Você está na página 1de 24

ASSUNTOS REGULATÓRIOS

Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

Cronograma de obrigatoriedade e proibições


(NOVO ECF, SAT FISCAL, NFC-e e ECF)
Este documento deve ser utilizado como consulta sobre os prazos estabelecidos pela legislação
a respeito do uso de tecnologias fiscais para o controle do varejo. Nas tabelas abaixo estão
listadas as datas macro bem como os dispositivos legais. Para um estudo mais detalhado,
recomenda-se a leitura da íntegra das normas aqui listadas.

Legenda de cores:

Obrigatório ou com prazo para obrigatoriedade


Autorizado
Proibido

NOVO ECF
Obrigatoriedade Proibições

RR
AP
RR
AP
AM
PA MA
AM CE
PA RN
MA AC
CE PI PB
RN RO
AC PE
PI PB TO AL
RO MT
PE BA SE
TO AL
MT DF
BA SE
DF GO
MG
MS
GO
MG SP ES
MS
SP ES PR
RJ
PR
RJ SC

SC RS

RS
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

Para os contribuintes 30 de Setembro de


sujeitos ao regime 2015
ordinário de
apuração e
recolhimento do
imposto
ES para as empresas 31 de Dezembro de RO O Estado saiu do convênio ICMS 09/09
optantes pelo 2015
Simples Nacional.
Decreto Nº 3796-R DE 02/04/2015 SE O Estado saiu do convênio ICMS 09/09

DECRETO Nº 3670-R, DE 17 DE OUTUBRO DE


2014
A partir de 01 de Julho de 2015 SP O Estado não aderiu ao convênio ICMS 09/09
SC
Decreto Nº 2324 DE 28/07/2014

Todos os contribuintes 30 de outubro de 2015


MA obrigados ao uso do ECF
Resolução Administrativa SECRETARIA DE
FAZENDA DO ESTADO DO MARANHÃO
resolução SEC/FAZ-MA 15/15
Para empresas inscritas no cadastro de
contribuintes até o dia 31/12/2015
Acima de R$11 milhões 01/09/2016 MT O Estado não aderiu ao convênio ICMS 09/09
de receita bruta anual
no exercício de 2015
Entre R$6 e 11milhões 01/03/2017
de receita bruta anual
no exercício de 2016
Entre R$1,8 e 6 01/09/2017
milhões de receita
MS bruta anual no
exercício de 2016
Para empresas que se inscreverem no cadastro
de contribuintes após o dia 31/12/2015
Receita bruta em três A partir do segundo
meses consecutivos mês subsequente ao
(soma dos 3 meses) período dos três meses
Acima de R$450 mil

Decreto Nº 14.308, DE 16 DE NOVEMBRO DE


2015
Outras Nos outros Estados com exceção de São Paulo e Mato
UFs Grosso, o equipamento está autorizado juntamente
com os ECFs do CV 85/01
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

SAT FISCAL
Obrigatoriedade Proibições

RR
AP RR
AP

AM
PA MA AM
CE
RN PA MA
AC CE
PI PB RN
RO AC
PE
TO PI PB
AL RO
MT PE
BA SE TO AL
MT
DF BA SE
DF
GO
MG
MS GO
SP ES MG
MS
PR SP ES
RJ
PR
SC RJ
SC
RS
RS

Em substituição ao ECF: A partir de Não autorizado fora de São Paulo


-Para novos 01-07-2015
contribuintes
-Para empresas do
segmento de comércio
varejista de
combustíveis
-Para os
estabelecimentos que
tenham optado, nos
termos da alínea “d” do
item 1 do § 3º do artigo
251 do RICMS, pela
utilização de sistema
SP
eletrônico de
processamento de
dados para emissão de
Nota Fiscal, modelo 1,
em substituição ao
Cupom Fiscal emitido
por equipamento
Emissor de Cupom
Fiscal - ECF
para os contribuintes a partir de
que auferirem receita 01-01-2016
bruta maior ou igual a
R$ 100.000,00 no ano
de 2015
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

para os contribuintes a partir de 01-01-2017


que auferirem receita
bruta maior ou igual a
R$ 80.000,00 no ano de
2016
para os contribuintes a partir de 01-01-2018
que auferirem receita
bruta maior ou igual a
R$ 60.000,00 no ano de
2017
- Portaria CAT 147, de 05/11/2012
- Portaria CAT 37, de 03/05/2013
- Portaria CAT 85, de 22/08/2013
- Portaria CAT 30, de 28/02/2014
-Portaria CAT 102, de 29/08/2014
-Opcional entre 01/01/2014 e 30/06/2014
-Obrigatório a partir de 01/03/2015
- Decreto n.º 53.628, de 14 de dezembro de
2012
Município de - Instrução Normativa SF/SUREM nº 17, de 20
SP de dezembro de 2012
- Instrução Normativa SF/SUREM nº 04, de 28
de maio de 2013
-Instrução Normativa SF/SUREM nº 10, de 16
de junho de 2014
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

NFC-e
Obrigatoriedade Proibições

RR
AP

RR
AM
AP
PA MA CE
RN
AC
AM PI PB
RO
PA PE
MA CE TO AL
RN MT
AC BA SE
PI PB
RO DF
PE
TO AL
MT GO
BA SE MG
MS
DF ES
SP
GO PR
MG RJ
MS
SP ES SC
PR RS
RJ
SC

