Você está na página 1de 19

CONCURSO PETROBRAS

E NGENHEIRO ( A ) DE E QUIPAMENTOS J ÚNIOR - M ECÂNICA

E NGENHEIRO ( A ) J ÚNIOR - Á REA : M ECÂNICA


P ROFISSIONAL J ÚNIOR - E NG . M ECÂNICA

Motores de Combustão
Interna
T
AF
Questões Resolvidas

Q UESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO


R
D

Produzido por Exatas Concursos


www.exatas.com.br
rev.2a
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
9.
14
. 26
1 83
9.
14
149.183.267-30

Introdução

0
-3
2 67
3.
18
Recomendamos que o candidato primeiro estude a teoria referente a este assunto, e só depois
9.
utilize esta apostila. Recomendamos também que o candidato primeiro tente resolver cada questão,
14

T
sem olhar a resolução, e só depois observe como nós a resolvemos. Deste modo acreditamos que este
material será de muito bom proveito.

30
7-
Não será dado nenhum tipo de assistência pós-venda para compradores deste material, ou

26
seja, qualquer dúvida referente às resoluções deve ser sanada por iniciativa própria do comprador, seja
AF
30

consultando docentes da área ou a bibliografia. Apenas serão considerados casos em que o leitor

3.
7-

encontrar algum erro (conceitual ou de digitação) e desejar informar ao autor tal erro a fim de ser
18
26

corrigido.
9.
3.

14

As resoluções aqui apresentadas foram elaboradas pela Exatas Concursos, única responsável
18

pelo conteúdo deste material. Todos nossos autores foram aprovados, dentre os primeiros lugares, em
9.

concursos públicos relativos ao material elaborado. A organização, edição e revisão desta apostila é
14

responsabilidade de nossa equipe. A Exatas Concursos e todos seus autores não possuem nenhum 149.183.267-30
R
tipo de vínculo com a empresa CESGRANRIO, CESPE ou qualquer outra banca examinadora.
3 0
7-

Este material é de uso exclusivo do(a) comprador(a). Sendo vedada, por quaisquer meios e a
6

qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsa-
.2

bilização civil e criminal.


83
D

Faça um bom uso do material, e que ele possa ser muito útil na conquista da sua vaga.
1
9.
14
- 30
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
9.
14
. 26
1 83
9.
14
149.183.267-30

Índice de Questões

0
-3
2 67
3.
18
Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2014/2
9.
14

Q59 (pág. 2), Q60 (pág. 3).

T
Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2012/1

30
7-
Q56 (pág. 1), Q57 (pág. 4).

26
AF
30

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2011

3.
7-

Q61 (pág. 5), Q62 (pág. 6). 18


26

9.
Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2010/1
3.

14
18

Q58 (pág. 7).


9.

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Mecânica - Petrobras 2006


14

Q52 (pág. 8). 149.183.267-30


R 0

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Mecânica - Petrobras 2005


3
7-

Q52 (pág. 7), Q53 (pág. 9), Q54 (pág. 9).


6
.2

Prova: Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2012


83
D

Q63 (pág. 10), Q64 (pág. 11), Q65 (pág. 12), Q67 (pág. 13).
1
9.

Prova: Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2011


14

Q53 (pág. 14), Q54 (pág. 15), Q55 (pág. 16).

Número total de questões resolvidas nesta apostila: 18


- 30
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
9.
14
. 26
1 83
9.
14
149.183.267-30

Motores de Combustão Interna

0
-3
67
Questão 1
( Engenheiro(a)
56 de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2012/1 )

2
3.
A taxa de compressão é um parâmetro que limita a potên-

18
cia máxima indicada em motores de ignição por centelha
que usam gasolina como combustível, uma vez que, para
9.
um dado motor,
14

(A) quanto maior a taxa de compressão, maior deve ser o (D) uma redução da taxa de compressão requer aumento

T
índice de octanas, para reduzir a tendência de ocorrer na concentração de álcool na gasolina, para que a po-
detonação, possibilitando atingir a potência desejada. tência máxima desejada possa ser atingida.

