipo tapume

Deve ser construída e fixada de forma resistente, e ter altura mínimade 1,20 m (um metro e
vinte centímetros) em relação ao nível do terreno.

7) Proteção tipo enclausuramento

-Deve ser instalada nas partes móveis das máquinas e equipamentos onde haja risco de
contato acidental.
8) Isolamento de área com fita zebrada

A fita deve ter as cores amarela e preta em estilo zebrado.


9) Proteção com placas educativas

a) Utilizar placas do tipo Advertência, Educativas e de Regulamentação, para a implantação


de um Programa Educativo contemplando a temática de Prevenção de Acidentes e Doenças
do Trabalho.

84
.

17- CANTEIRO DE OBRA.

Lay-out do canteiro da obra.

Segue croqui anexo.

Figura:

Caixa d’água
Areia Brita
Caixa d’água

Bloco Caixa dágua


Bloco

g
Cimento Agrofilito
el
Armário a
d
O Sarr
Armário afos
TO
de
ma
Ferramentas em m deir
geral es
a
a

A critério
da
empresa

Tabuas,
15,20, 25,30

Armazenamento de escoras
WC WC
masculino Feminino

Coleta seletiva Banco Armazenamento de Óleo Lavatório

85
.

A- Banheiros/Chuveiros/Vestiário.
A.1- Características dos sanitários

● Paredes fechadas em telha galvanizada;


● Piso em cimento rústico;
● Cobertura – telha galvanizada;
● Iluminação natural e artificial;
● Os sanitários possuem:
● 1vasos sanitários;
● 1 lavatório
● 1suporte para papel toalha
● 1supórte para papel higiênico
● 1 suporte para sabonete liquido
● Os vasos estão instalados em compartimentos individuais e dotados de portas;
● Todos os compartimentos possuem recipiente com tampa para depósito de papéis
usados;
● Papel higiênico fica à disposição dos usuários no banheiro;
● É realizada limpeza diária.

Vaso Sanitário chuveiro

Caixa d água papel higiênico

Lavatório
Fig. 1 - Sanitários
Suporte para sabonete liquido

Suporte pra papeltolha

WC Masculino WC Feminino

86
.

B- Características do Vestiário:

● Fechamento em telha galvanizada


● Piso em cimento rústico;
● Possui armários metálico com cadeado;
● Banco de madeira;
● Iluminação e ventilação natural e artificial

Armário

Armário

Banco

87
.

C- Local de Refeições:
C- Características do local para refeições:

● Fechamento em telha galvanizada;


● Cobertura telha galvanizada
● Mesas e bancos de madeira
● Lavatórios, sabão líquido e toalha de papel
● Recipiente com tampa para detritos
● Mesas com tampo forrado com material impermeável.
● Marmiteiro tipo banho-maria com capacidade para atender aos usuários.
● Lixeiras para resíduos.
● Limpeza realizada após o café-da-manhã, após o almoço e final do expediente todos os dias.

Fig. 2 – Refeitório com placa; Não fume

RECOMENDAÇÃO:

* Fornecer obrigatoriamente água potável, e fresca para os trabalhadores, por meio


de bebedouro de jato inclinado que se encontra no layout do canteiro, sendo proibido
o uso de copos coletivos.

88
.

D- Administração
D – Características

● Paredes fechadas em tijolos, com divisórias;


● Piso em cerâmica;
● Cobertura – laje
● Iluminação natural e artificial;

● Fig. Administração

Dep. De Engenharia Administração Geral

Poltrona
Poltrona

Ass. Compra
De D
Con s
e
stru TST
çaoc p
ivil ar
.
Financeiro

Cozinha

89
.

INSTALAÇÃO ELETRICA

Características mínimas
•O quadro geral será aterrado, além de dispor de terminal neutro para alimentar o sistema
monofásico. Manter as portas do quadro fechadas para evitar que os funcionários encostem
nas partes energizadas (‘vivas’) e não guardem roupas, garrafas ou outros objetos dentro
dele.
•Os fios e cabos serão estendidos de forma aérea e por locais que não atrapalhem a
passagem de pessoas, máquinas e materiais.
• Sempre que se realizarem trabalhos próximos da rede externa elétrica, estes serão
acompanhados por pessoa experiente para avisar quando houver risco de acidente.
• A rede de distribuição nas instalações de apoio será protegida por eletrodutos de PVC.
• Não será permitido o uso de gambiarras. Todas as conexões dos
equipamentos serão pelo conjunto “Plug/Tomada”.
• Todos os eletricistas receberão Ordens de Serviço específicas.

MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS:

As máquinas e equipamentos elétricos devem ser aterrados adequadamente.


Todos os operadores de máquinas e equipamentos devem receber treinamentos
específicos e orientações sobre como proceder para evitar os riscos existentes visando à
segurança da operação.

14-2 Serra Circular:


Somente deverá ser operada por empregados qualificados, identificados e com os
devidos Equipamentos de Proteção Individual-EPI (Capacete, calçado de segurança,
Protetor facial e Protetor auditivo tipo concha).

A SERRA CIRCULAR UTILIZADA NO CANTEIRO DEVE ATENDER AS SEGUINTES


CARACTERÍSTICAS:

● Coifa protetora auto-ajustável;


● Bancada resistente feita em chapa metálica ou madeira;
● Caixa coletora de serragem;
● Chave de comando (partida e parada) tipo botoeira instalada na bancada;
● Fiações elétricas protegidas por eletro dutos;
● Carcaça do motor aterrada eletricamente;
● Ser instalada em local coberto e bem iluminado;
● Possui em suas proximidades extintor de incêndio PQS (Pó Químico) de 4 kg;
● O local deve ser mantido sempre limpo, isento de serragem e tocos de madeiras.

90
.
Continuação ...

Obs.

● Instalar nas proximidades da serra circular uma placa com o nome do operador
qualificado, conforme modelo abaixo:

AVISO
NÃO É PERMITIDO A PERMANÊNCIA DE PESSOAS
.NÃO AUTORIZADAS NESTE LOCAL

A SERRA CIRCULAR SOMENTE PODERÁ SER OPERADA


POR TRABALHADOR QUALIFICADOCOM OS DEVIDOS
EPI’s (Protetor auricular e Protetor facial)

ESTE EQUIAPMENTO SOMENTE PODERA SER


_______________:OPERADOR PELO SR

Atenderá aos seguintes requisitos minimos:

• Coifa protetora;
• Empurradores;
• Caixa coletora de resíduos;
• Chave de ignição;
• Extintor tipo PQS;
• Aterrada eletricamente;
• Ficará sob cobertura;
• Quadros de aviso Uso exclusivo de carpinteiro” e Uso obrigatorio de EPI”.

Imagens Ilustrativas.

91
.

Alguns procedimentos básicos:

• Regularmente será verificado o disco de corte.


• Será esvaziada a caixa coletora de resíduos, principalmente no final do expediente.
• Corte de cunhas somente em madeiras com mais de 30cm (trinta centímetros).

Betoneira

A betoneira deverá atender os seguintes requisitos mínimos:


● Chave de comando (partida e parada do motor) instalada na própria betoneira de
maneira a permitir fácil acesso ao operador;
● Instalação elétrica feita com fios de bitola adequada, embutida e protegida por eletro
duto;
● Todas as partes metálicas, como carcaça do motor e corpo da betoneira devem
seraterradas eletricamente com o objetivo de evitar possíveis choques elétricos no
operador;
● Ser instalada em local coberto, bem ventilado e iluminado;
● Ser lavada diariamente e ser lubrificada no mínimo semanalmente pelo próprio
operador, de acordo com a utilização. Lubrificar engrenagens, cabos e trilhos.
● No local de instalação e bem visível, deve ser afixada uma placa com o nome do
operador qualificado, conforme modelo abaixo:

AVISO

NÃO É PERMITIDO A PERMANÊNCIA DE PESSOAS


.NÃO AUTORIZADAS NESTE LOCAL

ESTE EQUIPAMENTO SOMENTE PODERÁ SER


____________:.OPERADO PELO SR

PESSOA RESPONSÁVEL PELA LIMPEZA E


___________;LUBRIFICAÇÃODA BETONEIRA

92
.

FERRAMENTAS DIVERSAS:

Ferramentas.

Devem estar em boas condições de trabalho.

Serem usadas apenas por trabalhadores qualificados, ou com


experiência de mais de 6 (seis) meses na função.

As ferramentas manuais não devem ser deixadas sobre


passagens, escadas, andaimes e outras
superfícies de trabalho ou de circulação,
devendo ser guardadas em locais
apropriados, quando não estiverem em uso.O almoxarifado deve
dispor adequadamente de todas as ferramentas necessárias à
etapa da obra. Antes de sua saída deve ser verificado o seu
perfeito funcionamento, não sendo permitidas gambiarras,
principalmente nos cabos elétricos. Devem ser periodicamente
vistoriadas as cabeças das entalhadoras, cabos de ferramentas diversas e orientado para
a não utilização das ferramentas para outros fins que não os destinados.

Especial atenção para a pistola de fixação. Deve ser verificado principalmente o


bocal protetor. O operador obrigatoriamente deverá usar abafador de ruído e será
submetido à avaliação constante de audiometria pelo serviço médico da empresa.

Grua

Este equipamento de guindar atenderá às seguintes orientações:

A ponta de lança e o cabo de aço ficarão afastados no mínimo a 3 m de qualquer obstáculo


e terão afastamento da rede elétrica.

O primeiro estaiamento da torre fixa ao solo será no oitavo elemento e, a partir daí, de cinco
em cinco elementos.

Sempre que o equipamento de guindar não estiver em operação, a lança será colocada em
posição de descanso.

Não será realizado trabalho sob intempéries desfavoráveis (principalmente em prenúncio de


chuva, durante a chuva, e ventos fortes), que exponham a risco os colaboradores da área, e
principalmente a terceiros.

93
.

• A grua estará aterrada eletricamente e, se necessário, disporá de pára-raios situado a 2 m


acima da ponta mais elevada da torre.

O moitão necessariamente disporá de trava de segurança.

As áreas de carga e descarga serão convenientemente delimitadas, sendo permitindo o


acesso somente ao pessoal envolvido na operação.

A grua disporá de alarme sonoro, o qual será acionado pelo operador sempre que houver
movimentação de carga.

Outras orientações para operação deste equipamento serão realizadas em conformidade


com as recomendações do fornecedor do equipamento.

As áreas de carga e descarga, dentro do raio de ação da lança, serão constantemente


vigiadas e isoladas de forma a prevenir acidentes. O responsável será designado pelo
engenheiro da obra. A comunicação do vigilante com o operador da grua será
necessariamente via rádio.

94
.

Andaimes

É obrigatória a instalação de guarda-corpo e rodapé.

Travar todos os pés rolantes antes de usá-los, e nunca movê-los quando houver alguém em
cima.

Ter travamentos diagonais e nos montantes.

Executar travamento cruzado caso as placas estejam a dois metros de altura.

Sempre usar uma escada para ter acesso a algum


lugar no andaime, nunca subir escalando o mesmo.

Toda a forração do andaime deve ser completa e


travada nas extremidades.

As madeiras utilizadas na forração devem ser de boa


qualidade, sem nós e rachaduras, devendo verificar
periodicamente o estado das tábuas utilizadas sobre
o mesmo.

É OBRIGATÓRIO, o uso do cinto de segurança tipo


pára-quedista, para trabalhos acima de 2,00 m (dois
metros) de altura.

