Você está na página 1de 65

CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

Tradução para o Português de


THE GREEK NEW TESTAMENT
According to Family 35


Edição do Texto Grego: Dr. Wilbur Norman Pickering (www.prunch.org). Tradução: Carlos
Xavier.
SUMÁRIO

Breve introdução para auxílio ao estudo do Texto .................................. 3

Carta de Paulo aos Gálatas (Tradução Literal) ....................................... 7

Notas de Fim ......................................................................................... 20

Carta de Paulo aos Gálatas (Tradução Livre) ....................................... 31

Apontamentos acerca do Trabalho de Tradução .................................. 44

Quadro Comparativo das Traduções .................................................... 52


CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS
Breve introdução para auxílio ao estudo do Texto

1. Data provável de redação e local:

Alguns consideram que a Carta aos Gálatas tenha sido escrita no ano 49 d.C.,

o que faria dela o primeiro dos escritos de Paulo. Se essa hipótese for correta, a

Carta foi escrita logo após a “primeira viagem” de Paulo e Barnabé (capítulos 13 e 14

de Atos). Isso a posicionaria antes da reunião registrada em Atos 15, sendo que um

dos principais argumentos para sustentar a hipótese é a ausência de menção

expressa na carta aos acontecimentos daquele evento.

No entanto, essa hipótese parece apresentar algum problema de cronologia,

levando-se em conta, especialmente, que a conversão de Paulo deve ter ocorrido em

36 d.C.

A fim de conciliar a data da redação de Gálatas com a cronologia da vida de

Paulo, tendo-se em vista, especialmente, sua participação naquela reunião em

Jerusalém na qual se discutiu o assunto da observância da lei pelas etnias, trabalha-

se aqui com a hipótese de que Gálatas 2.1-10 seja uma passagem paralela a Atos

15.4-29.

E, se for esse o caso, a diferença entre os relatos pode ser assim

compreendida: em Atos, aquele encontro ficou registrado sob a perspectiva pública

(aquilo que era necessário que todos os irmãos soubessem para que a questão

acerca da observância cerimonial da lei pelos gentios fosse resolvida); em Gálatas,

no entanto, Paulo passa uma visão “de bastidores” daquele mesmo encontro. Esse

relato “de bastidores” seria condizente com o escopo geral da Carta, supondo-se

que havia dois objetivos específicos de Paulo com esse relato. O primeiro, mostrar

 3 de 65
que havia “falsos irmãos” intrometidos no meio dos assuntos da igreja, sem nenhum

outro objetivo senão o de reduzir os verdadeiros irmãos à escravidão (Gálatas 2.4).

O segundo, demonstrar que os demais apóstolos (em especial Pedro, Tiago, o

irmão do Senhor, e João) reconheceram o seu comissionamento da parte do próprio

Senhor Jesus e de Deus Pai e lhe deram as mãos em comunhão (Gálatas 2.7-10).

Com esses objetivos em mente, diante da urgência da situação, não haveria

necessidade de Paulo fazer menção às conclusões da reunião. Aliás, como o exame

de Atos 15.22, 23a e 30 deixa claro, as conclusões daquela reunião (vv. 23b-29)

foram publicadas em carta, que logo deve ter circulado, não sendo exagerado supor

que cada igreja na Galácia dispusesse de uma cópia daquele comunicado. Perceba-

se que se essa hipótese estiver correta, Paulo, sabedor da circunstância, não teria

necessidade de transcrever o conteúdo daquela comunicação em Gálatas.

Sendo assim, a data provável de redação da Carta, assumida aqui, é algo

entre 54 e 56 d.C., possivelmente a partir de Éfeso, na “terceira viagem” de Paulo.

2. Destinatários da Carta e motivo de sua redação:

As "igrejas da Galácia" surgiram por pregação do Evangelho da parte do

próprio Paulo, junto com Barnabé, em sua "primeira viagem", por volta do ano 48 d.C.

Isso está relatado no Livro de Atos (embora não empregue literalmente a expressão

"Galácia" em 14.1 e 6, ali Lucas menciona cidades que pertenciam a esta região).

A carta foi escrita com o objetivo de lidar com a subversão do Evangelho que

os “judaizantes” estavam promovendo entre os irmãos (e este é, de fato, um dos

pontos chave para a compreensão da carta), e é endereçada não a uma igreja, mas

a várias: aparentemente, todas as igrejas daquela região estavam passando por este

problema.

 4 de 65
3. Chaves para compreensão do Texto:

Toda a Carta as Gálatas poderia, talvez, ser resumida em três versos: 1.6 e 7

e 2.20. Ela foi escrita para combater “um evangelho diferente” (1.6) que ensinava que

a circuncisão era necessária para a salvação (cf. Atos 15.1 e 5). Aqueles que

ensinavam isso foram denominados de “judaizantes.” O ensino é herege, e os

judaizantes eram hereges. O caráter herege desse ensino fica claro na medida em

que aqueles que o propagavam são chamados, em Gálatas 2.4, de “falsos irmãos.”

Naquele momento o “evangelho diferente” propunha a circuncisão em

especial, e a observância da lei cerimonial do Antigo Testamento em geral

(novamente, Atos 15.1 e 5), como algo necessário à salvação. Que a questão girava

em torno da própria salvação parece claro, especialmente, a partir de Gálatas 5.4,

passagem em que Paulo menciona que seus destinatários estavam buscando se

“justificar em lei” e, por isso, haviam “caído para fora da graça.”

Portanto, algo além de Cristo havia sido acrescentado como sendo necessário

à salvação.

Esse “evangelho diferente” pode assumir, e de fato assumiu ao longo da

História, diferentes roupagens, mas sempre tem a característica de acrescentar algo

à suficiência de Cristo.

Paulo contrapõe essa heresia com aquilo que ele mesmo chama de

“Evangelho do Cristo” (Gálatas 1.7) – note-se o artigo definido presente no Original.

Cristo é o Evangelho. Ele é todo-suficiente. No Cristo de Deus judeus e gentios estão

em pé de igualdade no que diz respeito à salvação, no que diz respeito às

promessas feitas a Abraão, e no que diz respeito à herança de Deus.

A consequência para um cristão encontra-se descrita no último verso aqui

reputado como chave, que é Gálatas 2.20: “não vivo mais eu, mas Cristo vive em

mim.” Cristo é todo-suficiente. Mas, para que Sua vida seja experimentada, só existe

 5 de 65
um lugar: a Sua cruz. Por isso, o verso começa com a afirmação: “tenho sido

crucificado junto com Cristo.”

Há, perceba-se, uma “dupla substituição na cruz.” Nela Cristo tomou meu

lugar, para assumir os meus pecados (sacrifício substitutivo de Cristo). Assim

também na cruz, e exclusivamente nela, eu troco a minha vida pela Vida d’Ele, do

bendito Filho de Deus (vida substituída de Cristo). Por isso, Gálatas 2.20 acrescenta

ainda: “o que vivo agora em carne, vivo em fé, a fé do Filho de Deus.” Note-se de

quem é a fé que comunica a Vida: de Cristo, o autor e aperfeiçoador da fé (Hebreus

12.2).

Estas são, em suma, as chaves para a compreensão da Carta. Primeiro, a

contraposição entre um “evangelho diferente” e o verdadeiro Evangelho. Depois,

quanto ao autêntico Evangelho, a total suficiência de Cristo, o sacrifício substitutivo

de Cristo e a Vida substituída de Cristo, que somente podem ser encontrados na Sua

cruz.

Explicações adicionais são apresentadas nas “notas de fim,” que

acompanham o Texto da tradução literal. Nas notas de rodapé constantes na

tradução literal, referências cruzadas, com o único objetivo de facilitar o exame das

Escrituras, eventualmente com alguma explicação. Após as notas de fim à tradução

literal, uma tradução livre, com o intuito de enriquecer o estudo e o exame da Palavra

de Deus, incluindo-se, também, após breves apontamentos sobre o trabalho de

tradução, um quadro comparativo com as traduções.

 6 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS
(Tradução Literal)

1.1 Paulo – enviado não da parte de homens, nem por um homem, mas

por Jesus Cristo e Deus Pai, que O ressuscitou dentre os mortos – 2 e todos os

irmãos que estão junto comigo, às igrejas da Galácia: 3 graça a vós e paz, da

parte de Deus Pai e de nosso Senhor Jesus Cristo, 4 o qual deu a Si mesmo

acerca dos nossos pecados, de maneira que nos recolhesse para fora da

presente era maligna, segundo a vontade do nosso Deus e Pai – 5 ao qual a

glória, pelas eras das eras adentro. Amém!

6 Maravilho-me que tão rapidamente estejais vos transferindo d’Aquele

que vos chamou em graça de Cristo para um evangelho diferente – 7 que não é

outro (do mesmo tipo), senão são alguns os que vos agitam e que querem

subverter o Evangelho do Cristo.

8 No entanto, caso mesmo nós, ou um anjo celestial vos evangelize ao

ladoI do que já vos evangelizamos, seja rejeitado.II 9 De tal maneira temos

preditoa e agora novamente digo: se alguém vos evangeliza ao lado do que

recebestes, seja rejeitado.

10 Pois agora persuado homens, ou Deus? Ou procuro agradar a

homens? Pois se ainda agradasse a homens não seria escravo de Cristo. 11

a
Cf. Atos 20.29-30; 2 Tessalonicenses 2.3-12; 1 Timóteo 4.1-3; 2 Timóteo
3.1-9; 2 Pedro 2.1-3; 1 João 2.18-23 e 4.1-3. O testemunho de outros dois
apóstolos parece justificar o uso do verbo na primeira pessoa do plural: “temos
predito.”

 7 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

Mas faço-vos saber o Evangelhoa que foi evangelizadob por mim, irmãos,

porque não é segundo homem, 12 pois eu nunca O recebi ao lado de um

homem nem fui ensinado por um homem, mas por revelação de Cristo.

13 Pois ouvistes o meu comportamento, outrora, no judaísmo, porque

com excesso perseguia a igreja de Deus e a devastava, 14 e crescia no

judaísmo acima de muitos contemporâneos na minha geração, sendo

extremamente cuidadoso com as minhas tradições paternas.

15 Quando, entretanto, o Deus que me separou desde o ventre da minha

mãe e me chamou pela Sua graça agradou-se de 16 revelar o Seu Filho em

mim, a fim de que O evangelizeIII entre as etnias, não conferi imediatamente

com carne nem com sangue, 17 nem subi a Jerusalém, aos enviados antes de

mim, mas parti à Arábia e novamente voltei a Damasco.

18 Depois, após três anosIV subi a Jerusalém para entrevistar Pedro e

fiquei com ele quinze dias; 19 e outro dos enviados não vi senão Tiago,c o irmão

do Senhor. 20 E das coisas que vos escrevo, eis diante de Deus que não minto.

21 Depois fui às regiões da Síria e da Silícia.

22 E era desconhecido no rosto às igrejas da Judeia que estão em

Cristo,V 23 mas somente estavam ouvindo que “o que antes nos perseguia,

agora evangeliza a fé que antes devastava,”VI 24 e glorificavam Deus, em mim.

2.1 Depois, após quatorze anos,d subi novamente a Jerusalém com

Barnabé, havendo levado juntamente também Tito. 2 Mas subi segundo

a
Para o conteúdo deste Evangelho, ver, logo a seguir, Gálatas 1.16.
b
Cf. 1 Coríntios 15.1.
c
Cf. Atos 9.27. Provavelmente o ano é 39 d.C. Para uma discussão um pouco mais
aprofundada dessa passagem, ver a nota de fim IV.
d
Provavelmente no ano 49 d.C.

 8 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

revelação, e lhes expus o Evangelho que prego entre as etnias, porém

particularmente aos que influenciam,a para que porventura não corra ou tenha

corrido em vão.

3 Contudo, nem Tito, que estava junto comigo, sendo grego, foi

compelido a ser circuncidado, 4 ainda que pelos – intrometidos! – falsos irmãos

que chegaram ao lado para espionar a nossa liberdade, que temos em Cristo

Jesus, a fim de nos reduzirem à escravidão, 5 aos quais nem por uma hora

cedemos à subordinação, a fim de que a Verdade do Evangelho continue

convosco. 6 E quanto aos que parecem ser alguma coisa (quem quer que

foram outrora a mim não faz nenhuma diferença; Deus não aceita aspecto de

homem),b a mim, pois, os que influenciam, nada acrescentaram.

7 Antes, pelo contrário,VII havendo contemplado que tenho sido

acreditado com o Evangelho da incircuncisão, como Pedro tem sido acreditado

com o Evangelho da circuncisão 8 (pois Aquele que foi eficaz a Pedro para o

comissionamento da circuncisão também foi eficaz a mim para o

comissionamento das etnias), 9 e tendo conhecido a graça que me foi dada,

Tiago, e Cefas, e João (os quais parecem ser colunas...)VIII deram destras de

comunhão a mim e a Barnabé, para que nós, por um lado, fôssemos às etnias,

e eles, por outro lado, à circuncisão, 10 pedindo somente que dos pobres

lembremos, isto mesmo o que também diligenciei fazer.

a
Cf. Atos 15.4 e 5. Parece que a parte inicial deste verso é paralela a Atos 15.4,
ao passo que a parte final, em que Paulo afirma ter argumentado em particular com
os “que influenciam,” supondo-se que estes sejam os fariseus mencionados em
Atos 15.5, seja correlata a este último verso.
b
Cf. 1 Samuel 16.7.

 9 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

11 Mas quando Pedro veio a Antioquiaa lhe opus face-a-face, porque

estava sendo repreensível, 12 pois antes de chegarem alguns da parte de Tiago

comia com os gentios; mas quando chegaram, afastava e separava a si

mesmo, temendo os de circuncisão.IX 13 E agiam hipocritamente com ele

também os demais judeus, de maneira que até Barnabé foi levado junto na

hipocrisia deles. 14 Entretanto, quando contemplei que não andavam retamente

em direção à Verdade do Evangelho disse a Pedro na frente de todos:

- Se tu, sendo judeu, vives como gentio e não como judeu, porque

compeles os gentios a judaizarem? 15 Nós somos pecadores judeus por

natureza e não pecadores dentre etnias! 16 Sabendo que um homem não é

justificado a partir de obras de lei, senão por fé deb Jesus Cristo, também nós

já cremos para dentroX de Cristo Jesus, a fim de que sejamos justificados a

partir de fé de Cristo e não a partir de obras de lei, porque nenhuma carne será

justificada a partir de obras de lei. 17 Mas se mesmo nós, que buscamos ser

justificados em Cristo, somos achados pecadores, porventura Cristo é serviçal

de pecado? De maneira nenhuma! 18 Pois se novamente edifico estas coisas –

aquelas que destruí – apresento a mim mesmo como violador, 19 porque eu por

lei para lei morri, a fim de que tenha vida para Deus: 20 tenho sido crucificadoc

junto com Cristod e não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim; o que vivo agora

em carne, vivo em fé, a fé do Filho de Deus, o qual me amou e entregou a si

a
Acompanhando a cronologia do Livro de Atos, esta visita de Pedro a Antioquia
numa ocasião em que Paulo também estava lá deve ter ocorrido entre Atos 18.22
e 23, provavelmente no ano 54 d.C.
b
Note-se de quem é a fé que justifica. Cf. Hebreus 12.2 (“Jesus: autor e
aperfeiçoador da fé”) e, logo a seguir, Gálatas 2.20.
c
Cf. Gálatas 5.24 e 6.14.
d
Cf. Gálatas 3.1.

 10 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

mesmo por mim. 21 Não desprezo a graça de Deus, pois se a justiça é por lei

então Cristo morreu por nada!

3.1 Ó gálatas desprovidos de mente (aos olhos de quem Jesus Cristo foi

demonstrado, entre vós, tendo sido crucificado)!a Quem vos enfeitiçou para não

serdes persuadidos à Verdade? 2 Somente isto quero aprender da vossa parte:

recebestes o Espírito a partir de obras de lei ou a partir de ouvir de fé? 3 De tal

maneira sois desprovidos de mente? Tendo começado em Espírito, agora vos

completais em carne? 4 Tanto sofrestes por nada (se, de fato, mesmo por

nada)?

5 Logo, Aquele que vos provê de cima o Espírito e que efetua milagres

entre vós age a partir de obras de lei ou a partir de ouvir de fé? 6 Assim como

“Abraão creu a Deus e lhe foi computado para justiça”b 7 conhecei, sem dúvida,

que estes, os que vivem a partir de fé, são filhos de Abraão,c 8 pois havendo a

Escritura previsto que Deus justifica as etnias a partir de fé, pré-evangelizou

Abraão, porque “serão benditas em ti todas as etnias,” d 9 de maneira que os

que vivem a partir de fé são abençoados juntamente com o fiel Abraão.

