Você está na página 1de 8

ac artigo científico

Produtos químicos
perigosos e de uso restrito
no couro
Wagner Fernando Fuck1,
Mariliz Gutterres2
1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
2 Departamento de Engenharia Química Laboratório de Estudos em Couro
e Meio Ambiente

Resumo
Objetivo: A crescente importância dos conceitos ambientais e formaldeído e polifenilas bromadas. Neste contexto, surge a
da consciência dos consumidores perante os produtos utiliza- necessidade de buscar produtos alternativos e, ou, métodos
dos está exigindo uma nova postura das indústrias e prestadoras preventivos no processo de transformação da pele em couro
de serviços. Em virtude do conteúdo de substâncias perigosas acabado. Torna-se necessário substituir, por exemplo, corantes
ou tóxicas que podem ser utilizadas em processos químicos, que podem, sob certas condições, se reduzir e formar aminas
torna-se necessário intensificar as pesquisas e aprimoramento aromáticas carcinogênicas e otimizar as etapas onde se usa
técnico dos mesmos. Países membros da União Européia são os formaldeído como matéria-prima, a fim de promover sua me-
mais avançados referentes à preocupação quanto à caracteriza- lhor fixação ou até eliminá-lo de vez. No caso do curtimento ao
ção e comercialização de substâncias restritas. Deve-se consi- cromo, amplamente desenvolvido e que confere qualidades
derar a possibilidade de existência de efeito tóxico em artigos incomparáveis ao couro, é mais eficaz desenvolver métodos
de vestuário e calçado, ocasionado pelo contato direto com a que previnam a oxidação do cromo. Este trabalho tem por obje-
pele humana. Devido a estes fatores, a utilização de determina- tivo estudar a situação atual do mercado quanto à restrição de
das substâncias químicas está sendo cada vez mais contestada, produtos que devem ser evitados em couro devido ao seu im-
sendo que alguns países não mais importam artigos que conte- pacto ambiental e a presença nociva ao homem no couro, e
nham tais substâncias. Várias legislações européias e países, destacar as causas de suas ocorrências, tecnologias químicas
principalmente a Alemanha, restringem as substâncias quími- atuais disponíveis, legislações, normas e rotulagem de artigos
cas perigosas no calçado: níquel, cádmio, aminas aromáticas de couro e calçados.
(azo corantes), cromo hexavalente (Cr+6), pentaclorofenol (PCP),

Palavras-chave: substâncias restritas, couro, produtos químicos perigosos


Abstract
Objective:The growing importance of environmental concepts brominated polifeniles.
and also the importance of consumer's regarding the knowledge In this context, it is necessary to use alternative products and / or
about the products used have required the industries to adopt a prevention methods in the process of transforming the skin into
new posture. Thus, the leather and footwear area suffer continuous finished leather. It is necessary to replace, for example, dyestuffs
changes to adapt to the needs and demands of the market. Because that can be reduced to aromatic amines; optimize the steps where
of the yield of hazardous or toxic substances that can be used in formaldehyde is used. In the case of the chrome tanning , it is
chemical processes, it is necessary to intensify research and most effective to develop methods that prevent the oxidation of
technical improvement. In clothing and footwear it is necessary chromium. This paper aims to study the restriction of products
to consider the possibility of toxic effect caused by direct contact that should be avoided in leather because of its environmental
with human skin. Several laws and European countries, mainly impact and presence harmful to man in leather, and highlight the
Germany, restrict the use of dangerous chemicals in footwear: causes of their occurrence, chemical technologies currently
nickel, cadmium, aromatic amines (azo dyes), hexavalent available, laws, standards and labeling of leather shoes.
chromium (Cr+6), pentachlorophenol (PCP), formaldehyde and

