Você está na página 1de 21

Prof. A.F.

Guimarães
Física 3 – Questões 7
Questão 1 Porém, como não há perdas por efeito Joule, a
equação (2.1), se torna:
A corrente que passa através de uma
associação de resistores conectados em série é ܲ௙ ൌ ߝ ή ݅
igual a 2 A. Liga-se, em série com este conjunto, (2.2)
um novo resistor cuja resistência vale Ͷȳ.
Verifica-se que a corrente que passa através dos A potência média relacionada ao trabalho do
resistores torna-se igual a 1,5 A. Encontre o valor motor é dada por:
inicial da resistência total, antes da introdução da
resistência de Ͷȳ. ܲ௠ ൌ ‫ ݌‬ή ‫ܲ ֜ ݒ‬௠ ൌ Ͷ ή ͳǡͷ ൌ ͸ܹ
Resolução: (2.3)
A intensidade de corrente (ou simplesmente
corrente) que passa através da associação será: Assim, utilizando (2.2) e (2.3), teremos:

ߝ ͳͲ݅ ൌ ͸ ‫ ݅ ׵‬ൌ Ͳǡ͸‫ܣ‬


݅ଵ ൌ ʹ ൌ
ܴ௘௤ (2.4)
(1.1)
b) Desprezando as perdas na resistência interna
Com a associação (em série) do resistor de Ͷȳ, a da bateria, podemos concluir que a d.d.p. nos
nova corrente do circuito será: terminais do motor vale:

ߝ ܸ௠ ൌ ͳͲǡͲܸ
݅ଶ ൌ ͳǡͷ ൌ
ܴ௘௤ ൅ Ͷ (2.5)
(1.2)
No entanto, se considerarmos a queda de tensão
Utilizando as equações (1.1) e (1.2), teremos: na resistência interna da bateria (porém
desprezando as perdas por efeito Joule), teremos
ʹܴ௘௤ para o motor uma d.d.p. dada por:
ͳǡͷ ൌ  ‫ܴ ׵‬௘௤ ൌ ͳʹȳ
ܴ௘௤ ൅ Ͷ
ܸԢ௠ ൌ ܸ௕ ൌ ߝ െ ‫ ݅ݎ‬ൌ ͳͲ െ ͳ ή Ͳǡ͸ ൌ ͻǡͶܸ
(1.3)
(2.6)

Questão 2 Questão 3
Considere os mesmos dados do problema
Uma bateria possui f.e.m. ߝ ൌ ͳͲǡͲܸ e
anterior. Suponha, no entanto, que exista perda de
resistência interna ‫ ݎ‬ൌ ͳȳ. A bateria está ligada a
potência por efeito Joule. (a) Escreva a equação
um motor que levanta um peso ‫ ݌‬ൌ Ͷܰ com
para o balanço da potência (conservação da
velocidade constante ‫ ݒ‬ൌ ͳǡͷ݉ ή ‫ି ݏ‬ଵ . Suponha que
potência). (b) Suponha que a potência dissipada
não haja perda de potência por efeito Joule. Ache
por efeito Joule na resistência interna da bateria e
(a) a corrente i no circuito, (b) a diferença de
na resistência interna do motor seja igual a 2 W;
potencial nos terminais do motor.
calcule a corrente que flui no circuito; determine,
Resolução:
também, para este caso, (c) a resistência interna
a) A potência fornecida pela bateria é dada por:
do motor, (d) a diferença de potencial nos
terminais do motor.
ܲ௙ ൌ ߝ ή ݅ െ ‫ ݎ‬ή ݅ ଶ
(2.1)
1
www.profafguimaraes.net
Resolução:
‫ݎ‬ଵ ‫ݎ‬ଶ ‫ڮ‬
ߝଵ ߝʹ ߝே ‫ܰݎ‬
a) A potência fornecida pela bateria é dada pela
expressão (2.1), a potência consumida pelo motor ܴଵ ܴʹ ܴ͵
‫ڮ‬ ܴܰ
será:
Figura 4.1

ܲ௠ ൌ ‫ ݌‬ή ‫ ݒ‬൅ ‫ݎ‬௠ ݅
(3.1) Utilizando a lei das malhas, teremos:

Assim, utilizando a conservação de potência, ߝଵ െ ‫ݎ‬ଵ ݅ ൅ ߝଶ െ ‫ݎ‬ଶ ݅ ൅ ‫ߝ ڮ‬ே െ ‫ݎ‬ே ݅ െ ሺܴଵ ൅ ܴଶ ൅ ‫ܴ ڮ‬ே ሻ݅ ൌ Ͳ
ߝଵ ൅ ߝଶ ൅ ‫ߝ ڮ‬ே െ ሺ‫ݎ‬ଵ ൅ ‫ݎ‬ଶ ൅ ‫ݎ ڮ‬ே ሻ݅ െ ሺܴଵ ൅ ܴଶ ൅ ‫ܴ ڮ‬ே ሻ݅ ൌ Ͳ
teremos:
σே ௜ୀଵ ߝ௜
‫݅׵‬ൌ ே
ܲ௙ ൌ ܲ௠  σ௜ୀଵ ‫ݎ‬௜ ൅ σே ௜ୀଵ ܴ௜
ଶ ଶ ଶ
ߝ݅ െ ‫ ݅ݎ‬ൌ ‫ ݒ݌‬െ ‫ݎ‬௠ ݅  ‫ ݅ߝ ׵‬ൌ ‫ݎ‬௧ ݅ ൅ ‫ݒ݌‬ (4.1)
(3.2)
Questão 5
Em que ‫ݎ‬௧ é a resistência equivalente da
associação da resistência da bateria com a (a) Mostre que a potência dissipada pelo efeito
resistência do motor. Joule na resistência R do circuito representado na
figura 5.1 é máxima quando R é igual à resistência
b) Utilizando o resultado de (3.2), teremos: interna r da bateria. (b) Mostre que o valor P
dessa potência máxima é dado por ܲ ൌ ߝ ଶ ΤͶ‫ݎ‬.
ͳͲ݅ ൌ ͸ ൅ ʹ ‫ ݅ ׵‬ൌ Ͳǡͺ‫ܣ‬ Resolução:
(3.3)
ߝ ‫ݎ‬
c) Utilizando o fato de que as potências dissipadas
pelas resistências internas juntas totalizam em ܴ
2W, teremos:
Figura 5.1
ሺ‫ ݎ‬൅ ‫ݎ‬௠ ሻ݅ ଶ ൌ ʹ
ʹ a) A potência fornecida pela bateria é dada pela
ͳ ൅ ‫ݎ‬௠ ൌ  ‫ݎ ׵‬௠ ൌ ʹǡͳʹͷȳ
Ͳǡͺଶ expressão (2.1). Para obtermos o ponto de
(3.4) máxima potência, efetuamos a derivada e
posteriormente determinaremos o ponto cuja
d) A d.d.p. nos terminais do motor é dada por: derivada se anula. Logo:

ܸ௠ ൌ ܸ௕ ൌ ߝ െ ‫ ݅ݎ‬ൌ ͳͲ െ ͳ ή Ͳǡͺ ൌ ͻǡʹܸ ݀ܲ௙


(3.5) ൌ ߝ െ ʹ‫݅ݎ‬
݀݅
݀ܲ௙ ߝ
ൌͲ֜݅ൌ
Questão 4 ݀݅ ʹ‫ݎ‬
(5.1)
Generalize a lei das malhas para um número N
qualquer de baterias e de resistores em série. A corrente no circuito é dada por:
Resolução: ߝ
݅ൌ
Seja o circuito de malha única representado na ܴ൅‫ݎ‬
(5.2)
figura a seguir.
Assim, utilizando o resultado de (5.1) em (5.2),
teremos:

2
www.profafguimaraes.net
ߝ ߝ ͳǡͷ ଶ
ൌ  ‫ ܴ ׵‬ൌ ‫ݎ‬ ‫ܧ‬஽ ൌ ܴ݅ ଶ ο‫ ݐ‬ൌ ʹ ή ൬ ൰ ή ͵Ͳ ؆ ͵Ͳǡ͸‫ܬ‬
ʹ‫ ܴ ݎ‬൅ ‫ݎ‬ ʹǡͳ
(5.3)
(6.4)
b) Agora, substituindo o resultado de (5.1) em
c) A energia dissipada no interior da bateria será:
(2.1), temos:
ͳǡͷ ଶ
ߝ ߝ ଶ ߳ଶ ‫ܧ‬ௗ ൌ ‫ ݅ݎ‬ଶ ο‫ ݐ‬ൌ Ͳǡͳ ή ൬ ൰ ή ͵Ͳ ൌ ͳǡͷ‫ܬ‬
ܲ௙ ൌ ߝ ቀ ቁ െ ‫ ݎ‬ቀ ቁ ‫ܲ ׵‬௙ ൌ ʹǡͳ
ʹ‫ݎ‬ ʹ‫ݎ‬ Ͷ‫ݎ‬
(5.4) (6.5)