Colocação de andaimes que excedam a 5,00 m (cinco metros), a partir das placas da base,
deve ser ancorada à torre, os equipamentos estaiados e ter travam quedas.

Todos os andaimes devem ser montados retos e firmes, em bases sólidas.

Ter sapatas, guarda-corpo, telas de proteção e rodapé em toda extensão do andaime


inclusive na cabeceira.

SINALIZAÇAO

25-2 INTERNA:

Toda a obra deverá ser sinalizada com avisos e pictogramas de advertência. Estas
placas de sinalização serão divididas em: placas de perigo, de advertência e de aviso.

O canteiro de obras deve ser sinalizado com o objetivo de:

a) indicar os locais de apoio que compõem o canteiro de obras;


b) indicar as saídas por meio de dizeres ou setas;
c) manter comunicação através de avisos, cartazes ou similares;
d) advertir contra perigo de contato ou acionamento acidental com partes móveis das
máquinas e equipamentos;
e) advertir contra riscos de quedas;
f) alertar quanto ao uso do EPI;
g) alertar quanto ao isolamento das áreas de transporte e circulação de materiais, guincho;
h) identificar acessos, de equipamentos na obra;
i) identificar locais com substâncias tóxicas, corrosivas, inflamáveis, explosivas e radioativas.
95
.

EXTERNA:
A execução de serviços externos (fora dos limites do canteiro, principalmente na rua)
deve ter sinalização adequada com placas de segurança, cones e fita zebrada.e um
orientador de trânsito veicular e de pedestres, quando necessário. Ainda deve ser observado
o seguinte:

 Na eventualidade de obstrução temporária do passeio para fins de descarga de


materiais, deverá ser providenciado cordão de isolamento, em volta do veículo, de
maneira a criar um corredor para passagem do pedestre.

 Durante a descarga de concreto usinado, será utilizado cordão de isolamento, como


descrito no item anterior. Pode ser utilizada fita zebrada fixa em balizas, e como
complemento cones de sinalização.

 Antes da execução de qualquer serviço na rua, verificar e certificar-se que não exista
risco contra terceiros. Devemos priorizar a segurança dos pedestres (principalmente
crianças) e veículos.

ESCAVAÇÕES
ATIVIDADES PRINCIPAIS RISCOS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção
E
OPERAÇÕES (ver anexo )

Escavação Risco de Usarcapacete, Pranchões (escorados


manual desabamento. bota de borracha horizontalmente se necessário em
oucom com solado talude superiores a 1,20m), Escadas
máquina. antiderrapante. de saída de emergência. Muros,
Abafador de edificações vizinhas e todas as
Quedas em nível e ruído, para o estruturas adjacentes devem ser
em diferença de nível. operador da escoradas.
máquina, se
necessário e O material retirado deve ficar a
Inalação de poeiras. Máscara contra distância superior à metade da
poeiras, quando profundidade, medida a partir da
houver excesso borda do talude.
de poeira.

Escavação Risco de choque Botas Verificar a existência de cabos


manual elétrico. impermeáveis. elétricos subterrâneos e desligar os
oucom mesmos.
máquina.
Não permitir a entrada de pessoas
não autorizadas a este local de
trabalho.

96
.

FUNDAÇÕES
ATIVIDADES E PRINCIPAIS RISCOS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção
OPERAÇÕES
(ver anexos)

Cravação de Risco de estouro da Operador do Utilizar Cuidado com cabos elétricos


estacas estaca, podendo abafador de ruídos, aéreos, evitar contato com o braço
(equipamento: atingir aos luvas de raspa, da máquina. Deve ficar no tambor
golpe de martelo trabalhadores. botinas de segurança. do cabo do pilão, seis voltas. O
por gravidade). operador do equipamento deve
ser qualificado.

Arranques Risco de ferimentos Equipamentos Proteger as pontas dos


(eventuais cortes por rotineiros de proteção vergalhões (arranques).
ferro) com as esperas individual.
ou arranques
desprotegidos.

Abertura de valas Risco de Utilizar pranchões escorados


soterramento. horizontalmente.

Instalações Choque elétrico. Botinas de segurança Não deixar partes vivas nas
elétricas provisórias sem partes metálicas. instalações provisórias.
e definitivas
Óculos de proteção. Não realizar serviços em circuitos
energizados.
Luvas isolantes.
Serviço autorizado somente a
trabalhador qualificado.

Utilizar materiais especificados no


projeto.

Organização e Riscos diversos de Utilizar sempre Manter sempre as vias de


limpeza no canteiro acidentes. Capacete e botina de circulação, escadas e passagens
segurança. desobstruídas.

Manter os entulhos afastados da


periferia das lajes

97
.

EPI – Equipamento de Proteção Individual.

Máscara panorâmica

Avental de raspa
Máscara de soldador

Protetor auricular
Máscara semifacial

Máscara descartável

Protetor facial
Capacete

Óculos de segurança

Óculos ampla visão

Óculosparasolda

Escudo para soldador


FUNÇÃO X EPI
O: (Obrigatório
E: (Eventual)

Administração O
Tecnica de seg.do o E E E E
trabalho
O E E E
Apontador x x E
O E
Ass.de engenharia E E E
O E
Op. Betoneira E O O E E E
O E O
Pedreiro E E E E
O E E E
Servente E E E E
O E E E

CARACTERÍSTICAS DOS EPI’S

Máscara contra poeiras: Equipamento destinado à proteção respiratória dos trabalhadores


contra poeiras incômodas, como o cal e calcário.
Utilização: Deverá ser utilizada quando no ambiente de trabalho houver poeiras inertes,
cuja concentração seja desconfortável para o trabalho. Pela quantificação realizada na
empresa e análise desses particulados, recomendamos o uso de máscaras simples contra
poeiras (descartáveis) do tipo de fibras não-tecidas e que possui tira metálica para amoldar
ao tipo de nariz e um elástico para prender a máscara à altura do nariz.

98
.
Conservação: Após o uso deve ser limpo e guardado em local seco, ventilado, evitando
umidade e a exposição a contaminantes. Deverá ser trocado sempre que se encontrar
saturada, perfurada, rasgada ou com falta de vedação.

Protetor Auricular: Equipamento destinado à proteção das pessoas que trabalham em


locais com ruído elevado e acima dos limites de tolerância.
Utilização: Deverá ser utilizados pelos funcionários que trabalham
nos britadores, moinhos, operação da máquina, corte de materiais
por disco, esmerilhadeiras, lixamento de peças metálicas, e outras onde o ruído for alto.
Conservação: Manter sempre limpo para boa higiene e conforto. Solicitar a substituição,
para higienização mensal ou de acordo com a periodicidade de utilização.

Capacete: Equipamento destinado a proteger a cabeça contra


impactos contundentes.
Utilização: Deverá ser utilizado pelos colaboradores dos setores de
produção constantemente, e sua conservação é guarda é de
responsabilidade do empregado.
Conservação: Manter limpo e evitar danos no casco e na carneira.

Luvas de raspa de couro (ou equivalente): Equipamento utilizado para a proteção das
mãos e punhos, contra riscos de ferimentos por corte, lacerações
etc.
Utilização: Deverá ser utilizada nos serviços de levantamento e
transporte de materiais, e em todos aqueles que tragam riscos às
mãos dos funcionários da área de produção.
Manutenção: Deverá ser solicitado um equipamento novo, quando o mesmo não
apresentar condições de uso. Não deve ser submetido à umidade.

Vestimenta de Trabalho: Roupa para trabalho destinada a proteger o corpo do funcionário


do contato com as partículas em suspensão (poeiras). Recomenda-se roupa em
tecido resistente, porem leve e confortável com mangas compridas e do tipo
macacão.
Utilização: Deverá ser usado durante os trabalhos na produção da cal e
calcário, observando que a barra da calça deve ficar sempre por cima do
calçado de segurança.
Manutenção: O funcionário deve providenciar sua limpeza e manutenção. Somente será
entregue uma nova muda contra a entrega da anterior.
99
.

Cinto de Segurança: Equipamento destinado a limitar uma possível


queda durante a execução de um trabalho que esteja sendo
realizado a mais de dois metros de altura do piso.
Utilização: Deverá ser utilizado em trabalhos superiores a dois
metros de altura, principalmente durante a manutenção ou reparos
de coberturas ou outros. O cinto deve ser o tipo pára-quedista.
Manutenção: Evitar o contato com materiais cortantes e químicos. Revisar, antes do uso, as
condições das costuras, das partes metálicas, das conexões, do rabicho (não utilizar se o
cabo tiver suas fibras soltas) e do mosquetão, assim como o deve ser revisado o cabo
auxiliar de segurança, seu estado e sua correta fixação.
Calçado de Segurança: Calçado destinado à proteção dos pés do trabalhador.
Utilização: Deve ser utilizado em todos os locais de produção da
empresa, durante toda a jornada de trabalho.
Manutenção: O calçado deve ser periodicamente limpo e engraxado
para manter o couro macio. Não devem ser submetidas às locais com
excesso de umidade, para tal deve ser utilizada bota de borracha.

*Obs. Todos os epi´s devem possuir C. A (Certificado de Aprovação do Ministério do


Trabalho e Emprego).
EPI (EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL) FORNECIDO.

Aos trabalhadores:

● Capacete-(uso generalizado)
● Luva de vaqueta
● Luvas (de borracha e de raspas);
● Cinto de segurança tipo pára-quedista
● Botas de borracha;
● Óculos de segurança;
● Uniforme;
● Protetor facial;
● Protetor auditivo;
● Respirador contra poeiras
● Luva de vaqueta

FUNÇÕES EXISTENTES NO CANTEIRO (NO INÍCIO DE IMPLANTAÇÃO DO


PROGRAMA):

FUNÇÕES (Empreiteiros) FUNÇÕES (EMPRESA)

100
.

Serralheiro ● Administrador de empresas ●


Pintorl ● Assistente de Engenharia ●
Eletricista ● Técnico de Segurança do trabalho ●
Carpinteiro ● Supervisor de construção civil ●
Gesseiro ● Supervisor de compras ●
Encarregado de obra ●
Apontador ●
Pedreiro ●
Pedreiro (Operador de serra manual) ●
Servente ●
Servente (Operador de betoneira) ●
Ajudante de pedreiro ●

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS

 Todos os EPI’s fornecidos aos colaboradores, serão anotados em ficha própria e


individual (ver modelo nos anexos) onde obrigatoriamente deverá constar o nº do
Certificado de Aprovação – C.A. e data e assinatura do recebedor do EPI.
 Para o fornecimento de um novo EPI, o funcionário entregará o EPI objeto da
substituição.
 Todos os trabalhadores estarão legalmente contratados, tanto os próprios como os
terceirizados.
 Os Atestados de Saúde Ocupacional – ASO ficarão na administração da obra ou no
almoxarifado, para fins de consulta do Ministério do Trabalho. Inclusive dos empreiteiros.
 Serão realizadas vistorias periódicas de Segurança e Saúde pela Assessoria de
Segurança com elaboração de relatório de campo e circunstanciado. Estes relatórios
serão encaminhados à administração da obra para a correção de eventuais
irregularidades.
 Todos os funcionários receberão Ordens de Serviço – OS já mencionados anteriormente.
 Todos os funcionários deverão estar imunizados contra o Tétano.
 Empreiteiros também deverão atender as disposições da NR-7 e 18. Principalmente no
tocante a treinamentos, ordens de serviço e aos exames médicos.
 Fica à disposição dos empreiteiros o PCMAT da obra, para consulta e acompanhamento.