30
(B) aumentando a taxa de compressão, aumenta a po- (E) reduzir a taxa de compressão implica aumento da po-
tência de atrito, resultando em aumento da potência tência específica em um regime de rotações mais alto,

7-
líquida. resultando em aumento da potência líquida do motor.
(C) um aumento na taxa de compressão contribui para a

26
queda na pressão de compressão do cilindro, resul-
AF
30

tando em potência líquida máxima menor do que o

3.
valor desejado.
7-

18
26

9.
3.

Resolução:
14
18
9.

(A) CORRETA. Quanto maior a taxa de compressão, maior a chance de ocor-


14

rer detonação do combustível, sendo necessária uma maior octanagem na 149.183.267-30


R
gasolina para evitar a autoignição.
3 0

(B) INCORRETA. O aumento da taxa de compressão não implica o aumento da


6 7-

potência de atrito.
.2
83
D

(C) INCORRETA. Um aumento na taxa de compressão leva a uma maior pressão


1

de compressão do cilindro.
9.
14

(D) INCORRETA. O aumento da taxa de álcool na gasolina leva a uma maior


octanagem, que se faz necessária quando existe um aumento na taxa de
compressão.

(E) INCORRETA. A redução da taxa de compressão leva a uma queda da potên-


30

cia específica em altas rotações.


-
67

 
.2

Alternativa (A) 

26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 2

14
. 26
83
Questão 2
( Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2014/2 )

1
9.
Dois motores monocilíndricos, um diesel de dois tempos,

14
e outro à gasolina de quatro tempos, têm o mesmo volu-
me e desenvolvem a mesma pressão média efetiva.
149.183.267-30 Sendo Td o torque máximo fornecido pelo motor diesel,
e Tg o torque máximo fornecido pelo motor à gasolina, a

0
razão é

-3
67
(A) 1/4
(B) 1/2

2
(C) 1

3.
(D) 2

18
(E) 4 9.
14

Resolução:

T 30
O torque máximo (T) aplicado a motores de combustão interna apresenta a

7-
seguinte relação com a pressão média efetiva (PME):

26
AF
30

2πnr
T =

3.
Vd P M E
7-

18
26

Onde nr indica o número de revoluções do eixo virabrequim necessárias


9.
3.

14

para que haja um tempo útil. O valor de nr é igual a 2 nos motores de 4 tempos
18

e igual a 1 nos motores de 2 tempos. Vd representa o volume deslocado total do


9.

motor.
14

149.183.267-30
R
Foi dito no enunciado que os dois motores possuem a mesma pressão mé-
0

dia efetiva (PME) e o mesmo volume deslocado (Vd ). Sendo assim, a razão entre
3
7-

os torques máximos gerados pelos motores a diesel e a gasolina é:


6
.2

2πnr1
Td Vd P M E
83

=
D

2πnr2
Tg Vd P M E
1

Td nr1
9.

=
14

Tg nr2
nr1 = 1 (motor de 2 tempos)
nr2 = 2 (motor de 4 tempos)
30

Então,
Td 1
-

=
67

Tg 2
.2

 
83

Alternativa (B) 

26 1
30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 3

14
. 26
83
Questão 3
( Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2014/2 )

1
9.
14
Em um ensaio para medir a emissão de dióxido de car-
bono, um motor de ignição por centelha, que pode fun-
cionar tanto com gasolina quanto com gás natural veicu-
lar (GNV), é primeiramente testado com uma amostra de
149.183.267-30
gasolina composta somente por iso-octano e depois, em
condições estritamente iguais às do ensaio anterior, com
uma amostra de gás natural composta somente por me-

0
tano. Ao comparar os resultados, nos pontos em que o

-3
motor operava com razão ar/combustível estequiométrica,

67
as leituras indicavam uma diferença de aproximadamente
25% no teor de CO2 entre os ensaios.