Keywords: Restricted substances, leather, dangerous chemical products

82 Novembro/Dezembro 2008

artigo científico.pmd 82 1/12/2008, 12:57


artigo científico ac
Introdução europeus ou os importadores de pro- tração dessas substâncias são cada
dutos serão responsáveis legais por vez menores, conforme a precisão
O Brasil, como um dos maiores pro- esses produtos e, portanto, deverão dos métodos analíticos existentes.
dutores e exportadores de couro do averiguar a conformidade das maté- Para este fim, é de extrema impor-
mundo, precisa adequar-se às neces- rias primas e componentes através tância a investigação e desenvolvi-
sidades e exigências do mercado in- de testes ou metodologias apropria- mento de novos métodos analíticos
ternacional. Desta forma, torna-se de das, dentre essas, uma análise de ris- específicos e precisos.
grande importância a capacitação de cos onde a cadeia de suprimentos O regulamento Registration,
laboratórios nacionais para emissão deverá ser monitorada para garantir Evaluation, Authorization and
de certificados de conformidade re- que as substâncias restritas (ou ba- Restriction of Chemicals - REACH con-
ferentes a produtos restritos. Segun- nidas) estejam dentro dos limites es- siste num sistema único de registro
do Bittencourt (2008), no Brasil as tabelecidos (aceitáveis). A não-con- para substâncias novas e já existen-
exportações de couro em 2003, so- formidade dos produtos impedirá tes, que são manufaturadas ou im-
maram 1,03 US$ bilhões, em 2005, sua entrada e livre comercialização portadas para a União Européia. O
1,46 US$ bilhões e, em 2007, 2,19 dentro da União Européia (HUMANN regulamento estabelece novas obri-
US$ bilhões. Em 2007, os embarques et al., 2007). gações à indústria e define uma nova
de peças de maior valor agregado Conforme a European Chemicals abordagem de controle de produtos
(semi-acabado e acabado) represen- Policy, substâncias com propriedades químicos. As empresas que fabricam
taram 67% do total da receita das ex- perigosas usadas em produtos de ou importam mais de uma tonelada
portações brasileiras. consumo e que podem causar danos de uma substância por ano serão
As exigências ambientais e à saúde serão banidas em 2012 e se- obrigadas a registrar esses produtos
toxicológicas estão se tornando cada rão completamente erradicadas em químicos. Quando este for o caso,
vez mais importantes para a 2020 de qualquer tipo de aplicação. há necessidade de recolher informa-
comercialização de toda a variedade Segundo Glasspool (2007), está au- ções exaustivas sobre as proprieda-
de artigos de couro (automotivo, mentando o número de substâncias des das substâncias. Essas informa-
móveis, calçado, vestuário, entre químicas adicionadas à lista das cha- ções e evidências, demonstrando a
outros), especialmente àqueles des- madas substâncias restritas. A cons- utilização segura da substância, de-
tinados à exportação para os Esta- tante mudança na legislação e exi- vem ser submetidas ao processo de
dos Unidos e países membros da gências de companhias está tornan- registro de acordo com a Agência
União Européia. Nos países euro- do cada vez mais complexa a adap- Européia de Substâncias Químicas.
peus, é necessário respeitar as leis tação às condições de exportação. A Atualmente, uma série de produtos
relativas à proteção do meio ambi- legislação relativa à segurança quí- químicos é restrita por legislação e
ente e as normas específicas a bens mica na União Européia controla to- esses não devem estar presentes em
de consumo que visam salvaguardar dos os aspectos da produção, venda produtos de consumo. Outros são
a saúde dos consumidores de arti- e uso de substâncias. Estes níveis de restritos devido à obtenção de mar-
gos de couro. Segundo tais normas, exigências tendem a ser fixados em cas ou grifes ecológicas.
operativas há alguns anos no mer- diversas partes do mundo. O presente trabalho destaca os
cado mundial, os artigos, de acordo Os níveis permitidos de concen- limites e restrições de produtos quí-
com sua destinação quanto ao uso,
não devem conter determinadas
substâncias químicas consideradas
nocivas acima de certos limites
(SAMMARCO, 2006).
Os países da União Européia cri-
aram a Conformidade Européia, a CE,
regulada a partir das chamadas
Diretivas Européias. Diretivas Euro-
péias são leis supranacionais, legis-
ladas pelo Parlamento Europeu, for-
mado pelos estados signatários. Pela
legislação européia, os fabricantes Tabela: 1