Treinamento

Todos os funcionários receberão treinamento inicial e periódico em Saúde e Segurança, a


ser administrado pelo SESMT da empresa com carga horária total de seis horas, que serão
distribuídas acompanhando o cronograma de execução da obra. Treinamentos periódicos
101
.
serão realizados a cada sessenta dias úteis pelo pessoal da segurança do trabalho,
conforme agenda própria.

O treinamento contemplará os seguintes assuntos:

 O mundo do trabalho
 A importância da Construção;
 Responsabilidade.
 A Segurança:
 A Comissão de Prevenção de Acidentes – CIPA;
 O Serviço de Saúde e Segurança – SESMT;
 Principais Riscos de acidentes e Mapa de Riscos;
 Equipamentos de Proteção (EPI’s e EPC’s)
 Praticando a prevenção.
 A Saúde e Higiene:
 Bons hábitos de higiene;
 Saúde do corpo;
 Saúde dos dentes;
 Doenças sexuais;
 Doenças da pele;
 Como evitar as doenças no trabalho.

NORMAS PARA USO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

 Os colaboradores devem usar o Equipamento de Proteção Individual adequado ao risco


e em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:
 Sempre que as medidas de proteção coletiva forem inviáveis ou não oferecerem
completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou doenças profissionais e
do trabalho;
 Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas;
 Sempre que for necessário atender às situações de emergências.
 Obriga-se o colaborador:
 Guardar e conservar os Equipamentos de Proteção Individual – EPI`s, evitando deixá-los
sobre armários, bancadas, no chão, etc.;
 Não emprestar e nem pedir emprestado os Equipamentos de Proteção Individual – EPI`s;
 Usar obrigatoriamente o uniforme da empresa, evitando roupa larga, perna da calça dobrada até o
joelho e camisa aberta;
 Não usar boné ou gorro sob o capacete de segurança;
 Solicitar a substituição do Equipamento de Proteção Individual e uniforme, quando
houver qualquer dano causado por acidente ou desgaste natural, que os tornem
impróprios para o uso ou quando o risco da atividade necessitar de outro tipo de EPI`s.
 Equipamentos de Proteção Individual – EPI`s, devem atender à peculiaridade de cada
função, área, e risco da atividade, como seguem:

REGRAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO.

É FUNDAMENTAIS A OBSERVÂNCIA DESSAS NORMAS E O SEU FIEL


CUMPRIMENTO.

NORMAS GERAIS

102
.
 Cada empregado é responsável pela higienização do seu calçado, protetor auricular e
outros EPI`s, bem como a sua guarda e conservação. Ele é de graça, mas se perder ou
não for devolvido, será cobrado;
 Nos trabalhos em altura, deve-se utilizar a jugular no capacete, passado sob o queixo,
para evitar queda;
 Durante a carga/ descarga de qualquer tipo de material, a área deverá ser sinalizada e,
deverá ser usado o sinaleiro;
 É obrigatório o uso de cinto de segurança tipo paraquedista em todos os serviços onde
houver risco de queda e/ou acima de 2m (dois metros) de altura;
 É proibido carona em máquinas e equipamentos;
 É proibido o trânsito de veículo particular nos acessos da obra;
 É proibido o transporte de pessoas, que não sejam empregados, nos veículos da
empresa;
 É proibido sair com qualquer tipo de material ou equipamento da obra, sem autorização
do gerente;
 Os motoristas e visitantes deverão obedecer ao Código Nacional de Trânsito, durante o
tráfego no interior da obra;
 Na obra é obrigatório o uso de botas de couro ou de borracha. Fica vedado o uso de
qualquer outro calçado sem autorização do Encarregado.
 Haverá proteção para todas maquinas que ofereçam risco.
 Haverá sanitários limpos e água fresca para todos, em locais bem próximos da
construção;
 O Não cumprimento das normas de segurança e o não usam de EPI`s exporão o
empregado à advertência verbal seguida de advertência por escrito, na reincidência;
depois a suspensão (“balão”) e, por fim, demissão por “justa causa”;
 Não se permite qualquer tipo de brincadeiras em serviço;
 Não se permitirá o uso de anéis nos dedos, cabelos longos ou correntinhas, bem como
roupas muito largas, geradores de acidentes;
 Não se permitirá qualquer improvisação nos serviços elétricos, do tipo “gambiarra“, ou
“quebra galho“;
 É proibido o ingresso na obra de pessoas alcoolizadas para visita e/ou para o trabalho,
reservando-nos o direito de praticar o teste do bafômetro;
 Nenhum objeto ou peça poderá ser colocado de maneira a atrapalhar o fluxo de pessoas
ou veículos;
 Nenhum veículo ou máquina poderá transitar com freios desregulados, faróis queimados,
sem buzina ou qualquer outro defeito que possa gerar acidentes;
 Nenhuma pessoa do sexo masculino poderá, sozinha, transportar peso superior a 60 kg,
p/ a mulher peso superior a 40Kg;
 No refeitório, é proibido o acesso sem camisa;
 Nos pisos, escadas, rampas, corredores e passagens dos locais de trabalho, onde
houver riscos de escorregamento, serão empregados materiais ou processos
antiderrapantes;
 Os empilhamentos ou armazenamentos de materiais devem ser bem feitos e em lugares
que não atrapalhem o fluxo de pessoas ou o trânsito de veículos;
 Para o manuseio de objetos molhados e/ou escorregadios serão usadas luvas
antiderrapantes;
 Para trabalho, em qualquer altura, haverá escadas apropriadas.
 Proíbe-se o uso de escadas de mão com mais de 7 m (sete metros) de altura. Ver tabela
de, espaçamento horizontal com os encarregados;
 Proíbe-se o uso de ferramentas sem cabos, desamoladas, trincadas, inadequadas ou de
maneira incorreta;
 É Proibido saltar das máquinas, tanto parada quanto em movimento;
 Qualquer máquina, equipamento ou veículo que oferecerem riscos de incêndio terão
como dispositivos de segurança os respectivos extintores de incêndio;
 Sempre que possível, os empregados serão protegidos de insolação;
103
.
 Será comum o uso de uniformes, que poderão ser subsidiados;
 Somente empregado treinado, habilitado e autorizado poderá operar nossos
equipamentos;
 Toda máquina ou motor terá proteção para suas partes móveis;
 Todo e qualquer serviço, em áreas de risco ou movimento, deverá estar sinalizada, com
cones, cavaletes, tapumes, placas, etc.
 Todo E.P.I. (Equipamento de Proteção Individual) será fornecido gratuitamente, em
perfeitas condições de uso e adequado ao serviço, sendo obrigatório o seu uso no
respectivo serviço;
 Todo empregado que trabalha em local úmido (molhado, ainda que esporadicamente),
terá 02 (dois) pares de botas. Uma de couro e outra de borracha, a fim de se evitar
micoses nos dedos dos pés;
 Todo motor elétrico será convenientemente aterrado, a fim de evitar choque elétrico no
pessoal;
 Todos os corrimãos das escadas de madeira não devem apresentar farpas ou saliências;
 Todos os hidrantes ou extintores de incêndio devem estar desobstruídos. Não se
permitem brincadeiras com os mesmos;
 As trocas das botinas de segurança, seguirão o padrão de 6 (seis) meses, para troca
sem ônus ao empregado, salvo com avaliação do profissional em segurança do Trabalho.
 É proibido trabalhar sem camisa, sem o capacete ou sem botina, sapato ou bota de
segurança. Exceção aos empregados liberados pela segurança ou medicina do trabalho;
 É proibido cortar caminhos/acessos nas encostas dos taludes, sendo considerado Ato
Inseguro tal atitude;

NORMAS PARA SERVIÇO DE MONTAGEM DE FÔRMA METÁLICA E MADEIRA

 Somente colaborador qualificado e autorizado pode realizar serviços de montagem de


fôrmas.
 Utilizar Equipamento de Proteção Individual – EPI`s.
 Não expor dedos da mão e a mão entre peças durante a montagem das fôrmas, cimbra
mento e instalação dos tirantes.
 Utilizar ferramentas adequadas e em bom estado de conservação no ajuste da fôrma.
 Manter a atenção durante a movimentação de cargas (fôrmas metálica ou madeira), não
expondo o pé ao alcance da mesma.
 Manter a área de circulação de trabalho limpa e desobstruída.
 Instalar guarda-corpo superior e intermediário, e roda pé, onde houver risco de queda de
pessoa e/ou projeção de materiais.
 As aberturas no piso devem ter fechamento fixo e resistente. Caso forem utilizadas para
o transporte vertical de material e equipamento, proteger com guarda-corpo provisório.
 Instalar na periferia da edificação proteção contra-queda de pessoas e projeção de
materiais a partir do início dos serviços da instalação e/ou concretagem da primeira laje.
 A proteção contra quedas, quando constituída de anteparos rígidos, em sistema de
guarda-corpo e rodapé deve atender aos seguintes requisitos:
 Ser construída com altura de 1,20 m (um metro e vinte centímetros) para o travessão
superior e 0,70 m (setenta centímetros) para o travessão intermediário;
Continuação...

 Ter rodapé com altura de 0,20 m (vinte centímetros);


 Ter vãos entre travessas preenchidas com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento
seguro da abertura.
 Nas atividades de aplicação de forma nas estruturas com altura igual ou superior a 2m,
deve-se utilizar o cinto de segurança tipo pára-quedista com dois mosquetões e
talabartes fixos a estrutura ou cabo guia. Durante a subida ou descida da estrutura,
intercalar a fixação dos mosquetões na estrutura.

104
.
NORMAS PARA SERVIÇO EM ARMAÇÃO

 Somente colaborador qualificado e autorizado pode operar a máquina de cortar barra de


ferro, dobrar ferro, enrolar e trançar arame e soldar barra de ferro.
 Utilizar Equipamento de Proteção Individual – EPI`s’, no manuseio e corte de barras de aço, sendo: Capacete
de segurança, luva de raspa, protetor auricular, óculos de segurança e botina de segurança.
 No trabalho em altura, evitar a queda de ferramentas e objetos, sobre pessoas,
amarrando-as a cintura através de um cabo.
 Ter atenção no manuseio de barra de aço próximo a cabo elétrico.
 Precaver-se na colocação de armação no interior da fôrma, para não prensar mãos e
dedos.
 Cobrir com tábuas e chapas de compensado os locais de circulação sobre a armação de
laje ou viga, especialmente armação negativa.
 Manter atenção no transporte manual de barra de ferro ou armaduras prontas.
 No deslocamento vertical de barras de aço, utilizar cordas novas e sem emenda,
amarrando a barra de aço adequadamente.
 Atar feixes de barra de ferro ou armaduras prontas quando içados pelo guindaste.
 Nas atividades de aplicação de barra de aço nas estruturas com altura igual ou superior a
2m, deve-se utilizar o cinto de segurança tipo pára-quedista com dois mosquetões e
talabartes fixos a estrutura ou cabo guia. Durante a subida ou descida da estrutura,
intercalar a fixação dos mosquetões na estrutura.
 É proibido jogar pontas de aço ou qualquer objeto em nível inferior. Amarre-o em uma
corda ou coloque em um recipiente e transporte-o de forma segura para o nível inferior.
 É proibido deixar objetos soltos sobre a estrutura.

