Você está na página 1de 10

SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

A CONTRIBUIÇÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DENTRO DO CENÁRIO


EDUCACIONAL

Válter Joaquim dos Santos1

RESUMO
O artigo apresentado é parte da dissertação de mestrado que estuda a evasão
no ensino à distância formação continuada dos Agentes de Segurança
Pública. O objetivo do presente artigo procura descrever a importância das
Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) no cenário educacional por
meio de uma pesquisa bibliográfica, descritiva e qualitativa. O estudo apoiado
nos autores como: Azevedo (2007), Gadotti (2000) e outros, que subsidiaram a
pesquisa bibliográfica, de cunho qualitativa, trouxeram a visão dos padrões de
acesso ao conhecimento que estão sendo incorporados, tanto pelos alunos
como pelos professores em de todos os níveis de educação formal e não formal.
Esses espaços educativos por meio das TICs são influenciados como objeto de
conhecimento e como ferramenta didática. Além da necessária desconstrução
do modelo de ensino que é essencial quando se pensa criticamente sobre a
inclusão dessas ferramentas. Este artigo descreve o cenário atual das novas
tecnologias digitais e os desafios que elas representam para o ensino. Da
mesma forma, avança para algumas linhas de trabalho na área da formação de
professores. O objetivo do presente estudo trata da ressignificação do papel do
professor que é fundamental para sua prática pedagógica numa inclusão
significativa da tecnologia nos espaços de ensino.
Palavras – chave: Práticas Educativas. TICs. Cenário Educacional.

ABSTRACT
The article presented is part of the master dissertation that studies the evasion in
distance education continuing education of Public Security Officers. The aim of
this paper is to describe the importance of Information and Communication
Technologies (ICTs) in the educational setting through a bibliographical,
descriptive and qualitative research. The study supported by authors such as:
Azevedo (2007), Gadotti (2000) and others, who supported the qualitative
bibliographic research, brought the vision of the standards of access to

1Professor de Ensino do Primeiro Grau (Habilitação para o exercício do magistério) – Centro de


Capacitação e Aperfeiçoamento Profissional do Estado de Goiás – CECAP - GO, 1.986; Estudos
Adicionais na área de Estudos Sociais – Habilitação Específica para o exercício do magistério, 1987;
Licenciatura em Ciências Físicas e Biológicas com habilitação Plena em Ciências Biológicas –
Universidade Federal de Mato Grosso, 1989; Bacharel em Ciências Jurídicas (Direito) – Centro de
Ensino Superior de Rondonópolis, 1996; Pós-graduado “Lato Sensu” em Psicopedagogia, Univag, 2002.
Pós-graduado “Lato Sensu” em Gestão em Segurança Pública – Curso Superior de Polícia, 2.004,
UFMT, Cuiabá-MT; Pós-graduado “‘Lato Sensu” – Curso de Informática em Educação, UFLA, Lavras-
MG, 2.003; Pós-graduado “Stricto Sensu” – Mestrado em Ciência da Educação, Universidade
tecnológica Intercontinenal – UTIC, Asunción-PY, 2007.)

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

knowledge that are being incorporated, both by students and teachers. of all
levels of formal and non-formal education. These educational spaces through
ICTs are influenced as an object of knowledge and as a didactic tool. In addition
to the necessary deconstruction of the teaching model that is essential when
critically thinking about the inclusion of these tools. This article describes the
current landscape of new digital technologies and the challenges they pose for
teaching. Similarly, it moves to some lines of work in the area of teacher
education. The aim of this study is to redefine the role of the teacher, which is
fundamental for a significant inclusion of technology in teaching spaces.
Keywords: Educational Practices. ICTs Educational setting.

1. INTRODUÇÃO

Na última década, os sistemas de mídia e educação sofreram mudanças


devido ao desenvolvimento e disseminação de novas tecnologias de informação
e comunicações pela Internet.