2
3.
O ensaio que registrou a redução no teor de CO2 é aquele
em que o motor foi abastecido com

18
(A) GNV, uma vez que a razão hidrogênio/carbono é me-
9.
nor que a da gasolina.
14

(B) GNV, uma vez que a razão hidrogênio/carbono é

T
maior que a da gasolina.
(C) gasolina, uma vez que a razão hidrogênio/carbono é

30
menor que a do GNV.
(D) gasolina, uma vez que a razão hidrogênio/carbono é

7-
maior que a do GNV.

26
(E) gasolina, uma vez que a razão hidrogênio/carbono é
AF
30

igual à do GNV.

3.
7-

18
26

9.
Resolução:
3.

14
18

O gás natural veícular (GNV) é formado principalmente por compostos per-


9.

tencentes a família das parafinas normais (metato CH4 , etano C2 H6 , propano C3 H8


14

e butano C4 H10 ), hidrocarbonetos mais pesados e também dióxido de carbono, 149.183.267-30


R
nitrogênio, água, ácido clorídrico, metanol e impurezas mecânicas. No Brasil o
3 0

gás natural é consumido com cerca de 90% de metano, o que faz com que a
7-

sua queima produza menos carbono (sob forma de CO2 ) por unidade de energia,
6
.2

quando oxidada, devido ao fato do metano apresentar a maior relação hidro-


83
D

gênio/carbono dentre todos os hidrocarbonetos.


1
9.

Para cada molécula de metano (CH4 ) existem 4 átomos de hidrogênio e 1


14

átomo de carbono. Enquanto que para cada molécula de gasolina (constituída


apenas por isoctano) existem 18 átomos de hidrogênio e 8 átomos de carbono
(C8 H18 ). Consequentemente, a reação de combustão completa do isoctano produ-
zirá um percentual maior de CO2 em relação ao GNV.
30

 
-
67

Alternativa (B) 

.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 4

14
. 26
83
57
Questão 4
( Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2012/1 )

1
9.
14
149.183.267-30

0
-3
2 67
3.
18
9.
14

T 30
A figura acima representa o diagrama indicador de um motor de ignição por compressão.

7-
Analisando-se as informações presentes no diagrama, conclui-se que

26
AF
30

(A) o período 1 representa o atraso químico do combustível, enquanto o 2 representa o atraso físico.

3.
(B) a formação da mistura ar-combustível ocorre no período 3.
7-

(C) um aumento de temperatura aumentaria a duração do período 1.


18
26

(D) quanto maior for a pressão de injeção, menor será a duração do período 1.
9.
(E) durante o período 3 ocorrem as reações de pós-combustão na subida do êmbolo.
3.

14
18
9.

Resolução:
14

149.183.267-30
R
(A) INCORRETA. O atraso físico ocorre no período 1, e o atraso químico no pe-
3 0

ríodo 2.
6 7-

(B) INCORRETA. A formação da mistura ar-combustível ocorre durante o período


.2
83

1.
D 1

(C) INCORRETA. Um aumento na temperatura diminuiria a duração do período 1,


9.
14

favorecendo uma mistura mais rápida entre ar e combustível.

(D) CORRETA. Quanto maior a pressão de injeção, mais rápida a formação da


mistura ar-combustível.
30

(E) INCORRETA. Durante o período 3 a combustão está em andamento.


-
67

 
Alternativa (D) 

.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 5

14
. 26
83
Questão 5
( Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2011 )

1
61

9.
14
Considere os motores movidos a óleo diesel de injeção
direta na câmara de combustão, e os motores movidos a
gasolina, nos quais há um bico injetor para cada cilindro
149.183.267-30 e injeção no coletor de admissão, conhecidos como multi-
ponto. Tais dados são acrescidos ao fato de que
(A) a pressão de injeção do combustível deve ser alta o