Novembro/Dezembro 2008 83

artigo científico.pmd 83 1/12/2008, 12:57


ac artigo científico

micos em couro e artigos de couro, ppm), exceto quando houver couros, foi reduzido de 1% para 0,1%.
métodos de detecção, origem e pos- processamento sem descarga em Os produtos afetados, que nor-
sibilidade de encontrar estas subs- águas residuais ou quando houver malmente são empregados em aca-
tâncias no couro. pré-tratamento visando remover bamentos de couro, consistem em
completamente a fração orgânica preparações de pigmentos, ligantes
2. Substâncias restritas em antes do tratamento biológico. acrílicos, auxiliares e em emulsões
couro Aquilfenois etoxilados (APEO) de cera.
Muitas substâncias são de uso restri- são agentes tenso-ativos não iônicos Atualmente, já existem tenso-ati-
to na indústria e em produtos de empregados em produtos químicos vos, agentes de engraxe, agentes
consumo por uma série de razões para couros, entre outros, em uma hidrofugantes e ligantes acrílicos
que incluem a segurança de consu- ampla faixa de pH, e os produtos comercializados, alternativos aos
midores e trabalhadores e os aspec- mais importantes desse grupo são APEOs, que conferem as mesmas
tos ambientais como, por exemplo, os Nonilfenol etoxilados (NPEOs). vantagens e são biodegradáveis, eli-
toxicologia da água ou biocu- Os APEOs são utilizados como minando o problema do impacto
mulação. tenso-ativos e emulsificantes de alta ambiental.
A lista de substâncias químicas ação principalmente onde é neces- A utilização dos APEOs é regula-
restritas em artigos de vestuário e sário juntar substâncias hidrófilas e rizada, pois estes ao chegarem às
calçado inclui: corantes azóicos, cro- hidrófobas. Os principais produtos estações de tratamento, como resí-
mo hexavalente, pentaclorofenol, na indústria do couro que usam duos podem ser reconstituídos a
cádmio e formaldeído. As restrições APEO são agentes hidrófobos, como alquilfenóis, de difícil degradação. Na
gerais são também para o chumbo, graxa, óleos e ceras (emulsionados degradação dos NPEO resultam
níquel (contato) benzeno, pesticida em meio aquoso), produtos de aca- nonilfenóis (NP), tóxicos aos organis-
e herbicida. bamento e, em menor quantidade, mos aquáticos (WEGNER, 2004). Seus
produtos de engraxe e hidrofugação. derivados de degradação têm efeito
2.1. Aquilfenol e Aquilfenol A restrição refere-se somente às danoso sobre a vida aquática e há
Etoxilado preparações que podem ser utiliza- suspeitas de efeitos sobre a fertili-
O Decreto Europeu 2003/53/EC, pu- das na produção do couro, porém dade de homens e animais.
blicado e colocado em vigor em ja- muitas grifes ecológicas e marcas
neiro de 2005, impede o uso de pre- particulares estão introduzindo limi- 2.2. Corantes azóicos
paros contendo Nonilfenol (NP) e tes que variam de 30 a 1000 ppm O corante azóico é o tipo de corante
Nonilfenol etoxilado (NPEO), coloca- no produto final. mais comumente empregado na in-
dos no mercado e empregados como O uso de nonilfenol e nonilfenol dústria têxtil e de couro brasileiro.
substâncias ou componentes de pre- etoxilado como substância auxiliar Estima-se que entre 90 a 95% dos
parações em concentrações iguais ou numa variedade de produtos, inclu- couros produzidos em todo mundo
superiores a 0,1% em massa (100 indo produtos de acabamento em são tingidos com corantes azóicos.
Corantes azóicos são caracterizados
pela presença de um ou mais
grupamentos -N=N- ligados a siste-
mas aromáticos e podem, sob cer-
tas condições, se reduzir e formar
aminas aromáticas carcinogênicas.
De acordo com a implementação
do decreto Europeu, no que diz res-
peito a corantes azóicos (2002/61/
EC), couros tingidos e materiais têx-
teis não devem conter nenhuma das
24 aminas aromáticas. Os corantes
azóicos afetados são aqueles que,
após a redução, podem formar uma
ou mais das 24 aminas aromáticas,
Tabela: 2 listadas na Tabela 3, em níveis supe-

84 Novembro/Dezembro 2008

artigo científico.pmd 84 1/12/2008, 12:57


artigo científico ac
enviada para estações de tratamen-
to. Os valores limites de metais pe-
sados extraíveis para artigos finais,
determinados pela Öko-Tex Standard
100, está representado na Tabela 4.

