Você está na página 1de 14

Ciências

7o ano
Caderno 3
Módulo 16

1 Cavidade digestiva, tentáculos e células responsáveis pela defesa e captura de alimento são caracterís-
ticas presentes no grupo de animais a que pertencem as:
a) Esponjas.
b) Águas-vivas.
c) Lulas.
d) Bolachas-da-praia.

2 Resolva o criptograma abaixo. Para letras iguais, números iguais. Resolvido o problema, surgirá, nas
casas em destaque, uma estrutura celular responsável pela alimentação nos poríferos.

A 1 2 3 4 5 6 7 8

B 9 5 9 5 4 1 8

C 9 8 10 8 9 1 3 8

D 4 11 11 10 11 4 5 6 7 8

E 5 12 13 8 9 1 3 8

F 14 1 1 9 5

G 14 8 15 2 8

A – Processo de obtenção de alimento em esponjas.


B – Uma das matérias-primas das estruturas de sustentação de uma esponja.
C – Célula responsável pelo processo de captura de alimento nos espongiários.
D – Processo pelo qual um porífero pode recompor estruturas de seu corpo perdidas.
E – Célula das esponjas responsável pelo transporte de substâncias pelo corpo.
F – Matéria-prima de estruturas de sustentação de uma esponja que lhe confere maior rigidez e dureza.
G – Abertura das esponjas por onde sai a água.

3 Leia o texto a seguir sobre ecologia de esponjas e em seguida responda as questões propostas.
Ecologia de esponjas
[...] Vários animais se alimentam de esponjas, embora o dano causado por estes preda-
dores seja geralmente pequeno. Alguns moluscos, ouriços e estrelas-do-mar, além de pei-
xes tropicais (donzelas, peixes-borboleta) e tartarugas, comem esponjas. [...] O mecanismo
primário de defesa das esponjas é de natureza química. As esponjas produzem uma ampla
gama de compostos tóxicos, alguns bastante potentes. [...] Relações de comensalismo en-
volvendo esponjas são muito comuns. [...] Por exemplo, conhece-se um peixe no Japão que
desova dentro de uma esponja (Mycale adhaerens), valendo-se da química desta espécie para
a proteção de seus ovos. Outros organismos usam as esponjas como cobertura ou camufla-
gem, como os caranguejos do gênero Dromia, que recortam pedaços de esponjas de diversas
espécies e os posicionam sobre sua carapaça. [...]
Porifera Brasil. Disponível em: <http://www.poriferabrasil.mn.ufrj.br/1-esponjas/ecologia.htm>. Acessado em jun. 2015.

abril educação – sistemas de ensino 2 Ciências – 7o ano – Caderno 3


a) As esponjas podem ser consideradas a base da cadeia alimentar marinha? Justifique.
b) Qual a finalidade do mecanismo de defesa primário que existe nas esponjas?
c) O que é uma relação de comensalismo?
d) O que o autor do texto quer dizer com “valendo-se da química desta espécie para a proteção de
seus ovos”?
e) Que tipo de interação ecológica deve existir entre as esponjas e os caranguejos que recortam seus
pedaços para os posicionarem sobre sua carapaça? Justifique sua resposta.

Módulo 17

1 Leia o texto a seguir sobre um verme “bizarro” e em seguida responda as questões propostas.

Verme bizarro possui 60 olhos

Cientistas encontraram uma nova espécie de platelminto, um verme de 12 milímetros


de comprimento e 60 olhos, na aérea “mais documentada do planeta”: Cambridge, no Reino
Unido.
Os platelmintos são conhecidos popularmente como “vermes”. Pertencentes ao filo
Platyhelminthes, esses animais têm corpo achatado porque não possuem sistemas respiratório
e circulatório. Vivem em locais úmidos, e algumas espécies parasitam outros animais (um
dos mais famosos platelmintos é a tênia, que parasita o ser humano).
O chefe-executivo do grupo Wildlife Trust, Brian Eversham, foi quem descobriu o que os
especialistas acreditam ser uma espécie nova de verme, ainda não documentada.
“Eu estava tirando fotos da vida selvagem numa manhã de domingo e vi este bonito
verme. A Grã-Bretanha é um dos melhores países para documentar a vida selvagem, então
é muito raro encontrar uma espécie que nunca tenha sido documentada antes”, comenta
Eversham.
Os cientistas que analisaram o invertebrado acreditam que ele é um parente próximo
de uma espécie encontrada na Irlanda do Norte, chamada de Kontikia andersoni. O biólogo
Hugh Jones, do Museu de História Natural do Reino Unido, também disse que tinha visto
apenas um exemplo de verme semelhante a esse, um espécime descoberto na Holanda
em abril.
DailyNews. Disponível em: <http://hypescience.com/verme-bizarro-possui-60-olhos/>. Acessado em abr.. 2015.

