Você está na página 1de 1

2 Portos Brasileiros TERÇA-FEIRA, 23 DE AGOSTO DE 2011 INFORME PUBLICITÁRIO

HIDROVIAS
Veja onde estão w 1 | Hidrovia
Solimões-Amazonas

localizadas as
principais no Brasil w 4 | Hidrovia
Tocantins-Araguaia w 5 | Hidrovia
do Parnaíba

w 2 | Hidrovia
Teles Pires-Tapajós
s trechos hidroviários mais

O importantes, do ponto de vista


econômico, encontram-se no Sudeste e
no Sul do País. O pleno aproveitamento de outras
w 3 | Hidrovia
vias navegáveis depende da construção de do Madeira
eclusas, pequenas obras de dragagem e,
principalmente, de portos que possibilitem a w 6 | Hidrovia do
São Francisco
integração intermodal. Entre as principais hidrovias
brasileiras, destacam-se duas: a Hidrovia Tietê-
Paraná e a Hidrovia Taguari-Guaíba.
w 4 | Tocantins-Araguaia • A
w 1 | Solimões-Amazonas • Bacia do Tocantins é a maior bacia localizada
A quase inexistência de malhas rodoviária e inteiramente no Brasil. Durante as cheias, seu
ferroviária na região faz com que essa hidrovia ganhe principal rio, o Tocantins, é navegável numa
importância no abastecimento de cidades como extensão de 1.900 quilômetros, entre as cidades
Manaus. É, ainda, fundamental para o comércio de Belém, no Pará, e Peixes, em Goiás, e seu
potencial hidrelétrico é parcialmente aproveitado w 8 | Hidrovia
exterior, para o embarque de bauxita, minério de ferro, Paraguai-Paraná
soja e madeira, entre outros grupos de mercadorias. na Usina de Tucuruí, no Pará. O Araguaia cruza o w 7 | Hidrovia
Com quase sete mil quilômetros de extensão (cerca Estado de Tocantins de norte a sul e é navegável Tietê-Paraná
de 3.800 km no Brasil), sua posição estratégica – as num trecho de 1.100 quilômetros. A construção da
águas cortam toda a região Norte do País, Hidrovia Araguaia-Tocantins visa criar um corredor
praticamente sobre a linha do Equador – proporciona de transporte intermodal na região Norte.
maior proximidade com os mercados europeu e norte-
americano. w 5 | Parnaíba • Com extensão aproximada
de 1.260 quilômetros, é constituída pelos rios
w 2 | Teles Pires-Tapajós • Com Parnaíba e Balsas e os canais que formam o delta w 8 | Paraguai-Paraná • Um dos
área de influência de 1.576 quilômetros, a hidrovia do Parnaíba. Sua área de influência abrange os w 9 | Hidrovia mais importantes eixos de integração. São 3.442
tem o potencial de consolidar a infraestrutura Estados do Maranhão e Piauí e parte do Ceará, Uruguai-Brasil quilômetros, que servem cinco países: Brasil,
necessária para tornar o Mato Grosso e parte da Tocantins, Bahia e Pernambuco, com Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai, de Cáceres
região Centro-Oeste do País “celeiro mundial” da movimentação de carga de babaçu, mamona, (MT) a Nova Palmira (Uruguai). A hidrovia é
produção de grãos. A hidrovia, porém, ainda está dendê, oleaginosas, soja, milho (primeira e parcialmente utilizada desde os tempos coloniais.
em fase de estudos de viabilidade econômica e segunda safras), algodão e cana-de-açúcar. Hoje, são realizados estudos para adequar alguns
ambiental. trechos à navegação
w 6 | São Francisco • Entre a serra da
w 3 | Madeira • O rio Madeira é um dos Canastra, onde nasce, em Minas Gerais, e sua w 9 | Uruguai-Brasil • Os governos
principais afluentes da margem direita do foz, na divisa de Sergipe e Alagoas, o "Velho w 10 | Hidrovia
Taguari-Guaíba brasileiro e uruguaio discutem os termos para
Amazonas. A hidrovia, com as novas obras Chico", como é conhecido o maior rio situado implantação de transporte fluvial e lacustre da
realizadas para permitir a navegação noturna, está inteiramente em território brasileiro, é o grande hidrovia, que terá 2.200 quilômetros de extensão.
em operação desde abril de 1997. As obras ainda fornecedor de água da região semiárida do Juazeiro, na Bahia, num trecho de 1.300 No Brasil, passará pelas lagoas dos Patos e Mirim
em andamento visam baratear o escoamento de Nordeste. Seu principal trecho navegável situa-se quilômetros. Nele estão instaladas as usinas (RS). A discussão envolve plano diretor,
grãos no Norte e no Centro-Oeste. entre as cidades de Pirapora, em Minas Gerais, e hidrelétricas de Paulo Afonso e Sobradinho, na regulamentação de navegação, segurança
Bahia; Moxotó, em Alagoas; e Três Marias, em aduaneira, licença ambiental, tráfego, implantação
Minas Gerais. Os principais projetos em execução de terminais e concessões.
ao longo do rio visam melhorar a navegabilidade
e permitir a navegação noturna. w 10 | Taguari-Guaíba • Com 686
quilômetros de extensão, no Rio Grande do Sul,
w 7 | Tietê-Paraná • Esta via possui esta é a principal hidrovia brasileira em termos
enorme importância econômica por permitir o de carga transportada. É operada por uma frota
transporte de grãos e outras mercadorias de três de 72 embarcações, que podem movimentar um
estados: Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo. total de 130 mil toneladas. Os principais produtos
Ela possui 1.250 quilômetros navegáveis, sendo transportados na hidrovia são grãos e óleos. Uma
450 no rio Tietê, em São Paulo, e 800 no rio de suas importantes características é ser bem
Paraná, na divisa de São Paulo com o Mato servida de terminais intermodais, o que facilita o
Grosso do Sul e na fronteira do Paraná com o transbordo das cargas. No que diz respeito ao
Paraguai e a Argentina. Para operacionalizar tráfego, outras hidrovias possuem mais
esses 1.250 quilômetros, há necessidade de importância local, principalmente no transporte
conclusão de eclusa na represa de Jupiá para que de passageiros e no abastecimento de
os dois trechos se conectem. localidades ribeirinhas.

