Você está na página 1de 13

Tesoura Spencer

Função: a retirada de pontos


Abaixador de língua
Função: abaixar a base superior da língua e permitir o exame da boca e da garganta.
Pinça Pean (assepsia)
Função: antiassepsia do local
a ser operado

Pinça-goiva, alveolótomo ou
rongeur
É usada para regularizar o
tecido ósseo
Lâmina e cabo para bisturi: A mais utilizada para cirurgia oral é a
lâmina 15, utilizada para fazer incisões em torno dos dentes e
através do muco-periósteo.
A Lâmina de bisturi é montada cuidadosamente no cabo com o porta
agulha para evitar acidentes e cortes dos dedos do cirurgião.
Quando se usa o Bisturi para fazer uma incisão, o cirurgião deverá
segurá-lo como se empunhasse uma caneta, para obter o controle
máximo da lâmina durante a incisão.

Carpule: Instrumento utilizado na anestesia, composta


por corpo onde se aloja o tubete do anestésico, êmbolo porção
que entra em contato com a rolha do tubete e pela pressão
exercida se despreza o anestésico, e adaptador da agulha, em
sua extremidade possui essa rosca que permite uma fixação e
estabilidade da agulha com a carpule.

Afastador de Weider: É um afastador lingual, largo, tem


forma de coração e é serrilhado em um único lado para que
ele possa pegar a língua mais firmemente e retraí-la medial e
anteriormente.

Afastador de Minnesota: utilizados para afastar bochechas, o primeiro é duplamente


angulado, pode retrair bochechas e retalho mucoperiosteal simultaneamente.
Pinça Hemostática: Os instrumentos hemostáticos mais utilizados
na cirurgia oral são os curvos, porém pode ser utilizados os retos.
Possui uma ponta ativa longa e delicada, usada para apreender os
tecidos, e um cabo que permite o travamento, isso permite que o
cirurgião aperte o hemostático no vaso e mesmo depois de solta-
lo, o vaso permanecerá preso aos tecidos.
Além do uso como instrumento para controle do sangramento, o
hemostático é especialmente útil em cirurgia oral para remover
tecidos de granulação dos alvéolos dentários, bem como
apreender ápices radiculares, cálculo, fragmentos de restauração
de amálgama e quaisquer outras pequenas partículas que tenham
caído dentro da boca ou na área da ferida.

Tesoura de Metzenbaum: Possui ponta cega usada


para dissecar e divulcionar tecidos moles, mas pode ser
usada também para cortá-lo. Essas tesouras não
devem ser usadas para cortar fios de sutura, pois os
fios podem cegar as bordas das lâminas e fazer com
que sejam menos eficientes para cortar tecidos.

Destaca Perióteo Molt nº 9: Possui 2 extremidade, uma ponte aguda e


fina, usada para destacar as papilas dentárias entre os dentes, outra mais
larga e plana, usada para descolamento de tecido do osso. Usado em dois
movimentos: movimento de alavanca, para elevar os tecidos moles (usado
quando de destaca a papila dentária entre os dentes), o segundo
movimento é o de empurrar, no qual o final largo do instrumento é
deslizado por baixo do retalho, separando o periósteo do osso subjacente
(movimento mais eficiente e resulta numa reflexão mais completa do
periósteo).

Porta Agulha: O porta agulha é um instrumento com um


cabo que permite travamento e uma ponta ativa curta e
grossa. Para uso intra-oral, é frequente recomendado um
porta-agulha de 6 polegadas (15cm), sua ponta ativa é
mais curta e mais forte que a do hemostático com ranhuras
com linhas cruzadas para permitir a apreensão da agulha
e do material de sutura.
Lima Para Osso: Possui duas extremidades sendo uma pequena
e outra grande, ao pode ser utilizada para remoção de grandes
quantidades de osso, sendo útil apenas para o alisamento final.
Só removem osso quando se realiza movimentos de puxar.

Cureta de Lucca: Ou cureta periapical, são instrumentos


angulados e com extremidades duplas, usadas para
remover tecido mole de defeitos ósseo (granulomas de
pequenos cistos oriundos de lesão periapicais, mas ela
são também utilizadas para remoção de grandes
quantidades de tecido de granulação).