10 Pois todos quantos pretendem ser justificados a partir de obras de lei

estão sob maldição, porque está escrito: “maldito todo o que não permanece

em todas as coisas que estão escritas no Livro da Lei, para as fazer.” e 11 Mas

claro que ninguém é justificado ao lado de Deus em lei, porque “o justo viverá a

a
Cf. Gálatas 2.20.
b
Cf. Gênesis 15.6 e Romanos 4.3.
c
Cf. Romanos 3.28 e 29 e 9.7 e 8.
d
Cf. Gênesis 12.3.
e
Cf. Deuteronômio 27.26.

 11 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

partir de fé”!a 12 E a lei não é a partir de fé; pelo contrário, “o homem que fez

estas coisas viverá nelas”...b

13 Cristo nos resgatou de dentro da maldição da lei tendo-se tornado

maldição por nós, pois está escrito: “maldito todo o que é pendurado sobre

madeiro,”c 14 a fim de que a benção de Abraão viesse a ser para as etnias em

Cristo Jesus, para que a promessa do Espírito recebêssemos pela fé.

15 Irmãos (falo segundo homem), mesmo uma aliança de homem, tendo

sido ratificada, ninguém despreza ou lhe acrescenta. 16 Pois as promessas

foram proferidas a Abraão e à sua semente (não diz e “às sementes,” como

sobre muitas, mas como sobre uma: “e à tua semente,”d que é Cristo). 17 E digo

isto: tendo sido pré-ratificadae a aliança por Deus para dentro de Cristo, a lei,

que veio a existir quatrocentos e trinta anos depois, não desautoriza para

inutilizar a promessa, 18 porque se a herança é a partir de lei já não é a partir de

promessa; mas Deus, por promessa, tem concedido a Abraão a herança como

favor.f

a
Cf. Habacuque 2.4. As outras citações dessa passagem no Novo Testamento são
Romanos 1.17 e Hebreus 10.38.
b
Cf. Levítico 18.5.
c
Cf. Deuteronômio 21.23.
d
Cf. Gênesis 13.15, 17.8, 21.12 e 22.18, Romanos 9.6 e Hebreus 11.17 e
18. Parece não haver dúvidas de que a verdadeira “semente” de Abraão é Cristo,
prefigurado em Isaque e em Israel.
e
Cf. Gálatas 3.15. Na comparação, o verbo que se refere à aliança de Deus é o
mesmo que aquele utilizado para fazer menção à uma aliança de homem, mas
acrescentado de uma preposição que denota anterioridade, formando uma forma
verbal composta.
f
Cf. Gálatas 3.29.

 12 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

19 Por que, então, a lei? GraçasXI às violaçõesa foi acrescentada até que

viesse a semente que fora prometida (havendo sido instituída por anjos em

mão de um mediador; 20 e o mediador não é de um, mas Deus é um).XII

21 Portanto, a lei é contra as promessas de Deus? De maneira nenhuma!

Pois se houvesse sido dada uma lei que pudesse vivificar certamente a justiça

seria a partir de lei. 22 Mas a Escritura fechou juntob todas as coisas sob

pecado, a fim de que a promessa a partir de fé de Jesus Cristo fosse dada aos

que creem.

23 Logo, antes de vir a fé estávamos guardados sob lei, tendo sido

fechados junto até a fé vindoura ser revelada, 24 de maneira que a lei veio a ser

nosso pedagogo até Cristo, a fim de que sejamos justificados a partir de fé. 25

Mas tendo chegado a fé, não estamos mais sob pedagogo, 26 pois todos sois

filhosXIII de Deus pela fé em Jesus Cristo, 27 porque todos os que fostes

batizados para dentro de Cristo vos revestistes de Cristo 28 (não há judeu nem

grego; não há escravo nem livre; não há macho e fêmea: pois todos vós sois

um em Cristo Jesus);c 29 e se vós sois de Cristo sem dúvida sois semented de

AbraãoXIV e herdeiros segundo promessa.e

4.1 Digo, porém: o herdeiro, sendo senhor de todas as coisas, em nada

difere de um escravo por todo tempo que é menino, 2 mas sob tutores e

mordomos está até o tempof proposto pelo pai. 3 De tal maneira também nós

a
As outras ocorrências desta mesma palavra grega no Novo Testamento são
Romanos 3.23, 4.15 e 5.14, 1 Timóteo 2.14, Hebreus 2.2 e 9.15.
b
Cf. Romanos 11.32.
c
Cf. Gálatas 5.6 e 6.15.
d
Cf. Romanos 9.29 e Isaías 1.9.
e
Cf. Gálatas 3.18.
f
Cf. Gálatas 4.4.

 13 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

estávamos sendo escravizados pelos elementosa do mundo quando éramos

meninos, 4 mas quando chegou a plenitude do tempob Deus enviou de SiXV o

Seu Filho, tendo vindo de mulher, tendo vindo sob lei, 5 para que resgate

aqueles “sob lei,” a fim de que recebamos a filiação; 6 e porque sois filhos Deus

enviou para dentro dos vossos corações o Espírito do Seu Filho, que clama:

“Abba, Pai!,” 7 de maneira que não és mais escravo, mas filho – e se filho,

também herdeiro de Deus por Cristo.

8 No entanto, por um lado servíeis como escravos aos que por natureza

não são deuses quando não éreis conhecedores de Deus; 9 agora, por outro

lado, havendo conhecido Deus (e, ao invés, tendo sido conhecidos por

Deus...), como retornais novamente aos elementos fracos e pobres a que mais

uma vez, de novo, quereis servir como escravos? 10 Guardais dias, e meses, e

estações, e anos! 11 Temo por vós; que não tenha eu me afadigado em vão

para convosco...

12 Peço-vos, irmãos: tornai-vos como eu, porque eu também me tornei

como vós!XVI Não me fizestes nenhum mal, 13 mas sabeis que por uma

fraqueza da carne vos evangelizei por primeiro;XVII 14 e o meu teste, que é na

minha carne,c não menosprezastes nem rejeitastes; pelo contrário, me

recebestes como um anjo de Deus, como Cristo Jesus. 15 Qual era, portanto, a

vossa felicidade? Pois vos testemunho que tendo tirado os vossos olhos, se

a
Cf. Gálatas 4.9 e Colossenses 2.8 e 20.
b
Cf. Gálatas 4.2.
c
Cf. 2 Coríntios 10.10.

 14 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

possível, me daríeis. 16 Logo, tenho me tornado vosso inimigoa sendo

verdadeirob convosco?

17 Eles não cuidamc bem de vós; pelo contrário, querem vos excluir, para

que cuideis deles. 18 O ser cuidado em algo bom sempre é uma coisa boa, e

não somente estando eu ao vosso lado, 19 minhas criancinhas (pelas quais

novamente sofro dores de parto até que Cristo tenha sido formado em vós!). 20

Mas eu quero estar ao vosso lado agora e mudar a minha voz, porque estou

sem saída entre vós.

21 Dizei-me, vós que quereis estar sob lei: não ouvis a Lei? 22 Pois está

escrito que Abraão teve dois filhos: um da escrava e um da livre. 23 No entanto,

se o da escrava fora gerado carnalmente, o da livre fora gerado pela promessa,

24 o que está sendo alegorizado, pois estas são duas alianças: de um lado

uma, gerando para escravidão a partir do monte Sinai, a qual é Agar 25 (porque

Agar é o Monte Sinai na Arábia, e corresponde à Jerusalém atual, e é escrava

com as suas crianças); 26 de outro lado, a Jerusalém de cimad é livre, a qual é

mãe de todos nós.

27 Pois está escrito: “sê alegrada, estéril, tu que não dás à luz; esforça-te

e grita, tu que não tens dores de parto, porque são muito mais as crianças da

solitária do que as crianças da que tem oXVIII marido.”e

a
Cf. Filipenses 3.18.
b
Cf. Efésios 4.15, onde ocorre o mesmo verbo no Original.
c
Comparar com Colossenses 4.13, onde ocorre o mesmo verbo no Original.
d
Cf. Apocalipse 21.2.
e
Cf. Isaías 54.1. Note-se que esta mesma profecia de Isaías é citada pelo Senhor
Jesus em João 6.45, fazendo alusão a Isaías 54.13. Perceba-se também que,
aqui, Paulo inverte a alegoria, pois aquela que tinha “o marido” era Sara, e não
Agar. Exatamente por causa dessa inversão da alegoria é que se entendeu por bem
iniciar um novo parágrafo nesta sentença, compreendendo que se trata de um

 15 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

28 E nós, irmãos, somos crianças prometidasXIX segundo Isaque. 29

Contudo, assim como o que foi gerado carnalmente outrora perseguia o que foi

gerado espiritualmente,a agora também é desta maneira. 30 Porém, o que diz a

Escritura? “Lança fora a escrava e o seu filho,” b pois jamais herdará o filho da

escrava com o filho da livre. 31 Logo, irmãos, não somos crianças de uma

escrava, mas da livre.

5.1 Portanto, ficai de pé na liberdade para a qual Cristo nos libertou, e

não sejais novamente submetidos a um jugo de escravidão.c 2 Eis que eu,

Paulo, vos digo: caso sejais circuncidados Cristo não vos será útil para nada. 3

E de novo testemunho a todo homem que está sendo circuncidado que é

obrigado a praticar toda a lei.

4 Vós, os que sois justificados em lei, fostes separados do Cristo: caístes

para fora da graça! 5 Pois nós espiritualmente ansiamos esperança de justiça a

partir de fé, 6 porque em Cristo Jesus nem circuncisão tem alguma força, nem

incircuncisão,d mas fé que é eficaz por meio de amor.

7 Corríeis bem. Quem vos interrompeu para não serdes persuadidos à

Verdade? 8 Esta persuasão não vem d’Aquele que vos chamou: 9 pouco

fermento leveda toda a massa.

10 Eu tenho sido persuadido a respeito de vós, no Senhor, que não

pensareis de outro modo, mas o que vos agita – quem quer que seja –

parêntesis. A alegoria retorna à sua forma original no verso seguinte, que por isso,
também, inicia um novo parágrafo.
a
Cf. Gênesis 21.9.
b
Cf. Gênesis 21.10.
c
Cf. Gálatas 4.8.
d
Cf. Gálatas 3.26-28 e 6.15.

 16 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

suportará o julgamento. 11 E eu, irmãos, se ainda prego circuncisão, por que

ainda sou perseguido? Sem dúvida o escândalo da cruz teria sido inutilizado.

12 Eu quis que também se cortassemXX os que vos perturbam, 13 pois

vós, irmãos, em liberdade fostes chamados: somente não useis a liberdade

para ponto de partida à carne; ao contrário, servi como escravos uns aos

outros pelo amor,a 14 pois toda a lei é completa em uma palavra, no “amarás o

teu próximo como a ti mesmo.”b 15 Mas se mordeis e devorais uns aos outros,

vede que não sejais consumidos uns pelos outros.

16 Digo, porém: caminhai espiritualmente e jamais tereis cumpridoXXI

desejo carnal, 17 pois a carne deseja contra o Espírito e o Espírito contra a

carne,c e estas coisas se antagonizam uma à outra, a fim de que as coisas que

quereis, estas não façais.

18 Mas se sois conduzidos espiritualmente, não estais sob lei. 19 E as

obras da carne são evidentes, as quais são adultério, imoralidade sexual,

impureza, licenciosidade, 20 idolatria, feitiçaria, ódios, iras, ciúmes, cóleras,

intrigas, desuniões,d heresias,e 21 invejas, homicídios, intoxicações, orgias e as

coisas semelhantes a estas, das quais vos predigo – assim como também já

disse – que os que praticam as tais coisasf não herdarão o reino de Deus.

22 Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, benignidade,

bondade, fé, 23 mansidão, domínio próprio... Contra as tais coisas não há lei! 24

a
Cf. Gálatas 5.6.
b
Cf. Levítico 19.18.
c
Cf. Gálatas 6.8.
d
As outras duas ocorrências desta palavra no Novo Testamento são Romanos
16.17 e 1 Coríntios 3.3.
e
Cf. 1 Coríntios 11.19 e 2 Pedro 2.1.
f
“Os que praticam as tais coisas” é exatamente a mesma cláusula contida em
Romanos 1.32 e 2.1 e 3.

 17 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

E os que são do Cristo crucificaram a carnea junto com as paixões e os

desejos: 25 se vivemos espiritualmente, que marchemosb também

espiritualmente, 26 não vos tornando vangloriosos,c irritando uns aos outros,

invejando uns aos outros.

6.1 Irmãos, caso também um homem tenha sido surpreendido em

alguma transgressão, vós, os espirituais, restaurai o tal em Espírito de

mansidãod (mirando a ti mesmo, que não sejas tu também testado): 2 carregai

os pesos uns dos outros e desta maneira cumprireis no alto a lei do Cristo,e 3

pois se alguém pensa ser alguma coisa sendo nada, está iludindo a si mesmo;

4 e cada um comprove o seu próprio trabalho, e então somente em si mesmo

terá o orgulho,f e não no outro, 5 pois cada umXXII carregará o próprio fardo.g 6 E

o que está sendo instruído com a Palavra comungue com o que instrui em

todas as coisas boas.

7 Não sejais enganados: Deus não está sendo zombado, pois o que um

homem semear, isto também colherá; 8 porque o que semeia para dentro da

sua própria carne, de dentro da carne colherá deterioração; mas o que semeia

para dentro do Espírito, de dentro do Espírito colherá Vida eterna; h 9 e não

cansemos fazendo o bem, pois em época própria colheremos, não sendo

a
Cf. Gálatas 2.20 e 6.14.
b
Cf. Gálatas 6.16.
c
Cf. Gálatas 6.12-14.
d
Cf. Gálatas 5.23.
e
Cf. Gálatas 5.14.
f
Cf. Gálatas 6.14.
g
As outras ocorrências desta palavra no Novo Testamento são Mateus 11.30,
23.4 e Lucas 11.46. Veja-se a nota de fim respectiva.
h
Cf. Gálatas 5.17.

 18 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

desfalecidos. 10 Sem dúvida, portanto, de tal maneira tendo oportunidade,

realizai o bem para todos, mas especialmente para os domésticos da fé.

11 Contemplai quão grandes letras vos escrevi com a minha mão:XXIII 12

todos os que querem ter boa aparência em carne, estes vos compelema a

serdes circuncidados, apenas a fim de que não sejam perseguidos pela cruz do

Cristo, 13 pois nenhum dos mesmos que têm sido circuncidados guarda lei; pelo

contrário, querem que vós sejais circuncidados para que se orgulhem na vossa

carne.

14 Mas que eu de modo nenhum me orgulhe senão na cruz do nosso

Senhor Jesus Cristo,b pela qual o mundo tem sido crucificado para mim, e eu

também para o mundo, 15 pois em Cristo Jesus nem circuncisão tem alguma

força, nem incircuncisão,c mas ser nova criatura. 16 E a todos os que neste

padrão marcharão,d paz sobre eles e compaixão, e sobre o Israel de Deus.

17 No restante, ninguém me faça lesão,XXIV pois eu carrego no meu corpo

as marcas do Senhor Jesus.

18 A graça do Senhor Jesus Cristo com os vossos espíritos, irmãos.

Amém!

a
Note-se o interessante paralelo com as outras duas ocorrências deste mesmo
verbo na Carta: Gálatas 2.3 e 14.
b
Cf. Gálatas 2.20.
c
Cf. Gálatas 3.26-28 e 5.6.
d
Cf. Gálatas 5.25.

 19 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

NOTAS DE FIM

I
Perceba-se a sequência estabelecida em Gálatas 1.6-9. Primeiramente (v. 6) Paulo

afirma que os Gálatas estavam se transferindo para um diferente evangelho. Segundo

o v. 7, este evangelho não era “outro” do mesmo tipo (algo como uma “simples

variação”). À primeira vista, portanto, pareceria tratar-se de algo extremamente

grotesco. Espiritualmente falando, sim. No entanto, aos olhos humanos, o desvio era,

de fato, muito sutil, o que fica evidenciado pelo emprego da preposição grega cujo

significado primário é “ao lado” nos vv. 8 e 9. Poderíamos afirmar que se tratava de

um “para-evangelho” (um “evangelho paralelo”) e, assim, concluir que qualquer coisa

que se coloque ao lado do verdadeiro Evangelho, em acréscimo à suficiência do

Cristo de Deus para a salvação do homem, é tão nociva quanto o erro denunciado na

Carta aos Gálatas. Outra forma de traduzir seria “evangelizar paralelamente.”