0
suficiente para pulverizar o jato e favorecer a turbulên-

-3
cia, em função de a queima nos motores a gasolina

67
ser espontânea.
(B) a pressão de injeção deve ser maior que a pressão

2
no tempo de compressão do motor, em decorrência

3.
de o combustível ser injetado dentro da câmara nos

18
motores diesel.
(C) a injeção da gasolina no coletor de admissão se dá
9.
a uma pressão abaixo da atmosférica, a fim de que
14

o fluxo de ar presente no coletor de admissão possa

T
arrastar o combustível.
(D) a pressão de injeção da gasolina não deve ultrapassar

30
a atmosférica em dez vezes seu valor ao nível do mar,

7-
para não haver detonação.
(E) os motores a diesel equipados com velas de ignição

26
AF
30

têm bicos injetores cuja pressão de injeção pode ser

3.
menor do que os motores a diesel comuns.
7-

18
26

9.
3.

Resolução:
14
18
9.

(A) INCORRETA. A queima nos motores a gasolina ocorre por centelha.


14

(B) CORRETA. A pressão de injeção do combustível nos motores diesel deve ser 149.183.267-30
R 0

bem maior que a pressão do ar que foi comprimido, a fim de garantir uma boa
3
7-

pulverização do combustível.
6
.2

(C) INCORRETA. Para que ocorra a injeção, a pressão sobre a mistura ar-
83
D

combustível deve ser maior que a atmosférica.


1
9.

(D) INCORRETA. Não existe essa restrição para a pressão de injeção. O risco de
14

detonação ocorre apenas na câmara de combustão, e depende da octanagem


da gasolina e da taxa de compressão.

(E) INCORRETA. Os motores diesel não possuem velas de ignição, uma vez que
a sua combustão ocorre por compressão.
- 30

 
67

Alternativa (B) 

.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 6

14
. 26
83
Questão 6
( Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2011 )

1
9.
62

14
O diagrama indicador real de um motor de combustão in- No diagrama, um motor aspirado funciona em carga ple-
terna ICE de 4 tempos pode ser obtido por meio de ins- na, com a borboleta do acelerador completamente aberta.
trumentação adequada e está representado na figura a Nesse contexto, analise as afirmações a seguir.
149.183.267-30 seguir, na qual P0 é a pressão atmosférica.
I - As áreas B e C representam as perdas por bombe-
amento na admissão e na descarga.

0
II - Ao ser mantida a mesma rotação do motor, se a

-3
borboleta do acelerador estiver parcialmente fecha-

67
da, a área B aumenta.
III - A linha cd representa o tempo de admissão, e como

2
o motor é aspirado, está abaixo da pressão atmos-

3.
férica P0.

18 Está correto o que se afirma em


9.
(A) I, apenas.
14

(B) II, apenas.

T
(C) I e II, apenas.

30
(D) II e III, apenas.
(E) I, II e III.

7-
26
AF
30

3.
7-

Resolução: 18
26

Analisemos cada afirmação:


9.
3.

14
18

I - CORRETA. As áreas B e C representam as perdas por bombeamento. Na


9.

admissão, a pressão na câmara de combustão cai abaixo da atmosférica,


14

e na descarga a pressão se encontra acima da atmosférica, para que os 149.183.267-30


R 0

processos de bombeamento ocorram. Isso leva a uma realização de trabalho


3
7-

sobre a mistura nos processos de admissão e descarga, levando a perdas.


6
.2

II - CORRETA. Com a borboleta do acelerador parcialmente fechada, necessita-


83
D

se de mais trabalho na admissão da mistura, aumentando a área B.


1
9.

III - CORRETA. Para um motor aspirado, a pressão no cilindro deve estar abaixo
14

da atmosférica para que ocorra a admissão da mistura.

 
Alternativa (E) 

- 30
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 7

14
. 26
83
Questão 7
( Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Mecânica - Petrobras 2010/1 )

1
58

9.
14
O objetivo da sobrealimentação nos motores a diesel é
(A) aumentar a potência por unidade de cilindrada produ-
zida pelo motor.
149.183.267-30
(B) aumentar o resfriamento dos cilindros.
(C) diminuir o consumo de combustível.
(D) reduzir o nível de ruído do motor.
(E) reduzir a pressão dentro dos cilindros.