a) O texto afirma que é devido à ausência dos sistemas respiratório e circulatório que os platelmintos
são achatados. Explique.
b) Por que os cientistas ficaram tão surpresos em encontrar uma nova espécie de platelminto na
Grã-Bretanha?
c) Pelo que foi estudado em aula, os 60 olhos desse novo verme devem realmente ser considerados
olhos? Justifique sua resposta.

2 O quadro abaixo lista características que diferenciam os Cnidários, Poríferos e Platelmintos quanto ao
modo de obtenção de alimento, às células exclusivas e a suas principais novidades evolutivas.

abril educação – sistemas de ensino 3 Ciências – 7o ano – Caderno 3


Característica I II III
Formas de vida livre
podem se alimentar
de outros pequenos
Captura de presas com animais ou da matéria
seus tentáculos e célu- Através de filtração da orgânica em decompo-
Modo de obtenção
las especiais e posterior água e digestão dentro sição. Formas parasitas
de alimento
digestão em cavidade da célula. se alimentam de tecidos
digestiva. dos hospedeiros ou de
alimentos parcialmente
digeridos no intestino
das vítimas.
Células que percebem
Células exclusivas Cnidócitos Coanócitos
luz nos ocelos
Principal novidade Aparecimento de cavi- Aparecimento da região
Multicelularidade
evolutiva dade digestiva cefálica
Assinale a alternativa que apresenta corretamente os grupos de seres vivos correspondentes a I, II e III:

I II III
a) Cnidários Platelmintos Poríferos
b) Poríferos Platelmintos Cnidários
c) Poríferos Cnidários Platelmintos
d) Cnidários Poríferos Platelmintos

Módulo 18

1 Assinale a alternativa que associa corretamente as doenças causadas por vermes às suas formas de
transmissão.

Doença Formas de transmissão


A Esquistossomose I Ingestão de ovos por meio de alimentos contaminados.
B Teníase II Penetração de larvas pela pele em pessoas que andam descalças
sobre o solo contaminado.
C Ancilostomíase ou III Ingestão de carne de porco ou de boi malpassada, com cisticercos.
Amarelão
D Cisticercose IV Penetração de larvas na pele de pessoas que estão em águas
infectadas causando uma leve coceira.

a) A – II; B – III; C – IV; D – I


b) A – II; B – I; C – IV; D – III
c) A – IV; B – III; C – II; D – I
d) A – IV; B – I; C – II; D – III

2 Leia com atenção as afirmações a seguir sobre algumas verminoses:


I. A forma de contaminação da esquistossomose pelo ser humano, causada por um platelminto
conhecido como esquistossomo, é por meio de larvas que saem de um hospedeiro intermediário (caramujo)
e que na água podem ativamente penetrar na pele de pessoas e cair na corrente sanguínea.

abril educação – sistemas de ensino 4 Ciências – 7o ano – Caderno 3


II. A cisticercose é causada por vermes conhecidos como tênias ou solitárias (pois, geralmente há
apenas um parasita no hospedeiro). A contaminação se dá, no ser humano, por meio da ingestão de água
e alimentos contaminados com os ovos liberados nas fezes de pessoas doentes.
III. A ascaridíase é uma doença causada pela lombriga. A contaminação no ser humano se quando o ser
humano ingere os ovos liberados nas fezes, por meio de água ou alimentos contaminados com essas fezes.
Entre as alternativas abaixo, assinale a verdadeira:
a) Somente a I e II estão corretas
b) Somente a II e III estão corretas
c) Somente a I e III estão corretas
d) Todas as alternativas estão corretas

3 Assinale a alternativa que melhor associa corretamente as doenças causadas por vermes às suas for-
mas de prevenção.
Doença Prevenção
Se faz com o uso de calçados, instalações sanitárias adequadas e tra-
A Esquistossomose I
tamento dos doentes.
Se faz com a higienização cuidadosa dos alimentos, ingestão de água
B Teníase II
tratada, saneamento básico adequado e tratamento dos doentes.
Se faz com o cozimento das carnes, a fiscalização das condições sani-
C Ascaridíase III
tárias da criação, saneamento básico e tratamento dos doentes.
Se dá com hábitos de higiene, saneamento básico, tratamento do
D Ancilostomíase IV
doente e pelo combate ao caramujo.