II
As traduções normalmente trazem “anátema” em Gálatas 1.8 e 9. “Anátema” é,

apenas, a transliteração da expressão grega. O adjetivo grego deriva de um verbo

composto, formado pela união da preposição que significa “para cima” com o verbo

“colocar.” O significado primário é de algo “consagrado.” É interessante utilizarmos

essa ideia, porque mesmo em Português a palavra “consagrado” pode ter um

significado duplo: pode dizer respeito a algo “consagrado a Deus” ou, ao contrário,

algo “consagrado a um demônio.” Assim, a expressão grega “anátema” pode ter um

significado tanto positivo quanto negativo (e ela tem esse uso ambíguo, por exemplo,

na LXX. Compare-se Levítico 27.28 com Deuteronômio 7.26). O significado negativo

implica, necessariamente, que o “anátema” foi excluído de qualquer comunhão com

Deus e com as coisas de Deus. Assim, embora a expressão grega seja, em si

mesma, ambígua, o contexto de todas as suas ocorrências no Novo Testamento –

além de Gálatas, temos Romanos 9.3, 1 Coríntios 12.3 e 16.22 – demonstra que ela

foi empregada apenas em seu sentido negativo. Como a simples transliteração não é

 20 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

exatamente desejável numa tradução literal, (na qual se pretende demonstrar o

sentido mais preciso possível da palavra empregada no Original), optou-se por

“rejeitado,” que parece demonstrar melhor a ideia que decorre da ambiguidade da

expressão grega.

III
O “Evangelho evangelizado por Paulo” (cf. Gálatas 1.11) consiste numa Pessoa

(Gálatas 1.16): o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus.

IV
A passagem paralela a Gálatas 1.18-19 é Atos 9.27. Há dois detalhes interessantes

que apenas conseguimos perceber da conjugação do Livro de Atos com a Carta aos

Gálatas. O primeiro é que foi Barnabé quem promoveu o encontro de Paulo com

Pedro. O segundo é que, de acordo com Atos, Barnabé promoveu o encontro de

Paulo com “os enviados” (mais de um, portanto); mas, segundo Gálatas 1.18-19,

Paulo apenas se encontrou com Pedro e com “Tiago, o irmão do Senhor.”

Inicialmente, percebemos que dois são suficientes para alcançarmos o plural de Atos

9.27. Então, de acordo com o relato do próprio Paulo em Gálatas, o encontro

promovido por Barnabé foi com Pedro (prioritariamente) e com Tiago. Este Tiago,

reforça-se, era “o irmão do Senhor” (Gálatas 1.19) e isso parece ser decisivo para o

estabelecimento da identidade de um dos doze: “Tiago, o menor,” ou “Tiago de

Alfeu;” e, consequentemente, também para o estabelecimento da identidade de

“Judas de Tiago,” outro dos doze, embora se trate de uma questão um tanto

controvertida ao longo da História da Igreja.

V
Qual o motivo de Paulo qualificar aquelas igrejas da Judeia como estando “em

Cristo”, em Gálatas 1.22? Será que havia, já naquele momento, “igrejas” na Judeia

que não estavam em Cristo? Presumindo-se uma resposta afirmativa à pergunta,

podemos imaginar que se tratava de “igrejas” nas quais o que se pregava já era

apenas a circuncisão e a lei, e não mais Cristo. O ensino dos judaizantes,

demonstrado em Atos 15.1 e 5, poderia ter tomado conta de algumas daquelas


 21 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

igrejas de tal maneira que apenas a lei fosse pregada, e não mais o Evangelho, e

Paulo, com a Carta, estaria buscando evitar que o mesmo acontecesse também na

Galácia. Embora isso não passe de uma simples especulação para tentar explicar

essa construção pouco comum, a conclusão que se extrai parece, de todo modo,

condizente com o argumento da Carta: uma “igreja” que prega um “evangelho

diferente” (Atos 1.6) é uma “igreja” que não está em Cristo. Embora se trate de uma

contradição em termos (“uma igreja sem Cristo”), parece que esta é, sim, uma

situação com a qual o Novo Testamento lida. Aqui, teríamos a total dissociação entre

a Igreja invisível e a igreja visível, a mais triste e alarmante realidade de todas.

Seguindo-se a progressão encontrada em Apocalipse 2 e 3, essa seria exatamente a

condição de Laodiceia, na qual o próprio Senhor Jesus está de fora, batendo à porta

(Apocalipse 3.20). Na linguagem de Colossenses 2.19, esse parece ser o resultado

de não se estar “apegado à cabeça”.

VI
Note-se como a repetição dos verbos “evangelizar” (Gálatas 1.16 e 23) e “devastar”

(Gálatas 1.13 e 23) aponta para a unidade entre Cristo, a fé de Cristo e a Igreja como

corpo místico de Cristo, o Cristo corporativo.

VII
Muitos compreendem que “os que influenciam,” em Gálatas 2.2 e 6. faça alusão

àqueles “enviados antes de Paulo,” os demais apóstolos. Embora essa seja uma

interpretação possível, pondera-se que o início enfático de Gálatas 2.7 pode marcar

inclusive uma mudança do relato quanto aos sujeitos. Assim, segundo parece, a

partir do v. 7 o relato se concentra nos três apóstolos expressamente nominados em

Gálatas 2.9 (Tiago, Pedro e João), ao passo que desde a parte final do v. 2 até o final

do v. 6 Paulo estaria se referindo a outro grupo. Esse grupo seria composto dos

próprios judaizantes, aos quais, segundo o final do v. 2, Paulo teve o cuidado de

expor o Evangelho de forma particular, possivelmente para evitar contendas diante

dos irmãos (Gálatas 2.5 denota que esta conversa não deve ter sido fácil! Comparar,

 22 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

ainda, com Atos 15.5 para um quadro completo). Convém lembrar que Gálatas 2.1-10

deve trazer um relato de bastidor da reunião relatada em Atos 15 (por isso a

diferença de detalhes), na qual foi considerado o assunto da circuncisão dos gentios.

Como o próprio Livro de Atos demonstra, aqueles que ensinavam a circuncisão como

algo necessário à salvação “tinham descido da Judeia” (15.1), supondo-se, assim,

que ao menos até aquele momento, exerciam certa influência sobre as assembleias

existentes entre os judeus, daí porque Paulo pode ter se referido a estes, aos

judaizantes, como “os que influenciam.” Em reforço a essa inferência tem-se ainda

Atos 15.5, demonstrando que, em Jerusalém, alguns fariseus que haviam crido

sustentaram a doutrina dos judaizantes (e essa deve ter sido, como se ponderou, a

ocasião para Paulo ter “exposto em particular o Evangelho aos que influenciam,”

segundo Gálatas 2.2-5). Ninguém mais adequado do que os fariseus, acostumados a

viverem de aparência, para o epíteto de “os que influenciam.”

VIII
A estrutura gramatical do Original em Gálatas 2.9 parece dar a entender uma

conotação irônica de Paulo. Mas entenda-se bem: a ironia se dirigiria aos gálatas, e

não aos apóstolos. Paulo não estaria negando o fato do reconhecimento destes três,

Tiago, Pedro e João, como colunas em Jerusalém, mas apenas demonstrado que se

os gálatas reconheciam a autoridade apostólica deles (e parece que sim...), então

deveriam reconhecer novamente a de Paulo, uma vez que aqueles mesmos três lhe

estenderam destras de comunhão.

IX
Note-se que o Original, em Gálatas 2.12, diz “de circuncisão,” e não “da

circuncisão” (sem o artigo definido no Original). Assim, ao que parece, não se devem

confundir estes irmãos que vieram “da parte de Tiago” com aqueles “falsos irmãos”

(Gálatas 2.4) que estavam misturados com a igreja. Embora estes da parte de Tiago

fossem “cuidadores da lei” (Atos 21.20), não parece que eles ensinassem a

circuncisão como algo necessário à salvação. Este era o ensino dos judaizantes (cf.

 23 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

Atos 15.1). Isso pode significar, apenas, que os “de circuncisão” fossem apegados

aos costumes judaicos, aos costumes decorrentes da lei, embora não ensinassem a

lei como sistema de justificação. Embora Paulo soubesse conviver com essa

diferença cultural, o que se demonstrou intolerável para ele, como o verso seguinte

(Gálatas 2.13) deixa claro, foi a hipocrisia de Pedro, do próprio Barnabé, e dos

demais judeus que já estavam em Antioquia. Estes, que até então comiam com os

gentios, deixaram de comer com eles assim que chegaram os irmãos “cuidadores da

lei.” Essa separação, da forma como operada, significou, ainda, uma ofensa à

natureza do Evangelho do Cristo, que coloca judeus e gentios em pé de igualdade

diante de Deus, mais um aspecto a exigir uma postura enérgica de Paulo.

X
Note-se que em Gálatas 2.16 por duas vezes aparece a expressão “fé de” Cristo ou

“de Jesus Cristo.” Isso demonstra qual é a única fé que pode justificar. No mesmo

sentido, ver ainda Gálatas 2.20 e Romanos 3.22 e 26. Trata-se, portanto, da fé do

próprio Cristo, do Homem Perfeito, implantada pelo Espírito Santo naquele que, pela

graça de Deus, crê. A consequência dessa fé é o “crer para dentro” do próprio

Cristo: a fé de Cristo nos lança cada vez mais para dentro d’Ele mesmo. Essa é a

única salvação!

XI
Como a análise do contexto das outras ocorrências (veja-se a nota de rodapé a

Gálatas 2.19) da palavra “violação” no Novo Testamento deixa claro, trata-se ou da

violação de um mandamento específico (como nos casos de Adão e Eva: Romanos

5.14 e 1 Timóteo 2.14) ou da violação de toda a lei (nas demais ocorrências). Assim,

parece que a leitura adequada a se fazer de Gálatas 4.16 é que a lei foi

acrescentada para ser violada (“graças às violações”) exatamente para apontar para

Cristo (“até que viesse a semente”).

XII
Gálatas 3.19 afirma que a lei foi instituída por meio de anjos, em mão de um

mediador, fazendo uma clara alusão a Moisés, mediador da Antiga Aliança entre
 24 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

Deus e o povo hebreu. O verso seguinte, Gálatas 3.20, funciona como um parêntesis,

para demonstrar algo a partir da figura do “mediador” da Antiga Aliança. Um

mediador é alguém que se coloca entre dois sujeitos para que seja celebrado um

acordo. Por isso, “o mediador não é de um,” pois ele é “de dois”. No caso do pacto

da Antiga Aliança, Moisés foi o mediador entre Deus e o povo de Israel. Mas Deus é

um só. Logo, se Sua promessa de salvação em Cristo é indistinta tanto para gentios

quanto para judeus ela não pode estar baseada na Antiga Aliança, que tem um

mediador bem claro (Moisés) e uma contraparte bem clara (o povo judeu). Não, esta

promessa da qual Paulo trata amplamente neste capítulo, para ter Deus de um lado e

judeus e gentios indistintamente de outro, só pode ter um mediador, e este mediador

não é mais Moisés, mas Cristo (cf. 1 Timóteo 2.5 e Hebreus 8.6 e 9.15).

XIII
A palavra usada no Original, em Gálatas 3.26, faz alusão a um filho maduro. Nota-

se, assim, que Paulo está tratando da maturidade exclusivamente a partir da

perspectiva da fé justificadora de Cristo (cf., ainda, Gálatas 4.1-7). Essas passagens

de Gálatas (dentre tantas outras das Escrituras, mas merecendo especial destaque a

Primeira Carta de João), parecem deixar sem sustentação a divisão entre crentes

maduros de crentes imaturos. Fosse esse o caso, seria de esperar que o Original

empregasse em Gálatas 3.26 a expressão que alude a um filho imaturo

(preferencialmente traduzida por “criança”), porquanto o que está em perspectiva, no

contexto imediato da passagem, é, apenas, a justificação (cf. Gálatas 3.24). Diante

disso, e não negando o necessário processo de crescimento cristão, parece ficar

claro que o desenvolvimento da maturidade é o caminho natural – sobrenatural, na

verdade, pois é consequência do florescimento da vida de Cristo – de um filho de

Deus, e não algo reservado a poucos. Aliás, note-se que Paulo chama os gálatas,

indistintamente, tanto de “filhos” maduros (Gálatas 3.26 e 4.6 e 7) quanto de

“criancinhas” (Gálatas 4.19), o que apenas demonstra o uso intercambiável das

 25 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

expressões no Novo Testamento (remete-se, novamente a 1 João), variando o

emprego de uma ou de outra, ao que parece, de acordo com a tônica da passagem

e não em razão de alguma alusão intencional do Texto a esta ou àquela categoria

diferenciada de crentes. Assim, parece que se fosse válida essa distinção entre

“filhos” maduros e imaturos Paulo teria se equivocado em Gálatas 3.26 e 4.6 e 7:

como poderia chamar de “filhos” maduros aqueles que são por ele mesmo tratados

como “desprovidos de mente” (Gálatas 3.1)?

XIV
Note-se, novamente, a total unidade entre Cristo, “a semente” de Abraão (Gálatas

3.16), e o corpo místico de Cristo, pois a Igreja é expressamente chamada, em

Gálatas 3.29, também de “semente de Abraão.”

XV
A melhor maneira de refletir a forma verbal composta, em Gálatas 4.4, é

acrescentar a expressão de si, embora o sentido mais literal da expressão original

seja “enviou de dentro.” O mesmo verbo composto ocorre em Gálatas 4.6, mas ali

não se faz necessário o mesmo recurso, pois o Texto traz a preposição “para dentro”

antes de “vossos corações,” o que permite que a tradução denote a ideia de

movimento (“de dentro para fora de Deus; de fora para dentro de nós”) que é inerente

à forma verbal composta constante no Original.

XVI
Quão tremendo é este apelo de Paulo encontrado em Gálatas 4.12. Ele, sendo

judeu, tornou-se como um gentio por causa do Evangelho. A única coisa que está

pedindo aos gálatas é que se tornem como ele: abandonem a ideia de servirem

como escravos à lei e retornem para a liberdade de Cristo.

XVII
Este detalhe relativo à “fraqueza” (esta é a tradução mais literal possível, mas a

palavra grega também pode significar “enfermidade”) “da carne” de Paulo

mencionado em Gálatas 4.13 não é registrado em Atos. A primeira passagem de

Paulo pela Galácia está em Atos 14, e ali não encontramos nenhuma menção a algum

 26 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

problema de saúde. No entanto, por um lado não seria exagerado supor que Lucas

apenas tenha omitido esse detalhe em Atos em razão de ausência de sua relevância

para aquela narrativa. Por outro lado, o próprio Paulo nos dá aqui, nos versos

seguintes, uma dica para entendermos qual teria sido essa situação (o que parece

ser uma dica, igualmente, para compreendermos o seu “espinho na carne”

mencionado em 2 Coríntios 12.7). A menção aos “olhos” feita em Gálatas 4.15 dá a

entender que Paulo tivesse algum tipo de enfermidade oftalmológica. Talvez a visão

do Cristo glorificado no caminho de Damasco tenha marcado não somente o espírito

e alma de Paulo de forma definitiva, mas também o seu corpo; talvez aquela luz tenha

sido forte demais para que seus olhos físicos suportassem, deixando a sua visão

comprometida para sempre. Corroborando a hipótese de que Paulo tivesse algum

problema de visão, em Gálatas 6.11 ele menciona que escreveu de próprio punho

com letras grandes (possivelmente a única forma de conseguir ler o que ele mesmo

estivesse escrevendo). Provavelmente, também, esta enfermidade fizesse com que o

seu aspecto fosse desprezível (talvez por excesso de pus nos olhos), situação a que

Gálatas 4.14 faz menção, ao dizer que se tratava de um “teste” na carne de Paulo:

um teste para ele mesmo, Paulo, para que não se exaltasse e confiasse

exclusivamente em Deus (novamente, 2 Coríntios 12.7), e um teste para seus ouvintes

(nesse sentido, veja-se 2 Coríntios 10.10). Assim, é possível que Paulo, em sua

primeira passagem pela Galácia, tenha tido algum tipo de agravamento em seu

problema nos olhos, e talvez isso tenha, inclusive, influenciado o trajeto de sua rota

ou o tempo de sua permanência naquela região. Obviamente que, sendo este o caso,

a providência divina estava igualmente por trás dessas circunstâncias.

XVIII
Note-se o artigo definido constante em Gálatas 4.27 antes de marido: “o marido.”