NORMAS PARA SERVIÇO DE CONCRETAGEM

 Utilizar os Equipamentos de Proteção Individual – EPI`s’: no local de lançamento de


concreto; óculos de proteção, protetor auricular, luva impermeável e bota de borracha,
além de capacete.
 O vibradorista deve utilizar os seguintes EPI`s: creme de proteção, avental e calça
impermeável, além dos relacionados acima.
 Ao perceber que sua pele teve contato com concreto e/ou líquido proveniente deste,
lavar com água corrente imediatamente.
 Nenhum colaborador deve ficar em frente à extremidade do mangote ou tubo
transportador de concreto.
 Nas atividades de aplicação de concreto nas estruturas com altura superior ou igual a 2
m, deve-se utilizar o cinto de segurança tipo pára-quedista com dois mosquetões e
talabartes fixos a estrutura. Durante a subida ou descida da estrutura, intercalar a fixação
dos mosquetões na estrutura.
 Não passar ou permanecer sob caçamba de concreto suspensa pelo guindaste.

NORMAS PARA SERVIÇO DE DESFORMA

 Isolar com barreiras (cordas, fitas, tapumes, cones etc.) a área localizada abaixo do bloco
estrutural que as fôrmas serão retiradas; de modo a impedir o trânsito de pessoas e etc.
 Utilizar os Equipamentos de Proteção Individual – EPI`s, cinto de segurança com dois
talabartes ligado ao cabo guia, a corda, o andaime e/ou estrutura, no serviço em altura
igual ou superior a 2 metros. Durante a subida ou descida da estrutura, intercalar a
fixação dos mosquetões na estrutura.
 Utilizar andaime adequado ou escada desde que amarrado e apoiado para realizar a

105
.
desforma.
 Realizar a descida de material através do guindaste. Quando não for possível amarrá-lo
com corda.
 Não permitir situações em que um colaborador suporte sozinho a carga.
 Manter pilhas ou agrupamentos de peças retiradas do escoramento ou fôrma afastada
1,50 m (um metro e meio) da periferia da laje.
 Manter o material da desforma afastado da área de circulação e escada de acesso.
 Tomar cuidado no sentido de evitar que as mãos e dedos sejam aprisionados.
 Evitar a queda de ferramenta, tais como martelo, pé de cabra e etc., sobre colaborador,
bem como mantê-la amarrada através de cabos à cintura.

NORMAS PARA ACESSO PROVISÓRIO

NORMAS EM ESCADAS

 Antes de usar a escada, verifique se os degraus não estão enfraquecidos pelo desgaste.
 Não improvisar nenhum material para substituir degraus da escada.
 Usar escada apenas para serviços rápidos. Não apoiar em portas, vidros ou superfícies
frágeis e escorregadias.
 O pé da escada, além de posicionar em nível, deve sempre que possível ser fixado, ou
ter base antiderrapante apropriada à natureza do piso.
 Não transitar em escadas transportando cargas pesadas ou volumosas.
 Usar escada suficientemente comprida para permitir que seja alcançado o ponto onde se
realizará o trabalho. A montante da escada deve passar 1 metro do ponto de apoio.
 Não pegar nada afastado além do comprimento de seu braço, quando estiver na escada.
 Nunca subir ou descer da escada, carregando nas mãos, ferramentas ou materiais.

NORMAS EM PASSAGEM E RAMPA


 Ser de construção sólida, mantidas em boas condições de utilização e segurança. Estar
assentada em apoios seguros e resistentes.
 Inspecionar freqüentemente as passagens e rampas, observando danos que
comprometam a resistência e estabilidade.
 Ser de largura mínima de 80 centímetros, providas de guarda-corpo de 1,20 m de altura,
proteção intermediária de 70 centímetros de altura e rodapé de 20 centímetros de ambos
os lados.
 Utilizar piso antiderrapante ou travas horizontais em rampas com inclinação maior que os
degraus.
 Rampa usada para trânsito de veículo, deve ter largura mínima de 4 metros, e ser dotada
de guarda rodas.

106
.

NORMAS EM ANDAIME
 Ser construído de material sólido e resistente, amarrado e contraventado de modo a
suportar cargas às quais estão sujeitos a resistir às pressões do vento.
 Quando houver redes elétricas nas proximidades, estas deverão estar desenergizadas.
 O andaime deve ser provido de acesso por meio de escada.
 É proibido acumular material sobre o andaime.

NORMAS PARA TRABALHO EM ALTURA

 Utilizar cinto de segurança tipo pára-quedista com dois talabartes e mosquetão grande,
intercalando-os durante a subida e descida da estrutura, nos trabalhos em altura igual ou superior
a 2,00 m (dois metros) de altura.
 Instalar proteção contra queda onde houver risco de queda de colaborador, terceiros e/ou
projeção de materiais.
 As aberturas no piso das estruturas devem ter fechamento fixo e resistente. Caso forem
utilizadas para o transporte vertical de material e equipamento, proteger com guarda-
corpo provisório.
 Instalar na periferia da edificação proteção contra-queda de pessoas e projeção de
materiais a partir do início dos serviços da instalação e/ou concretagem da primeira laje.
 A proteção contra quedas, quando constituída de anteparos rígidos, em sistema de
guarda-corpo e rodapé deve atender aos seguintes requisitos:
 Ser construída com altura de 1,20 m (um metro e vinte centímetros) para o travessão
superior e 0,70 m (setenta centímetros) para o travessão intermediário;
 Ter rodapé com altura de 0,20 m (vinte centímetros);
 Ter vãos entre travessas preenchidos com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento
seguro da abertura.

NORMAS PARA SERVIÇO DE MANUTENÇÃO

 Somente colaborador qualificado e autorizado pode fazer manutenção em máquinas ou


equipamentos.
 Antes de iniciar a manutenção, verificar se as ferramentas estão em perfeito estado de
uso e funcionamento.
 Utilizar ferramenta adequada ao trabalho, evitando improvisações.
 Proibido jogar a ferramenta no chão ou para outra pessoa.
 Colocar a ferramenta no devido lugar após o uso, transportando-a em caixa apropriada,
não em bolsos.
 Guardar as ferramentas cortantes em bainha e em local apropriado.
 Solicitar o reparo da ferramenta sem condição de uso ou providenciar a sua substituição
por uma em bom estado.
 Não lubrificar ou fazer ajuste em máquinas ou equipamentos em funcionamento.
 Antes de ligar ou movimentar uma máquina ou equipamento, verificar se não está
colocando em risco outras pessoas, a si mesmo ou o patrimônio da empresa.
 Antes de fazer a manutenção, ajustes ou reparos em equipamentos que possuam
acessórios, tais como caçambas, lâminas, etc., abaixe os acessórios até o solo, ou se
necessário erguê-los para o acesso a certas partes, mantenha-os suspensos firmemente
com cavaletes ou suportes de segurança.
 Se a máquina ou equipamento estiver numa inclinação, calce-a firmemente.
 Se algum equipamento tiver que ficar suspenso para o serviço de manutenção instale
107
.
cavaletes resistentes a carga.
 Antes de trabalhar no sistema de combustível do motor, feche a válvula de corte do
combustível.
 Tenha o máximo de cuidado ao remover tampas de radiador, bujões de drenagem,
graxeiras ou tampas sob pressão hidráulica.
 Use óculos de segurança, quando perfurar, esmerilhar ou martelar metais.
 Não remover a tampa do radiador, até que a temperatura do líquido arrefecedor esteja
abaixo do ponto de ebulição.
 Ao manusear cilindros de gases liquefeitos de petróleo, faça-o com cuidado. Não
derrube, nem danifique.
 Sempre use luvas de proteção ao manusear cabos de aço.
 Antes de trabalhar num sistema hidráulico, certifique-se de que toda a pressão foi
aliviada, de acordo com as recomendações do fabricante.
 Abaixe ou mantenha suspenso por cavalete todo implemento de equipamento acionado
hidraulicamente, antes de efetuar a manutenção do sistema hidráulico.
 Ao estacionar no acesso para realizar serviços ou devido a defeito, deve sinalizar
adequadamente através de cavaletes, cones, fitas, iluminação, triângulo e etc.
 Proibido transportar pessoas em caçambas de caminhão e sobre carroceria de
equipamento de terraplanagem.
 Não limpar ou retirar sobra de material com as mãos. Usar sempre ferramenta apropriada
e com máquina desligada.
 Desligar a máquina ou equipamento antes de iniciar a manutenção e instalar a etiqueta
de equipamento em manutenção, garantindo que não será ligada durante o reparo.
 Usar o guincho para erguer os componentes pesados, não use o seu corpo.
 Verificar a área antes de movimentar ou manobrar o equipamento.
 Não fume enquanto estiver reabastecendo ou quando mexer com recipiente contendo
combustível.
 Guarde os fluidos inflamáveis num lugar apropriado, não deixe fumar nessa área.

NORMAS PARA SERVIÇO EM ELETRICIDADE

 Observar as Normas de Segurança abaixo antes de iniciar qualquer serviço elétrico.


 Somente colaborador qualificado e autorizado pode realizar serviços nas instalações elétricas.
 Usar Equipamentos de Proteção Individual (botina de segurança, luva de proteção contra
alta tensão e etc.), necessários ao serviço.
 Manter cabos elétricos aéreos livres de impacto, contato e rompimento.
 Antes de iniciar um serviço, desligar as chaves e colocar avisos (etiqueta de
equipamento em manutenção) para não serem ligadas antes do seu término.
 Não sobrecarregar um circuito elétrico com motores elétricos, máquinas de soldar e etc.,
a menos que esteja dimensionado para este fim.
 Evitar a existência de fios e cabos descobertos ou pendentes nas passagens de
pessoas.
 Utilizar proteções com resistência adequada, não utilizar o “JUMP” (fios, arames etc.).
 Aterrar toda máquina, equipamento elétrico e painel elétrico.
 Somente realizar serviço em instalação e equipamento elétrico, quando os mesmos
estiverem desenergizados.
 Quando não for possível desligar o circuito elétrico, o serviço somente poderá ser
executado após ter sido adotado as Medidas de Proteção Complementares (aterramento,
isolamento uso do EPI`s.).
 Isolar partes vivas expostas de circuitos e equipamentos elétricos.
 Assegurar que as emendas e derivações dos condutores tenham resistência mecânica,
contato elétrico e isolamento adequado.
 Assegurar que as emendas e derivações tenham característica equivalente a todos
Continuação...

108
.

 Condutores utilizados.
 As instalações elétricas provisórias de canteiro de obras serão constituídas de:
 Chave Geral, localizada no quadro principal de distribuição.
 Chave individual para circuito de derivação.
 Chave faca blindada em quadro de tomadas.
 Chaves magnéticas e distribuidores para equipamentos.
 Ligar máquinas ou equipamentos elétricos por intermédio de conjunto plug e tomada.
 O painel elétrico constituído de material resistente, estável, com tampa, aterramento
elétrico, chave geral, disjuntores de proteção e tomadas elétricas para cada circuito.

109
.