RS

a partir de 1º de Nos Estados pintados em vermelho não existe


Adesão voluntária outubro de 2013 regulamentação da NFC-e publicada, portanto não pode
Contribuintes: relacionados no ser utilizada.
Anexo Único do Decreto 6.596 a partir de 1º de junho
(43 empresas) de 2014
em início de atividade a partir de 1º de
setembro 2014
para os demais contribuintes, a partir de 1º de
exceto os optantes pelo Simples dezembro de 2014
AC Nacional
para todos, inclusive os optantes a partir de 1º de abril
pelo Simples Nacional de 2015
com receita bruta de até R$ dispensado
120.000,00

-DECRETO NRO 5.257 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013 –


NFCe
-DECRETO 6.596 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2013
será adotado Projeto Piloto da A partir de 1º de
NFC-e, com fins de implantação fevereiro e até 31 de
da NFC-e no Estado março de 2016
AL Obrigatório para o contribuinte: A partir de 1º de
outubro de 2016
a) que tenha auferido, no ano
calendário anterior, no
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

somatório dos seus


estabelecimentos, receita bruta
igual ou superior a R$
15.000.000,00 (quinze milhões
de reais);

b) em início de atividade, cuja


expectativa de receita bruta
anual seja superior a R$
120.000,00 (cento e vinte mil
reais);
Obrigatório para o contribuinte A partir de 1º de abril
que tenha auferido, no ano de 2017
calendário anterior, no
somatório dos seus
estabelecimentos, receita bruta
igual ou superior a R$
7.200.000,00 (sete milhões e
duzentos mil reais);
Obrigatório para o contribuinte A partir de 1º de
que tenha auferido, no ano outubro de 2017
calendário anterior, no
somatório dos seus
estabelecimentos, receita bruta
igual ou superior a R$
3.600.000,00 (três milhões e
seiscentos mil reais);
Obrigatório para o contribuinte A partir de 1º de abril
que tenha auferido, no ano de 2018
calendário anterior, no
somatório dos seus
estabelecimentos, receita bruta
igual ou superior a R$
360.000,00 (trezentos e sessenta
mil reais);
Obrigatório para os demais A partir de 1º de
contribuintes, exceto aqueles outubro de 2018
que tenham auferido, no ano
calendário anterior, no
somatório dos seus
estabelecimentos, receita bruta
igual ou inferior a R$ 120.000,00
(cento e vinte mil reais).
SEFAZ-AL - INSTRUÇÃO
NORMATIVA GSEF Nº
46 DE 29 DE
DEZEMBRO DE 2015
para os contribuintes: A partir de
localizados na Capital que, 01/02/2014
obrigados ao uso de
equipamento Emissor de Cupom
Fiscal – ECF, nos termos da
legislação, não tenham
solicitado ou iniciado o uso de
AM nenhum equipamento até essa
data
relacionados no Anexo I da 01/03/2014
Resolução 03/2014
para contribuinte em início de 01/03/2014
atividade, localizado na Capital
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

para os demais contribuintes 01/09/2014


localizados na Capital, exceto os
optantes pelo Simples Nacional
para os contribuintes 01/01/2015
localizados no interior e os
optantes pelo Simples
Nacional usuários de
equipamento Emissor de
Cupom Fiscal – ECF, bem
como para os contribuintes
relacionados no Anexo II
desta Resolução;”.
Para todos os contribuintes 01/01/2016
-DECRETO N 33.405, DE 16 DE ABRIL DE 2013

-RESOLUÇÃO N 022-2013 – GSEFAZ

-RESOLUÇÃO 003-2014 – GSEFAZ

-RESOLUÇÃO 006-2014 – GSEFAZ

-RESOLUÇÃO 0036/14-GSEFAZ -
AP Adesão voluntária
O anexo XXX do decreto 2269/98 – RICMS trata da NFC-
e.
Permissão de uso facultativo
• 01/07/2016 - Estarão obrigados a emitir
NFC-e contribuintes, com faturamento no
ano de 2015 superior a R$ 3.600.000,00,
indicados em relação publicada em
www.sefaz.ba.gov.br (ver relação).
Será considerada cumprida esta obrigação
quando:
• Contribuintes com mais de um
estabelecimento: pelos menos um
deles emitir unicamente NFC-e,
devendo este ser informado até
01/06/2016; os demais
estabelecimentos devem passar a
emitir até 01/01/2020.
• Contribuintes com um único
BA estabelecimento: pelo menos um
ponto de venda deve emitir NFC-e,
os demais pontos deverão migrar
para NFC-e até 01/01/2017.
• 01/01/2017 - Estarão obrigados a emitir
NFC-e novos estabelecimentos inscritos no
CAD-ICMS, exceto os inscritos como ME,
que só estarão obrigados a partir de
01/01/2020;
Passa a ser vedado a emissão simultânea
de NFC-e e Cupom Fiscal ou Nota Fiscal,
modelo 2, em estabelecimento usuário de
NFC-e ou após 30 dias do início de sua
utilização em cada novo estabelecimento.
01/01/2018 - Não serão mais concedidas
autorizações de uso de novos ECF’s, mesmo que
oriundos de transferência de outro estabelecimento
do mesmo contribuinte
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

• 01/01/2019 - Não serão mais concedidas


autorizações para impressão de Nota
Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2.