Obs.: O resultado de (5.1), também pode ser d) Utilizando os resultados de (6.3), (6.4) e (6.5),
encontrado se analisarmos a equação do 2º grau teremos:
em um gráfico por exemplo.
͵ʹǡͳ ൌ ͵Ͳǡ͸ ൅ ͳǡͷ ‫ܧ ׵‬௚ ൌ ‫ܧ‬஽ ൅ ‫ܧ‬ௗ
(6.6)
Questão 6
Um fio de resistência igual a ʹǡͲȳ é ligada aos Questão 7
terminais de uma bateria de 1,5 V de f.e.m. e cuja
resistência interna vale ‫ ݎ‬ൌ Ͳǡͳȳ. Supondo a Introduz no circuito da figura 7.1 um
corrente constante, estimar, para um intervalo de amperímetro de ͲǡͲͷͲȳ de resistência. Qual será
tempo de 30 s, as seguintes grandezas: (a) a a variação percentual da corrente devida à
energia química fornecida pela bateria, (b) a presença do amperímetro?
energia dissipada por efeito Joule no fio, (c) a
energia dissipada por efeito Joule na bateria. (d)
Verifique a validade da lei de conservação da
ͳǡͲͲȳ ʹǡͲͲܸ ͶǡͲͲܸܸ ʹǡͲͲȳ
energia.
Resolução: ͷǡͲͲȳ
a) Previamente, vamos encontrar a corrente que
percorre o circuito: Figura 7.1

ߝ ͳǡͷ Resolução:
݅ൌ ֜݅ൌ ‫ܣ‬
ܴ൅‫ݎ‬ ʹǡͳ
(6.1) A intensidade de corrente neste circuito vale:

Utilizando o resultado de (6.1), teremos para a ͶǡͲͲ െ ʹǡͲͲ


݅ൌ ൌ ͲǡʹͷͲ‫ܣ‬
taxa de energia gerada (potência gerada) pela ͳǡͲͲ ൅ ʹǡͲͲ ൅ ͷǡͲͲ
bateria: (7.1)

ͳǡͷ Com a presença do amperímetro (obviamente


ܲ௚ ൌ ߝ݅ ֜ ܲ௚ ൌ ͳǡͷ ൬ ൰ ؆ ͳǡͲ͹ͳܹ ligado em série com a resistência de ͷȳ) a
ʹǡͳ
(6.2) corrente então:

ͶǡͲͲ െ ʹǡͲͲ
Logo, a energia química gerada pela bateria será: ݅ᇱ ൌ ൌ ͲǡʹͶͺ‫ܣ‬
ͳǡͲͲ ൅ ʹǡͲͲ ൅ ͷǡͲͲ ൅ ͲǡͲͷ
‫ܧ‬௚ ൌ ܲ௚ ο‫ ݐ‬ൌ ͳǡͲ͹ͳ ή ͵Ͳ ؆ ͵ʹǡͳ‫ܬ‬ (7.2)
(6.3)
Assim, a variação percentual será:
b) A energia dissipada no fio será:

3
www.profafguimaraes.net
ͲǡʹͷͲ െ ͲǡʹͶͺ maio número de percursos diferentes. Considere
ൌ ͲǡͲͲͺ ൌ ͲǡͺΨ
ͲǡʹͷͲ ߝଵ ൌ ͶǡͲܸǢߝଶ ൌ ͳǡͲܸǢܴଵ ൌ ܴଶ ൌ ͳͲȳܴ݁ଷ ൌ ͷȳ.
(7.3)

Questão 8 a b c
ߝଵ ߝଶ
O trecho do circuito AB da figura 8.1 absorve ܴଵ ݅ͳ ܴ͵ ݅͵ ݅ʹ ܴʹ
uma potência ܲ ൌ ͷͲǡͲܹ, sendo percorrido por
uma corrente ݅ ൌ ͳǡͲ‫ܣ‬, no sentido indicado. (a) d
Qual é a diferença de potencial A e B? (b) Se o
elemento C não tem resistência interna, qual é Figura 9.1
então a sua f.e.m.? (c) Qual a sua polaridade?
Resolução:
Previamente se faz necessário conhecer as
correntes que percorrem o referido circuito.
i C Assim, vamos aplicar as leis das Malhas e também
ߝǡ ‫ݎ‬ a lei dos nós. Utilizando a lei dos nós, teremos:
A ʹȳ B

Figura 8.1 ݅ଵ ൅ ݅ଷ ൌ ݅ଶ
(9.1)
Resolução:
a) A potência transferida ao circuito é dada por: Agora, utilizando a lei das malhas para a malha da
direita, percorrendo-a no sentido adba:
ܲ ൌ ܸ݅஺஻
(8.1) ߝଵ െ ݅ଵ ܴଵ ൅ ݅ଷ ܴଷ ൌ Ͳ
(9.2)
Assim, substituindo os valores fornecidos teremos
para a d.d.p. entre A e B: E para a malha da esquerda, sentido cbdc:

ͷͲ ൌ ͳ ή ܸ஺஻ ‫ܸ ׵‬஺஻ ൌ ͷͲܸ െߝଶ െ ݅ଷ ܴଷ െ ݅ଶ ܴଶ ൌ Ͳ


(8.2) (9.3)

b) A d.d.p. total é dada por: Substituindo os valores nas equações (9.2) e (9.3)
e também utilizando (9.1), teremos o seguinte
ܸ஺஻ ൌ ܸோ ൅ ߝ஼ sistema:
(8.3)
ͷ݅ଶ െ ͳͷ݅ଵ ൌ െͶ

ͳͷ݅ଶ െ ͷ݅ଵ ൌ െͳ
Com o resultado de (8.2), teremos:
(9.4)
ͷͲ ൌ ʹ ή ͳ ൅ ߝ஼ ‫ߝ ׵‬஼ ൌ Ͷͺܸ
Resolvendo (9.4), teremos:
(8.4)
ͳͳ ͳ
c) A polaridade de B é negativa. ݅ଵ ൌ ‫ܣ‬Ǣ݅ଶ ൌ ‫ܣ‬
ͶͲ Ͷ
(9.5)
Questão 9
Substituindo os resultados de (9.5) em (9.1),
Calcule a diferença de potencial entre os pontos c teremos:
e d do circuito da figura 9.1, utilizando para isso o

4
www.profafguimaraes.net
ͳ ͳ ͳ
݅ଷ ൌ െ ‫ܣ‬ ܲ௣ ൌ ܸ ଶ ൬ ൅ ൰
Ͷ ܴଵ ܴଶ
(9.6) (10.3)

O sinal negativo em (9.6), indica que a corrente De acordo com a questão, temos a seguinte
está invertida. Agora, podemos determinar a d.d.p. relação entre as potências:
entre os pontos c e d. O primeiro percurso
fornece: ܲ௣ ൌ ݊ܲ௦
(10.4)
ܸ௖ ൅ ݅ଶ ܴଶ ൌ ܸௗ ֜ ܸ௖ െ ܸௗ ൌ െͲǡʹͷܸ
(9.7) Utilizando (10.1), (10.2) e (10.3) em (10.4),
teremos:
O segundo percurso:
ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻଶ
ͷ ൌ ݊
ܸ௖ െ ߝଶ ൅ ݅ଷ ܴଷ ൌ ܸௗ ֜ ܸ௖ െ ܸௗ ൌ ͳ െ ൌ െͲǡʹͷܸ ܴଵ ܴଶ
Ͷ ܴଶଶ ൅ ሺʹ െ ݊ሻܴଵ ܴଶ ൅ ܴଵଶ ൌ Ͳ
(9.8)
(10.5)
O terceiro percurso:
A equação final de (10.5), pode ser resolvida pela
ͳͳ fórmula de Bhaskara. Assim, temos:
ܸ௖ െ ߝଶ ൅ ߝଵ െ ݅ଵ ܴଵ ൌ ܸௗ ֜ ܸ௖ െ ܸௗ ൌ െ͵ ൅
Ͷ
ൌ െͲǡʹͷܸ െሺʹ െ ݊ሻܴଵ േ ඥሺʹ െ ݊ሻଶ ܴଵଶ െ Ͷܴଵଶ
ܴଶ ൌ
(9.9) ʹ
െሺʹ െ ݊ሻ േ ξ݊ଶ െ Ͷ݊
‫ܴ ׵‬ଶ ൌ ቈ ቉ ܴଵ
Questão 10 ʹ
(10.6)
A potência dissipada por duas resistências
ligadas em série é n vezes menor do que a Em que ݊ ൐ Ͷ.
potência dissipada pelas mesmas resistências
quando elas são ligadas em paralelo (com a Questão 11
mesma fonte). Conhecendo-se uma das
resistências ሺܴଵ ሻ obtenha uma equação para aUm fio de cobre maciço possui raio
determinação da outra resistência ሺܴଶ ሻ. Despreze
ܽ ൌ ͲǡʹͲ݉݉. Este fio é encapado por uma
a resistência interna da fonte. camada cilíndrica de alumínio de raio externo
Resolução: ܾ ൌ Ͳǡ͵ͷ݉݉. Na seção reta deste fio composto
Para a associação em série, a tensão elétrica é
passa uma corrente ݅ ൌ ʹǡͷ‫ܣ‬. O fio é ligado a uma
dada por: fonte cuja tensão de saída é constante e igual a V.
Determine: (a) a expressão das correntes que
݅ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻ ൌ ܸ passam na seção reta de cada metal, (b) os valores
(10.1) de ݅ଵ e ݅ଶ , (c) o valor de V supondo que o
comprimento total do fio seja igual 400 m e que as
E a potência dissipada: correntes sejam aquelas calculadas no item
anterior, (d) a resistência equivalente e a
ܲ௦ ൌ ݅ ଶ ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻ resistência de cada metal nas condições do item
(10.2) (c).
Resolução:
Para a associação em paralelo, a potência a) Tanto o fio de cobre como a capa cilíndrica de
dissipada vale: alumínio, formam uma associação em paralelo de
resistores. Assim, teremos:
5
www.profafguimaraes.net
ܸ ܸ c) Vamos determinar pelo menos uma das
݅஼௨ ൌ ݁݅஺௟ ൌ
ܴ஼௨ ܴ஺௟ resistências. Por exemplo, a resistência do fio de
(11.1) cobre. Logo, de (11.2):