Agulha: Apreende-se a agulha a aproximadamente dois terços da distância entre a


ponta e o final da agulha, isso permite uma quantidade suficiente de agulha exposta
para passar pelos tecidos, e deixa que o porta agulha de a apreenda em sua posição
mais forte para evitar que ela se dobre. Ela é curva pois permite o manuseio em um
espaço limitado.

Pinça Goiva: Possui lâminas cortantes que são unidas


pelos cabos, cortando ou removendo partículas de osso.
Existem dois desenho principais de Pinça Goiva: uma que
corta lateralmente e outra que corta lateralmente e na
extremidade final (pinça Goiva de Blumenthal). Utilizada
para remoção de osso, arestas cortantes de osso, podem
remover grandes quantidades de osso aplicando múltiplas
quantidades de cortes.

Fórceps 18R e 18L: Instrumento desenhado para exodontia de


dentes multirradiculares da maxila, os molares da maxila são
dentes de três raízes com uma raiz na palatina e uma bifurcação
vestibular. Portanto, é necessário um fórceps com ponta ativa
que possua uma superfície lisa e côncava para a raiz palatina e
outra superfície pontiaguda na porção vestibular do dente.
Desta forma, os fórceps para molares superiores devem vir em
pares, um para a hemi-arcada DIREITA (RIGHT - R), outro para
a hemi-arcada ESQUERDA (LEFT - L), o fórceps 18 é
uma excelente instrumental para esses casos, pois foi fabricado
de forma que o operador possa alcançar a parte posterior da
boca e permaneça na posição correta, a apreensão deve ser
feita em região de colo pois permite uma ação efetiva do
fórceps.
Fórceps 17: É o fórceps mais utilizado para exodontia de molares posteriores. Esse instrumental tem usualmente um
cabo reto e pontas posicionadas obliquamente em direção inferior, essas pontas possui final pontiagudo central,
bilateralmente, para se adaptar a bifurcação dos molares.

Fórceps 151: usualmente utilizado para remoção de


dentes unirradiculares superiores. Possui
ligeiramente curvatura quando visto de lado e é
essencialmente reto visto de cima e possui pontas
curvas, essas características permite ao operador
alcançar não somente os incisivos, mas também os
pré-molares de maneira confortável.

Fórceps 150: Utilizado para exodontia de dentes unirradiculares


mandibulares, possui cabo com características semelhantes ao
151, porem, com pontas posicionadas inferiormente, em direção
aos dentes inferiores, com superfície lisa e relativamente
estreitas e se encontram somente no final da ponta, isso permite
que a ponta ativa do fórceps se encaixe na linha cervical do
dente e agarre a raiz.

Alavancas Dentárias
Um dos mais importantes instrumentos usados em cirurgia oral possuindo funções primordiais na
exodontia:

- Esse instrumento são utilizados para luxar dentes, isto é, para soltar os dentes do osso circunvizinho, isso permite
que o procedimento se torne mais fácil.

- A expansão do osso alveolar também é outra função desses instrumentais, auxiliando remoção do dente que possui
alguma obstrução ou limitação para sair.

- As alavancas são projetadas para facilitar a remoção de raízes fraturadas ou seccionadas cirurgicamente dos seus
alvéolos.
Alavancas apicais com lâminas reta e
anguladas: A reta possui uma superfície côncava
em um dos lados afim de ser usada como uma
calçadeira podendo ser utilizada para iniciar a
luxação de um dente erupcionado antes da
aplicação do fórceps.
As anguladas possui uma curvatura em sua
haste,para que o instrumento possa ser usado nas
regiões mais posteriores da boca.

Jogo de Alavancas tipo Seldin: A alavanca reta sem lâmina é usada


para deslocar raízes dos alvéolos e é tambem usada para luxar dentes
que estão separados.

A alavanca de forma triangular é mais usada quando raiz fraturada


permanece no alvéolo dentário e o alvéolo adjacente está vazio. A ponta
da alavanca de forma triangular é colocada dentro do alvéolo vazio com
a haste repousando na cortical óssea e depois usada em movimentos
de rotação no seu longo eixo (sarilho), com a ponta encaixada no
cemento da raíz do dente que permanece no alvéolo.