Segundo Neto (2009), “a educação e a formação serão os principais


vetores de identificação, pertencimento e promoção social”. Isso tenta transmitir
porque é importante pensar sobre as TICs na EAD como um meio de ensino, o
que ajudou a pensar e também como o desenvolvimento tecnológico está
forçando a criação de novas abordagens nas teorias sobre ensino e
aprendizagem usando as novas tecnologias de ensino informação e
comunicação como meio para esse alavancar o cenário educacional.

A grande quantidade de recursos de informação que surgiram no


mercado teológico deram vida a educação, pois lançou as bases sobre as quais
muitas investigações coincidiram na previsão de mudanças radicais nas
instituições de ensino, principalmente EAD. Esta sociedade do conhecimento
pode ser definida como: “um estágio de desenvolvimento social caracterizado
pela capacidade de seus membros (alunos e professores) para obter,
compartilhar e processar qualquer informação por meios das mídias
instantaneamente, de qualquer lugar e da maneira que preferir” (COLL, 2010).

Nesse contexto, a importância das TICs, a chave para o momento atual


está nos conteúdos e serviços aos quais professores, alunos podem acessar.

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

Em outras palavras, uma infraestrutura por meio da EAD úteis, que são cada vez
mais uma condição necessária para a renovação educacional.

Segundo Aquino (2013), as novas TICs estão promovendo uma nova


visão de conhecimento e aprendizado". Um compromisso com a formação
tecnológica é essencial, o que também implica uma metodologia de apoio para
que os professores evoluam do seu papel de transmissores de conhecimento
para filtrar e orientar na interpretação dos mesmos. Desta forma, a pesquisa traz
como objetivo descrever a ressignificação do papel do professor em sua prática
pedagógica que é fundamental para uma inclusão significativa da tecnologia nos
espaços de ensino.

2. CONTEXTO ATUAL DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS

As Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) cruzaram todos os


aspectos mudando nossa visão de mundo. Consequentemente, os padrões de
acesso ao conhecimento e relacionamento interpessoal também foram
modificados e complexados (BARBOSA, 2004).

Muito tem sido escrito sobre o tema das mudanças tecnológicas, as


diferentes visões sobre a realidade e as consequências que essas mudanças
produzem e produzirão no desenvolvimento da ciência e no fortalecimento do
trabalho interdisciplinar e multidisciplinar no contexto educativo (COLL, 2010).

Podemos ver que o mundo está se transformando rapidamente e com


isso todas as atividades humanas. Segundo Coll (2010), a velocidade com que
algumas dessas mudanças ocorrem em todos os níveis, tanto nas esferas
científica e tecnológica, geográfica, política e até moral, nos impacta e nos força
a fazer esforços de adaptação importantes e permanentes.

Belloni (2002), explica que esse mundo tecnológico cada vez mais
complexo desafia a retornar, mais uma vez, às ideias de aprendizado e ensino.
Acredita-se que, nesse ponto, os professores podem basear uma reflexão

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

oportuna sobre como incluir tecnologias nas práticas de ensino. Esta reflexão
deve ter um duplo significado:

✓ - Reflexão epistemológica: implica pensar sobre o que são as Tecnologias


da Informação e da Comunicação, que mudanças elas implicam na realidade,
para que servem, como podem ser utilizadas (dependendo da situação
educacional, valores éticos, etc.).
✓ - Reflexão pragmática: Com base no conhecimento dessas novas
tecnologias, deve-se analisar como é possível aprimorar seu uso em termos de
diferentes contextos de ensino e aprendizagem.

Esta última reflexão nos posiciona numa necessária desconstrução de


nossas práticas de ensino, indo em direção a concepções implícitas sobre o que
acreditamos ser aprender e ensinar, e quais são nossos modelos implícitos de
aluno e professor.