b) Previamente, determinaremos as resistências ߩ஼௨ ݈


ܴ஼௨ ൌ 
do fio de cobre e da capa de alumínio. Assim, ߨܽଶ
teremos: ͳǡ͹ ή ͳͲି଼ ή ͶͲͲ
ܴ஼௨ ൌ ‫ܴ ׵‬஼௨ ؆ ͷ͵ǡͻ͹ȳ
͵ǡͳͶ ή ሺͲǡʹ ή ͳͲିଷ ሻଶ
ߩ஼௨ ݈ ߩ஺௟ ݈ (11.8)
ܴ஼௨ ൌ ܴ݁஺௟ ൌ
‫ܣ‬஼௨ ‫ܣ‬஺௟
(11.2) Logo, utilizando os resultados de (11.7) e (11.8), a
d.d.p. para o fio de cobre será:
Como se trata de uma associação em paralelo,
temos: ܸ ൌ ͷ͵ǡͻ͹ ή ͳǡͳͳ ؆ ͷͻǡͻܸ
(11.9)
݅஼௨ ܴ஼௨ ൌ ݅஺௟ ܴ஺௟
(11.3) d) A resistência do cilindro de alumínio pode ser
obtida por meio de (11.2) ou como se segue:
E, além disso, ainda temos:
ܸ
ܴ஺௟ ൌ
݅஼௨ ൅ ݅஺௟ ൌ ʹǡͷ ݅஺௟
(11.4) (11.10)

As resistividades são respectivamente: Como os resultados de (11.6) e (11.9), teremos


ߩ஼௨ ൌ ͳǡ͹ ή ͳͲ ȳ ή ݉ e ߩ஺௟ ൌ ʹǡͺ ή ͳͲି଼ ȳ ή ݉. para (11.10):
ି଼

Assim, utilizando os valores das resistividades, os


respectivos raios juntamente com (11.2), então ܴ஺௟ ؆ Ͷ͵ǡͳȳ
(11.3) se torna: (11.11)

݅஼௨ ή ͳǡ͹ ݅஺௟ ή ʹǡͺ A resistência equivalente será:



ൌ 
Ͳǡʹ Ͳǡ͵ͷଶ െ Ͳǡʹଶ
͵͵ǡͻ ܴ஼௨ ή ܴ஺௟
‫݅ ׵‬஼௨ ൌ ή݅ ܴ௘௤ ൌ
Ͷʹǡͷ ஺௟ ܴ஼௨ ൅ ܴ஺௟
(11.5) ‫ܴ ׵‬௘௤ ؆ ʹͶȳ
(11.12)
Utilizando o resultado de (11.5) em (11.4),
teremos: Questão 12
͵͵ǡͶ ൅ Ͷʹǡͷ
൬ ൰ ݅஺௟ ൌ ʹǡͷ ‫݅ ׵‬஺௟ ൌ ͳǡ͵ͻ‫ܣ‬
Usando somente dois resistores,
Ͷʹǡͷ separadamente, em série ou em paralelo,
(11.6) desejamos obter resistências de 3, 4, 12 e 16 Ω.
Que valores devem ter as resistências desses dois
Utilizando o resultado de (11.6) em (11.5), resistores?
teremos: Resolução:
݅஼௨ ൌ ͳǡͳͳ‫ܣ‬ Quando dois resistores são associados, para
(11.7) obter o maio valor da resistência equivalente os
resistores devem estar associados em série. Logo:

6
www.profafguimaraes.net
‫ݎ‬ଵ ൅ ‫ݎ‬ଶ ൌ ͳ͸ Resolução:
(12.1) a) Para calcular a potência em cada resistor,
devemos conhecer previamente as intensidades
Para se obter um valor para a resistência de correntes para cada resistor. Assim,
equivalente menor do que o menor valor das utilizaremos as leis de Kirchhoff. Da lei dos nós,
resistências associadas, deve-se efetuar uma temos:
associação em parelo. Logo:
݅ଵ ൌ ݅ଶ ൅ ݅ଷ
‫ݎ‬ଵ ή ‫ݎ‬ଶ (13.1)
ൌ͵
‫ݎ‬ଵ ൅ ‫ݎ‬ଶ
(12.2) Da lei das malhas:
Malha da esquerda
Utilizando (12.1) em (12.2), teremos:
ߝଵ െ ݅ଷ ܴଷ െ ݅ଵ ܴଵ ൌ Ͳ
‫ݎ‬ଵ ή ‫ݎ‬ଶ ൌ Ͷͺ (13.2)
(12.3)
Malha da direita
Agora é achar dois números que somados
resultam em 16 e multiplicados resultam em 48. ߝଶ െ ݅ଶ ܴଶ െ ݅ଵ ܴଵ ൌ Ͳ
Os canditados são 12 e 4. Mas podemos encontrar (13.3)
uma equação para isso. Utilizando (12.1) em
(12.3), teremos: Substituindo os dados numéricos nas equações
(13.2) e (13.3), teremos respectivamente:
‫ݎ‬ଶ ሺͳ͸ െ ‫ݎ‬ଶ ሻ ൌ Ͷͺ
െ‫ݎ‬ଶଶ ൅ ͳ͸‫ݎ‬ଶ െ Ͷͺ ൌ Ͳ Ͷ݅ଶ ൅ ͳͲ݅ଷ ൌ ͳͲ
(12.4) (13.4)

Agora é só resolver com auxílio da fórmula de ͷͲ


݅ଵ ൅ ݅ଶ ൌ
Bhaskara. Ͷ
(13.5)
Questão 13
Utilizando (13.1) em (13.4) e (13.5), teremos o
Tome como referência a figura 13.1. Considere seguinte sistema de equações:
os valores: ߝଶ ൌ ͷߝଵ ǡ ܴଵ ൌ ܴଶ ൌ Ͷȳǡ ܴଷ ൌ ͸ȳǡ
Ͷ݅ଶ ൅ ͳͲ݅ଷ ൌ ͳͲ
ߝଵ ൌ ͳͲܸ. Calcule: (a) a potência consumida em
cada resistor, (b) a potência total consumida no ൝ ͷͲ
ʹ݅ଶ ൅ ݅ଷ ൌ
circuito, (c) a potência total fornecida ao circuito. Ͷ
(d) Verifique qual das duas baterias fornece e qual (13.6)
das duas consome energia; verifique se existe
conservação da potência total. Temos como soluções de (13.6):

ʹ͵Ͳ െͳͷ
݅ଶ ൌ ‫ܣ‬Ǣ݅ଷ ൌ ‫ܣ‬
ܴଷ ܴʹ ͵ʹ ͺ
(13.7)
݅ଷ ݅ଶ
ߝଵ ܴଵ ݅ଵ ߝଶ
De (13.1) teremos:

ͳ͹Ͳ
Figura 13.1 ݅ଵ ൌ ‫ܣ‬
͵ʹ
(13.8)

7
www.profafguimaraes.net
Assim, a potência em cada resistor será: vamos recorrer às leis de Kirchhoff. Da lei dos nós
teremos:
ܲଵ ൌ ܴଵ ݅ଵଶ ؆ ͳͳʹǡͺͻܹ
ܲଶ ൌ ܴଶ ݅ଶଶ ؆ ʹͲ͸ǡ͸Ͷܹ ݅ଶ ൌ ݅ଵ ൅ ݅ଷ
ܲଷ ൌ ܴଷ ݅ଷଶ ؆ ʹͳǡͳͲܹ (14.1)
(13.9)
Da lei das malhas:
b) A bateria 1 recebe energia, pois a corrente 3
está invertida. A potência da bateria 1 vale: · Malha maior

ܲ௕ଵ ൌ ߝଵ ݅ଷ ؆ ͳͺǡ͹ͷܹ ߝଵ െ ߝଶ െ ߝଷ െ ݅ଶ ܴଶ ൌ Ͳ
(13.10) (14.2)