• 01/01/2020 - Estarão obrigados a emitir


NFC-e todos os estabelecimentos
varejistas, exceto os inscritos como MEI e
os emissores de Cupom – Bilhete de
Passagem.

DECRETO Nº 15.490 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014


CE Disponibilizado ambiente de homologação

adesão voluntária 1º de novembro de


2014
para contribuintes: a partir de 1º de janeiro
de 2016
a) em início de atividades,
independentemente do regime de
apuração do imposto a que
estiverem submetidos;

b) enquadrados no regime de
apuração normal.

para contribuintes: a partir de 1º de julho


de 2016
a) optantes pelo Simples
Nacional que tenham auferido,
no ano-calendário anterior,
receita bruta superior (em R$) a
DF 1.800.000,00;

b) enquadrados em regimes de
apuração diferente do normal ou
Simples Nacional.

para contribuintes optantes pelo a partir de 1º de janeiro


Simples Nacional que tenha de 2017
auferido, no ano-calendário
anterior, receita bruta superior
(em R$) a 360.000,00
para os demais contribuintes a partir de 1º de julho
optantes pelo Simples Nacional, de 2017
não enquadrados nos incisos
acima
DECRETO 35.717, DE 11 DE AGOSTO DE 2014

Portaria SECRETÁRIO DE FAZENDA DO DISTRITO


FEDERAL - DF nº 234 de 23.10.2014

Permissão de uso
GO Decreto governamental Nº 8.231, DE 12 DE AGOSTO DE
2014
Regulamentado o uso para
empresas autorizadas a participar
MA
do teste piloto ou por adesão
voluntária
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

- Resolução Administrativa Nº 18/2013

Para estabelecimentos inscritos no cadastro de


contribuintes até 31/12/2015

01/09/2016 Entre R$1,2 e 1,8


milhões de receita bruta
anual no exercício de
2015
01/03/2017 Entre R$600 mil e 1,2
milhões de receita bruta
anual no exercício de
2016
01/09/2017 Entre R$360 e 600 mil de
receita bruta anual no
exercício de 2016
01/03/2018 Entre R$240 e 360 mil de
receita bruta anual no
MS exercício de 2017
Para estabelecimentos inscritos a partir de
01/01/2016

A partir do segundo mês Receita bruta em três


subsequente ao período meses
dos três meses consecutivos(soma dos 3
meses) Entre R$60 e
450 mil

Decreto Nº 14.308, DE 16 DE NOVEMBRO DE


2015.

Obs: O ECF do CV09/09 continua obrigatório para


algumas faixas de faturamento e autorizado caso
alguma empresa obrigada ao uso da NFC-e queira
optar por usar o ECF.
Para os demais contribuintes A partir de 1 de Agosto de
independente da faixa de 2016
faturamento exceto:
I – o
Microempreendedor
Individual – MEI, assim
considerado nos termos do
artigo 966 da Lei (federal)
n° 10.406, de 10 de janeiro
de 2002 (Código Civil), e
que for optante pelo
Simples Nacional e pelo
recolhimento do imposto
na forma prevista nos
MT artigos 18-A a 18-C da Lei
Complementar (federal) n°
123, de 14 de dezembro de
2006;
II – o contribuinte
que, no exercício
financeiro imediatamente
anterior, auferiu
faturamento não superior a
R$ 120.000,00 (cento e
vinte mil reais);
III – o contribuinte, em
início de atividade, com
expectativa de
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

faturamento médio mensal


não superior a R$
10.000,00 (dez mil reais).

-DECRETO 24 DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015

para os estabelecimentos 1º de junho de 2015


vinculados à Coordenação
Executiva Especial de
Administração Tributária de
Grandes Contribuintes -
CEEAT-GC que efetuarem
venda ou fornecimento de
mercadorias à pessoa natural
ou jurídica não contribuinte do
ICMS
para os estabelecimentos 1º DE DEZEMBRO
obrigados à Escrituração DE 2015
PA Fiscal Digital - EFD e que
efetuarem venda ou
fornecimento de mercadorias
à pessoa natural ou jurídica
não contribuinte do ICMS
para os demais 1º DE JUNHO DE
Estabelecimentos que 2016
efetuarem venda ou
fornecimento de mercadorias
à pessoa natural ou jurídica
não contribuinte do ICMS
INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 29 DE
DEZEMBRO DE 2014
Período experimental entre 1º de julho e 30
de setembro de 2014
estabelecimentos varejistas com A partir de 1º de julho
faturamento superior a R$ de 2015
25.000.000,00 (vinte e cinco
milhões de reais) no exercício de
2013, caso se enquadrem nas
disposições do art. 338
(obrigatoriedade ECF) do
Regulamento do ICMS-PB
e novas empresas inscritas a
partir de 1º de julho de 2015
As empresas inscritas no Estado A partir de 1º de julho
da Paraíba a partir de 1º de julho de 2015
de 2015, classificadas na
atividade de comércio varejista,
PB serão obrigadas a emitir Nota
Fiscal de Consumidor Eletrônica
(NFC-e), caso se enquadrem nas
disposições do art. 338
(obrigatoriedade de ECF) do
Regulamento do ICMS-PB.”
a) A partir de 1º de
Comércio varejista de agosto de 2015
combustíveis para veículos
automotores (CNAE Fiscal 4731-
8/00);