2.3. Cromo hexavalente


A presença de cromo hexavalente
pode ser devida à baixa qualidade
dos agentes curtentes utilizados e/
ou condições inadequadas de
processamento. Através do
processamento adequado, é possí-
vel evitar a formação de Cr+6 em
couros curtidos.
O método padrão internacional
de detecção é o EN ISO TS
17075:2007 e o nível máximo per-
mitido é 3 ppm. Na Alemanha, os
produtos de couro devem ser isen-
Tabela: 3 tos de Cr+6.
Na espécie humana, o Cr+6 pos-
riores a 30 mg.kg-1 de couro (ppm). de solidez à luz e que têm um baixo sui toxicidade muito superior a do
Segundo Long et al., (2005), esta conteúdo de metais. A utilização de Cr+3, usado na rotina dos curtumes
restrição representa uma tentativa de corantes complexo-metálicos, via de produtores de couro wet-blue. A for-
controlar os corantes azóicos que são regra, eleva os níveis de metais pe- ma hexavalente possui maior facili-
potencialmente nocivos e usados em sados nos artigos de couro em per- dade à penetração de membranas,
produtos de couro e têxteis específi- centagens praticamente insignifican- determinando ações tóxicas à pele e
cos que entram em contato direto tes, sendo que muitos são ao trato respiratório, principalmen-
com a pele por tempo prolongado. complexados com ferro, que não te pulmões e tem potencial
Todos os fabricantes de corantes apresenta problemas toxicológicos carcinogênico (DEXHEIMER 2006).
vinculados à ETAD (Ecological and (EQUIPE TÉCNICA CLARIANT DO BRA- Segundo Fuck et. al. (2008), nas
Toxicological Association of Dyes and SIL, 2003). avaliações de formação de cromo
Organics Pigments Manufactures) têm O mercado também está exigin- hexavalente em couros após os di-
a obrigatoriedade de produzir de do corantes de baixo teor de sais, versos tratamentos desenvolvidos,
acordo com limites de impurezas diminuindo a carga de poluentes obtiveram-se os seguintes resulta-
metálicas determinados por esta ins-
tituição (faixa de concentração), não
devendo constituir-se sua utilização,
nas concentrações de uso normal-
mente empregadas, em fonte de pro-
blemas para o curtidor. Entretanto,
para algumas regulamentações espe-
cíficas, como o Öko-Tex Standard 100
(que põe em xeque o próprio curti-
mento ao cromo), pode ser recomen-
dado o uso de corantes não-
metalizados. Sempre há de ter-se em
conta que os corantes do tipo com-
plexo-metálico são aqueles que apre- . --
sentam, em geral, os melhores níveis Tabela: 4

