Você está na página 1de 20

Introdução

A longa duração de um grupo gerador depende do seu programa de manutenção, que deve ser
levado a cabo apenas por técnicos qualificados. Devem-se guardar os registos destes trabalhos
para ajudar a desenvolver um programa de manutenção eficiente. Em geral, o grupo gerador
deve estar limpo. a seguir veremos os procedimentos da manutenção e o dimensionamento
dos cabos do grupo gerador que devem ser feitos para garantir o bom funcionamento do
mesmo .
1. MANUTENÇÃO DO GRUPO GERADOR

O grupo é composto de várias peças principais como motores à diesel, geradores, painéis de
controlo, etc. Cada peça tem sua estrutura especial, além de especificações e necessidades de
manutenção. Um Plano de manutenção em gerador de energia elétrica pode ser feito tanto
quando o equipamento está funcionando normalmente e ainda não apresentou defeitos, afim
de preservar e até otimizar o seu funcionamento, como pode também ser usado na hora de
avaliar o que pode estar acontecendo com o grupo gerador que já apresenta defeitos e mau
funcionamento.
Para a manutenção correcta e adequada das peças principais, para que o grupo inteiro fique
em perfeito estado de manutenção, é melhor consultar o manual de instruções de cada peça e
realizar uma verificação regular, além de manutenção adequada.

2. Preparação antes do Início.

1. Limpar a poeira e as manchas de água, graxa e ferrugem da superfície do grupo;

2. Verificar os adaptadores e juntas, Verificar se estão móveis; verificar as peças conectadas


dos fios condutores; se estão fixadas firmemente ou não;

3.Verificar o estoque de combustível no tanque, Verificar se há disponibilidade suficiente


para o tempo de operação;

4. Girar a tampa que leva à bomba de combustível do motor à diesel e então descarregar o ar
no sistema de combustível com uma bombada manual;

5. Verificar a cabine do motor à diesel e o regulador de velocidade da bomba de injecção de


combustível, Verificar se há óleo suficiente;

6. Verificar o radiador, Verificar se a água para refrigeração é suficiente ou não;


7. Ajustar todos os botões de regulagem de velocidade na posição relativa apropriada para
controlar o grupo e colocar a alavanca de regulagem do potenciómetro de ajuste na posição
onde o valor de voltagem for menor. O botão automático de ar deve estar fechado.

3. Procedimentos de início:

1. Ajuste a alavanca manual de regulagem de combustível para a posição de ponto-morto


(cerca de 500 – 700r/min.).

2. Gire a chave do circuito eléctrico e pressione o botão de início por 12 segundos. Dê a


partida novamente após aguardar um minuto. Se houver 4 falhas seguidas, algo deve ser feito
para identificar o motivo das falhas. Se a temperatura estiver baixa, acrescente um pouco de
combustível. Coloque então o botão de pré-aquecimento na posição “preheat” ["pré-
aquecimento"] para aquecer o motor. O pré-aquecimento não pode durar mais do que 15
segundos.

3.Quando o motor começar a funcionar, a velocidade deve ser controlada por volta de 600 –
700r/min., com atenção especial parar o medidor de pressão de óleo.

4.Se nenhuma indicação for observada, o motor deve ser desligado.

5.Se em velocidade baixa, o grupo operar normalmente, a velocidade pode ser aumentada
gradativamente até 1.000 – 2.000r/min., para pré aquecer o motor quando a temperatura de
saída de água atingir 55°C e a temperatura de óleo alcançar 45°C. A velocidade pode então
ser aumentada até 1.545r/min. Regular então a pressão eléctrica para o valor especificado.
Neste momento o medidor de frequência deve indicar 51,5Hz. Se o não puder aumentar a
pressão por causa de perda de magnetismo residual, pressionar o botão “Zero-Pressure-
Starting” [“Partida-Pressão-Zero”].