Reitera-se, também que Paulo está citando Isaías 54.1, mesma profecia que Jesus

cita em João 6.45 (Isaías 54.13) e que, neste momento, a alegoria foi parcialmente

 27 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

invertida, pois, até então aquela que tinha o marido era Sara, e não Agar: em Gálatas

4.21-26, Agar (que corresponde à “Jerusalém atual”), sendo escrava, gera filhos para

escravidão; Sara, sendo livre, gera filhos para a liberdade, e corresponde à

“Jerusalém de cima” (Gálatas 4.26). No entanto, em Gálatas 4.27 a profecia de Isaías

é aplicada em sentido parcialmente oposto: agora, na perspectiva profética, quem

tinha o marido era Israel étnico, uma clara alusão à Antiga Aliança. Mas não foi o

Israel étnico, aquela que tinha o marido, que gerou filhos para Deus. Os filhos de

Deus foram gerados dentre aqueles que foram rejeitados pelos seus próprios irmãos

israelitas, acolhendo o Messias, também rejeitado pelo povo (perceba-se que Isaías

54 vem depois de Isaías 53, o capítulo que fala do “servo sofredor,” da rejeição do

Messias). Por isso a comparação com uma mulher “solitária e estéril.” Mas, segundo

Isaías, 54.2 e 3, é a tenda dessa mulher, rejeitada, que será alargada, e é a

descendência dela que “possuirá os gentios.” Então, na profecia, judeus e gentios

são encontrados na descendência espiritual de Abraão, o que é, efetivamente, um

dos argumentos centrais na Carta aos Gálatas. Uma outra forma de compreender a

alusão à superioridade numérica dos filhos da solitária em comparação com os filhos

da que tem o marido é entender que se tem também uma comparação entre cristãos

gentios e cristãos judeus. A quantidade maior de cristãos gentios do que judeus é,

efetivamente, um fato estatístico, mas que na perspectiva bíblica se deve à negação

do Messias por estes últimos, baseada na forma como interpretaram então e ainda

interpretam as profecias da Antiga Aliança, esperando um libertador e um governante

político.

XIX
Literalmente, “crianças de promessa.” A falta de artigo antes do substantivo

“promessa” demonstra a sua função de adjetivo na oração. Note-se, ainda, que agora

Paulo retoma na integralidade a alegoria anterior. Ou seja, a citação de Isaías 54.1

em Gálatas 3.27 funcionou como um breve parêntesis na linha de raciocínio

 28 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

desenvolvida nessa passagem, como forma de reforçar a verdade que está sendo

demonstrada e comprová-la a partir da citação de uma profecia.

XX
Note-se o caráter irônico decorrente da ambiguidade do verbo utilizado em Gálatas

5.12. O que os judaizantes, “falsos irmãos,” exigiam dos crentes era que eles

“cortassem” um pedaço de sua carne. Paulo afirma que queria que aqueles “falsos

irmãos” se cortassem, o que pode significar tanto uma lesão corporal quanto o

afastar-se da comunhão dos irmãos (nada mais natural, por sinal, de se esperar de

quem já foi chamado de “falso irmão”).

XXI
É muito interessante notar o modo dos verbos em Gálatas 5.16. “Caminhar em

Espírito” é uma ordem, o verbo está no modo imperativo. “jamais cumprir a

concupiscência da carne” é uma condição, o verbo está no modo subjuntivo (por

uma questão de índole das línguas e de estrutura da oração, não é possível

reproduzir esse modo de forma literal na tradução): a ordem é para caminhar em

Espírito. Se caminhamos no Espírito, a consequência é que jamais cumpriremos a

concupiscência da carne.

XXII
Note-se o interessante paralelo. Em Mateus 23.4 e Lucas 11.46, Jesus acusa os

fariseus de colocarem sobre os homens “fardos” que eles mesmos não carregavam,

e não devemos esquecer que muitos dos judaizantes eram dentre os fariseus,

segundo Atos 15.5. Assim, essa era exatamente a conduta dos judaizantes em

relação aos gálatas (cf. Gálatas 6.13). Por outro lado, ao indicar que cada um deve

carregar o próprio fardo, Paulo aqui está fazendo alusão a não colocar os seus

próprios fardos sobre os outros (e é óbvio que não se trata de individualismo, pois em

Gálatas 6.2 o auxílio mútuo para carregarmos os nossos “pesos” é ordenado).

Contudo, ao carregarmos os nossos próprios fardos não estaremos sozinhos se

fizermos dos nossos fardos o fardo do Cristo (Cf. Mateus 11.30).

 29 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

XXIII
Essas “grandes letras” mencionadas em Gálatas 6.11 têm duas possibilidades: ou

foram usadas para enfatizar a relevância da mensagem (como quando alguém usa

caixa alta em mensagens em mídias sociais hoje em dia...) ou eram o único recurso

que o próprio Paulo tinha para escrever de próprio punho, em razão de sua provável

enfermidade oftalmológica. Para a discussão acerca dessa segunda hipótese, veja-

se a nota de fim XVII, sobre a “fraqueza da carne” referida em Gálatas 4.13.

XXIV
Em Gálatas 6.17 Paulo afirma, literalmente, “ninguém me apresente corte.” Note-

se o interessante paralelo com o problema da circuncisão diante da ambiguidade da

expressão, já discutida na nota de fim XX em razão do verbo utilizado em Gálatas

5.12, que tem a mesma raiz que a expressão utilizada em Gálatas 6.17. Paulo,

mesmo sendo circuncidado por ser um “pecador judeu por natureza” (Gálatas 2.15),

não se orgulhava de sua circuncisão e afirma, então, que “ninguém lhe apresente

corte.” A ambiguidade e a ironia da frase estão em que a expressão pode significar

tanto uma rejeição a qualquer discussão em torno da circuncisão quanto a rejeição

de que alguém moleste o próprio Paulo. E o motivo para isso é apresentado na

sequência do próprio verso: Paulo carregava em seu próprio corpo as marcas do

Senhor Jesus; o seu sofrimento por Cristo gerou nele mesmo muitas cicatrizes: de

açoites, de fustigação com vara, de apedrejamento, e isso sem contar a possível

enfermidade em seus olhos. O que é um simples corte no prepúcio diante disso?

 30 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS
(Tradução Livre)

1.1 Paulo, alguém que não foi enviado pelos homens, nem por um

homem qualquer, mas que foi enviado por Jesus Cristo e Deus Pai (o Pai que

ressuscitou Jesus dentre os mortos); 2 além de mim, todos os irmãos que estão

junto comigo se dirigem a vocês, igrejas visíveis da Galácia, 3 e as saudamos

com a graça e a paz, que vêm de Deus Pai e do nosso Senhor Jesus Cristo: 4

Jesus Cristo, nosso Senhor, que entregou a si mesmo pelos nossos pecados,

para nos recolher para fora desta era maligna de agora, com isso cumprindo a

vontade de Deus, que assim se tornou também nosso Pai; 5 e ao Pai a glória,

por todas as eras. Amém!

6 Estou embasbacado, porque já tão rápido vocês estão se transferindo

de quem lhes chamou graciosamente em Cristo para um evangelho diferente. 7

E este evangelho para o qual vocês estão se transferindo não é uma simples

variação do Evangelho verdadeiro. Não! O que acontece é que algumas pessoas

estão agitando vocês e querem virar de cabeça para baixo o Evangelho do

Cristo.

8 Mas prestem atenção: ainda que nós mesmos, ou ainda que um anjo

celestial evangelize vocês paralelamente ao que já evangelizamos, rejeitem. 9

Isso já foi predito por nós, mas eu digo de novo: se alguém evangeliza vocês

paralelamente ao que vocês já receberam, rejeitem.

 31 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

10 Ao dizer isso, eu não estou recorrendo a homens, mas a Deus! E eu

não estou procurando agradar homens, porque se eu ainda agradasse homens

não seria escravo de Cristo! 11 Eu preciso que vocês fiquem conscientes,

irmãos, do Evangelho que eu evangelizei, porque este Evangelho não é

humano. 12 Isso porque eu não recebi o Evangelho ao lado de um homem, e

nenhum homem ensinou o Evangelho para mim. Pelo contrário, recebi o

Evangelho do próprio Cristo, por revelação.

13 Certamente vocês já ouviram como eu me comportava, antes, no

judaísmo: como perseguia excessivamente a igreja visível de Deus e a destruía,

14 e como superava muitos da minha própria geração no judaísmo, porque eu

era extremamente cuidadoso com as tradições dos meus ancestrais.

15 No entanto, Deus me separou desde a minha concepção. Então, num

determinado momento Ele me chamou pela Sua graça e achou por bem 16

revelar o Seu Filho em mim, para que eu evangelize este mesmo Filho entre as

etnias (entre aqueles que não são judeus). Quando isso aconteceu, eu não

procurei homens para me certificar, 17 nem subi a Jerusalém para encontrar

aqueles que foram enviados antes de mim. Não. Eu parti para a Arábia e voltei

de novo para Damasco.

18 Somente depois de três anos eu subi a Jerusalém para conversar a sós

com Pedro, e fiquei com ele quinze dias. 19 E não vi nenhum outro dos

enviados, senão somente Tiago, o irmão do Senhor. 20 Como vocês podem

confirmar com eles, tudo isso que estou escrevendo é verdadeiro diante de

Deus. 21 Depois, fui para as regiões da Síria e da Silícia.

 32 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

22 E as igrejas visíveis da Judeia, que estão em Cristo, não conheciam o

meu rosto. 23 Somente estavam ouvindo algo do tipo: “aquele homem que

antes nos perseguia agora evangeliza a fé que ele mesmo destruía.” 24 E com

isso elas mesmas glorificavam Deus, em mim.

2.1 Então, quatorze anos após a minha conversão, novamente subi a

Jerusalém com Barnabé, e nós levamos Tito junto conosco. 2 Eu subi por

revelação, e lhes expus o Evangelho que prego entre as etnias. E para que o

meu esforço não fosse em vão, expus o Evangelho de forma particular àqueles

que exercem influência.

3 Contudo, nem Tito, que estava junto comigo, embora seja grego, foi

forçado a ser circuncidado. 4 Digo isso porque havia ali falsos irmãos

intrometidos entre nós, que chegaram de mansinho com o objetivo de espionar

a liberdade que temos em Cristo Jesus, não querendo outra coisa senão nos

reduzir à escravidão. 5 A estes não cedemos nem por um instante, para que a

Verdade do Evangelho continuasse com vocês. 6 E quanto aos que parecem ser

alguma coisa (quem quer que antes possam ter sido não faz nenhuma

diferença; Deus não se importa com a aparência humana), ao menos para mim,

estes que influenciam, não acrescentaram nada.

7 Mas o que aconteceu foi que os irmãos perceberam que foi confiado a

mim o Evangelho da incircuncisão, como a Pedro foi confiado o Evangelho da

circuncisão. 8 Pois Deus, em seu poder, enviou Pedro aos judeus da mesma

forma como me enviou às etnias. 9 E, assim, Tiago, Cefas e João (que todos,

inclusive vocês, consideram ser colunas...), conhecendo a graça que me foi

dada, estenderam as mão para mim e para Barnabé. Com isso, ficou acertado

 33 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

que nós iríamos às etnias, e eles à circuncisão. 10 A única coisa que nos

pediram foi que lembremos dos pobres, o que eu tenho me esforçado por fazer.

11 Mas houve uma situação em que Pedro veio a Antioquia e tive que me

opor a ele cara-a-cara, porque estava sendo digno de repreensão. 12 Aconteceu

da seguinte forma: antes de chegarem alguns irmãos da parte de Tiago, Pedro

comia com os gentios; mas quando chegaram aqueles irmãos, Pedro começou

a se afastar e a se separar, como medo dos “circuncidados.” 13 E os demais

judeus agiram dessa forma hipócrita junto com ele, ao ponto do próprio

Barnabé ter sido levado nessa onda de hipocrisia. 14 Então, quando eu percebi

que eles não estavam andando retamente em direção à Verdade do Evangelho

disse a Pedro na frente de todos:

- Pedro, você é um judeu que vive como um gentio, e não como um

judeu. Por que, então, você está forçando os gentios a se comportarem como

judeus? 15 Nós podemos ser judeus por natureza, mas somos tão pecadores

quanto os gentios! 16 E uma pessoa não é aceita por Deus por cumprir os

preceitos da lei. Uma pessoa só é aceita por Deus pela fé de Jesus Cristo.

Então, sabendo disso, nós também já cremos para dentro de Cristo Jesus, para

sermos aceitos por Deus a partir da fé de Cristo e não por cumprir os preceitos

da lei, porque ninguém será aceito por Deus cumprindo por seus próprios

esforços os preceitos da lei. 17 Agora, Pedro, pense comigo: se mesmo nós, que

buscamos ser aceitos por Deus em Cristo, somos achados pecadores, por acaso

Cristo compactua com o nosso pecado, como se Ele estivesse a serviço do

pecado? De maneira nenhuma! 18 Pois a responsabilidade é unicamente minha

quando eu construo de novo as coisas que já destruí. Nesse caso estou

 34 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

apresentando a mim mesmo como um violador. 19 De acordo com o que diz a

própria lei, eu já morri para a lei, e é por isso que eu posso ter vida para Deus.

20 Eu tenho sido crucificado junto com Cristo e, assim, quem vive agora não sou

mais eu: Cristo vive em mim. E a vida natural que eu vivo, vivo em fé; mas não

qualquer fé: a fé do Filho de Deus, que me amou e entregou a si mesmo por

mim. 21 Eu não desprezo a graça de Deus, pois se alguém algum dia for aceito

por Deus porque observa os preceitos da lei então Cristo morreu por nada!

3.1 Seus gálatas desmiolados! Diante dos próprios olhos de vocês foi

demonstrado Jesus Cristo tendo sido crucificado! Quem enfeitiçou vocês para

que não sejam persuadidos à Verdade? 2 Me digam só uma coisa: vocês

receberam o Espírito por que observaram preceitos da lei, ou por que ouviram

com fé? 3 Vocês são assim tão desmiolados que começaram no Espírito e agora

acham que podem ser completados por esforços humanos? 4 Todo o sofrimento

de vocês foi por nada? Será que tudo foi por nada?

5 Pensem o seguinte: Deus providenciou a partir do alto o Espírito para

vocês, e Ele mesmo realiza milagres entre vocês. Agora me digam: Ele faz isso

quando vocês observam os preceitos da lei ou quando vocês ouvem com fé? 6

Vejam só: “Abraão creu em Deus e por isso ele pôde ser aceito por Deus.” 7

Fiquem sabendo, então, sem qualquer dúvida, que são os que vivem a partir da

fé, como Abraão, que são filhos de Abraão. 8 E a Escritura já havia previsto que

as etnias são aceitas por Deus a partir de fé, por isso Abraão foi pré-

evangelizado, e a mesma Escritura diz: “serão abençoadas em ti todas as

etnias.” 9 Portanto, os que vivem a partir da fé são abençoados juntamente

com o fiel Abraão.

 35 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

10 Agora prestem atenção: todos aqueles que querem ser aceitos por

Deus observando os preceitos da lei estão debaixo de uma maldição, porque

está escrito: “maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que

estão escritas no Livro da Lei, para as fazer.” 11 Mas claro que ninguém é aceito

diante de Deus na base da lei, porque “o justo viverá a partir da fé”! 12 E o

sistema da lei não pode retirar vida da fé; pelo contrário, “o homem que fez

estas coisas viverá nelas”...

13 Cristo nos resgatou de dentro da maldição da lei tendo-se tornado

maldição por nós, porque está escrito: “maldito todo o que é pendurado em um

madeiro.” 14 Isso aconteceu para que a benção de Abraão para as etnias fosse

realizada em Cristo Jesus, para que recebêssemos pela fé a promessa do

Espírito.

15 Agora, irmãos, eu vou fazer uma comparação com a legislação

humana: nenhuma pessoa, depois que assina um contrato, pode desconsiderar

aquilo que se comprometeu a fazer, nem acrescentar qualquer coisa. 16 Então,

vejam só: as promessas foram feitas a Abraão e à sua semente, (a Escritura

não diz “e às sementes,” como se fossem muitas, mas fala de uma: “e à tua

semente,” que é Cristo). 17 E eu digo isto (lembrem, por favor, da comparação

com o contrato humano): a aliança que Deus celebrou anteriormente com

Abraão foi feita em Cristo. Sendo assim, a lei, que veio quatrocentos e trinta

anos depois, não tem força para inutilizar a promessa. 18 Então, se a herança

fosse concedida pela observância dos preceitos da lei já não seria a partir de

promessa; mas Deus, pela promessa que fez, tem concedido como favor a

herança a Abraão.

 36 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

19 Qual é, então, a razão de ser da lei? Ela foi acrescentada por causa

das violações, até que viesse a semente que havia sido prometida. E a lei foi

colocada por anjos na mão de um mediador, que é Moisés. 20 E todo mediador

é um mediador entre duas partes. Mas Deus é um só. Por isso, a aliança de

Deus com Abraão, abrangendo indistintamente judeus e gentios, tem outro

mediador, que é o Cristo.