0
-3
67
Resolução:

2
3.
O objetivo da sobrealimentação nos motores diesel é aumentar a potência
18
produzida pelo motor sem alterar a sua cilindrada. Isso é obtido aumentando a
9.
14

massa de ar admitida pelos cilindros, utilizando para isso um compressor, que

T
pode ser acionado pelo motor ou por uma turbina introduzida no escape.

30
 

7-
Alternativa (A) 


26
AF
30

3.
7-

18
26

9.
3.

14
18

Questão 8
( Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Mecânica - Petrobras 2005 )
9.

52
14

149.183.267-30
Define-se “ar teórico” como a(o):
R
(A) quantidade mínima de ar que fornece o oxigênio sufici-
0

ente para a combustão completa de um combustível.


3

(B) quantidade de ar necessária para a obtenção do ponto


7-

de orvalho de uma substância.


6

(C) excesso de ar oriundo do processo de oxidação dos


.2

reagentes.
83

(D) massa de ar presente no processo de combustão, su-


D

pondo que o ar se comporte como gás ideal.


1

(E) massa de ar presente no processo de combustão, su-


9.

pondo que o ar se comporte como gás real.


14

Resolução:

Ar teórico é definido como a quantidade estequiométrica de ar, que fornece


30

oxigênio suficiente para que haja a combustão completa do combustível.


-
67

 
Alternativa (A) 
.2


26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 8

14
. 26
83
Questão 9
( Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Mecânica - Petrobras 2006 )

1
52

9.
14
Em relação ao processo de combustão, é INCORRETO
afirmar que:
(A) a temperatura adiabática de chama é definida como
149.183.267-30
temperatura atingida pelos reagentes durante qualquer
processo de oxidação.
(B) o ar teórico é definido como quantidade mínima de ar

0
que fornece o oxigênio suficiente para a combustão

-3
completa de um combustível.
(C) em um processo de combustão incompleta, poderão

67
existir hidrocarbonetos nos produtos de combustão.

2
(D) a partir de uma análise dos produtos da combustão, é

3.
possível calcular a razão ar-combustível.

18
(E) muito embora os combustíveis líquidos sejam uma
mistura de vários hidrocarbonetos, é comum, na análise
9.
de seu processo de combustão, representar sua com-
14
posição em termos de um único hidrocarboneto.

T 30
Resolução:

7-
26
AF
30

(A) INCORRETA. A temperatura adiabática de chama é definida como a tempe-

3.
7-

ratura atingida pelos produtos da combustão, considerando que o processo 18


26

seja adiabático (sem troca de calor com o meio externo).


9.
3.

14

(B) CORRETA. Ar teórico é a quantidade estequiométrica de ar, que fornece oxi-


18

gênio suficiente para uma combustão completa.


9.
14

(C) CORRETA. Hidrocarbonetos e monóxido de carbono podem estar presentes 149.183.267-30


R
nos produtos de uma combustão incompleta.
3 0
7-

(D) CORRETA. É possível calcular a razão ar-combustível a partir da análise dos


6

produtos de combustão, fazendo um balanço dos elementos químicos presen-


.2
83

tes na reação.
D 1

(E) CORRETA. A fim de simplificar os cálculos, normalmente se representa o


9.
14

combustível por um único hidrocarboneto.

 
Alternativa (A) 

- 30
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 9

14
. 26
83
Questão 10
( Engenheiro(a)
53 de Equipamentos Pleno - Mecânica - Petrobras 2005 )

1
9.
Em um processo de combustão, a temperatura adiabática

14
de chama é definida como aquela atingida pelo(s):
(A) reagentes, durante qualquer processo de oxidação.
149.183.267-30
(B) ar, durante qualquer processo de oxidação.
(C) produtos, durante qualquer processo de oxidação.
(D) ar, durante um processo de combustão, que ocorre sem

0
troca de calor, sem trabalho de eixo e sem variações de

-3
energia cinética e potencial.