NORMAS PARA TRANSPORTE E ESTOCAGEM DE MATERIAIS

 Verificar o peso antes de levantar a carga, se possui pontas e rebarbas, se há


necessidade do uso de equipamentos de proteção individual e se o caminho a ser
percorrido está desimpedido.
 Dispor o material a ser transportado de forma que não impeça a visibilidade ou dificulte a
locomoção.
 Levantar a carga utilizando as pernas para se
erguer e não a coluna vertebral.
 Pedir ajuda quando necessário, evitando prensar
as mãos e/ou os pés ou fazer esforços superiores à
sua capacidade física.
 Realizar o transporte de pranchão de madeira
sempre por duas ou mais pessoas, devendo apoiar
no ombro, segurar com firmeza e manter o
sincronismo durante o levantamento, percurso e no
descarregamento da peça.
 Fazer estoque, conforme as instruções técnicas
dos fabricantes e de maneira que permaneçam
estáveis.
 Obedecer às faixas que delimitam os locais para
estoque e armazenamento.
 Estocar e armazenar materiais de modo a não prejudicar a circulação de integrantes,
acesso de equipamentos, para combate a incêndio e painéis elétricos.
 Não obstruir portas ou passagens e não provocar sobre cargas nas paredes, lajes ou
estruturas de sustentação.
 Não empilhar materiais diretamente sobre piso instável, úmido ou desnivelado.
 Empilhar as pranchas, tábuas e outras peças de madeira a uma altura máxima de 1,50 m
(um e meio metro) para remoção manual.
 Empilhar as madeiras retiradas de andaimes, tapumes, fôrmas e escoramento depois de
retirar e/ou rebater os pregos, arames e fitas de amarração.
 Empilhar sacos de cimento, respeitando a altura máxima de 10 (dez) sacos.
 Fazer o empilhamento de maneira cruzada e com a boca voltada para dentro.
 Ao retirar os sacos empilhados, manter nivelada a parte superior do lote, assim como o
arranjo exterior da pilha.
 Utilizar os equipamentos de proteção individual recomendado: luva e manga de raspa
para material abrasivo, e roupa (macacão) e luva impermeável para produto químico.
 Inspecionar rigorosamente os cilindros de gases comprimidos recebidos e recusar os que
apresentem defeitos visuais, que não disponham de capacete de proteção ou aqueles
cujas válvulas estejam defeituosas.
 Armazenar os cilindros sempre de maneira vertical, com válvula para cima, fixada de
maneira a impedir o seu tombamento e separando os cheios dos vazios.
 Não fumar ou usar chamas nos locais de estocagem.
 Manusear os cilindros com cuidado, evitando choques, transportando-os somente com as
válvulas fechadas.
 Manter os cilindros a distância segura das operações de soldagem e corte.
 É proibido usar a carregadeira no transporte de material pendurado na caçamba,
excedendo as dimensões da caçamba, material combustível (garrafas de acetileno,
tambores de óleo diesel) e garrafas de oxigênio.
 Somente operador de guindaste e caminhão guindaste habilitado e qualificado podem
operar os equipamentos de guindar.
 Inspecionar diariamente os equipamentos de guindar (guindaste e caminhão guindaste),
110
.
constatando irregularidade não execute os trabalhos. Solicite a manutenção.
 Ao constatar qualquer irregularidade no cabo de aço, gancho laço, manilha e acessórios
do cabo de aço, solicitem imediatamente sua substituição.
 Durante o iça mento e transporte de material, o colaborador não pode posicionar-se entre
o material em movimento e outro fixo.
 Manter distância da carga transportada pelo equipamento de guindar, utilizar cabo guia
para direcionar a carga.
 Estocar a peça pré-moldada em terreno firme e nivelada, sobre apoios de concreto e/ou
madeira, certificando que estão estáveis.
 Para erguer uma carga, deve-se abaixar dobrando os joelhos, manter a coluna vertebral
reta, segurar firme a carga próxima ao corpo e levantar utilizando as pernas.

ALMOXARIFADO.

 Instalar em local de fácil recepção e distribuição dos materiais pelo canteiro;


 Manter limpo, organizado e identificado, de modo a não prejudicar o trânsito de
pessoas, e a
 Circulação de materiais e o acesso aos equipamentos de combate ao incêndio;
 Manter pilhas estáveis de materiais com facilidade de acesso e manuseio;
 Armazenar os materiais (tóxicos, corrosivos, inflamáveis e explosivos) identificados e
separados por compatibilidade química e em local isolado e sinalizado.

111
.

DOCUMENTOS EM GERAL

ORDENS DE SERVIÇOS, REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA E CHECK LIST DE


VERIFICAÇÃO

REGRAS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO CONTRATO CLIENTE

01 Obedeça às normas, ordens, regras e regulamentos de Prevenção de Acidente,


Segurança e Higiene do Trabalho
02 Use Obrigatoriamente o Equipamento de Proteção Individual
03 Ao manusear materiais abrasivos, use luvas de proteção de raspas de
couro
04 Mantenha sempre limpo e em ordem o seu local de trabalho
05 Mantenha sempre limpo seu unitorme e seus equipamentos de
proteção individual
05 Acate as instruções e orientações dos membros da CIPA e de seu
superior
07 Sempre que você se machucar, mesmo sem gravidade, prooure
informar imediatamente o seu superior, para que seja realizado primeiro
socorro e para analise da CIPA.
08 Ao executar trabalhos onde haja desprendimento de lagulhas, use
Óculos de Segurança ou Protetor Facial
09 Quando trabalhar em attura, esteja sempre como cinto de segurança
10 Apresente sugestões para melhoria das condições de segurança do
seu local de trabalho
11 Nunca improvise, use sempre a ferramenta correta para o tipo de trabalho que for
executado
12 Quando retirar alguma ferramenta ou equipamento de proteção individual no
almoxaritado, verifique se os mesmos estão em perteitas condições de
uso, alertando o encarregado da obra sobre qualquer anormalidade
13 Ajude a conservar e esteja sempre atendo aos avisos e lembretes de
segurança
14 Sempre que for necessário executar trabalho com ferramentas elétricas,
mecánicas e pneumáticas, verifique se as mesmas estão com as devidas
proteções
15 Nunca se descuide quando estiver executando um trabalho: a
desatenção poderá ser tratar para a ocorrência de um acidente
16 Não execute trabalho para o qual não está devidamente treinado
17 Ao transitar pelo local de trabalho, ande devidamente calçado e preste
atenção ás placas de sinalização do local
18 Seguindo estas regras básicas de segurança, você e seus
companheiros de trabalho estarão prevenindo Acidentes.
Eu,______________________________________________________ocupando a
função de ______________________________, recebi do Serviço de
Segurança do Trabalho as regras básicas de segurança do trabalho que
me comprometo a cumprir integralmente.

Em,___de ________de 20_______.

112
.
________________________________
Assinatura do Funcionário

DECLARAÇÃO DE TREINAMENTO

DECLARAÇÃO DE TREINAMENTO SEGURANÇA DO CONTRATO CLIENTE


TRABALHO

Declaro, por ocasião de minha admissâo, que recebi TREINAMENTO DE


SEGURANÇADO TRABALHO, recebendo todas as orientações sobre Prevenção de
Acidentes do Trabalho, bem como das obrigações que constam nas normas legais e
internas desta empresa no tocante à Segurança do Trabalho.

Estou ciente das sanções legais que acarretem pelo não-cumprimento das normas.

Equipamento de Proteção Individual - EPI


NR-06 Portaria MTb N. 26/94 - IN ns. 1/94
n. 25/2001 - Arts. 166 a 167 Leí n. 6.514/77
Uso e Responsabilidade

Recebi do Setor de Segurança do Trabalho os EPI’s necessários, comprometendo-


me a usá-los quando no exercício de minhas funções, em horário de minha jornada
de trabalho o em jornada de trabalho extraordinária, quando ocorrer.
IMPORTANTE
Na eventualidade de perda, roubo ou dano do equipamento, assim como a
nãodevolução do mesmo ao deixar a empresa, caberá a esta, nos termos do art.
462, § 1°, da Lei ri. 6.514/77 — CLT, efetuar o débito do valor correspondente em
sua quitação.

Nome: Função:

Reg: Data de Admissão: Data de Demissão:

Em, __________ de________________ de 20__.


_____________________________________
Assinatura do Funcionário

NR-01, subiteni 1.8 — Cabe ao empregado: a) cumprir as disposições legais e


regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho, inclusive as ordens de
serviço expedidas pelo empregador; b) usar o EPI fornecido pelo empregador.
Subitem 1.8.1:
Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao cumprimento do

113
.
disposto no item anterior.

114
.

REGRAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO

A distração é um dos maiores fatores de acidentes. Trabalhe com atenção e dificilmente se


acidentará.
O canteiro de obras é lugar de trabalho. As brincadeiras devem ser reservadas para horas de folga.
Seus olhos não se recuperam depois de perdidos. Use óculos protetores sempre que o seu trabalho o
exigir.
A pressa é companheira inseparável dos acidentes. Faça tudo com tempo para trabalhar bem e com
segurança.
Quando não souber ou tiver dúvida sobre algum serviço, pergunte ao seu mestre ou encarregado,
para prevenir-se contra possíveis acidentes.
As suas mãos levam para casa o alimento de sua família. Evite pô-las em lugares perigosos.
Não deixe tábuas com pregos, espalhadas pela obra, porque podem ser causa de sérios acidentes.
Comunique ao seu encarregado toda e qualquer anormalidade ou defeito que notar na máquina ou
ferramenta que for utilizar.
Não improvise ferramentas, procure uma que seja adequada para seu serviço.
Lembre-se que você não é o único no serviço e que a vida de seu companheiro e tão preciosa quanto
a sua.
Utilize em seus trabalhos, ferramentas em bom estado de conservação, para prevenir possíveis
acidentes.
Não fume em lugares onde se guardam explosivos e inflamáveis.
Coopere com seus companheiros em benefício da segurança de todos e siga os conselhos de seu
mestre ou encarregado.
O hábito de usar cabelos soltos, durante o serviço, tem dado causa a graves e irreparáveis acidentes.
Use touca protetora quando seu trabalho exigir.
Manda a lei que o empregador forneça os equipamentos de proteção que você necessita para o
trabalho, mas você também está obrigado a usá-los, para prevenir acidentes e evitar
doenças profissionais.
Mostre ao seu novo companheiro os perigos que o cercam no trabalho.
Cada acidente é uma lição que deve ser apreciada, para evitar maiores desgraças.
Todo o acidente tem uma causa que é preciso ser pesquisado, para evitar a sua repetição.
Se você foi acidentado, procure logo o socorro médico adequado. Não deixe que “entendidos” e
“curiosos” concorram para o agravamento de sua lesão.
Se você não é eletricista, não se meta a fazer serviços de eletricidade.
Procure o socorro médico imediato, se você for vítima de um acidente, amanhã será tarde demais.
As máquinas não respeitam ninguém; mas você deve respeitá-las.
Atende às recomendações dos membros da CIPA e de seus mestres e encarregados.
Conheça sempre as regras de segurança do setor onde você trabalha, e do canteiro de obras em
geral.
Conversa e discussão no trabalho predispõe a acidentes pela desatenção.
Leia e reflita sempre sobre os ensinamentos contidos nos cartazes e avisos de prevenção de
acidentes.
Mantenha sempre as guardas protetoras das máquinas, nos devidos lugares.
Pare a máquina quando tiver que consertá-la ou lubrificá-la.
Habitue-se a trabalhar protegido contra os acidentes. Use equipamentos de proteção adequados a
seu serviço.
Conheça o manejo dos extintores e demais dispositivos de combate ao fogo, existentes em seu local
de trabalho. Você pode ter necessidade de usá-los algum dia.