a) A – IV; B – III; C – II; D – I


b) A – IV; B – I; C – II; D – III
c) A – I; B – III; C – IV; D – II
d) A – I; B – IV; C – I; D – II

Módulo 19

1 Concha, corpo segmentado (anéis), esqueleto externo pés-ambulacrais são novidades evolutivas, res-
pectivamente dos seguintes grupos de animais:
a) Moluscos, Anelídeos, Equinodermos e Artrópodes.
b) Artrópodes, Anelídeos, Moluscos e Equinodermos.
c) Moluscos, Anelídeos, Artrópodes e Equinodermos.
d) Anelídeos, Moluscos, Equinodermos e Artrópodes.

2 Assinale a alternativa que associa corretamente os grupos de invertebrados às suas novidades evolutivas.
Grupo Novidade evolutiva
A Moluscos I Esqueleto interno
B Anelídeos II Esqueleto externo
C Artrópodes III Corpo dividido em anéis (segmentos)
D Equinodermos IV Concha
a) A – IV; B – III; C – II; D – I
b) A – IV; B – I; C – II; D – III

abril educação – sistemas de ensino 5 Ciências – 7o ano – Caderno 3


c) A – II; B – III; C – IV; D – I
d) A – I; B – IV; C – I; D – II;

3 Leia o texto a seguir que trata das características de um determinado grupos de invertebrados.
Possuem esqueleto interno e pés ambulacrários, utilizados na locomoção. Evolutiva-
mente é o grupo mais próximo dos cordados. São exclusivamente marinhos e podem viver
fixos a substratos ou ainda nadar, rolar ou rastejar no fundo do mar. Alguns são carnívoros;
outros são herbívoros (se alimentam de algas) e saprófagos (alimentam-se de seres mortos).
Há ainda os que são filtradores e um grupo que raspa algas (herbívoros) e corais e esponjas
(carnívoros).
Assinale a alternativa que apresenta representantes do grupo que é caracterizado pelo texto acima:
a) lulas, polvos, caracóis, lesmas, mexilhões e ostras.
b) sanguessugas e poliquetos.
c) caranguejos, siris, camarões, lagostas e lagostins.
d) estrelas-do-mar, serpentes-do-mar, ouriços-do-mar, bolachas-da-praia, lírios-do-mar e pe­pinos-do-
-mar.

4 Leia a frase a seguir que é uma resposta para uma determinada questão:
“A presença de placas raspadoras na região da boca.”
Assinale a alternativa que apresenta a questão mais adequada para a resposta apresentada acima.
a) Que estrutura ligada à alimentação presente nas estrelas-do-mar as diferencia dos demais
equinodermos?
b) Qual característica existente em uma craca permite dizer que se trata de um animal que se alimenta
de seres fixados no substrato, raspando-os?
c) Que estrutura ligada à alimentação presente nos caranguejos que os diferencia dos demais
crustáceos?
d) Qual característica existente em um ouriço-do-mar permite dizer que se trata de um animal que se
alimenta de seres fixados no substrato, raspando-os?

5 Compare os moluscos, os anelídeos, os artrópodes aquáticos e os equinodermos em relação à estru-


tura do corpo.

6 Algumas cracas podem viver presas às paredes do corpo de outros animais. Este é um tipo de intera-
ção entre dois seres vivos em que não há o prejuízo (nem benefício) para o animal que aloja o outro ser
– beneficiado pela associação. Trata-se de uma relação conhecida como inquilinismo (do latim inqui-
linu, inquilino e sufixo ismo, qualidade de) (+/0), que nada mais é que um caso especial de comensalis-
mo, já estudado no 6o ano. No caso da craca, esta pega “uma carona” em seu “meio de transporte”
Agora responda:
a) Qual a vantagem desta relação para a craca?
b) Cite um outro exemplo de inquilinismo que você conheça.