6. Se o grupo funcionar adequadamente neste momento, ligar primeiramente então o botão de


partida (grupos geradores menores do que 75kW não tem botão de partida). Gire então o
botão principal, aumentando a carga gradualmente.
4. Verificação durante a operação:

1.Em estados normais de operação, a voltagem fica por volta de 400v, com corrente eléctrica
não acima do que o valor especificado, frequência por volta de 50Hz, temperatura da água e
temperatura do óleo abaixo de 90°C, pressão do óleo dentro da faixa de 2,5 – 3,5kgf/cm (em
caso de super abastecimento de diesel, a pressão fica em torno de 3 – 3,5kgf/cm²). Prestar
especial atenção às alterações destes valores. Baixar a carga um pouco ou parar o grupo para
verificar se os valores especificados foram ultrapassados.

2.Verificar de tempos em tempos todos os canos do motor e consertar assim que possível
qualquer vazamento que seja encontrado.

3. Supervisionar frequentemente a cor do gás de exaustão. Em caso de operação com carga


total, o gás de exaustão pode ficar um pouco azulado ou acinzentado.

4.Não deixe cair água, óleo ou produtos de metal no gerador.

5.Durante a operação, um registo constante é necessário para anotar os valores relativos,


temperatura ambiente, duração de tempo da operação e tempo para parar, o motivo da parada
e o resultado de cada check-up [verificação] e reparo.

5. Procedimentos de Parada.

1. Baixar a carga gradativamente, girar o botão automático de ar e puxar o botão de partida no


painel de controlo.

2. Regular o potenciómetro de ajuste, fazendo com que a pressão eléctrica caia ao mínimo.

3. No estado de ponto-morto, reduzir a velocidade gradualmente para 600 – 700r/min. Parar o


motor quando a temperatura da água e do óleo cair para menos de 70°C.

4. Quando a temperatura ambiente estiver menor do que 5°C, descarregar toda a água do
radiador, bomba circular, desfiador de óleo e ajuste a cabine contra o congelamento.

A descarga pode guardada caso líquido à prova de congelamento tenha sido adicionado.

5. Limpar todo o grupo, deixando-o pronto para a próxima partida.


6. Manutenção Preventiva

Dependendo da aplicação do grupo gerador, os requisitos para a manutenção preventiva irão


variar. Os seguintes procedimentos devem ser realizados por um técnico qualificado. Os
operadores apenas devem efectuar as tarefas de Vistoria Antes da Ligação detalhadas na
Descrição do Sistema de Controlo.

6.1. Diariamente ou Em Cada Arranque:

(Nos grupos geradores de reserva, estes procedimentos podem ser efectuados semanalmente.)
Uma verificação de passagem deve ser efectuada diariamente, antes do arranque do motor. As
Vistorias Antes da Ligação constantes na Secção 5 devem ser efectuadas durante essa
verificação de passagem.

6.2. A Cada Duas Semanas:

(Nos grupos geradores de reserva que não estejam em funcionamento.) Efectue uma vistoria
operacional do grupo gerador, iniciando e colocando o mesmo em funcionamento durante
apenas 5 minutos.

6.3. Mensalmente:

(Nos grupos geradores de reserva que não estejam a funcionar em carga.) Efectue uma
vistoria operacional e da carga no grupo gerador ao iniciar e colocar em funcionamento o
grupo em, no mínimo, 50% da carga durante 1 a 2 horas. Não utilize motores a gasóleo a
cargas baixas durante longos períodos.
6.4.Anualmente ou a Cada 500 Horas:

Repita os procedimentos diários juntamente com o seguinte:

 Verifique todos os dispositivos de segurança do sistema de controlo ao simular


electricamente falhas.
 Limpe todas as ventilações nas tampas da bateria.
 Aperte todas as ligações de escape.
 Aperte todas as ligações eléctricas.
 Efectue o arranque do motor e verifique o painel de instrumentos de forma a assegurar que
todos os manómetros e instrumentos de medição estão a funcionar correctamente.

7. Manutenção preventiva de geradores estacionários

7.1. óleo do motor

 Trocar o óleo após primeiras horas de uso, depois de isto trocar o óleo a cada 250 horas;
 Sempre usar óleo diesel para motor;
 Usar óleo com a viscosidade adequada;
 Temperatura ambiente;
 Não misturar óleos de diferentes marcas;
 Não deixar o óleo transbordar.

7.2. Filtro de óleo


 Trocar o filtro de óleo a cada 500 horas de operação.

 Aplicar uma película de óleo para a vedação do novo cartucho de filtro de óleo.

 Aparafuse o cartucho de filtro de óleo suficientemente a mão.