Segundo Faria (2007), os novos contextos tecnológicos e a necessidade


de melhorar a qualidade das ofertas educacionais na EDA em todos os níveis de
ensino (neste caso, vamos nos concentrar na formação de professores),
sustentam a necessidade de incorporar as TICs em situações educacionais.
Mas: quais poderiam ser os caminhos possíveis para essa incorporação? Como
podemos preparar professores para que eles possam acompanhar essa
mudança?

Gonnet (2004) fala da importância de um plano para capacitação dos


professores para abordar o uso das TICs na educação baseado em três pilares:

1. Tecnologia como objeto de conhecimento e estudo;

2. Tecnologia como um cenário virtual de ensino e aprendizagem;

3. Tecnologia como ferramenta de fortalecimento das habilidades


metacognitivas;

São pontos importantes que deve constar num planejamento que


surgem ao considerar a inclusão de tecnologias na formação dos professores de
EAD. Essas ferramentas tecnológicas pressupõem um novo papel para

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

professores e alunos e baseiam-se na garantia de que a aprendizagem deve se


basear na promoção do senso crítico e no desenvolvimento de estratégias de
apropriação e ressignificação do conhecimento. A Internet está se tornando cada
vez mais a nova linguagem da alfabetização, na qual todos nós devemos tomar
partido. E se usarmos isso para ensinar, devemos começar entendendo que o
processo precisa ser revisado e reconstruído à luz de novas lógicas.

2.1. Tecnologia como objeto de conhecimento e estudo

A reflexão sobre a estrutura e princípios de funcionamento das


tecnologias deve estar presente na formação de professores. Por exemplo, como
disciplina ou visão transversal de uma área de disciplinas dentro do currículo de
formação de professores (MAIA, 2007).

Faria (2007), explica que na realidade das universidades a distância, a


capacitação sobre a tecnologia que os professores recebem é escasso ou nulo.
Portanto, a visão que eles apoiam é meramente artificial e, em muitos casos,
acompanhada de um olhar tecnofóbico que nos afasta da necessária reflexão
crítica que deve nos acompanhar nesse caminho.

[...] Devemos ser realistas e não acreditar que seja possível formar
especialistas no uso de todas as tecnologias, mas profissionais críticos
e responsáveis nessa área (FARIAS, 2007, p.45).

Segundo o autor, ao aderir àquelas concepções que enfocam a


tecnologia educacional como uma "maneira de olhar e pensar sobre a realidade”.
(p.46). É por isso que a posição do educador deve ser afirmada no ensino para
pensar em tecnologias, com tecnologias e através de tecnologias. Em resumo,
deve percorrer o caminho da "resistência" para a "desmistificação" da tecnologia
e do uso "artificial" para o "uso crítico".

2.2. Tendências do Sistema Educacional a Distância

Num mundo de crescente complexidade, globalização e mudanças


aceleradas, todas as entidades, sejam elas públicas ou privadas, vêm
sentindo a necessidade de se adequarem às novas perspectivas de
mercado, pois as formas tradicionais de organização não produzem mais

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

efeito. A todo o momento a competitividade empresarial impõe desafios às


companhias e vencê-los pode significar a conquista de oportunidades.

Neste contexto, Moran (2000), salienta a importância do EAD ,


como uma forma de estabelecer a educação contínua ou continuada, que
ocorre no processo de formação constante, de aprender sempre, de
aprender em serviço, juntando teoria e prática, refletindo sobre a própria
experiência, ampliando-a com novas informações e relações.

O sistema de Educação a Distância, apesar de estar em plena


expansão, tem enfrentado muitos desafios provenientes do contexto sócio -
cultural e político, caracterizados pela sociedade da informação. Para
superar esses desafios é preciso estipular metas, manter uma organização
estruturada e, sobretudo, profissionais qualificados para atuar no setor.