Novembro/Dezembro 2008 85

artigo científico.pmd 85 1/12/2008, 12:57


ac artigo científico

dos: bientes ácidos, mas também pode três grupos (FINK, 2007):
- Não foi detectada presença de existir em presença de fracos agen- - Formol: tal e qual com pré
Cr+6 em couros semi-acabados que tes oxidantes em pH alto. No curtente e como reticulante (de
não passaram pelo processo de en- processamento do couro, a caseínas);
velhecimento; neutralização é a etapa quando tais - Versões diluídas de formol usa-
- O envelhecimento foi o fator condições são criadas (HAUBER, das como preservantes de produtos
analisado que mais influenciou na 1999). de recurtimento e acabamento;
formação de Cr+6. No entanto, o Em ambientes ácidos, os com- - Produção de sintanos e
envelhecimento é uma simulação de postos de Cr+6 comportam-se como resínicos de curtimento/
extremo rigor que pode não ocorrer agentes fortemente oxidantes e re- recurtimento.
em condições tão drásticas ao longo duzem-se aos compostos de Cr+3. Desde a década de 50, atenta-se
da vida útil do artigo de couro. Um Essa situação depende das condições para os altos riscos a saúde e a segu-
método preventivo seria não deixar de umidade do couro, porque a água rança devido à exposição direta ao
artigos de couro expostos às altas é necessária para a dissociação formaldeíado. A crescente redução
temperaturas; iônica. Sem essa, não seria possível no conteúdo de formaldeído livre
- Após envelhecimento dos cou- criar um ambiente ácido. Por isso, em produtos finais teve início no
ros, foi detectada presença de Cr+6 num couro enxugado a um baixo teor setor automotivo e é agora adotada
em amostras de couro, engraxadas de umidade, pode-se verificar a for- por fabricantes de calçado e vestuá-
com óleos sulfitado e de peixe. Em mação de Cr+6 por ação de oxigênio rio.
geral, couros engraxados com óleo do ar (SAMMARCO, 2004). Em materiais de couro, o
sintético, não demonstraram ser formaldeído é usado como
preocupantes; 2.4. Formaldeído estabilizador (preventivo), como
- O aumento da oferta de cromo Nos últimos 100 anos, o formaldeído conservante antes do curtimento,
no curtimento e na recromagem le- tem sido um produto muito usado em pré-curtimento para obter wet-
vou ao aumento de formação de na indústria do couro nas etapas de white, em matérias-primas básicas na
Cr+6. curtimento, recurtimento e acaba- síntese dos taninos sintéticos e em
A oxidação do Cr+3 a Cr+6 nor- mento. acabamento com algum tipo de re-
malmente ocorre em presença de Na produção de couro, o sina. Contudo, é possível que per-
fortes agentes de oxidação em am- formaldeído pode ser classificado em maneça como impureza no produto
final. A Tabela 5 esquematiza os pro-
dutos de formaldeído livre em cou-
ros.
Em couro, a maioria das exigên-
cias é imposta por clientes e/ou se-
los ecológicos e não existe propria-
mente uma legislação. Os níveis es-
pecificados como pré-requisitos na
etiqueta ECO são de no máximo 150
ppm em couro, 75 ppm em têxteis,
20 ppm para vestuário infantil e 13
ppm para roupas de bebês. Para o
setor automotivo, o nível atual de
exigência é menor que 10 ppm. Nos
produtos curtentes/recurtentes
comercializados em que o teor de
formaldeído exceder 1000 ppm,
deve ser declarado na ficha de segu-