21 Agora, a lei seria, por isso, contra as promessas de Deus? De maneira

nenhuma! Na verdade a lei jamais foi dada com o objetivo de trazer vida. Se a

lei pudesse trazer vida, então certamente que a justiça consistiria em observar

os preceitos da lei. 22 Mas o que acontece é que a Escritura enclausurou todas

as coisas juntas debaixo de pecado, para que a promessa a partir da fé de

Jesus Cristo fosse dada aos que creem.

23 Por isso, antes que viesse a fé, nós estávamos guardados pela lei;

tínhamos sido enclausurados todos juntos até que fosse revelada a fé que

deveria vir. 24 E assim a lei funcionou como nosso pedagogo até Cristo, para

que sejamos aceitos diante de Deus a partir da fé. 25 Mas agora que a fé

chegou, já não estamos mais aos cuidados do pedagogo: 26 todos vocês são

filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo, 27 porque todos vocês que foram

batizados para dentro de Cristo se revestiram de Cristo 28 (não há judeu nem

grego; não há escravo nem livre; não há macho e fêmea: todos vocês são um

em Cristo Jesus); 29 e se vocês são de Cristo sem dúvida também são semente

de Abraão. Mas não somente isso: também são herdeiros, como foi prometido.

4.1 Porém, já que vocês são herdeiros, eu preciso dizer o seguinte: o

herdeiro, enquanto ainda é menino, é tratado da mesma forma que um

 37 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

escravo, muito embora ele seja dono de todas as coisas. 2 Durante este período

ele permanece aos cuidados de tutores e de mordomos, e assim ele fica até

que chegue o tempo que foi proposto pelo seu pai. 3 Da mesma forma também

nós servíamos como escravos às coisas rudimentares do mundo quando éramos

como meninos. 4 Mas quando se completou o tempo proposto pelo Pai, Deus

enviou de dentro de Si o Seu Filho. O filho de Deus nasceu de uma mulher. E

não somente isso, mas ele também nasceu debaixo da lei, 5 e isso para que

resgate aqueles que estão debaixo da lei, para que nós sejamos apontados

como filhos do Seu Pai. 6 E porque vocês são filhos, Deus enviou para dentro

dos seus corações o Espírito do Seu Filho, que o chama de “Pai,” seja em

Hebraico, seja em Grego, seja em Português ou e em qualquer outra língua

humana! 7 Por isso, você não é mais escravo: você é um filho; e se é um filho,

também é herdeiro de Deus por Cristo.

8 No entanto, vejam que coisa estranha: por um lado, quando vocês não

conheciam a Deus, serviam como escravos a falsos deuses; 9 por outro lado,

agora que vocês já conheceram Deus (se bem que o mais certo é dizer que

vocês foram conhecidos por Deus...), como é que vocês podem retornar

novamente àquelas coisas rudimentares fracas e pobres? Mais uma vez

(novamente?) vocês estão servindo como escravos a estas coisas rudimentares,

mas elas não podem aproximar vocês de Deus, da mesma maneira que quando

vocês serviam como escravos os falsos deuses não estavam servindo a Deus !10

Vocês acham que guardando dias, meses, estações ou anos vocês serão aceitos

por Deus? 11 Eu estou com medo: estou começando a pensar que todo o meu

esforço no meio de vocês foi em vão...

 38 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

12 Irmãos (fala aqui um judeu que vive como um gentio...), por favor,

tornem-se como eu, porque eu já me fiz como um de vocês! Vocês nunca me

fizeram nenhum mal. 13 Aliás, vocês sabem muito bem que foi por causa de

uma fraqueza da minha natureza humana que eu evangelizei vocês

inicialmente.14 E este meu teste, que diz respeito à minha natureza humana,

vocês não menosprezaram nem rejeitaram; pelo contrário, vocês me receberam

como um anjo de Deus, como se eu fosse o próprio Cristo Jesus. 15 Então, que

felicidade vocês tinham? Pois eu testemunho que se fosse possível vocês teriam

tirado os próprios olhos para me darem. 16 Agora nós nos tornamos inimigos, e

a única coisa que eu fiz foi ser verdadeiro com vocês?

17 Eles não cuidam bem de vocês. Pelo contrário, o que eles querem é

separar vocês, para que vocês cuidem deles. 18 Sempre é uma coisa boa

quando alguém cuida bem do outro, e isso não precisa acontecer só quando eu

estou junto de vocês, 19 minhas criancinhas! Estou novamente sofrendo dores

de parto por vocês, e sofrerei até que Cristo tenha sido formado em vocês... 20

Mas agora eu quero estar junto de vocês e alterar a minha voz, porque eu não

tenho outra alternativa!

21 Digam-me, vocês que querem estar debaixo da lei: por acaso vocês

não prestam atenção na Lei? 22 Leiam o seu Livro de Gênesis, pois está escrito

que Abraão teve dois filhos: um filho da escrava e um filho da livre. 23 No

entanto, se o filho da escrava foi gerado por métodos humanos, o filho da livre

foi gerado pela promessa. 24 Agora vou transformar isso numa alegoria. Temos

aqui duas alianças. Uma, por um lado, é Agar, que gera filhos para a escravidão

a partir do monte Sinai. 25 Então, Agar é o Monte Sinai na Arábia, e

 39 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

corresponde também à Jerusalém atual, e é escrava com as suas crianças. 26

Por outro lado, a Jerusalém celestial é livre, e ela é a mãe de todos nós.

27 Permitam-me citar o profeta Isaías, para comprovar a verdade por trás

da minha alegoria, pois está escrito: “seja alegrada, estéril, você que não dá à

luz; esforce-se e grite, você que não tem dores de parto, porque as crianças da

solitária são em muito maior número do que as crianças daquela que tem o

marido.”

28 Voltando à alegoria original, notem que nós, irmãos, somos crianças

prometidas, como Isaque foi prometido. 29 Já naquela época, aquele que foi

gerado por métodos humanos perseguia o que foi gerado espiritualmente.

Agora acontece a mesma coisa. 30 Mas o que diz a Escritura? “Lance fora a

escrava e o seu filho, pois jamais o filho da escrava herdará juntamente com o

filho da livre.” 31 Logo, irmãos, nós não somos crianças de uma escrava, mas da

livre.

5.1 Portanto, fiquem de pé na liberdade para a qual Cristo nos libertou, e

não sejam novamente submetidos a um jugo de escravidão. 2 Prestem atenção!

Eu, Paulo, digo o seguinte: caso vocês sejam circuncidados Cristo não terá

nenhuma utilidade para vocês! 3 E para todo homem que está sendo

circuncidado testemunho novamente: você é obrigado a praticar toda a lei!

4 Ao buscarem na lei serem aceitos por Deus vocês foram separados do

Cristo: vocês caíram para fora da graça! 5 Pois nós esperamos ansiosamente ser

aceitos por Deus a partir de fé, 6 porque em Cristo Jesus nem circuncisão tem

alguma força, nem incircuncisão. Na verdade, em Cristo Jesus o que tem força

é a fé que é eficaz por meio de amor.

 40 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

7 Vocês corriam bem. Quem foi que interrompeu vocês para que não

sejam mais persuadidos à Verdade? 8 Esta persuasão não vem de quem

chamou vocês: 9 um pouco de fermento é suficiente para levedar toda a massa.

10 Ainda assim, eu tenho sido persuadido, no Senhor, que vocês deixarão

este modo de pensar. Mas quem agita vocês suportará o julgamento, quem

quer que seja. 11 E eu, irmãos, se ainda pregasse circuncisão, por que seria

perseguido? Sem dúvida o escândalo da cruz teria sido inutilizado.

12 E eu quis também que se cortassem aqueles que perturbam vocês. 13

Isso, irmãos, porque vocês foram chamados em liberdade: mas não usem a

liberdade para ponto de partida à sua natureza humana; ao contrário, sirvam

como escravos uns aos outros pelo amor, 14 porque toda a lei é completa em

uma palavra, que é o “ame o seu próximo como a você mesmo.” 15 Mas se

vocês mordem e devoram uns aos outros, cuidem só para que não sejam

mutuamente destruídos...

16 Apesar de tudo, eu digo: caminhem espiritualmente, e vocês jamais

cumprirão desejos humanos, 17 pois a natureza humana deseja contra o Espírito

e o Espírito deseja contra a natureza humana, e estes se antagonizam um ao

outro. E esse antagonismo é exatamente para que vocês não façam a sua

própria vontade.

18 Mas se vocês são conduzidos espiritualmente, vocês não estão debaixo

da lei. 19 E as obras da natureza humana são evidentes, e são: adultério,

imoralidade sexual, impureza, falta de controle, 20 idolatria, feitiçaria, ódios,

iras, ciúmes, cóleras, intrigas, desuniões, heresias, 21 invejas, assassinatos,

 41 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

intoxicações, orgias e as coisas semelhantes a estas. Eu predigo, como já disse,

que aqueles que praticam coisas deste tipo não herdarão o reino de Deus.

22 No entanto, o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência,

benignidade, bondade, fé, 23 mansidão, domínio próprio... Nenhuma lei

impedirá vocês de praticarem coisas deste tipo! 24 Por isso, os que são do Cristo

crucificaram a natureza humana junto com as paixões e os desejos: 25 se

vivemos espiritualmente, devemos também marchar espiritualmente. 26 Não se

tornem vangloriosos, irritando uns aos outros e invejando uns aos outros.

6.1 Irmãos, caso alguém venha a ser surpreendido em alguma

transgressão, vocês, que são espirituais, restarem esta pessoa em Espírito de

mansidão. Mas, enquanto isso, tome cuidado com você mesmo, para que você

não seja também testado. 2 Carreguem os pesos uns dos outros. Fazendo isso,

vocês cumprirão no alto a lei do Cristo; 3 pois se alguém, que não é nada,

pensa ser alguma coisa, essa pessoa está iludindo a si mesma. 4 E cada um

comprove o seu próprio trabalho. Aquele que comprovar o seu próprio trabalho

terá o orgulho somente em si mesmo, e não no outro, 5 pois cada um carregará

o próprio fardo. 6 E o que está sendo instruído com a Palavra compartilhe todas

as coisas boas com aquele que o instrui.

7 Não sejam enganados: Deus não está sendo zombado; cada um

colherá aquilo que semear; 8 porque o que semeia para a sua própria natureza

humana, da sua própria natureza humana colherá deterioração; mas o que

semeia para o Espírito, do Espírito colherá Vida eterna. 9 E enquanto estivermos

fazendo o bem não nos cansemos. Na época própria colheremos, e não

seremos desfalecidos. 10 Portanto, não deve haver qualquer dúvida: sempre

 42 de 65
CARTA DE PAULO AOS GÁLATAS

que vocês tiverem oportunidade, façam o bem para todos. Mas especialmente

façam o bem para aqueles que pertencem à mesma casa da fé que vocês.

11 Percebam o tamanho das letras que eu escrevi com a minha própria

mão para vocês: 12 Cuidado! todos aqueles querem ter boa aparência diante

dos homens, estes forçam vocês a serem circuncidados. E o único motivo pelo

qual eles fazem isso é para não serem perseguidos pela cruz do Cristo. 13 Isso

mesmo! Porque nenhum destes que têm sido circuncidados guarda a lei; pelo

contrário, eles querem que vocês sejam circuncidados apenas para terem

motivo de se orgulhar na natureza humana de vocês.

14 Mas para mim não existe nenhum motivo de orgulho que não seja a

cruz do nosso Senhor Jesus Cristo. Nesta cruz, na qual está o meu único

orgulho, o mundo tem sido crucificado para mim, e eu também tenho sido

crucificado para o mundo, 15 porque em Cristo Jesus nem circuncisão tem

alguma força, nem incircuncisão. Na verdade, em Cristo Jesus o que tem força

é ser uma nova criatura. 16 Assim, que haja paz e compaixão sobre todos os

que marcharão neste padrão, e sobre o Israel de Deus.

17 Quanto ao mais, ninguém me lesione, porque eu carrego no meu

corpo as marcas do Senhor Jesus.

18 A graça do Senhor Jesus Cristo esteja com os espíritos de vocês,

irmãos. Amém!

 43 de 65
APONTAMENTOS ACERCA DO TRABALHO DE TRADUÇÃO

1. Objetivo de divulgação e estrutura do trabalho:

Este material, pelo seu próprio formato, tem por objetivo para auxiliar no

estudo das Escrituras. Durante o tempo em que foi produzido, serviu à finalidade de

estudo e meditação de quem o produziu, e espera-se, diante do Senhor, que assim

possa colaborar com aqueles que tiverem contato com ele.

Não se tem qualquer pretensão de que sirva como tradução oficial de

ninguém nem que substitua aquelas que são conhecidas e utilizadas. Aliás, seu

próprio formato parece tornar contraproducente qualquer uso que não seja

exclusivamente o de estudo e meditação, mas isso é deixado a critério do leitor.

2. Premissas do trabalho de tradução (centralidade de Cristo e autoridade objetiva

das Escrituras):

O trabalho parte de duas premissas básicas: a centralidade de Cristo e a

autoridade objetiva das Escrituras.

A primeira premissa, a centralidade de Cristo, é amplamente testemunhada

por toda a Escritura, e tem sido a ênfase de todos os verdadeiros homens de Deus e

escravos do Senhor Jesus que esta terra já conheceu.

A segunda premissa, a autoridade objetiva da Palavra de Deus, também conta

com o amplo testemunho das próprias Escrituras, mas tem sido especial objeto de

atenção do Dr. Wilbur Norman Pickering. Seu trabalho, resumido em “God Has

Preserved His Text” (Deus Preservou Seu Texto, atualmente em processo de tradução

para o Português) aponta para a “Família 35” como aquela que contém a única linha

de transmissão objetivamente demonstrável do Texto do Novo Testamento. Por isso

foi este o Texto Grego traduzido.

Esse par de premissas iniciais leva a dois desdobramentos.

 44 de 65
O primeiro é a literalidade da tradução. Como é o Texto Original – e não a

tradução – aquele que detém autoridade objetiva, procurou-se deixar o leitor o mais

próximo possível do exato sentido das expressões contidas no Original.

Obviamente que uma tradução puramente literal, palavra por palavra,

redundaria num texto incompreensível em Português. Por isso, como segundo

desdobramento, a necessidade de interpretação do Texto, presente em qualquer

trabalho de tradução, foi sempre conduzida pela primeira de todas as premissas, a

centralidade de Cristo: todo o esforço interpretativo da tradução teve como única

finalidade colocar em evidência o Filho de Deus, Aquele que é o centro das

Escrituras.

Assim, a primeira das traduções apresentadas é, de fato, uma tradução literal;

o mais literal possível sem que seja comprometida a fluência da leitura.

No entanto, a partir do sentido apreendido pela exposição do tradutor ao

Texto Original, segue à tradução literal uma segunda tradução, totalmente livre.

Esta segunda tradução foi feita em grandes bases de liberdade e

praticamente sem nenhum apego aos princípios que são enunciados abaixo, apenas

com o objetivo de tentar auxiliar no complemento da compreensão do Texto. No

entanto, a liberdade foi o método utilizado para tentar demonstrar, reforça-se, o

sentido do Texto Original como percebido pelo tradutor.

Parece, assim, que ambas as traduções podem funcionar de forma

complementar. Até mesmo por isso, após estas considerações, elas estão colocadas

lado-a-lado, para permitir uma análise comparativa e ainda maior ganho no estudo e

na meditação.

3. Desdobramentos metodológicos da tradução literal:

Como consequência das duas premissas e de seus desdobramentos, antes

apontados, há ainda alguns desdobramentos metodológicos cujo esclarecimento

 45 de 65
pode ser de alguma valia àquele que examina a tradução literal. Reforça-se que

estes princípios servem apenas à tradução literal, já que a segunda tradução é livre.

3.1. Artigo:

O Grego não conhece o artigo indefinido. Já o uso do artigo definido, em cada

língua, segue uma índole própria. Ainda assim, a tradução procurou ser o mais fiel ao

Original, mantendo o artigo onde ele aparece e deixando sem artigo palavras que

assim estão no Original.

No entanto, o contexto claramente indica, em algumas situações, a

necessidade do emprego do artigo, seja indefinido, seja definido. Nesses casos, o

artigo acrescentado na tradução está em itálico. Quando se trata de uma contração

de preposição com o artigo (como em “do” = “de” + “o”), toda a contração estará em

itálico.

O artigo antes de nomes próprios é muito comum em Grego, e menos comum

em Português. Assim, quando esta adaptação à língua portuguesa não prejudicar o

contexto da passagem, esta será a única hipótese de supressão eventual do artigo

definido constante no Original. No entanto, em razão da primeira premissa deste

trabalho, a expressão “o Cristo” será reproduzida fielmente na tradução.