7 Leia o texto a seguir sobre os límulos (caranguejos-ferradura).


Límulos
[...] na primavera, [os límulos] emigram em direção às praias. E em três noites sucessivas
de lua cheia, quando a maré está alta, centenas de milhares deles emergem do mar.
abril educação – sistemas de ensino 6 Ciências – 7o ano – Caderno 3
As fêmeas, com suas imensas carapaças brilhando ao luar, arrastam os pequeninos ma-
chos atrás de si. Às vezes, em sua ansiedade para alcançar uma fêmea, quatro ou cinco ma-
chos se atropelam e formam uma cadeia. Ao atingir a praia, a fêmea se semienterra na areia
e lá deposita seus ovos, onde os machos soltam o esperma. Milha após milha, ao longo das
praias escuras, a maré viva de límulos é tão espessa que chega a formar uma faixa contínua,
como um caminho de seixos gigantes. Às vezes, as ondas os reviram deixando-os a agitar
suas patas na areia, girando as caudas pontiagudas no esforço para se endireitar. Muitos
não conseguem e morrem abandonados pela maré vazante, enquanto que outros milhares
nadam para o raso. [...]
David Attenborough. A vida na Terra. São Paulo: Martins Fontes-UnB, 1981, p. 61.

Sabendo que há muita predação durante a reprodução dos límulos (seres muito antigos), o que se
pode dizer quanto à sua forma de reprodução (rara ou comum) e à sua origem (primitiva ou moderna),
justificando sua resposta.

Módulo 20

1 Leia o texto a seguir sobre lampreias “pragas” de regiões onde ainda são abundantes e em seguida
responda as questões.

A conquista das águas


[...] às vezes, sua população nos rios norte-americanos atinge proporções de praga. Ne-
crófagas, milhares de lampreias fervilhantes consomem peixes mortos ou doentes, não pou-
pando nem mesmo os sadios. Com olhos minúsculos, ventosas sugadoras [...], a lampreia
é pouco atraente do ponto de vista humano. Não obstante, ela merece atenção e respeito,
pois seus ancestrais foram um dia as criaturas mais avançadas e revolucionárias que exis-
tiam nos mares. [...]
David Attenborough. A vida na Terra. São Paulo: Martins Fontes-UnB, 1981, p. 54.

a) O que significa dizer que as lampreias são necrófagas?


b) Quais as novidades evolutivas das lampreias em relação aos protocordados que lhes possibilitam ser
“as criaturas mais avançadas e revolucionárias que existiam nos mares”?

2 O quadro abaixo lista características que diferenciam os Cordados sem crânio (protocordados) dos
Cordados com crânio (craniados) mais primitivos, quanto ao modo de obtenção de alimento e suas
principais novidades evolutivas.

Cordados sem crânio Cordados com crânio


Característica (protocordados – ex. (craniados – ex. lam-
anfioxo) preias e feiticeiras)
Modo de obtenção de alimen-
A B
to
Principal(is) novidade(s)
C D
evolutiva(s)

Com relação a essas características, a alternativa que melhor complementa a tabela acima é:

abril educação – sistemas de ensino 7 Ciências – 7o ano – Caderno 3


Modo de obtenção de alimento Principal(is) novidade(s) evolutiva(s)
B - Predação de
C - Crânio (todos)
pequenos orga-
A - Filtração de e coluna vertebral
a) nismos marinhos; D - Bastão flexível
plâncton simples (algumas
parasitismo de
espécies)
peixes maiores
A - Predação de
D - Crânio (todos)
pequenos organis-
B - Filtração de e coluna vertebral
b) mos marinhos; para- C - Bastão flexível
plâncton simples (algumas
sitismo de peixes
espécies)
maiores
B - Predação de
D - Crânio (todos)
pequenos orga-
A - Filtração de e coluna vertebral
c) nismos marinhos; C - Bastão flexível
plâncton simples (algumas
parasitismo de
espécies)
peixes maiores
A - Predação de
C - Crânio (todos)
pequenos organis-
B - Filtração de e coluna vertebral
d) mos marinhos; para- D - Bastão flexível
plâncton simples (algumas
sitismo de peixes
espécies)
maiores

3 Os vertebrados conseguiram explorar novos ambientes, além dos aquáticos em que surgiram. Algumas
características são comuns aos vertebrados. Entre as alternativas assinale aquela que mostra uma
adaptação comum a todos os vertebrados.
a) Presença de ossos.
b) Presença de crânio.
c) Presença de mandíbula.
d) Presença de uma notocorda na fase de embrião.

