Você está na página 1de 3

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO

1) Como ocorre o transporte de ácidos graxos pela membrana plasmática e


pelas membranas mitocondriais? Explique como funciona o sistema carnitina.

R= Os ácidos graxos, energeticamente ricos, são ácidos orgânicos de cadeia


longa, possuindo de 4 a 24 átomos de carbono. São formados por um único
grupo carboxila e uma cauda hidrocarbonada não-polar , que confere à maioria
dos lipídios a sua natureza oleosa e gordurosa e, portanto, são insolúveis em
água. Os ácidos graxos não ocorrem nas células ou tecidos numa forma não-
combinada ou livre, mas sim em formas covalentemente ligadas a diferentes
classes de lipídios, a partir dos quais eles podem ser liberados por hidrólise
química ou enzimática. A liberação da energia contida nos ácidos graxos só
ocorrerá no interior das mitocôndrias (matriz mitocondrial) onde eles se
oxidam. Entretanto como a membrana da mitocondria não permite a entrada
direta do ácido graxo, este terá que ser ativado, passar pela membrana
mitocondrial e então sofrer oxidação liberando esta enorme quantidade de
energia por grama de ácido graxo oxidado. Portanto, há três diferentes etapas
na oxidação do ácido graxo.

Na etapa de ativação, o grupo carbonila do ácido graxo se liga ao grupo SH


da Coenzima A formando uma ligação tioéster entre estes grupos.
Posteriormente, pela ação das acil-CoA sintetase, que estão presentes na
membrana externa da mitocondria, os ácidos graxos são convertidos à acil-CoA.
O processo de ativação do ácido graxo a acil-CoA é irreversível .

 A próxima etapa será introduzir o ácido graxo ativado (acil-CoA) no interior da


matriz mitocondrial para sofrer oxidação. Entretanto, como a membrana
interna é impermeável à Coenzima A e acil-CoA, um sistema específico de
transporte será necessário para introduzir o grupo acila no interior da matriz
mitocondrial. Portanto, na etapa de transporte, na face externa da membrana
interna, a carnitina-acil transferase I transfere o radical acila para a carnitina,
que se encontra no interior da membrana interna, e na face interna a carnitina-
acil transferase II doa o grupo acila da acil-carnitina para uma Coenzima A da
matriz mitocondrial, liberando a carnitina.

2) O que é beta-oxidação? Quais os produtos gerados? Quantas vezes um ácido


graxo de 20 carbonos sofre beta-oxidação?

R= Seria a via de oxidação dos ácidos graxos. Nela ocorre na matriz


mitocôndrial e sua função é produzir acetil-coa que será utilizado no ciclo de
krebs, da mesma forma que o acetil-coa gerado pela glicólise .

3) Calcule o saldo energético da oxidação de um ácido graxo de 24 carbonos.


R= Uma molécula de palmitato, por exemplo, produz um saldo líquido de
129 ATPs, enquanto uma molécula de glicose produz apenas 32.

4) O que ocorre com o piruvato em condições de alta oxidação lipídica? Por quê?
Qual a importância disso?

R= Conversão do piruvato produzido no citosol a Acetil-CoA se dá na mitocôndria,


onde também ocorre o Ciclo de Krebs. O responsável é um complexo dito piruvato
descarboxilase. Além da possibilidade de entrar no Ciclo de Krebs, o Acetil-CoA é o
precursor na síntese de lipídios, e é a ponte para destes a partir de um excesso de
açúcar no organismo. E é justamente esta reação de conversão do piruvato a acetil-
CoA que determina a impossibilidade dos animais de fazer o inverso: a conversão de
lipídios em carboidratos não é possível dada a irreversibilidade desta reação. Os
animais não possuem qualquer forma de sintetizar carboidratos partindo de um
número de carbonos inferior a 3.

5) O que é transaminação e desaminação? Qual a sua importância?

R= A transaminação é uma reação caracterizada pela transferência de um


grupo amina de um aminoácido para um ácido α-cetônico, para formar um
novo aminoácido e um novo ácido α-cetônico, efetuado pelas transaminases.
Desaminação é o processo pelo qual o aminoácido libera o seu grupo amina na
forma de amônia e se transforma em um cetoácido correspondente. Ambos os
processos são importantes para permitir a retirada do grupo amina do
aminoácido para que o mesmo possa ser utilizado na oxidação para gerar ATP
ou produção de compostos não nitrogenados, como glicose, glicogênio e ácidos
graxos.

6) Quais os aminoácidos preferencialmente oxidados pela musculatura? E quais


os liberados principalmente?

R= . Todos aminoácidos podem ser oxidados pelo músculo, mas os principais


são os aminoácidos de cadeia ramificada.

7) Qual o destino dos aminoácidos liberados pela musculatura? Para que


servem?
R. Aminoaciados liberam alamina e glutamina são substratos de transporte de
amônia dos tecidos para o fígado. Alamina na contratação muscular vigorosa é
ativada a liberação de piruvato e lactato, da glicólise e amônia e
o piruvato formam alanina que no fígado e reconvertido em glicose. Doença
hepática leva a um comprometimento na degradação de aminoácidos e na
síntese de uréia.

8) O que ocorre com o piruvato em condições de alta oxidação de aminoácidos?


Por quê? Qual a importância disso?
R= Acontece o chamado de ciclo de Krebs, compreende 8 reações, envolvendo
8 enzimas e 8 ácidos carboxi ́licos, di e tri-ácidos, todos dispersos na matriz da
mitocondria. Dessa forma , iniciando no piruvato e passando pelo acetilCoA,
ocorre oxidação completa desses metabolitos liberando 3CO2 sem participação
de O2 molecular. Os agentes oxidantes em todas as reações são NAD+ ou FAD e
as formas reduzidas destas co-enzimas (NADH + FADH2 ), resultants do
processo, só são reoxidadas na cadeia respirató ria, uma via especializada que
se localiza na membrana mitocondrial interna e será considerada mais adiante.