3.2. Preposições e palavras compostas:

As preposições em Grego, muito mais do que em Português, refletem ideias

de movimento e de posição bastante acentuadas. E embora muitas preposições

tenham um campo semântico bastante amplo, permitindo uma maior flexibilidade e

maior margem de escolha interpretativa, a tradução optou pelo sentido mais literal

quando este está claramente revestido de conotação espiritual, como é o caso de

“crer para dentro de Cristo” (Gálatas 2.16, por exemplo). O mesmo vale para verbos

ou substantivos compostos em que, em razão do sentido espiritual subjacente,

preferiu-se traduzir em termos analíticos buscando a literalidade de cada uma das

 46 de 65
expressões que compõem o verbo no Original, e não buscar uma forma verbal

alternativa em Português, como no caso de “cair para fora” da graça em Gálatas 5.4.

3.3. Verbos:

A diferença de índole das línguas também é verificada nos verbos.

Quanto à voz, o Grego tem, ao lado da ativa e da passiva, a média. Trata-se

da “voz do interesse,” em que o sujeito é tanto agente quanto paciente da ação.

Sempre que possível, a voz média foi refletida, na tradução, na voz passiva sintética,

normalmente com caráter reflexivo.

Quanto ao modo, a tradução procurou ser o mais fiel possível àqueles

presentes no Original. Em algumas situações limítrofes envolvendo o infinitivo e o

subjuntivo, especialmente, a total literalidade não foi possível, transitando-se de um

modo para o outro.

Já os tempos verbais, no Grego, refletem mais estados de ação do que,

propriamente, o tempo linear. A linearidade temporal é verificada apenas nos modos

indicativo e particípio. Nos demais modos (subjuntivo e imperativo, já que o optativo

era praticamente obsoleto à época da redação do Novo Testamento), prevalece mais

o estado da ação do que o tempo.

Assim, a tradução cuida de reproduzir com a máxima fidelidade possível o

essa peculiaridade da língua grega. Os dois exemplos, a seguir, ilustram bem essa

intenção.

O tempo “perfeito” indica uma ação pontual com efeitos contínuos. Nos modos

indicativo e particípio, uma ação pontual no passado com efeitos contínuos. A melhor

maneira de refletir isso, ao que parece, e seguindo-se conselho do próprio Dr. Wilbur

Norman Pickering, é utilizar uma construção equivalente ao present perfect do Inglês

ou do próprio “perfeito” da Gramática Geral.a

a
Observa-se apenas que, quando exerce função auxiliar na oração, especialmente

 47 de 65
Assim, o verbo no perfeito do indicativo (voz passiva), em Gálatas 2.20, foi

traduzido como “tenho sido crucificado junto com,” toda esta locução equivalendo,

ainda, a uma forma verbal composta no Original, ilustrando o que já foi afirmado

anteriormente a respeito das palavras compostas.

O tempo “aoristo,” por sua vez, reflete uma ação pontual. Se no indicativo e no

particípio uma ação pontual no passado (o equivalente ao pretérito perfeito do

Português). Mas, se no subjuntivo ou no imperativo, simplesmente uma ação pontual,

significando uma ação terminada, pronta.

Assim, em Gálatas 4.19, o verbo no aoristo do subjuntivo (voz passiva) foi

traduzido como “tenha sido,” indicando uma ação hipotética completa, mas sem uma

ideia exata de tempo (embora claramente remeta a um acontecimento eventual,

ainda que nem o Original nem a tradução tenham utilizado o futuro).

Por fim, há determinadas conjugações verbais, no Português, especialmente

na primeira pessoa do plural, em que o presente e o pretérito perfeito são ambíguos.

Assim, para eliminar a ambiguidade, acrescenta-se alguma expressão em itálico,

como em Gálatas 1.8 (“já vos evangelizamos”) e Gálatas 2.16 (“já cremos para dentro

de Cristo”).

3.4. Princípio de fidelidade e coerência:

Como já mencionado, procurou-se, dentro das possibilidades contextuais,

manter-se o sentido mais literal possível das expressões originais, exceto quando a

compreensão em Português ficasse comprometida ou quando o contexto claramente

indicasse a necessidade da adoção de um significado secundário dentro do campo

se o verbo principal estiver no aoristo, a melhor forma de reproduzir o verbo


conjugado no perfeito parece ser o pretérito mais que perfeito do Português,
embora o Grego também conheça o “mais que perfeito.” No entanto, essas
situações são bem mais reduzidas no Original.

 48 de 65
semântico das palavras gregas. De todo modo, as opções de tradução sempre foram

ditadas pela primeira premissa, que a centralidade de Cristo.

No entanto, em razão da proposta de literalidade, procurou-se ainda assim

manter um princípio de coerência, de maneira que uma mesma expressão do

Original encontrasse sempre o mesmo equivalente na tradução (exceto, novamente,

quando a necessidade de compreensão ou o contexto claramente

contraindicassem).

A seguir demonstram-se algumas destas situações, escolhidas em razão de

sua relevância espiritual, considerando-se, ainda, a sua ocorrência específica na

Carta aos Gálatas.

Ekklesía foi traduzida como “igreja,” observando-se, apenas, segundo o

contexto, a inicial maiúscula ou minúscula se o Texto estiver se referindo,

respectivamente, quer à Igreja invisível, quer a uma igreja visível. A tradução livre

lança mão do adjetivo para deixar essa ideia ainda mais clara. Considerando que no

caso de outras palavras optou-se pelo significado material ao invés de um significado

formal ligado à transliteração da palavra (vejam-se os exemplos seguintes), aqui se

teve uma escolha difícil. O significado material de ekklesía melhor se coaduna com

“assembleia”, como traduziu Darby, ou – o que dá no mesmo – como “congregação,”

como traduziu Pickering. No entanto, essa escolha de tradução foi por eles aplicada

apenas em relação à igreja visível. Isso porque mesmo estes dois irmãos optaram

pela palavra inglesa “Church” (“Igreja”) quando o contexto indica que se está

aludindo à Igreja invisível. Em razão dessa escolha difícil, expressa na duplicidade de

palavras encontradas mesmo naquelas traduções, e por um princípio da coerência,

ficou-se mesmo com “igreja.”

A palavra apóstolos foi traduzida como “enviado.” O verbo correlato

(apostélo), como “enviar,” e o substantivo apostolé – que ocorre menos vezes e

normalmente é traduzido como “apostolado” – será traduzido como

 49 de 65
“comissionamento,” para reforçar o caráter material da missão, e não o aspecto

formal do encargo.

Já a expressão diáconos foi traduzida, simplesmente, como “serviçal,” ao

passo que o verbo correlato, diaconéo, como “servir.” A propósito, é digno de nota o

emprego material tanto do substantivo quanto do verbo no Novo Testamento para

muito além da mera conotação formal com a qual a expressão transliterada é

utilizada em dias atuais.

Doûlos foi traduzido como “escravo,” e o verbo correlato, doulóo, como “servir

como escravo” ou “ser escravizado,” de acordo com o contexto e, particularmente,

com a voz.

Embora o Português tenha duas palavras diferentes para “fé” e “fidelidade,”

não é assim no Grego. Por isso, a Palavra pístis foi traduzida, indistintamente, como

“fé” (notar, especialmente, Gálatas 5.22).

Éthnos pode significar tanto “gentio” quanto “etnia.” A tradução utilizou uma

ou outra expressão a partir do nível de concretude determinado pelo contexto:

quando se estivesse falando de sujeitos individualizados, “gentio;” quando o

substantivo assumisse um caráter impessoal, “etnia.” Esclarece-se que se preferiu,

nesta segunda hipótese, a expressão “etnia” a “nação” tanto pela maior literalidade

quanto pela efetiva conotação (“nação” envolve o aspecto territorial e político,

enquanto “etnia” aponta exclusivamente para o aspecto étnico).

O adjetivo állos foi traduzido como “outro,” ao passo que héteros, como

“diferente” (para ilustrar precisamente a diferença, veja-se Gálatas 1.6 e 7), salvo se o

contexto claramente indicar a necessidade de utilizar-se o segundo com o mesmo

sentido do primeiro (como em Gálatas 1.19).

Por fim, téknon foi traduzido como “criança,” e tekníon, seu diminutivo, como

“criancinha,” ainda que as expressões possam ter a conotação de “filho” (como child

em Inglês). Aqui há uma distinção semântica, embora não necessariamente

 50 de 65
doutrinária com huíos, expressão que foi traduzida como “filho.” Remete-se, para

maiores explicações, à nota de fim XIII (Gálatas 3.26).

 51 de 65
QUADRO COMPARATIVO DAS TRADUÇÕES

TRADUÇÃO LITERAL TRADUÇÃO LIVRE

1.1 Paulo – enviado não da parte de homens, 1.1 Paulo, alguém que não foi enviado pelos
nem por um homem, mas por Jesus Cristo e homens, nem por um homem qualquer, mas
Deus Pai, que O ressuscitou dentre os mortos – que foi enviado por Jesus Cristo e Deus Pai (o
2 e todos os irmãos que estão junto comigo, às Pai que ressuscitou Jesus dentre os mortos); 2

igrejas da Galácia: 3 graça a vós e paz, da além de mim, todos os irmãos que estão junto
parte de Deus Pai e de nosso Senhor Jesus comigo se dirigem a vocês, igrejas visíveis da
Cristo, 4 o qual deu a Si mesmo acerca dos Galácia, 3 e as saudamos com a graça e a
nossos pecados, de maneira que nos paz, que vêm de Deus Pai e do nosso Senhor
recolhesse para fora da presente era Jesus Cristo: 4 Jesus Cristo, nosso Senhor, que
maligna, segundo a vontade do nosso Deus e entregou a si mesmo pelos nossos pecados,
Pai – 5 ao qual a glória, pelas eras das eras para nos recolher para fora desta era
adentro. Amém! maligna de agora, com isso cumprindo a
vontade de Deus, que assim se tornou também
nosso Pai; 5 e ao Pai a glória, por todas as
eras. Amém!
6 Maravilho-me que tão rapidamente estejais
6 Estou embasbacado, porque já tão rápido
vos transferindo d’Aquele que vos chamou em
vocês estão se transferindo de quem lhes
graça de Cristo para um evangelho diferente
chamou graciosamente em Cristo para um
– 7 que não é outro (do mesmo tipo), senão
evangelho diferente. 7 E este evangelho para
são alguns os que vos agitam e que querem
o qual vocês estão se transferindo não é uma
subverter o Evangelho do Cristo.
simples variação do Evangelho verdadeiro.
8 No entanto, caso mesmo nós, ou um anjo
Não! O que acontece é que algumas pessoas
celestial vos evangelize ao lado do que já vos
estão agitando vocês e querem virar de
evangelizamos, seja rejeitado. 9 De tal
cabeça para baixo o Evangelho do Cristo.
maneira temos predito e agora novamente
8 Mas prestem atenção: ainda que nós
digo: se alguém vos evangeliza ao lado do
mesmos, ou ainda que um anjo celestial
que recebestes, seja rejeitado.
evangelize vocês paralelamente ao que já
evangelizamos, rejeitem. 9 Isso já foi predito
por nós, mas eu digo de novo: se alguém
evangeliza vocês paralelamente ao que vocês
já receberam, rejeitem.
10 Ao dizer isso, eu não estou recorrendo a
10 Pois agora persuado homens, ou Deus? Ou
homens, mas a Deus! E eu não estou
procuro agradar a homens? Pois se ainda
procurando agradar homens, porque se eu

 52 de 65
agradasse a homens não seria escravo de ainda agradasse homens não seria escravo de
Cristo. 11 Mas faço-vos saber o Evangelho que Cristo! 11 Eu preciso que vocês fiquem
foi evangelizado por mim, irmãos, porque não conscientes, irmãos, do Evangelho que eu
é segundo homem, 12 pois eu nunca O recebi evangelizei, porque este Evangelho não é
ao lado de um homem nem fui ensinado por humano. 12 Isso porque eu não recebi o
um homem, mas por revelação de Cristo. Evangelho ao lado de um homem, e nenhum
13 Pois ouvistes o meu comportamento, outrora, homem ensinou o Evangelho para mim. Pelo
no judaísmo, porque com excesso perseguia a contrário, recebi o Evangelho do próprio
assembleia de Deus e a devastava, 14 e Cristo, por revelação.
crescia no judaísmo acima de muitos 13 Certamente vocês já ouviram como eu me
contemporâneos na minha geração, sendo comportava, antes, no judaísmo: como
extremamente cuidadoso com as minhas perseguia excessivamente a igreja visível de
tradições paternas. Deus e a destruía, 14 e como superava muitos
da minha própria geração no judaísmo,
porque eu era extremamente cuidadoso com
as tradições dos meus ancestrais.
15 No entanto, Deus me separou desde a
15 Quando, entretanto, o Deus que me separou minha concepção. Então, num determinado
desde o ventre da minha mãe e me chamou momento Ele me chamou pela Sua graça e
pela Sua graça agradou-se de 16 revelar o achou por bem 16 revelar o Seu Filho em mim,
Seu Filho em mim, a fim de que O evangelize para que eu evangelize este mesmo Filho
entre as etnias, não conferi imediatamente entre as etnias (entre aqueles que não são
com carne nem com sangue, 17 nem subi a judeus). Quando isso aconteceu, eu não
Jerusalém, aos enviados antes de mim, mas procurei homens para me certificar, 17 nem
parti à Arábia e novamente voltei a Damasco. subi a Jerusalém para encontrar aqueles que
foram enviados antes de mim. Não. Eu parti
para a Arábia e voltei de novo para
Damasco.
18 Somente depois de três anos foi que eu subi
18 Depois, após três anos subi a Jerusalém a Jerusalém para conversar a sós com Pedro,
para entrevistar Pedro e fiquei com ele quinze e fiquei com ele quinze dias. 19 E não vi
dias; 19 e outro dos enviados não vi senão nenhum outro dos enviados, senão somente
Tiago, o irmão do Senhor. 20 E das coisas que Tiago, o irmão do Senhor. 20 Como vocês
vos escrevo, eis diante de Deus que não minto. podem confirmar com eles, tudo isso que estou
21 Depois fui às regiões da Síria e da Silícia. escrevendo é verdadeiro diante de Deus. 21

Depois, fui para as regiões da Síria e da


Silícia.
22 E as igrejas visíveis da Judeia, que estão

 53 de 65
22 E era desconhecido no rosto às assembleias em Cristo, não conheciam o meu rosto. 23

da Judeia que estão em Cristo, 23 mas somente Somente estavam ouvindo algo do tipo:
estavam ouvindo que “o que antes nos “aquele homem que antes nos perseguia
perseguia, agora evangeliza a fé que antes agora evangeliza a fé que ele mesmo
devastava,” 24 e glorificavam Deus, em mim. destruía.” 24 E com isso elas mesmas
glorificavam Deus, em mim.

2.1 Depois, após quatorze anos, subi 2.1 Então, quatorze anos após a minha
novamente a Jerusalém Barnabé, conversão, novamente subi a Jerusalém com
com
havendo levado juntamente também Tito. 2 Barnabé, e nós levamos Tito junto conosco. 2 Eu
Mas subi segundo revelação, e lhes expus o subi por revelação, e lhes expus o Evangelho
Evangelho que prego entre as etnias, porém que prego entre as etnias. E para que o meu
particularmente aos que influenciam, para que esforço não fosse em vão, expus o Evangelho
porventura não corra ou tenha corrido em de forma particular àqueles que exercem
vão. influência.

Contudo, nem Tito, que estava junto comigo, 3 Contudo, nem Tito, que estava junto comigo,
3

sendo grego, foi compelido a ser embora seja grego, foi forçado a ser
circuncidado, 4 ainda que pelos – intrometidos! circuncidado. 4 Digo isso porque havia ali
– falsos irmãos que chegaram ao lado para falsos irmãos intrometidos entre nós, que
espionar a nossa liberdade, que temos em chegaram de mansinho com o objetivo de
Cristo Jesus, a fim de nos reduzirem à espionar a liberdade que temos em Cristo
escravidão, aos quais nem por uma hora Jesus, não querendo outra coisa senão nos
5

cedemos à subordinação, a fim de que a reduzir à escravidão. 5 A estes não cedemos


Verdade do Evangelho continue convosco. 6 E nem por um instante, para que a Verdade do
quanto aos que parecem ser alguma coisa Evangelho continuasse com vocês. 6 E quanto
(quem quer que foram outrora a mim não faz aos que parecem ser alguma coisa (quem
nenhuma diferença; Deus não aceita aspecto quer que antes possam ter sido não faz
de homem), a mim, pois, os que influenciam, nenhuma diferença; Deus não se importa com
nada acrescentaram. a aparência humana), ao menos para mim,
estes que influenciam, não acrescentaram
nada.