Módulo 21

1 Leia com atenção as afirmações a seguir sobre as primeiras plantas que devem ter ocupado o ambiente
terrestre.
I. As primeiras plantas a ocupar o ambiente terrestre devem ter se originado de grupos de fungos
ancestrais.
II. Essas primeiras plantas deveriam possuir uma película protetora que evitava a perda de água para
o ambiente.
III. Essas primeiras plantas devem ter sido parecidas com as briófitas atuais (como os musgos e as
hepáticas).
Dentre as alternativas abaixo, assinale a verdadeira.
a) Somente I e II estão corretas.
b) Somente II e III estão corretas.
c) Somente I e III estão corretas.
d) Todas as alternativas estão corretas.

abril educação – sistemas de ensino 8 Ciências – 7o ano – Caderno 3


2 Quais os problemas que os ancestrais das briófitas tiveram que enfrentar para iniciar a conquista do
ambiente terrestre? Que adaptações foram selecionadas por essas plantas?

Módulo 22

1 Leia o texto a seguir sobre as centopeias.


Quantas patas a centopeia tem?
A palavra centopeia vem do latim e significa "com cem pés". No entanto, ainda não foi
descoberta espécie com exatos 50 pares de patas. Dependendo do animal, pode ter entre 30
e 300 perninhas, que o ajudam a se locomover com facilidade em diferentes tipos de terre-
nos, entre pedras ou no interior de troncos de árvores.
Mais de 3.000 espécies já foram descobertas; cerca de 250 vivem no Brasil. Artrópodes (Filo
dos animais invertebrados) e integrantes do grupo dos Miriápodes, têm corpo alongado, dividi-
do em vários segmentos e, em geral, um par de antenas. São vistas em todo o planeta, com ex-
ceção dos polos. Dividem-se em quatro grupos: quilópodes, diplópodes, paurópodes e sínfilos.
A lacraia é um tipo de centopeia que faz parte dos quilópodes. O corpo é dividido em ca-
beça e tronco. Habita ambientes úmidos, jardins, cupinzeiros e entulho. A fêmea bota ovos
e cuida até eclodirem. Os filhotes já nascem formados. Há espécies que chegam a 30 cm.
O piolho-de-cobra integra a classe dos diplópodes. Vive em lugares úmidos e escuros.
Tem corpo em forma de tubo e atinge até 25 cm de comprimento. No Brasil, as espécies não
passam de 15 cm. Ao se reproduzir, a fêmea bota ovos, mas não cuida deles. Os filhotes nas-
cem como larvas e se desenvolvem.
Os paurópodes são animais minúsculos, com 1 mm de comprimento. Têm quatro an-
tenas e nove pares de patas. O nome significa ‘pés pequenos’. Comem tecidos vegetais em
decomposição e fungos. Os sínfilos têm até 8 mm de comprimento e 12 pares de patas. In-
gerem raízes de plantas.
A lacraia tem garras perto da cabeça, chamadas forcípulas. São ligadas à glândula pro-
dutora de veneno, capaz de paralisar a presa. Não é perigoso para os humanos, mas a picada
pode causar muita dor e, em alguns casos, reações alérgicas.
Duas patas, que ficam perto do ânus, são usadas como defesa contra predadores. Pare-
cem antenas, mas funcionam como pinça.
Apesar de carnívora, também alimenta-se de frutas, insetos e matéria em decomposição.
Algumas espécies, como as da Amazônia, comem animais maiores. Roedores, serpentes e
aves morrem paralisados com o veneno da lacraia e, então, são ingeridos.
O piolho-de-cobra, também chamado embuá ou gongolo, não é venenoso. No entanto,
quando se sente ameaçado, costuma se enrolar em formato de caracol e soltar substância
que cheira mal e incomoda os predadores. Não costuma ameaçar os humanos.
Diferentemente da lacraia, é herbívoro e detritívoro; alimenta-se, em geral, de restos de
vegetais, como folhas mortas e troncos podres.
Diário do Grande ABC — 23/02/2014 — Disponível em: <http://www.dgabc.com.br/Noticia/512152/quantas-patas-a-centopeia-tem>.
Acessado em abr. 2015.