AGENDA DE EVENTOS
ww XVII Fórum ww Conferência ww I Seminário de
Internacional Internacional de Direito,
Logística - Finanças Desenvolvimento
Expo.Logística Portuárias Portuário e
2011 • Dias 5 e 6 de outubro Construção Naval
• De 12 a 14 de setembro Bolsa de Valores do do Rio Grande
Hotel InterContinental – Rio de Janeiro • Dias 10 e 11 de novembro
Rio de Janeiro www.portfinanceinternational. Universidade Federal
www.expologistica.com.br/ com do Rio Grande – Furg
www.sediportnavrg.site.com.br

PRÓXIMAS EDIÇÕES
Estudio 58

EM CADA EDIÇÃO, INFORMAÇÃO E ANÁLISE


DOS PORTOS DO BRASIL, EXPERIÊNCIAS PELO
MUNDO E MATÉRIAS ESPECIAIS DE CAPA

27 de setembro Porto do Pecém e os portos do Nordeste


25 de outubro Portos do Espírito Santo e os portos da
região Norte brasileira

EXPEDIENTE ESPECIAL PORTOS – quarta de uma série mensal de seis edições.


Suplemento produzido pela
2M10 Serviços de Comunicação – doisemedez@gmail.com
• Jornalista-responsável: Lenita Outsuka - MTb n0 14.329
• Reportagem: Márcia Moreno, Kazuo Inoue • Revisão: Mauro de Barros
• Projeto gráfico e DTP: Jo Acs e Mozart Acs • More - Arquitetura de
Informação www.more-ai.com.br