 Quando o filtro de óleo for trocado, o nível do óleo irá abaixar, certifique-se que o óleo não esta
vazando, após a troca deixar o motor funcionando por alguns minutos e depois encher com óleo.

7.3. Filtro de óleo diesel (combustível)

 Troque o filtro de combustível a cada 500 horas de uso.


 Remova o filtro de óleo usando uma chave de fenda.
 Aperte o filtro a mão firmemente.
 Depois da troca do filtro de combustível, faça a sangria no sistema de combustível.
 Conferir o nível de água do radiador sempre que o gerador for utilizado.

7.4.Manutenção da Bateria

Todas as ligações da bateria devem estar limpas e apertadas. Use uma lixa fina para limpar os
terminais e as abraçadeiras. Limpe os itens até as superfícies estarem claras ou brilhantes. Não
remova material em excesso. A remoção em excesso de material pode causar uma ligação
fraca entre as abraçadeiras e os terminais da bateria. Passe massa lubrificante ou outro
protector de terminais nas abraçadeiras e nos terminais para evitar a corrosão dos mesmos.

7.5. Manutenção Preventiva do Alternador

Não existe qualquer manutenção de rotina necessária para o alternador; contudo cumpra as
recomendações seguintes:

 Verifique periodicamente o estado dos enrolamentos do alternador e efectue uma limpeza


geral.
 Verifique periodicamente as ligações por cabo entre o alternador e o disjuntor.

7.6. MANUTENÇÃO PREVENTIVA DAS PEÇAS MECÂNICAS

A manutenção das peças individuais deve ser feita da seguinte forma:

a) Verificação da folga de ar

Para tornar a medição da folga de ar mais fiável e simples esta é efectuada no excitador: Folga
de ar <1 mm Desvio máx. da excentricidade radial: 0,1 mm 1 mm ≤ folga de ar Desvio máx.
da excentricidade radial 10%.
b) Máquina de dois rolamentos

Não é necessário verificar a folga de ar. O rotor é centrado mecanicamente de acordo com o
fabrico do estator. Mesmo após a desmontagem e nova montagem do gerador o rotor encontra
a sua posição sem ser necessário verificar a folga de ar. A folga de ar do excitador dos
geradores do tipo A60 e A62 pode ser ajustado no local.

c) Máquina de um rolamento

Na entrega do gerador o rotor é centrado mecanicamente no estator .Após a desmontagem do


gerador o rotor no estator deve ser novamente centrado com ambas as metades do rolamento.

No caso de estar disponível nenhuma substituição de rolamento pode ser utilizado um relógio
de medição para a verificação da excentricidade radial completa entre aplaca do rolamento
dianteiro (superfície trabalhada) e veio (superfície trabalhada). A folga de ar do excitador dos
geradores do tipo A60 e A62 pode ser ajustado no local.

7.7. Limpeza

 O gerador completo deve ser sempre mantido limpo.


 Todos os intervalos de limpeza indicados no manual podem ser alterados conforme as
condições (prolongado ou encurtado).
 As superfícies da entrada e saída de ar devem estar limpas (a grelha pode ser limpa como
também o filtro) Partículas de sujidade que se infiltram no gerador podem causar sujidade
e assim uma redução do isolamento eléctrico.
 Os díodos rotativos como as suas tampas devem estar limpos.
8. MANUTENÇÃO PREVENTIVA DAS PEÇAS ELÉTRICAS

8.1. APARELHOS DE MEDIÇÃO

a) Aparelhos de medição utilizados

- Voltímetro AC 0-600 Volt; - Voltímetro DC 0-150 Volt; - Ohmímetro 10E-3 a 10 Ohm;

- Megeer 1 a 100 MOhm / 500 Volt; - Amperímetro AC 0-4500 A; - Amperímetro DC 0-150


A; - Frequencímetro 0-80 Hz. Pequenas resistências podem ser medidas com um ohmímetro
ou um contador de Kelvin ou Wheatstone.

NB: A utilização de vários ohmímetros pode causar diferentes resultados na medição da


polaridade do aparelho.

b) Identificação da polaridade do ohmímetro

Em muitos processos de medição (teste dos doídos…) a polaridade do ohmímetro é muito


importante e deve ser conhecido. Além disso, é necessário um segundo aparelho de medição
como voltímetro DC com qual pode ser verificado a polaridade das linhas do ohmímetro.