rança do produto a frase de risco R43:
"Pode causar sensibilização em con-
tato com a pele".
Tabela: 5 Segundo Tysoe (2007), para a

86 Novembro/Dezembro 2008

artigo científico.pmd 86 1/12/2008, 12:57


artigo científico ac

Tabela: 6

grande maioria das aplicações tradi- melhorados para fixar ao máximo o couro.
cionais de couro, resinas de formaldeído entre as moléculas ou Cresce a procura e desenvolvi-
melaminas são perfeitamente adap- até mesmo mudar a química dos mento por substitutos dos derivados
táveis. No entanto, em certas áreas, produtos; fenólicos como fungicidas. Alguns in-
tais como o setor automotivo, a de- - Formulações: em conjunto com gredientes ativos, responsáveis pela
manda por baixos limites detectáveis a melhoria de processo, as formula- ação biocida, bastante utilizados na
só pode se atendida com um novo ções também devem ser modifica- indústria do couro são:
agente resínico de recurtimento, em das para maximizar a fixação de - TCMTB: 2-(tiocianometiltio)-
que a resina seja inteiramente livre formaldeído; benzotiazol;
de formaldeído em sua manufatura. - Reatividade química das formu- - NOIT: 2-N-octil-4-isotiazolin-3-
Nesse caso, como não se usa lações: Quanto mais alta for a ona;
formaldeído como matéria-prima em reatividade dos outros componentes - CMP: 4-cloro-3-metil fenol sal
resinas, o produto final satisfaz as na formulação, mais fortemente o sódico;
exigências de ausência de formaldeído será fixado. - OPP: Orto fenil fenol sal sódico;
formaldeído e permanecem as pro- Os limites para formaldeído li- - MBT: Metileno bistiocianato;
priedades de preenchimento com vre em couro estabelecidos por di- - TBP: Tri bromo fenol.
alta seletividade. versas etiquetas ecológicas estão Atualmente, usa-se como prin-
Segundo Reineking et al. (2005), colocados na Tabela 6. cípio ativo de microbicidas o TCMTB
vários fatores podem influenciar no (2-tiocianometiltiobenzotiazol),
conteúdo de formaldeído livre no 2.5. Pentaclorofenol como alternativa para substituir o
couro, como o trabalho mecânico, A aplicação de Pentaclorofenol (PCP) PCP e derivados fenólicos na indús-
química dos produtos e fontes de foi limitada pela Diretiva Européia tria do couro. Sua presença acima de
contaminação. De acordo com o es- 1991/173/CE devido à sua ação certos limites estabelecidos por paí-
tudo desenvolvido, as seguintes pos- cancerígena em concentração supe- ses importadores, como Estados
sibilidades são efetivas para desen- rior a 0,1% (1000 ppm) em massa Unidos e membros da União Euro-
volver produtos com baixos teores para qualquer produto, substância péia, pode restringir a exportação.
de formaldeído livre e produtos com- ou em preparados comercializados. Segundo Sánchez-Ruiz et al.
pletamente livres de formaldeído Na Alemanha, seu uso é restringido (2006), o uso de fórmulas com mai-
sem mudar ou comprometer as ca- a 5 ppm, no máximo. No couro, é or concentração de TCMTB, utilizan-
racterísticas do couro. usado como conservante nos proces- do solventes e tenso-ativos adequa-
- Melhoria de processo: condições sos de píquel, curtimento ao cromo, dos e aplicados em dose equivalen-
e controles de processo podem ser curtimento vegetal e acabamento de te aos tipos convencionais (30%) per-