b)
Comércio varejista de gás
liquefeito de petróleo (GLP)
(CNAE Fiscal 4784-9/00);
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

a) A partir de 1º de
Administração de hotéis (CNAE outubro de 2015
Fiscal 5510-8/01);

b)
Lanchonetes, casas de chá, de
sucos e similares (CNAE Fiscal
5611-8/01);

c)
Restaurantes e similares (CNAE
Fiscal 5611-2/01);

d) Bares e
outros estabelecimentos
similares (CNAE Fiscal 5611-
2/02);

e) Serviços
de alimentação para eventos e
recepções – Buffet (CNAE Fiscal
5620-1/02);
f) Cantinas
- Serviços de alimentação
privativos (CNAE Fiscal 5620-
1/03);

g)
Fornecimento de alimentos
preparados
preponderantemente para
consumo domiciliar (CNAE Fiscal
5620-1/04).”

Comércio Varejista de a partir de 1º de


Bebidas (CNAE Fiscal 4723- dezembro de 2015
7/00) com faturamento anual
acima de R$ 600.000,00
(seiscentos mil reais)
Contribuintes: com faturamento a partir de 1º de
superior a R$ 9.000.000,00 janeiro de 2016
(nove milhões de reais) no
exercício de 2013
com faturamento superior a R$ a partir de 1º de julho
5.500.000,00 (cinco milhões e de 2016
quinhentos mil reais) no
exercício de 2014
com faturamento superior a R$ a partir de 1º de
3.600.000,00 (três milhões e janeiro de 2017
seiscentos mil reais) no exercício
de 2014
os demais estabelecimentos a partir de 1º de julho
varejistas enquadrados no art. de 2017
338 (obrigatoriedade ECF) do
Regulamento do ICMS-PB
PORTARIA Nº 259/GSER
PUBLICADA NO DOE DE 20.11.14
ALTERADA PELA PORTARIA Nº 283/GSER
PUBLICADA NO DOE DE 12.12.14
ALTERADA PELA PORTARIA Nº 082/GSER
PUBLICADA NO DOE DE 07.04.15
ALTERADA PELA PORTARIA Nº 090/GSER
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

PUBLICADA NO DOE DE 24.04.15


Portaria SRE - PB nº 209 de 09.09.2015
Piloto para empresas De 01/11 a
PE relacionadas no anexo único 31/12/2014
PORTARIA SF Nº 180, DE 06.11.2014.
Art. 2º Ficam obrigados à 1º de novembro de
emissão da NFC-e, a partir de 1º 2015
de novembro de
2015, exceto postos de
combustíveis, os contribuintes:
I - obrigados ao uso do ECF que
não cumpriram tal exigência até
a data de vigência
PI desta Portaria e os que aderirem
voluntariamente nos termos do
art. 3º;
II - com novas inscrições de
varejistas, nas cidades de
Teresina, Parnaíba, Picos e
Floriano com faturamento anual
de até R$ 2.000.000,00 (dois
milhões de reais);
todos aqueles que promovam a partir de 1º de
operações de janeiro de 2018
comércio varejista Exceto o
Microempreendedor Individual
MEI optante pelo Sistema de
Recolhimento em Valores Fixos
Mensais dos Tributos abrangidos
pelo Simples Nacional – SIMEI

PORTARIA GSF Nº

606 /2015

4731-8/00 - COMÉRCIO 31/12/2015


VAREJISTA DE
COMBUSTÍVEIS PARA
VEÍCULOS
AUTOMOTORES
5611-2/01 - 01/08/2015
RESTAURANTES E
SIMILARES
5611-2/02 - BARES e
OUTROS
ESTABELECIMENTOS
ESPECIALIZADOS EM
SERVIR BEBIDAS
5611-2/03 - LANCHONETES,
CASAS DE CHÁ, DE SUCOS
PR
e SIMILARES
5612-1/00 - SERVIÇOS
AMBULANTES DE
ALIMENTAÇÃO
5620-1/01 -
FORNECIMENTO DE
ALIMENTOS PREPARADOS
PREPONDERANTEMENTE
PARA EMPRESAS
5620-1/02 - SERVIÇOS DE
ALIMENTAÇÃO PARA
EVENTOS e RECEPÇÕES -
BUFE
5620-1/03 - CANTINAS -
SERVIÇOS DE
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