Declaração: Declaro ter tomado conhecimento desta Ordem de Serviço, ter sido treinado para o uso
adequado dos EPI’s e que atenderei a todas as orientações nela contidas durante a
execução do meu trabalho.:

Assinatura:......................................................................................

115
.

ADVERTÊNCIA

Os funcionários que não atenderem as orientações da empresa quanto as Normas de Segurança e

Saúde, devem ser advertidos por escrito.

NOME DA EMPRESA

ADVERTÊNCIA

Nome do funcionário: C.T. Série:

Função:

Pela presente, encontra-se advertido que o não cumprimento das orientações na área de
segurança e saúde no trabalho e a recusa de sua parte de atendimento a estas orientações
ensejarão a rescisão de seu contrato de trabalho por justa causa, de conformidade com o
disposto no Artigo 482, alínea “h”, da Consolidação das Leis do Trabalho.

Local e data:

Ciente do Funcionário: Empresa:

116
.

ORDEM DE SERVIÇO N.º 1

FUNÇÃO: Apontador

1. O não cumprimento ao disposto nesta Ordem de Serviço sujeita o trabalhador às penas


da lei, que vão desde advertência, suspensão até demissão por justa causa.
2. A Construção Civil é uma indústria que, por suas características peculiares, exige
permanente atenção e cumprimento das normas de segurança do trabalho. Assim:
a) não transite pela obra sem capacete e calçado apropriado;
b) use seus EPI’s apenas para a finalidade a que se destinam e mantenha-os sob sua
guarda e conservação;
c) observe atentamente o Meio Ambiente de Trabalho ao circular na obra e informe as
Condições De Risco encontradas, caso não possa corrigi-las imediatamente.
d) não consuma bebida alcoólica ou qualquer outro tipo de entorpecente.
3. Mantenha atualizada a relação com nome, endereço e telefone, das pessoas a serem
comunicadas, quando do acontecimento de sinistros ou acidentes graves.
4. Mantenha atualizada com nome, endereço e telefone, a relação dos hospitais e clínicas
conveniadas, para atendimento à trabalhadores acidentados.
5. Mantenha uma relação dos telefones úteis, tais como: Copel, Sanepar, Sinduscon,
Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, PM, SIAT etc.
6. Preencha corretamente a CAT - Comunicação de Acidente do Trabalho, quando não
houver profissional da área de Segurança do Trabalho no canteiro.
7. Mantenha completa e em condições de uso a caixa de Primeiros Socorros.
8. Comunique à Administração da Obra a necessidade da realização de Exame Médico
Periódico e outros exigidos pela legislação.
9. Preste apoio à realização das reuniões ordinárias e extraordinárias da CIPA.
10. Desligue todos os aparelhos energizados, ao final de cada jornada de trabalho.

Declaração: Declaro ter tomado conhecimento desta Ordem de Serviço, ter sido treinado
para o uso adequado dos EPI’s e que atenderei a todas as orientações nela contidas
durante a execução do meu trabalho.

Assinatura:........................................................................................:

117
.

ORDEM DE SERVIÇO N.º 2

FUNÇÃO: Encarregado

1. O não cumprimento ao disposto nesta Ordem de Serviço sujeita o trabalhador às penas


da lei, que vão desde advertência, suspensão até demissão por justa causa.
2. A Construção Civil é uma indústria que, por suas características peculiares, exige
permanente atenção e cumprimento das normas de segurança do trabalho. Assim:
a) Não transite pela obra sem capacete e calçado apropriado;
b) Use seus EPI’s apenas para a finalidade a que se destinam e mantenha-os sob sua
guarda e conservação;
c) Observe atentamente o Meio Ambiente de Trabalho ao circular na obra e informe as
Condições De Risco encontradas, caso não possa corrigi-las imediatamente.
d) Não consuma bebida alcoólica ou qualquer outro tipo de entorpecente.
3. Planeja, coordene e controle a execução da tarefa recebida, determinando o processo
mais seguro a ser adotado.
4. Reuna sua equipe, antes do início de cada tarefa e informe os riscos inerentes à sua
execução.
5. Fiscalize e exija, permanentemente, o uso do EPI apropriado ao serviço em andamento,
pelos componentes de sua equipe.
6. Paralise imediatamente os trabalhos em andamento que sujeitem o trabalhador a graves
e eminente risco.
7. Não permita que andaimes suspensos mecânicos sejam operados por apenas um
trabalhador.
8. Informe com urgência à Administração da obra e ao SESMT, quando houver, qualquer
acidente ocorrido, mesmo que não haja vítima.
9. Isole imediatamente o local onde tenha ocorrido acidentes grave.

Declaração: Declaro ter tomado conhecimento desta Ordem de Serviço, ter sido treinado
para o uso adequado dos EPI’s e que atenderei a todas as orientações nela contidas
durante a execução do meu trabalho.:

Assinatura:.......................................................................................

118
.

ORDEM DE SERVIÇO 3

FUNÇÃO: Pedreiro

1. O não cumprimento ao disposto nesta Ordem de Serviço sujeita o trabalhador às penas


da lei, que vão desde advertência, suspensão até demissão por justa causa.
2. A Construção Civil é uma indústria que, por suas características peculiares, exige
permanente atenção e cumprimento das normas de segurança do trabalho. Assim:
a) Não transite pela obra sem capacete e calçado apropriado; use seus EPI’s apenas
para a finalidade a que se destinam e mantenha-os sob sua guarda e conservação;
b) Observe atentamente o Meio Ambiente de Trabalho ao circular na obra e informe as
Condições De Risco encontradas, caso não possa corrigi-las imediatamente.
c) Não consuma bebida alcoólica ou qualquer outro tipo de entorpecente.
3. Use corretamente o cinto de segurança, ligado a um cabo de segurança, para trabalhos
realizados em andaimes suspensos mecânicos, em altura superior a 2 metros ou na
periferia da obra.
4. Use roupa completa (calça e camisa), bota de borracha, luvas de raspa de couro e óculos
de segurança, nos trabalhos de lançamento e vibração de concreto.
5. Verifique as condições gerais das ferramentas manuais e elétricas, antes de usá-las.
6. Não improvise extensões elétricas e nem conserte equipamentos elétricos defeituosos.
Chame o eletricista.
7. Não “fabrique” andaimes de madeira, caixas de massa e nem trabalhe em andaimes sem
guarda-corpo, rodapé e estrado com, no mínimo, 0,90m de largura. Chame o carpinteiro.

Declaração: Declaro ter tomado conhecimento desta Ordem de Serviço, ter sido treinado
para o uso adequado dos EPI’s e que atenderei a todas as orientações nela contidas
durante a execução do meu trabalho.:

Assinatura:........................................................................................:

119
.

ORDEM DE SERVIÇO N.º 4

FUNÇÃO: Operador de Máquinas e Equipamentos

1. O não cumprimento ao disposto nesta Ordem de Serviço sujeita o trabalhador às penas


da lei, que vão desde advertência, suspensão até demissão por justa causa.
2. A Construção Civil é uma indústria que, por suas características peculiares, exige
permanente atenção e cumprimento das normas de segurança do trabalho. Assim:
a) Não transite pela obra sem capacete e calçado apropriado;
b) Use seus EPI’s apenas para a finalidade a que se destinam e mantenha-os sob sua
guarda e conservação;
c) Observe atentamente o Meio Ambiente de Trabalho ao circular na obra e informe as
Condições De Risco encontradas, caso não possa corrigi-las imediatamente.
d) Não consuma bebida alcoólica ou qualquer outro tipo de entorpecente.
3. Não permita que outras pessoas operem a máquina para a qual foi designado.
4. Realize a manutenção preventiva recomendada pelo fabricante e comunique qualquer
irregularidade, para registro no Livro de Inspeção.
5. Vistorie a máquina e os equipamentos, diariamente, antes de iniciar seus trabalhos.
6. Não ultrapasse os limites de segurança estabelecidos pelo fabricante e pela empresa.
7. Obedeça a sinalização existente na obra.
8. Não fume quando estiver operando máquina ou equipamentos.

Declaração: Declaro ter tomado conhecimento desta Ordem de Serviço, ter sido treinado
para o uso adequado dos EPI’s e que atenderei a todas as orientações nela contidas
durante a execução do meu trabalho.:

Assinatura:........................................................................................:

120
.

ORDEM DE SERVIÇO N.º 5

FUNÇÃO: Servente

1. O não cumprimento ao disposto nesta Ordem de Serviço sujeita o trabalhador às penas


da lei, que vão desde advertência, suspensão até demissão por justa causa.
2. A Construção Civil é uma indústria que, por suas características peculiares, exige
permanente atenção e cumprimento das normas de segurança do trabalho. Assim:
a) Não transite pela obra sem capacete e calçado apropriado;
b) Use seus EPI’s apenas para a finalidade a que se destinam e mantenha-os sob sua
guarda e conservação;
c) Observe atentamente o Meio Ambiente de Trabalho ao circular na obra e informe as
Condições De Risco encontradas, caso não possa corrigi-las imediatamente.
d) Não consuma bebida alcoólica ou qualquer outro tipo de entorpecente.
3. Use óculos de segurança contra impactos e respingos, para trabalhos em esmeril,
apicotamento, lixamento, pintura, fabricação e lançamento de concreto.
4. Use máscara contra poeira em trabalhos que provoquem seu desprendimento.
5. Use luvas de raspa de couro para o transporte de madeira, tijolo, cimento, tubos e
materiais abrasivos ou cortantes.
6. Use luvas e ombreiras de raspa de couro no transporte de vergalhões de aço.
7. Use botas impermeáveis nos trabalhos em locais molhados ou encharcados.
8. Use corretamente o cinto de segurança, ligado a um cabo de segurança, para os
trabalhos realizados em altura superior a 2,00m ou na periferia da obra.
9. Use roupa completa (calça e camisa), bota de borracha, luvas de raspa de couro, óculos
de segurança, e se necessário abafador de ruído, nos trabalhos de lançamento e
vibração de concreto.
10. Ao levantar pesos, flexione os joelhos. Não tente levantar nem transportar pesos
acima da sua capacidade física. Peça ajuda.
11. Use protetor auricular quando estiver auxiliando o carpinteiro nos trabalhos de serra
circular, ou em outros trabalhos que o exijam (martelete, compressor etc).

Declaração: Declaro ter tomado conhecimento desta Ordem de Serviço, ter sido treinado
para o uso adequado dos EPI’s e que atenderei a todas as orientações nela contidas
durante a execução do meu trabalho.:

Assinatura:........................................................................................:

121
.

PADRÕES E ROTINAS DE INSPEÇÕES EPI

INSPEÇÃO SIM NÂO

Todo pessoal da seção possui EPI?

Nos trabalhos em esmeril, lixadeira, o operador utiliza Óculos de segurança?

Todos os trabalhadores possuem capacete?

É distribuído regularmente o EPI?

As luvas dos trabalhadores estão em boas condições?

Todos os trabalhadores usam calçados de segurança?

Todos os EPI’s são inspecionados eventualmente?

Os soldados utilizam EPI adequado?

As pessoas que trabalham em atividades sujeitas a níveis de ruído acima


dos permitidos pela NR-15 usam protetor auricular?

Nos trabalhos em que haia perigo de queda, os trabaIhadores usam cinto de


segurança?

A empresa possui em seu arquivo registro de CA e CRF dos EPI’s


utilizados?

Todos os EPI’s adquiridos para uso dos trabalhados possuem CA de acordo


com as exigências do Ministério do Trabalho e Emprego?