Os professores deverão desempenhar o papel de coordenadores,


experimentando idéias e testando novas funções para o ambiente de forma
a desenvolver interações entre professores e alunos e com outros docentes
fora do ambiente, em constante troca de informações, integrando as
ferramentas necessárias para a aplicação um curso completamente à
distância Fuks (et al, 2007, p. 1).

O crescimento do Sistema Educacional a Distância segue uma


tendência mundial, a qual é responsável pela conscientização por parte dos
profissionais a respeito da educação continuada. No entanto, um dos
maiores desafios a serem enfrentados está diretamente ligado ao padrão
de qualidade dos cursos, pois não basta expandir, antes, é preciso primar
pelo desempenho de forma eficiente desse sistema revolucionário, como
esclarece Pretto (et al, 2007, p. 15):

[...] A tecnologia sempre foi instrumento de inclusão social, mas


agora isso adquire novo contorno, não mais como incorporação
ao mercado, mas como incorporação à cidadania e ao mercado,
garantindo acesso à informação e barateando os custos dos
meios de produção multimídia através das novas ferramentas que
ampliam o potencial crítico do cidadão, como consumidores,
emissores e receptores de saber e informação, seres ao mesmo

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

tempo autônomos e conectados em redes, que são a nova forma


de coletividade.

A utilização de meios de comunicação on-line, bem como das


ferramentas destinadas ao uso do ensino à distância, devem ser coerentes
com as metodologias estipuladas pelos professores, já os processos
educacionais precisam ser amplos, deve haver humanização nas relações
como forma de motivação, avaliar constantemente os procedimentos
utilizados, com o objetivo de satisfazer a demanda garantindo o
crescimento da EAD com qualidade e eficiência.

O processo de mudança na educação passa por algumas


dificuldades, decorrentes da incerteza frente ao novo contexto, assim como
qualquer outro processo em metamorfose, enfrentam períodos de tensões,
questionamentos adaptações até que se concretizem de forma satisfatória
os objetivos propostos.

Dentre inúmeros desafios que circundam o sistema de EAD, Litwin


(2001, p. 20), salienta:

[...] O desafio permanente da educação a distância consiste em


não perder de vista o sentido político original da oferta, em
verificar se os suportes tecnológicos utilizados são os mais
adequados para o desenvolvimento dos conteúdos, em identificar
a proposta de ensino e a concepção de aprendizagem subjacente
e em analisar , de que maneira os desafios da distância são
tratados entre alunos e docentes e entre os alunos.

Depois da definição da estrutura de EAD deve-se ter em mente os


objetivos da instituição e a necessidade de uma estrutura composta por um
currículo variado, com características de integração, interação entre as
disciplinas, necessários para que a EAD se torne assunto abordado em
discussões das políticas institucionais.

Neste contexto, o presente trabalho no intuito de forne cer


informações acerca de uma realidade atual e relevante no que concerne o
estudo a distância, por meio de instituições como SENASP/SEAT –
SEJUSP/MT, apresentará definições, estruturação, metodologias e

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

tecnologias utilizadas por essas instituições com o objetivo de oferecer um


estudo à distância de qualidade.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Apresentamos algumas considerações a partir do referencial teórico da
tecnologia educacional em relação à formação de professores. Podemos fechar
essa colaboração com algumas ideias-chave ao pensar sobre a inclusão de
tecnologias em espaços de treinamento:

Embasado nos teóricos, neste estudo, compreendeu que o primeiro


passo sobre que tipo de formação será oferecida para atingir a qualidade na
educação, visando integrar os processos mediados pelas TICs com a geração
de habilidades em professores e alunos.

Dessa forma, deve orientar a formação considerando a cultura


institucional, sustentar processos e grupos de trabalho; pensar a longo prazo;
Planejar a alfabetização e o gerenciamento de mudanças; treinar todos os
envolvidos; planejar a transferência para a tarefa de ensino; avaliar processos e
resultados; usar os resultados para melhorar futuras implementações.