Novembro/Dezembro 2008 87

artigo científico.pmd 87 1/12/2008, 12:57


ac artigo científico

mite: nas cloradas que contêm entre 10 e requerem atenção, entre os enume-
- Fixar a quantidade adequada 13 átomos de carbono (C10 - C13), rados:
nos couros; desde julho de 2003. Estão presen- -Norma técnica para
- O tratamento resulta ser mais tes em engraxantes clorados ou gerenciamento de resíduos (06/
prático; sulfoclorados. 2005);
- Melhora na atividade biocida; Devido ao tamanho e tipo des- - Norma técnica da poluição do
- Otimização dos princípios ati- tas moléculas, não é possível identi- ar (2002);
vos em conjunto com solventes e ficar todos os tipos de isômeros atra- -Norma de reciclagem
tenso-ativos adequados; vés de um único método de teste; (automotiva 2002);
- O artigo final tem custo mais atualmente não há método de teste - Normas VOC (03/1999);
baixo. aprovado para detectar esses com- - "Livro Branco" dos produtos quí-
postos (BLC LEATHER TECHNOLOGY, micos (2005);
2.6. Outros Produtos Restritos 2008). - REACH (Sistema único de regis-
Outros produtos podem ser citados Compostos Orgânicos Voláteis tro para substâncias novas e já exis-
como problemáticos e/ou sob análi- (COV): as principais fontes de com- tentes, que são manufaturadas ou
se. Vale ressaltar que a lista de subs- postos orgânicos voláteis no acaba- importadas para EU);
tâncias restritas está sendo constan- mento são encontradas em produ- - End of Life Vehicle (ELV): deter-
temente atualizada. tos como solventes, niveladores, ten- minado pela diretiva européia que
Sulfonatos de perfluoroctano so-ativos, aminas, reticulantes, tops as peças e automóveis velhos devem
(PFOs): O comércio e uso de PFOs é e lacas. ser recebidos de volta na montadora
restrito pelo Parlamento Europeu A diretriz da União Européida e ser dado um destino adequado e
desde o início de 2007, visando evi- sobre compostos orgânicos voláteis em conformidade com as legislações
tar riscos à saúde e ao meio ambien- estabeleceu os seguintes limites para ambientais. Com isso, os diversos
te. A concentração máxima em pro- emissões de novas instalações para componentes feitos de couro devem
dutos químicos é de 0,005% (50 ppm) acabamento de couro: ser adequados a parâmetros e carac-
e em produtos ou artigos semi-aca- - Máximo 85 g/m2 a uma taxa terísticas desejadas pelas
bados é de 0,1% (baseado no com- de emissão total de 10 - 25 t/a; montadoras como, por exemplo,
ponente específico contendo o pro- - Máximo 75 g/m2 a uma taxa couro livre de cromo por ser mais
duto químico) ou, no caso de têx- de emissão total > 25 t/a; fácil de ser reciclado;
teis, limitado a 1ppm. - Máximo 150 g/m2 para couro - Preposição 65 da Califórnia: lis-
Segundo Long (2007), PFOs são de bolsas e couro anilina para ta de produtos químicos
ânions comercialmente disponíveis estofamento. cancerígenos, mutagênicos e tóxicos
tais como sais, derivados e N-Metilpirrolidona (NMP): à fertilidade para o estado da
polímeros. Seu principal uso está nas solvente usado na fabricação de pro- Califórnia
graxas, óleos e produtos dutos químicos para couros e em - Hazardous Air Pollutant (HAP);
hidrofugantes para materiais têxteis, formulações de acabamento. A iden- - Coletânea de normas ABNT -
carpetes, papel e vestuário de cou- tificação de n-metilpirrolidona (NMP) NBR 10004, 10005, 10006 e 10007
ro. Segundo Glasspool (2006), estu- em rótulos é feita de acordo com a para resíduos sólidos;
dos têm demonstrado existência da Preposição 65 da Califórnia: Devido - Padrões de emissões e de
toxina bio-cumulativa, e alguns rela- à falta de dados confiáveis é difícil toxicidade para efluentes líquidos;
cionam como fator cancerígeno. avaliar qual o risco causado pela pre-
Tributilestanho (TBT): É usado sença residual de NMP. Tem se exigi- 2.8. Demais Exigências de Etique-
como biocida para certos produtos do que seja totalmente eliminada. tas Ecológicas
e pode existir como impureza para Além das exigências referentes aos
dispersões de PU. A utilização como 2.7. Demais Leis Vigentes produtos químicos mencionados,
biocida foi proibida na Europa, limi- Existem ainda outras leis vigentes devem ser citadas outras requeridas
tada por clientes a valores menores que tem a finalidade de regular e ainda por marcas, grifes ou etique-
que 0,025 ppm ou até mesmo isen- normatizar exigências ambientais e tas ecológicas. No couro, há outras
to. atentar os interesses do consumidor. exigências como:
Alcanos clorados: A legislação A questão da importação e geração - Análise do ciclo de vida;
européia restringe o uso das parafi- de resíduos são outros fatores que - Adoção de sistemas de acaba-