7 Antes, pelo contrário, havendo contemplado 7 Mas o que aconteceu foi que os irmãos

que tenho sido acreditado com o Evangelho perceberam que foi confiado a mim o
da incircuncisão, como Pedro tem sido Evangelho da incircuncisão, como a Pedro foi
acreditado com o Evangelho da circuncisão confiado o Evangelho da circuncisão. 8 Pois
8

(pois Aquele que foi eficaz a Pedro para o Deus, em seu poder, enviou Pedro aos judeus
comissionamento da circuncisão também foi da mesma forma como me enviou às etnias. 9
eficaz a mim para o comissionamento das E, assim, Tiago, Cefas e João (que todos,
etnias), e tendo conhecido a graça que me inclusive vocês, consideram ser colunas...),
9

 54 de 65
foi dada, Tiago, e Cefas, e João (os quais conhecendo a graça que me foi dada,
parecem ser colunas...) deram destras de estenderam as mão para mim e para
comunhão a mim e a Barnabé, para que nós, Barnabé. Com isso, ficou acertado que nós
por um lado, fôssemos às etnias, e eles, por iríamos às etnias, e eles à circuncisão. 10 A
outro lado, à circuncisão, 10 pedindo somente única coisa que nos pediram foi que
que dos pobres lembremos, isto mesmo o que lembremos dos pobres, o que eu tenho me
também diligenciei fazer. esforçado por fazer.
11 Mas quando Pedro veio a Antioquia lhe 11 Mas houve uma situação em que Pedro veio
opus face-a-face, porque estava sendo a Antioquia e tive que me opor a ele cara-a-
repreensível, 12 pois antes de chegarem alguns cara, porque estava sendo digno de
da parte de Tiago comia com os gentios; mas repreensão. 12 Aconteceu da seguinte forma:
quando chegaram, afastava e separava a si antes de chegarem alguns irmãos da parte de
mesmo, temendo os de circuncisão. 13 E agiam Tiago, Pedro comia com os gentios; mas
hipocritamente com ele também os demais quando chegaram aqueles irmãos, Pedro
judeus, de maneira que até Barnabé foi começou a se afastar e a se separar, como
levado junto na hipocrisia deles. 14 Entretanto, medo dos “circuncidados.” 13 E os demais
quando contemplei que não andavam judeus agiram dessa forma hipócrita junto com
retamente em direção à Verdade do ele, ao ponto do próprio Barnabé ter sido
Evangelho disse a Pedro na frente de todos: levado nessa onda de hipocrisia. 14 Então,
quando eu percebi que eles não estavam
andando retamente em direção à Verdade
do Evangelho disse a Pedro na frente de
- Se tu, sendo judeu, vives como gentio e não todos:
como judeu, porque compeles os gentios a - Pedro, você é um judeu que vive como um
judaizarem? 15 Nós somos pecadores judeus gentio, e não como um judeu. Por que, então,
por natureza e não pecadores dentre etnias! você está forçando os gentios a se
16 Sabendo que um homem não é justificado a comportarem como judeus? 15 Nós podemos
partir de obras de lei, senão por fé de Jesus ser judeus por natureza, mas somos tão
Cristo, também nós já cremos para dentro de pecadores quanto os gentios! 16 E uma pessoa
Cristo Jesus, a fim de que sejamos justificados não é aceita por Deus por cumprir os
a partir de fé de Cristo e não a partir de preceitos da lei. Uma pessoa só é aceita por
obras de lei, porque nenhuma carne será Deus pela fé de Jesus Cristo. Então, sabendo
justificada a partir de obras de lei. 17 Mas se disso, nós também já cremos para dentro de
mesmo nós, que buscamos ser justificados em Cristo Jesus, para sermos aceitos por Deus a
Cristo, somos achados pecadores, porventura partir da fé de Cristo e não por cumprir os
Cristo é serviçal de pecado? De maneira preceitos da lei, porque ninguém será aceito
nenhuma! 18 Pois se novamente edifico estas por Deus cumprindo por seus próprios esforços
coisas – aquelas que destruí – apresento a os preceitos da lei. 17 Agora, Pedro, pense

 55 de 65
mim mesmo como violador, 19 porque eu por comigo: se mesmo nós, que buscamos ser
lei para lei morri, a fim de que tenha vida aceitos por Deus em Cristo, somos achados
para Deus: 20 tenho sido crucificado junto com pecadores, por acaso Cristo compactua com o
Cristo e não vivo mais eu, mas Cristo vive em nosso pecado, como se Ele estivesse a serviço
mim; o que vivo agora em carne, vivo em fé, a do pecado? De maneira nenhuma! 18 Pois a
fé do Filho de Deus, o qual me amou e responsabilidade é unicamente minha quando
entregou a si mesmo por mim. 21 Não eu construo de novo as coisas que já destruí.
desprezo a graça de Deus, pois se a justiça é Nesse caso estou apresentando a mim mesmo
por lei então Cristo morreu por nada! como um violador. 19 De acordo com o que diz
a própria lei, eu já morri para a lei, e é por
isso que eu posso ter vida para Deus. 20 Eu
tenho sido crucificado junto com Cristo e,
assim, quem vive agora não sou mais eu:
Cristo vive em mim. E a vida natural que eu
vivo, vivo em fé; mas não qualquer fé: a fé do
Filho de Deus, que me amou e entregou a si
mesmo por mim. 21 Eu não desprezo a graça
de Deus, pois se alguém algum dia for aceito
por Deus porque observa os preceitos da lei
3.1 Ó gálatas desprovidos de mente (aos então Cristo morreu por nada!
olhos de quem Jesus Cristo foi demonstrado, 3.1 Seus gálatas desmiolados! Diante dos
entre vós, tendo sido crucificado)! Quem vos próprios olhos de vocês foi demonstrado Jesus
enfeitiçou para não serdes persuadidos à Cristo tendo sido crucificado! Quem enfeitiçou
Verdade? 2 Somente isto quero aprender da vocês para que não sejam persuadidos à
vossa parte: recebestes o Espírito a partir de Verdade? 2 Me digam só uma coisa: vocês
obras de lei ou a partir de ouvir de fé? 3 De receberam o Espírito por que observaram
tal maneira sois desprovidos de mente? Tendo preceitos da lei, ou por que ouviram com fé? 3
começado em Espírito, agora vos completais Vocês são assim tão desmiolados que
em carne? 4 Tanto sofrestes por nada (se, de começaram no Espírito e agora acham que
fato, mesmo por nada)? podem ser completados por esforços
5 Logo, Aquele que vos provê de cima o humanos? 4 Todo o sofrimento de vocês foi por
Espírito e que efetua milagres entre vós age a nada? Será que tudo foi por nada?
partir de obras de lei ou a partir de ouvir de 5 Pensem o seguinte: Deus providenciou a
fé? 6 Assim como “Abraão creu a Deus e lhe partir do alto o Espírito para vocês, e Ele
foi computado para justiça” 7 conhecei, sem mesmo realiza milagres entre vocês. Agora me
dúvida, que estes, os que vivem a partir de fé, digam: Ele faz isso quando vocês observam os
são filhos de Abraão, 8 pois havendo a preceitos da lei ou quando vocês ouvem com
Escritura previsto que Deus justifica as etnias a fé? 6 Vejam só: “Abraão creu em Deus e por

 56 de 65
partir de fé, pré-evangelizou Abraão, porque isso ele pôde ser aceito por Deus.” 7 Fiquem
“serão benditas em ti todas as etnias,” 9 de sabendo, então, sem qualquer dúvida, que
maneira que os que vivem a partir de fé são são os que vivem a partir da fé, como
abençoados juntamente com o fiel Abraão. Abraão, que são filhos de Abraão. 8 E a
Escritura já havia previsto que as etnias são
aceitas por Deus a partir de fé, por isso
Abraão foi pré-evangelizado, e a mesma
Escritura diz: “serão abençoadas em ti todas
as etnias.” 9 Portanto, os que vivem a partir
da fé são abençoados juntamente com o fiel
10 Pois todos quantos pretendem ser justificados Abraão.
a partir de obras de lei estão sob maldição, 10 Agora prestem atenção: todos aqueles que
porque está escrito: “maldito todo o que não querem ser aceitos por Deus observando os
permanece em todas as coisas que estão preceitos da lei estão debaixo de uma
escritas no Livro da Lei, para as fazer.” 11 Mas maldição, porque está escrito: “maldito todo
claro que ninguém é justificado ao lado de aquele que não permanece em todas as
Deus em lei, porque “o justo viverá a partir de coisas que estão escritas no Livro da Lei, para
fé”! 12 E a lei não é a partir de fé; pelo as fazer.” 11 Mas claro que ninguém é aceito
contrário, “o homem que fez estas coisas diante de Deus na base da lei, porque “o justo
viverá nelas”... viverá a partir da fé”! 12 E o sistema da lei
não pode retirar vida da fé; pelo contrário,
13 Cristo nos resgatou de dentro da maldição “o homem que fez estas coisas viverá nelas”...
da lei tendo-se tornado maldição por nós, 13 Cristo nos resgatou de dentro da maldição
pois está escrito: “maldito todo o que é da lei tendo-se tornado maldição por nós,
pendurado sobre madeiro,” 14 a fim de que a porque está escrito: “maldito todo o que é
benção de Abraão viesse a ser para as etnias pendurado em um madeiro.” 14 Isso aconteceu
em Cristo Jesus, para que a promessa do para que a benção de Abraão para as etnias
Espírito recebêssemos pela fé. fosse realizada em Cristo Jesus, para que
15 Irmãos (falo segundo homem), mesmo uma recebêssemos pela fé a promessa do Espírito.
aliança de homem, tendo sido ratificada, 15 Agora, irmãos, eu vou fazer uma
ninguém despreza ou lhe acrescenta. 16 Pois as comparação com a legislação humana:
promessas foram proferidas a Abraão e à sua nenhuma pessoa, depois que assina um
semente (não diz e “às sementes,” como sobre contrato, pode desconsiderar aquilo que se
muitas, mas como sobre uma: “e à tua comprometeu a fazer, nem acrescentar
semente,” que é Cristo). 17 E digo isto: tendo qualquer coisa. 16 Então, vejam só: as
sido pré-ratificada a aliança por Deus para promessas foram feitas a Abraão e à sua
dentro de Cristo, a lei, que veio a existir semente, (a Escritura não diz “e às sementes,”
quatrocentos e trinta anos depois, não como se fossem muitas, mas fala de uma: “e à

 57 de 65
desautoriza para inutilizar a promessa, 18 tua semente,” que é Cristo). 17 E eu digo isto
porque se a herança é a partir de lei já não é (lembrem, por favor, da comparação com o
a partir de promessa; mas Deus, por contrato humano): a aliança que Deus celebrou
promessa, tem concedido a Abraão a herança anteriormente com Abraão foi feita em Cristo.
como favor. Sendo assim, a lei, que veio quatrocentos e
trinta anos depois, não tem força para
inutilizar a promessa. 18 Então, se a herança
fosse concedida pela observância dos
preceitos da lei já não seria a partir de
promessa; mas Deus, pela promessa que fez,
tem concedido como favor a herança a
19 Por que, então, a lei? Graças às violações Abraão.
foi acrescentada até que viesse a semente 19 Qual é, então, a razão de ser da lei? Ela
que fora prometida (havendo sido instituída foi acrescentada por causa das violações, até
por anjos em mão de um mediador; 20 e o que viesse a semente que havia sido
mediador não é de um, mas Deus é um). prometida. E a lei foi colocada por anjos na
mão de um mediador, que é Moisés. 20 E todo
mediador é um mediador entre duas partes.
Mas Deus é um só. Por isso, a aliança de Deus
com Abraão, abrangendo indistintamente judeus
21 Portanto, a lei é contra as promessas de e gentios, tem outro mediador, que é o Cristo.
Deus? De maneira nenhuma! Pois se houvesse 21 Agora, a lei seria, por isso, contra as
sido dada uma lei que pudesse vivificar promessas de Deus? De maneira nenhuma! Na
certamente a justiça seria a partir de lei. 22 verdade a lei jamais foi dada com o objetivo
Mas a Escritura fechou junto todas as coisas de trazer vida. Se a lei pudesse trazer vida,
sob pecado, a fim de que a promessa a partir então certamente que a justiça consistiria em
de fé de Jesus Cristo fosse dada aos que observar os preceitos da lei. 22 Mas o que
creem. acontece é que a Escritura enclausurou todas
as coisas juntas debaixo de pecado, para que
a promessa a partir da fé de Jesus Cristo
23 Logo, antes de vir a fé estávamos fosse dada aos que creem.
guardados sob lei estávamos, tendo sido 23 Por isso, antes que viesse a fé, nós
fechados junto até a fé vindoura ser revelada, estávamos guardados pela lei; tínhamos sido
24 de maneira que a lei veio a ser nosso enclausurados todos juntos até que fosse
pedagogo até Cristo, a fim de que sejamos revelada a fé que deveria vir. 24 E assim a lei
justificados a partir de fé. 25 Mas tendo funcionou como nosso pedagogo até Cristo,
chegado a fé, não estamos mais sob para que sejamos aceitos diante de Deus a
pedagogo, 26 pois todos sois filhos de Deus partir da fé. 25 Mas agora que a fé chegou,

 58 de 65
pela fé em Jesus Cristo, 27 porque todos os já não estamos mais aos cuidados do
que fostes batizados para dentro de Cristo pedagogo: 26 todos vocês são filhos de Deus
vos revestistes de Cristo 28 (não há judeu nem pela fé em Jesus Cristo, 27 porque todos vocês
grego; não há escravo nem livre; não há que foram batizados para dentro de Cristo se
macho e fêmea: pois todos vós sois um em revestiram de Cristo 28 (não há judeu nem
Cristo Jesus); 29 e se vós sois de Cristo sem grego; não há escravo nem livre; não há
dúvida sois semente de Abraão e herdeiros macho e fêmea: todos vocês são um em Cristo
segundo promessa. Jesus); 29 e se vocês são de Cristo sem dúvida
também são semente de Abraão. Mas não
somente isso: também são herdeiros, como foi
4.1 Digo, porém: o herdeiro, sendo senhor de prometido.
todas as coisas, em nada difere de um 4.1 Porém, já que vocês são herdeiros, eu
escravo por todo tempo que é menino, 2 mas preciso dizer o seguinte: o herdeiro, enquanto
sob tutores e mordomos está até o tempo ainda é menino, é tratado da mesma forma
proposto pelo pai. 3 De tal maneira também que um escravo, muito embora ele seja dono
nós estávamos sendo escravizados pelos de todas as coisas. 2 Durante este período ele
elementos do mundo quando éramos meninos, permanece aos cuidados de tutores e de
4 mas quando chegou a plenitude do tempo mordomos, e assim ele fica até que chegue o
Deus enviou de Si o Seu Filho, tendo vindo de tempo que foi proposto pelo seu pai. 3 Da
mulher, tendo vindo sob lei, 5 para que mesma forma também nós servíamos como
resgate aqueles “sob lei,” a fim de que escravos às coisas rudimentares do mundo
recebamos a filiação; 6 e porque sois filhos quando éramos como meninos. 4 Mas quando
Deus enviou para dentro dos vossos corações se completou o tempo proposto pelo Pai, Deus
o Espírito do Seu Filho, que clama: “Abba, enviou de dentro de Si o Seu Filho. O filho de
Pai!,” 7 de maneira que não és mais escravo, Deus nasceu de uma mulher. E não somente
mas filho – e se filho, também herdeiro de isso, mas ele também nasceu debaixo da lei, 5

Deus por Cristo. e isso para que resgate aqueles que estão
debaixo da lei, para que nós sejamos
apontados como filhos do Seu Pai. 6 E porque
vocês são filhos, Deus enviou para dentro dos
seus corações o Espírito do Seu Filho, que o
chama de “Pai,” seja em Hebraico, seja em
Grego, seja em Português ou e em qualquer
outra língua humana! 7 Por isso, você não é
mais escravo: você é um filho; e se é um filho,
8 No entanto, por um lado servíeis como também é herdeiro de Deus por Cristo.
escravos aos que por natureza não são deuses 8 No entanto, vejam que coisa estranha: por
quando não éreis conhecedores de Deus; 9 um lado, quando vocês não conheciam a Deus,