ALIMENTAÇÃO
PRIVATIVOS
5620-1/04 -
FORNECIMENTO DE
ALIMENTOS PREPARADOS
PREPONDERANTEMENTE
PARA CONSUMO
DOMICILIAR
4756-3/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA
ESPECIALIZADO DE
INSTRUMENTOS
MUSICAIS e ACESSÓRIOS
4761-0/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE LIVROS
4761-0/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE JORNAIS e
REVISTAS
4762-8/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE DISCOS,
CDS, DVDS e FITAS
4774-1/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE ÓPTICA
4782-2/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE VIAGEM
4789-0/06 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE FOGOS DE
ARTIFÍCIO e ARTIGOS
PIROTÉCNICOS
4789-0/09 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARMAS e
MUNIÇÕES
4511-1/01 - COMÉRCIO a 01/09/2015
VAREJO DE AUTOMÓVEIS,
CAMIONETAS e
UTILITÁRIOS NOVOS
4511-1/02 - COMÉRCIO a
VAREJO DE AUTOMÓVEIS,
CAMIONETAS e
UTILITÁRIOS USADOS
4530-7/03 - COMÉRCIO a
VAREJO DE PEÇAS e
ACESSÓRIOS NOVOS
PARA
VEÍCULOS AUTOMOTORES
4530-7/04 - COMÉRCIO a
VAREJO DE PEÇAS e
ACESSÓRIOS USADOS
PARA
VEÍCULOS AUTOMOTORES
4530-7/05 - COMÉRCIO a
VAREJO DE PNEUMÁTICOS
e CÂMARAS-DE-AR
4541-2/03 - COMÉRCIO a
VAREJO DE
MOTOCICLETAS e
MOTONETAS NOVAS
4541-2/04 - COMÉRCIO a
VAREJO DE
MOTOCICLETAS e
MOTONETAS USADAS
4541-2/05 - COMÉRCIO a
VAREJO DE PEÇAS e
ACESSÓRIOS PARA
MOTOCICLETAS e
MOTONETAS
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

4732-6/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
LUBRIFICANTES
4784-9/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE GÁS
LIQÜEFEITO DE PETRÓLEO
(GLP)
4782-2/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE CALÇADOS
4755-5/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE TECIDOS
4755-5/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE ARMARINHO
4789-0/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
SUVENIRES, BIJUTERIAS e
ARTESANATOS
4721-1/01 - PADARIA e 01/10/2015
CONFEITARIA COM
PREDOMINÂNCIA DE
PRODUÇÃO
PRÓPRIA
4721-1/02 - PADARIA e
CONFEITARIA COM
PREDOMINÂNCIA DE
REVENDA
4783-1/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE JOALHERIA
4783-1/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE RELOJOARIA
4785-7/99 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE OUTROS
ARTIGOS USADOS
4751-2/01 - COMERCIO
VAREJISTA
ESPECIALIZADO DE
EQUIPAMENTOS E
SUPRIMENTOS DE
INFORMATICA
4789-0/05 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE PRODUTOS
SANEANTES
DOMISSANITÁRIOS
4789-0/99 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE OUTROS
PRODUTOS NÃO
ESPECIFICADOS
ANTERIORMENTE
4753-9/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA
ESPECIALIZADO DE
ELETRODOMÉSTICOS
e EQUIPAMENTOS DE
ÁUDIO e VÍDEO
4754-7/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE MÓVEIS
4754-7/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE ILUMINAÇÃO
4752-1/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA
ESPECIALIZADO DE
EQUIPAMENTOS DE
TELEFONIA e
COMUNICAÇÃO
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

4781-4/00 - COMÉRCIO 01/11/2015


VAREJISTA DE ARTIGOS
DO VESTUÁRIO e
ACESSÓRIOS
4751-2/02 - RECARGA DE
CARTUCHOS PARA
EQUIPAMENTOS DE
INFORMATICA
4785-7/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
ANTIGUIDADES
4789-0/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE PLANTAS e
FLORES NATURAIS
4789-0/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE OBJETOS
DE ARTE
4789-0/07 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
EQUIPAMENTOS PARA
ESCRITÓRIO
4741-5/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE TINTAS e
MATERIAIS PARA PINTURA
4742-3/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE MATERIAL
ELÉTRICO
4744-0/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE MATERIAIS
HIDRÁULICOS
4744-0/04 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE CAL, AREIA,
PEDRA BRITADA,
TIJOLOS e TELHAS
4744-0/05 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE MATERIAIS
DE CONSTRUÇÃO NÃO
ESPECIFICADOS
ANTERIORMENTE
4744-0/06 - COMERCIO
VAREJISTA DE PEDRAS
PARA REVESTIMENTO
4744-0/99 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE MATERIAIS
DE CONSTRUÇÃO EM
GERAL
4713-0/01 - LOJAS DE 01/12/2015
DEPARTAMENTOS OU
MAGAZINES
4713-0/02 - LOJAS DE
VARIEDADES, EXCETO
LOJAS DE
DEPARTAMENTOS
OU MAGAZINES
4713-0/03 - LOJAS “DUTY
FREE” DE AEROPORTOS
INTERNACIONAIS
4729-6/01 – TABACARIA
4729-6/02 - COMERCIO
VAREJISTA DE
MERCADORIAS EM LOJAS
DE
CONVENIENCIA
4763-6/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
BRINQUEDOS e ARTIGOS
RECREATIVOS
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

4763-6/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
ESPORTIVOS
4763-6/04 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE CAÇA, PESCA e
CAMPING
4763-6/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE BICICLETAS
e TRICICLOS, PEÇAS e
ACESSÓRIOS
4763-6/05 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
EMBARCAÇÕES e OUTROS
VEÍCULOS
RECREATIVOS, PEÇAS e
ACESSÓRIOS
4761-0/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE PAPELARIA
4755-5/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE CAMA, MESA e BANHO
4757-1/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA
ESPECIALIZADO DE PEÇAS
e ACESSÓRIOS
PARA APARELHOS
ELETROELETRÔNICOS
PARA USO DOMÉSTICO,
EXCETO
INFORMÁTICA
4759-8/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE TAPEÇARIA, CORTINAS
e
PERSIANAS
4759-8/99 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE OUTROS
ARTIGOS DE USO
DOMÉSTICO NÃO
ESPECIFICADOS
ANTERIORMENTE
4754-7/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
DE COLCHOARIA
4721-1/04 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE DOCES,
BALAS, BOMBONS e
SEMELHANTES
4723-7/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE BEBIDAS
4772-5/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
COSMÉTICOS, PRODUTOS
DE
PERFUMARIA e DE
HIGIENE PESSOAL
4789-0/04 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ANIMAIS
VIVOS e DE ARTIGOS e
ALIMENTOS PARA ANIMAIS
DE ESTIMAÇÃO
4789-0/08 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
FOTOGRÁFICOS e PARA
FILMAGEM
4743-1/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE VIDROS
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