8.2. Verificação do isolamento do enrolamento

a) Verificação do isolamento

Com a resistência de isolamento é possível verificar o estado do isolamento do gerador.. A


verificação do isolamento deve ser efectuada:

 Antes da colocação em funcionamento;


 Após uma paragem prolongada de funcionamento;
 Aquando da ocorrência de irregularidades durante o funcionamento;
 Para efectuar a medição, o gerador deve estar desligado;
 Se a resistência de isolamento for insuficiente, o gerador deve ser limpo e seco.

NB.: Antes de qualquer intervenção as prescrições de segurança dos meios de produção e


pessoas devem ser efectuadas (especificação de valores nominais do gerador etc.)
b) Medição do isolamento da âncora

 Desligar as três fases nos bornes do gerador;


 Todos os acessórios devem ser desligados (regulador de tensão, filtro supressão.) pode
encontrar os dados sobre os acessórios a desligar nos planos de ligações;
 A medição deve ser efectuada entre uma fase e a terra. Tensão nominal do gerador UN ≤
2400 V UN> 2400 V, Tensão de ensaio criada (DC) 500 V DC 1000 V DC;
 O valor de medição com 25 °C deve ser maior do que [3 (Un +1)] MΩ ou UN (tensão
nominal) e é indicado em kV (por ex: Um gerador com 6,6 kV deve possuir uma resistência
de isolamento de acima de 22,8 MΩ);
 Se o valor mínimo de isolamento não for alcançado, os enrolamentos devem ser secos.

c) Medição do isolamento da roda magnética desligar a roda magnética nos doídos


rotativos.

 A medição deve ser efectuada entre uma extremidade do enrolamento do rotor e da terra.
 A tensão de ensaio criada deve ser 500 V DC, o valor de medição deve ser maior do que
20 MΩ. Se o valor mínimo de isolamento não for alcançado, os enrolamentos devem ser
secos.

d) Medição do isolamento do excitador

 Todos os acessórios devem ser desligados;


 Para a medição do isolamento do campo do excitador desliga-se ambas as extremidades
do enrolamento no bloco de terminais no lado superior do campo do excitador;
 Para a medição do isolamento da âncora do excitador desliga-se as três extremidades do
enrolamento nos doídos rotativos;
 A medição deve ser efectuara entre uma extremidade do enrolamento e da massa. A
tensão de ensaio criada deve ser 500 V DC, e o valor de medição deve ser maior do que
20 MΩ. Se o valor mínimo de isolamento não for alcançado, os enrolamentos devem ser
secos.
e) Índice de polarização

Com o índice de polarização é possível verificar o estado do isolamento do gerador e de


indicar o grau de sujidade do enrolamento. Um índice de polarização errado pode causar uma
limpeza e secagem dos enrolamentos do gerador .As seguintes medições podem ser
efectuadas a qualquer momento sem danificar o isolamento do gerador:

Todos os acessórios devem ser desligados (regulador de tensão, filtro supressão.). Esta
verificação deve ser efectuada com ajuda de uma fonte DC estável.

Utilizar um aparelho específico para a medição do índice de polarização a 500 ou 1000 V DC.

Abrir o ponto neutro do enrolamento do estator, Retirar o cabo do regulador dos bornes de
fase; Colocar a tensão exigida; dai Registar a resistência de isolamento após um minuto e
Registar a resistência de isolamento após 10 minutos.

IP =Isolationswiderstand (t=10Minuten) /Isolationswiderstand (t=1Minute)

O índice de polarização deve ser maior do que 2, e determinar o índice de polarização para
cada fase segundo este procedimento.