Essas considerações encaminham para o uso das TICs nos espaços de


ensino como tema central da gestão educacional. Neste sentido, conclui-se que
esta colaboração tenta lançar luz sobre as bases conceituais e metodológicas
sobre as quais esta gestão deve ser sustentada, se resume em um caminho
longo e incerto, uma vez que a tecnologia sempre nos coloca diante do desafio
de sua apropriação e uso educacional, mas devemos percorrê-la com a certeza
de que a constante formação, a reflexão e a pesquisa nos ajudarão nesse
caminho.

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

REFERÊNCIAS

AQUINO, Rosemary. Educação a distância: facilitadora do acesso à


formação profissional. Revista Augustus. Rio de Janeiro, 2007.
Disponível em Acessado em 25 de janeiro de 2013.

AZEVEDO, W. Panorama atual da educação a distância no Brasil.


Disponível em: <monitoria@newtonpaiva.br> Acesso em: 15 Jun. 2007.

BARBOSA, Eduardo F., MOURA, Dácio G., BARBOSA, Alexandre F. Inclusão


das Tecnologias de Informação e Comunicação na educação através de
projetos. Trabalho apresentado no Congresso Anual de Tecnologia da
Informação – CATI. São Paulo, 2004.

BELLONI, M.L.; SUBTIL, M.J. Dos audiovisuais à multimídia. In: BELLONI,


M.L. (Org.). A formação na sociedade do espetáculo. São Paulo: Loyola, 2002.

COLL, César; MONEREO, Carles. Educação e aprendizagem no século


XXI: novas ferramentas,novos cenários, novas finalidades. COLL,
Cesar; MONEREO, Carles. Psicologia da educação virtual: aprender e
ensinar com as tecnologias da informação e da comunicação. Porto
Alegre:Artmed, 2010. (p. 15 – 46)

FARIA, M. A. de. Curso de capacitação de professores em EAD.


Disponível em: < http://www.virtual.unilestemg.br/artg_capacitacao.html>
Acesso em: 07 Maio 2007.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas Atuais da Educação. São Paulo em


Perspectivas, 14 (2), 2000.

GONÇALVES, Marluce Torquato Lima. NUNES, João Batista Carvalho.


Tecnologias de informação e comunicação: limites na formação e prática
dos professores. In: GT – Educação e Comunicação / n. 16. 2006.

GONNET, J. Educação e mídias. São Paulo: Loyola, 2004.

MAIA, M. de C.; Meirelles, F. de S. Tecnologias de informação e


comunicação e os índices de evasão nos cursos a distância. 2005.
Disponível em: <www.mmaia@fgvsp.br> Acesso em 19 Jun. 2007.

MORAN, J. Mudanças na comunicação pessoal. 2. ed. São Paulo: Paulinas,


2000a. Disponível em:
<http://portal.mec.gov.br/index.php?option=content&task=view&
id=6724&flagnoticias=1&itemid=6874> Acesso em: 13 Jun. 2007.

Site http://scientificmagazine.com.br/
SCIENTIFIC MAGAZINE-, Ano XIII - ISSN: 2177-8574

NETO, A. S. Didática e design instrucional. Curitiba: IESDE Brasil S.A.


2009

TAVARES, V. O ambiente inovador da EaD na prática pedagógicas.


Revista Eletrônica SEED-MEC, 2006. Disponível em:
<http://www.revistaeletronicase edmec.com.br> Acesso em: 17 Jun. 2007.

VALENTE, José Armando. O uso inteligente do computador na educação.


Revista Pedagógica Pátio. São Paulo: Artes Médicas Sul, maio-julho 1997, p. 19-
21.

VENTURA, Paulo Cezar S.; OLIVEIRA, Leandra M. A prática da aprendizagem


por projetos em três óticas distintas. Revista Educação e Tecnologia, Belo
Horizonte, v.10, n.2, p.22-28, jul./dez. 2005.

Site http://scientificmagazine.com.br/