4744-0/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
FERRAGENS e
FERRAMENTAS
4744-0/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE MADEIRA e
ARTEFATOS
4711-3/01 - COMÉRCIO 01/01/2016
VAREJISTA DE
MERCADORIAS EM GERAL,
COM
PREDOMINÂNCIA DE
PRODUTOS ALIMENTÍCIOS
- HIPERMERCADOS
4711-3/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
MERCADORIAS EM GERAL,
COM
PREDOMINÂNCIA DE
PRODUTOS ALIMENTÍCIOS
– SUPERMERCADOS
4712-1/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
MERCADORIAS EM GERAL,
COM
PREDOMINÂNCIA DE
PRODUTOS ALIMENTÍCIOS
- MINI-MERCADOS,
MERCEARIAS e ARMAZÉNS
4721-1/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE LATICÍNIOS
e FRIOS
4722-9/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE CARNES -
AÇOUGUES
4722-9/02 - PEIXARIA
4724-5/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
HORTIFRUTIGRANJEIROS
4729-6/99 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE PRODUTOS
ALIMENTÍCIOS EM GERAL
OU ESPECIALIZADO EM
PRODUTOS ALIMENTÍCIOS
NÃO ESPECIFICADOS
ANTERIORMENTE
4771-7/01 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE PRODUTOS
FARMACÊUTICOS, SEM
MANIPULAÇÃO DE
FORMULAS
4771-7/02 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE PRODUTOS
FARMACÊUTICOS, COM
MANIPULAÇÃO DE
FORMULAS
4771-7/03 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE PRODUTOS
FARMACÊUTICOS
HOMEOPÁTICOS
4771-7/04 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE
MEDICAMENTOS
VETERINÁRIOS
4773-3/00 - COMÉRCIO
VAREJISTA DE ARTIGOS
MÉDICOS e ORTOPÉDICOS
TODOS OS
CONTRIBUINTES QUE
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

PROMOVAM OPERAÇÕES
DE COMÉRCIO
VAREJISTA

RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015


DECRETO N. 12.231/2014
Contribuintes: 01-10-2014
a) voluntários para emissão
em ambiente de produção
b) que, obrigados ao uso de
ECF, não tenham solicitado,
até 1º de outubro de 2014,
autorização de uso de
equipamento
Contribuintes que: 01-07-2015
a) que apuram o ICMS por
confronto entre débitos e
créditos (regime normal), ainda
que a partir da data de
obrigatoriedade venham
a se enquadrar em outro regime
de apuração
b) Novos Contribuintes
(independentemente do regime
RJ de apuração a que estejam
vinculados)
Contribuintes optantes por: 01-01-2016
a) Simples Nacional com receita
bruta anual auferida em 2014
superior a R$ 1.800.000,00
b) demais regimes de apuração
distintos do regime de confronto
entre débitos e créditos (regime
normal), independente da
receita bruta anual auferida
Contribuintes optantes pelo 01-01-2017
Simples Nacional com receita
bruta anual auferida em 2014
superior a R$ 360.000,00
Todos os contribuintes estarão Até 31-12-2017
obrigados
Anexo II-A acrescentado pela Resolução SFEAZ
n.º759/2014, vigente de 08.07.2014
Regulamentado o uso para empresas autorizadas a
participar do teste piloto
RN
- decreto_23306-13 regulamenta a NFCe
- portaria_036-13.- piloto nfce
Contribuintes: com receita bruta 01-03-2015
igual ou superior a R$
12.000.000,00
com receita bruta igual ou 01-08-2015
superior a R$ 6.000.000,00
Todos os demais contribuintes, 01-07-2016
exceto os optantes pelo simples
RO nacional

Instrução Normativa de 24 de junho de 2014 nº


003/2014/GAB/CRE introduz a NFC-e
IN CGRE - RO 19/15 - IN - Instrução Normativa
COORDENADOR GERAL DA RECEITA ESTADUAL
- RO nº 19 de 17.11.2015
RS Contribuintes 01-09-2014
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