9. Manutenção geral

Antes de cada intervenção no gerador deve-se verificar que não é activado um processo de
arranque devido a nenhum sinal manual ou automático. Antes de cada intervenção no gerador
deve-se verificar se compreendeu bem os procedimentos do sistema. Devido ao factor de
potência colocado no gerador um aparelho de medição de tensão ou um aparelho de medição
de potência activa não indica necessariamente a cargado gerador.
9.1. LIMPEZA DOS ENROLAMENTOS

A limpeza do enrolamento é um processo demorado que deve ser efectuado apenas se houver
necessidade.Essa necessidade será dada se a resistência de isolamento e/ou o índice de
polarização não obter nenhum valor satisfatório. Uma limpeza profunda apenas pode ser
efectuada numa oficina devidamente equipada.

a) Produtos de limpeza para os enrolamentos que não podem ser utilizados:


 É proibido utilizar solventes e produtos com muito cloro em que se realiza uma hidrolisa em
meio ambiente húmido. Tornam se facilmente em ácidos que libertam ácido clorídrico
condutora e a decompor-se.
 não podem ser utilizados tricolor etileno, percloro-etileno e tricloro-etano! Em caso de
utilização de produtos que contêm benzina deve-se ter atenção, uma vez que esta evapora
lentamente. O mesmo é válido para produtos com cloro que se podem transformar em ácidos.
 Não utilizar produtos alcalinos. Estes são dificilmente laváveis e podem causar uma redução
da resistência de isolamento ao reter a humidade.

b) Produtos de limpeza que podem ser utilizados:

 Podem ser utilizados os seguintes produtos de desengorduramento, a Benzina (sem aditivos),


Tolueno (ligeiramente tóxico; inflamável), Benzeno (tóxico; inflamável) Ciclo-hexano (não
tóxico; inflamável). E água doce.

9.2. Limpeza de estator, rotor, excitador e doídos

a) Com ajuda de um meio químico específico os isolamentos e impregnações não são sujeitos
a corrosão dos produtos acima mencionados. Os produtos de limpeza não devem pingar sobre
as ranhuras de enrolamentos. Recomenda-se aplicar o produto com um pincel e de passar
várias vezes com uma esponja para evitar acumulações na caixa. Secar o enrolamento com um
pano seco e deixar evaporar por completo antes da montagem. 54r-[/Após a limpeza dos
enrolamentos o gerador deve ser seco impreterivelmente para manter o isolamento de
enrolamento necessário.
b) Lavar com água doce

Pode ser utilizada água doce quente (temperatura <80 °C) sob pressão (menos do que 20 bar).

Após a limpeza dos enrolamentos o gerador deve ser seco impreterivelmente para manter o
isolamento de enrolamento necessário.

9.1.1. Secagem dos enrolamentos

Qualquer máquina eléctrica deve ser armazenada num meio ambiente seco. Se for efectuada
uma instalação em meio ambiente húmido, o gerador deve ser seco antes da colocação em
funcionamento.

9.1.2. Método de secagem

a) Durante o processo de secagem medir o isolamento e o índice de polarização a cada 4


horas. Para verificar a resistência de isolamento deve registar o valor medido e segui-lo
durante um determinado período de tempo. Se for obtido um valor constante de resistência
pode-se assumir que o gerador está seco. Consoante a dimensão da máquina e do grau de
humidade a secagem pode demorar até 24 horas; em geradores muito grandes até mesmo 72
horas ou mais. NB: Durante a secagem do gerador deve-se ter em sempre em atenção o
cumprimento de medidas de segurança contra incêndio. Todas as ligações devem estar
accionadas!

b) Secagem do gerador em paragem Se possível, colocar o gerador em funcionamento, se for


efectuada uma secagem durante o funcionamento do gerador. Devem ser colocados vários
termómetros no enrolamento e a temperatura não pode exceder os 75 °C (167 °F). Mesmo se
for só um termómetro a indicar um valor mais elevado, deve-se reduzir imediatamente o calor
induzido. Efectuar a secagem com ajuda de uma fonte de calor, por ex. resistências de
aquecimento ou lâmpadas. E deixar uma abertura para que o ar húmido possa sair novamente.

c) Secagem do gerador durante o funcionamento

1. Desligar o gerador da rede;


2. Estabelecer um curto-circuito no estator nos bornes do gerador;
3. Desligar o regulador e fazer ponte no motor auxiliar (regulador de curto-circuito);
4. Ligar um amperímetro no enrolamento do estator curto-circuitado;
5. Operar o gerador com rotações nominais (gerador com ventilador);
6. Ligar o gerador (campo de excitação) com excitação independente;
7. Utilizar uma fonte de tensão contínua (bateria….);
8. Ajustar a corrente magnetizante de forma que se forma a tensão nominal no estator do
gerador;
9. Deixar actuar o calor durante 4 horas no gerador depois parar o gerador e deixar refrigerar
o enrolamento (temperatura do enrolamento <50 °C);
10. Verifique o isolamento de enrolamento e o índice de polarização.
11. Se necessário, deixar actuar o calor no gerador durante mais quatro horas.