Com as informações contidas no texto, preencha a tabela a seguir:

abril educação – sistemas de ensino 9 Ciências – 7o ano – Caderno 3


Quilópodes Diplópodes Paurópodes Sínfilos

Número de antenas

Número de patas

Divisão do corpo

Presença de forcípulas

Tamanho (comprimento)

Cuidado parental

Estágio dos filhotes ao nascer

Alimentação

Ambientes preferenciais

Exemplos

2 Estabeleça a possível teia alimentar de organismos que deveriam existir na época em que apareceram
as primeiras florestas de plantas terrestres.

3 Leia o texto a seguir sobre escorpiões amarelos e em seguida responda as questões propostas.
Aparições de escorpiões amarelos preocupam vigilância de Blumenau
Aparições frequentes de escorpiões amarelos estão preocupando a Vigilância Epidemio-
lógica de Blumenau, município localizado no Vale do Itajaí. De acordo com a Vigilância, a
pessoa picada tem até uma hora e meia para procurar socorro, pois o veneno age com rapi-
dez no sistema nervoso central. Cerca de 100 animais da espécie venenosa já foram captura-
dos na cidade em menos de um ano.
Em Blumenau, existem duas espécies de escorpião. O escorpião preto, que não é vene-
noso e se capturado pode ser devolvido para o seu habitat, e o amarelo, de nome científico
Tityus serrulatus, que é venenoso. 

abril educação – sistemas de ensino 10 Ciências – 7o ano – Caderno 3


“A espécie provavelmente veio em algum caminhão de transporte, pois ele não é nativo
daqui, veio primeiro concentrado em um bairro. Agora sabemos que ele está presente tam-
bém no Bairro Ponte do Salto. Ele gosta muito de ficar dentro de casa, dentro dos calçados,
embaixo de algum móvel”, afirmou Ivonete dos Santos, diretora da Vigilância Epidemiológi-
ca de Blumenau.
O escorpião amarelo se reproduz rapidamente e em grande quantidade, de forma as-
sexuada. “Ele só vai produzir fêmeas e tem uma gestação de três meses. Em cada gestação
nascem de 20 a 30 escorpiões filhotes, todos já com veneno. A espécie se adaptou à nossa
cidade porque aqui encontrou calor, umidade e alimentos, como baratas”, relatou a bióloga
Beatriz Alves Garcia.
A Vigilância Epidemiológica trabalha em parceria com a Vigilância Sanitária para preve-
nir acidentes com os animais. Os órgãos solicitam que quem encontrar um escorpião entre
em contato para pedir a captura. “Fazemos captura noturna com uma luz especial que para-
lisa o escorpião através do calor”, completou Beatriz.
Até esta quinta-feira (24), nenhum caso de picada de escorpião amarelo foi registrado
em Blumenau. A espécie está controlada na cidade, porém não foi exterminada. Conforme a
Vigilância, faltam predadores naturais da espécie, como galinhas de angola, lagartos e aves
de rapina. “A pessoa picada tem que ir imediatamente no pronto-socorro, não adianta ir até
posto de saúde ou ambulatório, pois o soro é aplicado somente em ambiente hospitalar”,
concluiu a diretora da Vigilância Epidemiológica de Blumenau.
Globo G1 — 24/10/2013 — Disponível em: <http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2013/10/
aparicoes-de-escorpioes-amarelos-preocupam-vigilancia-de-blumenau.html>. Acessado em abr. 2015.

a) O escorpião amarelo, em Blumenau, pode ser considerado uma espécie exótica invasora? Justifique
sua resposta.
b) A reprodução assexuada que o texto relata para o escorpião amarelo chama-se partenogêne-
se. Nesse tipo de reprodução só são produzidas fêmeas. Essas fêmeas serão idênticas ou não?
Justifique sua resposta.
c) Quais seriam as melhores formas de prevenção de acidentes com os escorpiões amarelos em Blumenau?

Módulo 23

1 As briófitas e pteridófitas são os primeiros grupos de plantas que devem ter evoluído no ambiente
terrestre. Sobre elas, assinale a alternativa que for CORRETA:
a) Os vasos condutores de seiva de avencas, musgos e samambaias foram uma importante novidade
evolutiva nesses grupos, pois assim a água e os nutrientes podiam ser levados para todas as partes
do corpo.
b) As briófitas possuem rizoides que podem absorver água e sais do solo, além de serem importantes
para a fixação da planta no solo.
c) As pteridófitas possuem rizoides que podem absorver água e sais do solo.
d) As folhas e o caule das avencas, licopódios e samambaias são responsáveis pela produção do ali-
mento da planta.