 59 de 65
agora, por outro lado, havendo conhecido serviam como escravos a falsos deuses; 9 por
Deus (e, ao invés, tendo sido conhecidos por outro lado, agora que vocês já conheceram
Deus...), como retornais novamente aos Deus (se bem que o mais certo é dizer que
elementos fracos e pobres a que mais uma vocês foram conhecidos por Deus...), como é
vez, de novo, quereis servir como escravos? 10 que vocês podem retornar novamente àquelas
Guardais dias, e meses, e estações, e anos! 11 coisas rudimentares fracas e pobres? Mais
Temo por vós; que não tenha eu me uma vez (novamente?) vocês estão servindo
afadigado em vão para convosco... como escravos a estas coisas rudimentares,
mas elas não podem aproximar vocês de Deus,
da mesma maneira que quando vocês serviam
como escravos os falsos deuses não estavam
servindo a Deus!10 Vocês acham que
guardando dias, meses, estações ou anos
vocês serão aceitos por Deus? 11 Eu estou com
medo: estou começando a pensar que todo o
12 Peço-vos, irmãos: tornai-vos como eu, meu esforço no meio de vocês foi em vão...
porque eu também me tornei como vós! Não 12 Irmãos (fala aqui um judeu que vive como um
me fizestes nenhum mal, 13 mas sabeis que por gentio...), por favor, tornem-se como eu,
uma fraqueza da carne vos evangelizei por porque eu já me fiz como um de vocês! Vocês
primeiro; 14 e o meu teste, que é na minha nunca me fizeram nenhum mal. 13 Aliás, vocês
carne, não menosprezastes nem rejeitastes; sabem muito bem que foi por causa de uma
pelo contrário, me recebestes como um anjo fraqueza da minha natureza humana que eu
de Deus, como Cristo Jesus. 15 Qual era, evangelizei vocês inicialmente.14 E este meu
portanto, a vossa felicidade? Pois vos teste, que diz respeito à minha natureza
testemunho que tendo tirado os vossos olhos, humana, vocês não menosprezaram nem
se possível, me daríeis. 16 Logo, tenho me rejeitaram; pelo contrário, vocês me
tornado vosso inimigo sendo verdadeiro receberam como um anjo de Deus, como se eu
convosco? fosse o próprio Cristo Jesus. 15 Então, que
felicidade vocês tinham? Pois eu testemunho
que se fosse possível vocês teriam tirado os
próprios olhos para me darem. 16 Agora nós
nos tornamos inimigos, e a única coisa que eu
17 Eles não cuidam bem de vós; pelo contrário, fiz foi ser verdadeiro com vocês?
querem vos excluir, para que cuideis deles. 18 17 Eles não cuidam bem de vocês. Pelo
O ser cuidado em algo bom sempre é uma contrário, o que eles querem é separar vocês,
coisa boa, e não somente estando eu ao vosso para que vocês cuidem deles. 18 Sempre é
lado, 19 minhas criancinhas (pelas quais uma coisa boa quando alguém cuida bem do
novamente sofro dores de parto até que outro, e isso não precisa acontecer só quando

 60 de 65
Cristo tenha sido formado em vós!). 20 Mas eu eu estou junto de vocês, 19 minhas criancinhas!
quero estar ao vosso lado agora e mudar a Estou novamente sofrendo dores de parto por
minha voz, porque estou sem saída entre vós. vocês, e sofrerei até que Cristo tenha sido
formado em vocês... 20 Mas agora eu quero
estar junto de vocês e alterar a minha voz,
21 Dizei-me, vós que quereis estar sob lei: não porque eu não tenho outra alternativa!
ouvis a Lei? 22 Pois está escrito que Abraão 21 Digam-me, vocês que querem estar
teve dois filhos: um da escrava e um da livre. debaixo da lei: por acaso vocês não prestam
23 No entanto, se o da escrava fora gerado atenção na Lei? 22 Leiam o seu Livro de
carnalmente, o da livre fora gerado pela Gênesis, pois está escrito que Abraão teve
promessa, 24 o que está sendo alegorizado, dois filhos: um filho da escrava e um filho da
pois estas são duas alianças: de um lado uma, livre. 23 No entanto, se o filho da escrava foi
gerando para escravidão a partir do monte gerado por métodos humanos, o filho da livre
Sinai, a qual é Agar 25 (porque Agar é o foi gerado pela promessa. 24 Agora vou
Monte Sinai na Arábia, e corresponde à transformar isso numa alegoria. Temos aqui
Jerusalém atual, e é escrava com as suas duas alianças. Uma, por um lado, é Agar, que
crianças); 26 de outro lado, a Jerusalém de gera filhos para a escravidão a partir do
cima é livre, a qual é mãe de todos nós. monte Sinai. 25 Então, Agar é o Monte Sinai na
Arábia, e corresponde também à Jerusalém
atual, e é escrava com as suas crianças. 26 Por
outro lado, a Jerusalém celestial é livre, e ela
27 Pois está escrito: “sê alegrada, estéril, tu é a mãe de todos nós.
que não dás à luz; esforça-te e grita, tu que 27 Permitam-me citar o profeta Isaías, para
não tens dores de parto, porque são muito comprovar a verdade por trás da minha
mais as crianças da solitária do que as alegoria, pois está escrito: “seja alegrada,
crianças da que tem o marido.” estéril, você que não dá à luz; esforce-se e
grite, você que não tem dores de parto,
porque as crianças da solitária são em muito
maior número do que as crianças daquela que
28 E nós, irmãos, somos crianças prometidas tem o marido.”
segundo Isaque. 29 Contudo, assim como o que 28 Voltando à alegoria original, notem que nós,
foi gerado carnalmente outrora perseguia o irmãos, somos crianças prometidas, como
que foi gerado espiritualmente, agora Isaque foi prometido. 29 Já naquela época,
também é desta maneira. 30 Porém, o que diz aquele que foi gerado por métodos humanos
a Escritura? “Lança fora a escrava e o seu perseguia o que foi gerado espiritualmente.
filho, pois jamais herdará o filho da escrava Agora acontece a mesma coisa. 30 Mas o que
com o filho da livre.” 31 Logo, irmãos, não diz a Escritura? “Lance fora a escrava e o seu
somos crianças de uma escrava, mas da livre. filho, pois jamais o filho da escrava herdará

 61 de 65
juntamente com o filho da livre.” 31 Logo,
irmãos, nós não somos crianças de uma
5.1 Portanto, ficai de pé na liberdade para a
escrava, mas da livre.
qual Cristo nos libertou, e não sejais
5.1 Portanto, fiquem de pé na liberdade para
novamente submetidos a um jugo de
escravidão. 2 Eis que eu, Paulo, vos digo: caso a qual Cristo nos libertou, e não sejam
sejais circuncidados Cristo não vos será útil novamente submetidos a um jugo de
para nada. E de novo testemunho a todo escravidão. 2 Prestem atenção! Eu, Paulo, digo
3

homem que está sendo circuncidado que é o seguinte: caso vocês sejam circuncidados
obrigado a praticar toda a lei. Cristo não terá nenhuma utilidade para vocês!

4 Vós, os que sois justificados em lei, fostes 3 E para todo homem que está sendo

separados do Cristo: caístes para fora da circuncidado testemunho novamente: você é


graça! 5 Pois nós espiritualmente ansiamos obrigado a praticar toda a lei!
esperança de justiça a partir de fé, 6 porque 4 Ao buscarem na lei serem aceitos por Deus

em Cristo Jesus nem circuncisão tem alguma vocês foram separados do Cristo: vocês
força, nem incircuncisão, mas fé que é eficaz caíram para fora da graça! 5 Pois nós
por meio de amor. esperamos ansiosamente ser aceitos por Deus
a partir de fé, 6 porque em Cristo Jesus nem
circuncisão tem alguma força, nem
incircuncisão. Na verdade, em Cristo Jesus o
que tem força é a fé que é eficaz por meio

7 Corríeis bem. Quem vos interrompeu para de amor.


não serdes persuadidos à Verdade? 8 Esta 7 Vocês corriam bem. Quem foi que

persuasão não vem d’Aquele que vos chamou: interrompeu vocês para que não sejam mais
9 pouco fermento leveda toda a massa.
persuadidos à Verdade? 8 Esta persuasão não

10Eu tenho sido persuadido a respeito de vós, vem de quem chamou vocês: 9 um pouco de
no Senhor, que não pensareis de outro modo, fermento é suficiente para levedar toda a
mas o que vos agita – quem quer que seja – massa.
suportará o julgamento. 11 E eu, irmãos, se 10 Ainda assim, eu tenho sido persuadido, no
ainda prego circuncisão, por que ainda sou Senhor, que vocês deixarão este modo de
perseguido? Sem dúvida o escândalo da cruz pensar. Mas quem agita vocês suportará o
teria sido inutilizado. julgamento, quem quer que seja. 11 E eu,
irmãos, se ainda pregasse circuncisão, por que
seria perseguido? Sem dúvida o escândalo da

12Eu quis que também se cortassem os que vos cruz teria sido inutilizado.
perturbam, 13 pois vós, irmãos, em liberdade 12 E eu quis também que se cortassem aqueles
fostes chamados: somente não a que perturbam vocês. 13 Isso, irmãos, porque
useis
liberdade para ponto de partida à carne; ao vocês foram chamados em liberdade: mas não
contrário, servi como escravos uns aos outros usem a liberdade para ponto de partida à

 62 de 65
pelo amor, 14 pois toda a lei é completa em sua natureza humana; ao contrário, sirvam
uma palavra, no “amarás o teu próximo como como escravos uns aos outros pelo amor, 14

a ti mesmo.” 15 Mas se mordeis e devorais uns porque toda a lei é completa em uma
aos outros, vede que não sejais consumidos uns palavra, que é o “ame o seu próximo como a
pelos outros. você mesmo.” 15 Mas se vocês mordem e
devoram uns aos outros, cuidem só para que
16 Digo, porém: caminhai espiritualmente e não sejam mutuamente destruídos...
jamais tereis cumprido desejo carnal, 17 pois a 16 Apesar de tudo, eu digo: caminhem
carne deseja contra o Espírito e o Espírito espiritualmente, e vocês jamais cumprirão
contra a carne, e estas coisas se antagonizam desejos humanos, 17 pois a natureza humana
uma à outra, a fim de que as coisas que deseja contra o Espírito e o Espírito deseja
quereis, estas não façais. contra a natureza humana, e estes se
antagonizam um ao outro. E esse antagonismo
é exatamente para que vocês não façam a
18 Mas se sois conduzidos espiritualmente, não sua própria vontade.
estais sob lei. 19 E as obras da carne são 18 Mas se vocês são conduzidos
evidentes, as quais são adultério, imoralidade espiritualmente, vocês não estão debaixo da
sexual, impureza, licenciosidade, 20 idolatria, lei. 19 E as obras da natureza humana são
feitiçaria, ódios, iras, ciúmes, cóleras, intrigas, evidentes, e são: adultério, imoralidade
desuniões, heresias, 21 invejas, homicídios, sexual, impureza, falta de controle, 20

intoxicações, orgias e as coisas semelhantes a idolatria, feitiçaria, ódios, iras, ciúmes, cóleras,
estas, das quais vos predigo – assim como intrigas, desuniões, heresias, 21 invejas,
também já disse – que os que praticam as tais assassinatos, intoxicações, orgias e as coisas
coisas não herdarão o reino de Deus. semelhantes a estas. Eu predigo, como já
22 Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, disse, que aqueles que praticam coisas deste
paz, paciência, benignidade, bondade, fé, 23 tipo não herdarão o reino de Deus.
mansidão, domínio próprio... Contra as tais 22 No entanto, o fruto do Espírito é amor,
coisas não há lei! 24 E os que são do Cristo alegria, paz, paciência, benignidade,
crucificaram a carne junto com as paixões e os bondade, fé, 23 mansidão, domínio próprio...
desejos: 25 se vivemos espiritualmente, que nenhuma lei impedirá vocês de praticarem
marchemos também espiritualmente, 26 não vos coisas deste tipo! 24 Por isso, os que são do
tornando vangloriosos, irritando uns aos Cristo crucificaram a natureza humana junto
outros, invejando uns aos outros. com as paixões e os desejos: 25 se vivemos
espiritualmente, devemos também marchar
espiritualmente. 26 Não se tornem
vangloriosos, irritando uns aos outros e
6.1 Irmãos, caso também um homem tenha sido invejando uns aos outros.
surpreendido em alguma transgressão, vós, os 6.1 Irmãos, caso alguém venha a ser

 63 de 65
espirituais, restaurai o tal em Espírito de surpreendido em alguma transgressão, vocês,
mansidão (mirando a ti mesmo, que não sejas que são espirituais, restarem esta pessoa em
tu também testado): 2 carregai os pesos uns Espírito de mansidão. Mas, enquanto isso,
dos outros e desta maneira cumprireis no alto tome cuidado com você mesmo, para que você
a lei do Cristo, 3 pois se alguém pensa ser não seja também testado. 2 Carreguem os
alguma coisa sendo nada, está iludindo a si pesos uns dos outros. Fazendo isso, vocês
mesmo; 4 e cada um comprove o seu próprio cumprirão no alto a lei do Cristo; 3 pois se
trabalho, e então somente em si mesmo terá o alguém, que não é nada, pensa ser alguma
orgulho, e não no outro, 5 pois cada um coisa, essa pessoa está iludindo a si mesma. 4

carregará o próprio fardo. 6 E o que está E cada um comprove o seu próprio trabalho.
sendo instruído com a Palavra comungue com Aquele que comprovar o seu próprio trabalho
o que instrui em todas as coisas boas. terá o orgulho somente em si mesmo, e não no
outro, 5 pois cada um carregará o próprio
fardo. 6 E o que está sendo instruído com a
Palavra compartilhe todas as coisas boas com
7 Não sejais enganados: Deus não está sendo aquele que o instrui.
zombado, pois o que um homem semear, isto 7 Não sejam enganados: Deus não está sendo
também colherá; 8 porque o que semeia para zombado; cada um colherá aquilo que
dentro da sua própria carne, de dentro da semear; 8 porque o que semeia para a sua
carne colherá deterioração; mas o que semeia própria natureza humana, da sua própria
para dentro do Espírito, de dentro do Espírito natureza humana colherá deterioração; mas o
colherá Vida eterna; 9 e não cansemos que semeia para o Espírito, do Espírito colherá
fazendo o bem, pois em época própria Vida eterna. 9 E enquanto estivermos fazendo
colheremos, não sendo desfalecidos. 10 Sem o bem não nos cansemos. Na época própria
dúvida, portanto, de tal maneira tendo colheremos, e não seremos desfalecidos. 10

oportunidade, realizai o bem para todos, mas Portanto, não deve haver qualquer dúvida:
especialmente para os domésticos da fé. sempre que vocês tiverem oportunidade,
façam o bem para todos. Mas especialmente
façam o bem para aqueles que pertencem à
11 Contemplai quão grandes letras vos escrevi mesma casa da fé que vocês.
com a minha mão: 12 todos os que querem ter 11 Percebam o tamanho das letras que eu
boa aparência em carne, estes vos compelem escrevi com a minha própria mão para vocês:
a serdes circuncidados, apenas a fim de que 12 Cuidado! todos aqueles querem ter boa
não sejam perseguidos pela cruz do Cristo, 13 aparência diante dos homens, estes forçam
pois nenhum dos mesmos que têm sido vocês a serem circuncidados. E o único motivo
circuncidados guarda lei; pelo contrário, pelo qual eles fazem isso é para não serem
querem que vós sejais circuncidados para que perseguidos pela cruz do Cristo. 13 Isso mesmo!
se orgulhem na vossa carne. Porque nenhum destes que têm sido

 64 de 65
circuncidados guarda a lei; pelo contrário,
eles querem que vocês sejam circuncidados
apenas para terem motivo de se orgulhar na
14 Mas que eu de modo nenhum me orgulhe natureza humana de vocês.
senão na cruz do nosso Senhor Jesus Cristo, 14 Mas para mim não existe nenhum motivo de
pela qual o mundo tem sido crucificado para orgulho que não seja a cruz do nosso Senhor
mim, e eu também para o mundo, 15 pois em Jesus Cristo. Nesta cruz, na qual está o meu
Cristo Jesus nem circuncisão tem alguma força, único orgulho, o mundo tem sido crucificado
nem incircuncisão, mas ser nova criatura. 16 E a para mim, e eu também tenho sido crucificado
todos os que neste padrão marcharão, paz para o mundo, 15 porque em Cristo Jesus nem
sobre eles e compaixão, e sobre o Israel de circuncisão tem alguma força, nem
Deus. incircuncisão. Na verdade, em Cristo Jesus o
que tem força é ser uma nova criatura. 16

Assim, que haja paz e compaixão sobre todos


os que marcharão neste padrão, e sobre o
17 No restante, ninguém me faça lesão, pois eu Israel de Deus.
carrego no meu corpo as marcas do Senhor 17 Quanto ao mais, ninguém me lesione,
Jesus. porque eu carrego no meu corpo as marcas
18 A graça do Senhor Jesus Cristo com os do Senhor Jesus. 18 A graça do Senhor Jesus
vossos espíritos, irmãos. Amém! Cristo esteja com os espíritos de vocês, irmãos.
Amém!

 65 de 65