Assim, juntando os resultados de (13.9) e (13.10), · Malha menor


temos para a potência total consumida:
ߝଶ െ ݅ଵ ܴଵ ൌ Ͳ
ܲ௧௖ ؆ ͵ͷͻǡ͵ͺܹ (14.3)
(13.11)
Substituindo os dados numéricos em (14.2) e
c) Então, a bateria 2 fornece energia para o (14.3), teremos:
circuito, a uma taxa dada por:
݅ଵ ൌ ͵‫ܣ‬ǡ ݅ଶ ൌ െ͹‫݅݁ܣ‬ଷ ൌ െͳͲ‫ܣ‬
ܲ௙ ൌ ߝଶ ݅ଶ ؆ ͵ͷͻǡ͵ͺܹ (14.4)
(13.12)
Como as correntes 2 e 3 estão invertidas, então as
d) Vide itens “b” e “c”. baterias 2 e 3 fornecem energias e a bateria 1
consome. Assim, teremos:
Questão 14 ܲ௕ଵ ൌ ߝଵ ݅ଶ ൌ ʹͺܹ
ܲ௕ଶ ൌ ߝଶ ݅ଷ ൌ ͸Ͳܹ
Considere os seguintes valores na figura 14.1. ܲ௕ଷ ൌ ߝଷ ݅ଶ ൌ ͺͶܹ
ܴଵ ൌ ܴଶ ൌ ʹȳǡ ߝଵ ൌ Ͷܸǡ ߝଶ ൌ ͸ܸǡ ߝଷ ൌ ͳʹܸ. (a) (14.5)
Calcule o valor da potência de cada bateria,
indicando se a bateria fornece ou se consome b) As potências dissipadas:
energia. (b) Ache a potência dissipada por efeito
Joule em cada resistor. (c) Verifique se existe ܲଵ ൌ ܴଵ ݅ଵଶ ൌ ͳͺܹ
conservação da potência total. ܲ ൌ ܴ ݅ ଶ ൌ ͻͺܹ
ଶ ଶ ଶ
(14.6)
ߝଵ
݅ʹ c) Para conferir se houve conservação da
݅͵ ܴʹ potência, tomamos a soma das potências
fornecidas e das potências consumidas:
݅ଵ ߝʹ ߝ͵
͸Ͳ ൅ ͺͶ ൌ ʹͺ ൅ ͳͺ ൅ ͻͺ ֜ ܲ௙ ൌ ܲ௖
ܴଵ
(14.7)
Figura 14.1

Resolução: Questão 15
a) Vamos previamente determinar os valores das
intensidades das correntes do circuito. E para isso Um amperímetro é introduzido no ramo do
circuito da figura 15.1 que contém o resistor ܴଷ .
8
www.profafguimaraes.net
(a) Qual o valor indicado pelo aparelho se ܸଶǡଷ
݅஺ ൌ ؆ Ͳǡ͹͵‫ܣ‬
ߝ ൌ ͺǡͲܸǡ ܴଵ ൌ ʹǡͲȳǡ ܴଶ ൌ ͶǡͲȳ‡ܴଷ ൌ ͸ǡͲȳ? (b) ܴଷ
Suponha, agora que trocamos de posição o (15.5)
amperímetro e a fonte de f.e.m., de modo que o
primeiro passa a ocupar o lugar do segundo e b) Trocando a posição do amperímetro com a
vice-versa. Mostre que o amperímetro ainda posição da fonte, os resistores ܴଵ ܴ݁ଶ estarão
marca o mesmo valor da corrente. Esta relação de associados em paralelo. A resistência equivalente
reciprocidade é válida para qualquer circuito que para essa associação será:
contenha uma única fonte de f.e.m.
ܴଵ ܴଶ
ܴ௘௤ଵǡଶ ൌ ؆ ͳǡ͵͵ȳ
ܴଵ ൅ ܴଶ
A (15.6)
ߝ ܴʹ
ܴଷ
ܴଵ O resistor ܴଷ está associado em série com ܴ௘௤ଵǡଶ.
Assim, a resistência equivalente do circuito será:
Figura 15.1
ܴ௘௤ ൌ ܴଷ ൅ ܴ௘௤ଵǡଶ ൌ ͹ǡ͵͵ȳ
Resolução: (15.7)
a) Previamente vamos determinar a corrente do
circuito. Para isso, vamos determinar a resistência A corrente do circuito será:
equivalente do circuito. Os resistores ܴଶ ܴ݁ଷ
estão associados em paralelo (considerando que o ߝ
amperímetro é ideal, ܴ஺ ൌ Ͳ). Assim, para essa ݅ൌ ؆ ͳǡͲͻ‫ܣ‬
ܴ௘௤
associação teremos: (15.8)
ܴଶ ܴଷ
ܴ௘௤ଶǡଷ ൌ ൌ ʹǡͶȳ Em que ܴ௘௤ é dado por (15.7). A d.d.p. para a
ܴଶ ൅ ܴଷ associação dos resistores ܴଵ ܴ݁ଶ , será:
(15.1)
ܸଵǡଶ ൌ ܴ௘௤ଵǡଶ ݅ ؆ ͳǡͶͷܸ
O resistor ܴଵ está associado em série com ܴ௘௤ଶǡଷ.
(15.9)
Assim, para o circuito a resistência equivalente
será: Logo, a corrente no amperímetro será:
ܴ௘௤ ൌ ܴଵ ൅ ܴ௘௤ଶǡଷ ൌ ͶǡͶȳ ܸଵǡଶ
(15.2) ݅஺ ൌ ؆ Ͳǡ͹͵‫ܣ‬
ܴଵ
(15.10)
A corrente na bateria vale então:

ߝ Questão 16
݅ൌ ؆ ͳǡͺʹ‫ܣ‬
ܴ௘௤
(15.3) A Ponte de Wheatstone. A resistência variável
da figura 16.1 pode ser ajustada de modo que os
A d.d.p. para a associação dos resistores ܴଶ ܴ݁ଷ pontos a e b tenham exatamente o mesmo
vale: potencial. (Verifique essa situação ligando
momentaneamente um medidor sensível entre os
ܸଶǡଷ ൌ ܴ௘௤ଶǡଷ ݅ ؆ ͶǡͶܸ pontos a e b. Não havendo diferença de potencial,
(15.4) não haverá deslocamento no ponteiro do
medidor.) Mostre que, após essa ajustagem, a
Assim, a corrente no amperímetro será: seguinte relação torna-se verdadeira

9
www.profafguimaraes.net

ܴ௫ ൌ ܴ௦ ோమ. ܴଶ ή ݅ଵ ൌ ܴ௫ ή ݅ଶ

(16.6)
A resistência ሺܴ௫ ሻ de um resistor pode ser medida
De (16.3) e (16.6), teremos:
por este processo (chamado de Ponte de
Wheatstone), em função das resistências ܴ௫ ܴଶ ܴଶ
ሺܴଵ ǡ ܴଶ ܴ݁௦ ሻ de outros resistores calibrados ൌ  ‫ܴ ׵‬௫ ൌ ܴ௦
ܴ௦ ܴଵ ܴଵ
anteriormente.
(16.7)

a Questão 17
ܴଵ ܴʹ

x Mostre que se os pontos a e b da figura 16.1


y
forem ligados por um fio de resistência r, este será
ܴ‫ݏ‬ ܴ௫
percorrido por uma corrente igual a
b
ఌሺோ ିோೣ ሻ
݅ ൌ ሺோାଶ௥ሻሺோ ೞ ,
ೞ ାோೣ ሻାଶோೞ ோೣ
ܴͲ ߝ

onde fizemos ܴ௦ ൌ ܴ௫ ൌ ܴǡ ܴ଴ ൌ Ͳ e ߝ é o valor da


Figura 16.1
f.e.m. da bateria.
Resolução:
Resolução:
A d.d.p. entre x e a é dada por:
a
ܸ௫ െ ܸ௔ ൌ ܴଵ ή ݅ଵ ܴଵ ܴʹ
(16.1) ݅ଵ
x ݅ଶ ‫݅ ݎ‬ y
A d.d.p. entre x e b é dada por: ݅௫
ܴ‫ݏ‬ ܴ௫
ܸ௫ െ ܸ௕ ൌ ܴ௦ ή ݅ଶ b
(16.2)
ܴͲ ߝ
Supondo que ܸ௔௕ ൌ Ͳ, temos:
Figura 17.1
ܸ௫ െ ܸ௔ ൌ ܸ௫ െ ܸ௕ 
Aplicando a lei das malhas no circuito da figura
‫ܴ ׵‬ଵ ή ݅ଵ ൌ  ܴ௦ ή ݅ଶ
17.1, teremos:
(16.3)
Malha xbyx:
De forma semelhante teremos:
ߝ െ ݅ଶ ܴ௦ െ ሺ݅ଶ ൅ ݅ሻܴ௫ ൌ Ͳ
ܸ௔ െ ܸ௬ ൌ ܴଶ ή ݅ଵ
(17.1)
(16.4)
Malha xabx:
E
െ݅ଵ ܴଵ െ ݅‫ ݎ‬൅ ݅ଶ ܴ௦ ൌ Ͳ
ܸ௕ െ ܸ௬ ൌ ܴ௫ ή ݅ଶ (17.2)
(16.5)
Malha ayba:
Como ܸ௔௕ ൌ Ͳ:

10
www.profafguimaraes.net
െሺ݅ଵ െ ݅ሻܴଶ ൅ ሺ݅ଶ ൅ ݅ሻܴ௫ ൅ ݅‫ ݎ‬ൌ Ͳ ߝ ൅ ܴ݅ଶ
݅ଵ ൌ
(17.3) ܴଵ ൅ ܴଶ
(18.2)
Malha xayx:
Em que ܴ௦ ൌ ܴଷ e ܴ௫ ൌ ܴସ . Assim, a expressão
ߝ െ ݅ଵ ܴଵ െ ሺ݅ଵ െ ݅ሻܴଶ ൌ Ͳ (17.8) toma a seguinte forma:
(17.4)
ߝሺܴଶ ܴଷ െ ܴସ ܴଵ ሻ
݅ൌ
Da equação (17.1), temos: ܴଵ ܴଶ ሺܴଷ ൅ ܴସ ሻ ൅ ‫ݎ‬ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻሺܴଷ ൅ ܴସ ሻ ൅ ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻܴଷ ܴସ
(18.3)
ߝ െ ܴ݅௫
݅ଶ ൌ Desta forma, podemos obter a corrente total do
ܴ௦ ൅ ܴ௫
(17.5) circuito ሺ݅௫ ሻ:

E da equação (17.4): ݅௫ ൌ ݅ଵ ൅ ݅ଶ
(18.4)
ߝ ൅ ܴ݅
݅ଵ ൌ Chamamos de resistência equivalente, aquela que
ʹܴ
(17.6) ao ser conectada a bateria a mesma corrente total
se estabelece no circuito:
Em que ܴଵ ൌ ܴଶ ൌ ܴ. Agora, utilizando (17.5) e
(17.6) em (17.2), teremos: ߝ
ܴ௘௤ ൌ
݅௫
ߝ ൅ ܴ݅ ߝ െ ܴ݅௫ (18.5)
െ൤ ൨ ܴ െ ݅‫ ݎ‬൅ ൤ ൨ܴ ൌ Ͳ
ʹܴ ܴ௦ ൅ ܴ௫ ௦
(17.7) Assim, utilizando (18.1), (18.2), (18.3) e (18.4) em
(18.5), teremos:
Após algumas manipulações algébricas teremos:
ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻሺܴଷ ൅ ܴସ ሻ
ܴ௘௤ ൌ
ߝሺܴ௦ െ ܴ௫ ሻ ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻሺͳ െ ‫ܴܣ‬ସ ሻ ൅ ሺܴଷ ൅ ܴସ ሻሺͳ ൅ ‫ܴܣ‬ଶ ሻ
݅ൌ (18.6)
ሺܴ ൅ ʹ‫ݎ‬ሻሺܴ௦ ൅ ܴ௫ ሻ ൅ ʹܴ௦ ܴ௫
(17.8)
Em que

Questão 18 ሺܴଶ ܴଷ െ ܴଵ ܴସ ሻ
‫ܣ‬ൌ
ܴଵ ܴଶ ሺܴଷ ൅ ܴସ ሻ ൅ ‫ݎ‬ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻሺܴଷ ൅ ܴସ ሻ ൅ ܴଷ ܴସ ሺܴଵ ൅ ܴଶ ሻ
Considere a questão 17. Suponha que todas as (18.7)
cinco resistências sejam desiguais. Considere
ܴ଴ ൌ Ͳ e calcule a resistência equivalente entre os Questão 19
pontos x e y da figura 17.1.
Resolução: Medida da resistência. Um voltímetro
Vamos aproveitar as equações da questão anterior (resistência interna ܴ ) e um amperímetro

sendo que os resultados (17.5) e (17.6) serão (resistência interna ܴ ) são ligados a um resistor a

dados respectivamente por: fim de medir o valor R da sua resistência como
mostra a figura 19.1. O valor da resistência é
ߝ െ ܴ݅ସ
݅ଶ ൌ obtido de ܴ ൌ ܸ Τ݅ , onde V é dado pela leitura do
ܴଷ ൅ ܴସ voltímetro e i é o valor da corrente que atravessa
(18.1) o resistor R. Uma fração da corrente i’ registrada
pelo amperímetro passa através do voltímetro, de
E modo que o quociente ܸ Τ݅Ԣ entre as leituras dá

11
www.profafguimaraes.net
apenas um valor aparente R’ para a resistência. Questão 20
Mostre que R e R’ estão relacionados por
Medida da resistência. Numa medida de
ͳ ͳ ͳ
ൌ െ resistência, o amperímetro e o voltímetro também
ܴ ܴԢ ܴ௏ podem ser ligados na forma indicada pela figura
20.1. Aqui, novamente, o quociente entre as
Note-se que se ܴ௏ ‫ܴ ب‬, então ܴ ؆ ܴԢ. leituras dos instrumentos dá apenas o valor de R’
da resistência. Mostre que, agora,

ܴ ൌ ܴ ᇱ െ ܴ஺
A
ߝ
ܴ V Onde ܴ஺ é a resistência do amperímetro. Note-se
que temos, outra vez, ܴ ؆ ܴԢ, quando ܴ஺ ‫ܴ ا‬.

Figura 19.1

Resolução: A
ߝ V
ܴ
A corrente que percorre o amperímetro é dada
por:
Figura 20.1
݅஺ ൌ ݅ோ ൅ ݅௏
(19.1) Resolução:

Em que ݅ோ é a corrente que atravessa o resistor e A d.d.p. medida pelo voltímetro é dada por:
݅௏ é a corrente que atravessa o voltímetro. O
resistor e o voltímetro estão associados em ܸ ൌ ܸோ ൅ ܸ஺
paralelo, portanto, estão sob a mesma d.d.p., a (20.1)
saber, V. Assim, definimos a resistência R’ por:
Em que ܸோ é a d.d.p. no resistor, dada por:
ܸ
ൌ ܴԢ
݅஺ ܸோ ൌ ݅஺ ܴ
(19.2) (20.2)

No entanto, a resistência R deve ser dada por: A d.d.p. no amperímetro, ܸ஺ é dada por:

ܸ ܸ஺ ൌ ݅஺ ܴ஺
ൌܴ
݅ோ (20.3)
(19.3)
A resistência R’ é definida de acordo com (19.2).
Substituindo (19.2) e (19.3) em (19.1), teremos: Assim, substituindo (19.2), (20.2) e (20.3) em
(20.1), teremos:
ܸ ܸ ܸ
ൌ ൅ 
ܴ ᇱ ܴ ܴ௏ ݅஺ ܴ ᇱ ൌ ݅஺ ܴ஺ ൅ ݅஺ ܴ
ͳ ͳ ͳ ‫ ܴ ׵‬ൌ ܴ ᇱ െ ܴ஺
‫ ׵‬ൌ െ
ܴ ܴԢ ܴ௏ (20.4)
(19.4)

Em que ݅௏ ൌ ோ .

12
www.profafguimaraes.net

Questão 21 ‫ݍ‬ሺ‫ݐ‬ሻ ൌ ‫ݍ‬଴ ݁ ିோ஼
(22.1)
Um resistor de ʹͲ݇ȳ e um capacitor estão
ligados em série, sendo-lhes subitamente aplicado A expressão da energia armazenada no capacitor é
um potencial de 12 V. Sabendo-se que o potencial dada por:
através do capacitor sobe a 5 V em ͳǡͲߤ‫ݏ‬, qual é a
capacitância do capacitor? ‫ݍ‬ଶ
Resolução: ܷൌ
ʹ‫ܥ‬
Com a solução da equação diferencial (veja, por (22.2)
exemplo, Física III – Sears e Zemansky 10ª
edição), temos para a d.d.p. nos terminais do Assim, utilizando (22.2) em (22.1), teremos:
capacitor:
ଶ௧
௧ ܷ ൌ ܷ଴ ݁ ିோ஼
ܸ ൌ ߝ ൬ͳ െ ݁ ିோ஼ ൰ (22.3)
(21.1)
௤మ
Em que ܷ଴ ൌ ଶ஼బ .
Substituindo os dados teremos:
Assim, tomando o limite de (22.3), quando o
ଵ଴షల
ି tempo tende ao infinito, teremos:
ͷ ൌ ͳʹ ቆͳ െ ݁ ோ஼ ቇ