67
(E) produtos, durante um processo de combustão, que ocorre

2
sem troca de calor, sem trabalho de eixo e sem varia-

3.
ções de energia cinética e potencial.

18
9.
Resolução:
14

T
Temperatura adiabática de chama é definida como aquela atingida pelos

30
produtos da combustão (gases), considerando um processo de combustão sem

7-
troca de calor, sem trabalho de eixo, e sem variação de energia cinética e potencial,

26
AF
30

de forma que todo calor fornecido pela queima do combustível é utilizado para

3.
7-

aumentar a entalpia dos produtos. 18


26

 
9.
3.

Alternativa (E) 
14


18
9.

54
14

Questão 11 149.183.267-30
( Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Mecânica - Petrobras 2005 )
R 3 0

Um processo de combustão ocorre de forma incompleta.


7-

Em função deste fato, é correto afirmar que a(o):


6

(A) quantidade de ar fornecida para a oxidação é superior à


.2

quantidade de ar teórico necessário.


83
D

(B) entalpia dos reagentes associados ao processo de oxi-


1

dação é nula.
9.

(C) entalpia dos produtos referentes ao processo de oxida-


14

ção é nula.
(D) monóxido de carbono e certos hidrocarbonetos serão
produtos da oxidação.
(E) processo de oxidação ocorre sem transferência de calor.
30

Resolução:
-
67
.2

(A) INCORRETA. Na combustão incompleta, a quantidade de ar fornecida para a


83

oxidação é inferior à quantidade de ar teórico necessário.


26 1
30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 10

14
. 26
83
(B) INCORRETA. A entalpia dos reagentes não é nula.

1
9.
(C) INCORRETA. A entalpia dos produtos não é nula.

14
(D) CORRETA. Quando a combustão é incompleta, monóxido de carbono e outros
149.183.267-30
hidrocarbonetos podem estar presentes nos produtos da combustão.

(E) INCORRETA. Todos os processos de combustão reais envolvem transferência

0
-3
de calor.

67
 

2
Alternativa (D) 

3.


18
9.
14

T 30
Questão 12
( Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2012 )

7-
63

26
AF
30

P 2 3 P 3

3.
7-

18
26

9.
3.

2
14
18

4 4
9.

6 1 6 1
5 5
14

PMS PMI V PMS PMI V 149.183.267-30


R 0

As linhas 2-3 dos diagramas indicadores P x V do ciclo padrão ar de Otto e do ciclo padrão ar de Diesel correspondem
3

respectivamente a
7-

(A) fornecimento de calor a volume constante e fornecimento de calor a pressão constante.


(B) fornecimento de calor a pressão constante e rejeição de calor a volume constante.
6

(C) fornecimento de calor a volume constante e compressão isobárica.


.2

(D) rejeição de calor a volume constante e rejeição de calor isentrópica.


83
D

(E) compressão isentrópica e compressão isobárica.


1
9.
14

Resolução:

As linhas 2-3 dos diagramas correspondem aos processos de fornecimento


de calor. No ciclo Otto, o processo ocorre a volume constante, e no ciclo Diesel a
pressão constante.
30

 
-
67

Alternativa (A) 

.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 11

14
. 26
83
Questão 13
64 ( Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2012 )

1
9.
14
O rendimento térmico do ciclo padrão ar de Otto é dado pela expressão nt = 1 − r(1−k), onde k é o expoente politrópico
para o ar.
Para um motor cujo volume máximo deslocado por um pistão é de 488 cm3 e o volume da câmara de combustão é igual a
149.183.267-30
61 cm3, o rendimento térmico é expressa por
(A) ηt = 1 − 0,875(1−k)
(B) ηt = 1 − 1,125(1−k)
(C) ηt = 1 − 7(1−k)

0
(D) ηt = 1 − 8(1−k)

-3
(E) ηt = 1 − 9(1−k)

2 67
3.
Resolução:
18
9.
A taxa de compressão é definida como a relação entre o volume total do
14

cilindro e o volume da câmara de combustão:

T
V1

30
r=
V2

7-
V +v
r=

26
AF
30

v
488 + 61

3.
7-

r= 18
61
26

r=9
9.
3.