9.1.3. Pintura

Apenas pode ser efectuada uma pintura se for necessária inevitavelmente. Se for aplicada tinta
sobre um enrolamento ainda sujo ou seco insuficientemente, a resistência de isolamento pode
tornar-se significativamente pior.

10.Princípio de funcionamento do G.G.

1. Seleccionar a posição auto


2. Comutar o selector de estação no painel de controlo mestre para posição automática.
3. Se a rede estiver munida de um respectivo indicador luminoso estará aceso.
4. O contactor da rede se fecha e o indicador luminoso se acende.
5. Nestas condições os equipamentos e o grupo gerador estarão em standby.

11.como dimensionar corretamente o G. G.


Para dimensionar corretamente o grupo gerador de energia elétrica, algumas perguntas devem ser
respondidas antecipadamente, tais como:
– Qual tipo de carga? (Iluminação, motores de indução, fornos, canteiros de obras,
reti¡cadores);
– Qual o ambiente do serviço? (Mar, terra, atmosfera explosiva?);
– Quais as características do local? (Temperatura ambiente dominante, altitude,);– Qual o
regime de operação?; - Quantas horas de operação por dia?; etc.
11.1.Tipo de carga eléctrica a ser alimentada.

Considerando que a CIM e alimentada actualmente por um transformador 630KVA/ 50 Hz e


devido às frequentes falhas no fornecimento de energia pela concessionária urge a necessidade
de projectar um Grupo Gerador de Emergência automatizado que possa funcionar 24 horas por
dia em caso de falhas da rede pública.

Iluminação …………………………………. 15 KW

Tomadas………………………………………25KW

Climatização………………………………….25KW

Forca Electromotriz…………………………351KW

Potencia Total……………………………….416KW

a) Selecção do GG de Emergência em função da demanda esperada.

Em máquinas eléctricas considera-se: cos   0,8


P 416,0 KW
Logo: S  cos   0,8
 520,0 KVA

O calibre de GG de Emergência será:


S G  20% x520KVA  624KVA

b) Características Do Grupo Gerador:

Potência……………………………………………….625,0 KVA

Tensão………………………………………………….400V

Frequência…………………………………………..…50Hz

Tipo de Motor………………………………………. A Diesel


12.Dimensionamento do Quadro de comutação da carga e controle do GG.
a) Cálculo da secção dos condutores:

o Limite de condução da corrente: I ZC  I S


o Limite da queda de tensão: U  2% xUn

b) Limite de condução de corrente entre o GG e o QT


SG 625KVA
SG  3xUn xIS  I S    902,1A
3xUn 3x400V

c) Aplicando 2 cabos por fase teremos: I S


 451,1A  I z  721A
2

Fazendo correcções de acordo com as condições de instalação têm-se:


I zc  2 xxxIS  I zc  2 xxxIS  2 x0,82 x0,8x721  946 A

A condição imposta foi satisfeita (946 A > 902,1 A).

Característica: 2 condutores por fase de 400mm2 do tipo VAV e outro como neutro.

d) Limite da queda de Tensão no circuito entre GG e o QT:

Condição básica:U  2% *U n  0,02 x400V  8V


U  U V / A.Km * I s * LG  0,16 x909,3x0,005  0,72V

A condição foi satisfeita, o que confirma o uso do cabo acima referenciado.

e) Limite de condução de corrente no circuito entre o T e o QT


SG 630 KVA
SG  3 *U n * IS IS    909,3 A
3xU n 3x400V

Aplicando 2 cabos por fase teremos:


IS
 454,7 A  I z  721A
2

Fazendo correcções de acordo com as condições de instalação teremos:


I zc  2 *  .I S  I zc  2 *  .I S  2 * 0,82 * 0,8 * 721  946 A
 A condição foi satisfeita (946 A> 909,3 A).
 2 Condutores por fase de 400mm2 do tipo VAV e outro como neutro.

f) Limite da queda de Tensão no circuito entre T e QT

Condição básica:U  2% xUn  0,02 x400V  8V

Seja LG = 4m, logo a queda de tensão será:


U  U V / A.Km xI s xLG  0,16 x909,3x0,005  0,72V

g) Limite da queda de Tensão no circuito entre T e o QT


U  2% xUn  0,02 x400V  8V
Condição básica:

LG = 4m, então a queda de tensão será:

U  U V / A.Km xI s xLG  0,16 x909,3x0,005  0,72V

A condição foi satisfeita, o que confirma o uso do cabo vav.