ଵ଴షల ଶ௧
݁ ି ோ஼ ൌ Ͳǡͷͺ Ž‹ ܷ ൌ ܷ଴ Ž‹ ݁ ିோ஼ ൌ Ͳ
௧՜ஶ ௧՜ஶ
ͳͲି଺ (22.4)
െ Ž ݁ ൌ Ž Ͳǡͷͺ
ܴ‫ܥ‬
ͳͲି଺ ൌ ͲǡͷͶ ή ʹͲ ή ͳͲଷ ‫ ܥ ׵ ܥ‬؆ ͻǡ͵ ή ͳͲିଵଵ ‫ܨ‬ A energia cedida pelo capacitor foi aproveitada
(21.2) pelo resistor em seu próprio aquecimento.
Podemos também encontrar a potência dissipada
Questão 22 pelo resistor. De (22.1), teremos para a corrente
no resistor:
Tome como referência a figura 22.1. Suponha
que o capacitor esteja carregado com uma carga ݀‫ݍ‬ ‫ݍ‬଴ ି ௧
݅ൌ ൌെ ݁ ோ஼
máxima ‫ݍ‬଴ ; no instante t = 0 a chave S é movida do ݀‫ݐ‬ ܴ‫ܥ‬
terminal a para o terminal b. Mostre que toda (22.5)
energia elétrica inicial ܷ଴ é transformada em calor
por efeito Joule. Utilizando (22.5), teremos para a potência
dissipada:
a ܴ

‫ݍ‬଴ଶ ି ଶ௧ ʹ
ܲ ൌ ܴ݅ ൌ ݁ ோ஼ ൌ ܷ
b ܴ‫ ܥ‬ଶ ܴ‫ܥ‬
ߝ (22.6)
‫ܥ‬

Tomando o limite de (22.6), utilizando (22.4),


Figura 22.1 teremos:

Resolução: ʹ
Ž‹ ܲ ൌ Ž‹ ܷ ൌ Ͳ
௧՜ஶ ܴ‫ ܥ‬௧՜ஶ
Na descarga do capacitor, a expressão da carga (22.7)
armazenada nele é dada por:

13
www.profafguimaraes.net
Questão 23 E desta forma, a corrente fornecida pela bateria
será:
Sejam ݅ଵ ǡ ݅ଶ ǡ ݅ଷ ǡ ܸଵ ǡ ܸଶ ‡ܸଷ, respectivamente, as ߝ
correntes e diferenças de potencial através dos ‫ܫ‬Ԣଵ ൌ
resistores ܴଵ ǡ ܴଶ ‡ܴଷ do circuito da figura 23.1. ܴԢ௘௤
Seja também ܸ஼ a diferença de potencia entre as (23.4)
placas do capacitor C. (a) Faça um gráfico que
descreva, qualitativamente, a dependência com o Em que ‫ܫ‬ଵ ൐ ‫ܫ‬Ԣଵ. Logo, teremos para os gráficos do
tempo das grandezas acima, a partir do momento resistor 1:
em que é ligada a chave S. (b) Depois de
permanecer ligada durante várias constantes de
݅ଵ
tempo, a chave S é desligada. Faça um novo gráfico
qualitativo da variação com o tempo das mesmas ‫ܫ‬ଵ
grandezas, a partir do momento em que S é
desligada. ‫ܫ‬Ԣଵ

S
ܴଵ ܴ͵ Ͳ ‫ݐ‬
ߝ
ܴʹ ‫ܥ‬

ܸଵ
Figura 23.1
ܴଵ ‫ܫ‬ଵ
Resolução:
a) Imediatamente após a ligação, podemos ܴଵ ‫ܫ‬Ԣଵ
considerar o capacitor como um condutor comum.
Assim, teremos uma resistência equivalente dada
por:
Ͳ ‫ݐ‬
ܴଶ ܴଷ
ܴ௘௤ ൌ ܴଵ ൅
ܴଶ ൅ ܴଷ
(23.1)
Para o resistor 2, imediatamente após a ligação,
Com isso, a corrente fornecida pela bateria será: teremos:

ߝ ܴଷ ‫ܫ‬ଷ
‫ܫ‬ଵ ൌ ‫ܫ‬ଶ ൌ
ܴ௘௤ ܴଶ
(23.2) (23.5)

Depois de certo tempo, várias vezes a constante E


de tempo capacitiva, o capacitor está
praticamente carregado e a corrente no resistor 3 ‫ܫ‬ଵ ൌ ‫ܫ‬ଶ ൅ ‫ܫ‬ଷ
é praticamente nula. Assim a resistência (23.6)
equivalente do circuito será:
Utilizando (23.6) em (23.5), teremos:
ܴԢ௘௤ ൌ ܴଵ ൅ ܴଶ
(23.3)

14
www.profafguimaraes.net
ܴଷ ‫ܫ‬ଵ
‫ܫ‬ଶ ൌ ݅ଷ
ܴଶ ൅ ܴଷ
(23.7)

E ‫ܫ‬ଷ
ܴଶ ‫ܫ‬ଵ
‫ܫ‬ଷ ൌ
ܴଶ ൅ ܴଷ
Ͳ ‫ݐ‬
(23.8)

Em que ‫ܫ‬ଵ é dada por (23.2). Pode-se observar que


‫ܫ‬ଵ ൐ ‫ܫ‬ଶ ‡‫ܫ‬ଵ ൐ ‫ܫ‬ଷ . Após o intervalo de tempo de
carga do capacitor supracitado, teremos: ܸଷ

‫ܫ‬Ԣଶ ՜ ‫ܫ‬Ԣଵ ‡‫ܫ‬Ԣଷ ՜ Ͳ


(23.9)
ܴଷ ‫ܫ‬ଷ
Então teremos para os resistores 2 e 3:

Ͳ ‫ݐ‬

E para o capacitor, temos que inicialmente a


݅ଶ tensão é nula. E para o intervalo de tempo várias
vezes a constante de tempo capacitiva, a tensão
‫ܫ‬Ԣଵ tende para a tensão do resistor 2. Assim, teremos:

‫ܫ‬ଶ
ܸ஼

Ͳ ‫ݐ‬
ܸଶ

ܸଶ Ͳ ‫ݐ‬

ܴଶ ‫ܫ‬Ԣଵ
b) Desligando a chave, teremos para o resistor 1,
ܴଶ ‫ܫ‬ଶ ݅ଵ ൌ Ͳ‡ܸଵ ൌ Ͳ. Agora, levando em consideração
que o capacitor se encontra carregado, a corrente
fornecida por ele será:
Ͳ ‫ݐ‬
ܴଶ ‫ܫ‬Ԣଵ ିோ ௧ ஼
݅஼ ൌ െ ݁ ೐೜మǡయ
ܴ௘௤ଶǡଷ
(23.10)

Em que ܴ௘௤ଶǡଷ ൌ ܴଶ ൅ ܴଷ. O sinal negativo indica


que a corrente fornecida pelo capacitor tem o

15
www.profafguimaraes.net
sentido invertido. Assim, para os resistores 2 e 3 chave S é fechada, repentinamente (t = 0). (a)
teremos: Determinar, para t = 0 e t = ∞, as correntes
através de cada resistor. (b) Representar
qualitativamente num gráfico a queda de
݅ଶ ǡ ݅ଷ potencial ܸଶ através de ܴଶ desde t = 0 até t = ∞. (c)
Quais são os valores numéricos de ܸଶ em t = 0 e t =
Ͳ ‫ݐ‬ ∞? (d) Dar o significado físico de “t = ∞” e
estabelecer um limite inferior aproximado, mas
significativo (em segundos), para “t = ∞”, neste
݅஼
caso.

‫ܥ‬

ܴ͵
Obs.: Só por uma questão de coerência com o sinal
da corrente, construiu-se o gráfico com a curva ܴʹ
abaixo do eixo dos tempos.

Agora, para a tensão (d.d.p.) para os resistores 2 e


3, teremos: S ܴଵ
ߝ
ܸଶ
Figura 24.1
Ͳ ‫ݐ‬
Resolução:
ܴଶ ݅஼
a) Essa questão é semelhante à questão anterior.
Para t = 0, o capacitor, estando descarregado,
funciona como um condutor comum. Sendo assim,
a resistência equivalente é dada por (23.1).
Substituindo os valores, teremos para a
resistência equivalente do circuito:
ܸଷ
ܴ௘௤ ൌ ͳͲǡͻͷ ή ͳͲହ ȳ
Ͳ ‫ݐ‬ (24.1)

ܴଷ ݅஼ Com isso, a corrente fornecida pela bateria será:

ߝ
݅ଵ ൌ ؆ ͳǡͳ݉‫ܣ‬
ܴ௘௤
(24.2)
Também aqui foram construídos os gráficos com
as curvas abaixo do eixo dos tempos. Que é a corrente que percorre o resistor 1. Para os
resistores 2 e 3, como são idênticos:
Questão 24
݅ଶ ൌ ݅ଷ ൌ Ͳǡͷͷ݉‫ܣ‬
No circuito da figura 24.1, temos ߝ ൌ (24.3)
ͳʹͲͲܸǡ ‫ ܥ‬ൌ ͸ǡͷͲߤ‫ܴ‡ܨ‬ଵ ൌ ܴଶ ൌ ܴଷ ൌ ͹ǡ͵Ͳ‫Ͳͳݔ‬ହ ȳ.
Com o capacitor C completamente descarregado, a
16
www.profafguimaraes.net
Agora para t = ∞, a resistência equivalente será ݅ଷ ൌ Ͳǡͷͷ ή ͳͲିଷ ‫ܣ‬
dada por (23.3), ou seja: (24.9)

ܴԢ௘௤ ൌ ͳͶǡ͸ ή ͳͲହ ȳ Assim, de (24.8), utilizando (24.6) e (24.9),


(24.4) teremos:

Logo, a corrente fornecida pela bateria será: ͸ǡͷ ή ͳͲି଺ ή ͶͲͳǡͷ


Ͳǡͷͷ ή ͳͲିଷ ൌ 
ܴ‫ܥ‬
ߝ ‫ ܥܴ ׵‬؆ ͹ǡͳʹ‫ݏ‬
݅Ԣଵ ൌ ؆ Ͳǡͺʹ݉‫ܣ‬
ܴԢ௘௤ (24.10)
(24.5)
Questão 25
Que também será a corrente do resistor 2. Como o
capacitor estará carregado, a corrente no resistor Malha infinita. A rede com os resistores ܴଵ e ܴଶ
3 será nula. indicados na figura 25.1 se estende até o infinito
pelo lado direito. Prove que a resistência total ்ܴ
b) e c)Utilizando os resultados de (24.3) e (24.5), dessa rede infinita é dada por:
teremos:
்ܴ ൌ ܴଵ ൅ ඥܴଵଶ ൅ ʹܴଵ ܴଶ .
ܸଶ ൌ ܴଶ ݅ଶ ൌ ͶͲͳǡͷܸܸ݁Ԣଶ ൌ ܴଶ ݅Ԣଶ ൌ ͷͻͺǡ͸ܸ
(24.6)
(Dica: Uma vez que a rede se estende até o
infinito, a resistência da rede situada à direita dos
pontos c e d também é igual a ்ܴ )
ܸଶ ሺܸሻ
ο‫ݔ‬
ͷͻͺǡ͸
ܴଵ ܴଵ ܴଵ
a c
ͶͲͳǡͷ
ܴଶ ܴଶ ...

ܴଵ ܴଵ ܴଵ
Ͳ ‫ݐ‬ሺ‫ݏ‬ሻ d
b

Figura 25.1
d) Esse tempo é o esperado para uma carga total
do capacitor. O limite inferior será a constante de
Resolução:
tempo capacitiva RC. Sabemos que a equação para
Um problema semelhante foi resolvido em:
a carga desse capacitor é dada por:
Questões de eletricidade 6 em ensino médio
௧ exercícios resolvidos. A resolução é idêntica ao
‫ ݍ‬ൌ ‫ܸܥ‬ଶ ൬ͳ െ ݁ ିோ஼ ൰ referido caso.
(24.7) Seja a resistência equivalente entre os
terminais c e d igual a ்ܴ . O fato de se adicionar
Então a corrente no resistor 3 é dada por: aos terminais c e d um ramo à esquerda com os
terminais a e b, não deve oferecer nenhuma
݀‫ܸܥ ݍ‬ଶ ି ௧ mudança significativa, ou seja, a resistência
݅ଷ ൌ ൌ ݁ ோ஼ equivalente entre os terminais a e b também será
݀‫ݐ‬ ܴ‫ܥ‬
(24.8) ܴ ் . Assim poderemos escrever:

Para t = 0, teremos:

17
www.profafguimaraes.net
ܴଶ ή ்ܴ propagação de um pulso de voltagem ao longo de
்ܴ ൌ ʹܴଵ ൅
ܴଶ ൅ ்ܴ uma fibra nervosa conhecida como axônio. Cada
(25.1) segmento da rede na figura 25.1 representa um
pequeno segmento do axônio com um
Resolvendo a equação (25.1), teremos: comprimento ο‫ݔ‬. A resistência ܴଵ representa a
resistência do fluido dentro e fora da parede da
்ܴ ሺܴଶ ൅ ்ܴ ሻ ൌ ʹܴଵ ሺܴଶ ൅ ்ܴ ሻ ൅ ܴଶ ்ܴ  membrana do axônio. A resistência da membrana
்ܴଶ െ ʹܴଵ ்ܴ െ ʹܴଵ ܴଶ ൌ Ͳ para uma corrente que flui através da parede é
(25.2) representada por ܴଶ . Para um segmento de axônio
com um comprimento ο‫ ݔ‬ൌ ͳǡͲߤ݉ǡ ܴଵ ൌ ͸ǡͶ ή
Resolvendo a última equação de (25.2), por ͳͲଷ ȳ‡ܴଶ ൌ ͺǡͲ ή ͳͲ଼ ȳ (a parede da membrana é
Bhaskara, teremos: um bom isolante). Calcule ்ܴ e ߚ para um axônio
infinitamente comprido. (Essa afirmação é boa,
visto que o comprimento do axônio é muito maior
்ܴ ൌ ܴଵ േ ටܴଵଶ ൅ ʹܴଵ ܴଶ do que sua largura; o maior axônio no sistema
(25.3) nervoso humano possui cerca de ͳ݉ de
comprimento, porém seu raio é aproximadamente
No entanto, devemos tomar o sinal positivo, pois igual a ͳͲି଻ ݉.) D) Qual é a fração da diminuição
భ da diferença de potencial entre a parte interna e a
ሾܴଵଶ ൅ ʹܴଵ ܴଶ ሿమ ൐ ܴଵ . Logo:
parte externa do axônio depois de uma distância
igual a 2,0 mm? A atenuação da diferença de
்ܴ ൌ ܴଵ ൅ ටܴଵଶ ൅ ʹܴଵ ܴଶ potencial mostra que o axônio não pode ser
simplesmente um cabo passivo conduzindo a
(25.4) corrente elétrica; a diferença de potencial deve ser
periodicamente reforçada ao longo do
Questão 26 comprimento do axônio pelo mecanismo do
potencial de ação. E) O mecanismo do potencial de
Axônios e cadeia atenuadora. A rede que se ação é lento, de modo que o sinal se propaga ao
estende até o infinito da figura 25.1 denomina-se longo do axônio com uma velocidade de apenas
cadeia atenuadora, uma vez que nessa cadeia de ͵Ͳ݉ ή ‫ି ݏ‬ଵ . Quando se torna necessária uma
resistores a diferença de potencial entre o fio resposta mais rápida, o axônio é revestido com
superior e o fio inferior diminui, ou se atenua, ao uma camada de material gorduroso denominado
longo do comprimento da cadeia. A) Mostre que, mielina. Os segmentos possuem comprimento
se a diferença de potencial entre os pontos a e b aproximado de 2 mm e são separados por lacunas
indicados na figura 25.1 é ܸ௔௕ , então a diferença chamadas de nodos de Ranvier; os potenciais de
de potencial entre os pontos c e d é dada por ação são gerados somente nesses nodos. A mielina
ܸ௖ௗ ൌ ܸ௔௕ Τሺͳ ൅ ߚሻ, onde ߚ ൌ ʹܴଵ ሺ்ܴ ൅ ܴଶ ሻΤ்ܴ ܴଵ produz um aumento da resistência de um
e ்ܴ , a resistência total da rede, foi obtida na segmento de ͳǡͲߤ݉ da membrana para
questão anterior (eq. (25.4)). B) Se a diferença de ܴଶ ൌ ͵ǡ͵ ή ͳͲଵଶ ȳ. Para esse axônio revestido com
potencial entre os terminais a e b da extremidade a camada de mielina, qual é a fração da diminuição
esquerda da rede na figura 25.1 for ܸ଴, mostre que da diferença de potencial entre a parte interna e
a diferença de potencial entre pontos do fio parte externa do axônio depois de uma distância
superior e os pontos do fio inferior situados a uma compreendida entre dois nodos de Ranvier
distância igual a n segmentos da rede contados a consecutivos? Essa atenuação menor permite que
partir da extremidade esquerda é dada por o pulso chegue ao nodo seguinte com intensidade
ܸ௡ ൌ ܸ଴Τሺͳ ൅ ߚሻ௡ . Considerando ܴଵ ൌ ܴଶ , quantos suficiente para gerar um novo potencial de ação; a
segmentos serão necessários para produzir uma velocidade de propagação aumenta porque o
redução da diferença de potencial ܸ௡ até um valor pulso se desloca como um sinal elétrico
menor do que 1% do valor de ܸ଴? C) Uma cadeia convencional nos segmentos que contêm mielina.
atenuadora infinita fornece um modelo para

18
www.profafguimaraes.net
Resolução: Logo:
a) A diferença de potencial entre a e b é dada por:
ߚ ؆ ʹǡ͹͵
ܸ௔௕ ൌ ்ܴ݅ (26.9)
(26.1)
௏೙
Utilizando (26.7) e (26.9), para ൌ ͳͲିଶ ,
௏బ
A diferença de potencial entre c e d é dada por:
teremos:
ܴଶ ்ܴ
ܸ௖ௗ ൌ ൬ ൰݅ ͳ
ܴଶ ൅ ்ܴ ͳͲିଶ ൌ 
ሺͳ ൅ ʹǡ͹͵ሻ௡
(26.2)
ʹ Ž‘‰ ͳͲ ൌ ݊ Ž‘‰ ͵ǡ͹͵  ‫ ݊ ׵‬؆ ͵ǡͷͳ
(26.10)
Utilizando (26.1) em (26.2), teremos:

ܸ௔௕ Ou seja, cerca de 4 segmentos.