14
18

Portanto, o rendimento será dado por:


9.
14

ηt = 1 − 9(1−k) 149.183.267-30
R
 
3 0

Alternativa (E) 

6 7-
.2
83
D - 30

14
9.
1
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 12

14
. 26
83
Questão 14
( Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2012 )

1
65

9.
14
Em ensaios distintos e nas mesmas condições de um motor aspirado que funciona tanto com álcool quanto com gasolina,
verificou-se que a RAC na rotação de 5000 RPM foi de 13,5:1 para a gasolina e 9:1 para o álcool. Em ambos os casos o
motor funcionou perfeitamente.

149.183.267-30
Se no ensaio com gasolina, foram consumidos 36,5 kg de combustível, a massa de álcool, em kg, consumida é
(A) 18,25
(B) 21,90
(C) 54,75

0
(D) 60,83

-3
(E) 91,25

2 67
3.
Resolução:
18
9.
Para a mesma rotação, a quantidade de ar que entra no motor será a mesma
14

em ambos os casos.

T
Pela definição da relação ar-combustível:

30
mar

7-
AC =

26
mcomb
AF
30

mar = ACmcomb

3.
7-

18
26

9.
Como nos dois casos a massa de ar é a mesma, então:
3.

14
18

ACgasolina mgasolina = ACalcool malcool


9.

13, 5 × 36, 5 = 9malcool


14

13, 5 × 36, 5 149.183.267-30

malcool =
R
9
3 0

malcool = 54, 75 kg
6 7-

 
.2

Alternativa (C) 

83
D - 30

14
9.
1
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 13

14
. 26
83
Questão 15
( Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2012 )

1
67

9.
14
Um motor diesel de seis cilindros tem um volume total de 12,0 litros e taxa de compressão de 16:1.
Com base no ciclo padrão ar de Diesel, para esse motor, se a razão de corte é igual a 2,5, a razão entre o volume deslo-
cado por um cilindro ao final do processo de fornecimento de calor a pressão constante, e o volume máximo desse mesmo
149.183.267-30
cilindro é
(A) menor que 0,10
(B) maior que 0,10 e menor que 0,12
(C) maior que 0,12 e menor que 0,18

0
(D) maior que 0,18 e menor que 0,20

-3
(E) maior que 0,20

2 67
3.
Resolução:
18
9.
Se o motor tem 6 cilindros, então o volume total de um cilindro é:
14

12

T
V1 = =2L
6

30
Como a taxa de compressão é de 16:1, pode-se calcular o volume da câ-

7-
26
mara de combustão:
AF
30

3.
V1
7-

r= 18
V2
26

2
9.
16 =
3.

V2
14
18

V2 = 0, 125 L
9.
14

O volume do cilindro após o fornecimento de calor a pressão constante pode 149.183.267-30


R
ser obtido pela definição da razão de corte do motor:
3 0
7-

V3
rc =
6

V2
.2

V3
2, 5 =
83
D

0, 125
1

V3 = 0, 3125 L
9.
14

Portanto, a relação procurada será:


V3 0, 3125
= = 0, 156
V1 2
30

 
Alternativa (C) 
-


67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 14

14
. 26
83
Questão 16
( Engenheiro(a)
53 Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2011 )

1
9.
14
O ciclo padrão a ar Otto e o ciclo padrão a ar Diesel con-
sistem em quatro processos.
Nesse contexto, considere as afirmativas a seguir.
149.183.267-30

I - O processo de compressão isoentrópica pertence a

0
ambos os ciclos.

-3
II - O processo de fornecimento de calor a volume cons-

67
tante pertence a ambos os ciclos.