Os novos trabalhadores recebem instruções de segurança?

122
.

INSPEÇÃO EM FERRAMENTAS

FERRAMENTAS SIM NÂO

As ferramentas utilizadas pelo operador estão em bom estado?

São utilizadas ferramentas adequadas para cada serviço?

As ferramentas consideradas perigosas são guardadas em lugar seguro?

As pessoas são treinadas ou orientadas para utilizar ferramentas especiais?

As ferramentas manuais são portadas em caixas, sacolas ou cintos


apropriados?

As ferramentas pneumáticas portáteis possuem dispositivos de partida


instalados de modo a reduzir ao mínimo a possibilidade de funcionamento
acidental?

As pessoas forçam as ferramentas além de sua capacidade?

INSPEÇÕES EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

MAQUINAS E EQUIPAMENTOS SIM NÂO


Os operadores das máquinas e equipamentos são treinados para operá-
los?
As máquinas e equipamentos estão em bom estado?
As máquinas e equipamentos têm manutenção preventiva
periodicamente?
O botão de parada de emergência da máquina e equipamento é visível e
está situado perto do operador?
As máquinas têm proteção nas correias?
As máquinas têm proteção nas engrenagens?
A instalação elétrica da máquina tem tio terra ( aterramento )?
Somente trabalhadores habilitados operam as máquinas?
Ao consertar partes da máquina o operador desliga a chave geral?
As areas de circulações e os espaços em torno das maquinas e
equipamentos são mantidos desobstruidos?
A inspeção e a manutenção das máquinas e equipa mento é feita por
pessoas autorizadas?
Nos equipamentos como guindastes, pontes rolan tes tirfor, os cabos de
aço são periodicamente exami nados?
Quando um equipamento de lançamento não estiverem operação, a
lança está colocada em posição de descanço?

123
.

INSPEÇÃO EM VEÍCULOS

VEÍCULOS SIM NÂO

É verificado se o motorista leva passageiros sobre a carroceria?

Os veículos quando estacionados em desnível, têm calços nas rodas


traseiras?

A entrada de veículos é controlada na entrada ou no canteiro de obra?

O pessoal respeita a velocidade máxima permitida?

Os veículos de transporte de carga são devidamente sinalizados?

Os motoristas dos veículos obedecem o itinerário indicado


internamente na obra?

Os motoristas dos veículos usam cinto de segurança?

Os veículos estão em bom estado?

Os motoristas são pessoas habilitadas para dirigir veículos? .

A documentação do veículo está em dia?

Os veículos têm equipamentos contra incêndio?

Os veículos têm estepe em bom estado?

Todos os veículos utilizados são da empresa?

124
.

INSPEÇÕES DAS CONDIÇÕES DAS INSTALAÇÕES QUANTO A LIMPEZA, ORDEM E HÍGIENE

CONDIÇÕES DAS INSTALAÇÕES SIM NÂO

Tudo é guardado no seu devido lugar?

Existem pessoas que fazem a limpeza do canteiro?

Os corredores e as passagens estão desimpedidas e sem obstáculos?

Existem latões de lixo distribuídos pela área?

Os produtos químicos considerados perigosos estão


convenientemente guardados?

O chão está isento de respingos ou manchas de óleo que sejam


considerados perigosos?

As paredes estão limpas?

A água que o pessoal bebe é tratada?

No local de trabalho o pessoal utiliza copos descartáveis?

Há lavatórios em número suficiente?

Há sanitários em número suficiente?

É feita limpeza diária nos lavatórios e sanitários?

Existem chuveiros em número suficiente?

Cada trabalhador tem seu armário?

O refeitorio atende as exigencias sanitarias?

125
.

ANEXOS.

126
.

127
.

128
.

ESTATÍSTICA DE ACIDENTES

Estamos sem acidentes há _________dias. Nosso recorde é de__________ dias.

DESCRIÇÃO MÊS ANO ACUM.

1 HORA MOD

2 HOMENS MOI

3 H.H.T TOTAL

4 ACIDENTE SEM AFASTAMENTO

5 ACIDENTE COM AFASTAMENTO

6 DIASPERDIDOS

7 DIAS DEBITADOS

8 ACIDENTES DE TRAJETO

9 DIAS PERDIDOS CAT

10 ACIDENTES FATAIS

11 TAXA DE FREOüÉNCIA—TF

12 TAXADEGRAVIDADE -TG

13 AT COM EOUIPTOS. MOTORES

REGISTRO DE TREINAMENTO NO PERÍODO OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

129
.

CONTROLE E CONDIÇÕES DO ESTOQUE DE ESTOQUES DE EPI´S

CONTROLE E CONDIÇÕES DO ESTOQUE DE ESTOQUE MENSL DE EPI´S

Obras: Período:

EPI Custo Qualidade Quantidade Estoque Entrada Saída Estoque


Unitário Danificada Recuperad Anterior Total
a

130
.

AUDITAGEM DE SEGURANÇA

Obra: Hora: Data:

Descrição de atividade: ASS.

Unidade: Encarregado:

Auditores:

Roteiro para averiguação


Relacionar anormalidades providencia a tomar e responsável pela ação, conforme
roteiro abaixo:
Ordem e limpeza Identificação de bloqueio
EPI´s e Uniforme Informação da supervisão sobre o
Atos e condições inseguras trabalho
Condições de Andaimes e acessos Informação do executante do trabalho
Iluminação no local de trabalho Micro planejamento da execução atividade
Ferramentas e equipamentos Sugestões

ITEM ANORMALIDADE VERIFICADA PROVIDENCIA PRAZO


Fulano sem cinto de segurança Prov cinto
02

131
.
INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTESE QUASE ACIDENTE.

Obra:

Nome do Acidentado:

Hora do Acidente Local

Com afastamento: ( )SIM ( ) NÃO Usava EPI´S:( )SIM ( ) NÃO

Equipamento envolvido:

Descrição do Acidente

Causa Apurada

Condição Insegura Ato Inseguro

Medidas Recomendadas

1ª Testemunha

Cargo

2ª Testemunha

Cargo

Visto cipeiro Visto cipeiro Assinatura do Funcionário

ERGONOMIA.

132
.
Adote os exercícios de aquecimento ou com movimentos contrários
àqueles que você realiza no seu posto de trabalho como uma importante
forma de preservação de sua saúde.

Para levantar cargas pesadas do chão, dobre


as pernas um certo tanto e encurve o tronco
um certo tanto.

Antes de pegar peso, respire fundo e prenda


a respiração. O aumento adicional de pressão
no tórax diminui a pressão dos discos da
coluna.

Avalie sempre a sua real capacidade para


levantar um determinado peso. Evite
carregar pesos com mais de 20 quilos, sem
o uso de cinturões ou outros equipamentos
adequados para isso.

Somente utilize a posição agachada


Na medida do possível, carregue a
para levantar peso quando a carga for
carga com os braços estendidos junto
compacta e que caiba entre os
ao corpo, evitando dobrar o braço.
joelhos.

Prefira pegar um peso de cada lado do


corpo do que de um só lado. É preferível
A manobra de levantar uma carga carregar duas malas do que apenas uma.
pesada e volumosa na frente dos
joelhos na posição agachada é
perigosa para a coluna e para os
joelhos.

Desobstrua a acesso à carga a ser


levantada, de forma a evitar flexões e
torções na coluna. 133
.

Certifique-se das condições do piso


para evitar tropeções e escorregões
enquanto transporta carga.

Nunca carregue peso na cabeça. Isso


leva a degeneração dos discos da
coluna cervical

134
.

PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA

Em caso de Acidentes de Trabalhos comunicará dentro de, no máximo, 24 horas, sua


ocorrência; fazendo um relatório detalhado do mesmo, em impresso próprio.

Serão comunicados: Os Acidentes sem perda de tempo, Acidentes com perda de tempo,
Acidentes com danos à propriedade, Acidentes de trajeto, quase acidentes, ou outros a
estabelecer.

As Estatísticas de Acidentes do Trabalho fazem parte dos itens de controle da gerência


da obra, e o nosso objetivo.

Assim ficam estabelecidas as seguintes metas, acumuladas, para esta obra:

Em caso de ocorrência de acidente, onde a vítima precise ser removida para centro de
atendimento médico, serão tomadas as seguintes providências:

Hospital: O hospital mais próximo que deve ser procurado em caso de acidentes é o
hospital Nossa Senhora Auxiliadora

Rua Dep. José Augusto Ferreira – Caratinga (33) 3322-6400

Pequenos acidentes

Encaminhar a vítima para o local onde se encontra o material de primeiros socorros, e


funcionário treinado em primeiros socorros para o atendimento.

A caixa de primeiros socorros estará abastecida com: sal de fruta, mercúrio, esparadrapo,
analgésico em gotas, analgésico em comprimidos, gazes, pomada para queimaduras,
ataduras, algodão, luvas de procedimento, tesoura ponta romba.

Comunicar a Chefia Imediata.

Acidente de gravidade média e alta

Se esta for à situação, tomar as seguintes providências:

Acionar o bombeiro pelo telefone 193.

Comunicar à Administração da Obra, ao setor de segurança do trabalho ou ao departamento


de recursos humanos.

A assistência social deverá acompanhar o desenvolvimento do quadro do funcionário


acidentado.

135
.
Continuação...

Acidente com óbito

Comunicar à Administração da Obra, ao setor de segurança do trabalho ou ao departamento


de recursos humanos.

Comunicar a Polícia pelo fone 190.

Isolar a área do acidente,

Comunicar à Delegacia Regional do Trabalho pelo fone (33) 3271-4232

Não mexer no local até liberação por parte da polícia ou DRT.

A assistência social da empresa deverá acompanhar e orientar à família da vítima nos


trâmites legais necessários e no apoio psicológico necessário durante e na seqüência do
evento. Todo apoio deve ser realizado de forma a mitigar o sofrimento de um acidente, tanto
ao acidentado como à família do acidentado.

Em todas as situações, o departamento de pessoal, emitirá a Comunicação de Acidentes do


Trabalho – CAT, com a seguinte destinação

1ª via ao INSS

2ª via ao SUS

3ª via ao sindicato dos trabalhadores

4ª via à empresa

5ª via ao segurado ou dependente

6ª via à DRT/Ministério do Trabalho.

136
.

PROGRAMA EDUCATIVO
Ocupa-se em instruir, orientar e ensinar os colaboradores da BUCAGRANS, conhecimentos de
prevenção de acidentes do trabalho, adaptá-los ao ambiente social da Empresa e ao local de
trabalho, prepará-los para execução das tarefas peculiares à sua função, ensinar a detectar os riscos,
bem como os meios prováveis para eliminar os riscos e informá-los sobre as Normas
Regulamentadoras e Normas da Empresa.
 TREINAMENTO ADMISSIONAL (AMBIENTAÇÃO, CONFORME NR 18).
Todo colaborador admitido receberá treinamento admissional antes de iniciar suas
atividades no canteiro, com uma carga horária mínima de 6 (seis) horas.

DIÁLOGO DE SEGURANÇA.
Tem objetivo de fazer com que os lideres de equipe participem da conscientização,
educação e capacitação dos liderados nos assuntos de Segurança e Saúde no Trabalho e
de Produção, melhorando o desempenho do colaborador nas ações e procedimentos de
segurança do trabalho e aumentando sua produtividade.