ܸ௖ௗ ൌ
ܴଶ ൅ ்ܴ
ܴଶ c) Substituindo os dados, teremos:
(26.3)
்ܴ ൌ ͵ǡʹͳ ή ͳͲ଺ ȳ‡ߚ ؆ ͶǡͲ ή ͳͲିଷ
Agora, utilizando a primeira equação de (25.2), (26.11)
teremos:
Um segmento possui um comprimento de ͳǡͲߤ݉
ܸ௔௕ ʹܴଵ ሺܴଶ ൅ ்ܴ ሻ então 2,0 mm possui 2000 segmentos. Utilizando
ܸ௖ௗ ൌ Ǣ ߚ ൌ (26.7) e (26.11), teremos:
ͳ൅ߚ ܴଶ ்ܴ
(26.4) ܸଶ଴଴଴ ͳ
ൌ ൌ ͵ǡͶ ή ͳͲିସ
ܸ଴ ሺͳ ൅ Ͷ ή ͳͲିଷ ሻଶ଴଴଴
b) Observa-se que para o primeiro segmento,
temos de (26.4): (26.12)

ܸ଴ d) Utilizando o novo valor para ܴଶ , teremos:


ܸଵ ൌ
ͳ൅ߚ
்ܴ ൌ ʹͲͷǡͷ ή ͳͲ଺ ȳ‡ߚ ൌ ͸ǡʹʹ ή ͳͲିହ
(26.5)
(26.13)
Para o segundo segmento:
Então:
ܸଵ ܸ଴
ܸଶ ൌ ֜ ܸଶ ൌ ܸԢଶ଴଴଴ ͳ
ͳ൅ߚ ሺͳ ൅ ߚሻଶ ൌ ؆ Ͳǡͺͺ
ܸ଴ ሺͳ ൅ ͸ǡʹʹ ή ͳͲିହ ሻଶ଴଴଴
(26.6)
(26.14)
E claro, considerando a rede infinita:
Questão 27
ܸ଴
ܸ௡ ൌ
ሺͳ ൅ ߚሻ௡ Um capacitor de alarme contra ladrões. A
(26.7) capacitância de um capacitor pode ser alterada
por um material dielétrico que, embora fora do
Agora, seja ܴଵ ൌ ܴଶ ൌ ܴ. Teremos: capacitor, esteja suficientemente próximo do
capacitor para ser polarizado pelo campo elétrico
்ܴ ൌ ܴ൫ͳ ൅ ξ͵൯ existente nas bordas de um capacitor carregado.
(26.8) Esse efeito é da ordem de picofarads (pF), porém
ele pode ser usado com um circuito eletrônico
19
www.profafguimaraes.net
apropriado para detectar uma variação do ‫ݍ‬଴ ൌ ‫ ߝܥ‬ൌ ͳͲି଼ ‫ܥ‬
material dielétrico que está na vizinhança do (27.1)
capacitor. Tal material dielétrico poderia ser o
corpo humano, e esse efeito poderia ser usado b) Alterando o dielétrico, altera-se a capacitância
para projetar um alarme contra ladrões. e consequentemente altera-se a carga do
Considere o circuito simples indicado na figura capacitor. Assim, aplicando a lei das malhas
27.1. A fonte de tensão possui fem ߝ ൌ ͳͲͲͲܸ e o teremos:
capacitor apresenta capacitância ‫ ܥ‬ൌ ͳͲǡͲ‫ܨ݌‬. O
circuito eletrônico para detectar a corrente, ‫ݍ‬Ԣ
ܴ݅ ൅ ൌߝ
representado por um amperímetro no diagrama, ‫ܥ‬Ԣ
possui resistência desprezível, sendo capaz de (27.2)
detectar uma corrente da ordem de pelo menos
ͳǡͲͲߤ‫ ܣ‬e que persista por um tempo de pelo Em que q’ e C’ são respectivamente a nova carga e
menos ʹͲͲߤ‫ ݏ‬depois que a capacitância mudar a nova capacitância. Resolvendo a equação
repentinamente de C para C’. O alarme contra ௗ௤ᇱ
diferencial (27.2), com ݅ ൌ ௗ௧ , teremos:
ladrões é projetado para ser ativado quando a
capacitância varia de 10%. A) Determine a carga ݀‫ ݍ‬ᇱ ‫ ܥ‬ᇱ ߝ െ ‫ ݍ‬ᇱ
no capacitor de ͳͲǡͲ‫ ܨ݌‬quando ele está ൌ 
plenamente carregado. B) Supondo que o ݀‫ݐ‬ ܴ‫ ܥ‬ᇱ
௤ ᇲ ௧
capacitor esteja plenamente carregado antes de o ݀‫ ݍ‬ᇱ ݀‫ݐ‬
න ᇱ ᇱ
ൌ න ᇱ

intruso ser detectado e desprezando o tempo ௤బ ‫ ߝ ܥ‬െ ‫ݍ‬ ଴ ܴ‫ܥ‬
necessário para produzir a variação de ‫ ܥ‬ᇱ ߝ െ ‫ݍ‬ᇱ ‫ݐ‬
Ž ᇱ ൌ െ ᇱ 
capacitância de 10%, deduza uma equação que ‫ ߝ ܥ‬െ ‫ߝܥ‬ ܴ‫ܥ‬

forneça a corrente que passa em R em função do ‫ ݍ ׵‬ൌ ‫ ߝ ܥ‬െ ߝο‫ି ݁ܥ‬ோ஼ᇱ
ᇱ ᇱ
tempo t desde o momento em que a capacitância (27.3)
foi alterada. C) Determine o intervalo de valores
para os quais a resistência R satisfaça as condições Em que ‫ݍ‬଴ é dada por (27.1) e ο‫ ܥ‬ൌ ‫ܥ‬Ԣ െ ‫ܥ‬. Logo,
especificadas do alarme contra ladrões. O que para a corrente, teremos:
ocorreria se o valor de R fosse demasiadamente
pequeno? E se fosse muito grande? (Dica: Não há ݀‫ݍ‬Ԣ ߝο‫ ି ܥ‬௧
como resolver analiticamente o problema, porém ݅ൌ ൌ ݁ ோ஼ᇱ
é possível usar um método numérico. Expresse o ݀‫ݐ‬ ܴ‫ܥ‬Ԣ
(27.4)
valor de R como uma função logarítmica de R mais
grandezas conhecidas. Comece com um valor c) Utilizando os valores fornecidos, teremos, para
estimado de R e calcule pela expressão um novo (27.4):
valor. Continue esse procedimento até obter um
valor de R com três algarismos significativos.) ʹ ή ͳͲ଻
Ž ͳǡͳܴ ή ͳͲି଼ ൌ െ
ͳǡͳܴ
ܴ (27.5)

Para satisfazer a equação (27.5), temos que:


ߝ
‫ܥ‬
Ž ͳǡͳܴ ή ͳͲି଼ ൏ Ͳ ֜ ͳǡͳܴ ή ͳͲି଼ ൏ ͳ
A ‫ ܴ ׵‬൏ ͻǡͲͻͳ ή ͳͲ଻ ȳ
(27.6)
Figura 27.1
E de forma um tanto óbvia, R > 0. Podemos
Resolução:
a) A carga plena é dada por: determinar os valores de R que satisfaçam a
equação (27.5) construindo os gráficos das duas
funções.
20
www.profafguimaraes.net
ଶήଵ଴ళ
Sejam ݂ሺܴሻ ൌ Ž ͳǡͳܴ ή ͳͲି଼ ‡݃ሺܴሻ ൌ െ ଵǡଵோ
.
Para os gráficos, teremos:
1

0
5,00E+00 5,50E+01

-1 Milhões
f(R)
-2 g(R)

-3

-4

As curvas se cruzam nos pontos em que


ܴ ؆ ͹ǡͳ ή ͳͲ଺ ȳ‡ܴ ؆ ͹ǡͲ ή ͳͲ଻ ȳ. O gráfico foi
construindo a partir de uma planilha. Esse
processo não é muito preciso. No entanto nos
fornece uma boa aproximação.
Agora, utilizando o seguinte algoritmo em C++,
é possível encontrar os valores aproximados
acima citados com maior precisão.

//
// Programa para calcular o valor da resistência para o alarme de presença
//
#include <cstdio>
#include <cstdlib>
#include <iostream>
#include <cmath>
using namespace std;

int main(int nNumberofArgs, char* pszArgs[])


{
double nL = 1.0;
double Delta = 1.0e-8;
while (nL < 9.0e+7)
{
double A = (1.1e-8)*nL;
double B = -2.0e+7/(1.1*nL);
double Dif = log(A) - B;
if (Dif < Delta && Dif > -Delta)
{
cout << log(A) << endl;
cout << B << endl;
cout << nL << endl;
}
nL = nL + 1.0;
}
system ("PAUSE");
return 0;
}

Os valores encontrados com esse algoritmo são:

ܴ ؆ ͹ǡͳͷͳ ή ͳͲ଺ ȳ‡ܴ ؆ ͹ǡͲͳͷ ή ͳͲ଻ ȳ


(27.7)

21
www.profafguimaraes.net