2
III - O processo de expansão isoentrópica pertence a

3.
ambos os ciclos.

18
IV - O processo de rejeição de calor a volume constante
9.
pertence a ambos os ciclos.
14

T
Está correto o que se afirma APENAS em

30
(A) I e II
(B) II e III

7-
(C) III e IV

26
AF
30

(D) I, II e IV

3.
(E) I, III e IV
7-

18
26

9.
3.

Resolução:
14
18

Tanto o ciclo Otto quanto o Diesel apresentam compressão e expansão isen-


9.
14

trópicas, e rejeição de calor a volume constante. A única diferença está no pro-


149.183.267-30

cesso de fornecimento de calor, que ocorre a volume constante no ciclo Otto, e a


R 0

pressão constante no ciclo Diesel.


3
7-

Dessa forma, as alternativas I, III e IV estão corretas.


6
.2

 
83
D

Alternativa (E) 

1
9.
14
- 30
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 15

14
. 26
83
Questão 17
( Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2011 )

1
54

9.
14
O problema da detonação que pode ocorrer no motor de
ignição por centelha deixa de ocorrer no motor Diesel.

149.183.267-30
PORQUE

Somente o ar é comprimido durante o curso de compres-

0
-3
são do motor Diesel, ao contrário do motor de ignição por
centelha, no qual uma mistura ar-combustível é compri-

67
mida.

2
3.
Analisando-se as afirmações acima, conclui-se que

18
(A) as duas afirmações são verdadeiras, e a segunda
justifica a primeira.
9.
(B) as duas afirmações são verdadeiras, e a segunda não
14

T
justifica a primeira.
(C) a primeira afirmação é verdadeira, e a segunda é

30
falsa.

7-
(D) a primeira afirmação é falsa, e a segunda é verdadeira.

26
(E) as duas afirmações são falsas.
AF
30

3.
7-

18
26

Resolução:
9.
3.

14

A detonação pode ocorrer nos motores de combustão por centelha, uma


18

vez que nestes o combustível é injetado juntamente com o ar na admissão e, ao


9.
14

ser comprimido pelo pistão, pode atingir uma temperatura que ocasione a sua
149.183.267-30

autoignição.
R 3 0

Já nos motores diesel isso não ocorre, pois o combustível é injetado na câ-
7-

mara de combustão apenas depois do término do curso de compressão. Portanto,


6
.2

as duas alternativas estão corretas, e a segunda justifica a primeira.


83
D

 
1

Alternativa (A) 
9.


14
- 30
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30
149.183.267-30 149.183.267-30

3 0
3
18
7-
www.exatas.com.br

9.
Motores de Combustão 16

14
. 26
83
Questão 18 55
( Engenheiro(a) Júnior - Área: Mecânica - Transpetro 2011 )

1
9.
14
A pressão média efetiva (PME) pode ser usada como
parâmetro para comparar o desempenho de motores
alternativos de igual tamanho, sendo definida pela relação,
149.183.267-30
na qual W é o trabalho e V é o volume, apresentada em

0
(A)

-3
(D)

2 67
(B)

3.
18
9. (E)
(C)
14

T 30
Resolução:

7-
A pressão média efetiva é definida como a altura de um retângulo cuja base

26
AF
30

é o volume deslocado pelo pistão em um cilindro, e cuja área é igual ao trabalho

3.
7-

realizado em cada ciclo.


18
26

9.
Dessa forma, podem-se relacionar tais grandezas da seguinte forma:
3.

14
18

Wliq = Pef (Vmax − Vmin )


9.

Wliq
14

Pef =
Vmax − Vmin 149.183.267-30
R 0

 
3

Alternativa (D) 

6 7-
.2
83
D - 30

14
9.
1
67
.2
26 1
83 30
9.
7-
14
3.
18

Material de uso exclusivo de Lucas Vieira Parussolo Alves portador do CPF 149.183.267-30.
9.

É vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
14

149.183.267-30