2 Sobre as briófitas e pteridófitas pode-se afirmar que:


a) Os vasos condutores de seiva das pteridófitas representam uma aquisição evolutiva desse grupo,
pois através deles, elas podem realizar fotossíntese em suas folhas.

abril educação – sistemas de ensino 11 Ciências – 7o ano – Caderno 3


b) No ciclo de vida de briófitas e pteridófitas ocorre a fecundação feita pela união de gametas mas-
culinos e femininos.
c) As briófitas e pteridófitas produzem esporos em seu ciclo de vida e deles se formam plantinhas
masculinas e femininas independentes.
d) O alimento das briófitas é obtido a partir de seus rizoides e nas pteridófitas é obtido pelas suas raízes.

3 Imagine que nas plantas ancestrais das atuais pteridófitas os vasos condutores fossem uma caracterís-
tica que apareceu nesse grupo, mas sem a evolução em conjunto de uma estrutura mais espessa no
caule. Responda: o que provavelmente aconteceria com as plantas que evoluíssem desses ancestrais,
como elas seriam?

Módulo 24

1 Quais os fatores que devem ter contribuído para o sucesso evolutivo dos insetos alados?

2 Alguns cientistas sugerem que na época em que existia libélulas gigantes, já deveria haver outros orga-
nismos como baratas, gafanhotos e grilos. Com base em que eles podem fazer tal afirmação?

3 As abelhas possuem formas diferentes e nascem todas na mesma colmeia. Quando passam de ovos
para larvas, começam a se diferenciar em rainhas, zangões e operárias. Que hipótese você levantaria
para explicar o nascimento de animais tão diferentes a partir de uma mesma rainha?

4 O primeiro dos textos a seguir é ficcional: a famosa fábula da cigarra e da formiga. O segundo é um
trecho de um texto científico. Leia-os e responda as questões que seguem. Consulte o dicionário e
registre em seu caderno a significação das palavras desconhecidas.

A cigarra e as formigas
Num belo dia de inverno as formigas estavam tendo o maior trabalho para secar suas
reservas de trigo. Depois de uma chuvarada, os grãos tinham ficado completamente molha-
dos. De repente aparece uma cigarra:
— Por favor, formiguinhas, me deem um pouco de trigo! Estou com uma fome danada,
acho que vou morrer.
As formigas pararam de trabalhar, coisa que era contra os princípios delas, e perguntaram:
— Mas por quê? O que você fez durante o verão? Por acaso não se lembrou de guardar
comida para o inverno?
— Para falar a verdade, não tive tempo — respondeu a cigarra. — Passei o verão cantando!
— Bom... Se você passou o verão cantando, que tal passar o inverno dançando? — dis-
seram as formigas, e voltaram para o trabalho dando risada.
Fábula de La Fontaine.

Atarefado como uma abelha?


Mesmo as abelhas laboriosas ou as famosas formigas trabalhadeiras das fábulas de Eso-
po dedicam apenas 20 por cento de seu dia a tarefas como colher o néctar ou colocar a casa
em ordem. Fora isso, os insetos permanecem parados, como se houvessem perdido sua lista
de afazeres e, francamente, nem se importassem.
Natalie Angier. A beleza da fera – Novas formas de ver a natureza da vida. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

abril educação – sistemas de ensino 12 Ciências – 7o ano – Caderno 3


a) As formigas alimentam-se mesmo de trigo, tal como conta a fábula?
b) Em termos científicos, qual é a função do canto da cigarra? (Uma dica, são os machos que cantam).
c) Que moral você pode tirar da fábula da cigarra e da formiga?
d) Qual a metodologia que os cientistas tiveram que empregar para chegar às conclusões que apare-
cem no texto “Atarefado como uma abelha”?
e) Depois de ler e comparar as informações desses dois textos, fica claro que é um erro achar que as
formigas nunca param de trabalhar. Como você acha que foi criado esse “mito do trabalho incan-
sável” dos insetos sociais?

5 Alguns cientistas que estudam colônias de formigas costumam considerá-las um “superorganismo”,


por isso são encontradas sempre em grande número. Em relação ao que se estudou sobre as formigas,
como você explica o que é um “superorganismo” e como relaciona isso com o número imenso de
indivíduos?

abril educação – sistemas de ensino 13 Ciências – 7o ano – Caderno 3


abril educação – sistemas de ensino 14 Ciências – 7o ano – Caderno 3