Você está na página 1de 34

Básicos

Instrumentos
Especiais

Variedade - grande

Ponta – com e sem dente


Garra – tipo de ranhuras

Caixilho - asséptico
(articulação) - fixo
- curtas
Hastes
- longas

anéis
cremalheira
TEMPOS CIRÚRGICOS

• Diérese ( bisturi, tesouras)

• Hemostasia (pinças hemostáticas)

• Exérese (pinças de preensão, especiais e


afastadores, pinças de diérese)

• Síntese (porta-agulha, pinça anatômica)


Classificação quanto a função:
1. Diérese: cortar ou separar tecidos
Tesouras: Rombudas ou agudas
Curvas ou retas
vários formatos e tamanhos
Bisturi

Tentacânula
2. Hemostáticos: fechamento de extremidades
cortadas de um vaso com mínima lesão tecidual
 Garras: ranhuras transversas profundas
Traumáticas
Pinças traumáticas curtas
Pinças hemostáticas traumáticas
Pinças hemostáticas traumáticas
Pinças hemostáticas atraumáticas: hemostasias temporárias
3. Preensão: desenhadas para segurar os tecidos e
outros materiais
4. Afastadores: afastamento dos tecidos para melhorar
a visualização e acesso
espátulas

autostáticos

farabeuf
5. Especiais

Pinça de biópsia
Pinça de curativo

Pinça de assepsia

Cureta
Clamp intestinal
5. Especiais

Pinças de ducto biliar – pedículo renal e cólon


Pinças de campo : para segurar no lugar materiais cirúrgicos
6. Síntese: união de tecidos, fechamento de cavidades,
restituindo a normalidade
Porta-agulhas
Acessórios / instrumentos auxiliares

 Cánulas de aspiração

 Cubas

 Manoplas

Contagem de material (agulhas,


compressas e instrumentos)
INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA

Atividade desenvolvida no intraperatório relacionada


com o material que compõe a mesa cirúrgica e é
utilizado durante o ato operatório
FUNÇÕES DO INSTRUMENTADOR

 Conhecer os tempos operatórios da cirurgia


 Atender ao cirurgião em primeiro lugar
 Controlar a contaminação do campo operatório
 Conhecer os nomes oficiais de cada instrumental, e
os nomes eventualmente mais utilizados
FUNÇÕES DO INSTRUMENTADOR
 Chegar antes da equipe médica para providenciar todo o
material a ser usado.

 Paramentar-se cerca de 15 min antes do início da cirurgia

 Auxiliar cirurgião e assistentes na paramentação

 Montar as mesas de instrumental.

 Auxiliar na assepsia do paciente na sala cirúrgica

 Providenciar campos estéreis ao cirurgião


FUNÇÕES DO INSTRUMENTADOR
 Passar o instrumental solicitado com rapidez e firmeza

 Cuidar da organização do instrumental sobre a mesa cirúrgica

 Controlar o uso de compressas e gazes

 Controlar o material das caixas cirúrgicas ao término da cirurgia

 Separar o instrumental com problemas funcionais detectados


no ato operatório
LEGISLAÇÃO
A Resolução nº214/1998 / COFEN:

 “a instrumentação cirúrgica é uma atividade de


enfermagem, não sendo, entretanto, ato privativo da
mesma” e “o profissional de enfermagem, atuando
como instrumentador cirúrgico, por força de Lei,
subordina-se exclusivamente ao responsável técnico
pela unidade”
MONTAGEM DE MESA
 É ato de dispor os instrumentos cirúrgicos em ordem
lógica sobre as mesas auxiliares de forma a racionalizar
e tornar mais eficiente o trabalho da equipe.

Mesa do instrumental :
 montada em local de menor circulação na SO
 após a anti-sepsia da área operatória e colocação dos
campos estéreis, a mesa do instrumental é
posicionada de acordo com o tipo de cirurgia.
MONTAGEM DE MESA
Ordem:

• Mais próximo da mesa operatória os instrumentos


que serão utilizados com mais freqüência no
decorrer da cirurgia.
A instrumentadora obrigatoriamente deve
prestar atenção ao campo operatório para
antecipar as necessidades da cirurgia
1. bisturi - com lâmina para baixo e corte para a esquerda.
2. Tesoura curva, delicada e forte, pontas viradas para baixo, contra a
instrumentadora e curvatura para baixo, contra a mesa.
3. Pinças hemostáticas tipo Halsted curvas e retas, Kelly curvas e retas
4. Aréa de uso versátil: Mixter, Moynihan e outros hemostáticos.
5. Kocker
6. Pinças com e sem dente
7. Porta-agulhas (com anéis para baixo). Ponta da agulha para cima para
não furar o pano e não contaminar.
8. Pinças de preensão ou outros complementares: Allis, Babcock, Duval
e Collin
9. Pinças de campo: Backaus
10.Pinças, tesouras e porta-agulhas longos
11.Compressa dobrada que segura os fios pré-cortados e sobre ela outros
tipos de fios e agulhas.
12.Uso versátil, no caso apresentando agrafes.
Observações:
• Na mesa do assistente, os cabos estão virados para si.

• Permanecer com a mão sobre o abdômen

• Limpar o instrumento com gaze e jogá-la no cesto

• Gazes e compressas sobre as pernas do paciente e não sobre


a mesa do instrumental

• Nos tempos contaminados, separar os materiais numa mesa


auxiliar ou num canto da mesa

• É importante conhecer a seqüência tática do cirurgião


MESA AUXILIAR
Fonte: Revista da Folha de São Paulo 24/08/2008
O cirurgião não deve cruzar o braço D entre sua visão
e o campo operatório e a possibilidade de usar o
instrumentador como 2º assistente fica reduzida