 TREINAMENTO ESPECÍFICO À FUNÇÃO


Tem objetivo de transmitir principalmente ao colaborador, digo, eletricista, bombeiro hidráulico,
carpinteiro, operador de guincho, pedreiro, servente, noções de Segurança no Trabalho visando os
ensinamentos de controle dos riscos e medidas de prevenção de acidentes do trabalho necessários
ao desenvolvimento da atividade.

 Campanhas permanentes de segurança do trabalho.

Com o objetivo de se manter limpo e organizado o canteiro de obras, deve-se estimular a


conscientização prevencionista de todos os empregados no local de trabalho, por meio das
seguintes campanhas e programas:

 Reuniões semanais com empregados e empreiteiros com carga horária de 30 a


45 minutos.
 Palestras educativas mensais para todos os empregados distribuídos por
setores, com carga horária de 40 minutos.

137
.

PROGRAMA EDUCATIVO MPG CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA

Esse programa deve ser implantado com o apoio da direção da empresa, pois ele gera uma
política de segurança a ser observada por todos os indivíduos da organização, delineando
claramente responsabilidades e assegurando recursos adequados. Cada indivíduo tem uma
responsabilidade pessoal na prevenção, gerando um esforço conjunto de segurança.

Para que um Programa de Segurança seja eficaz é necessário que este se realize como um
trabalho de equipe. Um componente importante do Programa de Segurança é o Programa
de Treinamento o qual contempla a temática de prevenção de acidentes e doenças do
trabalho.

28-1 PROGRAMA DE TREINAMENTO:

1 - Integração de segurança para recém admitidos;


2 - Diálogo de Segurança;
3 - Palestra promovida pelo SESMT;
4 - Cursos: Prevenção e Combate a Incêndios, Primeiros Socorros, dentre outros;
5 - Curso para componentes da CIPA;
6 - SIPAT.

12.1.1 - Roteiro para Integração de segurança para recém admitidos:


Segundo item 28.2 da NR-18, o treinamento admissional deve ter carga horária mínima de 6
(seis) horas, ser ministrado dentro do horário de trabalho, antes de o trabalhador iniciar suas
atividades.

Roteiro básico para integração de Segurança para recém admitidos:

Apresentação dos membros do SESMT (se possuir na empresa)e da CIPA;


Organização, arrumação e limpeza, refeitório, sanitário, vestiário, local de trabalho e
ferramentas;
Exposição da área de risco;
Respeito aos colegas de trabalho e a sinalização do canteiro de obras (cartazes, placas,
guarda-corpo e outras proteções existentes);
Utilização obrigatória de equipamentos de proteção individual - EPI (cinto de segurança,
botas de segurança, capacete e outros);
Esclarecer sobre normas de segurança da empresa (proibido trabalhar sem uniforme,
alcoolizado, etc.).

Na conclusão do curso, o trabalhador deve assinar termo ou formulário apropriado com o


seguinte teor: “Diante do exposto, declaro estar ciente dos riscos aos quais estou sujeito e
ter recebido as orientações acima descritas, no sentido de evitar qualquer dano à minha
integridade física e mental e a dos meus companheiros de trabalho

138
.

ABAIXO ALGUNS DOS TEMAS.

Palestra 01 - Poeira
Palestra 02 - Óculos de segurança
Palestra 03 - Proteção respiratória
Palestra 04 - Efeitos do ruído no sistema auditivo
Palestra 05 - O controle do ruído
Palestra 06 - A iluminação no meio ambiente
Palestra 07 - Aerodispersóides no meio ambiente
Palestra 08 - Levantamento e transporte manual de peso
Palestra 09 - Controle da qualidade total
Palestra 10 - Transporte e elevação de cargas
Palestra 11 - Manuseio/transporte/armazenagem de produtos.
Palestra 12 - Atividade física
Palestra 13 - poeira - Higiene Ocupacional
Palestra 14 - Ruído
Palestra 15 - Legislação ambiental
Palestra 16 - Unidades de conservação
Palestra 17 - Reciclagem de resíduos
Palestra 18 - Resíduos industriais
Palestra 19 - Produtividade e sobrevivência
Palestra 20 - Segurança no lar
Palestra 21 - Dias de descanso
Palestra 22 - Cuidados com a pele
Palestra 23 - Limpeza das mãos

TREINAMENTO ESPECÍFICO À FUNÇÃO

Tem objetivo de transmitir aos funcionários das funções exercidas na empresa


noções de Segurança no Trabalho visando os ensinamentos de controle dos riscos e
medidas de prevenção de acidentes do trabalho necessários ao desenvolvimento da
atividade. Abaixo o cronograma de treinamentos

139
.

CRONOGRAMA DE TREINAMENTO
PROGRAMADO X REALIZADO
J F M A M J J A S O N D
ESTRATÉGIA SETOR PERIODICIDADE/
META
DURAÇÃO

Trabalho Seguro em Atividade educativa Todos Trimestral


P P P
Altura; 40 min. P P

Quando o
Para garantir a
Treinamento Funcionário for
execução de suas
admissional Todos admitido e em
atividades com P
(introdutório) e cada fase da obra P P P P P P P P P P P
segurança
periódico. 6 horas
Treinamento
trabalho seguro com Atividade educativa Todos Semestral
P P
máquinas e 20 min
equipamentos
Treinamento Para garantir a
Reciclagemtrabalho execução de suas Carpinteiro
seguro de atividades com 12 horas P
Carpintaria segurança.
Treinamento Para garantir a
trabalho seguro na execução de suas Todos Semestral
montagem e atividades com 30 min P P P
desmontagem de segurança.
andaimes.
P = Programado. R = Realizado P* = Data do evento.

Outras atividades preventivas e educativas poderão incrementar este cronograma.

140
.

CRONOGRAMA DE TREINAMENTO
PROGRAMADO X REALIZADO
J F M A M J J A S O N D
ESTRATÉGIA SETOR PERIODICIDADE/
META
DURAÇÃO
Informar
detalhadamente ao
trabalhador sobre os Para garantir a
riscos a que ele está execução de suas Todos Mensal
exposto na atividade atividades com 30 min. P
P P P P P P P P P P P
e/ou no ambiente, segurança.
bem como os
efeitos que poderão
causar ao seu
organismo.
Treinar e capacitar
trabalhadores a
prestação de Atividade educativa Todos Semestral P P
atendimento de 2 horas
primeiros socorros.
Treinar e capacitar
trabalhadores a Atividade educativa Todos Semestral
noções de combate 1 hora P P P
a princípio de
incêndio.
Treinamento sobre
a correta utilização Atividade educativa Todos Mensal
P P P P P P P P P P P P
do equipamento de 40 min.
proteção individual
P = Programado. R = Realizado P* = Data do evento.

Outras atividades preventivas e educativas poderão incrementar este cronograma.

141
.
RECURSOS MATERIAIS

Para um bom desempenho das atividades, os funcionários contarão com espaços físicos
suficientes e adequados, sala de treinamento (reunião), medicamento de primeiros socorros,
todos os tipos de Equipamentos de Proteção Individual - (E.P.I)-, que se fizerem
necessários, extintores de incêndio, e demais Equipamentos de Proteção Coletiva - (EPC) -.

RESPONSABILIDADES ADMINISTRATIVAS

 Coordenação e a implantação dos programas de segurança na empresa,


acompanhando seu desenvolvimento e corrigindo os desvios apresentados;
 Apuração dos acidentes e incidentes de sua empresa;
 Fiscalizar a execução dos serviços sob o aspecto de segurança, impedindo sua
continuidade quando forem colocados em risco pessoal, equipamentos, ferramental ou
instalações direta ou indiretamente envolvidas;
 Gerir as atividades de segurança do Trabalho voltado para a prevenção de acidentes
eliminando antecipadamente as causas e com isso minimizando as conseqüências;
 Propor melhorias contínuas no programa PCMAT através de reorientação e
conscientização quanto a Segurança do Trabalho a todos os envolvidos no trabalho, sobre
os atos e condições inseguras inerentes ao seu serviço;
 Manter um permanente relacionamento com as equipes de executantes e supervisores,
promovendo a realização de atividades e conscientização, educação e orientação, valendo-
se também das observações feitas por estas equipes;
 Inspeção das áreas e dos equipamentos quanto a Segurança do Trabalho;
 Coordenar os treinamentos de Segurança do Trabalho;
 Analisar e revisar, durante o andamento do empreendimento, os métodos e os
procedimentos de execução estabelecidos sob o aspecto de prevenção de acidentes, com o
Auxilio do setor de produção;
 Cumprir e fazer cumprir tudo mais que seja de responsabilidade da área de Segurança
do Trabalho;
 Executar e operacionalizar o PCMAT;
 Seguir o cronograma de implantação e execução do PCMAT;
 Apoiar na promoção dos programas de treinamento dos trabalhadores sobre o PCMAT;
 Divulgar o programa na Empresa.

RESPONSABILIDADE: ADMINISTRATIVO, ENGENHEIRO E DEMAIS ÁREAS.

 Supervisionar os empregados para assegurar que os procedimentos corretos de trabalho


estão sendo observados;
 Assegurar que os equipamentos e máquinas estejam em perfeito estado de utilização;
 Garantir a ordem e limpeza de sua área de trabalho;
 Informar sobre riscos ambientais e procedimento de controle;
 Manter a Gerência da Obra informados das questões de segurança e saúde de sua
área;
 Colaborar na investigação de acidentes ou doenças e na adoção de medidas
preventivas;
 Cumprir e apoiar todas as Normas e Recomendações de Prevenção de Acidentes;
Registro, manutenção e divulgação dos dados

O registro dos dados contidos no documento-base do PCMAT deve ser mantido


arquivado pelo empregador por um período mínimo de 20 anos, bem como aqueles
inerentes ao tema, como os Laudos Técnicos de Avaliação de Riscos Ambientais, etc.
O registro de dados deverá estar sempre disponível aos trabalhadores interessados
ou seus representantes e para as autoridades competentes.
142
.

CONCLUSÃO

Esperamos que o presente trabalho cumpra o seu objetivo, que é o de


fornecer subsídios para a prevenção de Riscos profissionais e apresentar sugestões
que possam ser utilizadas, ou somadas às soluções próprias da MPG Construtora
e Incorporadora Ltda., visando à melhoria do ambiente ocupacional, o que será
plenamente alcançado quando o trabalhador for beneficiado, e quando direta ou
indiretamente a MPG Construtora e Incorporadora Ltda. colher os resultados.
Os dados levantados foram trabalhados de maneira imparcial e impessoal,
não sendo mais nem menos rigorosos do que determina a lei, para tanto, foram
utilizados equipamentos da melhor procedência e cuidadosamente calibrados.

Caratinga, 02 de janeiro de 2014.

_________________________________

Engenheiro:

MPG CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA..

Avenida Cesário Alvim, 228, sala 202-Centro


Caratinga-MG CEP 35300-036
Tel. (33) 3321-9952
mpgconstrutora@hotmail.com

www.mpgconstrutora.com.br

DECLARAÇÂO

143
.
Declaro ter recebido o documento base do PCMAT (Programa de Prevenção
de Riscos Ambientais), conforme CLT NR-09, LTCAT (Laudo Técnico das Condições
Ambientais de Trabalho), conforme MPAS Dec. 3048/99.

Estou ciente de seu conteúdo, bem como das responsabilidades descritas no


documento base, ora me foi entregue.

Caratinga, 02 de janeiro de 2014.

______________________________________

MPG CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA

144