enquadrados na modalidade
geral que promovam operações
de comércio atacadista e
varejista (ATACAREJO)
com faturamento superior a R$ 01-11-2014
10.800.000,00
com faturamento superior a 01-06-2015
R$ 7.200.000,00
com faturamento superior a 01-01-2016
R$ 3.600.000,00 e
estabelecimentos que iniciarem
suas
atividades a partir de 1º de
janeiro de 2016
com faturamento superior a 01-07-2016
R$ 1.800.000,00
com faturamento superior a 01-01-2017
R$ 360.000,00
T o d o s os contribuintes 01-01-2018
que promovam operações de
comércio varejista
-DECRETO Nº 51.245, DE 5 DE MARÇO DE 2014
-INSTRUÇÃO NORMATIVA RE Nº 082-13
Permissão de uso A partir de
RR 05/08/2014
Decreto Nº 15925-E DE 05/08/2013
Contribuintes relacionados no a partir de 1º de
Anexo Único novembro de 2014
com faturamento superior a R$ a partir de 1º de
10.000.000,00 março 2015
com faturamento superior a R$ a partir de 1º de julho
5.000.000,00 de 2015
com faturamento superior a R$ a partir de 1º de
SE 1.800.000,00 novembro de 2015
com faturamento superior a R$ a partir de 1º de
360.000,00 ou em início de março de 2016
atividade
todos aqueles que promovam a partir de 1º de julho
operações de comércio varejista. de 2016
-Portaria SEFAZ Nº 312 DE 15/05/2014

SP Credenciamento para A partir da obrigatoriedade


emissão a critério da do SAT a critério do
secretaria da fazenda contribuinte poderá ser
emitida a NFC-e. Será
exigido como contingência
o SAT
Portaria CAT 12, de 04-02-2015
Decreto nº 61.084, DE 29 DE JANEIRO DE 2015

TO Piloto para empresas Data nova: de 1º de


listadas no ANEXO I agosto de 2015 a 31 de
julho de 2016.
Portaria SEFAZ nº 899, de 07.08.2015 - DOE TO de
11.08.2015
SEFAZ-TO Portaria 1243, de 08.12.15
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

ECF DO CV85/01
Obrigatoriedade Sinalização de Proibições futuras

RR
RR
AP
AP

AM
PA AM
MA CE PA
RN MA CE
AC RN
PI PB AC
RO PI PB
PE RO
TO AL PE
MT TO AL
BA SE MT
BA SE
DF
DF
GO
MG GO
MS MG
SP ES MS
SP ES
PR
RJ PR
RJ
SC
SC
RS
RS

O uso do ECF é obrigatório em todo o Brasil AC a partir de 1º de outubro Para quem aderir
de 2013 voluntariamente à NFC-e
Para os contribuintes
a partir de 1º de junho de relacionados no Anexo
2014 Único (43 empresas
a partir de 1º de setembro para os contribuintes em
2014 início de atividade
para os demais
contribuintes exceto os
a partir de 1º de dezembro optantes pelo Simples
de 2014 Nacional
para todos os
contribuintes, inclusive os
optantes pelo Simples
Nacional com faturamento
a partir de 1º de abril de bruto anual acima de
2015 R$120.000,00
- DECRETO Nº 6.596 DE 8 DE NOVEMBRO DE
2013
AM para os contribuintes A partir de 01/02/2014
localizados na Capital que,
obrigados ao uso de
equipamento Emissor de
Cupom Fiscal – ECF, nos
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

termos da legislação, não


tenham solicitado ou
iniciado o uso de nenhum
equipamento até essa data
-Lei 9.532/97 para os contribuintes 01/03/2014
-Convênio ICMS 01/98 relacionados no Anexo
-Regulamentos Estaduais Único da Resolução
para contribuinte em início 01/03/2014
de atividade, localizado na
Capital
para os demais 01/09/2014
contribuintes localizados
na Capital, exceto os
optantes pelo Simples
Nacional
para todos os 01/01/2015
contribuintes, inclusive os
localizados no interior e os
optantes pelo Simples
Nacional
O contribuinte que tenha 1 ano após a adesão a
adquirido ECF e/ou que NFC-e os ECF devem ser
possua talonários de notas cessados
fiscais modelo 2,
anteriormente à data da
sua adesão voluntária ou
obrigatória, poderá utilizá-
lo no mesmo
estabelecimento em que
esteja emitindo NFC-e,
pelo período máximo de
um ano, a partir da data
de adesão
--DECRETO N 33.405, DE 16 DE ABRIL DE 2013

-RESOLUÇÃO N 022-2013 – GSEFAZ

-RESOLUÇÃO 003-2014 – GSEFAZ

-RESOLUÇÃO 006-2014 – GSEFAZ

MT -A partir de 1 de Agosto de 2016 não concede novas


autorizações, exceto para bilhete de passagem

-ECF autorizado entre 18/02/2015 e 31/07/2016 podem


ser utilizados até 31/07/2019

-ECF autorizado antes de 18/02/2015 podem ser


utilizados até 31/07/2016

DECRETO 24 DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015


-DECRETO N 2.050 de 17 de Dezembro de 2013

- DECRETO Nº 2.581, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014.

PA Os estabelecimentos credenciados à utilização de


NFC-e poderão efetuar a emissão
de Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2,
e de Cupom Fiscal, emitido por equipamento
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

Emissor de Cupom Fiscal - ECF, de forma


concomitante, pelo prazo de 6 (seis) meses
INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 29 DE
DEZEMBRO DE 2014

PB § 2 º Uma vez credenciado, o contribuinte deverá


atender às disposições inerentes aos contribuintes
obrigados à emissão da Nota Fiscal de Consumidor
Eletrônica (NFC-e), devendo descontinuar a emissão de
Cupom Fiscal, solicitando a cessação de uso do
Equipamento Emissor de Cupom Fiscal.
A obrigatoriedade na Paraíba segue cronograma que
inicia-se em 01/07/2015 e vai até 01/07/2017

“§ 5º A partir de 1º de julho de 2015 não será


autorizado o uso de novos Equipamentos Emissores de
Cupom Fiscal (ECF).”.