13. Disjuntor do Grupo Gerador

Condições:

a) I S I n I ZC

Da tabela 6, verifica-se que não existe a corrente que satisfaça a condição imposta. Como
solução será escolhido um disjuntor tripolar regulável, que será calibrado para intensidade
nominal de 925 A: 902,1A  925 A  946 A Condição satisfeita.

b) I 2  1,45xI ZC

1280 A  1,45 * 946 A

1280 A  1371,1A Condição satisfeita.


13.1 Em caso de Falha da rede Publica.

Quando há variação da tensão nominal em 20%, ou da frequência em ±5%, as seguintes


operações desenrolam automaticamente:

 Gerador permanece em espera, para não arrancar sobre uma queda momentânea da tensão da
rede, passados 7s sem retorno da tensão, arranca o GG.

 Os indicados Extinção do indicador de presença de rede;

 Confirmação da falha por reles sensores durante 5 segundos;

 Abertura do contactor da rede e extinção do seu indicador;

 O grupo res luminoso referente a bobina de chamada e o motor de arranque se acendem.

 Instantes após o grupo entrar em funcionamento, fecham-se os seus contactos principais


assumindo a carga, e o seu indicador luminoso fica aceso.

13.2. Caso de retorno da rede Pública.

Quando a tensão da rede retorna com um valor superior a 320 V, o indicador de presença da
tensão da rede acende. Após o controlo da sua estabilidade durante dois minutos, as operações
seguintes se desenrolam automaticamente:

 O indicador contactor do grupo se apaga, visualizando a abertura do contactor do grupo.

 Imediatamente o indicador contactor da rede acende, visualizando o fecho do contactor da


rede da EDM.

 A rede da EDM retoma a carga na totalidade, e nesse momento o grupo gerador funciona em
vazio, para re alimentação se necessário.

 Após três minutos o grupo pára de funcionar.

 Os indicadores de funcionamento e alimentação pelo grupo se apagam e o grupo volta a ficar


em ‘’stand by’’
14. Componentes do QT

 K1 - O contactor principal, comuta a rede da concessionaria

 K2 - O contactor principal, comutar a rede do GGE.

 Os contactores principais contêm um encravamento mecânico e eléctrico.

 O encravamento eléctrico efectuado por meio de contactos auxiliares K2 e K2

 KA - O contactor auxiliar, comuta os contactos auxiliares para alimentação do contactores


principais KM1 e KM2, na presença de tensão ou variação tensão e frequência na rede da
EDM.

Temos também as lâmpadas H1, H2, H3 e H4 para a sinalização:

 H1: acende quando há tensão na rede da EDM.

 H2: acende quando a carga é alimentada pela rede da EDM.

 H3:acende quando a carga é alimentada pelo GGE

 H4: fica acesa quando Grupo estiver em funcionamento.

15. Esquemas Eléctricos- circuito de comando


16. Conclusão
Conclui se que a manutenção preventiva de geradores tem sido uma solução muito bem recebida
em várias aplicações, pois pode reduzir gastos e evitar problemas com a falta de energia elétrica,
e o G.G (grupo gerador) é instalado muito mais para situações de emergência, em casos em que a
rede de distribuição publica para de fornecer a energia eléctrica por motivos de avarias, evitando
em sequência a paralisação do seu trabalho, (consumidor), isto e, o G.G substituirá a rede publica
até que lhe restabeleça a energia. O G.G tende a ser constituído por protecções um pouco
complexas para não lesar quer a concessionária, quer o próprio seu princípio de funcionamento,
em termos gerais o fornecimento de energia eléctrica ao consumidor deve por norma ser linear.