88 Novembro/Dezembro 2008

artigo científico.pmd 88 1/12/2008, 12:57


artigo científico ac
mento100% à base de água com bai- uma área muito dinâmica, com cres- Anais. Rio de Janeiro: COBEQ, 2008.
xo teor de solventes orgânicos; centes exigências e que requer esfor- GLASSPOOL J. Substâncias noci-
- Acabamentos pigmentados não ços em pesquisas e desenvolvimen- vas: atualização quanto à
tóxicos isentos de metais pesados e to do setor. comercialização e usos. Tecnicouro,
com alta resistência; A indústria do couro, como pio- v.27, n.221, p.68-71, 2006.
- Para estofamento, as exigênci- neira da indústria de transformação, HAUBER, C. Detection and
as são similares às exigências conseguiu agregar ao longo do tem- avoidance of hexavalent chromium
ambientais para acabamento de cou- po qualidades incomparáveis com in leather and leather products -
ros automotivos, detalhadas nas outros materiais, como conforto, United Nations Industrial
diretivas alemãs RAL RG 430 de qua- beleza, durabilidade, elegância e re- Development Organization, 1999.
lidade e método de testes para mó- sistência. Chegou a vez de agregar HUMANN, P. V., VELHO, S. K.,
veis. No entanto, devem-se utilizar mais um nível de qualidade aos pro- PINKOSKI, P. Substâncias proibidas,
produtos específicos em certos tipos dutos: qualidade quanto às substân- nocivas ou banidas da Europa - difi-
de couro para obter a resistência cias utilizadas em sua manufatura, culdade em exportar para a Europa.
necessária a um preço de custo eco- garantindo que o couro seja ecologi- Tecnicouro, n.7, 229, p.46-52, 2007.
nomicamente viável; camente correto e preservando a saú- LONG, A. J.; HARTUNG, K.;
- Redução da contaminação de de do consumidor. WEGNER, J. W.; SWART, K.;
águas durante a fabricação (trata- MATTIASON, L.; AHLSTROM, H. L.
mento de efluentes e redução de DQO Referências Bibliográficas Detecção de aminas proibidas em
de no mínimo 85%), Cr III < 5 mg/L; BLC Leather Technology Center - Rei- couro. Brasil Leather Internacional,
- Redução de emissões de com- no Unido. Substâncias restritivas - n.1, p.10-12, 2005.
postos orgânicos voláteis (COV <_ 20 perguntas freqüentes. Revista do REINEKING, C.; WALKER, M.; MA,
a 25 g/par). Atualmente, os couro, v.197, p.34-38, 2008. S. Formaldeído em couro - ocorrên-
solventes orgânicos são os únicos DEXHEIMER, M. A. Riscos do cro- cias e soluções. In: XVI Encontro Na-
com COV significantes nas formula- mo heavalente no couro. Revista do cional dos Químicos e Técnicos da
ções de acabamento; Couro, v.186, p.102-110, 2006. Indústria do Couro. Anais. Gramado:
- Informações sobre o consumo EQUIPE TÉCNICA CLARIANT DO Congresso da ABQTIC, 2005.
de energia; BRASIL. Tingimento - um enfoque SAMMARCO, U. Processo inova-
- Uso de embalagens recicláveis: atual. In: XVI Encontro Nacional da dor de curtimento com excelente es-
80% para papelão, 100% para plásti- Associação Brasileira dos Químicos gotamento. Revista do Couro, v.186,
cos; e Técnicos da Indústria do Couro, p.112-116, 2006.
- Ausência de componentes elé- 2003. SAMMARCO U. Aspectos
tricos ou eletrônicos. EUROPEAN CHEMICALS POLICY. tecnológicos, ambientais e
Leather, v.205, n.4732, 2003. toxicológicos no moderno trabalho
Conclusão FINK, G. Formaldeído livre no do couro. International Tannery,
O interesse no impacto ambiental e couro. Revista do Couro, v.191, p.72- v.183, p.51-68, 2004.
tóxico de produtos químicos na vida 80, 2007. SÁNCHES-RUIZ, X.; IZQUIERDO,
dos consumidores e o senso de bem- FONT, J.; RIUS, A.; MARSAL, A.; A.; KOLLING, C. Desenvolvimento de
estar está aumentando progressiva- SÁNCHEZ, D.; HAUBER, novos fungicidas a base de TCMTB.
mente, provocando discussões sobre C.;TOMMASELLI, M. Como evitar a Revista do Couro, v.184, 2006.
substâncias químicas perigosas nos formação de Cromo VI. Revista do TYSOE, C. Zero formaldehyde
bens de consumo. O avanço de Couro, v.186, p.108-110, 2006. resin retanning agents. World Leather,
tecnologias possibilita descobrir, so- GLASSPOOL, J. Hazardous v.20, n.2, p.36, 2007.
lucionar e promover mudanças refe- substances update, Boletin SATRA, WEGNER, B. Alquilfenol
rentes a este ponto. 2007. Etoxilado - um problema europeu?
Contudo, torna-se importante o FUCK, W.; GUTTERRES, M.; Revista do Couro, v.170, p.64-69,
papel de legislações e marcas, grifes MARCÍLIO, N. R.; BORDIGNON, S.R. 2004.
ou selos ecológicos para exigir tais Influência do acabamento molhado WOLF, G.; HÜFFER, S.; FRECH, P.
mudanças e divulgá-las aos consu- e do envelhecimento do couro na Formaldeído no couro: causas e
midores. Este assunto deve estar oxidação de cromo. In: XVII Congres- como evitar. Revista do Couro, v.155,
constantemente atualizado por ser so Brasileiro de Engenharia Química. p.58-65, 2002

Novembro/Dezembro 2008 89

artigo científico.pmd 89 1/12/2008, 12:57

Você também pode gostar