PORTARIA Nº 283/GSER
Portaria GSER Nº 117 DE 26/05/2014

PI a partir de 1º de janeiro de 2018, fica vedada a


concessão de autorização para confecção de
Nota Fiscal de Venda a Consumidor - Modelo 2 e
o uso do referido ECF por contribuinte
estabelecido no território piauiense, exceto postos
de combustíveis.

Portaria CAT 106, de 10-09-2015

PR não será mais A partir de 1º de agosto


concedida autorização de 2015
de uso de
novos equipamentos
ECF para emissão de
documentos fiscais
destinados à venda de
mercadorias.
ECFs autorizados
poderão continuar em
uso até 31/12/2016 para
atendimento ao nota
fiscal paranaense

RJ Vedada a emissão de cupom fiscal a partir de 01-01-


2019
DECRETO Nº 44.785 DE 12 DE MAIO DE 2014

RS ECF que já possua autorização de uso, poderá ser


utilizado pelo prazo de
2 (dois) anos a contar das respectivas datas de início da
obrigatoriedade
Contribuintes A partir de 01-09-2014
enquadrados na
modalidade geral que
promovam operações de
comércio atacadista e
varejista (ATACAREJO)
C o n t r i b u i n t e s com A partir de 01-11-2014
faturamento superior a R$
10.800.000,00
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

C o n t r i b u i n t e s com A partir de 01-06-2015


faturamento superior a
R$ 7.200.000,00
C o n t r i b u i n t e s com A partir de 01-01-2016
faturamento superior a
R$ 3.600.000,00 e
estabelecimentos que
iniciarem suas
atividades a partir de 1º de
janeiro de 2016
C o n t r i b u i n t e s com A partir de 01-07-2016
faturamento superior a
R$ 1.800.000,00
C o n t r i b u i n t e s com A partir de 01-01-2017
faturamento superior a
R$ 360.000,00
T o d o s os contribuintes A partir de 01-01-2018
que promovam operações
de comércio varejista
-DECRETO Nº 51.245, DE 5 DE MARÇO DE 2014

Contribuintes relacionados a partir de 1º de novembro


no Anexo Único de 2014
com faturamento superior a partir de 1º de março
a R$ 10.000.000,00 2015
com faturamento superior a partir de 1º de julho de
a R$ 5.000.000,00 2015
com faturamento superior a partir de 1º de novembro
SE a R$ 1.800.000,00 de 2015
com faturamento superior a partir de 1º de março de
a R$ 360.000,00 ou em 2016
início de atividade
todos aqueles que a partir de 1º de julho de
promovam operações de 2016
comércio varejista.
-Portaria SEFAZ Nº 312 DE 15/05/2014
SP -A partir de 01-11-2014 para novas autorizações de uso
-Será vedado o uso de equipamento ECF que conte 5
anos ou mais da data da primeira lacração indicada no
Atestado de Intervenção
Portaria CAT-30, de 28-11-2014

Para os contribuintes 31 de março de 2015


sujeitos ao regime
ordinário de apuração
e
recolhimento do
ES imposto
para as empresas 30 de junho de 2015
optantes pelo
Simples Nacional.
DECRETO Nº 3670-R, DE 17 DE OUTUBRO DE
2014
A partir de 01 de Julho de 2015
SC
Decreto Nº 2324 DE 28/07/2014
para os contribuintes com 31 de maio de 2015
receita bruta anual
superior a R$ 1.800.000,00
(um milhão e oitocentos
MA
mil reais)
para os contribuintes com 31 de julho de 2015
receita bruta anual
superior a R$ 720.000,00
ASSUNTOS REGULATÓRIOS
Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016

(setecentos e vinte mil


reais) até 1.800.000,00
(um milhão e oitocentos
mil reais)
para os demais 30 de outubro de 2015
contribuintes
Resolução Administrativa SECRETARIA DE
FAZENDA DO ESTADO DO MARANHÃO nº 22 de
14.10.2014

Contribuintes: que 28 de fevereiro de 2015


auferiram no exercício de
2013, receita bruta anual
MS superior a R$ 1.200.000,00
para os demais 31 de maio de 2015
contribuintes
DECRETO Nº 14.005, DE 16 DE JULHO DE 2014

Histórico de revisões:

Rev.4.7 Atualizado em 23/11/2015 Adicionado cronograma de obrigatoriedade de NFC-e e CF-e-ECF do


Estado do MATO GROSSO DO SUL (Decreto Nº 14.308, DE 16 DE
NOVEMBRO DE 2015)
Rev.4.8 Atualizado em 11/12/2015 Alteração no cronograma de obrigatoriedade de NFC-e do Estado de
Rondonia
Rev.4.9 Atualizado em 15/12/2015 Nova data para o piloto NFC-E no Tocantins

Rev.5.0 Atualizado em 05/01/2016 Cronograma de piloto e obrigatoriedade NFC-e em ALAGOAS

Rev.5.1 Atualizado em 25/01/2016 Cronograma de obrigatoriedade NFC-e na BAHIA